Você está na página 1de 10
Faculdade Estácio de Sá de Goiás PORTIFOLIO DAS ATIVIDADES ESTRUTURADAS ATENÇÃO FARMACÊUTICA Goiânia – GO

Faculdade Estácio de Sá de Goiás

PORTIFOLIO DAS ATIVIDADES ESTRUTURADAS

ATENÇÃO FARMACÊUTICA

Goiânia – GO

ATIVIDADES ESTRUTURADAS ACADEMICO (A): Apoliana Stéfane Mudesto Teles Número Matrícula: 200901012321 Início:

ATIVIDADES ESTRUTURADAS

ATIVIDADES ESTRUTURADAS ACADEMICO (A): Apoliana Stéfane Mudesto Teles Número Matrícula: 200901012321 Início:

ACADEMICO (A): Apoliana Stéfane Mudesto Teles

Número Matrícula: 200901012321

Início: 18/08/2010

Término: 27/11/2010

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA TERMO DE ABERTURA Este portifólio das atividades estruturadas, esta tipograficamente

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA

TERMO DE ABERTURA

Este portifólio das atividades estruturadas, esta tipograficamente numerada de 1 ao 10, digitado sendo que o mesmo não poderá ter rasura, sob a pena de não ter validade perante a coordenação de Farmácia.

Coordenação do Curso de Farmácia

FESGO

FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ - FESGO INDICE INTRODUÇÃO 5 DESENVOLVIMENTO 6 ANEXO DA ENTREVISTA 8

FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ - FESGO

INDICE

INTRODUÇÃO

5

DESENVOLVIMENTO

6

ANEXO DA ENTREVISTA

8

CONCLUSÃO

9

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

10

5

INTRODUÇÃO

A Atenção Farmacêutica (AF) é considerada como atividade prática essencial do trabalho do farmacêutico, que se associa a um interesse amplo e crescente por desenvolver e adquirir habilidades para a implantação de serviços básicos de AF, como a dispensação, a indicação farmacêutica e o segmento farmacoterapeutico. Este fato reforça a necessidade de dispor de uma fonte de informação escrita, com os aspectos teóricos e práticos destes serviços de Atenção Farmacêutica.

O cuidado farmacêutico é especificamente desenhado para satisfazer as necessidades dos pacientes em relação aos medicamentos, sejam eles quais forem. Um exercício profissional deste tipo deve ter um âmbito global e comprometido com a redução e prevenção da morbidade e mortalidade relacionadas aos fármacos. Portanto, o cuidado farmacêutico e uma abordagem sistemática, racional e global para as decisões de tratamento farmacológico.

O conceito e a prática de cuidados farmacêuticos agora esta nas mãos de pessoas comprometidas com a melhoria da evolução dos pacientes ao assumir a responsabilidade de um tratamento farmacológico correto, efetivo e seguro.

6

DESENVOLVIMENTO

Diante do conteúdo trabalhado podemos perceber que o farmacêutico é privado de boa parte de suas verdadeiras atividades relacionadas a suas função acadêmica, lhe é cobrado condição não voltada para o paciente mas sim para obtenção de diversas.

Dentro da farmácia o farmacêutico passa a ter um papel de comerciante, deixando para trás tudo que aprendeu na sua graduação no que tange aos cuidados com seu paciente.

A visão dada ao paciente por este modelo comercial trata o mesmo de forma a

obter-se lucro induzindo ao uso de medicamentos, assim ignorando o uso racional dos mesmos, contrariando a pratica tão discutida nas universidades.

A prática da atenção farmacêutica e sucumbida, o profissional agrega também

a função de administração, fazendo escalas de trabalho organizando folgas de funcionários, cronograma de feria, sobrecarregando-se de funções não relacionadas com a área a fim.

Quando um paciente chega até a farmácia a procura de um medicamento e de orientações pertinentes sobre seu uso correto, nem sempre encontra o tratamento devido, não por falta de vontade do profissional pois o mesmo dificilmente disporá de tempo para fazê-lo.

O cuidado farmacêutico e um exercício em que o profissional assume a responsabilidade das necessidades do paciente em relação ao emprego de medicamentos e adquirir um compromisso a esse respeito. Neste exercício profissional, o farmacêutico proporciona um tratamento farmacológico responsável com o propósito de conseguir resultados positivos para o paciente.

7

Cuidado farmacêutico e uma nova pratica do profissional que envolveu anos de pesquisa e exercício da procissão de farmácia. Este novo exercício profissional não pretende substituir a função do medico e nem de qualquer outro profissional e sim satisfazer uma necessidade do sistema de cuidados de saúde que surgiu em razão da presença de múltiplos prescritores de medicações para um único paciente.

O cuidado farmacêutico torna o profissional responsável pelas necessidades

relacionadas a uso do medicamento pelo paciente de tal forma que o tratamento farmacológico possa ser monitorado com suficientes detalhes e com uma analise racional, sistemática e de maneira que todos os problemas relacionados com os medicamentos, os reais e possíveis, possa ser identificados, suas causas determinadas e soluções oferecidas.

A disciplina necessária para o cuidado farmacêutico exige que o profissional

use um método sistemático, completo e eficiente para alcançar os propósitos do tratamento para identificar, resolver e prevenir qualquer problema relacionado com

medicamento. O processo de cuidado com o paciente permite que o profissional alcance estes objetivos.

Estes objetivos é o que nós futuros farmacêuticos esperamos para que possamos praticar de forma correta, responsável priorizando o uso correto de medicamentos trazendo em fim melhorias a nossa população.

8

ANEXO DA ENTREVISTA

8 ANEXO DA ENTREVISTA

9

CONCLUSÃO

Através dos estudos feitos e da análise crítica do artigo sobre Atenção Farmacêutica juntamente com a entrevista que foi feita pelos os alunos do 4º período de farmácia da FESGO, observamos que se faz muito pouco sobre Atenção Farmacêutica tanto em âmbito municipal, estadual e federal.

A Atenção Farmacêutica entendida como um modelo de prática profissional desenvolvida no contexto da assistência farmacêutica possui por finalidade aumentar a efetividade do tratamento medicamentoso, porém vem enfrentando diversas dificuldades na sua incorporação, em parte devido ao desconhecimento e despreparo dos profissionais. Também há os obstáculos que incluem o vínculo empregatício do profissional farmacêutico e a rejeição do programa por gerentes e proprietários das farmácias, além da insegurança e desmotivação por parte da concorrência dos balconistas em buscas de comissões sobre vendas.

Para desenvolver uma pratica eficaz sobre atenção farmacêutica e necessária uma mudança de pensamento no sentido de estimular atuação profissional, dando- lhe liberdade e incentivo ao manejo correto da problemática paciente/medicamento.

10

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS:

OLIVEIRA, Andrezza Beatriz et al. Obstáculos da atenção

farmacêutica no Brasil. Rev. Bras. Cienc. Farm. [online]. 2005, vol.41, n.4, pp. 409-413. ISSN 1516-9332. doi: 10.1590/S1516-

93322005000400002

OLIVEIRA, Maria Auxiliadora; BERMUDEZ, Jorge Antônio Zepeda; CASTRO, Cláudia Garcia Serpa Osório de. Assistência farmacêutica e acesso a medicamentos. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2007.

CIPOLLE, Robert J.; STRAND, Linda M.; MORLEY, Peter C. Exercício do cuidado farmacêutico. Brasília: Conselho Federal de Farmácia,

2006.

ROVERS, John P.; CURRIE, Jay D

Guia prático da atenção

farmacêutica: manual de habilidades clínicas. São Paulo:

Pharmabooks, 2010.