Você está na página 1de 1154

Sumário

Sumário
Seção do corpo principal
Especificações
Geral
1. Dados principais
2. Desempenho
3. Dimensões da unidade principal
4. Motor
5. Sistema de arrefecimento
6. Sistema de trabalho da parte superior
7. Dispositivo de operação
8. Unidades de giro
9. Corpo inferior de deslocamento
Equipamento hidráulico
1. Dispositivo hidráulico
2. Válvula de controle, cilindro
Capacidades, filtros
1. Capacidades de líquido de arrefecimento e óleo
2. Filtros de óleo hidráulico
3. Filtro de combustível

Capacidade de elevação
Precauções para a elevação de cargas com a escavadora hidráulica
Capacidades de elevação (braço padrão)

Visão geral
Visão geral (350X2)
1. Braço padrão (3,25 m)
2. Braço curto (2,63 m)
3. Braço longo (4,04 m)

Diagrama de alcance do trabalho


Diagrama de alcance do trabalho (350X2)
1. Braço padrão (3,25 m)
2. Braço curto (2,63 m)
3. Braço longo (4,04 m)

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 1
Sumário
Seção de resumo
Tabela do equipamento principal
Componente inferior
1. Unidade de deslocamento
2. Rolete de retorno
3. Rolete superior
4. Rolete inferior
5. Mola de recuo
6. Sapata
Componente superior
1. Unidade de giro
Componentes relacionados ao motor
1. Motor
2. Silencioso
3. Purificador de ar (elemento duplo)
4. Radiador
Dispositivo hidráulico
1. Bomba hidráulica
2. Diagrama P - Q da bomba
Componentes relacionados ao controle
1. Válvula de controle
2. Válvula solenoide (5 pilhas)
3. Válvula de controle remoto (esquerda/direita, operações de deslocamento)
4. Diagrama de características da válvula de controle remoto
5. Válvula do amortecedor (circuito de aquecimento, com válvula corrediça)
6. Válvula seletora (opcional)
7. Junta central
Acessório da retroescavadeira
1. Cilindro
2. Acessórios

Diagrama do layout dos equipamentos


Layout dos equipamentos principais
Layout das peças consumíveis

Lista de opções da máquina padrão


Lista de componentes opcionais

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 2
Sumário
Seção do sistema hidráulico
Layout dos equipamentos hidráulicos
Visão geral
Layout dos equipamentos hidráulicos da câmara da bomba
Layout do equipamento hidráulico da seção central do corpo do giro
Layout dos equipamentos hidráulicos do lado esquerdo do alojamento
Layout dos equipamentos hidráulico na cabine

Diagrama das portas


Bomba
1. Bomba hidráulica (modelo padrão)
Válvulas
1. Válvula de controle
2. Válvula solenoide de 5 pilhas
3. Válvula solenoide de 2 pilhas
4. Válvulas de controle remoto (superior, deslocamento)
5. Válvula do amortecedor
6. Válvula múltipla de 4 vias
7. Válvula múltipla de 2 vias
8. Válvula de direção / válvula de corte
9. HBCV (opção para a Europa)
Coletor
1. Coletor sob a cabine
2. Coletor (seção do acumulador)
3. Coletor (seção do tanque de óleo hidráulico)
Motores
1. Motor de giro
2. Motor de deslocamento
3. Junta central

Diagrama de conexões de mangueira piloto


Linhas P e T piloto
Linha de controle piloto
Linha de controle piloto (válvula seletora de 2 vias)
Linha de controle piloto (válvula seletora de 4 vias)

Lista de funções
Tabela de funções
Explicação das novas funções
1. Controle do corte do alívio do giro
2. Controle do limite de velocidade do giro
3. Controle de economia de potência de controle negativo
4. Controle de ajuste do fluxo da linha opcional

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 3
Sumário
5. Circuito para vários fins (britador  triturador) controle de rotação por um toque
6. Circuito regenerativo de fechamento da caçamba

Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)


Circuito de deslocamento
Circuito de baixa velocidade de deslocamento
Circuito de alta velocidade de deslocamento
Circuito de deslocamento em linha reta
Circuito do giro
Circuito de controle de limite de velocidade do giro
Circuito de controle do corte do alívio do giro
Circuito de prioridade de giro
Circuito do freio de giro
Circuito de estacionamento do giro (alavanca em neutro)
Circuito de estacionamento do giro (liberação do freio)
Circuito de estacionamento do giro (parada da máquina)
Circuito da lança
Circuito de elevação da lança (operação independente)
Circuito de elevação da lança (composto elevação da lança + retração do braço)
Circuito regenerativo de descida da lança
Circuito de prevenção de inclinação na descida da lança
Circuito da válvula de retenção da carga na descida da lança
Circuito do braço
Circuito de extensão do braço
Circuito regenerativo forçado de retração do braço
Circuito da válvula de retenção da carga na retração do braço
Circuito da caçamba
Circuito de abertura da caçamba
Circuito regenerativo de fechamento da caçamba
Circuito de controle negativo
Circuito de controle negativo (solenoide de economia de potência DESLIGADO)
Circuito de economia de potência de controle negativo (solenoide de economia de
potência LIGADO)
Circuito de controle negativo (fechamento da caçamba, solenoide de economia de
potência DESLIGADO)
Outros circuitos
Circuito do amortecedor (operação de extensão do braço)
Circuito do amortecedor (operação de extensão do braço interrompida)
Circuito do amortecedor (operação de extensão  retração)
Circuito de aquecimento (alavanca em neutro)
Circuito do reforço de pressão automático (fechamento da caçamba)

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 4
Sumário
Explicação do circuito hidráulico e das operações (opção)
Circuitos opcionais
Circuito do britador (operação independente)
Circuito de ação dupla (garfo hidráulico)
Circuito para vários fins (controle Q do britador)
Circuito para vários fins (triturador de fluxo de 2 bombas)
Circuito da 2ª opção (garfo giratório hidráulico)

Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal


Bomba
1. Bomba hidráulica
2. Regulador
3. Bomba de engrenagens
Motor
1. Motor de deslocamento
2. Motor de giro
Válvula
1. Válvula de controle
2. Explicação da operação da válvula solenoide de 5 pilhas
3. Válvula piloto superior (válvula de controle remoto)
4. Válvula piloto de deslocamento (válvula de controle remoto)
5. Válvula do amortecedor
6. Válvula seletora (4 vias)
7. Válvula de direção (3 direções)

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 5
Sumário
Seção elétrica
Explicação das novas funções
Chave seletora de modo de trabalho
O volume do acelerador e a chave seletora do modo de trabalho estão ligados!!
Método de conexão do computador
Alterações do monitor
Interruptor de pressão piloto alterado para sensor de pressão
Válvula proporcional eletromagnética da bomba
1. Válvula proporcional de controle de potência
2. Válvula proporcional de controle de fluxo de P1
Controle de sistema para economia de energia
1. Redução no consumo de combustível através do controle de redução de carga
transiente
2. Redução no consumo de combustível através do controle de corte do alívio do giro
3. Redução no consumo de combustível através do controle de economia de potência
Controle do limite de velocidade do giro

Diagrama do layout dos equipamentos elétricos


Visão geral
1. Diagrama da lateral esquerda da unidade principal (câmara do radiador)
2. Diagrama da seção do motor
3. Diagrama da lateral direita da unidade principal (câmara da bomba)
4. Diagrama da seção central da unidade principal
5. Diagrama 1 do layout da cabine
6. Layout ao redor do assento do operador
Diagrama de peças independentes

Diagramas estruturais do equipamento principal


Layout do pino do conector de conexão
1. Computador A
2. Monitor

Diagrama do circuito elétrico


Visão geral
1. Diagrama do circuito de sequência

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 6
Sumário
Diagrama do bloco
1. Computador A
2. Computador S
3. ECM
4. Mostrador do monitor
5. Ar-condicionado
6. Trava da alavanca
7. Buzina
8. Luz de Trabalho
9. Opção
10. Outros
11. Lista de símbolos elétricos

Diagrama da fiação do conector elétrico


Chicote do fio
1. Chicote da estrutura principal
Cabine
1. Chicote principal da cabine
2. Subchicote da cabine
3. Cabine
4. Chicote do motor
Console
1. Chicote direito do console
2. Chicote esquerdo do console

Diagrama de montagem da fiação e das peças elétricas


Estrutura principal
Cabine

Explicação das funções e operações


Explicação das funções elétricas
Controle de rotação do motor
1. Controle do acelerador
2. Controle de rotação baixa (automática/um toque)
3. Partida em rotação baixa
4. Aquecimento automático
Controle de partida/parada do motor
1. Avaliação da partida/parada do motor
2. Atraso no corte da alimentação
3. Parada de emergência do motor
4. Partida em neutro

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 7
Sumário
Controle da bomba
1. Controle do modo de trabalho
2. Controle do reforço da potência da bomba
3. Controle de corte da potência da bomba
4. Controle de economia de potência
Giro
1. Freio de giro
2. Giro livre (opção para a América do Norte)
3. Trava do giro (para manutenção)
4. Corte do alívio do giro
5. Limite de velocidade do giro
Deslocamento
1. Troca da velocidade de deslocamento
2. Alarme de deslocamento
Controle da válvula
1. Trava da alavanca
2. Prevenção de emperramento do solenoide
3. Controle do reforço de pressão
Controle do monitor
1. Gráfico de barras (indicador de temperatura do líquido de arrefecimento, indicador de
temperatura do óleo, indicador de combustível)
Acessórios
1. Buzina
2. Luz de trabalho
3. Limpador e lavador
4. Lâmpada do ambiente
5. Mudo do rádio
Outros
1. Proteção
2. Função de economia da bateria
3. Detecção de geração de potência do alternador
4. Aviso de sobrecarga
Opções
1. Controle da linha de opção
2. Controle da linha de opção
3. Parada automática da bomba de alimentação
4. Detecção de obstrução do filtro de retorno
5. Luz giratória

Suporte de serviço
Operações da tela
1. Troca da tela

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 8
Sumário
Lista de exibição da tela
1. Lista da tela CHK (mostrador de status)
2. Tela DIAG (diagnóstico de problemas)
3. Lista da tela HR (registro de uso)
4. Tela CFG (alteração de configuração)
5. Tela CAL (suporte de solução de problemas)
6. Verifique o interruptor do monitor (função de diagnóstico automático)
7. Opção de configuração de fluxo
8. Configuração antifurto
9. Configuração do modelo
10. Tela de informações do motor
Detalhes da exibição da tela
1. Lista de exibição de mensagens
Exibição de anormalidade
1. Exibição do código de diagnóstico de falha
2. Lista dos códigos de diagnóstico de falhas da unidade principal
3. Código de diagnóstico de falha (mostrador do monitor)
4. Tabela de operações de problemas no sensor
5. EPF (recurso de proteção do motor)

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 9
Sumário
Seção do motor
Resumo sobre o motor
Tabela de dados principais
Diagrama de aparência geral
Layout do sensor e do equipamento auxiliar (esquerdo)
Layout do sensor e do equipamento auxiliar (traseiro)
Diagrama do sistema do motor
Diagrama do sistema de combustível
Diagramas detalhados das peças
1. ECM (módulo de controle do motor)
2. Bomba de fornecimento/SCV (válvula de controle de sucção)
3. Trilho comum/amortecedor de fluxo
4. Sensor de pressão do trilho comum/limitador de pressão
5. Injetor
6. Sensor de temperatura do líquido de arrefecimento do motor
7. Sensor de pressão do óleo do motor
8. Sensor de posição do came (sensor de CMP)
9. Sensor de posição do arranque (sensor de CKP)
10. Sensor de pressão atmosférica
11. Sensor de temperatura do ar de sucção
12. Sensor da pressão do reforço
13. Sensor de temperatura do reforço
14. Bomba do combustível de carga
15. Resfriador da EGR
16. Válvula de condução (válvula de verificação)
17. Válvula da EGR
Resumo do controle do motor

Explicação dos termos do motor

Explicação da estrutura do motor


Tecnologia dos gases de escape
1. Sistema de trilho comum
2. Injeção de combustível de vários estágios (injeção múltipla)
3. Resfriador interno
4. EGR (recirculação de gás de escape)

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 10
Sumário
Explicação da operação do motor
Unidade de combustível
1. Resumo do sistema de trilho comum
2. Alterar pontos para o método de injeção (regulador, trilho comum)
3. Explicação da operação do injetor
4. Explicação da operação da bomba de fornecimento
5. Diagrama de desmontagem da bomba de fornecimento
6. Explicação da operação do amortecedor de fluxo
7. Limitador de pressão
8. Cuidados de manutenção
Explicação do controle do motor
1. Correção da quantidade de injeção de combustível
2. Iniciando a correção Q
3. Controle de pré-aquecimento (QOS: partida rápida)
4. Correção da pressão atmosférica (correção de alta altitude)
5. Controle para o superaquecimento
6. Controle para o reforço do aumento de temperatura
7. Controle para a queda da pressão do óleo do motor
8. Controle de partida (monitoramento de temperatura do líquido de arrefecimento)
9. Controle de arranque longo
10. Controle de partida para número reduzido de cilindros
11. Parada normal (chave na posição OFF (desligada))
12. Avaliação da partida/parada do motor

Padrões de manutenção do motor


Tela de informações do motor
1. Objetivo
2. Como acessar essa tela
3. Restrição da partida do motor
4. Tela
Método de operação de monitor
1. Modo de visualização
2. Modo de edição
Informações do motor
Método de cópia (resistência Q, código QR, número de série do motor)
Regravação dos códigos QR do injetor
Quando substituir o computador A ao mesmo tempo
Temporização da aquisição de informações do motor
Nova aquisição de informações do motor
Exibição de anormalidade

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 11
Sumário
Tabela de equipamento do motor
Opções de troca das peças elétricas do acessório de motor conforme a 3ª regulamentação do
gás de escape (Número de peça Isuzu)

Regulamentações do gás de escape


Características dos materiais sujeitos à regulamentação do gás de escape
Valores de regulamentações do gás de escape

Cuidados com o combustível usado


Combustível do motor e manutenção dos filtros de combustível
1. Combustível a ser aplicado
2. Manutenção de filtros de combustível

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 12
Sumário
Seção do ar-condicionado
Diferenças em relação ao modelo 3B
Lista de alterações

Diagrama do layout
Diagrama geral do ar-condicionado
1. Estrutura
2. Cabine
Diagrama do layout dos equipamentos

Diagrama do circuito
Diagrama do circuito do ar-condicionado

Explicação das funções


Explicação de controle
1. Controle do atuador do motor da mistura de ar
2. Controle do atuador do motor do modo de sopro
3. Controle do atuador do motor do interruptor de recirculação/renovação
4. Controle de amp do soprador
5. Controle da embreagem do compressor
6. Controle COOLMAX e controle HOTMAX
7. Detecção de problema e controle após um problema detectado
8. Modo de monitor
9. Controle do interruptor da porta
10. Controle de detecção de obstrução do filtro de ar interno
Inspeção do atuador
Inspeção do atuador do motor da mistura de ar
Inspeção do atuador do motor de recirculação/renovação
Inspeção do atuador do modo de motor

Função de autodiagnóstico com exibição no painel


Exibição de anormalidade e procedimentos de autoverificação
1. Posição da exibição de anormalidade
2. Explicação da exibição de anormalidade
3. Explicação do modo de monitor

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 13
Sumário
Função da peça e avaliação de OK/NG
Painel de controle e unidade de controle
Amp do soprador
Relé
Atuador da mistura de ar
Atuador de recirculação/renovação
Atuador do modo de sopro
Sensor do evaporador
Pressostato duplo
Sensor de radiação solar

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 14
Sumário
Seção de desempenho da máquina nova
Função da peça e avaliação de OK/NG

Tabela de análise de desempenho da máquina nova


Planilha de verificação de avaliação de desempenho
Tabela de entrada de medição de desempenho

Método de medição e posição da unidade principal


Velocidade do motor
Pressão em cada seção
Valor de queda do cilindro
Velocidade do acessório
Velocidade de giro
Ângulo do freio de giro (180°)
Velocidade de deslocamento
Valor de desvio de deslocamento
Velocidade da roda dentada de deslocamento
Valor de tensão da sapata
Valor de movimento do rolamento da pista de esferas do giro e valor de movimento da ponta
da caçamba

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 15
Sumário
Seção de manutenção
Procedimentos de medição e ajuste de pressão
Procedimentos para medição de pressão no mostrador do monitor
1. Método de medição de pressão
2. Método de operação
Procedimentos para medir a temperatura do óleo hidráulico no mostrador do monitor
1. Método de medição da temperatura do óleo hidráulico
2. Método de operação
Procedimentos para a medição de pressão pela instalação de manômetro
1. Preparações
2. Itens a serem preparados
Portas de medição de pressão
Válvula de controle
1. Localização das válvulas de alívio
Preparações para a medição de pressão
Procedimentos de medição e ajuste de pressão
1. Medição da pressão principal
2. Medição da pressão piloto
3. Medição da pressão de controle negativa
Ajuste de pressão
1. Ajuste da pressão principal
2. Ajuste da pressão piloto

Procedimentos de medição do fluxo da bomba hidráulica


Preparações
1. Itens a serem preparados
Preparações para o trabalho
Medição do fluxo

Procedimentos de medição do volume de drenagem


Preparações
Medição do volume de drenagem do motor de deslocamento
Medição do volume de drenagem do motor de giro

Procedimento de sangria de ar
Bomba hidráulica
Motor de deslocamento
Motor de giro
HBCV (opção para a Europa)
1. HBCV do cilindro da lança
2. HBCV do cilindro do braço

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 16
Sumário
Procedimentos de medição de eletricidade
Equipamento de medição
Ferramentas de medição
Método de medição
1. Válvula proporcional eletromagnética da bomba hidráulica
2. Válvula solenoide (5 pilhas)
3. Sensor de temperatura do óleo
4. Sensor de pressão

Procedimentos para a substituição das peças consumíveis


Substituição da correia do ar-condicionado e da correia do ventilador
1. Substituição da correia do ar-condicionado
2. Substituição da correia do ventilador
Substituição do filtro de combustível
1. Substituição do filtro
2. Sangria de ar
Substituição do filtro de óleo do motor e do óleo do motor
1. Substituição do óleo do motor
2. Substituição do filtro de óleo do motor
Substituição do líquido de arrefecimento do radiador
Substituição e limpeza do purificador de ar
Substituição do filtro de óleo hidráulico
1. Substituição do filtro de retorno
2. Substituição do filtro de sucção
3. Substituição do elemento de respiro de ar
4. Substituição do filtro do óleo piloto
5. Substituição do óleo hidráulico
Outros
1. Abastecimento do líquido de arrefecimento
2. Abastecimento do fluido do lavador

Procedimentos de manutenção periódica


Manutenção a cada 250 horas
1. Substituição e inspeção da bateria
Manutenção após as primeiras 250 horas para máquinas novas
/a cada 1000 horas a partir de então
1. Substituição do óleo da engrenagem de redução do giro
2. Abastecimento do óleo de engrenagem
Substituição da vedação do flange na parte inferior do tanque de combustível

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 17
Sumário
Tabela de torque e tamanho dos parafusos
Aperto das porcas e parafusos
Tabela de reaperto de torque

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 18
Sumário
Seção de dados
Peso da unidade principal
Peso dividido (especificações padrão)
Peso de peça independente
Peso da sapata (por lado)
Peso do braço
Peso da caçamba

Opções de troca
Opções de troca
1. Tabela de opções de troca da peça principal (350X2)

Dimensões de instalação de acessório


Dimensões do acessório

Cores da tinta
Cores da tinta

Razão de conversão da unidade


Razão de conversão da unidade

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 19
Sumário

SST-00-00-010LX
SST-00-00-010LX 20
Especificações

Especificações
Geral
1. Dados principais
Nome do modelo 350X2
Peso em operação 35 900 kg
Saída do motor 202 kW/2000 min-1
Capacidade da caçamba Sem caçamba

2. Desempenho
350X2
Peso padrão 18,0 kN
Velocidade de giro 9,8 min-1
Baixa velocidade 3,5 km/h
Velocidade de deslocamento
Alta velocidade 5,5 km/h
Força de tração máxima 265 kN
Capacidade de inclinação 70% (35°)
58 kPa
(Sapata da garra de 700 mm)
50 kPa
Pressão no solo
(Sapata da garra de 800 mm)
47 kPa
(Sapata da garra de 850 mm)

3. Dimensões da unidade principal


350X2
Comprimento da unidade principal 5910 mm
Largura da unidade principal 3200 mm
Largura do corpo de giro da parte
3020 mm
superior
Largura da cabine 1000 mm
Altura da unidade principal 3130 mm
Raio de giro (extremidade traseira) 3450 mm
Distância da extremidade traseira do
3420 mm
corpo de giro
Altura inferior da seção traseira do
1210 mm
corpo do giro
Distância entre os tambores 4040 mm
Comprimento geral da esteira 4980 mm
Largura geral da esteira 3200 mm
Distância entre as esteiras 2600 mm
Largura da sapata da esteira 800 mm (opções de 700, 850 mm)
Folga mínima em relação ao solo 480 mm (até a parte de baixo da estrutura inferior)

21 SST-02-01-013LX
1
Especificações
4. Motor
350X2
Nome Isuzu 6HK1X motor diesel
4 ciclos, refrigerado a água, eixo de comando aéreo, alinhamento vertical,
Modelo
tipo de injeção direta (controle eletrônico), com turbocompressor
Número de cilindros - orifício x curso 6 - Ø 115 mm x 125 mm
Volume de curso total 7790 cc
Torque máximo 1080 N•m/1500 min-1 min.
Taxa de consumo de combustível 234,6 g/kW•h máx.
Motor de partida 24 V 5,0 kW Tipo de redução
Gerador de carga 24 V 50 A Tipo CA
Bateria 12 V 128 Ah/5 HR x2

5. Sistema de arrefecimento
350X2
Tipo de ventilador Ø850 mm x 6 Entrada
Radiador
Tipo de aleta Ondulada
Passo de aleta 2,0 mm
Resfriador de óleo
Tipo de aleta Ondulada
Passo de aleta 1,75 mm
Resfriador interno
Tipo de aleta Triangular reta
Passo de aleta 2,0 mm
Resfriador de combustível
Tipo de aleta Ondulada
Passo de aleta 2,0 mm

SST-02-01-013LX 22
2
Especificações
6. Sistema de trabalho da parte superior
350X2
Modelo Acessório da retroescavadeira
Componentes, dimensões,
dimensões de trabalho
Capacidade da caçamba padrão Acumulada 1,40 m3 (1,04 m3 nivelada)
Largura da caçamba 1300 mm
Largura da caçamba com
1440 mm
cortador lateral
Peso da caçamba com
1150 kg
cortador lateral
Comprimento da lança 6450 mm
Padrão (STD) Longo Curto
Tipo de braço
(3,25 m) (4,04 m) (2,63 m)
Comprimento do braço 3250 mm 4040 mm 2630 mm
Raio da caçamba 1680 mm
Ângulo do pulso da caçamba 173°
Raio máximo de escavação 11 170 mm 11 900 mm 10 670 mm
Raio máximo de escavação na
10 980 mm 11 720 mm 10 470 mm
linha do solo
Profundidade máxima de
7340 mm 8140 mm 6730 mm
escavação
Profundidade máxima de
escavação da parede vertical em 6350 mm 7150 mm 5970 mm
linha reta
Altura máxima de escavação 10 370 mm 10 670 mm 10 320 mm
Altura máxima de esvaziamento 7230 mm 7540 mm 7140 mm
Raio mínimo de giro na frente 4500 mm 4560 mm 4630 mm
Altura do raio mínimo de giro
8480 mm 8490 mm 8540 mm
na frente

7. Dispositivo de operação
350X2
Assento do operador
Posição Lado esquerdo
Mecanismo de inclinação com suspensão no assento e ajuste de posições
Estrutura
na vertical e na horizontal
Cabine Tipo de aço vedado, todos os vidros reforçados
Alavancas e pedais
Para uso no deslocamento Tipo de alavanca e pedal (tipo piloto hidráulico) x 2
Para uso na operação da
Tipo de alavanca (tipo piloto hidráulico) x2
máquina
Instrumentos e interruptores
Chave seletora de modo de trabalho 3 modos (SP/H/A)

23 SST-02-01-013LX
3
Especificações
350X2
Chave seletora do modo de
Tipo interruptor de baixa velocidade/alta velocidade
deslocamento
Rotação baixa por um toque Tipo interruptor de botão
Parada de emergência do motor Tipo interruptor
Dispositivo do monitor
Mostrador de status da máquina
(cristal líquido full-dot)
Status de seleção do modo
SP/H/A
de trabalho
Instrumento (cristal líquido full-dot,
exceto no horímetro)
Indicador de combustível Indicador em gráfico de barras
Indicador da temperatura do
líquido de arrefecimento Indicador em gráfico de barras
do motor
Indicador de temperatura do
Indicador em gráfico de barras
óleo hidráulico
Horímetro Tipo digital
Status da máquina e avisos (cristal líquido full-dot e alarme de advertência) * inclui alarme de advertência
Superaquecimento * Carga da bateria * Anormalidade no sistema elétrico *
Reabastecer combustível * Pressão do óleo do motor * Reabastecer líquido de arrefecimento *
Pré-aquecimento do motor Aquecimento automático Purificador de ar *
Dispositivo antirroubo acionado Anormalidade no sistema do motor * Parada de emergência do motor *
Equipamento de iluminação
Parte superior
Luz de Trabalho 24 V 70 W x1
da cabine:
Elevação da
24 V 70 W x1
lança:
Luz interior 4V 10 W x1
Buzina Buzina elétrica x2
Limpador com função intermitente, lavador da janela, ar-condicionado,
Outros
relógio, espelhos retrovisores (esquerdo e direito) 1 cada

8. Unidades de giro
350X2
Círculo do giro Tipo de rolamento do giro (com engrenagem interna)
Motor hidráulico de giro Motor de pistão de deslocamento fixo x1
Engrenagem de redução Engrenagem de redução de 2 estágios de engrenagem planetária
Freio de estacionamento do giro Trava mecânica (tipo de articulação de alavanca operacional)

SST-02-01-013LX 24
4
Especificações
9. Corpo inferior de deslocamento
350X2
Motor hidráulico de deslocamento Motor de pistão de deslocamento variável x 2
Engrenagem de redução Engrenagem de redução de 3 estágios de engrenagem planetária
Freio de deslocamento Trava hidráulica
Freio de estacionamento Trava mecânica (tipo de articulação de alavanca de deslocamento)
Sapata da esteira
Modelo Sapata da garra tripla tipo montagem
Número de sapatas (por lado) 48
Largura da sapata 600 mm (opção de 800 mm)
Altura da garra 36 mm
Passo de ligação 216 mm
Rolete
Número de roletes superiores (por lado) x2
Número de roletes inferiores (por lado) x8
Regulador de tensão da correia da esteira Tipo cilindro de graxa (com mola de amortecedor)

Equipamento hidráulico
1. Dispositivo hidráulico
350X2
Tipo de acionamento de bomba hidráulica Ligação direta de motor (sem transmissão)
Bomba hidráulica
Modelo Bomba de pistão de deslocamento variável dupla x 1
Bomba de engrenagens x1
Volume de descarga Bomba do pistão 2 x 290 l/min.
Bomba de engrenagens 30 l/min.
Método de controle da bomba Controle da potência total de saída simultânea
Pressão de ajuste da válvula de alívio
34,3 MPa (37,3 MPa para reforço)
principal

Pressão de ajuste da válvula de alívio de 27,4 MPa (abaixamento da lança)


sobrecarga 39,2 MPa (outro)

25 SST-02-01-013LX
5
Especificações
2. Válvula de controle, cilindro
350X2
Válvula de controle
Quatro carretéis
Modelo Tipo peça única x 1
Cinco carretéis
Método de operação Tipo piloto hidráulico: deslocamento, giro e operação da máquina
Cilindro Número de cilindros x furo do tubo - diâmetro da haste - curso
Cilindro da lança 2 x Ø145 mm - Ø100 mm - 1495 mm
Cilindro do braço 1 x Ø170 mm - Ø120 mm - 1748 mm
Cilindro da caçamba 1 x Ø150 mm - Ø105 mm - 1210 mm

Capacidades, filtros
1. Capacidades de líquido de arrefecimento e óleo
350X2
Líquido de arrefecimento 30 l
Combustível 578 l
Óleo lubrificante do motor 38 l
Óleo lubrificante da engrenagem de
11 l
redução de deslocamento (um lado)
Óleo lubrificante da engrenagem de
6l
redução de giro
Óleo hidráulico 350 l
Valor de regulagem do tanque de
175 l
óleo hidráulico

2. Filtros de óleo hidráulico


350X2
Filtro de sucção (dentro do tanque) 105 m
Filtro de retorno (dentro do tanque) 6 m
Filtro da linha piloto (dentro do
8 m
alojamento)

3. Filtro de combustível
350X2
Filtro principal 4 m
Pré-filtro 10 m

SST-02-01-013LX 26
6
Capacidade de elevação

Capacidade de elevação
Precauções para a elevação de cargas com a escavadora hidráulica
Discuta os procedimentos antecipadamente
1. O operador e aqueles que manusearem o cordame devem ser treinados para
esses fins específicos.
2. Use uma linga suficientemente forte. Além disso, use um dispositivo
desenvolvido para evitar a queda de cargas.

Tome medidas para garantir a operação segura


1. Especifique sinais a serem usados 2. Trabalhe em uma superfície 3. Se você estiver em uma inclinação,
para a elevação de cargas e designe nivelada. (Trabalhar em uma nivele a base antes de começar a
uma pessoa para fazer a inclinação pode causar a virada e a trabalhar.
comunicação através de sinais queda da máquina.)
durante todo o curso da operação.

4. Não permita que ninguém fique sob 5. Não eleve uma carga que exceda a 6. Os cabos de aço e correntes de
a carga suspensa ou em outras capacidade nominal. (A máquina cordame devem ser fortes o bastante
áreas perigosas. pode virar e colocar em risco a e não podem apresentar deformação
saúde dos trabalhadores.) nem corrosão.

Use cabos de aço com fator de segurança 6 ou superior.


Use correntes de elevação com fator de segurança 5 ou superior.

Aviso
[1] Os operadores devem receber treinamento específico.
[2] O peso das cargas e o equipamento de cordame combinados não devem exceder o valor de
carga máxima.
[3] Durante as operações do guindaste, diminua a velocidade do motor (modo A) e continue
trabalhando com o motor em baixa velocidade.
[4] Tome cuidados adicionais ao realizar operações de giro. Mova a máquina lentamente.
[5] Não deixe a cabine enquanto estiver suspendendo uma carga.
[6] Não faça deslocamentos de qualquer distância enquanto estiver suspendendo uma carga.
[7] Prenda a carga de modo que o cabo de aço e o anel não se separem do gancho.
[8] Se o gancho da caçamba ou o equipamento de cordame for danificado durante a operação, pare
o procedimento e faça os reparos necessários.
[9] Entre em contato com nossas oficinas de serviços autorizadas quando quiser prender os
ganchos na caçamba.

27 SST-02-02-007LX
1
Capacidade de elevação
Capacidades de elevação (braço padrão)
Tipo de máquina: 350X2 L: 10,67 pés de comprimento do braço
Braço: Braço padrão R: Alcance do centro de giro
Sapata: Sapata da garra 800 H: Altura do gancho da caçamba
Caçamba: 1,4 m3 W: Capacidade de elevação

We: Carga nominal frontal

Ws: Carga nominal lateral

Carga nominal no ponto H de altura e


MÁX.:
máximo alcance de trabalho

(Máximo alcance de trabalho: 33 929 pés) (Unidades; Ib)


Máx.
R 30 pés 25 pés 20 pés 15 pés 10 pés
H W R (pés)
We 9250 * 26,75
30 pés
Ws 9250 * 26,75
We 8650 * 30,68
25 pés
Ws 8650 * 30,68
We 8450 * 33,23 16 150 *
20 pés
Ws 8450 * 33,23 15 350
We 8500 * 34,75 15 950 * 17 450 * 19 700 *
15 pés
Ws 8100 34,75 10 650 14 850 19 700 *
We 8800 * 35,39 16 450 19 300 * 23 150 * 31 300 * 48 800 *
10 pés
Ws 7600 35,39 10 300 14 100 20 250 31 300 * 48 800 *
We 9400 * 35,21 16 050 21 100 * 26 700 * 38 800 * 18 950 *
5 pés
Ws 7500 35,21 9900 13 400 18 900 29 100 18 950 *
We 10 300 * 34,20 15 700 20 900 29 100 * 41 000 * 25 100 *
0 pés
Ws 7750 34,20 9600 12 800 17 900 27 550 25 100 *
We 11 750 * 32,25 15 500 20 500 29 200 40 750 * 32 400 *
-5 pés
Ws 8550 32,25 9400 12 450 17 400 27 150 32 400 *
We 14 250 * 29,16 20 450 28 700 * 38 750 * 45 550 *
-10 pés
Ws 10 150 29,16 12 350 17 350 27 350 45 550 *
We 13 800 * 24,38 18 500 * 25 400 * 34 050 * 47 600 *
-15 pés
Ws 13 800 24,38 12 700 17 650 27 850 47 600 *
We 16 900 * 24 800 * 33 750 *
-20 pés
Ws 16 900 * 24 800 * 33 750 *
*Fator de pressão hidráulica: 87,0%. Sem asterisco: Fator de estabilidade: 75,0%

SST-02-02-007LX 28
2
Capacidade de elevação
Capacidades de elevação (braço curto)
Tipo de máquina: 350X2 L: 8,64 pés de comprimento do braço
Braço: Braço curto R: Alcance do centro de giro
Sapata: Sapata da garra 800 H: Altura do gancho da caçamba
Caçamba: 1,6 m3 W: Capacidade de elevação

We: Carga nominal frontal

Ws: Carga nominal lateral

Carga nominal no ponto H de altura e


MÁX.:
máximo alcance de trabalho

(Máximo alcance de trabalho: 32 286 pés) (Unidades; Ib)


Máx.
R 30 pés 25 pés 20 pés 15 pés 10 pés
H W R (pés)
We 13 200 * 24,39
30 pés
Ws 13 200 * 24,39
We 12 250 * 28,72
25 pés
Ws 11 900 28,72
We 11 850 * 31,45 17 600 *
20 pés
Ws 9800 31,45 14 900
We 11 850 * 33,07 18 700 * 21 450 *
15 pés
Ws 8700 33,07 14 450 20 950 *
We 12 150 * 33,75 16 200 20 300 * 24 650 * 33 400 *
10 pés
Ws 8150 33,75 10 050 13 750 19 650 30 600
We 12 800 * 33,56 15 850 21 250 27 800 * 38 450 *
5 pés
Ws 8050 33,56 9750 13 100 18 400 28 150
We 13 800 32,48 15 600 20 700 29 400 * 40 700 *
0 pés
Ws 8400 32,48 9500 12 600 17 550 27 000
We 15 350 30,41 20 400 29 050 39 950 * 32 400 *
-5 pés
Ws 9350 30,41 12 350 17 200 27 150 32 400 *
We 15 350 * 27,06 20 500 27 650 * 36 900 * 47 550 *
-10 pés
Ws 11 450 27,06 12 400 17 350 27 450 47 550 *
We 22 950 * 30 800 * 41 450 *
-15 pés
Ws 17 850 28 050 41 450 *
*Fator de pressão hidráulica: 87,0%. Sem asterisco: Fator de estabilidade: 75,0%

29 SST-02-02-007LX
3
Capacidade de elevação
Capacidades de elevação (braço longo)
Tipo de máquina: 350X2 L: 13,27 pés de comprimento do braço
Braço: Braço longo R: Alcance do centro de giro
Sapata: Sapata da garra 800 H: Altura do gancho da caçamba
Caçamba: 1,15 m3 W: Capacidade de elevação

We: Carga nominal frontal

Ws: Carga nominal lateral

Carga nominal no ponto H de altura e


MÁX.:
máximo alcance de trabalho

(Máximo alcance de trabalho: 36 314 pés) (Unidades; Ib)


Máx.
R 35 pés 30 pés 25 pés 20 pés 15 pés 10 pés
H W R (pés)
We 7300 * 29,96
30 pés
Ws 7300 * 29,96
We 6850 * 33,46
25 pés
Ws 6850 * 33,46
We 6700 * 35,78 12 550 *
20 pés
Ws 6700 * 35,78 11 100
We 6750 * 37,18 14 600 * 15 550 *
15 pés
Ws 6750 * 37,18 10 850 15 150 *
We 7000 * 37,78 8550 * 15 650 * 17 550 * 20 650 *
10 pés
Ws 6700 37,78 7700 10 400 14 400 20 350 *
We 7450 * 37,61 10 800 * 16 100 19 600 * 24 400 * 34 700 * 31 600 *
5 pés
Ws 6550 37,61 7450 9950 13 500 19 250 30 000 31 600 *
We 8150 * 36,67 10 050 * 15 600 20 900 27 650 * 39 550 * 26 600 *
0 pés
Ws 6750 36,67 7250 9500 12 750 18 000 27 750 26 600 *
We 9250 * 34,89 15 300 20 350 29 050 40 500 * 32 300 *
-5 pés
Ws 7300 34,89 9200 12 250 17 200 26 700 32 300 *
We 11 050 * 32,09 15 200 20 100 28 750 39 600 * 40 200 *
-10 pés
Ws 8400 32,09 9100 12 050 16 900 26 600 40 200 *
We 14 100 * 27,93 20 250 27 050 * 36 550 * 52 550 *
-15 pés
Ws 10 750 27,93 12 150 17 050 27 000 52 550 *
We 22 000 * 30 000 * 42 300 *
-20 pés
Ws 17 650 27 700 42 300 *
*Fator de pressão hidráulica: 87,0%. Sem asterisco: Fator de estabilidade: 75,0%

SST-02-02-007LX 30
4
Visão geral

Visão geral
Visão geral (350X2)
1. Braço padrão (3,25 m)
Nota: 1. Os números estão sujeitos a alterações sem prévio aviso devido a mudanças no projeto ou
outros motivos.
Nota: 2. Os diagramas mostram valores que incluem a altura da alça da sapata (36 mm).

(COM OPÇÃO DE PASSARELAS)


11 050

2. Braço curto (2,63 m)


Nota: 1. Os números estão sujeitos a alterações sem prévio aviso devido a mudanças no projeto ou
outros motivos.
Nota: 2. Os diagramas mostram valores que incluem a altura da alça da sapata (36 mm).

(COM OPÇÃO DE PASSARELAS)


11 130

31 SST-02-03-012LX
1
Visão geral
3. Braço longo (4,04 m)
Nota: 1. Os números estão sujeitos a alterações sem prévio aviso devido a mudanças no projeto ou
outros motivos.
Nota: 2. Os diagramas mostram valores que incluem a altura da alça da sapata (36 mm).

(COM OPÇÃO DE PASSARELAS)


11 090

SST-02-03-012LX 32
2
Diagrama de alcance do trabalho

Diagrama de alcance do trabalho


Diagrama de alcance do trabalho (350X2)
1. Braço padrão (3,25 m)
Nota: 1. Os números estão sujeitos a alterações sem prévio aviso devido a mudanças no projeto ou
outros motivos.
Nota: 2. Os diagramas mostram valores que excluem a altura da alça da sapata (36 mm).
11 170

RAIO MÍNIMO DE GIRO

LINHA CENTRAL
(ROTAÇÃO)

RAIO DE GIRO
(EXTREMIDADE TRASEIRA)
10 370

ALTURA DA ALÇA DA SAPATA DA


GARRA

2440 (8 pés)

10 980

33 SST-02-04-012LX
1
Diagrama de alcance do trabalho
2. Braço curto (2,63 m)
Nota: 1. Os números estão sujeitos a alterações sem prévio aviso devido a mudanças no projeto ou
outros motivos.
Nota: 2. Os diagramas mostram valores que excluem a altura da alça da sapata (36 mm).
10 670

RAIO MÍNIMO DE GIRO

LINHA CENTRAL
(ROTAÇÃO)

RAIO DE GIRO
(EXTREMIDADE TRASEIRA)
10 320

ALTURA DA ALÇA DA SAPATA DA


GARRA

2440 (8 pés)

10 470

SST-02-04-012LX 34
2
Diagrama de alcance do trabalho
3. Braço longo (4,04 m)
Nota: 1. Os números estão sujeitos a alterações sem prévio aviso devido a mudanças no projeto ou
outros motivos.
Nota: 2. Os diagramas mostram valores que excluem a altura da alça da sapata (36 mm).
11 900

RAIO MÍNIMO DE GIRO

LINHA CENTRAL
(ROTAÇÃO)

RAIO DE GIRO
(EXTREMIDADE TRASEIRA)
10 670

ALTURA DA ALÇA
DA SAPATA DA
GARRA

2440 (8 pés)

11 720

35 SST-02-04-012LX
3
Tabela do equipamento principal

Tabela do equipamento principal


Componente inferior
1. Unidade de deslocamento
350X2
N° da peça Sumitomo KSA10220
Fabricante Nabtesco Corporation
Tipo de motor Motor de pistão de deslocamento variável
Troca automática de 2 velocidades com freio de estacionamento
Valor de entrada 290,7/170,1 cm3/rev
Pressão de operação 34,3 MPa
Fluxo de operação 292,5 l/min
Torque do freio 47,38 kN• min. (incluindo a engrenagem de redução)
Pressão de ajuste da válvula
35,8 - 37,8 MPa
de alívio
Pressão de troca automática de
26,5 MPa
2 velocidades
Engrenagem de redução
Tipo de engrenagem de redução Engrenagem de redução de 2 estágios de engrenagem planetária
Taxa de redução 40,467
Peso constante 390 kg

2. Rolete de retorno
350X2
N° da peça Sumitomo KSA1307
Peso 165,0 kg

3. Rolete superior
350X2
N° da peça Sumitomo KBA1141
Peso 43,0 kg

4. Rolete inferior
350X2
N° da peça Sumitomo KSA1068
Peso 60,0 kg

1 SST-03-01-013LX
1
Tabela do equipamento principal
5. Mola de recuo
350X2
Item N° da peça Sumitomo Peso (kg)
Balancim KSA1065 39,8
Sems B M16 × 50 105R016Y050R 0,5
Haste roscada KSA1066 50,3
Altura do canal N M64 165R064HSN 1,9
Pino SP 10 × 100 338W100Z100B 0,1
Mola de recuo KSA1310 119,4
Conjunto do cilindro de graxa KSA0832 41,3
Sems B M16 × 65 105R016Y065R 0,3
Montagem Total 254
Comprimento de montagem da mola 779 mm

6. Sapata
350X2
N° da peça Sumitomo Peso ou quantidade
Garra 600 KSA10450 2217 kg
Ligação KSA10460 1 conjunto
Sapata KSA1106 × 48
Parafuso KSA1107 × 192
Porca KSA1108 × 192
Garra 800 KSA10480 2619 kg
Ligação KSA10460 1 conjunto
Sapata KSA1167 × 48
Parafuso KSA1107 × 192
Porca KSA1108 × 192

SST-03-01-013LX 2
2
Tabela do equipamento principal
Componente superior
1. Unidade de giro
350X2
Conjunto do motor de giro
N° da peça Sumitomo KSC10140
Motor de giro
N° da peça Sumitomo KSC10070
Fabricante Kawasaki Precision Machinery Ltd.
Tipo de motor Motor de pistão de deslocamento fixo
Com freio de estacionamento
Valor de entrada 180,1 cm3/rev
Pressão de operação 30,4 MPa
Fluxo de operação 290 l/min
Torque do freio mecânico 1010,8 N•m min.
Pressão de desligamento do freio 3,1 MPa máx.
Pressão de ajuste da válvula
30,4 MPa
de alívio
Engrenagem de redução do giro
N° da peça Sumitomo KSC10080
Tipo de engrenagem de redução Engrenagem de redução de 2 estágios de engrenagem planetária
Taxa de redução 27,143
Peso constante 435 kg
Rolamento da mesa giratória
N° da peça Sumitomo KSB10070
Número de dentes 92
Peso 540 kg
Contrapeso
N° da peça Sumitomo KSB12490
Peso 7400 kg

3 SST-03-01-013LX
3
Tabela do equipamento principal
Componentes relacionados ao motor
1. Motor
350X2
N° da peça Sumitomo KSH1027
Nome do modelo do motor Isuzu 6HK1X motor diesel
4 ciclos, refrigerado a água, eixo de comando aéreo, alinhamento vertical,
Tipo de motor
tipo de injeção direta (controle eletrônico)
Número de cilindros - orifício - curso 6 - Ø 115 mm - 125 mm
Deslocamento total 7,79 l
Taxa de compressão 17,5
Saída nominal 202 kW/2000 min-1
Torque máximo 1080 N•m/aprox. 1500 min-1
Taxa de consumo de combustível 234,6 (221± 13,6) g/kW•h máx.
Peso constante do motor Cerca de 640 kg
Dimensão do motor C 1357 - L 995 - A 1162,5 mm
Recipiente de óleo Em todas as direções 35°, inclinável
Ventilador de arrefecimento Ø850 mm - tipo de sucção - 6 pás, plástico
Com ventilador guia do tipo boca de sino
Taxa da polia 0,80 (redução)
Gerador de carga 24 V 50 A tipo CA
Motor de partida 24 V 5 kW tipo de redução
Capacidade do líquido de
14,5 l
arrefecimento
Capacidade do recipiente de óleo Máx.: 38 l min: 28 l (não inclui o filtro de óleo)
Sentido da rotação Direita (conforme visto no ventilador)
Em conformidade com JISD 0006-2000.

SST-03-01-013LX 4
4
Tabela do equipamento principal
2. Silencioso
350X2
N° da peça Sumitomo KSH0948
Fabricante Sankei Giken Kogyo Co., Ltd.
Tipo Ø283 × 780 l
Peso 20,0 kg

3. Purificador de ar (elemento duplo)


350X2
N° da peça Sumitomo KSH0895
Fabricante Nippon Donaldson, Ltd.
Elemento (externo) KSH0933
Elemento (interno) KSH0932
Peso 13,6 kg

4. Radiador
350X2
N° da peça Sumitomo KSH1028
Fabricante T.Rad Co., Ltd.
Resfriador de óleo Peso 34,0 kg
Capacidade de
16,0 l
óleo
Radiador Peso 21,1 kg
Capacidade do
líquido de 9,4 l
arrefecimento
Resfriador de ar Peso 19,9 kg
Capacidade -
Resfriador de
Peso 1,2 kg
combustível
Capacidade 0,44 l
Peso total 140 kg

5 SST-03-01-013LX
5
Tabela do equipamento principal
Dispositivo hidráulico
1. Bomba hidráulica
350X2
N° da peça Sumitomo KSJ12240
Fabricante Kawasaki Precision Machinery Ltd.
Bomba principal
Tipo de bomba Bomba de pistão de deslocamento variável dupla
Capacidade de
deslocamento 150 × 2 cm3/rev

Pressão de operação Nominal 34,3 MPa


Máximo 37,3 MPa
Velocidade de revolução
de entrada 1930 min-1

Fluxo máximo de descarga 290 × 2 l/min (a 1930 min-1)


Bomba piloto
Tipo de bomba Bomba de engrenagens
Capacidade de
deslocamento 15 cm3/rev

Pressão de operação 3,92 MPa


Fluxo máximo de descarga 29 l/min (a 1930 min-1)
Método de controle Controle hidráulico de saída constante simultânea
Controle de ajuste de fluxo máximo por meio de comandos externos
(controle negativo)
Regulagem de controle de ajuste de potência por meio de corrente
de comando externa
Peso constante 188 kg

SST-03-01-013LX 6
6
4,6 MPa 34,8 MPa
2. Diagrama P - Q da bomba

292 l 285 l 38,0 MPa


284 l

1930 min-1
0,84±0,1 MPa
290±3 l

47,2 MPa
17,0 MPa 194 l
202 l
50,4 MPa

7
194 l

Taxa de fluxo Q [l/min]


124 l
Curva Pi-Q (1930 min-1)

74,6 MPa
116 l
2,87±0,2 MPa
50±3 l
Fluxo mín.
(a 1930 min-1) Pd=8 MPa em Qmax.
37 l

Estanho

[MPa]

[MPa]
Tabela do equipamento principal

SST-03-01-013LX
7
Tabela do equipamento principal
Componentes relacionados ao controle
1. Válvula de controle
350X2
N° da peça Sumitomo KSJ12250
Fabricante KYB Corporation
Fluxo máximo 292,5 l/min (a 1950 min-1)
Pressão de ajuste de sobrecarga 27,4 MPa lança abaixada
39,2 MPa outras
Pressão de ajuste do alívio principal 34,3 MPa
(durante o
37,3 MPa
reforço)
Pressão de ajuste do pé de alívio 2,55 MPa
Função Circuito de deslocamento em linha reta
Fluxo interno de 2 bombas do braço/elevação da lança
Circuito de retenção da carga de lança e braço
Circuito regenerativo de descida da lança
Circuito regenerativo de fechamento da caçamba
Circuito regenerativo forçado de retração do braço
Orifício variável de prioridade do giro (para operação do braço)
Fluxo de 2 bombas
Pé de alívio variável
Peso 193 kg

2. Válvula solenoide (5 pilhas)


350X2
N° da peça Sumitomo KHJ14520
Fabricante Yuken Kogyo Co., Ltd.
Especificações de válvula
Fluxo máximo P  B 25 l/min, outras 5 l/min
Pressão nominal 4,5 MPa
Tamanho da porta Portas P, T, B G3/8
Portas C1, C2, C3, C4 e C5 G1/4
Especificações de solenoide
Tensão de operação 20 - 32 V CC
Consumo de energia 17 W máx.
Peso 6,7 kg

SST-03-01-013LX 8
8
Tabela do equipamento principal
3. Válvula de controle remoto (esquerda/direita, operações de deslocamento)
(1) Válvula para operações esquerda/direita
350X2
N° da peça Sumitomo KHJ13270
Fabricante Kawasaki Precision Machinery Ltd.
Pressão de operação 3,92 MPa
Pressão secundária 0,64 - 2,45 MPa tipo principal curta
Ângulo de operação Portas 1, 3 19°
Portas 2, 4 25°
Peso 1,9 kg

(2) Válvula para operação de deslocamento


350X2
N° da peça Sumitomo KRJ5803
Fabricante Kawasaki Precision Machinery Ltd.
Pressão de operação 3,92 MPa
Pressão secundária 0,64 - 2,45 MPa tipo principal curta
Ângulo de operação 12,4°
Peso 7,8 kg

9 SST-03-01-013LX
9
Tabela do equipamento principal
4. Diagrama de características da válvula de controle remoto
(1) Diagrama de controle da válvula de controle remoto da operação

Portas 1, 3 Portas 2, 4

Pressão
secundária

Pressão secundária [MPa]


Pressão secundária [MPa]

Pressão
secundária

Curso da haste de pressionamento [mm] Curso da haste de pressionamento [mm]

Ângulo de operação [graus] Ângulo de operação [graus]

(2) Diagrama de controle da válvula de controle remoto do deslocamento


Pressão secundária [MPa]

Pressão
secundária

Curso da haste de pressionamento [mm]

Ângulo de operação do pedal [graus]

SST-03-01-013LX 10
10
Tabela do equipamento principal
5. Válvula do amortecedor (circuito de aquecimento, com válvula corrediça)
350X2
N° da peça Sumitomo KBJ12430
Fabricante Yanagisawa Seiki MFG. Co., Ltd.
Tamanho da porta G3/8 (portas A a P)
G1/4 (portas R a V)
Peso 12,5 kg

6. Válvula seletora (opcional)


350X2
2 vias
N° da peça Sumitomo KHJ12050
Fabricante Nishina Industrial Co., Ltd.
Fluxo nominal 25 l/min
Método de operação I : ISO
S: Sumitomo (antigo)
Tamanho da porta G3/8
Peso 2,8 kg

7. Junta central
350X2
N° da peça Sumitomo KSA1305
Pressão de operação Passagem de alta pressão (ABCD) 34,3 MPa
Porta de drenagem (T) 1,0 MPa
Porta piloto (P) 3,9 MPa
Fluxo Passagem de alta pressão (ABCD) 360 l/min
Porta de drenagem (T) 40 l/min
Porta piloto (P) 31 l/min
Porta A Avanço à direita G1
Porta B Avanço à esquerda G1
Porta C Para trás à direita G1
Porta D Para trás à esquerda G1
Porta T Porta de drenagem G1/2
Porta P Porta piloto G1/4
Peso 106,7 kg

11 SST-03-01-013LX
11
Tabela do equipamento principal
Acessório da retroescavadeira
1. Cilindro
Cilindro da lança 350X2
N° da peça Sumitomo KSV1925 (direita)
N° da peça Sumitomo KSV1926 (esquerda)
Fabricante ZENOAH
Furo do cilindro Ø145 mm
Diâmetro da haste Ø100 mm
Comprimento máximo retraído 2090 mm
Curso 1495 mm
Peso 279 kg

Cilindro do braço 350X2


N° da peça Sumitomo KSV1927
Fabricante ZENOAH
Furo do cilindro Ø170 mm
Diâmetro da haste Ø120 mm
Comprimento máximo retraído 2445 mm
Curso 1748 mm
Peso 462 kg

Cilindro da caçamba 350X2


N° da peça Sumitomo KSV1928
Fabricante ZENOAH
Furo do cilindro Ø150 mm
Diâmetro da haste Ø105 mm
Comprimento máximo retraído 1870 mm
Curso 1210 mm
Peso 276 kg

SST-03-01-013LX 12
12
Tabela do equipamento principal
2. Acessórios
(1) Tipo de caçamba normal
 Caçamba padrão
 Escavação em geral (gravidade específica 2,0 ton./m3 máx.)
 Escavação leve (gravidade específica 1,6 ton./m3 máx.)
 Apenas para carregamento (gravidade específica 1,2 ton./m3 máx.)
× Não use.

Capacidade da caçamba (m3) 1,15 STD 1,4 STD 1,4 HD 1,6 STD 1,8 STD
Número de garras 4 5 5 5 5
1233 1435 1424 1575 1733
Largura (mm)
(1100) (1302) (1310) (1442) (1600)
Braço longo (4,04 m) ×   × ×
Braço padrão (3,25 m)     ×
Braço curto (2,63 m)     
Braço ultracurto (2,21 m)     
Os números entre ( ) são dimensões excluindo o cortador lateral.

(2) Tipo de caçamba HD


 Caçamba padrão
 Escavação em geral (gravidade específica 2,0 ton./m3 máx.)
 Escavação leve (gravidade específica 1,6 ton./m3 máx.)
 Apenas para carregamento (gravidade específica 1,2 ton./m3 máx.)
× Não use.

Capacidade da caçamba (m3) 1,4 HD 1,6 HD


Número de garras 5 5
1424 1564
Largura (mm)
(1310) (1450)
Braço padrão (3,25 m)  
Braço curto (2,63 m)  
Os números entre ( ) são dimensões excluindo o cortador lateral.

13 SST-03-01-013LX
13
Diagrama do layout dos equipamentos

Diagrama do layout dos equipamentos


Layout dos equipamentos principais

1 Motor 8 Polia tensora dianteira 15 Cilindro da lança


2 Radiador 9 Caçamba 16 Motor de deslocamento
3 Válvula de controle 10 Braço 17 Caixa de ferramentas
4 Lança 11 Bomba hidráulica 18 Cilindro da caçamba
5 Bateria 12 Tanque de óleo hidráulico 19 Condensador do ar-condicionado
6 Purificador de ar 13 Tanque de combustível
7 Motor de giro 14 Cilindro do braço

14 SST-03-02-008EN
1
Diagrama do layout dos equipamentos
Layout das peças consumíveis

1 Tanque de combustível 6 Tanque de óleo hidráulico 11 Filtro de ar externo do ar-condicionado


2 Filtro piloto 7 Filtro de retorno 12 Tanque do lavador
3 Pré-filtro do combustível 8 Respiro de ar do tanque 13 Bateria
4 Filtro de óleo do motor 9 Filtro de sucção 14 Tanque de reserva
5 Filtro de combustível 10 Purificador de ar

SST-03-02-008EN 15
2
Lista de opções da máquina padrão

Lista de opções da máquina padrão


Lista de componentes opcionais
: Padrão : Opção

Modelos
Models 350X2 Observações
Espec.
Spec.

Sapata 700G 
Sapata 800G 
Sapata 850G 
LC inferior 
Parte inferior sob a tampa 
Proteção central (única) -
Proteção central (dupla) 
Alarme de deslocamento 
Conversor CC-CC 
Bomba de alimentação  KIT
Espelho retrovisor (avanço à direita) 
Espelho retrovisor (cabine) 
Proteção frontal, malha (inferior)
 KIT
(com assento na cabine)
Proteção frontal, malha (inteira)

(com assento na cabine)
OPG nível 1 (com assento na cabine) 
OPG nível 2 (com assento na cabine) 
Proteção superior, FOPS nível 2 
Proteção para a cabeça, FOPS nível 2 
Defletor de chuva 
Policarbonato do teto solar 
Luz superior da cabine 
Assento KAB (com suspensão a ar) 
Assento com suspensão a ar 
Troca rápida (2 vias) 
Circuito do britador (pedal)  + Ligação reforçada da caçamba
Circuito do britador (interrup.)  + Ligação reforçada da caçamba
Circuito do alternador
+ Ligação reforçada da caçamba, lança e
(tubo da linha da garra de apoio, fluxo de 
braço com reforço
2 bombas)
+ Ligação reforçada da caçamba, lança e
Circuito para vários fins (pedal) 
braço com reforço
+ Ligação reforçada da caçamba, lança e
Circuito para vários fins (interrup.) 
braço com reforço
+ Ligação reforçada da caçamba, lança e
Vários fins + 2ª opção (pedal) 
braço com reforço
Semi-EMS 
Placa de reforço do braço  KIT

16 SST-03-03-012LX
1
Lista de opções da máquina padrão
: Padrão : Opção

Modelos
Models 350X2 Observações
Espec.
Spec.

Sem caçamba 
LLC (55%) 
GPS 

SST-03-03-012LX 17
2
Layout dos equipamentos hidráulicos

Layout dos equipamentos hidráulicos


Visão geral

1 Alojamento do lado esquerdo


2 Seção central do corpo do giro
3 Câmara da bomba
4 Tanque de óleo hidráulico
5 Tanque de combustível

1 SST-04-01-011EN
1
Layout dos equipamentos hidráulicos
Layout dos equipamentos hidráulicos da câmara da bomba

1 Bomba hidráulica 7 Sensor de pressão de P1


2 Acumulador 8 Bomba piloto
3 Filtro piloto 9 Sensor N2
4 Válvula solenoide de 5 pilhas Válvula proporcional eletromagnética
10
5 Sensor N1 de controle de potência
Sensor de temperatura do
6 Sensor de pressão de P2 11
óleo hidráulico

SST-04-01-011EN 2
2
Layout dos equipamentos hidráulicos
Layout do equipamento hidráulico da seção central do corpo do giro

1 Motor de giro
2 Junta central
3 Válvula de controle

3 SST-04-01-011EN
3
Layout dos equipamentos hidráulicos
Layout dos equipamentos hidráulicos do lado esquerdo do alojamento

1 Válvula do amortecedor (com circuito de aquecimento)


2 Sensor de pressão piloto do giro
3 Sede de instalação da válvula seletora de 4 vias
4 Válvula seletora de 4 vias
5 Resfriador de óleo

SST-04-01-011EN 4
4
Layout dos equipamentos hidráulicos
Layout dos equipamentos hidráulico na cabine

1 Válvula de controle remoto do deslocamento


2 Válvula do controle remoto da operação superior

5 SST-04-01-011EN
5
Diagrama das portas

Diagrama das portas


Bomba
1. Bomba hidráulica (modelo padrão)

Tamanho da
Porta Nome da porta porta
A1, A2 Porta de descarga SAE 6000 psi 1
B1 Porta de sucção SAE 2500 psi 3
Dr Porta de drenagem G3/4-23
Porta de pressão principal
P1 da válvula proporcional G1/4-13

P2 Porta P2 G1/4-13
Psv Orifício do auxílio ao servo G1/4-15
Pi1, Pi2 Porta de controle negativo G1/4-13
a1, a2,
a4, a5, a6 Porta do medidor G1/4-15

Porta de descarga da bomba


A3 de engrenagens G1/2-19

Porta de sucção da bomba


B3 G3/4-20,5
de engrenagens
a3 Porta do medidor G1/4-14
Porta de drenagem (bomba
Dr3 de engrenagens) G3/8-15

6 SST-04-06-012EN
1
Diagrama das portas
Válvulas
1. Válvula de controle
(1) Válvula de alívio

Diagrama detalhado do ajuste da válvula de


alívio principal

1 Elevação da lança
2 Retração do braço
3 Circuito regenerativo de
4 Fechamento da caçamba
5 Extensão do braço
6 Abertura da caçamba
7 Principal a (uso normal)
8 Principal b (reforço de pressão)
9 Contraporca padrão
10 Contraporca do reforço de pressão
11 Parafuso de ajuste de reforço de pressão
12 Parafuso de ajuste da pressão normal

SST-04-06-012EN 7
2
Diagrama das portas

Porta Tamanho da porta Nome da porta Porta Tamanho da porta Nome da porta
P1 SAE 6000 psi 1 Linha de pressão pb3 G1/4 Linha piloto de giro à esquerda
Linha de deslocamento de avanço à Linha de drenagem de abaixamento da
A1 SAE 5000 psi 1 pb4 G1/4
esquerda lança 2
Linha de deslocamento à esquerda (para pb5 G1/4 Linha piloto da retração do braço 1
B1 SAE 5000 psi 1
trás)
pb7 G1/4 Linha piloto de fechamento da caçamba
A2 SAE 5000 psi 1 Linha de opção
pb8 G1/4 Linha piloto de abaixamento da lança 1
B2 SAE 5000 psi 1 Linha de opção
pb9 G1/4 Linha piloto da retração do braço 2
A3 SAE 5000 psi 1 Linha de giro à direita
Sinal de economia de potência de controle
B3 SAE 5000 psi 1 Linha de giro à esquerda Pn1 G1/4
negativo
A5 SAE 5000 psi 1 Linha de extensão do braço Sinal de economia de potência de controle
Pn2 G1/4
negativo
B5 SAE 5000 psi 1 Linha de retração do braço
PH G1/4 Orifício do sinal de reforço de pressão
T1 Linha de retorno
Ps1 G1/4 Linha de controle negativo
Linha piloto de deslocamento à esquerda
pb1 G1/4 T8 G1/4 Linha do circuito de aquecimento
para trás
Linha piloto de deslocamento à direita para pb2 G1/4 Linha de opção
pb6 G1/4
trás

8 SST-04-06-012EN
3
Diagrama das portas

Porta Tamanho da porta Nome da porta Porta Tamanho da porta Nome da porta

P2 SAE 6000 psi 1 Linha de pressão pa7 G1/4 Linha piloto de abertura da caçamba

A6 SAE 5000 psi 1 Linha de deslocamento à direita (avanço) pa3 G1/4 Linha piloto de giro à direita

B6 SAE 5000 psi 1 Linha de deslocamento à direita (para trás) pa8 G1/4 Linha piloto de elevação da lança 1

A7 SAE 5000 psi 1 Linha de abertura da caçamba pa4 G1/4 Linha piloto de elevação da lança 2

B7 SAE 5000 psi 1 Linha de fechamento da caçamba pa9 G1/4 Linha piloto de extensão do braço 2

A8 SAE 5000 psi 1 Linha de elevação da lança pa5 G1/4 Linha piloto de extensão do braço 1

B8 SAE 5000 psi 1 Linha de abaixamento da lança PA G1/4 Sinal superior

T2 Linha de retorno PT G1/4 Sinal de deslocamento

pa1 G1/4 Linha piloto de deslocamento de avanço à esquerda Ps2 G1/4 Linha de controle negativo

pa6 G1/4 Linha piloto de deslocamento de avanço à direita Pbu G1/4 Sinal de mudança do orifício variável de prioridade do giro

DR3 G1/4 Linha de drenagem de deslocamento em linha reta Pa2 G1/4 Linha de opção

SST-04-06-012EN 9
4
Diagrama das portas
2. Válvula solenoide de 5 pilhas

Tamanho da
Porta
porta
C2 G1/4
C3 G1/4
C1 G1/4

Tamanho da
Porta
porta
B G3/8
T G3/8

Vista pela parte inferior

Tamanho da
Porta
porta
C5 G1/4
C4 G1/4
P G3/8

1 Economia de energia
2 Trava da alavanca
3 Trava do giro
4 Reforço de pressão
5 Alta velocidade de deslocamento

10 SST-04-06-012EN
5
Diagrama das portas
3. Válvula solenoide de 2 pilhas

Lado das portas B Lado das portas A

Tamanho da
Porta
porta
A1 G1/4
B1 G1/4
A2 G1/4
B2 G1/4
T G1/4

SST-04-06-012EN 11
6
Diagrama das portas
4. Válvulas de controle remoto (superior, deslocamento)
(1) Válvulas de controle remoto (esquerda-direita)

Lado direito Lado esquerdo

Lado direito Nome da porta Lado esquerdo Nome da porta Tamanho da porta
1 Fechamento da caçamba 1 Giro à direita G3/8
2 Abaixamento da lança 2 Retração do braço G3/8
3 Abertura da caçamba 3 Giro à esquerda G3/8
4 Elevação da lança 4 Extensão do braço G3/8
P Pressão P Pressão G1/4
T Retorno T Retorno G3/8

(2) Válvula de controle remoto (deslocamento)

Porta Nome da porta Tamanho da porta


1 Para trás à esquerda G1/4
2 Avanço à esquerda G1/4
3 Para trás à direita G1/4
4 Avanço à direita G1/4
P Pressão G1/4
T Retorno G1/4

12 SST-04-06-012EN
7
Diagrama das portas
5. Válvula do amortecedor

1 Retração do braço
2 Elevação da lança
3 Giro à direita
4 Fechamento da caçamba
5 Linha do circuito de aquecimento
6 Extensão do braço
7 Abaixamento da lança
8 Giro à esquerda
9 Abertura da caçamba
10 Sensor de pressão (giro)
Linha piloto de troca de prioridade
11
de giro
12 Linha de drenagem

Porta Nome da porta Tamanho da porta


E, F Elevação da lança G3/8
G, H Abaixamento da lança G3/8
O, P Abertura da caçamba G3/8
M, N Fechamento da caçamba G3/8
C, D Extensão do braço G3/8
A, B Retração do braço G3/8
K, L Giro à esquerda G3/8
I, J Giro à direita G3/8
Q Sinal do sensor da pressão de giro G1/4
U - G1/4
S Alternância da porta de prioridade de giro G1/4
V - G1/4
T Retorno G1/4
R Circuito de aquecimento G1/4

SST-04-06-012EN 13
8
Diagrama das portas
6. Válvula múltipla de 4 vias

Porta Nome da porta * tipo ISO Tamanho da porta


A Porta lateral da válvula de controle remoto direita/elevação da lança G1/4
C Porta lateral da válvula de controle remoto direita/abaixamento da lança G1/4
D Porta lateral da válvula de controle remoto direita/abertura da caçamba G1/4
B Porta lateral da válvula de controle remoto direita/fechamento da caçamba G1/4
E Porta lateral da válvula de controle remoto esquerda/extensão do braço G1/4
G Porta lateral da válvula de controle remoto esquerda/retração do braço G1/4
H Orifício lateral da válvula de controle remoto esquerda/giro à esquerda G1/4
F Orifício lateral da válvula de controle remoto esquerda/giro à direita G1/4
1 Porta lateral da válvula do amortecedor G1/4
3 Porta lateral da válvula do amortecedor G1/4
4 Porta lateral da válvula do amortecedor G1/4
2 Porta lateral da válvula do amortecedor G1/4
8 Porta lateral da válvula do amortecedor G1/4
6 Porta lateral da válvula do amortecedor G1/4
7 Porta lateral da válvula do amortecedor G1/4
5 Porta lateral da válvula do amortecedor G1/4

14 SST-04-06-012EN
9
Diagrama das portas
7. Válvula múltipla de 2 vias

Lado da válvula de controle remoto Lado da válvula do amortecedor

Porta Nome da porta * tipo ISO Tamanho da porta


A Lado da válvula de controle remoto/porta de giro à esquerda G3/8
B Lado da válvula de controle remoto/retração do braço G3/8
C Lado da válvula de controle remoto/porta do giro à direita G3/8
D Lado da válvula de controle remoto/porta da extensão do braço G3/8
1 Porta lateral da válvula do amortecedor G3/8
2 Porta lateral da válvula do amortecedor G3/8
3 Porta lateral da válvula do amortecedor G3/8
4 Porta lateral da válvula do amortecedor G3/8

SST-04-06-012EN 15
10
Diagrama das portas
8. Válvula de direção / válvula de corte
(1) Válvula de direção

Porta Tamanho da porta


A G1
B G1
T1 G1
T2 G3/4
PP G1/4
(2) Válvula de corte DR G1/4

Tamanho da
Porta
porta
A G1
B G1
T G3/4
PP G1/4
DR G1/4

16 SST-04-06-012EN
11
Diagrama das portas
9. HBCV (Opcional)

Lado da abertura da porta B

Porta Tamanho da porta Observações


SAE 6000 psi 1 HBCV do braço
A
SAE J6000 psi 1 HBCV da lança
SAE 6000 psi 1 HBCV do braço
B
SAE J6000 psi 1 HBCV da lança
C G1/4
DR G3/8
PL G1/4

SST-04-06-012EN 17
12
Diagrama das portas
Coletores
1. Coletor sob a cabine
Tamanho da
Porta
porta
P1 G3/8
P2 G3/8
P3 G3/8
P4 G1/4
P5 G1/4
T1 G3/8
T2 G3/8
T3 G3/8
T4 G1/4
T5 G1/4

2. Coletor (seção do acumulador)

Tamanho da
Porta
porta
P G1/2
P1 G1/4
P2 G1/4
P3 G1/2
P0 G3/8

18 SST-04-06-012EN
13
Diagrama das portas
3. Coletor (seção do tanque de óleo hidráulico)

Tamanho da
Porta
porta
D1 G3/8
D2 G1/4
D3 G1/4
D6 G1/4
T G1/2
T1 G3/8
D7 G3/8

SST-04-06-012EN 19
14
Diagrama das portas
Motores
1. Motor de giro

Porta Nome da porta Tamanho da porta


M Composição G1
DB Dreno G1/2
PG Liberação do freio G1/4
A Giro à direita -
B Giro à esquerda -
PA, PB Medição de pressão G1/4
Dr Orifício de drenagem do óleo da engrenagem PT3/8
SGr Porta de engraxamento PT1/8

20 SST-04-06-012EN
15
Diagrama das portas
2. Motor de deslocamento

Porta Nome da porta Tamanho da porta


D1, D2 Porta de drenagem G1/2
P Porta piloto G1/4
MA, MB Porta de detecção de pressão G1/4
VA, VB Porta principal G1

SST-04-06-012EN 21
16
Diagrama das portas
3. Junta central

Porta Nome da porta Tamanho da porta


A' Avanço à direita (conectada ao motor de deslocamento) G1
B' Avanço à esquerda (conectada ao motor de deslocamento) G1
C' Para trás à direita (conectada ao motor de deslocamento) G1
Para trás à esquerda (conectada ao motor de
D' G1
deslocamento)
P' Porta piloto (conectada ao motor de deslocamento) G1/4
T Porta de drenagem G1/2
A Avanço à direita (conectada à válvula de controle) 500 psi 1
B Avanço à esquerda (conectada à válvula de controle) 500 psi 1
C Para trás à direita (conectada à válvula de controle) 500 psi 1
D Para trás à esquerda (conectada à válvula de controle) 500 psi 1
P Porta piloto (conectada à válvula de controle) G1/4

22 SST-04-06-012EN
17
Diagrama de conexões de mangueira piloto

Diagrama de conexões de mangueira piloto


Linhas P e T piloto
Consulte a tradução do texto
em inglês nas páginas 30a.

TABELA DE CONEXÕES DAS


MANGUEIRAS

DETALHE – VÁLVULA
SOLENOIDE (LADO ESQUERDO)

SST-04-07-013EN 23
1
Diagrama de conexões de mangueira piloto

DETALHE – VÁLVULA DE CONTROLE DETALHE – VÁLVULA DE CONTROLE


(DIANTEIRA) (TRASEIRA)

DETALHE – COMPARTIMENTO DO
TANQUE

a Linha de deslocamento Código Nome da peça Qtd


b Plataforma (esquerda) Mangueira do CONJ.
1 1
c Estrutura do giro (mangueira de borracha à prova de abrasão)
d Junta central 2 Mangueira do CONJ. (mangueira de náilon flexível) 1
e Estrutura do giro 3 Mangueira do CONJ. (mangueira de náilon) 1
f Bomba hidráulica 4 Mangueira do CONJ. (mangueira de náilon) 1
g Estrutura do compartimento 5 Mangueira hidráulica 1
h Válvula do amortecedor 6 Mangueira do CONJ. (mangueira de náilon) 1
i Plataforma (esquerda) 7 Mangueira hidráulica 1
j Compartimento do tanque 8 Mangueira de náilon 1
k Válvula de controle 9 Mangueira de náilon 1
l Linha do indicador 10 Mangueira de náilon 1
m Linha de controle
n Suporte da linha de pressão

24 SST-04-07-013EN
2
Diagrama de conexões de mangueira piloto
Linha de controle piloto
Consulte a tradução do texto
em inglês nas páginas 30a.

TABELA DE CONEXÕES DAS


MANGUEIRAS

DETALHE – VÁLVULA
DO AMORTECEDOR
(INFERIOR)

SST-04-07-013EN 25
3
Diagrama de conexões de mangueira piloto

PORTA 3 (GIRO À ESQUERDA) PORTA 2 (RETRAÇÃO DO BRAÇO)

PORTA T
PORTA P

PORTA 4 PORTA 1 (GIRO À DIREITA)


(EXTENSÃO DO BRAÇO)

DETALHE – VÁLVULA DE
CONTROLE REMOTO (L)

PORTA 1
(FECHAMENTO DA CAÇAMBA)
PORTA 4 (

PORTA T
PORTA P

PORTA 4
(ABAIXAMENTO DA LANÇA) PORTA 3
(ABERTURA DA CAÇAMBA)

DETALHE – PISO (PARTE DE TRÁS) DETALHE – VÁLVULA DE


CONTROLE REMOTO (R)

DETALHE 1 – VÁLVULA DO DETALHE – VÁLVULA DO


AMORTECEDOR (DIANTEIRA) AMORTECEDOR (TRASEIRA) DETALHE 2 – VÁLVULA DO
AMORTECEDOR (DIANTEIRA)

Código Nome da peça Qtd


Mangueira do CONJ.
1 1
(mangueira de borracha))
Mangueira do CONJ.
2 1
(mangueira de borracha))
DETALHE – VÁLVULA DO DETALHE – VÁLVULA DO Mangueira do CONJ.
3 1
AMORTECEDOR (TRASEIRA) AMORTECEDOR (DIANTEIRA) (mangueira de náilon)
Mangueira do CONJ.
4 1
(mangueira de náilon flexível)
5 Mangueira de náilon 1
6 Mangueira de náilon 1
Mangueira do CONJ.
7 1
(mangueira de náilon)
a Piso
8 Mangueira hidráulica 1
b Plataforma (esquerda)
9 Filtro de linha G1/4 (OU) x G1/4 1
c Válvula de controle
Mangueira do CONJ.
d Mangueira do adaptador (piloto P e T) 10 1
(mangueira de náilon flexível)
e Sensor de pressão Q Mangueira do CONJ.
11 1
f Sensor de pressão PA,PT (mangueira de náilon flexível)

26 SST-04-07-013EN
4
Diagrama de conexões de mangueira piloto
Linha de controle piloto (válvula seletora de 2 vias)
Consulte a tradução do texto
em inglês nas páginas 30a.

TABELA DE CONEXÕES DAS


MANGUEIRAS

DETALHE – VÁLVULA
DO AMORTECEDOR
(INFERIOR)

SST-04-07-013EN 27
5
Diagrama de conexões de mangueira piloto

DETALHE – VÁLVULA DO
AMORTECEDOR (TRASEIRA)

PORTA 2
PORTA 3 (GIRO À ESQUERDA) (RETRAÇÃO DO BRAÇO)

DETALHE – PISO (PARTE DE TRÁS) PORTA P


PORTA T

PORTA 4 PORTA 1 (GIRO À DIREITA)


(EXTENSÃO DO BRAÇO)

DETALHE – VÁLVULA DE CONTROLE


REMOTO (E)

PORTA 4
PORTA 1 (FECHAMENTO DA CAÇAMBA) (ELEVAÇÃO DA LANÇA)

PORTA P
PORTA T

PORTA 3 (ABERTURA DA
CAÇAMBA)
PORTA 2
(ABAIXAMENTO DA LANÇA)

DETALHE – VÁLVULA DE CONTROLE


REMOTO (D)

DETALHE – VÁLVULA DE DETALHE – VÁLVULA DE


CONTROLE (TRASEIRA) CONTROLE (DIANTEIRA)

Código Nome da peça Qtd


Mangueira do CONJ.
1 1
(mangueira de borracha)
Mangueira do CONJ.
2 1
(mangueira de borracha)
Mangueira do CONJ.
3 1
(mangueira de náilon)
Mangueira do CONJ.
4 1
(mangueira de náilon flexível)
DETALHE – VÁLVULA DO 5 Mangueira de náilon 1
AMORTECEDOR (DIANTEIRA) 6 Mangueira de náilon 1
Mangueira do CONJ.
7 1
(mangueira de náilon)
a Piso 8 Mangueira hidráulica 1
b Plataforma (esquerda) 9 Tubo do CONJ. (alargado) 1
c Válvula de controle 10 Tubo do CONJ. (alargado) 1
d Mangueira do adaptador (piloto P e T) 11 Tubo do CONJ. (alargado) 1
e Sensor de pressão Q 12 Tubo do CONJ. (alargado) 1
f Sensor de pressão PA,PT 13 Filtro de linha G1/4 (OU) x G1/4 1

28 SST-04-07-013EN
6
Diagrama de conexões de mangueira piloto
Linha de controle piloto (válvula seletora de 4 vias)
Consulte a tradução do texto
em inglês nas páginas 30a.

TABELA DE CONEXÕES DAS


MANGUEIRAS

DETALHE – VÁLVULA DO
AMORTECEDOR (TRASEIRA)

SST-04-07-013EN 29
7
Diagrama de conexões de mangueira piloto

DETALHE – PISO (PARTE DE TRÁS)

DETALHE - VÁLVULA DO
AMORTECEDOR (INFERIOR)

PORTA 2 (RETRAÇÃO DO BRAÇO) PORTA 4 (ELEVAÇÃO DA LANÇA)

PORTA 3 (GIRO À ESQUERDA)


PORTA 1 (FECHAMENTO DA CAÇAMBA)
PORTA T PORTA P

PORTA T
PORTA P

PORTA 1 (GIRO À DIREITA) PORTA 3


PORTA 2 (ABERTURA DA CAÇAMBA)
(ABAIXAMENTO DA LANÇA)
PORTA 4 (EXTENSÃO DO BRAÇO)

DETALHE – VÁLVULA DE CONTROLE DETALHE – VÁLVULA DE CONTROLE


REMOTO (E) REMOTO (D)
Código Nome da peça Qtd
DETALHE – VÁLVULA DO AMORTECEDOR Mangueira do CONJ.
1 1
(DIANTEIRA) (mangueira de borracha)
Mangueira do CONJ.
2 1
(mangueira de borracha)
Mangueira do CONJ.
3 1
(mangueira de náilon)
Mangueira do CONJ.
4 1
(mangueira de náilonflexível)
5 Mangueira de náilon 1
6 Mangueira de náilon 1
Mangueira do CONJ.
7 1
(mangueira de náilon)
8 Mangueira hidráulica 1
9 Tubo do CONJ. (alargado) 1
10 Tubo do CONJ. (alargado) 1
DETALHE – VÁLVULA DE CONTROLE DETALHE – VÁLVULA DE CONTROLE
(TRASEIRA) (DIANTEIRA) 11 Tubo do CONJ. (alargado) 1
12 Tubo do CONJ. (alargado) 1
13 Tubo do CONJ. (alargado) 1
a Piso 14 Tubo do CONJ. (alargado) 1
b Plataforma (esquerda) 15 Tubo do CONJ. (alargado) 1
c Válvula de controle 16 Tubo do CONJ. (alargado) 2
d Adaptadorda mangueira (piloto P e T) 17 Tubo do CONJ. (alargado) 1
e Sensor de pressão PA,PT 18 Filtro de linha G1/4 (OU) x G1/4 1
f Sensor de pressão Q 19 Tubo do CONJ. (alargado) 1
20 Tubo do CONJ. (alargado) 1

30 SST-04-07-013EN
8
Diagrama de conexões de mangueira piloto

ACCUMULATOR ACUMULADOR
ACCUMULATOR ASSY CONJ. DO ACUMULADOR
ADAPTER ADAPTADOR
ARM IN RETRAÇÃO DO BRAÇO
ARM OUT EXTENSÃO DO BRAÇO
ASSY TUBE TUBO DO CONJ.
BOOM DOWN ABAIXAMENTO DA LANÇA
BOOM UP ELEVAÇÃO DA LANÇA
BUCKET CLOSE FECHAMENTO DA CAÇAMBA
BUCKET OPEN ABERTURA DA CAÇAMBA
CENTER J. JUNTA C.
CONTROL V. VÁLV. DE CONTROLE
CUSHION V. VÁLV. DO AMORTECEDOR
CUSHION VALVE VÁLVULA DO AMORTECEDOR
HOSE ASSY CONJ. DA MANGUEIRA
HOSE CONNECTION TABLE TABELA DE CONEXÕES DAS MANGUEIRAS
HOSE; NYLON MANGUEIRA; NÁILON
HYD HOSE MANGUEIRA HIDR.
HYD. PUMP BOMBA HIDR.
LEFT BACKWARD PARA TRÁS À ESQUERDA
LEFT FORWARD AVANÇO À ESQUERDA
LETTER LETRA
LINE FILTER FILTRO DE LINHA
MANIFOLD COLETOR
NYLON HOSE MANGUEIRA DE NÁILON
PORT PORTA
PRESS SENSOR SENSOR DE PRESSÃO
PRESSURE PRESSÃO
REMOTE CONTROL V (L.H.) LINE NAME NOME DA LINHA DA V. DE CONTROLE REMOTO (LADO ESQ.)
REMOTE CONTROL V (R.H.) LINE NAME NOME DA LINHA DA V. DE CONTROLE REMOTO (LADO DIR.)
REMOTE CONTROL V (TRAVEL) LINE NAME NOME DA LINHA DA V. DE CONTROLE REMOTO (LADO DIR.)
RETURN RETORNO
RIGHT BACKWARD PARA TRÁS À DIREITA
RIGHT FORWARD AVANÇO À DIREITA
SEL. VALVE VÁLV. SELETORA
SOLENOID V. VÁLV. SOLENOIDE
SUMP TANK COMPARTIMENTO DO TANQUE
SWING LEFT GIRO À ESQUERDA
SWING MOTOR MOTOR DE GIRO
SWING RIGHT GIRO À DIREITA
TUBE; ASSY TUBO; CONJ.
VALVE; CUSHION VÁLVULA; AMORTECEDOR
VALVE; SEL VÁLVULA; SEL.

SST-04-07-013EN 30a
31
Lista de funções

Lista de funções
Tabela de funções
: Função nova : Função alterada
Explicação
Operação Explicação das funções
da operação
Circuito de deslocamento
Circuito de baixa Define o ângulo de inclinação de 2 estágios do motor de deslocamento com um ângulo
página 40
velocidade amplo para definir a baixa velocidade.
Define o ângulo de inclinação de 2 estágios do motor de deslocamento com um ângulo
pequeno para definir a alta velocidade.
Circuito de alta A velocidade é automaticamente alterada para baixa de acordo com a pressão de carga
página 42
velocidade no motor de deslocamento.
Para evitar oscilações em alta velocidade, se a pressão de deslocamento chegar a
25,8 MPa ou a um valor superior, a velocidade será configurada como baixa.
Circuito de
deslocamento em Quando é uma operação de acessório ou giro durante o deslocamento, o deslocamento
linha reta página 44
é feito em linha, sem curvas.
( )
Circuito do giro
Circuito de controle Para aumentar o orifício do cilindro e a velocidade do acessório, o fluxo máximo da
de limite de bomba foi aumentado, mas, para não aumentar a velocidade de giro, ao operá-lo
página 46
velocidade do giro sozinho, o fluxo da bomba é restrito, com a válvula proporcional instalada na bomba de
() giro (lado dianteiro).
Para uma operação única de giro, se ele for iniciado com uma operação súbita da
alavanca, o fluxo da bomba será reduzido com a válvula proporcional instalada na bomba
Circuito
de giro (lado dianteiro).
de controle do corte
Normalmente, este controle elimina o excesso de óleo descarregado da válvula de alívio página 48
do alívio do giro
de giro e reduz o consumo da potência.
()
Quando a velocidade de giro aumenta, a pressão de descarga da bomba cai e por isso, o
fluxo da bomba é aumentado gradualmente enquanto for detectado pelo sensor.
1. Empurrar o giro pode ser obtido através do orifício variável de prioridade de giro
Circuito de alocado na válvula de controle.
página 50
prioridade de giro 2. O orifício variável de prioridade do giro também funciona para segurar o fluxo do
braço para evitar medição ruim.
Circuito do
Aspira o óleo da linha de composição para evitar a cavitação quando o giro parar. página 52
freio de giro
1. Quando a alavanca de giro estiver no ponto neutro, o estacionamento do giro
funciona e é mantido em 100%.
Circuito de 2. Se houver uma operação de alavanca de giro ou acessório, o estacionamento do giro
estacionamento do será liberado.
giro 3. O estacionamento de giro funciona cerca de 5 segundos após a alavanca de giro ser página 54
colocada em ponto neutro.
( )
4. Ao interromper uma operação de acessório, se não houver operação de giro, o
circuito de estacionamento de giro funcionará cerca de 1 segundo depois.
5. Ao parar o motor, o estacionamento de giro funciona.
Retrocesso A válvula de prevenção de reversão presa ao motor do giro reduz o retrocesso que ocorre
de vibração -
quando o giro para.
Circuito da lança
1. Simples
O fluxo é misturado internamente ao girar a lança (1) e (2) o carretel para aumentar a
Circuito de elevação velocidade.
página 60
da lança 2. Composto
O carretel de orifício variável de prioridade do giro é acionado para movimentar a
operação suave composta de retração.
Circuito regenerativo A regeneração no carretel da lança (1) é usada para aumentar a velocidade e evitar a
página 64
dedescida da lança cavitação.

31 SST-04-03-008EN
1
Lista de funções
: Função nova : Função alterada
Explicação
Operação Explicação das funções
da operação
Circuito de
prevenção de
A alta pressão é suprimida com a sangria do circuito e a inclinação é aliviada. página 66
inclinação na
descida da lança
Circuito da válvula 1. Ao liberar a válvula de manutenção de carga incorporada na válvula de controle, a
de manutenção da velocidade da lança aumenta.
página 68
carga na descida da 2. A pressão piloto de abaixamento da lança permite a operação de abaixamento da
lança lança ao liberar a válvula de retenção de carga.
Circuito do braço
Circuito de extensão O fluxo é misturado internamente ao girar o braço (1) e (2) o carretel para aumentar a
página 70
do braço velocidade.
Circuito regenerativo
A velocidade para a operação composta é aumentada pela válvula de liberação de
forçado de retração página 72
regeneração forçada na válvula de controle.
do braço
Circuito da válvula 1. A válvula de retenção de carga integrada na válvula de controle reduz a queda
de manutenção da natural no lado de retração do braço.
página 74
carga na retração do 2. A pressão piloto de retração do braço permite a operação de retração do braço ao
braço liberar a válvula de retenção de carga.
Circuito da caçamba
Circuito regenerativo
de fechamento da A regeneração no carretel da caçamba é usada para aumentar a velocidade e evitar a
página 78
caçamba cavitação.
()
Circuito de controle negativo
Circuito de economia
No estado "sem funcionamento", este circuito aciona a pressão definida da válvula de
de potência de
alívio de controle negativo para reduzir a força da descarga da bomba e, assim, reduzir o página 80
controle negativo
consumo da energia.
()
Circuito de controle Para operações sem carga, este circuito configura para mínimo o volume de descarga da
página 82
negativo bomba hidráulica para reduzir o consumo de potência.
Outros
Ameniza o choque do funcionamento da válvula do amortecedor com o circuito de
Circuito do aquecimento.
página 86
amortecedor Esse circuito é conectado na lança e nas linhas piloto do braço. Não há interruptor suave/
duro. (A linha é desativada por regulagem)
Circuito de reforço
Aumenta a pressão de alívio principal de 34,3 para 36,8 MPa de acordo com a razão da
automático de página 94
carga do motor e a pressão do circuito.
pressão
Circuitos opcionais
A válvula de controle principal possui uma seção opcional como padrão e assim, pode
Circuito do britador página 96
suportar um britador, um triturador ou outro tipo de acessório especial.
Ajuste
É possível definir o fluxo para o britador, triturador ou outra aplicação do acessório
de fluxo opcional -
especial operando apenas um interruptor na cabine. Máximo de 5 aplicações.
()
Interruptor do circuito
É possível alternar o circuito entre o britador e o triturador operando apenas um
para vários fins -
interruptor na cabine.
()
Circuito de segunda
A válvula opcional pode ser adicionada à seção superior da válvula de controle e uma
opção -
linha de 2ª opção pode ser facilmente instalada.
()

SST-04-03-008EN 32
2
Lista de funções
Explicação das novas funções
1. Controle do corte do alívio do giro
[1] Circuito do modelo 3B
• Ao iniciar o giro, quase todo o óleo é descarregado da válvula de alívio do giro.

É necessária pressão alta no início do giro, mas não fluxo.


Para o modelo 3B, a pressão de alívio do giro é de 29,4 MPa.
O volume de descarga da bomba nesse momento é de 167 l/min.
Quando a bomba está iniciando o seu funcionamento, quase todo
óleo flui da válvula de alívio para o tanque.

1 Válvula de pé de alívio
2 Sinal de controle negativo

33 SST-04-03-008EN
3
Lista de funções
[2] Circuito do modelo 5
• Quando o giro é iniciado, o fluxo é reduzido pela válvula proporcional do lado dianteiro e o
excesso de óleo é eliminado.

A corrente é inserida na válvula proporcional do lado


dianteiro, o óleo de pressão piloto é conduzido à porta
de controle negativo e o fluxo diminui apenas no
lado dianteiro.
Quando a pressão de descarga da bomba é detectada,
o fluxo é aumentado gradualmente.
Fluxo baixo

1. Condições de operação para o controle de corte


do alívio do giro quando todas as condições
abaixo foram atendidas.
• Sem operação de deslocamento
• Nenhum acessório além da lança para baixo
está operando
• Operação súbita de giro

2. Controle após a operação de controle do corte de


alívio do giro. Quando a pressão de descarga da
bomba é detectada, o fluxo é aumentado
gradualmente.

O fluxo aumenta gradualmente.

3. Condições finais de controle do corte do alívio


do giro.
• Quando a operação de giro é parada
• Operação de deslocamento
• Elevação da lança, extensão/retração do braço,
abertura/fechamento da caçamba

1 Válvula de pé de alívio
2 Sinal de controle negativo

SST-04-03-008EN 34
4
Lista de funções
2. Controle do limite de velocidade do giro
• O fluxo máximo da bomba foi aumentado, mas como é desejado manter o estado atual da
velocidade de giro, a válvula proporcional do lado dianteiro é usada para segurar o fluxo para
operação apenas do giro.

Modelo 5:285 l/min.  280 l/min.


A corrente passa para a válvula proporcional do lado
dianteiro, a pressão piloto entra na porta de controle
negativo e o fluxo diminui apenas no lado dianteiro.

1. Condições de operação para o controle do


limite de velocidade do giro.
• Sem operação de outro acessório
• Sem operação de deslocamento

2. Condições finais para o controle do limite de


velocidade do giro
• Operação de outro acessório
Fim gradual (para reduzir choques)
• Operação de deslocamento
Fim imediato (para evitar desvio de
deslocamento)

1 Sinal de controle negativo


2 Válvula de pé de alívio
3 Orifício de controle negativo
4 Motor de giro

35 SST-04-03-008EN
5
Lista de funções
3. Controle de economia de potência de controle negativo
[1] Circuito de controle negativo do Modelo 3B
• Controle no qual o fluxo de descarga diminui conforme a pressão de controle negativo aumenta.

Isso reduz o fluxo da não operação, de modo


que há um efeito de economia de potência.

Para a não operação


1. O óleo descarregado da bomba é impulsionado para
a pressão de ajuste de alívio do pé no orifício da
válvula de medição do orifício abaixo da válvula de
controle e a pressão de controle negativo aumenta.
2. O pistão do servo da seção do regulador da bomba
é movido na direção indicada (esquerda) na figura
para diminuir o fluxo.
Fluxo
Pistão do servo
Baixo Alto
Entretanto, a pressão de descarga da bomba é a
pressão de controle negativo e perda de pressão.

1 Válvula de pé de alívio 3 Pressão de controle negativa


2 Orifício de controle negativo 4 Pressão de auxílio do servo
[2] Circuito de controle negativo do modelo 5
Este circuito usa a função de economia de energia.
• O alívio do controle negativo foi feito como variável para a pressão de controle negativo mais
baixa.

Válvula solenoide de No caso da ausência de operação, isso


economia de energia proporciona baixa pressão + baixo fluxo, o
que gera um efeito de economia de
energia ainda maior.
3 MPa
Para a não operação
1 MPa 1. Passado 1 segundo após o fim da operação, a
válvula solenoide entra no modo ON (LIGADO)
e a mola de alívio de controle negativo é
liberada.
2. Quando a pressão de descarga da bomba cai,
a pressão de controle negativo cai ao mesmo
tempo, assim, a válvula proporcional é operada
para estabelecer a pressão de controle
negativo.
3. A bomba da traseira conduz a pressão piloto à
porta de controle negativo através da válvula
corrediça.
4. Quando uma operação é realizada, isso detecta
a pressão piloto e se recupera em cerca de
0,1 segundo.

SST-04-03-008EN 36
6
Lista de funções
4. Controle de ajuste do fluxo da linha opcional
• Este controle ajusta o fluxo definido para que corresponda ao britador, ao triturador ou outra
aplicação.

Há muitos tipos de acessórios dianteiros


instalados na pá, e os fluxos que esses
acessórios exigem variam.
Somente para os britadores da classe de
20 toneladas aprovados por nossa empresa, o
fluxo exigido varia de 120 l/min. a 200 l/min.

Controle do britador do modelo 3B


Interruptor do modo britador ON (LIGADO)
Pedal da opção ON (LIGADO)
Quando isso ocorre, a velocidade do motor cai para a
velocidade predefinida.
Exemplo: Modelo 3
Se o fluxo requerido é de 150 l/min., cai para 1500 min-1.

Problemas
• A mudança na velocidade do motor cria uma sensação de
desconforto.
• O fluxo somente pode ser ajustado quando o britador é usado. (Com
a especificação do triturador, o fluxo não pode ser ajustado.)
• Apenas 1 fluxo pode ser ajustado.

O Modelo 5 usa uma válvula proporcional da bomba dianteira para ajustar o fluxo.

Pontos aprimorados
• O britador pode ser operado sem mudança na
velocidade do motor.
• O fluxo pode ser ajustado mesmo com as
especificações do triturador.
• 5 ajustes podem ser armazenados para o britador
e o triturador.

1. Condições de operação para o controle de ajuste


de fluxo de opção
• Operação de opção
• Sem operação de acessório
• Sem operação de deslocamento
• Sem operação de giro

2. Condições finais para o controle de ajuste de fluxo


de opção
• Operação de acessório
• Operação de deslocamento
• Sem operação de opção
• Operação de giro
Conteúdo do controle
Juntamente com os 10 ajustes de fluxo (ajustes de válvula proporcional do lado dianteiro), quando um ajuste
é selecionado, a corrente definida é enviada para a válvula proporcional dianteira, o óleo de pressão piloto é
conduzido para a porta de controle negativo e o fluxo diminui apenas no lado dianteiro.

1 Sinal de controle negativo 2 Válvula de pé de alívio 3 Orifício de controle negativo

37 SST-04-03-008EN
7
Lista de funções
Tela de configuração do fluxo da
linha de opção Exibe o fluxo máximo para 1 bomba
Ícone da linha de opção
Exibe a linha de opção para a qual o fluxo
está ajustado.

( Britador
Triturador )
1/2/3/4/5 Selecione um
1/2/3/4/5

Exibe o fluxo máximo para 2 bombas

Pressão de descarga da bomba


(Pressão principal da bomba P1)

Exibe o fluxo máximo para 1 bomba


Para América do Norte
Ícone da linha de opção
Exibe a linha de opção para a qual o fluxo
está ajustado.

( Britador
Triturador )
1/2/3/4/5 Selecione um
1/2/3/4/5

Exibe o fluxo máximo para 2 bombas

Pressão de descarga da bomba


(Pressão principal da bomba P1)

5. Circuito para vários fins (britador  triturador) controle de rotação por um toque
• Este controle facilita acionar o circuito com um interruptor de duas posições na cabine.

OU

OP

O centro é de escavação ou de
alternador normal.

1 Chave seletora de linha opcional 5 Troca piloto


2 3 posições 6 Triturador
3 Computador A 7 Britador
4 Válvula de 3 direções 8 Solenoide da troca de linha de opção

SST-04-03-008EN 38
8
Lista de funções
6. Circuito regenerativo de fechamento da caçamba
Este circuito acelera o fechamento da caçamba.
Circuito regenerativo de fechamento da caçamba usado.

Regeneração e junção no carretel da caçamba

Condições de regeneração: Pressão T > P


Junção da porta do
cilindro
1 Cilindro da caçamba
2 Tanque de óleo hidráulico
3 Bomba hidráulica

39 SST-04-03-008EN
9
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)

Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)


Circuito de deslocamento
Circuito de baixa velocidade de deslocamento
Como exemplo, esta seção explica a operação de deslocamento para frente.
O ângulo de inclinação do motor de deslocamento de 2 estágios forma um lado com ângulo amplo.
Mesmo se a troca de deslocamento é ajustada no lado de alta velocidade, alternar a chave de
partida para OFF (DESLIGADO) e então para ON (LIGADO) novamente sempre se retorna o
sistema a este estado.
Ao operar a válvula de controle remoto de deslocamento para o lado de avanço, o óleo da pressão
piloto é alimentado para a porta pa1 da válvula de controle e aciona o carretel de deslocamento
esquerdo para o lado de avanço.
Ao mesmo tempo, o óleo também alimenta a porta pa6 para acionar o carretel de deslocamento
direito para o lado de avanço.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A1 entra na porta P1 da válvula de controle e o óleo
descarregado da bomba hidráulica A2 entra na porta P2 da válvula de controle. Cada um flui para o
respectivo motor de deslocamento e causa um deslocamento para frente através da alternância
dos carretéis esquerdo e direito.
O retorno do óleo do motor de deslocamento vai para os carretéis de deslocamento esquerdo e
direito e retorna para o tanque de óleo hidráulico.
A válvula solenoide de alta velocidade de deslocamento entra em OFF (DESLIGADA), o óleo da
porta P do motor de deslocamento conecta-se com a linha do tanque e o ângulo de inclinação do
motor de deslocamento se move para o lado da inclinação grande.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Motor de deslocamento 10 Interruptor da trava da alavanca do console


2 Chave seletora de velocidade de deslocamento alta 11 Bomba hidráulica
3 Computador A 12 Válvula de controle remoto do deslocamento
4 Válvula de controle 13 Válvula de verificação
5 Deslocamento (esquerda) 14 Resfriador de óleo
6 Deslocamento (direita) 15 Para trás à esquerda
7 Alta velocidade de deslocamento 16 Avanço à esquerda
8 Trava da alavanca 17 Para trás à direita
9 Válvula solenoide de 5 pilhas 18 Avanço à direita

SST-04-04-010EN 40
1
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

41 SST-04-04-010EN
2
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito de deslocamento
Circuito de alta velocidade de deslocamento
Como exemplo, esta seção explica a operação de deslocamento para frente.
Define o ângulo de inclinação de 2 estágios do motor de deslocamento com um ângulo pequeno
para definir a alta velocidade. O motor de deslocamento tem uma função de troca automática que
alterna a velocidade para baixa de acordo com a pressão de carga no motor de deslocamento
apenas durante condições de deslocamento de alta velocidade,
Ao operar a válvula de controle remoto de deslocamento para o lado de avanço, o óleo da pressão
piloto é alimentado para a porta pa1 da válvula de controle e aciona o carretel de deslocamento
esquerdo para o lado de avanço.
Ao mesmo tempo, o óleo também alimenta a porta pa6 para acionar o carretel de deslocamento
direito para o lado de avanço.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A1 entra na porta P1 da válvula de controle e o óleo
descarregado da bomba hidráulica A2 entra na porta P2 da válvula de controle. Cada um flui para o
respectivo motor de deslocamento e causa um deslocamento para frente através da alternância
dos carretéis esquerdo e direito.
O retorno do óleo do motor de deslocamento vai para os carretéis de deslocamento esquerdo e
direito e retorna para o tanque de óleo hidráulico.
São enviados sinais elétricos para o computador A pela operação da chave seletora de
deslocamento em alta velocidade, e o computador A envia sinais elétricos para a válvula solenoide
de deslocamento em alta velocidade. Devido à troca da válvula solenoide de deslocamento em alta
velocidade, a pressão piloto 3,9 (MPa) da porta C1 entra nas portas P à esquerda e à direita do
motor de deslocamento pela junta central e ajusta o ângulo de inclinação do motor de
deslocamento para um ângulo pequeno para aumentar a velocidade.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Motor de deslocamento 10 Interruptor da trava da alavanca do console


2 Chave seletora de velocidade de deslocamento alta 11 Bomba hidráulica
3 Computador A 12 Válvula de controle remoto do deslocamento
4 Válvula de controle 13 Válvula de verificação
5 Deslocamento (esquerda) 14 Resfriador de óleo
6 Deslocamento (direita) 15 Para trás à esquerda
7 Alta velocidade de deslocamento 16 Avanço à esquerda
8 Trava da alavanca 17 Para trás à direita
9 Válvula solenoide de 5 pilhas 18 Avanço à direita

SST-04-04-010EN 42
3
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

43 SST-04-04-010EN
4
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito de deslocamento
Circuito de deslocamento em linha reta
Como exemplo, esta seção explica as operações simultâneas de deslocamento para frente e de
elevação da lança.
Ao operar a válvula de controle remoto de deslocamento para o lado de avanço, o óleo da pressão
piloto é alimentado para a porta pa1 da válvula de controle e aciona o carretel de deslocamento
esquerdo para o lado de avanço.
Da mesma forma, o óleo também alimenta a porta pa6 para acionar o carretel de deslocamento
direito para o lado da frente.
O óleo de pressão piloto de deslocamento para frente e à direita separado internamente da porta
pa6 da válvula de controle muda o sinal de deslocamento em linha reta (direita). Por outro lado, o
óleo de pressão piloto de deslocamento separado internamente da porta pa1 muda o sinal de
deslocamento em linha reta (esquerda) através do sinal de deslocamento em linha reta (direita).
O óleo descarregado da bomba hidráulica A1 entra na porta P1 da válvula de controle e o óleo
descarregado da bomba hidráulica A2 entra na porta P2 da válvula de controle. Cada um flui para o
respectivo motor de deslocamento e causa um deslocamento para frente através da alternância
dos carretéis esquerdo e direito.
Se uma operação de elevação da lança é realizada durante o deslocamento, o óleo da pressão
piloto é enviado pela válvula do amortecedor para a porta pa4 da válvula de controle e gira os
carretéis (1) e (2) da lança para o lado de cima.
O óleo da pressão piloto superior (lança, braço, caçamba, giro, opção) separado internamente da
porta pa4 da válvula de controle é enviado para a válvula de deslocamento em linha reta através do
sinal de deslocamento em linha reta (esquerda) e o carretel de deslocamento em linha reta é
girado.
A quantidade de mudanças do carretel de deslocamento em linha reta varia de acordo com a
pressão piloto superior.
(Como a pressão piloto é baixa para a operação superior de menor carga, a quantidade de
mudanças do carretel de deslocamento em linha reta é mínima para evitar a redução rápida na
velocidade de deslocamento.)
Ao alternar a válvula de deslocamento em linha reta, o óleo pressurizado P1 da válvula de controle
pode acionar os motores de deslocamento esquerdo e direito e o óleo pressurizado P2 da válvula
de controle pode guiar a lança.
Como os motores esquerdo e direito são acionados por 1 bomba, os motores esquerdo e direito
têm a mesma pressão e o deslocamento em linha reta é possível. O óleo pressurizado excessivo
P2 é enviado para o lado de deslocamento através da válvula de verificação, com o orifício de
junção de deslocamento para minimizar a queda na velocidade.
As mesmas operações são realizadas quando forem operados simultaneamente atuadores de
deslocamento e superior que não sejam os mesmos da lança.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

Sinal de deslocamento em linha reta


1 Motor de deslocamento 10 19 Cilindro da lança
(esquerda)
Sinal de deslocamento em linha Válvula de controle remoto do
2 Lança (elevação) 11 20
reta (direita) deslocamento
Chave seletora de velocidade de
3 Lança (abaixamento) 12 21 Válvula de verificação
deslocamento alta
4 Válvula do amortecedor 13 Computador A 22 Resfriador de óleo
Válvula de controle remoto
5 14 Alta velocidade de deslocamento 23 Para trás à esquerda
(lança, caçamba)
6 Válvula de controle 15 Trava da alavanca 24 Avanço à esquerda
7 Deslocamento (esquerda) 16 Válvula solenoide de 5 pilhas 25 Avanço à direita
Interruptor da trava da alavanca
8 Deslocamento (direita) 17 26 Para trás à direita
do console
9 Válvula de deslocamento em linha reta 18 Bomba hidráulica

SST-04-04-010EN 44
5
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

45 SST-04-04-010EN
6
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito do giro
Circuito de controle de limite de velocidade do giro
Este controle impede aumentos na velocidade do giro que acompanha o fluxo da bomba
aumentado. (Apenas no modo SP)
Para uma operação de giro independente, devido ao sensor de pressão piloto de giro e ao sinal
elétrico de entrada do sensor de pressão P1, o computador A envia um sinal para a válvula
proporcional de controle de fluxo P1.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A3 é enviado para a válvula proporcional de controle de
fluxo P1.
O fluxo de descarga do lado A1 da bomba hidráulica é reduzido para 280 l/min pela saída do sinal
do computador A para a válvula proporcional de controle de fluxo P1.
[1] Condições em que o controle de limite de velocidade de giro é inserido
• Operação de giro completa da alavanca independente
• Sem operação de deslocamento
• Modo de trabalho SP
[2] Condições em que o controle de limite de velocidade de giro é finalizado
• Operação do lado superior diferente do abaixamento da lança
 Fim gradual (para reduzir choques)
• Operação de deslocamento
 Fim imediato (para evitar desvio de deslocamento)
• Operação de opção

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Motor de giro 13 Freio do giro


2 Giro 14 Válvula solenoide de 5 pilhas
3 Válvula do amortecedor 15 Interruptor da trava da alavanca do console
4 Giro à direita 16 Sensor de pressão de controle negativo N1
5 Giro à esquerda 17 Sensor de pressão de P1
6 Sensor de pressão piloto do giro 18 Válvula proporcional de controle de fluxo de P1
7 Válvula de controle remoto (braço, giro) 19 Bomba hidráulica
8 Válvula de controle 20 Válvula proporcional de controle de potência
9 Sensor de pressão piloto do deslocamento 21 Sensor de pressão de P2
10 Sensor da pressão piloto superior 22 Válvula de verificação
11 Computador A 23 Resfriador de óleo
12 Trava da alavanca

SST-04-04-010EN 46
7
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

47 SST-04-04-010EN
8
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito do giro
Circuito de controle do corte do alívio do giro
Esse controle visa um efeito de economia de energia controlando a bomba, de modo a minimizar o
óleo em excesso drenado da válvula de alívio do motor de giro no reforço da pressão de partida
para uma operação precisa de giro independente.
Quando uma operação de giro é iniciada, devido aos sinais elétricos de entrada do sensor de
pressão piloto do giro e do sensor de pressão P1, o computador A envia um sinal para a válvula
proporcional de controle de fluxo P1 da bomba hidráulica.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A3 é enviado para a válvula proporcional de controle de
fluxo P1.
O sinal de saída do computador A para a válvula proporcional de controle de fluxo P1 controla a
pressão piloto para reduzir o fluxo de descarga do lado A1 da bomba hidráulica. Além disso, o sinal
de entrada do sensor de pressão P1 da bomba hidráulica controla a pressão piloto para aumentar
gradualmente o fluxo de descarga.
[1] O controle de interrupção do alívio do giro é executado quando todas as condições abaixo são
atendidas.
• Sem operação de deslocamento
• Operação precisa de giro independente ou operação de giro + abaixamento da lança
[2] O controle de interrupção do alívio do giro termina quando uma condição abaixo é atendida.
• Quando a operação de giro é parada
• Operação de deslocamento, elevação da lança, extensão/retração do braço ou abertura/
fechamento da caçamba

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Motor de giro 13 Freio do giro


2 Giro 14 Válvula solenoide de 5 pilhas
3 Válvula do amortecedor 15 Interruptor da trava da alavanca do console
4 Giro à direita 16 Sensor de pressão de controle negativo N1
5 Giro à esquerda 17 Sensor de pressão de P1
6 Sensor de pressão piloto do giro 18 Válvula proporcional de controle de fluxo de P1
7 Válvula de controle remoto (braço, giro) 19 Bomba hidráulica
8 Válvula de controle 20 Válvula proporcional de controle de potência
9 Sensor de pressão piloto do deslocamento 21 Sensor de pressão de P2
10 Sensor da pressão piloto superior 22 Válvula de verificação
11 Computador A 23 Resfriador de óleo
12 Trava da alavanca

SST-04-04-010EN 48
9
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

49 SST-04-04-010EN
10
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito do giro
Circuito de prioridade de giro
A pressão piloto de giro é enviada para a porta Pc3' por meio da válvula corrediça e mantém o
orifício variável de prioridade do giro no lado direito. Ao medir o circuito paralelo, para a operação
simultânea do braço e de giro, a pressão de giro é reforçada para garantir a força de giro para a
escavação de pressão.
Como exemplo, esta seção explica a operação de giro à direita e de retração do braço.
Ao mover a válvula de controle remoto para o lado do giro direito, o óleo da pressão piloto é
alimentado através da válvula corrediça para a porta pa3 da válvula de controle e gira o carretel
para o lado de giro direito.
Neste momento, ao mover a válvula de controle remoto para o lado de retração do braço, o óleo da
pressão piloto é alimentado através da válvula do amortecedor para a porta pb5 da válvula de
controle e gira o carretel para o lado de retração do braço.
Ao mesmo tempo, o óleo da pressão piloto da porta S da válvula corrediça é enviado para a porta
Pc3' da válvula de controle para mover o orifício variável de prioridade de giro para o lado direito e
mantê-lo assim.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A1 entra na porta P1 da válvula de controle e é fornecido
pela passagem de óleo paralela para o carretel do giro. A troca do carretel permite que o óleo flua
para a porta B do motor de giro e a operação de giro à direita é realizada.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A2 entra na porta P2 da válvula de controle, flui a partir
da passagem de óleo paralela para o carretel do braço (2) e se mistura na parte superior do carretel
do braço (1). A troca do carretel permite que o óleo flua para a parte inferior do cilindro do braço e a
operação de retração do braço é realizada.
Quando as operações de giro à direita e de retração do braço são realizadas ao mesmo tempo, o
orifício variável de prioridade de giro na passagem paralela da porta P1 da válvula de controle se
move e se estreita, de modo que a pressão é reforçada para fixar a força de giro para a escavação
de pressão.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Motor de giro 15 Cilindro do braço


2 Braço (retração) 16 Braço (1)
3 Braço (extensão) 17 Giro
4 Giro à direita 18 Carretel da válvula de retenção da carga do braço
5 Giro à esquerda 19 Válvula de verificação da válvula de retenção da carga do braço
6 Válvula do amortecedor 20 Válvula de liberação de regeneração
7 Sensor de pressão piloto do giro 21 Válvula de controle
8 Válvula corrediça 22 Orifício variável de prioridade de giro
9 Computador A 23 Braço (2)
10 Válvula de controle remoto (braço, giro) 24 Sensor da pressão piloto superior
11 Trava da alavanca 25 Bomba hidráulica
12 Freio do giro 26 Válvula de verificação
13 Válvula solenoide de 5 pilhas 27 Resfriador de óleo
14 Interruptor da trava da alavanca do console

SST-04-04-010EN 50
11
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

51 SST-04-04-010EN
12
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito do giro
Circuito do freio de giro
Como exemplo, esta seção explica a operação do circuito do freio após o fim de uma operação de
giro à direita.
Quando a válvula de controle remoto retorna ao neutro de uma operação de giro à direita, o óleo da
pressão piloto é interrompido e o carretel do giro da válvula de controle volta ao neutro.
O óleo pressurizado enviado à porta A do motor de giro a partir da porta A3 da válvula de controle é
interrompido. Ao mesmo tempo, o local de destino é eliminado para o óleo pressurizado que flui da
porta B do motor de giro para a porta B3 da válvula de controle, de modo que a pressão sobe até a
pressão de ajuste da válvula de alívio do motor do giro. A pressão gerada aqui se torna uma força
de frenagem e para o motor.
Quando o giro é parado, o motor de giro continuará a girar por um instante devido à força da
inércia. Para evitar a queda do volume de óleo, o óleo é fornecido pela linha de compensação
conectada à porta M do motor de giro a partir da porta T3 da válvula de controle para abrir a válvula
de verificação de compensação e o óleo é sugado para evitar cavitação.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Motor de giro 9 Trava da alavanca


2 Válvula do amortecedor 10 Freio do giro
3 Giro à direita 11 Válvula solenoide de 5 pilhas
4 Giro à esquerda 12 Interruptor da trava da alavanca do console
5 Sensor de pressão piloto do giro 13 Computador A
6 Válvula de controle remoto (braço, giro) 14 Válvula de controle
7 Bomba hidráulica 15 Resfriador de óleo
8 Válvula de verificação 16 Sensor da pressão piloto superior

SST-04-04-010EN 52
13
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

53 SST-04-04-010EN
14
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito do giro
Circuito de estacionamento do giro (alavanca em neutro)
Quando a chave é colocada na posição ON (ligada), a válvula solenoide do freio do giro é alternada
pelo sinal elétrico do computador A.
O óleo da porta PR do motor de giro vai da porta C2 da válvula solenoide de 5 pilhas através do
solenoide do freio de giro e retorna para o tanque de óleo hidráulico para segurar o freio de
estacionamento do giro.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Motor de giro 9 Trava da alavanca


2 Válvula do amortecedor 10 Freio do giro
3 Giro à direita 11 Válvula solenoide de 5 pilhas
4 Giro à esquerda 12 Interruptor da trava da alavanca do console
5 Sensor de pressão piloto do giro 13 Computador A
6 Válvula de controle remoto (braço, giro) 14 Válvula de controle
7 Válvula de verificação 15 Sensor da pressão piloto superior
8 Resfriador de óleo 16 Bomba hidráulica

SST-04-04-010EN 54
15
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

55 SST-04-04-010EN
16
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito do giro
Circuito de estacionamento do giro (liberação do freio)
Quando o motor é iniciado e a alavanca de giro está em neutro, a válvula solenoide do freio de giro
vai para o estado ON (LIGADO, entrada de 24 V), a pressão para a porta PR do motor de giro é
interrompida e o freio de estacionamento de giro funciona.
Quando a operação da alavanca aumenta a leitura para 0,5 MPa ou mais no sensor de pressão na
linha piloto de giro, a saída do computador A para a válvula solenoide do freio de giro vai para o
estado OFF (DESLIGADO), a pressão da porta PR do motor de giro aumenta, o freio de
estacionamento do giro é liberado e o giro se torna possível.
Como exemplo, esta seção explica a operação de giro à direita.
Durante a operação de giro à direita na válvula de controle remoto, o óleo da pressão piloto é
alimentado para a porta pa3 da válvula de controle através da válvula corrediça e troca o carretel
de giro para o lado de giro à direita.
Ao mesmo tempo, o computador A detecta o sinal do sensor de pressão piloto do giro, avalia se
existe uma operação de giro, o sinal elétrico de saída do computador A fica em OFF, e a válvula do
solenoide do freio de giro é alternada. O óleo de pressão piloto é enviado para a porta PR do motor
de giro a partir da porta C2 da válvula do solenoide do freio de giro para liberar o freio de
estacionamento de giro.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A1 entra na porta P1 da válvula de controle e é fornecido
pela passagem de óleo paralela para o carretel do giro. A troca do carretel permite que o óleo flua
para a porta A do motor de giro e a operação de giro à direita é realizada.
O óleo pressurizado da porta B do motor de giro passa através do carretel de giro e retorna para o
tanque de óleo hidráulico.
Quando isso é seguido por uma operação de acessório, a pressão piloto é detectada pelo sensor
de pressão da porta PA da válvula de controle e o freio de estacionamento do giro continua a ser
liberado.
Depois do fim da operação do giro, caso passem 5 segundos sem que haja uma operação do lado
superior, a saída da válvula solenoide do freio de giro do computador fica ON (LIGADA) e o freio de
estacionamento do giro volta a funcionar.
Após o término do giro, se ele for seguido por uma operação superior ou se houver uma operação
superior dentro de 5 segundos, cerca de 1 segundo após o fim da operação superior, o freio de
estacionamento do giro volta a funcionar.
O freio de estacionamento do giro também é liberado para operações superiores independentes e
quando cerca de 1 segundo se passa após o fim da operação superior, o freio de estacionamento
do giro volta a funcionar.
Sensor de pressão Sensor da pressão Válvula solenoide Freio mecânico do
Chave de partida
piloto do giro piloto superior do freio de giro motor de giro
DESL. 0 MPa 0 MPa DESL. LIG.
LIG. 0 MPa 0 MPa LIG. LIG.
LIG. 0,5 MPa min. 0 MPa DESL. DESL.
LIG. 0 MPa 0,5 MPa min. DESL. DESL.
LIG. 0,5 MPa min. 0,5 MPa min. DESL. DESL.
Padrão de análise do sensor de pressão piloto
A operação é analisada quando está a 0,5 MPa ou mais.
A não operação é analisada quando está a 0,3 MPa ou menos.

Linha de pressão 1 Motor de giro 10 Válvula solenoide de 5 pilhas


Linha do tanque Interruptor da trava da alavanca do
2 Válvula do amortecedor 11
Linha da pressão piloto console
3 Giro à direita 12 Computador A
Linha do tanque piloto
4 Giro à esquerda 13 Válvula de controle
Linha elétrica
5 Sensor de pressão piloto do giro 14 Sensor da pressão piloto superior
6 Válvula de controle remoto (braço, giro) 15 Bomba hidráulica
7 Giro 16 Válvula de verificação
8 Trava da alavanca 17 Resfriador de óleo
9 Freio do giro

SST-04-04-010EN 56
17
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

12
10

Visão aumentada

57 SST-04-04-010EN
18
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito do giro
Circuito de estacionamento do giro (parada da máquina)
Quando a máquina está parada (chave na posição OFF [desligada]), o óleo da porta PR do motor
de giro vai da porta C2 do solenoide do freio de giro através do solenoide de bloqueio de alavanca
e retorna para o tanque de óleo hidráulico, mantendo o status de retenção do freio de
estacionamento do giro.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Motor de giro 9 Trava da alavanca


2 Válvula do amortecedor 10 Freio do giro
3 Giro à direita 11 Válvula solenoide de 5 pilhas
4 Giro à esquerda 12 Interruptor da trava da alavanca do console
5 Sensor de pressão piloto do giro 13 Computador A
6 Válvula de controle remoto (braço, giro) 14 Válvula de controle
7 Válvula de verificação 15 Sensor da pressão piloto superior
8 Resfriador de óleo 16 Bomba hidráulica

SST-04-04-010EN 58
19
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

59 SST-04-04-010EN
20
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito da lança
Circuito de elevação da lança (operação independente)
Ao operar a válvula de controle remoto para o lado de elevação da lança, o óleo da pressão piloto é
enviado através da válvula do amortecedor para a porta pa4 da válvula de controle e o carretel (2)
da lança é girado. Ao mesmo tempo, o óleo da pressão piloto da porta pa4 separado na passagem
interna é enviado à porta piloto da lança (1) e gira o carretel da lança (1) para o lado de cima.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A1 entra na porta P1 da válvula de controle, é fornecido
a partir da passagem paralela de óleo para o carretel da lança (2) e se mistura para baixo do
carretel da lança (1). O óleo descarregado da bomba hidráulica A2 é enviado para o carretel da
lança (1) por meio da passagem de óleo paralela, se une ao óleo descarregado da lança (2), flui
pela válvula de verificação da válvula de retenção da carga da lança e para o lado inferior do
cilindro da lança e a operação de elevação da lança é realizada.
O óleo de retorno do lado da haste do cilindro da lança passa através do carretel da lança (1) e
retorna ao tanque de óleo hidráulico.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Válvula do amortecedor 12 Cilindro da lança


2 Lança (elevação) 13 Sensor de pressão piloto do deslocamento
3 Lança (abaixamento) 14 Sensor da pressão piloto superior
4 Lança (2) 15 Interruptor da trava da alavanca do console
5 Válvula de controle remoto (lança, caçamba) 16 Mostrador do monitor
6 Trava da alavanca 17 Computador A
7 Alívio da pressão de reforço 18 Sensor de pressão de P1
8 Válvula solenoide de 5 pilhas 19 Sensor de pressão de P2
9 Válvula de controle 20 Bomba hidráulica
Válvula de verificação da válvula de
10 21 Válvula de verificação
retenção da carga da lança
11 Lança (1) 22 Resfriador de óleo

SST-04-04-010EN 60
21
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

61 SST-04-04-010EN
22
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito da lança
Circuito de elevação da lança (elevação da lança composta + retração do braço)
Como exemplo, esta seção explica a operação composta de elevação da lança + retração do braço
(trabalho de nivelamento).
Para o trabalho de nivelamento, o óleo de pressão piloto de elevação da lança é enviado à porta
pbu, o orifício variável de prioridade de giro é movido para o lado esquerdo e a restrição no fluxo
para o braço é liberada para suavizar o movimento do braço.
Na operação da válvula de controle remoto para o lado de elevação da lança e lado de retração do
braço, o óleo da pressão piloto é alimentado através da válvula do amortecedor para a porta pa4 e
para a porta pb5 da válvula de controle e gira os carretéis da lança (1) e do braço (1). Ao mesmo
tempo, o óleo pressurizado separado da passagem interna piloto do lado da lança (1) é alimentado
da porta pa8 para a porta pbu e o carretel do orifício variável de prioridade de giro é girado para o
lado esquerdo.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A1 entra na porta P1 da válvula de controle e é fornecido
a partir da passagem paralela de óleo para os carretéis da lança (2) e do braço (1). Como o carretel
do orifício variável de prioridade do giro na passagem paralela de óleo é movido, a restrição no
fluxo para o braço é liberada e o óleo flui pelo carretel do braço (1) e para o lado inferior do cilindro
do braço. Isso uniformiza o movimento da operação de retração do braço.
O óleo de retorno do lado da haste do cilindro do braço passa pela válvula de verificação da válvula
de retenção da carga e pelo carretel do braço (1) e retorna para o tanque de óleo hidráulico.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A2 entra na porta P2 da válvula de controle e é
alimentado a partir da passagem de óleo paralela para o carretel da lança (1). A troca do carretel
permite que o óleo flua pela válvula de verificação da válvula de retenção da lança para o lado
inferior do cilindro da lança e a operação de elevação da lança é realizada.
Quando o circuito tem uma HBCV, o óleo descarregado da bomba hidráulica A2 entra na porta P2
da válvula de controle e é fornecido a partir da passagem de óleo paralela para o carretel da lança
(1).
A troca do carretel permite que o óleo flua pela válvula de verificação da válvula de retenção de
carga da lança e da válvula de verificação da HBCV para o lado inferior do cilindro da lança e a
operação de elevação da lança é realizada.
O óleo de retorno do lado da haste do cilindro da lança passa através do carretel (1) da lança e
retorna ao tanque de óleo hidráulico.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

Sensor de pressão piloto do


1 Cilindro do braço 12 Braço (1) 23
deslocamento
2 Braço (retração) 13 Lança (2) 24 Sensor da pressão piloto superior
Carretel da válvula de retenção da Interruptor da trava da alavanca
3 Braço (extensão) 14 25
carga do braço do console
Válvula de verificação da válvula de
4 Lança (elevação) 15 26 Mostrador do monitor
retenção da carga
5 Lança (abaixamento) 16 Válvula de liberação de regeneração 27 Computador A
6 Válvula do amortecedor 17 Válvula de controle 28 Sensor de pressão de P1
Válvula de controle remoto
7 18 Orifício variável de prioridade de giro 29 Sensor de pressão de P2
(lança, caçamba)
Válvula de controle remoto
8 19 Braço (2) 30 Bomba hidráulica
(braço, giro)
Válvula de verificação da válvula de
9 Trava da alavanca 20 31 Válvula de verificação
retenção da carga da lança
10 Alívio da pressão de reforço 21 Lança (1) 32 Resfriador de óleo
11 Válvula solenoide de 5 pilhas 22 Cilindro da lança

SST-04-04-010EN 62
23
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

63 SST-04-04-010EN
24
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito da lança
Circuito regenerativo de descida da lança
Ao mover a válvula de controle remoto para o lado de abaixamento da lança, o óleo da pressão
piloto é alimentado através da válvula do amortecedor para a porta pb8 da válvula de controle e
gira o carretel da lança (1) para o lado de abaixamento.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A2 entra na porta P2 da válvula de controle e é
alimentado a partir da passagem de óleo paralela para o carretel da lança (1). A troca do carretel
permite que o óleo flua para o lado da haste do cilindro da lança e a operação de abaixamento da
lança é realizada.
O óleo da pressão piloto da porta pb8 separado na passagem interna é fornecido para o carretel da
válvula de retenção da carga e move o carretel para a esquerda. Deste modo, o óleo da câmara da
mola da válvula de verificação da válvula de retenção da carga é conectado à linha do tanque
através do carretel da válvula de retenção da carga, a pressão da câmara da mola cai e a válvula
de verificação da válvula de retenção da carga é aberta.
Quando o circuito tem uma HBCV, o óleo de pressão piloto separado na passagem interna opera
sobre a porta PL da HBCV e gira o carretel. Isso abre a válvula de verificação da HBCV. O óleo
pressurizado do lado inferior do cilindro da lança flui através da válvula de verificação da válvula de
retenção de carga (passa através da válvula de verificação da HBCV e vai para válvula de
verificação da válvula de retenção de carga quando o circuito tem uma HBCV) e é medido pelo
orifício de regeneração do carretel da lança (1). Assim, o óleo de retorno empurra e abre a válvula
de verificação no carretel e é regenerado no lado da haste do cilindro. Quanto mais baixa a pressão
da carga lateral da haste do cilindro, maior o volume de regeneração. Quando a pressão da carga
do lado da haste do cilindro se torna alta, a válvula de verificação é fechada e o óleo de retorno do
inferior do cilindro passa pelo carretel da lança (1) sem regeneração e retorna para o tanque de
óleo hidráulico.
Como o circuito é configurado para que, mesmo que o carretel da lança (1) esteja em curso
completo, seja gerada pressão de controle negativo pela passagem de óleo de sangria de
derivação central e a bomba não descarregue todo o fluxo, o déficit é compensado com a
regeneração e a saída do motor pode ser usada com eficácia.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

Válvula de verificação da válvula de


1 9 Lança (abaixamento) 17 Cilindro da lança
retenção da carga
Válvula de controle remoto (lança,
2 Válvula de verificação 10 18 Lança (1)
caçamba)
Sensor de pressão piloto do
3 Resfriador de óleo 11 Trava da alavanca 19
deslocamento
4 Sensor de pressão de P1 12 Alívio da pressão de reforço 20 Sensor da pressão piloto superior
Interruptor da trava da alavanca do
5 Orifício 13 Válvula solenoide de 5 pilhas 21
console
6 Sangria 14 Válvula de controle 22 Mostrador do monitor
7 Válvula do amortecedor 15 Sensor de pressão de P2 23 Computador A
8 Lança (elevação) 16 Bomba hidráulica

SST-04-04-010EN 64
25
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

65 SST-04-04-010EN
26
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito da lança
Circuito de prevenção de inclinação na descida da lança
Durante a operação da válvula de controle remoto em todo o caminho de descida da lança de uma
só vez, mesmo que o carretel da lança siga seu curso completo, é gerada uma pressão de controle
negativo pela passagem de óleo de sangria de derivação central e o circuito é tal que a bomba
hidráulica não descarrega todo o fluxo, de modo que a geração de alta pressão é restrita e a
inclinação da unidade principal é reduzida. Como o déficit no volume de óleo é compensado pelo
circuito regenerativo, a saída do motor pode ser usada efetivamente.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

Válvula de verificação da válvula de


1 12 Válvula de controle
retenção da carga
2 Válvula de verificação 13 Sensor de pressão de P2
3 Resfriador de óleo 14 Bomba hidráulica
4 Sangria 15 Cilindro da lança
5 Válvula do amortecedor 16 Lança (1)
Sensor de pressão piloto do
6 Lança (elevação) 17
deslocamento
7 Lança (abaixamento) 18 Sensor da pressão piloto superior
Válvula de controle remoto Interruptor da trava da alavanca
8 19
(lança, caçamba) do console
9 Trava da alavanca 20 Mostrador do monitor
10 Alívio da pressão de reforço 21 Computador A
11 Válvula solenoide de 5 pilhas 22 Sensor de pressão de P1

SST-04-04-010EN 66
27
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

67 SST-04-04-010EN
28
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito da lança
Circuito da válvula de retenção da carga na descida da lança
Quando a alavanca de operação da lança da válvula de controle remoto está em neutro, o óleo no
lado inferior do cilindro da lança está vedado pela válvula de verificação da válvula de retenção da
carga, reduzindo o vazamento interno do carretel principal e diminuindo a queda natural da lança.
Ao mover a válvula de controle remoto para o lado de abaixamento da lança, o óleo da pressão
piloto é alimentado através da válvula do amortecedor para a porta pb8 da válvula de controle e
gira o carretel da lança para o lado de abaixamento.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A2 entra na porta P2 da válvula de controle e é
alimentado a partir da passagem de óleo paralela para a lança (1). A troca do carretel permite que
o óleo flua para o lado inferior do cilindro da lança e a operação de abaixamento da lança é
realizada.
O óleo da pressão piloto da porta pb8 separado na passagem interna é fornecido para o carretel da
válvula de retenção da carga e move o carretel para a esquerda. Deste modo, o óleo da câmara da
mola da válvula de verificação da válvula de retenção da carga é conectado à linha do tanque
através do carretel da válvula de retenção da carga, a pressão da câmara da mola cai e a válvula
de verificação da válvula de retenção da carga é aberta.
O óleo pressurizado do lado inferior do cilindro da lança passa pela válvula de verificação da
válvula de retenção da carga e pelo carretel da lança (1) e retorna para o tanque de óleo hidráulico.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

Válvula de verificação da válvula de


1 12 Resfriador de óleo
retenção da carga da lança
Carretel da válvula de retenção
2 13 Cilindro da lança
da carga
3 Válvula do amortecedor 14 Lança (1)
Sensor de pressão piloto do
4 Lança (elevação) 15
deslocamento
5 Lança (abaixamento) 16 Sensor da pressão piloto superior
Válvula de controle remoto Interruptor da trava da alavanca
6 17
(lança, caçamba) do console
7 Trava da alavanca 18 Mostrador do monitor
8 Alívio da pressão de reforço 19 Computador A
9 Válvula solenoide de 5 pilhas 20 Sensor de pressão de P1
10 Válvula de controle 21 Sensor de pressão de P2
11 Válvula de verificação 22 Bomba hidráulica

SST-04-04-010EN 68
29
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

19

Visão aumentada

69 SST-04-04-010EN
30
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito do braço
Circuito de extensão do braço
Ao mover a válvula de controle remoto para o lado de extensão do braço, o óleo da pressão piloto
é alimentado através da válvula do amortecedor para as portas pa5 e pa9 da válvula de controle e
gira o braço (1) e carretéis (2) para o lado de fora.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A1 entra na porta P1 da válvula de controle e é
alimentado a partir da passagem de óleo de derivação central para o carretel (1) do braço. O óleo
descarregado da bomba hidráulica A2 entra na porta P2 da válvula de controle, flui a partir da
passagem de derivação central e pela passagem do óleo de junção do braço frontal do carretel do
braço (2) e se mistura na parte superior do carretel do braço (1).
A troca do carretel do braço permite que o óleo flua pela válvula de verificação da válvula de
retenção da carga e pelo lado da haste do cilindro do braço, realizando a operação de extensão do
braço.
Quando o circuito tem uma HBCV, alternar o carretel do braço faz o óleo fluir pela válvula de
verificação da válvula de retenção de carga para abrir a válvula de verificação da HBCV do cilindro
do braço e fluir para dentro do lado da haste, realizando a operação de extensão do braço.
O óleo de retorno do lado inferior do cilindro do braço passa através do braço (1) e (2) carretéis e
retorna ao tanque de óleo hidráulico.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Cilindro do braço 13 Sensor de pressão piloto do deslocamento


2 Braço (retração) 14 Sensor da pressão piloto superior
3 Braço (extensão) 15 Interruptor da trava da alavanca do console
4 Válvula do amortecedor 16 Mostrador do monitor
5 Válvula de controle remoto (braço, giro) 17 Computador A
6 Trava da alavanca 18 Sensor de pressão de P1
7 Alívio da pressão de reforço 19 Sensor de pressão de P2
8 Válvula solenoide de 5 pilhas 20 Bomba hidráulica
9 Válvula de controle 21 Válvula de verificação
Válvula de verificação da válvula de
10 22 Resfriador de óleo
retenção da carga
11 Braço (1) 23 Válvula de verificação da HBCV do braço
12 Braço (2) 24 HBCV do braço

SST-04-04-010EN 70
31
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

71 SST-04-04-010EN
32
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito do braço
Circuito regenerativo forçado de retração do braço
Ao mover a válvula de controle remoto para o lado de retração do braço, o óleo da pressão piloto é
alimentado através da válvula do amortecedor para as portas pb5 e pb9 da válvula de controle e
gira o braço (1) e (2) carretéis para o lado de dentro.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A1 entra na porta P1 da válvula de controle e é
alimentado a partir da passagem de óleo de derivação central para o carretel (1) do braço. O óleo
descarregado da bomba hidráulica A2 entra na porta P2 da válvula de controle, flui a partir da
passagem de derivação central e pela passagem do óleo de junção do braço frontal do carretel do
braço (2) e se mistura na parte superior do carretel do braço (1).
A troca do carretel do braço permite que o óleo flua para o lado da parte inferior do cilindro do braço
e a operação de retração do braço é realizada.
O óleo da pressão piloto da porta pb5 separado na passagem interna é fornecido para o carretel da
válvula de retenção da carga e move o carretel para a direita. Deste modo, o óleo da câmara da
mola da válvula de verificação da válvula de retenção da carga é conectado à linha do tanque
através do carretel da válvula de retenção da carga, a pressão da câmara da mola cai e a válvula
de verificação da válvula de retenção da carga é aberta.
O óleo pressurizado do lado da haste do cilindro do braço passa pela válvula de verificação da
válvula de retenção da carga e pelo carretel do braço (1) e é medido pela válvula de liberação de
regeneração forçada. Assim, o óleo de retorno abre a válvula de verificação no carretel do braço (1)
e é regenerado à força no lado inferior do cilindro, mantendo a velocidade do braço para o trabalho
de nivelamento etc. Quando a pressão de carga inferior do cilindro se torna alta, a válvula de
liberação de regeneração forçada é alternada para o lado de medida grande e a abertura se torna
maior. Assim, a válvula de verificação no carretel é fechada e o óleo de retorno do lado da haste do
cilindro retorna ao tanque de óleo hidráulico através do carretel do braço (1) e à válvula de
liberação de regeneração forçada sem ser regenerado.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

Carretel da válvula de retenção Sensor de pressão piloto do


1 10 Válvula do amortecedor 19
da carga deslocamento
Válvula de verificação da válvula de Válvula de controle remoto
2 11 20 Sensor da pressão piloto superior
retenção da carga (braço, giro)
Interruptor da trava da alavanca
3 Resfriador de óleo 12 Trava da alavanca 21
do console
4 Válvula de verificação de regeneração 13 Alívio da pressão de reforço 22 Mostrador do monitor
5 Medição grande 14 Válvula solenoide de 5 pilhas 23 Computador A
6 Medição pequena 15 Válvula de controle 24 Sensor de pressão de P1
Válvula de liberação de
7 16 Cilindro do braço 25 Sensor de pressão de P2
regeneração forçada
8 Braço (retração) 17 Braço (1) 26 Bomba hidráulica
9 Braço (extensão) 18 Braço (2) 27 Válvula de verificação

SST-04-04-010EN 72
33
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

73 SST-04-04-010EN
34
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito do braço
Circuito da válvula de retenção da carga na retração do braço
Quando a alavanca de operação do braço da válvula de controle remoto está em neutro, o óleo no
lado da haste do cilindro do braço está vedado pela válvula de verificação da válvula de retenção
da carga, reduzindo o vazamento interno do carretel principal e reduzindo a queda natural do
braço.
Ao mover a válvula de controle remoto para o lado de retração do braço, o óleo da pressão piloto é
alimentado através da válvula do amortecedor para as portas pb5 e pb9 da válvula de controle e
gira o braço (1) e (2) carretéis para o lado de dentro.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A1 entra na porta P1 da válvula de controle e é
alimentado a partir da passagem de óleo de derivação central para o carretel (1) do braço. O óleo
descarregado da bomba hidráulica A2 entra na porta P2 da válvula de controle, flui a partir da
passagem de derivação central e pela passagem do óleo de junção do braço frontal do carretel do
braço (2) e se mistura na parte superior do carretel do braço (1).
A troca do carretel do braço permite que o óleo flua para o lado da parte inferior do cilindro do braço
e a operação de retração do braço é realizada.
O óleo da pressão piloto da porta pb5 separado na passagem interna é fornecido para o carretel da
válvula de retenção da carga e move o carretel para a direita. Deste modo, o óleo da câmara da
mola da válvula de verificação da válvula de retenção da carga é conectado à linha do tanque
através do carretel da válvula de retenção da carga, a pressão da câmara da mola cai e a válvula
de verificação da válvula de retenção da carga é aberta.
O óleo pressurizado do lado da haste do cilindro do braço passa pela válvula de verificação da
válvula de retenção da carga e pelo carretel do braço (1) e retorna para o tanque de óleo hidráulico.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Carretel da válvula de retenção da carga 13 Braço (1)


Válvula de verificação da válvula de
2 14 Braço (2)
retenção da carga
Sensor de pressão piloto do
3 Resfriador de óleo 15
deslocamento
4 Braço (retração) 16 Sensor da pressão piloto superior
Interruptor da trava da alavanca
5 Braço (extensão) 17
do console
6 Válvula do amortecedor 18 Mostrador do monitor
7 Válvula de controle remoto (braço, giro) 19 Computador A
8 Trava da alavanca 20 Sensor de pressão de P1
9 Alívio da pressão de reforço 21 Sensor de pressão de P2
10 Válvula solenoide de 5 pilhas 22 Bomba hidráulica
11 Válvula de controle 23 Válvula de verificação
12 Cilindro do braço

SST-04-04-010EN 74
35
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

75 SST-04-04-010EN
36
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito da caçamba
Circuito de abertura da caçamba
Ao mover a válvula de controle remoto para o lado de abertura da caçamba, o óleo da pressão
piloto é alimentado através da válvula do amortecedor para a porta pa7 da válvula de controle e
gira o carretel da caçamba para o lado de abertura.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A2 entra na porta P2 da válvula de controle e é fornecido
a partir da passagem de óleo paralela para o carretel da caçamba. A troca do carretel permite que
o óleo flua para o lado da haste do cilindro da caçamba e a operação de abertura da caçamba é
realizada.
O óleo pressurizado do lado inferior do cilindro da caçamba passa através do carretel da caçamba
e retorna ao tanque de óleo hidráulico.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

Sensor de pressão piloto do


1 Válvula do amortecedor 11
deslocamento
2 Caçamba (fechamento) 12 Sensor da pressão piloto superior
Interruptor da trava da alavanca
3 Caçamba (abertura) 13
do console
Válvula de controle remoto
4 14 Mostrador do monitor
(lança, caçamba)
5 Trava da alavanca 15 Computador A
6 Alívio da pressão de reforço 16 Sensor de pressão de P1
7 Válvula solenoide de 5 pilhas 17 Sensor de pressão de P2
8 Válvula de controle 18 Bomba hidráulica
9 Caçamba 19 Válvula de verificação
10 Cilindro da caçamba 20 Resfriador de óleo

SST-04-04-010EN 76
37
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

77 SST-04-04-010EN
38
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito da caçamba
Circuito regenerativo de fechamento da caçamba
Ao mover a válvula de controle remoto para o lado do fechamento da caçamba, o óleo da pressão
piloto é alimentado através da válvula do amortecedor para a porta pb7 da válvula de controle e
gira o carretel da caçamba para o lado de fechamento.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A2 entra na porta P2 da válvula de controle e é fornecido
a partir da passagem de óleo paralela para o carretel da caçamba. A troca do carretel permite que
o óleo flua para a parte inferior do cilindro da caçamba e a operação de fechamento da caçamba é
realizada.
O óleo pressurizado do lado da haste do cilindro da caçamba é medido pelo orifício de regeneração
do carretel da caçamba. Assim, o óleo de retorno abre a válvula de verificação no carretel e é
regenerado no lado inferior do cilindro. Quanto mais baixa a pressão da carga lateral da haste do
cilindro, maior o volume de regeneração. Quando a pressão da carga do lado da haste do cilindro
se torna alta, a válvula de verificação é fechada e o óleo de retorno do lado inferior do cilindro
passa pelo carretel da caçamba sem regeneração e retorna para o tanque de óleo hidráulico.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Válvula de verificação de regeneração 12 Caçamba


2 Resfriador de óleo 13 Cilindro da caçamba
Sensor de pressão piloto do
3 Orifício 14
deslocamento
4 Válvula do amortecedor 15 Sensor da pressão piloto superior
Interruptor da trava da alavanca
5 Caçamba (fechamento) 16
do console
6 Caçamba (abertura) 17 Mostrador do monitor
Válvula de controle remoto
7 18 Computador A
(lança, caçamba)
8 Trava da alavanca 19 Sensor de pressão de P1
9 Alívio da pressão de reforço 20 Sensor de pressão de P2
10 Válvula solenoide de 5 pilhas 21 Bomba hidráulica
11 Válvula de controle 22 Válvula de verificação

SST-04-04-010EN 78
39
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

79 SST-04-04-010EN
40
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito de controle negativo
Circuito de controle negativo (solenoide de economia de energia OFF (DESLIGADO)
Quando a alavanca de operação da válvula de controle remoto está definida como neutra, o óleo
descarregado das bombas hidráulicas A1 e A2 vai das portas P1 e P2 da válvula de controle pela
passagem de óleo de derivação central e pelo alívio variável de controle negativo para baixo e
retorna para o tanque de óleo hidráulico.
O óleo descarregado da bomba piloto A3 entra na porta P da válvula solenoide de 5 pilhas, flui pela
válvula solenoide de economia de energia, é enviado para as portas Pn1 e Pn2 da válvula de
controle e mantém o alívio de controle negativo de P1 e P2 na pressão ajustada de 2,55 MPa.
O óleo de pressão de controle negativo separado da passagem de óleo de derivação central é
enviado das portas Ps1 e Ps2 para as portas Pi1 e Pi2 da bomba hidráulica, move a inclinação da
bomba para o lado do fluxo mínimo e o fluxo de descarga da bomba é reduzido.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

Sensor de pressão de controle


1 Alívio de controle negativo P1 11
negativo N1
2 Alívio de controle negativo P2 12 Sensor de pressão de P1
3 Válvula de controle 13 Sensor de pressão de P2
Sensor de pressão piloto do Sensor de pressão de controle
4 14
deslocamento negativo N2
Válvula proporcional de controle
5 Sensor da pressão piloto superior 15
de potência
Válvula proporcional de controle de
6 Computador A 16
fluxo de P1
Interruptor da trava da alavanca
7 17 Bomba hidráulica
do console
8 Trava da alavanca 18 Válvula de verificação
9 Economia de energia 19 Resfriador de óleo
10 Válvula solenoide de 5 pilhas

SST-04-04-010EN 80
41
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

81 SST-04-04-010EN
42
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito de controle negativo
Circuito de economia de energia de controle negativo (solenoide de economia de energia ON
[LIGADO])
A finalidade deste controle é reduzir o consumo de combustível durante o estado de prontidão
(standby) reduzindo a contrapressão do sinal de controle negativo.
Quando a alavanca de operação da válvula de controle remoto é ajustada em neutro, o sinal de
estado não operacional entra no computador A pelo sensor de pressão piloto de deslocamento e
pelo sensor de pressão piloto superior instalados na porta PT e porta PA da válvula de controle.
Após cerca de 1 segundo, a válvula solenoide de economia de energia é energizada e alternada
para ON (ligada) pelo sinal de saída do computador A, e a passagem de óleo é alternada.
O óleo pressurizado das portas Pn1 e Pn2 de alívio de controle negativo da válvula de controle
passa pela válvula solenoide de economia de energia e retorna ao tanque de óleo hidráulico.
Desse modo, a pressão de ajuste de alívio de controle negativo é trocada para pressão baixa para
reduzir ainda mais a pressão de descarga da bomba A1 e A2.
Com o sistema funcionando desse modo, o sinal de controle negativo é interrompido e o volume de
descarrega da bomba P1 e P2 aumenta.
O óleo descarregado da bomba piloto A3 entra na porta P da válvula solenoide de 5 pilhas, flui pela
válvula solenoide de economia de energia, é enviado para a porta P2 da bomba hidráulica a partir
da porta C5, move a inclinação da bomba do lado A2 para o lado de fluxo mínimo e reduz o fluxo de
descarga.
Ao mesmo tempo, o óleo descarregado da bomba piloto A3 é enviado para a porta P1 da bomba
hidráulica pelo sinal do computador A para a válvula proporcional de restrição de fluxo P1 da
bomba hidráulica, move a inclinação da bomba lateral A1 para o lado de fluxo mínimo e isso reduz
o fluxo de descarga.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Válvula de controle 10 Sensor de pressão de P1


Sensor de pressão piloto do
2 11 Sensor de pressão de P2
deslocamento
Sensor de pressão de controle
3 Sensor da pressão piloto superior 12
negativo N2
Válvula proporcional de controle
4 Computador A 13
de potência
Interruptor da trava da alavanca Válvula proporcional de controle de
5 14
do console fluxo de P1
6 Trava da alavanca 15 Bomba hidráulica
7 Economia de energia 16 Válvula de verificação
8 Válvula solenoide de 5 pilhas 17 Resfriador de óleo
Sensor de pressão de controle
9
negativo N1

SST-04-04-010EN 82
43
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

83 SST-04-04-010EN
44
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Circuito de controle negativo
Circuito de controle negativo (fechamento da caçamba, solenoide de economia de energia
OFF [DESLIGADO])
Como exemplo, esta seção explica as operações de fechamento da caçamba.
Ao mover a válvula de controle remoto para o lado do fechamento da caçamba, o óleo da pressão
piloto é alimentado através da válvula do amortecedor para a porta pb7 da válvula de controle e
gira o carretel da caçamba para o lado de fechamento.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A2 entra pela porta P2 da válvula de controle, é enviado
para o carretel da caçamba, flui para o lado inferior do cilindro da caçamba por conta da troca do
carretel e a operação de fechamento da caçamba é realizada.
Ao mesmo tempo, o sinal do sensor da pressão piloto do lado superior é detectado e pela saída de
sinal do computador A para colocar em OFF (DESLIGADO) a válvula solenoide de economia de
energia, a pressão piloto entra no alívio de controle negativo e a pressão se torna a pressão ajuste
de 2,55 MPa.
Como o carretel da caçamba é trocado e o óleo pressurizado no lado para baixo da derivação
central é interrompido, o óleo de pressão de controle negativo da bomba Pi2 da porta Ps2 é
eliminado, a inclinação da bomba se move para o lado de aumento e o fluxo é aumentado.
Além disso, a corrente de comando para a válvula proporcional de controle de fluxo P1 é diminuída
e o óleo pressurizado da bomba hidráulica A3 é interrompido, mas o óleo pressurizado de controle
negativo é enviado da porta Ps1 da válvula de controle para a porta Pi1, move a inclinação da
bomba para o lado de fluxo mínimo e o volume descarregado da bomba hidráulica A1 é reduzido.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Válvula de controle 12 Economia de energia


2 Sensor de pressão piloto do deslocamento 13 Válvula solenoide de 5 pilhas
3 Sensor da pressão piloto superior 14 Sensor de pressão de P1
4 Válvula do amortecedor 15 Sensor de pressão de P2
5 Caçamba (fechamento) 16 Sensor de pressão de controle negativo N1
6 Caçamba (abertura) 17 Sensor de pressão de controle negativo N2
7 Cilindro da caçamba 18 Válvula proporcional de controle de fluxo de P1
8 Computador A 19 Bomba hidráulica
9 Válvula de controle remoto (lança, caçamba) 20 Válvula de verificação
10 Interruptor da trava da alavanca do console 21 Resfriador de óleo
11 Trava da alavanca

SST-04-04-010EN 84
45
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

85 SST-04-04-010EN
46
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Outros circuitos
Como exemplos, esta seção explica os casos em que uma operação de extensão do braço é
realizada, é interrompida e os casos em que é seguida por uma operação de retração do braço.
Circuito do amortecedor (operação de extensão do braço)
Quando a operação de extensão do braço da válvula de controle remoto é realizada, o óleo da
pressão piloto entra pela porta 2 da válvula de controle remoto na válvula do amortecedor,
pressiona para cima a válvula de verificação interna e é enviado para as portas pa5 e pa9 da
válvula de controle.
Ao mesmo tempo, o carretel do amortecedor da válvula do amortecedor é girado para a esquerda.
O óleo do lado de retração do braço empurrado para fora das portas pb9 e pb5 da válvula de
controle passa da porta B da válvula do amortecedor pelo carretel do amortecedor girado para a
esquerda e retorna ao tanque de óleo hidráulico.
Neste momento, o óleo aquecido da linha de retorno entra na válvula de controle remoto pelo
carretel do amortecedor da porta R da válvula do amortecedor e retorna para o tanque de óleo
hidráulico, de modo que o desempenho do calor é aumentado.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Braço (retração) 9 Válvula solenoide de 5 pilhas


2 Braço (extensão) 10 Válvula de controle
3 Carretel do amortecedor 11 Braço (1)
4 Orifício 12 Braço (2)
5 Válvula de verificação 13 Interruptor da trava da alavanca do console
6 Válvula do amortecedor 14 Bomba hidráulica
7 Válvula de controle remoto (braço, giro) 15 Válvula de verificação
8 Trava da alavanca 16 Resfriador de óleo

SST-04-04-010EN 86
47
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

87 SST-04-04-010EN
48
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Outros circuitos
Circuito do amortecedor (operação de extensão do braço interrompida)
Quando a operação de extensão do braço da válvula de controle remoto volta para neutro, o óleo
retirado das portas pa5 e pa9 da válvula de controle flui para a porta D da válvula do amortecedor
através do orifício do amortecedor e retorna para o tanque de óleo hidráulico a partir da válvula de
controle remoto.
Através desse orifício o carretel do braço move para a posição neutra sem um retorno abrupto,
aprimorando o amortecimento.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Braço (retração) 9 Válvula de controle


2 Braço (extensão) 10 Braço (1)
3 Carretel do amortecedor 11 Braço (2)
4 Orifício 12 Interruptor da trava da alavanca do console
5 Válvula do amortecedor 13 Bomba hidráulica
6 Válvula de controle remoto (braço, giro) 14 Válvula de verificação
7 Trava da alavanca 15 Resfriador de óleo
8 Válvula solenoide de 5 pilhas

SST-04-04-010EN 88
49
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

89 SST-04-04-010EN
50
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Outros circuitos
Circuito do amortecedor (operação de extensão  retração do braço)
Quando a alavanca estiver operando em força total da operação de extensão para a de retração
(operação de agitação do braço), o óleo da pressão piloto é alimentado a partir da porta 2 da
válvula de controle remoto até a porta da válvula A do amortecedor, puxa a válvula de verificação
interna para cima e chega até as portas pb5 e pb9 da válvula de controle.
Ao mesmo tempo, o carretel do amortecedor da válvula do amortecedor é girado para a direita.
Diante disso, o óleo puxado das portas pa5 e pa9 não passa pelo orifício do amortecedor, mas
passa pelo carretel do amortecedor que foi girado para a direita e retorna para o tanque de óleo
hidráulico, melhorando a resposta.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Braço (retração) 9 Válvula de controle


2 Braço (extensão) 10 Braço (1)
3 Carretel do amortecedor 11 Braço (2)
4 Orifício 12 Interruptor da trava da alavanca do console
5 Válvula do amortecedor 13 Bomba hidráulica
6 Válvula de controle remoto (braço, giro) 14 Válvula de verificação
7 Trava da alavanca 15 Resfriador de óleo
8 Válvula solenoide de 5 pilhas

SST-04-04-010EN 90
51
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

91 SST-04-04-010EN
52
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Outros circuitos
Circuito de aquecimento (alavanca em neutro)
A linha piloto está equipada com um circuito de aquecimento para evitar atraso na resposta em
baixas temperaturas.
Quando a alavanca de operação da válvula de controle remoto estiver definida como neutra, o óleo
descarregado das bombas A1 e A2 vai para as portas P1 e P2 da válvula de controle através da
passagem de derivação central e retorna para o tanque de óleo hidráulico.
O óleo pressurizado da porta T8 da válvula de controle é alimentado pela porta R da válvula do
amortecedor e volta através do carretel do amortecedor para o tanque de óleo hidráulico.
Ao circular o óleo dentro do carretel do amortecedor, a temperatura do óleo na válvula do
amortecedor é aumentada para melhorar o desempenho do aquecimento.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Braço (retração) 7 Válvula de controle


2 Braço (extensão) 8 Interruptor da trava da alavanca do console
3 Válvula do amortecedor 9 Bomba hidráulica
4 Válvula de controle remoto (braço, giro) 10 Válvula de verificação
5 Trava da alavanca 11 Resfriador de óleo
6 Válvula solenoide de 5 pilhas

SST-04-04-010EN 92
53
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

93 SST-04-04-010EN
54
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Outros circuitos
Circuito do reforço de pressão automático (fechamento da caçamba)
Quando um acessório é operado, esse circuito reforça a pressão de ajuste do alívio principal da
válvula de controle de 34,3 MPa para 37,3 MPa de acordo com a razão da carga do motor e a
pressão da carga hidráulica e finaliza o reforço da pressão depois de 8 segundos.
Como exemplo, esta seção explica a operação de fechamento da caçamba.
Ao mover a válvula de controle remoto para o lado do fechamento da caçamba, o óleo da pressão
piloto é alimentado através da válvula do amortecedor para a porta pb7 da válvula de controle e
gira o carretel da caçamba para o lado de fechamento.
Ao mesmo tempo, o sinal de saída do sensor de pressão piloto superior que detectou o óleo
pressurizado separado da passagem interna piloto é levado para o computador A, que avalia se há
uma operação no lado superior. Além disso, o computador A detecta que há um reforço na pressão
da bomba principal P1 e P2, gera uma saída para o sinal ON (LIGADO, 24 V) para o solenoide de
alívio do reforço, alterna a válvula e o óleo da pressão piloto é alimentado para a porta PH da
válvula de alívio principal da válvula de controle para manter por 8 segundos a pressão definida de
alívio do reforço de pressão.
Não há reforço para o circuito de opção e durante a operação de deslocamento.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Válvula do amortecedor 11 Sensor da pressão piloto superior


2 Caçamba (fechamento) 12 Interruptor da trava da alavanca do console
3 Caçamba (abertura) 13 Aumento da força de escavação
4 Válvula de controle remoto (lança, caçamba) 14 Mostrador do monitor
5 Trava da alavanca 15 Computador A
6 Alívio da pressão de reforço 16 Sensor de pressão de P1
7 Válvula solenoide de 5 pilhas 17 Sensor de pressão de P2
8 Válvula de controle 18 Bomba hidráulica
9 Caçamba 19 Válvula de verificação
10 Cilindro da caçamba 20 Resfriador de óleo

SST-04-04-010EN 94
55
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

14

Visão aumentada

95 SST-04-04-010EN
56
Explicação do circuito hidráulico e das operações

(FRONT) (FRENTE)
(REAR) (TRÁS)
2.55 MPa at 50 L/min 2,55 MPa a 50 l/min
27.4 MPa at 226 L/min 27,4 MPa a 226 l/min
2-STAGE RELIEF ALÍVIO EM 2 ESTÁGIOS
2-STAGE TRAVEL DESLOCAMENTO DE 2 ESTÁGIOS
30.4 MPa at 253 L/min 30,4 MPa a 253 l/min
34.3 MPa at 250 L/min 34,3 MPa a 250 l/min
37.3 MPa at 220 L/min 37,3 MPa a 220 l/min
39.2 MPa at 20 L/min 39,2 MPa a 20 l/min
ARM BRAÇO
ARM (1) BRAÇO (1)
ARM (2) BRAÇO (2)
BACKWARD PARA TRÁS
BOOM LANÇA
BOOM (1) LANÇA (1)
BOOM (2) LANÇA (2)
BREAKER ON BRITADOR LIGADO
Breaker ON Britador LIGADO
BUCKET CAÇAMBA
CLOSE FECHAR
DOWN PARA BAIXO
Flow Reduce Redução de fluxo
Fork close Fechamento do garfo
Fork open Abertura do garfo
High Flow Fluxo alto
IN DENTRO
LEFT ESQUERDA
Low Flow Fluxo baixo
MAIN RELIEF V VÁLV. DE ALÍVIO PRINCIPAL
ON LIG.
OPEN ABRIR
OPTION OPÇÃO
OUT SAÍDA
POWER SAVE ECONOMIA DE ENERGIA
Pulverizer close Fechamento do pulverizador
Pulverizer open Abertura do pulverizador
RED VERMELHO
RIGHT DIREITA
SECOND OPTION SEGUNDA OPÇÃO
Servo piston Pistão do servo
SWING GIRO
SWING BRAKE FREIO DO GIRO
Swing left Giro à esquerda
Swing right Giro à direita
To A2 pump Para a bomba A2
To tank line Para a linha do tanque
TRAVEL (L) DESLOCAMENTO (E)

SST-04-04-010EN 95a
96
Explicação do circuito hidráulico e das operações (modelo padrão)
TRAVEL (R) DESLOCAMENTO (D)
UP PARA CIMA
with HBCV com HBCV

95b
97 SST-04-04-010EN
Explicação do circuito hidráulico e das operações (opção)

Explicação do circuito hidráulico e das operações (opção)


Circuitos opcionais
Circuito do britador (operação independente)
Com a operação da válvula de controle remoto de opção para o lado do britador, o óleo de pressão
piloto é enviado à porta pa2 da válvula de controle e gira o carretel de opção.
O óleo de descarga da bomba hidráulica A1 é alimentado da porta P1 da válvula de controle pela
passagem paralela de óleo e é fornecido para o carretel de opção. A troca do carretel permite que o
óleo flua da porta A da válvula de alívio pela porta B até o britador.
A pressão de ajuste do britador é definida por esta válvula de alívio.
Nesse momento, o sinal do interruptor de pressão piloto da opção é detectado, a válvula
proporcional de controle de fluxo P1 é controlada pelos sinais de saída do computador A para
ajustar o fluxo de descarga.
O óleo de retorno do britador passa pelo coletor e retorna ao tanque de óleo hidráulico.
Como o fluxo de operação do britador pode ser ajustado para 5 níveis na tela de suporte do serviço
do mostrador do monitor com o sinal ON (LIGADO) do interruptor do britador na cabine, o fluxo de
operação adequado pode ser selecionado.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Válvula de controle 12 Interruptor da trava da alavanca do console


2 Coletor 13 Trava da alavanca
3 Válvula de alívio 14 Válvula solenoide de 5 pilhas
4 Britador 15 Sensor de pressão de P1
5 Sensor de pressão piloto do deslocamento 16 Sensor de pressão de P2
6 Sensor da pressão piloto superior 17 Sensor de pressão de controle negativo N1
7 Computador A 18 Sensor de pressão de controle negativo N2
8 Mostrador do monitor 19 Válvula proporcional de controle de fluxo de P1
9 Interruptor do britador 20 Bomba hidráulica
10 Válvula de controle remoto da opção 21 Válvula de verificação
11 Pressostato piloto da opção 22 Resfriador de óleo

SST-04-05-009EN 96
1
Explicação do circuito hidráulico e das operações (opção)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

97 SST-04-05-009EN
2
Explicação do circuito hidráulico e das operações (opção)
Circuito de ação dupla (garfo hidráulico)
Como exemplo, esta seção explica a situação em que o acessório do garfo hidráulico é usado.
Com a operação da válvula de controle remoto de opção para o lado do garfo, o óleo de pressão
piloto é enviado à porta pa2 da válvula de controle e gira o carretel de opção para o lado de
fechamento.
O óleo de descarga da bomba hidráulica A1 entra na porta P1 da válvula de controle, é enviado a
partir do caminho paralelo para o carretel de opção, flui para o garfo hidráulico por conta da troca
do carretel de opção e opera para o lado de fechamento.
Nesse momento, o sinal de mudança da pressão piloto da opção é detectado e a função marcha
lenta automática é liberada.
O óleo de retorno do garfo hidráulico passa através do carretel de opção e retorna para o tanque de
óleo hidráulico.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Válvula de controle 8 Válvula solenoide de 5 pilhas


2 Garfo hidráulico 9 Interruptor da trava da alavanca do console
3 Sensor de pressão piloto do deslocamento 10 Bomba hidráulica
4 Sensor da pressão piloto superior 11 Válvula de controle remoto da opção
5 Mostrador do monitor 12 Pressostato piloto da opção
6 Computador A 13 Válvula de verificação
7 Trava da alavanca 14 Resfriador de óleo

SST-04-05-009EN 98
3
Explicação do circuito hidráulico e das operações (opção)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

99 SST-04-05-009EN
4
Explicação do circuito hidráulico e das operações (opção)
Circuito para vários fins (controle Q do britador)
Quando o interruptor na cabine é colocado no lado do britador, o sinal ON (LIGADO, 24 V) é
retirado do computador A para a válvula solenoide de alternância de opção para girar a válvula.
O óleo de pressão piloto flui da porta B1 da válvula solenoide de troca de opção para a porta A1 e é
enviado à porta PP da válvula de 3 direções e à porta PP da válvula de corte e cada válvula é
girada.
Sempre alterne o interruptor de seleção de fluxo das 2 bombas para o lado da bomba 1.
Com a operação da válvula de controle remoto de opção para o lado do britador, o óleo de pressão
piloto é enviado à porta pa2 da válvula de controle e gira o carretel de opção.
O óleo de descarga da bomba hidráulica A1 é alimentado da porta P1 da válvula de controle pela
passagem paralela de óleo e é fornecido para o carretel de opção. A troca do carretel permite que o
óleo flua da porta A da válvula de corte pela porta B até o britador.
A pressão de ajuste do britador é definida pela válvula de alívio incorporada na válvula de corte.
Nesse momento, o sinal do interruptor de pressão piloto da opção é detectado, a válvula
proporcional de controle de fluxo P1 é controlada pelos sinais de saída do computador A para
ajustar o fluxo de descarga.
O óleo de retorno do britador retorna da porta A1 da válvula de 3 direções pela porta T1 e para o
tanque de óleo hidráulico.
Como o fluxo operacional do britador pode ser ajustado em 5 níveis na tela de suporte do serviço
do mostrador do monitor, o fluxo de uso adequado pode ser selecionado.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Válvula de controle 12 Trava da alavanca


2 Válvula de 3 direções 13 Válvula solenoide de 5 pilhas
3 Válvula de corte 14 Válvula proporcional de controle de potência
4 Britador 15 Sensor de pressão de P1
5 Válvula de controle remoto da opção 16 Sensor de pressão de P2
6 Pressostato piloto da opção 17 Sensor de pressão de controle negativo N1
7 Interruptor do circuito para vários fins 18 Sensor de pressão de controle negativo N2
8 Computador A 19 Válvula proporcional de controle de fluxo de P1
9 Mostrador do monitor 20 Bomba hidráulica
10 Válvula solenoide da troca de opção 21 Válvula de verificação
11 Interruptor da trava da alavanca do console 22 Resfriador de óleo

SST-04-05-009EN 100
5
Explicação do circuito hidráulico e das operações (opção)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

101 SST-04-05-009EN
6
Explicação do circuito hidráulico e das operações (opção)
Circuito para vários fins (triturador de fluxo de 2 bombas)
Quando a chave seletora de fluxo de 2 bombas é virada para o lado de fluxo de 2 bombas, o sinal
ON (LIGADO, 24 V) é retirado do computador A para a válvula solenoide de fluxo de 2 bombas
para alternar a válvula.
Quando o interruptor do circuito para vários fins é virado para o lado do triturador, o circuito do
triturador é formado sem a retirada de um sinal do computador A para a válvula solenoide de troca
de opção e sem girar a válvula.
Neste momento, o sinal piloto não vai para a válvula de 3 direções e nem para a válvula de corte e
a válvula de 3 direções forma o circuito A  B.
Com a operação da válvula de controle remoto de opção para o lado de fechamento do triturador, o
óleo de pressão piloto é enviado à porta pa2 da válvula de controle e gira o carretel de opção.
Ao mesmo tempo, o óleo de pressão piloto flui da válvula solenoide para a porta B2 de fluxo de
2 bombas para a porta A2 e é enviado para a porta pcc da válvula de controle e a válvula de corte
neutro da válvula de controle é trocada.
O óleo descarregado da bomba hidráulica A2 entra na porta P2 da válvula de controle e passa pela
passagem de óleo de derivação central. Como a válvula de corte neutro interrompe a porta para o
tanque, o óleo passa da porta P3 através da porta P4 e se funde no lado de direção para cima do
carretel de opção.
O óleo de descarga da bomba hidráulica A1 é alimentado da porta P1 da válvula de controle pela
passagem paralela de óleo e é fornecido para o carretel de opção. A troca do carretel permite que o
óleo flua da porta A da válvula de corte pela porta B até o triturador.
Nesse momento, o sinal do interruptor de pressão piloto da opção é detectado, a válvula
proporcional de controle de fluxo P1 é controlada pelos sinais de saída do computador A para
ajustar o fluxo de descarga.
O óleo de retorno do triturador retorna da porta A da válvula de 3 direções pela porta B e pelo
carretel de opção e retorna para o tanque de óleo hidráulico.
Como o fluxo operacional do triturador pode ser ajustado em 5 níveis na tela de suporte do serviço
do mostrador do monitor, o fluxo de uso adequado pode ser selecionado.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Válvula de 3 direções 10 Mostrador do monitor 19 Válvula solenoide de 5 pilhas


2 Válvula de corte 11 Computador A 20 Interruptor da trava da alavanca do console
3 Triturador 12 Interruptor do circuito para vários fins 21 Válvula proporcional de controle de potência
Interruptor de seleção de fluxo de 2
4 Válvula solenoide da troca de opção 13 22 Sensor de pressão de P1
bombas
Válvula solenoide de fluxo de 2
5 14 Válvula de controle 23 Sensor de pressão de P2
bombas
6 Válvula de controle remoto da opção 15 Válvula de corte de neutro 24 Sensor de pressão de controle negativo N1
Sensor de pressão piloto do
7 Válvula de verificação 16 25 Sensor de pressão de controle negativo N2
deslocamento
Válvula proporcional de controle de fluxo de
8 Resfriador de óleo 17 Sensor da pressão piloto superior 26
P1
9 Pressostato piloto da opção 18 Trava da alavanca 27 Bomba hidráulica

SST-04-05-009EN 102
7
Explicação do circuito hidráulico e das operações (opção)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

103 SST-04-05-009EN
8
Explicação do circuito hidráulico e das operações (opção)
Circuito da 2ª opção (garfo giratório hidráulico)
Como exemplo, esta seção explica a situação em que o acessório do garfo giratório hidráulico é
usado.
Com a operação da válvula de controle remoto da 2ª opção para o lado direito do giro, o óleo de
pressão piloto é enviado à porta par2 da válvula de controle.
O óleo descarregado para FORA da 4ª bomba hidráulica é enviado para a porta Pr da válvula de
controle, passa pelo carretel da 2ª opção e flui para o garfo giratório hidráulico para operar para o
lado do giro à direita.
Neste momento, o sinal de mudança da pressão piloto da segunda opção é detectada e a função
marcha lenta automática é liberada.
O óleo de retorno do garfo giratório hidráulico passa através do carretel da 2ª opção e retorna para
o tanque de óleo hidráulico.
O óleo na linha de drenagem da 2ª opção retorna para o tanque de óleo hidráulico sem passar pela
válvula de controle.

Linha de pressão
Linha do tanque
Linha da pressão piloto
Linha do tanque piloto
Linha elétrica

1 Válvula de controle 9 Resfriador de óleo


2 Sensor de pressão piloto do deslocamento 10 Garfo giratório hidráulico
3 Sensor da pressão piloto superior 11 Pressostato piloto da 2ª opção
4 Trava da alavanca 12 Mostrador do monitor
5 Válvula solenoide de 5 pilhas 13 Computador A
6 Interruptor da trava da alavanca do console 14 4ª bomba
7 Válvula de controle remoto da 2ª opção 15 Bomba hidráulica
8 Válvula de verificação

SST-04-05-009EN 104
9
Explicação do circuito hidráulico e das operações (opção)
Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 95a a 95b.

Visão aumentada

105 SST-04-05-009EN
10
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal

Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal


Bomba
1. Bomba hidráulica
(1) Explicação da estrutura e operação
Esta bomba apresenta uma estrutura em que 2 bombas são acopladas pela primeira
engrenagem (116) e as 2 bombas podem ser acionadas ao mesmo tempo por meio da rotação
da fonte de energia sendo transmitida ao eixo de acionamento F (111) na dianteira. As portas de
sucção e descarga de óleo estão localizadas na seção de conexão das 2 bombas
(especificamente, o bloco da válvula (312)), e a porta de sucção é usada pelas bombas dianteira
e traseira. A estrutura da bomba e os princípios de operação são os mesmos para as bombas
traseira e dianteira. A bomba dianteira é explicada a seguir.
A bomba pode ser dividida no grupo rotativo, que é a peça principal da bomba que executa a
rotação, o grupo da placa oscilante, que altera o fluxo de descarga e o grupo da tampa da
válvula, que alterna entre a sucção de óleo e a descarga.
O grupo rotativo é composto pelo eixo de acionamento F (111), bloco do cilindro (141), sapatas
do pistão (151) e (152), placa de suporte (153), buchas esféricas (156) e mola do cilindro (157).
O eixo de acionamento tem suporte em ambas as extremidades com os rolamentos (123) e
(124). Além de ser calafetada no pistão para formar uma junta esférica, a sapata tem uma seção
de bolso que equilibra a pressão hidráulica para reduzir a força de empuxo gerada pela pressão
da carga e permitir que a sapata deslize suavemente na placa da sapata (211). O subgrupo da
sapata do pistão é pressionado contra a placa da sapata pela mola do cilindro por meio da placa
de suporte e das buchas esféricas para que deslize suavemente na placa da sapata. Além disso,
o bloco do cilindro é pressionado contra a placa da válvula (314) pela mola do cilindro do mesmo
modo.
O grupo da placa oscilante abrange a placa oscilante (212), a placa da sapata (211), o suporte
da placa oscilante (251), a bucha de inclinação (214), o pino de inclinação (531) e o pistão do
servo (532). A placa oscilante tem apoio do suporte da placa oscilante na seção cilíndrica
formada pelo lado oposto da superfície deslizante da sapata. O pistão do servo é movido à
esquerda e à direita conduzindo a força da pressão hidráulica controlada pelo regulador para as
câmaras de pressão hidráulica em ambos os lados do pistão do servo. Isso move a placa
oscilante em seu suporte por meio da seção esférica do pino de inclinação e muda o ângulo de
inclinação ().
O grupo da tampa da válvula abrange o bloco da válvula (312), as placas da válvula (313) e
(314) e o pino da placa da válvula (885). A placa da válvula, que tem 2 portas em forma oval,
está instalada no bloco da válvula. Sua função é enviar óleo ao bloco do cilindro e recuperá-lo
do bloco do cilindro. O óleo trocado pela placa da válvula é conectado pelo bloco da válvula até
as linhas externas.
Quando o eixo de acionamento é acionado pela fonte de energia (motores, etc.), o bloco do
cilindro também é girado ao mesmo tempo via acoplamento dentado. Quando a placa oscilante
se inclina, o pistão localizado no centro do bloco do cilindro move-se com certa reciprocidade ao
cilindro, ao mesmo tempo em que gira com o bloco do cilindro.
Assim, se apenas um pistão é observado, enquanto o bloco do cilindro faz uma rotação, o pistão
se afasta da placa da válvula (curso de entrada do óleo) para 180° e se move em direção à
placa da válvula (curso de descarga do óleo) para os 180° restantes. Quando o ângulo de
inclinação da placa oscilante é 0°, o pistão não se move pelo curso e o óleo não é descarregado.

106 SST-04-02-009EN
1
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
(2) Diagrama da estrutura interna da bomba hidráulica
Visão geral

Dianteira do eixo de acionamento Traseira do eixo de acionamento


Dianteira do eixo de acionamento

SST-04-02-009EN 107
2
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
Tabela de peças
Código Nome da peça Qtd Código Nome da peça Qtd
Nº da peça do componente
Código Nome da peça Qtd (qtd) ou modelo 111 Eixo de acionamento (F) 1 531 Pino de inclinação 2
04 Bomba de engrenagens 1 conjunto ZX15LHRZ2-07A-V 113 Eixo de acionamento (R) 1 532 Pistão do servo 2
011 Subconjunto do pistão 2 conjuntos 151 (9 PÇ), 152 (9 PÇ) 114 Primeira engrenagem 1 534 Batente (E) 2

013 Subconjunto do cilindro (D) 1 conjunto 141 (1 PÇ), 313 (1 PÇ) 123 Rolamento 2 535 Batente (S) 2
124 Rolamento de agulhas 2 541 Assento 4
014 Subconjunto do cilindro (E) 1 conjunto 141 (1 PÇ), 314 (1 PÇ)
127 Espaçador de rolamentos 4 543 Batente 1 2
030 Subconjunto da placa oscilante 2 conjuntos 212 (1 PÇ), 214 (1 PÇ)
141 Bloco do cilindro 2 544 Batente 2 2
Subconjunto da válvula de
041 2 conjuntos 541 (1 PÇ), 543 (1 PÇ), 545 (1 PÇ) 151 Pistão 18 545 Bola de aço 4
verificação 1
152 Sapata 18 548 Pino de realimentação 2
042 Subconjunto da válvula de 2 conjuntos 541 (1 PÇ), 544 (1 PÇ), 545 (1 PÇ)
verificação 2 153 Placa de suporte 2 702 Anel O 2
Válvula proporcional 156 Buchas esféricas 2 710 Anel O 1
079 eletromagnética de redução de 1 conjunto KDRDE5KR-V3-V 157 Mola do cilindro 18 714 Anel O 1
pressão, subconjunto da carcaça
211 Placa da sapata 2 717 Anel O 2
530 Subconjunto do pino de inclinação 2 conjuntos 531 (1 PÇ), 548 (1 PÇ)
212 Placa oscilante 2 724 Anel O 16

1 Aplicação de agente de adesão (ThreeBond Co., Ltd. nº 130SN) 214 Buchas de inclinação 2 725 Anel O 6
251 Suporte da placa oscilante 2 728 Anel O 4
2 Aplicação de agente lubrificante na circunferência externa da
vedação de óleo (Sealub L101) 261 Tampa de vedação (F) 1 732 Anel O 2
3 Placa da válvula de rotação direita 271 Carcaça da bomba 2 774 Vedação de óleo 1

4 Placa da válvula de rotação esquerda 312 Bloco da válvula 1 789 Anel de apoio 2
313 Placa da válvula (D) 1 792 Anel de apoio 2
5 Torque de aperto do encaixe do flange (4-M10 × 1,5): 33 N•m
314 Placa da válvula (E) 1 808 Porca sextavada 2
6 Torque de aperto do parafuso sextavado (3-M6 × 1,0): 12 N•m
326 Tampa 1 824 Anel de retenção 2
401 Parafuso de cabeça oca sextavado 8 885 Pino da placa da válvula 2
406 Parafuso de cabeça oca sextavado 4 886 Pino da mola 4
414 Parafuso de cabeça oca sextavado 4 901 Cavilha com olhal 2
466 Bujão VP 2 Parafuso de retenção de cabeça
953 oca sextavado 2
467 Bujão VP 2
954 Parafuso de retenção 2
468 Bujão VP 4
981 Placa de identificação 1
490 Bujão de inserção 27
983 Rebite de direção 2
492 Bujão de inserção 12

Traseira do eixo de acionamento

108 SST-04-02-009EN
3
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
2. Regulador
(1) Explicação da operação do regulador
[1] Controle de fluxo
• Explicação da operação (consulte o Diagrama de explicação da operação do regulador.)
1) Controle de fluxo
O fluxo de descarga da bomba é controlado conforme necessário com a pressão piloto Pi
de acordo com o diagrama abaixo.
1. Operação de redução de fluxo

Fluxo de descarga Q
Quando a pressão piloto Pi aumenta,
o pistão piloto (643) se move para a
direita e para no local em que a força
da mola piloto (646) e a pressão
hidráulica se equilibram. O pino (875)
fixado à alavanca 2 (613) se encaixa
na seção de canais do pistão piloto Pressão piloto Pi
(643), de modo que a alavanca 2 gira
através do movimento do pistão piloto
(643) com a seção B (fixa pelo bujão de fulcro (614) e pino (876)) como ponto de
suporte. O pino (897) fixado na alavanca de realimentação (611) se projeta na seção
com abertura grande (seção C) da alavanca 2 (613), assim, conforme a alavanca 2
(613) gira, o pino (897) se move para a direita. O pino (548) fixado ao pino de
inclinação (531) que agita a placa oscilante (212) está conectado à seção de largura de
dois lados (seção D) da alavanca de realimentação (611). Desse modo, conforme o
pino (897) se move, a alavanca de realimentação (611) gira com a seção D como ponto
de suporte. Como o carretel (652) está vinculado à alavanca de realimentação (611)
por meio do pino (874), o carretel (652) se move para a direita.
Quando o carretel (652) se move, a pressão de descarga Pd1 é guiada para a câmara
com furo grande do pistão do servo por meio do carretel e a porta CI.. A pressão de
descarga Pd1 é sempre guiada para a câmara do diâmetro pequeno do pistão do
servo. Como resultado, o pistão do servo se move para a direita devido à diferença de
área de superfície e reduz a vazão.
Quando o pistão do servo (532) se move para a direita, a seção D também se move
para a direita. A mola de retorno (654) está montada no carretel (652). Como a força
que puxa o carretel para a esquerda está sempre operando, o pino (897) é
pressionado para a seção da abertura grande (seção C) da alavanca 2 (613). Sendo
assim, à medida que acompanha o movimento da seção D, a alavanca de
realimentação (611) gira em volta da seção C como ponto de suporte e o carretel (652)
se move para a esquerda. Esse movimento faz a seção aberta entre a manga (651) e o
carretel (652) começar a se fechar e o pistão do servo (532) parar no ponto em que a
seção aberta fecha totalmente.
2. Operação de aumento de fluxo
Quando a pressão piloto Pi diminui, o pistão piloto (643) é movido para a esquerda
pela força da mola piloto (646) e a alavanca 2 (613) gira tendo a seção B como ponto
de suporte. O pino (897) é pressionado na abertura grande (seção C) da alavanca 2
(613) pela mola de retorno (654) por meio do carretel (652), pino (874) e alavanca de
realimentação (611), então acompanhando a rotação da alavanca 2 (613), a alavanca
de realimentação (611) gira com a seção D como ponto de suporte e o carretel (652) se
move para esquerda.
Quando o carretel (652) se move, a porta CI se abre para a porta do tanque, para que
a pressão na câmara com diâmetro grande do pistão do servo drene o conteúdo para
fora. O pistão servo (532) é movido para a esquerda pela pressão de descarga Pd1 da
seção de diâmetro pequeno e o fluxo aumenta.
À medida que acompanha o movimento do pistão do servo (532), a seção D se move
para a esquerda, a alavanca de realimentação (611) gira com a seção C como ponto

SST-04-02-009EN 109
4
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
de suporte e o carretel (652) se move para a direita. Essa operação continua até que a
seção aberta entre o carretel (652) e a manga (651) se feche, e o pistão do servo para
no ponto em que a seção aberta se fecha completamente.
3. Função de seleção de alta pressão
A pressão piloto Pi, que serve como o sinal de controle de fluxo, é a pressão pela qual
a pressão alta é selecionada entre múltiplas pressões de comando através do
subconjunto da válvula corrediça (050).
KR3K-9Y04-HV seleciona a pressão mais alta de Pi1 ou a segunda pressão
proporcional da válvula e KR3K-9X04-HV seleciona a pressão mais alta de Pi2 ou a
pressão P2 de comando externo.
[2] Controle de potência
1) Controle de potência
Conforme a pressão de carga aumenta, o ângulo de inclinação da bomba diminui e a
sobrecarga do motor é evitada, indicado no diagrama a seguir. Como este regulador
utiliza o método de controle de potência total simultânea, os ângulos de inclinação
(volumes de deslocamento) das 2 bombas são controlados para terem o mesmo valor que
na equação a seguir.
Tin = Pd1 × q/2  + Pd2 × q/2  = (Pd1 + Pd2) × q/2 
(q: Volume de deslocamento)
O controle de potência é o mesmo que o controle de fluxo e é explicado resumidamente a
seguir.
(Para obter a operação detalhada de cada peça, consulte a seção Controle de fluxo.)
1. Operação de prevenção de sobrecarga
Quando a pressão de descarga Pd1 da
Fluxo de descarga Q

bomba automática ou a pressão de


descarga Pd2 da bomba de
contrapartida aumenta, como Pd1 e
Pd2 operam na seção escalonada do
pistão de compensação (621), a haste
de compensação (623) é pressionada
para a direita e se move para o local
em que a força da mola externa (625) e
Pressão de descarga (Pd1 + Pd2)
da mola interna (626) equilibram a
força da pressão hidráulica. O
movimento da haste de compensação (623) é transmitido para a alavanca 1 (612)
através do pino (875), e a alavanca 1 (612) gira em torno do pino (876) (seção E) fixa
na carcaça (601). O pino (897) fixado na alavanca de realimentação (611) projeta-se na
seção da abertura grande (seção F) da alavanca 1 (612), então conforme a alavanca 1
(612) gira, a alavanca de realimentação (611) gira com a seção D como ponto de
suporte e o carretel (652) se move para a direita.
Quando o carretel (652) se move, a pressão de descarga Pd1 é guiada para a seção
com diâmetro grande do pistão do servo através da porta CI, o pistão do servo (532) é
movido para a direita e o fluxo de descarga da bomba é diminuído para evitar
sobrecarga da fonte de energia.
O movimento do pistão do servo (532) é transmitido à alavanca de realimentação (611)
através da seção D. A alavanca de realimentação (611) gira com a seção F como
ponto de suporte e o carretel (652) se move para a esquerda. O carretel (652) se move
até que a seção aberta entre o carretel (652) e a manga (651) se feche, e o pistão do
servo para no ponto em que a seção aberta se fecha completamente.
2. Operação de retorno de fluxo
Se a pressão de descarga Pd1 da bomba automática ou a pressão de descarga Pd2
da bomba de pressão de contrapartida diminui, a haste de compensação (623) é
pressionada de volta pela mola externa (625) e mola interna (626) e a alavanca 1 (612)
gira em torno da seção E. Acompanhando a rotação da alavanca 1 (612), a alavanca

110 SST-04-02-009EN
5
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
de realimentação (611) gira em torno da seção D como ponto de suporte e o carretel
(652) se move para a esquerda. Por esse motivo, a porta CI se abre para a porta do
tanque, a pressão da seção com diâmetro grande do pistão do servo é drenada, o
pistão do servo (532) se move para a esquerda e o fluxo de descarga da bomba
aumenta.
O movimento do pistão do servo (532) é transmitido para o carretel (652) pelo
mecanismo de realimentação, e essa operação continua até que a seção aberta entre
o carretel (652) e a manga (651) se feche.
[3] Mecanismo de prioridade de comando de pouca inclinação (pouco fluxo)
Conforme mostrado acima, o comando de inclinação do controle de potência e de fluxo é
transmitido para a alavanca de realimentação (611) e o carretel (652) através da abertura
grande (seções C e F) da alavanca 1 (612) e alavanca 2 (613), mas como as seções C e F
têm uma estrutura em que um pino (Ø5) se projeta em um furo grande (Ø9), o pino (897)
entra em contato apenas com a alavanca que torna a inclinação menor e o furo Ø9 da
alavanca no lado da alavanca que tem o maior comando de inclinação e que não entra em
contato com o pino (897), mas fica solto. Esse tipo de método de seleção mecânica dá
prioridade aos comandos de controle de fluxo e controle de potência com pouca inclinação.
[4] Controle de troca de marchas (controle de potência reduzida)
Use a pressão da troca de marchas Pf para controlar arbitrariamente a potência definida da
bomba, conforme o diagrama abaixo.
Quando a pressão de troca de marchas Pf aumenta, a haste de compensação (623) é
movida para a direita através do pino (898) e do pistão de compensação (621), então o
ângulo de inclinação da bomba é reduzido e o ajuste de potência é reduzido da mesma
forma que explicado na operação de prevenção de sobrecarga. Em contrapartida, conforme
a pressão da troca de marchas Pf diminui, o valor padrão da potência aumenta.
Fluxo de descarga Q

Pressão de descarga (Pd1 + Pd2)

SST-04-02-009EN 111
6
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
(2) Diagrama de explicação da operação do regulador

Vai para a câmara com furo grande do


pistão do servo da porta CI

KR3K-9Y04-HV KR3K-9X04-HV

Diagrama de circuito hidráulico Diagrama de circuito hidráulico


Dianteira Traseira
1 Porta CI

112 SST-04-02-009EN
7
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
(3) Diagramas de estrutura interna do regulador dianteiro

Circuito hidráulico

SST-04-02-009EN 113
8
Explicação da operação e da estrutura do equipamento

1 Regulador dianteiro
2 Regulador traseiro

Código Nome da peça Qtd Nº da peça do componente (qtd) ou modelo


050 Subconjunto da válvula corrediça 1 conjunto 545 (1 PÇ), 546 (1 PÇ), 547 (1 PÇ)
Válvula proporcional eletromagnética
079 1 conjunto KDRDE5K-31/30C50-102
de redução de pressão

Código Nome da peça Qtd Código Nome da peça Qtd


- Subconjunto do regulador 1 651 Manga 1
412 Parafuso de cabeça oca sextavado 2 652 Carretel 1
413 Parafuso de cabeça oca sextavado 2 653 Assento da mola 1
418 Parafuso de cabeça oca sextavado 2 654 Mola de retorno 1
436 Parafuso de cabeça oca sextavado 4 655 Mola de ajuste 1
438 Parafuso de cabeça oca sextavado 8 656 Tampa cega 1
466 Bujão VP 1 708 Anel O 1
467 Bujão VP 1 722 Anel O 3
496 Bujão de inserção 12 724 Anel O 9
545 Bola de aço 1 725 Anel O 1
546 Assento 1 1 727 Anel O 1
547 Assento 2 1 728 Anel O 1
601 Carcaça 1 730 Anel O 1
611 Alavanca de realimentação 1 732 Anel O 1
612 Alavanca 1 1 733 Anel O 1
613 Alavanca 2 1 734 Anel O 1
614 Bujão de fulcro 1 735 Anel O 1
615 Bujão de ajuste 1 753 Anel O 1
621 Pistão de compensação 1 755 Anel O 3
622 Caixa do pistão 1 756 Anel O 1
623 Haste de compensação 1 763 Anel O 1
624 Assento da mola (C) 1 801 Porca sextavada 1
625 Mola externa 1 802 Porca sextavada 1
626 Mola interna 1 814 Anel de retenção 1
627 Anel de ajuste (C) 1 836 Anel de retenção 1
628 Parafuso de ajuste (C) 1 858 Anel de travamento 2
629 Tampa (C) 1 874 Pino 1
630 Contraporca 1 875 Pino 2
631 Manga Pf 1 876 Pino 2
641 Tampa piloto 1 887 Pino 1
643 Pistão piloto 1 897 Pino 1
644 Assento da mola (Q) 1 898 Pino 1
645 Anel de ajuste (Q) 1 Parafuso de retenção de cabeça
924 1
646 Mola piloto 1 oca sextavado

114 SST-04-02-009EN
9
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
(4) Diagrama de estrutura interna do regulador traseiro

Circuito hidráulico

SST-04-02-009EN 115
10
Explicação da operação e da estrutura do equipamento

Código Nome da peça Qtd Nº da peça do componente (qtd) ou modelo


050 Subconjunto da válvula corrediça 1 conjunto 545 (1 PÇ), 546 (1 PÇ), 547 (1 PÇ)

Código Nome da peça Qtd Código Nome da peça Qtd


- Subconjunto do regulador 1 651 Manga 1
412 Parafuso de cabeça oca sextavado 2 652 Carretel 1
413 Parafuso de cabeça oca sextavado 2 653 Assento da mola 1
436 Parafuso de cabeça oca sextavado 4 654 Mola de retorno 1
438 Parafuso de cabeça oca sextavado 8 655 Mola de ajuste 1
466 Bujão VP 1 656 Tampa cega 1
467 Bujão VP 1 708 Anel O 1
496 Bujão de inserção 6 722 Anel O 3
545 Bola de aço 1 724 Anel O 9
546 Assento 1 1 725 Anel O 1
547 Assento 2 1 727 Anel O 1
601 Carcaça 1 728 Anel O 1
611 Alavanca de realimentação 1 730 Anel O 1
612 Alavanca 1 1 732 Anel O 1
613 Alavanca 2 1 733 Anel O 1
614 Bujão de fulcro 1 734 Anel O 1
615 Bujão de ajuste 1 735 Anel O 1
621 Pistão de compensação 1 753 Anel O 1
622 Caixa do pistão 1 755 Anel O 3
623 Haste de compensação 1 756 Anel O 1
624 Assento da mola (C) 1 763 Anel O 1
625 Mola externa 1 801 Porca sextavada 1
626 Mola interna 1 802 Porca sextavada 1
627 Anel de ajuste (C) 1 814 Anel de retenção 1
628 Parafuso de ajuste (C) 1 836 Anel de retenção 1
629 Tampa (C) 1 858 Anel de travamento 2
630 Contraporca 1 874 Pino 1
631 Manga Pf 1 875 Pino 2
641 Tampa piloto 1 876 Pino 2
643 Pistão piloto 1 887 Pino 1
644 Assento da mola (Q) 1 897 Pino 1
645 Anel de ajuste (Q) 1 898 Pino 1
646 Mola piloto 1 Parafuso de retenção de cabeça
924 1
oca sextavado

116 SST-04-02-009EN
11
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
3. Bomba de engrenagens
(1) Diagrama da estrutura interna da bomba da engrenagens

Seção X~X (2 LUGARES)


1 Lado da caixa frontal
2 Lado da caixa de engrenagens
3 Para a bomba principal

Código Nome da peça Qtd Nº da peça do componente (qtd) ou modelo


Subconjunto da
1 307 (1 PÇ), 308 (1 PÇ), 351 (1 PÇ), 353
350 caixa de
conjunto (1 PÇ), 354 (1 PÇ), 361 (1 PÇ), 887 (2 PÇ)
engrenagens

Circuito hidráulico

Código Nome da peça Qtd Código Nome da peça Qtd


307 Gatilho 1 433 Encaixe do flange 2
308 Assento 1 434 Encaixe do flange 2
309 Anel 1 435 Encaixe do flange 4
310 Mola 1 466 Bujão VP 1
311 Parafuso de ajuste 1 700 Anel de ângulo 1
312 Contraporca 1 710 Anel O 1
351 Caixa de engrenagens 1 725 Anel O 1
353 Engrenagem de acionamento 1 732 Anel O 1
354 Engrenagem acionada 1 850 Anel de travamento 1
355 Filtro 1 887 Pino 2
361 Caixa frontal 1

SST-04-02-009EN 117
12
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
(2) Explicação da estrutura e operação
Estrutura
A carcaça compreende a caixa frontal (361) e a caixa de engrenagens (351). No interior da
carcaça estão instalados um par de engrenagem de acionamento (353) e engrenagem acionada
(354) e a válvula de alívio de ajuste da pressão de descarga.
A válvula de alívio compreende filtro (355), gatilho (307), assento (308), mola (310), anel (309),
parafuso de ajuste (311) e contraporca (312).
Para evitar vazamento de óleo para o exterior, são montados um anel de ângulo (700) e um anel
O (710) na caixa frontal (361).
Operação
O óleo que é sugado da porta B3 de sucção é descarregado pela porta A3 de descarga pelas
engrenagens de acionamento e acionada.
O óleo descarregado é mantido na pressão ajustada de 3,9 MPa pela válvula de alívio.
O óleo de descarga desnecessário é drenado pela porta de drenagem por meio da válvula de
alívio.

118 SST-04-02-009EN
13
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
Motor
1. Motor de deslocamento
(1) Explicação da operação do motor de deslocamento
Estrutura

Diagrama 1. Diagrama estrutural do motor de deslocamento

Código Nome da peça Código Nome da peça Código Nome da peça


1 Carcaça 23 Anel D (furo grande) 45 Mola da válvula de verificação
2 Bujão NPT1/16 24 Tampa traseira 46 Orifício M6 (Ø0,6)
3 Vedação de óleo 25 Bujão NPT1/16 (mec.) 47 Anel O 1B P12,5
4 Anel de retenção do círculo R IRTW68 26 Conjunto do carretel 48 Orifício M6 (Ø0,8)
5 Bujão de expansão 27 Receptor da mola 49 Anel O 1B P15
6 Pistão de inclinação 28 Mola 50 Anel O 215,57 × 2,62
7 Vedação do pistão de inclinação 29 Bujão M42 51 Rolamento HR32207C
8 Bola de aço 30 Anel O 1B G40 52 Calço
9 Eixo 31 Carretel piloto 53 Pino paralelo
10 Rolamento HR32209J 32 Pino 54 Placa da válvula
11 Pivô 33 Receptor da mola 55 Mola do freio
12 Placa da sapata 34 Mola Parafuso de cabeça oca sextavado
56
M18 × 50
13 Bloco do cilindro 35 Bujão da válvula piloto G3/8
57 Válvula de sobrecarga
14 Mola do cilindro 36 Anel O 1B P14
58 Acoplamento
15 Receptor da mola 37 Junta
59 Anel de retenção C 40 para furo
16 Junta esférica 38 Bujão G1/4
60 Bujão G1/2
17 Retentor da sapata 39 Anel O 1B P11
61 Anel O 1B P18
18 Conjunto do pistão 40 Orifício (válvula do freio)
19 Placa separadora 41 Mola do orifício (válvula do freio)
20 Placa de fricção 42 Bujão G1/8
21 Pistão do freio 43 Anel O 1B P8
22 Anel D (furo pequeno) 44 Válvula de verificação

SST-04-02-009EN 119
14
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
Explicação resumida das peças do componente
O motor compreende as peças principais listadas a seguir.
• Grupo rotativo que produz a força de rotação
• Freio de estacionamento para impedir o autodeslocamento durante o estacionamento
• Seção do mecanismo variável para mudar a capacidade do motor entre alta e baixa
• Válvula de alívio de sobrecarga instalada na tampa traseira
• Seção da válvula do freio (válvula de compensação) que desempenha um papel crítico no
controle dos circuitos hidráulicos
1) Grupo rotativo
O bloco do cilindro (13) é ajustado nos sulcos dos dentes na ranhura do eixo (9), que recebe
suporte nas suas extremidades pelos rolamentos (10) e (51). O bloco do cilindro (13) é
pressionado contra a tampa traseira (24) junto com a placa da válvula (54) pela mola do
cilindro (14).
Os 9 conjuntos de pistão (18) deslizam ao longo da superfície da placa da sapata (12)
enquanto se movem para dentro e para fora do bloco do cilindro (13). Há rolamentos
hidrostáticos em ambas as extremidades do conjunto do pistão (18) e, para reduzir a
resistência de deslizamento e fazer o pistão se mover sem se separar da superfície da placa
da sapata (12), a força da mola do cilindro (14) é transmitida pelo receptor da mola (15), junta
esférica (16) e retentor da sapata (17) de modo a pressionar ambas as extremidades do
conjunto do pistão (18) contra a placa da sapata (12).
2) Freio de estacionamento
7 placas do separador (19) e 6 placas de fricção (20) são ajustadas nos canais dos sulcos ao
redor da borda externa do bloco do cilindro (13) em padrões alternados e são pressionadas
contra a carcaça (1) pelas 14 molas de freio (55) através do pistão do freio (21).
3) Seção do mecanismo de capacidade variável
Esta seção compreende o pivô (11), que é ajustado em 2 marcas semiesféricas sobre a placa
da sapata (12) e suporta a placa da sapata (12), o pistão de inclinação (6), que inclina a placa
da sapata (12) ao redor do pivô (11), o batente de inclinação (1-1), que dá suporte à inclinação
em uma determinada posição, a seção da válvula piloto, que traz óleo pressurizado para o
pistão de inclinação (6) de acordo com comandos externos e as 3 válvulas de verificação (44)
que tiram a pressão mais alta da pressão do piloto de comando externo, a pressão de entrada
do motor e a pressão de saída do motor e mandam o óleo pressurizado para a seção da
válvula piloto.

120 SST-04-02-009EN
15
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
4) Válvula de alívio de sobrecarga
Esta seção compreende o encaixe (57-1), que prende o assento da válvula (57-3), que
assenta o metal na seção do furo interno da tampa traseira do motor (24) e rosqueia o assento
da válvula (57-3) na tampa traseira (24) para prendê-lo, a válvula (57-2), que está conectada
ao assento da válvula (57-3) pela mola de ajuste (57-9) e que encaixa no orifício interno do
encaixe (57-1), o pistão de ligação (57-4), que é inserido no orifício interno da válvula e serve
como caminho do óleo para o corpo da seção piloto (57-6), o pistão (57-7), que é inserido no
corpo da seção do piloto (57-6) e é empurrado contra a tampa (57-5) e o calço de ajuste da
mola (57-8).

Diagrama 2. Diagrama estrutural da válvula de alívio de sobrecarga

Código Nome da peça Código Nome da peça


57-1 Encaixe 57-8 Calço
57-2 Válvula 57-9 Mola de ajuste
57-3 Assento da válvula 57-10 Anel O 1B P7
57-4 Pistão de ligação 57-11 Anel de apoio T2 P7
57-5 Tampa 57-12 Anel O 1B G25
57-6 Corpo da seção piloto 57-13 Anel de apoio T2 G25
57-7 Pistão

SST-04-02-009EN 121
16
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
5) Seção da válvula do freio
Pressão de troca do carretel: 0,59 - 0,95 MPa
Pressão de rompimento da válvula de verificação: 0,015 MPa

Diagrama 3. Seção da válvula do freio


a Válvula de verificação
[1] Carretel
A pressão de troca deste carretel (26), o corte do óleo de descarga do motor hidráulico e a
medição são automaticamente executados e os efeitos das operações de suspensão,
aceleração, parada e compensação podem ser aplicados ao motor hidráulico.
[2] Válvula de verificação (incorporada no carretel)
Ao mesmo tempo, ela serve como caminho do óleo de alimentação para o motor hidráulico
e também preenche a função de bloqueio de descarga do óleo.
Assim, ela é a válvula de sucção para o motor hidráulico e serve como válvula de retenção.

122 SST-04-02-009EN
17
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
Função
Porta de Porta de Direção de rotação (visão da
entrada descarga lateral da tampa traseira)
VB VA Direita (sentido horário)
Esquerda (sentido
VA VB
anti-horário)

1 Porta VA
Diagrama 4. Posições das portas 2 Porta VB

1) Operação do motor
O óleo de alta pressão enviado da bomba hidráulica entra nas portas de entrada (VA, VB),
passa pela seção da válvula do freio, tampa traseira (24) e placa da válvula (54) e é levada
para dentro do bloco do cilindro (13).
A tabela mostra a porta de entrada, a porta de descarga e a direção de rotação do eixo de
saída.

(a) (b)
Diagrama 5
Esse óleo de alta pressão, como mostrado no diagrama 5(a), opera sobre todos os pistões em
uma área de 180° com a linha Y-Y conectando o ponto morto superior do pistão e o ponto
morto inferior representando a fronteira e
F1=P x A (P: Pressão, A: Área do pistão)
é produzida.
Essa força F1 se transforma em força de empuxo F2 e forças radiais F31 - F34 (ou F35)
devido à placa da sapata (12), que tem um ângulo de inclinação de . (Consulte o diagrama 5
(b).) Essas forças radiais operam como força de rotação sobre o eixo Y-Y e geram um torque
de .

(Quando a alta pressão opera sobre os 5 pistões, r5/F35 é adicionado.)


Esse torque é transmitido ao dente do eixo (9) através do bloco do cilindro (13) e é transmitido
ao eixo (9).

SST-04-02-009EN 123
18
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
2) Operação do freio de estacionamento
O freio de estacionamento é liberado quando a alta pressão hidráulica selecionada pela seção
de compensação instalada na tampa traseira opera sobre o pistão do freio (21). O torque do
freio estará constantemente sendo produzido se nenhuma pressão estiver sendo aplicada.
O torque do freio é gerado pela força de fricção entre a placa do separador (19) acoplada à
carcaça (1), o dente e a placa de fricção (20) acoplada no bloco do cilindro (13) pelo dente.
Quando a pressão não está operando sobre a seção do pistão do freio, o pistão do freio (21) é
pressionado pela mola do freio (55), o pistão do freio (21) aperta a placa de fricção (20) e a
placa separadora (19) contra a carcaça (1).
Essa força de aperto gera força de fricção entre a placa de fricção (20) e a placa do separador
(19), que serve como torque de freio que retém o eixo (9) além do bloco do cilindro (13).

Diagrama 6. Seção do freio de estacionamento

124 SST-04-02-009EN
19
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
3) Operação da seção do mecanismo de capacidade variável

MA MB

VA ou VB

Diagrama 7. Operação da seção do mecanismo de capacidade variável


Linha do comando de deslocamento de alta
b
a Para a válvula de compensação (válvula do freio) velocidade (piloto externo)
c Ponto de aplicação de força
O diagrama 7 mostra um modelo da seção do mecanismo de capacidade variável.
Quando a pressão que supera a mola (34) entra na linha PA do comando de deslocamento de
alta velocidade, a mola (34) is comprimida, o carretel (31) se move para a direita, as portas P e
C são conectadas, a mais alta das 3 pressões - pressão do motor MA, pressão do motor MB, e
a pressão da linha de comando de deslocamento de alta velocidade - é selecionada pela
válvula de verificação (44), e o pistão de inclinação (6) is pressionado. Assim, a placa da
sapata (12) é inclinada como mostrado pela linha quebrada com a linha (L) conectando os
2 pivôs (11) como o centro do eixo e quando a inclinação para no ponto onde entra em contato
com o batente de inclinação (1-1), mantém esse estado.
Como resultado, a parte que entra e sai do pistão (18) é reduzida e a capacidade do motor se
torna baixa, de modo que o motor gira em alta velocidade sem aumentar a quantidade de óleo
enviada pela bomba hidráulica. Para esta máquina, a capacidade é de cerca de 1,71 vez mais.
Por outro lado, quando a pressão da linha PA do comando de deslocamento de alta velocidade
desaparece, o carretel (31) retorna para a esquerda pela mola (34), o óleo que havia sido
pressionado contra o pistão inclinado (6) passa através do orifício (46) e é liberado para o
tanque, e a força da pressão contra o pistão desaparece.
Aqui, há 9 pistões (18) distribuídos uniformemente sobre a placa da sapata (12) e eles fazem
pressão contra a placa da sapata (12). O ponto de aplicação de força para a força total destes
9 pistões é posicionado próximo ao centro da placa da sapata (12) como no diagrama, e os
pivôs (11) estão na posição S distantes do centro, de modo que a força de rotação é igual a S
multiplicada pela força de pressão do pistão que retorna o motor a seu estado original, e o
motor muda para o deslocamento de baixa velocidade. Quando a potência do motor é
excedida, por exemplo, ao dirigir ou subir uma colina em alta velocidade, para evitar a parada
do motor, quando a carga do motor excede o valor estipulado, o motor é automaticamente
alternado para a baixa velocidade.
Quando a pressão da bomba hidráulica (VA ou VB) é levada para a porta PB do diagrama 7,
esta pressão opera sobre o pino (32). Quando a pressão estipulada é excedida, o carretel (31)
retorna para a esquerda pela força de reação do pino (32), o óleo que tinha sido pressionado
contra o pistão de inclinação (6) é aliviado para o tanque e a placa da sapata (12) é inclinada

SST-04-02-009EN 125
20
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
para configurar o motor de alta capacidade de modo que a operação se torna o deslocamento
de baixa velocidade.
Quando esta pressão cai ou fica abaixo da pressão estipulada, o carretel (31) é movido para a
direita e a operação passa para o modo de deslocamento de alta velocidade.
4) Operação da válvula de alívio de sobrecarga
Existem 2 válvulas de alívio de sobrecarga que estão dispostas de modo transversal e operam
da seguinte maneira.
[1] Quando o motor hidráulico é parado, para evitar a inércia da carga, a pressão do freio
gerada no lado de descarga do motor é mantida dentro de um certo valor.
[2] Para conseguir maior aceleração ao dirigir em uma pressão estipulada ao iniciar o motor
hidráulico e para atenuar o choque do freio quando parar, a operação de atenuação de
reforço é realizada. A pressão gerada é mantida na baixa pressão por um breve período de
tempo e a engrenagem de redução, a seção da roda dentada da esteira de deslocamento
etc. engrenam suavemente, então a pressão do circuito é mantida na pressão de ajuste
estipulada.
Quando a pressão da porta A e da válvula de alívio de sobrecarga aumentam, ao iniciar o
motor hidráulico, esta pressão é aplicada no assento da seção do diâmetro efetivo até o
assento (57-3) da válvula (57-2) e é também aplicada ao pistão de ligação (57-4) do interior da
válvula através do pequeno furo na válvula (57-2). A pressão da porta A aumenta e a válvula
(57-2) resiste à mola de ajuste (57-9) com a diferença da área de superfície entre a seção do
diâmetro efetivo do assento da válvula e a seção do diâmetro do orifício do pistão de ligação e
regula a pressão de ajuste estipulada.
Quando o motor hidráulico é interrompido, o pistão (57-7) na seção traseira está no lado
esquerdo devido à pressão de acionamento e quando a pressão da porta A aumenta, ela
também é aplicada ao pistão (57-7) através do pequeno furo na válvula e do pequeno furo no
pistão de ligação (57-4) e move o pistão para o lado direito até que ele toque na tampa (57-5).
Durante este tempo, a válvula (57-2) resiste à mola de ajuste (57-9), mantém a pressão da
porta A em um nível comparativamente baixo e libera o óleo para a porta B.
Depois de o pistão (57-7) tocar a tampa (57-5), a operação é a mesma de quando é dada a
partida no motor.

Diagrama 8. Operação da válvula de alívio de sobrecarga


a Da porta A
b Para a porta B
c Furo pequeno

126 SST-04-02-009EN
21
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
5) Operação da válvula do freio
a) Estado de contenção (Consulte o diagrama 9.)
No estado neutro da válvula de troca, as portas VA e VB estão conectadas ao tanque e o
carretel (26) é mantido na posição central pelas molas em ambas as extremidades. Devido
aos caminhos VA  MA, VB  MB estarem fechados, as portas MA e MB que conectam-se
ao motor hidráulico por um dos lados estão no estado fechado.
Além disso, devido ao caminho de liberação do freio de estacionamento estar conectado ao
tanque, o freio de estacionamento está no estado de operação e a rotação do motor
hidráulico é parada mecanicamente pela força da mola do freio.
Quando uma força externa opera sobre o motor hidráulico, a rotação do motor é normalmente
parada pelo freio de estacionamento.
O freio de estacionamento irá deslizar quando o torque ficar mais alto do que a força do freio
de estacionamento, mas a pressão de contenção ocorre no lado da porta MA ou MB e a
rotação é mantida numa quantidade muito pequena devido a essa pressão de contenção.
Quando uma pequena quantidade da rotação ocorre no motor hidráulico, o óleo de alta
pressão escapa do circuito fechado e a cavitação tende a se formar no lado de baixa pressão
do circuito fechado. A válvula de verificação montada no carretel opera para evitar esta
cavitação, um caminho VA  MA ou VB  MB é formado e um volume de óleo igual ao
volume vazado é colocado no circuito fechado a partir do tanque.

VB VA

MB MA

MB MA

Diagrama 9. Estado de contenção


1 Mola

SST-04-02-009EN 127
22
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
b) Operação de aceleração (Consulte o diagrama 10.)
Quando a porta VA é conectada à bomba hidráulica e a porta VB é conectada ao tanque
através da alternância da válvula de troca, o óleo pressurizado da bomba hidráulica empurra
a válvula de verificação no carretel a partir da porta VA, esse óleo abastece o motor hidráulico
a partir da porta MA e isso faz o motor hidráulico girar.
O óleo pressurizado também é fornecido À câmara piloto no lado da porta VA e o carretel (26)
que supera a força da mola no lado da porta VB se move para a esquerda. Se isto ocorre,
junto com a formação do caminho de retorno MB  VB, o óleo pressurizado é abastecido
pela linha de liberação do freio de estacionamento e o freio de estacionamento é liberado. Do
mesmo modo, o motor hidráulico gira.
Se a carga de inércia do motor hidráulico é grande, a pressão requerida para aceleração é
alcançada com a pressão de ajuste da válvula de alívio de sobrecarga e o motor hidráulico
eleva a velocidade de rotação enquanto alivia o óleo pressurizado.
Quando a rotação do motor hidráulico aumenta, o volume de alívio diminui e a velocidade
constante é finalmente alcançada.

VB VA

VB VA

MB MA

MB MA

Diagrama 10. Operação de aceleração


1 Mola
2 Câmara piloto

128 SST-04-02-009EN
23
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
c) Operação de parada (Consulte o diagrama 11.)
Quando a válvula de troca retorna para a posição neutra, o envio de óleo é interrompido e as
portas VA e VB são conectadas ao tanque durante a rotação do motor hidráulico, a pressão
das câmaras piloto em ambas as extremidades do carretel se igualam e o carretel (26)
retorna à posição neutra pela força da mola.
Isso causa o fechamento do caminho MB  VB. Contudo, a força de inércia da carga forçará
a continuação da rotação do motor hidráulico. A operação da bomba ocorre no motor
hidráulico e o óleo hidráulico continua a ser descarregado na porta MB, mas a pressão
aumenta devido ao fechamento desse caminho. A válvula de alívio de sobrecarga opera e,
conforme isto acontece, a velocidade do motor hidráulico diminui gradualmente e o motor
acaba parando.
A pressão de liberação do freio de estacionamento é lentamente reduzida porque ela é
calculada. O freio por fim alcança o estado de operação e a rotação do motor hidráulico para
mecanicamente.

VB VA

VB VA

MB MA

MB MA

Diagrama 11. Operação de parada


1 Mola
2 Câmara piloto

SST-04-02-009EN 129
24
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
d) Operação de compensação (diagrama 12)
Quando a velocidade de rotação do motor hidráulico é reduzida por inércia da carga, uma
operação de compensação é requerida.
Se o óleo hidráulico sendo abastecido na porta VB da bomba hidráulica gradualmente
diminuir, o motor hidráulico irá girar na velocidade que ele está ou acima da velocidade é
determinada pelo volume de óleo abastecido devido à força de inércia. Como resultado, a
pressão na câmara piloto do lado da porta VB diminui e o carretel (26) é pressionado na
direção neutra para o lado esquerdo pela mola (28).
Do mesmo modo, devido à área de superfície do caminho MA  VA ser reduzida e à
resistência do caminho aumentar, a pressão do lado MA aumenta e o motor hidráulico é
afetado pela operação do freio.
Se a velocidade de rotação do motor cai ou diminui para uma velocidade determinada pelo
volume de abastecimento de óleo ou inferior, a pressão na câmara piloto no lado da porta VB
aumenta, o carretel (26) é movido para a direita, a operação do freio é reduzida de modo a
aumentar a área da superfície do caminho MA  VA e a velocidade de rotação do motor
hidráulico é controlada para a velocidade que é equivalente ao volume de abastecimento do
óleo.
Para executar operações seguras de compensação, orifícios (40) são instalados sobre as
câmaras piloto em ambas as extremidades para fornecer um efeito amortecedor sobre o
carretel (26).
O freio de estacionamento é liberado enquanto o carretel (26) está realizando uma operação
de ajuste de pressão.

VB VA

VB VA

MB MA

MB MA

Diagrama 12. Operação de compensação


1 Mola
2 Câmara piloto
3 Válvula de verificação com orifício

130 SST-04-02-009EN
25
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
2. Motor de giro
(1) Explicação da operação do motor de giro
1) Seção do motor hidráulico
Como o diagrama abaixo mostra, quando o óleo de alta pressão passa pela porta lateral de
entrada (a) da placa da válvula (1) e flui para o cilindro, a pressão hidráulica opera no pistão e
uma força F é gerada na direção axial. Esta força F é dividida em 2 vetores, uma força F1
perpendicular à placa oscilante (3) por meio da sapata (2) e uma força F2 perpendicular ao
eixo. Essa força F2 é transmitida ao bloco do cilindro (4) através do pistão, gerando um par
rotativo ao redor do eixo de saída.
9 pistões estão ordenados no bloco do cilindro. O torque de rotação é transmitido em
sequência ao eixo de saída por vários pistões ligados com a porta lateral de entrada de óleo
de alta pressão.
Quando ocorre a inversão dos sentidos de entrada e saída de óleo, a rotação do eixo de saída
também é invertida.
O torque teórico de saída T [N•m] é fornecido pela equação a seguir.

p: Diferença da pressão efetiva [MPa]


q: Compartimentos por rotação [cm3]
Óleo de baixa Óleo de alta
pressão pressão

Saída Entrada

1 Pistão
Figura 1. Diagrama de explicação da operação da seção do motor 2 Eixo de acionamento

2) Seção da carcaça da válvula


[1] Seção da válvula de verificação anticavitação
Como o sistema que usa este tipo de motor não tem uma válvula com função de
contrapeso, o motor por vezes gira mais que a quantidade de óleo enviada.
Para evitar a cavitação devido à insuficiência de óleo, uma válvula de verificação é
fornecida para cobrir o déficit de óleo.

1 Porta M
Figura 2. Diagrama do circuito hidráulico 2 Válvula de controle

SST-04-02-009EN 131
26
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
3) Seção do freio
O cilindro (111) é acoplado ao eixo de acionamento (101) pela engrenagem. Além disso, a
placa do separador (743) é limitada quanto à rotação circunferencial pelo corte do canal do
arco na carcaça (301).
Quando a placa de fricção (742) acoplada pela engrenagem à seção da circunferência externa
do cilindro é pressionada contra a carcaça (301) pela mola do freio (712) através do separador
(743) e pistão do freio (702), é gerada uma força de fricção entre a placa de fricção e a carcaça
e entre a placa do separador e o pistão do freio. O eixo de acionamento é retido e interrompido
por esta força de fricção.
Por outro lado, quando a pressão de liberação do freio é aplicada à câmara de óleo formada
entre o pistão do freio e a carcaça e a pressão hidráulica supera a força da mola, o pistão do
freio se move, a força que está pressionando a placa de fricção contra a carcaça desaparece e
o freio é liberado.

Mola

Pressão hidráulica

101
111

712
702
301
742
743

Figura 3. Diagrama de operação do freio


1 Câmara de óleo

132 SST-04-02-009EN
27
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
4) Explicação da operação da válvula de alívio (modelo da válvula de alívio: KRD22EK10)
[1] Explicação da operação realizada quando a válvula de alívio é pressurizada
No caso onde a porta P é pressurizada com a pressão do tanque,
as portas P e R estão inicialmente com a pressão do tanque e o estado da válvula é
mostrado no diagrama 4 (1).
Na pressão em que há equilíbrio entre a pressão hidráulica determinada pelo produto da
pressão P e a área pressurizada A1 do pistão (301) por um lado e a pressão hidráulica
determinada pelo FSP de carga da mola (321) e a área pressurizada do pistão (301) A2 e a
pressão da câmara g Pg no outro lado, a válvula de alívio começa a funcionar.
Depois, a pressão da câmara g aumenta e o pistão (302) começa seu curso.
Acompanhando esse movimento, a carga aumenta na mola (321).
Pela operação acima, a pressão P de alívio é aumentada de P1 para Ps no tempo T1 de
aumento da pressão.
Este processo é explicado abaixo nos termos da relação entre o estado do movimento das
peças nos diagramas 4 - (2) a (4) e a pressão de alívio.
1) Estado exibido na Figura 4 - (2)
Quando a porta P da válvula de alívio é pressurizada, a pressão é gerada na câmara g
por meio do orifício m do pistão (301).
Quando a pressão hidráulica que está operando no pistão (301) aumenta e atinge a
pressão em que se equilibra com o FSP de carga da mola (321), a válvula de alívio realiza
a operação de alívio na pressão P1.
A relação neste momento é expressa pela equação a seguir.
P1 × A1 = FSP1 + Pg1 × A2FSP1: Carga inicial ajustada para a mola (321)
2) Estado exibido no diagrama 4 - (3)
A pressão da câmara g opera nas áreas pressurizada A3 e A4 do pistão (302). Quando
esta pressão hidráulica se torna superior à carga na mola (321), o pistão começa a se
mover para a esquerda.
Neste momento, o óleo na câmara h formado entre o pistão e o bujão de ajuste (401) é
descarregado na câmara g por meio do orifício n localizado no pistão (302) enquanto o
pistão se move para a esquerda, assim a câmara h funciona como uma câmara de
amortecimento.
Assim, a carga da mola aumenta gradualmente até que o pistão atinja a seção da
extremidade do bujão de ajuste e a pressão de alívio P aumente uniformemente.
3) Estado exibido no diagrama 4 - (4)
Quando o pistão (302) atinge a seção da extremidade do bujão de ajuste (401), ele não se
move ainda mais para a esquerda, de modo que o estado de alívio constante é atingido e
a pressão de alívio é mantida em P2.
Por meio dos processos (1) a (4) citados acima, a pressão de alívio varia como no
diagrama 5.
[2] Explicação da operação realizada quando a válvula de alívio é despressurizada
Caso a pressão da porta P caia,
quando a pressurização da porta P termina, a pressão da porta P e a pressão da câmara g
caem junto com a pressão do tanque. Assim, o pistão (301) que estava aberto se move
para a esquerda e se posiciona no assento (401). Ao mesmo tempo, o pistão (302) também
é movido para a direita pela mola (321) e retorna ao estado no diagrama 4 - (1).

SST-04-02-009EN 133
28
Explicação da operação e da estrutura do equipamento

Figura 4. Diagrama de explicação da operação da válvula de alívio


1 Orifício m 5 Área pressurizada A1
2 Mola (321) 6 Pistão (301)
3 Câmara h 7 Orifício n
4 Pistão (302) 8 Câmara g

Diagrama 5. Características do reforço de pressão

134 SST-04-02-009EN
29
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
(2) Diagrama da parte interna do motor de giro

SEÇÃO A~A

SST-04-02-009EN 135
30
Explicação da operação e da estrutura do equipamento

Código Nome da peça Qtd


Subconjunto da válvula de
052 1 conjunto
prevenção de reversão
100 Carcaça 1
151 Bujão ROH 2
161 Anel O 2
162 Anel O 2
163 Anel O 2
171 Parafuso de cabeça oca sextavado 4
400 Válvula de prevenção de reversão 2 conjuntos
400-1 Anel O 2
400-2 Anel de apoio 2

Código Nome da peça Qtd


051 Válvula de alívio 2 conjuntos
051-1 Anel O 2
10 Subconjunto do pistão 1 conjunto
101 Eixo de acionamento 1
111 Cilindro 1
114 Mola da placa 1
121 Pistão 9
122 Sapata 9
123 Placa de suporte 1
124 Placa da sapata 1
131 Placa da válvula B 1
Subconjunto da carcaça da
20 válvula H2 1 conjunto

301 Carcaça JA1 1


303 Carcaça da válvula H2 1
351 Pistão H2 2
355 Mola H2 2
390 Placa de identificação 1
391 Rebite de direção 2
401 Parafuso de cabeça oca sextavado 4
443 Rolamento 1
444 Rolamento 1
451 Pino 2
469 Bujão ROMH 2
472 Anel O 1
488 Anel O 2
491 Vedação de óleo 1
702 Pistão do freio 1
706 Anel O 1
707 Anel O 1
712 Mola do freio 18
742 Placa de fricção 2
743 Placa separadora 4
984 Bujão de máscara 1 conjunto
985 Bujão de máscara 1 conjunto
986 Bujão de máscara 1 conjunto
994 Bujão de inserção 1

A disposição da mola do freio a Marca de identificação

136 SST-04-02-009EN
31
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
Válvula
1. Válvula de controle
Configuração básica
Esta válvula se baseia no alojamento da unidade principal, que combina o alojamento no lado
P1 e o alojamento no lado P2 com as superfícies traseiras em relação um ao outro e tem
configuração que permite montar o encaixe, seção complementar e encaixe na parte superior do
alojamento lado P2.
(1) Operação
[1] Quando todos os carretéis estão no neutro
1) Caminho neutro [Fig. 1, Fig. 2]
1. Quando as portas Pn1 e Pn2 estão pressurizadas
O óleo enviado da porta P1 entra no caminho do tanque (Ta) pelo caminho neutro (L1)
por meio do orifício de alívio de baixa pressão (Lc1) e retorna às portas T1 - T8.
O óleo enviado da porta P2 entra no caminho do tanque (Ta) pelo caminho neutro (R1)
por meio do orifício de alívio de baixa pressão (Rc1) e retorna às portas T1 - T8.
A pressão para cima nas câmaras de pressão (L2) e (R2) da válvula de alívio de baixa
pressão é conduzida para dentro da bomba pelas portas ps1 e ps2 e controla o volume
de descarga da bomba P1 e P2.
Além disso, se óleo em excesso fluir para o caminho neutro (L1), o gatilho se abre para
fornecer alívio de pressão baixa. Isso evita que as pressões da porta ps1 e ps2 se
tornem muito altas.
2. Quando as portas Pn1 e Pn2 não estão pressurizadas
Neste caso, os gatilhos de alívio de baixa pressão se abrem a uma pressão menor que
em (a).
Assim, o óleo enviado da porta P1 entra no caminho do tanque (Ta) pelo caminho
neutro (L1) primeiramente por meio da porta de descarga da válvula de alívio de baixa
pressão (L3) e retorna às portas T1 - T8.
O óleo enviado da porta P2 entra no caminho do tanque (Ta) pelo caminho neutro (R1)
primeiramente por meio da porta de descarga da válvula de alívio de baixa pressão
(R3) e retorna às portas T1 - T8.

137 SST-04-02-009EN
32
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal

ps1 T1

Pn1

pc3

Ta
Ta

ps1

(Seção 5)

(Seção 4)

(Seção 3)

(Seção 2)

(Seção 1)

Lado P1

SST-04-02-009EN 138
33
Explicação da operação e da estrutura do equipamento

Ta Tr1

Rg

(Seção R2)
Pg

Ta Pr

(Seção R1)

Ta

Pn2

(Seção 9)

(Seção 8)

(Seção 7)

(Seção 6)

(Seção ST)

Lado P2

1 Válvula de alívio de baixa pressão (E) 6 Deslocamento 11 Braço 2


2 Braço 1 7 Saída 12 Lança 1
3 Lança 2 8 Acessório 2 13 Caçamba
4 Giro 9 Entrada 14 Deslocamento em linha reta
5 Opção 10 Acessório 1 15 Válvula de alívio de baixa pressão (D)

139 SST-04-02-009EN
34
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal

Aberta Fechada
pb5 pb5
(Seção 5)
Para
Para baixo
cima
pb4 pb4

(Seção 4) Ta

pb3 pb3
(Seção 3)

pb2 pb2
(Seção 2)
Ta

pb1 pb1
(Seção 1)

Ta

Ta

SST-04-02-009EN 140
35
Explicação da operação e da estrutura do equipamento

Ta Ta
Ta

par2 pbr2
(Seção R2)
Pg
Ta Ta
(Extensão do cilindro) (Retração do cilindro)
Para baixo Para cima

par1 pbr1
(Seção R1)
Ta
Ta

Fechada Aberta
pb9 pb9
(Seção 9)
Para baixo Para cima

pb8 pb8
(Seção 8)
Fechada Aberta
pb7 pb7
(Seção 7)

pb6 pb6
(Seção 6)

DR3 pst
(Seção ST)

Ta

Ta [Fig. 2]

1 Orifício de regeneração do braço variável 6 Deslocamento 11 Lança 1


2 Braço 1 7 Acessório 2 12 Caçamba
3 Lança 2 8 Acessório 1 13 Deslocamento
4 Giro 9 Corte de neutro 14 Deslocamento em linha reta
5 Opção 10 Braço 2

141 SST-04-02-009EN
36
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
2) Sinal, válvula de controle do sinal de deslocamento em linha reta, conjunto da placa
[Fig. 3]
Há 2 sinais, (a) e (b) a seguir. O sinal piloto de cada carretel para o qual uma alavanca
opera é usado para gerar a pressão de saída.
A válvula de controle de sinal de deslocamento em linha reta integra cada sinal de
pressão e controla a mudança de deslocamento em linha reta do carretel. O conjunto da
placa também tem como função detectar as pressões piloto com o alternador integrado.
1. Sinal de deslocamento (PT)
A mais alta das pressões piloto aplicada à seção de deslocamento 1 (pa1, pb1) e a
seção de deslocamento 6 (pa6, pb6) é selecionada e enviada para a porta PT.
Portanto, quando o carretel de deslocamento está na posição neutra (pressão piloto
sem carga), nenhuma pressão é gerada na porta PT.

SST-04-02-009EN 142
37
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
2. Sinal frontal (PA)
A mais alta das pressões piloto (pa2 - 9 e pb2 - 9) aplicada às seções 2 a 9, que usam
o óleo pressurizado das bombas P1 e P2, exceto nas seções de deslocamento, é
selecionada e enviada à porta PA. (Nota 1)
Portanto, quando todos os carretéis estão na posição neutra (pressão piloto sem
carga), nenhuma pressão é gerada na porta PA.
Nota: 1
Quando um complemento (complemento da bomba principal) é usado através da
alimentação a partir de P2, as divisões dos sinais piloto par1 e pbr1 do complemento são
conectadas às respectivas válvulas da unidade principal, portas prs1 e prs2, incorporadas
assim na área de seleção do sinal frontal PA.
Tenha cuidado. Se a conexão de linha acima não é feita, a pressão PA não aumentará
pela seleção do complemento.
Quando for usar os 2 complementos principais da bomba, ajuste o circuito para que o
máximo de pressões piloto complementares (par1 e 2, pbr1 e 2) possam ser retiradas
conforme desejado e conecte a prs1 ou prs2.

PA

RCV Válvula de
controle remoto
(VCR)
MCV

Pst

RCV Válvula de
controle remoto
(VCR)
MCV

PT

RCV Válvula de
controle remoto
(VCR)
MCV

Prs1
Prs2

[Fig. 3]
DR2

Válvula de controle de sinal de


1 6 Braço
deslocamento em linha reta
2 Deslocamento 7 Caçamba
Seção do alojamento da unidade
3 8 Giro
principal (opção)
4 Conjunto da placa 9 Opção
5 Lança 10 Complemento (bomba principal)

143 SST-04-02-009EN
38
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
[2] Operação independente
1) Troca de carretéis de deslocamento [Fig. 4 e Fig. 5]
Quando um carretel de deslocamento é trocado por pressurização da porta piloto Pb1
[Pa1] (seção 1) de deslocamento, o óleo enviado da porta P1 flui do caminho neutro (L1)
pela seção do pescoço ou carretel e para a porta B1 (A1). O óleo de retorno volta ao
caminho do tanque (Ta) da porta A1 (B1) pela seção do pescoço do carretel.
Quando um carretel de deslocamento é trocado por pressurização da porta piloto Pb6
(Pa6) (seção 6) de deslocamento, o óleo enviado da porta P2 flui do caminho neutro (R1)
pela seção do pescoço do carretel ou caminho (S6-1) e para a porta B6 (A6).
Apenas quando o deslocamento é operado, o caminho paralelo (R3) e o caminho (S6-1)
têm a mesma pressão, de modo que o gatilho (S6-2) não abre. O óleo de retorno volta ao
caminho do tanque (Ta) da porta A6 (B6) pela seção do pescoço do carretel.

SST-04-02-009EN 144
39
Explicação da operação e da estrutura do equipamento

pb2 pa2
(Seção 2)
Ta Ta

pb6 pa6
(Seção 6)

[Fig. 4]

1 Estado de alternância
2 Estado neutro
3 Opção
4 Deslocamento

pb1 pa1
(Seção 1)
Ta

pst DR3
(Seção ST)

[Fig. 5]

1 Estado de alternância
2 Estado neutro
3 Deslocamento
4 Deslocamento em linha reta

145 SST-04-02-009EN
40
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
2) Troca de carretéis de opção [Fig. 4]
Quando a opção do carretel é alternada por pressurização da porta Pb2 (Pa2) piloto
(seção 2) de opção, o caminho neutro (L1) é fechado. O óleo abastecido da porta P1 flui
do caminho paralelo (L3) através da válvula de verificação de carga (S2-2), caminho (S2-
1), seção do pescoço do carretel para a porta B2 (A2).
O óleo de retorno volta ao caminho do tanque (Ta) de A2 (B2) pela seção do pescoço do
carretel.
Além disso, quando o óleo é enviado da porta P4, passa pelo interior da válvula de
verificação de carga (S2-2) e se junta com o caminho (S2-1).

SST-04-02-009EN 146
41
Explicação da operação e da estrutura do equipamento

pb2 pa2
(Seção 2)
Ta Ta

pb6 pa6
(Seção 6)

[Fig. 4]

1 Estado de alternância
2 Estado neutro
3 Opção
4 Deslocamento

pb1 pa1
(Seção 1)
Ta

pst DR3
(Seção ST)

[Fig. 5]

1 Estado de alternância
2 Estado neutro
3 Deslocamento
4 Deslocamento em linha reta

147 SST-04-02-009EN
42
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
3) Troca de carretéis de giro [Fig. 6]
Quando o carretel de giro é alternado pela pressurização da porta Pb3 (Pa3) piloto (seção
3) de giro, o caminho neutro (L1) é fechado. O óleo abastecido da porta P1 flui do
caminho paralelo (L3) através da válvula de verificação de carga (S3-2), caminho (S3-1),
seção do pescoço do carretel a para a porta B3 (A3).
O óleo de retorno volta ao caminho do tanque (Ta) de A3 (B3) pela seção do pescoço do
carretel.

DR1

pb3 pa3
(Seção 3)
Ta

pb7 pa7
(Seção 7)

[Fig. 6]

1 Estado de alternância 3 Giro


2 Estado neutro 4 Caçamba

SST-04-02-009EN 148
43
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
4) Troca de carretéis da caçamba [Fig. 7 e Fig. 8]
1. Fechar (regeneração) [Fig. 7]
Quando o carretel da caçamba é alternado por pressurização da porta Pb7 piloto
(seção 7) da caçamba, o caminho neutro (R1) é fechado. O óleo abastecido da porta
P2 flui do caminho paralelo (R3) através da válvula de verificação de carga (S7-2),
caminho (S7-1), seção do pescoço do carretel para a porta B7.
Ao mesmo tempo, o óleo de retorno da porta A7 volta ao caminho do tanque (Ta).
Depois que parte do óleo de retorno empurra e abre o gatilho (S7-3) dentro do carretel
da caçamba, ele se junta à porta B7 para evitar cavitação lateral do cabeçote do
cilindro.
Isto também é acompanhado pelo aumento da velocidade do cilindro e as reduções de
pressão da porta P2 dependem das condições de pressão da porta.
Fechamento da caçamba (regeneração)

DR1

pb3 pa3
(Seção 3)
Ta

pb7 pa7
(Seção 7)

[Fig. 7]

1 Estado neutro 3 Giro


2 Estado de alternância 4 Caçamba

149 SST-04-02-009EN
44
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
2. Abrir [Fig. 8]
Quando o carretel da caçamba é mudado por pressurização da porta Pa7 piloto (seção
7) da caçamba, o caminho neutro (R1) é fechado. O óleo abastecido da porta P2 flui
através do caminho paralelo (R3),
válvula de verificação de carga (S7-2), caminho (S7-1), seção do pescoço do carretel e
para a porta A7.
O óleo de retorno volta ao caminho do tanque (Ta) da porta B7 pela seção do pescoço
do carretel.
Abertura da caçamba

DR1

pb3 pa3
(Seção 3)
Ta

pb7 pa7

(Seção 7)

[Fig. 8]

1 Estado neutro 3 Giro


2 Estado de alternância 4 Caçamba

SST-04-02-009EN 150
45
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
5) Troca do carretel da lança [Fig. 9, Fig. 10 e Fig. 11]
1. Neutro [Fig. 9]
Esta válvula monta uma válvula antifluxo na lateral do cabeçote do cilindro da lança 1
(A8).
Em neutro, o gatilho (AD1) está preso pela pressão da própria porta A8 guiada pelo
caminho (AD2) e pelo carretel (AD3) até a câmara da mola (AD4) para interromper o
óleo de retorno da porta A8.
Neutra

pb4 pa4
(Seção 4)

pb8 pa8
(Seção 8)

AD3 AD1 [Fig. 9]


AD2 AD4

1 Lança 2
2 Lança 1

151 SST-04-02-009EN
46
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
2. Elevação da lança (fluxo de 2 bombas) [Fig. 10]
Quando o carretel da lança 1 é alternado por pressurização da porta piloto Pa8 (seção
8) da bomba 1, o caminho neutro (R1) é fechado. O óleo abastecido da porta P2 flui
através do caminho paralelo (R3), válvula de verificação de carga (S8-2) e seção do
pescoço do carretel para a porta A8.
Quando o carretel da lança 2 é alternado pela pressurização da porta Pa4 piloto (seção
4) da lança 2, o caminho neutro (L1) é fechado. O óleo abastecido da porta P1 flui do
caminho paralelo (L3) através da válvula de verificação de carga (S4-2), seção do
pescoço do carretel e caminho (4) e se une à porta A8. O óleo de retorno volta ao
caminho do tanque (Ta) da porta B8 pela seção do pescoço do carretel.
Elevação (fluxo de 2 bombas)

pb4 pa4
(Seção 4)

pb8 pa8
(Seção 8)

AD3 AD1 [Fig. 10]


AD2 AD4

1 Lança 2
2 Lança 1

SST-04-02-009EN 152
47
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
3. Lança abaixada (regeneração) [Fig. 11]
Quando o carretel da lança 1 é alternado pela pressurização da porta pb8 piloto (seção
8) da lança 1, o caminho neutro (R1) é fechado. O óleo abastecido da porta P2 flui
através do caminho paralelo (R3), válvula de verificação de carga (S8-2) e seção do
pescoço do carretel para a porta B8.
A pressão piloto aplicada a pb8 neste momento move o carretel da válvula antifluxo
(AD3) pelo caminho embutido no alojamento ao mesmo tempo em que o carretel é
trocado e reduz a pressão da câmara da mola (AD4) para abrir o gatilho (AD1).
Através deste movimento, a interrupção da porta A8 é liberada antes de o carretel ser
trocado.
Depois disso, o óleo de retorno da porta A8 volta ao caminho do tanque (Ta).
Parte do óleo de retorno abre o gatilho (S8-3) dentro do carretel da lança 1, passa pelo
caminho (S8-1) e se junta à porta B8 para evitar cavitação lateral da haste do cilindro.
Isto também é acompanhado pelo aumento da velocidade do cilindro e as reduções de
pressão da porta P2 dependem das condições de pressão da porta.
Para baixo (regeneração)

pb4 pa4
(Seção 4)

pb8 pa8
(Seção 8)

DR1
AD3 AD1 [Fig. 11]
AD2 AD4

1 Lança 2
2 Lança 1

153 SST-04-02-009EN
48
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
6) Troca dos carretéis do braço [Fig. 12 - 15]
1. Neutro [Fig,12]
Esta válvula monta uma válvula antifluxo na lateral da haste do cilindro do braço 1.
No neutro, o gatilho (AD1) é levado pelo caminho (AD2) e o carretel (AD3) na câmara
da mola (AD4). Ele está assentado pela pressão da própria porta A5 para interromper o
óleo de retorno da porta A5.
Neutra
AD2 AD1

AD3 AD4

pb5 pa5
(Seção 5)

pb9 pa9
(Seção 9)

[Fig. 12]
prs1 prs2

1 Braço 1
2 Braço 2

SST-04-02-009EN 154
49
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
2. Retração do braço (fluxo de 2 bombas) [Fig. 13]
Quando o carretel do braço 1 é trocado por pressurização da porta piloto Pb5 (seção 5)
do braço 1, o óleo enviado da porta P1 flui do caminho neutro (L1) pela válvula de
verificação de carga (S5-2), caminho (S5-1) e seção do pescoço do carretel, para a
porta B5.. Quando o carretel de braço 2 é trocado por pressurização da porta piloto
Pb9 (seção 9) do braço 2, o óleo enviado da porta P2 flui do caminho neutro (R1) pela
válvula de verificação de carga (S9-2), caminho (S9-1), seção do pescoço do carretel e
caminho (6), para a porta B5.
A pressão piloto aplicada à porta pb5 neste momento move o carretel da válvula
antifluxo (AD3) pelo caminho embutido no alojamento ao mesmo tempo em que o
carretel é trocado e reduz a pressão da câmara da mola (AD4) para abrir o gatilho
(AD1). Através deste movimento, a interrupção da porta A5 é liberada antes de o
carretel ser trocado.
Depois disso, o óleo de retorno da porta A5 se divide no fluxo que vai pela válvula de
verificação de regeneração no carretel regenerado na porta B5 e no fluxo que retorna
ao caminho do tanque (Ta) pela válvula controle de regeneração.
(Para obter mais detalhes sobre a função de regeneração, consulte a explicação da
operação da válvula de regeneração na seção 3.)
Retração do braço (fluxo de 2 bombas)
AD2 AD1

AD3 AD4

DR1

pb5 pa5
(Seção 5)

pb9 pa9
(Seção 9)

[Fig. 13]
prs1 prs2

1 Braço 1
2 Braço 2

155 SST-04-02-009EN
50
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
3. Retração do braço (regeneração variável) [Fig. 14]
Para a operação de retração do braço, depois que o óleo de retorno da porta A5 passa
pelo entalhe (a), ele se divide em 2 caminhos:
1. O óleo de retorno volta para o caminho do tanque (Ta) pelo orifício fixo (d) na válvula
de controle de regeneração, caminho (e) e orifício variável (f).
2. O óleo de retorno passa pelo orifício fixo estável (b) no carretel do braço 1, válvula
de verificação de regeneração (c) orifício fixo (i), se juntando ao caminho da ponte
(S5-1).
Aqui, quando a pressão do caminho da ponte (S5-1) sobe devido à pressão da carga
da porta B5, o carretel da válvula de controle de regeneração (h) é pressionado através
do pistão da válvula de controle de regeneração (g) e a área da superfície da abertura
da seção do orifício variável (f) aumenta, de modo que a quantidade de óleo que
retorna ao caminho do tanque (Ta) aumenta.
Por outro lado, a quantidade de óleo regenerado na porta B5 diminui.
Apesar deste mecanismo variável, a taxa de regeneração das cargas baixas é segura
e a redução na contrapressão de retorno para cargas altas é estabelecida.
Retração do braço (regeneração variável)
AD2 AD1

AD4

DR1

pb5 pa5
(Seção 5)

Ta

[Fig. 14]

Válvula de controle de regeneração


1
(variável)
2 Braço 1

SST-04-02-009EN 156
51
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
4. Extensão do braço (fluxo de 2 bombas) [Fig. 15]
Quando o carretel do braço 1 é trocado por pressurização da porta piloto Pa5 (seção 5)
do braço 1, o óleo enviado da porta P1 flui do caminho neutro (L1) pela válvula de
verificação de carga (S5-2), caminho (S5-1) e seção do pescoço do carretel, para a
porta A5.
Quando o carretel de braço 2 é trocado por pressurização da porta Pa9 piloto (seção 9)
do braço 2, o óleo enviado da porta P2 flui do caminho neutro (R1) pela válvula de
verificação de carga (S9-2) e caminho (S9-1), se junta no caminho da seção do braço 1
(S5-1) e flui através da porta A5 para seção do pescoço do carretel do braço 1.. O óleo
de retorno da porta B5 volta ao caminho do tanque (Ta) pela seção do pescoço do
carretel.
Extensão do braço (fluxo de 2 bombas)
AD2 AD1

AD3 AD4

pb5 pa5
(Seção 5)

pb9 pa9
(Seção 9)

[Fig. 15]
prs1 prs2

1 Braço 1
2 Braço 2

157 SST-04-02-009EN
52
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
7) Orifício paralelo do braço [Fig. 16]
A medição pelo carretel é instalada no caminho paralelo do braço 1 desta válvula para
controlar a quantidade de óleo enviada ao braço 1 para operações compostas.
O óleo enviado do caminho (L3) paralelo (seção 5) do braço 1 abre o gatilho (S5-3), passa
pelo orifício do carretel de medição variável (Lc8) e é conectado ao caminho (L5).
Aqui, a quantidade medida pelo orifício (Lc8) é ajustada por pressurização da porta piloto
(Pbu).

Lc1 ps1

Pn1
pc3
Lc8

Ta
[Fig. 16]
Lc8

Para elevação da lança (para


1 Válvula de alívio de baixa pressão (E) 3
pressurização de Pbu)
2 Caminho do sinal de Pbu 4 Para neutro

SST-04-02-009EN 158
53
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
8) Válvula de alívio
1. Válvula de alívio principal [Fig. 17]
O óleo abastecido da porta P1 passa pelo gatilho (LP) e o óleo abastecido da porta P2
passa pelo gatilho (RP) e o caminho (3), sendo levado para a válvula de alívio
principal. A pressão máxima das bombas laterais P1 e P2 é controlada pela operação
da válvula de alívio principal.

LP

Ta

PH Ta
Ta

RP [Fig. 17]

2. Válvula de alívio de sobrecarga [Fig. 18]


Há uma válvula de alívio de sobrecarga na lança 1, braço 1, caçamba e portas do
cilindro complementares, para evitar um aumento anormal na pressão do atuador, por
exemplo, devido a uma força externa.
Essa válvula de alívio também é equipada com uma função que evita a cavitação
(função de sucção), recebendo o óleo do tanque quando a pressão da porta do cilindro
se torna pressão negativa.

Ta

Pa8

Função de sucção em
operação
[Fig. 18]

159 SST-04-02-009EN
54
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
[3] Operação composta
1) Operação composta de deslocamento [Fig. 19, Fig. 20]
Sob as condições abaixo, quando o deslocamento para esquerda/direita e o sistema
frontal são operados ao mesmo tempo, o carretel de deslocamento em linha reta é
trocado, e a característica do deslocamento em linha reta é mantida.
1 Quando a frente é operada durante a operação simultânea do deslocamento para
esquerda/direita (para frente, para trás ou giro central)
2 Quando esquerda/direita são operadas simultaneamente durante a operação do
sistema frontal
A operação do sistema frontal não é afetada pelas seções de troca ou pela quantidade de
trocas.
1. Circuito de sinal [Fig. 19]
(A)Quando a alavanca lateral [Deslocamento 1] é operada, a pressão ramificada da
porta piloto da unidade principal da válvula passa pelo filtro e alternador e troca a
válvula de troca [V1].
(B)Quando a alavanca lateral [Deslocamento 2] é operada, a pressão ramificada da
porta piloto da unidade principal da válvula passa pelo filtro e alternador e a válvula
[V1] é trocada, ela troca para a válvula de troca [V2] pelo caminho. Por outro lado,
se a válvula de troca [V1] está no estado neutro, o caminho é cortado pela válvula
de troca [V1]. Deste modo, se (A) e (B) são estabelecidos ao mesmo tempo, o
caminho interno do carretel de deslocamento em linha reta (Pst) é conduzido a PA.
Além disso, se (A) ou (B) são estabelecidos, a pressão do sinal do deslocamento
(PT) aumenta.
(C)Se pelo menos um dos sistemas frontais é trocado, a pressão mais alta de todas as
pressões piloto no sistema frontal é selecionada e conduzida para a porta de sinal
frontal (PA). Portanto, se (A), (B) e (C) são estabelecidos ao mesmo tempo, a
quantidade de trocas do carretel de deslocamento em linha reta é determinada de
forma proporcional à pressão do sinal frontal (PA), pelo caminho do sinal de
deslocamento em linha reta interno (Pst). A [Fig. 19] mostra um exemplo de caso de
deslocamento para frente esquerda/direita + elevação da lança.

SST-04-02-009EN 160
55
Explicação da operação e da estrutura do equipamento

PA

Para cima

Pst Para baixo

Fechada

Aberta
Avanço
Fechada

Para trás
Aberta

Direita

PT
Esquerda

Avanço

Para trás
prs1
prs2

[Fig. 19]
DR2

Válvula de controle de sinal de


1 5 Lança 9 Opção
deslocamento em linha reta
2 Deslocamento 1 6 Braço 10 Complemento (bomba principal)
Seção do alojamento da unidade
3 Deslocamento 2 7 Caçamba 11
principal (opção)
4 Conjunto da placa 8 Giro

161 SST-04-02-009EN
56
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
2. Circuito da unidade principal [Fig. 20]
Quando o carretel de deslocamento em linha reta é trocado, o óleo enviado da porta
P1 flui do caminho neutro (L1) para o deslocamento (seção 1), ao mesmo tempo
passando pelo caminho (2), pela seção do pescoço do carretel de deslocamento em
linha reta e pelo caminho neutro (R1) para o deslocamento (seção 6), e a alimentação
para o deslocamento para a esquerda e a direita se torna possível.
Por outro lado, quando o óleo enviado da porta P2 flui para o caminho paralelo (R3), ao
mesmo tempo em que passa pela seção do pescoço do deslocamento em linha reta e
caminho (1), para o caminho paralelo (L3), se torna possível enviar óleo para todo o
sistema frontal.
Quando o sistema frontal é trocado durante o deslocamento, e essa pressão se torna
mais alta que a pressão de carga no deslocamento (seção 6), parte do óleo enviado da
porta P2 é pressionada para o gatilho (S6-2) do caminho paralelo (R3) e o óleo flui pelo
orifício na ponta do gatilho se juntando ao caminho (S6-1).
Isso ameniza o choque causado no corpo da máquina pela brusca queda de
velocidade causada pela troca para o deslocamento da bomba 1.
Como descrito acima, devido ao deslocamento (seções 1 e 6) operar com o óleo
enviado da porta P1, outras operações além do deslocamento serão operadas com
óleo enviado da porta P2. O deslocamento em curva é evitado e a característica de
deslocamento em linha reta é mantida durante as operações compostas.

Ta Ta

pb6 pa6

(Seção 6)

pb1 pa1
(Seção 1)
Ta

(pst) DR3
(Seção ST)

[Fig. 20]

1 Estado de alternância 3 Deslocamento em linha reta


2 Deslocamento 4 Deslocamento

SST-04-02-009EN 162
57
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
[4] Válvula antifluxo
A válvula antifluxo é montada na porta do cilindro do lado da haste do braço (cabeçote da
lança) para evitar que o cilindro (lança) do braço caia naturalmente.
Além disso, o sinal de liberação opera guiado pelo caminho interno do sinal do piloto.
(O lado do braço (A5) é mostrado como um exemplo típico.)
1) Neutro (trava da porta A5)
1. A pressão da trava da porta A5 passa do caminho (a) pelo caminho (b), caminho (c) e
é conduzida à câmara da mola (d) do gatilho (1).
2. Portanto, o óleo pressurizado da porta A5 é interrompido pela seção do assento (S1) e
pela seção do assento (S2).

DR1

pi

1 Carretel principal
2) Aplicação de sinal de liberação
1. Quando a porta pi é pressurizada, o pistão (2) se move e o carretel (3) opera.
2. O carretel (3) opera o gatilho (4).
3. A seguir, a operação do gatilho (4) interrompe a condução entre a porta A5 e a câmara
da mola (d).

DR1

pi

1 Carretel principal

163 SST-04-02-009EN
58
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
3) Fim do estado de contenção
1. Quando o pistão (2) opera mais profundamente, a câmara da mola (d) passa do
caminho (c) pelo caminho (e) e é conduzida pela câmara de drenagem [DR] através da
seção (T2).
2. A pressão da câmara da mola (d) se torna a pressão de drenagem e o gatilho principal
(1) opera.

DR1

pi

1 Carretel principal

SST-04-02-009EN 164
59
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
[5] Válvula de alívio
1) Operação da válvula de alívio principal
1. Esta válvula de alívio está incorporada entre o caminho neutro "HP" e o caminho "LP"
de baixa pressão. O óleo passa pelo furo de medição do gatilho principal (C) e carrega
o espaço interior (D). A manga (E) e o gatilho principal (C) que operam sobre as áreas
de superfícies diferentes [A] e [B] são assentados de forma segura.
“LP”

pi
2. Quando a pressão "HP" do caminho neutro alcança a força da mola do gatilho piloto de
ajuste, o gatilho piloto (F) se abre. O óleo passa pelo gatilho, pelo orifício de entalhe
(G), e é levado para o caminho de baixa pressão "LP".
“LP”

3. Como o gatilho piloto se abriu, a pressão (D) cai e o gatilho principal se abre (C), de
modo que o óleo flui diretamente para o caminho "LP".
“LP”

"Operação de pressão reforçada"


Quando é aplicada pressão à porta piloto "PH", o pistão (H) é movido para a posição
de ajuste pelo bujão (I). Devido a isso, a força da mola piloto aumenta e a pressão "HP"
aumenta.
“LP”

PH

165 SST-04-02-009EN
60
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
2) Operação da válvula de alívio de sobrecarga
1. Esta válvula de alívio está incorporada entre a porta "HP" do cilindro e o caminho "LP"
de baixa pressão. O óleo passa pelo furo de medição do pistão (C) e carrega o espaço
interior (G).. A manga (K) e o gatilho principal (D) que operam sobre as áreas de
superfícies diferentes [A] e [B] são assentados de forma segura.
“LP”

“HP”

2. Quando a pressão "HP" da porta do cilindro alcança a força da mola piloto do gatilho
de ajuste, o gatilho piloto (F) se abre. O óleo passa perto do gatilho, passa pelo furo do
entalhe (H), e é levado para o caminho de baixa pressão "LP".
“LP”

“HP”

3. Como o gatilho piloto foi aberto (E), é gerado um fluxo de óleo através do orifício (I) do
pistão (C). Uma diferença de pressão é gerada entre o caminho "HP" e a traseira do
pistão (C), e o pistão (C) se move e se assenta com o gatilho (E).
“LP”

“HP”

4. O fluxo de óleo do caminho "HP" para o lado traseiro do gatilho (D) passa apenas pela
abertura em forma de anel entre o gatilho (D) e o pistão (C) e pelo orifício (F), de modo
que a diferença de pressão aumenta.
Por isso, o gatilho (D) se abre e o óleo flui diretamente para o caminho "LP".
“LP”

“HP”

SST-04-02-009EN 166
61
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
3) Operação de admissão da válvula de alívio de sobrecarga
1. Esta válvula de alívio tem uma unidade antivácuo embutida que fornece óleo em caso
de cavitação na porta "HP" do cilindro.
Quando a pressão da porta "HP" do cilindro é mais baixa do que o lado de baixa
pressão "LP", a manga (K) é aberta pela diferença de área da superfície entre (A) e (B).
O óleo entra na porta "HP" do cilindro pelo lado de baixa pressão "LP" para evitar
cavitação.
“LP”

“HP”

[6] Carretel de corte de neutro [Fig. 21]


Esta válvula é equipada como padrão com um carretel de corte de neutro no fluxo mínimo
do caminho neutro do alojamento lateral P2 (R1) (para cima da válvula de alívio de pressão
baixa).
Quando a porta pcc é pressurizada e o carretel de corte de neutro é trocado, o caminho
através do orifício [Lc7] para o alívio de baixa pressão é interrompido e o envio para o
exterior a partir da porta P3 se torna possível.
Lc7
pcc
Ta

Pn2

[Fig. 21]
Ps2

1 Válvula de alívio de baixa pressão (D)

167 SST-04-02-009EN
62
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
[7] Conjunto da placa [Fig. 22]
Esta válvula é equipada com um conjunto de placa hermeticamente fechado com uma junta
empilhada em uma placa na superfície lateral do alojamento.
O alternador está montado no interior. Esta válvula tem função de seleção e controle da
pressão piloto do carretel.
Para proteger a seção do alternador de contaminação do exterior, um filtro está montado
entre as placas.
Ao removê-lo, não solte os parafusos indicados nos diagramas e tenha cuidado para que as
peças internas não se percam.

[Fig. 22]

[Lateral da tampa longa] [Lateral da tampa curta]


1 Parafuso do subconjunto

SST-04-02-009EN 168
63
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
[8] Válvula de controle de sinal de deslocamento em linha reta [Fig. 19, Fig. 23]
Esta válvula integra a pressão piloto do carretel do sistema frontal e do deslocamento
selecionado com cada conjunto de placa e é usada para trocar o carretel de deslocamento
em linha reta.
Quando a pressão piloto de deslocamento 1 é pressurizada, o carretel [V1] é trocado.
Quando a pressão piloto do deslocamento 2 é pressurizada ao mesmo tempo, o carretel
[V2] pode ser trocado.
Aqui, quando a pressão piloto do sistema frontal [PA] é pressurizada, a pressão PA flui para
o Pst, é conduzida para a câmara piloto do carretel de deslocamento em linha reta, e o
carretel é trocado.
PA Pst

[Fig. 23]
Deslocamento 2 Deslocamento 1

PA

Para cima

Pst Para baixo

Fechada

Aberta
Avanço
Fechada

Para trás
Aberta

Direita

PT
Esquerda

Avanço

Para trás
prs1
prs2

[Fig. 19]
DR2

Válvula de controle de sinal de


1 5 Lança 9 Opção
deslocamento em linha reta
2 Deslocamento 1 6 Braço 10 Complemento (bomba principal)
Seção do alojamento da unidade
3 Deslocamento 2 7 Caçamba 11
principal (opção)
4 Conjunto da placa 8 Giro

169 SST-04-02-009EN
64
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
[9] Complemento [Fig. 24, Fig. 25]
1) Válvula de alívio principal complementar
O óleo enviado a partir da porta Pr é conduzido para a válvula de alívio principal. A
pressão máxima da bomba Pr é regulada pela operação da válvula de alívio principal.

Pr Tr2

[Fig. 24]
Ta Ta

2) Seção do carretel
Quando o carretel é pressurizado pela porta par1 (pbr1) piloto (seção 10) do
complemento e alternado,o caminho neutro [Pg] é fechado. O óleo abastecido da porta Pg
flui do caminho paralelo (Rg) através da válvula de verificação de carga [S10-1], do
caminho [S10-2], e da seção do pescoço do carretel na porta AR1 (BR1).
O óleo de retorno volta ao caminho do tanque [Ta] da porta BR1 (AR1) pela seção do
pescoço do carretel.

pbr1 par1

[Fig. 25]
Ta Ta

SST-04-02-009EN 170
65
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
3) Operação da válvula de alívio de pressão baixa [Fig. 26, Fig. 27]
1. Geração de pressão de sinal (quando a porta pin1 (pin2) é pressurizada)
O óleo enviado da porta da bomba (P1 (P2)) flui pelo caminho neutro (L1 (R1)) e flui do
caminho de alívio da pressão baixa (L2 (R2)) pelo orifício (Lc1 (Rc1)) e sai para o
caminho do tanque (Ta).
Neste momento, a pressão gerada no caminho (L2 (R2)) pelo orifício (Lc1 (Rc1)) é
conduzida para a porta de sinal de alívio de pressão baixa (Ps1 (Ps2)).
Quando o carretel principal no lado superior (L2 (R2)) opera, o óleo que flui por (L2
(R2)) é reduzido, de modo que a pressão de sinal (Ps1 (Ps2)) se torna mais baixa.

TL3

Pn1

[Fig. 26]
Ta

2. Operação de alívio
Quando flui óleo em excesso passa pelo caminho (L2 (R2)), o gatilho é operado pela
pressão gerada no caminho (L2 (R2)) pelo orifício (Lc1 (Rc1)).
Através desta operação do gatilho, o óleo flui do caminho, através do caminho do furo
do entalhe e sai para o caminho do tanque [Ta]. Isto evita a geração de excesso de
pressão na porta de sinal de alívio de baixa pressão.
Lc1 ps2
TL3

Pn1

[Fig. 27]
Ta

171 SST-04-02-009EN
66
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
4) Válvula de alívio principal complementar
1. Operação da válvula de alívio principal complementar
Esta válvula de alívio está incorporada entre o caminho "HP" neutro e o caminho "LP"
do tanque. O óleo passa pelo furo de medição do gatilho principal [1] e carrega o
espaço interior [C].
Além disso, a manga [2] e o gatilho principal [1] que operam nas diferentes áreas de
superfície "A" e "B" são assentados seguramente.

“LP”

“HP”

2. Quando a pressão "HP" do caminho neutro alcança a força ajustada da mola piloto, o
gatilho piloto [3] se abre.
O óleo flui em torno do gatilho piloto [3], passa do furo do entalhe [E] e pela abertura
em forma de anel [D], sendo conduzido para o caminho do tanque "LP".

“LP”

“HP”

3. Como o gatilho piloto [3] se abriu, a pressão [C] do espaço interno cai e o gatilho
principal [1] se abre, de modo que o óleo "HP" flui diretamente para o caminho "LP".
“LP”

“HP”

SST-04-02-009EN 172
67
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
2. Explicação da operação da válvula solenoide de 5 pilhas
(1) Diagrama de forma externa e peças componentes
Esta válvula é composta pelo corpo e pela válvula de troca eletromagnética.

SP

Solenoide do tipo fechado normal: SP, S1, S3 Solenoide do tipo aberto normal: S2 Solenoide, tipo de 4 portas: S4
1 Válvula de troca eletromagnética
2 Corpo
(2) Explicação da operação

SP

Diagrama de circuito hidráulico


O óleo pressurizado enviado pela porta P alimenta óleo pressurizado para as portas C1 - C5, de
acordo com a energização ou não energização das válvulas de troca eletromagnética S1 - S4,
resultante da energização da válvula de troca eletromagnética SP.
Válvulas de troca eletromagnética S1 e S3  Óleo passando quando a válvula está energizada
Válvula de troca eletromagnética S2  Óleo passando quando a válvula não está energizada
Óleo passando para C5 quando a válvula está
energizada
Válvula de troca eletromagnética S4 
Óleo passando para C4 quando a válvula não está
energizada

173 SST-04-02-009EN
68
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
3. Válvula piloto superior (válvula de controle remoto)
(1) Estrutura
A estrutura da válvula de controle remoto é exibida no diagrama de corte transversal de
montagem (page 178). A válvula de redução de pressão é instalada em um orifício longitudinal
axial localizado na carcaça.
A válvula de redução de pressão é composta pelo carretel (201), mola de ajuste da pressão
secundária (241), mola de retorno (221), assento da mola (216) e arruela 2 (217). A mola de
ajuste da pressão secundária (241) é ajustada de modo que o cálculo da pressão secundária é
de 0,5a -1 MPa (dependendo do modelo). O carretel (201) é pressionado contra a haste de
pressionamento (212) pela mola de retorno (221).
Quando a haste de pressionamento (212) é empurrada para baixo pela inclinação do cabo ou
por outra operação, o assento da mola vai para baixo simultaneamente e o ajuste da mola de
ajuste de pressão secundária (241) é alterado.
A carcaça (101) tem a porta P (pressão principal) de entrada de óleo e a porta T (tanque) de
saída, além disso a pressão secundária é retirada das portas 1, 2, 3 e 4.
(2) Função
[1] Funções básicas
A válvula de controle remoto serve para o controle da quantidade, direção, etc. do curso do
carretel da válvula de controle. Isso é feito pela operação da pressão de saída da válvula
piloto na seção da ponta do carretel da válvula de controle.
Para satisfazer a função, a válvula de controle remoto é composta pelos elementos a
seguir.
1) Porta de entrada (P) para a qual o óleo é fornecido pela bomba hidráulica
2) Múltiplas portas de saída (1, 2, 3, 4) para operação da pressão de alimentação da porta
de entrada na extremidade do carretel da válvula de controle
3) Porta do tanque (T) necessária para controlar a pressão de saída mencionada acima
4) Carretel de conexão da porta de saída à porta de entrada ou porta do tanque
5) Meios mecânicos que incluem uma mola que opera no carretel citado acima para
controlar a pressão da saída
[2] Funções da peça principal
A função do carretel (201) é trocar o caminho do óleo para receber a pressão hidráulica
enviada da bomba hidráulica com a porta P e conduzir o óleo pressurizado da porta P às
portas de saída (1, 2, 3 e 4) ou para conduzir o óleo pressurizado da porta de saída para a
porta T. A pressão de saída que opera neste carretel (201) é determinada pela mola de
ajuste de pressão secundária (241).
Para alterar a quantidade de deflexão da mola de ajuste de pressão secundária (241), a
haste de pressionamento (212) é inserida no bujão (211) de modo que possa deslizar.
A mola de retorno (221) opera na carcaça (101) e assento da mola (216) e opera para
retornar a haste de empuxo (212) na direção zero de deslocamento independentemente da
pressão de saída e deixa o retorno de neutro do carretel (201) seguro. Além disso, tem o
efeito de uma mola de contraforça por oferecer ao operador uma sensação de operação
adequada.

SST-04-02-009EN 174
69
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
(3) Operação
A operação da válvula e controle remoto é explicada com base no diagrama do circuito
hidráulico (diagrama 1) e nos diagramas de explicação de operação (diagrama 2 - diagrama 4).
O diagrama 1 é um exemplo de uso típico da válvula de controle remoto.

Diagrama 1. Exemplo de uso da válvula de controle remoto


1 Válvula piloto 4 Válvula de controle
2 Bomba piloto 5 Motor hidráulico
3 Bomba principal 6 Cilindro hidráulico
[1] Quando a alavanca está em neutro (consulte o diagrama 2).
A força da mola de ajuste da pressão secundária (241) que determina a pressão de saída
da válvula de controle remoto não opera no carretel (201). Desse modo, o carretel (201) é
empurrado para cima pela mola de retorno (221) (assento da mola (216)) e as portas de
saída (2 e 4) são conectadas à porta T. Assim, a pressão de saída é a mesma que a
pressão do tanque.

Diagrama 2. Quando a alavanca está em neutro

175 SST-04-02-009EN
70
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
[2] Quando a alavanca é inclinada (consulte o diagrama 3).
Quando a alavanca é inclinada e a haste de pressionamento (212) é movida por um curso,
o carretel (201) (assento da mola (216)) se move para baixo, o óleo enviado da bomba
piloto flui para fora nas portas (2 e 4) pela porta P e portas (2 e 4) e a pressão é gerada.

Diagrama 3. Quando a alavanca é inclinada


[3] Quando a alavanca é mantida (consulte o diagrama 4).
Quando a alavanca é inclinada e a pressão das portas (2 e 4) aumenta até a pressão
equivalente à força da mola de ajuste (241), a pressão hidráulica e a força da mola ficam
equilibradas. Quando a pressão das portas (2 e 4) se torna mais alta que a pressão
ajustada, as portas (2 e 4) e a porta P fecham e as portas (2 e 4) e a porta T abrem. Quando
a pressão das portas (2 e 4) se torna menor que a pressão ajustada, as portas (2 e 4) e a
porta P se abrem e as portas (2 e 4) e a porta T se fecham, de modo que a pressão
secundária se mantém constante.

Diagrama 4. Quando a alavanca é mantida


(pressão secundária acima ou igual à pressão de ajuste)
1 Porta T
2 Porta P

SST-04-02-009EN 176
71
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
[4] Operação em área em que a inclinação da alavanca é grande (depende do modelo)
Para alguns modelos, quando a alavanca é movimentada para baixo além de um certo
ângulo, a seção da ponta superior do carretel encosta na seção inferior do furo da haste de
pressionamento e a pressão de saída entra no estado de ainda estar conectada com a
pressão da porta P.
Na estrutura em que o assento da mola e a mola estão instalados dentro da haste de
pressionamento, quando a alavanca é movimentada para baixo além de um certo ângulo, a
seção inferior do furo da haste de pressionamento e a mola se encostam. Essa força da
mola altera o 2º gradiente da pressão. Em seguida, a seção inferior do furo da haste de
pressionamento e a seção da ponta superior do assento da mola se encostam e a pressão
de saída permanece conectada com a porta P.

177 SST-04-02-009EN
72
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
(4) Diagrama estrutural

Símbolo hidráulico

Código Nome da peça Qtd Código Nome da peça Qtd


101 Carcaça 1 217 Lavador 2 4
151 Placa 1 221-1 Mola (porta 1) 1
201 Carretel 4 221-2 Mola (porta 3) 1
211 Bujão 4 221-3 Mola 2
212-1 Haste de pressionamento 2 241-1 Mola 2
212-2 Haste de pressionamento 2 241-2 Mola 2
213 Vedação 4 301 Junta 1
214 Anel O 4 302 Disco 1
216-1 Assento da mola 1 2 312 Porca de ajuste 1
216-2 Assento da mola 1 2 501 Foles 1

SST-04-02-009EN 178
73
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
4. Válvula piloto de deslocamento (válvula de controle remoto)
(1) Operação
A válvula de controle remoto com amortecedor embutido (referida como válvula de controle
remoto com amortecedor) é uma válvula de controle remoto com função de amortecimento para
evitar os fenômenos de oscilação do sistema homem-máquina (oscilação da alavanca) instalada
na unidade principal da válvula de controle remoto.
A operação da válvula de controle remoto com amortecedor é divida em 4.-(1)-1) Seção da
válvula de redução da pressão e 4.-(1)-2) Seção do mecanismo de amortecimento da seção de
operação. As explicações nessas 2 seções têm por base o diagrama do circuito de pressão
hidráulica, diagrama da seção de montagem e o diagrama de explicação da operação de
amortecimento a seguir. O diagrama a seguir é um exemplo de uso típico da válvula de controle
remoto.

Diagrama de circuito hidráulico


1 Válvula de controle remoto 4 Válvula de controle
2 Bomba piloto 5 Motor hidráulico
3 Bomba principal 6 Cilindro hidráulico
1) Seção da válvula de redução da pressão
[1] Para o estado neutro
O carretel (301) é empurrado para cima pela mola de retorno (335) por meio do assento da
mola (311) e da arruela 1 (215) e está na posição neutra mostrada no diagrama de corte
transversal de montagem.
Como a porta de saída está conectada apenas à porta T pela função de troca do carretel, a
pressão nas portas de saída 1 e 2 é a mesma da porta T.
[2] Quando a seção de operação da válvula de controle remoto é inclinada no estado neutro
No diagrama de corte transversal de montagem, quando o came (420) é girado no sentido
horário, a haste de pressionamento lateral da porta 1 (214) é empurrada para baixo, o
carretel se move para baixo através da arruela 1; assento da mola, mola de ajuste da
pressão secundária (324), arruela 2 (217) e arruela 3 (313). A porta P e porta 1 são
conectadas, e o óleo enviado da bomba piloto flui para a porta 1 e gera pressão.
Quando a pressão da porta 1 aumenta até a pressão equivalente à força da mola de ajuste
de pressão secundária que foi ajustada pela seção da operação de inclinação, a pressão
hidráulica no carretel e a força da mola se equilibram e a pressão de saída da porta 1 é
mantida constante. O carretel da porta 2 permanece no estado neutro e o óleo da válvula de
controle é descarregado via porta T.
Algumas especificações são do tipo que se aproxima mais do ângulo máximo da seção de
operação. Uma haste de pressionamento toca diretamente a seção da parte superior do
carretel e empurra forçadamente o carretel para dentro, para conectar a porta P e a porta de
saída, de modo que tenham a mesma pressão.

179 SST-04-02-009EN
74
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
2) Seção do mecanismo de amortecimento da seção de operação
[1] Para o estado neutro
A haste de pressionamento é empurrada para cima pelas molas de amortecimento (333 e
337) através do pistão (224) e está na posição mostrada no diagrama de corte transversal
de montagem.
[2] Quando a seção da operação é inclinada a partir do estado neutro (consulte o Diagrama de
explicação da operação de amortecimento (1).)
No diagrama de corte transversal de montagem, quando o came é girado no sentido
horário, a haste de pressionamento lateral da porta 1 é empurrada para baixo e o pistão se
move para baixo.
Nesse momento, o óleo na câmara do pistão de amortecimento é descarregado do furo de
medição do pistão e a pressão gerada gera a força de amortecimento.
Por sua vez, a haste de pressionamento lateral da porta 2 é movida para cima pela mola de
amortecimento através do pistão.
Nesse momento, o óleo da câmara do tanque é sugado para dentro através das 3 seções
de verificação de esferas constituídas por buchas (223) e bolas de aço (225) e para dentro
da câmara do pistão de amortecimento. O óleo fora da câmara do pistão é drenado para
fora do caminho que leva da seção da extremidade superior da carcaça até a porta T.
[3] Quando a seção da operação é inclinada de volta por uma inclinação completa (consulte o
Diagrama de explicação da operação de amortecimento (2).)
No diagrama de corte transversal de montagem, quando o came é totalmente inclinado no
sentido horário e depois girado no sentido anti-horário, a haste de pressionamento da porta
2 é empurrada para baixo e o pistão se move para baixo.
Nesse momento, conforme descrito acima, o óleo na câmara do pistão de amortecimento é
descarregado do furo de medição do pistão e a pressão gerada gera a força de
amortecimento.
Por sua vez, a haste de pressionamento da porta 1 é movida para cima pela mola de
retorno (335) e mola de amortecimento.
Nesse momento, o óleo da câmara do tanque é sugado para dentro através das 3 seções
de verificação de esferas constituídas por buchas e bolas de aço e para dentro da câmara
do pistão de amortecimento. O óleo fora da câmara do pistão é drenado para fora do
caminho que leva da seção da extremidade superior da carcaça até a porta do tanque.
Em outra palavras, a estrutura é tal que a força de amortecimento funciona para a operação
de inclinação, da posição neutra para a posição de inclinação total ou a partir da posição de
inclinação total até a posição neutra.

SST-04-02-009EN 180
75
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
Diagrama de explicação da operação do amortecedor
[1] Operação quando a alavanca é movida por seu curso da posição neutra

Quando a alavanca é
movida por seu curso do
neutro na direção (/-),
o óleo da câmara do
pistão direito (esquerdo) é
descarregado do furo de
medição e a pressão de
amortecimento é gerada
pela pressão gerada
nesse momento.

1 Haste de pressionamento
2 Orifício
3 Pistão
4 Câmara do pistão

SST-04-02-009EN 181
76
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
[2] Estado do curso da alavanca e operação quando a alavanca é movida para trás

Neutra

Curso completo de 12,5°

O óleo fora do pistão é


drenado para fora do
caminho que leva da seção
da borda superior da
carcaça até a porta T.
(durante a operação)

Quando a alavanca é
inclinada do neutro na
direção oposta, a haste de
pressionamento é
empurrada para cima pela O óleo da câmara do
mola de amortecimento. pistão é descarregado
(durante a operação) pelo furo de medição.
Pressão de
O óleo da linha T é sugado amortecimento é gerada
para dentro da câmara de
amortecimento pelas três (durante a operação)
válvulas de verificação das
esferas.
(durante a operação)
O óleo é
Quando a alavanca é movida drenado para T.
para a direção oposta do
estado  para o estado -,
dessa vez o pistão lateral
esquerdo imediatamente
serve à função de um pistão
de amortecimento.

A pressão de
amortecimento é sempre
gerada em ambas as vias.

5 Óleo

182 SST-04-02-009EN
77
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
(2) Diagrama estrutural

Símbolo hidráulico

Seção B-B

Código Nome da peça Qtd Código Nome da peça Qtd


101 Carcaça 1 Parafuso de cabeça oca
271 2
151 Bujão 2 sextavado
201 Tampa 2 301 Carretel 4
202 Bujão 4 311 Assento da mola 4
203 Cuba para engraxar 4 313 Lavador 3 4
210 Gaxetas NHU 4 324 Mola 4
212 Anel O 4 335 Mola 4
214 Haste de pressionamento 4 336 Mola 4
215 Lavador 1 8 337 Mola 4
217 Lavador 2 4 412 Bucha 4
218 Assento da mola 4 413 Eixo de comando 2
221 Anel de travamento 4 420 Came 2
223 Bucha 4 Parafuso de cabeça oca
423 2
sextavado de travamento
224 Pistão 2D085 4
471 Parafuso de travamento 4
225 Bola de aço 12
472 Contraporca 4
501 Foles 2

SST-04-02-009EN 183
78
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
5. Válvula do amortecedor
[1] Resumo da válvula
Esta válvula é composta por uma seção de válvula corrediça e uma seção de válvula do
amortecedor com um circuito de aquecimento.
A válvula do amortecedor com um circuito de aquecimento está conectada entre a válvula de
controle da escavadeira hidráulica e a válvula de operação piloto a fim de reduzir a trepidação
do corpo (função amortecedora) causada por operações de parada de emergência do operador.
Essa válvula também é equipada com um circuito com o qual o operador pode deliberadamente
desabilitar a função amortecedora em operações de reversão.
A válvula corrediça seleciona o sinal de alta pressão entre 2 sistemas de sinal de pressão. Essa
válvula tem 2 circuitos.

VISTA Y~ VISTA X~

Diagrama 1. Diagrama de forma externa

Diagrama 2. Diagrama do sistema hidráulico

184 SST-04-02-009EN
79
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
[2] Explicação da operação
1) Operação normal
O óleo pressurizado alimentado para a porta A (ou porta C, E ou G) empurra o pistão de
verificação para cima e é enviado para a porta B (ou porta D, F ou H). O óleo pressurizado que
passou pela porta B opera no carretel da válvula de controle e opera o atuador. O óleo
empurrado para fora do carretel da válvula de controle passa pela porta D (ou porta B, F ou H)
e sai pela porta T.

Diagrama 3
2) Operação do amortecedor
Quando o óleo pressurizado alimentado pela válvula de operação piloto para a porta A (ou
porta C, E ou G) é fechado pela válvula de operação piloto, o óleo pressurizado que operou no
carretel da válvula de controle é empurrado de volta para a porta B (ou porta D, F ou H) pela
mola de retorno no carretel. O óleo retornado passa pelo orifício de medição do pistão de
verificação e é enviado para a porta A (ou porta C, E ou G) e é drenado da válvula de operação
piloto. Nesse momento, ao passar pelo orifício de medição, o óleo pressurizado mantém baixa
a velocidade do carretel da válvula de controle e reduz a trepidação do corpo. (Função
amortecedora)

Diagrama 4

SST-04-02-009EN 185
80
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
3) Operação de reversão
Quando o óleo pressurizado alimentado pela válvula de operação do piloto para a porta A (ou
porta C, E ou G) é alternado para a porta C (ou porta A, E ou G), o óleo pressurizado que
operou no carretel da válvula de controle é empurrado de volta para a porta B. Uma vez que o
óleo empurrado de volta sai em direção à porta T sem passar pelo orifício de medição do
pistão de verificação, ele não mantém baixa a velocidade do carretel da válvula de controle;
portanto, a função amortecedora não funciona.

Diagrama 5
4) Circuito de aquecimento
Quando a válvula de operação do piloto está na posição neutra, o óleo alimentado para a porta
R passa pelo interior do carretel de operação de reversão, sai pela porta T e aquece o interior
da válvula.
Quando o óleo pressurizado está sendo alimentado pela válvula de operação do piloto para a
porta A (ou porta C, E ou G), o óleo alimentado para a porta R sai para a porta C (ou porta A, E
ou G) e aquece tanto o circuito para a válvula de operação do piloto quanto o interior da
válvula.

Diagrama 6 Diagrama 7

186 SST-04-02-009EN
81
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
5) Válvula corrediça
Na pressão entre as portas I e J e a pressão entre as portas K e L, a bola de aço é pressionada
pela pressão alta para a pressão baixa. Através desse processo, o óleo de alta pressão é
enviado para a porta S ou Q. Da mesma forma, o óleo é enviado para a porta U na mais alta
das pressões entre as portas M e N e entre as portas O e P.

Diagrama 8 Diagrama 9

SST-04-02-009EN 187
82
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
6. Válvula seletora (4 vias)
(1) Estrutura
Padrão I: Padrão S: Padrão M: Padrão K:
IOS Sumitomo antigo Mitsubishi antigo Kobelco antigo

Diagrama do circuito

Operação, trabalho

A Válvula direita, retração 1 Lança, elevação

B Válvula direita, lado esquerdo 2 Caçamba, escavação

C Válvula direita, empurrar para fora 3 Lança, abaixamento

D Válvula direita, lado direito 4 Caçamba, remoção da sujeira

E Válvula esquerda, empurrar para fora 5 Giro, direita

F Válvula esquerda, lado direito 6 Braço, escavação

G Válvula esquerda, puxar para dentro 7 Giro, esquerda

H Válvula esquerda, lado esquerdo 8 Braço, remoção da sujeira

Tabela de combinação de circuitos


Tipo S: Tipo M: Tipo K: Kobelco
Tipo I: ISO
Sumitomo antigo Mitsubishi antigo antigo
A-1 A-1 A-8 A-6
B-2 B-2 B-7 B-7
C-3 C-3 C-6 C-8
D-4 D-4 D-5 D-5
E-8 E-5 E-3 E-3
F-5 F-6 F-2 F-2
G-6 G-7 G-1 G-1
H-7 H-8 H-4 H-4

188 SST-04-02-009EN
83
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal

Diagrama 1. Estrutura da válvula


1 Placa de identificação 9 Tampa 17 Bola de aço
2 Pino 10 Alavanca 18 Vedação de óleo
3 Mola 11 Bujão com flange 19 Anel O
4 Botão 12 Parafuso de cabeça oca sextavado 20 Anel O
5 Tampa 13 Parafuso de cabeça oca sextavado 21 Anel O
6 Mola 14 Parafuso de rebite 22 Bujão de cabeça oca sextavado
7 Carcaça 15 Pino da mola
8 Eixo 16 Pino da mola

SST-04-02-009EN 189
84
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
(2) Explicação da operação
Esta é uma válvula de troca do tipo de rotação.
Pela conexão de uma linha entre a válvula de controle remoto de trabalho tipo pá hidráulica e a
válvula de controle principal, e pela alteração da alavanca (10) para a posição de cada tipo
(rotação do eixo (8)), o circuito da válvula é alterado e o padrão de operação mudado para
aquele mostrado no Diagrama 2.
Para obter mais detalhes sobre a estrutura da válvula (diagrama do circuito), consulte o
Diagrama 1.

Remoção da sujeira Abaixamento


do braço da lança

Padrão I Giro à Giro à Escavação Remoção da


(IOS) esquerda direita da sujeira da
caçamba caçamba

Escavação Elevação da
do braço lança

Giro à
Abaixamento
direita
da lança

Padrão S Remoção da Escavação Escavação Remoção da


(Sumitomo antigo) sujeira do do braço da sujeira da
braço caçamba caçamba

Giro à Elevação da
esquerda lança

Abaixamento Escavação
da lança do braço

Padrão M Remoção da Escavação Giro à Giro à


(Mitsubishi antigo) sujeira da da esquerda direita
caçamba caçamba
Elevação da Remoção da
lança sujeira do braço

Remoção da
Abaixamento
sujeira do braço
da lança

Padrão K Remoção da Escavação Giro à Giro à


(Kobelco antigo) sujeira da da esquerda direita
caçamba caçamba
Elevação da Escavação
lança do braço

Diagrama 2. Método de operação por tipo

190 SST-04-02-009EN
85
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
(3) Diagrama de desenvolvimento

Não pode ser


desmontado

SST-04-02-009EN 191
86
Explicação da operação e da estrutura do equipamento
7. Válvula de direção (3 direções)
(1) Estrutura

PP

Seção Z-Z

Diagrama do circuito
Diagrama 1
1 Tampa 5 Corpo 9 Parafuso de cabeça oca sextavado
2 Placa de identificação 6 Tampa 10 Parafuso de cabeça oca sextavado
3 Carretel 7 Mola 11 Parafuso de rebite
4 Mola 8 Parafuso de cabeça oca sextavado 12 Anel O

192 SST-04-02-009EN
87
Explicação da operação e da estrutura do equipamento principal
(2) Explicação da operação
Esta válvula troca a direção com a pressão piloto.
[1] Quando o carretel está em neutro (porta PP sem carga), o circuito de ação dupla, circuito de
fluxo de 2 bombas, é selecionado
Quando a pressão piloto não é enviada para a porta PP, o carretel (3) é mantido na posição
neutra pela mola (4) e (7). As portas A e porta B estão conduzindo e o óleo pressurizado
das portas T1 e T2 é interrompido pelo carretel (3). (Consulte o diagrama 2.)

Para a válvula de
controle

Diagrama 2
[2] Quando o carretel opera (porta PP pressurizada) Circuito do britador selecionado
Quando a pressão é enviada para a porta PP, a força [F] (pressão da porta PP × área
transversal do carretel) atua no carretel (3) para a esquerda.. Quando F fica maior que a
carga ajustada das molas (4) e (7), o carretel (3) se move para a esquerda e a porta A é
conduzida às portas T1 e T2.
Além disso, neste momento, o óleo pressurizado na porta B é interrompido pelo carretel (3).
(Consulte o diagrama 3.)

Para tanque de óleo hidráulico T1

Diagrama 3

SST-04-02-009EN 193
88
Explicação das novas funções

Explicação das novas funções


Chave seletora de modo de trabalho
O volume do acelerador e a chave seletora do modo de trabalho estão ligados!!
Troca de modo do modelo 3B Troca de modo do modelo 5
Trabalhoso

Troca com a operação


do interruptor

DESLOCA-
Elimina o trabalho da
MODO DE
MENTO TRABALHO operação do botão

Ao trocar para o modo SP, enquanto


pressiona o interruptor SP, gire o volume.
(Para reduzir o consumo de combustível,
1 ação foi adicionada à operação para
entrar no modo SP.)

1 SST-05-00-008EN
1
Explicação das novas funções
[1] Fluxo do controle do acelerador
No modelo 3B, o sinal do volume do acelerador é conectado diretamente à ECU e apenas a
instrução do sinal do modo de trabalho é enviada do computador da unidade principal. No
Modelo 5, o sinal do volume do acelerador vai primeiro para o computador A e depois a
instrução da velocidade alvo do motor é enviada do computador A para o ECM.
O modo e a velocidade alvo do motor
são avaliados a partir do volume do A instrução da velocidade alvo é
acelerador e da tensão e a velocidade recebida do computador A e a
alvo é enviada ao ECM. velocidade do motor é controlada.

Avaliação do grau de
abertura do volume (0 a Exibição do modo e
5 V de tensão de entrada) aceleração

Transmissão do comando de
exibição do modo e
aceleração

1 Volume do acelerador
2 Computador A
3 Comunicação CAN
4 Motor
5 Comunicação UART
6 Monitor
[2] Controle da potência da bomba para cada modo
Se um sinal do volume do acelerador é enviado ao computador A, o computador A avalia o
modo de trabalho de acordo com o grau de abertura do volume do acelerador e controla a
corrente da válvula proporcional de controle da potência da bomba para corresponder ao modo
de trabalho.

Número do entalhe (1 a 15)


SP Entalhe pequeno (4 a 15) Entalhe grande (1 a 3)
SP

Curva à esquerda Curva à direita

Ressalto

SST-05-00-008EN 2
2
Explicação das novas funções
Corrente de * = Quando a velocidade alvo do motor é 1300 min-1 ou menos, a corrente da válvula proporcional de
controle controle da bomba de potência é 50 mA.
Posição do volume (posição do
1 2 3 4-8 9 - 15
ressalto)
Modo de trabalho (superior) SP H A

Velocidade do motor (min-1) 1900 1800 1700 1699 - 1300 1299 - 900

SH330-5 Corrente para válvula proporcional de


500 500 500 380 50
controle da potência da bomba (mA)
Reforço de pressão Auto Auto Normal

1 Computador A 5 Sensor de pressão de P2


2 Volume do acelerador 6 Sensor de pressão N1
3 Bomba hidráulica 7 Sensor de pressão N2
Válvula proporcional de controle de
4 Sensor de pressão de P1 8
potência da bomba

3 SST-05-00-008EN
3
Explicação das novas funções
Método de conexão do computador
[1] Computadores e ECM conectados via comunicação CAN.
[2] O monitor e os computadores são conectados via comunicação serial (UART).
BARRAMENTO CAN
RESISTÊNCIA DE
TERMINAÇÃO

Comunicação serial
(UART)
TX ... Envio
CAN CAN
RX ... Recepção

TX RX
CAN
UART RX TX UART

ECM

1 Monitor
2 Computador A
3 Computador S
1) Computador A.......... Computador lateral da unidade principal (padrão)
2) Computador S.......... Computador de suporte remoto (padrão)
3) ECM ......................... Computador do motor

SST-05-00-008EN 4
4
Explicação das novas funções
Alterações do monitor

1 Chave seletora do volume da buzina


Chave seletora de velocidade de
2
deslocamento
3 Interruptor de marcha automática
✩ Diferenças em relação ao modelo 3B
[1] Alteração na cor do fundo do LCD (verde  branco); sem alteração no número ou no tamanho
dos pontos do LCD
[2] Alterações no interruptor montado

Nome do interruptor Modelo 3B Modelo 5 Detalhes


Troca do modo de ligação do volume
Modo de trabalho Sim Eliminado
de aceleração
Troca do modo de ligação do volume
Modo automático Sim Eliminado
de aceleração
Modo de
Sim Sim
deslocamento
Limpador Sim Sim
Lavador Sim Sim
Luz de Trabalho Sim Sim
Trava do giro Sim Eliminado
Parada de Alterado para o interruptor de
Sim Eliminado
emergência duas posições
Parada da Campainha alterada para
Sim Eliminado
campainha desligamento automático
Rotação baixa
Não Sim Interruptor dedicado adicionado
automática
Volume da buzina Não Sim Adicionado recentemente
[3] Aumento considerável no brilho do LCD (Modelo 3B: 6 cd mínimo Modelo 5: tipo 220 cd) (O
brilho aumentado cria uma luminosidade à noite, portanto, uma função de redução de luz
vinculada à saída da luz de trabalho foi adicionada.)

5 SST-05-00-008EN
5
Explicação das novas funções
[4] Portas de entrada do interruptor externo adicionadas (5 portas)

Os 4 interruptores abaixo
entram no monitor e o status
de cada interruptor é
transmitido para o computador
A via comunicação serial
(UART).
(1) Fim de curso da janela
dianteira
(2) Chave seletora do britador
(3) Chave seletora do modo
triturador
(4) Interruptor de fluxo de
2 bombas
STATUS DOS DADOS
DE “IN1 ~ IN5” 
UART (Comunicação serial)

1 Monitor
2 Computador A
Objetivo
Enviar o estado dos interruptores acima para o computador A torna possível verificar a operação
de cada interruptor na tela de verificação de suporte de serviço. Também, como o tempo
acumulado de operação de cada interruptor é armazenado no computador A, o tempo em que a
janela dianteira ficou aberta ou fechada e o registro de uso de cada linha de opção pode ser
verificado na tela HR de suporte de serviço.

SST-05-00-008EN 6
6
Explicação das novas funções
[5] Alteração do método de controle da porta de saída (limpador, lavador, luz de trabalho, troca do
volume da buzina)

Monitor do modelo 3B iGN


Monitor do modelo 5 iGN

PB ON/OFF
dados

SAÍDA 4
solicitação de
saída

Para o Modelo 3, quando o interruptor no monitor é Para o Modelo 5, os sinais de interruptor no monitor
colocado em ON/OFF (LIGADO/DESLIGADO), a são enviados para o computador A pelo circuito de
saída é controlada apenas pelo monitor. comunicação UART, a saída ON/OFF (LIGADO/
DESLIGADO) é determinada pelo lado do
computador A e a solicitação de saída é enviada ao
monitor pelo UART. No entanto, se a comunicação
UART normal não for possível (por exemplo, devido
a uma desconexão), o sistema troca
automaticamente para o controle do monitor.
(O mesmo controle do modelo 3)
Contudo, a troca para o modo de deslocamento e a
troca para a rotação baixa automática não poderão
ser operadas.

1 Mostrador do monitor
2 Computador A
Objetivo
Passar os estados dos interruptores pelo computador A torna possível o seguinte.
1) Verificação da operação de cada interruptor na tela CHK de suporte de serviço
2) Verificação do registro de uso da cada operação na tela HR de suporte de serviço
Avaliação de anormalidades de comunicação
Se houver alguma anormalidade na comunicação da UART entre o monitor e o computador A, os
LEDs da chave seletora do modo de deslocamento e da chave seletora de marcha automática
acendem para indicar a anormalidade.

7 SST-05-00-008EN
7
Explicação das novas funções
Interruptor de pressão piloto alterado para sensor de pressão
Nº Modelo 3B Modelo 5 Detalhes da alteração
1 Pressostato superior Sensor de pressão superior Pressostato para sensor
Sensor de pressão do
2 Pressostato do deslocamento Pressostato para sensor
deslocamento
3 Pressostato do giro Sensor de pressão do giro Pressostato para sensor
Alteração de peças (não intercambiáveis
4 Sensor de pressão de P1 Sensor de pressão de P1 com Modelo 3B)
Alteração de peças (não intercambiáveis
5 Sensor de pressão de P2 Sensor de pressão de P2 com Modelo 3B)
Alteração de peças (não intercambiáveis
6 Sensor de pressão N1 Sensor de pressão N1 com Modelo 3B)
7 Nenhum Sensor de pressão N2 Adicionado recentemente
8 Pressostato da opção Pressostato da opção Sem alteração
[1] Configuração
Sensor de pressão piloto e pontos sensores de troca

1 Computador A 6 Alavanca da 1ª opção 11 Alavanca de deslocamento (direita)


2 Alavanca da caçamba 7 Sensor de pressão superior 12 Alavanca da 2ª opção
3 Alavanca do braço 8 Sensor de pressão do giro 13 Sensor de pressão do deslocamento
4 Alavanca da lança 9 Pressostato da 1ª opção 14 Pressostato da 2ª opção
5 Alavanca de giro 10 Alavanca de deslocamento (esquerda)

SST-05-00-008EN 8
8
Explicação das novas funções
[2] Características do sensor de pressão piloto
Relação entre pressão piloto e tensão (nominalmente 5 MPa)
Tensão [V]

Pressão [MPa]

[3] Critério do sensor ON/OFF (LIGA/DESLIGA)

Sensor de Pressostato da
Sensor superior Sensor de giro
deslocamento opção
LIG. 0,5 MPa 0,5 MPa 0,5 MPa 0,5 MPa
DESL. 0,3 MPa 0,3 MPa 0,3 MPa 0,3 MPa
[4] Critério de problema no sensor
Quando 0,25 V < Tensão < 4,75 V, normal; caso contrário, anormal
Anormal Normal Anormal

Tensão [V]
0 0,25 4,75 5
[5] Novas funções através do interruptor para o sensor
Alterar o interruptor da pressão piloto para um sensor torna possível avaliar uma operação
precisa da alavanca de operação.

Pressão [MPa]

Tempo [s]

Operação precisa
Método de avaliação
Quando o tempo para atingir a pressão Pu [MPa] é t1 [s] ou t2 [s],
quanto mais rápido Pu [MPa] é atingida, mais precisa é a operação.
Assim, t1 [s] é uma operação mais precisa que t2 [s].
Nas máquinas do Modelo 5, os padrões de avaliação de operação precisa ⊿ Pu [MPa] e ⊿ T [s]
são definidos no computador A e, se ocorrer um reforço de pressão ⊿ Pu [MPa] durante ⊿ T [s],
uma avaliação de operação precisa é realizada.
Igualmente, uma carga precisa é analisada da mesma maneira usando o sensor de pressão
principal.

9 SST-05-00-008EN
9
Explicação das novas funções
Válvula proporcional eletromagnética da bomba
2 válvulas proporcionais eletromagnéticas são montadas na bomba principal.
[1] Válvula proporcional de controle de potência
[2] Válvula proporcional P1 para controle de fluxo (adicionada recentemente)

1 Computador A
2 Bomba hidráulica
Válvula proporcional de controle
3
de fluxo de P1
4 Sensor de pressão de P1
5 Sensor de pressão de P2
6 Sensor de pressão N1
7 Sensor de pressão N2
Válvula proporcional de controle
8
de potência

1. Válvula proporcional de controle de potência


Controla o fluxo geral para as bombas P1 e P2
Aplicações
1) Controle do reforço da potência da bomba
2) Controle de corte da potência da bomba
Controle
Corrente de controle: 50 mA mín. ............... 500 mA máx.
Aumento da corrente  Aumento do fluxo da bomba
Diminuição da corrente  Redução do fluxo da bomba
2. Válvula proporcional de controle de fluxo de P1
Controle do fluxo para a bomba P1
Aplicações
1) Controle do corte do alívio do giro
2) Controle do limite de velocidade do giro
3) Controle da economia de potência
4) Controle de fluxo opcional
Controle
Corrente de controle: 50 mA mín. ............... 740 mA máx.
Aumento da corrente  Redução do fluxo da bomba
Diminuição da corrente  Aumento do fluxo da bomba
* Para ser possível detectar desconexões, o valor mínimo para a corrente de controle é
ajustado em 50 mA. Em 0 mA, o computador A avalia que a linha está desconectada.

SST-05-00-008EN 10
10
Explicação das novas funções
Controle de sistema para economia de energia
O consumo de combustível é reduzido em 8% pelo uso de três novos sistemas de controle de pressão
hidráulica.
[1] Controle da redução de carga transiente (5% de redução)
[2] Controle do corte do alívio do giro (2% de redução)
[3] Controle da economia de potência (1% de redução)
1. Redução no consumo de combustível através do controle de redução de carga transiente
Quando a alavanca é operada repentinamente ou quando há uma alta carga precisa, o retardo do
controle da bomba reduz a velocidade do motor.
Nesse momento, o controle lateral do motor aumenta a quantidade de injeção de combustível para
restaurar a velocidade para a velocidade alvo do motor, de modo que o consumo de combustível
aumenta. Ao usar o controle da redução de carga transiente, quando essas condições ocorrem, o
torque da bomba é reduzido para minimizar a queda da velocidade do motor e diminuir o consumo
de combustível.
(1) Controle de redução de carga transiente
Quando as condições abaixo ocorrerem, a corrente para a válvula proporcional de controle da
potência da bomba é, primeiro, reduzida para a corrente mínima a fim de diminuir o torque da
bomba. Em seguida, a potência é controlada aumentado gradualmente as correntes enquanto
observa a diferença entre a velocidade real do motor e a velocidade alvo, reduzindo, assim, o
aumento na quantidade de injeção de combustível.
Condições
1) Operação precisa da alavanca
Avaliada pelo aumento preciso da pressão no sensor de pressão superior
2) Operação para altas cargas e cargas precisas
Avaliada pelo aumento preciso da pressão no sensor de pressão da bomba P1 ou P2

11 SST-05-00-008EN
11
Explicação das novas funções
2. Redução no consumo de combustível através do controle de corte do alívio do giro
Linha de giro do modelo 3B
• Ao iniciar o giro, a alta pressão é necessária, mas não o fluxo. No modelo 3B, quase todo o óleo
flui do alívio do giro para o tanque quando o giro é iniciado, assim a energia é consumida
desnecessariamente.

1 Motor de giro

Linha de giro do modelo 5


[1] Corte do alívio do giro usado
Objetivo
O controle de corte do alívio do giro fornece alívio quando a pressão é reforçada para o início do
giro devido à operação precisa de giro, e o excesso de óleo drenado é mantido no nível mínimo
possível. Isso proporciona um efeito de economia de energia.
Operação
Para uma operação precisa de giro, quando o giro é iniciado, o volume da descarga da bomba
P1 é reduzido e apenas a quantidade de óleo necessária é enviada. Quando o giro constante é
atingido, é necessário haver fluxo para que o volume da descarga da bomba P1 seja
aumentado.
Quando o giro é Com giro constante
iniciado

A corrente de saída do computador A para a A corrente de saída do computador A para a


válvula proporcional de fluxo de P1 é aumentada válvula proporcional de fluxo de P1 é aumentada
para diminuir o volume de descarga da bomba. para aumentar o volume de descarga da bomba.

1 Computador A 3 Descarga aumentada


2 Descarga reduzida 4 Válvula de controle de fluxo de P1

Aviso
Válvula proporcional de controle de fluxo de P1 Corrente (alta)  Fluxo da bomba P1 (baixa)
Corrente (baixa)  Fluxo da bomba P1 (alta)

SST-05-00-008EN 12
12
Explicação das novas funções
Conteúdo do controle
Quando as condições abaixo são atendidas, o computador A avalia que se trata do controle de
corte do alívio do giro, aumenta a corrente para a válvula proporcional de controle de fluxo de P1
e reduz o fluxo de P1.
Depois disso, enquanto verifica a pressão de descarga da bomba P1, ele gradualmente reduz a
corrente de saída para a válvula de controle de fluxo de P1 e aumenta o fluxo da bomba P1 para
a velocidade constante de giro.
Condições
1) Operação precisa de giro ................... Avaliada pelo estado de aumento de pressão do sensor
de pressão piloto do giro
2) Em 1 segundo após o início do giro
3) Sem operação do acessório ............... A ausência de operação de acessórios é avaliada pela
pressão de controle negativo N2 e sensor de pressão
de P1.
4) Sem operação de deslocamento ........ Sensor de pressão de deslocamento DESLIGADO
5) Sem operação da linha de opção ....... Sensor de pressão da opção DESLIGADO

<DENTRO>

<SAÍDA>

1 Computador A 9 Opção 17 Sensor de pressão superior


2 Válvula de controle remoto do giro 10 Deslocamento (esquerda) 18 Sensor de pressão de P1
3 Motor de giro 11 Braço (2) 19 Sensor de pressão de P2
4 Sensor de pressão do giro 12 Lança (1) 20 Bomba hidráulica
5 Pressostato da opção 13 Caçamba 21 Sensor de pressão N1
6 Braço (1) 14 Deslocamento (direita) 22 Sensor de pressão N2
7 Lança (2) 15 Deslocamento em linha reta 23 Descarga aumentada/reduzida
Válvula proporcional de controle de
8 Giro 16 Sensor de pressão do deslocamento 24
fluxo de P1

13 SST-05-00-008EN
13
Explicação das novas funções
3. Redução no consumo de combustível através do controle de economia de potência
Alteração do circuito de controle negativo
[1] Circuito de controle negativo do Modelo 3B
Controle no qual o fluxo de descarga diminui conforme a pressão de controle negativo aumenta.
Isso reduz o fluxo da não operação, de modo
que há um efeito de economia de potência.

<Operação>
(1) O óleo descarregado da bomba é drenado da derivação central da válvula de controle e
enviado para a pressão de ajuste do pé de alívio no fluxo de saída do orifício de
controle negativo.
(2) O óleo drenado do orifício de controle negativo vai para as portas de controle negativo
das bombas P1 e P2, assim, acompanhando o reforço de pressão de controle
negativo, o ângulo de inclinação da bomba é inclinado para o lado mínimo, a fim de
ajustar a descarga da bomba para o mínimo.

1 Braço (1) 7 Lança (1)


2 Lança (2) 8 Caçamba
3 Giro 9 Deslocamento (direita)
4 Opção 10 Deslocamento em linha reta
5 Deslocamento (esquerda) 11 Descarga reduzida
6 Braço (2)

SST-05-00-008EN 14
14
Explicação das novas funções
[2] Circuito de controle negativo do modelo 5
Controle da economia de potência usado
Objetivo
Ao tornar o alívio de controle negativo variável e diminuir a pressão de controle negativo, um
efeito ainda maior de economia de energia é obtido.
No caso da ausência de operação, isso proporciona baixa pressão + baixo fluxo, o que gera um efeito de
economia de energia ainda maior.

Ponto (1)
Quando a válvula de pé de
alívio de controle negativo é
alterada para o alívio em 2
estágios e a válvula solenoide
de economia de potência é
LIGADA para a ausência de
operação, a pressão de controle
negativo cai de 3 MPa (435 psi)
para 1 MPa (145 psi).

<DENTRO>

<SAÍDA>

<Operação>
1) Um segundo após o término da operação, a válvula solenoide de economia de potência é LIGADA, a pressão da
mola de alívio de controle negativo é levada da porta C5 do bloco solenoide de 5 pilhas através da válvula solenoide
de economia de potência, e para o tanque, a válvula de alívio de controle negativo é alternada e a pressão de
descarga da bomba cai.
2) Quando a pressão de descarga da bomba cai, a pressão de controle negativo também cai simultaneamente, assim,
as válvulas de controle negativo das bombas P1 e P2 são controladas conforme abaixo.
Bomba P1... A válvula proporcional de fluxo de P1 é operada, a pressão de controle negativo é estabelecida e a
descarga da bomba é reduzida pelo fluxo de controle negativo.
Bomba P2... A troca do solenoide de economia de potência leva a pressão piloto da porta C5 do bloco solenoide
através da válvula corrediça e para a porta de controle negativo, a fim de reduzir o fluxo de controle
negativo.
3) Se qualquer um dos sensores (superiores) de pressão piloto, deslocamento ou giro for LIGADO, o controle normal é
restaurado depois de cerca de 0,1 segundo.

1 Computador A 10 Deslocamento (esquerda) 19 Descarga reduzida


2 Válvula proporcional de controle de fluxo de P1 11 Braço (2) 20 2ª velocidade de deslocamento
3 Válvula solenoide de economia de energia 12 Lança (1) 21 Reforço de pressão
4 Sensor de pressão do giro 13 Caçamba 22 Freio de giro
5 Alívio do controle negativo 14 Deslocamento (direita) 23 Trava da alavanca
6 Braço (1) 15 Deslocamento em linha reta 24 Economia de potência
7 Lança (2) 16 Sensor de pressão do deslocamento 25 Válvula solenoide de 5 pilhas
8 Giro 17 Sensor de pressão superior
9 Opção 18 Bomba hidráulica

15 SST-05-00-008EN
15
Explicação das novas funções
Controle do limite de velocidade do giro
Objetivo
Uma vez que o fluxo máximo da bomba foi aumentado em comparação com o Modelo 3, a
velocidade do giro no fluxo máximo da bomba é rápida demais.
Para obter melhor capacidade de operação do giro e efeitos de economia de energia, a
velocidade máxima do giro é mantida baixa, igual à velocidade do Modelo 3B.
(SH330-5 Volume da descarga máxima de P1 reduzida de 285 l/min  280 l/min; controle
apenas do modo SP)
Operação
Quando todas as condições abaixo são atendidas, a corrente de saída para a válvula de
controle de fluxo de P1 é ajustada para o máximo de 370 mA e o fluxo da bomba P1 é mantido
baixo.
Condições
1) Operação total da alavanca de único giro ... Avaliado pelos sensores de pressão de controle
negativo N1 e N2 e pelos sensores de pressão de P1 e P2
2) Sem operação de deslocamento ... Sensor de pressão de deslocamento DESLIGADO
3) O modo de trabalho é SP.

SST-05-00-008EN 16
16
Explicação das novas funções
Condições finais
1) Operação de deslocamento  Fim imediato (para evitar desvio de deslocamento)
2) Operação de outro acessório  Fim gradual (para reduzir choque)
3) Operação do circuito da opção

<DENTRO>

<SAÍDA>

1 Computador A 9 Opção 17 Sensor de pressão superior


2 Válvula de controle remoto do giro 10 Deslocamento (esquerda) 18 Sensor de pressão de P1
3 Motor de giro 11 Braço (2) 19 Sensor de pressão de P2
4 Sensor de pressão do giro 12 Lança (1) 20 Bomba hidráulica
5 Pressostato da opção 13 Caçamba 21 Sensor de pressão N1
6 Braço (1) 14 Deslocamento (direita) 22 Sensor de pressão N2
7 Lança (2) 15 Deslocamento em linha reta 23 Descarga aumentada/reduzida
Válvula proporcional de controle de
8 Giro 16 Sensor de pressão do deslocamento 24
fluxo de P1
Fluxo do início do giro para giro de velocidade constante (modo SP)
Operação da alavanca de giro  Avaliada como a condição de corte do alívio do giro  Corrente
maior para a válvula proporcional de controle de fluxo P1  Fluxo da bomba P1 reduzido 
Corrente gradualmente diminuída enquanto é verificado o status da queda de pressão do giro 
Fluxo da bomba P1 aumentado  Avaliada como a condição de limite de velocidade  Corrente
da bomba P1 fixada em 370 mA

17 SST-05-00-008EN
17
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos

Diagrama do layout dos equipamentos elétricos


Visão geral

Lateral esquerda da unidade principal


1
(câmara do radiador)
2 Motor
Lateral direita da unidade principal
3
(câmara da bomba)
4 Seção central da unidade principal
5 Cabine

18 SST-05-01-009EN
1
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
1. Diagrama da lateral esquerda da unidade principal (câmara do radiador)
Diagrama da traseira da válvula corrediça

Localização dos fusíveis

1 Sensor do purificador de ar 6 Fusível: ECM20 A (F4) 11 Relé da bateria


2 Sensor de temperatura do ar de sucção 7 Fusível: computador 20 A (F5) 12 Sensor de secagem do receptor
3 Elo do fusível 65 A (F1) 8 Fusível: GPS15 A (F6) 13 Bateria
4 Elo do fusível 60 A (F2) 9 Sensor de pressão piloto do giro
5 Fusível: chave 15 A (F3) 10 Relé de segurança

SST-05-01-009EN 19
2
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
2. Diagrama da seção do motor

Sensor de temperatura do líquido de


1 7 Motor de partida
arrefecimento do motor
2 Sensor da pressão do reforço 8 Sensor de pressão hidráulica do motor
3 Interruptor de superaquecimento 9 Válvula de controle de sucção
4 Sensor de pressão do trilho comum 10 Sensor de temperatura do combustível
5 Válvula da EGR 11 Sensor de posição do came
6 Sensor de temperatura do reforço 12 Sensor da posição de arranque

20 SST-05-01-009EN
3
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
3. Diagrama da lateral direita da unidade principal (câmara da bomba)

1 Bomba do combustível de carga 8 Pressão reforçada


2 Sensor de pressão de P1 9 Alta velocidade de deslocamento
3 Sensor de pressão de P2 10 Sensor de pressão N1
4 Válvula solenoide de 5 pilhas 11 Válvula proporcional de controle de fluxo de P1
5 Economia de energia 12 Válvula proporcional de controle de potência
6 Trava da alavanca 13 Sensor de pressão N2
7 Trava do giro 14 Sensor de temperatura do óleo

SST-05-01-009EN 21
4
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
4. Diagrama da seção central da unidade principal

1 Sensor de pressão superior


2 Sensor de pressão do deslocamento

22 SST-05-01-009EN
5
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
5. Diagrama 1 do layout da cabine

Sensor de radiação solar do


1 7 Mostrador do monitor 13 Painel de controle do ar condicionado
ar condicionado
2 Relógio 8 Tomada de 12 V 14 Interruptor de parada de emergência
3 Acendedor de cigarros 9 Motor do limpador 15 Interruptor de duas posições
4 Botão 10 Rádio 16 Fim de curso da trava da porta
5 Controlador do limpador 11 Volume do acelerador
6 Interruptores de duas posições (4) 12 Cilindro principal

SST-05-01-009EN 23
6
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos

Localização dos fusíveis Localização de relés


Nº Nome da peça Nº Nome da peça Nº Nome
RADIO AUXILIAR, LÂMPADA DO BOMBA DE ABASTECIMENTO DE R1 Relé principal
F7 10 A F17 20 A
AMBIENTE COMBUSTÍVEL
F8 PRÉ-AQUECIMENTO DO MOTOR 30 A F18 MONITOR DE FUNDO, RELÓGIO 10 A
R2 Relé da vela incandescente
F9 LINHA DE OPÇÃO 10 A ASSENTO KAB, ACENDEDOR DE R3 Relé da lâmpada
F19 15 A
CIGARROS R4 Relé da lâmpada (CAB)
F10 UNIDADE DE AR-CONDICIONADO 5A
F20 CONVERSOR CC 10 A R5 Relé da buzina E
F11 SOPRADOR DO AR-CONDICIONADO 15 A
LUZ GIRATÓRIA DO ALARME DE
F12 COMPRESSOR DO AR- 5A
F21
DESLOCAMENTO
10 A R6 Relé da buzina D
CONDICIONADO
F22 RESERVA (GUINDASTE) 15 A R7 Relé do alto-falante D
F13 SOLENOIDE 10 A
F23 BOMBA DE COMB. ELETR. 10 A R8 Relé do alto-falante E
F14 LIMPADOR E LAVADOR 15 A
F15 BUZINA 10 A
F24 LÂMPADA (RESERVA) 15 A R9 Relé da lâmpada do ambiente
F25 ALAVANCA DE TRAVA (PORTA) 10 A R10 Relé da luz giratória
F16 LÂMPADA (LANÇA, ALOJAMENTO) 15 A
F26 LÂMPADA (CAB.) 15 A Relé de corte do motor
R11
de partida

1 Computador A 6 Conector de manutenção TECH II


2 Relé 7 Conector de manutenção EST
3 ECM (módulo de controle do motor) 8 Conector de manutenção do computador A
4 Caixa de fusível 9 Conector de manutenção do computador S
5 Sensor de pressão atmosférica

24 SST-05-01-009EN
7
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
6. Layout ao redor do assento do operador
Console direito

Console esquerdo
1 Porta-copo
2 Chave de partida
3 Espaço do interruptor de duas posições
4 Rádio AM / FM
5 Alavanca de inclinação
6 Volume do acelerador
7 Cinzeiro
8 Painel de controle do ar condicionado
9 Alavanca da porta
10 Interruptor de parada de emergência

SST-05-01-009EN 25
8
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Diagrama de peças independentes
Nome Formato Circuito Observações

Modelo: Especificações 24 V
Relé de CC
segurança N° da peça Isuzu: 182553-0391
Nº da peça: AEH0017

Modelo: Para +24 V CC


Relé da bateria
Nº da peça: KHR1241

Motor de Modelo: 5,0 kW - 24 V


partida N° da peça Isuzu: 898001-9150

Modelo: 50 A - 24 V
Alternador
N° da peça Isuzu: 897375-0171

Modelo: 130E41R
Bateria
Nº da peça: KHR3944

Motor do Nº da peça: KHR2261 (tanque +


lavador motor)

26 SST-05-01-009EN
9
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Elo do fusível Modelo: 65 A


(F1) Nº da peça: KHR1592

Elo do fusível Modelo: 50 A


(F2) Nº da peça: KHR3850

Caixa de
Modelo: 7224 - 8511 (20 A)
fusível (F3, F4,
7224 - 8512 (15 A)
F5, F6)

Volume do Modelo: RA30Y2 30SKB1KK


acelerador Nº da peça: KHR2751

Chave de Modelo: 24 V CC
partida Nº da peça: KHR3077

SST-05-01-009EN 27
10
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Sensor do nível
Nº da peça: KHR10670
de combustível

Bomba do
Modelo: 24 V CC
combustível de
Nº da peça: KHH10460
carga

Fim de curso
do tanque de Nº da peça: KHH0221
reserva

Sensor de
Nº da peça: KHH10330
vácuo

28 SST-05-01-009EN
11
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Vela
N° da peça Isuzu: 894390-7775
incandescente

Motor da EGR
Acessório da válvula da EGR –
Sensor de
válvula da EGR
posição da
N° da peça Isuzu: 898001-1910
EGR

Sensor de
Acessório do trilho comum
pressão do
N° da peça Isuzu: 897306-0632
trilho comum

Sensor de
posição do N° da peça Isuzu: 898014-8310
came

Sensor da
posição de N° da peça Isuzu: 897306-1131
arranque

Sensor da
pressão do N° da peça Isuzu: 897600-4340
óleo

SST-05-01-009EN 29
12
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Sensor da
pressão do N° da peça Isuzu: 180220-0140
reforço

Sensor de
temperatura do N° da peça Isuzu: 81246-8300
reforço

Acessório da bomba de
Sensor de
fornecimento – Bomba de
temperatura do
fornecimento
combustível
N° da peça Isuzu: 897306-0448

Acessório da bomba de
Válvula de
fornecimento – Bomba de
controle de
fornecimento
sucção
N° da peça Isuzu: 897306-0448

Injetor N° da peça Isuzu: 897329-7032

Sensor de
N° da peça Isuzu: 812146-8300
temperatura do
Nº da peça: KHH0535
ar de sucção

30 SST-05-01-009EN
13
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Sensor de
temperatura do
líquido de N° da peça Isuzu: 897170-3270
arrefecimento
do motor

Sensor de
N° da peça Isuzu: 897217-7780
pressão
Nº da peça: KHH0536
atmosférica

Computador A Nº da peça: KHR10024

Modelo: 24 V CC
Relé
Nº da peça: KHR3802

Conversor CC-
Nº da peça: KHR2447
CC

Alarme (bomba
de Nº da peça: KHR4024
alimentação)

SST-05-01-009EN 31
14
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Bomba de
Nº da peça: KHR12840
alimentação

Interruptor da
bomba de Nº da peça: KHR11520
alimentação

Lâmpada
(alojamento Modelo: 24 V 70 W
direito Nº da peça: KHR2475
dianteiro)

Lâmpada Modelo: 24 V 70 W
(lança) Nº da peça: KHR0957

Lâmpada (parte
Modelo: 24 V 70 W
superior da
Nº da peça: KHR16240
cabine)

32 SST-05-01-009EN
15
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Alto-falante (D) Nº da peça: CAP2284

Mostrador do Modelo: SK-0023-001-N0-KK


monitor Nº da peça: KHR10051

Sensor de
Modelo: 50,0 MPa
pressão (P1)
Nº da peça: KHR10290
(P2)

Sensor de
pressão (N1)
Modelo: 5,0 MPa
(N2) (giro)
Nº da peça: KHR10300
(superior)
(deslocamento)

Pressostato
Modelo: 0,49 MPa
(opção)
Nº da peça: KHR10820
(2ª opção)

SST-05-01-009EN 33
16
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Pressostato
Nº da peça: KHR14470
(filtro)

Válvula
solenoide de Nº da peça: KHJ14520
5 pilhas

Válvula
solenoide de
2 pilhas (tipo Nº da peça: KHJ14780
interruptor de
botão)

Válvula
solenoide de
Nº da peça: KHJ14000
2 pilhas (tipo
pedal)

Válvula
proporcional de
Nº da peça: TIP0002128
controle de
fluxo de P1

34 SST-05-01-009EN
17
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Válvula
proporcional de
Nº da peça: LJ00684
controle de
potência

Interruptor de
Nº da peça: KHR16140
giro livre

Modelo: KAB 555


Assento KAB
Nº da peça: KHN12810

Solenoide do
Nº da peça: KHJ0659
giro livre

Sensor de
temperatura do Nº da peça: KHR2433
óleo hidráulico

SST-05-01-009EN 35
18
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Relógio Nº da peça: KHR10060

Botão da direita
Modelo: Com 2 interruptores
(com rotação
Nº da peça: KHJ14460
por um toque)

Botão da direita
(com rotação Modelo: Com 4 interruptores
por um toque) Nº da peça: KHJ16140
(tipo curto)

Botão da
esquerda (com
interruptor de Modelo: Com 2 interruptores
buzina e corte Nº da peça: KHJ14450
de som do
rádio)

Botão da
esquerda (com
interruptor de
Modelo: Com 4 interruptores
buzina e corte
Nº da peça: KHJ16150
de som do
rádio) (tipo
curto)

36 SST-05-01-009EN
19
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Alarme de Nº da peça: KHR3852


deslocamento Frequência básica: 2560 Hz

Nº da peça: KHR2427
Buzina (baixa)
Frequência básica: 370 Hz

Nº da peça: KHR2428
Buzina (Alta)
Frequência básica: 415 Hz

Sistemas de cabeamento N°
da peça:
Diodo
6098-00176098-0061
Nº da peça: KHP1796

Fim de curso
da alavanca da Nº da peça: KHR14930
porta

SST-05-01-009EN 37
20
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Modelo: AM/FM ESTÉREO


Rádio (12/24 V)
Nº da peça: KHR15550

Lâmpada
Modelo: 24 V 10 W
(lâmpada do
Nº da peça: KHN2714
ambiente)

Tomada Modelo: 12 V CC
(acessório) Nº da peça: KHR2501

Acendedor de Modelo: 24 V CC
cigarros 24 V Nº da peça: KHR11210

Unidade de ar-
Nº da peça: KHR13320
condicionado

38 SST-05-01-009EN
21
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Fim de curso
(janela
Nº da peça: KHR2950
dianteira)
(porta)

Controlador do
Nº da peça: KHN3392
limpador

Motor do
Nº da peça: KHN16020
limpador

Sensor de
Nº da peça: KHR10540
radiação solar

Secagem do
receptor Nº da peça: KHR13590
(interruptor)

SST-05-01-009EN 39
22
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Compressor de
ar-
condicionado Nº da peça: KHR3197
(embreagem
magnética)

Atuador do
motor (mistura
de ar) (modo) Nº da peça: KHR13610
(renovar/
recircular)

Sensor do EVA Nº da peça: KHR13670

Sensor de
temperatura Nº da peça: KHR13790
interno

Relé
(compressor)
Nº da peça: KHR2836
(insuflador
DESLIGADO)

40 SST-05-01-009EN
23
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Soprador do
Nº da peça: KHR2845
motor

Amp do
Nº da peça: KHR13730
soprador

Painel de
interruptores do
Nº da peça: KHR12510
ar-
condicionado

Chave seletora
de opção
Nº da peça: KHR14450
(britador/
triturador)

Chave seletora
de opção Nº da peça: KHR14060
(britador)

SST-05-01-009EN 41
24
Diagrama do layout dos equipamentos elétricos
Nome Formato Circuito Observações

Chave seletora
de opção Nº da peça: KHR15020
(triturador)

Interruptor de
seleção de
Nº da peça: KHR14460
fluxo de 2
bombas

Interruptor de
parada de Nº da peça: KHR14050
emergência

42 SST-05-01-009EN
25
Diagramas estruturais do equipamento principal

Diagramas estruturais do equipamento principal


Layout do pino do conector de conexão
1. Computador A
Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 44a a 44f.

PINO 1 PINO 12

CN. C4
PINO 11 PINO 22

PINO 1 PINO 7

CN. C3
PINO 6 PINO 12

PINO 1 PINO 9

CN. C2
PINO 8 PINO 16

PINO 1 PINO 14
CN. C1

PINO 13 PINO 26

43 RST-05-02-001E
1
Diagramas estruturais do equipamento principal
2. Monitor
Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 44a a 44f.

PINO 9
PINO 20

PINO 1 PINO 10

RST-05-02-001E 44
2
Diagramas estruturais do equipamento principal

(L) (E)
(R) (D)
10PIN PINO 10
11PIN PINO 11
12PIN PINO 12
12V output Saída de 12 V
13PIN PINO 13
14PIN PINO 14
16PIN PINO 16
1PIN PINO 1
20PIN PINO 20
22PIN PINO 22
26PIN PINO 26
+5V_OUT +5V_OUT
6PIN PINO 6
7PIN PINO 7
8PIN PINO 8
9PIN PINO 9
ACC ACC
Accessory socket Tomada (acessório)
Air cleaner sensor Sensor do purificador de ar
Air conditioner Ar-condicionado
Air conditioner S/W panel Painel de S/W do ar condicionado
Alternator Alternador
ANTI-THEFT ANTIFURTO
Anti-theft protection setting knob Botão de configuração da proteção antifurto
ARM P-SENSOR SENSOR P DO BRAÇO
Auto/Manual S/W Auto/manual S/W
AVcc P-SENSOR SENSOR P AVcc
BACK-LIGHT (LCD) LUZ DO FUNDO (LCD)
Back-up Backup
BARO (atmospheric pressure) sensor Sensor BAROMÉTRICO (pressão atmosférica)
BATT BAT
BATTERY CHARGE BATTERY CHARGE
Blower amp Amp do soprador
Blower motor Soprador do motor
Boom light 70 W Iluminação da lança 70 W
Boost pressure sensor Sensor da pressão do reforço
Boost temperature sensor Sensor de temperatura do reforço
Boosted pressure Pressão reforçada
BOOT_CNT BOOT_CNT
Breaker Britador
BREAKER S/W BRITADOR S/W
Breaker/crusher switch Interruptor do britador/triturador
BUILT-IN LCD DRIVE DRIVE DE LCD INTEGRADO
C/R connector Conector C/R
Cab light 70 W Lâmpada da cabine 70 W
CAN DRIVER ACIONADOR CAN

44a
45 RST-05-02-001E
Diagramas estruturais do equipamento principal
Cigar lighter Acendedor de cigarros
CKP sensor Sensor CKP
CLOCK RELÓGIO
CMP sensor Sensor de CPM
Common rail pressure sensor Sensor de pressão do trilho comum
Computer A Computador A
COMPUTER A COMPUTADOR A
Computer S Computador S
Connection to Controller B Conexão ao controlador B
COOLANT LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO
Coolant temperature sensor Sensor de temperatura do líquido de arrefecimento
COUNTER CONTADOR
CPU CPU
CRUSH S/W TRITURADOR S/W
DC/DC Converter Conversor CC/CC
DIAG S/W DIAG S/W
DIAGNOSTIC connector Conector de DIAGNÓSTICO
DOOR PORTA
Dust S/W Poeira S/W
ECM ECM
EEPROM EEPROM
EGR position sensor Sensor de posição da EGR
EGR valve motor Motor da válvula da EGR
ENG_STOP ENG_STOP
Engine stop S/W Parada do motor S/W
EST connector (A) Conector EST (A)
EST connector (B) Conector EST (B)
Evaporator sensor Sensor do evaporador
FAN SPEED (OUT) VELOCIDADE DO VENTILADOR (SAÍDA)
FAN SPEED (RETN) VELOCIDADE DO VENTILADOR (RETORNO)
Filter check Verificação do filtro
Filter indicator Indicador do filtro
FLASH ROM (256k Bytes) FLASH ROM (256 kBytes)
Free swing Giro livre
FREQUENCY_IN FREQUENCY_IN
FREQUENCY_OUT FREQUENCY_OUT
FRONT WINDOW JANELA DIANTEIRA
Front window L/S (1) Janela dianteira L/S (1)
Front window L/S (1) and (2) are the same Janela dianteira L/S (1) e (2) têm os mesmos
switches interruptores
Front window L/S (2) Janela dianteira L/S (2)
FUEL LEVEL NÍVEL DE COMBUSTÍVEL
Fuel pump Bomba de combustível
Fuel sensor Sensor de combustível
Fuel temperature sensor Sensor de temperatura do combustível
Glow plug Vela incandescente
Glow relay Relé da vela incandescente
GND TERRA
HBCV sensor Sensor da HBCV
HCAN HCAN

RST-05-02-001E 46
44b
Diagramas estruturais do equipamento principal
HEAT AQUECIMENTO
Horn Buzina
Horn (L) Buzina (E)
Horn (R) Buzina (D)
Horn S/W Buzina S/W
HORN VOL VOL. BUZINA
HOUR HORA
HOUR METER HORÍMETRO
House light 70 W Lâmpada do alojamento 70 W
HYD. TEMP TEMP. HIDR.
IDLE ROTAÇÃO BAIXA
IGN IGN
ILLUMI-OUT SAÍDA DA ILUMINAÇÃO
ILUMI ILUMI
IN DENTRO
IN 1 IN1
IN 2 IN2
IN 3 IN3
IN 4 IN4
IN1 (SW: WINDOW) IN1 (SW: JANELA)
IN2 (SW: BREAKER) IN2 (SW: BRITADOR)
IN3 (SW: CRUSHER) IN3 (SW: TRITURADOR)
IN4 (SW: 2SPEED) IN4 (SW: 2ª VEL.)
IN5 (UPDATE_SW) IN5 (UPDATE_SW)
Injector #1 Injetor nº 1
Injector #2 Injetor nº 2
Injector #3 Injetor nº 3
Injector #4 Injetor nº 4
Injector #5 Injetor nº 5
Injector #6 Injetor nº 6
KEY S/W CHAVE S/W
Knob (L) Botão (E)
Knob (R) Botão (D)
Knob L Botão E
Knob R Botão D
LAMP LÂMPADA
LCD DISPLAY MOSTRADOR LCD
LED1 (WIPER INT) LED1 (LIMPADOR INT.)
LED2 (WIPER CNT) LED2 (LIMPADOR CNT)
LED3 (W. LAMP) LED3 (W. LAMP)
LED4 (T. MODE) LED4 (T. MODE)
LED5 (A-IDLE) LED5 (A-IDLE)
LED6 (HORN VOL) LED6 (VOL. BUZINA)
Left knob Botão da esquerda
Lever lock L/S Trava da alavanca L/S
Lever lock solenoid Solenoide da trava da alavanca
Magnetic Clutch Embreagem magnética
Main relay Relé principal
MEMORY CLEAR MEMÓRIA LIMPA
Monitor Monitor

47
44c RST-05-02-001E
Diagramas estruturais do equipamento principal
Monitor display Mostrador do monitor
MONITOR DISPLAY MOSTRADOR DO MONITOR
Monitor S/W (Horn volume) Monitor S/W (Volume da buzina)
Motor actuator (air mix) Atuador do motor (mistura de ar)
Motor actuator (mode) Atuador do motor (modo)
Motor actuator (recirculate) Atuador do motor (recirculação)
N1 sensor Sensor N1
N1 SENSOR SENSOR N1
N2 sensor Sensor N2
N2 SENSOR SENSOR N2
OFF DESL.
Oil pressure sensor Sensor da pressão do óleo
Oil temperature sensor Sensor de temperatura do óleo
ON LIG.
One-touch IDL ROT. BAIXA por um toque
OPT (2SP) OPC. (2ª vel.)
OPT 2 LEV L-L ALAV. OPC2 E-E
OPT 2 LEV L-R ALAV. OPC2 E-D
OPT 1 LEV R-L ALAV. OPC1 D-E
OPT 1 LEV R-R ALAV. OPC1 D-D
OPT 2nd speed OPC. 2ª velocidade
OPT 2ND SPEED OPC. 2ª VELOCIDADE
OPT 2nd speed S/W OPC. 2ª velocidade S/W
Option Opção
Other Outros
OUT SAÍDA
OUT 1 SAÍDA 1
OUT 2 SAÍDA 2
OUT 3 SAÍDA 3
OUT1 (WIPER_INT) OUT1 (WIPER_INT)
OUT2 (WIPER_CNT) OUT2 (WIPER_CNT)
OUT3 (WASHER) OUT3 (LAVADOR)
OUT4 (LAMP) OUT4 (LÂMPADA)
OUT5 (HORN VOL) OUT5 (VOL. BUZINA)
Over load Sobrecarga
OVER LOAD OVER LOAD (Sobrecarga)
P1 sensor Sensor P1
P1 SENSOR SENSOR P1
P2 sensor Sensor P2
P2 SENSOR SENSOR P2
PC/BOOT PC/BOOT
PIN PINO
POTENTIO_AGND POTENTIO_AGND
POWER ENERGIA
Power save Economia de energia
PROGRAM SELECT SELEÇÃO DE PROGRAMA
P-S/W OPT/ELV P-S/W OPC/ELV
P-SW 2 OPT/BRAKE P-SW 2 OPC/FREIO
Pulverizer Pulverizador
PUMP FLOW (OUT) FLUXO DA BOMBA (SAÍDA)

RST-05-02-001E 48
44d
Diagramas estruturais do equipamento principal
PUMP FLOW (RETN) FLUXO DA BOMBA (RETORNO)
Pump flow proportional valve Válvula proporcional da vazão da bomba
Pump horsepower proportional valve Válvula proporcional da potência da bomba
PUMP POWER (OUT) POTÊNCIA DA BOMBA (SAÍDA)
PUMP POWER (RETN) POTÊNCIA DA BOMBA (RETORNO)
Radio Rádio
RAM (12k Bytes) RAM (12 kBytes)
Reserve tank L/S Tanque de reserva L/S
RETN RETORNO
Room lamp Lâmpada do ambiente
RS232C DRIVER ACIONADOR RS232C
S/V BREAKER/CRUSHER V/S DE BRITADOR/TRITURADOR
S/V FAN REVERSE V/S DE REVERSÃO DO VENTILADOR
S/V FREE SWING V/S DO GIRO LIVRE
S/V POWER SAVE V/S DE ECONOMIA DE ENERGIA
S/V RELIEF V/S DE ALÍVIO
S/V SWING BRAKE V/S DO FREIO DE GIRO
S/V TRAVEL V/S DE DESLOCAMENTO
S/W mute S/W mudo
Safety relay Relé de segurança
SCV (suction control valve) SCV (Válvula de controle de sucção)
SENSOR SENSOR
SENSOR_AGND SENSOR_AGND
SERIAL EEPROM 32K bit (4k x 8) EEPROM SERIAL 32 Kbit (4 k x 8)
SHLD GND SHLD GND
SINGLE CHIP CPU CPU DE UM CHIP
Solar radiation sensor Sensor de radiação solar
Starter motor Motor de partida
Suction air temperature sensor Sensor de temperatura do ar de sucção
SW AIR CLEANER PURIFICADOR DE AR SW
SW FAN REVERSE REVERSÃO DO VENTILADOR SW
SW FILTER IND IND. DO FILTRO SW
SW FREE SWING GIRO LIVRE SW
SW HBCV/TRVL ALM ALARME DE HBCV/DESL. SW
SW_IN1 SW_IN1
SW_IN10 SW_IN10
SW_IN11 SW_IN11
SW_IN12 SW_IN12
SW_IN13 SW_IN13
SW_IN2 SW_IN2
SW_IN3 SW_IN3
SW_IN4 SW_IN4
SW_IN5 SW_IN5
SW_IN6 SW_IN6
SW_IN7 SW_IN7
SW_IN8 SW_IN8
SW_IN9 SW_IN9
SW1 (WIPER) SW1 (LIMPADOR)
SW2 (WASHER) SW2 (LAVADOR)
SW3 (W. LAMP) SW3 (W. LAMP)

49
44e RST-05-02-001E
Diagramas estruturais do equipamento principal
SW4 (A-IDLE) SW4 (A-IDLE)
SW4 (T. MODE) SW4 (T. MODE)
SW6 (HORN VOL) SW6 (VOL. BUZINA)
Swing brake SOL SOL. do freio do giro
Swing P sensor Sensor do giro P
SWING-P SENSOR SENSOR DO GIRO P
SWITCH PANEL PAINEL DE INTERRUPTORES
Temperature sensor Sensor de temperatura
THROTTLE ACELERADOR
THROTTLE VOL. VOL. DO ACELERADOR
Throttle volume Volume do acelerador
TO air conditioner S/W PARA o ar-condicionado S/W
To beacon Para a luz giratória
To KAB. SEAT Para ASSENTO KAB
Travel 2nd speed SOL SOL. de 2ª velocidade de deslocamento
Travel alarm Alarme de deslocamento
TRAVEL ALARM ALARME DE DESLOC.
Travel P sensor Sensor P de deslocamento
TRAVEL P-SENSOR SENSOR P DE DESLOCAMENTO
TURBO TIMER/FUEL PUMP TEMP. DO TURBO/BOMBA DO COMB.
UPPER P-SENSOR SENSOR P SUPERIOR
Upper side P sensor Sensor P do lado superior
Washer Arruela
WASHER LAVADOR
WIPER CNT LIMPADOR CNT
Wiper Controller Controlador do limpador
WIPER INT LIMPADOR INT
Wiper Motor Motor do limpador
Working light Luz de Trabalho

RST-05-02-001E 50
44f
Diagrama do circuito elétrico

Diagrama do circuito elétrico


Visão geral Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 44a a 44f.
1. Diagrama do circuito de sequência

SST-05-03-010EN 45
1
Diagrama do circuito elétrico
Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 44a a 44f.

97
Injector #1
121 W350
L352
119
Injector #2

B356
114
Injector #3

G354
117

R351
Injector #4
116
R357
R351 115

Injector #5

120 Y353

Injector #6
118 P355

46 SST-05-03-010EN
2
Diagrama do circuito elétrico
Diagrama do bloco Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 44a a 44f.
1. Computador A

SST-05-03-010EN 47
3
Diagrama do circuito elétrico
2. Computador S Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 44a a 44f.

Computador S

Chave S/W

Computador A

Computador B

ECM

Computador A

Computador B

ECM

48 SST-05-03-010EN
4
Diagrama do circuito elétrico
3. ECM Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 44a a 44f.

ChaveS/W
S/W ECM
ECM G372
KEY
LgR530 LR336 24 L371
ST M 107
Relé da vela incandescente
Glow relay G370 Sensor
CKP CKP
sensor
LgR338 BrR339 BW689
R2 10 108
R11
GrR009 BrR009 GrR010 GrR337 W373
46
L374 Sensor de CPM
CMP sensor
98
BL687
100
Relé
Mainprincipal
relay
BG608 YR332 87 W307
R1 21
Sensor
Common de rail
pressão
YR333 L317
40 82 do trilho comum
pressure sensor
L318
90
F4 R1
RG125 WR330 G327
2 101
WR331 5
94 GB363 U
Parada Sensor de posição
EGR position da EGR
sensor
Engine do motor
stop S/W S/ 93 GW364
V
RG126 LG340 92 GR365
47 W

111 WR360 U
Conector de DIAGNÓSTICO
DIAGNOSTIC Connector Motorvalve
da válvula
103 WB361 V M EGR motorda
CN51
110 WL362
W
EGR
DIAG S/W
DIAG S/W WB303
BG691 PB083 PB082 80
52
CN55
67
Y313 Sensor da pressão
Oil pressure do
sensor
MEMÓRIA CLEAR
MEMORY LIMPA BY323
óleo
BG692 BrY084 79
32
RG316 BY Sensor de temperatura do
84 Coolant
líquido detemperature sensor
arrefecimento
83 YG315 BY Sensor de temperatura do
Fuel temperature sensor
combustível
RW304
95
L314 Sensor
Boost da pressão do
91
Computador
Computer AA reforço
pressure sensor
GW324
109
GR312 RL
P040 P042 74
CNC2-6 18 Sensor de temperatura
Boost temperature do reforço
sensor
PG041 PG043 RW368
CNC2-14 37 105
RW369 SCV
SCV (Válvula
(suctionde controle
control de sucção)
valve)
113
89 RG366

97 RG367

Injetor
Injectornº#1
1
121 W350
L352
119
Injetor
Injectornº#2
2

B356
114
Injetor
Injectornº#3
3

G354
117
BARO
BARO
sensor (pressão
(atmospheric pressure) Injetor
Injectornº#4
4
atmosférica)
sensor 116 R351
W300 R357
61 R351 115
116
YL310
71 Injetor
Injectornº#5
5

G320 120 Y353


60

Injetor
Injectornº#6
6
Sensor air
Suction de temperature
temperatura
do arsensor
de sucção 118 P355
G321 L311
72
B770
1
B771
3
B772
4
BG670
43
BG671
62
BG672
81

SST-05-03-010EN 49
5
Diagrama do circuito elétrico
4. Mostrador do monitor

Controlador do limpador
Lavador

Motor do limpador

Mostrador do monitor
Interruptor do britador/triturador
LIMPADOR
INT TRITURADOR Pulverizador
LIMPADOR S/W
CNT
BRITADOR S/W Britador
LAVADOR
OPC. 2ª velocidade S/W
OPC. 2ª
Computador A VELOCIDADE
Janela dianteira L/S
MON TXD JANELA
DIANTEIRA
MON RXD
Para o ar-condicionado
S/W

BAT
TERRA
Alternador
IGN
HORA

RELÓGIO

ILUMI
Luz da cabine 70 W

Luz da cabine 70 W

Iluminação da lança 70 W

LÂMPA-
DA Lâmpada do alojamento 70 W

VOL.
BUZINA
Buzina S/W

50 SST-05-03-010EN
6
Diagrama do circuito elétrico
5. Ar-condicionado

Poeira S/W Embreagem magnética

Amp do Verificação do filtro


soprador
Soprador do motor

Sensor do evaporador

Sensor de temperatura

Sensor de radiação solar

Atuador do motor
(mistura de ar)

Painel de
interrupto-
res do
ar-condici-
onado

Atuador do motor
(modo)

Janela dianteira

Atuador do motor
(recirculação)

CHAVE S/W

Computador A

Lâmpada do ambiente
DESL.
PORTA

LIG.

SST-05-03-010EN 51
7
Diagrama do circuito elétrico
6. Trava da alavanca

Trava da alavanca L/S Solenoide da trava da alavanca

CHAVE S/W

Relé de segurança

Computador A

Alternador

7. Buzina
Buzina S/W

Buzina
Buzina (E)

Buzina (D)

Monitor S/W (Volume da buzina)

52 SST-05-03-010EN
8
Diagrama do circuito elétrico
8. Luz de Trabalho
Luz da cabine 70 W

Luz da cabine 70 W

Monitor S/W

Lâmpada do alojamento 70 W

Iluminação da lança 70 W

9. Opção
Britador

OPC. (2ª vel.)

ALAV OPC1 D-D Botão (D)

ALAV OPC1 D-E Botão (E)

ALAV OPC2 E-D Botão (D)

ALAV OPC2 E-E Botão (E)

SST-05-03-010EN 53
9
Diagrama do circuito elétrico
10.Outros

Acendedor de cigarros

Para ASSENTO KAB

Bomba de combustível

Conversor CC/CC

Saída de 12 V

Saída de 12 V

Tomada (acessório)

54 SST-05-03-010EN
10
Diagrama do circuito elétrico
11.Lista de símbolos elétricos
Símbolo Nome Símbolo Nome

Fusível Válvula solenoide variável

Diodo Resistor

LED Resistor variável

Contato "a" do interruptor


Resistor variável
de alternação

Contato "a" do interruptor


Alarme
de envio A

Contato "a" do interruptor


Campainha
de limite B

Contato "b" do interruptor


Buzina
de limite H

R Bobina do relé M Motor

R
Contato "a" do contato de relé Sensor de radiação solar

R Contato "b" do contato de relé Alto-falante

Válvula solenoide Lâmpada

SST-05-03-010EN 55
11
Diagrama da fiação do conector elétrico

Diagrama da fiação do conector elétrico


Chicote do fio
1. Chicote da estrutura principal

DETALHE DO CONTROLADOR
DO MOTOR

SST-05-04-012EN 56
1
Diagrama da fiação do conector elétrico

57 SST-05-04-012EN
2
Diagrama da fiação do conector elétrico
1 Cont. do mot. c-2 11 Prenda o conector (CN.155F) com fita vermelha.
2 Cont. do mot. c-1 12 Prenda o conector (CN.124F) com fita vermelha.
3 Fita branca 13 Prenda o conector (CN.T4M) com fita vermelha.
4 Fita vermelha 14 Prenda o conector (CN.150F) com fita vermelha.
5 Fita azul 15 Prenda o conector (CN.133F) com fita vermelha.
6 Fita amarela 16 Prenda o conector (CN.148F) com fita vermelha.
7 Fita verde 17 Prenda o conector (CN.T6F) com fita vermelha.
8 Posição da etiqueta 18 Prenda o conector (CN.137F) com fita vermelha.
9 Buzina (direita) 19 Prenda o conector (CN.126F) com fita vermelha.
10 Buzina (esquerda)

CN.100 Relé da bateria CN.146F Chicote da lâmpada da lança


CN.101 Relé da bateria (IGN) CN.147F Motor do lavador
CN.102 Relé da bateria (IGN) CN.148F Diodo do lavador
CN.103 Relé da bateria (bobina) CN.149F Alarme de deslocamento
CN.104 Relé da bateria (bobina) CN.150F Chicote da luz giratória
CN.109 Motor de partida: C CN.155F Chicote da bomba de combustível
CN.111 Alternador: BMotor do lavador CN.105M Relé da bateria TERRA
CN.112 Alternador: E CN.108M Relé de segurança: C
CN.139 Sensor do purificador de ar CN.A0F Cont. do mot. C-1
CN.106F Relé de segurança: S, R, E CN.A1F Cont. do mot. C-2
CN.107F Relé de segurança: B CN.A3F Chicote do motor: B
CN.110F Alternador: E, D CN.A4F Chicote do motor: C
CN.113F Proporcional s/v: potência CN.A5F Chicote do motor: D
CN.114F Proporcional s/v: fluxo CN.A7F Temp. do ar de entrada
CN.115F Sensor de pressão: P1 CN.A2M Chicote do motor: A
CN.116F Sensor de pressão: P2 CN.A6M Chicote do motor: E
CN.117F Sensor de pressão: N1 CN.B1F Chicote principal da cabine: A
CN.118F Sensor de pressão: N2 CN.B2F Chicote principal da cabine: B
CN.119F Sensor de pressão do giro CN.B3F Chicote principal da cabine: C
CN.120F Sensor de pressão superior CN.B4F Chicote principal da cabine: D
CN.121F Sensor de pressão de deslocamento CN.B5F Chicote principal da cabine: E
CN.124F Chicote de sobrecarga CN.B6F Chicote principal da cabine: F
CN.125F Sensor de temp. do óleo CN.D12F Secador do receptor
CN.126F Conector da junta CN.D13F Compressor do ar-cond.
CN.127F Alavanca de trava V SOL. CN.F1M Elo do fusível 65 A
CN.128F Freio do giro V SOL. CN.F2M Elo do fusível 60 A
CN.129F Deslocamento de 2 estágios V SOL. CN.F3F Fusível: CHAVE
CN.130F Alívio em 2 estágios V SOL. CN.F4F Fusível: ECM
CN.131F Economia de potência V SOL. CN.F5F Fusível: CONT.
CN.133F Chicote de giro livre CN.F6F Fusível: GPS
CN.134F Indicador de filtro CN.T4M Lubrificante
CN.135F Sensor do nível de combustível CN.T5F Ventilador do condensador
CN.136F Bomba de combustível eletrônica CN.T6F Diodo do ventilador do condensador
CN.137F Diodo da bomba eletr. de combustível CN.G1 GND G1
CN.138F Tanque de reserva CN.G2 GND G2
CN.144F Lâmpada do alojamento CN.G3 Alternador TERRA

SST-05-04-012EN 58
3
Diagrama da fiação do conector elétrico
Cabine
1. Chicote principal da cabine

SST-05-04-012EN 59
4
Diagrama da fiação do conector elétrico

60 SST-05-04-012EN
5
Diagrama da fiação do conector elétrico
1 Fita amarela 11 Prenda o conector (CN.79F) com fita vermelha.
2 Fita branca 12 Prenda o conector (CN.21F) com fita vermelha.
3 Fita vermelha 13 Prenda o conector (CN.23F) com fita vermelha.
4 Fita azul 14 Prenda o conector (CN.9F) com fita vermelha.
5 Posição da etiqueta Prenda o terminal do pino do circuito nº 481 e 632
15
6 Horímetro com fita vermelha.
7 Caixa de fusíveis KHR16012 Conecte o terminal do pino do circuito nº 524 e
16
525 e prenda com fita vermelha.
8 Imobilizador SW
9 Prenda o conector (CN.80F) com fita amarela.
10 Prenda o conector (CN.24F) com fita vermelha.

CN.1F Chicote da cabine: A CN.79F Diodo


CN.9F Chicote do guindaste CN.80F Unidade GPS
CN.10F Relé principal CN.4M Chicote da cabine: A
CN.11F Relé da vela incandescente CN.5M Chicote da cabine: B
CN.12F Relé da lâmpada CN.7M Chicote do console (D): A
CN.13F Relé da lâmpada da CAB. CN.8M Chicote do console (D): B
CN.14F Relé da buzina E CN.A8F Sensor barométrico do giro
CN.15F Relé da buzina D CN.B1M Chicote principal da estrutura: A
CN.16F Relé do alto-fal. D CN.B2M Chicote principal da estrutura: B
CN.17F Relé do alto-fal. E CN.B3M Chicote principal da estrutura: C
CN.18F Relé da lâmpada do ambiente CN.B4M Chicote principal da estrutura: D
CN.19F Relé da luz giratória CN.B5M Chicote principal da estrutura: E
CN.22F Conversor CC CN.B6M Chicote principal da estrutura: F
CN.24F Conector da junta CN.B7M Chicote da linha de opção
CN.25F Conector TERRA CN.C1F Controlador CN-1
CN.20F Relé de corte do motor de partida CN.C2F Controlador CN-2
CN.21F Monitor de fundo CN.C3F Controlador CN-3
CN.23F Energia opcional CN.C4F Controlador CN-4

SST-05-04-012EN 61
6
Diagrama da fiação do conector elétrico
2. Subchicote da cabine

SST-05-04-012EN 62
7
Diagrama da fiação do conector elétrico

1 Fita azul CN2F Chicote da cabine: B CN51F Conector de diag.


2 Fita branca CN4F Chicote principal da cabine: A CN52F Conector EST: A
3 Fita vermelha CN5F Chicote principal da cabine: B CN53M Conector EST: B
4 Posição da etiqueta CN6F Chicote do console (E) CN54F Chicote de ligação do GPS
5 Interruptor de diag. CN50M Conector J1939 CN54M Conector de manutenção de GPS
6 Memória limpa
Prenda o conector (CN.50M) com fita
7
vermelha.

63 SST-05-04-012EN
8
Diagrama da fiação do conector elétrico
3. Cabine
Consulte a tradução do texto em inglês nas páginas 67a.

SST-05-04-012EN 64
9
Diagrama da fiação do conector elétrico

Consulte a tradução do texto


em inglês nas páginas 67a.

1 Marcação branca
2 Fita amarela
3 Fita azul
Entrada do número de peça As duas
4 extremidades devem ser unidas com
fita.

65 SST-05-04-012EN
10
Diagrama da fiação do conector elétrico
4. Chicote do motor

1 2 3 4
0.75 1.25 1.25
G/B R R
5 6 7 8
0.75 0.75
L/R L/Y

H95

H94

1 2 3 4
0.75 1.25 1.25
L W W
5 6 7 8
1
5 0.75 0.75
B/W L/W G/R 1 2 3 4
0.75 0.75 0.75 0.75
L G/Y G/W G/B
H1 5 6 7 8
0.75 0.75 0.75 0.75
L / W W / L W/ B W/ R

E80

1 2
0.75 0.7 5
B/Y R/B
3 1 2 3
0.75 0.75 0.75 0.75
R R/L L R/W E93
1 2
0.75 0.75
E90 B/Y Y/G
E75
1 2
0.75 0.75
R/L B/R

E163
E164 1 2
0.75 0.75
R/W R/B

1
0 .7 5 E161
G

1 2 3
0. 5 0. 5 0. 5
L/W Br L
1 2 3
0 .7 5 0 . 5 0.5
E113 B/ W V / W Y

E112

1 2
1 2 3 0.5 0.5
0.75 0.75 0.75
B/ Y L / Y W / B
E76 Y V /W

E98

1 Sensor de água
2 Sensor do trilho comum
3 Vela incandescente
4 Interruptor de superaquecimento
1 2 3 4
0.5
Y
5
0.5
V/ W
6
0.75
B
7
0.5
Y
8
5 Injetor 1 (nº 1. 2. 3)
0.5
V/ W
0.75
B/ W
0.75
R/B
0.75
R/W 6 Injetor 2 (nº 4. 5. 6)
4 3 2 1 9 10 11 12
1 .2 5 1 .2 5
W R
0.75
W/B
0.75
L/Y
0.75
B/ Y
0.5
L 7 Sensor de pressão do reforço
3 2 1 4 3 2 1 8 7 6 5 13 14 15 16
0. 75 0. 75 0. 75
Y / G R/ W R/ B
0.75 0.75
G /Y G / W
0.75
G/B
0 .7 5 0 .7 5 0 .7 5 0 .7 5
L L /R L /Y L /W
0.5
Br
0.5
L/W
0.75
B/ R
0.75
L 1
8 Sensor da pressão do óleo
6 5 4 8 7 6 5 12 11 10 9 17 18 19 20 5
0. 75
G
0. 75
R
0.75 0.75
W / L W /B
0.75
W/R
0 .7 5 0 .7 5
G/R G/B
0.75
R/L
B/ W 9 Sensor de temperatura do reforço
H6 H8 H12 H20 H22 10 Sensor da posição de arranque
11 Sensor de temperatura do combustível
12 Válvula da EGR
13 SCV
14 Sensor de ângulo do came (G)

SST-05-04-012EN 66
11
Diagrama da fiação do conector elétrico
Console
1. Chicote direito do console

Prenda o conector (CN.44F) com fita CN.7F Chicote principal da cabine: A


1
vermelha. CN.8F Chicote principal da cabine: B
2 Fita branca CN.34F Chave de partida
Prenda o conector (CN.43F) com fita CN.35M Volume do acelerador
3
vermelha.
CN.36F Rádio
4 Posição da etiqueta
CN.37F Interruptor de botão (direita)
CN.39F Interruptor do guindaste
CN.43F Assento KAB
CN.44F Diodo

2. Chicote esquerdo do console

1 Fita branca CN.6M Chicote da cabine


2 Posição da etiqueta CN.26F Unidade de ar-condicionado: A
3 Fita vermelha CN.27F Unidade de ar-condicionado: B
CN.28F Painel do ar-condicionado: A
CN.29F Painel do ar-condicionado: B
CN.30F Interruptor de fim de curso
CN.31F Parada do motor SW
CN.32F Interruptor de botão (esquerda)

67 SST-05-04-012EN
12
Diagrama da fiação do conector elétrico

ACCESSORY SOCKET (12V) TOMADA DO ACESSÓRIO (12 V)


AMP: 172498-1 AMP: 172498-1
CLIP GRAMPO
DETAIL O DETALHE O
DETAIL OF ENGINE CONTROLLER DETALHE DO CONTROLADOR DO MOTOR
EARTH TERRA
Front Frente
GPS UNIT A UNIDADE GPS A
GPS UNIT B UNIDADE GPS B
MAIN BODY HARNESS CHICOTE DO CORPO PRINCIPAL
MAIN HARNESS A CHICOTE PRINCIPAL A:
MAIN HARNESS B CHICOTE PRINCIPAL B:
MONITOR DISPLAY MOSTRADOR DO MONITOR
OPT. 2SPEED SW OPC. 2ª VEL. SW
OPT. LINE SELECT SW OPC. SELEÇÃO DE LINHA SW
Rear Traseira
to CLOCK HARNESS para o CHICOTE DO RELÓGIO
to HARNESS DOOR SW para a PORTA DO CHICOTE SW
TO HARNESS ROOF PARA O CHICOTE DO TETO
to HARNESS ROOM LAMP para o CHICOTE DA LÂMPADA DO AMBIENTE
to SPEAKER para o ALTO-FALANTE
WIPER CONTROLLER CONTROLADOR DO LIMPADOR

SST-05-04-012EN 67a
68
Diagrama de montagem da fiação e das peças elétricas

Diagrama de montagem da fiação e das peças elétricas


Estrutura principal

VER
DETALHE

VER
DETALHE

VER
DETALHE

DETALHE DETALHE

DETALHE

GIRO DE 90°

SST-05-05-012EN 68
1
Diagrama de montagem da fiação e das peças elétricas

VER DETALHE

VER DETALHE

DETALHE

DETALHE DA LUZ DE TRABALHO

DETALHE

GIRO DE 180°

69 SST-05-05-012EN
2
Diagrama de montagem da fiação e das peças elétricas
Código Nome da peça Qtd CN. 106 Relé de segurança S, R, E: Pino 3
1 Luz de trabalho 24 V × 70 W 1 CN. 107 Relé de segurança B: Pino 1
2 Buzina; elétrica (baixa) 1 CN. 108 Relé de segurança C: Pino 1
3 Buzina; elétrica (alta) 1 CN. 110 Alternador E, D: Pino 2
4 Tampa do terminal M5 × 3,8 1 CN. 113 Válvula proporcional eletromagnética da bomba: Pino 2
5 Chicote do fio; estrutura (principal) 1 CN. 114 Válvula proporcional da bomba: Pino 2
6 Sensor de pressão (5 MPa) 5 CN. 115
Sensor de pressão P1: Pino 3 (sem fita de
identificação)
7 Bateria 180G51 com terminal 2
Sensor de pressão P2: Pino 3 (fita de
8 Tampa do terminal (preta) 1 CN. 116
identificação amarela)
9 Cabo da bateria; terra 1 CN. 117 Sensor de pressão: Pino 3
10 Tampa do terminal (vermelha) 2 CN. 118 Sensor de pressão: Pino 3
11 Cabo da bateria; ponte 1 CN. 119 Sensor de pressão: Pino 3
12 Tampa do terminal (vermelha) 1 CN. 120 Sensor de pressão: Pino 3 (fita de identificação azul)
13 Cabo da bateria; B+ (relé) 1 Sensor de pressão: Pino 3 (fita de identificação
CN. 121
14 Cabo da bateria; relé (partida) 1 vermelha)
15 Sensor de pressão (50 MPa) 2 CN. 125 Sensor de temperatura do óleo: Pino 2
16 Sensor térmico 1 VÁLV. SOL. da alavanca de trava: Pino 2 (fita de
CN. 127
identificação amarela)
17 Alarme de deslocamento 1
VÁLV. SOL. do freio do giro: Pino 2 (fita de
18 Luz de Trabalho 1 CN. 128
identificação branca)
19 Tampa do terminal M4 × 2,0 2 VÁLV. SOL. de deslocamento de 2 estágios: Pino 2
CN. 129
20 Relé da bateria 1 (fita de identificação vermelha)
21 Tampa do terminal 2 VÁLV. SOL. de alívio em 2 estágios: Pino 2 (fita de
CN. 130
identificação amarela)
22 Fusível; alta corrente (Modelo A3) 1
VÁLV. SOL. de economia de potência: Pino 2 (fita de
23 Fusível (elo do fusível) 1 CN. 131
identificação verde)
24 Fio terra; piso 1 CN. 134 Indicador do filtro: Pino 2
25 Tampa do terminal M6 × 5,3 1 CN. 135 Sensor de combustível: Pino 2
26 Chicote do fio; luz (estrutura principal) 1 CN. 136 Bomba de combustível eletromagnética: Pino 2
CN. 138 Tanque de reserva: Pino 2
1 Tanque de combustível
CN. 139 Sensor de vácuo: Pino 2
2 Compartimento do tanque
CN. 144 Lâmpada do alojamento: Pino 2
3 Terminal redondo M8; aterramento G2
CN. 145 Iluminação da lança: Pino 2 (O conector deve estar
4 Tanque do lavador de janela preso com uma abraçadeira M6 com uma faixa (S).)
5 Tanque de reserva CN. 146 Chicote da iluminação da lâmpada: Pino 2
6 Condensador (com ventilador elétrico) CN. 147 Motor do lavador: Pino 2
7 Receptor do secador CN. 149 Alarme de deslocamento: Pino 2
8 Terminal redondo M8; aterramento do alternador CN. A0 Controlador do motor C-1: Pino 81
9 Estrutura do giro CN. A1 Controlador do motor C-2: Pino 40
10 Cor do fio: listra vermelha em fundo amarelo CN. A2 Chicote do motor A: Pino 20
11 Cor do fio: listra vermelha em fundo azul CN. A3 Chicote do motor B: Pino 12
12 Cor do fio: preto CN. A4 Chicote do motor C: Pino 8
13 Sensor de combustível CN. A5 Chicote do motor D: Pino 6
14 Suporte do motor; dianteiro CN. A6 Chicote do motor E: Pino 1
15 Motor de partida C (terminal redondo M5) CN. A7 Sensor de temperatura do ar de sucção: Pino 2
Aterramento do motor (conectado à unidade principal CN. B1 Chicote principal da cabine A: Pino 2
16 do motor)
CN. B2 Chicote principal da cabine B: Pino 8
17 Alternador (conectado à unidade principal do motor)
CN. B3 Chicote principal da cabine C: Pino 18
18 Suporte do tubo de entrada (purificador de ar)
CN. B4 Chicote principal da cabine D: Pino 22
19 Plataforma (E)
CN. B5 Chicote principal da cabine E: Pino 20
Relé de segurança AEH0017 (conectado à unidade
20 CN. B6 Chicote principal da cabine F: Pino 14
principal do motor)
21 Cor do fio: listra branca em fundo vermelho Aterramento do relé da bateria: Pino 1 (O conector
CN. C0 deve estar preso com uma abraçadeira M8 com uma
Cor do fio: vermelho Cor do fio: listra vermelha em faixa (S).)
22
fundo azul Cor do fio: listra vermelha em fundo verde
CN. D12 Secador do receptor: Pino 2
23 Cor do fio: listra vermelha em fundo branco
CN. D13 Compressor do ar-condicionado: Pino 1
24 Cor do fio: listra vermelha em fundo verde claro
CN. F1 Elo do fusível: Pino 2
25 Controlador do motor
CN. F2 Elo do fusível: Pino 2 (fita de identificação amarela)
Terminal redondo M6; alternador B (cor do fio:
26 CN. F3 Fusível da chave: Pino 2 (sem fita de identificação)
vermelho)
27 Terminal redondo M5; alternador E (cor do fio: preto) Fusível do ECM: Pino 2 (fita de
CN. F4
identificação vermelha)
28 Bomba hidráulica
CN. F5 Fusível CONT: Pino 2 (fita de identificação azul)
29 Compressor do ar-condicionado
Fusível do GPS: Pino 2 (fita de
CN. F6
Motor de partida (conectado à unidade principal identificação amarela)
30
do motor)
CN. T5 Ventilador do condensador: Pino 2

SST-05-05-012EN 70
3
Diagrama de montagem da fiação e das peças elétricas
Cabine

SST-05-05-012EN 71
4
Diagrama de montagem da fiação e das peças elétricas
Código Nome da peça Qtd
DETALHE
1 Acendedor automático 1
2 Tampa; cega (interruptor de duas posições) 7
3 Chicote do fio; cabine (sub) 1
4 Chicote do fio; cabine (principal) 1
5 Relé; alteração (24 V) 10
6 Código da antena 1
7 Chicote do fio; console (direita) 1
8 Chicote do fio; console curto (direita) 1
9 Chicote do fio; console (esquerda) 1
10 Chicote do fio; console curto (esquerda) 1
Rádio de carro; AM/FM ESTÉREO (12/
11 1
24 V) JPN
12 Chave; partida (conjunto) 1
13 Fio terra; cabine 1
Interruptor; duas posições (E. STOP)
14 1
[Parada do motor]
15 Suporte; chicote 1
16 Suporte; rádio 2

1 Apara; dianteira (superior)


GIRO DE 90°
2 Apara; lateral (superior)
3 Chicote principal da estrutura
4 Relógio
5 Mostrador do monitor
6 Motor do limpador (acessório da cabine)
7 Controlador do limpador (acessório da cabine)
8 Cobertura; superior (console direito)
9 Cobertura; superior (console esquerdo)
10 Painel do ar-condicionado
11 Sensor de pressão atmosférica (acessório do motor)
12 Controlador do motor (acessório do motor)
13 Cabine do operador
DETALHE
14 Piso
15 Botão (memória limpa) fita de identificação branca
Botão (interruptor de diagnóstico) fita de
16 identificação vermelha
Caixa de fusível (acessório do chicote principal
17 da cabine)

GIRO DE 90°

GIRO DE 90°

72 SST-05-05-012EN
5
Diagrama de montagem da fiação e das peças elétricas
CN. 1 Chicote da cabine A: Pino 14
CN. 2 Chicote da cabine B: Pino 18
CN. 3 Chicote do console direito A; Pino 18
CN. 4 Chicote do console direito B; Pino 10
CN. 5 Subchicote da cabine A: Pino 22
CN. 6 Subchicote da cabine B: Pino 18
CN. 7 Chicote do console esquerdo: Pino 22
CN. 8 Chicote do guindaste: Pino 14
CN. 10 Conector TERRA: Pino 6
CN. 11 Conversor CC: Pino 7
CN. A8 Sensor de pressão atmosférica: Pino 3
CN. B1 Chicote principal da estrutura A: Pino 2
CN. B2 Chicote principal da estrutura B: Pino 8
CN. B3 Chicote principal da estrutura C: Pino 18
CN. B4 Chicote principal da estrutura D: Pino 22
CN. B5 Chicote principal da estrutura E: Pino 20
CN. B6 Chicote principal da estrutura F: Pino 14
CN. B7 Chicote da linha de opção: Pino 10
CN. C1 Computador CN-1: Pino 26
CN. C2 Computador CN-2: Pino 16
CN. C3 Computador CN-3: Pino 12
CN. C4 Computador CN-4: Pino 22
CN. L1 Interruptor de fim de curso: Pino 2
CN. L2 Interruptor de botão esquerdo: Pino 8
CN. L3 Parada do motor SW: Pino 10
CN. Q2 Diagnóstico: Pino 16
CN. Q3 Conector EST: Pino 12
CN. Q4 Conector de manutenção: Pino 12
CN. R1 Chave de partida: Pino 6
CN. R2 Interruptor de botão direito: Pino 8
CN. R3 Volume do acelerador: Pino 3
CN. R5 Interruptor de duas posições 1: Pino 10
CN. R6 Interruptor de duas posições 2: Pino 10
Assento KAB: Pino 2 (preso com
CN. R7
fita vermelha)
CN. T1 Unidade de ar condicionado A: Pino 10
CN. T2 Unidade de ar condicionado B: Pino 18
CN. T3 Painel do ar-condicionado A: Pino 14
CN. T4 Painel do ar-condicionado B: Pino 22
CN. Q1 J1939: Pino 3 (preso com fita vermelha)
CN. R4 Rádio: Pino 9
RL. 01 Principal
RL. 02 Vela incandescente (marcação branca)
RL. 03 Lâmpada 1
RL. 04 Lâmpada 2 (marcação branca)
RL. 05 Buzina E
RL. 06 Buzina D (marcação branca)
RL. 07 Alto-falante D
RL. 08 Alto-falante E (marcação branca)
RL. 09 Lâmpada do ambiente
RL. 10 Luz giratória (marcação branca)

SST-05-05-012EN 73
6
Explicação das funções e operações

Explicação das funções e operações


Explicação das funções elétricas
Item Controle Sumário
A rotação do motor, o modo de trabalho e o estado da
1. Controle do acelerador pressão reforçada são comutados pelo volume do
acelerador.

Controle de Controle de rotação baixa (automática/


2. Com a função de troca automática/um toque
velocidade do um toque)
motor 3. Partida em rotação baixa Faz o motor funcionar em rotação baixa na partida.
Se a temperatura do líquido de arrefecimento está baixa, a
4. Aquecimento automático operação de aquecimento é executada automaticamente
na partida do motor.
Avaliação baseada na velocidade do motor informada pelo
1. Avaliação da partida/parada do motor
ECM
Quando a chave está ON  OFF (LIGADA -
Controle de 2. Atraso no corte da alimentação DESLIGADA), 4 segundos de atraso; quando o motor está
partida/parada do funcionando  OFF (DESLIGADA), 7 segundos de atraso
motor Quando o interruptor de parada de emergência é
3. Parada de emergência do motor
pressionado, o ECM reconhece isso e interrompe o motor.
Carga de partida do motor (célula não girando) quando a
4. Partida em neutro
alavanca está travada.
Ligado ao acelerador, o modo SP/H/A é comutado e a
1. Controle do modo de trabalho
potência da bomba é controlada.
Control de corte de potencia de la Controla a corrente da potência da bomba de acordo com
2.
bomba o modo de trabalho selecionado.

Controle da A corrente da válvula proporcional de controle da potência


bomba da bomba é reduzida pelo controle de carga transiente,
3. Controle de corte da potência da bomba
controle de prevenção de parada do motor e condições de
controle PID.
A pressão de alívio de controle negativo para a ausência
4. Controle de economia de potência de operação é variada e a pressão de controle negativa é
diminuída para reduzir a carga da bomba.
Quando a parte superior e o giro não estão sendo
1. Freio de giro operados, o freio do giro é operado automaticamente. Isso
também acontece durante o deslocamento.
Giro livre (opção para a América do
2. Opção de giro para América do Norte
Norte)
Existe uma função de trava do giro (para manutenção) nas
Giro 3. Trava do giro (para manutenção)
operações do monitor.
Quando o giro é iniciado, o fluxo é reduzido pela válvula
4. Corte do alívio do giro proporcional do lado dianteiro e o excesso de óleo é
eliminado.
O fluxo do lado dianteiro é controlado para impedir o
5. Limite de velocidade do giro
aumento de velocidade devido ao maior fluxo da bomba.
1. Troca da velocidade de deslocamento Troca da velocidade de deslocamento baixa/alta
Deslocamento
2. Alarme de deslocamento Campainha tocou (por 10 s) durante o deslocamento
A operação não é possível a não ser que a alavanca seja
1. Trava da alavanca
levantada.
Controle da Prevenção de emperramento do Com a chave em ON (LIGADA), o solenoide é colocado
2.
válvula solenoide em ON/OFF (LIGADO/DESLIGADO) por 0,25 s.
O computador automaticamente eleva a pressão de
3. Controle do reforço de pressão
34,3 MPa para 36,8 MPa quando necessário.

74 SST-05-06-009EN
1
Explicação das funções e operações
Item Controle Sumário
Gráfico de barras (indicador de
Gráfico de barras da temperatura do líquido de
temperatura do líquido de arrefecimento,
1. arrefecimento, temperatura do óleo e nível do combustível
indicador de temperatura do óleo,
Controle do no monitor
indicador de combustível)
monitor
Alteração do método de controle do orifício de saída, tela
2. Funções do monitor do guindaste e de opções adicionadas às telas do
mostrador etc.
Alternar entre 1 ou 2 buzinas com a chave seletora de
1. Buzina
volume da buzina
Iluminação do alojamento direito e da lança (ajuste
2. Luz de trabalho
opcional para 2 luzes na parte superior da cabine)
Utilizado limpador com melhorias (intermitente, contínuo,
Acessórios 3. Limpador e lavador
lavador). O mesmo utilizado no Modelo 3.
A luz do ambiente se acende quando a porta é aberta e
4. Lâmpada do ambiente fica acesa durantes exatos 30 s com a chave na posição
OFF (DESLIGADA).
5. Mudo do rádio Interruptor de mudo no botão
O conjunto antifurto é definido com senha inserida
1. Proteção
no monitor
Quando a chave está LIGADA, não há saída para a
válvula solenoide da alteração do deslocamento, reforço,
2. Função de economia da bateria
Outros economia de potência, trava da caçamba, troca de opção
e giro livre.
Detecção de geração de potência do Tensão do terminal L do alternador analisado com
3.
alternador comparador de 10 V
4. Aviso de sobrecarga Instalado apenas nas máquinas para a Europa.
Troca entre triturador  britador apenas simplesmente
1. Controle da linha de opção
com um interruptor de duas posições na cabine.
Existem 5 ajustes de vazão para o britador e cinco para o
2. Controle da linha de opção
triturador, totalizando 10 ajustes.
Parada automática da bomba de alimentação. Tanque
Parada automática da bomba de
3. cheio detectado pelo sensor de nível de combustível e a
Opções alimentação
bomba para automaticamente.
Detecção de obstrução do filtro de Alerta é gerado quando o filtro de retorno está obstruído
4.
retorno (apenas para as especificações do britador).
Padrão para especificações de guindastes para Europa
5. Luz giratória
e Japão
6. Conversor CC-CC Converter 24 V em 12 V.

SST-05-06-009EN 75
2
Explicação das funções e operações
Controle de Rotação do Motor
1. Controle do acelerador
(1) Exibição da aceleração
[1] Configuração

Dados da
exibição da
aceleração

Exibição da aceleração

Velocidade
alvo do motor

1 Monitor 3 Motor
2 Computador A 4 Volume do acelerador
[2] Sumário
O sinal da tensão do volume do acelerador é inicialmente passado para o computador A.
Este converte o sinal da tensão em uma rotação alvo, enviando-a para o ECM via
comunicação CAN.
Ao mesmo tempo, o computador A envia os dados de exibição da aceleração para o
monitor.

(2) Detecção da posição do volume do acelerador


[1] Configuração

PARTIDA

5V LIG.

ACC

DESL.

AD

TERRA

1 Volume do acelerador
2 Computador A
3 Potenciômetro

76 SST-05-06-009EN
3
Explicação das funções e operações
[2] Estrutura
O ressalto e os entalhes fornecem uma sensação de clique. (15 entalhes; o entalhe 1 é a
posição "modo SP".)
Histerese de cerca de 2,5°

<Curva à direita>
Quando o ressalto atinge
a posição N-, isso é
Entalhe pequeno: 4-15 avaliado como estando no
Entalhe grande: 1-3
entalhe N.

<Curva à esquerda>
Quando o ressalto atinge
a posição N+, isso é
avaliado como estando
Curva à Curva à no entalhe N.
esquerda Número do entalhe (1 a 15)
direita

Ressalto Entalhe N
Detecção da posição do ressalto:
A histerese é utilizada para absorver erros.

[3] Característica

Velocidade alvo do motor


Histerese

Posição do ressalto
(número do entalhe)

SST-05-06-009EN 77
4
Explicação das funções e operações
[4] Característica do potenciômetro
Tensão [V]

4,92

0,07

Ângulo [graus]
Faixa de operação do acelerador
Local Normal Local

Faixa de operação do potenciômetro

[5] Cálculo do grau de abertura do volume do acelerador


O grau de abertura do volume do acelerador (%) que pode ser verificado na tela CHK é
calculado com o padrão a seguir.
100 % … Quando o ressalto está na 1 + posição ou superior
0% … Quando o ressalto está na 15 + posição ou inferior
Assim, mesmo que o ressalto esteja na 1ª posição (SP), isto não significa necessariamente
que o grau de abertura é 100%.
Do mesmo modo, mesmo que o ressalto esteja na posição 15, o grau de abertura não é
necessariamente 0%.

78 SST-05-06-009EN
5
Explicação das funções e operações
[6] Tabela de lista
Para o ângulo, tensão e grau de abertura de cada posição do ressalto, consulte a tabela a
seguir.
Ressalto Ângulo [graus] Tensão [V] Grau de abertura [%]
1+ 131,2 4,86 100,0
1 128,7 4,77 98,0
1- 126,2 4,67 96,1
2+ 109,6 4,06 83,0
2 107,1 3,97 81,1
2- 104,6 3,87 79,1
3+ 95,2 3,53 71,7
3 92,7 3,43 69,8
3- 90,2 3,34 67,8
4+ 88,0 3,26 66,1
4 85,5 3,17 64,1
4- 83,0 3,07 62,2
5+ 80,8 2,99 60,4
5 78,3 2,90 58,5
5- 75,8 2,81 56,5
6+ 73,6 2,73 54,8
6 71,1 2,63 52,8
6- 68,6 2,54 50,9
7+ 66,4 2,46 49,1
7 63,9 2,37 47,2
7- 61,4 2,27 45,2
8+ 59,2 2,19 43,5
8 56,7 2,10 41,5
8- 54,2 2,01 39,6
9+ 52,0 1,93 37,8
9 49,5 1,83 35,9
9- 47,0 1,74 33,9
10+ 44,8 1,66 32,2
10 42,3 1,57 30,2
10- 39,8 1,47 28,3
11+ 37,6 1,39 26,5
11