Você está na página 1de 2

Componente Curricular: FILOSOFIA Série: 2º01

Professor(a): Rousen Godinho


Aluno(a): Data: 25 / 05 / 2020

PRINCÍPIOS LÓGICOS
Agora que já estudamos as noções introdutórias da lógica, vamos avançar um pouco mais nesse fascinante
conhecimento.
A lógica possui em três princípios fundamentais, sem os quais não haveria pensamento possível. Como todos
os raciocínios se fundamentam nestes princípios, nos interessa falar deles. A lógica clássica, aristotélica, formula-os
da seguinte forma:
 O Princípio da Identidade, que na linguagem da Lógica Clássica se exprime da seguinte forma: - Cada ser é
igual a si mesmo.
 O Princípio da Não-Contradição: - Uma coisa não pode ser e não ser ao mesmo tempo, de acordo com a
mesma perspectiva. (Uma proposição não pode ser verdadeira e falsa ao mesmo tempo, de acordo com a
mesma perspectiva).
 O Princípio do Terceiro Excluído: - Uma coisa é ou não é, não há uma terceira hipótese. (Uma proposição é
verdadeira ou falsa, não há uma terceira hipótese).
Também é muito importante conhecermos o raciocínio indutivo e raciocínio dedutivo.
O raciocínio indutivo parte de premissas para inferir uma conclusão. As premissas são observações da
natureza e de fatos do mundo. Há uma pretensão neste tipo de raciocínio: a conclusão de um particular fundamentado
numa proposição geral, mas, como a proposição geral é fruto da observação, ela não é geral. Por exemplo: após uma
extensa pesquisa sobre gansos, um cientista constatou numa população de 10 milhões de gansos, que todos eles eram
brancos. Desta constatação, ele fez a seguinte proposição: 'Todos os gansos são brancos. Um colega deste cientista
telefonou-lhe dizendo que enviou para ele um ganso. O cientista que propôs a teoria acima tem certeza de que o ganso
que irá receber é branco? A resposta é não. Sua teoria está fundamentada em 10 milhões de gansos e não em todos os
gansos. Portanto, um caso particular - 10 milhões de gansos, não pode fundamentar outro caso particular - um ganso.

O raciocínio dedutivo conclui um particular de um geral. O geral é sempre uma hipótese. Quando se diz que
'Todo homem é mortal. Sócrates é homem. Logo, Sócrates é mortal.', está se dizendo: 'Se todo homem é mortal. Se
Sócrates é homem. Logo, Sócrates é mortal.'
Agora podemos entender melhor o argumento dedutivo e lógico sobre os gansos: 'Se todos os gansos são
brancos. E se irei receber um ganso enviado por um colega. Logo, este ganso é branco.

Premissa são os pontos iniciais e essenciais que auxiliam em uma reflexão, na construção de um pensamento,
no desenvolvimento de um raciocínio. São as ideias que fundamentam uma construção de argumentos para levarem à
uma conclusão. A premissa é utilizada na lógica como parte de uma formulação de ideias verdadeiras que irão
auxiliar a compreensão. Dentro deste contexto existem primeiro as premissas, ou seja, ideias elementares e
fundamentadoras da argumentação e depois a conclusão.
Silogismo é um modelo de raciocínio baseado na ideia da dedução, composto por duas premissas que geram
uma conclusão. O precursor desta linha de pensamento lógico foi o filósofo grego Aristóteles, conhecido por ser um
dos primeiros pensadores e filósofos de todos os tempos.

Chegou a hora de exercitarmos! Vamos estudar mais um pouco?

Analise as características abaixo:

1. A conclusão encerra informação que nem implicitamente estava contida nas premissas.

2. Se todas as premissas forem verdadeiras, a conclusão também será, necessariamente.

3. Toda a informação ou conteúdo factual da conclusão já estava, pelo menos implicitamente, contido nas premissas.

4. Se todas as premissas são verdadeiras, a conclusão é provavelmente - porém não necessariamente - verdadeira.

Assinale a alternativa que relaciona corretamente as características acima ao respectivo tipo de argumento.

a) 1. dedutivo; 2. dedutivo; 3. indutivo; 4. indutivo.

b) 1. dedutivo; 2. indutivo; 3. indutivo; 4. dedutivo.

c) 1. dedutivo; 2. indutivo; 3. dedutivo; 4. indutivo.

d) 1. indutivo; 2. dedutivo; 3. dedutivo; 4. indutivo.

e) 1. indutivo; 2. indutivo; 3. dedutivo; 4. dedutivo.