Você está na página 1de 123

Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Matéria: Raciocínio Lógico


Professor: Alex Lira
`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Aula – Questões – Equivalência e Negação Lógica

SUMÁRIO

QUESTÕES COMENTADAS ...................................................................... 3


LISTA DE QUESTÕES .......................................................................... 92
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 2 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

QUESTÕES COMENTADAS
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

1- (FCC/TRT 2ª Região/Técnico Judiciário/2018) Se o veículo


ultrapassar os 50 km/h, então seu motorista será multado.
Uma afirmação equivalente à afirmação anterior é:
a) Se o motorista não foi multado, então seu veículo ultrapassou os 50 km/h.
b) O veículo não ultrapassou os 50 km/h e seu motorista não será multado.
c) O veículo não ultrapassa os 50 km/h ou seu motorista é multado.
d) Se o motorista foi multado, então seu veículo ultrapassou os 50 km/h.
e) O motorista só será multado se o veículo ultrapassar os 50 km/h.
RESOLUÇÃO:
Sejam p e q, respectivamente, “o veículo ultrapassar os 50km/h” e “o motorista
estará multado”. O enunciado questiona a equivalência lógica de uma proposi-
ção composta unida por um conectivo condicional.
Sabemos que o conectivo condicional possui duas equivalências especiais:

p ⟶ q = ~q ⟶ ~p
EQUIVALÊNCIAS DA
CONDICIONAL
p ⟶ q = ~p ˅ q

Explorando as duas condições especiais, temos as seguintes proposições equi-


valentes:

~q ⟶ ~p Se o motorista não foi multado, então o veículo não ul-


= trapassou os 50 km/h

O veículo não ultrapassa os 50 km/h ou seu motorista é


~p v q =
multado

Dentre as alternativas, observa-se que a correta é proposição composta


formada por uma disjunção expressa na letra C.
Gabarito 1: C.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 3 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

2- (FCC/ ALMS/ Analista em Recursos Humanos/2016) Se João canta


ou Maria sorri, então Josefa chora e Luiza não grita. Do ponto de vista lógico,
uma afirmação equivalente a afirmação anterior é
a) Se Luiza grita ou Josefa não chora, então João não canta e Maria não sorri.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

b) Se João não canta ou Maria não sorri, então Josefa não chora e Luiza grita.
c) João canta ou Maria sorri, e Josefa não chora e Luiza grita.
d) Se João canta, então Josefa chora e se Maria sorri, então Luiza grita.
e) Se Luiza não grita e Josefa chora, então João canta ou Maria sorri.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições simples:
a: João canta
b: Maria sorri.
c: Josefa chora
d: Luiza grita
Podemos identificar no enunciado da questão as seguintes proposições compos-
tas:
1ª) Disjunção inclusiva: “João canta ou Maria sorri”, ou seja, a ˅ b.
2ª) Conjunção: “Josefa chora e Luiza não grita”, ou seja, c ^ ~d.
3ª) Condicional: “Se João canta ou Maria sorri, então Josefa chora e Luiza não
grita”. Simbolicamente, representado por:

(a ˅ b) ⟶ (c ^ ~d)

O enunciado questiona qual a afirmação equivalente a essa 3ª proposição (con-


dicional). Sabemos que o conectivo condicional possui duas equivalências es-
peciais:

Observando as alternativas, podemos concluir que não há afirmativa equiva-


lente com conectivo de disjunção. Dessa forma, analisaremos as alternativas
com as afirmações equivalentes condicionais, a fim de identificarmos a pro-
posição ~q ⟶ ~p. Para tanto, faremos os seguintes passos:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 4 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

1º) Identificar a negação equivalente do consequente (~q) da afirmação do


enunciado:
~(c ^ d) = (~c ˅ d) = “Josefa não chora ou Luiza grita”
2º) Identificar a negação equivalente do antecedente (~p) da afirmação do
enunciado:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

~(a ˅ b) = (~a ^ ~b) = “João não canta e Maria não sorri”


3º) Substituir as proposições dos passos anteriores na proposição condicional
equivalente (~q ⟶ ~p) à proposição do enunciado:

“Se Josefa não chora ou Luiza grita, en-


(~c ˅ d) ⟶ (~a ^ ~b) =
tão João não canta e Maria não sorri”

Gabarito 2: A

3- (FCC/ SEFAZ PE/Julgador Administrativo Tributário/2015) Ob-


serve a afirmação a seguir, feita pelo prefeito de uma grande capital.
Se a inflação não cair ou o preço do óleo diesel aumentar, então o preço das
passagens de ônibus será reajustado.
Uma maneira logicamente equivalente de fazer esta afirmação é:
a) Se a inflação cair e o preço do óleo diesel não aumentar, então o preço das
passagens de ônibus não será reajustado.
b) Se a inflação cair ou o preço do óleo diesel aumentar, então o preço das
passagens de ônibus não será reajustado.
c) Se o preço das passagens de ônibus for reajustado, então a inflação não terá
caído ou o preço do óleo diesel terá aumentado.
d) Se o preço das passagens de ônibus não for reajustado, então a inflação terá
caído ou o preço do óleo diesel terá aumentado.
e) Se o preço das passagens de ônibus não for reajustado, então a inflação terá
caído e o preço do óleo diesel não terá aumentado.
RESOLUÇÃO:
O enunciado da questão trata de equivalência lógica de uma proposição com-
posta formada por um conectivo condicional. Sejam as proposições:
p: a inflação cair
q: o preço do óleo diesel aumentar

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 5 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

r: o preço das passagens de ônibus será reajustado


Ao observarmos as alternativas, podemos verificar que somente há opções de
proposições condicionais para a resposta. Assim, a equivalência lógica a ser
explorada será de condicional para condicional, isto é:

(~p ˅ q) ⟶ r = ~r ⟶ ~(~p ˅ q)
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Onde:
(~p ˅ q) = antecedente da proposição condicional
r = consequente da proposição condicional
Para encontrarmos a afirmação equivalente, realizaremos os seguintes passos:
1º) Identificar a negação equivalente do antecedente da afirmação do enunci-
ado:
~(~p ˅ q) = (p ^ ~q) = “a inflação cair e o preço do óleo diesel não
aumentar”
2º) Alocarmos as proposições (~a ^ ~b) e ~r nos moldes da equivalência con-
dicional (Se... então):
Se o preço das passagens de ônibus não for reajustado, então a infla-
ção terá caído e o preço do diesel não terá aumentado.
Gabarito 3: E

4- (FCC/TRT 5ª Região/Analista Judiciário/2013) Leia a instrução fic-


tícia reproduzida a seguir e suponha que ela seja sempre cumprida.
“Sempre que um Oficial de Justiça executar uma intimação, ele deverá estar
acompanhado por um Policial Federal.”
Nessas condições, é correto concluir que, necessariamente,
a) os Oficiais de Justiça deverão estar acompanhados por um Policial Federal
durante todo seu horário de trabalho.
b) um Oficial de Justiça só deverá solicitar o acompanhamento de um Policial
Federal quando for executar uma intimação.
c) sempre que um Oficial de Justiça estiver acompanhado por um policial, ele
deverá estar executando uma intimação.
d) se um Oficial de Justiça não estiver executando uma intimação, então ele não
poderá estar acompanhado por um Policial Federal.
e) se um Oficial de Justiça não estiver acompanhado por um Policial Federal,
então ele não estará executando uma intimação.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 6 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

RESOLUÇÃO:
O enunciado trada de uma proposição condicional. Podemos reescrevê-la da
seguinte forma:
“Se um Oficial de Justiça executar uma intimação, então ele deverá estar acom-
panhado por um Policial Federal.”
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Sejam p e q, respectivamente, “um Oficial de Justiça executa uma intimação”


e “o oficial deverá estar acompanhado por um Policial Federal”. Note que, nas
alternativas, somente constam proposições condicionais. Portanto, a equiva-
lência lógica a ser explorada será de condicional para condicional:

~q ⟶ ~p Se um Oficial de Justiça não estiver acompanhado por


= um Policial Federal, então não executa uma intimação

Gabarito 4: E

5- (FCC/TRF 3ª Região/Técnico Judiciário/2007) Se Lucia é pintora,


então ela é feliz. Portanto:
a) Se Lucia não é feliz, então ela não é pintora.
b) Se Lucia é feliz, então ela é pintora.
c) Se Lucia é feliz, então ela não é pintora.
d) Se Lucia não é pintora, então ela é feliz.
e) Se Lucia é pintora, então ela não é feliz.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições simples:
p: Lucia é pintora
q: Lúcia é feliz
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

(p ⟶ q)

Vamos testar a primeira equivalência que o conectivo lógico condicional possui.


Daí, a partir da proposição “Lucia é pintora ⟶ Lúcia é feliz”, teremos:
De condicional para condicional:
1º Trocam-se os termos da condicional de posição;
“Lúcia é feliz ⟶ Lucia é pintora”
2º Negam-se ambos os termos:
“Lúcia não é feliz ⟶ Lucia não é pintora”

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 7 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Analisando as alternativas, encontramos a proposição acima?


Sim, professor. A alternativa A é idêntica.
Isso mesmo, meu aluno.
Gabarito 5: A.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

6- (FCC/CVM/Analista de Sistemas/2003) Do ponto de vista lógico, se


for verdadeira a proposição condicional "se eu ganhar na loteria, então compra-
rei uma casa", necessariamente será verdadeira a proposição:
a) se eu não ganhar na loteria, então não comprarei uma casa.
b) se eu não comprar uma casa, então não ganhei na loteria.
c) se eu comprar uma casa, então terei ganho na loteria.
d) só comprarei uma casa se ganhar na loteria.
e) só ganharei na loteria quando decidir comprar uma casa.
RESOLUÇÃO:
A proposição do enunciado pode ser traduzida como:
“Se eu ganhar na loteria, então comprarei uma casa”.
Sejam as proposições:
p: Ganho na loteria;
q: Compro uma casa.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

(p ⟶ q)

Vamos testar a primeira equivalência que o conectivo lógico condicional possui.


Daí, a partir da proposição “Ganho na loteria ⟶ Compro uma casa”, tere-
mos:
De condicional para condicional:
1º Trocam-se os termos da condicional de posição;
“Compro uma casa ⟶ Ganho na loteria”
2º Negam-se ambos os termos:
“Não compro uma casa ⟶ Não ganho na loteria”
Gabarito 6: B.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 8 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

7- (FCC - 2010 - SJCDH-BA - Agente Penitenciário) Uma afirmação


equivalente à afirmação "Se bebo, então não dirijo" é
a) Se não bebo, então não dirijo.
b) Se não dirijo, então não bebo.
c) Se não dirijo, então bebo.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

d) Se não bebo, então dirijo.


e) Se dirijo, então não bebo.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Bebo
q: Dirijo
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p ⟶ ~q

Vamos testar a primeira equivalência que o conectivo lógico condicional possui:


Daí, a partir da proposição “Bebo → Não dirigo”, teremos:
De condicional para condicional:
1º Trocam-se os termos da condicional de posição;
“Não dirigo → Bebo”
2º Negam-se ambos os termos:
“Dirigo → Não Bebo”
Gabarito 7: E.

8- (FCC - AFTM SP/Pref SP/2007) Considere a seguinte proposição:


"Se um Auditor-Fiscal Tributário não participa de projetos de aperfeiçoamento,
então ele não progride na carreira."
Essa proposição é tautologicamente equivalente à proposição:
a) Não é verdade que, ou um Auditor-Fiscal Tributário não progride na carreira
ou ele participa de projetos de aperfeiçoamento.
b) Se um Auditor-Fiscal Tributário participa de projetos de aperfeiçoamento,
então ele progride na carreira.
c) Não é verdade que, um Auditor-Fiscal Tributário não participa de projetos de
aperfeiçoamento e não progride na carreira.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 9 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

d) Ou um Auditor-Fiscal Tributário não progride na carreira ou ele participa de


projetos de aperfeiçoamento.
e) Um Auditor-Fiscal Tributário participa de projetos de aperfeiçoamento e pro-
gride na carreira.
RESOLUÇÃO:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Sejam as proposições:
p: Um Auditor-Fiscal Tributário não participa de projetos de aperfeiçoamento;
q: Um Auditor-Fiscal Tributário não progride na carreira.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

~p ⟶ ~q

Vamos testar as duas equivalências que o conectivo lógico condicional possui:


Daí, a partir da proposição, teremos:
1ª) De condicional para condicional:
1º Trocam-se os termos da condicional de posição: ~q ⟶ ~p
2º Negam-se ambos os termos: q ⟶ p
Analisando as alternativas, não encontramos a proposição acima.
E agora, professor?
Agora recorremos à segunda equivalência do condicional.
2ª) De condicional para disjunção:
1º Nega-se o primeiro termo: p
2º Mantém-se o segundo termo: ~q
3º Troca-se o conectivo condicional pelo ou: p ˅ ~q
Observe que a alternativa mais próxima é a letra D, que apresenta dois OU:
OU um Auditor-Fiscal Tributário não progride na carreira OU ele parti-
cipa de projetos de aperfeiçoamento.
Geralmente, essa configuração é utilizada para representar a disjunção exclu-
siva. Porém, é comum que questões de concursos utilizem os dois OU
também para representar um disjunção inclusiva.
Assim, só pelo contexto podemos perceber se se trata da disjunção inclusiva ou
da exclusiva.
Nesse caso específico, como não temos outra alternativa cabível, só podemos
concluir que a alternativa D contempla a disjunção inclusiva.
Gabarito 8: D.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 10 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

9- (FCC/DPE RS/Analista/2017) Considere a afirmação:


Se sou descendente de italiano, então gosto de macarrão e gosto de parmesão.
Uma afirmação que corresponde à negação lógica desta afirmação é
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

a) Sou descendente de italiano e, não gosto de macarrão ou não gosto de


parmesão.
b) Se não sou descendente de italiano, então não gosto de macarrão e não
gosto de parmesão.
c) Se gosto de macarrão e gosto de parmesão, então não sou descendente de
italiano.
d) Não sou descendente de italiano e, gosto de macarrão e não gosto de
parmesão.
e) Se não gosto de macarrão e não gosto de parmesão, então não sou
descendente de italiano.
RESOLUÇÃO:
O enunciado da questão trata de negação de uma proposição composta for-
mada pelo conectivo condicional.
Sejam as proposições:
p: sou descendente de italiano
q: gosto de macarrão
r: gosto de parmesão
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p ⟶ (q ^ r)

Onde:
p = antecedente da proposição condicional
(q ^ r) = consequente da proposição condicional

Por sua vez, a negação condicional é equivalente à seguinte conjunção:

p ⟶ (q ^ r) = p ^ ~(q ^ r)

Com isso, seguimos os três passos:


1º) Mantém a primeira parte: sou descendente de italiano.
2º) Negamos a segunda parte:
~(q ^ r) = (~q ˅ ~r) = “não gosto de macarrão ou gosto de parmesão

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 11 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

3º) Colocamos as proposições p e (~q ˅ ~r) nos moldes da equivalência de


conjunção:
Sou descendente de italiano E não gosto de macarrão ou não gosto de
parmesão.
Gabarito 9: A
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

10- (FCC/TRT 11ª Região/Técnico Judiciário/2017) A frase que


corresponde à negação lógica da afirmação: Se o número de docinhos
encomendados não foi o suficiente, então a festa não acabou bem, é
a) Se o número de docinhos encomendados foi o suficiente, então a festa acabou
bem.
b) O número de docinhos encomendados não foi o suficiente e a festa acabou
bem.
c) Se a festa não acabou bem, então o número de docinhos encomendados não
foi o suficiente.
d) Se a festa acabou bem, então o número de docinhos encomendados foi o
suficiente.
e) O número de docinhos encomendados foi o suficiente e a festa não acabou
bem.
RESOLUÇÃO:
O enunciado da questão pergunta sobre a negação de uma proposição com-
posta unida pelo conectivo condicional. Sejam p e q, respectivamente, “o nú-
mero de docinhos encomendados foi o suficiente” e “a festa acabou bem”. Assim
sendo, a proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

~p ⟶ ~q

Por sua vez, a negação condicional é equivalente à seguinte conjunção:

~(~p ⟶ ~q) = ~p ^ q

Com isso, seguimos os três passos:


1º) Mantém a primeira parte: o número de docinhos encomendados não
foi o suficiente.
2º) Negamos a segunda parte: a festa acabou bem.
3º) Trocamos "Se então" por "e": “o número de docinhos encomendados
não foi o suficiente E a festa acabou bem”.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 12 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Gabarito 10: B

11- (FCC/DPE RR/Auxiliar Administrativo/2015) Maria disse: Gerusa


estava doente e não foi trabalhar. Sabe-se que Maria mentiu. Sendo assim, é
correto afirmar que
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

a) Gerusa não estava doente, mas não foi trabalhar.


b) Gerusa não estava doente e não foi trabalhar.
c) Gerusa não estava doente ou foi trabalhar.
d) se Gerusa foi trabalhar, então não estava doente.
e) Gerusa estava doente ou foi trabalhar.
RESOLUÇÃO:
Uma vez que Maria mentiu, a afirmação correta seria a negação do que ela
disse. Desse modo, a questão trata de negação de uma proposição composta
unida por uma conjunção.
Sejam p e q, respectivamente, “Gerusa estava doente” e “Gerusa foi trabalhar”.
Assim sendo, a negação equivalente à proposição formada pela conjunção apre-
sentada pelo enunciado pode ser expressa da seguinte forma:

~(p ^ ~q) = ~p ˅ q

Substituindo os termos na proposição ~p ˅ q, temos a seguinte negação de


conjunção:
“Gerusa não estava doente ou Gerusa foi trabalhar”.
Gabarito 11: C

12- (FCC/TCE-CE/Técnico de Controle Externo/2015) Um casal está no


supermercado fazendo compras do mês e o marido diz para a esposa: “Vamos
comprar macarrão ou arroz integral”. A esposa negando a afirmação diz:
a) Se vamos comprar macarrão, então não vamos comprar arroz integral.
b) Não vamos comprar macarrão ou não vamos comprar arroz integral.
c) Se não vamos comprar macarrão, então não vamos comprar arroz integral.
d) Não vamos comprar macarrão e não vamos comprar arroz integral.
e) Se não vamos comprar macarrão, então vamos comprar arroz integral.
RESOLUÇÃO:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 13 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

A negação da esposa em relação à afirmação do marido consiste em uma ne-


gação de uma proposição composta com termos unidos por uma disjunção.
Sejam p e q, respectivamente, “vamos comprar macarrão” e “vamos comprar
arroz integral”. Assim sendo, a negação equivalente à proposição formada por
uma disjunção pode ser representada da seguinte forma:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

~(p ˅ q) = ~p ^ ~q

Portanto, colocando os termos na proposição composta acima, temos a seguinte


negação de disjunção:
“Não vamos comprar macarrão e não vamos comprar arroz integral”.
Gabarito 12: D

13- (FCC/TRT 16ª Região/Técnico Judiciário/2014) Não gosto de ficar


em casa e vou ao cinema todos os dias.
Do ponto de vista lógico, uma afirmação que corresponde a uma negação dessa
afirmação é:
a) Não gosto de sair de casa e não vou ao cinema todos os dias.
b) Vou ao cinema todos os dias e gosto de ficar em casa.
c) Não vou ao cinema todos os dias ou não gosto de ficar em casa.
d) Se não gosto de ficar em casa, então vou ao cinema todos os dias.
e) Gosto de ficar em casa ou não vou ao cinema todos os dias.
RESOLUÇÃO:
O enunciado da questão aborda a negação de uma proposição composta com
termos unidos por uma conjunção.
Sejam p e q, respectivamente, “gosto de ficar em casa” e “vou ao cinema todos
os dias”. Assim sendo, a negação equivalente à proposição formada pela con-
junção do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

~(~p ^ q) = p ˅ ~q

Inserindo os termos na proposição acima, temos a seguinte negação de conjun-


ção:
“Gosto de ficar em casa ou não vou ao cinema todos os dias”.
Gabarito 13: E

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 14 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

14- (FCC/PGE-BA/Assistente de Procuradoria/2013) A negação de


“Ruy Barbosa é abolicionista e Senador Dantas é baiano” é:
a) Ruy Barbosa não é abolicionista e Senador Dantas não é baiano.
b) Ruy Barbosa é baiano e Senador Dantas é abolicionista.
c) Ruy Barbosa não é abolicionista ou Senador Dantas não é baiano.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

d) Ruy Barbosa é baiano ou Senador Dantas não é abolicionista.


e) Ruy Barbosa é Senador Dantas e Senador Dantas é Ruy Barbosa.
RESOLUÇÃO:
Sejam p e q, respectivamente, “Ruy Barbosa é abolicionista” e “Senador Dantas
é baiano”. Assim sendo, a negação equivalente à proposição formada por uma
conjunção pode ser representada da seguinte forma:

~(p ^ q) = ~p ˅ ~q

Onde:
~p = Ruy Barbosa não é abolicionista
~q = Senador Dantas não é baiano
Inserindo os termos na proposição ~p ˅ ~q, temos a seguinte negação de con-
junção:
“Ruy Barbosa não é abolicionista ou Senador Dantas não é baiano”.
Gabarito 14: C

15- (FCC/TRT 18ª/Técnico Judiciário/2008) Considere as proposições:

A negação da proposição é
a) Se Dalila não é linda, então Sansão é forte.
b) Se Sansão não é forte, então Dalila não é linda.
c) Não é verdade que Sansão é forte e Dalila é linda.
d) Sansão não é forte ou Dalila é linda.
e) Sansão não é forte e Dalila é linda.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Sansão é forte.
q: Dalila é linda.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 15 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p ^ ~q

No entanto, a sentença precisa ser negada, pois é isso que a questão está
buscando.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

E já aprendemos que a negação de uma proposição conjuntiva é dada pela re-


lação:

~(p ^ q) = ~p ˅ ~q

Basta seguirmos os seguintes passos:


1º Negamos a primeira parte: ~p
2º Negamos a segunda parte: q (já era negativa);
3º Trocamos o e por ou: ~p ˅ q
Assim, podemos concluir que:
“Sansão não é forte OU Dalila é linda”.
Gabarito 15: D.

16- (FCC/TRT 16ª Região/Técnico Judiciário/2014)


”Não gosto de ficar em casa e vou ao cinema todos os dias”.
Do ponto de vista lógico, uma afirmação que corresponde a uma negação dessa
afirmação é:
a) Não gosto de sair de casa e não vou ao cinema todos os dias.
b) Vou ao cinema todos os dias e gosto de ficar em casa.
c) Não vou ao cinema todos os dias ou não gosto de ficar em casa.
d) Se não gosto de ficar em casa, então vou ao cinema todos os dias.
e) Gosto de ficar em casa ou não vou ao cinema todos os dias.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: gosto de ficar em casa.
q: vou ao cinema todos os dias.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

~p ^ q

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 16 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

No entanto, a sentença precisa ser negada, pois é isso que a questão está bus-
cando.
E acabamos de aprender que a negação de uma proposição conjuntiva é dada
pela relação:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

~(p ^ q) = ~p ˅ ~q

Basta seguirmos os seguintes passos:


1º Negamos a primeira parte: p (já era negativa);
2º Negamos a segunda parte: ~q
3º Trocamos o e por ou: p ˅ ~q

Assim, podemos concluir que:


“Gosto de ficar em casa ou não vou ao cinema todos os dias”.
Gabarito 16: E.

17- (FCC/PGE-BA/Assistente de Procuradoria/2013) A negação de


“Ruy Barbosa é abolicionista e Senador Dantas é baiano” é:
a) Ruy Barbosa não é abolicionista e Senador Dantas não é baiano.
b) Ruy Barbosa é baiano e Senador Dantas é abolicionista.
c) Ruy Barbosa não é abolicionista ou Senador Dantas não é baiano.
d) Ruy Barbosa é baiano ou Senador Dantas não é abolicionista.
e) Ruy Barbosa é Senador Dantas e Senador Dantas é Ruy Barbosa.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Ruy Barbosa é abolicionista.
q: Senador Dantas é baiano.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p^q

No entanto, a sentença precisa ser negada, pois é isso que a questão está
buscando.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 17 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

E acabamos de aprender que a negação de uma proposição conjuntiva é dada


pela relação:

~(p ^ q) = ~p ˅ ~q

Basta seguirmos os seguintes passos:


Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

1º Negamos a primeira parte: ~p


2º Negamos a segunda parte: ~q
3º Trocamos o e por ou: ~p ˅ ~q
Assim, podemos concluir que:
“Ruy Barbosa não é abolicionista ou Senador Dantas não é baiano”.
Gabarito 17: C.

18- (CESPE/DPU/Analista Técnico-Administrativo/2015) Conside-


rando a proposição P: “Se João se esforçar o bastante, então João conseguirá o
que desejar”, julgue o item a seguir.
A proposição “Se João não conseguiu o que desejava, então João não se esfor-
çou o bastante” é logicamente equivalente à proposição P.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições simples:
a: João se esforça o bastante.
b: João conseguirá o que desejar.
A proposição do enunciado é a seguinte:

~b ⟶ ~a

A questão quer saber se a proposição composta acima é equivalente a proposi-


ção P. Ora, aprendemos que o conectivo condicional possui duas equivalências
especiais:

p ⟶ q = ~q ⟶ ~p
EQUIVALÊNCIAS DA
CONDICIONAL
p ⟶ q = ~p ˅ q

Iremos nos concentrar na equivalência que nos conduz ao próprio conectivo


condicional. Como acharemos, então, essa equivalência? Simples!

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 18 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

1º Trocam-se os termos da condicional de posição: ~a ⟶ ~b


2º Negam-se ambos os termos: a ⟶ b
Assim, teremos a seguinte proposição composta:
“Se João se esforçar o bastante, então João conseguirá o que desejar”
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Gabarito 18: Certo.

19- (CESPE/DPU/Analista Técnico-Administrativo/2015) Conside-


rando a proposição P: “Se João se esforçar o bastante, então João conseguirá o
que desejar”, julgue o item a seguir.
A proposição “João não se esforça o bastante ou João conseguirá o que desejar”
é logicamente equivalente à proposição P.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições simples:
a: João se esforça o bastante.
b: João conseguirá o que desejar.
A proposição composta do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

~a ˅ b

Vamos testar a equivalência que o conectivo lógico disjunção possui:

EQUIVALÊNCIA DA
p ˅ q = ~p ⟶ q
DISJUNÇÃO

Daí, a partir da proposição “João não se esforça o bastante OU João con-


seguirá o que desejar”, teremos:
1º Nega-se o primeiro termo: João se esforça o bastante.
2º Mantém-se o segundo termo: João conseguirá o que desejar.
3º Troca-se o ou pelo condicional:
“Se João se esforçar o bastante, então João conseguirá o que desejar”
Note que, de fato, a proposição apresentada no enunciado é equivalente à pro-
posição composta P, o que torna o item correto.
Gabarito 19: C.

20- (CESPE/ABIN/ATI/Administração/2010) A proposição "um papel é


rascunho ou não tem mais serventia para o desenvolvimento dos trabalhos" é

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 19 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

equivalente a "se um papel tem serventia para o desenvolvimento dos traba-


lhos, então é um rascunho".
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Um papel é rascunho.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

q: Um papel tem serventia para o desenvolvimento dos trabalhos.


O enunciado nos trouxe duas proposições compostas e deseja saber se elas são
equivalentes.
Vamos examiná-las:

(p ˅ ~q) e (q ⟶ p)

Chegou a hora de testar a equivalência que o conectivo lógico disjunção possui.


Daí, teremos:
1º Nega-se o primeiro termo: Um papel não é rascunho.
2º Mantém-se o segundo termo: Um papel não tem mais serventia para o
desenvolvimento dos trabalhos.
3º Troca-se o ou pelo condicional:
“Se um papel não é rascunho, então ele não tem mais serventia para o
desenvolvimento dos trabalhos.”
Aprendemos que uma das equivalências fundamentais do conectivo condicional
afirma que:

p ⟶ q = ~q ⟶ ~p

O que isso tem a ver com a nossa questão, professor?


Tudo, caro aluno! Pois, a frase que obtemos acima é equivalente a:
“Se um papel tem serventia para o desenvolvimento dos trabalhos,
então ele é um papel é rascunho.”
Gabarito 20: certo.

21- (CESPE - Cons/SEFAZ-ES/2010) Considerando os símbolos lógi-


cos ¬ (negação), ∧ (conjunção), ∨ (disjunção), → (condicional) e as proposições
S: (p ∧ ¬q) ∨ (¬p ∧ r) → q ∨ r e T: ((p ∧ ¬ q) ∨ (¬p ∧ r)) ∧ (¬q ∧ ¬r), julgue o
item que se segue.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 20 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

As proposições compostas ¬ S e T são equivalentes, ou seja, têm a mesma


tabela-verdade, independentemente dos valores lógicos das proposições sim-
ples p, q, e r que as constituem.
RESOLUÇÃO:
Vamos construir as tabelas-verdades relativas às proposições S e T:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

p q r ¬p ¬q ¬r p ∧ ¬q ¬p ∧ r (p ∧ ¬q) ∨ (¬p ∧ r) q∨r s ~s (¬q ∧ ¬r) T

V V V F F F F F F V V F F F

V V F F F V F F F V V F F F

V F V F V F F F F V V F F F

V F F F V V F F F F V F V F

F V V V F F F V V V V F F F

F V F V F V F F F V V F F F

F F V V V F F V V V V F F F

F F F V V V F F F F V F V F

Note que as duas colunas em destaque apresentam valores lógicos iguais, de


modo que concluímos que realmente as proposições S e T são equivalentes.
Gabarito 21: certo.

22- (CESPE - Técnico Judiciário/TRE-ES/2011) Considere que P e Q se-


jam duas proposições que podem compor novas proposições por meio dos co-
nectivos lógicos ~, ∧, ∨ e →, os quais significam "não", "e", "ou" e "se, então",
respectivamente. Considere, ainda, que a negação de P, ~P (lê-se: não P) será
verdadeira quando P for falsa, e será falsa quando P for verdadeira; a conjunção
de P e Q, P ∧ Q (lê-se: P e Q) somente será verdadeira quando ambas, P e Q,
forem verdadeiras; a disjunção de P e Q, P ∨ Q (lê-se: P ou Q) somente será
falsa quando P e Q forem falsas; e a condicional de P e Q, P → Q (lê-se: se P,
então Q) somente será falsa quando P for verdadeira e Q falsa. Considere, por
fim, que a tabela-verdade de uma proposição expresse todos os valores lógicos
possíveis para tal proposição, em função dos valores lógicos das proposições
que a compõem. Com base nesse conjunto de informações, julgue o item se-
guinte.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 21 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

As proposições ~[(P → Q) ∧ (Q → P)] e (~P ∧ Q) ∨ (~Q ∧ P) possuem tabelas-


verdade distintas.
RESOLUÇÃO:
Vamos construir as tabelas-verdades relativas às duas proposições:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

P Q ~P ~Q P→Q Q→P (P → Q) ∧ ~[(P → Q) ∧ ~P ∧ Q ~Q ∧ P (~P ∧ Q) ∨


(Q → P) (Q → P)] (~Q ∧ P)

V V F F V V V F F F F

V F F V F V F V F V V

F V V F V F F V V F V

F F V V V V V F F F F

Note que as duas colunas em destaque apresentam valores lógicos iguais, de


modo que suas tabelas-verdade são idênticas.
Gabarito 22: errado.

23- (CESPE - Técnico Judiciário/TRE-ES/2011) Diz-se que as proposi-


ções P e Q são logicamente equivalentes quando possuem tabelas-verdade idên-
ticas, de modo que tais proposições assumem os mesmos valores lógicos em
função de suas proposições representa uma forma de expressar uma mesma
afirmação de diferentes maneiras. Considerando essas informações, julgue o
próximo item.
As proposições P ∧ Q → R e (P → R) ∨ (Q → R) são logicamente equivalentes.
RESOLUÇÃO:
Vamos analisar separadamente cada uma das proposições apresentadas.
1) (P ∧ Q) → R
Note que podemos trocar um condicional por uma disjunção. Para isso, negamos
a primeira parcela e mantemos a segunda:
(P ∧ Q) → R = (∼P ∨ ∼Q) ∨ R
2) (P → R) ∨ (Q → R)
Repare que em cada parênteses temos um condicional, os quais podem ser tro-
cados por uma disjunção. Para isso, negamos a primeira parcela e mantemos a
segunda:
(P → R) ∨ (Q → R) = (∼P ∨ R) ∨ (∼Q ∨ R)

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 22 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Adicionalmente, perceba que a disjunção obedece a propriedade comutativa, de


modo que a ordem das parcelas não altera o resultado:
∼P ∨ ∼Q ∨ R ∨ R
Veja que ficamos com duas parcelas iguais a R. Porém, podemos ficar só com
uma delas, pois R ∨ R = R. Assim, temos:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

(P → R) ∨ (Q → R) = ∼P ∨ ∼Q ∨ R
Note que as proposições são idênticas. Logo, realmente são equivalentes.
Gabarito 23: certo.

24- (CESPE - Inspetor/PC-CE/2012) O exercício da atividade policial


exige preparo técnico adequado ao enfrentamento de situações de conflito e,
ainda, conhecimento das leis vigentes, incluindo interpretação e forma de apli-
cação dessas leis nos casos concretos. Sabendo disso, considere como verda-
deiras as proposições seguintes.
P1: Se se deixa dominar pela emoção ao tomar decisões, então o policial toma
decisões ruins.
P2: Se não tem informações precisas ao tomar decisões, então o policial toma
decisões ruins.
P3: Se está em situação de estresse e não teve treinamento adequado, o policial
se deixa dominar pela emoção ao tomar decisões.
P4: Se teve treinamento adequado e se dedicou nos estudos, então o policial
tem informações precisas ao tomar decisões.
Com base nessas proposições, julgue o item a seguir.
A proposição formada pela conjunção de P1 e P2 é logicamente equivalente à
proposição "Se se deixa dominar pela emoção ou não tem informações precisas
ao tomar decisões, então o policial toma decisões ruins".
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições simples:
p: Se deixa dominar pela emoção ao tomar decisões.
q: Está em situação de estresse.
r: Tem informações precisas ao tomar decisões.
s: Toma decisões ruins.
t: Se dedicou aos estudos.
u: Teve treinamento adequado.
As proposições P1 e P2 são, respectivamente, (p → s) e (∼r → s).

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 23 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Por sua vez, a conjunção formada por P1 e P2 fica: (p → s) ∧ (∼r → s), a qual
pode ser transformada, por equivalência, em (p ∨ ∼r) → s.
Note que esta é exatamente a proposição que o examinador propôs, de modo
que o item está correto.
Gabarito 24: certo.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Repare que, quando temos uma proposição composta na forma: Se A então


B E Se C então B, podemos transformá-la em: Se A OU C, então B.
Para exemplificar, considere a sentença: "Se chove então me molho e se nado
então me molho". Isso é equivalente a "Se chove ou se nado, então me molho".

25- (CESPE - Analista Legislativo/Câmara dos Deputados/2012) Em


uma comissão parlamentar de inquérito, um lobista, ao esclarecer que não teria
recebido dinheiro de certo empresário para pressionar pela aprovação de pro-
jeto de lei de interesse da empresa deste, assim argumentou: "Não conheço
esse empresário nem ouvi falar de sua empresa. Se não conheço o empresário
nem ouvi falar de sua empresa, não forneci meus dados bancários a ele. Se não
forneci meus dados bancários a ele, ele não depositou dinheiro em minha conta.
Se ele não depositou dinheiro em minha conta, eu não recebi dinheiro para
pressionar pela aprovação desse projeto de lei. Logo, eu não ouvi falar dessa
empresa nem recebi dinheiro para pressionar pela votação desse projeto de lei".
A partir da situação hipotética descrita acima, julgue o item a seguir.
A proposição "Se não forneci meus dados bancários a ele, ele não depositou
dinheiro em minha conta" é logicamente equivalente a "Se esse empresário de-
positou dinheiro em minha conta, então eu forneci meus dados bancários a ele".
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a condicional ~p → ~q, em que:
p: eu forneci meus dados bancários a ele
q: ele depositou dinheiro em minha conta
Num condicional, podemos inverter a ordem das parcelas, negando-as, o que
nos permite obter uma proposição equivalente:
- Negação da primeira parcela: p
- Negação da segunda parcela: q
- Invertendo: q → p

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 24 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Textualmente, fica:
Se ele depositou o dinheiro em minha conta, então eu forneci meus dados
bancários a ele.
Gabarito 25: certo.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

26- (CESPE - Técnico Judiciário/TRE-RJ/2012) O cenário político de uma


pequena cidade tem sido movimentado por denúncias a respeito da existência
de um esquema de compra de votos dos vereadores. A dúvida quanto a esse
esquema persiste em três pontos, correspondentes às proposições P, Q e R,
abaixo:
P: O vereador Vitor não participou do esquema;
Q: O prefeito Pérsio sabia do esquema;
R: O chefe de gabinete do prefeito foi o mentor do esquema.
Os trabalhos de investigação de uma CPI da câmara municipal conduziram às
premissas P1, P2 e P3 seguintes:
P1: Se o vereador Vitor não participou do esquema, então o prefeito Pérsio não
sabia do esquema.
P2: Ou o chefe de gabinete foi o mentor do esquema, ou o prefeito Pérsio sabia
do esquema, mas não ambos.
P3: Se o vereador Vitor não participou do esquema, então o chefe de gabinete
não foi o mentor do esquema.
Considerando essa situação hipotética, julgue o item seguinte, acerca de pro-
posições lógicas.
A premissa P1 é logicamente equivalente à proposição "Se o prefeito Pérsio
sabia do esquema, então o vereador Vitor participou do esquema".
RESOLUÇÃO:
A premissa P1 é dada por: P → ~Q.
No caso do condicional, para obter uma expressão equivalente podemos inverter
a ordem das parcelas, fazendo as negações.
- Negação da 1ª parcela: ~P
- Negação da 2ª parcela: Q
- invertemos: Q → ~P
Textualmente, fica:
Se o Prefeito sabia do esquema, então o vereador Vitor participou do es-
quema.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 25 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Gabarito 26: certo.

27- (CESPE - Técnico Judiciário/TRE-RJ/2012) O cenário político de uma


pequena cidade tem sido movimentado por denúncias a respeito da existência
de um esquema de compra de votos dos vereadores. A dúvida quanto a esse
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

esquema persiste em três pontos, correspondentes às proposições P, Q e R,


abaixo:
P: O vereador Vitor não participou do esquema;
Q: O prefeito Pérsio sabia do esquema;
R: O chefe de gabinete do prefeito foi o mentor do esquema.
Os trabalhos de investigação de uma CPI da câmara municipal conduziram às
premissas P1, P2 e P3 seguintes:
P1: Se o vereador Vitor não participou do esquema, então o prefeito Pérsio não
sabia do esquema.
P2: Ou o chefe de gabinete foi o mentor do esquema, ou o prefeito Pérsio sabia
do esquema, mas não ambos.
P3: Se o vereador Vitor não participou do esquema, então o chefe de gabinete
não foi o mentor do esquema.
Considerando essa situação hipotética, julgue o item seguinte, acerca de pro-
posições lógicas.
A premissa P3 é logicamente equivalente à proposição "O vereador Vitor parti-
cipou do esquema ou o chefe de gabinete não foi o mentor do esquema".
RESOLUÇÃO:
A premissa P3 é dada por: P → ~R.
Podemos trocar um condicional por uma disjunção por:
- Negar a primeira parcela: ~P
- Manter a segunda: ~R
- Trocar o conectivo “Se, então” pelo “ou”: ~P ∨ ~R
Textualmente, fica:
O vereador Vitor participou do esquema ou o chefe de gabinete não foi o men-
tor do esquema.
Gabarito 27: certo.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 26 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

28- (CESPE - Analista Judiciário/TRE-RJ/2012) P: Se não há autorização


legislativa ou indicação dos recursos financeiros correspondentes, então, não há
abertura de créditos suplementares ou de créditos especiais.
Considerando a proposição acima, que tem por base o art. 167, inciso V, da
Constituição Federal de 1988, julgue o item seguinte.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

A proposição P é logicamente equivalente à proposição "Se há abertura de cré-


ditos suplementares ou de créditos especiais, então há autorização legislativa
ou indicação dos recursos financeiros correspondentes".
RESOLUÇÃO:
A proposição P é uma condicional do tipo ~(a ∨ i) → ~(s ∨ e), em que:
a: Há autorização legislativa
i: há indicação de recursos financeiros correspondentes
s: há abertura de créditos suplementares
e: há abertura de créditos especiais
No caso do condicional, para obter uma expressão equivalente podemos inverter
a ordem das parcelas, fazendo as negações:
- Negação da 1ª parcela: a ∨ i
- Negação da 2ª parcela: s ∨ e
- invertemos: (s ∨ e) → (a ∨ i)
Textualmente, fica:
"Se há abertura de créditos suplementares ou de créditos especiais, então há
autorização legislativa ou indicação dos recursos financeiros correspondentes"
Gabarito 28: certo.

29- (CESPE/EBSERH/Analista/2018) Considere as seguintes proposi-


ções:
P: O paciente receberá alta
Q: O paciente receberá medicação
R: O paciente receberá visitas
Se a proposição ~P  [Q V R] for verdadeira, será também verdadeira a propo-
sição ~[Q ^ R]  P.
RESOLUÇÃO:
O item tenta estabelecer uma relação de equivalência entre as proposições ~P
 [Q V R] e ~[Q ^ R]  P. No entanto, tal relação não existe.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 27 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Na verdade, buscou-se partir de P  [Q V R] e chegar noutra proposição, apli-


cando a sua contrapositiva. Para isso, devemos inverter as proposições e ne-
gar ambas, ficando com: ~[Q V R]  P.
Visto que ~[Q V R] é o mesmo que [~Q ^ ~R], podemos também escrever:
[~Q ^ ~R]  P.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Gabarito 29: Errado.

30- (CESPE/ANCINE/Técnico em Regulação/2012) A proposição “Um


engenheiro de som é desnecessário em um filme se, e somente se, o filme em
questão é mudo” é logicamente equivalente a “Um engenheiro de som é desne-
cessário e o filme em questão é mudo ou um engenheiro de som é necessário e
o filme em questão não é mudo”.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições simples:
p: Um engenheiro de som é desnecessário em um filme.
q: O filme em questão é mudo.

Vamos resolver esse item através de suas tabelas-verdade. Assim, teremos:


p q ~p ~q p⟷q p^q ~p ^ ~q (p ^ q) ˅ (~p ^ ~q)

V V F F V V F V

V F F V F F F F

F V V F F F F F

F F V V V F V V

Identificamos claramente que o item está correto, já que as proposições do


enunciado possuem tabelas-verdade idênticas.
Gabarito 30: certo.

31- (CESPE/MPU/Téc Adm/2013) Ao comentar a respeito da instabilidade


cambial de determinado país, um jornalista fez a seguinte colocação: “Ou cai o
ministro da Fazenda, ou cai o dólar”.
Acerca desse comentário, que constitui uma disjunção exclusiva, julgue o item
seguinte. A proposição do jornalista é equivalente a “Se não cai o ministro da
Fazenda, então cai o dólar”.
RESOLUÇÃO:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 28 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Sejam a e b, respectivamente, “Cai o ministro da Fazenda” e “Cai o dólar”.


Desse modo, o comentário do jornalista pode ser simbolicamente representado
por:

a˅b
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

A questão afirma que essa proposição é equivalente a: ~a → b. Bem, precisa-


mos verificar:
a b ~a a˅b ~a ⟶ b

V V F F V

V F F V V

F V V V V

F F V F F

Notamos que as duas últimas colunas são diferentes entre si. Logo, as proposi-
ções em consideração não são equivalentes!
Gabarito 31: errado.

32- (CESPE/TCE-RS/Ofic Inst/2013) A proposição “Ou o cliente aceita as


regras ditadas pelo banco, ou o cliente não obtém o dinheiro” é logicamente
equivalente a “Se não aceita as regras ditadas pelo banco, o cliente não obtém
o dinheiro”.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições simples:
a: O cliente aceita as regras ditadas pelo banco.
b: O cliente obtém o dinheiro.
A proposição trazida pelo enunciado pode simbolicamente ser representada por:

a ˅ ~b

Temos uma disjunção exclusiva, que é logicamente equivalente a uma Bi-


condicional com um dos termos negados (tanto faz se é o primeiro ou o
segundo termo negado). Para verificar isso, podemos montar a tabela-verdade:
a b ~a ~b a˅b a ⟷ ~b ~a ⟷ b

V V F F F F F

V F F V V V V

F V V F V V V

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 29 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

F F V V F F F

No entanto, a proposição trazida pelo enunciado (a ˅ ~b) é diferente da padrão


(a ˅ b). Nesse caso, não há uma equivalência da disjunção exclusiva relacionada
ao conectivo bicondicional.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Gabarito 32: errado.

33- (CESPE/CADE/Agente Administrativo/2014) Considerando os co-


nectivos lógicos usuais e que as letras maiúsculas representem proposições ló-
gicas simples, julgue o item seguinte acerca da lógica proposicional.
As proposições P ⟶ (~Q) e (~P) ˅ (~Q) são e equivalentes.
RESOLUÇÃO:
O enunciado da questão apresenta duas proposições compostas e quer que você
descubra se elas são equivalentes. Note que a primeira é unida pelo “Se ...
então”, enquanto a outra pelo “ou”.
Vamos testar a equivalência que o conectivo lógico condicional possui, relaci-
onando-o à disjunção, a partir da primeira proposição (P ⟶ ~Q).
De condicional para disjunção:
1º Nega-se o primeiro termo: ~P
2º Mantém-se o segundo termo: ~Q
3º Troca-se o conectivo condicional pelo ou:

~P ∨ ~Q

Gabarito 33: Certo.

34- (CESPE/Caixa/Técnico Bancário Novo/2014) Considerando a pro-


posição “Se Paulo não foi ao banco, ele está sem dinheiro”, julgue o item se-
guinte.
A proposição considerada equivale à proposição “Se Paulo não está sem di-
nheiro, ele foi ao banco”.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Paulo foi ao banco;
q: Paulo está com dinheiro.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 30 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

~p ⟶ ~q

Vamos testar a primeira equivalência que conhecemos. Daí, a partir da propo-


sição “Paulo não banco → Paulo não dinheiro”, teremos:
De condicional para condicional:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

1º Trocam-se os termos da condicional de posição;


“Paulo não dinheiro ⟶ Paulo não banco”
2º Negam-se ambos os termos:
“Paulo dinheiro ⟶ Paulo banco”
Perceba que a expressão “Paulo não está sem dinheiro” equivale a “Paulo está
com dinheiro”!
Gabarito 34: certo.

35- (CESPE/AnaTA/MIN/2013) Ao comentar a respeito da qualidade dos


serviços prestados por uma empresa, um cliente fez as seguintes afirmações:
P1: Se for bom e rápido, não será barato.
P2: Se for bom e barato, não será rápido.
P3: Se for rápido e barato, não será bom.
Com base nessas informações, julgue o item seguinte.
A proposição P2 é logicamente equivalente a “Ou o serviço é bom e barato, ou
é rápido”.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições simples:
a: É bom
b: É barato.
c: É rápido.
A proposição P2 do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

(a ^ b) ⟶ ~c

Vamos testar as duas equivalências que o conectivo lógico condicional possui:


1ª) De condicional para condicional:
1º Trocam-se os termos da condicional de posição: ~c ⟶ (a ^ b)
2º Negam-se ambos os termos: c ⟶ (~a ˅ ~b)

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 31 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Agora recorremos à segunda equivalência do condicional:


2ª) De condicional para disjunção:
1º Nega-se o primeiro termo: (~a ˅ ~b)
2º Mantém-se o segundo termo: ~c
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

3º Troca-se o conectivo condicional pelo ou:


“O serviço não é bom ou não é barato, ou não é rápido.”
Das duas maneiras não encontramos a equivalência descrita no enunciado, o
que torna o item está errado.
Gabarito 35: Errado.

36- (CESPE/ANATEL/Técnico Administrativo/2012) Supondo que, por


determinação da ANATEL, as empresas operadoras de telefonia móvel tenham
enviado a seguinte mensagem a seus clientes: “Caso não queira receber men-
sagem publicitária desta prestadora, envie um SMS gratuito com a palavra SAIR
para 1111”, julgue o próximo item, considerando que a mensagem corresponda
à proposição P.
A proposição P é logicamente equivalente à proposição “Queira receber mensa-
gem publicitária desta prestadora ou envie um SMS gratuito com a palavra SAIR
para 1111.”
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições simples:
a: Quero receber mensagem publicitária desta prestadora.
b: Envio um SMS gratuito com a palavra SAIR para 1111.
A proposição P do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

~a ⟶ b

Vamos testar as duas equivalências que o conectivo lógico possui.


1ª) De condicional para condicional:
1º Trocam-se os termos da condicional de posição: b ⟶ ~a
2º Negam-se ambos os termos: ~b ⟶ a
Analisando as alternativas, não encontramos a proposição acima.
Já sei, professor: utilizaremos a segunda equivalência do condicional.
Exatamente. Vejamos:
2ª) De condicional para disjunção:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 32 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

1º Nega-se o primeiro termo: a


2º Mantém-se o segundo termo: b
3º Troca-se o conectivo condicional pelo ou:
“Quero receber mensagem publicitária desta prestadora ou envio um
SMS gratuito com a palavra SAIR para 1111.”
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Gabarito 36: certo.

37- (CESPE/SUFRAMA/Agente Administrativo/2014) Considere as se-


guintes proposições:
P1: Se o Brasil reduzir as formalidades burocráticas e o nível de desconfiança
nas instituições públicas, eliminar obstáculos de infraestrutura e as ineficiências
no trânsito de mercadorias e ampliar a publicação de informações envolvendo
exportação e importação, então o Brasil reduzirá o custo do comércio exterior.
P2: Se o Brasil reduzir o custo do comércio exterior, aumentará o fluxo de trocas
bilaterais com outros países.
C: Se o Brasil reduzir o nível de desconfiança nas instituições públicas, aumen-
tará o fluxo de trocas bilaterais com outros países.
A partir dessas proposições, julgue o item seguinte a respeito de lógica senten-
cial.
A proposição P2 é logicamente equivalente à proposição “O Brasil não reduz o
custo do comércio exterior, ou aumentará o fluxo de trocas bilaterais com outros
países”.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições simples:
p: O Brasil reduzir o custo do comércio exterior.
q: O Brasil aumentará o fluxo de trocas bilaterais com outros países.
A proposição P2 do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p⟶q

A questão cobra se a proposição acima é equivalente à seguinte:

~p ˅ q

Vamos testar a equivalência que o conectivo lógico condicional possui, relacio-


nando-o à disjunção:
1º Nega-se o primeiro termo: ~p

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 33 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

2º Mantém-se o segundo termo: q


3º Troca-se o conectivo condicional pelo ou:
“O Brasil não reduz o custo do comércio exterior, ou aumentará o
fluxo de trocas bilaterais com outros países”.
Gabarito 37: certo.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

38- (CESPE/STJ/Técnico Judiciário/2015) Designando por p e q as pro-


posições “Mariana tem tempo suficiente para estudar” e “Mariana será aprovada
nessa disciplina”, respectivamente, então a proposição “Mariana não tem tempo
suficiente para estudar e não será aprovada nesta disciplina” é equivalente a
¬p ^ ¬q.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições simples:
p: Mariana tem tempo suficiente para estudar.
q: Mariana será aprovada nessa disciplina.
A proposição apresentada pelo enunciado é a seguinte:

~p ∧ ~q

Note que a proposição composta acima é realmente equivalente a proposição


citada no item que estamos analisando.
Gabarito 38: certo.

39- (CESPE/SUFRAMA/ANATA/2014) Considerando que P seja a propo-


sição “O atual dirigente da empresa X não apenas não foi capaz de resolver os
antigos problemas da empresa como também não conseguiu ser inovador nas
soluções para os novos problemas”, julgue o item a seguir a respeito de lógica
sentencial.
A negação da proposição P está corretamente expressa por “O atual dirigente
da empresa X foi capaz de resolver os antigos problemas da empresa ou con-
seguiu ser inovador nas soluções para os novos problemas”.
RESOLUÇÃO:
A proposição P é composta pelas seguintes proposições simples
a: O atual dirigente da empresa X foi capaz de resolver os antigos problemas
da empresa.
b: O atual dirigente da empresa X conseguiu ser inovador nas soluções para os
novos problemas.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 34 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

~a ^ ~b

Precisamos negar a sentença acima, pois é exatamente isso que o enunciado


deseja.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

E acabamos de aprender que a negação de uma proposição conjuntiva é alcan-


çada por seguir três passos:
1. Nega-se a primeira parte: a
2. Nega-se a segunda parte: b
3. Troca-se o “e” pelo “ou”: a ˅ b
Assim, podemos concluir que:
“O atual dirigente da empresa X foi capaz de resolver os antigos pro-
blemas da empresa ou conseguiu ser inovador nas soluções para os
novos problemas.”
Gabarito 39: certo.

40- (CESPE/ANATEL/Técnico Administrativo/2012) A negação da pro-


posição “Ocorre falha técnica na chamada ou a operadora interrompe a chamada
de forma proposital” é corretamente expressa por “Não ocorre falha técnica na
chamada nem a operadora interrompe a chamada de forma proposital”.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Ocorre falha técnica na chamada.
q: A operadora interrompe a chamada de forma proposital.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p˅q

Precisamos negar a sentença acima, pois é exatamente isso que o enunciado


deseja.
E acabamos de aprender que a negação de uma proposição disjuntiva é alcan-
çada por seguir três passos:
1. Nega-se a primeira parte: ~p
2. Nega-se a segunda parte: ~q
3. Troca-se o “ou” pelo “e”: ~p ^ ~q

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 35 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Assim, podemos concluir que:


“Não ocorre falha técnica na chamada nem a operadora interrompe a
chamada de forma proposital.”
Gabarito 40: certo.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

41- (CESPE/DPU/Analista Técnico-Administrativo/2015) Conside-


rando a proposição P: “Se João se esforçar o bastante, então João conseguirá o
que desejar”, julgue o item a seguir.
A negação da proposição P pode ser corretamente expressa por “João não se
esforçou o bastante, mas, mesmo assim, conseguiu o que desejava”.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições simples:
a: João se esforça o bastante.
b: João conseguirá o que desejar.
A proposição P simbolicamente é a seguinte:

a⟶b

No entanto, o que buscamos é a sua negação. E acabamos de aprender que a


negação de uma proposição composta tendo como conectivo lógico o “Se ...
então” é dada pela relação:

~(p ⟶ q) = p ^ ~q

Basta que sigamos, então, os três passos:


1º) Mantém a primeira parte: a
2º) Negamos a segunda parte: ~b
3º) Trocamos "Se então" por "e": a ^ ~b.
Assim, podemos concluir que:
“João se esforça o bastante e João não conseguirá o que desejar. ”
Perceba que a expressão acima é diferente da proposição composta apresentada
no enunciado!
Gabarito 41: errado.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 36 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

42- (CESPE/Caixa/Técnico Bancário Novo/2014) Considerando a pro-


posição “Se Paulo não foi ao banco, ele está sem dinheiro”, julgue o item se-
guinte.
A negação da referida proposição pode ser expressa pela proposição “Paulo não
foi ao banco e ele não está sem dinheiro”.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Paulo foi ao banco;
q: Paulo está com dinheiro.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

~p ⟶ ~q

No entanto, o que buscamos é a sua negação. E acabamos de aprender que a


negação de uma proposição composta tendo como conectivo lógico o “Se ...
então” é dada pela relação:

~(p ⟶ q) = p ^ ~q

Mas a proposição que estamos considerando não está no formato padrão, já que
as duas proposições simples (p e q) estão sendo negadas. Como fazer então?
Faremos isso seguindo três passos:
1º) Mantém a primeira parte:~p
2º) Negamos a segunda parte: q
3º) Trocamos "Se então" por "e": ~p ^ q.
Assim, podemos concluir que:
“Paulo não foi ao banco e está com dinheiro.”
Perceba que a expressão “Paulo não está sem dinheiro” equivale a “Paulo está
com dinheiro”!
Gabarito 42: certo.

43- (CESPE/TRE-ES/Operação de Computadores/2011) A negação da


proposição "Marcos gosta de estudar, mas não gosta de fazer provas" é logica-
mente equivalente à proposição "Marcos não gosta de estudar e gosta de fazer
provas".
RESOLUÇÃO:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 37 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Sejam as proposições:
p: Marcos gosta de estudar.
q: Marcos gosta de fazer provas.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

p ^ ~q

Precisamos negar a sentença acima, pois é exatamente isso que o enunciado


deseja.
E acabamos de aprender que a negação de uma proposição conjuntiva é dada
pela relação:

~(p ^ q) = ~p ˅ ~q

Assim, podemos concluir que:


“Marcos não gosta de estudar ou gosta de fazer provas.”
Gabarito 43: errado.

44- (CESPE/Polícia Federal/EPF/2013) A negação da proposição “Pedro


Henrique não será eliminado na investigação social e ele atende aos outros re-
quisitos” estará corretamente redigida da seguinte forma: “Pedro Henrique será
eliminado na investigação social e ele não atende a algum dos outros requisi-
tos”.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Pedro Henrique será eliminado na investigação social.
q: Pedro Henrique atende aos outros requisitos.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

~p ^ q

Precisamos negar a sentença acima, pois é exatamente isso que o enunciado


deseja.
E acabamos de aprender que a negação de uma proposição conjuntiva é dada
pela relação:

~(p ^ q) = ~p ˅ ~q

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 38 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Vimos também que basta seguir três passos:


1. Nega-se a primeira parte: p
2. Nega-se a segunda parte: ~q
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

3. Troca-se o “e” pelo “ou”: p ˅ ~q

Assim, podemos concluir que:


“Pedro Henrique será eliminado na investigação social ou ele não
atende aos outros requisitos.”
Gabarito 44: errado.

45- (CESPE/IBAMA/Analista Administrativo/2013) A negação da pro-


posição “Houve alternância de climas quentes e frios e a presença humana no
planeta é recente” pode ser expressa por “Não houve alternância de climas
quentes e frios ou a presença humana no planeta não é recente”.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Houve alternância de climas quentes e frios.
q: A presença humana no planeta é recente.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p^q

Precisamos negar a sentença acima, pois é exatamente isso que o enunciado


deseja.
E acabamos de aprender que a negação de uma proposição conjuntiva é alcan-
çada por seguir três passos:
1. Nega-se a primeira parte: ~p
2. Nega-se a segunda parte: ~q
3. Troca-se o “e” pelo “ou”: ~p ˅ ~q
Assim, podemos concluir que:
“Não houve alternância de climas quentes e frios ou a presença hu-
mana no planeta não é recente.”
Gabarito 45: certo.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 39 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

46- (CESPE/Polícia Federal/Agente Administrativo/2014) Conside-


rando que P seja a proposição “Não basta à mulher de César ser honesta, ela
precisa parecer honesta”, julgue o item seguinte, acerca da lógica sentencial.
A negação da proposição P está corretamente expressa por “Basta à mulher de
César ser honesta ou ela não precisa parecer honesta”.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

RESOLUÇÃO:
A proposição P é composta pelas seguintes proposições simples
a: Basta à mulher de César ser honesta.
b: A mulher de César precisa parecer honesta.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

~a ^ b

Precisamos negar a sentença acima, pois é exatamente isso que o enunciado


deseja.
E acabamos de aprender que a negação de uma proposição conjuntiva é alcan-
çada por seguir três passos:
1. Nega-se a primeira parte: a
2. Nega-se a segunda parte: ~b
3. Troca-se o “e” pelo “ou”: a ˅ ~b
Assim, podemos concluir que:
“Basta à mulher de César ser honesta ou ela não precisa parecer ho-
nesta.”
Gabarito 46: certo.

47- (CESPE/MPU/Apoio Técnico e Administrativo/2013) A negação da


proposição “Não apareceram interessados na licitação anterior e ela não pode
ser repetida sem prejuízo para a administração” está corretamente expressa
por “Apareceram interessados na licitação anterior ou ela pode ser repetida sem
prejuízo para a administração”.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Apareceram interessados na licitação anterior.
q: A licitação anterior pode ser repetida sem prejuízo para a administração.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 40 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

~p ^ ~q

Precisamos negar a sentença acima, pois é exatamente isso que o enunciado


deseja.
E acabamos de aprender que a negação de uma proposição conjuntiva é alcan-
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

çada por seguir três passos:


1. Nega-se a primeira parte: p
2. Nega-se a segunda parte: q
3. Troca-se o “e” pelo “ou”: p ˅ q
Assim, podemos concluir que:
“Apareceram interessados na licitação anterior ou ela pode ser repe-
tida sem prejuízo para a administração.”
Gabarito 47: certo.

48- (CESPE/MDIC/ANATA/2014) A negação da proposição “A Brasil Cen-


tral é uma das ruas mais movimentadas do centro da cidade e lá o preço dos
aluguéis é alto” está corretamente expressa por “A Brasil Central não é uma das
ruas mais movimentadas do centro da cidade ou lá o preço dos aluguéis não é
alto”.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: A Brasil Central é uma das ruas mais movimentadas do centro da cidade.
q: Na rua Brasil Central o preço dos aluguéis é alto.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p^q

Precisamos negar a sentença acima, pois é exatamente isso que o enunciado


deseja.
E acabamos de aprender que a negação de uma proposição conjuntiva é alcan-
çada por seguir três passos:
1. Nega-se a primeira parte: ~p
2. Nega-se a segunda parte: ~q
3. Troca-se o “e” pelo “ou”: ~p ˅ ~q
Assim, podemos concluir que:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 41 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

“A Brasil Central não é uma das ruas mais movimentadas do centro da


cidade ou lá o preço dos aluguéis não é alto.”
Gabarito 48: certo.

49- (CESPE/Polícia Civil-CE/Inspetor/2012) A negação da proposição


Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

"Se houver corrupção, os níveis de violência crescerão" é equivalente a "Se não


houver corrupção, os níveis de violência não crescerão".
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Existe corrupção.
q: Os níveis de violência crescerão.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p⟶q

No entanto, o que buscamos é a sua negação. Faremos isso seguindo três


passos:
1º) Mantém a primeira parte: Existe corrupção.
2º) Negamos a segunda parte: Os níveis de violência não crescerão.
3º) Trocamos "Se então" por "e": “Existe corrupção” e “Os níveis de vio-
lência não crescerão”.
Assim, podemos concluir que a negação da proposição do enunciado é:
“Houve corrupção e os níveis de violência não crescerão.”
Gabarito 49: errado.

50- (CESPE/PREVIC/Técnico Administrativo/2011) A negação da pro-


posição “Se um trabalhador tinha qualidade de segurado da previdência social
ao falecer, então seus dependentes têm direito a pensão” é logicamente equi-
valente à proposição “Um trabalhador tinha qualidade de segurado da previdên-
cia social ao falecer, mas seus dependentes não têm direito a pensão”.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Um trabalhador tinha qualidade de segurado da previdência social ao falecer.
q: Seus dependentes têm direito a pensão.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 42 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

p⟶q

No entanto, o que buscamos é a sua negação. Faremos isso seguindo três


passos:
1º) Mantém a primeira parte: Um trabalhador tinha qualidade de segurado
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

da previdência social ao falecer.


2º) Negamos a segunda parte: Seus dependentes não têm direito a pen-
são.
3º) Trocamos "Se então" por "e": “Um trabalhador tinha qualidade de se-
gurado da previdência social ao falecer” e “Seus dependentes não têm
direito a pensão”.
Assim, podemos concluir que a negação da proposição do enunciado é:
“Um trabalhador tinha qualidade de segurado da previdência social ao
falecer, mas (ou “e”) seus dependentes não têm direito a pensão.”
Gabarito 50: certo.

51- (CESPE/Polícia Federal/Agente/2012) Um jovem, ao ser flagrado no


aeroporto portando certa quantidade de entorpecentes, argumentou com os po-
liciais conforme o esquema a seguir:
Premissa 1: Eu não sou traficante, eu sou usuário;
Premissa 2: Se eu fosse traficante, estaria levando uma grande quantidade de
droga e a teria escondido;
Premissa 3: Como sou usuário e não levo uma grande quantidade, não escondi
a droga.
Conclusão: Se eu estivesse levando uma grande quantidade, não seria usuário.
Considerando a situação hipotética apresentada acima, julgue o item a seguir.
A proposição correspondente à negação da premissa 2 é logicamente equiva-
lente a "Como eu não sou traficante, não estou levando uma grande quantidade
de droga ou não a escondi".
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Eu sou traficante.
q: Eu estou levando uma grande quantidade de droga.
r: Eu escondia uma grande quantidade de droga.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 43 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

p ⟶ (q ^ r)

No entanto, o que buscamos é a sua negação. Faremos isso seguindo três


passos:
1º) Mantém a primeira parte: Eu sou traficante.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

2º) Negamos a segunda parte: Eu não estou levando uma grande quanti-
dade de droga ou não a escondi.
3º) Trocamos "Se então" por "e": “Eu sou traficante” e “Eu não estou le-
vando uma grande quantidade de droga OU não a escondi”.
Assim, podemos concluir que a negação da Premissa 2 é:
“Eu sou traficante, e não estou levando uma grande quantidade de
droga ou não a escondi.”
Gabarito 51: errado.

52- (CESPE/TC-DF/Analista de Controle Externo/2012) Com a finali-


dade de reduzir as despesas mensais com energia elétrica na sua repartição, o
gestor mandou instalar, nas áreas de circulação, sensores de presença e de
claridade natural que atendem à seguinte especificação:
P: A luz permanece acesa se, e somente se, há movimento e não há claridade
natural suficiente no recinto.
Acerca dessa situação, julgue o item seguinte.
A negação da especificação P é logicamente equivalente à proposição "A luz não
permanece acesa se, e somente se, não há movimento ou há claridade natural
suficiente no recinto".
RESOLUÇÃO:
Vamos destacar a proposição P mencionada no enunciado:
“A luz permanece acesa se, e somente se, há movimento e não há cla-
ridade natural suficiente no recinto.”
O que a questão busca saber é se a negação de P é equivalente à seguinte
proposição:
"A luz não permanece acesa se, e somente se, não há movimento ou
há claridade natural suficiente no recinto".
E agora, professor, como resolver essa bronca?
Simples! Iremos seguir a mesma receita de bolo das questões anteriores de
negação de proposições compostas.
Sejam as proposições:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 44 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

p: A luz permanece acesa.


q: Há movimento.
r: Há claridade natural suficiente no recinto.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p ⟶ (q ^ ~r)

No entanto, o que buscamos é a sua negação. Faremos isso seguindo três


passos:
1º) Mantém a primeira parte: A luz permanece acesa.
2º) Mantém a segunda parte: Há movimento e não há claridade natural
suficiente no recinto.
3º) Trocamos "Se e somente se" pelo "OU exclusivo": Ou “a luz permanece
acesa” ou “há movimento e não há claridade natural suficiente no re-
cinto”.
Assim, podemos concluir que a negação da proposição do enunciado é:
“Ou a luz permanece acesa ou há movimento e não há claridade natu-
ral suficiente no recinto.”
Gabarito 52: errado.

Outra solução possível seria por meio do uso das tabelas-verdade. Mas, dessa
vez deixarei a resolução por sua conta, como um “dever de casa” (rs). Caso
tenha alguma dificuldade, envie-me um e-mail. Ok?

53- (ESAF/MPOG/APO/2015) Dizer que “Se Marco é marinheiro, então Mí-


riam é mãe” equivale a dizer que
a) se Míriam é mãe, Marco não é marinheiro.
b) se Marco não é marinheiro, então Míriam não é mãe.
c) se Míriam não é mãe, então Marco não é marinheiro.
d) Marco é marinheiro ou Míriam é mãe.
e) Marco não é marinheiro e Míriam não é mãe.
RESOLUÇÃO:
Sejam p e q, respectivamente, “Marco é marinheiro” e “Míriam é mãe”. Assim,
podemos representar a proposição do enunciado como:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 45 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

p⟶q

Mais uma vez trabalharemos com o conectivo condicional. Sim, meus amigos,
as bancas examinadoras têm uma paixão alucinante por ele!!!
E a nossa missão é simples. Devemos encontrar uma sentença equivalente à
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

p → q. Ora, já sabemos que temos duas possibilidades:

p ⟶ q = ~q ⟶ ~p p ⟶ q = ~p ˅ q

Se Míriam não é mãe,


Marco não é marinheiro
então Marco não é
ou Míriam é mãe
marinheiro

Gabarito 53: C.

54- (ESAF/ANEEL/Técnico-Administrativo/2006) Uma sentença logica-


mente equivalente a “Se Ana é bela, então Carina é feia” é:
a) Se Ana não é bela, então Carina não é feia.
b) Ana é bela ou Carina não é feia.
c) Se Carina é feia, Ana é bela.
d) Ana é bela ou Carina é feia.
e) Se Carina não é feia, então Ana não é bela.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Ana é bela
q: Carina é feia
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p⟶q

Aprendemos que o conectivo condicional possui duas equivalências especiais:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 46 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

p ⟶ q = ~q ⟶ ~p
EQUIVALÊNCIAS DA
CONDICIONAL
p ⟶ q = ~p ˅ q
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Vamos testar a primeira equivalência que conhecemos. Daí, a partir da propo-


sição “Ana é bela ⟶ Carina é feia”, teremos:
De condicional para condicional:
1º Trocam-se os termos da condicional de posição;
“Carina é feia ⟶ Ana é bela”
2º Negam-se ambos os termos:
“Carina não é feia ⟶ Ana não é bela”
Gabarito 54: E.

55- (ESAF/SEFAZ–MG/Gestor Fazendário/2005) A afirmação "Não é


verdade que, se Pedro está em Roma, então Paulo está em Paris" é logicamente
equivalente à afirmação:
a) É verdade que 'Pedro está em Roma e Paulo está em Paris'.
b) Não é verdade que 'Pedro está em Roma ou Paulo não está em Paris'.
c) Não é verdade que 'Pedro não está em Roma ou Paulo não está em Paris'.
d) Não é verdade que 'Pedro não está em Roma ou Paulo está em Paris'.
e) É verdade que 'Pedro está em Roma ou Paulo está em Paris'.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Pedro está em Roma
q: Paulo está em Paris
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

~(p ⟶ q)

Vamos testar as duas equivalências que o conectivo lógico possui. Daí, a partir
da proposição “~(Pedro está em Roma ⟶ Paulo está em Paris)”, teremos:
1ª) De condicional para condicional:
1º Trocam-se os termos da condicional de posição;

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 47 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

“~(Paulo está em Paris ⟶ Pedro está em Roma)”


2º Negam-se ambos os termos:
“~(Paulo não está em Paris ⟶ Pedro não está em Roma)”
Analisando as alternativas, não encontramos a proposição acima.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

E agora, professor?
Agora recorremos à segunda equivalência do condicional.
2ª) De condicional para disjunção:
1º Nega-se o primeiro termo: Pedro não está em Roma.
2º Mantém-se o segundo termo: Paulo está em Paris.
3º Troca-se o conectivo condicional pelo ou:
~(Pedro não está em Roma ou Paulo está em Paris).
Gabarito 55: D.

56- (ESAF/Ministério do Turismo/ANATA/2014) A proposição “se Cata-


rina é turista, então Paulo é estudante” é logicamente equivalente a
a) Catarina não é turista ou Paulo não é estudante.
b) Catarina é turista e Paulo não é estudante.
c) Se Paulo não é estudante, então Catarina não é turista.
d) Catarina não é turista e Paulo não é estudante.
e) Se Catarina não é turista, então Paulo não é estudante.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Catarina é turista
q: Paulo é estudante
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p⟶q

Vamos testar as duas equivalências que o conectivo lógico possui:


Daí, a partir da proposição “Catarina é turista → Paulo é estudante”, tere-
mos:
1ª) De condicional para condicional:
1º Trocam-se os termos da condicional de posição;

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 48 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

“Paulo é estudante → Catarina é turista”


2º Negam-se ambos os termos:
“Paulo não é estudante → Catarina não é turista”
Gabarito 56: C.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

57- (ESAF/Ministério da Fazenda/ATA/2009) X e Y são números tais


que: Se X ≤ 4, então Y>7. Sendo assim:
a) Se Y ≤ 7, então X > 4.
b) Se Y > 7, então X ≥ 4.
c) Se X ≥ 4, então Y < 7.
d) Se Y < 7, então X ≥ 4.
e) Se X < 4, então Y ≥ 7.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: X ≤ 4
q: Y>7
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p⟶q

Vamos testar as duas equivalências que o conectivo lógico possui:


Daí, a partir da proposição “X ≤ 4 ⟶ Y>7”, teremos:
1ª) De condicional para condicional:
1º Trocam-se os termos da condicional de posição: “Y>7 ⟶ X ≤ 4”
2º Negam-se ambos os termos: “Y≤7 ⟶ X > 4”
Gabarito 57: A.

58- (ESAF/MPOG/APO/2001) Dizer que “André é artista ou Bernardo não


é engenheiro” é logicamente equivalente a dizer que:
a) André é artista se e somente se Bernardo não é engenheiro.
b) Se André é artista, então Bernardo não é engenheiro.
c) Se André não é artista, então Bernardo é engenheiro.
d) Se Bernardo é engenheiro, então André é artista.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 49 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

e) André não é artista e Bernardo é engenheiro.


RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições simples:
p: André é artista
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

q: Bernardo é engenheiro
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p ˅ ~q

Vamos testar a equivalência que o conectivo lógico disjunção possui:

EQUIVALÊNCIA DA
p ˅ q = ~p ⟶ q
DISJUNÇÃO

Daí, a partir da proposição “André é artista OU Bernardo não é enge-


nheiro”, teremos:
1º Nega-se o primeiro termo: André não é artista.
2º Mantém-se o segundo termo: Bernardo não é engenheiro.
3º Troca-se o ou pelo condicional:
“Se André não é artista, então Bernardo não é engenheiro.”

Encontrou a sentença acima entre as opções de resposta? Eu também não!


O problema é que a ESAF foi muito maldosa e não incluiu a sentença acima
entre as alternativas. Dessa forma, teremos de buscar outra proposição que
seja logicamente equivalente a esta.
Usaremos a primeira equivalência de conectivos que aprendemos:

p ⟶ q = ~q ⟶ ~p

A partir da sentença “Se André não é artista, então Bernardo não é engenheiro”,
vamos aplicar os passos para obter a equivalência acima. Logo:
1º Trocam-se os termos da condicional de posição:
“Se Bernardo não é engenheiro, então André não é artista.”
2º Negam-se ambos os termos.
“Se Bernardo é engenheiro, então André é artista.”
Gabarito 58: D.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 50 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

59- (ESAF/CGU/Analista de Finanças e Controle/2002) Dizer que não


é verdade que Pedro é pobre e Alberto é alto, é logicamente equivalente a dizer
que é verdade que:
a) Pedro não é pobre ou Alberto não é alto.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

b) Pedro não é pobre e Alberto não é alto.


c) Pedro é pobre ou Alberto não é alto.
d) se Pedro não é pobre, então Alberto é alto.
e) se Pedro não é pobre, então Alberto não é alto.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Pedro é pobre.
q: Alberto é alto.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p^q

No entanto, a sentença precisa ser negada, visto que queremos saber no que
ela se tornará quando não for verdade.
E acabamos de aprender que a negação de uma proposição conjuntiva é dada
pela relação:

~(p ^ q) = ~p ˅ ~q

Assim, podemos concluir que:


“Pedro não é pobre ou Alberto não é alto.”
Gabarito 59: A.

60- (ESAF/MPOG/EPPGG/2009) A negação de "Maria comprou uma blusa


nova e foi ao cinema com José" é:
a) Maria não comprou uma blusa nova ou não foi ao cinema com José.
b) Maria não comprou uma blusa nova e foi ao cinema sozinha.
c) Maria não comprou uma blusa nova e não foi ao cinema com José.
d) Maria não comprou uma blusa nova e não foi ao cinema.
e) Maria comprou uma blusa nova, mas não foi ao cinema com José.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 51 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

RESOLUÇÃO:
Essa questão é ainda mais simples, já que o enunciado é claro ao perguntar de
forma direta sobre a negação de uma proposição composta unida pelo conec-
tivo conjunção.
De toda forma, caro aluno, o método de resolução será o mesmo. É pratica-
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

mente uma “receita de bolo” (rs).


Sejam as proposições:
p: Maria comprou uma blusa nova.
q: Maria foi ao cinema com José.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p^q

No entanto, o que buscamos é a sua negação. E você já está careca de saber


que:

~(p ^ q) = ~p ˅ ~q

Assim, podemos concluir que:


“Maria não comprou uma blusa nova ou não foi ao cinema com José.”
Gabarito 60: A.

61- (ESAF/MF/Analista Técnico-Administrativo/2013) A negação da


proposição “Brasília é a Capital Federal e os Territórios Federais integram a
União” é:
a) Brasília não é a Capital Federal e os Territórios Federais não integram a União.
b) Brasília não é a Capital Federal ou os Territórios Federais não integram a
União.
c) Brasília não é a Capital Federal ou os Territórios Federais integram a União.
d) Brasília é a Capital Federal ou os Territórios Federais não integram a União.
e) Brasília não é a Capital Federal e os Territórios Federais integram a União.
RESOLUÇÃO:
Mais uma vez o enunciado é claro ao perguntar de forma direta sobre a nega-
ção de uma proposição composta unida pelo conectivo conjunção.
Vamos à resolução da questão. Sejam as proposições:
p: Brasília é a Capital Federal.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 52 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

q: Territórios Federais integram a União.


A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p^q
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

No entanto, o que buscamos é a sua negação. E você já está careca de saber


que:

~(p ^ q) = ~p ˅ ~q

Assim, podemos concluir que:


“Brasília não é a Capital Federal ou os Territórios Federais não inte-
gram a União.”
Gabarito 61: B.

62- (ESAF/ANEEL/Especialista em Regulação/2006) Dizer que não é


verdade que A = B e C = D, é logicamente equivalente a dizer que é verdade
que:
a) A não é B e C não é D.
b) A não é B ou C não é D.
c) A é B ou C não é D.
d) se A não é B, então C é D.
e) se A não é B, então C não é D.
RESOLUÇÃO:
Dizem que a repetição leva à perfeição. Se assim for, vamos resolver mais uma
questão envolvendo a equivalência conjuntiva.
Sejam as proposições:
p: A = B.
q: C = D.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p^q

No entanto, o que buscamos é a sua negação. E você já está careca de saber


que:

~(p ^ q) = ~p ˅ ~q

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 53 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Assim, podemos concluir que:


“A ≠ B ou C ≠ D.”
Gabarito 62: B.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

63- (ESAF/MF/Assistente Técnico-Administrativo/2009) A negação de


"Ana ou Pedro vão ao cinema e Maria fica em casa" é:
a) Ana e Pedro não vão ao cinema ou Maria fica em casa.
b) Ana e Pedro não vão ao cinema ou Maria não fica em casa.
c) Ana ou Pedro vão ao cinema ou Maria não fica em casa.
d) Ana ou Pedro não vão ao cinema e Maria não fica em casa.
e) Ana e Pedro não vão ao cinema e Maria fica em casa.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Ana vai ao cinema.
q: Pedro vai ao cinema.
r: Maria fica em casa
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

(p ˅ q) ^ r

No entanto, o que buscamos é a sua negação. Vimos durante a nossa aula que,
para fazer a negação da conjunção, basta seguir três passos:
1. Nega-se a primeira parte: ~p ^ ~q
2. Nega-se a segunda parte: ~r
3. Troca-se o “e” pelo “ou”: (~p ^ ~q) ˅ ~r
Assim, podemos concluir que:
“Ana e Pedro não vão ao cinema ou Maria não fica em casa.”
Gabarito 63: B.

64- (ESAF/ANEEL/Analista Administrativo/2006) A negação da afirma-


ção condicional “se Ana viajar, Paulo vai viajar” é:
a) Ana não está viajando e Paulo vai viajar.
b) se Ana não viajar, Paulo vai viajar.
Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 54 de 123
`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

c) Ana está viajando e Paulo não vai viajar.


d) Ana não está viajando e Paulo não vai viajar.
e) se Ana estiver viajando, Paulo não vai viajar.
RESOLUÇÃO:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Sejam as proposições:
p: Ana vai viajar.
q: Paulo vai viajar.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p⟶q

No entanto, o que buscamos é a sua negação. Faremos isso seguindo três


passos:
1º) Mantém a primeira parte: Ana vai viajar.
2º) Negamos a segunda parte: Paulo não vai viajar.
3º) Trocamos "Se então" por "e": “Ana vai viajar” e “Paulo não vai viajar”.
Assim, podemos concluir que:
“Ana está viajando e Paulo não vai viajar.”
Gabarito 64: C.

65- (ESAF/MTE/Auditor-Fiscal do Trabalho/1998) A negação da afirma-


ção condicional "se estiver chovendo, eu levo o guarda-chuva" é:
a) se não estiver chovendo, eu levo o guarda-chuva.
b) não está chovendo e eu levo o guarda-chuva.
c) não está chovendo e eu não levo o guarda-chuva.
d) se estiver chovendo, eu não levo o guarda-chuva.
e) está chovendo e eu não levo o guarda-chuva.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Está chovendo.
q: Eu levo o guarda-chuva.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p⟶q

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 55 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

No entanto, o que buscamos é a sua negação. Faremos isso seguindo três


passos:
1º) Mantém a primeira parte: Está chovendo.
2º) Negamos a segunda parte: Eu não levo o guarda-chuva.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

3º) Trocamos "Se então" por "e": “Está chovendo” e “Eu não levo o guarda-
chuva”.
Assim, podemos concluir que:
“Está chovendo e eu não levo o guarda-chuva.”
Gabarito 65: E.

66- (ESAF/SEFAZ SP/APOFP/2009) A negação de: Milão é a capital da


Itália ou Paris é a capital da Inglaterra é:
a) Milão não é a capital da Itália.
b) Milão não é a capital da Itália e Paris não é a capital da Inglaterra.
c) Milão não é a capital da Itália ou Paris não é a capital da Inglaterra.
d) Paris não é a capital da Inglaterra.
e) Milão é a capital da Itália e Paris não é a capital da Inglaterra.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Milão é a capital da Itália.
q: Paris é a capital da Inglaterra.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p˅q

No entanto, o que buscamos é a sua negação. E acabamos de aprender que a


negação de uma proposição disjuntiva é dada pela relação:

~(p ˅ q) = ~p ^ ~q

Assim, podemos concluir que:


“Milão não é a capital da Itália e Paris não é a capital da Inglaterra.”
Gabarito 66: B.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 56 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

67- (ESAF/MF/Assistente Técnico-Administrativo/2014) A negação da


proposição “se Paulo trabalha oito horas por dia, então ele é servidor público” é
logicamente equivalente à proposição:
a) Paulo trabalha oito horas por dia ou é servidor público.
b) Paulo trabalha oito horas por dia e não é servidor público.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

c) Paulo trabalha oito horas por dia e é servidor público.


d) Se Paulo não trabalha oito horas por dia, então não é servidor público.
e) Se Paulo é servidor público, então ele não trabalha oito horas por dia.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Paulo trabalha oito horas por dia.
q: Paulo é servidor público.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p⟶q

No entanto, o que buscamos é a sua negação. E acabamos de aprender que a


negação de uma proposição composta tendo como conectivo lógico o “Se ...
então” é dada pela relação:

~(p ⟶ q) = p ^ ~q

Assim, podemos concluir que:


“Paulo trabalha oito horas por dia e não é servidor público.”
Gabarito 67: B.

68- (ESAF/Receita Federal do Brasil/ATRFB/2012) A negação da pro-


posição "se Paulo estuda, então Marta é atleta" é logicamente equivalente à
proposição
a) Paulo não estuda e Marta não é atleta.
b) Paulo estuda e Marta não é atleta.
c) Paulo estuda ou Marta não é atleta.
d) se Paulo não estuda, então Marta não é atleta.
e) Paulo não estuda ou Marta não é atleta.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 57 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

p: Paulo estuda.
q: Marta é atleta.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p⟶q
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

No entanto, o que buscamos é a sua negação. Faremos isso seguindo três


passos:
1º) Mantém a primeira parte: Paulo estuda.
2º) Negamos a segunda parte: Marta não é atleta.
3º) Trocamos "Se então" por "e": “Paulo estuda” e “Marta não é atleta”.
Assim, podemos concluir que:
“Paulo estuda e Marta não é atleta.”
Gabarito 68: B.

69- (ESAF/STN/Analista de Finanças e Controle/2013) A negação da


proposição “se Curitiba é a capital do Brasil, então Santos é a capital do Paraná”
é logicamente equivalente à proposição:
a) Curitiba não é a capital do Brasil e Santos não é a capital do Paraná.
b) Curitiba não é a capital do Brasil ou Santos não é a capital do Paraná.
c) Curitiba é a capital do Brasil e Santos não é a capital do Paraná.
d) Se Curitiba não é a capital do Brasil, então Santos não é a capital do Paraná.
e) Curitiba é a capital do Brasil ou Santos não é a capital do Paraná.
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições:
p: Curitiba é a capital do Brasil.
q: Santos é a capital do Paraná.
A proposição do enunciado pode ser representada da seguinte forma:

p⟶q

No entanto, o que buscamos é a sua negação. Faremos isso seguindo três


passos:
1º) Mantém a primeira parte: Curitiba é a capital do Brasil.
2º) Negamos a segunda parte: Santos não é a capital do Paraná.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 58 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

3º) Trocamos "Se então" por "e": “Curitiba é a capital do Brasil” e “Santos
não é a capital do Paraná”.
Assim, podemos concluir que a negação da proposição do enunciado é:
“Curitiba é a capital do Brasil e Santos não é a capital do Paraná.”
Gabarito 69: C.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

70- (FGV – AP/SEJAP-MA/2013) Manoel e Francisco trabalham juntos em


uma empresa. Toda semana, há uma reunião social de confraternização entre
os funcionários da empresa à qual nem sempre um dos dois comparece. Entre-
tanto, é sempre verdade que:
“Se Manoel comparece à reunião então Francisco não comparece.”
Esta afirmação é equivalente a
a) Se Francisco comparece à reunião então Manoel não comparece.
b) Manoel não comparece à reunião ou Francisco comparece.
c) Se Manoel não comparece à reunião então Francisco comparece.
d) Manoel comparece à reunião e Francisco não comparece.
e) Se Francisco não comparece à reunião então Manoel comparece.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a condicional M → ~F, em que:
M: Manoel comparece à reunião.
F: Francisco comparece à reunião.
Uma sentença logicamente equivalente a essa condicional é obtida por:
- Negar a 1ª parte: ~M
- Negar a 2ª parte: F
- Inverter a ordem das proposições, mantendo o “Se, então”: F → ~M
Textualmente, fica:
Se Francisco comparece à reunião então Manoel não comparece.
Gabarito 70: A.

71- (FGV – AnaT/DETRAN-MA/2013) Uma sentença logicamente equiva-


lente a “Se faz sol e eu acordo cedo, então eu vou à praia” é:
a) se não faz sol ou eu não acordo cedo então não vou à praia.
b) se eu vou à praia então faz sol e eu acordo cedo.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 59 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

c) se não faz sol e eu não acordo cedo então não vou à praia.
d) não faz sol ou eu não acordo cedo ou eu vou à praia.
e) faz sol e eu acordo cedo, ou eu vou à praia.
RESOLUÇÃO:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

O enunciado apresenta a condicional (p ∧ q) → r, em que:


p: Faz sol.
q: Acordo cedo.
r: Vou à praia.
Uma sentença logicamente equivalente a essa condicional é obtida por:
- Negar a 1ª parte: ~p ∨ ~q
- Negar a 2ª parte: ~r
- Inverter a ordem das proposições, mantendo o “Se, então”: ~r → (~p ∨ ~q)
Textualmente, fica:
Se não vou à praia, então não faz sol ou eu não acordo cedo.
Repare que não encontramos essa sentença entre as opções de resposta. Então,
teremos que trabalhar com outra equivalência envolvendo o conectivo condici-
onal. Neste caso, vamos utilizar a que nos dará como resultado uma disjunção:
- Negar a 1ª parte: ~p ∨ ~q
- Manter a 2ª parte: ~r
- Trocar o “Se, então” pelo “ou”: (~p ∨ ~q) ∨ r
Em palavras, temos:
Não faz sol ou eu não acordo cedo ou eu vou à praia.
Agora sim, perceba que esta frase está contida na alternativa D, de modo que
é a nossa opção de resposta.
Gabarito 71: D.

72- (FGV – Auxiliar Judiciário/TJ-AM/2013) Em uma pequena fábrica de


bolsas, o gerente percebeu que as encomendas para o mês seguinte estavam
maiores do que esperava. Para tentar não atrasar as entregas chamou as cos-
tureiras Lucia e Solange e disse, referindo‐se ao próximo mês:
“Lúcia não tira férias ou Solange trabalha em dobro.”
Considerando essa frase verdadeira, também é obrigatoriamente verdadeira a
frase:
a) Se Lucia não tira férias então Solange trabalha dobrado.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 60 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

b) Se Solange trabalha dobrado então Lúcia tira férias.


c) Se Lúcia tira férias então Solange trabalha dobrado.
d) Se Lúcia tira férias então Solange não trabalha dobrado.
e) Solange não trabalha dobrado e Lúcia não tira férias.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a disjunção ~L ∨ S, em que:
L: Lucia tira férias.
S: Solange trabalha em dobro.
Perceba que a maior parte das opções de resposta traz condicionais. Assim já
precisamos ficar atentos à equivalência lógica que envolve a disjunção e o con-
dicional: (p ∨ q) = (~p → q).
Ou seja, para trocar uma disjunção por um condicional, basta:
- negar a primeira parcela: L
- manter a segunda parcela: S
- trocar o “ou” pelo “Se, então”: L → S
Textualmente, fica:
Se Lúcia tira férias então Solange trabalha dobrado.
Gabarito 72: C.

73- (FGV - Assistente Técnico/INEA/2013) Considere a sentença: “Se


uma pessoa tem dinheiro então não tem problemas”.
Independente do fato de que cada um pode considerar essa sentença verdadeira
ou falsa, uma sentença que tem o mesmo valor lógico dela é
a) se uma pessoa não tem problemas então tem dinheiro.
b) se uma pessoa não tem dinheiro então tem problemas.
c) se uma pessoa tem problemas então não tem dinheiro.
d) uma pessoa tem dinheiro ou tem problemas.
e) uma pessoa não tem dinheiro ou tem problemas.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a condicional p → ~q, em que:
p: Uma pessoa tem dinheiro.
q: Uma pessoa tem problemas.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 61 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Uma sentença logicamente equivalente a essa condicional resulta noutra condi-


cional, que é obtida por:
- Negar a 1ª parte: ~p
- Negar a 2ª parte: q
- Inverter a ordem das proposições, mantendo o “Se, então”: q → ~p
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Textualmente, fica:
Se uma pessoa tem problemas então não tem dinheiro.
Gabarito 73: C.

74- (FGV - ACE/TCE-BA/2013) Pedro saiu de casa para comprar a camisa


nova do seu time cuja venda ao público tinha se iniciado no dia anterior. Ao
voltar para casa sem a camisa, o pai de Pedro comentou com a mãe:
“Pedro não tinha dinheiro suficiente ou a loja fechou”.
Do ponto de vista lógico, essa frase é equivalente a
a) A loja fechou e Pedro não tinha dinheiro suficiente.
b) A loja não fechou e Pedro não tinha dinheiro suficiente.
c) Se Pedro não tinha dinheiro suficiente então a loja não fechou.
d) Se Pedro tinha dinheiro suficiente então a loja fechou.
e) Se a loja fechou então Pedro tinha dinheiro suficiente.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a disjunção ~p ∨ q, em que:
p: Pedro tinha dinheiro suficiente.
q: A loja fechou.
Uma sentença logicamente equivalente a essa é dada por:
- negar o primeiro termo: p
- manter o segundo termo: ~q
- trocar o “ou” pelo “Se, então”: p → ~q
Em palavras, temos:
"Se Pedro tinha dinheiro suficiente, então a loja fechou".
Gabarito 74: D.

75- (FGV - Aud Est/CGE-MA/2014) Considere a sentença: “Se Geraldo foi


à academia então Jovelina foi ao cinema.” É correto concluir que

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 62 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

a) se Geraldo não foi à academia então Jovelina não foi ao cinema.


b) se Jovelina foi ao cinema então Geraldo foi à academia.
c) Geraldo foi à academia ou Jovelina foi ao cinema.
d) Geraldo foi à academia e Jovelina foi ao cinema.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

e) Geraldo não foi à academia ou Jovelina foi ao cinema.


RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a condicional p → q, em que:
p: Geraldo foi à academia.
q: Jovelina foi ao cinema.
Uma sentença logicamente equivalente a essa condicional resulta noutra condi-
cional, que é obtida por:
- Negar a 1ª parte: ~p
- Negar a 2ª parte: ~q
- Inverter a ordem das proposições, mantendo o “Se, então”: ~q → ~p
Textualmente, fica:
Se Jovelina não foi ao cinema, então Geraldo não foi à academia.
Repare que não encontramos essa sentença entre as opções de resposta, de
modo que trabalharemos com outra equivalência envolvendo o conectivo con-
dicional. Neste caso, vamos utilizar a que nos dará como resultado uma disjun-
ção. Qual o procedimento que adotaremos? Veja:
- Negar a 1ª parte: ~p
- Manter a 2ª parte: q
- Trocar o “Se, então” pelo “ou”: ~p ∨ q
Em palavras, temos:
Geraldo não foi à academia ou Jovelina foi ao cinema.
Agora sim, perceba que esta frase está contida na alternativa E, de modo que
é a nossa opção de resposta.
Gabarito 75: E.

76- (FGV - Ag Admin/SUDENE/2013) Considere a afirmação: “Carne com


gordura não é saudável.” Uma afirmativa que tem o mesmo significado da acima
é:
a) Carne sem gordura é saudável.
b) Carne não saudável tem gordura.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 63 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

c) Carne saudável não tem gordura.


d) Carne saudável pode ter gordura.
e) Carne, ou não tem gordura ou é saudável.
RESOLUÇÃO:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Note que o nosso objetivo consiste em encontrar uma proposição que tenha
o mesmo significado da seguinte:
“Carne com gordura não é saudável.”
Ou seja, precisamos achar uma proposição equivalente a ela! Mas talvez você
esteja se perguntando qual é o conectivo lógico presente nessa sentença.
E o fato é que estamos diante de uma condicional.
Como assim, professor?
Repare que na frase está presente a ideia de causa e consequência, de modo
que podemos escrever a sentença acima da seguinte forma:
"Se a carne tem gordura, então ela não é saudável."
Agora, sabemos que uma das equivalências da condicional é: p → q = ∼q → ∼p,
que pode ser obtida por:
- Negar a 1ª parte: ~p
- Negar a 2ª parte: ~q
- Inverter a ordem das proposições, mantendo o “Se, então”: ~q → ~p
Textualmente, fica:
Se a carne é saudável, então ela não tem gordura.
Apenas ajustando a condicional acima para o modelo disfarçado trazido pelo
enunciado, ficamos com:
Carne saudável não tem gordura.
Gabarito 76: C.

77- (FGV - Adm/CODEBA/2010) Considere verdadeira a seguinte proposi-


ção composta: “Se Mariana chegar, então Antônio dormirá.” É correto concluir
que
a) se Mariana não chegar, então Antônio dormirá.
b) se Mariana não chegar, então Antônio não dormirá.
c) se Antônio dormir, então Mariana chegou.
d) se Antônio não dormir, então Mariana chegou.
e) se Antônio não dormir, então Mariana não chegou.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 64 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a condicional M → A, em que:
M: Mariana chega.
A: Antônio dorme.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Uma sentença logicamente equivalente a essa condicional resulta noutra condi-


cional, que é obtida por:
- Negar a 1ª parte: ~M
- Negar a 2ª parte: ~A
- Inverter a ordem das proposições, mantendo o “Se, então”: ~A → ~M
Textualmente, fica:
Se Antônio não dormir, então Mariana não chegou.
Gabarito 77: E.

78- (FGV - TAJ/TJ-RJ/2014) Considere a seguinte sentença: “Se há muitos


processos, então os juízes trabalham muito”. Uma sentença logicamente equi-
valente a essa é:
a) se não há muitos processos, então os juízes não trabalham muito;
b) se os juízes trabalham muito, então há muitos processos;
c) há muitos processos e os juízes não trabalham muito;
d) não há muitos processos ou os juízes trabalham muito;
e) há muitos processos e os juízes trabalham muito.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a condicional p → q, em que:
p: Há muitos processos.
q: Os juízes trabalham muito.
Uma sentença logicamente equivalente a essa condicional resulta noutra condi-
cional, que é obtida por:
- Negar a 1ª parte: ~p
- Negar a 2ª parte: ~q
- Inverter a ordem das proposições, mantendo o “Se, então”: ~q → ~p
Textualmente, fica:
Se os juízes não trabalham muito, então não há muitos processos.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 65 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Repare que não encontramos essa sentença entre as opções de resposta, de


modo que trabalharemos com outra equivalência envolvendo o conectivo con-
dicional. Neste caso, vamos utilizar a que nos dará como resultado uma disjun-
ção. Qual o procedimento que adotaremos? Veja:
- Negar a 1ª parte: ~p
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

- Manter a 2ª parte: q
- Trocar o “Se, então” pelo “ou”: ~p ∨ q
Em palavras, temos:
Não há muitos processos ou os juízes trabalham muito.
Agora sim, perceba que esta frase está contida na alternativa D, de modo que
é a nossa opção de resposta.
Gabarito 78: D.

79- (FGV – Técnico Judiciário/TJ-SC/2015) Considere a sentença: “Se


cometi um crime, então serei condenado”. Uma sentença logicamente equiva-
lente à sentença dada é:
a) Não cometi um crime ou serei condenado.
b) Se não cometi um crime, então não serei condenado.
c) Se eu for condenado, então cometi um crime.
d) Cometi um crime e serei condenado.
e) Não cometi um crime e não serei condenado.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a condicional p → q, em que:
p: cometi um crime.
q: serei condenado.
Uma sentença logicamente equivalente a essa condicional é obtida por:
- Negar a 1ª parte: ~p
- Manter a 2ª parte: q
- Trocamos o "Se, então" pelo "ou": ~p ∨ q
Textualmente, fica:
Não cometi um crime ou serei condenado.
Gabarito 79: A.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 66 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

80- (FGV – AP/SEJAP-MA/2013) Considere a afirmação: “Hoje faço prova


e amanhã não vou trabalhar”. A negação dessa afirmação é:
a) Hoje não faço prova e amanhã vou trabalhar.
b) Hoje não faço prova ou amanhã vou trabalhar.
c) Hoje não faço prova então amanhã vou trabalhar.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

d) Hoje faço prova e amanhã vou trabalhar.


e) Hoje faço prova ou amanhã não vou trabalhar.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a conjunção p ∧ ~q, em que:
p: Hoje faço prova.
q: Amanhã vou trabalhar.
A negação dessa frase é obtida por:
- Negar a 1ª parcela: ~p
- Negar a 2ª parcela: q
- Trocar o "e" pelo "ou": ~p ∨ q
Textualmente, fica:
“Hoje não faço prova ou amanhã vou trabalhar”.
Gabarito 80: A.

81- (FGV – AnaT/DETRAN-MA/2013) A negação da sentença “Se chove


então o trânsito fica congestionado” é:
a) Se não chove então o trânsito não fica congestionado.
b) Se o trânsito não fica congestionado então não chove.
c) Chove e o trânsito não fica congestionado.
d) Não chove e o trânsito não fica congestionado.
e) Não chove e o trânsito fica congestionado.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a condicional p → q, em que:
p: Chove.
q: O trânsito fica congestionado.
A sua negação é obtida por:
- manter a primeira parcela: p

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 67 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

- negar a segunda parcela: ~q


- troca o “Se, então” pelo "e": p ∧ ~q
Textualmente, fica:
"Chove e o trânsito não fica congestionado".
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Gabarito 81: C.

82- (FGV - Assistente Legislativo/ALEMA/2013) Considere a sentença:


“Se o projeto de lei A é aprovado então o presidente da comissão se fortalece
ou não renuncia.” A negação lógica dessa sentença é
a) O projeto de lei A é aprovado e o presidente da comissão não se fortalece e
renuncia.
b) Se o projeto de lei A não é aprovado então o presidente da comissão não se
fortalece e não renuncia.
c) Se o projeto de lei A não é aprovado então o presidente da comissão não se
fortalece ou renuncia.
d) Se o presidente da comissão não se fortalece ou renuncia então o projeto de
lei A não é aprovado.
e) O projeto de lei A não é aprovado ou o presidente da comissão se fortalece
ou não renuncia.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a condicional p → (q ∨ ~r), em que:
p: O projeto de lei A é aprovado.
q: O presidente da comissão se fortalece.
r: O presidente da comissão renuncia.
A sua negação é obtida por:
- manter a primeira parcela: p
- negar a segunda parcela: ~q ∧ r
- troca o “Se, então” pelo "e": p ∧ (~q ∧ r)
Textualmente, fica:
"O projeto de lei A é aprovado e o presidente da comissão não se fortalece e
renuncia".
Gabarito 82: A.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 68 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

83- (FGV - AP/TCE-BA/2014) Considere a sentença: “Gosto de jiló e não


gosto de quiabo”. Uma sentença logicamente equivalente à negação da sen-
tença dada é
a) Não gosto de jiló e gosto de quiabo.
b) Não gosto de jiló e não gosto de quiabo.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

c) Se gosto de jiló então gosto de quiabo.


d) Se não gosto de jiló então gosto de quiabo.
e) Se não gosto de quiabo então gosto de jiló.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a conjunção J ∧ ~Q, em que:
J: Gosto de jiló.
Q: Gosto de quiabo.
A negação dessa frase é obtida por:
- Negar a 1ª parcela: ~J
- Negar a 2ª parcela: Q
- Trocar o "e" pelo "ou": ~J ∨ Q
Textualmente, fica:
“Não gosto de jiló ou gosto de quiabo”.
Agora precisamos encontrar uma sentença logicamente equivalente a essa ne-
gação, que é dada por:
- negar o primeiro termo: J
- manter o segundo termo: Q
- trocar o “ou” pelo “Se, então”: J → Q
Em palavras, temos:
"Se gosto de jiló, então gosto de quiabo".
Gabarito 83: C.

84- (FGV - AnaTA/SUDENE/2013) Não é verdade que “Se o Brasil não


acaba com a saúva então a saúva acaba com o Brasil”. Logo, é necessariamente
verdade que
a) “O Brasil não acaba com a saúva e a saúva não acaba com o Brasil.”
b) “O Brasil acaba com a saúva e a saúva não acaba com o Brasil.”
c) “O Brasil acaba com a saúva e a saúva acaba com o Brasil.”

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 69 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

d) “O Brasil não acaba com a saúva ou a saúva não acaba com o Brasil.”
e) “O Brasil não acaba com a saúva ou a saúva acaba com o Brasil.”
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a condicional ~p → q, em que:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

p: O Brasil acaba com a saúva.


q: A saúva acaba com o Brasil.
Note que quando usamos a expressão 'não é verdade que' antes de alguma sen-
tença, significa que estamos querendo dizer que a negação dessa sentença que
é verdadeira!
Para exemplificar, quando falamos ”Não é verdade que está fazendo frio", esta-
mos querendo dizer que ”Não está fazendo frio”.
Com base nesse raciocínio, temos que é necessariamente verdade a negação
da condicional trazida pela questão. E, para negarmos uma condicional, deve-
mos:
- Manter a 1ª parte: ~p
- Negar a 2ª parte: ~q
- Trocar o “Se, então” pelo “e”: ~p ∧ ~q
Textualmente, fica:
O Brasil não acaba com a saúva e a saúva não acaba com o Brasil.
Note que esta sentença está contida na letra A, de modo que seria o nosso
gabarito.
Como assim “seria”, professor?
É que na realidade a questão foi anulada. Acredito que o examinador queria a
negação da condicional. Mas, ao usar a expressão “não é verdade que…” ele
disse que aquela condicional era falsa!!... E, a condicional só é falsa quando seu
antecedente é verdadeiro e seu consequente é falso.
Ou seja,
- Antecedente: o Brasil não acaba com a saúva = V. Logo, o Brasil acaba com
a saúva = F.
- Consequente: a saúva acaba com o Brasil = F. Logo, a saúva não acaba com
o Brasil = V
Agora, aplicando a valoração das proposições nas alternativas, teremos:
a) “O Brasil não acaba com a saúva e a saúva não acaba com o Brasil.” Con-
junção do tipo V e V, valor lógico: V

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 70 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

b) “O Brasil acaba com a saúva e a saúva não acaba com o Brasil.” Conjun-
ção do tipo F e V, valor lógico: F
c) “O Brasil acaba com a saúva e a saúva acaba com o Brasil.” Conjunção do
tipo F e F, valor lógico: F
d) “O Brasil não acaba com a saúva ou a saúva não acaba com o Brasil.” Dis-
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

junção do tipo V e V, valor lógico: V


e) “O Brasil não acaba com a saúva ou a saúva acaba com o Brasil.” Disjun-
ção do tipo V e F, valor lógico: V
Perceba que agora ficamos com três opções corretas.
Gabarito 84: Anulada.

85- (FGV - ACI/Pref Recife/2014) A expressão lógica “not (X and Y)” é


sempre equivalente a
a) not X or not Y
b) not X and not Y
c) X or Y
d) not (not X or not Y)
e) not X or Y
RESOLUÇÃO:
Repare que temos uma negação incidindo sobre uma conjunção: ~(X ∧ Y), a
qual pode ser efetuada por:
- Negar a primeira parcela: ~X
- Negar a segunda parcela: ~Y
- Trocar o “e” pelo “ou”: ~X ∨ ~Y
Utilizando a simbologia adotada pela questão, fica: not X or not Y.
Gabarito 85: A.

86- (FGV - Adm/CODEBA/2010) Marcos declarou: Sábado vou ao teatro


ou domingo vou ao cinema. Conclui-se que ele mentiu se ele
a) for ao teatro no sábado e não for ao cinema no domingo.
b) for ao cinema no sábado e for ao teatro no domingo.
c) for ao teatro no sábado e também no domingo.
d) não for ao teatro no sábado e não for ao cinema no domingo.
e) não for ao cinema no sábado e nem for ao cinema no domingo.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 71 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

RESOLUÇÃO:
A declaração de Marcos corresponde à disjunção S ∨ D, em que:
S: Sábado vou ao teatro.
D: Domingo vou ao cinema.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Visto que ele mentiu, a sua declaração é falsa, de modo que sua negação é
verdadeira, a qual pode ser obtida por:
- Negar a 1ª parte: ~S
- Negar a 2ª parte: ~D
- Trocar o "ou" pelo "e": ~S ∧ ~D
Textualmente, Marcos mentiu se ele:
não for ao teatro no sábado e não for ao cinema no domingo.
Gabarito 86: D.

87- (FGV - Tec SST/CODEBA/2010) A negação de “x > y e z = w” é


a) x = y e z > w.
b) x < y e z < w.
c) x < y e z ≠≠ w.
d) x < y ou z ≠≠ w.
e) x < y ou z ≠≠ w.
RESOLUÇÃO:
A sentença apresentada pelo enunciado é uma conjunção, cuja negação pode
ser obtida por:
- Negar a 1ª parte: x ≤ y. Pois o que não é maior é menor ou igual.
- Negar a 2ª parte: z≠w. Pois o que não é igual é diferente.
- Trocar o "e" pelo "ou": x ≤ y ou z ≠ w.
Gabarito 87: E.

88- (FGV - TNS/SSP-AM/2015) A negação lógica da sentença “Se corro


muito, então fico cansado” é:
a) Corro muito e não fico cansado.
b) Se não corro muito, então não fico cansado.
c) Se corro muito, então não fico cansado.
d) Não corro muito e fico cansado.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 72 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

e) Não corro muito ou fico cansado.


RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a condicional p → q, em que:
p: Corro muito.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

q: Fico cansado.
A sua negação é obtida por:
- manter a primeira parcela: p
- negar a segunda parcela: ~q
- trocar o “Se, então” pelo "e": p ∧ ~q
Textualmente, fica:
"Corro muito e não fico cansado".
Gabarito 88: A.

89- (FGV - Ana TI/TCE-SE/2015) Considere a afirmação: “Se hoje é sá-


bado, amanhã não trabalharei.” A negação dessa afirmação é:
a) Hoje é sábado e amanhã trabalharei.
b) Hoje não é sábado e amanhã trabalharei.
c) Hoje não é sábado ou amanhã trabalharei.
d) Se hoje não é sábado, amanhã trabalharei.
e) Se hoje não é sábado, amanhã não trabalharei.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a condicional p → ~q, em que:
p: Hoje é sábado.
q: Amanhã trabalharei.
A sua negação é obtida por:
- manter a primeira parcela: p
- negar a segunda parcela: q
- trocar o “Se, então” pelo "e": p ∧ q
Textualmente, fica:
"Hoje é sábado e amanhã trabalharei".
Gabarito 89: A.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 73 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

90- (CESGRANRIO – Analista/FINEP/2014) No contexto do Cálculo


Proposicional, é verdadeira a afirmação
a) (~p ˄ q) é equivalente a ~(p ˅ q)
b) ~(p ˄ q ) é equivalente a (p → ~q)
c) (p ˅ q) é equivalente a ~(p ˄ q)
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

d) (p → q) é equivalente a (p ˄ ~q)
e) ~(p → q) é equivalente a (~p ˅ q)
RESOLUÇÃO:
Essa é uma questão que nos possibilita fixarmos as regras de equivalência lógica
para que não percamos tempo montando tabela-verdade para as resoluções dos
problemas. Vamos analisar cada alternativa.
a) (~p ˄ q) é equivalente a ~(p ˅ q)
Errado. Sabemos que a negação de uma disjunção é equivalente a uma propo-
sição composta pelas negações de suas proposições simples unidas pela con-
junção, ou seja, ~(p ˅ q) = (~p ^ ~q).
b) ~(p ˄ q) é equivalente a (p → ~q)
Correto. Lembramos que uma das condições especiais de equivalência condici-
onal é a de condicional para disjunção, ou seja, (p → q) = (~p ˅ q).
Dessa forma, (p → ~q) = (~p ˅ ~q)
Por vez, ~(p ˄ q) = (~p ˅ ~q)
Logo, ~(p ˄ q) = (p → ~q)
c) (p ˅ q) é equivalente a ~(p ˄ q)
Errado. Conforme visto na alternativa anterior, ~(p ˄ q) = (~p ˅ ~q)
d) (p → q) é equivalente a (p ˄ ~q)
Errado. Vimos que (p → q) = (~p ˅ q).
e) ~(p → q) é equivalente a (~p ˅ q)
Errado. A negação de uma condicional equivale a uma conjunção: ~(p → q) =
(p ˄ ~q).
Gabarito 90: B

91- (CESGRANRIO/IBGE/Analista Censitário/2014) Dadas três


proposições lógicas p, q e r, tem-se que r → [(~p) ˄ (~q)] se, e somente se,
a) [(~p) ˄ (~q)] → r
b) (~r) → (p ˄ q)

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 74 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

c) (p ˅ q) → (~r)
d) (p ˄ q) → (~r)
e) (p ˅ q) → r
RESOLUÇÃO:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

A questão fornece a proposição composta condicional r → [(~p) ˄ (~q)], que


chamaremos de “A”, e pergunta qual seria a segunda parte (“B”) a ela unida
pelo conectivo bicondicional. Portanto, temos que
A ⟷B
Assim, queremos encontrar B que torne a proposição composta do enunciado
verdadeira. Para que uma proposição bicondicional seja verdadeira, as duas
partes da proposição composta devem apresentar valores lógicos iguais. A
tabela-verdade a seguir evidencia tal condição.
Tabela-verdade de A ⟷ B

A B A⟷B

V V V

V F F

F V F

F F V

Assim sendo, A e B devem ser equivalentes para que a proposição bicondici-


onal seja verdadeira. Então, basta encontrarmos a equivalência condicional
de A. Em face das alternativas apresentadas, utilizaremos a condição especial
de equivalência de condicional para condicional, nos moldes P → Q = ~Q →
~P.
Primeiramente, identificaremos a negação equivalente do consequente (~Q)
da afirmação do enunciado:
~[(~p) ˄ (~q)] = (p ˅ q)
Alocando os termos na proposição condicional equivalente (~Q → ~P) de A,
encontramos a proposição composta de B que satisfaz a proposição bicondicio-
nal requerida:

r → [(~p) ˄ (~q)] = (p ˅ q) → (~r)


Gabarito 91: C

92- (FUNCAB – Técnico Administrativo/ANS/2016) De acordo com o ra-


ciocínio lógico-matemático, a negação da frase: “o obstetra evitou a realização

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 75 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

da cesariana desnecessária e a gestante entrou em trabalho de parto” é apre-


sentada corretamente na frase:
a) o obstetra não evitou a realização da cesariana desnecessária ou a gestante
não entrou em trabalho de parto.
b) o obstetra não evitou a realização da cesariana desnecessária e a gestante
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

não entrou em trabalho de parto.


c) o obstetra não evitou a realização da cesariana desnecessária ou a gestante
entrou em trabalho de parto.
d) o obstetra evitou a realização da cesariana desnecessária ou a gestante
entrou em trabalho de parto.
e) o obstetra evitou a realização da cesariana desnecessária e a gestante entrou
em trabalho de parto.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a conjunção O ∧ G, em que:
O: o obstetra evitou a realização da cesariana desnecessária
G: a gestante entrou em trabalho de parto
Para fazer a sua negação, basta:
- Negar a 1ª parte: ~O
- Negar a 2ª parte: ~G
- Trocar o "e" pelo "ou": ~O ∨ ~G
Textualmente, fica:
"o obstetra não evitou a realização da cesariana desnecessária ou a ges-
tante não entrou em trabalho de parto".
Gabarito 92: A.

93- (FUNCAB - TRSS/ANS/2016) A negação de afirmação condicional “Se


o beneficiário estiver acima do peso, ele é sedentário" é:
a) o beneficiário não está acima do peso e ele é sedentário.
b) se o beneficiário não estiver acima do peso, ele é sedentário.
c) o beneficiário não está acima do peso e ele não é sedentário.
d) o beneficiário está acima do peso e ele não é sedentário.
e) se o beneficiário estiver acima do peso, ele não é sedentário.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a condicional p → q, em que:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 76 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

p: o beneficiário estiver acima do peso.


q: o beneficiário é sedentário.
Para fazer a sua negação, basta:
- manter a primeira parcela: p
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

- negar a segunda parcela: ~q


- trocar o “Se, então” pelo “e”: p ∧ ~q
Textualmente, fica:
O beneficiário está acima do peso e não é sedentário.
Gabarito 93: D.

94- (FUNCAB – Agente Administrativo/PRF/2014) Letícia ouviu um ba-


rulho vindo do quarto onde estavam seus filhos, Beatriz e Rafael. Perguntou o
que havia acontecido, e a babá, que estava com as crianças, respondeu: “Rafael
caiu da cama e Beatriz não gritou”. Considerando FALSA esta informação, pode-
se concluir corretamente que:
a) Rafael não caiu da cama e Beatriz gritou.
b) Ou Rafael caiu da cama, ou Beatriz não gritou.
c) Beatriz não gritou e Rafael não caiu da cama.
d) Rafael não caiu da cama ou Beatriz gritou.
e) Beatriz gritou ou Rafael caiu da cama.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a conjunção R ∧ ~B, em que:
R: Rafael caiu da cama.
B: Beatriz gritou.
Para fazer a sua negação, basta:
- Negar a 1ª parte: ~R
- Negar a 2ª parte: B
- Trocar o "e" pelo "ou": ~R ∨ B
Textualmente, fica:
" Rafael não caiu da cama ou Beatriz gritou".
Gabarito 94: D.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 77 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

95- (FUNCAB - Técnico/SESACRE/2014) A negação de “Pedro é solteiro


e João é técnico em contabilidade” é:
a) Pedro é solteiro ou João é técnico em contabilidade.
b) Pedro e João não são solteiros e nem técnicos em contabilidade.
c) Pedro é técnico em contabilidade e João é solteiro.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

d) Pedro não é solteiro e João não é técnico em contabilidade.


e) Pedro não é solteiro ou João não é técnico em contabilidade.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a conjunção P ∧ J, em que:
P: Rafael caiu da cama.
J: Beatriz gritou.
Para fazer a sua negação, basta:
- Negar a 1ª parte: ~P
- Negar a 2ª parte: ~J
- Trocar o "e" pelo "ou": ~P ∨ ~J
Textualmente, fica:
" Pedro não é solteiro ou João não é técnico em contabilidade".
Gabarito 95: E.

96- (FUNCAB – Agente/RBTRANS/Pref RB/2013) A negação da propo-


sição “José nasceu em Rio Branco ou Maria é enfermeira” é:
a) José é enfermeiro e Maria nasceu em Rio Branco.
b) Se José não nasceu em Rio Branco então Maria não é enfermeira.
c) José nasceu em Rio Branco e Maria não é enfermeira.
d) Maria não nasceu em Rio Branco ou José não é enfermeiro.
e) José não nasceu em Rio Branco e Maria não é enfermeira.
RESOLUÇÃO:
O enunciado apresenta a disjunção J ∨ M, em que:
J: José nasceu em Rio Branco.
M: Maria é enfermeira.
Para fazer a sua negação, basta:
- Negar a 1ª parte: ~J

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 78 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

- Negar a 2ª parte: ~M
- Trocar o "ou" pelo "e": ~J ∧ ~M
Textualmente, fica:
" José não nasceu em Rio Branco e Maria não é enfermeira".
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Gabarito 96: E.

97- (IBFC/Oficial de Justiça/2017) Considere a seguinte implicação


lógica: “Se é terça ou quarta, então trabalho e não vou ao cinema”.
Essa implicação é equivalente a:
a) Se vou ao cinema e não trabalho, então não é terça, nem quarta
b) Se é terça ou não vou ao cinema, então trabalho ou é quarta
c) Se trabalho e não é terça, então vou ao cinema ou é quarta
d) Se vou ao cinema ou não trabalho, então não é terça, nem quarta
e) Se não trabalho ou não vou ao cinema, então não é terça, mas quarta
RESOLUÇÃO:
Sejam as proposições simples:
a: é terça
b: é quarta.
c: trabalho
d: vou ao cinema
Podemos identificar no enunciado da questão as seguintes proposições compos-
tas:
1ª) Disjunção: “terça ou quarta”, ou seja, a ˅ b.
2ª) Conjunção: “trabalho e não vou ao cinema”, ou seja, c ^ ~d.
3ª) Condicional: “Se é terça ou quarta, então trabalho e não vou ao cinema”.
Simbolicamente, representado por:

(a ˅ b) ⟶ (c ^ ~d)

Para identificarmos a afirmação equivalente requerida pelo enunciado, explora-


remos a condição especial de equivalência de condicional para condicional, nos
moldes p ⟶ q = ~q ⟶ ~p.
Para tanto, faremos os seguintes passos:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 79 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

1º) Identificar a negação equivalente do consequente (~q) da afirmação do


enunciado:
~(c ^ ~d) = (~c ˅ d) = “não trabalho e vou ao cinema”
2º) Identificar a negação equivalente do antecedente (~p) da afirmação do
enunciado:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

~(a ˅ b) = (~a ^ ~b) = “hoje não é terça e nem quarta”


3º) Substituir as proposições dos passos anteriores na proposição condicional
equivalente (~q ⟶ ~p) à proposição do enunciado:

“Se não trabalho ou vou ao cinema, en-


(~c ˅ d) ⟶ (~a ^ ~b) =
tão hoje não terça e nem quarta”

Gabarito 97: D

98- (IBFC/AGERBA/Especialista em Regulação/2017) A negação da


frase “O Sol é uma estrela e a Lua é um satélite” de acordo com a equivalência
lógica proposicional, é dada por:
a) O Sol não é uma estrela e a Lua não é um satélite
b) O Sol não é uma estrela e a Lua é um satélite
c) O Sol não é uma estrela ou a Lua é um satélite
d) O Sol é uma estrela ou a Lua não é um satélite
e) O Sol não é uma estrela ou a Lua não é um satélite
RESOLUÇÃO:
A proposição composta do enunciado é unida por uma conjunção, de qual se
deseja saber qual é a sua negação equivalente.
Sejam p e q, respectivamente, “o Sol é uma estrela” e “a Lua é um satélite”.
Sabemos que a negação equivalente à proposição formada por uma conjunção
pode ser representada da seguinte forma:

~(p ^ q) = ~p ˅ ~q

Onde:
~p = o Sol não é uma estrela
~q = a Lua não é um satélite
Inserindo os termos na proposição ~p ˅ ~q, temos a seguinte negação de con-
junção:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 80 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

“O Sol não é uma estrela ou a Lua não é um satélite”.


Gabarito 98: E

99- (FEPESE/MPE-SC/Analista do Ministério Público/2014) A


afirmação logicamente equivalente à sentença: “Se José e Maria trabalham,
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

então João ou Lúcia descansam” é:


a) Se João ou Lúcia descansam, então José e Maria não trabalham.
b) Se João ou Lúcia descansam, então José ou Maria não trabalham.
c) Se José e Maria não trabalham, então João e Lúcia não descansam.
d) Se João e Lúcia não descansam, então José e Maria não trabalham.
e) Se João e Lúcia não descansam, então José ou Maria não trabalham.
RESOLUÇÃO:
O enunciado fornece a seguinte proposição composta formada por um conectivo
condicional: ”Se José e Maria trabalham, então João ou Lúcia descansam”.
Sejam as proposições simples:
a: José trabalha
b: Maria trabalha
c: João descansa
d: Lúcia descansa
Observando o antecedente e o consequente do condicional, podemos identificar
as proposições compostas abaixo:
1ª) Conjunção: “José trabalha e Maria trabalha”, ou seja, a ^ b.
2ª) Disjunção inclusiva: “João descansa ou Lúcia descansa”, ou seja, c ˅ d.
Dessa forma, podemos representar a proposição condicional do enunciado
conforme a seguir:

(a ^ b) ⟶ (c ˅ d)

Para encontrarmos a afirmação equivalente condicional entre as alternativas da


questão, exploraremos a condição especial de equivalência de condicional para
condicional, nos moldes p ⟶ q = ~q ⟶ ~p.
Adotaremos, então, os seguintes passos:
1º) Identificar a negação equivalente do consequente (~q) da afirmação do
enunciado:
~(c ˅ d) = (~c ^ ~d) = “João não descansa e Lúcia não descansa”

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 81 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

2º) Identificar a negação equivalente do antecedente (~p) da afirmação do


enunciado:
~(a ^ b) = (~a ˅ ~b) = “José não trabalha ou Maria não trabalha”
3º) Substituir as proposições dos passos anteriores na proposição condicional
equivalente (~q → ~p) à proposição do enunciado:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

“Se João e Lúcia não descansam, então


(~c ^ ~d) ⟶ (~a ˅ ~b) =
José ou Maria não trabalham”

Gabarito 99: E

100- (FEPESE/SEFAZ-SC/Analista Financeiro/2010) Em relação à


afirmação
Se x = 16 e y ≥ 7 então x∙y ≥ 112
pode-se concluir que:
a) Se x∙y < 112 então x ≠ 16 ou y < 7.
b) Se x∙y = 112 então x ≠ 16 e y < 7.
c) Se x∙y ≥ 112 então x = 16 e y ≥ 7.
d) x∙y ≥ 112 e x ≠ 16 e y < 7.
e) Nada se pode concluir.
RESOLUÇÃO:
O enunciado pergunta sobre a proposição equivalente a uma proposição com-
posta formada pelo conectivo condicional.
Sejam as proposições:
p: x = 16
q: y ≥ 7
r: x∙y ≥ 112
Logo, a proposição do enunciado pode ser representada da seguinte
forma:

(p ^ q) ⟶ r

Onde:
(p ^ q) = antecedente da proposição condicional
r = consequente da proposição condicional

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 82 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Haja vista que não há proposições compostas por disjunção nas alternativas,
exploraremos a condição especial de equivalência condicional para condicional,
que, simbolicamente, pode ser expressa conforme abaixo:

(p ^ q) ⟶ r = ~r ⟶ ~( p ^ q)
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Com isso, adotaremos os passos a seguir:


1º) Identificar a negação equivalente do consequente da afirmação do enunci-
ado:
~r = x∙y < 112
2º) Identificar a negação equivalente do antecedente da afirmação do enunci-
ado:
~(p ^ q) = (~p ˅ ~q) = x ≠ 16 ou y < 7
3º) Substituir as proposições dos passos anteriores na proposição condicional
equivalente à proposição do enunciado:

~r ⟶ ~( p ˅ q) = Se x∙y < 112, então x ≠ 16 ou y < 7

Gabarito 100: A

101- (CONSULPLAN/CBM-TO/Soldado/2013) Sendo a afirmação “Não é


verdade que, se Ricardo está jogando bola, então Lucas está pulando corda”,
portanto, a afirmação logicamente equivalente a essa é
a) Ricardo está jogando bola e Lucas está pulando corda.
b) Ricardo está jogando bola e Lucas não está pulando corda.
c) Ricardo não está jogando bola ou Lucas está pulando corda.
d) Ricardo está jogando bola ou Lucas não está pulando corda.
RESOLUÇÃO:
A proposição composta do enunciado inicia-se com “não é verdade que...”. A
afirmativa equivalente à expressão que se segue será o resultado de sua
negação.
Portanto, estamos lindando com uma negação de uma proposição composta
por termos unidos por um conectivo condicional, que pode ser representada
por:

~(p ⟶ q) = p ^ ~q

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 83 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Substituindo os termos na proposição composta pela conjunção acima, temos


que:
Ricardo está jogando bola E Lucas não está pulando corda.
Gabarito 101: B
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

102- (FUNDATEC/PC-RS/Escrivão/2018) Negar a sentença: A ocorrência


policial foi fotografada e documentada, é equivalente à sentença da alternativa:
a) A ocorrência policial não foi fotografada e não foi documentada.
b) A ocorrência policial não foi fotografada, mas foi documentada.
c) A ocorrência policial não foi fotografada ou não foi documentada.
d) Nego que a ocorrência policial foi fotografada ou documentada.
e) A ocorrência policial foi fotografada ou documentada.
RESOLUÇÃO:
Sejam p e q, respectivamente, “a ocorrência policial foi fotografada” e “a ocor-
rência policial foi documentada”. O enunciado trata de negação de uma propo-
sição composta unida por uma conjunção.
Assim sendo, a negação equivalente à proposição formada por uma conjunção
pode ser representada da seguinte forma:

~(p ^ q) = ~p ˅ ~q

Onde:
~p = a ocorrência policial não foi fotografada
~q = a ocorrência policial não foi documentada
Substituindo os termos na proposição ~p ˅ ~q, temos a seguinte negação de
conjunção:
“A ocorrência policial não foi fotografada OU não foi documentada”.
Gabarito 102: C.

103- (FUNDATEC/ALERS/Analista Legislativo/2018) A negação da


sentença: Paulo não protocolou o projeto de lei até o meio-dia ou Paulo está
presente na sessão ordinária é:
a) Paulo protocolou o projeto de lei até o meio-dia ou Paulo não está presente
na sessão ordinária.
b) Paulo protocolou o projeto de lei até o meio-dia e Paulo não está presente na
sessão ordinária.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 84 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

c) Paulo protocolou o projeto de lei até o meio-dia e Paulo está presente na


sessão ordinária.
d) Paulo não protocolou o projeto de lei até o meio-dia e Paulo não está presente
na sessão ordinária.
e) Paulo protocolou o projeto de lei até o meio-dia ou Paulo está presente na
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

sessão ordinária.
RESOLUÇÃO:
O enunciado da questão trata de negação de uma proposição composta for-
mada por uma disjunção inclusiva.
Sejam as proposições:
p: Paulo protocolou o projeto de lei até o meio-dia
q: Paulo está presente na sessão ordinária
Aplicando a negação equivalente à proposição do enunciado, temos que:

~(~p ˅ q) = p ^ ~q

Substituindo os termos na proposição p ˅ ~q, temos a seguinte negação de


disjunção:
“Paulo protocolou o projeto de lei até o meio-dia E Paulo não está pre-
sente na sessão ordinária”
Gabarito 103: B

104- (FUNDATEC/CREA-PR/Agente Profissional/2010) Considere as


proposições:
p: Valdemar é engenheiro.
q: Heloísa não é jornalista.
A proposição ~( p ∧ ~ q), em linguagem corrente, é:
a) “Não é verdade que, se Valdemar é engenheiro, então Heloísa é jornalista.”
b) “Se Valdemar é engenheiro, então Heloísa não é jornalista.”
c) “Valdemar não é engenheiro ou Heloísa não é jornalista.”
d) “Valdemar é engenheiro e Heloísa não é jornalista.”
e) “Valdemar é engenheiro ou Heloísa não é jornalista.”
RESOLUÇÃO:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 85 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Dadas as proposições p e q definidas pelo enunciado, pede-se a negação


equivalente da proposição composta (p ^ ~q), cujos termos são unidos por uma
conjunção.

Note que, segundo o enunciado, q: Heloísa não é jornalista.


Logo, ~q: Heloísa é jornalista.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Na medida em que a negação de uma conjunção resulta em uma proposição


composta pelas negações de seus termos unidos por uma disjunção, temos que:

~(p ^ ~ q) = ~p ˅ q

Substituindo os termos, temos a seguinte expressão em linguagem corrente:


Valdemar não é engenheiro OU Heloísa não é jornalista
Gabarito 104: C

105- (VUNESP/TCE-SP/Agente de Fiscalização/2017) Uma afirmação


que corresponda à negação lógica da afirmação “Se a demanda aumenta, então
os preços tendem a subir” é:
a) Se os preços não tendem a subir, então a demanda não aumenta.
b) Ou os preços tendem a subir, ou a demanda aumenta.
c) Se a demanda não aumenta, então os preços não tendem a subir.
d) A demanda aumenta ou os preços não tendem a subir.
e) Os preços não tendem a subir, e a demanda aumenta.
RESOLUÇÃO:
O enunciado da questão pergunta sobre a negação de um condicional. Sejam
p e q, respectivamente, “a demanda aumenta” e “os preços tendem a subir”.
Haja vista que a negação condicional é equivalente ao antecedente unido por
uma conjunção à negação do consequente, simbolicamente, temos que:

~(p ⟶ q) =p ^ ~q

Com isso, seguimos os três passos:


1º) Mantém a primeira parte: “a demanda aumenta”.
2º) Negamos a segunda parte: “os preços não tendem a subir”.
3º) Trocamos "Se então" por "e": “a demanda aumenta E os preços não
tendem a subir”.
Gabarito 105: E

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 86 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

106- (VUNESP/MPE-SP/Oficial de Promotoria/2016) Dada a proposição:


“Se Daniela pratica natação ou ensaia no coral, então é quarta-feira e não é
feriado”, sua negação pode ser
a) Se Daniela não pratica natação ou não ensaia no coral, então não é quarta-
feira e é feriado.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

b) Se não é quarta-feira ou é feriado, então Daniela não pratica natação e não


ensaia no coral.
c) Se Daniela não pratica natação e não ensaia no coral, então não é quarta-
feira ou é feriado.
d) Daniela pratica natação ou ensaia no coral, e não é quarta-feira ou é feriado.
e) Daniela não pratica natação e não ensaia no coral, e é quarta-feira e não é
feriado.
RESOLUÇÃO:
O enunciado fornece a seguinte proposição composta formada por um conectivo
condicional: ”Se Daniela pratica natação ou ensaia no coral, então é quarta-
feira e não é feriado”. Pede-se a negação de tal proposição.
Sejam as proposições simples:
a: Daniela pratica natação
b: Daniela ensaia no coral
c: é quarta-feira
d: é feriado
Observando o antecedente e o consequente do condicional, podemos identificar
as proposições compostas abaixo:
1ª) Disjunção inclusiva: “Daniela pratica natação ou ensaia no coral”, ou seja,
(a ˅ b), que chamaremos de “P”
2ª) Conjunção: “é quarta-feira e não é feriado”, ou seja, (c ^ ~d), que chama-
remos de “Q”.
Dessa forma, podemos representar a negação da proposição condicional do
enunciado conforme a seguir:

~(P ⟶ Q) = ~[(a ˅ b) ⟶ (c ^ ~d)]

Uma vez que a negação de um condicional é ~(P ⟶ Q) = (P ^ ~Q), seguire-


mos os três passos:
1º) Mantém a primeira parte:
P = (a ˅ b) = “Daniela pratica natação ou ensaia no coral”

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 87 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

2º) Negamos a segunda parte:


~Q = ~(c ^ ~d) = = (~c ˅ d) = “não é quarta-feira ou é feriado”
3º) Trocamos "Se então" por "e":
“Daniela pratica natação ou ensaia no coral, E não é quarta-feira ou é
feriado”
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Gabarito 106: D

107- (PUC PR/TJ-PR/Analista Judiciário/2017) Arno, especialista em


lógica, perguntou: qual a negação de “hoje é carnaval se, e somente se, for 8
ou 9 de fevereiro”?
A resposta CORRETA é:
a) Hoje não é carnaval se, e somente se, não for 8 ou 9 de fevereiro.
b) Hoje não é carnaval e não é 8 nem 9 de fevereiro.
c) Hoje não é carnaval e é 8 ou 9 de fevereiro ou hoje é carnaval e não é 8 nem
9 de fevereiro.
d) Hoje é carnaval e é 8 de fevereiro.
e) O carnaval não é no mês de fevereiro.
RESOLUÇÃO:
O enunciado da questão pergunta sobre a negação de uma proposição composta
unida pelo conectivo bicondicional.
Sejam as proposições:
p: hoje é carnaval
q: hoje é for 8 de fevereiro
r: hoje é for 9 de fevereiro
Assim sendo, a proposição bicondicional do enunciado pode ser representada
da seguinte forma:

p ⟷ (q ˅ r)

Onde:
p = antecedente da proposição bicondicional
(q ˅ r) = consequente da proposição bicondicional
Adotaremos os seguintes passos:
1º) Identificaremos a Equivalência do Bicondicional, que, como sabemos,
nada mais é que uma conjunção de duas condicionais.
Por exemplo: A ⟷ B = (A ⟶ B) ^ (B ⟶ A)

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 88 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Aplicando tal equivalência à proposição do enunciado, temos a seguinte propo-


sição:

p ⟷ (q ˅ r) = [p ⟶ (q ˅ r)] ^ [(q ˅ r) ⟶ p]

2º) Negaremos a conjunção acima, negando ambas as partes (condicionais)


Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

que a compõe e trocando o E pelo OU:


- Negação da 1ª parte: ~[p ⟶ (q ˅ r)] = [p ^ ~(q ˅ r)] = [p ^ (~q ^ ~r)]
- Negação da 2ª parte: ~[(q ˅ r) ⟶ p] = [(q ˅ r) ^ p)] = [(q ˅ r) ^ ~p]
Logo, temos a seguinte negação equivalente:

~[p ⟷ (q ˅ r)] = [p ^ (~q ^ ~r)] ˅ [(q ˅ r) ^ ~p]

3º) Substituirmos os termos na proposição acima


Hoje é carnaval e não é 8 e nem 9 de fevereiro OU hoje é 8 ou 9 de fe-
vereiro e não é carnaval.
Note que a resposta da questão está em outra ordem: “ Hoje não é carnaval e
é 8 ou 9 de fevereiro ou hoje é carnaval e não é 8 nem 9 de fevereiro”.
Gabarito 107: C

108- (Instituto AOCP/CM-Maringá/Assessor/2017) Considere a


afirmação condicional: “Se Mariana atende o telefone, então Paulo não está em
casa ou Paulo está ocupado”. Quando essa afirmação condicional será falsa?
a) “Mariana atende o telefone quando Paulo está em casa e não está ocupado.”
b) “Mariana não atende o telefone quando Paulo está em casa e não está
ocupado.”
c) “Mariana atende o telefone quando Paulo está em casa.”
d) “Mariana atende o telefone quando Paulo não está em casa e Paulo está
ocupado.”
e) “Mariana não atende o telefone quando Paulo está em casa ou Paulo não está
ocupado.”
RESOLUÇÃO:
A questão fornece uma proposição composta formada por um conectivo condi-
cional: “Se Mariana atende o telefone, então Paulo não está em casa ou Paulo
está ocupado”.
Pergunta-se qual é a afirmação condicional falsa equivalente, ou seja, qual a
negação equivalente de tal proposição.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 89 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Sejam as proposições:
p: Mariana atende o telefone
q: Paulo está em casa
r: Paulo está ocupado
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Simbolicamente, podemos representar a proposição condicional do enunciado


da seguinte forma:

p ⟶ (~q ˅ r)

Onde:
p = antecedente da proposição condicional
(~q ˅ r) = consequente da proposição condicional
Por sua vez, a negação de tal proposição condicional equivale-se à seguinte
conjunção:

p ⟶ (~q ˅ r) = p ^ ~(~q ˅ r)

Para identificarmos a proposição de negação requerida, basta realizarmos os


seguintes passos:
1º) Mantemos a primeira parte: Mariana atende o telefone.
2º) Negamos a segunda parte:
~(~q ˅ r) = (q ^ ~r) = Paulo está em casa ou Paulo não está ocupado
3º) Alocamos as proposições p e (q ^~r) nos moldes da equivalência de con-
junção:
Mariana atende o telefone E Paulo está em casa e Paulo não está ocu-
pado
A partir da proposição acima, encontramos a resposta correta na letra A. Note
que a proposição de tal alternativa substitui o termo “e” por “quando”, man-
tendo o mesmo significado.
Gabarito 108: A

109- (IADES/SUDAM/Analista Técnico-Administrativo/2013) A


proposição que melhor expressa a negação de “Se não chove no Amazonas,
então neva no Tocantins” é
a) Se chove no Amazonas, então não neva no Tocantins.
b) Se não chove no Amazonas, então não neva no Tocantins.
c) Não chove no Amazonas e não neva no Tocantins.
d) Chove no Amazonas e neva no Tocantins.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 90 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

e) Chove no Amazonas e não neva no Tocantins.


RESOLUÇÃO:
Sejam p e q, respectivamente, “chove no Amazonas” e “neva no Tocantins”, a
negação equivalente da proposição condicional de tais termos nos leva à
seguinte expressão:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

~(~p ⟶ q) =~ p ^ ~q

Em palavras: Não chove no Amazonas E não neva no Tocantins.


Gabarito 109: C

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 91 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

LISTA DE QUESTÕES
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

1- (FCC/TRT 2ª Região/Técnico Judiciário/2018) Se o veículo


ultrapassar os 50 km/h, então seu motorista será multado.
Uma afirmação equivalente à afirmação anterior é:
a) Se o motorista não foi multado, então seu veículo ultrapassou os 50 km/h.
b) O veículo não ultrapassou os 50 km/h e seu motorista não será multado.
c) O veículo não ultrapassa os 50 km/h ou seu motorista é multado.
d) Se o motorista foi multado, então seu veículo ultrapassou os 50 km/h.
e) O motorista só será multado se o veículo ultrapassar os 50 km/h.

2- (FCC/ ALMS/ Analista em Recursos Humanos/2016) Se João canta


ou Maria sorri, então Josefa chora e Luiza não grita. Do ponto de vista lógico,
uma afirmação equivalente a afirmação anterior é
a) Se Luiza grita ou Josefa não chora, então João não canta e Maria não sorri.
b) Se João não canta ou Maria não sorri, então Josefa não chora e Luiza grita.
c) João canta ou Maria sorri, e Josefa não chora e Luiza grita.
d) Se João canta, então Josefa chora e se Maria sorri, então Luiza grita.
e) Se Luiza não grita e Josefa chora, então João canta ou Maria sorri.

3- (FCC/ SEFAZ PE/Julgador Administrativo Tributário/2015) Ob-


serve a afirmação a seguir, feita pelo prefeito de uma grande capital.
Se a inflação não cair ou o preço do óleo diesel aumentar, então o preço das
passagens de ônibus será reajustado.
Uma maneira logicamente equivalente de fazer esta afirmação é:
a) Se a inflação cair e o preço do óleo diesel não aumentar, então o preço das
passagens de ônibus não será reajustado.
b) Se a inflação cair ou o preço do óleo diesel aumentar, então o preço das
passagens de ônibus não será reajustado.
c) Se o preço das passagens de ônibus for reajustado, então a inflação não terá
caído ou o preço do óleo diesel terá aumentado.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 92 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

d) Se o preço das passagens de ônibus não for reajustado, então a inflação terá
caído ou o preço do óleo diesel terá aumentado.
e) Se o preço das passagens de ônibus não for reajustado, então a inflação terá
caído e o preço do óleo diesel não terá aumentado.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

4- (FCC/TRT 5ª Região/Analista Judiciário/2013) Leia a instrução fic-


tícia reproduzida a seguir e suponha que ela seja sempre cumprida.
“Sempre que um Oficial de Justiça executar uma intimação, ele deverá estar
acompanhado por um Policial Federal.”
Nessas condições, é correto concluir que, necessariamente,
a) os Oficiais de Justiça deverão estar acompanhados por um Policial Federal
durante todo seu horário de trabalho.
b) um Oficial de Justiça só deverá solicitar o acompanhamento de um Policial
Federal quando for executar uma intimação.
c) sempre que um Oficial de Justiça estiver acompanhado por um policial, ele
deverá estar executando uma intimação.
d) se um Oficial de Justiça não estiver executando uma intimação, então ele não
poderá estar acompanhado por um Policial Federal.
e) se um Oficial de Justiça não estiver acompanhado por um Policial Federal,
então ele não estará executando uma intimação.

5- (FCC/TRF 3ª Região/Técnico Judiciário/2007) Se Lucia é pintora,


então ela é feliz. Portanto:
a) Se Lucia não é feliz, então ela não é pintora.
b) Se Lucia é feliz, então ela é pintora.
c) Se Lucia é feliz, então ela não é pintora.
d) Se Lucia não é pintora, então ela é feliz.
e) Se Lucia é pintora, então ela não é feliz.

6- (FCC/CVM/Analista de Sistemas/2003) Do ponto de vista lógico, se


for verdadeira a proposição condicional "se eu ganhar na loteria, então compra-
rei uma casa", necessariamente será verdadeira a proposição:
a) se eu não ganhar na loteria, então não comprarei uma casa.
b) se eu não comprar uma casa, então não ganhei na loteria.
c) se eu comprar uma casa, então terei ganho na loteria.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 93 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

d) só comprarei uma casa se ganhar na loteria.


e) só ganharei na loteria quando decidir comprar uma casa.

7- (FCC - 2010 - SJCDH-BA - Agente Penitenciário) Uma afirmação


equivalente à afirmação "Se bebo, então não dirijo" é
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

a) Se não bebo, então não dirijo.


b) Se não dirijo, então não bebo.
c) Se não dirijo, então bebo.
d) Se não bebo, então dirijo.
e) Se dirijo, então não bebo.

8- (FCC - AFTM SP/Pref SP/2007) Considere a seguinte proposição:


"Se um Auditor-Fiscal Tributário não participa de projetos de aperfeiçoamento,
então ele não progride na carreira."
Essa proposição é tautologicamente equivalente à proposição:
a) Não é verdade que, ou um Auditor-Fiscal Tributário não progride na carreira
ou ele participa de projetos de aperfeiçoamento.
b) Se um Auditor-Fiscal Tributário participa de projetos de aperfeiçoamento,
então ele progride na carreira.
c) Não é verdade que, um Auditor-Fiscal Tributário não participa de projetos de
aperfeiçoamento e não progride na carreira.
d) Ou um Auditor-Fiscal Tributário não progride na carreira ou ele participa de
projetos de aperfeiçoamento.
e) Um Auditor-Fiscal Tributário participa de projetos de aperfeiçoamento e pro-
gride na carreira.

9- (FCC/DPE RS/Analista/2017) Considere a afirmação:


Se sou descendente de italiano, então gosto de macarrão e gosto de parmesão.
Uma afirmação que corresponde à negação lógica desta afirmação é
a) Sou descendente de italiano e, não gosto de macarrão ou não gosto de
parmesão.
b) Se não sou descendente de italiano, então não gosto de macarrão e não
gosto de parmesão.
c) Se gosto de macarrão e gosto de parmesão, então não sou descendente de
italiano.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 94 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

d) Não sou descendente de italiano e, gosto de macarrão e não gosto de


parmesão.
e) Se não gosto de macarrão e não gosto de parmesão, então não sou
descendente de italiano.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

10- (FCC/TRT 11ª Região/Técnico Judiciário/2017) A frase que


corresponde à negação lógica da afirmação: Se o número de docinhos
encomendados não foi o suficiente, então a festa não acabou bem, é
a) Se o número de docinhos encomendados foi o suficiente, então a festa acabou
bem.
b) O número de docinhos encomendados não foi o suficiente e a festa acabou
bem.
c) Se a festa não acabou bem, então o número de docinhos encomendados não
foi o suficiente.
d) Se a festa acabou bem, então o número de docinhos encomendados foi o
suficiente.
e) O número de docinhos encomendados foi o suficiente e a festa não acabou
bem.

11- (FCC/DPE RR/Auxiliar Administrativo/2015) Maria disse: Gerusa


estava doente e não foi trabalhar. Sabe-se que Maria mentiu. Sendo assim, é
correto afirmar que
a) Gerusa não estava doente, mas não foi trabalhar.
b) Gerusa não estava doente e não foi trabalhar.
c) Gerusa não estava doente ou foi trabalhar.
d) se Gerusa foi trabalhar, então não estava doente.
e) Gerusa estava doente ou foi trabalhar.

12- (FCC/TCE-CE/Técnico de Controle Externo/2015) Um casal está no


supermercado fazendo compras do mês e o marido diz para a esposa: “Vamos
comprar macarrão ou arroz integral”. A esposa negando a afirmação diz:
a) Se vamos comprar macarrão, então não vamos comprar arroz integral.
b) Não vamos comprar macarrão ou não vamos comprar arroz integral.
c) Se não vamos comprar macarrão, então não vamos comprar arroz integral.
d) Não vamos comprar macarrão e não vamos comprar arroz integral.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 95 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

e) Se não vamos comprar macarrão, então vamos comprar arroz integral.

13- (FCC/TRT 16ª Região/Técnico Judiciário/2014) Não gosto de ficar


em casa e vou ao cinema todos os dias.
Do ponto de vista lógico, uma afirmação que corresponde a uma negação dessa
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

afirmação é:
a) Não gosto de sair de casa e não vou ao cinema todos os dias.
b) Vou ao cinema todos os dias e gosto de ficar em casa.
c) Não vou ao cinema todos os dias ou não gosto de ficar em casa.
d) Se não gosto de ficar em casa, então vou ao cinema todos os dias.
e) Gosto de ficar em casa ou não vou ao cinema todos os dias.

14- (FCC/PGE-BA/Assistente de Procuradoria/2013) A negação de


“Ruy Barbosa é abolicionista e Senador Dantas é baiano” é:
a) Ruy Barbosa não é abolicionista e Senador Dantas não é baiano.
b) Ruy Barbosa é baiano e Senador Dantas é abolicionista.
c) Ruy Barbosa não é abolicionista ou Senador Dantas não é baiano.
d) Ruy Barbosa é baiano ou Senador Dantas não é abolicionista.
e) Ruy Barbosa é Senador Dantas e Senador Dantas é Ruy Barbosa.

15- (FCC/TRT 18ª/Técnico Judiciário/2008) Considere as proposições:

A negação da proposição é
a) Se Dalila não é linda, então Sansão é forte.
b) Se Sansão não é forte, então Dalila não é linda.
c) Não é verdade que Sansão é forte e Dalila é linda.
d) Sansão não é forte ou Dalila é linda.
e) Sansão não é forte e Dalila é linda.

16- (FCC/TRT 16ª Região/Técnico Judiciário/2014)


”Não gosto de ficar em casa e vou ao cinema todos os dias”.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 96 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Do ponto de vista lógico, uma afirmação que corresponde a uma negação dessa
afirmação é:
a) Não gosto de sair de casa e não vou ao cinema todos os dias.
b) Vou ao cinema todos os dias e gosto de ficar em casa.
c) Não vou ao cinema todos os dias ou não gosto de ficar em casa.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

d) Se não gosto de ficar em casa, então vou ao cinema todos os dias.


e) Gosto de ficar em casa ou não vou ao cinema todos os dias.

17- (FCC/PGE-BA/Assistente de Procuradoria/2013) A negação de


“Ruy Barbosa é abolicionista e Senador Dantas é baiano” é:
a) Ruy Barbosa não é abolicionista e Senador Dantas não é baiano.
b) Ruy Barbosa é baiano e Senador Dantas é abolicionista.
c) Ruy Barbosa não é abolicionista ou Senador Dantas não é baiano.
d) Ruy Barbosa é baiano ou Senador Dantas não é abolicionista.
e) Ruy Barbosa é Senador Dantas e Senador Dantas é Ruy Barbosa.

18- (CESPE/DPU/Analista Técnico-Administrativo/2015) Conside-


rando a proposição P: “Se João se esforçar o bastante, então João conseguirá o
que desejar”, julgue o item a seguir.
A proposição “Se João não conseguiu o que desejava, então João não se esfor-
çou o bastante” é logicamente equivalente à proposição P.

19- (CESPE/DPU/Analista Técnico-Administrativo/2015) Conside-


rando a proposição P: “Se João se esforçar o bastante, então João conseguirá o
que desejar”, julgue o item a seguir.
A proposição “João não se esforça o bastante ou João conseguirá o que desejar”
é logicamente equivalente à proposição P.

20- (CESPE/ABIN/ATI/Administração/2010) A proposição "um papel é


rascunho ou não tem mais serventia para o desenvolvimento dos trabalhos" é
equivalente a "se um papel tem serventia para o desenvolvimento dos traba-
lhos, então é um rascunho".

21- (CESPE - Cons/SEFAZ-ES/2010) Considerando os símbolos lógi-


cos ¬ (negação), ∧ (conjunção), ∨ (disjunção), → (condicional) e as proposições

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 97 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

S: (p ∧ ¬q) ∨ (¬p ∧ r) → q ∨ r e T: ((p ∧ ¬ q) ∨ (¬p ∧ r)) ∧ (¬q ∧ ¬r), julgue o


item que se segue.
As proposições compostas ¬ S e T são equivalentes, ou seja, têm a mesma
tabela-verdade, independentemente dos valores lógicos das proposições sim-
ples p, q, e r que as constituem.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

22- (CESPE - Técnico Judiciário/TRE-ES/2011) Considere que P e Q se-


jam duas proposições que podem compor novas proposições por meio dos co-
nectivos lógicos ~, ∧, ∨ e →, os quais significam "não", "e", "ou" e "se, então",
respectivamente. Considere, ainda, que a negação de P, ~P (lê-se: não P) será
verdadeira quando P for falsa, e será falsa quando P for verdadeira; a conjunção
de P e Q, P ∧ Q (lê-se: P e Q) somente será verdadeira quando ambas, P e Q,
forem verdadeiras; a disjunção de P e Q, P ∨ Q (lê-se: P ou Q) somente será
falsa quando P e Q forem falsas; e a condicional de P e Q, P → Q (lê-se: se P,
então Q) somente será falsa quando P for verdadeira e Q falsa. Considere, por
fim, que a tabela-verdade de uma proposição expresse todos os valores lógicos
possíveis para tal proposição, em função dos valores lógicos das proposições
que a compõem. Com base nesse conjunto de informações, julgue o item se-
guinte.
As proposições ~[(P → Q) ∧ (Q → P)] e (~P ∧ Q) ∨ (~Q ∧ P) possuem tabelas-
verdade distintas.

23- (CESPE - Técnico Judiciário/TRE-ES/2011) Diz-se que as proposi-


ções P e Q são logicamente equivalentes quando possuem tabelas-verdade idên-
ticas, de modo que tais proposições assumem os mesmos valores lógicos em
função de suas proposições representa uma forma de expressar uma mesma
afirmação de diferentes maneiras. Considerando essas informações, julgue o
próximo item.
As proposições P ∧ Q → R e (P → R) ∨ (Q → R) são logicamente equivalentes.

24- (CESPE - Inspetor/PC-CE/2012) O exercício da atividade policial


exige preparo técnico adequado ao enfrentamento de situações de conflito e,
ainda, conhecimento das leis vigentes, incluindo interpretação e forma de apli-
cação dessas leis nos casos concretos. Sabendo disso, considere como verda-
deiras as proposições seguintes.
P1: Se se deixa dominar pela emoção ao tomar decisões, então o policial toma
decisões ruins.
P2: Se não tem informações precisas ao tomar decisões, então o policial toma
decisões ruins.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 98 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

P3: Se está em situação de estresse e não teve treinamento adequado, o policial


se deixa dominar pela emoção ao tomar decisões.
P4: Se teve treinamento adequado e se dedicou nos estudos, então o policial
tem informações precisas ao tomar decisões.
Com base nessas proposições, julgue o item a seguir.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

A proposição formada pela conjunção de P1 e P2 é logicamente equivalente à


proposição "Se se deixa dominar pela emoção ou não tem informações precisas
ao tomar decisões, então o policial toma decisões ruins".

25- (CESPE - Analista Legislativo/Câmara dos Deputados/2012) Em


uma comissão parlamentar de inquérito, um lobista, ao esclarecer que não teria
recebido dinheiro de certo empresário para pressionar pela aprovação de pro-
jeto de lei de interesse da empresa deste, assim argumentou: "Não conheço
esse empresário nem ouvi falar de sua empresa. Se não conheço o empresário
nem ouvi falar de sua empresa, não forneci meus dados bancários a ele. Se não
forneci meus dados bancários a ele, ele não depositou dinheiro em minha conta.
Se ele não depositou dinheiro em minha conta, eu não recebi dinheiro para
pressionar pela aprovação desse projeto de lei. Logo, eu não ouvi falar dessa
empresa nem recebi dinheiro para pressionar pela votação desse projeto de lei".
A partir da situação hipotética descrita acima, julgue o item a seguir.
A proposição "Se não forneci meus dados bancários a ele, ele não depositou
dinheiro em minha conta" é logicamente equivalente a "Se esse empresário de-
positou dinheiro em minha conta, então eu forneci meus dados bancários a ele".

26- (CESPE - Técnico Judiciário/TRE-RJ/2012) O cenário político de uma


pequena cidade tem sido movimentado por denúncias a respeito da existência
de um esquema de compra de votos dos vereadores. A dúvida quanto a esse
esquema persiste em três pontos, correspondentes às proposições P, Q e R,
abaixo:
P: O vereador Vitor não participou do esquema;
Q: O prefeito Pérsio sabia do esquema;
R: O chefe de gabinete do prefeito foi o mentor do esquema.
Os trabalhos de investigação de uma CPI da câmara municipal conduziram às
premissas P1, P2 e P3 seguintes:
P1: Se o vereador Vitor não participou do esquema, então o prefeito Pérsio não
sabia do esquema.
P2: Ou o chefe de gabinete foi o mentor do esquema, ou o prefeito Pérsio sabia
do esquema, mas não ambos.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 99 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

P3: Se o vereador Vitor não participou do esquema, então o chefe de gabinete


não foi o mentor do esquema.
Considerando essa situação hipotética, julgue o item seguinte, acerca de pro-
posições lógicas.
A premissa P1 é logicamente equivalente à proposição "Se o prefeito Pérsio
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

sabia do esquema, então o vereador Vitor participou do esquema".

27- (CESPE - Técnico Judiciário/TRE-RJ/2012) O cenário político de uma


pequena cidade tem sido movimentado por denúncias a respeito da existência
de um esquema de compra de votos dos vereadores. A dúvida quanto a esse
esquema persiste em três pontos, correspondentes às proposições P, Q e R,
abaixo:
P: O vereador Vitor não participou do esquema;
Q: O prefeito Pérsio sabia do esquema;
R: O chefe de gabinete do prefeito foi o mentor do esquema.
Os trabalhos de investigação de uma CPI da câmara municipal conduziram às
premissas P1, P2 e P3 seguintes:
P1: Se o vereador Vitor não participou do esquema, então o prefeito Pérsio não
sabia do esquema.
P2: Ou o chefe de gabinete foi o mentor do esquema, ou o prefeito Pérsio sabia
do esquema, mas não ambos.
P3: Se o vereador Vitor não participou do esquema, então o chefe de gabinete
não foi o mentor do esquema.
Considerando essa situação hipotética, julgue o item seguinte, acerca de pro-
posições lógicas.
A premissa P3 é logicamente equivalente à proposição "O vereador Vitor parti-
cipou do esquema ou o chefe de gabinete não foi o mentor do esquema".

28- (CESPE - Analista Judiciário/TRE-RJ/2012) P: Se não há autorização


legislativa ou indicação dos recursos financeiros correspondentes, então, não há
abertura de créditos suplementares ou de créditos especiais.
Considerando a proposição acima, que tem por base o art. 167, inciso V, da
Constituição Federal de 1988, julgue o item seguinte.
A proposição P é logicamente equivalente à proposição "Se há abertura de cré-
ditos suplementares ou de créditos especiais, então há autorização legislativa
ou indicação dos recursos financeiros correspondentes".

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 100 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

29- (CESPE/EBSERH/Analista/2018) Considere as seguintes proposi-


ções:
P: O paciente receberá alta
Q: O paciente receberá medicação
R: O paciente receberá visitas
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Se a proposição ~P  [Q V R] for verdadeira, será também verdadeira a propo-


sição ~[Q ^ R]  P.

30- (CESPE/ANCINE/Técnico em Regulação/2012) A proposição “Um


engenheiro de som é desnecessário em um filme se, e somente se, o filme em
questão é mudo” é logicamente equivalente a “Um engenheiro de som é desne-
cessário e o filme em questão é mudo ou um engenheiro de som é necessário e
o filme em questão não é mudo”.

31- (CESPE/MPU/Téc Adm/2013) Ao comentar a respeito da instabilidade


cambial de determinado país, um jornalista fez a seguinte colocação: “Ou cai o
ministro da Fazenda, ou cai o dólar”.
Acerca desse comentário, que constitui uma disjunção exclusiva, julgue o item
seguinte. A proposição do jornalista é equivalente a “Se não cai o ministro da
Fazenda, então cai o dólar”.

32- (CESPE/TCE-RS/Ofic Inst/2013) A proposição “Ou o cliente aceita as


regras ditadas pelo banco, ou o cliente não obtém o dinheiro” é logicamente
equivalente a “Se não aceita as regras ditadas pelo banco, o cliente não obtém
o dinheiro”.

33- (CESPE/CADE/Agente Administrativo/2014) Considerando os co-


nectivos lógicos usuais e que as letras maiúsculas representem proposições ló-
gicas simples, julgue o item seguinte acerca da lógica proposicional.
As proposições P ⟶ (~Q) e (~P) ˅ (~Q) são e equivalentes.

34- (CESPE/Caixa/Técnico Bancário Novo/2014) Considerando a pro-


posição “Se Paulo não foi ao banco, ele está sem dinheiro”, julgue o item se-
guinte.
A proposição considerada equivale à proposição “Se Paulo não está sem di-
nheiro, ele foi ao banco”.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 101 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

35- (CESPE/AnaTA/MIN/2013) Ao comentar a respeito da qualidade dos


serviços prestados por uma empresa, um cliente fez as seguintes afirmações:
P1: Se for bom e rápido, não será barato.
P2: Se for bom e barato, não será rápido.
P3: Se for rápido e barato, não será bom.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Com base nessas informações, julgue o item seguinte.


A proposição P2 é logicamente equivalente a “Ou o serviço é bom e barato, ou
é rápido”.

36- (CESPE/ANATEL/Técnico Administrativo/2012) Supondo que, por


determinação da ANATEL, as empresas operadoras de telefonia móvel tenham
enviado a seguinte mensagem a seus clientes: “Caso não queira receber men-
sagem publicitária desta prestadora, envie um SMS gratuito com a palavra SAIR
para 1111”, julgue o próximo item, considerando que a mensagem corresponda
à proposição P.
A proposição P é logicamente equivalente à proposição “Queira receber mensa-
gem publicitária desta prestadora ou envie um SMS gratuito com a palavra SAIR
para 1111.”

37- (CESPE/SUFRAMA/Agente Administrativo/2014) Considere as se-


guintes proposições:
P1: Se o Brasil reduzir as formalidades burocráticas e o nível de desconfiança
nas instituições públicas, eliminar obstáculos de infraestrutura e as ineficiências
no trânsito de mercadorias e ampliar a publicação de informações envolvendo
exportação e importação, então o Brasil reduzirá o custo do comércio exterior.
P2: Se o Brasil reduzir o custo do comércio exterior, aumentará o fluxo de trocas
bilaterais com outros países.
C: Se o Brasil reduzir o nível de desconfiança nas instituições públicas, aumen-
tará o fluxo de trocas bilaterais com outros países.
A partir dessas proposições, julgue o item seguinte a respeito de lógica senten-
cial.
A proposição P2 é logicamente equivalente à proposição “O Brasil não reduz o
custo do comércio exterior, ou aumentará o fluxo de trocas bilaterais com outros
países”.

38- (CESPE/STJ/Técnico Judiciário/2015) Designando por p e q as pro-


posições “Mariana tem tempo suficiente para estudar” e “Mariana será aprovada

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 102 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

nessa disciplina”, respectivamente, então a proposição “Mariana não tem tempo


suficiente para estudar e não será aprovada nesta disciplina” é equivalente a
¬p ^ ¬q.

39- (CESPE/SUFRAMA/ANATA/2014) Considerando que P seja a propo-


Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

sição “O atual dirigente da empresa X não apenas não foi capaz de resolver os
antigos problemas da empresa como também não conseguiu ser inovador nas
soluções para os novos problemas”, julgue o item a seguir a respeito de lógica
sentencial.
A negação da proposição P está corretamente expressa por “O atual dirigente
da empresa X foi capaz de resolver os antigos problemas da empresa ou con-
seguiu ser inovador nas soluções para os novos problemas”.

40- (CESPE/ANATEL/Técnico Administrativo/2012) A negação da pro-


posição “Ocorre falha técnica na chamada ou a operadora interrompe a chamada
de forma proposital” é corretamente expressa por “Não ocorre falha técnica na
chamada nem a operadora interrompe a chamada de forma proposital”.

41- (CESPE/DPU/Analista Técnico-Administrativo/2015) Conside-


rando a proposição P: “Se João se esforçar o bastante, então João conseguirá o
que desejar”, julgue o item a seguir.
A negação da proposição P pode ser corretamente expressa por “João não se
esforçou o bastante, mas, mesmo assim, conseguiu o que desejava”.

42- (CESPE/Caixa/Técnico Bancário Novo/2014) Considerando a pro-


posição “Se Paulo não foi ao banco, ele está sem dinheiro”, julgue o item se-
guinte.
A negação da referida proposição pode ser expressa pela proposição “Paulo não
foi ao banco e ele não está sem dinheiro”.

43- (CESPE/TRE-ES/Operação de Computadores/2011) A negação da


proposição "Marcos gosta de estudar, mas não gosta de fazer provas" é logica-
mente equivalente à proposição "Marcos não gosta de estudar e gosta de fazer
provas".

44- (CESPE/Polícia Federal/EPF/2013) A negação da proposição “Pedro


Henrique não será eliminado na investigação social e ele atende aos outros re-
quisitos” estará corretamente redigida da seguinte forma: “Pedro Henrique será

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 103 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

eliminado na investigação social e ele não atende a algum dos outros requisi-
tos”.

45- (CESPE/IBAMA/Analista Administrativo/2013) A negação da pro-


posição “Houve alternância de climas quentes e frios e a presença humana no
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

planeta é recente” pode ser expressa por “Não houve alternância de climas
quentes e frios ou a presença humana no planeta não é recente”.

46- (CESPE/Polícia Federal/Agente Administrativo/2014) Conside-


rando que P seja a proposição “Não basta à mulher de César ser honesta, ela
precisa parecer honesta”, julgue o item seguinte, acerca da lógica sentencial.
A negação da proposição P está corretamente expressa por “Basta à mulher de
César ser honesta ou ela não precisa parecer honesta”.

47- (CESPE/MPU/Apoio Técnico e Administrativo/2013) A negação da


proposição “Não apareceram interessados na licitação anterior e ela não pode
ser repetida sem prejuízo para a administração” está corretamente expressa
por “Apareceram interessados na licitação anterior ou ela pode ser repetida sem
prejuízo para a administração”.
48- (CESPE/MDIC/ANATA/2014) A negação da proposição “A Brasil Cen-
tral é uma das ruas mais movimentadas do centro da cidade e lá o preço dos
aluguéis é alto” está corretamente expressa por “A Brasil Central não é uma das
ruas mais movimentadas do centro da cidade ou lá o preço dos aluguéis não é
alto”.

49- (CESPE/Polícia Civil-CE/Inspetor/2012) A negação da proposição


"Se houver corrupção, os níveis de violência crescerão" é equivalente a "Se não
houver corrupção, os níveis de violência não crescerão".

50- (CESPE/PREVIC/Técnico Administrativo/2011) A negação da pro-


posição “Se um trabalhador tinha qualidade de segurado da previdência social
ao falecer, então seus dependentes têm direito a pensão” é logicamente equi-
valente à proposição “Um trabalhador tinha qualidade de segurado da previdên-
cia social ao falecer, mas seus dependentes não têm direito a pensão”.

51- (CESPE/Polícia Federal/Agente/2012) Um jovem, ao ser flagrado no


aeroporto portando certa quantidade de entorpecentes, argumentou com os po-
liciais conforme o esquema a seguir:

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 104 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

Premissa 1: Eu não sou traficante, eu sou usuário;


Premissa 2: Se eu fosse traficante, estaria levando uma grande quantidade de
droga e a teria escondido;
Premissa 3: Como sou usuário e não levo uma grande quantidade, não escondi
a droga.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Conclusão: Se eu estivesse levando uma grande quantidade, não seria usuário.


Considerando a situação hipotética apresentada acima, julgue o item a seguir.
A proposição correspondente à negação da premissa 2 é logicamente equiva-
lente a "Como eu não sou traficante, não estou levando uma grande quantidade
de droga ou não a escondi".

52- (CESPE/TC-DF/Analista de Controle Externo/2012) Com a finali-


dade de reduzir as despesas mensais com energia elétrica na sua repartição, o
gestor mandou instalar, nas áreas de circulação, sensores de presença e de
claridade natural que atendem à seguinte especificação:
P: A luz permanece acesa se, e somente se, há movimento e não há claridade
natural suficiente no recinto.
Acerca dessa situação, julgue o item seguinte.
A negação da especificação P é logicamente equivalente à proposição "A luz não
permanece acesa se, e somente se, não há movimento ou há claridade natural
suficiente no recinto".

53- (ESAF/MPOG/APO/2015) Dizer que “Se Marco é marinheiro, então Mí-


riam é mãe” equivale a dizer que
a) se Míriam é mãe, Marco não é marinheiro.
b) se Marco não é marinheiro, então Míriam não é mãe.
c) se Míriam não é mãe, então Marco não é marinheiro.
d) Marco é marinheiro ou Míriam é mãe.
e) Marco não é marinheiro e Míriam não é mãe.

54- (ESAF/ANEEL/Técnico-Administrativo/2006) Uma sentença logica-


mente equivalente a “Se Ana é bela, então Carina é feia” é:
a) Se Ana não é bela, então Carina não é feia.
b) Ana é bela ou Carina não é feia.
c) Se Carina é feia, Ana é bela.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 105 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

d) Ana é bela ou Carina é feia.


e) Se Carina não é feia, então Ana não é bela.

55- (ESAF/SEFAZ–MG/Gestor Fazendário/2005) A afirmação "Não é


verdade que, se Pedro está em Roma, então Paulo está em Paris" é logicamente
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

equivalente à afirmação:
a) É verdade que 'Pedro está em Roma e Paulo está em Paris'.
b) Não é verdade que 'Pedro está em Roma ou Paulo não está em Paris'.
c) Não é verdade que 'Pedro não está em Roma ou Paulo não está em Paris'.
d) Não é verdade que 'Pedro não está em Roma ou Paulo está em Paris'.
e) É verdade que 'Pedro está em Roma ou Paulo está em Paris'.

56- (ESAF/Ministério do Turismo/ANATA/2014) A proposição “se Cata-


rina é turista, então Paulo é estudante” é logicamente equivalente a
a) Catarina não é turista ou Paulo não é estudante.
b) Catarina é turista e Paulo não é estudante.
c) Se Paulo não é estudante, então Catarina não é turista.
d) Catarina não é turista e Paulo não é estudante.
e) Se Catarina não é turista, então Paulo não é estudante.

57- (ESAF/Ministério da Fazenda/ATA/2009) X e Y são números tais


que: Se X ≤ 4, então Y>7. Sendo assim:
a) Se Y ≤ 7, então X > 4.
b) Se Y > 7, então X ≥ 4.
c) Se X ≥ 4, então Y < 7.
d) Se Y < 7, então X ≥ 4.
e) Se X < 4, então Y ≥ 7.

58- (ESAF/MPOG/APO/2001) Dizer que “André é artista ou Bernardo não


é engenheiro” é logicamente equivalente a dizer que:
a) André é artista se e somente se Bernardo não é engenheiro.
b) Se André é artista, então Bernardo não é engenheiro.
c) Se André não é artista, então Bernardo é engenheiro.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 106 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“
Matéria: Raciocínio Lógico
Teoria e questões comentadas
Prof. Alex Lira

d) Se Bernardo é engenheiro, então André é artista.


e) André não é artista e Bernardo é engenheiro.

59- (ESAF/CGU/Analista de Finanças e Controle/2002) Dizer que não


é verdade que Pedro é pobre e Alberto é alto, é logicamente equivalente a dizer
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

que é verdade que:


a) Pedro não é pobre ou Alberto não é alto.
b) Pedro não é pobre e Alberto não é alto.
c) Pedro é pobre ou Alberto não é alto.
d) se Pedro não é pobre, então Alberto é alto.
e) se Pedro não é pobre, então Alberto não é alto.

60- (ESAF/MPOG/EPPGG/2009) A negação de "Maria comprou uma blusa


nova e foi ao cinema com José" é:
a) Maria não comprou uma blusa nova ou não foi ao cinema com José.
b) Maria não comprou uma blusa nova e foi ao cinema sozinha.
c) Maria não comprou uma blusa nova e não foi ao cinema com José.
d) Maria não comprou uma blusa nova e não foi ao cinema.
e) Maria comprou uma blusa nova, mas não foi ao cinema com José.

61- (ESAF/MF/Analista Técnico-Administrativo/2013) A negação da


proposição “Brasília é a Capital Federal e os Territórios Federais integram a
União” é:
a) Brasília não é a Capital Federal e os Territórios Federais não integram a União.
b) Brasília não é a Capital Federal ou os Territórios Federais não integram a
União.
c) Brasília não é a Capital Federal ou os Territórios Federais integram a União.
d) Brasília é a Capital Federal ou os Territórios Federais não integram a União.
e) Brasília não é a Capital Federal e os Territórios Federais integram a União.

62- (ESAF/ANEEL/Especialista em Regulação/2006) Dizer que não é


verdade que A = B e C = D, é logicamente equivalente a dizer que é verdade
que:
a) A não é B e C não é D.

Prof. Alex Lira www.exponencialconcursos.com.br Página 107 de 123


`ˆÌi`Ê܈̅Ê̅iÊ`i“œÊÛiÀȜ˜ÊœvÊ
˜vˆÝÊ*ÀœÊ* Ê `ˆÌœÀÊ

/œÊÀi“œÛiÊ̅ˆÃʘœÌˆVi]ÊۈÈÌ\Ê
ÜÜÜ°ˆVi˜ˆ°Vœ“É՘œVŽ°…Ì“