Você está na página 1de 2

Carga horária

CLC UC6  Culturas de Urbanismo e Mobilidade  50 horas 

§  Recorre a terminologias específicas no âmbito do planeamento e ordenação do território, construção 
de edifícios e equipamentos. 
Resultados  §  Compreende as noções de ruralidade e urbanidade, compreendendo os seus impactos no processo de 
de  integração socioprofissional. 
Aprendizagem  §  Identifica sistemas de administração territorial e respectivos funcionamentos integrados. 
§  Relaciona a mobilidade e fluxos migratórios com a disseminação de patrimónios linguísticos e 
culturais. 

Conteúdos

Questões culturais que envolvem o planeamento e o ordenamento do território 

§  Critérios de qualidade no Planeamento Habitacional: 
­  Equipamentos culturais de suporte à habitação: espaços verdes, zonas de lazer, espaços de interacção 
cultural. 
­  Noções de: equilíbrio paisagístico, equipamento cultural, ordenamento e coesão territorial. 
­  Ambientes rurais e ambientes urbanos. 
­  Influência dos equipamentos culturais no ordenamento e coesão territorial. 
­  Traços arquitectónicos distintivos: integração e ruptura paisagística. 

§  Plano Director Municipal: conceito, objectivos e concretização. 
§  Fomento, oportunidade e mobilidade laborais aliados à valorização do património urbano e rural. 
­  Novas áreas de oferta profissional: Turismo urbano, turismo rural, turismo de habitação e turismo cultural. 
­  Reconstrução de percursos profissionais e projectos de vida através da qualificação profissional em áreas 
associadas à reclassificação urbanística. 

§  Fluxos Migratórios: 
­  Migração, emigração, imigração e êxodo. 
­  Causas económicas, políticas e culturais. 
­  Os equipamentos culturais nos processos de integração. 
­  Consequências dos fluxos migratórios na expressão cultural e artística. 

A Língua como suporte indispensável à gestão e à intervenção no urbanismo e na mobilidade 

§  Terminologia e estrutura de documentos e situações de comunicação específicas, relacionados com a temática do 
urbanismo e mobilidade: 
­  Descodificação de folhetos informativos relativos ao código da estrada, prevenção rodoviária e outros. 
­  Caderno de encargos, projecto de construção, licença de construção, planta, mapa, carta topográfica. 
­  Resumo e síntese de textos informativos como forma de documentação acerca das instituições relacionadas 
com urbanismo e mobilidade e seu funcionamento. 
­  Técnicas de pesquisa e selecção de informação, nomeadamente na Internet, acerca dos sistemas de 
administração territorial. 
­  Ordenação da informação pelo registo de notas com a vista a interagir em processos de construção de opinião 
fundamentada/documentada. 
­  A reclamação e o requerimento como forma de interacção formal em processos de planeamento e construção. 
­  Expressão oral e escrita coesa e coerente num debate/participação institucional público. 
­  Percepção da hierarquia e teor dos documentos legais e sua articulação com o planeamento: Lei, Decreto­Lei, 
Despacho e Portaria. 

§  Os processos de migração e seus impactos na configuração do urbanismo e da mobilidade: 
­  Os relatos de vivências como forma de recolha de informação acerca dos fluxos migratórios. 
­  Exploração de textos e documentos com vista à obtenção de informação precisa sobre assuntos relativos aos 
fluxos migratórios e ao património linguístico e cultural a eles associado (artigos de apreciação crítica, crónicas, 
textos literários, textos informativos diversos, hipertexto, entre outros). 
­  Pesquisa e tratamento de informação, a partir de textos de apreciação crítica sobre a importância da Língua 
Portuguesa no mundo. 

§  Apropriação e uso linguístico apropriado para inserção em contextos socioprofissionais: 
­  Textos e documentos de âmbito técnico que facilitem a acção e a integração em ambientes socioprofissionais. 
­  Mapas, cartas topográficas, projecto de construção, plantas, escalas, licença de construção, iconografia 
associada, folhetos e cartazes informativos. 
­  Apropriação de variantes regionais de realização do português como forma de integração socioprofissional. 
­  Elaboração de um Curriculum Vitae como parte integrante da criação de um perfil profissional. 
­  Leitura e interpretação de textos literários que exemplifiquem fenómenos de superação da exclusão social e 
profissional. 


A Comunicação nos processos contemporâneos de mobilidade humana e intervenção urbanística 

§  Importância da Língua Portuguesa na criação de laços humanos e culturais: 
­  Problemática da integração e relacionamento com as sociedades imigrantes em Portugal. 
­  A Língua Portuguesa como elemento facilitador da integração. 
­  Sensibilização, posicionamento e atitude comunitários. 

§  Preservação e dinamização do espaço rural e do espaço urbano: 
­  Recuperação da memória colectiva dos espaços. 
­  Análise do estado presente dos espaços e sua projecção futura dos espaços. 
­  A recuperação e reclassificação dos espaços e suas consequências no mercado de trabalho. 
­  Sensibilização em relação ao urbanismo e à mobilidade. 
­  Campanhas institucionais: cruzamento do seu teor com a coesão paisagística e humana do território. 

§  Formas de comunicação entre operários e agentes especializados, de forma a adequar o planeamento à construção: 
­  Integração espacial e temporal da construção. 
­  Impacto visual e ambiental. 
­  Ordenamento da construção e Qualidade de Vida: princípios e regras (análise da legislação em vigor). 

Língua Estrangeira: a formação em Língua Estrangeira é obrigatória e transversal às temáticas de todos os módulos pelo que se 
junta em anexo um referente de conteúdos que, de acordo com cada temática, deve ser desenvolvido de forma integrada em 
contexto de formação. 

Áreas do Saber: Língua Portuguesa; Língua Estrangeira; Geografia; Filosofia; História; Sociologia; Formação Cívica.