Você está na página 1de 13

NORMA ABNT NBR

BRASILEIRA 16655-3

EMENDA 1
11.07.2019

Instalação de sistemas residenciais de


ar-condicionado — Split e compacto
Parte 3: Método de cálculo da carga térmica
residencial
Installation of residential air conditioning systems — Split and compact
Part 3: Residential heat load calculation method
Exemplar gratuito para uso exclusivo - RAFAEL IZIDIO LIBARINO - 081.364.219-19 Gerado: 23/05/2020)

ICS 23.120; 97.040.30

Número de referência
ABNT NBR 16655-3:2018/Em1:2019
9 páginas

© ABNT 2019
ABNT NBR 16655-3:2018/Em1:2019
Exemplar gratuito para uso exclusivo - RAFAEL IZIDIO LIBARINO - 081.364.219-19 Gerado: 23/05/2020)

© ABNT 2019
Todos os direitos reservados. A menos que especificado de outro modo, nenhuma parte desta publicação pode ser
reproduzida ou utilizada por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia e microfilme, sem permissão por
escrito da ABNT.

ABNT
Av.Treze de Maio, 13 - 28º andar
20031-901 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: + 55 21 3974-2300
Fax: + 55 21 3974-2346
abnt@abnt.org.br
www.abnt.org.br

ii © ABNT 2019 - Todos os direitos reservados


ABNT NBR 16655-3:2018/Em1:2019

Prefácio

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Foro Nacional de Normalização. As Normas


Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB), dos Organismos
de Normalização Setorial (ABNT/ONS) e das Comissões de Estudo Especiais (ABNT/CEE), são
elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas pelas partes interessadas no tema objeto
da normalização.

Os Documentos Técnicos ABNT são elaborados conforme as regras da ABNT Diretiva 2.

A ABNT chama a atenção para que, apesar de ter sido solicitada manifestação sobre eventuais direitos
de patentes durante a Consulta Nacional, estes podem ocorrer e devem ser comunicados à ABNT
a qualquer momento (Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996).

Os Documentos Técnicos ABNT, assim como as Normas Internacionais (ISO e IEC), são voluntários
e não incluem requisitos contratuais, legais ou estatutários. Os Documentos Técnicos ABNT não
substituem Leis, Decretos ou Regulamentos, aos quais os usuários devem atender, tendo precedência
sobre qualquer Documento Técnico ABNT.

Ressalta-se que os Documentos Técnicos ABNT podem ser objeto de citação em Regulamentos
Técnicos. Nestes casos, os órgãos responsáveis pelos Regulamentos Técnicos podem determinar as
Exemplar gratuito para uso exclusivo - RAFAEL IZIDIO LIBARINO - 081.364.219-19 Gerado: 23/05/2020)

datas para exigência dos requisitos de quaisquer Documentos Técnicos ABNT.

Esta Emenda 1 da ABNT NBR 16655-3 foi elaborada no Comitê Brasileiro de Refrigeração,
Ar-condicionado, Ventilação e Aquecimento (ABNT/CB-055), pela Comissão de Estudo de
Equipamentos de Expansão Direta Divididos e Compactos (CE-055:002.005). O 1º Projeto de
Emenda 1 circulou em Consulta Nacional conforme Edital nº 10, de 15.10.2018 a 13.11.2018.
O 2º Projeto de Emenda 1 circulou em Consulta Nacional conforme Edital nº 05, de 30.05.2019
a 01.07.2019.

Esta Emenda 1 revisa parte do conteúdo da ABNT NBR 16655-3:2018, sendo mantido o restante do
seu conteúdo inalterado.

Esta Emenda 1, de 11.07.2019, em conjunto com a ABNT NBR 16655-3:2018, equivale à


ABNT NBR 16655-3:2019.

© ABNT 2019 - Todos os direitos reservados iii


Exemplar gratuito para uso exclusivo - RAFAEL IZIDIO LIBARINO - 081.364.219-19 Gerado: 23/05/2020)
ABNT NBR 16655-3:2018/Em1:2019

Instalação de sistemas residenciais de ar-condicionado — Split e compacto


Parte 3: Método de cálculo da carga térmica residencial

EMENDA 1

Página 14, Anexo A

Substituir por:
Exemplar gratuito para uso exclusivo - RAFAEL IZIDIO LIBARINO - 081.364.219-19 Gerado: 23/05/2020)

© ABNT 2019 - Todos os direitos reservados 1


ABNT NBR 16655-3:2018/Em1:2019

Anexo A
(informativo)

Exemplo do cálculo de carga

A.1 Para este exemplo, é adotado como referência a cidade de São Paulo/SP, em um ambiente de
sala de estar, conforme o desenho fora de escala apresentado na Figura A.1.

Ambiente com Ambiente com


ar-condicionado ar-condicionado

Face noroeste Face sudeste


com janela com janela
6m contínua + contínua +
parede parede
Exemplar gratuito para uso exclusivo - RAFAEL IZIDIO LIBARINO - 081.364.219-19 Gerado: 23/05/2020)

A A

Ambiente interno
não condicionado

10 m
0,25 m

2,5 m Janela com Janela com 1,25 m


vidro simples Corte A - A vidro simples

1,0 m

Figura A.1 – Arranjo físico da sala

2 © ABNT 2019 - Todos os direitos reservados


ABNT NBR 16655-3:2018/Em1:2019

A.2 O cálculo da transmissão de calor pelas superfícies externas e internas é apresentado nas
Tabelas A.1 a A.12.

Tabela A.1 – Descrição do ambiente e suas superfícies


Resistividade
Descrição Característica Comentário térmica
(m2.°C)/W
Filme externo do ar + reboque +
Paredes externas Ver Tabela 5 0,426
tijolo de cimento + reboque
Filme interno do ar + drywall +
Parede interna Ver Tabela 6 0,394
filme interno do ar
Filme interno do ar + concreto de 0,321
Laje superior e
laje maciça e contrapiso + filme Ver Tabela 6
inferior
interno do ar
Filme interno do ar + concreto
Laje superior
de laje maciça e contrapiso +
e inferior com Ver Tabela 5 0,904
isolamento de 25 mm de lã de
isolamento
vidro filme interno do ar
Exemplar gratuito para uso exclusivo - RAFAEL IZIDIO LIBARINO - 081.364.219-19 Gerado: 23/05/2020)

Janela externa Filme externo do ar + vidro de


Ver Tabela 6 0,173
simples 6 mm + filme interno do ar
NOTA As portas não são consideradas.

A.2.1 A temperatura de bulbo seco do ambiente interno não condicionado é igual à temperatura de
bulbo seco do ar externo (32,1 °C) + 3 °C – a temperatura de bulbo seco do ar interno (24 °C), neste
exemplo 32,1 + 3 – 24 = 11,1 °C, conforme a Tabela A.2.

Tabela A.2 – Áreas de troca de calor e diferença de temperatura na carga de resfriamento


CLTD em função da orientação e do horário
Valores conforme
Dimensão Dimensão Área
Parede/janela/laje Tabela 7
m m m2
°C
Parede noroeste 6 (1,0 + 0,25) = 1,25 7,5 10,95
Janela noroeste – vidro 6 1,25 7,5 7,95
Parede sudeste 6 (1,0 + 0,25) = 1,25 7,5 19,95
Janela sudeste – vidro 6 1,25 7,5 7,95
Parede interna –
ambiente não 10 2,5 25 32,1 + 3 – 24 =11,1
condicionado
Laje/teto ambiente não
6 10 60 32,1 + 3 – 24 =11,1
condicionado
NOTA É considerado que os andares superiores e os inferiores são ambientes internos, não condicionados.

© ABNT 2019 - Todos os direitos reservados 3


ABNT NBR 16655-3:2018/Em1:2019

A.2.2 A Tabela A.3 apresenta o cálculo considerando dois valores de transmissão de calor pelas
superfícies externas e internas, expressos em Watts (W), conforme a seguir:

 a) sem isolamento na laje = 6 087 W;

 b) com isolamento na laje = 3 411 W.

O exemplo a seguir, demonstra a necessidade de análise, sempre que possível, dos valores obtidos
e da verificação da possibilidade de redução da carga térmica.

Tabela A.3 ‒ Transferência de calor pelas superfícies externas e internas


Diferença de Transmissão
Resistividade temperatura de calor pelas
Área
Parede/janela/laje térmica da carga de superfícies externas
m2 resfriamento e internas
(m2.°C)/W
(CLTD) °C W
Parede noroeste 0,426 7,5 10,95 193
Janela noroeste ‒ vidro 0,173 7,5 7,95 345
Parede sudeste 0,426 7,5 19,95 351
Exemplar gratuito para uso exclusivo - RAFAEL IZIDIO LIBARINO - 081.364.219-19 Gerado: 23/05/2020)

Janela sudeste ‒ vidro 0,173 7,5 7,95 345


Parede interna,
0,394 25 11,1 704
ambiente não condicionado
Laje/teto,
0,321 60 11,1 4 150
ambiente não condicionado
Subtotal sem isolamento – – – 6 087
Laje/teto com isolamento,
ambiente interno não 0,904 60 11,1 1 473
condicionado
Subtotal com isolamento – – -– 3 411

A.2.3 A transmissão de calor por superfícies transparentes é apresentada na Tabela A.4.

Tabela A.4 – Transmissão de calor por janelas – áreas


Dimensão Dimensão Área
Orientação
m m m2
Noroeste 6 1,25 7,5
Sudeste 6 1,25 7,5

A.2.4 A Tabela A.5 apresenta o cálculo considerando dois valores de transmissão de calor pelas
superfícies transparentes expressos em Watts (W), conforme a seguir:

 a) sem película e cortina = 3 228 W;

4 © ABNT 2019 - Todos os direitos reservados


ABNT NBR 16655-3:2018/Em1:2019

 b) com película e cortina = 1 113 W.

O exemplo a seguir, demonstra a necessidade de análise, sempre que possível, dos valores obtidos
e da verificação da possibilidade de redução da carga térmica.

Tabela A.5 – Transmissão de calor por insolação

Fator de ganho Transmissão


Fator de de calor por
Área de calor por carga de Fator de
Orientação superfície
m2 insolação (SHGF) resfriamento sombreamento transparente
W/m2 adimensional
W
Noroeste 7,5 555 0,73 0,87 2 644
Sudeste 7,5 407 0,22 0,87 584
Subtotal
3 228
sem película
Noroeste
com película 7,5 555 0,73 0,3 912
e cortina
Exemplar gratuito para uso exclusivo - RAFAEL IZIDIO LIBARINO - 081.364.219-19 Gerado: 23/05/2020)

Noroeste
com película 7,5 407 0,22 0,3 201
e cortina
Subtotal
com película 1 113
e cortina

A.2.5 Carga térmica por infiltração/renovação

O valor da carga térmica por infiltração e/ou renovação pode ser calculado, porém depende de dados
de vedação de portas e janelas que nem sempre estão disponíveis.

NOTA Considerar no mínimo o valor recomendado de 1 L/s.m2 (3,6 m3/h.m2) para cada ambiente
residencial, neste caso, adotar o dobro (7,2 m3/h.m2).

Tabela A.6 – Dados psicrométricos de São Paulo


Umidade
Temperatura de Entalpia
específica Volume específico
São Paulo bulbo seco
kg de vapor/ kJ/kg m3/kg
°C
kg de ar seco
Ar externo de
32,1 0,011 7 62,29 0,97
verão
Ar interno 24 0,010 2 50,03 0,936

© ABNT 2019 - Todos os direitos reservados 5


ABNT NBR 16655-3:2018/Em1:2019

Tabela A.7 – Área e vazão adotada


Dimensão do Dimensão da
comprimento Renovação
largura da sala de Área
Descrição de ar
da sala de estar estar m2
m /(h.m2)
3
m m
Ambiente da sala
6 10 60 7,2
de estar

A.2.6 Para o cálculo da carga térmica de infiltração/renovação apresentado na Tabela A.8,


considera-se a carga térmica do ar externo, conforme a seguir:

 a) calor latente 464 W;

 b) calor sensível: 1 052 W;

 c) calor total: 1 516,7 W.

Tabela A.8 – Carga térmica de infiltração/renovação


Vazão em Vazão em Carga térmica do ar
Exemplar gratuito para uso exclusivo - RAFAEL IZIDIO LIBARINO - 081.364.219-19 Gerado: 23/05/2020)

Variação de entalpia
– volume massa externo
kJ/kg
m3/h kg/s W
Calor total do ar
432 0,12371134 12,26 1 516
externo
Variação de umidade
– – – específica –
kg vapor/kg ar seco
Calor latente
432 0,12371134 0,001 5 464
W
Calor sensível
– – – 1 052
W
NOTA O cálculo do calor latente é igual a vazão em massa vezes a variação de umidade específica vezes
o calor latente de vaporização da água (2 501 kJ/kg).

A.3 Para carga térmica de pessoas, equipamentos e iluminação, ver A.3.1 e A.3.2

A.3.1 Pessoas

Considera-se para o cálculo apresentado na Tabela A.9, a carga térmica de oito pessoas sentadas em
trabalho leve, conforme a seguir:

 a) calor latente: 600 W;

 b) calor sensível: 600 W;

 c) calor total: 1 200 W.

6 © ABNT 2019 - Todos os direitos reservados


ABNT NBR 16655-3:2018/Em1:2019

Tabela A.9 – Carga térmica de pessoas


Total Total Total
Quantidade Latente Sensível Total
Pessoas unitário latente sensível
# W W W
W W W
Sentadas em
8 75 75 150 600 600 1 200
trabalho leve

A.3.2 Carga térmica de equipamentos e iluminação

A Tabela A.10 apresenta os resultados, considerando que na hipótese de o cálculo ter sido feito às 16 h
as lâmpadas estivessem apagadas e, portanto, o fator de uso destas seria de 0.

Tabela A.10 – Iluminação e equipamentos


Potência Total
Lâmpadas Calor sensível
Quantidade unitária instalado Fator de uso
fluorescentes W
W W
Lâmpadas
4 40 160 0 0
fluorescentes 1
Exemplar gratuito para uso exclusivo - RAFAEL IZIDIO LIBARINO - 081.364.219-19 Gerado: 23/05/2020)

Lâmpadas
2 40 80 0 0
fluorescentes 2
Televisão 1 250 250 0,8 200
Computador 1 135 135 0,8 108
Outro equipamento 0 0,5 0
Subtotal de
equipamentos – – – – 308
elétricos

A.4 Resumo das cargas térmicas


São apresentados nas Tabelas A.11 e A.12 resumos das cargas térmicas consideradas.

Tabela A.11 – Carga térmica às 16 h (continua)


Descrição Calor sensível Calor latente Calor total
Transmissão de
superfícies opacas 6 087 0 6 087
W
Transmissão por
superfícies transparentes 3 228 0 3 228
W
Infiltração e renovação de ar
1 053 464 1 517
W

© ABNT 2019 - Todos os direitos reservados 7


ABNT NBR 16655-3:2018/Em1:2019

Tabela A.11 (conclusão)


Descrição Calor sensível Calor latente Calor total
Pessoas
600 600 1 200
W
Iluminação
0 0 0
W
Equipamentos
308 0 308
W
Total
11 276 1 064 12 340
W
Total
38 484 3 631 42 115
BTU/h
Área de piso
60 60 60
m2
Relação
187 18 205
W/m2
Exemplar gratuito para uso exclusivo - RAFAEL IZIDIO LIBARINO - 081.364.219-19 Gerado: 23/05/2020)

Relação
18,7 198 17,1
m2/tr
Equipamento
33 600 14 400 48 000
recomendado em BTU/h

Tabela A.12 – Carga térmica às 16 h considerando o isolamento na laje


e a película refletiva no vidro (continua)
Descrição Calor sensível Calor latente Calor total
Transmissão de superfícies
opacas 3 411 0 3 411
W
Transmissão por superfícies
transparentes 1 113 0 1 113
W
Infiltração e renovação
1 053 464 1 517
W
Pessoas
600 600 1 200
W
Iluminação
0 0 0
W
Equipamentos
308 0 308
W

8 © ABNT 2019 - Todos os direitos reservados


ABNT NBR 16655-3:2018/Em1:2019

Tabela A.12 (conclusão)


Descrição Calor sensível Calor latente Calor total
Total
6 485 1 064 7 549
W
Total
22 133 3 631 25 764
BTU/h
Área de piso
60 60 60
m2
Relação
108 18 126
W/m2

Relação m2/tr 32 206 28

Equipamento recomendado em
16 800 7 200 24 000
BTU/h
Exemplar gratuito para uso exclusivo - RAFAEL IZIDIO LIBARINO - 081.364.219-19 Gerado: 23/05/2020)

© ABNT 2019 - Todos os direitos reservados 9

Você também pode gostar