Você está na página 1de 62

Instituto Federal Sul-rio-grandense

Curso Técnico em Telecomunicações


Disciplina de Informática

1
Historia da Internet
Em 1969, a ARPA (Departamento de Defesa dos EUA) começou a financiar a
pesquisa e o desenvolvimento de uma nova Rede de Computadores chamada
ARPANET.
1980 – Surge o conjunto de protocolos TCP/IP para interligar as Redes.
• Em 1989, é criada a RNP, Rede Nacional de Pesquisa, que foi a primeira
infraestrutura de conexão com alcance nacional.
• Em abril desse ano, nasce o domínio .br, pra sites e contas de brasileiros.
• No ano seguinte (1990), são criados mais domínios, como .org, .gov, .com.br e
.net.br.
• Em 1994 foram negociados os primeiros blocos de IP para o Brasil.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 2
História da Internet: Brasil
• O uso comercial no Brasil da Internet foi liberado em 1995, pela
Embratel.
• No começo de 95, a Embratel perde a exclusividade de distribuição e
empresas privadas começam a explorar o serviço.
• Em 95 surge o canalvip.com.br, primeiro domínio comercial registrado no
Brasil.
• Nasceu também, em 1995, o buscador Cadê.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br
3
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 4
Componentes - Redes de Computadores

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 5
Endereço Físico (MAC)
Fazendo uma analogia com um carro podemos dizer que o endereço físico de
uma placa de rede (MAC - Media Access Control) é similar ao número de
chassis de um carro, todos tem e não pode ser trocado.
É um endereço único, com 12 dígitos hexadecimais (os 6 primeiros identificam
o fabricante e os demais identificam a placa de rede).
Exemplo de MAC:

Como o endereço MAC não muda, é mais fácil para encontrar um dispositivo
na rede do que depender de um endereço IP, que pode ser dinâmico e mudar
com frequência.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 6
Endereço Lógico (IP)
• O endereço lógico IP para a internet pode ser comparado a placa de um carro,
todos carros têm, mas alterações podem ser feitas.

• Para duas máquinas se comunicarem, cada uma precisa de um endereço IP.


• Além disso, todas as páginas WEB possuem um endereço IP, assim elas podem
ser localizadas.
• O formato do endereço IP é:
X . X . X . X (32 bits no total)
• onde cada X (octeto) varia de 0 à 255.
• Exemplo:
• 200.241.16.8, 30.10.90.155, etc.
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 7
Endereço IP v4
• Representação Binária e Decimal

No Brasil, atualmente a responsabilidade de distribuir endereços IP e


de controlar os domínios é do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto
BR (NIC).
http://www.nic.br/index.shtml

8
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br
Endereço IP v6
• Desenvolvido porque os endereços IPv.4 estão acabando.

• O IPv4 tem 32 bits enquanto que o IPv6 é formado por 128 bits.

• O IPv6 utiliza oito sequências de até quatro caracteres separado por ':' (sinal de dois
pontos), sistema hexadecimal.

• Exemplo abaixo:
FEDC:2D9D:DC28:7654:3210:FC57:D4C8:1FFF
Cada dígito consiste em quatro bits, exemplo: F em binário é 1111 (15 em decimal),
16 bits por grupo, 8 grupos totalizando 128 bits.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 9
Configurações de Rede e IP no Windows

10 gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br
Hub
É um dispositivo responsável por centralizar a distribuição dos
quadros de dados.
Repete os dados que chegam em uma de suas portas para
todas as demais portas existentes.
Se um dispositivo envia dados para outro, todos os demais
dispositivos recebem esses dados ao mesmo tempo
(broadcasting).

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 11
Switch
Envia os dados somente para a porta do destino, com isso aumenta o
desempenho da rede já que assim mantém livre o cabeamento da rede.

O switch lê o endereço de destino (MAC), e envia a mensagem para a porta


do segmento de rede no qual o endereço de destino, existente na mensagem,
está localizado.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 12
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 13
Roteador
É um equipamento que trabalha com um protocolo da camada de rede, o IP.
A diferença entre um switch e um roteador é que o endereçamento que o switch
utiliza é o MAC, que é um endereçamento físico, e o roteador utiliza o IP que é um
endereço lógico.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 14
DHCP
(Dynamic Host Configuration Protocol )
• Em português, algo como Protocolo de Configuração Dinâmica de Endereços
de Rede), é um protocolo utilizado em redes de computadores que permite às
máquinas obterem um endereço IP automaticamente.
• Por meio do protocolo DHCP é capaz de distribuir automaticamente
endereços de IP diferentes a todos os dispositivos à medida que eles fazem a
solicitação de conexão com a rede.
• Sempre que um dos dispositivos for desconectada o IP ficará livre para o uso
em outro.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 15
DHCP

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 16
Exemplo de opções de DHCP no roteador

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 17
End. IP Públicos e End. IP Privados
Um IP público é um IP que é válido na Internet, enquanto que um IP privado é aquele
que só funciona na rede local (interna) não acessa a internet.
O IP público é fornecido pelo servidor de internet e é dinâmico (muda a cada conexão
ou de tempos em tempos).
Já o IP privado é definido pelo roteador ou servidor DHCP da rede do usuário, sendo que
uma faixa de endereçamento em cada classe é reservada para endereços privados.
Os Endereços IP Privados auxiliam no contorno do problema de escassez de IPs, pois as
redes privadas não são conectadas diretamente à Internet podem usar qualquer
endereço.
Classe Endereços Privados
A 10.0.0.0 a 10.255.255.255
B 172.16.0.0 a 172.31.255.255
C 192.168.0.0 a 192.168.255.255
Network Address Translator - NAT

19
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br
Sites / Páginas / URL
• Ao conjunto de informações que aparece em uma mesma tela dá-se a
denominação de página.
• Um site ou website pode ser constituído de uma ou mais páginas.
• Cada site tem seu endereço eletrônico virtual denominado URL (Uniform
Resource Location).

• http://www.nome.tipo.sigla do país (página principal)


• http://www.nome.tipo.sigla do país/arquivo.html (página secundária)

• E cada URL tem um endereço IP correspondente.


gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 20
DNS- Domain Name System ou Sistema de Nomes de Domínio
(Endereços Eletrônicos)

Endereço URL → Estrutura Exemplo 1:


Protocolo://Domínio.TipodeDomínio.País

Protocolo Domínio País

http:// microsoft. com. br

Tipo de Domínio
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br
21
DNS- Domain Name System ou Sistema de Nomes de Domínio

Antes do DNS, os sites eram acessados apenas pelo número do IP, exemplo:
74.125.29.101.
Para facilitar o acesso às informações foi criada uma representação alfabética
para os mesmos chamada de Uniform Resource Locator (URL).
O (DNS) tem por função “ler” o endereço alfabético escrito pelo utilizador e
traduzi-lo no respectivo endereço IP reconhecido pelo servidor (grandes listas
de URLs e IPs).
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 22
Navegador (browser)

• Um navegador de rede navegador web, navegador da internet ou simplesmente


navegador (em inglês: Web browser, browser), é um programa que permite seus
usuários a visualizar documentos HTML (páginas) hospedados em um servidor da
rede.
• HTML = hypertext mark-up language é uma linguagem utilizada para criar páginas
Web.
• Os navegadores mais populares são a Internet Explorer (Edge), Mozilla Firefox,
Chrome e outros.
• Através deles podem ser exibidos textos como gráficos, vídeos, sons, animações e
executar programas.
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 23
Principais Navegadores

Google Chrome
• Um dos mais utilizados e mais rápidos.
• Recebe críticas em relação ao consumo de Memória RAM com muitas abas
abertas.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 24
MS Internet Explorer / MS Edge
• Um dos primeiros navegadores, surgiu para competir com o clássico browser
Netscape.
• O IE, como é conhecido, já vem instalado no Windows e é um dos browsers mais
pesados, mas é conhecido por oferecer mais segurança em serviços como bancos
on-line.
• Com o Windows 10 foi substituído pelo MS Edge.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 25
Mozilla Firefox
• Considerado um dos mais rápidos e leves do mercado.
• Compatibilidade com a maioria (se não todos) os sites da web.
• É um navegador web de código aberto (open source) e multiplataforma.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 26
Safari
• Este é o navegador que a empresa Apple usa em seus dispositivos.
• Disponível para rodar no Windows e diferentes plataformas até a
versão 5.

27
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br
Navegação Anônima
• Forma mais segura de se navegar, principalmente em
PCs alheios.

28
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br
Navegação Anônima
• Quando se acessa um site da internet, o navegador armazena diversos
arquivos no disco rígido com o intuito de agilizar o carregamento da página
em acessos futuros.

• Todas as páginas visitadas são colocadas no histórico de navegação, e os


dados digitados em formulários também acabam sendo salvos pelo programa.

• Caso alguma página exija a gravação de dados, como cookies, o browser


armazena apenas temporariamente as informações.

• Quando a janela do programa é encerrada, o conteúdo é eliminado por


completo automaticamente (tudo, cookies, histórico de navegação,
downloads, etc.).
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 29
Como pesquisar em um navegador ou arquivo PDF
• Basta digitar CTRL+f (f =find) e vai abrir a opção pesquisar.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 30
Alguns Comandos no Prompt de Comando
1. Ipconfig

• Esse comando mostra as configurações de IP.

• Informa detalhes sobre endereço IPv4, gateway, DNS, IPv6 e outros tantos.

• Uma vez executado o comando, é possível conferir se o seu roteador está


distribuindo o IP correto, se o DNS atribuído é o correto e assim por diante.

• Ex.: ipconfig/all (/ = barra)

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 31
1. ipconfig

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 32
Ajustar o tamanho da janela
➢ Clicar com o botão
direito na “Barra de
Títulos”

➢ Selecionar a opção
“Propriedades”

➢ Depois selecionar a
guia “Layout”.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 33
2. ping
• Para conferir se existe uma resposta do servidor da página em questão, você pode
apelar para o comando “ping”.

• Basta digitar “ping”, o endereço do site (pode ser o IP ou o endereço completo) e


pressionar Enter.

• O Windows envia alguns pacotes para a página indicada e aguarda a resposta.

• Em poucos segundos, você poderá saber se os pacotes foram devidamente entregues


e o tempo que foi necessário para tal tarefa.

• Quando há algum problema em sua conexão ou com o site, você terá perda de
pacotes.

• Ex.: ping www.google.com

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 34
2. ping Tempo máximo por padrão é
4000 ms.

O TTL (time to live) máximo é


255.

-t
Ex. ping –t google.com.br

Especifica que o ping continue


enviando mensagens de
solicitação de eco ao destino
até que seja interrompido.

Para interromper e sair do


ping, pressione CTRL-C.
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 35
Dicas sobre o Google
• O site do Google funciona como calculadora.
• No campo da busca basta digitar a operação matemática que deseja e
apertar Enter.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 36
Dicas sobre o Google
• Acessar image.google.com e, em vez de digitar alguma coisa, clique sobre
o botão em forma de máquina fotográfica.
• O Google permite que você envie uma imagem de seu PC e ele procura
por imagens semelhantes.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 37
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 38
Pesquisar em um site específico

• No navegador digite primeiro a


palavra que você quer pesquisar
deixar um espaço depois digite a
palavra site: e o site onde você quer
fazer a pesquisa (tudo junto).

• Exemplo: suponha que se queira


pesquisar a palavra telecomunicações
no site do ifsul, basta digitar:
telecomunicações site:ifsul.edu.br

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 39
Localização de Arquivos pela Extensão (filetype)
• A expressão filetype (tipo de arquivo) é usada quando precisamos
encontrar um arquivo com sua extensão definida.
• Exemplo um documento de texto que fale sobre educação.
• Então digitamos na barra de pesquisa do navegador a seguinte expressão:
educação filetype:doc
• Ou seja: “Tema da pesquisa” + espaço + filetype: + extensão do arquivo
(Ex: doc)

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 40
Localização de Arquivos pela Extensão (filetype)

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 41
Procura por Expressões

• Quando queremos ter uma pesquisa mais precisa e queremos


encontrar expressões exatamente iguais como quando as digitamos
devemos digitar essa expressão entre aspas ( “…” ).

• Digite o tema da pesquisa desejada entre aspas na barra de pesquisa


do navegador.

• Exemplo: “Curso Técnico em Telecomunicações”

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 42
Procura por expressões

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 43
Correio Eletrônico (Eletronic Mail (e-mail))
Um e-mail é constituído por duas partes: o Nome do Usuário e o Nome do
Domínio, separados por um símbolo @ (arroba), em inglês "at" (em).
Um Exemplo: alunostele@hotmail.com

O Domínio identifica o fornecedor do serviço e o local onde está a caixa de


correio.

Existem diversos Programas que permitem ler, responder e organizar o


correio eletrônico.

Abordaremos aqui o MS Outlook, que é um dos mais utilizados.


gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 44
Correio Eletrônico - Como funciona?
O usuário manda um e-mail do
seu computador
incluindo, se quiser, anexos
(arquivos,
imagens, filmes, etc.).

O e-mail é armazenado no provedor


de acesso para ser enviado
posteriormente.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 45
O provedor do
remetente do e-mail
localiza o
Correio Eletrônico
provedor do destinatário do
e-mail e o envia via
Como funciona?
internet.

O provedor destinatário
recebe o
e-mail e o armazena
numa caixa de correio.
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 46
Escrever uma Mensagem de E-mail

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 47
Cabeçalho do E-mail

É informado de forma automática a conta de e-mail de quem está


De: enviando.
É informado o endereço da pessoa, empresa ou lista de discussão, para a
Para: qual se quer enviar a mensagem.
Cópia Cortesia ou Cópia Carbono – Poderá informar-se um outro e-mail
Cc: para o qual se desejar enviar uma cópia da mensagem, além do destinatário já
especificado.
Cópia Cortesia Oculta, Cópia Carbono Oculta ou blind copies – Indica um
Cco ou bcc: outro endereço para o qual se quer enviar uma cópia da mensagem, sem que
esse endereço apareça para os outros destinatários.
Assunto: É especificada do que se trata a mensagem a ser enviada.

48
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br
DICAS PARA SE REDIGIR UM E-MAIL
• COLOCAR o ASSUNTO, NUNCA deixar EM BRANCO;
• Sempre cumprimentar o destinatário, se for profissional, utilizar termos como:
Prezado(a), Caro(a), Ilustre, etc., os velhos pronomes de tratamento sempre são
uma boa ideia (tipo caninha 51 kkkk).
• No CONTEÚDO escrever algo, nem que seja algo bem objetivo e resumido, NUNCA
deixar em BRANCO;
• Colocar ASSINATURA no e-mail, isso pode-se configurar no servidor de e-mail ou no
gerenciador de e-mails, assinatura automática.
• De preferência colocar os destinatários em ordem alfabética.
• Muito cuidado com a redação (ortografia e gramática).
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 49
Exemplo de e-mail

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 50
Formas de acesso ao e-mail
• Através de programas ou também chamados de gerenciadores de e-
mails:
• Microsoft Outlook
• Mozilla Thunderbird

• Através do navegador:
• Webmail
• E-mail através da Web, o usuário utiliza um navegador para acessar suas
mensagens.
• Mais utilizado.
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 51
Gerenciadores de E-mails
MS Outlook e Mozilla Thunderbird

Permitem gerenciar e-mails, trabalhar em modo off-line, dispensa acessar


vários sites de servidores diferentes, etc.
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 52
Thunderbird

• Nativo no Linux e no Ubuntu, é feito pela


Mozilla –desenvolvedora do navegador
Firefox – e possui como principal atrativo ser
de código aberto, gratuito e multiplataforma.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 53
Microsoft Outlook
O Outlook é o programa do Microsoft Office responsável pelo envio de e-mails
e demais funcionalidades inerentes ao correio eletrônico, entre os quais podemos
citar:
➢ gerenciamento de múltiplas contas,
➢ gerenciamento de contatos,
➢ calendário completo,
➢ gerenciador de tarefas,
➢ possui campo de anotações, onde ele simula post-its,
➢ entre outras funcionalidades.

Utilizado geralmente no sistema operacional Windows.


gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 54
Microsoft Outlook

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 55
Microsoft Outlook
Caixa de Saída (Outbox): quando escrevemos novas mensagens, e clicamos em
Enviar, as mensagens não são imediatamente enviadas ao provedor, elas ficam
guardadas na Caixa de Saída até que sejam definitivamente enviadas.

Podemos escrever
várias mensagens, para
vários destinatários
diferentes enquanto nosso
micro estiver off-line, depois
é só conectá-lo à rede e
enviar todas as mensagens.
gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 56
Arquivos PDF (Portable Document Format)
Documento de formato portável criado pela Adobe com a intenção de
torná-lo padrão para a distribuição de documentos eletrônicos.
Com relação ao espaço requerido para armazenamento, o formato PDF
armazena textos e figuras sem gerar arquivos muito grandes.
Alguns programas que fazem a leitura de arquivos PDF, ex:. Foxit Reader,
STDU Viewer, etc.
Existem também muitos conversores on-line.
O Word a partir da versão 2013 também permite abrir e editar arquivos PDF.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 57
Optical Character Recognition (OCR)
• Tecnologia de reconhecimento óptico de caracteres (OCR) para que você edite e
faça comentários nos documentos digitalizados.
• Reconhece caracteres a partir de um arquivo de imagem ou mapa de bits sejam
eles escaneados, escritos à mão, datilografados ou impressos.
• Dessa forma, através do OCR é possível obter um arquivo de texto editável.
• O OCR serve para transformar um documento PDF digitalizado em texto e imagens
editáveis enquanto conserva o formato e layout originais dos documentos.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 58
RESUMO: alguns termos e protocolos muito utilizados
Conjunto de Normas e Regras que permitem a comunicação, transporte e serviços
Protocolo em Redes.
HIPERTEXTO Conjunto de informações na forma de imagens, sons e textos.

HYPERLINK São palavras ou figuras que permitem abrir Páginas da Internet.


Ou LINK

Uniform Resource Locator – Localizador Uniforme de Recursos. É a forma para


URL localizar os recursos na Internet.
Cada Arquivo tem um endereço único que é a URL.
Conjunto de informações referentes a uma Pessoa Física ou Jurídica que Trafegam
PÁGINA na Internet.
DOWNLOAD Ato de salvar um Arquivo da Internet ou computador remoto no computador do
usuário.
UPLOAD Ato de enviar um arquivo do computador usuário para a Internet.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 59
HOME PAGE Página inicial de um Site.
SMTP Simple Mail Transfer Protocol – Envia as Mensagens de Email.

FTP File Transfer Protocol – Protocolo responsável pela transferência de Arquivos (Download e
Upload).
DNS Domain Name System – Representação alfanumérica para as URL.

HTML Hyper Text Markup Language – Permite criar documentos HTML que alteram
dinamicamente o seu conteúdo.
Hyper Text Transfer Protocol – Transferência de Hipertextos. É o protocolo que permite abrir
HTTP Páginas da Internet.

Hyper Text Transfer Protocol Security – Tem a mesma função do http, somente que é uma
HTTPS página criptografada (Segura), principalmente usada por Sites de E-Commerce, Bancos,
grandes Empresas, etc.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 60
Post Office Protocol ou Post Office Protocol Version 3
POP Verifica e transfere as Mensagens de E-mail do Servidor para o Computador do
e Usuário.
POP3 Permite que a Mensagem seja visualizada apenas por uma única Máquina.

Permite abrir Páginas e Sites da Internet, localizar e pesquisar informações, efetuar


NAVEGADOR Download e ler e redigir mensagens de E-mail.
ou Exemplo: Internet Explorer, Mozilla Firefox, Opera, Netscape Navigator, etc.).
BROWSER
TCP/IP Conjunto de Protocolos utilizados como padrão da Internet.

gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 61
Referências
• MANZANO, André L. N. G.; MANZANO, Maria I. N. G. Estudo Dirigido
de Informática Básica. 7ª Edição, Érica, São Paulo, 2014.
• NUNES, Flavio Luis B. e RIBEIRO, Luis Otoni Meireles. Conceitos
Básicos de Informática. Pelotas, 1998.
• TORRES, Gabriel. Hardware. Novaterra, Rio de Janeiro, 2015.
• VASCONCELOS, Laércio. Hardware na Prática. 3ª Edição, Rio de
Janeiro, 2009.
• VELLOSO, Fernando de Castro. Informática: conceitos básicos.
9.ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014.

Bibliografia complementar:

• SANDRINI, Waldir João. Informática para Iniciantes.

• Fustinoni, Diógenes Ferreira Reis, Fernandes, Fabiano Cavalcanti Frederico


Nogueira Leite. Informática básica para o ensino técnico profissionalizante,
apostila, IFB Brasília, 2013. Disponível em :
http://www.ifb.edu.br/attachments/6243_inform%C3%A1tica%20b%C3%A1sic
a%20final.pdf Acesso em: 03 jul. 2014.

• http://olhardigital.uol.com.br/home Acesso em: 03 jul. 2014.

• www.baixaki.com.br Acesso em: 02 jul. 2014


gustavoazevedo@pelotas.ifsul.edu.br 62

Você também pode gostar