Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA

TRABALHO AVA2

Aluna: Thayanne Alcântara Silva.


Matrícula: 20201300440
Tutora: Fátima Cristina Santoro Gertemberger
Disciplina: Direito Aplicado à Gestão

O FIM DA RELAÇÃO DE EMPREGO E SUAS CONSEQUÊNCIAS

 
As Organizações precisam compreender as normas que regem os direitos dos
trabalhadores para garantir e assegurar que as obrigações entre as partes sejam
cumpridas. Assim, torna-se fundamental a abrangência do estudo das ciências jurídicas,
pois “não existe sociedade sem direito”.
 
 
Atento a esse cenário e buscando abordar as temáticas que envolvem o fim da relação
de emprego e suas consequências, apresentamos a seguir o Trabalho da disciplina
Direito Aplicado à Gestão.

 
Situação problema:
 
Você está demitido! Os impactos psicológicos do desemprego.
Despedida com Justa Causa

É explicito que a despedida com Justa Causa é um grande prejuízo ao


profissional e a empresa, gerando um grande conflito entre as partes. A Justa
Causa é o motivo relevante que autoriza a resolução do contrato de trabalho por
culpa do sujeito contratual comitente da infração. A justa causa pode ser
cometida pelo empregado (art. 482), ocasionando sua dispensa por justa causa,
ou pelo empregador (casos do art. 483), permitindo a rescisão indireta do
contrato de trabalho. Mas, apesar disso, o empregador tem limites porque a CLT
sempre protege o funcionário das arbitrariedades que poderiam vir a acontecer
por conta do empregador.
Citarei alguns motivos que podem levar à justa causa ao empregado caso ele
cometa as seguintes imprudências, são elas:

Ato de Improbidade (É toda ação ou omissão desonesta do empregado, que


revelam desonestidade, abuso de confiança, fraude ou má-fé).

Incontinência de Conduta ou Mau Procedimento (Incontinência ocorre quando o


empregado comete ofensa ao pudor, pornográfia ou obscenidade, desrespeito aos
colegas de trabalho e à empresa./ Mau Procedimento (Caracteriza-se com o
comportamento incorreto, irregular do empregado, através da prática de atos que
firam a discrição pessoal e o respeito).

Desídia (Se o empregado atua de forma desidiosa; Exerce as atividades


profissionais com preguiça, tem atrasos frequentes, muitas faltas injustificadas e
desinteresse pela função. É agir com negligência, desleixo, desatenção,
relaxamento e má vontade) o empregador pode dispensá-lo por justa causa,
desde que a cada uma das faltas anteriores, tenha aplicado as devidas medidas
repreensivas ou punitivas).
Ato de Indisciplina ou de Insubordinação (A desobediência à uma ordem
específica, verbal ou escrita, constitui ato típico de insubordinação; A
desobediência à uma norma genérica constitui ato típico de indisciplina).

A Justa Causa é uma punição ao empregado pela qual ele perde praticamente
todos os direitos de rescisão, como aviso prévio, férias proporcionais, 1/ 3 de
férias, 13o salário, FGTS, multa de 40% e seguro-desemprego, contudo, caso o
empregado tenha menos de um ano de carteira assinada e seja demitido, terá
direito apenas ao salário-família e ao saldo de salário mensal.

Já Falta Grave está inclusa na própria CLT, em seu art. 483, que dispõe que
constitui falta grave na prática de qualquer dos fatos a que se refere o art. 482,
quando por sua repetição ou natureza representem séria violação dos deveres e
obrigações do empregado. Ao contrário da justa causa, a falta grave só é
atribuída ao empregado. Nos casos de estabilidades mais acentuadas
(estabilidade absoluta), a CLT faz referência expressa à Falta Grave (evidencie-
se que também são consideradas absolutas as estabilidades do cipeiro, gestante,
acidentado e as contratualmente previstas).

A recisão no contrato de trabalho é um processo bem delicado que requer


atenção, e que envolve várias regulações e exige muita cautela. Eu como uma
profissional responsável deverei zelar para que não ocorram problemas, como
nos processos judicias, pagamentos de multas ou ampliação desmedida dos
gastos. A saída de um colaborador pode causar grandes impactos financeiros na
empresa se não forem solucionados de forma correta.
Afinal, é preciso garantir que o colaborador tenha recebido tudo o que tem
direito, e que a legislação trabalhista seja cumprida de forma justa. Como RH
representante da empresa, na hora da demissão é fundamental dar apoio e
incentivo ao ex colaborador para que não prejudique sua saúde mental e sua
autoestima e sim que ele idealize um futuro melhor em sua vida profissional
para enfrentar futuras entrevistas.
Referências:
DELGADO, Maurício Godinho. Curso Direito do Trabalho, 11° Edição, São Paulo: Ed.
LTR, 2006.
GIGLIO, Wagner D. Justa Causa 7ª ed. Rev. e Atual. São Paulo: Saraiva.2008.
GIGLIO , Wagner D.Justa Causa, 7.ed. São Paulo.Saraiva.2000.
https://www.catho.com.br/conteudo/duvidas-trabalhistas/como-funciona-a-rescisao-de-
contrato-de-trabalho.php
https://www.mediacaonline.com/blog/rescisao-do-contrato-de-trabalho-o-que-a-lei-diz-
a-respeito/

http://www.guiatrabalhista.com.br/guia/justa_causa_empregado.htm

https://saberalei.jusbrasil.com.br/artigos/307816075/demissao-por-justa-causa-conheca-
os-seus-direitos

https://www.jusbrasil.com.br/topicos/301642/falta-grave-do-trabalhador