Você está na página 1de 6

Em sua obra, “Pedagogia do Oprimido", o educador Paulo Freire apresenta a vocação

ontológica humana associada à questão do amor em diálogo. Para ele, ​Educar é um ato de
Amor.​ Observe o diálogo ilustrativo abaixo:

a) Para potencializar situações de questionamentos, criticidade, reflexão-ação,


problematização, não é necessário haver afetividade ou amor.
b) Conclui que não há diálogo se não há um profundo amor ao mundo e aos humanos.
c) Afirma o amor como fonte original da solidariedade, de se colocar no lugar do outro,
de estar com o outro.
d) Defende que há necessidade de enfrentarmos e superarmos com a verdadeira
generosidade as razões que alimentam o “falso amor".

2. São ideias defendidas por Paulo Freire (1996), EXCETO:

A. Ensinar exige curiosidade e a convicção de


que a mudança é possível.
B. Ensinar não é transferir conhecimento.
C. Ensinar é uma especificidade humana que
exige comprometimento.
D. Ensinar com rigorosidade metódica para
impedir a criatividade e o pensamento crítico
do educando.

3. A história das ideias pedagógicas nesses últimos anos apresenta importantes marcos
teóricos.Entre os mais significativos deles está, inquestionavelmente, a obra de Paulo
Freire.
Tendo sua produção como referência, muitos educadores, principalmente na América
latina, consolidaram um dos paradigmas mais
ricos da pedagogia contemporânea: a educação popular - a grande contribuição do
pensamento pedagógico latimo-americano à pedagogia
mundial (MOACIR GADOTTI, 1996).

A respeito da influência de Paulo Freire na educação do mundo, marque a opção


INCORRETA.

a) A Pedagogia do oprimido, que é sem dúvida uma


de suas principais obras, foi traduzida e vem sendo
publicada em mais de vinte idiomas. Isso prova a
atualidade de seu pensamento, pois o problema da
libertação do oprimido, continua se apresentando
como o maior desafio dos homem e das mulheres
que constroem o seu tempo e o seu espaço
histórico.
b) Em homenagem aos que lutaram contra a
opressão, a artista sueca Pye Engstron o esculpiu,
em 1972, em pedra, ao lado de Pablo Neruda,
Angela Davis, Mao TséTung, Sara Lidman, Elise
Ottosson-Jense e Georg Borgström.
c) O pensamento de Paulo Freire – a sua teoria do
conhecimento – deve ser entendido no contexto em
que surgiu – Sudeste brasileiro -, onde, no início da
década de 1990, metade de seus 30 milhões de
habitantes viviam na “cultura do silêncio”, como ele
dizia, isto é, eram analfabetos.
d) Todo o seu pensamento tem uma relação direta
com a realidade. Essa é sua marca. Ele não se
comprometeu com esquemas burocráticos, sejam
os esquemas do poder político, sejam os esquemas
do poder acadêmico. Comprometeu-se acima de
tudo com uma realidade a ser transformada.
e) O diálogo consiste em relação horizontal e não
vertical entre as pessoas implicadas, entre as
pessoas em relação. No pensamento de Paulo
Freire, a relação homem-homem, homem-mulher,
mulher-mulher e homem-mundo são indissociáveis.
Como ele afirma: “ninguém educa ninguém.
Ninguém se educa sozinho. Os homens se educam
juntos, na transformação do mundo”.
Paulo Freire, em seu livro Pedagogia do Oprimido, ao discorrer

sobre a necessidade de se problematizar, afirma que: nenhuma

ordem opressora suportaria que os oprimidos todos passassem

a dizer: por quê? (1987, p. 75). Isso nos remete a uma das

tarefas da educação escolar, que é desenvolver nos alunos a:

● a)
● formação técnico-científica;

● b)
● capacidade de pensar criticamente;

● c)
● adoção de valores morais;

● d)
● competência para cooperação social;

● e)
● necessidade de respeito às regras sociais.

5 - Paulo Freire em seu livro Pedagogia do Oprimido, no item denominado: ​O diálogo


começa na busca do conteúdo programático​ afirma:

● A.

● conteúdo programático.
● B.

● planejamento

● C.

● estratégia de ensino.

● D.

● reforma do ensino.

6 - ​Paulo Freire, em sua obra mais conhecida, Pedagogia do Oprimido, afirma que “quanto mais
analisamos as relações educador-educandos na escola, em qualquer de seus níveis (ou fora
dela), parece que mais nos podemos convencer de que essas relações apresentam um caráter
especial e marcante – o de serem relações fundamentalmente narradoras, dissertadoras”.
(FREIRE, 1987, pág. 57)

O autor afirma que a narração de que o educador é o sujeito que conduz o educando à
memorização mecânica e os transforma em vasilhas. “Quanto mais vá enchendo os
recipientes com seus depósitos, tanto melhor o educador será. Quanto mais se deixem
docilmente encher, tanto melhores educandos serão". (IDEM, pág. 58)

As características das relações entre professor e aluno descritas por Freire são próprias do
que o autor denomina ‘educação bancária’. Em oposição, o autor afirma que deve-se priorizar
a dialogicidade enquanto essência da educação como prática de liberdade.

Segundo o autor, para haver um diálogo em que se estabeleça uma relação horizontal, é
necessário evitar:

​a)
um profundo amor ao mundo e aos homens;

​b)

autossuficiência;

​c)

humildade;

​d)

a supressão da situação opressora;

​e)

intensa fé nos homens.

7 - ​-Paulo Freire é considerado um dos maiores educadores do Brasil e conhecido


internacionalmente pela sua obra Pedagogia do Oprimido. QUESTÃO: Escolha a
alternativa CORRETA. De acordo com Freire, a luta do oprimido pela sua humanização
somente tem sentido quando homens e mulheres buscarem recuperar a humanidade:

do analfabeto
dos oprimidos
dos opressores
tanto dos opressores quanto dos oprimidos
do trabalhador

8-.O pensamento pedagógico de Paulo Freire parte de alguns princípios que


marcam, de forma clara e objetiva, o seu
modo de entender o ato educativo. Considerando as características do pensamento
desse autor, analise as
afirmações que se seguem.
I - Ensinar é um ato que envolve a reflexão sobre a própria prática
II - Modificar a cultura originária é parte do processo educativo.
III - Superar a consciência ingênua é tarefa da ação educativa.
IV - Educar é um ato que acontece em todos os espaços da vida.
V - Educar é transmitir o conhecimento erudito e universalmente reconhecido.
Estão de acordo com o pensamento de Paulo Freire:

Apenas a I, II, III e IV


Apenas a I e II
Apenas a II e V
Apenas a I, III e IV

9 - Quando Paulo Freire no livro “Pedagogia do oprimido” menciona que “não


conquistamos ainda nossa humanidade”, o que ele quer dizer?

a - Denuncia a falta de respeito entre os oprimidos


B - Que opressores e oprimidos ainda agem pela lógica do dinheiro
C - Que as contradições sociais submetem os opressores a formas degradantes de
desumana
D - Que a condição “opressor-oprimido” não revela o que há de verdadeiramente
humano nas relações entre as pessoas

10 - “Os opressores não podem libertar os oprimidos, a única coisa que podem fazer
é expressar uma ‘falsa generosidade’ para tentar amenizar o sofrimento do
oprimido”. Com essa passagem, Paulo Freire refere-se a:

A - Empatia que os opressores possuem pelos oprimidos


B - Momentos onde os opressores buscam amenizar a condição do oprimido, sem
contudo ceder-lhe a liberdade
C- A libertação da condição opressor-oprimido, deve ser feita pela ação dos
oprimidos através da criação de sua pedagogia
D - Períodos onde os oprimidos passam a ser opressores

Você também pode gostar