Você está na página 1de 9

Claude Monet

Mestre do Impressionismo
Oscar-Claude Monet nasceu em Paris, França, no dia 14 de novembro de 1840. Filho de
um modesto comerciante, primogênito de dois filhos, desde menino desenvolveu amor
pelo desenho, enchia seus livros de esboços e desenhos de professores.
Desejava ser pintor e recebeu o incentivo da tia Marie-Jeanne Lacadre, uma amante da
pintura.
Sua mãe o incentivava, mas seu pai queria que ele continuasse os negócios da família.
Com 15 anos ficou conhecido em sua cidade por fazer e vender caricaturas. O interesse
de Monet pela luz e pela cor teve influência nas gravuras japonesas de Hokusai e na
pintura de Eugène Boudin, que o incentivou a praticar a pintura ao ar livre e se tornar
um pintor paisagista, pouco comum na época.
Boudin o iniciou as técnicas de paisagem.
Monet era apaixonado pela luz, casou se duas vezes e teve 2 filhos.

- Temas de natureza, principalmente paisagens;


- Decomposição das cores;
- Pinceladas soltas, buscando movimento
- E feito de sombra colorida e luminosas;
- Transmitir a cor que os objetos adquirem ao refletir a luz solar, pois as cores mudam
constantemente em determinado momento do dia.
- Sem contornos nítidos, as linhas devem ser abstratas, assim como a natureza mutável,
Obra: “Mulheres no Jardim” 1866

Pintura grande 2x2, pintou com 26 anos em uma casa alugada na periferia de Paris, esse
era seu jardim.

- Não se detém aos rostos,


- Sombras não são pretas e sim coloridas,
- Pinceladas curtas
- Mistura o branco as cores para iluminar
- Mistura de cores
Obra: “Impressão, nascer do sol”
Obra de arte que fez surgir o impressionismo.
“A paisagem não é outra coisa que uma impressão”
Em Impressão, nascer do sol, Monet interessa-se pela luz e os seus efeitos na natureza, pinta as
coisas como as vê, e não como as imagina ou pressente, e privilegia a rapidez e espontaneidade
do traço, em detrimento da precisão do contorno. As cores complementares – tonalidades de
azul e laranja, são privilegiadas por Monet. Para os impressionistas, as cores  influenciam-se
mutuamente, e tons complementares dispostos lado a lado têm um maior realce. As pinceladas
não apresentam contornos definidos, as formas são mais sugeridas do que representadas. Em
“Impressão – Nascer do Sol”, as pinceladas são rápidas, pois a luz muda depressa e  a referência
visual  perde-se. Os impressionistas, como Monet, evitam pintar de memória. Apesar  da névoa
encontramos representados, elementos do porto, como guindastes e navios. Os reflexos mostram
o movimento das águas, que estão crispadas. A composição de “Impressão – Nascer do Sol”,
plana e bidimensional, é influenciada pela arte japonesa. A obra encontra-se no
Museu Marmottan-Monet em Paris ,depois de ter sido roubada em 1985 e recuperada em 1990.
Obra: “Mulher com sombrinha” 1875

Esposa de Claude Monet e seu filho Jean. Camile morreu em 1879


O mais incomum é que ambos são vistos de baixo para cima.

Este enquadramento mais casual é uma influência direta da fotografia, que no período de
desenvolvimento do impressionismo começava a ser explorada pelos artistas.

O dia está ensolarado e o céu cheio de nuvens brancas, passando ao observador uma sensação
de tranquilidade e frescura, pois a luz e a brisa parecem ultrapassar os limites da tela.

O pequeno Jean, distante da mãe, aparece mais ao fundo, à esquerda, com o seu chapeuzinho
redondo e com as mãos nos bolsos, como se a sua presença fosse apenas acidental, sendo a mãe
a personagem mais importante da cena.

Embora os seus traços sejam apenas esboçados, ele mostra-se bastante sério, mantendo um olhar
distante.

A vegetação cobre-lhe quase que metade do corpo, enquanto ele parece focar algo distante.

A presença do vento na pintura pode ser percebida através do esvoaçar das vestes de Camille e
do dobrar da vegetação.
Os seus pés não são vistos, pois estão cobertos pela relva e flores.

Mesmo assim, Camille mostra-se vaporosa e parece flutuar, levada pela sua sombrinha delicada,
mas firme, colocada à direita do seu corpo.

O seu olhar parece dirigir-se ao espectador.

Observando o céu e a relva, notamos que o artista usou longas e rápidas pinceladas,
principalmente ao pintar as nuvens, como se não tivesse tempo a perder, se quisesse captar
aquele momento, pois a presença do vento ainda torna as nuvens mais fugidias.

O vento agita a roupa da modelo, assim como o seu véu, balança a sombrinha, dobra a
vegetação e brinca com as nuvens.

Obra: “Les Nymphéas” 1915 – 1926


Na sua residência em Giverny na Alta Normandia francesa, Claude Monet cuidou pessoalmente
de todo o planejamento do seu famoso jardim. De acordo com as ideias de Monet, as formas e
as cores das plantas transformaram-se numa obra prima.
Monet criou o seu universo de cores, em busca de contrastes, que seu olhar captava através da
luz.
A cada repetição acrescentava um novo efeito à sua pintura, no entrosamento perfeito entre a
luz e as cores.
Entre os tantos quadros que Monet pintou tendo o seu jardim como modelo favorito, destaca-se
as Ninféias ou Nenúfares, flores aquáticas, em diferentes cores suaves que enfeitam, até hoje, o
lago do jardim.

Monet pintou 250 telas com o temas das Ninfeias, para o museu L’Orangerie – Paris, que foram
doadas. Sala possui 100 metros de comprimento.
Criou obsessão por agua e reflexo.
“Espero que saia algo de tanto esforço”

Obra: “The Gare de Saint Lazare” 1877


Pinta a cidade, estações de trem. Maquinas pesadas e fumaça e transforma o que ele vê em
poesia.
Maior estação de Paris na época.
Pertence a série de 12 telas (Luz e movimento e poesia de cidade moderna).
Obra: “A ponte japonesa” 1918 – 1924
Falece a sua segunda mulher, opera uma dupla catarata. Passou a fazer quadros quase abstratos,
quase não se reconhece o tema, muda sua percepção de cores, mais escuras e mais quantidade
de tinta. Preludio da abstração, seus últimos quadros.

Monet morre em 5 de Dezembro de 1926.


Possui 2133 obras.

Fontes: https://www.historiadasartes.com/prazer-em-conhecer/claude-monet/
http://estoriasdahistoria12.blogspot.com/2013/07/analise-da-obra-impressao-nascer-do-sol.html
https://www.ebiografia.com/claude_monet/
https://pt.artsdot.com/@@/8XXS2G-Claude-Monet-A-ponte-japonesa-7-
Atividade com as crianças:

Sugerir fazer as floreszinhas em amarelo e parte de baixo em verde, agua em pinceladas azuis.

Fazer pontos brancos em cima da agua e vermelho nas flores.


Sugestão 2:
Pintar pratinhos de festa de azul, aos arredores uma cor clara, e colar flores feitas com papel.