Você está na página 1de 2

Filosofia – 10.

º ano
Ficha de trabalho
Tema: A necessidade de fundamentação da moral
– análise comparativa de duas perspetivas filosóficas
(a ética deontológica de Kant e a ética utilitarista de Mill)

Grupo I
Selecione a alternativa correta

1. O utilitarismo defende o egoísmo. Stuart Mill rejeitou esta objeção argumentando que
A. o utilitarismo é uma teoria ética.
B. o utilitarismo defende o consequencialismo.
C. o agente deve ser imparcial ao calcular a felicidade decorrente das ações.
D. o utilitarismo considera que apenas as ações desinteressadas têm valor moral.

2. Segundo Kant, ter uma vontade boa é


A. Querer fazer ações que aumentem a felicidade mundial.
B. Agir em conformidade com o dever.
C. Agir por respeito à lei moral.
D. Agir heteronomamente.

3. Considere a seguinte imagem:

Bill Watterson, Calvin & Hobbes – O Ataque dos Demónios da Neve, Gradiva, Lisboa, pág. 107.

De acordo com Kant, se o Calvin puser em prática o que diz – “ser mais dado” e “cultivar relações
pessoais” –, estará a
A. a realizar uma ação com valor moral.
B. agir em conformidade com o dever.
C. agir contra o dever.
D. agir por dever.

1
4. Matilde adorava os filhos e levada exclusivamente por esse amor sacrificou a própria vida para os
salvar. Segundo Kant, a ação da Matilde
A. não tem valor moral, pois ela morreu.
B. tem valor moral, pois ela não foi egoísta.
C. tem valor moral, pois o amor é uma emoção altruísta e louvável.
D. não tem valor moral, pois ela agiu impelida por um sentimento e não pelo dever.

5. Acerca do imperativo categórico Kant não dizia que


A. só pode ser conhecido por pessoas sábias.
B. descobrimos os nossos deveres graças a ele.
C. ordena ações independentemente das suas consequências.
D. é uma espécie de teste mental que permite determinar que ações estão certas e que ações
estão erradas.

6. Segundo Kant, se uma pessoa decidir drogar-se porque gosta das sensações provocadas pela
droga revelará uma vontade
A. heterónoma, pois é determinada por uma inclinação.
B. autónoma, pois a decisão é da própria pessoa.
C. heterónoma, pois é errado sentir prazer.
D. autónoma, pois é movida pelo prazer.

7. Os direitos das pessoas devem constituir limites às ações que fazemos, mesmo que delas resulte
um enorme bem social. Esta afirmação insere-se

A. no utilitarismo.
B. na ética deontológica.
C. tanto na ética deontológica como no utilitarismo.
D. em objeções aplicáveis tanto à ética deontológica como ao utilitarismo.

8. “Age de tal forma que uses a humanidade, tanto na tua pessoa, como na pessoa de qualquer outro,
sempre e ao mesmo tempo como fim e nunca simplesmente como meio”. Esta frase de Kant

A. diz que, caso a ação seja correta, todos os seres humanos devem, em circunstâncias
semelhantes, poder fazer o mesmo que o agente.
B. diz-nos que devemos considerar as pessoas como fins em si mesmas e não apenas como
meios.
C. diz-nos que devemos considerar as pessoas como fins em si mesmas e nunca como meios.
D. diz-nos que os fins justificam os meios.

9. Stuart Mill e Kant não estão de acordo quanto

A. à existência de um princípio ético fundamental.


B. ao facto de a moralidade não ser relativa.
C. à importância ética da felicidade.
D. à rejeição do egoísmo.

Você também pode gostar