Você está na página 1de 4

Os efeitos das emoções

Desde a década de 1990, quando o mecanismo das emoções no cérebro cou mais conhecido, sabe-se que as emoções estão
imbricadas na racionalidade.

Algumas funções que nos parecem puramente racionais como, por exemplo, a tomada de decisão, são diretamente in uenciadas
pelas emoções. Caiu por terra o conceito de que emoção e razão são fenômenos separados e que a razão é mais nobre que a
emoção.

De acordo com o autor António Damásio:

Para saber mais sobre as emoções e sua relação com a racionalidade, acesse o vídeo:

https://www.youtube.com/watch?reload=9&v=-Om2scuHyq0

A qualidade da aprendizagem, de modo geral, é extremamente afetada pelas emoções. O cérebro trabalha primordialmente no
processamento das informações que se relacionam com a sobrevivência ou com a segurança do indivíduo.
Dessa forma, se alguém não está su cientemente alimentado, se tem sua integridade ameaçada, se está em ambiente hostil que gera
ansiedade, por exemplo, o cérebro se mobilizará para encontrar recursos para lidar com estas situações, não havendo disponibilidade
cognitiva para outros processos, como o aprendizado de novos conhecimentos.

Abaixo podemos ver a relação entre a prioridade que o cérebro atribui a determinadas situações e o esforço que elas exigem dele:
Emoções, aprendizado e produtividade

Situações ou informações associadas a conteúdo emocional agradável vêm em segundo lugar na prioridade de processamento do
cérebro. Assim, criar um clima emocional positivo no contexto da inovação, do trabalho e da aprendizagem pode ser um recurso
poderoso para aumentar a disponibilidade cognitiva para dialogar, produzir e aprender.

Da mesma forma, favorecer o vínculo afetivo e promover um ambiente seguro e previsível estimulam o entusiasmo e fomentam a
motivação e a criatividade, sendo importante vincular as emoções à maneira e ao conteúdo dos projetos no ambiente de trabalho e no
contexto da aprendizagem.

Um clima organizacional positivo ajuda a liberar endor na, estimulando o entusiasmo e as funções executivas, enquanto um clima
negativo libera cortisol, aumentando o nível de ansiedade e, consequentemente, favorecendo o foco nos mecanismos de luta ou fuga.

As características de um conteúdo também são relevantes, por isso, é importante que seja signi cativo. Além disso, o modo como é
apresentado ao aluno ou como um projeto é apresentado à equipe pode fazer com que os envolvidos quem emocionalmente
conectados.
Emoções e saúde física

A saúde emocional tem relação direta com a saúde física, a nal as emoções são um processo físico!

Sistemas como o imunológico e o nervoso estão intrinsecamente ligados. O desequilíbrio emocional pode gerar maior intensidade de
emoções, como a raiva, o medo e a ansiedade, desproporcionais aos eventos que as provocaram, o que aumenta os níveis de estresse.
Essas reações provocam alterações diversas no organismo para prepará-lo para a luta ou a fuga e, em excesso, podem gerar
sobrecarga e provocar diversos problemas de saúde físicos e mentais.

Vimos que as emoções e a racionalidade andam juntas. Aprendemos também que as emoções in uenciam o processo de
aprendizagem e a produtividade, de forma que é possível criar condições emocionais favoráveis para que as atividades no trabalho e
o ensino ocorram de forma positiva. Por último, vimos que a saúde emocional também afeta a saúde física, sendo extremamente
importante mantê-la em dia.