Você está na página 1de 76

MOVIMENTAÇÃO

MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–


LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

PLANEJAMENTO E MITIGAÇÃO DOS RISCOS


NA MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS

JACQUES RAIGORODSKY
CARGA PESADA MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

EQUIPAMENTO ou PEÇA PESADA a SER:


TRANSPORTADA/MOVIMENTADA/MONTADA/EMBARCADA

- DIMENSÕES, PESO E C.G.


- ELEVAÇÃO DE MONTAGEM
- PRINCIPAIS INTERFERÊNCIAS
C.G. A
- FASES: - PROJETO BÁSICO
- PROJETO EXECUTIVO PESO
- FABRICAÇÃO
- PESAGEM

L
C
LOGÍSTICA MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

LOGÍSTICA

- FABRICANTE - OBRA

- TRANSPORTE RODOVIÁRIO
CLIENTE /
OUTROS

- CARGA / EMBARQUE
CLIENTE /

- TRANSPORTE MARÍTIMO
OUTROS

CONTRATADA

- DESCARGA / DESEMBARQUE
- LIBERAÇÃO ADUANEIRA
CONTRATADA

- TRANSPORTE RODOVIÁRIO / FLUVIAL


CONTRATADA

- DESCARGA NO CANTEIRO
- MOVIMENTAÇÃO INTERNA AO CANTEIRO
- MONTAGEM EM SUA POSIÇÃO FINAL
LOGÍSTICA MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

TRANSP. RODOVIÁRIO

- VERIF. PONTES / VIADUTOS


- INTERFERÊNCIAS / CURVAS
- CARGAS MÁXIMAS POR EIXO
LOGÍSTICA MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

TRANSP. MARÍTIMO

- PEIAÇÃO / VER. CONVÉS


- CARGA / DESCARGA
- EMBARQUE / DESEMBARQUE
LOGÍSTICA MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

TRANSP. FLUVIAL

- PEIAÇÃO / VER. CONVÉS


- CARGA / DESCARGA
- EMBARQUE / DESEMBARQUE
- CAIS PROVISÓRIO
- NAVEGABILIDADE
LOGÍSTICA MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

OUTROS MEIOS NAVAIS

- MONTAGEM FINAL
- CARGA / DESCARGA
- PROCEDIMENTO COMPLETO
- PLANO DE RIGGING

TAGUS BRIDGE - 2.500ton

MODULO - 1200ton
LOGÍSTICA MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

EMBARQUE, TRANSPORTE E INSTALAÇÃO EM MAR ABERTO


LOGÍSTICA MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

GESTÃO DO RISCO:

- EMPRESAS CAPACITADAS
- PESSOAS CAPACITADAS
- VERIFICAÇÕES TÉCNICAS
- CERTIFICAÇÃO
- SEGURO
- DOCUMENTAÇÕES / AUTORIZAÇÕES
- CHUVAS / SAZONALIDADE
- ACOMPANHAMENTO CAPACITADO
- DECISÕES CAPACITADAS
LOGÍSTICA MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

EXISTE RISCO?
LOGÍSTICA MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

EXISTE RISCO?
PLANOS DE RIGGING MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

PLANO DE RIGGING

- FASES : PROPOSTA / INÍCIO DE PROJETO / PROJETO DETALHADO / FINAL

- MAXIMIZAÇÃO DE FABRICAÇÃO / PRÉ-MONTAGENS /

PRÉ-MOLDADOS ?

- INFLUÊNCIA NO CRONOGRAMA FINAL DO CONTRATO ?

- CUSTO / MOBILIZAÇÃO

- SEGURANÇA
PLANOS DE RIGGING MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

NOÇÃO BÁSICA
PLANOS DE RIGGING MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

-TABELA DE CAPACIDADES DE CARGA

460.000 Lbs=
208,6 mTon=
230 ShortTon

Capacidade estrutural da
lança governa o projeto

Tombamento da máquina,
75% do momento estático,
governa o projeto

104,800 Lbs=
47,5 mTon=
52,4 ShortTon

EXEMPLO - MANITOWOC 4100-S2 - 230TON


PLANOS DE RIGGING MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

PLANO DE RIGGING:

T-1 T-2 T-3 T-4 T-5 T-6 T-7 T-8 T-9 T-10 T-11 T-12 T-13 T-14

T-A

T-B T-B

T-C

T-E

T-F T-F

B-A

B-B

B-C

B-C

B-E

B-E1
B-F

B-G

B-H

B-I

B-J

B-K

B-L

B-M

SIM NÃO

VERIFICAÇÃO: N/A JUO/SUP. VERIFICADOR N1 N2

INFORMAÇÃO E COMENTÁRIOS .

RIGGING-001 0

. -
1 : 200
FOLHA 05 DE 06 Ed. 0e . -
PLANOS DE RIGGING MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

T-F

B-A

B-B

B-C

B-C

B-E

B-E1
B-F

B-G

B-H

B-I

B-J

B-K

B-L

B-M

VISTA EM PLANTA
PLANOS DE RIGGING MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

FOLGAS GEOMÉTRICAS
MÍNIMAS RECOMENDADAS

- 1000mm (Mínima)

- 500mm (Mínima)

VISTA LATERAL
PLANOS DE RIGGING MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

TABELA RESUMO DE CARGAS

- ESPECIF. DO GUINDASTE

- TABELA DE CARGA

- CARGA TOTAL IÇADA:


- PESO DE PROJETO + CONTINGÊNCIA
-FATOR DE AMPLIFICAÇÃO DINÂMICA - FAD
-PESO DOS ACESSÓRIOS DE IÇAMENTO

- FATOR DE UTILIZAÇÃO
PLANOS DE RIGGING – DETERMINAÇÃO DO PESO IÇADO MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

PLANO DE RIGGING
- COMO DETERMINAR O PESO DE PROJETO DA MOVIMENTAÇÃO DE CARGA? VERIF. ESTRUTURAIS
OLHAIS E ACESSÓRIOS
- PESOS REAIS COSTUMAM SER DIFERENTES DOS TEÓRICOS, POR QUE?
- O PESO E C.G. EVOLUEM COM O TEMPO ……. “RELATÓRIO DE CONTROLE DE PESO”
- PESAGEM FINAL
- PRÁTICA RECOMENDADA PELA NOBLE DENTON:

VERSÃO ANTERIOR:

VERSÃO ATUAL:

- PRÁTICA ADOTADA:
EQUIPAMENTO FOI PESADO? SIM .... CONTINGÊNCIA DE 3%
EQUIPAMENTO FOI PESADO? NÃO .... CONTINGÊNCIA DE 10% PARA CASOS GERAIS
EM CASOS ESPECIAIS, ESTUDO PROFUNDO DAS PREMISSAS
DE CÁLCULO DO PESO TEÓRICO PARA REDUÇÃO DA
CONTINGÊNCIA. VALOR MÍNIMO DE 5%.
PLANOS DE RIGGING – DETERMINAÇÃO DO PESO IÇADO MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

- PESAGEM
PLANOS DE RIGGING – DETERMINAÇÃO DO PESO IÇADO MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

- USO DOS REGISTROS DA TRANSPORTADORA


PARA AFERIÇÃO DOS PESOS FORNECIDOS PELO FABRICANTE
QUE USOU CONTINGÊNCIA DE 2% e FAD DE 10% NO PROJETO
DO OLHAL PRINCIPAL DE IÇAMENTO

- ESTUDO DOS CÁLCULOS DO FABRICANTE


CONSIDERAÇÃO DAS CONTINGÊNCIAS JÁ EMBUTIDAS NAS PREMISSAS

- PARA OS CASOS NORMAIS:


EQUIPAMENTO FOI PESADO? SIM .... CONTINGÊNCIA DE 3%
EQUIPAMENTO FOI PESADO? NÃO .... CONTINGÊNCIA DE 10%....(VALOR MÍNIMO DE 5%)
PLANOS DE RIGGING – FATOR DE AMPLIFICAÇÃO DINÂMICA
MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

- GUINDASTES SE MOVENDO COM CARGA

- GUINDASTES FLUTUANTES

MAR ABERTO

ÁGUAS ABRIGADAS
PLANOS DE RIGGING – FATOR DE AMPLIFICAÇÃO DINÂMICA
MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

GUINDASTES FLUTUANTES
FATOR DE AMPLIFICAÇÃO DINÂMICA (FAD)

FATORES DE AMPLIFICAÇÃO DINÂMICA - NOBLE DENTON


CARGA MAR ÁGUAS EM TERRA
(ton) ABERTO ABRIGADAS MOVENDO ESTÁTICO

<100 1,30 1,15 1,15 1,00


100 - 1.000 1,20 1,10 1,10 1,00
1.000 - 2.500 1,15 1,05 1,05 1,00
>2.500 1,10 1,05 1,05 1,00

OPERAÇÕES CONSIDERADAS COM FAD = 1,0:

SUBIR OU DESCER LANÇA (ALTERAÇÃO DO RAIO DE GIRO)

CUIDADO! BALANÇO INICIAL – FALTA DE VERTICALIDADE DOS CABOS


SUBIR OU DESCER A PEÇA
FRENAGEM BRUSCA NA DESCIDA
CARGAS ”SOLTAS” – CARGAS QUE PODEM SE MOVER INTERNAMENTE

CUIDADO!
GIRO DA MÁQUINA VELOCIDADE DE GIRO – FORÇA
FORÇA CENTRÍFUGA
PLANOS DE RIGGING – carga total içada MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

NOBLE DENTON-
DENTON-0027/NDI
GUIDELINES FOR LIFTING
OPERATIONS BY FLOATING
CRANE VESSELS

TABELA RESUMO DE CARGAS


- ESPECIF. DO GUINDASTE

- TABELA DE CARGA

- CARGA TOTAL IÇADA:


- PESO DE PROJETO + CONTINGÊNCIA
-FATOR DE AMPLIFICAÇÃO DINÂMICA - FAD
-PESO DOS ACESSÓRIOS DE IÇAMENTO
- FATOR DE UTILIZAÇÃO
DEMAIS ESTUDOS – verificação estrutural global e local MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

VERIFICAÇÃO ESTRUTURAL GLOBAL DA PEÇA ou EQUIPAMENTO:


O EQUIPAMENTO (OU A PEÇA) FOI DIMENSIONADO PARA SER MANUSEADO DESTA
DESTA FORMA?
NECESSITA VERIFICAÇÃO ESTRUTURAL?

950ton
DEMAIS ESTUDOS – verificação estrutural global e local MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008
DEMAIS ESTUDOS MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

ACESSÓRIOS DE IÇAMENTO:

- OLHAIS DE IÇAMENTO
- MANILHAS
- ESTROPOS
- BALANCINS / VIGAS DE IÇAMENTO
- INSPEÇÕES

140ton MINATITLAN - PESO DE 1260TON


ACESSÓRIOS DE IÇAMENTO – OLHAIS MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

- OLHAIS DE IÇAMENTO – PROJETO OU VERIFICAÇÃO DO OLHAL EXISTENTE

- NORMAS ADOTADAS: PETROBRAS-


PETROBRAS-N-2683A NOBLE DENTON-
DENTON-0027/NDI
ESTRUTURAS OCEÂNICAS
OCEÂNICAS GUIDELINES FOR LIFTING
– OLHAL DE IÇAMENTO – OPERATIONS BY FLOATING
- CARGAS DE PROJETO DIMENSIONAMENTO
CRANE VESSELS

-CARGA LATERAL: 5%
- GEOMETRIA DO OLHAL
-DEDICADA A UMA MANILHA
-Dfuro = Dpino + (1 à 5)mm
-Espessura Total deve ocupar
Pelo menos 80 a 90% da largura
Interna da manilha

- TENSÕES ADMISSÍVEIS
-ESMAGAMENTO NO PINO
-CISALHAMENTO SOBRE O FURO
-FLEXO-
FLEXO-TRAÇÃO

- EVITAR OLHAIS TRABALHANDO


À TRAÇÃO EM CHAPAS QUE NÃO
SEJAM DO TIPO “TTT”

- FATOR DE CONSEQUÊNCIA : X1,35

- USINAGEM DO FURO
ACESSÓRIOS DE IÇAMENTO – OLHAIS MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

- OLHAIS DE IÇAMENTO – PROJETO OU VERIFICAÇÃO DOS OLHAIS EXISTENTES

REVAP – PROJETO PROPENO - 745TON


ACESSÓRIOS DE IÇAMENTO – ESTROPOS E MANILHAS MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

- DETERMINAÇÃO DO PESO e C.G.


– DETERMINAÇÃO DA GEOMETRIA DAS LINGADAS
ACESSÓRIOS DE IÇAMENTO – ESTROPOS E MANILHAS MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

– DETERMINAÇÃO DAS CARGAS E DIMENSIONAMENTO DOS ESTROPOS


NOBLE DENTON-
DENTON-0027/NDI GUIDELINES FOR LIFTING OPERATIONS BY FLOATING CRANE VESSELS

– COEFICIENTES DE MAJORAÇÃO DE CARGAS


CONTINGÊNCIA DO PESO; FAD; FATOR DO C.G., FATOR DE REDISTRIBUIÇÃO DE CARGAS, ETC.

– “2-PARTS SLING FACTOR” – 45%:55% 2 pernas :


50%
– PERDAS POR DOBRAMENTO DOS ESTROPOS
nto
r ame /d
dob ção D nto
por Rela rame
da da ob
Per pende ro de od cabo
e De t d
me r o
- diâiâmet
D - d
d
50

60
EFICIÊNCIA % M.B.L.

70

80

90

100
1 4 8 12 16 20 24 28 32 36 40
RELAÇÃO: D/d
– USO DE:
- MANILHAS TIPO “WIDE BODY”
(D aprox.
aprox. igual ao dobro da manilha normal)
- ALARGADORES FEITOS NO CAMPO
- “QUEBRA-
“QUEBRA-CANTOS”
CANTOS” FEITOS NO CAMPO

– COEFICIENTE DE SEGURANÇA:– 5 (casos gerais); 3 (estropos novos)


– CERTIFICADOS – MINIMUM BREAKING LOAD
ACESSÓRIOS DE IÇAMENTO – ESTROPOS E MANILHAS MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

– DETERMINAÇÃO DAS CARGAS E DIMENSIONAMENTO DOS ESTROPOS


DEMAIS ESTUDOS - SOLO MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

VERIFICAÇÃO DO SOLO:

- CAPACIDADE – PRESSÕES DA ORDEM DE 5kg/cm2

- NECESSIDADE DE MATS? REFORÇO?

- EXISTE ALGUMA DECLIVIDADE?


DEMAIS ESTUDOS - SOLO MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

- EXEMPLO DO USO DE MATS PARA


PROTEÇÃO
PROTEÇÃO DE FUNDAÇÕES EXISTENTES
DEMAIS ESTUDOS - SOLO MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

- USO DE MATS SOB PATOLAS

- CAPACIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DAS CARGAS PELO MATS

ESTEIRA OU PATOLA

MATS DE MADEIRA

e MATS DE CHAPA DE AÇO


b e
b

b+2e b+2e
RUPTURA DO SOLO MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

ACIDENTE - REPLAN
REFORÇO DE SOLO MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

A CAPACIDADE PORTANTE DO SOLO É UM PROBLEMA


TÍPICO DE FUNDAÇÃO DIRETA E DEVE SER ANALISADA
PELOS PROJETISTAS DE FUNDAÇÃO E GEOTECNIA

CONSOLIDAÇÃO DE SOLO - REPAR


DEMAIS ESTUDOS MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

QUESTÕES OPERACIONAIS:
- CONDIÇÕES CLIMÁTICAS LIMITES / ESTADOS LIMITES DE MAR
- ESTADO DE MANUTENÇÃO DOS GUINDASTES (CERTIFICAÇÃO / PROVA DE CARGA)
- GUINDASTES POSSUEM “LOAD CELL”? ANEMÔMETRO? INCLINÔMETRO?
- GUINDASTES POSSUEM MODERNOS SIST. DE SEGURANÇA E CONTROLE?
- SISTEMA DE COMUNICAÇÃO
- OPERAÇÕES EM “TANDEM”
- CUIDADOS ESPECIAIS
- VERIFICAÇÃO DE INTERFERÊNCIAS
PLANOS DE RIGGING MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008
-GUINDASTES SOBRE PATOLAS COM TABELA DE CAPACIDADES
CALCULADAS PARA 85% DO MOMENTO ESTÁTICO DE TOMBAMENTO

-CASO GERAL:
-USAR A TABELA PARA 75% (DIN/ISO)
-CASO O GUINDASTE SOMENTE POSSUA A
TABELA PARA 85% :
-SOLICITAR A TABELA PARA 75% ou
-DIVIDIR A CAPACIDADE MOSTRADA
POR: 0,85/0,75=1,13

-CUIDADO !!! TABELAS 85% SÃO PROIBIDAS EM MUITOS PAÍSES

-EVITAR / LIMITAR O USO


-TABELA DE CAPACIDADE 85% DEVE SER USADA COM MUITA CONSCIÊNCIA
-TODOS CONTROLES E RECURSOS DO GUINDASTES DEVEM ESTAR OPERANTES
-CONSCIÊNCIA DOS RISCOS ENVOLVIDOS E COMO MITIGÁ-
MITIGÁ-LOS
PLANOS DE RIGGING MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008
-GUINDASTES SOBRE PATOLAS COM TABELA DE CAPACIDADES
CALCULADAS PARA 85% DO MOMENTO ESTÁTICO DE TOMBAMENTO

-CUIDADO !!! TABELAS 85% SÃO PROIBIDAS EM MUITOS PAÍSES

-EVITAR / LIMITAR O USO


-TABELA DE CAPACIDADE 85% DEVE SER USADA COM MUITA CONSCIÊNCIA
-TODOS CONTROLES E RECURSOS DO GUINDASTES DEVEM ESTAR OPERANTES
-CONSCIÊNCIA DOS RISCOS ENVOLVIDOS E COMO MITIGÁ-
MITIGÁ-LOS

- USO OBRIGATÓRIO DE MATS SOB AS PATOLAS - NIVELAMENTO PRECISO


- LIMITAR VELOCIDADE DE VENTO - SISTEMAS ELETRÔNICOS DE
- LIMITAR VELOCIDADE DE OPERAÇÃO SEGURANÇA OPERANTES
- VERIF. DO RAIO DE GIRO POR TOPOGRAFIA - ACOMPANHAM. PELA ENGENHARIA
PLANOS DE RIGGING – FLUTUANDO MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

GUINDASTES SOBRE BALSAS

RECOMENDÁVEL

LANÇA TRELIÇADA

- VIGAMENTO DE APOIO E FIXAÇÃO NO CONVÉS DA BALSA


- VERIFICAÇÃO ESTRUTURAL DO CONVÉS DA BALSA
- ESTABILIDADE DA BALSA
- PLANO DE ANCORAGEM
- REBOCADORES DE APOIO
- PLANO DE EMBARQUE E DESEMBARQUE DO GUINDASTE
- PLANO DE LASTREAMENTO (CASO NECESSÁ
NECESSÁRIO)

NÃO RECOMENDÁVEL

LANÇA TELESCÓPICA
ENVOLVIMENTO DE 3ºS MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

ENVOLVIMENTO DE TERCEIROS:

ASPECTOS POSITIVOS:

- QUANDO EXISTE SOMA DE CAPACIDADES

- CORPO TÉCNICO

- NEGOCIAÇÃO NO MERCADO
- MENOR CUSTO DE MOBILIZAÇÃO, PARA

O CASO DE EQUIPAMENTOS LOCAIS

ASPECTOS NEGATIVOS:

- RISCO EMPRESARIAL

- CONFLITO DE INTERESSES
ENVOLVIMENTO DE 3ºS MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

EXEMPLO DE OBRA PORTUÁRIA COM


MONTAGEM ELETRO-MECÂNICA:
DESCARREGADOR – KRUPP – 980ton

- SOLO
- BASES ESTAQUEADAS P/ GUINDASTE
- ESPAÇO RESTRITO

- IÇAMENTOS DE PAINÉIS DE 100TON

- 48m DE ALTURA

- INTERFACE CIVIL x MONTAGEM


- NECESSIDADE DE PLANEJAMENTO MINUCIOSO
- PARCEIROS DE PEQUENO PORTE

- PONTE DE ACESSO ESTAQUEADA

- EXECUTAR UMA TRAVESSIA DE 73m,

SENDO 30m SOBRE PONTE, 980TON


ENVOLVIMENTO DE 3ºS MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

ENVOLVIMENTO DE TERCEIROS:
- PONTE DE ACESSO DA RETRO ÁREA AO PIER

54m

30m
ENVOLVIMENTO DE 3ºS MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

ENVOLVIMENTO DE TERCEIROS:
- VISTA LATERAL

°
80
EL+48685

EL+47435

x x
x x

6,20 (Topo do trilho)


+ 5,85
+5,144
+4,734
+4,294

+2.33

-0.94

-5.90 -6.14
-6.12

3000

9140 8860 6600 6000 6000 6000 6000 6000 6000 6000 6000 6000 6000 6000

A B C D E F G H J K L M N P Q
ENVOLVIMENTO DE 3ºS MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

ENVOLVIMENTO DE TERCEIROS:
- OPERAÇÃO DE TRANSLAÇÃO
ENVOLVIMENTO DE 3ºS MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

ENVOLVIMENTO DE TERCEIROS:
- POSICIONAMENTO FINAL
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

ACIDENTES

- CARGAS LEVES
MAIORIA DOS CASOS - SEM ACOMPANHAMENTO
- EXCESSIVA CONFIANÇA DO OPERADOR

- ROMPIMENTO DE OLHAL / ESTROPO / MANILHAS


- ROMPIMENTO DE SOLO / TALUDE
- OPERAÇÕES EM “TANDEM”
- ROMPIMENTO DE ESTAIS
- CAPACIDADE ESTRUTURAL DA BALSA
- PERDA DE ESTABILIDADE
- FALHA DE LASTREAMENTO
- FALHA DO EQUIPAMENTO / CABO PRINCIPAL
- FALHA HUMANA
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Março/2002
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Setembro/2006
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Setembro/2006
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Setembro/2006

Vigas e cabos do Sistema de


Recuperação da torre do fundo do mar
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Setembro/2006

Guindaste deslocado do centro


Carga Lateral à Balsa
Balsa sem lastreamento
Inclinação estimada: 4,4•

Raio giro passou de 28’ para 40’


Capacidade Estática caiu de:
64,4ton para 37,7ton
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Outubro/2007

Acidente com balancim


aparafusado projetado e fabricado
pelo fabricante do equipamento

Detalhe da junta aparafusada


No meio do vão do balancim

36ton 15,5ton 19ton 19ton 15,5ton 36ton

Condição do Acidente
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Dezembro/2007

Equipamento da CNO com apenas 224 h de trabalho, capacidade de 165 Ton.


Operador trabalhou com o sistema de monitoramento de carga e programação
desativado. Sem saber, tentou içar uma carga muito superior à capacidade para
configuração usada e a lança não resistiu.
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Janeiro/2008

Acidente durante a verticalização de colunas pré-


pré-moldadas
Acessórios de içamento não compatíveis com o procedimento adotado
MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Janeiro/2008

Verticalização com a base apoiada no terreno – apoiado sem preparo devido


Acessórios de içamento não preparados para resistirem esforços laterais
Ao longo da verticalização,
verticalização, a peça de desestabilizou lateralmente,
soltando a polia do pino principal de içamento
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

CARGAS SOLTAS
Tubos transportados
soltos em uma bandeja.

Acidente ocorrido em uma refinaria da Shell em Antuérpia na Holanda.


ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

CARGAS SOLTAS

A fixação apropriada das cargas SALVA VIDAS.


ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Falta de Planejamento
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Falta de Planejamento
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Falta de Planejamento
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Falta de Planejamento
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Falta de Planejamento
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Falha Estrutural

Shortcut to Guindaste.lnk
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Cabos Elétricos e Linhas de Transmissão

Shortcut
acidente
to acidente
guindaste.wmv
guindaste.lnk
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Descarregamento de Transformador
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Descarregamento de Transformador
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Descarregamento de Transformador
Perícia Interna enviada pela Barnhart

What happened?

„ Causes
‹Primary
)Barge Truss Failed due to poor barge condition
and high loads imparted by the barge ramps
‹Secondary
)Barge condition was not recognized by
consultant as being hazardous
)BCR did not review the survey report that
noted the poor condition
)Barnhart Engineering was not involved in the
barge analysis
)60foot bridge jumpers were used for barge
ramps (this increased the end reactions)
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Descarregamento de Transformador
Perícia Interna enviada pela Barnhart
Lessons Learned
„ New SOP written
‹Engineering review required for all roll-offs
‹Structural analysis of barges will be performed
prior to roll-off
‹Bridge jumpers will not be used as barge ramps
without engineering approval
‹Trailers will be 4 zoned during roll-offs (If possible)
‹Engineering presence during roll-off operations
Learn from your mistakes
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Módulo de Acomodação – BI-3019 Marjan Upgrade Project

peso estimado:
600 – 800ton
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Módulo de Acomodação – BI-3019 Marjan Upgrade Project

peso estimado:
600 – 800ton
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Módulo de Acomodação – BI-3019 Marjan Upgrade Project

peso estimado:
600 – 800ton
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Módulo de Acomodação – BI-3019 Marjan Upgrade Project

peso estimado:
600 – 800ton
ACIDENTES MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

Módulo de Acomodação – BI-3019 Marjan Upgrade Project

peso estimado:
600 – 800ton
GESTÃO DO RISCO MOVIMENTAÇÃO
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS – LOCAR–
LOCAR– ABRIL-
ABRIL-2008

GESTÃO DO RISCO:

- SUBCONTRATAÇÃO DE EMPRESAS CAPACITADAS


- PESSOAS CAPACITADAS
- PLANEJAMENTO EM TODAS AS FASES
- EXECUTAR AS VERIFICAÇÕES TÉCNICAS NECESSÁRIAS
- MANUTENÇÃO e TREINAMENTO DOS OPERADORES
- PRATICAR A “BOA PRÁTICA” DA ENGENHARIA
- CERTIFICAÇÃO
- ACOMPANHAMENTO CAPACITADO
- DECISÕES CAPACITADAS