Você está na página 1de 47

Fundamentos de Alimentação e Sanidade Animal

Antissépticos e Desinfetantes

Prof. Francisco Feliciano da Silva Júnior


CONCEITOS
Desinfetante:
É um agente, normalmente químico, que mata as formas
vegetativas, mas não necessariamente as formas
esporuladas de microrganismos patogênicos.
Geralmente essas substâncias são aplicadas em objetos
inanimados.

Germicida:
É o termo aplicado à substância química ou processo
físico capaz de destruir todos os microrganismos,
incluindo também suas formas de resistência (esporos).
CONCEITOS

Bactericida:
São todas as substâncias químicas ou processos físicos
capazes de destruir bactérias na sua forma vegetativa,
não necessariamente os esporos bacterianos.

Antisséptico:
É uma substância química que pode não ter efeito
germicida, impedem ou bloqueiam o desenvolvimento, ou
a ação dos microrganismos, tanto pela inibição de sua
atividade, quanto por sua destruição.
CONCEITOS

Fungicida e viricida:
São os processos físicos, ou substâncias químicas que
destroem fungos, ou vírus respectivamente.

Sanitizante:
O sanitizante reduz o número de contaminante
bacterianos até um nível seguro.
ANTISSÉPTICO
Características de um antisséptico ideal:
- Estável por longo período de tempo;
- Amplo espectro de ação;
- Solúvel em água;
- Ativo em baixa concentração;
- Ação bactericida imediata;
- Não manchar a pele e vestuário;
- Eficaz à temperatura ambiente;
- Ação bacteriostática;
- Ausência de toxicidade e baixo custo
Classificação dos antissépticos

Álcoois
- Usados como antissépticos para a pele;
- Usados como desinfetantes para materiais;
- Tem efeito germicida em grau variável e necessitam
ser diluídos em água;
- Na proporção de 70% são mais ativos que em
forma absoluta;
- Não têm efeito residual e não são esporicidas.
Mecanismo de ação dos álcoois

- Desnaturação de proteínas (melhor o álcool 70°);

- Inibição de metabólitos essenciais à divisão celular;


Espectro antimicrobiano dos álcoois

→ Atuam mal contra esporos


→ Tempo requerido para sua ação: 1 – 5’
Até 30’ na presença de matéria orgânica
→ Destruição de fungos: em 60’
→ Ação contra vírus: variável (longos períodos de
exposição)
→Boa degermação: Associação com o iodo e álcool
70°
Clorexidine
- Amplamente utilizada como degermante da pele, mucosas
íntegras e feridas;

- Grande atividade antimicrobiana;

- Bom efeito residual e baixa toxicidade;

- Pouco absorvida pela pele;

- Não sofre interferência de matéria orgânica.


Mecanismo de ação da clorexidine

- Precipitação de componentes da célula bacteriana

Espectro antimicrobiano da clorexidine


- Mais ativa contra Gram+;
- Não atua bem contra fungos e esporos;
- Seu efeito é cumulativo.
Principais usos da clorexidine

- Antissepsia de mãos e sítios cirúrgicos


(Soluções alcoólicas a 0,5 – 5% - 2’);
- Desinfecção de feridas (0,05%);
- Queimaduras (0,02%);
- Mucosa oral (0,2%);
- Lavagem de cavidades e recém-nascidos.
Iodo

➢ Pouco solúvel em água;

Mecanismo de ação do iodo


➢ Penetra rapidamente na parede da célula microbiana;

➢ Impede a síntese de proteínas e destrói as


características físicas de membrana
Espectro antimicrobiano do iodo

→ Excelente microbicida;

→ Ação contra vírus, bactérias (incluindo


Mycobacterium e Clostridium), protozoários;

→ Atividade fungicida e tricomonicida;

→ Tinturas: destrói formas vegetativas em 90” e


esporos em 15’.
Principais usos do iodo

- Antissepsia de pele para injeções ou cirurgias;

- Tratamento de feridas e queimaduras pequenas;

- Desinfecção de materiais não metálicos;

- Desinfecção de água (3-4 ppm) e do ar.

Obs: Podem ser irritantes locais, alergênicos e retardarem


a cicatrização de feridas.
Preparações com o iodo

→ Preparações contendo ou liberando iodo livre:


- Iodo metálico ou iodeto
- Solução tópica de iodo:
Iodo metálico (2%)
Em água
Iodeto de potássio (2,4%) Cristal do iodo

- Solução de iodo forte:


Iodo metálico (5%)
Em água
Iodeto de potássio (10%)

Iodeto de Potássio
- Tintura de iodo:
Iodo metálico (2%)
Em álcool
Iodeto de potássio (2,4%)
- Tintura de iodo forte:
Iodo metálico (5-7%)
Em álcool
Iodeto de potássio (5-7%)

- Álcool iodado:
1 parte de tintura de iodo em 9 de álcool 70˚
PREPARAÇÕES CONTENDO IODO LIGADO A OUTRAS
SUBSTÂNCIAS (IODOFOR):

- Iodo elementar ligado a substâncias carreadoras


(liberação lenta)
- Polivinilpirrolidona ou Povidona
- Menos irritantes
- Melhor penetrabilidade na matéria orgânica e
gorduras
- Odor menos forte
- Menor corrosão de objetos metálicos
AMÔNIAS QUATERNÁRIAS

→Agentes tensoativos (umectantes, detergentes e


emulsificantes);
→Germicidas (desnaturando ou precipitando proteínas
dos microrganismos);
→Cloretos de benzalcônio, cetilpiridínio e
metilbenzetônio.
ESPECTRO ANTIMICROBIANO DAS
AMÔNIAS QUATERNÁRIAS

→ Atuam bem contra formas vegetativas de bactérias,


mas não contra esporos;
→ Ação sobre fungos e vírus variável;
→ Não agem bem na presença de matéria orgânica;
→ Formam película na pele com pouco poder
bactericida internamente;
PRINCIPAIS USOS DAS
AMÔNIAS QUATERNÁRIAS
✓ Como antisséptico:
- Pouco irritantes, boa penetrabilidade e rápido início
de ação
- Concentração: 0,02 a 0,1%
✓ Como desinfetante:
- Principal utilização
- Utensílios, instalações
- Avicultura
TRICLOSAN

Bloqueia o sítio ativo de uma enzima chamada enoil-acil


proteína-carreadora redutase (ENR), impedindo a bactéria de
fabricar ácidos graxos.
Desorganizar a membrana citoplasmática.

- Atua contra Gram+ e Gram-;

- Uso constante pode determinar dermatites;

- Aplicações: Limpeza e antissepsia


AGENTES OXIDANTES
➢ Ganhar elétrons, promovendo a perda de elétrons de outra
espécie.

1- Peróxido de hidrogênio
- Mecanismo de ação: lise de membrana celular
- Fraco como antisséptico
- Retarda cicatrização de feridas
- Usos: Limpeza de feridas, surperfícies e materiais sujos por
sangue
2- Permanganato de potássio
- Antimicrobiano de amplo espectro
- Fraco como antisséptico
- Deveria ser utilizado em concentrações mais
elevadas, porém se tornariam cáusticas e tóxicas
- Não atua na presença de matéria orgânica
Desinfetantes
Características de um bom desinfetante:

✓ Aquele que na mesma concentração e no


mesmo espaço de tempo elimina bactérias, vírus,
fungos, protozoários e parasitas
✓ Baixo custo e aplicação econômica
✓ Atóxico
✓ Estável frente a matéria orgânica, pH, luz
✓ Ser solúvel em água

✓ Não conferir sabor ou odor aos objetos

✓ Ter poder residual

✓ Fácil aplicação

✓ Poder de penetração e rapidez de ação

✓ Não ser corrosivo

✓ Ser biodegradável
Sistemas de Desinfecção

Por agentes físicos


- Radiação ultravioleta (solar ou lâmpadas)
- Calor (Vapor, pasteurização, incineração,
vassoura de fogo, compostagem sólida)

Por agentes químicos


- Derivados do Alcatrão e compostos
fenólicos, halogênicos, álcoois e aldeídos,
detergentes, álcalis, compostos orgânicos
naturais
Técnicas de desinfecção

➢ Pedilúvio
➢ Rodolúvio
➢ Imersão
➢ Pulverização
➢ Aspersão
➢ Fumigação
Fonte: Milk Point
Desinfetantes químicos

1. Compostos fenólicos

- Fenol ou ácido carbólico


Alta toxidez e odor forte
Formação de compostos
(Cresol, lisol, hexaclorofeno)
Desinfetantes químicos

- Cresol ou ácido cresílico


Menor toxicidade e menos irritante
Mais eficaz (Peste Suína, Mycobacterium spp.)
Irritante e corrosivo para pele e mucosas
Desinfecção de instalações e veículos
Desinfetantes químicos

2. Halogênios
- Cloro
Formas: Gás, hipocloritos, cloraminas
Mecanismo de ação: penetram na célula
bacteriana e a destroem
Usos: Purificação da água, higienização de
pisos, paredes, utensílios e equipamentos
*Pré e pós-dipping (hipoclorito de Na a 3%)
*Líquido de Dakin (Hipoclorito de Na a 0,5%)
Desinfetantes químicos

3. Aldeídos
- Formaldeído ou Formol
Formas: Gasosa, Formalina
Mecanismo de ação: Desnaturação das
proteínas dos microorganismos
Usos: Esterilização, preservação de peças
anatômicas, desinfetante de objetos sensíveis
ao calor, pedilúvios
(longo tempo para sua ação completa)
Irritante para pele e mucosas
Desinfetantes químicos

- Glutaraldeído
Menos tóxico
Largo espectro de ação
Biodegradável
Usos: Desinfecção de instrumentos cirúrgicos
instalações, equipamentos
Desinfetantes químicos

4. Álcalis
Amplo espectro de ação, porém não atuam
contra os esporos (pH > 9,0)
Desinfecção de instalações
São tóxicos, corrosivos, irritantes e não
biodegradáveis

- Soda cáustica
Solução a 2% em água quente, 10’
Adição de 1kg de cal (Potencializa)
Desinfetantes químicos

- Cal (óxido de cálcio)

Quando hidratada cal apagada (elevado


valor desinfetante)

Formas: Pó ou leite de cal (2,5 l água / 9 kg cal)


- Disponível e de baixo custo
Lave as mãos!

Valeu!

Você também pode gostar