Você está na página 1de 53

Carta 1

Eu, o CRISTO, aproveito esta oportunidade para falar


diretamente com VOCÊ.

Eu vim para retificar as interpretações errôneas


de meus ensinamentos quando, conhecido como “Jesus”,
estive na Palestina há dois mil anos.

Estas cartas estão sendo enviadas por meio de alguém que, durante os
últimos quarenta anos, tem sido espiritualmente sensível e dedicada o
suficiente para receber as minhas palavras e agir de acordo com elas.

Estas CARTAS SÃO A VERDADE.


Elas transcendem todas as doutrinas religiosas do mundo.

Estas CARTAS vão LIBERTAR você.

As Cartas são para todas as pessoas que buscam a razão da


existência, o propósito de suas vidas, força para enfrentar a luta da vida,
suportar dificuldades, doenças e desespero, e inspiração para aqueles que
desejam alcançar mais consciência espiritual no dia a dia de suas vidas.
Poderia se dizer que estas Cartas são um CURSO PARA SE TORNAR
MESTRE, destinado àqueles que estão prontos para percorrer o caminho
que trilhei quando estive na Terra, na Palestina.
Talvez você duvide de que estas palavras sejam verdadeiras. À medida
que for lendo estas páginas e for se aprofundando nos fatos que estou
explicando a respeito da existência e das origens da personalidade, você
perceberá que esta verdade somente poderia vir da mais alta fonte.

Aqueles que tiverem dificuldade em compreender as CARTAS devem


ler apenas uma página por vez, para então colocá-las de lado e meditar.
Gradualmente, sua consciência absorverá o significado delas, uma vez
que estas páginas são o elo entre sua consciência e minha consciência
transcendente. Aproxime-se destas CARTAS com a mente livre de ideias,
crenças e preconceitos, como uma criança pequena antes de ser
doutrinada com a crença humana.

Traga-me a sua mente aberta, uma mente que busca e eu a


preencherei com tesouros verdadeiros, o tesouro do mais alto
conhecimento, o qual, ao ser absorvido, aliviará sua carga diária e
conduzirá você até “os verdes pastos de brilhantíssima luz”, o que
significará abundância, alegria, arrebatamento e preenchimento pleno de
todas as suas necessidades. Você saberá como é sentir-se
abundantemente abençoado com tudo o que existe mais além da sua
compreensão humana.

Estas CARTAS são enviadas a todas as pessoas do mundo com todo


meu amor e compaixão. Enquanto você as lê, sentirá o amor e a
compaixão e vai perceber que suas lutas diárias com a existência nunca
foram planejadas para você. Não há necessidade de experimentar a dor e
a tensão quando você entende, absorve e pratica a VERDADE DA
EXISTÊNCIA com constância.
O PROPÓSITO DESTAS CARTAS

Elas têm a intenção de trazer iluminação ao mundo em geral e capacitar a


humanidade a construir uma NOVA CONSCIÊNCIA durante os próximos dois
mil anos. Estas CARTAS são a semente da futura evolução espiritual da
humanidade.

Observe bem:

A evolução espiritual da “consciência humana” é o que traz a


evolução mental e física em sua vida pessoal e global e aproximará a
humanidade de estados cada vez mais harmoniosos de bem-estar.

Se é difícil acreditar nisso, então reflita a respeito dos últimos dois mil
anos e veja o que se tem realizado desde a última vez em que falei
diretamente com as pessoas. Tem havido uma tendência de evolução
gradual em direção ao amor fraternal que eu costumava pregar ao povo
Judeu.

Quando eu caminhava pela Terra, não havia organizações


humanitárias como existem hoje. A ambição, a cobiça e a
autogratificação eram comportamentos considerados normais. Havia
pouco amor fraternal mesmo entre os Judeus para os quais os profetas,
durante gerações, haviam dito que amassem a seus semelhantes como a
eles mesmos.

Conforme a humanidade vem desenvolvendo a sua capacidade


para o amor fraternal, a vida tem se tornado mais confortável e
prazerosa sob a forma de consideração mútua, cortesia, gentileza, na
criação de hospitais e sociedades para o bem-estar infantil, no
cuidado com os mais velhos, no movimento a favor dos direitos
humanos e em muitas outras instituições dedicadas à melhoria da
condição humana. Tudo isto tem brotado nos corações e nas mentes
daqueles que sinceramente levaram em consideração minhas
primeiras palavras ditas na Palestina, as quais impulsionaram as
pessoas até o amor fraternal e a compaixão pelos seus semelhantes.

Estes cuidados espirituais e o amor fraternal ganharam um tremendo


impulso no século dezenove, quando minhas palavras foram pregadas
com renovada e intensificada sinceridade nos púlpitos e alegremente
recebida por congregações sérias e sinceras. Os pregadores e as
congregações, naquela época, já haviam se espalhado pelo mundo todo,
em cada continente. O Sábado era considerado um dia de descanso e os
pensamentos da maioria do povo Cristão se elevavam para contemplar o
poder de Deus. Tal suspensão mundial dos deveres e ocupações
normais permitiu uma elevação do “pensamento consciente”, de vinte
e quatro horas de duração, em direção ao Poder Criativo Divino,
criando uma constante e poderosa consciência “humana/Divina” que
dava suporte e se entrelaçava às vidas humanas. A súplica humana
atraiu o Poder do Divino para o interior da consciência e experiência
humanas e deu lugar diretamente ao crescimento e à expansão em
cada faceta da vida humana. Contudo, as pessoas ainda não sabiam
como direcionar mentalmente o Poder Divino para os canais
espirituais da criatividade em lugar dos canais do “ego”. Em
consequência, a expansão da “consciência coletiva” trouxe resultados
negativos surgidos do “poder do ego”, assim como resultados “positivos”
produzidos pela “consciência espiritual” das pessoas inspiradas e
iluminadas.
NOTA: POR ESTA RAZÃO... eu vim expressamente para explicar a
você... um fato da existência que é de vital importância. Por favor, leia
cuidadosamente.

É isto:

* Sua consciência pessoal é inteiramente responsável por tudo aquilo que


vem para a sua vida e experiência pessoal. É sua consciência pessoal que
traz para você o bem ou o mal.*

* No seu subconsciente, você traz lembranças fortemente impregnadas,


ainda que ocultas, de traumas/emoções de sua(s) vida(s) anterior(es) que
podem irromper e afetar a sua consciência atual.*

* A sua oração fervorosa e específica para aliviar algum acontecimento


pode receber resposta, mas a longo prazo será de pouco proveito se sua
mente e seu coração continuarem em contravenção com as Leis
Universais do AMOR e você viver com atitude mental de constante
crítica.*

As Leis Universais da Existência se relacionam SOMENTE às


“atividades da consciência”... e são exatas e indesviáveis... NÃO são
prêmios ou castigos de “Deus”.

Repito: Não são “CASTIGOS DE DEUS” – se relacionam ao “Fator


Causativo da Consciência” que atrai/magnetiza as partículas elétricas
que se unem e aparecem perante o mundo como formas e
experiências sólidas.
NOTA: Às vezes as pessoas fazem um contato poderoso com a
REALIDADE DIVINA, que está dentro e por trás de toda a criação, por
meio da oração. Ela responde e Sua atividade se revela num curto
espaço de tempo como uma melhoria necessária dentro da vida pessoal
ou nacional – e as pessoas podem exclamar: “É um milagre!” Mas, com o
passar do tempo, o estado da consciência Pessoal ou Nacional voltará
a reafirmar-se nas suas experiências e reproduzirá os mesmos efeitos
negativos anteriores na saúde e nas atividades. Você não pode efetuar
mudanças permanentes na sua vida a menos que você mude sua
consciência. Portanto, as pessoas devem rezar e esforçar-se a todo
momento para alcançar o Amor incondicional.

No século vinte, as habilidades mentais do ser humano deixaram


para trás o seu desenvolvimento espiritual. Os cientistas pensaram que
poderiam explicar as origens da criação atribuindo-as apenas à
casualidade. Como resultado direto disso, as pessoas abandonaram a
moralidade e começaram a dar atenção completamente à própria vontade.

Puseram em marcha uma nova ameaça no mundo, uma vez que


começaram a criar uma nova forma de “consciência egoica mundial”
diretamente oposta à NATUREZA do Divino AMOR INCONDICIONAL.
A consciência humana bloqueou o fluxo do Divino.

OBSERVE BEM: a imaginação mórbida de algumas pessoas, que seria


limitada localmente há um século, agora se tornou uma INFECÇÃO
MENTAL CONTAGIOSA glorificada na literatura, cinema e teatro,
espalhando-se pelo mundo todo, criando uma “Consciência Humana”
global similar à delas mesmas, expressada nos excessos sexuais,
violência e perversões. Esta INFECÇÃO MENTAL primeiro se manifesta
como formas egocêntricas de viver e na criação de engenhos tecnológicos
que têm gerado sérios distúrbios na saúde, mudanças climáticas,
diminuição de safras, degradação do meio ambiente, extinção de seres
vivos e o massacre de populações inteiras de seres humanos. A Infecção
Mental se manifesta na personalidade humana como um comportamento
desviado e destrutivo, com o consumo de drogas, com excessos
abomináveis de crueldade e depravação, operações mafiosas e excessos
sexuais. Deste modo, um círculo vicioso de atividades malignas e de
perversão de pensamentos e atos está sendo criado pelos magnatas do
entretenimento e da mídia. O propósito disto é capturar o interesse pessoal
de um público egocêntrico.

Sua tela de TV e o cinema se tornaram a nova Bíblia do


comportamento humano. Tragédias pessoais desconhecidas para a
humanidade há cem anos se tornaram abundantes e as pessoas têm medo
de andar nas ruas. Famílias estão presas atrás de muros altos. Os
problemas familiares e sociais se expõem frequentemente em debates
públicos – e assim a história da miséria humana se perpetua. Esta é a
BESTA invadindo seus territórios e alimentando um miasma de
bestialidade nas mentes inocentes.

* Isso será perpetuado até que o meu Conhecimento Crístico seja


reconhecido, aceito e vivido pela maioria das pessoas na Terra. Este
conhecimento irá mostrar a vocês como voltar ao verdadeiro CAMINHO
DA VIDA, a fim de começar a criar o tipo de vida que vocês realmente
desejam.**

Porque eu sou o AMOR incondicional, eu digo a VERDADE, intuída


por muitas mentes espiritualizadas, mas ainda rejeitada por aqueles
que são espiritualmente cegos.
/ Estas palavras não são ditas para ameaçar ou castigar você, mas
para alertá-lo para a fonte dos inqualificáveis horrores que
diariamente enchem seus jornais e aparelhos de TV. /////

* É apenas o amor que tenho por todas as pessoas que me obriga a


descer nos vários níveis de consciência e alcançar a dimensão da
depravação humana, para avisá-los de suas consequências em suas vidas
atuais.**

OBSERVE BEM: IMPORTANTE

Você quer saber de onde veio o vírus HIV que ataca o tão prezado sistema
de autodefesa humano – o sistema imunológico, e também sua
capacidade para procriar?

Este vírus, se não for controlado – não com remédios mas pela
CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL – exterminará os imprudentes. Os
Iluminados evitarão esta e outras armadilhas da existência.

Acorde! Perceba o perigo! Seus próprios e fortes “impulsos de


consciência” são impulsos de vida. São impulsos eletromagnéticos
altamente criativos! Quando seus impulsos de consciência são de uma
natureza virulenta – violenta – agressiva e homicida – eles emitem
partículas elétricas de CONSCIÊNCIA virulenta, violenta, agressiva e
homicida que tomam forma de vírus venenosos no ar, propagando-se de
uma pessoa inocente a outra.

O que nasce e se nutre em uma mente doente, acaba por tomar


forma no mundo físico. E isto não é castigo de “Deus”, como as igrejas
podem ensinar. É um FATO CIENTÍFICO DA EXISTÊNCIA. Portanto, é
um assunto de extrema urgência que todas as pessoas espiritualizadas
mantenham distância das imaginações “infantis” para perceber,
claramente, a VERDADE da criação e da existência.

Minha MENSAGEM para todas as IGREJAS

Eu, o CRISTO, vim expressamente para contar a vocês a verdade a


respeito das origens da “personalidade humana”. Explicarei com
exatidão como e por que tem sido dada à raça humana uma propensão
natural para o livre-arbítrio e um desejo predominante de autogratificação e
autodefesa. Isso não é pecado, mas sim parte dos processos naturais
criativos.

Não há “punição” vinda do alto! O homem, por meio do exercício


voluntário e prejudicial do “Poder do Ego”, atraiu para si mesmo a sua
própria punição.

NOTE BEM: Por esta razão, do mesmo modo que os livros escolares
de ciências se tornam defasados conforme a mente humana vai
absorvendo mais conhecimento científico avançado, assim também
deve-se permitir que a atual forma de “Cristianismo”, construída
sobre falsas doutrinas centradas em minha crucificação, tenha uma
morte natural.

NOTE BEM: A atual crise mundial, que está introduzindo um novo


fracasso das Leis Internacionais e estabelecendo as bases para um
futuro terrorismo global, indica claramente que nenhuma religião do
mundo possui o conhecimento adequado e a efetiva liderança para
iniciar mudanças nos padrões mentais do ser humano, que poderiam
conduzi-lo diretamente para a paz e a prosperidade.
O VERDADEIRO LÍDER ESPIRITUAL será capaz de ensinar para
suas congregações como e por que os esquemas mentais modernos,
formados na “consciência”, têm criado as calamidades e os horrores que
estão apenas começando a fazer-se sentir totalmente em seu meio, nas
diversas formas de pestes, terremotos, inundações, fomes, guerras,
revoluções e outras tragédias. Esteja certo de que nenhum mal que ocorre
em sua terra é um “desastre natural”. Qualquer coisa adversa ao seu bem-
estar nasce primeiro em sua “consciência humana” e depois toma forma
dentro da experiência global. Isso é o que eu tentei dizer aos Judeus
quando caminhava pela Terra – e CHOREI – quando eles riram e se
recusaram a acreditar. Eles me chamaram de louco.

Que as igrejas não cometam o mesmo erro! As igrejas têm estado


agonizantes, cristalizadas em rituais e dogmas e seus sacerdotes e
pastores não têm sido capazes de responder às necessidades espirituais
que estão em contínua evolução nos ardentes buscadores da Verdade.
Como consequência disso, as igrejas estão se esvaziando. Se quiserem
durar, as igrejas devem deixar de lado suas diferenças e ter
humildade para aceitar que a inspiração não vem à Terra
necessariamente da maneira que pareça aceitável para elas. Devem
lembrar que Eu, o Cristo, não era aceitável para os Judeus. As igrejas
devem manter suas mentes e corações abertos para receber aquilo que
intuitivamente sintam como a mais Alta Verdade, em vez daquelas a que
se agarram atualmente... e abandonar as velhas crenças que têm
permitido que a BESTA controle o pensamento humano.

Reze sinceramente, com toda a sua alma, mente e coração, – por uma
verdadeira iluminação – ao invés de reiterar velhas e falsas crenças.
Acorde e aceite que estes rituais e velhas crenças não cumpriram o que
prometiam as minhas palavras para a humanidade, quando disse que
“coisas maiores daquelas que fiz” vocês também fariam.

Enquanto isso, até que a verdadeira iluminação chegue até vocês –


(depois de muita meditação e oração), – ensinem, demonstrem e vivam:

O AMOR FRATERNAL
com toda a força da alma, coração e mente –
minuto a minuto em sua vida diária.

Para combater as forças destrutivas da consciência global, a


humanidade deve fazer muitos esforços para mover-se rapidamente para o
próximo estágio de seu desenvolvimento.

NECESSIDADE URGENTE DE UMA VISÃO MAIS ELEVADA.

Deve ser amplamente aceito que existe uma VISÃO MAIS ELEVADA e
que é preciso esforçar-se para introduzi-la na vida diária. É somente
alcançando esta visão mais elevada que o mundo físico será
resgatado da total aniquilação. Sem esta visão, para si mesmo ou para o
mundo, não pode haver evolução espiritual, nem se pode alcançar as
coisas que mais se deseja. Neste momento, a sua percepção da vida é
aquela de fardo e privação. Estas crenças são retratadas e reforçadas de
forma chocante pela televisão. Elas acabarão por trazer a miséria que você
esperava nunca conhecer.

Portanto, para salvar você de sua própria insensatez expressada por


meio da mídia, a “consciência humana” deve ser RAPIDAMENTE elevada
para ver o que eu vi no deserto – a Realidade do Amor por trás e no
interior de toda a existência.
OBSERVE BEM: Quando esta grande verdade for percebida e bem
acolhida, a Realidade do Amor começará a manifestar-se de várias
formas em cada coisa viva e no meio ambiente em si.

A experiência da abundância e felicidade reforçará a consciência da


abundância e felicidade. E, assim, uma espiral espiritual de vida cada
vez mais elevada e maravilhosa será colocada em movimento.

Quando a VERDADEIRA natureza do “Ser” for completamente


entendida – a humanidade avançará para o próximo degrau de evolução
espiritual e porá em movimento uma nova e abençoada forma de esforço
humano e de experiência pessoal. Para alcançar estas metas, a
humanidade precisa primeiro obter discernimento sobre
o QUE e QUEM é.

Uma nova e importante questão já está se apresentando para a


consciência das pessoas. “Quem é você – realmente – por trás da fachada
que apresenta ao mundo? O que é preciso para alguém ser
AUTÊNTICO?” É esta pergunta – “Quem é você realmente?”, que é
respondida, em cada nível do seu ser, nestas páginas. E se você puder
aceitar – como guia para sua vida cotidiana – tudo o que eu
compreendi durante a minha experiência de seis semanas no
“deserto” – você também, finalmente, se tornará ÍNTEGRO e
VERDADEIRO assim como eu me tornei ÍNTEGRO e VERDADEIRO
antes de começar meu ministério de cura e de ensinamento. Uma vez
que existem poucas pessoas no mundo que se consideram ÍNTEGRAS
neste momento, você seguramente reconhece que há uma necessidade
urgente de que eu me introduza em sua mente para dirigir você até uma
nova maneira de pensar e sentir. Esta mudança na consciência irá levá-lo
à Divina harmonia com a Realidade, e a melhores condições de vida e
segurança. Para fazer este trabalho de “reconstrução” em sua consciência,
eu devo primeiro registrar em sua mente – e você deve aceitar – que eu
ensinei na Palestina muitas coisas que os homens ainda não estavam
prontos para receber.
É significativo que nunca tenha sido publicamente questionada a
ausência de registros de minha juventude. Qual foi a verdadeira razão de
tão importante omissão? É igualmente significativo que, embora eu
tenha passado seis semanas no deserto depois de meu batismo e
tenha saído daquela experiência como um MESTRE e CURADOR,
nenhum escritor tenha tentado descrever o que realmente aconteceu
durante aquele tempo – apenas se disse que eu era “tentado pelo
demônio”, que estava “entre as bestas” e que os “anjos estavam
comigo”. Não há a menor “indicação” do que aconteceu no deserto
que me permitiu voltar às cidades e aldeias proclamando que “o
Reino de Deus está em vocês” e falar nas sinagogas com tal
autoridade que os anciãos Judeus ficaram atônitos.

A verdade a respeito da minha condição humana, por um acordo


comum entre meus discípulos, foi suprimida para dar maior credibilidade à
minha suposta “Divindade” e ministério. Segundo os evangelhos, eu era o
“único Filho de Deus”. Por que então frequentemente eu me referia a mim
mesmo como o “Filho do Homem”? Fiz estas afirmações especificamente
para confrontar as crenças predominantes a respeito da minha “divindade”
e para gravar na mente das pessoas que eu tinha a mesma origem física
delas. Minha intenção era a de que compreendessem que, o que eu podia
fazer, elas também poderiam, se tivessem o meu conhecimento e
seguissem as minhas instruções para pensar e atuar acertadamente.
Tantos mitos têm surgido a respeito de minha pessoa terrena e
minha CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL, que já é tempo de livrar-se deles
tão completamente quanto possível, uma vez que estão impedindo as
pessoas de evoluir espiritualmente. Você, que foi doutrinado com
ensinamentos religiosos, deve tentar compreender que meus discípulos
evangelistas, ao relatarem minha vida, descreveram somente aquilo de
que se lembravam pessoalmente e que apoiava plenamente seus relatos
de minhas atividades “sobrenaturais”. Eles também incluíram muitas coisas
que outros disseram sobre mim durante os cerca de trinta anos que se
seguiram a minha morte. Depois de tamanho lapso de tempo e do
inevitável embelezamento da verdade – como é possível que tenham
escrito uma “biografia” fidedigna7 a meu respeito e de tudo o que realmente
aconteceu...ou explicar corretamente minhas percepções espirituais
verdadeiras, as quais deram origem às minhas palavras e meus
“milagres”?

Somente uma pessoa pode escrever deste ponto de vista – e essa


pessoa sou eu mesmo. Portanto, estas Cartas vão levar a você a minha
Verdade de uma forma que nenhum espectador poderia fazê-lo, não
importando o quanto eles pensavam que entendiam o meu pensamento.
(Por esta razão, durante mais de quarenta anos, a mente do meu “Canal”
tem sido sistematicamente purificada de todo ensinamento ortodoxo e o
sistema de comunicação entre nós tem sido aperfeiçoado).

Se minha Verdade expressa nestas Cartas diferir muito do que está


escrito no Novo Testamento, há de se duvidar dela ou rejeitá-la por esta
razão? Portanto, estou descendo em consciência brevemente, tão perto
quanto necessário do seu plano de consciência, para descrever minha vida
e meus ensinamentos de dois mil anos atrás.
MEU LUGAR NA HISTÓRIA

Em primeiro lugar, devo assinalar que minha vida e pessoa foram


brevemente referenciadas por Josefo na “História dos Judeus”, escrita para
o Governador e apresentada ao Imperador Romano. Josefo anotou
sucintamente que Jesus, que tentou derrubar a lei e ordem e o governo
dos Romanos, foi castigado e crucificado. Tem-se dito que Josefo pode ter
se referido a algum outro Jesus. Mas não é assim. Eu, que mais tarde me
tornei o CRISTO que realizou os chamados milagres de cura e
materialização, fui o rebelde. Mas eu não era nenhum “agitador”. Não
incitei deliberadamente as pessoas a desafiar os Romanos nem a desafiar
a lei e a ordem.

Eu fui um rebelde contra as tradições judaicas existentes. Quando


emergi das seis semanas de jejum no deserto, vi uma forma melhor de –
pensar – e – viver – e tentei transmitir o meu conhecimento aos meus
companheiros Judeus, com pouco sucesso.
É importante que você entenda que a pressão da opinião pública
pesava sobre meus seguidores. Enquanto eles realmente acreditavam que
eu trazia uma mensagem aos Judeus para “salvar a alma” e que eu era o
Messias, o “Filho de Deus”, eles também eram do mundo, tentando
relacionar-se com o mundo da melhor forma possível. Portanto, ainda que
conhecessem meus sentimentos contrários às crenças dos Judeus, eles
não estavam felizes em dispensar o Velho Testamento por completo, uma
vez que este tinha apoiado e unido os Judeus durante toda a sua história.
No interesse de preservar o que eles consideravam valioso nos velhos
decretos, suprimiram qualquer descrição a respeito da “pessoa” que eu
era.
Meus discípulos e Paulo construíram seu próprio edifício de
“crenças sagradas” com aquilo que queriam preservar de minha vida
e ensinamentos. Eles ensinaram e consolidaram somente o que
consideravam valioso para as pessoas – Judeus e gentios do mesmo
modo – os daquele tempo e do futuro. Consequentemente, filtraram o
que podiam usar e “deixaram de fora” a maior parte do que eu
chamava os “Segredos do Reino de Deus”, pois eles nunca os
compreenderam. Tampouco os acharam desejáveis na criação de uma
nova percepção do “Divino” – o “Pai”.

Para preservar a crença judaica na “salvação do castigo pelos


pecados” por meio dos sacrifícios no Templo – adotou-se a “pessoa
de Jesus” como o “supremo” sacrifício, que pagou pelos pecados
dos homens através de sua crucificação. Esta crença servia a muitos
propósitos naquele tempo.

Isso deu à minha morte na cruz uma razão válida e heroica. Ela
provava às pessoas que eu era o “Filho de Deus” e que havia realizado
uma missão específica até o fim da minha vida. Esta crença também
provou ser de grande consolo para os Judeus quando seu Templo foi
destruído pelos Romanos – e levou a muitas conversões. Muitas seitas de
Judeus – e gentios também – não acreditavam em vida após a morte.
Consequentemente, era altamente reconfortante escutar que “Jesus
Cristo” havia superado a morte e mantido o seu corpo. Para muitas
ideologias humanas daquele tempo, a vida não era possível sem um
corpo. Portanto, vida após a morte somente poderia significar ressurreição
do corpo. Isso também manteve o meu nome constantemente vivo na
mente das pessoas. Eu era a valente “figura histórica” que havia morrido
para assegurar que os homens fossem libertados de todo o medo do
inferno e da condenação. Desde que eles acreditassem em “mim”,
poderiam caminhar como “homens libertos”. É somente porque meu
“nome” se manteve vivo até hoje, que posso vir agora até você para
oferecer-lhe a VERDADE que eu queria muito compartilhar com as
pessoas há dois mil anos.

MINHA JUVENTUDE e as EXPERIÊNCIAS NO DESERTO

Eu nasci na Palestina. Minha mãe estava convencida de que eu era o


Messias. Ao contrário da crença popular, eu não era uma criança santa.
Aos 12 anos, levaram-me até o Templo para ser entrevistado pelos Sumos
Sacerdotes, para que se determinasse se eu estava pronto para iniciar o
Treinamento Religioso Judeu. Fui rejeitado por ser demasiado teimoso.

Amargamente decepcionada, minha mãe me levou para casa e fez o


seu melhor para criar-me na santidade que marcou o seu próprio
comportamento em todos os momentos. Aquela era uma tarefa impossível
já que eu era, acima de tudo, um individualista de comportamento
indisciplinado. Fiquei ressentido com as orientações de minha mãe e sua
tentativa de disciplinar-me. Como jovem, tornei-me impossível de controlar
– um verdadeiro rebelde! Rejeitei a adesão incondicional de minha mãe à
fé e tradições judaicas, preferindo o riso às atitudes hipócritas. Recusei-me
a aprender um ofício que me confinasse à rotina. Escolhi misturar-me com
todo o tipo de gente das classes mais desfavorecidas, bebendo com eles,
conhecendo prostitutas e me divertindo, conversando, discutindo, rindo e
sendo um ocioso. Quando precisava de dinheiro, ia trabalhar nos vinhedos
por um dia ou dois ou fazia trabalhos que me pagassem o suficiente para
comer e beber, propiciando-me o lazer que desejava.

Apesar de todos os meus defeitos como ser humano, minhas atitudes


descuidadas e indolentes, minha obstinação e determinação egocêntrica
para pensar minhas próprias ideias sem me importar com o que os demais
pudessem pensar a meu respeito, eu tinha uma profunda preocupação
com as pessoas. Eu era profundamente emocional. Em palavras atuais
eu seria chamado de “hiper-reativo”, “hiperemotivo”. Tinha um
coração caloroso, compassivo e empático. A presença da doença, da
aflição e da pobreza me comoviam profundamente. Era um acirrado
defensor daqueles que você chama de “desamparados”. Poderia se
dizer que eu era “gente do povo”. Vivi muito perto dele em um espírito
de companheirismo, escutando suas aflições, compreendendo-o e me
importando.
É importante entender minhas verdadeiras origens e minhas
características na juventude, pois foram os estímulos que me incitaram,
empurraram e impulsionaram a finalmente ser o Cristo.

O que mais fortemente detestei e combati foi a miséria, a doença e


a pobreza que via ao meu redor.

Isso me enfureceu e me tornei estridente e apaixonadamente zangado


por ver as pessoas maltrapilhas, magras e famintas, doentes e aleijadas,
sendo cruelmente intimidadas pelos líderes Judeus que as
sobrecarregavam com leis e práticas sem sentido, ameaçando-as com
punições de Jeová caso não obedecessem. Declarei a todos os que
poderiam escutar-me que aquelas pobres pessoas já suportavam o
suficiente para também serem esmagadas por medidas sem sentido e
restritivas do prazer. Qual era a razão de viver se não nascíamos para
sermos felizes?

Recusei-me a acreditar em um Deus “justo” segundo as tradições


judaicas. As advertências bíblicas proféticas sobre o “julgamento e cólera”
de Jeová contra as pessoas me indignaram. Apesar de tudo, pessoas são
pessoas, fazendo o que sua natureza humana as impulsionava a fazer.
Nasceram pecadoras – então por que deveriam ser julgadas e condenadas
a levar uma vida de sofrimento e pobreza por não terem cumprido os Dez
Mandamentos? Qual era o sentido de tais afirmações?

Para mim, essa crença judaica representava um “Deus” ilógico e cruel e


eu não queria nada com “Ele”. Parecia para mim que se existia tal
“divindade”, então o homem estava condenado à miséria eterna.

A simplicidade e liberdade que encontrei nas encostas das colinas, nas


planícies, nos lagos e montanhas, refrescaram meu espírito interior e
aquietaram minha cólera que murmurava contra o Deus Judeu. Assim,
neguei-me a acreditar em qualquer palavra do que os anciões Judeus
tentavam ensinar-me.

No entanto, lá pelos vinte e cinco anos de idade, uma nova linha de


questionamento tomou conta dos meus pensamentos. Enquanto eu
caminhava sozinho pelas colinas cada vez com mais frequência, minha
rebeldia foi aos poucos sendo substituída por uma ânsia que me consumia,
de saber e compreender a verdadeira natureza DAQUELE que sem dúvida
nenhuma devia inspirar e respirar por meio da criação.

Revisei meu estilo de vida e percebi quanto sofrimento minhas ações


haviam causado minha mãe e a muitas outras pessoas. Embora eu
sentisse profunda compaixão pelos fracos e sofredores, minha natureza
rebelde havia me levado a um comportamento egoísta e sem consideração
para com minha família. O amor subjacente por eles brotou em mim e me
percebi igualmente rebelde contra meu comportamento anterior. Escutei
falar de João Batista e do trabalho que fazia entre os Judeus que vinham
até mesmo de Jerusalém para ouvir suas palavras. Decidi visitá-lo para que
me batizasse.

A caminho do Rio Jordão, senti-me muito entusiasmado com a


possibilidade de ser batizado e começar uma nova vida. Eu sabia que
apesar de meu emocionalismo indisciplinado, também tinha nascido com
uma inteligência aguçada e com um dom para o debate inteligente e
persuasivo, o qual eu tinha usado caprichosamente e de forma negativa,
levando as pessoas a desenfreadas discussões. Eu havia jogado fora o
meu talento em troca de uma vida de egoísmo, preguiça e prazer. Como
resultado, havia perdido todo o respeito dos demais e nem eu mesmo me
respeitava mais. Pela primeira vez, isto me pareceu intolerável. Ocorreu-
me que no futuro eu poderia e deveria empenhar meus dons naturais para
um melhor uso. Ao invés de apenas ficar fazendo barulho, talvez eu
pudesse encontrar um caminho para aliviar a carga daqueles de quem eu
tanto me compadecia. Até então, eu não havia sido útil para ninguém.

MEU BATISMO
Quando entrei na água do Rio Jordão para ser batizado por João,
esperava sentir apenas alívio e a consciência de que pelo menos uma vez
havia dado um passo positivo em direção à reforma de meu
comportamento. Esperava sentir uma nova determinação para ir para casa
e surpreender minha mãe e meus vizinhos com atitudes novas e amáveis
em relação a eles.

O que realmente aconteceu quando João me batizou foi uma


experiência completamente diferente de qualquer coisa que eu
poderia ter imaginado possível. Senti uma grande onda de tremenda
energia surgindo em meu corpo. Fiquei literalmente chocado com isso. Ao
sair da água cambaleando, senti-me elevado em consciência de um modo
extraordinário. Um grande fluxo de brilhante felicidade elevou-me a um
estado de êxtase. Estava arrebatado e consciente de uma grande Luz.
Tropeçando, me afastei do rio e fui caminhando e caminhando, sem saber
onde estava indo. Continuei, e sem me dar conta, entrei no deserto.

Por favor, observe! MINHAS SEIS SEMANAS NO DESERTO foram


um tempo de total limpeza de minha consciência humana. Velhas atitudes,
crenças e preconceitos foram dissolvidos.

Chegou o momento de compartilhar com as pessoas receptivas tudo o


que eu senti, “vi”, percebi e compreendi. (Para ajudar as pessoas a
abandonarem a velha imagem de uma “divindade” bíblica, evitarei me
referir a “Deus” por essa palavra e vou usar uma terminologia projetada
para ampliar sua mente, para abraçar aquilo que “realmente é” para além
de toda forma terrena, cor, som, emoção e compreensão. Esta
terminologia se tornará cada vez mais significativa na medida em que você
for perseverando na meditação e na oração).

O QUE EU SENTI QUANDO ESTIVE NO DESERTO


Fui elevado no interior de uma luz radiante e me senti
maravilhosamente vibrante, vivo e com poder. Eu estava cheio de êxtase e
alegria e sabia, sem dúvida alguma, que AQUELE PODER era o
verdadeiro Criador, do qual todas as coisas criadas haviam recebido o seu
ser.

Esta gloriosa harmonia interior, paz e sensação de perfeita realização,


nada mais precisando ser acrescentado àquele belo momento, era a
própria natureza da Realidade – o Poder Criativo – dando Vida à criação e
à existência.
O que “vi”, compreendi e percebi quando estive no deserto.

Fui elevado dentro de outra dimensão de percepção consciente, que


me permitiu ver a VERDADE com relação à vida e à existência. Vi, lúcida e
claramente, o que era real e o que era falso no pensamento do homem.

Compreendi que aquele “Poder Criativo” que eu estava


experimentando era infinito, eterno, universal, que preenchia todo o
espaço além do céu, dos oceanos, da Terra e de todas as coisas
vivas. Vi que AQUILO era o PODER MENTAL. Era o PODER CRIATIVO
da MENTE.

Não havia ponto onde não existisse aquele “PODER CRIATIVO da


MENTE DIVINA”. Percebi que a mente humana originava-se da DIVINA
MENTE CRIATIVA, mas que era somente uma vela iluminada pelo Sol.

Às vezes, minha visão humana era tão espiritualmente elevada que eu


podia ver através das pedras, da terra e da areia. Estas então pareciam
ser simplesmente “minúsculas partículas de brilho cintilante”.
Eu percebi que nada era realmente sólido!

Quando eu tinha momentos de dúvida de que aquilo pudesse ser


assim, as mudanças no fenômeno deixavam de existir, e muito mais tarde
eu descobri que: meus pensamentos, se fortemente impregnados de
CONVICÇÃO, poderiam causar mudanças no “cintilar das partículas”
(coisa que a ciência chama hoje de partículas carregadas eletricamente) e,
portanto, produzir mudanças na aparência da pedra ou de qualquer outra
coisa que eu estivesse estudando.
Foi naquele momento que compreendi o poderoso efeito que a
CONVICÇÃO ou a FÉ inquebrantável tinham sobre o ambiente, ao exprimir
um comando ou mesmo uma crença. E ainda mais impressionante foi a
abertura de minha mente, a compreensão em “consciência cósmica” de
que tudo o que havia testemunhado era realmente o “Poder Criativo” da
Própria Mente Divina tornada visível no “cintilar das minúsculas
partículas”. Além disso, a aparência de tudo poderia ser profundamente
afetada pela atividade do pensamento humano.

Compreendi que não havia nada sólido no universo, que tudo o que era
visível estava manifestando um “estado de consciência” diferente, que
determinava a composição e a forma do “cintilar das partículas”.

Portanto, toda forma exterior era uma expressão


da consciência interior.

Compreendi que a VIDA e a CONSCIÊNCIA eram um e a mesma coisa.

Era impossível dizer “Isto é VIDA” e “Aquilo é CONSCIÊNCIA”.

A Consciência era a Vida e a Vida era a Consciência e era o “Poder


Criativo” de ambas, “MENTE UNIVERSAL DIVINA” mais além, dentro e
por trás do universo.

Compreendi que as pessoas davam grande importância à


individualidade e à forma.

Elas não podiam imaginar uma mente ou inteligência operando de modo


efetivo senão por meio da forma individual. Por isso, os Judeus haviam
criado uma imagem mental de um imenso ser supremo, tendo todos os
atributos positivos e negativos do ser humano. Desta forma era possível
para os profetas acreditarem em – e falarem da – ira de Jeová, ameaças e
castigos e da vinda de enfermidades e pragas em resposta à
desobediência humana. Mas percebi que estas imagens mentais eram
mitos. Elas não existiam.

Percebi que, em qualquer dimensão da existência, era a MENTE – a


inteligência manifestada – que era o fator mais importante no que se refere
à criação e ao homem em si. De modo que se deveria reescrever o
Gênesis assim: antes da criação – era a MENTE UNIVERSAL – o Poder
Criativo dentro e por trás da criação em si.

Tendo “visto” tão claramente, para além de toda a discussão, que o


Poder Criativo da MENTE UNIVERSAL estava em todo lugar, no infinito
do céu e ativo dentro de formas terrenas, fui impulsionado interiormente a
olhar ao meu redor. Olhei e vi apenas cascalho e pedra. Então,
subitamente me foi apresentada a imagem de uma bela paisagem, na qual
crescia todo tipo de plantas, arbustos e árvores, aves sobrevoando as
árvores e animais pastando na relva. Assistindo a esta visão com
admiração, “vi” que as plantas e árvores, cada uma delas – e sim, mesmo
os pássaros e os animais – na realidade eram compostos de centenas de
infinitas comunidades de minúsculas entidades trabalhando sem parar
(seus cientistas modernos as chamam de “células”), em um espírito de
total harmonia e cooperação, para produzir a substância e os diversos
órgãos dos sistemas internos e o aspecto exterior das entidades vivas e
completas.

Contemplei esta maravilhosa atividade por um longo tempo, ainda


que o tempo já não tivesse mais importância para mim. Enquanto eu
olhava, pensava: quem poderia ter adivinhado que sob a cobertura de
pelagem, plumas e pele, haveria tão intensa atividade em diminutas
comunidades de entidades, trabalhando juntas para dar vida, forma,
nutrição, cura, proteção e resistência aos corpos de tantas espécies
diferentes?
Era a inteligência do TRABALHO realizado que atraía a minha
atenção.

Assim, compreendi que o TRABALHO era uma parte integral da


Atividade do Poder Criativo desde a menor “entidade” (célula) dentro dos
sistemas viventes até a mais avançada entidade no universo: o homem em
si. No sistema de todos os seres vivos, todo o trabalho estava sob a
direção do Poder Criativo Divino, no qual estavam os planos e desígnios
da criação. Vi que esses planos e desígnios eram, na verdade, “formas de
consciência” e poderiam chamar-se de PALAVRAS, uma vez que cada
PALAVRA significa uma forma muito especial de “consciência”.

Assim, a PALAVRA original na “Consciência do Poder Criativo” se


manifesta no mundo visível. A PALAVRA, e, portanto, o “Padrão da
Consciência”, permanece na MENTE CRIATIVA DIVINA manifestando-se
continuamente em si mesma.

Pude “ver” então que tudo no universo “vivia, se movia e tinha seu ser”
no Poder Criativo da MENTE UNIVERSAL, a qual era infinita e eterna e
era a única verdadeira Realidade por trás de todas as manifestações da
forma individualizada.

Enchi-me de louvor, pois tudo no mundo procedia de, e ainda estava


dentro, deste supremo Poder Criativo da Mente Divina. Fiquei
maravilhado com toda esta atividade secreta que está sempre operando
em tudo o que é vivo, incluindo o corpo humano. Perguntei-me como é que
unidades tão pequenas funcionavam de forma tão inteligente, de acordo
com os planos específicos para produzir sem erro a forma proposta – o
tronco da árvore, as folhas, flores, frutos, insetos, pássaros, animais e o
corpo humano.

Compreendi, com mais clareza ainda, que o “Poder Criativo” era a


própria Fonte de toda a “atividade inteligente” no universo. Se o
homem possuía inteligência, era somente porque a havia extraído da
“Fonte Universal de Todo Ser”.

Além disso, foi-me mostrado que o Poder Criativo Divino sempre


trabalha de acordo com certos princípios de construção exatos e
fundamentais. Foi-me mostrado que assim como os homens têm
características claras e uma “natureza” bem definida ao se apresentarem
frente ao mundo, assim também o PODER CRIATIVO possui uma
“Natureza” clara e definida – características distintas – as quais poderiam
ser claramente reconhecidas na maneira com que todos os seres vivos –
plantas, animais, aves e homens – foram construídos e mantidos.

“Vi” que estes “princípios e características”, claramente observados no


processo da criação, eram LEIS invariáveis governando toda a existência.
Estas LEIS são tão parte da vida que nunca são questionadas. São
constantes e consistentes – mas não haveria tais leis se não houvesse
Poder Criativo Inteligente se manifestando por meio do universo. Estes
“princípios” da criação, as características do Poder Criativo em Si, são os
seguintes (eu os traduzo para o seu tempo presente porque estes
“princípios” são eternos):
1. A “Natureza” do “Poder Criativo” é CRESCIMENTO.

Tudo o que é vivo sempre cresce. O CRESCIMENTO é uma


característica universal, um princípio invariável da existência.

2. A “Natureza” do “Poder Criativo” é ALIMENTAÇÃO e NUTRIÇÃO.

A Alimentação e a Nutrição são um processo maravilhosamente


organizado dentro do corpo, que é evidente para todos aqueles que se dão
ao trabalho de considerá-lo. A alimentação é fornecida para todos os seres
vivos de acordo com as preferências individuais e o alimento é digerido para
promover a saúde e o bem-estar. Quando pequenas criaturas nascem, o leite
já está dentro da mãe, pronto, à espera do recém-nascido. Isso também é um
princípio misterioso da existência que ninguém pode negar. Nenhuma ciência
pode explicar por que teria aparecido na existência esta função do sistema,
que assegura a sobrevivência da espécie. A função em si mesma pode
atualmente ser compreendida, mas não o “porquê”, a mola-mestra da função.

3. A “Natureza” do “Poder Criativo” é CURA.


A Cura é uma característica natural da existência e pode se dizer que é
um “Processo de Aperfeiçoamento” natural que ocorre para assegurar o
conforto individual, mas ninguém pode explicar o que impele a atividade de
cura.

4. A “Natureza” do “Poder Criativo” é PROTEÇÃO.


A Proteção é uma característica integral do Poder Criativo e tudo o que
parece ser a sua atividade aparentemente “milagrosa” no mundo é dirigida
à proteção. Hoje seus livros de medicina descrevem os vários sistemas
protetores do corpo, mas, quando estava no deserto, “vi” a característica
de Proteção inerente ao Poder Criativo Inteligente, da seguinte forma: à
medida que as plantas, aves e animais estavam me sendo apresentados
para que os observasse de forma inspirada, pude ver como cada
“necessidade de proteção” havia sido amorosamente fornecida, com
grande atenção a cada detalhe.

5. Esta característica de “Proteção” é combinada com outra


característica dinâmica de SATISFAÇÃO DAS NECESSIDADES.
Isso é evidente no fornecimento de pelos, pelagem e plumas para
proteger a pele dos seres vivos, aquecendo-os no frio e abrigando-os no
calor. Vi as delicadas terminações dos importantes e sensíveis dedos
receberem a apropriada proteção de unhas e cascos. As sobrancelhas
protegem os olhos do suor, as pálpebras e cílios protegem os olhos da
poeira e do dano. Percebi que os animais que atraem moscas foram
equipados com o tipo de cauda que os faz livrar-se delas mais
rapidamente.

Que tipo alegre e feliz de amor e cuidado se expressou nestes


pequenos atributos físicos que pareciam insignificantes e de pouca
consequência e ainda assim tinham repercussões profundas para o
conforto de todo ser vivo! Estes “luxos físicos”, somados ao desenho
básico dos corpos, foram claramente o resultado de uma inteligência
que teve a intenção de que a criação fosse confortável e feliz – livre
do estresse que teriam experimentado homens e animais, se não
tivessem sido proporcionados estes “luxuosos detalhes”!

Mesmo as funções naturais foram tão inteligente e confortavelmente


desenhadas que suscitam o agradecimento. E tudo isso tão bem
escondido! Que abençoada, que afortunada a humanidade ao nascer em
uma vida tão maravilhosamente suprida! Mais uma vez ergui louvores e fui
elevado em uma dourada luz interior de maravilhoso arrebatamento – pois
“via” que, além de estarem livres do estresse, as criaturas viventes haviam
sido criadas para expressarem a amorosa e exuberante NATUREZA do
Poder Criativo. Por isso foram equipadas com membros – braços, mãos,
pernas, pés e dedos que lhes permitem deslocar-se, correr, pular, dançar e
expressar seus pensamentos e sentimentos mais íntimos. Eu senti mesmo
que, se a humanidade desejasse voar e desenvolver asas, se acreditasse
de todo o coração que poderia fazê-lo, algo adicional começaria a se
desenvolver para que pudesse voar.

Foi nesse momento de compreensão da NATUREZA do “Poder


Criativo” que cheguei até a plena consciência do AMOR que dirigia as
OBRAS do Poder Criativo Inteligente Universal. Ponderando sobre este
AMOR, percebi que a “mãe” na criação nutre, protege, satisfaz as
necessidades e tenta promover a cura de sua prole: esta é a atividade do
AMOR.

6. A característica inata do PODER CRIATIVO INTELIGENTE E


AMOROSO, que tem dado à criação sua forma individual e “ser”, é o
TRABALHO.
Ele trabalha para nós, em nós e por meio de nós. Seu “trabalho” é
sempre, sempre, sempre, impulsionado pelo AMOR.
Esta revelação cósmica me encheu de alegria e admiração. Que
mundo mais maravilhoso é este em que moramos! Foi o ponto culminante
da minha iluminação e minha visão global da VERDADE com relação à
FONTE de TODO O SER. Eu já havia “visto” a realidade dos corpos físicos
compostos de várias comunidades de idênticas “entidades infinitamente
minúsculas”, trabalhando em um espírito de cooperação e de harmonia
para produzir os vários componentes do corpo – desde a carne, ossos e
sangue até os olhos e o cabelo. A única diferença entre estas
comunidades está no tipo de trabalho requerido para seus objetivos
comuns. Com toda a certeza, o IMPULSO DIVINO por trás de toda esta
atividade inteligente e determinada no corpo é a inspiração e a base da
própria conduta humana, quando as pessoas trabalham em conjunto para
produzir um objetivo planejado. Elas extraem a inteligência e o propósito
do Poder Criativo. Contudo, o comportamento do homem é diferente
quando ocupado na construção terrestre ou em qualquer outro
projeto comunitário, já que se caracteriza inevitavelmente pelas
disputas e pela discórdia.

Fui levado a compreender o PODER INFINITO da “Criatividade


Inteligente” sempre ativa dentro da criação, que mantém a ordem, a
cooperação, a harmonia, a produtividade diária, não igualada pelo homem
em nenhum lugar e em nenhum tempo.

7. A SOBREVIVÊNCIA é uma característica natural do “Poder Criativo”.


Em cada caso, a mais maravilhosa provisão foi feita para que todos os
seres vivos cresçam, sejam curados dos ferimentos e das doenças, para que
sejam alimentados a fim de manter o corpo saudável, para procriar sua
própria espécie, a fim de assegurar a sobrevivência nesta Terra. Esta é a
única realidade de que o homem pode ter certeza e sua atividade é
consistente ano após ano. O Sol, a Lua e as estrelas têm ficado em seus
lugares por milênios e é reconhecido que todos eles possuem seus próprios
caminhos de movimento – todo este fenômeno faz parte do grande esquema
para a sobrevivência da criação.

Se assim é, como não poderia sobreviver a chama eterna do Amoroso


e Inteligente Poder Criativo escondido dentro de todo o tipo de entidades
criadas no universo? Portanto, este mundo não é senão uma sombra e
imagem dos mundos ocultos do Poder Criativo Inteligente e Amoroso que
existe além desta dimensão. A realidade da totalidade da criação se
estende para além deste mundo visível.

8. A característica inerente ao Poder Criativo Inteligente e Amoroso é o


RITMO.
Percebi que há um RITMO operando no mundo.
Tudo está sujeito às estações que dão florescimento e germinação à
vida, uma estação de crescimento levando a uma estação de maturação e
colheita, assim como a produção de sementes que garante a sobrevivência
da vida vegetal. Logo há o período de deterioração gradual e o descanso
trazido pelo inverno. Mas a nada do que é criado e vivo é permitido
extinguir-se. O Sol e a Lua expressam estas características dentro do
universo. Este ritmo, inclusive, pode ser visto nas fêmeas dos seres vivos.

9. As características inerentes ao Poder Criativo Inteligente e


Amoroso são a LEI E A ORDEM.
A constante ordem e a segurança natural na criação, mesmo ao
administrar as diminutas entidades (“células”) dentro do corpo,
surpreendem e transcendem em muito a qualquer esforço humano.
Portanto, o universo inteiro opera sob um sistema de perfeita
LEI E ORDEM.

Percebi, em níveis cada vez maiores de exaltação espiritual, que o


“poder criativo” demonstrou determinação inteligente e preocupação
amorosa com todos os seres vivos. Compreendi que a vida não é algo
nebuloso ou amorfo, mas sim um poder criativo inteligente e amoroso que
posso, na realidade, sentir dentro de mim mesmo como um tremendo e
intensificado estado de ser, uma percepção, um resplendor, êxtase, alegria
e amor. Soube que eu era um com isto11 – preenchido com isto – e era um
com tudo aquilo que me rodeava e era um com o céu e as estrelas.
E – o mais maravilhoso e glorioso de tudo – a real “Natureza” e
“Função” deste “Pai – Poder Criativo” era: trabalhar para criar alegria,
beleza e conforto, assegurando o bem-estar da humanidade; trabalhar na
humanidade fornecendo alegria interior, saúde e conforto; trabalhar por
meio da humanidade, inspirando-a com novas percepções e
entendimentos.

Uma visão maravilhosa de gloriosa criatividade chegou à minha mente.


Uma vez que nos convertamos verdadeiramente no “um”, canais
purificados e instrumentos do “Poder Criativo Inteligente”, poderemos
ascender gradualmente em consciência até realmente expressarmos por
meio de nossas mentes e corações a própria “NATUREZA” do “Poder
Criativo Universal”. Então “a vida na terra” se tornará verdadeiramente
um “estado celestial” e a todo momento entraremos em um estado de vida
eterna! Esta certamente deve ser a verdadeira meta por trás da criação,
pensei! E isso chegou a mim com uma onda de júbilo e amorosa alegria,
de que foi este o propósito pelo qual o homem evoluiu e se desenvolveu!

Mesmo neste momento, ainda que o homem seja tão imperfeito no seu
comportamento, não há nada absolutamente impossível para ele no futuro,
uma vez que apesar de seus erros, ele é um com o “Poder Criativo” e o
“Poder Criativo” está dentro dele, dando-lhe vida, um corpo e tudo o mais
de que ele necessita. Toda esta compreensão elevou-me às alturas do
arrebatamento, exaltação e do êxtase mais sublime, de modo que eu mal
conseguia suportar. Senti que meu corpo se dissolveria com a expansão
do Poder dentro de mim. Eu irradiava LUZ e podia vê-LA à minha volta,
iluminando a paisagem do deserto. Meu coração cantava em louvores.
Quão maravilhoso e belo é o Poder Criativo Amoroso que trabalha
incessantemente em nós, por meio de nós e para nós!
Que MILAGRE era a criação!

Gritei alto: VOCÊ é a FONTE de todo o SER, o criador e ao mesmo


tempo sua manifestação dentro e por meio do que é criado. Não há nada
em todo o universo que esteja separado da ilimitada e eterna infinitude da
VIDA DIVINA, da Consciência do Poder Criativo que você é.

Então, como é possível que o homem seja tão pecador? E por que as
pessoas sofrem de doenças, miséria e pobreza? Diga-me, ó amoroso
“Pai” Poder Criativo, pois tenho estado profundamente sobrecarregado
com a dor de suas vidas miseráveis.

Então me foi mostrada a realidade da “condição terrena” de todos os


seres vivos. Senti intensa excitação porque enfim eu seria capaz de
compreender como um amoroso “Poder Criativo” Divino poderia permitir
que sua criação suportasse tal miséria. Foi-me mostrado que cada ser vivo
na criação deveria estar radiante de saúde, sendo cuidado, nutrido,
protegido, curado, mantido em paz e abundância, com prosperidade, em
uma sociedade ordenada de “seres” oferecendo tão somente amor uns aos
outros. (No entanto, no momento da criação, dois IMPULSOS
BÁSICOS surgiram no ser, assegurando sua individualidade e eram
estes os que controlavam a consciência humana. Estes IMPULSOS me
foram explicados em detalhes, mas este conhecimento é reservado para
uma Carta futura quando você estiver melhor preparado para compreender
isto.)...

Foi-me mostrada esta vívida visão: Primeiro, eu vi um bebê recém-


nascido como “luz”, uma forma de vida do “Poder Criativo”. Enquanto
este bebê crescia, tornando-se uma criança e depois um adulto, vi a pura
“LUZ” do “Poder Criativo” enfraquecer nele gradualmente e, em
seguida, ser completamente obscurecida por um denso invólucro de
correntes e ataduras.

Questionei o significado desta visão e chegou à minha mente uma clara


compreensão que pode ser expressa com as seguintes palavras: Do
nascimento até a morte, as pessoas acreditam e insistem que seus
cinco sentidos – visão, audição, tato, olfato e paladar – traduzem
corretamente a sua própria “realidade” e a do universo que as rodeia.
Assim e porque extraem o poder de sua mente diretamente do Divino
“Poder Criativo”, tudo lhes acontece de acordo com suas crenças.

Cada atadura representa os pensamentos habituais de uma pessoa,


suas respostas às demais pessoas e aos eventos, seus preconceitos,
ódios, inimizades, ansiedades, preocupações e tristezas, os quais lhe
amarram e extinguem a LUZ de sua visão interior que provém do “Poder
Criativo”. Assim, ela entra na escuridão, mas não sabe disso. Ela pensa
que está crescendo e amadurecendo nos caminhos do mundo, que lhe
permitem avançar e ter “êxito” – o objetivo da maioria das pessoas na
Terra. De fato, quanto mais madura e acostumada a estes caminhos, mais
aprisionada por suas correntes e amarras ela se torna, dentro do domínio
dos IMPULSOS gêmeos de “Ligação-Rejeição”.
Além disso, cada corrente é forjada por desejos egoístas e
enganadores: ganância, agressão, violência e violação. Estas correntes
pesam em torno da pessoa e sobrecarregam a psique, que é o “poder da
consciência criativa” no mais profundo do seu ser. As correntes e as
ataduras a apertarão mais firmemente a cada ano que passar, até que ela
perceba o que está fazendo a si mesma, até que se arrependa
sinceramente de cada amarra e corrente e faça a devida reparação
àqueles a quem tenha prejudicado.
Com esta visão, compreendi um aspecto muito valioso da existência. O
homem nasce com todo o potencial para construir uma vida preciosa para
si mesmo. Porém, ao ceder aos seus desejos egoístas e ódios, ele próprio
cria uma prisão de miséria da qual não tem como escapar até que perceba
a VERDADE da EXISTÊNCIA.

Todos os problemas de uma existência difícil se encontram nos


processos mentais do próprio homem! Foram somente as “formas de
consciência” das pessoas, seus pensamentos, palavras, sentimentos e
ações, que criaram uma densa barreira entre sua consciência e a
Consciência Criativa Universal, que interpenetra o universo em cada folha,
árvore, inseto, animal e ser humano.

Também me foram mostradas as LEIS DA EXISTÊNCIA que controlam


a capacidade humana para criar novas circunstâncias e ambientes,
relações, realizações ou fracassos, prosperidade ou pobreza.

Tudo aquilo que o homem profundamente ACREDITA ser, bom ou mau,


naquilo se tornará.

Tudo aquilo que TEME que os outros lhe façam, assim eles farão.

Tudo aquilo que ESPERA que os outros lhe façam, primeiro deve fazer
a eles, uma vez que assim estará criando um “padrão de consciência” que
voltará para abençoá-lo na medida em que tenha abençoado os outros.

Será vítima da doença que o APAVORA, por criar um “padrão de


consciência” da coisa que menos quer experimentar.
Tudo aquilo que emana da mente e do coração do homem retorna a ele
em seu devido tempo, de uma forma ou de outra; lembre-se de que toda
coisa sempre gera o seu igual... Pensamentos fortemente emocionais são
“sementes de consciência” plantadas em seu próprio campo de
consciência. Estas crescerão, dando uma colheita semelhante à
semeadura.

Estes são os frutos do livre-arbítrio.


Não há escapatória para o que o homem pensa, diz ou faz – pois
ele nasce do poder da Consciência Criativa Divina, e cria com aquilo
que imagina.

Aqueles que anseiam pelo bem para si mesmos devem primeiro


concedê-lo aos outros. Deixe que a sua própria existência seja uma
bênção para os demais.

Quando essas pessoas estão em harmonia com todos os outros,


então elas estão perfeitamente sintonizadas com o poder da
Consciência Criativa Universal,

e são trazidas para o fluxo da “natureza” do Pai, que é crescimento,


proteção, nutrição (física, mental e espiritual), cura e satisfação das
necessidades dentro de um sistema de lei e ordem.

Como posso descrever para você, meu resplendor interior, minha


luz transcendente, o brilho de alegria e os poderosos sentimentos de
amor que possuíram e inflaram intensamente todo o meu ser, até que
a pressão dentro de minha mente e coração me fez gritar? Era tão
poderoso que parecia que minha forma física se dissolveria por
completo. Ao receber toda aquela compreensão suprema e sublime
da Realidade, nossa Fonte do Ser e a verdadeira natureza da criação
em si mesma e da humanidade, fui elevado em espírito e meu corpo
se tornou leve como o ar.

Naquele momento, quando estava elevado no Poder Criativo Divino


em Si, eu era de fato quase que uma “Pessoa Divina”, experimentando um
alto grau da “Natureza” do “Pai Poder Criativo” dentro de mim e
sentindo sua própria unidade e preocupação amorosa para com a
humanidade. Por isso, mais tarde poderia dizer com verdade:

Somente eu conheço e tenho visto o “Pai”.

Naquele momento, como eu desejava ensinar, curar, reconfortar,


elevar, alimentar e livrar as pessoas de sua dor e miséria. Ansiava por
libertá-las do seu medo de um mítico “deus vingativo”! Quando eu
retornasse para contar para elas sobre a verdade, como eu enfatizaria
a “realidade” do “Pai Poder Criativo” – O AMOR PERFEITO que supre
cada necessidade. Tudo o que elas tinham a fazer era “pedir, buscar e
chamar”

– e todas as suas necessidades, de qualquer tipo, seriam atendidas.


Com que alegria eu contaria a “boa-nova” de que a “redenção do
sofrimento” está ao seu alcance, bastando apenas darem os passos
necessários para purificar a mente e o coração dos IMPULSOS GÊMEOS
do “ser” manifestado. Isto devia ser simples, pensei – a pessoa
necessitava apenas ter compreensão e autocontrole.

Eu desci até seus níveis de vibração para remetê-los ao meu estado de


espírito durante o período em que estive no deserto. Ajudará imensamente
sua própria compreensão se você tentar entrar no meu “estado de
consciência” daquele momento. Tantas coisas ficarão claras para você...
como os meus trabalhos de cura e meu “caminhar sobre as águas”. Elas
parecerão uma consequência natural da minha nova compreensão do “Pai
Poder Criativo”. Se você ler os Evangelhos de Mateus e Marcos, seus
registros terão um novo significado para você.

Voltando às horas finais da minha iluminação, lá estava eu no deserto,


possuindo a clara compreensão de que o próprio homem cria (sem
nenhuma culpa), obstáculos que impedem a sintonia com o “Pai Poder
Criativo”. Eu tinha pressa de voltar e ensinar, curar, reconfortar e enxugar
as lágrimas daqueles de quem eu tanto sentia piedade. Eu ainda relutava
em deixar este lugar “sagrado” onde eu tinha sido tão iluminado e
transformado em espírito.

Por outro lado, que futuro maravilhoso me aguardava! Passaria por


todas as cidades, vilas e aldeias e contaria a todos os que eu encontrasse
a BOA-NOVA! “O Reino dos Céus”, aquele lugar onde toda a doença
desaparece e cada necessidade é satisfeita, estava dentro deles! Porque
eu sabia que o “Pai” e eu éramos “um”. Agora que minha mente havia sido
purificada dos velhos pensamentos e ideias, iria direto curar suas doenças
e enfermidades. Eu lhes ensinaria como aliviar sua pobreza.

Quando a CONSCIÊNCIA DO PAI começou a diminuir em mim e eu


gradualmente comecei a voltar à consciência humana, dei-me conta da
tremenda fome que estava sentindo e também do retorno do meu
pensamento e condicionamento humanos. Minhas reações às seis
semanas de experiências começaram a mudar. Meu habitual
conhecimento humano, a respeito de “mim” mesmo e dos meus desejos,
tomou conta do meu pensamento. “Pois bem, a coisa mais surpreendente
e completamente inesperada tinha me acontecido!” – exultei! “Foi-me dado
conhecimento muito além do que qualquer outro homem já recebera.”

Eu estava eufórico com a constatação de que, finalmente, as minhas


dúvidas e rebeldia contra o “deus” vingativo dos Judeus ortodoxos
tradicionais eram justificadas. Eu estava certo, afinal! Quem algum dia teria
suspeitado de que a mente humana poderia ser tão altamente criativa, que
um pensamento ou desejo fortemente mantido poderia manifestar-se no
reino visível?

Percebi que Moisés teria sabido algo disso, porque ele havia feito
algumas coisas estranhas quando os israelitas passaram grande
necessidade. Ele se tornou um líder e mudou o destino dos israelitas que
tinham sido escravizados no Egito. Eu poderia retornar agora e libertar o
meu povo do rígido controle de seus Mestres.

Minha fome tornou-se dolorosa. Ocorreu-me que poderia transformar


pedras em pão e satisfazer minha necessidade de comida, pois me
lembrava que o “Pai Poder Criativo” trabalhava por meio da minha mente
e, portanto, tudo no universo estaria sujeito ao meu comando.

Estive a ponto de pronunciar a “palavra” que transformaria as pedras


em pão, mas algo em mim interrompeu-me abruptamente. Veio-me
fortemente que o “Pai Consciência Criativa” era a perfeita proteção,
nutrição, satisfação das necessidades e, assim, minha fome seria saciada,
se eu pedisse ao “Pai” por alívio.

Compreendi que se o pequeno “eu”, meu “eu” humano, em minha


necessidade, usasse o “Poder Criativo” por motivos egoístas, eu levantaria
uma barreira entre mim e o “Pai Consciência Criativa” e tudo o que eu
acabara de aprender poderia muito bem ser tirado de mim.

Isto me assustou, e rapidamente pedi ao “Pai Poder Criativo” para


conceder-me novas forças e levar-me de volta às moradias e a Nazaré.
Também pedi o alívio da fome, da maneira que fosse a mais correta
para mim.

Imediatamente a fome diminuiu e senti uma onda de energia fluir por


todo o meu corpo. Assim, eu comprovei que tudo o que eu tinha visto,
ouvido e aprendido era “realidade” e não apenas imaginação decorrente
do tempo em que estive no deserto, sozinho e em jejum. Essa nova
energia tornou-me capaz de andar depressa pelos ásperos caminhos de
saída do deserto.

No caminho, encontrei um homem bem-vestido, de semblante


agradável e doce. Cumprimentou-me calorosamente, expressando
preocupação ao ver minha aparência rude, descuidada e desalinhada.
Alegremente ele me fez sentar em uma pedra e compartilhou comigo sua
excelente carne e pão. Eu me perguntava de onde ele havia vindo e por
que estava em um lugar tão desolado. Em resposta ao meu
questionamento ele somente sorriu e não pareceu surpreendido quando eu
disse que havia estado tantos dias no deserto que tinha perdido a noção
do tempo. Expliquei-lhe como havia sido iluminado sobre a verdadeira
natureza do Criador do mundo e que me haviam sido ensinadas as Leis
naturais da Existência. Ele apenas sorriu e acenou com a cabeça.

“Estou retornando ao meu povo para lhe ensinar tudo aquilo que
aprendi”, falei alegremente, “pois serei capaz de curá-lo e libertá-lo de toda
doença e problema”. O estranho respondeu tristemente: “Isto levará muitos
milênios”. Estive prestes a repreender sua falta de fé quando percebi que
ele já havia ido embora.

Então eu soube que um mensageiro Divino havia vindo socorrer-me


com um bom pão e carne – e com compaixão tinha me avisado que minha
missão poderia não ser tão simples, apesar de todo o meu entusiasmo.
Fiquei desanimado com seu aviso. Meu entusiasmo diminuiu. O caminho
até a primeira vila pareceu interminável. Como uma mudança no
pensamento humano produz mudança de ânimo!

Ocorreu-me que poderia “experimentar” novamente a verdade de tudo


o que me havia sido ensinado pulando a borda de um precipício, o que
encurtaria bastante a minha jornada. Quando estava a ponto de pular,
ocorreu-me fortemente que eu tentava “provar” que meu tempo de
iluminação havia sido real. Se eu precisava de tal prova, era porque estava
duvidando e provavelmente me mataria; além do mais, haviam me
mostrado que em qualquer situação poderia elevar meus pensamentos até
o “PAI CONSCIÊNCIA CRIATIVA” e pedir por uma solução para qualquer
problema. Com que rapidez me esquecia da Verdade!

Então rezei com grande fervor, pedindo perdão por minha fraqueza
e por ser indulgente com minhas fantasias, buscando minha própria
forma de fazer as coisas. Novamente, a resposta chegou como força
renovada e maior firmeza no passo, enquanto escalava o terreno
acidentado. Também percebi que cobria distâncias maiores tão
rapidamente que parecia estar fora da contagem normal do tempo; e eu
me encontrava em uma dimensão mais leve onde a experiência humana
era elevada acima da pesada escravidão do esgotante gasto de energia.
Caminhar era tão fácil quanto revigorante. Exultei pelo fato de ter
encontrado a chave para uma “vida mais abundante”!
Um pouco depois, ao sentir-me mais à vontade, minha mente começou
a vagar e pensei no encontro com o viajante e toda a bondade que ele me
demonstrara. Mas também relembrei o aviso e novamente minha natureza
anterior reafirmou-se e senti uma profunda rebeldia, uma vez que ele
pretendia dizer-me como se passaria o meu trabalho. Decidi que ele não
sabia nada a respeito do meu futuro e deixei de lado o seu aviso. “Pois”,
pensei, “com meu conhecimento eu poderia realizar coisas que nenhum
homem jamais havia feito antes”. Ao invés de lutar em uma vida difícil, eu
poderia começar a acumular riquezas com facilidade, atrair seguidores por
onde quer que fosse, compartilhar meus conhecimentos com eles e
também aliviar um pouco as suas vidas. Eu poderia eliminar toda a dor e
todo o sofrimento.

Enquanto considerava os muitos lugares que poderia visitar tão


facilmente, senti-me tocando de leve a superfície do solo e elevando-me
até alcançar o pico mais alto de uma montanha escarpada, dominando a
região em volta. Tudo estava lá, diante de mim. Senti voltar o meu
entusiasmo. Como seria simples reunir as pessoas e compartilhar todo o
meu conhecimento com elas! Eu me tornaria poderoso, até mesmo
famoso, como o homem que salvou a humanidade de todas as suas
doenças e problemas. Eu ganharia a estima e o respeito de todos e
deixaria de ser lembrado como um sujeito ocioso e inútil.

Com um tremendo choque, tudo o que eu havia acabado de aprender


há tão pouco tempo, há apenas algumas horas, voltou-me à mente com
grande força e clareza.
Eu não havia aprendido que a única maneira pela qual poderia
prosperar seria abandonando minha própria vontade e retornando ao
“PAI” para ter ajuda em tudo que eu empreendesse?

Então lembrei que a criação tinha seus próprios propósitos a cumprir. O


processo de individualização havia criado o “puxar e empurrar”, o “dar e
receber” no comportamento humano. Ainda que estas características
humanas fossem a causa da grande angústia na vida das pessoas, não
era essa mesma angústia que as obrigava a procurar melhores maneiras
de viver a fim de encontrarem a verdadeira felicidade? Compreendi que os
males da humanidade tinham seu lugar no esquema da existência
humana.

Era correto eu trazer informação privilegiada às pessoas, para


anular os efeitos do “processo de individualização”?

Percebi que eu pensava desde o “centro” de minha individualidade, o


“ego” e era o impulso do ego que levantava barreiras entre a humanidade
e o “Pai Consciência Criativa”. Portanto, meu “centro de desejo humano”
teria que ser conquistado caso eu quisesse viver em perfeita harmonia
com o “Pai”, como era minha sincera intenção. E assim eu seguia meu
caminho, pensando a respeito do que poderia acontecer e como eu
poderia superar da melhor maneira os impulsos que regiam a minha
condição humana, a fim de permanecer no Fluxo de “Consciência do Pai”,
da qual extrairia inspiração, orientação, soluções para os problemas,
minha alimentação, saúde e proteção diárias. De fato, percebi que
enquanto eu permanecesse dentro deste “Fluxo diário de Consciência do
Pai”, nenhum mal poderia aproximar-se de mim e cada necessidade minha
seria atendida.
E o mais importante: a “Consciência do Pai”, trabalhando por meio de
mim, faria tudo o que fosse necessário para ajudar as pessoas com tanta
necessidade de cura e conforto. Em todos os momentos, eu deveria
superar a minha rebeldia contra a dura realidade da existência para
escutar a “voz interior” e submeter-me à “Vontade Maior” do “Pai”. Esta
“Vontade Maior” era o “Amor Perfeito” dirigido unicamente para promover o
meu bem maior. Seria uma tolice, pensei, continuar trilhando o caminho da
“vontade própria” que até então ditava o meu comportamento.

Foi então que me veio a inspiração para falar com as pessoas por meio
de parábolas. Aqueles que estivessem preparados para receber o
conhecimento entenderiam e fariam bom uso dele.

Mas, como resultado disso, até mesmo os meus discípulos não


puderam libertar-se o suficiente da doutrina judaica para poderem entender
o princípio da consciência ou a atividade do “Poder Criativo Divino” na
criação. (Até agora isso continua sendo um mistério para todos, com
exceção dos espiritualmente iluminados). Mesmo as palavras espirituais de
iluminação não podem ser plenamente compreendidas de imediato pela
mente humana. Por isso, estas Cartas devem ser lidas lentamente e
acompanhadas por muita meditação e oração para que sejam bem
compreendidas.

Lembre-se, a menos que você se torne como uma “criança” –


(desfazendo-se de muitas crenças, preconceitos, ressentimentos,
ambições e impulsos inúteis do ego), com uma mente cheia de admiração
e de uma fé total, não poderá absorver estas páginas como deveria. Para
tornar-se uma “criança”, você deve fazer um esforço para despojar-se de
todo condicionamento mental do passado. Se você sofre mental,
emocional ou fisicamente, é somente pelo motivo de que suas mais
sinceras crenças não têm sido úteis para você, elas não promovem o seu
bem-estar.
É tempo de examinar o seu ESQUEMA MENTAL. Você está feliz com
ele? Você pode fazer escolhas, e, assim que as fizer, você pode chamar o
“Pai” para ajudá-lo a realizar as mudanças e esta ajuda certamente será
dada a você – contanto que você não duvide disso.

Portanto, encorajo vivamente você a continuar lendo e absorvendo as


páginas que seguem. Eu quero levar você a compreender a força do seu
“Esquema Mental” – que é a soma total de toda a programação da sua
consciência e do seu subconsciente.
É essencial que você compreenda que nada deste esquema mental
humano tem as suas origens na dimensão espiritual. É completamente
terreno e provavelmente cheio de ideias míticas, preconceitos, concepções
errôneas, ressentimentos, lembranças ocultas de feridas passadas e
métodos habituais para lidar com os altos e baixos da vida. Seu esquema
mental (incluindo qualquer ideia ou crença religiosa) determina o seu
mundo, seus relacionamentos, suas experiências, suas conquistas, seus
fracassos, suas alegrias e suas tristezas. Ele é mesmo responsável pelas
suas doenças e acidentes. Nada acontece por acaso. Tudo está tecido
desde os fios internos de sua consciência pessoal – pensamentos,
expectativas, crenças na vida, destino, “Deus”. Você vive em um mundo
feito por você mesmo. Esta é a razão pela qual as crianças que crescem
em um mesmo ambiente se tornam diferentes. Cada uma tem seu único e
individual esquema mental construído de acordo com seus traços de
caráter inerentes.

Se, ao nascer, você não tivesse nenhum esquema mental em


desenvolvimento, você seria tão inconsciente quanto uma estátua –
desprovida de sentimentos, respostas e pensamentos. Olharia
distraidamente para o mundo e ainda que houvesse muita atividade ao seu
redor, nada colidiria com sua consciência uma vez que não haveria reação
em você.
Nada faria você feliz ou triste, mesmo que uma bomba explodisse na
vizinhança.

Sem um esquema mental, você não tem vida, nem desenvolvimento,


nem maldade, nem bondade. Seu TIPO de Esquema mental é que
determina a qualidade de sua vida. Esta é a primeiríssima Verdade da
Existência que eu quero que você perceba e compreenda por completo.

Além disso, você carrega o seu esquema mental consigo por onde quer
que vá. Não há por onde escapar, e, dia após dia, isto continuará a criar
para você o tipo de existência que você já experimentou em seu passado.
Muitas pessoas passam suas vidas inteiras acreditando que são
desafortunadas. Elas pensam que os outros têm sido mesquinhos, cruéis e
pouco amáveis com elas e que têm tornado suas vidas completamente
infelizes. Acreditam que “outras pessoas” brigam com elas e criam
dificuldades constantemente, enquanto elas são completamente inocentes
de qualquer provocação.

Ao contrário, “os outros” não têm culpa. É o esquema mental pessoal


que atrai as suas condições negativas. Muitas pessoas rejeitam a ideia de
que são elas mesmas as únicas responsáveis por suas desgraças. Para
algumas pessoas é muito difícil se confrontarem com as suas
incapacidades, enquanto outras têm a força interior e suficiente
autoconfiança para olharem-se de frente de forma honrada.

A oração sincera atrai o “Pai Consciência Criativa” para nossa mente


silenciosa e secretamente, limpa a consciência humana de tudo aquilo que
a pessoa que busca não sente mais como confortável. Isto é,
necessariamente, um processo muito gradual de limpeza e
desenvolvimento interior.

PADRÕES EMOCIONAIS

Os padrões emocionais podem ser tão prejudiciais ao seu bem-estar


como um todo quanto o seu esquema mental. Seu esquema mental,
juntamente com seus padrões emocionais, são suas ferramentas criativas.
Estes dois juntos criam o necessário esboço para as futuras posses,
acontecimentos e circunstâncias. Estas FERRAMENTAS CRIATIVAS
trabalham em sua vida, quer você tenha a intenção ou não.

Émuito mais difícil descobrir as suas atitudes emocionais


profundamente arraigadas, conscientes ou subconscientes, do que
reconhecer o seu condicionamento mental. As pessoas podem estar
submetidas a padrões emocionais negativos e serem completamente
inconscientes disso, uma vez que estes esquemas são encobertos
momento a momento pelas emoções decorrentes da rotina diária.

Para descobrir quais são os seus reais padrões mentais, faça a você
mesmo as perguntas das linhas a seguir e seja totalmente honesto. Tentar
esconder a verdade sobre seus padrões emocionais é apenas enganar a si
mesmo e se privar de alcançar o estado de existência feliz para o qual está
destinado. Como você realmente se sente em relação à VIDA? Quero que
você escreva para si mesmo uma calorosa e compassiva carta, dizendo
exatamente como você se sente ao responder as perguntas seguintes.

Você está feliz em estar vivo ou preferiria poder deixar de viver? Se a


sua verdadeira resposta é a segunda, então você tem uma atitude negativa
em relação à vida e há uma guerra contra si mesmo em um nível profundo.
Você sabe, conscientemente, que tem que continuar a sua vida cotidiana,
mas em seu nível mais profundo você gostaria de deixá-la. A guerra
interior o impede de atrair tudo o que você poderia estar experienciando
com um padrão emocional positivo.

Como você realmente se sente em relação aos seus parentes? Há


alguma hostilidade oculta que você não quer admitir ou que você não sabia
existir? Como você se sente a respeito do seu emprego, colegas,
entretenimento, outras raças, etc.?

Anote todas as descobertas a respeito de você mesmo e guarde-as em


um lugar seguro. Este trabalho que você faz é para você mesmo – apenas
para o seu próprio benefício. Você não faz isso para ser uma pessoa
melhor, ou para agradar a “Deus”, ou para ganhar a aprovação das outras
pessoas. Você faz este trabalho para remover os bloqueios internos
existentes, que impedem o seu desenvolvimento espiritual e a felicidade
definitiva.

Se você decidir mudar a sua vida lendo estas Cartas diariamente,


encorajo você a datar e guardar em lugar seguro a carta que
escreveu. Releia-a depois de um ano e alegre-se com as grandes
mudanças que terão ocorrido em seu esquema mental. Você
perceberá também que terão se produzido mudanças nas
circunstâncias de sua vida.

Lembre-se de que a oração e a meditação focadas inteiramente no seu


Criador trarão a você novas forças e iluminação, as quais mudarão seus
sentimentos e seu ambiente. Quando estiver rezando, nunca ponha o foco
nos seus problemas – sempre peça pela solução correta. Deixe que o
Criador traga até você a solução certa, que a sua mente humana é incapaz
de elaborar.

Por exemplo, nunca diga ao “Pai” Criador o quanto você está doente.
Concentre-se no Poder que você está recebendo imediatamente em sua
condição (mesmo que a sua consciência esteja muito densamente humana
para senti-lo), agradeça pelo rápido restabelecimento e acredite nisso.

Quando você “agradece”, está aceitando, reconhecendo, acreditando e


impregnando em sua própria consciência a percepção de que a sua prece
agora descansa com o “Pai Consciência Amorosa” e está sendo
“processada” para a visível manifestação no devido tempo e na hora certa.
Quando estive na Palestina, agradecia constantemente por todo o trabalho
antes de realizá-lo.

Nunca reze e logo saia do aposento dizendo às pessoas como você se


sente mal, ou como está terrível a situação pessoal ou nacional. Se você já
pediu ao Pai Criador para resolver os seus problemas financeiros ou de
saúde, não seria um insulto a Ele continuar levantando condições
negativas passadas? Você desfaz imediatamente o trabalho em que o Pai
Criador está engajado.

Se na sua mente, depois da prece, as condições antigas ainda não se


tornarem condições negativas do passado, então volte a fazer a oração até
que você possa descartá-las da sua mente e possa realmente acreditar
que tudo está sendo solucionado de forma Divina – naquele mesmo
instante. Retorne uma e outra vez a agradecer pelos benefícios que você
está pedindo. Eles seguramente se materializarão.
Há milhares de pessoas no seu mundo hoje confiando
consistentemente no Pai Criador Universal para satisfazer cada
necessidade e testemunhando as múltiplas bênçãos em suas vidas.

Abandone seus temores, eles não o beneficiam em nada. Volte-se


agora para o “Pai” Criador universal – que é a FONTE DO SEU SER,
concepção, crescimento, desenvolvimento, nutrição, regeneração, cura,
satisfação de todas as suas necessidades, PROTEÇÃO, tudo dentro de
um sistema de LEIS ESPIRITUAIS E ORDEM. Perceba que todo este
maravilhoso trabalho é construtivo, intencional e ordenado. Você tem
verdadeiramente uma MENTE MESTRA sustentando você, sua família e
suas condições de vida. CONFIE NELA. Não permita que sua forma de
pensar estrague a Operação Criativa Divina!

Lembre-se acima de tudo de que – Eu, o CRISTO, apenas executei os


meus chamados milagres porque percebi que “O Reino de Deus” estava
dentro de mim e que eu poderia contar sempre com meu “Pai” Criador
que trabalhava em mim e através de mim.

Lembre-se de que você tem uma consciência individual somente


porque você é um esboço do “Pai” Consciência Criativa.

Quando a sua consciência pessoal estiver completamente limpa de


negatividades, descobrirá que você também se tornou um canal purificado
do “Pai” Consciência Criativa. Você também será, para todos aqueles que
entrarem em sua órbita, uma alegre fonte de crescimento, nutrição, cura,
carinho, proteção, satisfação das necessidades, dentro de um sistema bem
organizado de lei e ordem. Esta poderosa influência se estenderá, por
meio de sua mente, a seus familiares, amigos, vizinhos, fazendas, animais
e plantações. Assim como a eletricidade ao passar pelas suas mãos
acenderá um bico de Bunsen em um laboratório, da mesma forma suas
radiações de FORÇA VITAL beneficiarão a todos aqueles que entrarem
em seu raio de influência.

Esta foi a intenção primeira da criação. Você estava destinado a


expressar a Consciência Criativa Universal por meio de sua mente e do
seu coração. Eu, o CRISTO, venho neste momento para mostrar-lhe como
fazer isso.

Em primeiro lugar, considere o “estado de consciência” em que realizei


os meus chamados milagres. Não fiz nenhuma oração específica. Apenas
pedi ao Pai Criador, que estava irradiando por meio da minha própria
consciência, por qualquer coisa que se fizesse necessária. Fortemente
percebi e visualizei que o “Pai Consciência Criativa” era uma Força
dinâmica operante manifestada por meio do mundo visível, como:
criatividade, intenção inteligente, crescimento, nutrição e alimentação,
proteção, cura, regeneração, satisfação de todas as necessidades – tudo
dentro de um sistema de lei e ordem.

Percebi que o “Pai Consciência Criativa” irradiaria toda a Sua


Natureza através da minha consciência para entrar na consciência
daqueles que me pedissem a cura e sinceramente acreditassem que
poderiam recebê-la. Também sabia que se não tivessem “fé e esperança
de cura”, este tipo de consciência negativa não permitiria o fluxo da
NATUREZA da “Consciência do Pai”, e a cura não aconteceria.

Também percebi que o trabalho de cura feito pelo Pai Consciência


Criativa era realmente o Amor manifestado de forma visível na Terra.
Também compreendi que todo o trabalho realizado pelo Pai
Consciência Criativa no mundo visível, era o amor manifestado – e
agradeci por isso.

Tive consciência de que todas as substâncias do universo originavam-


se na Consciência Universal – e agradeci por isso.

Compreendi que o “Pai Consciência Criativa” era o “trabalhador” e


que Ele era eterno e infinito, e nada – nada exceto a mente humana –
poderia impedir que fizesse o seu trabalho.

Portanto, livrei a minha mente de todos os sentimentos e pensamentos


humanos e soube que eu era um canal perfeito do “Pai Amoroso” e que a
Sua vontade perfeita seria cumprida na pessoa que precisasse de cura.

Mas tome nota disso: eu também soube que, o que quer que fosse que
na consciência da pessoa tivesse levado a sua invalidez, mutilação ou
doença, tinha sido apagado de seu corpo naquele momento. A questão
era: a “consciência” habitual da pessoa faria voltar os males divinamente
apagados de seu corpo? Por isso eu dizia à pessoa que havia sido curada:
“Vá e não volte a pecar”.

Quero que você saiba e acredite de todo o coração que o meu estado
de consciência, quando estive na Terra, descrito nos parágrafos acima, é o
“estado de consciência” a que você deve aspirar com toda sua mente e
todo o seu coração.

Minhas experiências de iluminação no deserto me permitiram alcançar a


CONSCIÊNCIA CRÍSTICA em grande medida enquanto estive na Terra. Mas
você pode seguir meus passos se tiver vontade de fazê-lo e com certeza estarei
disponível para ajudá-lo em sua jornada. Você poderá sentir minha presença se
for suficientemente sensível para isso. Mas se em um primeiro momento você
não sentir nada, não desanime, porque enquanto você faz o trabalho de mudar
sua consciência, você pode estar absolutamente certo de que estará
sintonizando com minha CONSCIÊNCIA CRÍSTICA e estarei a par de tudo o
que estiver acontecendo com você.

SAIBA que o seu propósito na Terra é ascender na consciência espiritual


até que você transcenda tudo aquilo de humano que atualmente o impede de
avançar, até que, finalmente, você também possa controlar os elementos e se
tornar um mestre.

Compreenda também que, quando a consciência mundial estiver


plenamente sintonizada com o “Pai Consciência Criativa”, todas as coisas
adversas ao perfeito bem-estar do homem desaparecerão. Não haverá mais
mosquitos portadores da malária, gafanhotos que acabem com suas
plantações, condições climáticas extremas, infecções, vírus e tudo o mais que
atualmente causa problemas para os seres-vivos. Você viverá sob o manto da
proteção universal. Quando a sua própria consciência estiver em perfeita
consonância e harmonia com o Pai Amoroso – então você também será
divinamente protegido e se tornará um canal de intenção criativa,
crescimento, nutrição e alimentação, proteção, cura, regeneração, satisfação
das necessidades, lei e ordem.

O PAI AMOROSO estará operando em sua mente, coração, corpo e em


seus assuntos. Estará operando em todos aqueles para quem você direcionar
o seu poder.