Você está na página 1de 98

A STARTUP DE $100

Chris Guillebeau

É possível dar início a um negócio sem uma grande quantia de dinheiro?

Essa pergunta pode ser respondida por algumas pessoas que venceram o medo e resolveram
iniciar seu próprio micro negócio, trabalhando de suas próprias residências em seus próprios
horários. Basta compreender as ferramentas necessárias que hoje em dia estão disponíveis
para identificar a existência de uma demanda e criar um valor baseado em algo que você saiba
fazer muito bem, ou seja, sua paixão.

Como fazer isso?

Você pode utilizar o método tradicional de cursar um MBA e investir muito tempo para abrir um
negócio, mas se você não tem MBA e dinheiro para investir, o que resta? As opções são:

Achar um produto ou serviço que possa ser vendido.

Achar consumidores que estejam dispostos a pagar.

Achar um método no qual você possa receber o dinheiro.

O principal obstáculo é vencer seu próprio medo e dar o primeiro passo, pois você já possui
tudo que precisa para iniciar um micro negócio.

Hoje, com a globalização, é preciso identificar seu nicho para construir um negócio altamente
lucrativo. Existem muitas pessoas que começam um negócio visando atender o mercado por
completo. Mas isso não é necessário.

Podemos perceber isso observando as mídias: há algumas décadas atrás existiam poucas
mídias, o número de canais de televisão, de jornais, mídias de massa que atendiam muitas
pessoas eram poucos e grandes. Se observarmos, hoje temos cada vez mais mídias
segmentadas, específicas. Não adianta comunicar, vender para grande massa. Hoje é cada
vez mais fácil escolher um público totalmente específico.

Mas isso não significa que você não vá ou não possa se tornar grande - isso pode acontecer.
Mas você primeiro deve começar pequeno, escolhendo um único nicho. Principalmente em
relação ao dinheiro, para construir um negócio com pouco capital, defina bem o seu nicho.

Encontrando o propósito

Todo negócio surge para resolver um problema. Se você não resolve um problema, você não
tem um negócio. O autor cita seis passos para você iniciar um negócio:

1º. Decida qual será seu produto ou serviço;

2º. Abra um site, mesmo que seja básico;


3º. Envolva uma oferta de valor que venda a “dor” do seu cliente que você se propõe a resolver;

4º. Assegure um jeito de ser pago;

5º. Anuncie sua oferta ao mundo; e

6º. Aprenda com os passos 1 e 5 e repita isso constantemente.

Dar o primeiro passo é muito difícil. O autor sugere que você tenha como meta a primeira
venda e não desista até que consiga. O livro apresenta uma proposta de plano de negócios em
uma página que esclarece importantes aspectos de seu micro negócio e responde perguntas
como:

O que você vende?

Quanto vai custar?

Quem vai comprar?

Quanto vai receber?

Como os clientes ficarão sabendo do seu negócio?

A ideia principal é manter as coisas da maneira mais simples possível e responder o que
realmente importa. Além disso, ao longo do processo os ajustes necessários serão feitos.

Outra dica importante é explicar seu negócio em poucos caracteres (140 por exemplo que é o
limite do Twitter). Se você não conseguir colocar sua missão em um pequeno número de
caracteres é um sinal de que sua proposta está complexa e precisa ser revista.

O Produto

Antes mesmo de estar disponível ao público, o seu produto já deve estar sendo falado e
comentado pelas pessoas para que isso gere uma expectativa. É como um livro que ainda não
foi lançado, mas gera fila na estreia.

Para criar essa expectativa você precisa enviar regularmente uma série de comunicados para o
seu público antes do lançamento. Você pode criar também um senso de urgência do tipo:
“vagas limitadas!”

39 passos para garantir que o seu lançamento será um sucesso

O quadro geral de um lançamento:

· Certifique-se de que o seu produto ou serviço tenham uma proposição de valor claro. O
que os seus clientes recebem pelo dinheiro que pagam pela sua oferta?
· Decida quais serão os bônus, incentivos ou recompensas para os primeiros compradores.
Como eles serão recompensados pela compra imediata?

· O seu lançamento é de alguma forma divertido?

· Se o seu lançamento for on-line, você gravou uma mensagem em vídeo ou áudio para
complementar o texto escrito?

· Você criou expectativa em relação ao lançamento? Os clientes potenciais estão


empolgados?

· Você incorporou senso de urgência – não do tipo falso, mas uma razão concreta para
comprar agora – no lançamento?

· Divulgue antecipadamente a hora e a data do lançamento (se o lançamento for on-line,


algumas pessoas ficarão acampadas no site uma hora antes, clicando repetidamente no botão
atualizar).

· Revise várias vezes todos os materiais de vendas e peça para alguém revisá-los também.

· Verifique todos os links da sua página de gerenciamento de pedidos ou processador de


pagamentos e cheque novamente em um computador e navegador.

Próximos passos:

· Se for um produto on-line, a sua página de gerenciamento de pedidos e sua conta do


Hotmart estão configuradas adequadamente?

· Teste repetidamente todos os passos do processo de pedido.

· Você registrou todos os domínios associados ao seu produto?

· Você fez o upload de todos os arquivos no lugar certo?

· Reveja meticulosamente a página de pedidos em busca de erros ou melhorias de fácil


implementação. Imprima-a e mostre a várias pessoas.

· Leia em voz alta importantes comunicações (mensagem de lançamento, página de compra,


página promocional). Você provavelmente encontrará um erro ou uma frase obscura que
deixou de perceber ao ler mentalmente.

· Você ou o seu designer criaram elementos gráficos customizados para a oferta, inclusive
anúncios para afiliados ou parceiros, se for o caso?

Não se esqueça do dinheiro:

· Determine uma meta monetária clara para o lançamento. Quantas vendas você deseja
fechar e quanta renda líquida pretende ganhar?
· Avise seu banco sobre a possibilidade de entrar dinheiro na conta.

· Crie um plano B para receber fundos se necessário.

· Seria possível incluir outra opção de pagamento para facilitar o trabalho dos compradores?

· Para um produto caro, você tem como oferecer um plano de pagamento?

Na véspera do lançamento:

· Adiante ao máximo suas tarefas on-line para se concentrar no grande dia.

· Envie uma atraente mensagem de lançamento aos seus leitores, clientes e/ou afiliados.

· Prepare um post de blog e quaisquer posts de mídia social necessários (se for o caso).

· Configure dois despertadores para se certificar de estar desperto e disponível pelo menos
uma hora antes do horário programado para o lançamento.

A manhã do grande dia:

· Programe o horário do lançamento para se adequar ao seu público, não a você. Em geral,
é melhor realizar o lançamento de manhã cedo.

· Realize o soft launch – lançamento para um público limitado – pelo menos dez minutos
antes para se certificar de que tudo está funcionando adequadamente. É melhor que você
encontre os problemas do que deixar que seus clientes os encontrem.

· Escreva para os três a cinco primeiros compradores para agradecer e pergunte: “Deu tudo
certo no processo de compra?”.

· Tente enviar uma breve mensagem pessoal a todos os compradores além da mensagem
automática de agradecimento.

· Promoção (pode ser feita no dia do lançamento ou antes)

· O mais importante: peça ajuda para divulgar a notícia do lançamento. Muitos leitores,
clientes potenciais e conhecidos estarão dispostos a ajudá-lo, contando aos amigos e
seguidores, mas você precisa pedir.

· Escreva aos afiliados lembrando-os da nova oferta.

· Escreva a jornalistas ou contatos da mídia, se apropriado.

· Divulgue no Twitter, Facebook, Linkedin e outras redes sociais nas quais você já participa.

· Acompanhamento (faça isso antecipadamente)


· Elabore a mensagem de agradecimento padrão que todos os compradores receberão ao
finalizar a compra.

· Se for o caso, escreva a primeira mensagem da série de e-mails de acompanhamento que


os compradores receberão.

· Elabore um conteúdo adicional para comunicações futuras e se programe para enviá-las


depois que se recuperar do lançamento.

Indo além do esperado:

· Como você poderia ir além das expectativas e surpreender os seus clientes com esse
produto? Você tem como acrescentar produtos adicionais ou algum tipo de benefício não
incluído no material promocional?

· Você poderia fazer algo especial para agradecer os seus clientes?

O penúltimo passo:

· Não se esqueça de comemorar. Este é um grande dia e você passou muito tempo dando
duro. Vá ao seu restaurante preferido, tome uma taça de vinho, compre um objeto de desejo ou
dê a si mesmo qualquer outro agrado. Você merece!

O último passo:

· Pense sempre em 3 lançamentos para frente. O que você pode fazer para usar este
lançamento como um trampolim para o próximo? O que você aprendeu que pode ajudá-lo a
criar algo ainda melhor da próxima vez?

Depois do lançamento

Depois do lançamento do seu negócio, você pode usar alguns ajustes para aumentar sua
receita e expandir sem aumentar sua carga de trabalho. Dentre as opções de crescimento,
você pode vender produtos secundários – como a venda de batata-frita para acompanhar o
hambúrguer, pode tilizar a técnica da venda cruzada - quando menciona que clientes que
compram determinados produtos também compram outros itens (isso funciona muito bem para
o mercado online), outra técnica muito eficiente é a relação pós-venda.

Independente da estratégia utilizada, a ideia é criar um funil de vendas e fazer com que seus
clientes passem por ele. De fato, é mais barato vender para seus clientes atuais do que
conquistar novos clientes. O custo de aquisição de novos clientes é muito maior. Você deve
buscar novos clientes, mas mantenha os que já conquistou.

Instainsights

· Abra um negócio em que você é bom e tenha paixão em fazer.


· Comece pequeno para depois crescer.

· Tenha um negócio que resolva um problema.

· Crie expectativa sobre seu negócio antes do lançamento ao público.

· Surpreenda seu público indo além do esperado.

· Fazer vendas cruzadas é uma boa depois que já iniciou seu negócio.

Neste livro, você aprendeu que

Mesmo sem ter um valor alto para investir, é possível abrir um negócio que tenha sucesso.
Claro que precisa pensar em começar pequeno para subir um degrau de cada vez.
Entendemos que existem seis passos importantes para decidir sobre qual negócio abrir e como
é importante sabermos explicar muito bem sobre ele. Para garantir o sucesso do lançamento
do nosso negócio tivemos trinta e nove dicas detalhadas que farão a diferença e os próximos
passos para seguir crescendo com determinação e confiança.

O PODER DO HÁBITO ( parte 2)

Charles Duhigg

Rosa estava muito envolvida na sua comunidade, pertencendo a dúzias de grupos religiosos,
sociais, de caridade e de ocupação de tempos livres que normalmente não entrariam em
contato uns com os outros. Tudo começou quando o líder do Montgomery NAACP e um
advogado branco, ambos amigos da Sra. Parks através das suas várias atividades, pagaram
sua fiança e pediram a sua permissão para utilizar o seu incidente para preparar um desafio
legal para as leis de segregação da cidade. No final do dia, notícias da sua prisão já se tinham
espalhado pela comunidade, e um grupo de professores influentes haviam já sugerido um
boicote no dia da aparição de Rosa em tribunal 4 dias mais tarde.

Estes vários grupos imprimiram e distribuíram flyers imediatamente, e no mesmo dia, a palavra
já se tinha espalhado. Não eram só os líderes que conheciam Rosa; centenas de pessoas a
consideravam já uma amiga. Pessoas que meses antes haviam permitido que indignidades e
injustiças semelhantes acontecessem a outras pessoas por parte de um horrendo e racista
sistema legal, saiam agora em defesa da Sra. Parks.

Não era que esta heroína dos direitos civis tivesse muitos amigos chegados; ela simplesmente
tinha o que os sociólogos chamam de “elos fracos”. Como Malcolm Gladwell aborda em “The
tipping point”, elos fracos são mais importantes de várias formas do que amigos próximos. Por
exemplo, estes tendem a ser mais valiosos em ligar-nos a trabalhos, porque nos conectam a
grupos e informações que de outra forma não saberíamos. Os nossos amigos próximos estão
normalmente nos mesmo grupos do que nós, portanto, é improvável que eles sejam capazes
de nos ligar muito além da nossa própria esfera.

No caso do boicote do ônibus Montgomery, os elos fracos foram poderosos porque eles
criaram pressão de grupo. A maioria das pessoas não sairia da sua zona de conforto por um
conhecido, no entanto a rede de conhecidos da Sra. Parks criou essa pressão de grupo. As
pessoas arriscariam a perder estatuto social no grupo caso não participasse do boicote para
apoiar a colega da comunidade, bem como eu ou você perderíamos credibilidade nos nossos
grupos sociais se nos recusássemos a dar referências a um amigo para uma entrevista de
emprego. Quando o jornal da cidade imprimiu um artigo sobre como a comunidade negra
estava planejando boicotar os autocarros, a cidade aceitou isso como forma de que toda a
gente estava a participar no boicote. O boicote tornou-se num novo hábito social que se
alastrou num hábito em maior escala de protestos pacíficos, dando início a movimentos dos
direitos civis e eventualmente levando ao Ato de direitos civis de 1964.

A Neurologia do livre arbítrio: somos responsáveis por nossos hábitos?

Em 2010, um investigador de neurociência cognitiva descobriu algo fascinante quando usou


uma máquina de ressonância magnética para comparar os cérebros de apostadores,
patológicos com os de apostadores de ocasião. Quando estes viam slots a rodar nos ecrãs,
havia uma diferença na forma como os cérebros dos apostadores patológicos estavam quando
uma combinação ganhadora era mostrada. Mais interessante ainda, os apostadores de ocasião
registravam as oportunidades de ganhar aproximadas como perdas e os patológicos as
registravam como vitórias.

Esta é uma diferença crucial no ciclo de hábito. Depois da deixa de quase ganhar, a mente do
apostador patológico produz uma recompensa, criando um ciclo de hábito que leva a apostar
mais. A mesma deixa na mente do apostador de ocasião apenas leva a uma recompensa
quando este para de apostar, e escapa à perda de dinheiro. Esta diferença sutil no ciclo de
hábito é responsável pelo lucro da indústria de apostas, e da ruína de inúmeras vidas.

O autor questiona a moralidade de fazer dos apostadores patológicos responsáveis pelas suas
ações, mas chega à conclusão de que não importa o quão forte é um hábito, desde que você
esteja ciente de que o hábito existe, você tem a capacidade de muda-lo. A maioria de nós
passa a vida num mundo permeado de hábitos sem sequer percebê-los.

Um guia para o leitor utilizar estas ideias

Agora que você já percebeu que viveu toda a sua vida, rodeado de hábitos, poderá começar a
moldá-los conforme a sua vontade. Têm hábitos infinitos e milhares de formas para muda-los,
mas poderá encontrar aquilo de que necessita ao seguir esta fórmula:

Identificar a rotina.

Apesar de nem sempre ser óbvio, a parte mais fácil é normalmente identificar o comportamento
que se quer mudar.

Experimentar recompensas.
Você pode preencher a rotina do seu ciclo de hábito, mas para apontar a deixa primeiro terá de
experimentar recompensas. Experimente uma nova recompensa de cada vez que sentir
necessidade de completar a rotina. Por exemplo, se você se alimenta mal todas as tardes,
experimente comer uma maçã, ou beber café, ou conversar com um amigo por alguns minutos.
Depois, marque um cronômetro com 15 minutos, e, quando apitar pergunte a si mesmo se
ainda está com a mesma vontade. Se sim, é porque ainda não identificou a deixa. Continue a
experimentar e eventualmente irá descobrir se tinha realmente fome (caso em que a maçã
funcionaria), se estava cansado (caso em que o café ajudaria), ou se simplesmente precisava
de uma pausa (caso em que o amigo ajudaria.

Isolar a deixa.

Uma vez que a recompensa que satisfaz a deixa foi determinada, ainda há trabalho a fazer
para compreender exatamente o que a deixa é. As deixas mais comuns estão nestas 5
categorias:

Localização

Tempo

Estado Emocional;

Terceiros

Um acontecimento recente.

Se você tem um hábito que realmente tem a intenção de muda-lo, faça um registo da sua
localização, da hora, do seu estado emocional, das pessoas à sua volta, e da ação que está
mesmo antes do seu hábito.

Após algumas repetições, será provavelmente capaz de ver o padrão.

Ter um plano.

Uma vez que reconheceu a rotina, a recompensa e a deixa, deverá ser simples, elaborar uma
rotina diferente que proporcione a mesma recompensa depois da mesma deixa. Fique atento à
deixa (ou faça um alerta automático se esta for relacionada com um tempo especifico), e faça a
sua rotina já planejada. Se funcionar, confirmou que encontrou a deixa certa e recompensa e o
seu hábito será então fácil de moldar.

Instainsights

· O principal ingrediente para uma mudança de hábito radical é o “acreditar”.

· Não faça atividades que esgotem sua força de vontade logo pela manhã.

· Os hábitos são muito mais fortes do que as ações pensadas.


· Para mudar um hábito basta ter disciplina e entendimento do que o provoca.

· Se quiser ter uma vida melhor, crie novos hábitos, identifique os que já pratica e molde-os
como achar melhor.

Neste livro, você aprendeu que

Os hábitos ditam praticamente tudo o que faço, e esse livro mostra que o sucesso no meu
crescimento pessoal e da maior parte das coisas da vida está completamente dependente da
minha capacidade de identificar, moldar, e construir os meus hábitos. Quanto mais se
compreende os hábitos, menos importância se dará à força de vontade, objetivos e qualquer
outro número de facetas da vida sobre as quais a maior parte das pessoas se preocupam. A
força de vontade pode e deveria certamente ser aumentada através de exercício, e objetivos,
são de fato uteis para manter o foco e julgar o nosso progresso, no entanto, é muito mais
eficiente automatizar a força de vontade, e focarmos num hábito de fazer flexões por 10
minutos todos os dias às 7:00 am do que estabelecer o objetivo de perder 5 quilos até o
próximo mês.

O PODER DO HÁBITO ( parte 1)

Charles Duhigg

Escrito pelo repórter agraciado com um prêmio Pulitzer, Charles Duhigg, o best-seller de 2012
da New York Times “O poder do hábito” visto em várias listas de recomendação que poucas
obras do passado conseguem igualar. Por alguns livros envelhecerem como o vinho, e outros
como o leite, tenho por hábito deixar os livros pousados e ver como o tempo julga o seu valor,
no entanto, as verdades e a técnica nestas páginas são demasiado valiosas para esperar. O
Poder do Hábito, retrata um número de ilustrações úteis sobre o papel dos hábitos nos
indivíduos, organizações e sociedades, e, continua com técnicas práticas de reconhecer e
conscientemente orientar as coisas que realmente controlam os nossos comportamentos e
resultados. O poder do hábito é a habilidade de automatizar a força de vontade, de transformar
um recurso dolorosamente escasso num recurso infinito. Coloque os conteúdos deste livro em
prática que as mudanças nos seus resultados serão profundas.

Os hábitos dos indivíduos

O ciclo do hábito: como os hábitos funcionam

O livro começa com a história de Eugene Pauly, um homem de 71 anos que perdeu o lóbulo
temporal medial do seu cérebro devido a uma encefalite viral. O resto do cérebro de Eugene
permaneceu intacto, e, não teve qualquer problema em lembrar-se de coisas que aconteceram
antes de 1960 – no entanto, sofreu perda de memória a curto prazo, incapaz de reter
informação de eventos recentes por mais de um minuto e repetindo constantemente as suas
palavras e ações de um minuto atrás. Eugene não tinha qualquer recordação de seus netos e
não conseguia nem dizer onde a sua cozinha ou quarto se encontravam, mesmo quando
estava dentro da sua própria casa.
No entanto, para certificar que Eugene fazia algum exercício, a sua esposa tinha começado a
levá-lo para uma caminhada à volta do quarteirão todos os dias. Um dia, ficou desesperada
pois Eugene tinha desaparecido, até que voltou para casa depois de 15 minutos após ter feito a
caminhada sozinho. Ele não conseguia desenhar um mapa simples do seu quarteirão ou
explicar onde era a sua casa, mas começou a fazer a caminhada todos os dias. Eugene havia
demonstrado aquilo que cientistas sempre suspeitaram, mas nunca tiveram provas: os hábitos
são criados e operados completamente separados da parte do cérebro responsável pela
memória. Testes elaborados mais tarde confirmaram que aprendemos e fazemos escolhas
inconscientemente sem termos de nos lembrar de nada sobre a aula ou a tomada de decisão.

O nosso cérebro está constantemente à procura de novas formas de poupar esforços e está
sempre a transformar sequências de ações em rotinas automáticas.

O processo de hábito consiste numa sequência de 3 passos:

Deixa. Um sinal que diz ao seu cérebro para ficar em modo automático e que rotina utilizar.

Rotina. Comportamento físico, mental ou emocional que segue a deixa.

Recompensa. Estimulo positivo que diz ao seu cérebro que a rotina funciona e que vale a pena
recordar.

Compreender como os hábitos funcionam torna-os muito mais fáceis de controlar. Aprendendo
a observar as deixas e as recompensas, podemos mudar as rotinas.

O cérebro ávido: Como criar novos hábitos

Poderá surpreende-lo saber que na primeira metade do século XX na América, quase ninguém
escovava os dentes; na realidade, na primeira Guerra Mundial havia tantos soldados com
dentes a apodrecer que o governo decretou que a má higiene dentária era um risco a nível de
segurança nacional. Tudo mudou, quando um gênio do marketing de seu nome Claude
Hopkins foi convencido por um amigo seu a utilizar as suas capacidades para promover pasta
dentífrica.

Claude foi o responsável por pegar em produtos desconhecidos como Goodyear e Quaker Oats
e torná-los em marcas de renome. A sua assinatura tática passava por utilizar a rotina de
hábito, associando o produto a um sinal específico, independentemente de quão absurda fosse
a conexão.

A Quaker Oats, por exemplo, deve o seu sucesso a Claude por ser capaz de convencer a
América de que eram capazes de fornecer energia por 24 horas – apenas se comesse uma
taça todas as manhãs.

Claude escolheu uma deixa específica para fazer da pasta de dentes um hábito nacional. A sua
publicidade lia “Passe a sua língua nos dentes. Sentirá uma película – é isso que torna os seus
dentes amarelos e provoca a sua podridão”. Após dar a deixa às pessoas continuou com
imagens de sorrisos lindos e a afirmação “Veja quantos dentes bonitos são vistos em todo o
lado. Milhões de pessoas estão a utilizar um novo método de limpeza dos dentes. Porque é
que uma mulher haveria de ter dentes sujos? A Pepsodent remove a película”

A afirmação era falsa; a película é uma membrana que se impõe naturalmente, e a pasta de
dentes não faz nada para remove-la. No entanto, a deixa era universal e fácil de perceber, as
pessoas associaram a deixa à recompensa (dentes lindos). Numa década, a utilização da pasta
dentífrica tinha aumentado de 7% da população para 65%.

O autor contrasta este sucesso com o abismal fracasso do Febreeze da P&G quando foi
lançado no mercado. Era uma maravilha tecnológica que funcionava na perfeição; o problema
era o fato do sistema olfativo humano que provoca a habilidade que as pessoas têm de
detectar cheiros uma vez que já estão habituados a eles. A senhora com 9 gatos e uma casa
com um cheiro equivalente não tem a percepção suficiente para se induzir a si mesma a utilizar
o produto que tem o poder de transformar a sua vida social.

Os executivos da P&G estavam quase a desistir do produto quando a equipe de gestão de


produto descobriu o que os cientistas já sabiam: Um hábito só é formado quando o cérebro
começa a antecipar e a necessitar a recompensa no momento em que a pista é introduzida,
antes da rotina estar sequer completa. Não se consegue vender um produto que dá ausência
de cheiro porque não existe uma deixa para o cérebro antecipar.

As vendas de Febreeze dispararam quando a P&G começou a promover o produto como um


ambientador do ar – um produto a utilizar como o passo final do ritual de limpeza para dar um
aroma agradável à casa. Uma vez que as pessoas experimentaram o produto, começaram a
necessitar do cheiro agradável a limpo que o spray final de Febreeze proporcionava. Apenas
mais tarde, a P&G revelou a verdadeira finalidade do produto – uma inovação química que
eliminava odores, ao invés de os mascarar.

É, neste ponto que o autor revela que as técnicas de Claude Hopkins tiveram na realidade
pouco impacto nas vendas da pasta de dentes Pepsodent. Muitas outras marcas de pasta de
dentes estavam a utilizar as mesmas técnicas antes de a Pepsodent aparecer no mercado. Na
verdade, o sucesso desta marca foi completamente acidental. Sem prever o impacto da
escolha, a Pepsodent incluiu ácido cítrico, óleo de menta, e outros ingredientes que produzem
aquela sensação de frescor agora normal. Essa sensação criou uma deixa – as pessoas
sentiam falta dessa sensação quando se esqueciam de lavar os dentes.

A regra de ouro para a mudança de hábito: Porque acontece a transformação

Tony Dungy mudou o futebol americano com uma abordagem de treino contra intuitiva: ao
invés de tentar marcar mais do que os seus oponentes com esquemas complexos, Tony
apenas dava aos seus jogadores pequenas estratégias-chave. Ele fez tudo o que podia para
pôr a sua equipe a parar de pensar e reagir apenas com base em hábitos.

Tony sabia que os hábitos não podem normalmente ser ultrapassados; pelo contrário, um
hábito pode apenas ser mudado se uma nova rotina é inserida com sucesso no processo com
a mesma deixa e a mesma recompensa. Ele treinava a equipe dele para associar
automaticamente as deixas que eles já conheciam de rotinas em campo – aquelas que eram
menos complexas, envolviam menos escolhas, e mais reações subconscientes. Como
consequência, com esta técnica Tony transformou duas equipes abismais em concorrentes ao
título de campeão nacional.

O programa mais famoso de mudança de hábitos no mundo é provavelmente o programa de 12


passos dos Alcoólicos Anónimos. O autor é fascinado pelo fato de um vício físico com raízes
genéticas e psicológicas ser frequentemente conquistado por um sistema não-cientifico, sem
estrutura, e altamente arbitrário que não endereça sequer os fatores bioquímicos e
psiquiátricos que os entendidos dizem ser a base do alcoolismo. O primeiro ponto chave é que
os AA inserem uma nova rotina na deixa/recompensa identificando que necessidade é que o
álcool está a preencher (escape, relaxe, companheirismo, alivio de ansiedade, etc.) e
fornecendo através do grupo de AA o mesmo tipo de alivio.

No entanto, isto por si só não é o suficiente para manter os alcoólicos livres de ter uma recaída
quando o stress da vida diária ultrapassa determinados limites. Há um elemento crucial:
Acreditar. Enquanto o conhecimento científico sobre os mecanismos de acreditar é ainda
limitado, o fato mantém-se. Acreditar é um ingrediente e uma capacidade que faz com que a
mudança de hábitos seja possível, e começa até a espalhar-se em outras áreas da vida.

Os hábitos das organizações de sucesso

Hábitos enraizados, ou a balada de Paul O’Neill: Que hábitos importam mais

Em outubro de 1987, Paul O’Neill pisou o palco para dar o seu primeiro discurso para
investidores como o novo CEO da Fortune 500 produtores Alcoa. Os novos CEO normalmente
seguem um texto sobre custos e lucros, as maldades das interferências do governo, e
promessas para implementar vários negócios. Em vez disso, para grande surpresa do seu
público, Paul começou com: “Eu quero falar com vocês sobre a segurança dos trabalhadores”.
Ele expôs a sua intenção de fazer da Alcoa uma empresa com zero acidentes antes de apontar
onde eram as saídas de emergência e de instruir o seu público onde se dirigir em caso de
emergência. Várias pessoas do público questionaram a sua sanidade mental.

Paul teve muito sucesso com a implementação das regras de segurança: na altura da sua
reforma, onze anos depois, a Alcoa foi ter um acidente por semana em cada andar para ter
uma taxa de acidentes de trabalho que era um vigésimo da média nacional. Mais interessante
do que isso, os lucros da Alcoa tinham aumentado 500% e o seu mercado de capitalização
tinha aumentado em 27 bilhões de dólares.

Quando O’Neill ficou com o cargo, a Alcoa foi criticada pela pouca qualidade e lentidão dos
seus trabalhadores. O seu predecessor tentou ditar melhorias na qualidade, e o resultado foi
15000 a fazer greve. Olhando para trás, O’Neill explicou, “Eu sabia que tinha de transformar a
Alcoa, mas não se pode exigir às pessoas que mudem. Não é assim que o cérebro funciona.
Então, decidi que iria focar somente numa coisa. Se eu pudesse romper os hábitos à volta de
uma coisa, iria espalhar pela empresa toda”. Ele utilizou uma coisa que os autores chamam
“hábito enraizado” – um hábito que provoca uma reação em cadeia quando o mesmo é
quebrado. Durante o seu tempo como trabalhador do estado, Paul tinha aprendido que a
reconhecer como os hábitos institucionais comandavam os processos, com resultados
insuficientes.

Paul instituiu um ciclo de hábito melhor na Alcoa. Quando havia um acidente de trabalho
(deixa), o presidente da unidade era obrigado a dar a Paul um relatório do acidente, bem como
um plano de ação para se certificar que aquele tipo de acidente nunca aconteceria outra vez,
isto em 24 horas (rotina). A promoção estava dependente do cumprimento deste requerimento
(recompensa).

Para o presidente de uma unidade cumprir com o prazo de 24 horas, era necessário saber
detalhes do acidente através do seu VP assim que acontecesse. O VP tinha de estar em
constante comunicação com os responsáveis da unidade e estes teriam de contar com o apoio
dos trabalhadores e as suas constantes sugestões no que cabia a segurança para que quando
um acidente acontecesse poderem ter um plano para o VP assim que ele pedisse um plano de
ação. Como estes padrões começaram a funcionar e a corresponder aos objetivos, outros
aspectos na empresa começaram também a mudar. Melhor segurança no trabalho traduziu-se
em maior qualidade e eficiência.

Há muitos outros hábitos enraizados em várias áreas da vida que levam a mudanças grandes
de comportamentos. Por exemplo, pessoas que começam um hábito de exercício físico
tipicamente começam a comer mais saudável, a ser mais produtivos no trabalho, e a
sentirem-se menos estressados. Há, no entanto, um abismo profundo entre compreender estes
princípios e a aplica-los de fato. A identificação de um hábito enraizado requer uma abordagem
de tentativa e erro, com o objetivo de encontrar aquilo a que os autores chamam de “uma
pequena vitória”: uma pequena vantagem que implementa padrões que têm um impacto muito
maior.

Por exemplo, um estudo de perda de peso de 2009 descobriu “uma pequena vitória” quando os
investigadores pediram a um grupo de participantes para que a única mudança que fizessem
no seu estilo de vida fosse documentar aquilo que comiam diariamente. Os participantes
começaram naturalmente a encontrar padrões, que fizeram com que quisessem fazer
melhorias na preparação das suas refeições, o que fez com que comessem comida mais
saudável. O grupo que fez o diário daquilo que comia perdeu duas vezes mais peso do que os
outros participantes do estudo.

Starbucks e o hábito do sucesso: Quando a força de vontade se torna automática

Os cientistas já sabem há muitos anos que a força de vontade é um ingrediente fundamental


para o sucesso, mais até do que inteligência. Sabemos ainda que todos nós temos uma
quantidade limitada de força de vontade. Num estudo “Case Western de 1990”, investigadores,
pediram a um grupo de alunos para saltar uma refeição, depois, sentaram-nos juntos, cada um
deles em frente a duas taças. Uma taça continha bolachas com bolachas de chocolate
fresquinhas, e na outra, rabanetes com um ar muito menos apetitoso. À metade do grupo foi
dito que só poderiam comer as bolachas, à outra metade foi dito que só poderiam comer os
rabanetes. Os investigadores deram então ao grupo um quebra-cabeças impossível de
completar.

Nenhum dos alunos sabia que o quebra-cabeças era impossível de resolver, mas os alunos
que apenas tinham comido os rabanetes desistiram muito mais rápido do que os que comeram
as bolachas – uma média de 8 minutos, comparado com os 19 minutos de perseverança dos
que comeram as bolachas. Esta disparidade de 60% foi causada pelo desaparecimento de
força de vontade que os alunos que comeram os rabanetes tiveram de ter para resistir às
bolachas (é por isto que não se deve esgotar a nossa força de vontade logo pela manhã com
tarefas entediantes como escrever e-mails).

Além disso, vários estudos demonstraram que ao exercer força de vontade numa área, como
exercício físico ou estudo, a nossa reserva de força de vontade aumenta e tornamos mais
capazes de aplica-la em outras áreas da vida. No entanto, nenhuma destas coisas é suficiente
para podermos produzir força de vontade inesgotável. A chave é algo que foi fundamental para
o sucesso da cadeia de cafés Starbucks: o planejamento metódico de uma rotina para aqueles
pontos incisivos (deixa) em que a dor e a tentação são mais fortes.

O sistema de treino do Starbucks guia os seus funcionários pela identificação de pontos de


inflexão (como quando um cliente zangado está a gritar porque recebeu a bebida errada), e
fazer corresponder o ponto de inflexão a uma das dúzias de rotinas da empresa. Ao selecionar
um comportamento específico antes do tempo, a força de vontade torna-se num hábito, e
funcionários são assim capazes de prestar um excelente serviço que faz os clientes voltarem
para café com leite muito caro.

Outro ponto chave decisivo para o sucesso da Starbucks é a forma como a empresa encoraja
os seus funcionários a utilizar a sua inteligência e criatividade. Enquanto os cientistas ainda
não compreendem na totalidade os mecanismos deste processo, é visível que as pessoas têm
um melhor desempenho e tem muito mais força de vontade quando sentem que aquilo que
estão fazendo foi uma escolha sua e percebem a sua finalidade. Quando as pessoas seguem
ordens, a força de vontade é muito mais escassa.

O poder de uma crise: Como líderes criam hábitos por acidente

O autor afirma “Não existem empresas sem hábitos institucionais. Apenas há alguns sítios em
que eles são deliberadamente criados, e outros em que são criados por acidente”. Todas as
empresas têm rotinas desconhecidas que as torna operacionais; caso contrário líderes de
empresas nunca seriam capazes de acompanhar todas as mudanças que as tomadas de
decisões dos trabalhadores da linha de frente influenciam a empresa.

Se alguns colegas novos lhe perguntassem como se pode ter sucesso na sua empresa, é
improvável que você lhes diga para lerem o livro de políticas da empresa. Você provavelmente
irá ensina-los as regras informais. Se você trabalha numa empresa de sucesso, é provável que
os líderes da mesma tenham cultivado hábitos organizacionais que dão equilíbrio de poder e
mantem a paz, deixando claro na mesma quem manda.

Como o Target sabe o que você quer antes de você mesmo saber: Quando as empresas
preveem e manipulam hábitos.

Como as empresas têm vindo a confiar mais em dados nos últimos 20 anos para poder prever
os hábitos dos consumidores, perceberam que as decisões de compra mais populares são
feitas no momento em que o cliente vê o produto. Independentemente das intenções dos
consumidores, os hábitos são regularmente mais fortes do que listas de compras previamente
escritas. Há, no entanto, um grande problema: estes hábitos são únicos em cada pessoa. Se
quer tirar partido disto não se pode utilizar técnicas de marketing aplicáveis a todas as pessoas.
Como solução para este problema, empresas como o Target, têm vindo a recolher dados
individuais durante a última década, utilizando créditos, fidelizações, recompensas e cartões
para consumidores frequentes. Em conjunto com os dados recebidos e todos os detalhes
fornecidos, conseguem ter um quadro geral muito detalhado de quem você é e daquilo que se
passa na sua vida.

Empresas que utilizam estas técnicas avançadas de dados minados também descobriram outra
coisa que é absolutamente crucial para o seu sucesso de marketing: quando as pessoas
passam por momentos importantes em suas vidas, tendem a mudar os seus hábitos de
compra. Como resultados disso, estas empresas estão extremamente interessadas em saber
quando você muda de emprego, de residência, de relação ou até o nascimento de um filho – e
são muito bons a fazê-lo.

A lição aqui não é de suspeitar das manipulações dos nossos hábitos por parte da indústria;
mas sim, perceber que esta é uma ferramenta poderosíssima que tenta incutir no meio das
nossas rotinas já existentes um novo hábito.

Os hábitos das sociedades

A Igreja de Saddleback e o boicote do autocarro montgomery: Como os movimentos


acontecem

Às 6:00, Quinta-feira, 1 de dezembro, 1955, heroína Americana Rosa Parks proclamou a sua
agora famosa recusa de se levantar do seu assento no ônibus. (Ao contrário do que é dito, ela
nem sequer estava sentada na “seção de brancos”, e havia já três assentos livres para o
homem branco escolher). A Sra. Parks não foi a pioneira deste ato desafiante, na verdade, nos
últimos meses dois acontecimentos semelhantes tinham já acontecido. Mas foi rosa Parks que
acendeu a chama da cruzada pelos direitos civis, e tal como você já deve ter adivinhado, foram
os hábitos os responsáveis.

COMO PARAR DE SE SENTIR UMA M*RDA: 14 hábitos que impedem sua felicidade

Andrea Owen

Nesse livro a autora fala sobre os comportamentos autodestrutivos que as mulheres costumam
repetir. Expõe o que há por trás dos problemas de autoestima das mulheres e ensina
exercícios e ferramentas para lidar com essas dificuldades e inseguranças. As mulheres irão
aprender a superar as questões como a síndrome da impostora, o perfeccionismo e como não
se auto-sabotar.

Como administrar a crítica interior

O comportamento mais comum que leva as mulheres a se sentirem mal é a crítica interior, se
comparando a outras pessoas o tempo todo e acreditando que a felicidade depende de algo
externo.

A primeira e a mais forte fonte de críticas que temos é nossa família. Queremos que nossos
filhos sejam bem-sucedidos, confiantes e queremos ajuda-los em tudo. Queremos que não
sofram nenhuma dor ou nenhum problema em seu crescimento. Temos a melhor das
intenções, mas, às vezes, na tentativa de ajudar acabamos causando um sentimento de que
não são merecedores ou que não se encaixam na sociedade.

Além da família, outro jeito de se sentir uma merda é através de relacionamentos. Quando um
relacionamento é abusivo ou mesmo quando o parceiro faz comentários negativos sobre suas
características físicas ou inteligência (até mesmo brincando), as palavras ficam gravadas em
sua mente profundamente, e te colocam para baixo.

Sua crítica interior pode vir através da cultura. Fatores como classe social, status, cor da pele e
até mesmo sexualidade, fazem com que algumas pessoas se sintam isoladas, pensando não
ser boa o bastante.

A mulher acaba não tendo compaixão por si mesma, tornando um habito repreender e falar mal
de si mesma. Isso faz com que se sinta uma merda. Afeta sua felicidade, autoconfiança e sua
autoestima. Junto com esse hábito vem o perfeccionismo e o de querer controlar tudo.

A solução começa quando você reconhece que sua voz interna está sendo estupida. Se você
não souber o que é e quando começa, não tem como se preparar. Ter consciência já é meio
caminho andado. Uma vez que você identifica esses pensamentos negativos, você consegue
para-los e manda-los para bem longe.

Ninguém consegue ser bem-sucedida, feliz e ter boa saúde se ficar se criticando o tempo todo.
A solução é um trabalho lento que envolve compaixão e gentileza, para mudar seus
pensamentos e suas crenças.

A autora sugere que comece a falar com mais gentileza com você mesma. Sabendo que
muitas mulheres têm dificuldade com isso, ela sugere repetir um mantra toda vez que começar
a ouvir a crítica interior. O mantra é: “Eu ouvi você e escolhi não escutar. Obrigada por
compartilhar, mas vou seguir em frente. Eu ouvi isso. Não preciso sofrer por isso, então escolho
não sofrer. Pois é, aconteceu. ”

O isolamento e o afastamento não vão protegê-la

Mulheres que se escondem ou se isolam, fazem isso para esconder suas inseguranças,
isolando seus problemas e não deixando que ninguém os veja. Normalmente as mulheres que
tem esse comportamento são extrovertidas e bem sociáveis, visto de fora está tudo perfeito,
mas por dentro ela está se sentindo bem solitária e assustada.

O medo é o sentimento dominante, ela tem medo de parecer carente, de ser julgada e não quer
incomodar as outras pessoas. O problema é que a mulher já está mal com seus problemas, e
ainda soma o medo de ser julgada e ser um peso para alguém, por isso preferem nem pedir
ajuda.

Você pode estar se isolando sem perceber, e esse habito pode ser difícil de mudar. Pedir ajuda
faz você se sentir vulnerável, e para muitos isso é assustador. Quando você tem que se decidir
entre procurar uma amiga e pedir ajuda ou ficar quieta e se isolar, isso pode parecer terrível
dos dois lados. Você pode correr o risco de se expor emocionalmente a pedir ajuda ou corre o
risco de se sentir sozinha e se isolar.

Deve-se praticar mais a coragem e a vulnerabilidade, e quebrar a barreira que foi criada para
se proteger. Ninguém é perfeito, todo processo de desenvolvimento tem erros e falhas. Mas,
uma vez iniciado o processo você vai pegar o jeito e ganhar confiança.

A confiança é construída aos poucos, você precisa compartilhar a história certa, com a pessoa
certa e na hora certa. E essa pessoa precisa conquistar o direito de te ouvir, nem todos tem
esse direito.

Para isso você terá que manter pelo menos uma ou duas amizades bem próximas a você. E
para manter essa amizade precisa aprender a confiar nessas pessoas. Você precisa falar o que
realmente quer dessa pessoa. Quem se preocupa com você vai gostar de saber exatamente do
que você precisa.

A autora sugere uma conversa começando com essas palavras: “Estou prestes a lhe contar
algo difícil que me aconteceu hoje, e não preciso de conselhos. Só preciso que ouça e talvez
me dê um abraço no final. Consegue fazer isso? ”

Seus mecanismos de anestesia ainda funcionam?

Nós nos anestesiamos para não sentir emoções e sentimentos ruins. Quando descobrimos o
que realmente nos machuca, normalmente nos afastamos. O remédio para esse sentimento é
encarar a verdade, sentir as dificuldades e seguir em frente. Quando conseguir encarar esses
sentimentos você será mais flexível e feliz.

Assim como a dor física só acontece para nos avisar que alguma coisa está errada, a
emocional também. Ela pode estar nos avisando que alguma coisa precisa mudar em sua vida.

Algumas formas de nos anestesiar desses sentimentos são, por exemplo, álcool, drogas
compras, comida, exercícios físicos, internet e redes sociais, café ou mesmo o sexo. Podemos
usar muito um desses, ou um pouco de cada, o importante é saber qual que você está usando
e saber identifica-lo.

Haverá momentos em que você vai saber que está se anestesiando e mesmo assim o fará,
aproveite essa consciência e veja se esse ato esta te ajudando ou esta te deixando ainda pior.
Descubra o que está tentando afastar da sua vida ao se anestesiar. Muitas mulheres se
anestesiam por conta da pressão que sentem para serem perfeitas ou por que morrerem de
medo de perder tudo.

Todos temos a capacidade de enfrentar dificuldades, e após enfrenta-las podemos prosperar.


Sua força e sua coragem estão em enfrentar de cara o que lhe afeta e não optar pela fuga.

O eterno “desgraçamento” de cabeça e a autossabotagem

No mundo atual que nos exige sempre ter, ser e fazer mais, as comparações que fazemos com
outras pessoas podem nos derrubar. As mulheres determinam expectativas muito altas para si
mesmas. É preciso aprender a controlar essas comparações ao invés de cair na armadilha
delas.

Normalmente comparamos nossa vida diária, a um momento especifico que a pessoa colocou
em suas redes sociais. Quando você se compara a outras pessoas, na maioria das vezes sai
perdendo.

Provavelmente, você passou grande parte da vida achando que as conquistas dos outros são
melhores do que a sua. Chegou a hora de sentir orgulho de suas conquistas. Isso vai te ajudar
nas comparações e te colocar para cima.

Para você se sentir melhor, comece a abandonar o habito da comparação. Será difícil, mas
você tem esse controle. Pratique bastante e logo vai encontrar mais alegria em sua vida, sem
comparações desagradáveis.

Muitas vezes nos autos sabotamos. Quando nossa critica interior começa a nos dizer que não
merecemos a promoção, que existem pessoas mais qualificadas, que iremos estragar tudo.

Existem dois tipos de autossabotagem: a consciente e a inconsciente. A consciente você sabe


que seus atos estão te prejudicando mas escolhe agir mesmo assim. Às vezes elas não se
importam com isso ou não estão prontas para mudar, ou as vezes até querem mudar, mas não
sabe como.

Já a inconsciente, a pessoa não sabe que seus atos vão magoá-la e afastá-la do que deseja.
Esse comportamento é comum em relacionamentos, você culpa os outros, diz que é um defeito
seu ou até que é sua personalidade rebelde, mas na verdade tem algo a mais.

Essa situação é uma daquelas que os dois lados são ruins, ou ficamos na mesma e nos
auto-sabotamos, o que é ruim, ou corremos atrás de nossos objetivos, que é assustador e
também pode ser péssimo. Geralmente escolhemos ficar onde estamos, pois não gostamos
muito de mudanças, isso nos incomoda.

Outro motivo para a autossabotagem é que você não gosta de si mesma. A falta de autoestima
nos faz sentir muito mal, e acabamos conseguindo provas de que somos uma merda e que não
merecemos algo bom. Talvez você não se odeie e a auto-sabotagem seja apenas um mau
hábito.

Para resolver isso a autora deixa algumas dicas: Admita e identifique: olhe para seu passado e
lembre os momentos que sabotou sua própria vida; Comece a trabalhar: faça duas listas, em
uma escreva o que você realmente deseja e na outra escreva o que você tem medo de
acontecer caso consiga o que quer. É impossível resolver suas questões sem saber o que a
atrapalha; Peça ajuda: você vai pedir ajuda a uma pessoa que adquiriu o privilégio de ouvir sua
história; Tome a iniciativa: ao usar essas três ferramentas você vai destruir sua própria
autossabotagem.

Lembre-se sempre que você é incrível, inteligente e capaz de destruir esse hábito com o qual
se acostumou, mas que acaba com sua felicidade.
O esforço para agradar e a busca por aprovação

Um dos hábitos mais comuns para as pessoas que gostam de agradar os outros é dizer sim
quando queriam dizer não. E fazem isso por medo de serem julgadas ou rejeitadas e precisam
da aprovação do outro. Quem busca a aprovação do outro está sempre preocupado com o que
o outro vai pensar. Sua confiança e sua autoestima são determinadas pelo que ela acredita que
os outros acham dela.

Você não é responsável pelos sentimentos dos outros. Você precisa ter orgulho do seu
comportamento e deixar os sentimentos dos outros para eles mesmo se preocuparem.

Não leva tudo para o lado pessoal, não caia na armadilha de fazer o papel de vítima pois nem
tudo gira a seu redor. Quando você leva para o pessoal, acaba falando e fazendo coisas que
não quer, pois é movido pela emoção do momento. É muito mais fácil tomar atitudes quando
você tem mais clareza das coisas.

Os limites são pontos que você considera aceitáveis e inaceitáveis. Definir os limites é ser
capaz de dizer não e ser simplesmente um não mesmo. Sem precisar se explicar e sem se
responsabilizar pelos sentimentos dos outros.

Estabelecer limites enfatiza que o que queremos e o que precisamos é tão importante quanto
para qualquer outra pessoa. Os limites são necessários para construir relacionamentos
saudáveis e para que você tenha autoconfiança e garantir sua felicidade.

O ápice da autodestruição

Muitas mulheres se cobram muito para serem perfeccionistas. Elas acham que assim como o
sucesso e a excelência, a perfeição é a única opção. Mas esse hábito é um dos mais comuns
para impedir uma vida boa.

Algumas mulheres crescem em famílias que o perfeccionismo impera, e se ela não for perfeita,
significa que ela não é boa o bastante, e que não será aceita.

O perfeccionismo vem da ideia de que se eu for perfeita as pessoas vão me amar e me aceitar,
se não estou fora. Ou foi um irmão que sempre foi o queridinho da família e você sempre achou
que nunca seria tão boa o bastante quanto ele, e agora quer compensar essa “falha”.

Você pode ser incrível ao abrir mão de ser perfeita. A autora dá algumas dicas que vão lhe
ajudar nesse processo: aprenda a lidar com as críticas; defina expectativas realistas; dê
permissão a si mesma. Deixar o perfeccionismo de lado pode ser a sua passagem para a paz,
a liberdade e mais alegria na sua vida.

Nossa cultura define a mulher emotiva como uma mulher histérica. Por isso muitas mulheres
acumulam emoções e a guardam bem no fundo do peito, esperando que eles sumam. Fazem
isso para demonstrar que por controlar as emoções são mulheres fortes.

Ouvir de outra pessoa, ou de você mesma, para ser forte, quer dizer que você decidiu que ser
forte é o jeito de lidar com todas as dificuldades da vida.
Ser forte não é passar por tudo sem sentir nada, engolir o choro, não ter sentimentos. Ser forte
é sentir emoções tanto negativas como luto, tristeza, raiva, como os positivos, alegria, êxtase,
sucesso. Ser forte é identifica-los e senti-los. Ser forte é pedir ajuda. Não é só porque somos
capazes que não precisamos de ajuda.

Podemos ser imperfeitos, resistentes e fortes ao mesmo tempo, estamos em construção.


Quanto mais nos entregarmos à vida, maior será nossa felicidade, confiança, coragem e
alegria.

Aprenda a abrir mão do controle

Nós, seres humanos, queremos a sensação de segurança. Quando não conseguimos controlar
a nós mesmo, queremos controlar a vida dos outros. Não que saiam por aí gritando ordens,
mas querem controlar os detalhes, por exemplo o jeito de arrumar a casa.

Algumas pessoas têm tanto medo do que pode acontecer se não manter o controle de tudo,
que esquecem de si mesma para poder manter o foco no que podem controlar.

O que realmente acontece é que essas pessoas fazem isso para esquecer de seus problemas,
sua dor e as dificuldades de sua vida. É difícil encarar nossos problemas, então essas pessoas
se agarram a vida dos outros e arranjam o que fazer.

Uma forma de acabar com o habito de controlar tudo é não dar conselhos. Muitas
controladoras adoram dar conselhos, principalmente quando a pessoa não pediu. A autora diz
que quando alguém estiver com dificuldades apenas diga a frase: “ Se você precisar da minha
ajuda, é só dizer. ”

Abrir mão do controle vai permitir que você aprecie mais a vida, melhore seus relacionamentos
e tenha mais prazer em viver.

Quando você não liga, aparenta estar forte, afasta todos e faz com que todos pensem que se
não se importa. Você já foi magoada antes e acha que agindo assim vai se proteger e não ser
magoada novamente. Se acha super independente.

Esse habito de tentar não se importar e ainda demostrar para todo mundo que não se importa é
exaustivo. Gasta muito de sua energia e do seu tempo. Precisamos achar um meio termo para
esse hábito, não podemos simplesmente não ligar, mas também não podemos ligar para tudo
que todos falam.

Precisamos levar em conta apenas opiniões de pessoas que realmente importam. Faça uma
lista com as pessoas que importam de verdade para você e depois faça outra com as pessoas
que não importam tanto. Se concentre na primeira lista que deve ser menor, e tente se manter
o máximo afastado das pessoas da segunda lista, assim vai encontrar o meio-termo.

A desvantagem de ir além das expectativas

Ir além das expectativas é fazer de suas conquistas quem você é. Quem vai além das
expectativas tende a ser ansiosa o tempo todo. Nunca estão presentes para as pessoas com
quem convive pois sempre estão pensando no próximo item da lista.

Essas pessoas que vão além das expectativas, exigem muito se si mesma e dos outros. Acham
que que as pessoas não se esforçam tanto quanto elas. Se envolvem em muitas atividades e
acabam não focando em nenhuma, consequentemente não sendo tão produtiva como deveria,
dando margens para o erro acontecer.

Os maiores problemas para essas pessoas são a ansiedade e a insônia. Ansiedade por se
preocupar o tempo todo por não estra fazendo o suficiente e viver no futuro o tempo todo.

Ficar mais quieta, desacelerar um pouco e descansar, pode fazer você pensar o que não está
indo tão bem assim. Tente entender o que está evitando para não poder descansar um pouco.

As mulheres precisam continuar sendo bem sucedidas, pois são realmente muito boas em tudo
que fazem. Mas ao mesmo tempo precisam entender que o fracasso faz parte do processo
para se tornarem pessoas melhores. Sem fracasso não há aprendizado, aperfeiçoamento ou
mudança.

Quando fracassar, fracasse bem, deixe doer, reconheça que fracassou, vejo onde errou e onde
pode melhorar. Aceite-o como uma parte necessária para criar uma versão melhorada de si
mesma.

Valores

Conhecer os seus valores é saber o que realmente importa na sua forma de viver. Os valores
nos dizem para onde devemos ir e o que vai acontecer. São as características que nos fazem
sentirmos bem conosco.

Você pode ter um valor que não está honrando agora. Apesar de ser importante para sua vida,
nesse momento, por algum motivo, você não pode honra-lo. Esse valor se chama valor
desejado.

Seus valores pertencem somente a você e mais ninguém. Eles não estão aqui para serem
julgados ou ridicularizados por outras pessoas. Os valores mudam ao longo do tempo, e
evoluem junto com a vida. Pode ser que algo não seja importante para você nesse momento,
mas no futuro pode ser.

Crie um mantra e um manifesto que a ajude a lembrar de seus valores. O manifesto é uma
declaração verbal e publica de suas intenções. Você pode recitar o mantra ou o manifesto para
você mesma quando a situação ficar ruim ou pode dize-los a qualquer momento. Não há uma
maneira certa de fazer isso, o importante é deixar claro quais são seus valores.

Se fizer esses exercícios e conseguir reconhecer seus valores e o que eles significam para
você, estará no caminho de uma vida mais rica e plena.

Todos estão aqui para aprender, servir e amar a nós mesmos e uns aos outros. São coisas
difíceis de fazer e as vezes parece assustador. Mas quando resolvemos fazer isso, aprender,
servir e amar podem ser os atos mais lindos que fará na sua vida.

Se ao invés de fugir das dores e das alegrias, caminharmos na mesma direção, se falarmos
mais abertamente sobre esses sentimentos, vamos conseguir nos curar e criar conexões entre
as mulheres. E se criamos essas conexões vamos perceber que era exatamente isso que e
queríamos.

Com a autora diz: ” nesta vida estamos apenas acompanhando umas às outras, em uma
caminhada para casa. “

Instainsights

· Ninguém consegue ser feliz, bem-sucedida, ter boa saúde ou uma vida maravilhosa se
criticando o tempo todo.

· O jeito como você fala de si mesma em voz alta para os outros não é para o bem deles, é
para o seu.

· Você não é responsável pelos sentimentos alheios.

· Se você parar de cometer erros, terá parado de aprender e de crescer.

Neste livro, você aprendeu que

Cultivamos o hábito da auto-sabotagem achando que precisamos ser perfeitos para que as
pessoas nos aceitem ou gostem de nós. É preciso entender que todo ser humano tem falhas e
que é impossível atingir a perfeição. Também é impossível ter o controle de tudo, tanto na
nossa vida quanto na vida de quem nos rodeia. O fracasso nos permite aprender, evoluir e ter
mais sabedoria. É importante cultivar boas amizades e ter sempre com quem conversar e se for
preciso, pedir ajuda. Descubra seus valores e siga-os, encare seus problemas e logo estará
vivendo uma vida feliz e plena.

A CIÊNCIA DO SUCESSO

Napoleon Hill

Uma série de artigos inéditos do homem que mais influenciou líderes e empreendedores no
mundo. Sucesso é uma ciência, e pode ser aprendido da mesma maneira que se aprende
física, matemática ou química. Ciência é a materialização dos fatos. Napoleon Hill investigou
minuciosamente como o sucesso se materializa e desvendou sua fórmula. Todo sucesso é
resultado de um poder. Todo poder é resultado de um esforço organizado. Todo esforço
organizado é resultado de um objetivo bem definido. Todo objetivo bem definido é resultado de
um sonho.

O homem que ensinou milhões a ter sucesso

Napoleon Hill ainda era criança quando sua mãe faleceu, e esse baque deixou marcas. Ele
passou a ser conhecido como o menino mais durão de Wise County. Até o pai apresentar à
criança de nove anos a uma madrasta.

A Sra. Hill se tornou a luz guia da família. Usando seu dote, ela fez o marido estudar e não
sossegou até ele se tornar um dentista bem-sucedido. Aos 12 anos, Hill completou o ensino
fundamental; aos 14, era repórter em meio período para quinze jornais; aos 15, depois de
terminar o ensino médio, entrou no curso de administração na faculdade de Tazewell, Virgínia.

Quando terminou a faculdade de administração, Hill conseguiu um emprego com um advogado.


Quando tinha 18 anos, decidiu se matricular na faculdade de direito da Universidade de
Georgetown, em Washington, para se qualificar como advogado.

Ele não tinha dinheiro para financiar sua educação. Entretanto, tinha uma ideia. Como já havia
ganhado dinheiro escrevendo para jornais, acreditava que poderia voltar a fazer isso. Dessa
vez, queria se especializar em biografias de pessoas de sucesso.

Iniciou a tarefa monumental de sua vida, a organização da sua filosofia única de sucesso, uma
filosofia publicada, como Carnegie havia previsto.

Durante os longos anos seguintes, enquanto trabalhava na filosofia do sucesso e testava as


“leis” que foram reveladas a ele, a vida de Hill deu muitas voltas. A ascensão de Hill foi
alavancada logo após o casamento, em 1910, quando visitou a família da esposa em
Lumberport, Virgínia Ocidental.

A comunidade há muito tempo era afetada pela falta de uma ponte adequada que suportasse o
tráfego sobre o rio Monongahela. O jovem, usando o que havia aprendido com Carnegie,
entrou em contato com funcionários públicos e empresários. Explicando como todos poderiam
se beneficiar, ele os convenceu a dividir os custos, superiores a US$ 100 mil. E a cidade
ganhou a ponte de que tanto precisava!

A construção da ponte levou a cidade o transporte ferroviário, e com ele grandes oportunidades
de prosperidade nos negócios, das quais Hill e os parentes de sua esposa foram rápidos em
tirar proveito. Foi fundada uma companhia para a produção de gás natural, e ela se tornou tão
rentável que aliviou Hill e sua família de todas as necessidades financeiras a partir de então.

Quando questionado sobre como alcançou o sucesso, Napoleon Hill apontou a fórmula de dez
regras para o sucesso que Andrew Carnegie sugeriu como ponto de partida para sua pesquisa:

Definição de objetivo; Aliança de MasterMind; Esforço extra; Fé aplicada; Iniciativa pessoal;


Imaginação; Entusiasmo; Pensamento preciso; Concentração de esforço e beneficiar-se das
adversidades.
A filosofia de Hill se expandiu ao longo dos anos. Além dos dez princípios básicos aprendidos
com Carnegie, alguns líderes contribuíram com sete pontos adicionais. São eles:

Aplicação da Regra de Ouro – semear o que se está disposto a colher; Força cósmica do
hábito; Concentração; Personalidade agradável; Autocontrole; Hábitos saudáveis e Economia,
orçar bem o tempo, os lucros e os gastos.

Parece uma fórmula simples. Parece básica. Todavia, representa os esforços de uma vida
inteira. Relativamente poucas pessoas na história foram capazes de aplicar todos os princípios
o tempo todo.

Hill espera ensinar outros mais a dominar esses princípios do sucesso. O autor tem certeza de
que o poder que esse conhecimento dará aos homens, essa chave para o sucesso individual,
poderá ser um antídoto eficiente para a frustração e o descontentamento que resultam em
guerras, que convertem fracassados ao comunismo.

Fé é a chave mestra da Ciência do sucesso

Talvez a maior bênção que tenha descoberto é que rezar pode nos guiar, mas que, para nos
beneficiarmos das preces, devemos fazer as coisas por conta própria. Além disso, as mais
efetivas de todas as preces são aquelas em que expressamos nossa gratidão pelas bênçãos
que já recebemos, em vez de pedir mais.

Outra coisa que aprendeu enquanto trabalhou com Carnegie foi que, se você faz o melhor uso
de quaisquer ferramentas e circunstâncias que tenha em mãos com a fé de que vai atingir seus
desejos, ferramentas e circunstâncias melhores vão se revelar misteriosamente. Se você tem
em mente um propósito que deseja atingir, o lugar para começar é exatamente onde você está.

Nos tempos e no país em que vivemos, você ainda tem o direito de dizer: “É isso que eu quero.
Isso é o que mais quero conseguir”. E a não ser que seu objetivo vá contra as leis de Deus ou
da sociedade, você pode conseguir.

Prepare-se para o sucesso

Definir seus objetivos pode ser difícil. Pode envolver uma autoavaliação dolorosa. Mas valerá
qualquer esforço que seja necessário porque, assim que você consegue nomear seu objetivo,
pode aproveitar muitas vantagens. Essas vantagens chegam quase automaticamente.

1. A primeira grande vantagem é que seu subconsciente passa a trabalhar sob uma lei
universal: “Tudo o que a mente humana pode conceber e tudo em que consegue acreditar, ela
pode realizar”. Como você enxerga aonde pretende chegar, seu subconsciente é afetado por
esse vislumbre e ajuda a chegar lá.

2. Por saber o que quer você tende a entrar nos trilhos e andar na direção certa. Você entra em
ação.

3. O trabalho se torna divertido. Você está motivado a pagar o preço. Você organiza seu tempo
e dinheiro. Estuda, pensa, planeja. Quanto mais pensa sobre seus objetivos, mais
entusiasmado você fica. E com o entusiasmo, seu desejo se torna ardente.

4. Você fica alerta às oportunidades que vão ajudar a atingir seus objetivos quando elas se
apresentam nas experiências do cotidiano. Por saber o que quer, você tem mais chance de
reconhecer essas oportunidades.

Quando você tem uma Atitude Mental Positiva, os problemas do seu mundo tendem a se
curvar a você. A recompensa é o sucesso, a saúde, a felicidade e a riqueza.

Seja solidário e grato

Nenhum homem chega ao topo nos ombros de outro. Você se mantém de pé ou cai por seus
próprios méritos e contribuições.

Em vez de apenas nos abstermos de chutar quem já está caído, devemos oferecer uma mão
amiga para que se levante. Sua atitude deve ser a mesma na vitória e na derrota. Um
desistente nunca vence, e um vencedor nunca desiste.

A marca do verdadeiro líder não está tanto em sua coragem, força ou inteligência. Ela se
mostra na preocupação pelos menos favorecidos pela natureza ou pelas circunstancias.

Você pode demonstrar sua capacidade de liderar exercitando uma dose extra de espírito
esportivo necessário para tornar o trabalho dos outros mais fáceis e a existência deles mais
confortável. Lembre-se de que, quando facilita o caminho dos outros para o sucesso, você
também tira obstáculos do seu.

Gratidão, assim como outros traços da personalidade agradável, é uma simples questão de
hábito. Mas também é um estado mental. A não ser que você realmente sinta a gratidão que
expressa, suas palavras serão ocas e vazias

Nunca passe um dia sem tirar alguns minutos para agradecer pelas bênçãos. Três expressões
devem estar entre as que você mais usa diariamente. São elas: “Obrigado”, “Sou grato” e
“Agradeço”.

Não se esqueça de agradecer àqueles que estão mais próximos de você – esposa ou marido,
parentes e aqueles com quem convive diariamente e que possa eventualmente negligenciar.
Você provavelmente deve mais a eles do que percebe.

A gratidão é contagiosa. Lembre-se de que sempre existe algo a que ser grato. Gratidão não
custa nada, mas é um grande investimento a longo prazo.

Adicione magnetismo a sua personalidade

Você já conheceu pessoas que o atraíram de modo irresistível no primeiro contato – pessoas
que você imediatamente aceitou como amigas e nas quais confia muito mais do que nos
conhecidos comuns. Todos nós temos magnetismo pessoal – alguns mais do que outros, mas
todos temos em algum grau. O magnetismo pessoal parece ser uma condição biológica que
determina a quantidade de sensações emocionais que somos capazes de gerar e aplicar em
nossas palavras e ações.

Não temos como aumentar a qualidade ou quantidade dessa condição, mas podemos
organizá-la e direcioná-la para ajudar a atingir qualquer alvo desejado. E aqueles que
aprendem a fazer isso muitas vezes se tornam os líderes, os construtores, os responsáveis e
os pioneiros que ajudam nossa civilização a progredir.

O magnetismo pessoal é revelado basicamente pela voz, pelo olhar e pelas mãos – em
resumo, as principais formas de comunicação de nossas ideias e pensamentos para os outros.
Mas a sua atitude e postura também desempenham um papel nisso. As palavras usadas
podem ser bastante inexpressivas, mas o tom de voz e o entusiasmo aplicados a elas podem
ser muito mais poderosos do que a lógica e a argumentação oferecidas. Por isso, uma pessoa
com alto magnetismo pessoal pode nem precisar falar nada para atrair as pessoas.

Faça um esforço consciente para olhar mais diretamente nos olhos dos outros, para apertar as
mãos com firmeza e cordialidade, para falar em tom de voz agradável e franco, no volume e
timbre certos para prender a atenção de seus ouvintes. Ative seu magnetismo pessoal e veja o
que ele pode fazer por você!

Desenvolva uma personalidade agradável

Aprenda a colocar um sorriso amigável nos olhos e também nos lábios ao ser apresentado
para alguém, e as palavras se tornarão desnecessárias para dizer ao outro o quando você está
feliz por conhecê-lo. Aperte a mão da pessoa com firmeza – mas não de modo vigoroso ou
enérgico. E evite de todas as formas sacudir as mãos, isso transforma um gesto de simpatia
em caricatura.

O medo é o maior obstáculo para o sucesso. Com excessiva frequência, as pessoas deixam o
medo dominar suas decisões e ações.

Devemos controlar nosso medo em vez de permitir que ele nos controle. Uma vez que o medo
tenha cumprido o papel emocional de sinal de alerta, não podemos permitir que entre no
raciocínio lógico com o qual decidimos como agiremos em seguida.

A habilidade de falar de maneira franca pode ajudar uma pessoa a ter sucesso. Mas existe um
momento em que o silêncio estudado é igualmente importante. O segredo é ser um bom
ouvinte.

Pelo que chamo de lei da atração, semelhante atrai semelhante em todas as circunstâncias.
Sucesso atrai mais sucesso. Fracasso atrai mais fracasso.

A ideia é ficar sob o “holofote do sucesso” em vez do “holofote do fracasso”. Como fazer isso?
Simples. A resposta está em adotar uma atitude mental positiva que ajudará a moldar o próprio
destino em vez de ficar à deriva, à mercê das adversidades da vida.

Toda bênção material ou espiritual de que você precisar ou quiser é sua, se você aprender a
viver em harmonia com seus semelhantes! Uma personalidade agradável é a melhor
característica que você pode ter. É a chave que vai abrir portas para amizades. Pode desarmar
inimigos e trazê-los para o seu lado.
Uma personalidade agradável pode ser desenvolvida mediante esforço consciente para adquirir
os traços de caráter, as boas maneiras e o cuidado com o próximo que nos tornam
espiritualmente atrativos para os outros.

A característica número um de uma personalidade agradável é a flexibilidade. Consiste na


capacidade de afrouxar mental e fisicamente, de se adaptar a qualquer circunstância ou
ambiente sem perder o autocontrole. Ao desenvolver a flexibilidade, você fica preparado para
agir prontamente ao agarrar oportunidades – ou resolver problemas. A flexibilidade pode ajudar
a torná-lo uma pessoa decidida.

O sucesso chega mais rápido para aqueles que conseguem liderar e supervisionar outros. Ao
contrário da ideia popular, as pessoas não nascem líderes – elas se tornam líderes. Mas se
tornam líderes por si. Você, e qualquer um, pode ser um líder. Mas só você pode fazer de si
mesmo um líder.

A característica mais marcante da liderança é a disposição para tomar decisões. A pessoa que
não quer ou não consegue tomar decisões nunca pode supervisionar os outros.

Você pode treinar para tomar decisões com rapidez e com o mínimo de aflição e preocupação.
É uma questão de hábito. Você pode desenvolver o bom hábito de decidir um curso de ação
agora, imediatamente, ou pode desenvolver o mau hábito da procrastinação.

Ao demonstrar disposição para tomar decisões, você mostrará aos outros que está disposto a
assumir responsabilidades. O reconhecimento desse fato conquistará o respeito dos outros,
particularmente de seus superiores.

A humildade é essencial no tipo de personalidade que você precisa ter para atingir o sucesso
pessoal, não importa qual seja o seu objetivo. E você vai descobrir que é ainda mais essencial
após chegar ao topo. Sem humildade, você jamais adquire sabedoria, pois uma das qualidades
mais importantes de um homem sábio é a capacidade de admitir: “Eu estava errado”.

Senso de humor é um tremendo trunfo que pode suavizar os solavancos da estrada para o
sucesso. Se você é um daqueles indivíduos abençoados com uma disposição naturalmente
alegre, pode se considerar sortudo. Se não, é algo que você pode desenvolver. É óbvio que um
bom senso de humor torna a personalidade mais agradável e mais atraente, o que por si só
ajuda a atingir o sucesso. Mas, mais do que isso, pode ajudar a superar fracassos
momentâneos, dar a volta por cima e encontrar novos caminhos que o coloquem de volta sob o
holofote do sucesso.

A esperança é a matéria-prima com a qual você constrói o sucesso. A esperança se cristaliza


como fé, a fé como determinação, e a determinação como ação. A esperança brota
principalmente dos sonhos de um mundo melhor, de uma vida melhor, de um amanhã melhor.
Baseado na esperança, você definirá seu objetivo de vida principal e o tornará realidade.

O otimismo é em si um tipo de sucesso. Significa que você tem uma mente saudável, tranquila
e feliz. Um homem extremamente rico pode ser um fracasso em termos físicos se seu
pessimismo constante provocar uma úlcera.
Sucesso para você

As únicas limitações para o seu sucesso são sua ambição e seus desejos! Se você está pronto,
pode marcar o dia de hoje como o momento de transformação mais importante de sua vida,
independentemente dos fracassos do passado, dos obstáculos atuais ou do que você mais
deseja na vida.

Não deixe ninguém desestimulá-lo sugerindo que oportunidades é coisa do passado. O ritmo
rápido no qual o mundo se move hoje criou milhares de necessidades que nem existiam
cinquenta anos atrás.

Se você sabe exatamente o que quer e tem fé absoluta em sua habilidade de chegar lá, você
pode conquistar o sucesso.

Lembre-se: nada acontece por acaso! Você tem que fazer as coisas acontecerem, inclusive o
sucesso individual. Sucesso em todos os campos é resultado de ação definida,
cuidadosamente planejada e executada de modo persistente.

Seu poder de pensamento é a única coisa sobre a qual você tem controle absoluto. Para usar
esse poder com eficiência, você deve pensar de forma precisa. Pensadores precisos não
permitem que ninguém pense por eles. Pessoas de sucesso têm um sistema definido com o
qual tomam decisões precisas. Elas recolhem informações e ouvem opiniões dos outros, mas
no fim reservam para si o privilégio de tomar decisões.

A causa número um de fracassos individuais é a incapacidade de conviver em harmonia com


os outros. Na maior parte dos casos, isso é resultado da falta de autodisciplina.

A autodisciplina é o único meio garantindo de se desenvolver e manter uma atitude mental


positiva. É o meio pelo qual se aprende com os erros e se descobre a semente de um benefício
equivalente em todos os fracassos e derrotas.

Duas ou mais pessoas envolvidas ativamente na busca de um objetivo definido com uma
atitude mental positiva constituem uma força imbatível. O MasterMind é o meio pelo qual
alguém pode aproveitar todos os benefícios da experiência, treinamento, educação,
conhecimento especializado e influência dos outros tão completamente quanto se suas mentes
fossem uma só.

Você também pode atingir o sucesso por meio de uma aliança de MasterMind. Ao se aliar com
pelo menos mais uma pessoa em espírito de perfeita harmonia para atingir um objetivo comum,
você pode chegar a alturas difíceis de alcançar sozinho.

O poder que vem de dentro do indivíduo não conhece classe social, obstáculos insuperáveis ou
problemas sem solução. É tão acessível aos pobres e humildes quanto aos ricos e poderosos.
É tido por todos que pensam de forma precisa. Ninguém pode fazê-lo funcionar a não ser o
próprio indivíduo.

Instainsights
· Às vezes, as coisas que parecem desastres são bênçãos disfarçadas.

· Seja solidário e amigo.

· A pessoa de sucesso está disposta a correr riscos quando são necessários para atingir o
objetivo.

· A humildade é uma força positiva que não tem limites.

· Tudo que sua mente puder conceber e acreditar, sua mente pode realizar.

· Trabalhe bem com sua equipe, e sua equipe o levará ao sucesso.

Neste livro, você aprendeu que

Para obter o sucesso precisamos definir um objetivo claro e encontrar pessoas que possam
nos ajudar nessa caminhada. Devemos nos esforçar o máximo possível e ter fé que
conseguiremos atingir nossas metas. É preciso ter iniciativa e agir sem precisar que ninguém
nos mande fazer, além de ter entusiasmo e foco. Entender que cada derrota ou imprevisto que
apareça no meio do caminho deve servir como degrau e assim nos sentirmos mais fortes e
confiantes para alcançarmos o objetivo definido.

O MAL QUE EU NÃO QUERO: Lições bíblicas para combater a pornografia

Miguel Dolny

Miguel Dolny convida o leitor a fazer bom uso dos instrumentos divinos a seu dispor para
combater o terrível mal da pornografia, que tem roubado cristãos de uma vida abundante onde
o amor prevalece, a qual é provida por Jesus. Sua abordagem pessoal, bíblica e científica
oferece muito para o pensar e agir em direção ao amor a Deus, a si mesmo e ao próximo. Vá
fundo!

Tire a máscara e vista a armadura

Mais uma queda. Os dias passam, as semanas, os meses e os anos, e nada muda. Você
continua caindo. Não importa quantas promessas sejam feitas, quantas medidas práticas sejam
tomadas, quantas orações de arrependimento sejam desesperadamente clamadas, sempre de
novo você cai em tentação. Mas ninguém sabe disso. Ou, se alguém sabe, não sabe o
suficiente. Afinal, você veste uma máscara. A máscara do bom cristão, ou do estudante e
trabalhador esforçado, ou da pessoa tímida e reservada. As possibilidades são infinitas. Você
pode até escolher qual máscara vestir de acordo com a situação. Mas o fato é que, por trás
dela, você se esconde.
Essa é a situação de muita gente, muitos cristãos, muitos líderes, muitos pastores. O fato é
que, todos nós, de uma maneira ou outra, nos encontramos nessa situação extremamente
difícil, que é a luta contra o pecado. Nessa luta, todos nós precisamos de ajuda. Precisamos
tirar a máscara, e reconhecer essa realidade. Precisamos de algo que nos proteja e nos
prepare, em meio a essa grande batalha espiritual, física, psicológica. Essa batalha tão real
que é a luta contra o pecado da pornografia. E a boa notícia é que a Bíblia nos indica o
caminho para que isso se torne possível!

Na carta que escreveu aos cristãos de Éfeso, Paulo fala sobre algo muito interessante, a
armadura de Deus. Ele diz que essa armadura nos permite ficar firmes contra as ciladas do
Diabo, resistir no dia mau e permanecer inabaláveis (Ef 6.10-13).

Por isso, precisamos ser fortalecidos no Senhor, e no seu forte poder. Precisamos vestir a
armadura de Deus. Para uma guerra real, precisamos de uma armadura real!

O primeiro passo para a liberdade

Não importa quais sejam suas circunstâncias específicas, se você é casado ou solteiro, se é
homem ou mulher, se é adolescente ou adulto, existe uma barreira com a qual todos nos
deparamos quando decidimos enfrentar nossos pecados, o medo da verdade.

Isso é natural, uma vez que a verdade é que somos pecadores. A verdade é que, por mais que
nos esforcemos, parece que não conseguimos sair do lugar. A verdade é que precisamos de
ajuda. Precisamos entender que, em Jesus, Deus encarnou-se, de verdade. Foi tentado, de
verdade. Morreu por nossos pecados, de verdade. Ao terceiro dia ressuscitou, de verdade. O
amor dele, por você e por mim, é de verdade!

A partir dessa realidade, podemos reconhecer as infinitas bênçãos que recebemos quando
vivemos um relacionamento com Jesus. Ele disse que, conhecendo a verdade, ou seja,
conhecendo ele mesmo, ele nos traria liberdade (Jo 8.32). E essa liberdade vai muito além de
uma vida de instintos refreados. É a liberdade de acessar o próprio Deus, receber e viver o seu
amor, tendo a certeza de sua companhia em todos os momentos. Diante de Jesus, podemos
ser verdadeiros.

A verdade é que Deus criou o sexo. Ele criou cada terminação nervosa em nosso corpo e cada
hormônio em nosso cérebro, dando-nos a oportunidade de experimentar o prazer sexual. Tudo
isso faz parte daquilo que ele mesmo definiu como muito bom, quando nos criou. Mas a
realidade é que, apesar das aparências, a pornografia não tem nada a ver com isso. Uma
pesquisa mostrou que, de maneira completamente contrária ao sexo, para 76,07% dos
brasileiros a pornografia deve ser considerada ruim ou muito ruim para a sociedade. E 72,56%
dessas pessoas disseram que gostariam de parar de ver pornografia. Pornografia é muito ruim
para seu cérebro. É muito ruim para seu coração. É muito ruim para os relacionamentos. É
muito ruim para quem faz parte dessa indústria. Infelizmente, a verdade é que a maioria dos
cristãos tem problemas com a pornografia.

O primeiro passo no caminho para a liberdade é deparar-se com a verdade. Primeiramente,


confesse-os a Deus; ele é especialista em tratar nossas feridas, e quer sempre ouvir os seus
filhos. Além disso, ele ama nos abençoar por meio de outras pessoas. Por isso, compartilhe
sua história com alguém. Vai ser difícil, desconfortável ou esquisito? Provavelmente. Mas
também pode ser o mais importante passo a ser dado em sua caminhada na luta contra a
pornografia.

Pare de ver pornografia

Você acha justo que alguém sofra violência física e psicológica enquanto trabalha? Acha justo
que crianças sejam exploradas? Acha justo que esposas sejam traídas por seus maridos?
Acha justo que adolescentes tenham sua vida destruída pelo vício?

De fato, existem muitas razões para entendermos que pornografia é sinônimo de injustiça, e
existem muitas provas de que ela é causa direta dos males mencionados.

Uma das maiores injustiças que a pornografia traz é para as pessoas que fazem parte da
indústria pornográfica. Muitas vezes, o impacto dessa experiência sobre sua vida é irreversível.
Confira algumas provas dessa realidade:

· Ao analisarem cenas dos materiais pornográficos mais vendidos, pesquisadores


detectaram que em 88,2% das ocasiões havia agressão física, principalmente tapas e
bofetadas e que em 48,7% havia agressão verbal. Em 94,4% dessas ocasiões, as vítimas das
agressões eram mulheres

· Atores e atrizes têm uma chance muito remota de constituir uma família. A pesquisadora
Mary Anne Layden afirma que as terríveis condições de trabalho são frequentemente
acompanhadas por igualmente terrível vida familiar, com crescentes chances de sofrerem
violência doméstica e chances cerca de 25% maiores de não conseguirem um casamento que
dure mais do que três anos.

· Apenas 17% dos atores usam preservativos e pelo menos 80% das atrizes e atores
relatam haver contraído doenças sexualmente transmissíveis ao trabalhar em produções
pornográficas

· O uso de drogas é praticamente unanimidade, especialmente para as mulheres, porque


elas não conseguem lidar com a terrível forma como são tratadas, conforme relata uma
ex-atriz. É muito comum que as atrizes precisem consumir bebidas alcoólicas e outras drogas,
para que possam estar anestesiadas para trabalhar.

Jesus nos convida a vivermos em amor ao próximo, e esse amor pode ser expresso de
inúmeras maneiras. Uma delas, é justamente lutar contra a pornografia! Lutar contra a
pornografia é lutar por justiça, quando reconhecemos as injustiças que ela causa, e
compreendemos que somos agentes fundamentais na transformação dessa realidade. Quando
entendemos as injustiças que a pornografia causa, nossa luta deixa de ser individual, contra
um vício pessoal, e passa a ser uma luta por amor ao próximo! Lutar contra a pornografia é
lutar por amor à nossa própria saúde, à nossa vida, mas também é lutar pelos relacionamentos
e pelas vítimas das injustiças da indústria pornográfica. É uma luta por amor, pois é uma luta
por justiça.

Reconhecendo que nossa justiça vem de Jesus, a justiça se torna uma forma de vivermos o
chamado que Deus nos faz, para amarmos o nosso próximo. Por isso, proteja seu coração com
a couraça da justiça! Lute contra a pornografia, lute por amor, lute por justiça!

Pregue o evangelho ao lutar contra a pornografia

A verdade é que somos todos pecadores, e nem mesmo os maiores pregadores da Palavra de
Deus estão livres dessa situação. Tendo isso em mente, quero convidar você a refletir sobre
uma das possibilidades mais inusitadas para alguém que deseja combater a pornografia,
pregar o evangelho de Jesus.

Essa possibilidade é inusitada, porque muitas pessoas pensam que, para falar de Jesus para
alguém, é preciso estar limpo. Não entendem como alguém poderia ousar pregar o evangelho,
tendo um pecado tão horripilante em sua vida. Mas o fato é que essa compreensão está
equivocada. Somos pecadores, e Deus justamente usa pecadores para serem pregadores de
seu perdão.

3 razões de que pregar o evangelho nos ajuda a lutar contra a pornografia:

· Fomos criados santos, por um Deus que é Santo. Caímos em pecado, mas fomos
resgatados por um Deus que, em Jesus, veio ao encontro dos pecadores. Temos esperança,
pois Jesus ressuscitou, dando-nos a graça da vida verdadeira e eterna, em comunhão com Ele
e com o próximo!

· Quando colocamos Jesus no centro, podemos contar a nossa história de outra forma,
éramos e continuamos sendo pecadores depravados, mas temos um salvador misericordioso,
um amigo amoroso, um guerreiro poderoso, que é santo, que lutou e continua lutando por nós.

· Quando abrimos nossos ouvidos, nossos olhos e nossos corações para as necessidades e
angústias do nosso próximo, podemos entender de que maneiras a mensagem do Evangelho
pode realmente ser uma boa notícia para ele, e assim essa mensagem passa a fazer mais
sentido também para nós.

Pregar o evangelho nos ajuda a lutar contra a pornografia! Por isso, mergulhe em sua Bíblia,
para ser relembrado da maravilhosa notícia a respeito de Jesus. Calce os calçados da
prontidão para pregar o evangelho e, conforme a vontade de Deus, Ele lhe dará a oportunidade
de ser um instrumento na vida de outras pessoas!

Use a fé como escudo na luta contra a pornografia

Você se sente como se estivesse sendo atacado? Tentações por todo lado, dúvidas tanto
sobre a sua fé como até mesmo sobre se realmente há uma preocupação genuína de Deus
para conosco. Nesses momentos, somem os amigos, ou então é você mesmo que se esconde
deles. Parece não haver mais esperança. Você cai, e não consegue se levantar. A pornografia
tem o poder de nos levar a esse panorama desesperador, e certamente é como um dardo de
fogo que o Diabo usa para nos atacar. Essa luta é real. Agora, é a vez de nos protegermos dos
ataques do inimigo, com o escudo da fé!

Não há dúvidas de que a fé seja algo da maior importância, quando se trata da batalha
espiritual em que vivemos.

· Pela fé, temos a certeza de que Jesus cumpre o que prometeu, e continua ao nosso lado
ao longo da caminhada. Vivemos por fé, e não pelo que vemos (2Co 5.7), com a certeza
daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos (Hb 11.1). Sob o escudo da fé,
temos a certeza de que Jesus está conosco, em todas as situações, ainda que nem sempre o
vejamos tão claramente.

· Ainda que isso possa parecer uma realidade distante, a verdade é que, pela fé em Jesus,
mesmo que eu caia, caio nos braços dele. Não são minhas obras, mas a fé nas obras dele que
garantem que estarei para sempre na presença de Deus. Assim, nosso destino eterno é viver
de maneira plena a vontade de Deus; seremos conformados à imagem de Jesus e viveremos
sem pecado. Tenha fé, seja agora, ou na eternidade, você vai parar de ver pornografia.

· Pela fé, posso ter alegria em lutar contra a pornografia, pois essa é uma forma de amar o
meu próprio corpo e minha mente, amar as pessoas com que me relaciono, e demonstrar amor
para com aquelas pessoas que são vítimas da indústria pornográfica.

Por isso, precisamos sempre fortalecê-la. A bíblia diz que a fé vem por ouvir a mensagem, e a
mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo (Rm 10.17). Sabendo disso, siga firme, e
continue buscando fortalecimento da fé por meio da Palavra.

Fui, sou e serei salvo da pornografia

Falar de salvação exige que nos detenhamos inicialmente a duas questões, salvos do quê? E
salvos para quê? Com relação à primeira questão, a bíblia nos revela que precisamos de
salvação, e que os maiores perigos que enfrentamos podem ser sintetizados na realidade
brutal do pecado. Mas, para sermos salvos, precisamos de um salvador. E é aí que Jesus entra
na história. Olhando para Jesus, podemos chegar à resposta para a segunda questão, a
salvação é para que sejamos reaproximados de Deus, e é essa salvação que também nos
aproxima de maneira genuína de nosso próximo e de nós mesmos. Somos salvos por Jesus
para termos vida eterna e cheia de sentido. Não há o que você possa fazer para ser salvo. Isso
é algo que Jesus já fez por você.

Salvação significa primeiramente a libertação de toda culpa e do julgamento pelos nossos


pecados; significa que em Jesus recebemos perdão, e somos reconciliados a Deus como seus
filhos. Sentir culpa é reação padrão para quem vê pornografia. Quando questionadas sobre
qual sentimento com que você mais se identifica, após ver conteúdo pornográfico? Mais da
metade (52,67%) das pessoas disseram que se sentem culpadas. Esse sentimento pode ser
um bom indicativo de reconhecimento do pecado e pode levar ao arrependimento, abrindo
caminho para a resposta de perdão que está em Jesus. Por outro lado, também pode
demonstrar falta de confiança na suficiência da obra de Cristo.

A certeza da salvação é o que protege nossa mente do medo da condenação. É o que nos dá
força para seguir lutando contra o pecado, e esperança de que, em Jesus, seremos
verdadeiramente libertos. Vista sempre o capacete da salvação! Apegue-se à certeza da
salvação, firmando os olhos sobre o que a palavra de Deus nos diz!
Leia a bíblia para combater a pornografia

As coisas que nos trazem prazer podem se tornar vícios. Isso acontece por causa do sistema
de recompensas, que temos em nosso cérebro. Funciona assim, cada vez que
experimentamos algo que nos traz prazer, recebemos uma descarga de hormônios em nosso
cérebro, entre os quais a dopamina, que nos traz uma sensação de relaxamento, que origina a
expressão, estar dopado. Quando sujeitamos nosso cérebro a constantes e repetidas doses
desses hormônios, um outro elemento, chamado, Delta-Fos-B, começa a criar caminhos
neurais, que são como trilhas em nosso cérebro. Ou seja, se o prazer é gerado por consumir
pornografia, com o passar do tempo o nosso cérebro passará a entender que, para sentir
prazer, será preciso sempre recorrer à mesma fonte, no caso, a pornografia.

Perder o contato com a Palavra de Deus nestes momentos de tentação é exatamente o


contrário do que deveríamos fazer. A Bíblia não é sobre um Deus raivoso e ansioso para punir,
mas sobre um Pai Amoroso, paciente e dedicado. Você não precisa ter medo de ouvir o que
ele tem para dizer. Pode confiar, o emissor da Palavra é o Pai, que sabe, quer e faz sempre o
melhor para seus filhos. O propósito central dos livros bíblicos é dar testemunho a respeito de
Jesus. Ele é a mensagem proclamada pela Palavra de Deus. Jesus é o Verbo que se fez carne
(Jo 1), a Palavra criadora (Sl 33.6), salvadora (Sl 107.20), e transformadora (Sl 119.105) de
Deus. É nele que toda a mensagem bíblica encontra seu sentido, e é nele que sua vida
também pode encontrar sentido!

Quando recebemos a mensagem da Bíblia em nossa vida, somos confrontados. A Bíblia não é
um livro de bons conselhos, ou de historinhas para afagar nosso ego. Na verdade, ela é a
incrível narrativa sobre um Deus que vem ao nosso encontro, vive nossas dificuldades, morre
por nossos pecados e, contra todas as expectativas, ressuscita para nos dar a vida. Ela quebra
todos os nossos paradigmas e nos revela que não temos em nós mérito algum. Ela é cortante,
mesmo. Ainda que as tentações, o pecado e a culpa lhe assolem, você não precisa ter medo
da Palavra de Deus. Ele é o seu Pai, que tanto lhe ama, e que vem ao seu encontro em todas
as ocasiões, com sua voz cheia de amor. Procure ouvi-lo todos os dias, firmando os olhos
sobre o que a Palavra de Deus nos diz!

Ore como Jesus para vencer a pornografia

Tem gente que acha que Jesus não teve maiores dificuldades na luta contra o pecado. Afinal,
se ele é Deus, seria simplesmente impossível que caísse em tentação. Certo? Errado, Jesus foi
tentado sobre sua identidade, seria ele o filho de Deus? Jesus foi tentado a desistir, seria a
cruz a única saída?

A Bíblia fala que Jesus, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado (Hb 4.15).
Então, se nosso desejo é combater as tentações e vencer o pecado, não há referencial melhor
para buscarmos do que o próprio Jesus. Sua vida cheia de tentações foi marcada pela
constante prática da oração. Jesus orava antes, durante e depois que passava por tentações.
Por isso:

· Ore antes das tentações, não nos deixes cair em tentação (Lc 11.4). Esse pedido deve ser
diário, frequente, especialmente quando estamos falando de pornografia. Afinal, estamos
constantemente a um clique de distância de milhões de sites e conteúdos pornográficos.
· Ore enquanto for tentado, vigiem e orem para que não caiam em tentação (Mt 26.41-42).
Em meio às tentações, temos a oportunidade de falar diretamente com aquele que melhor pode
nos ajudar. Por causa do que Jesus fez por nós, temos acesso ao Pai, e podemos chegar
diante dele sem vergonha, sem medo, e lhe pedir socorro, tenha certeza, o Pai nos ajuda,
especialmente nos momentos de maior necessidade.

· Ore depois de passar por tentações, após passar por essa situação de enorme tensão, que
foi coroada pelo milagre da ressurreição de seu amigo Lázaro, Jesus orou, Pai, eu te agradeço
porque me ouviste (Jo 11.41). Da mesma forma, nós também temos a oportunidade de
continuar conversando com o Pai, depois de passarmos por experiências difíceis como as
tentações. Quando vencemos, temos motivos óbvios para agradecer e louvar a Deus. Mas
especialmente quando caímos, é quando mais precisamos conversar com o Pai! Tenha
certeza, ele não nos dá as costas, mas nos dá ouvidos, nos acolhe em nossas fraquezas, e
quer nos abençoar com o seu amor.

A oração é nossa conversa com Deus. Só temos essa oportunidade por causa de Jesus, por
meio dele tanto nós como vocês temos acesso ao Pai (Ef 2.18). Nesse encontro, podemos
pedir ajuda, socorro, perdão, e um coração disposto a lutar. Por isso, não importa onde você
esteja na luta contra a pornografia, ore. Ore quando for confrontado com a verdade; ore ao lutar
por justiça; ore ao pregar o Evangelho; ore ao se apegar à fé; ore quando buscar a certeza da
salvação; ore ao ler a Bíblia. Ore sempre. Tenha certeza de que o Pai o ouve. Ore como Jesus
para vencer a pornografia!

Instainsights

· Não tenha medo da dizer a verdade, lembre-se você não é o único, peça ajuda!

· Pregue o evangelho, ele o ajudará a vencer a pornografia.

· Use a fé para defender-se dos dardos de fogo do maligno.

· Use o capacete da salvação, Jesus nos garante a salvação a por meio de seu sacrifício.

· Fortaleça-se no amor de Deus, ouvindo sua voz por meio da leitura bíblica.

· Ore como Jesus, antes durante e depois das tentações.

Nesse livro você aprendeu que:

Mais do que métodos, dicas e soluções milagrosas, o que precisamos para combater a
pornografia é de um relacionamento vivo com Deus. A partir desse relacionamento, é que
podemos experimentar a transformação em nossos comportamentos. De mãos dadas com Ele,
podemos estender seu amor ao nosso próximo, e é disso que se trata a batalha contra a
pornografia! Lutar contra a pornografia significa ser verdadeiro, promover a justiça, pregar a
boa notícia do Evangelho, apegar-se à fé e à salvação, firme na Palavra e na oração! Essa é
uma luta por amor! Por isso, não há outro lugar para o qual possamos correr além dos braços
de nosso Deus de amor. É Ele quem derrama esse amor em nossa vida, e nos abençoa com a
oportunidade de compartilhá-lo! Sempre que precisar, você pode recorrer a Ele. Abra seus
olhos, e veja. Ele prometeu, e cumprirá, eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos (Mt
28.20).

GESTÃO DA EMOÇÃO: Crescendo com a crise

Augusto Cury

Nesta obra, o psiquiatra, psicoterapeuta e pesquisador Augusto Cury nos ajuda a identificar o
mau uso da emoção e o gasto desnecessário de energia. Sugere ferramentas e técnicas
simples para que deixe de ser o seu pior inimigo. O Programa de Gestão da Emoção, de Cury
nos habilita a sair da passividade e nos transforma em jardineiros eficazes em cultivar uma
mente livre e saudável.

Coaching e psicoterapia: dois mundos tão próximos e tão distantes

Um líder pode dirigir uma empresa com milhares de funcionários e, ao mesmo tempo, ser
incapaz de dirigir a própria mente. Existem milionários que sabem gerir empresas e ganhar
dinheiro como poucos, mas são pobres de alegria e tranqüilidade.

O autor afirma que a gestão da emoção é a base de todos os treinamentos psíquicos:


profissional, educacional e interpessoal. Existem diversas armadilhas em nossa mente. Por ser
vítima delas, a maioria das pessoas levará seus conflitos para o túmulo. Todos querem mudar
as características doentias de sua personalidade, sem saber que elas são imutáveis. Porém, é
possível reeditar as janelas da memória ou construir novas plataformas de janelas saudáveis,
que o autor chama de “núcleos de habitação do Eu”.

A gestão da emoção promove treinamentos das habilidades intelectuais, pessoais e


profissionais, enquanto a psicoterapia trata dos conflitos que asfixiam essas habilidades.
Enquanto a psicoterapia trata das armadilhas mentais que nos limitam; a gestão da emoção
nos leva a desempenhar com eficiência nosso papel na sociedade.

Cury explica que a gestão da emoção estimula o indivíduo a construir janelas light (saudáveis)
no córtex cerebral, enquanto a psicoterapia o conduz a reeditar janelas killer (conflitantes). A
psicoterapia e o coaching se unem no Programa de Gestão da Emoção, produzindo uma
combinação perfeita para contribuir com o desempenho sócio-emocional. Somos incapazes de
apagar traumas, mas podemos reeditar as janelas traumáticas ou construir plataformas de
janelas saudáveis (light) para transformar as características doentias de personalidade. O autor
diz que é muito melhor aprender a domesticar os fantasmas do passado do que apagá-los.

Reeditar e reconstruir a memória – Reciclando o lixo psíquico

Quando você tenta apagar os traumas ou características da personalidade, só reforça ainda


mais aquilo que desejava apagar. Só se muda a história escrevendo outra, e não anulando a
anterior. Cury diz que uma atitude inteligente para quem quer gerir a emoção é reciclar o lixo
da memória exatamente no momento em que a crise aparece.
Também é importante construir janelas light ao redor do núcleo traumático. Quando se está
fora de uma crise de pânico, de um episódio de fobia, sem sentimento de culpa ou humor
deprimido, o Eu discute e debate com seus fantasmas mentais, criticando e questionando o
fundamento destes. Quando entramos nesse núcleo doentio ou killer, mas construímos em sua
fronteira arquivos saudáveis, o Eu consegue retomar seu papel de autor de sua história e
gestor de sua emoção.

As decepções mais profundas normalmente estão relacionadas às pessoas que mais amamos,
pois são aquelas às quais nos doamos e de quem esperamos o reconhecimento, mas que,
muitas vezes, nos respondem de forma contrária, com rejeição, crítica injusta e traição. O autor
diz que por trás de uma pessoa que fere, há sempre uma pessoa ferida. Ninguém faz os outros
infelizes se não for, ele mesmo, infeliz.

Ninguém é perfeito. Por mais ético, transparente e humilde que seja, sem perceber, acaba
frustrando as pessoas mais intimas. Conviver em sociedade exige gestão da emoção, e gestão
da emoção exige tolerância, exige abraçar mais e julgar menos, e não ficar tentando apagar da
memória quem nos decepciona. Cury diz que a gestão da emoção treina as pessoas a não
serem vítimas de suas mazelas, e sim autores de suas próprias histórias, mesmo em tempos
de crise.

Desarmar armadilhas mentais

O autor diz que as pessoas devem aprender a desarmar as armadilhas mentais para construir
relações sociais saudáveis, como:

-Pensar antes de reagir: O autor diz que deveríamos treinar diariamente a habilidade de pensar
nas conseqüências de nossos comportamentos. Não somos obrigados a responder
rapidamente a filhos, parceiro, amigos, colegas de trabalho. É melhor parecer lento do que falar
bobagens ou tomar atitudes impensadas. Em momentos de tensão, recolha as “armas” e
espere a poeira baixar, e só depois aja.

-Não reagir pelo fenômeno da ação-reação: Quem não gere a própria emoção acaba com as
melhores e mais saudáveis características de sua personalidade. É preciso ter autocontrole.
Discussões, atritos e picuinhas são comportamentos que viciam. É preciso estar atento para
não entrar neste ciclo vicioso.

-Exaltar a pessoa que erra antes de exaltar o erro dela: Cury explica que quando se aponta o
erro de alguém, dispara-se um fenômeno inconsciente, o gatilho da memória, que abre uma
janela killer. Nesse caso, o ser humano deixa de ser um ser pensante, e se torna instintivo, um
animal ferido. Para que isso não ocorra, precisamos primeiramente exaltar quem erra, para, só
depois expor sua falha. Um pequeno elogio sincero seguido de uma critica, com firmeza e
generosidade, induzem a pessoa a reflexão e interiorização.

Simples palavras e pequenas atitudes podem evitar grandes desastres emocionais. A gestão
da emoção é fundamental para a saúde das pessoas, das empresas, dos países e da
humanidade.

O autor cita como exemplo o treinamento socioemocional da Grécia Antiga, aonde a meta não
era o pódio, a meta era dar o melhor de si. O pódio e a vitória eram apenas parte do processo.
Os atletas eram mais focados em seu desenvolvimento e crescimento do que na vitória em si, e
sabiam que aqueles que não suportavam perdas, também não mereciam os aplausos.

Outro exemplo é o método socrático. Uma técnica de coaching emocional fundamental para
libertar o imaginário e formar pensadores. Para Sócrates, um pensador questiona, enquanto
um servo obedece a ordens; um pensador explora o seu mundo, enquanto um espectador
espera a morte chegar. Cury diz que Sócrates formou Platão e outros pensadores sem nenhum
recurso como temos hoje em dia. Atualmente, são necessárias centenas de milhares de
professores e escolas com incalculável tecnologia para se formar um Platão, um pensador
impactante. As pessoas não são ensinadas a explorar o mundo, questionar incansavelmente e
a ter sede de conhecimento. Hoje, os filhos e alunos são ensinados a obedecer ordens e a
trilhar caminhos conhecidos.

Construir a felicidade inteligente e a saúde emocional

Essa técnica nos leva a felicidade inteligente e a saúde psíquica. É uma técnica multifocal que
depende de pelo menos sete ferramentas, que devem ser trabalhadas diariamente:

Ser fiel à consciência; Contemplar o belo; Encantar-se com a existência; Ser altruísta; Pensar
como humanidade; Doar-se sem esperar a contrapartida do retorno e Adquirir estabilidade
emocional fundamental.

O autor alerta ao fato de que é possível estar alegre e essa alegria ser doentia. A felicidade
inteligente, por sua vez, exige uma emoção saudável; a emoção saudável exige
sustentabilidade; e a sustentabilidade exige aplicação de ferramentas de gestão da emoção.

“Quem é infiel à sua consciência tem uma dívida impagável consigo mesmo”. Algumas pessoas
atingem a fase adulta, mas a idade emocional continua a ser de um adolescente. Um dos
motivos de isso acontecer é não treinarem a emoção para serem fiéis à sua consciência. O
autor afirma que faltam a essas pessoas ética, transparência e responsabilidade social.

São pessoas que dirigem empresas, porém não são capazes de dirigir a própria mente. Uma
pessoa fiel a própria consciência é, em primeiro lugar, preocupada com sua saúde emocional e
cresce diante da dor, filtra estímulos estressantes, protege a mente e não leva para o túmulo
seus fantasmas mentais. Sabem que o dinheiro não garante a felicidade, porém a falta dele
garante a ansiedade. O mau uso do dinheiro empobrece tanto quanto a falta dele.

Cury diz que uma das maiores ferramentas que pais e professores devem ensinar a seus filhos
e alunos, é que sejam transparentes, tenham coragem de falar de si mesmos, de suas crises,
suas perdas e de suas falhas.

Um bom coach da gestão da emoção não cria nada, apenas deixa claro o que já existe; não
transforma alguém em vencedor, apenas remove os obstáculos que impedem que este seja
vitorioso.

Saúde emocional – Mapeamento dos fantasmas mentais e superação de conflitos


-Renunciar a ser perfeito: Cury diz que se você quer viver dias tranqüilos, seu compromisso
não é evitar todos os erros, e sim não se punir quando eles aparecerem; não é ter um
comportamento equilibrado em todas as situações, mas relaxar quando for incoerente; não é se
declarar herói, e sim brincar com suas fragilidades.

Augusto Cury também explica que a saúde emocional é fortalecida quando passamos a
abraçar mais e cobrar menos, a encorajar mais e punir menos, a dar sempre uma nova chance
para nós e para quem nos rodeia.

-Ter autoconsciência: Quem não exercita a autoconsciência vive a pior de todas as solidões,
pois é abandonado por si mesmo. Caminha sem metas, caminha sem rumo pela vida. Para ter
autoconsciência é preciso ter coragem para nos questionarmos nas mais diversas áreas de
nossa existência: Quem sou? Que traumas me assombram? Como está minha relação com
minha família? Trabalho com o que amo?

-Automapeamento: Fazer o diagnóstico dos fantasmas mentais e das falsas crenças: Quais são
os fantasmas mentais que sabotam nossa qualidade de vida, nossa atividade profissional e
nossas relações sociais? O autor cita alguns deles: timidez e insegurança; autopunição;
sentimento de culpa; sentimento de vingança; complexo de inferioridade; ciúme; angústia;
impulsividade; ansiedade; depressão; mau humor; pessimismo; transtornos alimentares
(anorexia, bulimia); dependência química; transtorno obsessivo compulsivo (TOC); dificuldade
de se reinventar; déficit de proteção emocional; hipocondria ou medo de doenças etc.

Cury diz que quem tem medo de olhar para si e encontrar seus fantasmas mentais será
aterrorizado por eles a vida toda.

-Estabelecer metas claras: Estabelecer metas é importantíssimo para saber onde se está e
aonde se quer chegar. Sem metas claras, não é possível definir trajetórias. Cury questiona: Se
não sabe quem é e onde está como saberá aonde quer chegar?

-Ter foco e disciplina: Sem foco, as pessoas atiram para todos os lados, gastam energia à toa,
perdem tempo, trabalho, dinheiro e não constroem caminhos que levem aos lugares desejados.
Sem disciplina, perdemos para o imediatismo, para a necessidade doentia de querer tudo
rápido e pronto.

-Todas as escolhas implicam perdas: Muitas pessoas não mudam, não tomam as atitudes
necessárias para isso por que detestam perdas. É preciso entender que as perdas sempre
existirão e são necessárias para tomar as rédeas da própria vida. Quando sobrevivemos ao
caos, crescemos e nos tornamos pessoas melhores.

Sustentabilidade das empresas – Crescendo com a crise

-Treine as habilidades em tempo de paz: Cury diz que psicoterapia se faz somente em tempo
de conflito; coaching se faz também em tempo de paz. Psicoterapia é indicada quando uma
doença psíquica está instalada; coaching é indicado para prevenir doenças emocionais,
financeiras e sociais. Bons líderes corrigem erros; os melhores líderes os previnem.

-Treine pensar em outras possibilidades: Para se antecipar às crises e conflitos e preveni-los,


não basta treinar habilidades em tempos bons; é necessário abrir ao máximo a mente para
pensar em outras possibilidades. Quem quer pensar em outras possibilidades deve questionar
sempre, deve bombardear o cérebro com questionamentos sobre as habilidades de um bom
líder: Sou proativo ou conformista? Liberto a imaginação de meus liderados? Inspiro-os e lhes
passo a missão da empresa ou os limito? Sou democrático ou tenho necessidade de poder?
Tenho sede de me atualizar ou sou auto-suficiente?

Cury diz que se pais e professores fizessem essa avaliação, revolucionariam sua capacidade
de pensar em outras possibilidades, de se antecipar a fatos e prevenir erros. A inteligência
coletiva só acontece quando há treinamento, cumplicidade, missão e gestão da emoção. Ela é
mais importante para a sustentabilidade de uma empresa do que a inteligência de alguns
executivos.

A unidade básica da mente humana é o pensamento. Cury afirma que a gestão da emoção
depende diretamente da gestão dos pensamentos. Os tipos de pensamento que atuam no
teatro mental são: essencial, dialético e antidialético, sendo o primeiro inconsciente e os outros
dois conscientes. O pensamento essencial é a base dos outros dois tipos de pensamento, mas
não temos a percepção lúcida deles. É o primeiro resultado da leitura da memória.

Cury explica que o pensamento dialético surge quando o bebê nasce e começa a ter contato
sensorial com milhões de estímulos externos, através do comportamento de pais ou
responsáveis, professores, etc. Todos esses estímulos são arquivados pelo fenômeno RAM,
preenchendo as inumeráveis janelas do córtex cerebral. É a base da linguagem, da escrita e do
diálogo. Sem o pensamento dialético, o Eu não saberia se expressar e nem teria sentimentos
como ciúme, raiva, generosidade.

O pensamento antidialético, por sua vez, é multiangular, multifocal, multidirecional. Ele constitui
a base do imaginário, sendo capaz de vivenciar o emocional com mais profundidade. Diferente
do pensamento dialético, o antidialético não precisa de símbolos ou linguagem de sinais para
se desenvolver.

O autor diz que ao longo do desenvolvimento da personalidade, o pensamento antidialético


deveria ser incentivado, encorpado e enriquecido. A empatia, a generosidade, a tolerância, a
resiliência, a autoestima, o gerenciamento da ansiedade e a proatividade dependem do
pensamento antidialético. Sem o pensamento antidialético, não há gestão da emoção.

Formar líderes – Mentes empreendedoras e inovadoras

A capacidade de ser mentalmente empreendedor e criativo se inicia com o processo de


observação. Entretanto, o processo de observação, para funcionar, depende de um olhar
aberto, atento a diversos lados ou ângulos.

Cury diz que um líder empreendedor e inovador, seja empresarial ou educacional, observa
muito e fala pouco; usa mais os olhos do que a língua e não tem a necessidade neurótica de
ser o centro das atenções.

Por treinar a arte de observar por múltiplos ângulos, um líder empreendedor torna-se um
especialista em detectar a desatualização da empresa, as crises financeiras e os conflitos
sociais, antes que os sintomas apareçam.

O autor diz que um bom líder deve buscar a sabedoria mais do que a inteligência, aprendendo
mais com os erros dos outros. Um líder inteligente impõe suas ideias, enquanto um líder sábio
expõe suas ideias, estimula seus liderados, gosta de promovê-los.

-A dor nos faz crescer ou nos destrói: a solidão criativa. Nenhum tipo de dor, seja física ou
emocional, é agradável. Porém, nos faz crescer. Cury diz que a dor, se bem trabalhada, regula
a emoção. A dor, se bem utilizada, ilumina nossa mente e nos faz mais humildes, generosos
com os outros e conosco.

Augusto afirma que crianças e adolescentes têm de passar por frustrações, têm de ouvir “não”,
têm de saber lidar com a dor. Precisam ter suas experiências para amadurecer, ou serão para
sempre crianças.

– Ninguém é digno do pódio se não utilizar os fracassos para alcançá-lo: Os sonhos concedem
a força necessária para tirá-lo do lugar onde está. Valorizar percurso é importante para as
conquistas, já que relaxa o Eu, alivia tensões, canaliza a energia para suportar perdas, superar
dificuldades, reciclar as derrotas da jornada.

Cury diz que “O maior desafio de uma empresa não é ter produtos notáveis, mas colaboradores
com mente notável, capazes de manter a empresa sempre jovem, ágil, sonhadora, inovadora”.

O Eu e o fenômeno RAM: os limites para a gestão da emoção

Nós ficamos doentes não apenas pelo trauma em si, mas principalmente, pela retroalimentação
do trauma. Você não pode evitar o trauma, porém tem o poder de decidir nutri-los ou não.
Como a educação clássica não treina o Eu para ser gestor da própria mente, milhares de
pessoas adoecem psiquicamente.

Quando entramos numa janela killer, a tensão é tão grande que bloqueia milhares de outras
janelas ou arquivos, impedindo o Eu de ter acesso a milhões de dados para construir
pensamentos lúcidos e profundos. Nesse momento, o Homo sapiens deixa de ser pensante e
se torna Homo bios, instintivo. . Emoções tensas podem bloquear o raciocínio e nos levar a
reagir incoerentemente.

A emoção influencia diretamente o processo assimilação e a qualidade dos registros que


moldam nossa personalidade. Quanto maior a carga emocional envolvida em uma experiência,
maior será a chance de ela ser aprendida, registrada e resgatada depois. A educação sem
emoção não é eficaz, por isso, os melhores alunos na escola não serão necessariamente os
profissionais mais eficientes

Proteger a emoção e gerir os comportamentos que promovem o índice GEEI

– Filtrar estímulos estressantes para cuidar dos ataques da memória: Esta técnica deve ser
usada tanto contra os ataques de estímulos estressantes que vêm do nosso passado, quanto
contra os que vêm do presente. Como não podemos deletar memórias, a única possibilidade
de superar é reeditar as janelas traumáticas por meio, por exemplo, da técnica do duvidar,
criticar e determinar (DCD) – ou construir janelas saudáveis ao redor do núcleo traumático.

– Filtrar estímulos estressantes do presente para não comprar o que não lhe pertence:
Manter-se informado é importante, mas é preciso estar atento a qualidade de informações que
é consumida. Devemos nos informar também com milhares de noticias saudáveis que
acontecem no mundo, não apenas com desgraças. Cury diz que ao melhorar a dieta
emocional, muda-se o paladar psíquico.

-Filtrar estímulos estressantes para aumentar os níveis de tolerância a frustrações: Essa


ferramenta da gestão da emoção é tão complexa que precisa ser aplicada em três níveis:
compreender a vulnerabilidade da vida, exercitar o perdão e o autoperdão e se doar sem
esperar nada em troca.

Augusto Cury diz que os comportamentos que esgotam o cérebro e que são vilões da nossa
saúde emocional são: Sofrimento por antecipação; Ruminação do passado e o resgate de
mágoas; Preocupação neurótica com detalhes; Timidez; TOC: ideias fixas e rituais
comportamentais; Não combater o lixo psíquico; Necessidade neurótica de mudar os outros;
Cobrança excessiva e necessidade de controlar os outros.

Uma pessoa que não é gestora de sua própria mente pode causar muitos danos a ela mesma e
aqueles que convivem. Cury diz que “Infelizmente, o ser humano é o maior predador dele
mesmo, o mais perigoso ladrão de sua tranqüilidade, o mais penetrante carrasco de seu
cérebro, o maior escravizador de sua emoção”.

Instainsights

· É impossível apagar os traumas da mente, mas podemos reeditar as janelas traumáticas.

· Devemos reciclar o lixo da memória no momento em que a crise aparece.

· A gestão da emoção treina as pessoas a serem autores da própria história, mesmo em


tempos difíceis.

· Devemos buscar mais a sabedoria do que a inteligência, aprendendo com os erros das
outras pessoas.

· Quanto maior a carga emocional, maior o aprendizado.

Neste livro, você aprendeu que

Hoje em dia, a grande maioria das pessoas acha normal sofrer por antecipação, remoer
frustrações e mágoas, ser ansioso e impaciente. Pessoas com essas características são
desprotegidas emocionalmente, e não são líderes de suas próprias mentes. O autor nos mostra
que não devemos tentar apagar as memórias que nos trazem problemas, mas que devemos
reeditar as janelas traumáticas, filtrar as informações que chegam até nós para que não se
instalem novos traumas e ter cuidado com o conteúdo que consumimos.
SWITCH: Como mudar as coisas quando a mudança é difícil

Chip Heath & Dan Heath

Você já parou para pensar como é difícil mudar? Mudar atitudes, manias, trabalhos, forma de
pensar... este livro pode ter a solução. Mudanças não são fáceis, mas também não são tão
difíceis como parecem ser. Em muitas situações para que haja mudanças, são necessários
vários fatores e iniciativas que fazem isso funcionar. Mas como saber incentivar, influenciar,
inspirar e motivar da forma correta para que aconteçam mudanças boas, importantes e
permanentes na sua casa, na sua família, no seu trabalho, e no meio onde você vive? O
objetivo deste livro é te ensinar um esquema, com bases cientificas, de modo bem simples
através de casos inspiradores de mudanças concretas, como algumas técnicas de influência,
motivação e incentivo, podem concretizar a mudança que você deseja em sua vida.

Três Surpresas sobre a Mudança

Um estudo feito no ano 2000 com alguns espectadores de um cinema, que não sabiam que
estavam sendo testados. Eles receberam em uma sessão, refrigerantes e baldes de pipocas,
somente um para cada. Esses baldes variavam entre dois tamanhos, os médios e os grandes,
mas tinha um grande detalhe, essas pipocas estavam murchas propositalmente.

Nesse estudo os pesquisadores queriam descobrir uma questão simples. Se as pessoas com
baldes maiores comeriam mais pipoca que os expectadores que receberam os baldes médios.
Independentemente da qualidade das pipocas.

Na realidade os dois baldes eram suficientemente grandes a ponto de nenhum dos


espectadores conseguirem comer toda a porção sozinhos. Então os pesquisadores pesaram
esses dois tamanhos de balde com os restos de pipoca de cada um dos que participaram do
estudo, e os resultados foram surpreendentes. As pessoas com baldes maiores comeram mais
da metade do balde de pipoca. O mesmo não ocorreu com as pessoas que ganharam os
baldes médios.

Chegaram à conclusão que, as pessoas comem mais compulsivamente quando recebem um


recipiente maior, aquelas pessoas não comiam por prazer, tanto que a pipoca foi preparada
murcha para realmente não ser uma experiência mais prazerosa comer aquele balde. Elas não
estavam com desejo irredutível de consumir o balde todo, mas não importa se estavam
famintas ou satisfeitas. A realidade foi posta, um recipiente maior significa comer mais. A
resposta para reverter esse comportamento compulsivo foi simples. Se você quiser que as
pessoas comam menos simplesmente dê a elas baldes menores. Não seria necessário
conhecimento e sim mudanças.

O lado emocional nessas horas é quase que compulsivo, e vai fazer com que você coma o
máximo possível de pipocas. Afinal, um balde tão grande não está ali por acaso, mas para ser
comido, mesmo que o seu lado racional mostre de alguma forma que seria um exagero
consumir aquela quantidade absurda de pipoca, simplesmente você não dará ouvidos à razão.

É nítido e fácil resolver esse problema com a atitude de diminuir os baldes, comparada a uma
difícil mudança de convencer as pessoas a pensar de forma diferente sobre àquele consumo.
Isso não é um problema pessoal, geralmente é situacional.

O senso comum na psicologia é que o cérebro tem dois sistemas independentes que
funcionam a todo tempo, são eles: o lado emocional, que funciona de forma instintiva, que
sente prazer e dor. E o lado racional, conhecido por ser reflexivo e consciente, que pondera,
analisa e pensa nas consequências.

Os autores, além de correlacionar outros casos com situações de mudanças, usam esses
sistemas, adotando de forma clara e prática, duas analogias importantes do Psicólogo
Jonathan Haidt em seu livro “The Happiness Hypothesis”, traduzido para o português “A
Hipótese da Felicidade”, Haidt fala que nosso lado emocional é um elefante e o racional seu
condutor. Quando o condutor está em cima do elefante, o condutor segura as rédeas e parece
ser o líder. Mas na realidade seu controle é muito pequeno em relação ao Elefante, e a
qualquer momento que um elefante de seis toneladas discordar sobre a direção que o líder
escolher, o condutor vai perder.

Oriente o condutor

O que normalmente colocam como resistência a mudança, muitas vezes é falta de clareza.
Então precisamos de informações claras. O que acreditam que é preguiça, costuma ser
exaustão.

Os condutores tendem a ser pessimistas, e os elefantes sonhadores, o problema do elefante é


a impulsividade, e o do condutor é pensar e pensar, sem sair do seu lugar.

É muito importante focar em pontos luminosos quando enxergamos de forma pessimista, esses
pontos luminosos acabam por nos ajudar a mudar as circunstâncias ruins e articular nosso
elefante da forma certa. Vamos a um exemplo citado no livro, diante de vários relatados:

Certa vez, um menino que tem problemas de comportamento e aprendizado em sua escola
seria transferido, pois a sua situação comportamental estava crítica. Terapeutas, em vez de
focarem no problema de comportamento, como uma raiz antiga de traumas de infância,
focaram na solução para que o menino pudesse seguir em frente.

A ideia foi de perguntar ao jovem o que ele mais gostava na escola. No meio àquele caos de
comportamento, ele se lembra que gostava das aulas de uma das professoras, que o
cumprimentava quando chegava em sala, passava as lições mais fáceis para ele assimilar
melhor, e procurava saber se ele entendeu todo o conteúdo dado em sala. Estava aí o ponto
luminoso do problema, a chave para mudança.

A identificação do problema, e uma simples mudança, fez com que o destino desse menino
mudasse drasticamente. Foram passadas essas atitudes simples e nobres para os demais
professores a fim de clonarem o comportamento da tal professora, e tudo se resolveu. Como
uma simples mudança de trocar o balde de pipoca por um menor deu resultados, uma simples
conversa com um menino e simples mudanças de atitudes de outros professores, no final fez
toda diferença.

Mudanças bem-sucedidas envolvem a conexão das três partes do esquema, o elefante, o


condutor e o caminho. Dando o caminho ao condutor, ele influenciará o elefante a fazer o que
precisa para a mudança, seja lá em que área for aplicado.

A ambiguidade é exaustiva para o condutor, pois ele está puxando as rédeas, tentando
direcionar para um novo caminho, mas quando esse caminho é incerto, o elefante insiste em
buscar um caminho padrão. Qualquer mudança bem-sucedida requer a tradução de seus
objetivos ambíguos em comportamentos concretos. Resumindo, para gerar uma reviravolta,
será necessário roteirizar os passos principais. Vamos a mais outro exemplo prático usado no
livro.

Em 1995, o presidente do Brasil Fernando Henrique Cardoso decidiu privatizar as ferrovias


brasileiras, então ele dividiu o sistema em 7 malhas diferentes, e leiloou os direitos de uso. As
antigas administrações não investiram muito nesse sistema, e no momento do leilão, estava em
caos de deterioração. Fizeram um estudo e concluíram que metade das pontes precisavam de
reformas, e 20% delas estavam tão deterioradas que estavam prestes a cair.

Infelizmente as tecnologias usadas no Brasil estavam muito ultrapassadas, e não eram iguais a
países desenvolvidos, tanto que os sistemas ferroviários usavam ainda 20 locomotivas
alimentadas por motores a vapor.

Uma empresa privada chamada GP Investimentos, deu um lance pela malha linha sul, que era
responsável por passar nos três estados do sul. A GP acabou dando o maior lance no leilão em
1996, e após um período de gerenciamento interno, a empresa colocou um de seus executivos,
Alexandre Behring, à frente da companhia, que depois foi nomeada de ALL (América Latina
Logística). Quando Behring assumiu o controle, tinha pouco mais de 30 anos, e não tinha muito
o que fazer pela ALL, eles tinham apenas R$30 milhões em conta, e em uma das reuniões da
empresa um gerente de nível médio implorou R$5 milhões para consertar uma única ponte.

Apesar de estar sozinho, Behring sabia que consertar tudo exigiria centenas de milhões de
reais, e ele enfrentou uma restrição inflexível, a conta escassa da ALL. A paralisia decisória do
condutor deveria ter sido insuportável no momento. Mas Behring esclareceu exatamente o que
deveria ser feito, a principal ideia era tirar a ALL de seu estado financeiro precário. Para
modificar essa situação ele e seu CFO de 35 anos, Duilio Calciolari, desenvolveram quatro
regras para os investimentos da empresa:

Regra 1 - desbloquear: O dinheiro seria investido apenas nos projetos que gerassem mais
receita a curto prazo.

Regra 2 - minimizar o dinheiro adiantado: A melhor solução para qualquer problema era
escolher a que menos custasse dinheiro adiantado, mesmo que custasse mais a longo prazo.

Regra 3 - o mais rápido é preferível ao melhor: As opções que resolvessem o problema com
rapidez seriam as escolhidas ao invés das lentas, que acarretariam em soluções de longo
prazo.

Regra 4 - use o que tem: Reutilizar ou reciclar os materiais existentes era melhor do que os
comprar novos.
Essas regras, reunidas garantiram que o pouco de dinheiro não fosse consumido, a menos que
fosse usado como isca para mais dinheiro. Gastar pouco e ganhar um pouco mais. Esse
exemplo significa roteirizar os passos principais. A mudança começa no nível das próprias
decisões comportamentais, mas esse é um ponto difícil de começar pois é onde encontramos
atrito. A inércia e paralisia decisória conspiram para manter as pessoas fazendo as coisas do
jeito antigo. E para induzir o movimento em uma nova direção, você precisará oferecer
orientações claras, e é por isso que roteirizar é importante.

É preciso pensar sobre um comportamento específico que gostaria de ver (ter) em um


momento difícil, quer o momento difícil seja em uma ferrovia do Brasil, ou em sua despensa
cheia de salgadinhos.

Jamais seremos capazes de roteirizar todos os passos, mas são os passos principais, sejam
eles pequenos no começo, ou sejam eles muito grandes, que vão fazer a diferença.

No final desses capítulos o autor chama o leitor para um exercício prático, um recurso chamado
de “clínica”, onde eles descrevem uma situação real e desafiam o leitor a pensar como aplicar
um sistema de reviravolta para gerar mudança. Ao final de cada clínica os autores dão a
sugestão deles, mas antes de tudo eles preferem ver como o leitor irá se sair com seu próprio
plano de jogo.

Motive o Elefante

Em tempos de esforços de mudanças bem-sucedidos, as pessoas encontram meios de ajudar


os outros a verem problemas ou soluções que possam influenciar o campo de suas emoções,
não só o campo da razão. Em outras palavras, quando uma mudança funciona, é porque os
líderes estão falando tanto com o elefante quanto com o condutor.

Muitos de nós se fossemos criar um estudo de caso, montaríamos uma apresentação de


PowerPoint com gráficos, tabelas e citações estrategicamente selecionadas de diretores que
aderiram a uma visão progressista de design. Assim que terminássemos nossa apresentação,
todos na sala entenderiam nossa mensagem. Mas será que mudariam seu comportamento? A
pesquisa de Kotter professor da Harvard Business School sugere que não.

Kotter e Cohen outro escritor de “O Coração da Mudança”, afirmam que as pessoas pensam
que a maioria das mudanças ocorrem nessa ordem: ANALISAR- PENSAR-MUDAR. Você
analisa, depois pensa e então muda. Em um ambiente normal isso poderia dar certo, mas eles
observaram que em quase todos esforços de mudanças bem-sucedidas, a sequência era
VER-SENTIR-MUDAR.

Você é confrontado por evidencias que fazem você sentir algo, poderia ser uma visão
perturbadora do problema, um relance de esperança pela solução, ou até mesmo uma reflexão
sóbria sobre seus hábitos atuais, mas, de qualquer forma seria algo que atingiria o nosso
emocional. Algo que fala com o nosso Elefante. A nossa auto avaliação envolve interpretar, é aí
que o Elefante se intromete, e ele tende a assumir a interpretação mais otimista dos fatos.

É preciso também estabelecer pequenas metas visíveis, para tomadas de decisões, e quando
as pessoas atingem essas metas, automaticamente elas começam a internalizar que podem ter
sucesso. Pequenas metas levam a pequenas vitórias e pequenas vitórias acionam uma espiral
positiva de comportamento.

O elefante não tem dificuldade em conquistar essas pequenas metas e, conforme conquista-as,
algo acontece. A cada passo, o elefante se sente menos amedrontado e hesitante, pois as
coisas estão funcionando. A cada passo esse elefante começa a sentir as mudanças, e a
viagem que começou com medo está evoluindo, em um sentimento de confiança e orgulho.

Além de conquistar as pequenas metas, devemos buscar uma identidade nesse caminho, e
geralmente quando falamos de identidade, pensamos que estamos falando sobre um tipo de
traço imutável, como identidade racial, étnica ou regional por exemplo. Mas esse é um uso
relativamente limitado do termo. Nós não nascemos com uma identidade, adotamos,
construímos essas identidades ao longo de nossas vidas.

Pense em uma identidade profissional, como um cientista, obviamente ele não nasceu um
cientista, isso foi algo que ele foi construindo aos poucos, buscando em estudos, professores e
mentores, conscientemente isso foi cultivado nele, e isso agora é parte dele. E isso acontece
também com você, conforme se desenvolve e cresce nessa identidade, ela se torna uma parte
crescente importante de sua autoimagem e provoca o tipo de tomada de decisão. Então a
questão é: Como podemos tornas a nossa mudança uma questão de identidade, em vez de
uma questão de consequências.

Se cultivar uma identidade parece assustador, tenha coragem. Um estudo clássico em


psicologia mostra que você pode começar com pequenos começos. Nós vamos lutar, vamos
falhar, seremos derrubados, mas ao longo de todas essas coisas, ficaremos mais fortes,
melhores e seremos bem-sucedidos no final. A mentalidade de crescimento é um amortecedor
contra derrota, e então a falha se enquadra como parte natural de um processo de mudança. E
isso é essencial, as pessoas vão perseverar apenas se enxergarem a queda como aprendizado
na vida em vez de fracasso.

Em tempos de mudança, precisamos obrigatoriamente lembrar a nós mesmos e aos outros,


algumas verdades básicas de que nosso cérebro e habilidades são como músculos. Podem ser
fortalecidos com a prática. Não nascemos skatistas, cientistas ou enfermeiros, temos que
aprender a andar de skate, fazer ciência e cuidar de pessoas doentes. E nossa inspiração para
mudar a nós mesmos vem do nosso desejo de viver à altura dessas habilidades.

Ao longo dos últimos capítulos, vimos que o desafio do centro da mudança é manter o nosso
elefante seguindo em frente. Enquanto nosso condutor precisa de direção, o nosso elefante de
motivação, e essas motivações vem de nossas emoções, o conhecimento não é suficiente para
motivar uma mudança, senão a motivação que vem da confiança.

No entanto, a nossa imagem de mudança ainda se encontra incompleta, pois está claro que em
algumas situações, até um elefante resistente e um condutor confuso conseguirão mudar seu
comportamento.

Ao final de todos os capítulos recheados de relatos e histórias de mudanças, novamente o


autor chama o leitor para um novo exercício prático. E finaliza afirmando “pequenas mudanças
tendem a se acumular como bola de neve, mas isso não é o mesmo que afirmar que uma
mudança é fácil. Se fosse, não veríamos a nossa volta tantas lutas de alcoólatras, casamentos
problemáticos, empresas atrasadas e esforços por mudanças sociais frustradas. De algumas
formas, a mudança é onipresente, de outras improvável.

Podemos dizer isso com confiança, que quando uma mudança funciona, as pessoas tendem a
seguir um padrão de direção clara, ampla motivação e ambiente favorável. Em outras palavras,
quando a mudança funciona, é simplesmente porque o condutor, o elefante e o caminho estão
alinhados em favor de uma reviravolta.

Instainsights

· É mais importante fazer pequenas mudanças do que mudar de forma drástica;

· O nosso lado ponderado que tem medo de riscos deve se aliar com nosso lado corajoso e
sonhador para ter mudanças;

· Pequenas mudanças, no final grandes resultados;

· Seja otimista, não veja algumas derrotas de forma ruim, use-as como aprendizado e se
fortifique para continuar seu caminho de mudança.

Neste livro, você aprendeu que:

Se queremos ver mudanças nas nossas vidas sejam elas em que grau for, não podemos agir
de forma pessimista em nossas experiências, o nosso lado condutor sempre tende a pensar
muito, e inclusive muitas vezes nos paralisando. Não vamos sair do lugar se não colocarmos o
nosso elefante, o lado mais sonhador e corajoso para andar da forma certa. Para que as
mudanças em nossa vida sejam permanentes, é preciso fazer a princípio mudanças pequenas,
um passo de cada vez, sentindo a confiança de que algo muito bom e permanente nos
transformou para a vida e para o sucesso.

COMO TRATAR DOENÇAS AUTOIMUNES: Entenda as causas, seus sintomas e tome as


decisões adequadas

Tom O’brayan

O autor nos mostra os males que alimentos geneticamente modificados nos causam e como
alguns alimentos podem ser naturalmente anti-inflamatórios. Tom compartilha o resultado dos
avanços no estudo da autoimunidade e do seu grande impacto em todos nós. Ele explica os
pilares desta condição autoimune que podem levar a mais de 150 doenças, como o Mal de
Alzheimer, Diabetes e Doença Celíaca.

O espectro da autoimunidade

O espectro da autoimunidade é um estado progressivo da doença, que vai da saúde intensa


em uma extremidade, à doença degenerativa na outra. Entre esses pontos existem vários
estágios da doença, normalmente se movendo para o estágio do agravamento da doença. O
bom de entender esse espectro é poder mudar a direção para a saúde intensa.

Sentindo os sintomas ou não da doença, se seus anticorpos estiverem altos estão


degenerando seus tecidos. Se seu nível de agressão aumenta você pode sentir alguma
irritação leve, como um nariz escorrendo ou músculos doloridos. Se continuar aumentando o
sistema imunológico vai reagir de maneira mais agressiva, e assim dá início a uma inflamação
em cascata. Inflamação em excesso causa dano ao tecido, dano ao tecido causa inflamação ao
órgão, inflamação contínua no órgão pode intensificar os sintomas e assim desenvolvera mais
anticorpos para aquele órgão, levando a uma lesão do órgão. Com essa lesão terá sintomas
que podem ser identificados como doenças autoimunes.

A gravidade dos sintomas vai depender de quanto tempo a pessoa passou lesionando seu
tecido. Por isso temos que agradecer quando sentimos algo, pois só quando sentimos temos a
consciência de querer resolver o problema. E quando não aceitamos os sintomas e tomamos
um analgésico para melhorar, estamos apenas mascarando o problema e criando outro.
Precisamos achar o que está causando esse desconforto ou essa degeneração e tratá-los.

Os anticorpos que produzimos ficam circulando em nossa corrente sanguínea procurando os


organismos ou alimentos que eles foram criados a combater. Depois de achá-los e destruí-los
eles continuam circulando em nossa corrente sanguínea por um período de três a cinco meses.
Portanto basta apenas uma reação, mesmo que mínima, para que essa reação protetora dure
por muito tempo.

Depois que o invasor é destruído e seu corpo é reparado, a barreira da inflamação é removida.
Mas quando a ameaça permanece, a inflamação continua. Isso pode ocorrer quando a reação
inflamatória não foi forte o bastante para destruir o invasor, ou quando continuamos nos
expondo ao que está causando essa inflamação, como por exemplo a sensibilidade a alguns
alimentos sem saber que somos sensíveis a ele.

Inflamações constantes é o início para um processo degenerativo levando ao aumento de


peso, ao cansaço, à depressão, à ansiedade, à insônia e às doenças autoimunes.

O elo frágil da sua cadeia é onde surge a inflamação pela primeira vez. E esse local pode ser
determinado pela genética, pelo ambiente onde vive ou mesmo como tem levado a sua vida.

Existem mais de oitenta doenças autoimunes, as mais comuns são: Alopecia (perda de
cabelo), Artrite reumatoide, Diabetes, Doenças inflamatórias do intestino (doença de Crohn e
colite), Doenças da tireoide, Esclerose múltipla, Mal de Alzheimer, Mal de Parkinson,
Nefropatias (doenças renais), Neuropatias (doenças do cérebro e do sistema nervoso),
Osteoartrite e Psoríase.

A doença celíaca é a única para a qual foi identificado o desencadeador, o glúten no trigo,
centeio ou cevada. É uma reação autoimune ao glúten, onde são produzidos anticorpos que
atacam os intestinos e outros tecidos. As sensibilidades ao glúten podem ocorrer de várias
maneiras diferentes, e podem ser tão graves quanto a doença celíaca. Se continuar a se expor
ao glúten sua condição poderá mudar de apenas uma sensibilidade ao glúten para uma doença
autoimune permanente.
Uma sensibilidade ao trigo pode causar estragos em qualquer lugar do seu corpo, chegando a
um grande risco de desenvolver uma doença autoimune.

Responsáveis e causas

Para a inflamação continuar até atingir um estado crônico e despertar reações imunológicas, é
preciso estar presente três fatores: suscetibilidade genética, ter gatilhos ambientais e perder a
função da barreira intestinal. Esses três fatores são responsáveis por quase todas as doenças
autoimunes, e se um deles for tirado seu corpo já começará a melhora.

Existe um tipo de anticorpo que fabricamos chamado autoanticorpos, eles são produzidos para
atingir nosso próprio tecido. O sistema imunológico produz anticorpos exatos para se livrar de
células danificadas, não importa em qual região do corpo.

Os anticorpos que produzimos para nos proteger das toxinas podem se enganar e destruir
outras moléculas parecidas com as toxinas. E é por isso que os sintomas de sensibilidade ao
glúten ocorre em qualquer lugar do corpo, já que o sistema imunológico está atacando errado
seu próprio tecido na tentativa de se livrar do glúten.

Quando se tem uma reação alérgica por algum alimento, é bem comum ter sensibilidades a
esses mesmos alimentos. Glúten, açúcar e laticínios são os mais comuns a provocar
sensibilidade alimentar.

Quando não sabemos qual alimento está nos fazendo mal, e continuamos ingerindo-o, a
probabilidade de desenvolver uma doença autoimune é bem maior, por conta das
consequentes inflamações teciduais. Mas depois que identificamos esse alimento e o evitamos,
nosso sistema imunológico começa a se recuperar e a cura do corpo se inicia.

Nó seres humanos podemos passar a vida toda sem consumir glúten e não sentir nenhum
efeito colateral, já que o glúten não tem nenhum valor nutricional. Mas para algumas pessoas o
glúten é altamente irritante, tanto no intestino como no sistema imunológico.

O açúcar por si só não faz mal, o que faz mal é o uso do mau açúcar. O açúcar no seu estado
natural de cana de açúcar, tem valor nutricional. Já o açúcar processado é um dos principais
alimentos que aumentam as inflamações, pois ele inibe o sistema imunológico a combater as
infecções.

A intolerância a lactose é uma das mais conhecidas formas de sensibilidade a laticínios. Ocorre
quando você tem uma infecção acentuada por algum motivo e a quantidade de enzima lactase
diminui muito. E sem essa enzima que desenvolvemos uma intolerância a lactose.

Quando ingerimos alimentos que não conseguimos digerir direito, como o glúten, aumentamos
as inflamações no nosso trato digestivo, reduzindo bactérias boas e deixando as ruins
crescerem com mais facilidade.

Enquanto estiver com a permeabilidade intestinal, você terá mais inflamações e mais sintomas.
Mas a permeabilidade é completamente reversível, basta escolher o alimento mais saudável e
deixar de lado o glúten.
A necessidade absoluta de um microbioma humano saudável

O microbioma é uma comunidade de bactérias, fungos e vírus que vivem em nosso intestino.
Nos últimos anos o microbioma começou a ser reconhecido como um dos fatores mais
importantes para nossa saúde. Ele está ligado a produção de vitaminas e ajuda a regularizar a
taxa de açúcar, além é claro de ajudar na digestão dos alimentos.

O microbioma é o principal componente do sistema imunológico no intestino. Esse é


responsável por nossa saúde, quando está em equilíbrio. Quando não cuidamos direito, não
nos alimentamos com alimentos saudáveis, estaremos mais suscetíveis a doenças.

Quando o microbioma está desequilibrado é chamado de disbiose, e causa inflamação no trato


digestivo e por todo corpo. Nossas escolhas alimentares é o que afeta esse desequilíbrio, pois
as células nocivas se alimentam de nossas sobras.

A disbiose também pode ser causada por uso de medicamentos, principalmente os antibióticos.
Os antibióticos vão destruindo tudo por onde passam até mesmo as bactérias boas. Com o
tempo as bactérias ruins ficam resistentes a esses antibióticos e criam o desequilíbrio em
nossos intestinos.

Outro fator para a disbiose é o estresse, exposições ambientais como poluição, produtos
químicos, radiações e alimentos de baixa qualidade. Diminuindo o estresse você consegue
diminuir a permeabilidade intestinal.

Podemos reequilibrar um microbioma facilmente, basta mudar nossa dieta. Evite os alimentos
que você sabe que é sensível. Escolha alimentos fibrosos e folhas mais escuras como
espinafre e couve. Coma carboidratos corretos, carnes vermelhas de animais que se alimentam
em pastagens e alimentos fermentados todos os dias.

A ciência da autoimunidade previsível

A autoimunidade previsível é muito importante, pois se conseguirmos apontar quais


desequilíbrios ocorrem em nosso corpo, sentindo os sintomas ou não, conseguimos tomar uma
decisão de o que fazer ou como impedir que isso progrida.

As doenças autoimunes podem ser identificadas por exames para níveis elevados de
autoanticorpos. É através desses exames que os médicos conseguem saber se certa doença
vai ocorrer ou não. Níveis de anticorpos também podem ser chamados de biomarcadores, pois
medem o funcionamento do corpo. Através dos biomarcadores é possível prever um
hospedeiro de doenças. A autoimunidade previsível nos permite identificar onde está o elo
frágil da sua cadeia neste exato momento.

A medicina tradicional só consegue identificar uma doença autoimune quando ele já está no
seu estágio final, quando já está destruindo maior parte do tecido ou glândula.

Através dos biomarcadores podemos diagnosticar antes do início dos sintomas, prever o
envolvimento de um órgão especifico e prever surtos de doenças, prever e monitorar respostas
a terapias, descrever dano tecidual ou orgânico.

O glúten é o gatilho ambiental mais comum que desencadeia uma reação autoimune. Como
nenhum ser humano consegue digeri-los é recomendado que faça o teste de sensibilidade ao
glúten e também um exame de permeabilidade intestinal, para quem tem uma reclamação de
saúde que não acha solução.

Transição fase 1: semanas 1–3

Você pode começar o processo eliminando os três principais alimentos que nosso sistema
imunológico reconhece como tóxico: glúten, laticínio e açúcar. Mas mesmo tirando os alimentos
tóxicos e o sistema digestivo começando a se recuperar, ainda assim precisamos tratar o tecido
que foi danificado até então.

Na fase 1 da transição começamos com uma dieta clássica eliminando alimentos específicos
por um período especifico, três semanas. Eliminamos o material ruim e inserimos alimentos
verdadeiros e saudáveis.

Inicie comendo vegetais, frutas, castanhas, sementes, ervas e condimentos, além das carnes,
peixes, aves e ovos. Podendo acrescentar arroz e milho se não for sensível a esses grãos.

Alguns alimentos ajudam a recuperar o trato digestivo, são alimentos anti-inflamatórios


naturais, e podemos usá-los diariamente: canela, vegetais como brócolis, couve-flor, couve,
frutas de cor escura como amoras, cerejas e uvas vermelhas, chá verde, alimentos ricos em
ômega-3 como peixes, nozes pretas, sementes de chia, entre outros, salsinha e suco de
tomate.

É recomendado ter cinco cores diferentes de vegetais por dia, pois cada cor representa uma
família diferente de antioxidante, que nos manterão fortes e saudáveis. Comer proteínas
animais que se alimentaram de pastos e folhagens.

Evite carnes processadas como salsichas, bacon, linguiça ou carne enlatada, pois geralmente
tem açúcar, glúten ou muitos conservantes.

Os ovos são uma ótima opção, pois podem ser usados em muitas refeições e de formas
diferentes. Além de muito rápido seu cozimento o ovo é muito saudável.

No começo será difícil tirar o glúten totalmente, pois o trigo está em toda parte na nossa dieta.
Massas, salgadinhos, cereais, pães, condimentos, molhos, espessantes e estabilizantes,
alimentos congelados e carnes processadas.

É preciso substituir o trigo que estão tirando por proteínas saudáveis e vegetais com fibras. Se
não prestar atenção nesses substitutos, esse será um dos principais motivos para seu
fracasso.

O açúcar é tão difícil de tirar da dieta assim como o glúten. Para evitá-lo é preciso ler todos os
ingredientes descritos nos rotulo dos produtos, até mesmo em misturas de temperos às vezes
tem açúcar. Substitua o açúcar por mel natural, ele contém todos os nutrientes necessários e é
um alimento completo.

Algumas pessoas podem sentir sintomas de abstinência nos primeiros dias, se sentindo
cansadas, deprimidas ou enjoadas. Mas isso é normal, não se preocupe que logo esses
sintomas passarão.

Alimentos permitidos na fase 1 de transição são: Grãos - Arroz branco e integral Grãos e
farinhas embaladas e rotuladas como sem glúten. Frutas/Vegetais - Todas as frutas e vegetais
frescos. Vegetais fermentados. Proteínas - Carnes frescas, aves, ovos, peixes, crustáceos,
todos frescos. Feijões secos Nozes não temperadas (dentro da casca) e sementes embaladas,
rotuladas como sem glúten. Condimentos - Óleos de coco e de abacate, azeite de oliva,
Vinagre, Mel e Sal. Bebidas - Água Chá, café (não adoçado, sem leite). Leite de coco, de
cânhamo, de amêndoa ou arroz, não adoçado. Sucos de fruta não adoçados.

Sustentando sua transição

O objetivo na fase de transição é reduzir a inflamação do corpo, em especial no trato intestinal.


Com um intestino poroso o desenvolvimento de doenças autoimunes aumenta muito.

Alguns medicamentos podem acelerar o desenvolvimento da sensibilidade ao glúten e


consequentemente o desenvolvimento das doenças autoimunes. Esses medicamentos
aumentam o pH e diminuem o ácido hidroclorídrico (uma enzima digestiva), aumentando assim
a intolerância a alguns alimentos e a sensibilidade aumenta ainda mais.

Quando você equilibra seu sistema imunológico seus sintomas começam a diminuir, seu sono
melhora, e você fica melhor para enfrentar os desafios e o estresse do dia a dia.

A melhor maneira de nos livrarmos das inflamações crônicas é usando substancias naturais e
seguras, que oferecem muitos benefícios discretos, e usam muitos anti-inflamatórios naturais.

Assim que você elimina alguns alimentos de sua dieta já começa a sentir a melhora, mas para
ver essa melhora em exames laboratoriais a média é seis meses a um ano, portanto não
desista.

Alguns alimentos são essenciais para reverter a permeabilidade intestinal: Vitamina D,


Glutamina, Óleos de peixe, Probióticos, Zinco carnosina e Colostro.

Uma das principais razões para interromper o sucesso do protocolo de transição é ingerir por
engano ou acidentalmente qualquer quantidade de glúten, açúcar ou laticínios, mesmo quando
está seguindo à risca a dieta sem glúten. Eles podem estar dentro de suplementos ou até
medicamentos. Para combater essas fontes ocultas do glúten recomenda-se tomar
suplementos com enzimas digestivas de auxílio ao glúten antes de cada refeição.

É preciso ficar atento não somente ao que está ingerindo, mas também ao seu ambiente
externo. O glúten pode estar em alguns produtos industrializados que estamos sempre em
contato como xampu, sabão em pó ou qualquer coisa que esteja inalando. Um dos principais
sintomas é a urticaria.
Portanto fique atento aos rótulos dos produtos, se os itens de sensibilidade não estiverem
inclusos, ou se não tiver rótulo, e se estiver tendo alguma reação ao produto doméstico, pare
de usá-lo e veja se os sintomas passam.

Transição fase 2: semanas 4–6

Se você passou pela fase 1 e está se sentindo melhor, reduziu suas inflamações, continue com
a dieta e seja feliz. Já você que não sentiu nenhuma diferença, é provável que sua
sensibilidade venha de outro fator.

Nessa fase 2 continue evitando o glúten, laticínios e açúcar. Mesmo que não sejam os
responsáveis, eles continuam sendo alimentos inflamatórios. Mantenha essa restrição até
determinar outros elementos agressivos que esteja afetando sua saúde.

Na fase 2 você vai eliminar os alimentos mais prováveis que causam inflamações até perceber
uma melhora. Assim vai estar restaurando sua permeabilidade intestinal. Depois que tenha
restaurado por completo você pode começar a reintroduzir alguns desses alimentos.

Os alimentos que mais causam alergias são: além do leite e trigo que já está evitando, evite
amendoins, castanhas, ovos e soja.

Se depois dessas duas fases ainda estiver se sentindo mal, vai precisar de uma ajuda
medico-investigativa completa. Pode ser que sua inflamação não cure apenas com uma
mudança na alimentação, você pode ser sensível a algum bolor, fungo ou tenha alguma
infecção viral. Recomenda-se sempre especialista em medicina funcional.

7ª semana e além - uma vida com mais saúde

Na sétima semana você já vai estar se sentindo melhor, vai estar se sentindo menos doente,
mais magro, menos cansado. Sua pele vai melhor e terá mais energia. Seu corpo está
revertendo a cascata inflamatória e seu sistema imunológico está voltando a normalidade e
ficando mais equilibrado.

A essa altura você já pode ficar somente na manutenção do programa. Você irá começar a
reintroduzir os alimentos, um de cada vez, avaliando como seu corpo reage a cada um deles.
Comece com os que você tirou na fase 2.

Essa reintrodução vai exigir paciência. O processo demora algumas semanas, pois só
podemos reintroduzir um alimento por vez, e sua reação pode ocorrer desde imediatamente até
72 horas após a ingestão. Depois dessa reintrodução você conseguira perceber claramente se
algum deles realmente desencadeiam uma reação em seu corpo.

O único elemento que não podemos reintroduzir é o glúten. Segundo pesquisas o glúten é o
único alimento para qual nosso organismo produz células de memória. Depois que a
sensibilidade teve início e seu sistema imunológico criou anticorpos contra o glúten, você vai
ficar sensível a ele pelo resto da sua vida.

Instainsights
· Se você quiser ter uma ótima saúde, precisa descobrir o que o seu corpo está tentando lhe
dizer.

· Sua dieta atual pode, literalmente, estar deixando-o doente.

· Tenha em mente que a mudança é um processo contínuo.

· O único alimento que não pode ser reintroduzido é o glúten.

· A inflamação não é prejudicial, o que prejudica é a inflamação excessiva.

Neste livro, você aprendeu que

Alguns alimentos podem ser o principal motivo de doenças autoimunes. Existem alimentos que
precisam ser evitados, pois são altamente tóxicos e inflamatórios como o glúten, o açúcar e os
laticínios. Retirando esses alimentos de sua dieta sentirá uma melhora em suas inflamações.
Existem outros alimentos que também podem ser causadores de sensibilidade e também
devem ser evitados para que consiga assim descobrir o que realmente está te fazendo mal.
Depois que conseguirmos encontrar o elo frágil, podemos reintroduzir os alimentos com calma.
Mas o glúten não, pois é o único alimento que, uma vez sensível a ele, sempre será, pois ele
cria células de memória em nosso corpo que não nos deixa melhorar essa sensibilidade.

APRENDA COMO EINSTEIN: Técnicas de aprendizagem acelerada e leitura efetiva para


pensar como um gênio

Steve Allen

Muitas coisas que aprendemos ou estudamos, fazemos apenas por fazer sem sentir prazer
nenhum. Quando há um propósito e objetivo em mente, você é incentivado a fazer o que for
preciso para alcança-lo, portanto, aprender e aprender, é algo que devemos encarar como
essencial para nossa vida, tanto em nossos relacionamentos, trabalho ou escola. Neste livro o
autor ensina algumas técnicas que visam melhorar a aprendizagem, de uma forma simples, e
mostra que a inteligência não é algo restrito a algumas pessoas, todos podemos treinar nosso
cérebro para obter um desempenho muito satisfatório em todas as áreas da vida.

A mentalidade de um gênio

Primeiramente devemos deixar de lado tudo que sabemos sobre aprendizagem e estar
disposto a praticar novas habilidades e conhecer novos conceitos sobre o assunto. Muitas
pessoas quando se fala de um gênio, pensam em uma pessoa que nasceu inteligente e que,
portanto nunca precisou estudar para ser quem é, porém não é bem assim que funciona, o
autor destaca que um gênio não é aquele que possui muito conhecimento, mas sim aquele que
tem a capacidade de aprender.

Precisamos de uma mentalidade de crescimento, ou seja, ter a consciência de que a habilidade


de aprendizagem e a inteligência só são possíveis se houver muito esforço e trabalho duro.
A importância da pirâmide de aprendizagem

Segundo o autor, para iniciar um processo de aprendizagem é preciso entender como é


formada a pirâmide de aprendizagem:

- Você retém 5% da informação quando assiste a uma conferência

- Você retém 10% quando lê algo

- Você retém 20% mediante o processamento audiovisual

- Você retém 30% quando lhe demonstram algo

- Você retém 50% em uma discussão em grupo

- Você retém 75% quando faz algo

- Você retém 90% quando ensina outros

Quanto à ordem das informações elas podem ser diferentes para cada pessoa, porém são
dados extremamente importantes e verdadeiros. Quanto mais você se envolver com o assunto
a ser aprendido mais chances você tem de domina-lo e quanto mais você absorver um assunto
de forma passiva sem se envolver de forma indireta, menos são as chances de você aprender
e guardar informações sobre o tema. Por exemplo, se você quiser aprender sobre história, você
pode assistir documentários sobre o assunto, fazer anotações, e com isso pode se tornar
alguém conhecedor do assunto, mas se você se permitir navegar no assunto criar conteúdos
sobre ele e permitir que as pessoas façam perguntas sobre o tema, suas habilidades de
aprendizado e analise de informações serão muito maiores.

2 conceitos para dominar novas habilidades

Neste capitulo o autor aborda dois conceitos que ajudam a dominar novas habilidades, são
eles:

Conceito 1: Mantenha o foco na aprendizagem acelerada

Esse conceito criado por Tim Ferris, desafia o pré-conceito que muitas pessoas tem a respeito
do tempo que demoramos para aprender algo ou desenvolver uma nova habilidade, esse
conceito vem de uma regra 80\20 em que 80% de tudo que aprendemos vem de 20% dos
nossos esforços, embora essa prática não te faça o melhor em uma atividade especifica te fará
melhor que a maioria das pessoas. Basicamente a ideia de aprendizagem acelerada consiste
em conhecer os conceitos básicos e essenciais sobre a habilidade a ser aprendida, e logo
passar para a prática das habilidades essenciais, portanto, quando você estiver aprendendo
uma nova habilidade deve procurar atalhos que te levem aos melhores resultados possíveis.

Conceito 2: Aprendizagem just-in-time


Esse conceito relacionado à aprendizagem acelerada mostra que quando estamos aprendendo
algo novo, devemos nos concentrar na única informação que possa ser aplicada
imediatamente. Isso nos mostra que não precisamos ficar horas estudando sobre um assunto,
mas precisamos nos concentrar na informação mais importante e então depois, ir para o
próximo passo.

Modos de pensamento

Em relação à aprendizagem foi descoberto que possuímos dois modos de pensamento, o


pensamento focado e o pensamento difuso. A maioria de nós usa o modo focado, em que
compreender um determinado conceito ou buscar a solução para um problema, nosso cérebro
tenta buscar informações que sejam familiares ao assunto a ser abordado. Mas quando esse
problema precisa de novas soluções ou abordagens que nunca foram usadas? Para isso você
precisa se desligar do modo focado e desenvolver seu modo difuso, e isso vem através da
prática, você precisa treinar seu cérebro para ampliar seus pensamentos e buscar novas ideias
de forma gradativa, dia após dia.

A importância do sono na aprendizagem

Quando estamos acordados nosso cérebro recebe muitos produtos tóxicos e a forma que ele
encontra para se livrar dessas toxinas é justamente quando estamos dormindo, é por isso que
a falta de sono gera tantos problemas para nossa saúde como por exemplo, dores de cabeça,
stress, doenças cardíacas e pode até mesmo diminuir nossa expectativa de vida. Durante o
sono nosso cérebro recicla todas as informações obtidas durante o dia, separando as que são
úteis e descartando as que não são, nesse período nosso cérebro também reforça os conceitos
novos que aprendemos e nos recorda informações importantes.

Fragmentação

A fragmentação consiste em unir pedaços de informação com base em um significado, se


pensarmos em um quebra-cabeça, um fragmento é uma parte do quebra-cabeça, é algo fácil
de ser lembrado e pode unir-se com o que você deseja aprender.

Se você apenas tentar memorizar um conceito sem descobrir seu contexto, não conseguirá unir
o que está estudando com o que deseja aprender. A fragmentação consiste em 3 passos:

Passo 1: O primeiro passo para fragmentar é concentrar toda sua atenção nas informações que
deseja fragmentar, para isso você precisa estar focado e deve se livrar de qualquer distração
que venha a roubar sua atenção.

Passo 2: O segundo passo consiste em captar a essência das informações que te ajudarão
aprender determinado assunto, isso envolve aprender os conceitos básicos do tema,
compreendendo os conceitos básicos você cria uma base sólida para se aprofundar no
assunto, não busque somente respostas prontas, faça seus próprios estudos, anote o que
aprendeu e revise o que ainda precisa saber, não basta apenas saber como, você precisa
entender o por que.

Passo 3: O terceiro passo consiste em compreender o contexto do assunto, ir além do


problema inicial e buscar saber o máximo sobre o fragmento para entender quando você pode
e quando não pode usa-lo, na leitura de um livro por exemplo, ao invés de lê-lo do inicio ao fim,
você pode primeiro identificar o contexto, os conceitos e ideias principais do livro, então
selecionar o que você precisa e o que não precisa ler.

Técnicas de aprendizagem acelerada

Leva tempo para nosso cérebro assimilar um novo conhecimento, por isso terão momentos que
parecerá que você está regredindo ao invés de avançar, mas é um processo natural em que
seu cérebro luta contra esse novo material, porém, se você continuar persistindo irá alcançar
um nível de conhecimento cresce de forma gradativa.

A melhor maneira de aprender um material escrito: muitos dirão que a melhor forma de
aprender um material escrito e lê-lo repetidamente até decora-lo, no entanto existe uma forma
muito mais simples de aprendizado que consiste em ler o material uma única vez e depois
fecha-lo, e então analisar o que você lembra do material. Segundo o autor o processo de
recordar potencializa a aprendizagem profunda e nos ajuda a começar a formar fragmentos.

A técnica de Feynman: Essa técnica leva o nome de um dos físicos mais famosos do mundo,
Richard Feyman, e ela se divide em 4 passos:

Passo 1: Escolha o seu conceito

Para exemplificar a técnica o autor utiliza o conceito de gravidade.

Passo 2: Anote uma explicação do conceito em linguagem simples

Para uns parecerá fácil descrever sobre esse conceito, já para outros nem tanto, e ai que a
técnica mostra sua eficácia, por que mostra exatamente o que você sabe e o que não sabe
sobre o assunto.

Passo 3: Encontrar pontos cegos

Depois que você descobre o que sabe e o que não sabe sobre o assunto, você procura
identificar o que ainda tem de dificuldade sobre o assunto e então tenta resumi-lo de uma forma
simples, por exemplo: “ a gravidade é a força que faz com que objetos de maior massa atraiam
objetos de menor massa ‘’, a simplificação de um conceito mostra que você o compreende e
tem conhecimento sobre ele, mas se você não consegue descreve-lo de forma simples,
significa que ainda precisa aprender mais sobre o assunto.

Passo 4: Use uma analogia ou uma metáfora

Por fim utilize uma analogia ou metáfora para explicar o conceito aprendido, isso requer
conhecimento das principais características do assunto, isso irá mostrar que você possui um
conhecimento mais aprofundado sobre o assunto. Essa técnica mostra de maneira rápida o
que você sabe e não sabe sobre determinado assunto, procure usar para outros conceitos, isso
te ajudará a compreender mais sobre o tema e aumentará seu nível de conhecimento sobre o
mesmo.
Como otimizar seu cérebro

Nosso cérebro funciona como um motor, e existem as maneiras certas de fazê-lo funcionar
corretamente. Não fazer nada pode ajudar o seu cérebro a ser mais criativo, por isso, é bom às
vezes se desconectar do mundo lá fora, do stress do trabalho e das preocupações da vida e
relaxar sua mente, isso envolve também uma boa noite de sono.

A nossa alimentação também influencia em nossa capacidade cognitiva, alimentos com ômega
3 contribuem para a integridade estrutural do cérebro, e pode ser encontrado em peixes como
salmão, sardinhas, trutas ou através de suplementos.

Manter os níveis de estresse contribui para uma mente mais saudável e permite que pensemos
de forma mais clara, além de contribuir com nossa saúde física, evitando doenças causadas
pelo auto nível de estresse.

Leitura eficiente

A nossa capacidade de leitura consiste em partes: velocidade, eficiência e retenção, o autor


aborda cada uma da seguinte forma:

Velocidade: Algumas pessoas podem encontrar dificuldade na compreensão ao tentar ler algo
rápido, mas existem algumas melhorias que você pode fazer, para poder ler algo que você
demoraria dias, ser lido em apenas algumas horas.

Sub vocalização: A sub vocalização é algo que a maioria das pessoas fazem ao ler um livro, é
aquela voz interna que te acompanha na leitura e faz com que você ouça o que está lendo,
apesar de ser algo que ajuda na compreensão, é algo a ser evitado visto que temos a
capacidade de processar as palavras mais rápido do que podemos ouvir ou dizer, é importante
que você elimine ou tente diminuir a prática desse hábito.

Agrupar palavras: Ler palavra por palavra é algo demorado e pouco eficiente, devemos tentar
ler mais de uma palavra por vez, pois assim conseguimos identificar o contexto do assunto de
forma mais rápida, contribuindo assim para a velocidade da leitura.

Foco visual: Quando estamos lendo é comum nos distrairmos com facilidade com o que tem a
nossa volta, isso prejudica nossa atenção e diminui a aprendizagem. Para um foco visual
melhor, procure utilizar uma caneta ou lápis para acompanhar a leitura, seus olhos irão
acompanhar e seguir o padrão, isso vai te ajudar a se concentrar na e evitar ter que reler um
parágrafo.

Eficiência: Geralmente somos ensinados a ler um livro do começo ao fim, mas esse é o motivo
que muitas pessoas acabam não terminando de ler, pois na maioria dos livros, textos, artigos e
blogs, o autor aborda uma ou duas ideias principais, o resto são estudos de caso, exemplos e
maneiras diferentes de aplicar o conceito, certamente é algo desnecessário uma vez que você
encontra as ideias principais.

A melhor maneira de ler um livro é você folhar ele por uns 3 minutos, dando uma olhada nos
sumários, introdução nas conclusões e resumo do livro, assim você consegue captar as partes
mais importantes do livro. Após isso você pode folhar o livro novamente durantes 7 minutos,
lendo os dois primeiros parágrafos de cada capitulo, identificando as ideias principais a serem
abordadas, se notar que o capítulo é uma enrolação, deve ignorar essa parte, pois são
somente ilustrações. Depois de lido alguns parágrafos e identificando os capítulos essenciais,
você pode folhar o livro por 20 minutos, de uma forma mais profundada, lendo os capítulos
destacados e identificando as ideias principais, em 30 minutos você tem uma boa base sobre o
conteúdo do livro, e caso tenha dúvidas sobre algum conceito, saberá onde encontrar.

A melhor maneira de se tornar um especialista

Por fim, precisamos entender que a melhor maneira de se tornar especialista em algo é através
da prática. Isso não significa que você precisa praticar de forma repetitiva e exaustiva até
dominar determinada habilidade ou assunto, mas você pode dividir seus esforços em
sub-habilidades, que são praticas simples que te ajudam a chegar ao seu objetivo principal, por
exemplo, se você fosse tocar em uma peça de violino profissional, precisaria trabalhar a força
dos dedos, memorização, presença de palco etc. Trata-se de isolar cada sub-habilidade e
pratica-las até que você as domine, contribuindo para o sucesso em seu objetivo final.

Instainsights

· O verdadeiro gênio é aquele que tem capacidade de aprender;

· Esqueça os métodos tradicionais, foque no que realmente funciona;

· A prática leva a inteligência;

Neste livro, você aprendeu que

Nosso mundo está em constante evolução, por isso é necessário inovar todos os dias, com a
nossa mente não é diferente, precisamos deixar para trás todos os métodos tradicionais de
aprendizagem, e focar no que realmente funciona e o que te traz resultados mais positivos, as
técnicas abordadas se praticadas da forma correta podem te ajudar muito a melhorar seu
aprendizado e domínio de um novo conceito ou habilidade, você não precisa nascer um gênio
para ser inteligente, através da prática e das técnicas corretas, você pode ir muito além do que
imagina.

NÓS SOMOS A MUDANCA QUE BUSCAMOS: Os discursos de Barack Obama

Org. E. J. Dionne Jr & Joy-Ann Reid

Se nós somos a mudança que buscamos, ninguém melhor para expressar isso do que Barack
Obama ex-presidente dos Estados Unidos. Sempre envolvido em política, causas sociais e
inter-raciais. Lutou contra a guerra, mediou conflitos, encorajou as mudanças necessárias para
seu país. Nasce neste livro uma compilação de vários discursos extraordinários que mudaram a
história de uma nação e repercutiram no mundo todo. “Nós somos a mudança”, Obama buscou
essa mudança.

A importância de Barack Obama

No dia 5 de novembro de 2008, os jornais do mundo dedicaram sua primeira página para um
acontecimento visto como uma nova etapa da história dos Estados Unidos da América. O
anúncio oficial confirmava a vitória de Barack Hussein Obama, de 47 anos, como o 44°
presidente eleito da nação mais influente do mundo.

Barack Obama foi, sem dúvida, um dos presidentes mais comemorados da história
norte-americana. A eleição de um homem negro foi um marco em um país que tem sua história
marcada pelo racismo e herança da escravidão. Ele, nascido da miscigenação de mãe branca
norte-americana e pai negro africano, forma-se um líder unificador, naturalmente carismático,
empático e dotado de um grande poder para transpor barreiras raciais e culturais. Responsável
por grandes mudanças políticas, sua imagem refletiu nos Estados Unidos e no mundo,
cruzando fronteiras tanto raciais como culturais.

Desde os primeiros dias de sua presidência, Obama se dedicou a manter a promessa de


romper com a era Bush, desfazendo muitos erros diplomáticos de seus antecessores ao longo
de seu mandato. Suas atitudes, inclusive, o fizeram ganhar o Prêmio Nobel da Paz de 2009.

Sempre bem vívido, Obama conseguiu expor suas ideias de forma clara e contundente, e se
manteve assim até o último pronunciamento de despedida em janeiro de 2017.

“O que eu não quero é uma guerra estúpida”

Em 2002, Barack Obama, ainda senador do Estado de Illinois, fez um apaixonado discurso
contra a Guerra no Iraque. Anos mais tarde, esta guerra se tornaria totalmente impopular não
só entre democratas, mas entre a população americana em geral, e seu posicionamento firme
contra ela fez com que ele fosse nomeado candidato à presidência e em seguida ganhasse a
eleição de 2008.

Obama inicia seu discurso deixando claro que não é radicalmente contra qualquer guerra, ou
seja, não é utópico ao ponto de achar que guerras nunca são necessárias. Aponta para a
guerra civil americana como uma batalha essencial para o fim da escravidão nos Estados
Unidos, e apresentando um exemplo pessoal, coloca como seu avô lutou bravamente na
Segunda Guerra Mundial.

Obama, então evoca o acontecimento que havia abalado a nação americana no ano anterior,
dizendo:

“Depois do 11 de setembro, após testemunhar a carnificina e a destruição, a poeira e as


lágrimas, apoiei a promessa deste governo de caçar e neutralizar aqueles que se dispõem a
massacrar inocentes em nome da intolerância, e de bom grado empunharia armas para impedir
que uma tragédia assim acontecesse de novo. Eu não me oponho a toda e qualquer guerra. E
sei perfeitamente que hoje, aqui nesta multidão, não faltam patriotas nem patriotismo.”

A questão toda para Obama era que a Guerra no Iraque era uma guerra estúpida e precipitada.
Ele se opunha à tentativa cínica de alguns políticos bélicos do governo de enfiar suas agendas
ideológicas por goela abaixo independente do preço a ser pago, mesmo sob a forma de vidas e
privações.

Obama, em seu discurso continua:

“Oponho-me à tentativa de oportunistas políticos como Karl Rove de desviar nossa atenção do
aumento do número dos que não têm seguro-desemprego, do aumento dos índices de
pobreza, da queda da renda média — de nos distrair de escândalos corporativos e de uma
bolsa de valores que acaba de passar pelo pior mês desde a Grande Depressão.”

Obama também não tinha ilusões a respeito de Saddam Hussein, e afirmou em seu discurso
que Hussein era um homem brutal e implacável, que dizimava seu próprio povo para se manter
no poder. Hussein repetidas vezes havia desrespeitado resoluções da ONU, havia
desenvolvido armas químicas e biológicas, e tinha a intenção de desenvolver capacidade
nuclear. Era um mau sujeito. O mundo e o povo iraquiano estariam melhor sem ele.

Obama continua o discurso sobre Saddam:

“Mas também sei que Saddam não representa uma ameaça iminente e direta para os Estados
Unidos nem para seus vizinhos, que a economia iraquiana está em ruínas, que as Forças
Armadas iraquianas têm hoje apenas uma fração da força que já tiveram e que, com a união da
comunidade internacional, ele pode ser contido até cair na lata de lixo da história, como
costuma acontecer com todos os ditadores mesquinhos. Sei que até mesmo uma guerra
bem-sucedida contra o Iraque exigirá uma ocupação americana de duração indefinida, a um
custo indefinido, com consequências indefinidas. Sei que uma invasão do Iraque sem uma
justificativa clara e sem forte apoio internacional servirá apenas para insuflar as chamas no
Oriente Médio e estimular não os melhores, mas os piores impulsos do mundo árabe,
fortalecendo o braço de recrutamento da Al-Qaeda. ”

Obama não se opunha a toda e qualquer guerra, e sim a guerras absurdas. Ele clara e
diretamente mandou uma mensagem para o presidente Bush:

“O senhor quer uma briga, presidente Bush? Pois vamos encerrar a briga com Bin Laden e
Al-Qaeda com medidas eficazes e coordenadas de inteligência, acabando com as redes
financeiras de apoio ao terrorismo e lançando um programa de segurança interna que não
signifique apenas a ativação de alertas codificados em cores. Vamos brigar para que os
inspetores da ONU possam fazer seu trabalho, para fazer valer vigorosamente um tratado de
não proliferação, para que antigos inimigos e atuais aliados como a Rússia protejam e, em
última análise, destruam seus estoques de material nuclear, para que países como o Paquistão
e a Índia jamais venham a usar as terríveis armas que já têm em seu poder e para que os
comerciantes de armas do nosso próprio país parem de alimentar as incontáveis guerras
travadas ao redor do mundo. Vamos brigar para que nossos supostos aliados no Oriente
Médio, os sauditas e os egípcios, parem de oprimir seu próprio povo, de reprimir a oposição, de
tolerar a corrupção e a desigualdade e de gerir mal sua economia, fazendo com que seus
jovens cresçam sem educação, sem perspectivas, sem esperança, prontos para serem
recrutados por células terroristas.”

Obama fala em seu discurso que as consequências de uma guerra são terríveis e os
sacrifícios, incomensuráveis. E que é possível no decorrer de nossas vidas, que ainda
precisemos nos levantar mais uma vez em defesa de nossa liberdade, pagando o preço da
guerra.

Ele encerra seu pronunciamento dizendo:

“Mas não devemos, não vamos mergulhar cegamente nesse caminho infernal. Nem devemos
permitir que aqueles que estão dispostos a marchar e assumir o maior sacrifício de todos,
aqueles que provariam toda a sua dedicação com o próprio sangue, façam um sacrifício tão
terrível em vão. ”

“Sim, nós podemos”

Foi o discurso de reconhecimento da derrota nas primárias democratas de New Hampshire em


8 de janeiro de 2008. De todos os discursos de Barack Obama, talvez nenhum tenha gerado
uma expressão mais icônica que o pronunciamento feito em Nashua, New Hampshire, naquela
noite — não em uma vitória, mas em uma derrota. O trecho final do discurso, no qual ele fala
das infindáveis ondas de sonhadores dos Estados Unidos, desde a imperfeita fundação da
nação até o presente, injetou um sopro de esperança em sua campanha.

Agradecendo, emocionado e entusiasmado, Obama começa seu discurso cumprimentando a


senadora Clinton pela vitória duramente conquistada em New Hampshire. Ele ressalta que
algumas semanas antes ninguém imaginava o que ele conseguiria naquela noite. Pois na maior
parte de sua campanha ele estava muito atrás, e apesar da subida íngreme, seus eleitores
vieram em número recorde e se manifestaram pela mudança, deixando claro que algo naquela
eleição estava acontecendo nos Estados Unidos.

Obama então continua seu discurso explicando que algo acontece em meio a união de forças
que acreditam em um propósito, dizendo:

“Algo está acontecendo quando homens e mulheres em Des Moines e Davenport, em Lebanon
e Concord saem de casa em meio à neve de janeiro para formar filas que se estendem por
quarteirões porque acreditam naquilo que este país pode ser. Algo está acontecendo quando
americanos jovens na idade e no espírito, que nunca antes participaram da política, se
mobilizam em uma quantidade jamais vista por saberem, no fundo do coração, que, desta vez,
precisa ser diferente. Algo está acontecendo quando as pessoas votam não apenas no partido
a que pertencem, mas nas esperanças que têm em comum. E sejamos ricos ou pobres, negros
ou brancos, latinos ou asiáticos, venhamos de Iowa ou de New Hampshire, de Nevada ou da
Carolina do Sul, estamos prontos para conduzir nosso país em uma direção fundamentalmente
nova. É isso que está acontecendo na América neste exato momento; é mudança o que está
acontecendo nos Estados Unidos. ”

Obama continua seu discurso dizendo que todos que compareceram naquela noite
empenharam suas almas, corações e trabalhos naquela campanha, e que eles eram capazes
de tirar o país de uma longa escuridão política. Ele continua citando os democratas, eleitores
independentes e republicanos que estavam cansados da divisão e do alheamento que encobria
Washington, mas que sabiam que eles podiam discordar sem serem desagradáveis uns com
os outros.

Mas se eles usassem suas vozes para enfrentar o dinheiro e a influência que se interpusesse
no caminho, e buscassem algo melhor, não haveria nenhum problema que pudessem resolver,
e nenhum destino que não pudessem realizar.

Obama continua seu discurso expondo os problemas da saúde e sobre os empregos dizendo:

“Nossa nova maioria americana pode acabar com o escândalo da assistência de saúde fora de
alcance e indisponível em nossa época. Podemos unir médicos e pacientes, trabalhadores e
empresários, democratas e republicanos, e podemos dizer à indústria farmacêutica e de
seguros que, embora possa se sentar à mesa, ela não vai poder comprar todas as cadeiras,
não desta vez, agora não. A nossa nova maioria pode acabar com as isenções fiscais para
corporações que mandam nossos empregos para o exterior e promover uma redução dos
impostos sobre a classe média, colocando dinheiro nos bolsos dos americanos trabalhadores,
que o merecem. Podemos parar de mandar nossos filhos para corredores da vergonha e
começar a colocá-los no caminho do sucesso. Podemos parar de dizer que os professores são
maravilhosos e começar a recompensá-los por serem maravilhosos, melhorando sua
remuneração e dando mais apoio a eles. ’’

Obama então afirma que poderiam canalizar a criatividade de fazendeiros e cientistas,


cidadãos e empreendedores, para libertar os Estados Unidos da tirania do petróleo e salvar o
planeta de uma situação irreversível.

Ele também fala sobre acabar com a guerra no Iraque e no Afeganistão:

“Acabaremos com essa Guerra no Iraque. Traremos nossas tropas de volta. Concluiremos o
trabalho — vamos concluir o trabalho contra a Al Qaeda no Afeganistão. Cuidaremos de
nossos veteranos. Recuperaremos nossa posição moral nomundo. E jamais utilizaremos o 11
de Setembro para conquistar votos vindos do medo, pois essa não é uma tática para vencer
eleições. É um desafio que deve unir os Estados Unidos e o mundo contra as ameaças que
temos em comum no século XXI: terrorismo e armas nucleares, mudanças climáticas e
pobreza, genocídio e doenças. Todos os candidatos nesta disputa têm essas mesmas metas.
Todos os candidatos nesta disputa têm ideias boas e são patriotas empenhados em servir
honradamente o país.”

Obama afirma que sua campanha não se limita ao que ele faria pelos Estados Unidos como
presidente. Mas que tem muito a ver com que o povo americano, que ama os Estados Unidos
da América, poderia fazer para mudá-lo.

Nesta ideia de mudança ele continua seu pronunciamento dizendo:

“É isso que está em questão nesta eleição. É por isso que esta noite pertence a vocês. Ela
pertence aos organizadores, aos voluntários e à equipe que acreditou nesta jornada e
conseguiu a adesão de tantos outros à causa. Sabemos que a batalha pela frente será longa.
Mas lembrem-se de que, quaisquer que sejam os obstáculos em nossa jornada, nada pode
bloquear o caminho da força de milhões de vozes pedindo mudança. Já ouvimos todo um coro
de cínicos dizendo que não podemos fazer isto. E esse coro vai se tornar cada vez mais
ruidoso e dissonante nas semanas e nos meses que virão. Fomos convidados a fazer uma
pausa para encarar a situação de forma realista. Fomos advertidos a não oferecer falsas
esperanças ao povo americano. Mas, nessa história improvável que é nosso país, nunca houve
nada de falso em matéria de esperança. Pois quando nos defrontamos com situações
impossíveis, quando nos disseram que não estávamos preparados ou que não devíamos tentar
ou que não podíamos, gerações de americanos responderam com uma crença simples que
resume o espírito de um povo: Sim, nós podemos.”

A frase “Sim, nós podemos”, Obama explicou que era uma crença inscrita nos documentos
fundadores que declararam o destino da nação. Ela foi sussurrada por escravos e
abolicionistas enquanto abriam caminho em direção à liberdade em meio à mais escura das
noites, foi cantada por imigrantes que saíram de terras distantes e pioneiros que avançaram em
direção ao Oeste por imensidões implacáveis.

Foi a palavra de ordem de trabalhadores que se organizaram, de mulheres que lutaram pelo
direito de voto, de um presidente que escolheu a Lua como nossa nova fronteira e de um rei
(referência a Martin Luther King) que nos levou ao topo da montanha e apontou o caminho para
a terra prometida: Sim, nós podemos, rumo à justiça e à igualdade. Ele continua:

“Rumo à oportunidade e à prosperidade. Sim, nós podemos curar esta nação. Sim, nós
podemos consertar este mundo. Sim, nós podemos. E assim, amanhã, ao levarmos a
campanha ao Sul e ao Oeste, ao constatarmos que as lutas dos operários da indústria têxtil de
Spartanburg não são tão diferentes das dificuldades do lavador de pratos em Las Vegas, que
as esperanças da menininha que frequenta a escola à beira do colapso em Dillon são iguais ao
sonho do menino que aprende nas ruas de Los Angeles, lembremos que algo está
acontecendo nos Estados Unidos, que não estamos tão divididos quanto nossos políticos dão a
entender, que somos um só povo, uma só nação. E juntos começaremos o próximo grande
capítulo da história americana, com três palavras que ecoarão de costa a costa, de um oceano
a outro: Sim, nós podemos. ”

Instainsights

· Seja cordial com seus oponentes.

· Aprenda a entrar nas guerras certas de forma inteligente.

· Todo grande líder precisa ter humildade para aprender com as pequenas coisas.

· Não existe argumento capaz de justificar a escravidão ou racismo do ponto de vista ético
ou moral.

· Sim, nós podemos mudar as coisas se elas não estão boas.

· Tenha uma boa trajetória para escrever grandes histórias.


· Bons exemplos movem multidões.

Neste livro, você aprendeu que:

Assim como Obama construiu uma trajetória marcante em sua vida, nós podemos nos basear
em seus discursos e absorvê-los como exemplos. Ele fala de uma forma muito humana, e
através de suas palavras, aprendemos a lidar com as pessoas, tomar decisões, intermediar
grandes problemas, ter empatia, e não ter preconceito.

A ARTE DO SILÊNCIO: Para encontrar paz num mundo barulhento e exaustivo

Amber Hatch

O autor mostra como o silêncio pode ser uma estratégia para vivermos melhor. Também ensina
como recuperar o equilíbrio e nos tornarmos mais saudáveis nesse nosso mundo tão agitado e
barulhento. Os sons, brilhos, propagandas e mensagens presentes em nosso dia a dia, nos
deixam sobrecarregados, estressados e mentalmente esgotados. É preciso encontrar a paz,
relaxar corpo e mente para ter qualidade de vida nos dias atuais, tão cheios de estímulos.

O que é o silêncio

O som é causado por vibrações que se propagam pelo ar e fazem os tímpanos vibrarem. O
cérebro entende essas vibrações como sons. O autor diz que o silêncio puro é quase
impossível de conseguirmos e afirma que o silêncio é algo especial, um lugar de serenidade,
calma e paz.

Em nosso dia a dia recebemos muitos estímulos sonoros e visuais. Esses barulhos vêm e vão,
alguns mais altos, outros imperceptíveis. Esses sons podem prender nossa atenção consciente
ou inconscientemente.

Hoje em dia recebemos mensagens e dados de todos os lugares e a todo o momento.


Empresas e instituições investem muito dinheiro em publicidade para transmitirem suas
mensagens. Usam sons e brilhos cada vez mais fortes.

Conscientes ou não, o tempo todo analisamos estas informações. Nós categorizamos e


priorizamos as mais importantes. Para isso usamos muito da nossa energia mental e
prejudicamos nossa capacidade de manter as coisas sob controle. O autor afirma que o
silêncio nos ajuda a equilibrar esse mundo louco em que vivemos e nos dá o espaço que
precisamos para relaxarmos.

Existem três maneiras de trazer mais silêncio às nossas vidas:

- Fazendo mudanças a nossa volta, silenciando o ambiente em que vivemos.

- Cultivando relacionamentos pacíficos, pois o modo como lidamos com as pessoas pode
interferir na nossa qualidade de vida.
- Estimulando o silêncio interior, pois trabalhando com nossa mente podemos aprender a
cultivar o silencio e utilizá-lo a qualquer momento.

Silenciar o ambiente

Quando queremos buscar o silencio não devemos apenas reduzir os sons que nos cercam,
podemos também arrumar toda a bagunça de nossa vida. Essa bagunça pode estar presente
em forma de objetos, carga de trabalho, mídias ou mesmo em responsabilidades. Todas as
coisas em excesso causam sobrecarga e estresse.

Temos um limite de tempo por dia, e uma quantidade de tarefas que podemos encaixar nesse
período. Não conseguimos criar mais horas em um dia, então a única opção é reduzir o numero
de tarefas a fazer. Fazer intervalos entre as tarefas, mesmo que curtos, nos permite incluir um
pouco do silêncio em nossa vida tão agitada.

O autor afirma que é preciso reservar um tempo para planejar a semana, considerando o que
realmente é importante. Se não tiver tempo para o que importa para você, então terá que abrir
mão de algumas atividades para ter algum tempo livre. Ao invés de preencher esse tempo com
outras atividades, aproveite o momento e deixe o silencio ocupar esse espaço.

O tempo todo nos vemos diante de diversos tipo de escolhas. O que comer, o que assistir, o
que vestir, etc. Isso gera um grande desgaste emocional, é cansativo. O autor diz que podemos
aceitar a simplicidade para não nos desgastarmos tanto fazendo essas escolhas. Incorporando
a simplicidade podemos sentir um pouco do que o silencio pode nos oferecer.

Quanto mais vezes recorrermos a esse silêncio e aproveita-lo mais fácil será incorpora-lo em
nosso dia a dia. Um dos maiores rivais do silêncio são as telas. Sempre que temos um minuto
livre já pegamos um celular, um tablet ou algo para ocupar esse espaço. O silencio já esta em
nós e ao nosso redor, o que precisamos é saber aceita-lo.

Manter-se ocupado com atividades saudáveis

Passar um tempo na natureza pode ajudar. Áreas verdes são ótimos lugares para cultivar o
silêncio. Mesmo que more em uma zona urbana, existem diversas opções de grandes parques
e praças.

Não somente a natureza pode trazer esse silencio para nossas vidas, outras atividades
também podem ajudar. Algumas pessoas usam o artesanato, outras preferem tocar
instrumentos musicais, combinando elementos de habilidade e criatividade. São atividades em
que exercitamos a concentração silenciosa.

Já outras pessoas preferem o esporte para fazer essa renovação no espirito. O esporte envolve
o foco e um pouco de desafio. Apesar de não representar realmente o silêncio, manter a mente
concentrada em apenas uma atividade é um ótimo exercício.

Para muitos, mergulhar é a oportunidade ideal para “se afastar de todo o resto”. Além de
desfrutar das belezas do oceano, o mergulho nos afasta da eletricidade, telefone, internet,
conversas, etc.
O autor explica que o ruído branco é um termo usado para se referir a um barulho que tem
muitas frequências e todas com a mesma intensidade. Esse som é ouvido como um zunido ou
som de “ch-” e também é ótimo para relaxar.

Cultivar Relações Pacíficas

O autor diz que é importante cultivar relacionamentos pacíficos para encontrar a paz dentro de
nós.

Nem sempre o silencio é um estado positivo. Quase todos já estivemos com tanta raiva que
preferimos nos isolar do mundo. Quando nos sentimos magoados ou feridos queremos ficar
sozinhos para nos proteger. A raiva constrói barreiras a nossa volta e acaba afastando as
pessoas.

O silêncio pode nos ajudar a refletir melhor antes de falarmos. Não precisa ser um silêncio
grande, uma pausa momentânea nos dá tempo suficiente para entender como estamos nos
sentindo e impedir que esses sentimentos ditem o tom e o conteúdo daquilo que falamos.

Escutar não é só ouvir o que a outra pessoa está dizendo. Escutar abrange uma predisposição
para mudar. Mesmo quando as pessoas têm opiniões contrárias as nossas podemos aprender
alguma coisa com elas. No pior dos casos, entendemos o porquê elas têm tais posições e
ideias. Escutar não é só ouvir o que a outra pessoa está dizendo. Escutar abrange uma
predisposição para mudar. Mesmo quando as pessoas têm opiniões contrárias as nossas
podemos aprender alguma coisa com elas. No pior dos casos, entendemos o porquê elas têm
tais posições e ideias.

Quem esta escutando pode concordar com o que foi dito com gestos e expressões faciais.
Muitas vezes explicamos e repetimos as palavras ditas pelo falante, para demonstrar que
estamos prestando atenção e que entendemos o que foi dito. Quando percebemos que as
pessoas estão nos escutando com atenção, nos sentimos valorizados e confiantes.

Quando não temos palavras

Ter consciência de como falamos com as pessoas, pode nos ajudar a melhorar a nossa
comunicação. Em alguns momentos devemos falar de um modo mais familiar e mais carinhoso.
Momentos de silêncio podem nos ajudar a determinar o tom e o jeito com que falamos com
determinadas pessoas.

Muitos preferem a convivência com animais por serem uma companhia silenciosa. Os animais
não são somente incapazes de falar, mas também são livres do ego que atingem muitos de nós
humanos.

Nos países desenvolvidos, 9 de cada 10 pessoas escutam rádio toda semana. Muitos escutam
para “ter companhia” quando estão sozinhos, outros para aliviar o tédio de dirigir ou ainda para
tornar outras tarefas mais interessantes.

Quando a rádio fica silenciosa inesperadamente, a falta de barulho pode ser angustiante e até
estranha. Esses silêncios não planejados nas estações de rádio são conhecidos como
“deadair” (“ar morto”, em tradução literal) e causam bastante tristeza entre produtores de rádio
e também ouvintes.

Prestar homenagem aos falecidos por meio de um ou dois minutos de silêncio coletivo é uma
prática comum na cultura ocidental. O momento de silêncio coletivo se tornou um jeito de
prestar homenagem aos falecidos em outras situações, especialmente em casos de mortes
trágicas ou chocantes. Um momento de silencio não exige que todos tenham as mesmas
crenças e, dessa forma, é considerado inclusivo e acessível a todos. Minutos de silêncio
costumam ser realizados antes do início de partidas de futebol. O silêncio praticado entre
milhares de pessoas pode ser uma experiência extremamente poderosa.

Mais recentemente, uma nova prática tornou-se comum nos campos de futebol. Em vez do
tradicional minuto de silêncio, os torcedores oferecem um minuto de aplausos. Foi uma
alternativa positiva, já que permite aos torcedores celebrarem a vida dos falecidos.

Todas essas maneiras de utilizar o silêncio nos mostram o quão flexível e adaptável o silencio
pode ser. O silêncio não é um conceito fixo que podemos nomear de bom ou mal, útil ou inútil.
Cada tipo de silêncio tem implicações na maneira como o experimentamos e interpretamos.

Estimular o Silêncio Interior

O autor diz que é importante saber lidar com o inesperado. Devemos aprender a cultivar nosso
“espaço interior de silêncio”, para podermos buscar forças sempre que as coisas ficarem
difíceis. Aprender a criar uma sensação de equilíbrio interior e calma só é possível através da
prática constante.

Existem três principais abordagens para conseguir o silêncio interno: Aprender a usar os
silêncios que já estão ao nosso alcance; Cultivar uma sensação de calma e equilíbrio internos,
independentemente das circunstancias: Tomar medidas para aquietar a falação que ocorre em
nossa mente.

Ao desenvolver essa habilidade, é possível aprender como utilizar a atenção plena para trazer
mais silencio a vida. Há momentos de calma em todos os lugares, mas precisamos saber
notá-los. Se aprendermos a usar mais esses silêncios, não serão necessárias tantas mudanças
em nosso ambiente.

Quando não percebemos o que estamos fazendo, agimos de maneira instintiva, sem
considerar se a reação é a mais sábia e mais útil no momento. É preciso exercitar a atenção
plena, pois ela nos trás inúmeros benefícios.

A atenção plena pode existir em qualquer ocasião, independentemente do que estivermos


pensando ou fazendo. Porém, quando não utilizamos a mente para resolver algum problema
passado ou futuro, o presente momento é o lugar ideal de descanso.

Em alguns momentos é difícil localizar o momento presente, mas podemos recorrer à


respiração como um guia para encontrá-lo. Ela é um marcador adequado, pois é constante e
única. Toda vez que direcionamos a mente a respiração, estamos ancorando-a na experiência
do momento presente.

Criar condições para facilitar a atenção plena

O autor afirma que a prática é necessária para conseguir atenção plena. Uma das melhores
maneiras de fazer isso é sentar em silencio por alguns minutos, todos os dias, somente para
prestar a atenção na respiração.

Quando tornamos a meditação um hábito, nos tornamos cada vez mais familiarizados com a
atenção plena.

Não precisamos estabelecer nenhuma pré-condição para encontrar o silêncio. Muitas pessoas
consideram uma caminhada leve, uma maneira mais fácil de atingir um estado de espirito mais
tranquilo, do que ficar sentado parado por algum tempo entre quatro paredes.

O importante é não especificar como as coisas têm que ser. Pois, se por algum motivo não
podemos desfrutar da vida como gostaríamos isso pode nos tornar pessoas derrotadas e nos
fazer desistir de tentar.

Abrir mão desse ideal de silêncio e de classificar os sons em barulhos bons e ruins, nos
permite conectarmos a uma paz muito mais profunda.

Não são sós os barulhos que classificamos em bons ou ruins, classificamos a maioria de
nossas experiências. Aprender a usar a atenção plena não julgadora, pode nos ajudar a nos
manter calmos durante os desafios que enfrentamos na vida.

Além dos barulhos externos que temos que reduzir, um barulho que precisamos combater, e
talvez o mais difícil, é a voz de nossa cabeça. Essa voz interna mantem um monologo
constante com a gente. Debatendo tudo que acontece no presente, revisando nosso passado e
também planejando nosso futuro.

Nossa relação com essa voz interna é importante na busca pelo silencio. Como a controlamos
ou como somos controlados, afeta diretamente nosso comportamento. A meditação regular
ajuda a domar essa voz, muitas vezes rebelde.

Desenvolver a atenção plena ao lado da concentração e da calma pode nos ajudar a


diferenciar e forçar a maneira como direcionamos nossa mente. Com a prática, podemos focar
em sons que estão a certa distância de acordo com nossa vontade ou até não prestar em
atenção a algum som específico. Essa habilidade vai nos ajudar a obter o silencio que
procuramos.

Se quando começarmos a nos sentirmos entediados, ao invés de recorrer ao celular, ou comer


alguma coisa, ou mesmo navegar na internet, formos atrás de nossa respiração, podemos
encontrar o nosso silencio, que estará sempre em nossas mãos.

É quando nos livramos de nossas distrações que o vazio pode surgir e é nesse vazio que
encontraremos um significado mais profundo.
Instainsights

· Para ter qualidade de vida é preciso distanciar-se um pouco deste mundo caótico e
encontrar o silêncio.

· Reduzir a quantidade de objetos em casa é uma maneira de simplificar a vida.

· Um ambiente pacífico nos ajuda a ter uma sensação de paz e silencio interior.

· É preciso exercitar a atenção plena.

· Silenciar por alguns minutos antes de falar pode evitar diversos mal entendidos e melhorar
muito a nossa comunicação.

Neste livro, você aprendeu que

O autor nos faz refletir sobre o significado do silêncio e sobre a necessidade de encontrarmos a
paz interior, mesmo que por alguns momentos no dia. É possível condicionar nossa mente e
realizar exercícios em nosso dia a dia para encontrarmos a paz interior, seja descartando
objetos desnecessários ou praticando a gentileza. Obviamente a vida não é feita apenas de
bons momentos, mas quando praticamos a busca por este silêncio, até mesmo nos momentos
mais difíceis conseguimos acessá-lo. O autor também mostra que o mais difícil é silenciar
nossa voz interior, mas que com meditação e prática somos capazes de controlá-la.

QUEM PENSA ENRIQUECE: O Legado (parte 2)

O funcionamento da sua estação de transmissão mental é um procedimento relativamente


simples, aplique estes três princípios (a mente subconsciente, imaginação criativa e sugestão
automática) quando desejar usar sua estação de transmissão, os estímulos pelos quais você
coloca esses três princípios em ação já foram descritos, o procedimento começa com o desejo.

O sexto sentido

O sexto sentido é a porção da mente subconsciente que tem sido referida como a imaginação
criativa. Também foi referido como o conjunto receptor, através do qual ideias, planos e
pensamentos passam pela mente. Os flashes às vezes são chamados de palpites ou
inspirações.

Qualquer pessoa que tenha sofrido um quase acidente enquanto dirige sabe que nessas
ocasiões o sexto sentido geralmente vem em socorro e ajuda, por fração de segundos, a evitar
o acidente.

Quase todos os grandes líderes, como Napoleão, Bismark, Joana d'Arc, Cristo, Buda, Confúcio
e Maomé, entenderam e provavelmente usaram o sexto sentido quase continuamente. A maior
parte de sua grandeza consistia no conhecimento desse princípio.

Volte a isso daqui a um mês, leia-o mais uma vez e observe que sua mente vai subir a um nível
ainda mais alto de estímulo. Repita essa experiência de tempos em tempos, sem se preocupar
com o quanto você aprende no momento.

Os seis fantasmas do medo

Antes de podermos dominar um inimigo, precisamos saber seu nome, seus hábitos e seu local
de residência. Analise-se cuidadosamente e determine quais, se houver, um dos seis medos
comuns que se apegaram a você.

· Medo da pobreza;

· Medo da crítica;

· Medo da saúde;

· Medo da perda do amor de alguém;

· Medo de velhice;

· Medo da morte.

O medo paralisa a faculdade da razão, destrói a faculdade da imaginação, destrói a


autoconfiança, mina o entusiasmo, desencoraja a iniciativa, leva à incerteza de propósito,
incentiva a procrastinação, apaga o entusiasmo e torna impossível o autocontrole. ele tira o
charme da personalidade, destrói a possibilidade de um pensamento preciso, desvia a
concentração do esforço, domina a persistência, transforma a força de vontade em nada,
destrói a ambição, obscurece a memória e convida ao fracasso em todas as formas
concebíveis; mata o amor e assassina as emoções mais delicadas do coração, desencoraja a
amizade e convida a um desastre de centenas de formas, leva à insônia, à miséria e à
infelicidade e tudo isso, a maioria das pessoas, se perguntada o que mais teme responderia,
não tenho medo de nada, porque poucas pessoas percebem que estão presas, deficientes,
chicoteadas espiritual e fisicamente por alguma forma de medo.

Sua imunidade contra a doença do medo consiste em grande parte, se não exclusivamente, na
absoluta ausência dele. Você recebeu um roteiro que, se seguido, o manterá nessa estrada, se
você deixar de começar ou parar antes de chegar, ninguém será o culpado, mas você, essa
responsabilidade é sua, nenhum álibi o salvará de aceitar a responsabilidade se você agora
falhar ou se recusar a exigir riquezas na vida, porque a aceitação exige apenas uma coisa,
aliás, a única coisa que você pode controlar e esse é um estado de espírito, é algo que se
assume, não pode ser comprado, deve ser criado.

Instainsights

· A criação de riqueza acontece em três etapas; visualizar, acreditar e caminhar para o


sucesso.
· Não deixe que suas falhas iniciais definam seu sucesso. Persista.

· Visualize seu sucesso. Visualização é a chave.

· Paixão e disciplina são o que o guiará em sua jornada para o sucesso.

· Evite amigos negativos, parentes bem-intencionados e outras pessoas que impõem


restrições aos seus sonhos. Tenha um propósito definido. Anote exatamente o quanto e o
como você deseja. Deixe claro.

Nesse livro você aprendeu que:

Você colhe o que pensa e apenas você é quem controla os seus pensamentos. Se você quer
ganhar milhões, mudar o mundo ou encontrar a paz, o melhor lugar para começar é dentro de
você. Portanto, seja flexível e esteja aberto para tentar estratégias diferentes, mas, o mais
importante, persista nos momentos difíceis. Estude o mercado que atuará, as oportunidades e
seus concorrentes. Crie uma estratégia detalhada que o ajudará a mover a seguir na direção
que você deseja, mesmo que isso signifique um passo de cada vez.

QUEM PENSA ENRIQUECE: O Legado (parte 1)

Napoleon Hill

Este é um dos livros mais vendido de todos os tempos, que influencia líderes e empreededores
em todo o mundo. Ainda que o título do livro e muito de seu conteúdo trate sobre como
enriquecer, o autor insiste que a filosofia presente no livro pode ajudar pessoas no alcance de
qualquer objetivo que elas possam imaginar. O clássico best-seller mundial sobre o sucesso vai
mudar não só o que você pensa, mas também o modo como você pensa.

Pensamentos são coisas

Pensamentos são coisas poderosas quando se misturam com determinação, propósito,


persistência e desejo ardente de traduzir em riquezas seus objetos materiais. Era o que ele
pensava que contava. Agora, vejamos uma situação diferente e estudemos um homem que
tinha muitas evidências tangíveis de riqueza, mas a perdeu, porque ele parou a um metro do
objetivo que estava buscando.

Quando você começa a pensar em enriquecer, observe que as riquezas começam com um
estado de espírito, com uma finalidade definitiva, com pouco ou nenhum trabalho duro. Você e
todas as outras pessoas devem estar interessadas em saber como adquirir esse estado de
espírito que atrairá riquezas. Hill, passou vinte e cinco anos pesquisando, analisando mais de
25.000 pessoas, para saber como os homens ricos se tornavam assim Ele descobriu que os
pensamentos se tornam coisas, a maioria das pessoas que buscam riqueza erram, pois
pensam em riqueza, mas seus hábitos de pensamento estão impregnados de pobreza,
carência, miséria, fracasso e derrota.
Desejo

Todo ser humano que atinge a idade de entendimento do propósito do dinheiro deseja isso.
Desejar não trará riquezas. Mas desejar riquezas com um estado de espírito que se torna uma
obsessão, planejar as formas e os meios definidos para adquirir riquezas e apoiar esses planos
com persistência que não reconhece o fracasso trará riquezas.

1. Fixe em sua mente a quantidade exata de dinheiro que você deseja. Não basta dizer
apenas, quero muito dinheiro. Seja preciso quanto ao valor.

2. Determine exatamente o que você pretende dar em troca do dinheiro que deseja.

3. Estabeleça uma data definida quando você pretende possuir o dinheiro que deseja.

4. Crie um plano definido para realizar seu desejo e comece imediatamente, esteja você
pronto ou não, para colocar esse plano em ação.

5. Escreva uma declaração clara e concisa da quantidade de dinheiro que você pretende
adquirir, nomeie o prazo para sua aquisição, indique o que você pretende dar em troca do
dinheiro e descreva claramente o plano pelo qual você pretende acumulá-lo.

6. Leia sua declaração por escrito em voz alta, duas vezes por dia, uma vez antes de se
aposentar à noite e uma vez depois de se levantar pela manhã, ao ler, veja, sinta e acredite
que o dinheiro já é seu.

Mas a aplicação bem-sucedida desses seis passos exige imaginação suficiente para permitir
que se veja e entenda que o acumulo de dinheiro não pode ser deixado ao acaso à sorte.

O cristianismo é o maior poder potencial do mundo hoje, porque seu fundador era um sonhador
intenso que tinha a visão e a imaginação para ver realidades em sua forma mental e espiritual
antes de serem transformadas em forma física.

Em verdade, não há nada, certo ou errado, que a CRENÇA, além do desejo ardente, não
possa tornar real. Essas qualidades são livres para todos.

Fé em sua capacidade

A fé é um estado de espírito que pode ser induzido ou criado por afirmação ou instruções
repetidas ao subconsciente, através do princípio da autossugestão.

Seguindo as instruções estabelecidas sobre sugestão automática e a mente subconsciente,


você pode convencer a mente subconsciente que acredita que receberá o que solicita e que
agirá sobre essa crença, que sua mente subconsciente repassa a você na forma de fé, seguida
de planos definidos para a aquisição daquilo que você deseja, a repetição da afirmação de
ordens ao seu subconsciente é o único método conhecido de desenvolvimento voluntário da
emoção da fé.

Uma mente dominada por emoções positivas, torna-se uma morada favorável para o estado de
espírito conhecido como fé. Uma mente tão dominada pode, à vontade, dar instruções à mente
subconsciente, as quais ela aceita e age imediatamente.

A fé é um estado de espírito, e que pode ser induzido pela autossugestão. Se um homem


repetir uma mentira repetidamente, ele aceitará a mentira como verdade. Além disso, ele vai
acreditar que é a verdade.

Como uma ideia, plano ou propósito pode ser plantada na mente? Através da repetição do
pensamento.

É por isso que o autor lhe pede que escreva uma declaração de seu principal objetivo, ou
objetivo principal definido, guarde-a na memória e repita-a, em palavras audíveis, dia após dia,
até que essas vibrações de som cheguem ao seu subconsciente.

· Faça um inventário dos pensamentos positivos e negativos, você descobrirá que sua maior
fraqueza é a falta de autoconfiança. Perceba que os pensamentos dominantes de sua mente
acabarão se reproduzindo em uma ação física e gradualmente se transformando em realidade
física; portanto, concentre seus pensamentos por trinta minutos diários, na tarefa de pensar na
pessoa que pretende se tornar, criando assim em sua mente uma imagem mental clara dessa
pessoa e sua vontade de servir aos outros, elimine o ódio, a inveja, o ciúme, o egoísmo e o
cinismo, desenvolvendo amor por toda a humanidade, porque sabe que é uma atitude negativa
para com os outros e nunca poderá te trazer sucesso, faça com que outros acreditem em você,
porque você acredita neles e em você mesmo. Porém, se você encher sua mente de medo,
dúvida e descrença em sua capacidade de se conectar e usar as forças da inteligência infinita,
a lei da autossugestão tomará esse espírito de incredulidade e o utilizará como um padrão pelo
qual sua mente subconsciente irá torna-lo real em seu físico, esta declaração é tão verdadeira
quanto a declaração de que dois e dois são quatro! Mais cedo ou tarde o homem que vence é o
homem que pensa que pode!

Autossugestão

Ao realizar esta declaração, se enxergue com o dinheiro em mãos! Não espere um plano
definido, através do qual você pretende trocar serviços ou mercadorias em troca do dinheiro
que está visualizando, mas comece imediatamente a se ver na posse do dinheiro, exigindo e
esperando enquanto isso, que sua mente subconsciente entregará. Sobre o plano ou planos
necessários, esteja alerta para esses planos e, quando eles aparecerem, coloque-os em ação
imediatamente, quando os planos aparecerem, eles provavelmente entrarão em sua mente
através do sexto sentido, na forma de uma inspiração, essa inspiração pode ser considerada
um telegrama direto, ou uma mensagem da inteligência infinita, trate-o com respeito e aja
assim que o receber, não fazer isso será fatal para o seu sucesso.

1. Escolha algum lugar calmo onde você não será perturbado nem interrompido, feche os
olhos e repita em voz alta a declaração escrita da quantia que pretende acumular, o prazo para
sua acumulação e uma descrição do serviço ou mercadoria que você pretende oferecer em
troca do dinheiro, ao seguir estas instruções, se enxergue com o dinheiro em mãos!

2. Coloque uma cópia escrita de sua declaração, onde possa vê-la de noite e de manhã, e
leia-a imediatamente antes de deitar e depois de acordar até que ela tenha sido memorizada.
Conhecimento especializado

A falta de compreensão desse fato tem sido a fonte de confusão para milhões de pessoas que
acreditam falsamente que conhecimento é poder. Não é nada disso! Conhecimento é apenas
poder potencial. Só se torna poder, quando, é organizado em planos de ação e direcionados
para um fim definido.

Ensine os alunos a organizar e usar o conhecimento depois que o adquirirem.

O homem que pode organizar e dirigir um grupo de homens que possuem conhecimento útil na
acumulação de dinheiro, é tão educado quanto qualquer homem do grupo. Lembre-se disso, se
você sofre de um sentimento de inferioridade, porque sua escolaridade foi limitada.

O conhecimento não tem valor, exceto o que pode ser obtido com a sua aplicação para um fim
digno. Essa é uma das razões pelas quais os diplomas universitários não são mais valorizados.
Eles representam nada além de conhecimentos diversos.

A autodisciplina que se recebe de um programa definido de estudo especializado compõe, em


certa medida, a oportunidade desperdiçada quando o conhecimento estava disponível sem
custo.

A pessoa que para de estudar apenas porque terminou os estudos está para sempre
irremediavelmente condenada à mediocridade, não importa qual seja o seu chamado. Já que
não é possível ter todo conhecimento de todas as áreas, tenha um grupo master mind no qual
possa consulta-los sobre conhecimentos específicos.

Imaginação

Inteligência é a faculdade através da qual palpites e inspirações são recebidos é por ela que
todas as ideias básicas ou novas são percebidas.

Para completar, você DEFINITIVAMENTE terá dado forma concreta ao desejo intangível. Leia
a frase anterior mais uma vez. Leia-o em voz alta, muito devagar e, ao fazê-lo, lembre-se de
que, no momento em que reduz a declaração de seu desejo, e um plano para sua realização,
por escrito, você realmente tomou o primeiro de uma série de etapas, o que permitirá você
converter o pensamento em sua contraparte física.

Até onde a ciência foi capaz de determinar, o universo inteiro consiste em apenas dois
elementos, matéria e energia. Através da combinação de energia e matéria, foi criado tudo o
que é perceptível ao homem, desde a maior estrela que flutua nos céus, até e incluindo o
próprio homem. Não pare, nem hesite em estudar esses princípios.

Quem quer que você seja, onde quer que você viva, qualquer que seja a sua ocupação,
lembre-se, sempre que vir as palavras Coca-Cola, que seu vasto império de riqueza e
influência surgiu de uma única ideia, e o ingrediente misterioso que Asa Candler misturou com
a fórmula secreta foi a imaginação!
Definir um objetivo é o ponto de partida que se deve começar. A definição de propósito assume
animação, vida e poder quando apoiada por um desejo ardente de traduzir esse objetivo em
algo material.

Lembre-se, ideias podem se transformar em dinheiro através do poder de finalidade definida,


através de planos definidos. De asas a sua Imaginação!

Planejamento organizado

Uma das etapas que você deve cumprir é a formação de um plano ou planos definidos,
práticos, por intermédio dos quais essa transformação possa ser feita. Seguem as instruções
básicas para fazer planos práticos:

· Alie-se a um grupo de tantas pessoas quantas possam ser necessárias para a criação e a
execução de seu plano ou planos para acúmulo de dinheiro utilizando o princípio do
MasterMind. Esta instrução é absolutamente essencial. Não deixe de cumpri-la.

· Antes de formar sua aliança de MasterMind, decida quais vantagens e benefícios você
pode oferecer aos membros de seu grupo em troca de cooperação. Ninguém vai trabalhar
indefinidamente sem alguma compensação. Nenhuma pessoa inteligente deve solicitar ou
esperar que outra trabalhe sem compensação adequada, embora esta nem sempre ocorra em
forma de dinheiro.

· Reúna-se com os membros do seu grupo de MasterMind pelo menos duas vezes por
semana, e mais frequentemente se possível, até ter aperfeiçoado o plano ou os planos
necessários para o acúmulo de dinheiro.

· Mantenha perfeita harmonia entre você e todos os membros de seu grupo de MasterMind.

Fique atento aos seguintes fatos, você está envolvido em um empreendimento muito
importante para você? Para ter certeza do sucesso, precisa ter planos impecáveis. Você deve
contar com a vantagem da experiência, educação, habilidade inata e imaginação das outras
mentes? Assim tem sido feito por cada pessoa que acumulou uma grande fortuna.

Como conquistar a exata posição que deseja? Todo mundo gosta de fazer o tipo de trabalho
para o qual é mais adequado. Um artista gosta de trabalhar com tintas, um artesão com as
mãos, um escritor gosta de escrever. Aqueles com talentos menos definidos preferem certas
áreas do comércio e da indústria.

1. Decida exatamente o tipo de emprego que deseja. Se o emprego ainda não existe, talvez
você possa criá-lo.

2. Escolha a empresa ou o indivíduo para quem deseja trabalhar.

3. Estude a empresa com relação a políticas, recursos humanos e oportunidades de


progresso.

4. Analise a si mesmo, seus talentos e suas capacidades e descubra o que pode oferecer.
Planeje meios específicos de oferecer vantagens, serviços, desenvolvimentos ou ideias que
acredita poder entregar com sucesso.

5. Esqueça o emprego. Esqueça a existência ou não de uma vaga. Esqueça a rotina habitual
do você tem um emprego para mim? Concentre-se no que você pode oferecer

6. Quando tiver seu plano em mente, coloque-o no papel de forma clara e com todos os
detalhes.

7. Apresente-o à pessoa adequada, e o resto virá automaticamente. Toda empresa procura


pessoas que possam oferecer algo de valor, sejam ideias, serviços ou conexões. Toda
empresa tem espaço para alguém que tenha um plano de ação definido que seja vantajoso
para ela.

Esse procedimento pode consumir alguns dias ou semanas de tempo extra, mas a diferença no
salário, no progresso e no reconhecimento vai evitar anos de trabalho duro e salário baixo. O
método tem muitas vantagens, e a principal é que você pode economizar entre um e cinco
anos do seu tempo para alcançar um objetivo determinado. Toda pessoa que começa, ou
embarca a meio caminho da subida da escada consegue essa façanha por planejamento
deliberado e cuidadoso.

Decisão

Se você é influenciado pelas opiniões dos outros para tomar decisões, não terá sucesso em
nenhum empreendimento, muito menos no de transformar seu próprio desejo em dinheiro.

É característico de pessoas que têm pouco conhecimento tentar dar a impressão de que têm
muito conhecimento. Essas pessoas geralmente falam demais e ouvem muito pouco.
Mantenha os olhos e os ouvidos bem abertos e a boca fechada, se desejar tomar uma decisão
imediata, quem fala demais faz pouco, se você fala mais do que ouve, não apenas se priva de
muitas oportunidades para acumular conhecimentos úteis, mas também divulga seus planos e
objetivos a pessoas que terão muito prazer em derrotá-lo, porque elas o invejam.

Lembre-se, também, de que toda vez que você abre a boca na presença de uma pessoa que
possui uma abundância de conhecimento, você exibe a ela, seu estoque exato de
conhecimento ou sua falta! A sabedoria genuína é geralmente visível através da modéstia e do
silêncio. Diga ao mundo o que você pretende fazer, mas mostre isso primeiro, isso significa que
as ações, e não as palavras, são o que mais importam. O valor das decisões depende da
coragem necessária para pratica-las.

Persistência

Não há substituto para persistência! Ela não pode ser substituída por nenhuma outra qualidade!
Lembre-se, quando as coisas parecerem difíceis e lentas, o conhecimento de que toda falha
traz consigo a semente de uma vantagem equivalente o ajudará. Como todos os estados
mentais, a persistência é baseada em causas definidas, entre elas, o medo, o pior de todos os
inimigos, pode ser efetivamente curado pela repetição forçada de atos de coragem.
examine as primeiras cem pessoas que você conhece, pergunte a elas o que elas mais
desejam na vida e noventa e oito delas não serão capazes de lhe dizer, se você pressioná-las
para obter uma resposta, alguns dirão, segurança, muitas dirão dinheiro, outras dirão
felicidade, outras dirão fama e poder, e outras ainda dirão reconhecimento social, facilidade de
viver, habilidade, cantar, dançar ou escrever, mas nenhuma delas poderá dar a menor
indicação de um plano pelo qual elas esperam alcançar esses desejos. As riquezas não
respondem aos desejos. Eles respondem apenas a planos definidos, apoiados por desejos
definidos, através da persistência constante. Como desenvolver persistência:

1. Obter um objetivo definido baseado no desejo de ser cumprindo.

2. Obter um plano definido que seja expresso em ação contínua, ou seja, no dia a dia.

3. Blindar sua mente para todas as influências negativas, incluindo sugestões negativas de
parentes, amigos e conhecidos.

4. Fazer uma aliança amigável com uma ou mais pessoas que o encorajarão a seguir um
plano e objetivo.

O poder do MasterMind

A Mente Mestra pode ser definida como, coordenação de conhecimento e esforço, em espírito
de harmonia, entre duas ou mais pessoas, para alcançar um objetivo definido.

As vantagens econômicas podem ser criadas por qualquer pessoa que se cercar de conselhos,
conselhos e cooperação pessoal de um grupo de homens que estejam dispostos a oferecer-lhe
ajuda sincera. Você pode pegar uma sugestão significativa dessa afirmação, nunca duas
mentes se juntam sem, assim, criar uma terceira força invisível e intangível que pode ser
comparada a uma terceira mente.

Qualquer pessoa pode desejar riquezas, mas a minoria delas sabe que um plano definido, mais
um desejo ardente de riqueza, são os únicos meios confiáveis ​para acumular riqueza.

Sexualidade

Um rio pode ser represado e sua água controlada por um tempo, mas, eventualmente, forçará
uma saída. O mesmo vale para a emoção do sexo. Pode ficar submersa e controlada por um
tempo, mas sua própria natureza faz com que sempre busque meios de expressão. Se não for
transformado em algum esforço criativo, encontrará uma saída menos digna, observe o que
acontece com qualquer animal depois de ter sido castrado. Um touro se torna tão dócil quanto
uma vaca depois de ter sido alterado sexualmente. A alteração de sexo tira do homem, seja
homem ou animal, toda a força que havia nele.

A imaginação criativa funciona melhor quando a mente está vibrando a uma velocidade
extremamente alta. Ou seja, quando a mente está funcionando a uma taxa de vibração mais
alta que a do pensamento comum.

Os grandes artistas, escritores, músicos e poetas se tornam grandes, porque adquirem o hábito
de confiar na voz mansa e delicada que fala de dentro, através da faculdade da imaginação
criativa. É um fato bem conhecido das pessoas que têm imaginação aguçada que suas
melhores ideias surgem através dos chamados palpites ou inspirações.

A mente subconsciente

A mente subconsciente trabalha dia e noite. Você não pode controlar inteiramente sua mente
subconsciente, mas pode voluntariamente entregar a ela qualquer plano, desejo ou propósito
que deseje transformar em forma concreta. Essas emoções, ou sentir impulsos, podem ser
comparadas ao fermento em um pedaço de pão, porque constituem o elemento ação, que
transforma os impulsos de pensamento do estado passivo para o ativo.

Assim, pode-se entender por que os impulsos do pensamento que foram bem misturados à
emoção, são despertados mais prontamente do que os impulsos do pensamento da razão fria.

As sete principais emoções positivas

· Desejo

· Fé

· Amor

· Sexo

· Entusiasmo

· Romance

· Esperança

Forme o hábito de aplicar e usar as emoções positivas! Eventualmente, eles dominarão sua
mente tão completamente, que as negativas não poderão entrar nela.

A mente subconsciente é o intermediário, que traduz as orações em termos que a Inteligência


Infinita pode reconhecer, apresenta a mensagem a ela e traz de volta a resposta na forma de
um plano ou ideia definida para a aquisição do objeto da oração.

O Cérebro

Todo cérebro humano é capaz de captar vibrações de pensamentos que estão sendo liberados
por outros cérebros.

O resultado da transmutação sexual é o aumento da taxa de vibração dos pensamentos a tal


ponto que a imaginação criativa se torna altamente receptiva às ideias. Por outro lado, quando
o cérebro está vibrando em ritmo acelerado, ele não apenas atrai pensamentos e ideias
liberadas por outros cérebros, como também transmite aos próprios pensamentos aquele
sentimento que é essencial diante desses pensamentos, serão captados e executados pela
mente subconsciente.

ARNOLD: The education of a bodybuilder (Arnold: A educação de um bodybuilder)

Arnold Schwarzenegger & Douglas Hall

Um homem de muitas facetas e talentos, Schwarzenegger sem dúvida é uma inspiração para
muitos, um dos maiores bodybuilders de todos os tempos, desde muito cedo sabia o que
queria, lutou para alcançar seus objetivos em um esporte pouco valorizado, e que exige tanto
de quem o pratica. Com uma linguagem simples, ele vai revelar seus segredos de treino, dando
dicas de alimentação para te ajudar a entender o funcionamento do corpo e como ter músculos
de dar inveja.

Os primeiros passos de um campeão

Nascido na Áustria em 1947, Arnold Schwarzenegger é um dos maiores fisiculturistas do


mundo, além de ser ator, diretor, empresário e político, é um dos maiores vencedores de
prêmios em bodybuilding, sendo referência para iniciantes e veteranos do esporte.

Nascido em uma família de esportistas, Arnold sempre levou uma vida saudável, com treinos e
alimentação balanceada e com apenas 15 anos ele já tinha plena certeza do que queria fazer
de sua vida decidindo seria o maior e melhor fisiculturista de todos os tempos, mesmo sabendo
que o caminho não seria fácil, ele em nenhum momento hesitou e mergulhou de cabeça nos
treinos intensos. No início ele se sentia um estranho entre tantos homens gigantes,
desenvolvendo músculos que ele nem sabia que existiam, aquele universo o deixava
encantado e a cada dia tinha mais certeza que havia escolhido o caminho certo.

Não levou muito tempo e Arnold se tornou o queridinho dos outros treinadores, mesmo com
sua estatura baixa e pouco peso, seus músculos respondiam muito rapidamente aos treinos, o
que chamou a atenção de todos, e com sua disciplina e foco em apenas três meses ele já tinha
o peso necessário para ser chamado formalmente de training, a essa altura, Arnold já estava
viciado nos treinos, se não estava na academia estava com seus amigos que treinavam com
ele e que eram todos muito mais velhos, Arnold com apenas 15 anos e seus melhores amigos
eram homens de 28, 32 e 50 anos, pessoas muito importantes em sua vida que ao longo do
tempo ganharam a imagem e papel de pai em sua história.

Os dois anos seguintes foram intensos na vida de Arnold, muito treinamento, foco e
determinação o levaram a participar de competições de fisiculturismo e com apenas 17 anos já
começava a receber prêmios. Porém, ao completar a maioridade teve que servir ao exército
Austríaco e foi proibido de seguir com os treinos, o que a princípio parecia um pesadelo acabou
se tornando um impulso para ir além, os momentos sem treinar só aumentaram a certeza de
onde ele queria chegar.

Não demorou muito para que ele descobrisse uma maneira de treinar escondido no quartel e
acabou sendo até preso por isso, e assim que foi liberado do exército participou da sua
primeira importante competição internacional, a Junior Mister Europa, na Alemanha em 1967 e
aos 20 anos, ele foi o mais jovem campeão do Mr. Universo em Londres.
Em 1968 ele se mudou para Estados Unidos, foi quando a sua vida tomou novos rumos,
passou a ser treinado pelo famoso Joe Weider, continuou competindo e venceu mais três
vezes o Mr. Universo. Tantas premiações colocaram todos os holofotes sobre ele, e em 69
estreou no cinema com o filme Hercules em Nova Iorque sendo esse apenas a porta de
entrada para uma carreira brilhante no cinema vencendo diversos prêmios.

Além da carreira de ator, Arnold também se dedicou aos negócios e estudou economia na
universidade de Wisconsin, tornou-se um empresário de sucesso, abrindo restaurantes,
shopping e sócio no famoso Planet Hollywood.

Absolutamente tudo que Arnold se propôs a fazer, ele fez bem feito e foi bem-sucedido, sem
dúvidas seu foco e disciplina desde tão cedo fizeram toda a diferença para que ele se tornasse
esse homem de sucesso.

Conheça seu corpo e extraia o melhor dele

Anos atrás as pessoas usavam seu corpo de forma ativa para as práticas do dia a dia,
caminhar grandes distâncias, carregar pesos entre outras atividades mantinham o corpo das
pessoas em forma, e elas eram muito mais saudáveis, pois além da vida fisicamente ativa, a
alimentação era muito mais natural e fresca, as pessoas eram mais fortes e resistentes.

Hoje em dia, com as facilidades que a modernidade trouxe, as pessoas se recusam ir até a
padaria a pé, uma dona de casa desloca o ombro arrumando a cama, um operário fica com
dores na coluna por carregar um pouco de peso, e isso porque o corpo não está preparado.

Você tem mais de 600 músculos no corpo e se eles não forem exercitados, irão se deteriorar
por isso a pratica de exercícios físicos é fundamental para você levar uma vida saudável.
Lembre-se de sempre conectar sua mente ao exercício que você estiver fazendo para que você
possa sentir a diferença que aquilo está fazendo em seu corpo e como sua mante reage à dor.
Desenvolver os músculos dói, essa é uma realidade que você deve aceitar e aprender a
encarar desde o início, veja a dor como um sinal positivo de crescimento.

Você precisa manter a sua mente conectada a seu corpo, pois é ela que determina o que seu
corpo será capaz de fazer, por isso antes de começar um exercício, você precisa treinar a sua
mente conectando sua força positiva para os seus propósitos, e quando você descobre esse
segredo você será capaz de alcançar qualquer coisa que quiser.

O segredo está em fazer a sua mente trabalhar a seu favor e não contra você, para isso adote
uma postura sempre positiva, colocando-se em desafios que possa superar, veja a si mesmo
sempre crescendo e melhorando, tire o não consigo de seus pensamentos e vocabulário, só
assim você irá ultrapassar seus limites e conhecer sua verdadeira força interior.

Assim como o treino físico deve ter certa moderação para não causar nenhum dano ao seu
corpo, você deve também não forçar demais a sua mente, deixe-a aguçada a conseguir mais,
por isso Arnold sugere que você comece com um programa de treino simples, até que sua
mente diga ao seu corpo que está preparado para mais e assim, pouco a pouco mente e corpo
estarão conectados sempre querendo mais.
Para que você tenha sucesso com os treinos precisa analisar alguns pontos antes de começar:

· A razão – ou seja, o motivo de você querer iniciar o fisiculturismo, este é um dos passos
principais para você ter sucesso nessa jornada. Praticar apenas porque você acha legal ou
porque alguém faz e te indicou não é o suficiente, por isso reveja o que realmente quer, esse
esporte exige muito do seu corpo e mente e se não houver paixão não dá certo;

· Analise a si mesmo e seja realista, existem três categorias de corpo, os ecnomorfos que
são pessoas magras com ossos finos e por isso precisam de bastante treino para alcançarem
padrões de fisiculturistas, assim como os endomorfos, que são pessoas de estrutura grande,
ossos largos porém nenhuma estrutura muscular desenvolvida, nesse caso você terá que
colocar muita energia mental para alcançar seus objetivos, e por último estão os mosomorfos
que representam as melhores estruturas para desenvolver músculos, com estrutura larga e
músculos que se desenvolvem facilmente e com rapidez;

· Faça um checape para ter certeza de que sua saúde está em dia e pode se expor a esses
exercícios tão intensos;

· Coma o que seu corpo precisa, a alimentação é parte fundamental aliada ao corpo e mente
para o bom desenvolvimento de seus músculos. A proteína é o elemento mais importante da
alimentação de um fisiculturista, e as de melhor qualidade vêm dos ovos, carne e derivados do
leite;

· Escolha os melhores exercícios: membros superiores que treinam braços, peito, ombros e
costas, membros inferiores para panturrilha, coxas e quadril além dos exercícios abdominais.
Observe seu corpo em um espelho e divida-o nessas três partes e as trate com a mesma
importância, muitas pessoas acham que devem treinar apenas os membros superiores, quando
na verdade para ser um fisiculturista completo, você precisa ter equilíbrio entre as três partes.

O processo de bodybuilding é longo e certamente você verá que não está crescendo apenas
no corpo, a sua postura no esporte abrira novas possibilidades em sua vida, você vai descobrir
que é capaz de ir muito mais longe do que imaginava e que é muito mais forte do que sabia.

Encontre no esporte o equilíbrio necessário para se conhecer e desenvolver o melhor de si


mesmo. O bodybuilding irá transformar sua vida e sua mente fazendo de você uma pessoa
mais forte, confiante e segura de onde quer chegar.

Instainsights

· Determinação e disciplina são as virtudes mais importantes para se tornar um bodybuilder;

· Nenhum desafio é impossível se você realmente se dispõe a enfrentá-lo;

· Toda história de sucesso começa com a vontade de querer realizar aliada a ações
inteligentes e postura disciplinada;

· Ter uma meta clara e compatível com as suas habilidades é fundamental para chegar ao
seu objetivo;

· Se você souber treinar a mente tanto quanto o corpo ira muito mais longe.

Neste livro, você aprendeu que

Arnold Schwarzenegger desde muito cedo descobriu sua paixão pelo fisiculturismo e com
apenas 15 anos tomou a maior decisão de sua vida, aquela que mudou seu rumo para sempre
e com muita determinação, foco e paixão ele se tornou um dos maiores fisiculturistas do
mundo. Ele se dedicou a não apenas treinar o corpo incessantemente, mas aprendeu que sem
treinar a mente ele não chegaria a lugar algum, além de conhecer o funcionamento de seu
corpo para combinar os melhores treinos e a melhor alimentação.

O PODER DO SUBCONSCIENTE

Joseph Murphy

No decorrer de sua vida, Joseph Murphy sentiu que havia segredos que ele havia encontrado
em relação ao subconsciente que estavam além do tempo e da cultura, e que deveria encontrar
um público mais amplo. O Poder do Subconsciente ajudou milhões de pessoas a domar seu
subconsciente e encontrar a felicidade.

A mente é propensa a sugestões, e você pode usar isso a seu favor

A mente é um vasto universo. Boa parte dela nos é desconhecida e parece existir de forma
independente, sem que consigamos controlá-la. Joseph Murphy explica que, diferente do que
você pode pensar, é possível que você tome controle do seu subconsciente.

Você se lembra quando aprendeu a andar de bicicleta? Nas primeiras tentativas é preciso ter
completa atenção e foco na atividade. Mas, depois de um tempo, seu subconsciente
provavelmente começou a pegar o jeito das coisas e, muito em breve, andar de bicicleta se
tornou uma tarefa automática. Isso acontece porque é possível treinar nossa mente para
passar conhecimento do consciente para o inconsciente, e isso pode acontecer de forma
natural ou voluntária.

Pessoas como Enrico Caruso, famoso tenor da ópera italiana, fizeram uso de uma prática
meditativa para superar um problema. Caruso costumava sentir espasmos na garganta e ficar
encharcado de suor momentos antes das apresentações. Os pensamentos negativos que
preenchiam sua mente, como se imaginar tendo um desempenho ruim ou se tornar motivo de
piada da plateia, acabavam por ter consequências físicas tamanha sua crença neles.

Esse medo só foi superado quando Caruso decidiu dizer ao seu "pequeno eu" – ou mente
consciente – que parasse de interferir em seu "grande eu" – ou mente subconsciente.
Repetindo essa prática, ele finalmente deu a sua mente subconsciente a capacidade de ignorar
seus medos, liberando mais energia para sua poderosa caixa de voz.

A mente é propensa a sugestões. Por exemplo, psicólogos fizeram uma série de experimentos
em que um hipnotizador experiente coloca seus alunos em um estado hipnótico antes de
sugerir que eles são gatos. Os alunos, em seguida, passam a desempenhar o papel com total
autenticidade; suas mentes subconscientes simplesmente aceitam o que suas mentes
conscientes acreditam ser verdade.

Pense positivo, visualize e acredite

O efeito aparentemente sobrenatural que sentimos quando rezamos ou pedimos por cura e
somos, de fato, curados, pode ser explicado pelo fato de que pensamentos positivos dão ao
subconsciente o poder de curar doenças. Murphy propõe que sua filiação religiosa não é o que
torna a oração eficaz. Pelo contrário, o que a faz funcionar é a sua capacidade e disposição
para aceitar o que você pede.

Faz sentido que o que você pode aceitar em um nível consciente tenha que ser aceito pelo seu
subconsciente também. Uma afirmação que se expande sobre essa ideia é: “a mente
subconsciente está sujeita à mente consciente”. Você pode treinar sua mente subconsciente
para acreditar no que você pode aceitar em um nível consciente.

Por exemplo, depois que um dos parentes do autor desenvolveu tuberculose, seu filho ficou
determinado a curá-lo. Ele disse ao pai que comprou uma cruz de um monge que visitou
recentemente um santuário de cura na Europa – mas, na realidade, era apenas um pedaço de
madeira que ele pegou na calçada.

Acreditando que simplesmente tocar a cruz já havia curado inúmeras pessoas, o homem
agarrou o objeto, orando com ele em sua mão quando ele adormeceu. Na manhã seguinte,
sentia-se completamente curado. De fato, ele estava tão convencido de que foi curado pela
cruz que ninguém lhe disse a verdade; quebrar essa ilusão provavelmente teria causado o
ressurgimento da doença.

De maneira semelhante, simplesmente imaginar algo que você deseja pode ajudar a torná-la
uma realidade. Um bom exemplo vem dos ensinamentos do autor na Igreja da Ciência Divina,
que se tornou um programa de rádio semanal com milhões de ouvintes.

Em um segmento desse programa, o autor discutiu o método do filme mental, ao mesmo tempo
em que aconselhava as pessoas sobre o processo de venda de suas casas. Nesse método, a
visualização é usada para criar e manter uma imagem mental até que a mente subconsciente a
torne real.

Imagine o resultado desejado e confie em seu subconsciente

Um garoto australiano sonhava em se tornar médico, apesar de não ter o dinheiro que
precisava para iniciar o caminho em direção a esse sonho. Todas as noites, durante meses,
antes de adormecer, ele imaginava um diploma médico pendurado em sua parede com o nome
escrito nele. Eventualmente, um médico que o conhecia viu nele potencial e o treinou para
esterilizar instrumentos, aplicar injeções e, por sim, pagou suas mensalidades da faculdade de
medicina.

É importante saber superar sentimentos de inferioridade, como inveja. Eles podem obstruir seu
caminho para a riqueza. Por exemplo, ver outra pessoa descontando um cheque de alto valor
pode fazer você se sentir diminuído, mas você pode facilmente derrotar esse pensamento.
Deseje mais riqueza aos outros, e isso sinalizará ao seu subconsciente que você merece o
mesmo para si.

Combinar a visualização com paixão é a receita para um maior benefício. Por exemplo, o autor
conhecia um jovem farmacêutico que estava apaixonado por seu trabalho e muitas vezes
sonhava em ter sua própria farmácia.

Ele concentrou sua mente em conjurar imagens de si mesmo distribuindo prescrições e, um


dia, começou um novo trabalho em uma grande cadeia de lojas, onde trabalhava com a paixão
que sempre imaginara. Ele se tornou o gerente e, depois de quatro anos, economizou o
suficiente para abrir sua própria farmácia. Através da paixão e visualização, ele cresceu na
indústria e foi capaz de realizar suas ambições.

Use seu subconsciente para guiar suas escolhas e confie na sua intuição

Enquanto dormimos, vários processos ocorrem initerruptamente. Nosso corpo restaura a


energia, se cura mais rápido e digere corretamente. Com o corpo físico tão ativo durante o
descanso, não é difícil acreditar que o subconsciente trabalha igualmente, lutando para
protegê-lo.

Os poderes intuitivos do seu subconsciente podem ajudar a guiá-lo. Uma mulher de Los
Angeles recebeu uma oferta emprego em Nova York com o dobro do salário atual, mas não
conseguia decidir se aceitaria ou não. No final, ela procurou orientação de seu subconsciente,
confiando que a resposta viria em seu sono.

Pela prática da meditação antes de dormir, ela alcançou uma resposta e na manhã seguinte
teve um forte sentimento de que não deveria aceitar o trabalho. Meses depois, sua escolha foi
validada quando a empresa entrou com pedido de falência. A intuição de sua mente
subconsciente a guiou para a decisão correta. E isso não é tudo que seu subconsciente pode
fazer por você enquanto dorme; pode até ser capaz de encontrar o seu parceiro dos sonhos
simplesmente concentrando-se nas qualidades que você deseja em uma metade melhor.

Por exemplo, o autor conhecia uma professora que tinha três ex-maridos, todos passivos e
fracos, apesar de sua atração pelas qualidades opostas. O que estava acontecendo?

Sua personalidade dominante masculina atraiu subconscientemente parceiros submissos. No


entanto, construindo mentalmente seu marido ideal todas as noites, ela conseguiu quebrar o
padrão. Aceitou um emprego como recepcionista em um consultório médico e soube
imediatamente que o médico era o homem que ela imaginava. Eles se casaram e tiveram uma
vida feliz juntos.

Para ser feliz, você precisa escolher a felicidade. Esqueça os pensamentos negativos que
estão em seu caminho

Um vendedor certa vez pediu conselhos a Murphy porque, apesar de superar consistentemente
seus colegas, ele nunca havia recebido reconhecimento por seu trabalho.
Ele culpou essa discrepância com a crença de que o gerente de vendas não gostava dele e,
portanto, o tratava mal. Sua mente estava cheia de hostilidade e raiva contra seu chefe e,
eventualmente, esses pensamentos começaram a obstruir seu progresso.

Um dia, percebeu que tinha o poder de escolher a felicidade ao mudar para uma mentalidade
positiva. Começou a desejar saúde e sucesso ao seu chefe e praticou a visualização de seu
gerente, parabenizando-o, apertando sua mão amigavelmente e atirando-lhe um sorriso
radiante. Logo mais seu chefe o promoveu a gerente de vendas, dando-lhe um grande
aumento no processo.

A conclusão é que os pensamentos negativos são altamente prejudiciais e podem até impedi-lo
de alcançar a paz de espírito. Basta levar um dos associados do autor, que trabalhava todos os
dias até a uma da manhã, negligenciando a esposa e os dois filhos e fazendo com que
sofresse de pressão alta. Por que ele era tão viciado em trabalho?

Ele descobriu que sentia remorso por seu irmão falecido. Por ser atormentado com tanta culpa,
punia a si mesmo trabalhando incessantemente e se impedindo de ver a família. Para
finalmente acabar com esse sofrimento e se curar, ele primeiro teve que se perdoar.

Supere obstáculos substituindo seus medos por pensamentos positivos

Todos os medos são construídos sobre pensamentos falsos e o terror pode ser aliviado ao
combatê-los. Alguns dos medos mais comuns são de fracasso e impotência. O Sr. Jones não
conseguia controlar seu impulso de beber excessivamente, às vezes ficando bêbado por
semanas a fio. Seu fracasso constante em parar de beber deixava-o impotente e o medo de
falhar outra vez fez com que desistisse de tentar. Somente depois de perder sua família, ele
decidiu enfrentar esses medos.

Todos os medos são construídos sobre pensamentos falsos e o terror pode ser aliviado ao
combatê-los. Alguns dos medos mais comuns são de fracasso e impotência. O Sr. Jones não
conseguia controlar seu impulso de beber excessivamente, às vezes ficando bêbado por
semanas a fio. Seu fracasso constante em parar de beber deixava-o impotente e o medo de
falhar outra vez fez com que desistisse de tentar. Somente depois de perder sua família, ele
decidiu enfrentar esses medos.
Ele se colocou em um estado relaxado e imaginou sua filha o elogiando por ficar sóbrio.
Através deste processo, ele foi capaz de gradualmente desistir de beber e se reunir com sua
família.

O envelhecimento, outro medo comum, também pode ser superado modificando seus
processos de pensamento. Afinal, você só envelhece quando para de sonhar e aprender novas
habilidades, o que significa que permanecer jovem é apenas ficar ativo.

Considere um executivo que viveu perto do autor. Ele se aposentou aos 65 anos depois de
passar a maior parte de sua vida estudando e trabalhando. Em vez de temer seus últimos
anos, ele viu a aposentadoria como uma oportunidade para buscar as coisas que sempre
quisera; Fez aulas de fotografia, viajou pelo mundo tirando fotos e acabou se tornando um
palestrante.
Seu simples entusiasmo por esse passatempo o levou a continuar aprendendo, mantendo-o
jovem no coração e fazendo com que sua mente e corpo fizessem o mesmo.

Instainsight

· Sua mente subconsciente trabalha constantemente e pode ajudá-lo a resolver qualquer


problema em sua vida, melhorando a maneira como você se sente emocional e fisicamente;

· Visualize o sucesso e elimine pensamentos negativos;

· Supere o medo: Tome cinco ou dez minutos, três vezes por dia, para se sentar e imaginar
fazendo o que tanto teme. Imagine a experiência como uma experiência alegre, com pessoas
torcendo por você. Praticar mentalmente a superação do medo faz com que a ideia se enraíze
em sua mente subconsciente, e eventualmente o medo desaparecerá.

Neste livro você aprendeu que

A mente subconsciente é tremendamente poderosa, ela pode absorver e manifestar qualquer


ideia que você sugerir. Você pode treinar sua mente subconsciente para acreditar no que você
pode aceitar em um nível consciente.

Você pode compreender sua mente subconsciente como um mecanismo fotográfico: mudando,
simplesmente, algumas imagens mentais existentes por novas imagens, você começará a ver a
facilidade com a qual pode mudar.

A BOA SORTE

Álex Rovira Celma & Fernando Trias de Bes

A vida é feita de acasos, alguns felizes outros não. Temos a impressão que, por mais que
tentamos planejar, estamos sempre sujeitos a eles. Será que é verdade? Quando recordamos
alguns fatos de nossas vidas, nos deparamos com uma grande quantidade de acasos que
tiveram um grande impacto na nossa história. Esse livro revela como podemos influenciar o
nosso destino e criar condições para que os acasos positivos surjam em nossas vidas.

O encontro
Você sabe a diferença entre sorte e Boa Sorte? Sorte é aquela que acontece quando a gente
menos espera. Já a “Boa Sorte” é a sorte verdadeira, é aquela que depende unicamente de
você, para criar situações que favorecem o seu ambiente, mudando todo o cenário onde você
está. Quase 90% das pessoas que ganham na loteria não demoram mais que 10 anos para
perder tudo, depois voltam a ter a vida que tinham antes. Partindo desse ponto de vista, o que
é mais interessante para você? Se dedicar em criar a sua própria sorte e não perdê-la, ou
depender da sorte do acaso?

A lenda do trevo mágico

Muitos querem ter boa sorte, mas poucos são os que querem buscá-la. Os autores contam a
história de um rei que anunciou um novo tempo em seu reinado, o aparecimento de um trevo
de quatro folhas, que daria longa sorte e prosperidade em todas as áreas para quem o
achasse.

Falado isso, muitas pessoas do reino ficaram empolgadíssimas, pulavam ansiosas para
encontrar o tão esperado trevo. Outras gritavam otimistas dizendo que o trevo já pertencia a
elas. Diversas pessoas faziam planos de como conseguir pegar o trevo e já faziam planos do
que fariam, quando o tivesse em suas mãos.

Tamanha alegria veio por água a baixo, quando o rei anunciou que o trevo iria aparecer no
bosque encantando, um lugar bem conhecido, muito amplo com muitas matas escuras, cheio
de desafios e dificuldades gigantescas. Somente pessoas dispostas e com muita coragem,
seriam capazes de enfrentar aquele lugar.

Com tantas barreiras que poderiam vir pela frente, apenas dois homens aceitaram ir à busca do
trevo, o Cavaleiro da Capa Preta e o Cavaleiro da Capa Branca. Eles tinham apenas alguns
dias para começar a sua caçada, já que o trevo só apareceria no dia e no local certo, era uma
oportunidade única, mas que mudaria o rumo de suas vidas.

Para encontrar o local onde o trevo nasceria os cavaleiros se separaram, cada um seguia o
caminho que melhor achava. Afinal, não existiam caminhos fáceis ou atalhos, a dificuldade de
encontrar o trevo era igual para os dois. Mas cada um deles reagiu de forma diferente às
situações que iam surgindo.

Ao caminhar, o cavaleiro da capa Branca sempre procurava por ajuda, pedia informações aos
habitantes do bosque, se mostrava sempre disposto a ouvir quem aparecia em seu caminho,
ele percebeu que poderia ajudar os moradores dali, então, começou a criar oportunidades em
meio às dificuldades. Ele sempre fazia o possível para resolver os problemas que apareciam a
sua frente.

Ele fazia perguntas para alguns moradores na esperança de buscar boas respostas, mas as
informações que ele ganhava, eram cada vez mais desmotivadoras. Ao falar sobre o trevo as
pessoas riam, elas tinham certeza que naquele bosque escuro e sombrio, não poderia nascer
algo bom. Mas o Cavaleiro da Capa Branca, não ficou esperando o acaso acontecer para
melhorar a situação naquele bosque.
Visto que aquele lugar não era bom, ele criou com as suas próprias mãos uma terra boa para o
plantio, removeu as pedras e cortou os galhos secos, para que a luz entrasse na floresta
escura e clareasse a sua terra, e assim, o trevo pudesse ter a oportunidade de nascer. Ele
entendeu que se tivesse atitudes iguais, não teria resultados diferentes, tudo ficaria exatamente
igual. Para ele, mesmo que nunca tivesse nascido um trevo se quer naquela floresta, não
significava que no futuro não pudesse vir a existir. Ele se empenhava todos os dias para mudar
o ambiente onde ele estava e ajudar as pessoas ao seu redor.

Passados os dias e chegado o momento da aparição do trevo, o Cavaleiro da Capa Branca


tinha certeza que fez tudo o que poderia para que o trevo surgisse daquela terra, mas mesmo
assim, ali não apareceu nenhum broto se quer.

Foi então que ele percebeu que naquele dia soprava um vento diferente, ele trazia muitas
sementes, de algo jamais visto. Quando o Cavaleiro da Capa Branca foi perguntar do que se
tratavam aquelas sementes, ninguém sabia responder ao certo, apenas sabiam que todos os
anos naquele dia, o vento trazia aquelas sementes que passavam despercebidas por todos
daquele lugar. Nunca ninguém havia preparado aquela floresta para recebê-las.

Enquanto avistava milhares de sementes caídas ao chão, o Cavaleiro da Capa Branca


percebeu que na terra onde ele havia cuidado, trevos da sorte começaram a brotar
generosamente.

O Cavaleiro da Capa Branca cultivou a sua “Boa Sorte” e colheu grandes frutos do seu
trabalho.

Mas, e o Cavaleiro da Capa Preta? Este saiu atrás de informações e se deparou com muitas
impossibilidades, ele ficou desanimado e não via esperança de que as coisas pudessem
melhorar naquele lugar. Quanto mais ele sabia sobre o bosque, mais nervoso e pessimista ele
ficava. Ele se achava vítima do rei, sentia que o rei o enganava e que seria impossível
encontrar um trevo se quer ali.

O Cavaleiro da capa Preta não enxergou que se ele ajudasse as pessoas ao seu redor, as
circunstancias mudariam e o problema dele também seria resolvido. Ele se deixou influenciar
pelos outros negativamente, não se responsabilizou pelos seus resultados, transferiu a sua
culpa de não encontrar o trevo para o rei e para aquele bosque sombrio.

Essa história revela que é possível ver a vida de duas maneiras:

Podemos criar oportunidades em meio ao caos, usando todos os recursos que temos para
fazer o melhor e alcançar os nossos sonhos. Ou podemos esperar que os outros e a “sorte”
batam à nossa porta e nos digam o que e como fazer. Nesse caso ficaremos sempre à espera
do momento certo e das pessoas certas e não alcançaremos aquilo que mais sonhamos.

A oportunidade aparece para todos igualmente, mas a Boa Sorte só encontra aqueles que se
preparam para recebê-la.

Pessoas que também pensam assim


“Noventa por cento do sucesso se baseia simplesmente em insistir.” Woody Allen. Quantas
vezes, não terminamos algum projeto por não depositarmos energia e credibilidade suficiente
nele? É necessário lembrar que grandes acontecimentos, um dia tiveram seu começo, meio e
seu fim.

“Muitas pessoas pensam que ter talento é uma sorte; poucas, no entanto, pensam que a sorte
possa ser questão de talento”. Jacinto Benavente.

A Boa Sorte é para aqueles que se atrevem a olhar para a vida de forma mais leve e menos
pessimista.

“A sorte é a desculpa dos fracassados”. Pablo Neruda.

Transferir a nossa responsabilidade de sucesso para a sorte é cômodo, temos que assumir a
responsabilidade das nossas atitudes e tomar a direção das nossas vidas.

“Acredito muito na sorte e descubro que, quanto mais trabalho, mais sorte eu tenho”. Stephen
Leacock.

Você é o motivo de quase tudo que lhe acontece, motive-se a fazer o bem, e você colherá
resultados maravilhosos.

Um otimista vê uma oportunidade em toda calamidade, um pessimista vê uma calamidade em


toda oportunidade. Se os seus olhos forem bons, você enxergará boas oportunidades em
todos os lugares, não importa onde você esteja você é capaz de mudar tudo ao seu redor.
Tudo depende apenas de você.

Instainsights

· Você pode ter o sucesso que quiser se mudar a sua visão.

· As atitudes de hoje refletirão nos resultados de amanhã.

· O otimismo abre todas as portas.

· Nas dificuldades você pode criar grandes oportunidades.

Neste livro, você aprendeu que:

Não adianta olhar as situações de forma pessimista, isso não resolverá todos os seus
problemas, somente te prenderá mais neles. É preciso ir além, andar na contramão das
adversidades e simplificar o que está adiante de você. Não se deixe influenciar pelas
experiências negativas das outras pessoas, seja o autor da sua própria história. Crie
oportunidades e diminua as críticas. Quando você mudar a sua visão e o seu modo de pensar,
os caminhos não se abrirão somente para você, mas também para as pessoas que estão ao
seu redor.
ELON MUSK

Ashlee Vance

Os três principais objetivos de Musk na vida eram tornar os humanos colonizadores espaciais,
construir carros ecologicamente corretos e bonitos, e energizar o mundo com energia solar
segura e gratuita. Em 2012, suas empresas Space X, Tesla Motors e SolarCity conquistaram
sucesso após sucesso em cada uma de suas áreas de objetivo.

A motivação de Musk é salvar a humanidade

Alcançar o sucesso no setor de tecnologia sustentável não é fácil. Muitos tentam e a maioria
falha. E, no entanto, Elon Musk, fundador da Tesla Motors e da SolarCity, conseguiu ter
sucesso não apenas uma vez, mas duas.

Musk não é um empresário obcecado por dinheiro. Ele é movido por uma espécie de empatia
universal. Abrigando um profundo cuidado por toda a humanidade, Musk é impulsionado por
um único objetivo: salvar a humanidade, realocando-a para Marte. Na visão de Musk, a Terra,
vulnerável a asteróides e com recursos cada vez menores, não é mais um lar sustentável.

Essa preocupação, sempre em sua mente, incutiu nele uma determinação inabalável para fazer
as coisas. Porém, isso nem sempre se manifesta de uma forma positiva, e por isso Musk é
conhecido por estabelecer metas irrealistas, atribuindo altas cargas de trabalho e abusando
verbalmente de seus funcionários: ele repreendeu um funcionário que, em vez de participar de
um evento da empresa, escolheu estar presente no nascimento de seu filho, pedindo que ele
considerasse onde estavam suas verdadeiras prioridades. Do jeito que Musk enxerga, você
pode se comprometer 100% a mudar a história do mundo ou não mudar nada.

Ame-o ou odeie-o, mas Musk é respeitado pelos funcionários por seu senso de missão. Eles
sabem que isso traz sucesso. O senso de propósito de Musk é claramente evidente em seu
esgotante programa semanal. Segunda-feira começa na SpaceX, em Los Angeles, onde ele
trabalha até a noite de terça-feira. Ele então vai para o Vale do Silício, onde passa quartas e
quintas-feiras em Tesla. Então pega um voo de volta para Los Angeles. Não há como alguém
se comprometer com esse estilo de vida sem acreditar no que estava fazendo.

As dificuldades que Musk enfrentou moldaram o seu caráter

Graças a um senso de propósito único e poderoso, Elon Musk é um dos empresários mais
bem-sucedidos da sociedade moderna. Mas como ele chegou a ver a si mesmo e ao mundo do
jeito que ele fez? Tudo começou com uma educação difícil na África do Sul.

O jovem Elon Musk teve um relacionamento difícil com seu pai, Errol. E, no entanto, quando os
pais de Musk se separaram, Musk escolheu morar com o pai para lhe dar a companhia
necessária. Mas a vida com o pai era difícil. Além do tumulto em casa, Musk costumava ser
intimidado pelos colegas de classe, de modo que uma vez foi atacado tão gravemente que ele
não pôde frequentar a escola por uma semana.

Para escapar disso, Musk recuou para a leitura e o estudo. Possuidor de uma memória
fotográfica surpreendente, Musk foi capaz de ler duas enciclopédias e lembrar de tudo. O Guia
do Mochileiro das Galáxias foi um livro que o influenciou profundamente; isso o levou a
perceber que responder a uma pergunta é fácil, a verdadeira dificuldade reside em fazer a
pergunta certa.

Nesse estágio inicial, Musk já estava ponderando sobre questões que pudessem expandir e
melhorar a civilização humana. Quando ele começou o ensino médio, ele tinha fortes opiniões
sobre energia solar, conquista de outros planetas, bancos sem papel e foguetes espaciais. Ele
também estava se tornando empreendedor, vendendo sua criação de videogames, a Blastar,
por US $ 500, quando ele tinha apenas 12 anos.

Musk não tinha gana apenas para os negócios – o amor também era de seu interesse

Em 1988, Elon Musk decidiu que ele não queria prestar serviço militar na África do Sul e saiu
do país. Embora ele sonhasse em se mudar para os EUA, Musk foi primeiro para o Canadá.
Seu primeiro ano foi difícil, passando de parente em parente, mas em seguida ele se matriculou
na Queen’s University, onde – quando sua autoconfiança começou a subir – seu personagem
tomou forma definitiva.

Musk era mais ambicioso na faculdade do que no ensino médio. Ele entrou em concursos de
oratória, estudou negócios, e conseguiu conquistar a mulher de seus sonhos, Justine Wilson,
que mais tarde se tornou sua primeira esposa e mãe de seus 6 filhos.

Seu namoro era romântico e competitivo. Para começar, Justine não tinha interesse em Musk,
mas ele não aceitaria um não como resposta. Quando ele estava planejando seu primeiro
encontro em uma sorveteria, descobriu onde Justine estudava e perguntou a uma amiga dela
qual era o seu sorvete favorito. Ele então apareceu carregando dois sorvetes de chocolate.
Essa tática de sucesso através da determinação passou a ser uma abordagem distinta em
todas as áreas da vida de Musk.

Depois de dois anos no Queen's, ele foi transferido para a Universidade da Pensilvânia e
continuou a florescer. À medida que se sentia mais à vontade entre seus colegas estudantes
de física, Musk fez amigos que se mostraram valiosos – não apenas pessoalmente, mas
monetariamente também. Musk e Adeo Ressi, um bom amigo, organizaram festas em uma
casa de 14 quartos que alugaram, cobrando admissão por US $ 5, e Musk, de peito reto e
sóbrio, arrecadava lucros consideráveis.

Ainda na juventude, Musk já exercitava sua mente empreendedora

Recém-saído da faculdade e ansioso para entrar no movimento das pontocom, Musk criou sua
primeira companhia. Em 1995, ele e seu irmão fundaram a Global Link Information Network,
que mais tarde foi renomeada como Zip2. O objetivo deles era ajudar as empresas a ter acesso
à internet para se conectarem pela primeira vez.
Poucas empresas de pequeno porte entendiam as consequências da internet; elas tinham
pouca ideia de como começar, e viam pouco valor em listar seus negócios on-line ou em ter
seu próprio site. As coisas foram difíceis no começo, Musk e seu irmão trabalhavam muito mas
não vendiam o esperado. Receberam muitas rejeições, as mais amáveis ​declararam que a
internet era "a coisa mais idiota de que eles já ouviram falar".

As coisas começaram a mudar quando a Mohr Davidow Ventures, a empresa de capital de


risco, investiu na start-up depois de ficar impressionada com a energia e o impulso de Musk.
Eles transferiram Musk e contrataram Rich Sorkin como CEO. À medida que o dinheiro
começou a chegar, eles contrataram engenheiros melhores, que mudaram e encurtaram
grande parte do código volumoso. Isso deu nos nervos de Musk, afinal, ele era um codificador
autodidata.

No entanto, Mohr Davidow também trouxe uma estrutura mais refinada e delineou metas mais
realistas. Jim Ambras, vice-presidente de engenharia da Zip2, sabia que quando Musk dissesse
que uma tarefa deveria ser concluída em uma hora, na verdade demoraria um dia ou dois.
Quando Musk disse que algo levaria um dia para ser concluído, na verdade levaria uma
semana ou duas.

Finalmente, em fevereiro de 1999, a fabricante de PCs Compaq Computer se ofereceu para


pagar US $ 307 milhões em dinheiro pela Zip2. Mas Musk nunca pensou em ficar na Compaq e
já estava pensando em novos projetos. Ele queria se tornar um CEO de sucesso.

Perder a luta para o Paypal ainda lhe rendeu milhões

Musk, com seu dinheiro recém-adquirido, juntou-se ao clube dos big boys. Ele usou seus
ganhos da Compaq para comprar um carro esportivo da McLaren, um condomínio e um
pequeno avião. Mas o resto do dinheiro foi direto para o próximo negócio: ​X.com​.

Naquela época, as pessoas relutavam até para comprar livros on-line, a dificuldade era ainda
maior para compartilhar detalhes da conta bancária. Mas, em parceria com o Barclays, Musk
conseguiu estabelecer o ​X.com​ como um dos primeiros bancos on-line do mundo, apoiado com
seguro FDIC e três fundos mútuos para os investidores escolherem.

As coisas estavam indo bem, mas logo chegou uma grande competição. Max Levchin e Peter
Thiel estavam trabalhando em seu próprio sistema de pagamento na Confinity, antes de criar a
primeira versão do PayPal.

Após uma breve batalha, as empresas decidiram, em março de 2000, unir forças: a Confinity
possuía o produto mais atrativo (o PayPal), e a ​X.com​ tinha dinheiro e produtos bancários
superiores, então a fusão fazia sentido.

Mas Musk logo seria deixado de lado em sua própria companhia mais uma vez. Dois meses
após a fusão, Thiel renunciou, Levchin ameaçou fazer o mesmo, e Musk se viu no comando de
uma empresa dividida. Embora a maioria de seus colegas de trabalho favorecesse o PayPal,
Musk persistiu em promover a marca ​X.com​. Enquanto isso, os sistemas de computador
falharam regularmente e o site sofria várias quedas.
Em seguida, seguiu-se um dos golpes mais medíocres da história do Vale do Silício: quando
Musk e sua esposa Justine embarcaram em um avião para a lua de mel, os executivos foram
ao conselho da empresa e pediram a Thiel que voltasse como CEO e rebaixasse Musk. O
golpe foi bem-sucedido e Musk ficou como consultor da empresa.

A empresa mudou de ​X.com​ para PayPal e foi finalmente vendida para o eBay, em julho de
2002, por US $ 1,5 bilhão. O almíscar rendeu US $ 250 milhões, o suficiente para tornar seus
sonhos mais selvagens possíveis.

A aposta principal de Musk: a indústria espacial

Após seu 30º aniversário em 2001, Musk decidiu escapar da corrida dos ratos. Ele mudou sua
família para Los Angeles, bem na esquina do centro da indústria espacial.

Musk sempre quis se envolver no espaço. Na época, a Mars Society estava desenvolvendo um
plano para testar a viabilidade de colocar a vida em Marte, enviando camundongos em órbita.
Musk achou que o plano era bom; a única melhoria, ele pensou, seria enviar os ratos
diretamente para Marte.

No final, o plano foi abandonado, mas não impediu que Musk entrasse na indústria espacial.
Ele decidiu fazer sua estreia explorando como alguém poderia construir foguetes mais baratos.
Em junho de 2002, a Space Exploration Technologies (SpaceX) nasceu, com a missão de
emergir como a Companhia Aérea Espacial do Sudoeste. No momento em que o envio de
carga de 227 quilos custava US $ 30 milhões, o Falcon 1 carregava uma carga útil de 634
quilos por US $ 6,9 milhões.

Talvez sem surpresa, as exigências de Musk não eram realistas. Sua linha do tempo original
previa um primeiro motor completo em maio de 2003; um segundo motor em junho; o corpo do
foguete em julho; e tudo se reuniria em setembro. O primeiro lançamento foi planejado para
novembro – apenas 15 meses após o início da empresa.

Sem surpresas, levou 4 anos para a SpaceX lançar com sucesso um foguete. Embora Musk
não goste da falta de um plano claro de ataque, ele entende que as coisas nem sempre
funcionam da primeira vez, o fracasso é apenas uma parte do processo. A realidade é que a
maioria dos lançamentos falha. Ele sabia que 9 dos 20 lançamentos da Atlas tiveram sucesso,
então o fracasso era a norma. Mas ele estava determinado a usar suas habilidades para
garantir que a SpaceX tivesse sucesso no final.

Sua paixão e motivação, no entanto, provaram ser inspiradoras. A SpaceX se tornou a primeira
empresa comercial a transportar a cápsula do dragão para o espaço e recuperá-la com
segurança após um pouso no oceano. A empresa continua a se desenvolver de maneiras
incríveis.

O futuro automobilístico: a Tesla

Carros elétricos não costumavam ser considerados “legais”; eles certamente não eram páreo
para marcas de alta potência como a Jaguar e a Ferrari. Mas Musk ajudou o mundo a
reconhecer a tecnologia dos carros elétricos pelo que era: excitante e progressiva.
Tudo começou quando J. B. Straubel e, sem que ele soubesse, Martin Eberhard e Marc
Tarpenning, estavam trabalhando em carros elétricos alimentados por baterias de íons de lítio.
Em 1º de julho de 2003, Eberhard e Tarpenning fundaram a Tesla Motors; Straubel se juntou
mais tarde.

A ideia era licenciar a tecnologia que a AC Propulsion desenvolveu para alimentar o tzero – um
carro elétrico completo que acelera mais rápido que uma Ferrari – e usar o chassi do Lotus
Elise para o corpo do carro. Mas os capitalistas de risco não investiram e não viram além do
acabamento de plástico de má qualidade do tzero.

Musk, no entanto, optou por investir US $ 6,5 milhões, tornando-se o único acionista e
presidente. Ele achava que o projeto poderia revolucionar os carros elétricos, tornando-os
populares e eficientes, e o mundo um lugar menos poluído.

Apesar de um início lento e sem cerimônias, Tesla surgiu como um grande sucesso. Em
meados de 2012, o sedã Model S da Tesla mudou o transporte para sempre. Com acesso
contínuo à Internet e um sensor que permitia ao motorista ligar o motor sem tocar em um único
botão, ele era chamado de "computador com rodas".

Em novembro de 2012, a Motor Trend o nomeou carro do ano e, mais tarde, a Consumer
Reports deu ao carro a classificação mais alta de sua história (99/100), declarando que
provavelmente era o melhor carro já construído. A América não via uma empresa de carros tão
bem-sucedida desde o surgimento da Chrysler, em 1925.

Essa conquista é bastante surpreendente, já que o Vale do Silício esteve pouco envolvido na
indústria automotiva, e Musk nem havia fabricado carros antes. Mas quando consideramos a
determinação de Musk, esse sucesso talvez não seja uma grande surpresa, afinal.

As empresas de Musk são unificadas – desde Tesla até Solarcity

O poder de estrela de Musk deriva de três empreendimentos simultâneos: SpaceX, Tesla e


SolarCity. Isso porque todos eles o ajudam a perseguir seu objetivo real e unificador: a
sobrevivência da espécie humana. Musk há muito queria entrar no negócio de energia solar,
mas antes de criar a SpaceX, ele não achava que seria lucrativo. Então, quando seus primos,
os irmãos Rive, estavam discutindo sobre um novo empreendimento, Musk sugeriu energia
solar.

Os irmãos passaram dois anos estudando a indústria de energia solar antes de se depararem
com a ideia. Embora os painéis solares estivessem lentamente se tornando mais acessíveis, o
custo e o esforço de instalação foram suficientes para afastar muitos consumidores. Então os
irmãos Rive decidiram dar aos clientes o que eles realmente queriam: alguém para cuidar de
todo o processo, desde a seleção até a compra e a instalação.

Musk ajudou seus primos a criar a estrutura e tornou-se o presidente e o maior acionista. Seis
anos depois, a SolarCity se tornou a maior instaladora de painéis solares nos EUA. Ela se
expandiu de clientes individuais para empresas como Walmart e Intel e, em 2014, foi avaliada
em cerca de US $ 7 bilhões.
As empresas de Musk, embora bem-sucedidas individualmente, também se complementam
estrategicamente. A Tesla fabrica baterias que a SolarCity pode vender para os clientes finais,
e a SolarCity fornece as estações de recarga da Tesla com painéis solares.

Isso porque, apesar de serem apaixonados por carros e painéis solares e baterias, todos são
projetos paralelos para o Musk. Seu principal objetivo continua sendo garantir que os humanos
comecem a viver de maneira sustentável agora, para que a humanidade tenha um futuro.
Desta forma, todos os seus esforços estão unidos por um objetivo ambicioso.

Musk sonha alto – tão alto quanto o próprio espaço

Musk sempre teve grandes planos – tão grandiosos que as pessoas muitas vezes os
consideram um pouco forçados. Em agosto de 2013, ele revelou mais desses planos: o
Hyperloop, bem como outros desenvolvimentos na Tesla e na SpaceX.

O Hyperloop é um novo modo de transporte para distâncias relativamente curtas. É um tubo


pneumático de grande escala, assim como os usados ​para enviar correspondências pelos
escritórios, mas, nesse caso, é para transportar pessoas e carros em cápsulas.

Ideias semelhantes foram propostas antes, mas Musk é diferente. Seu design é executado sob
baixa pressão, enquanto as cápsulas flutuam em uma cama de ar. Cada pod é impulsionado
para frente por um pulso eletromagnético, e os motores em todo o tubo dão um aumento de
potência adicional quando necessário.

Esses mecanismos movidos a energia solar poderiam manter viagens a 1200 quilômetros por
hora; nessa velocidade, você poderia ir de Los Angeles a São Francisco em 30 minutos.

Para Tesla e SpaceX, Musk tem outros planos. O foco principal da Tesla em 2015 será trazer o
SUV Model X para o mercado. Então, planejado para 2017, é o altamente antecipado modelo
3. Este carro custará apenas US $ 35.000, em vez de mais de US $ 100.000 – o preço de um
modelo típico S.

Em 2014, Musk também anunciou planos para construir uma Gigafactory, a maior fábrica de
íons de lítio do mundo. Isso aumentará as baterias disponíveis no mercado, uma parte crucial
da estratégia para tornar os carros Tesla acionáveis ​a longas distâncias, mesmo sem acesso a
uma estação de recarga.

No futuro próximo, a SpaceX começará a testar sua capacidade de levar as pessoas ao


espaço. É provável também que a SpaceX passe a construir e vender satélites, uma das áreas
mais lucrativas do setor. Musk está supostamente sonhando em talvez se tornar o primeiro
homem a pisar em Marte.

Mesmo com uma vida pessoal turbulenta, Musk alcançou o sucesso

Casado três vezes, duas vezes com a mesma mulher, Musk é romântico e cabeça quente. Seu
primeiro casamento foi apaixonado. No entanto, ele nem sempre era um marido compassivo –
Justine lembra como uma vez teve de explicar, exasperada, que ela era sua esposa, não sua
empregada. Musk respondeu dizendo que se ela fosse sua funcionária, já teria sido demitida.

De acordo com Justine, Musk deu-lhe um ultimato em junho de 2008: eles iriam consertar o
casamento naquele dia ou pediriam o divórcio na manhã seguinte. Justine pediu para esperar
mais uma semana, então Musk avançou em frente e pediu o divórcio como havia dito.

No entanto, Musk sofreu emocionalmente após o divórcio, e seu amigo Bill Lee tentou levantar
seus ânimos com um feriado para Londres. Lá, Musk conheceu a então atriz de 22 anos,
Talulah Riley, que se tornou sua segunda esposa.

Ele se divorciou de Riley em 2012, afirmando que ele "sempre a amaria, mas não estava mais
apaixonado por ela". Eles se casaram novamente depois que o divórcio foi finalizado, quando
ele achou impossível namorar enquanto mantinha sua agenda inacreditavelmente ocupada,
pois, por seus cálculos, uma mulher requer um mínimo de 10 horas por semana. No final de
2014, eles se divorciaram novamente.

Muitos acham que Musk pode ser duro a ponto de se tornar mesquinho e caprichoso. Alguns
até dizem que ele não tem empatia, citando a demissão de sua assistente mais leal, Mary Beth
Brown, como um exemplo. Praticamente fazendo tudo por ele, ela sempre foi o único elo entre
Musk e todos os seus interesses. No entanto, quando ela pediu para ser compensada como
outros executivos da SpaceX, ele a pediu para tirar duas semanas de folga que ele iria assumir
seu trabalho para avaliar se o pedido tinha mérito. Quando ela voltou, ele disse que não
precisava mais de seus serviços.

No entanto, apesar dessas falhas pessoais, os mais próximos de Musk dizem que ele é uma
pessoa amorosa e solidária. Riley afirma que, apesar de sua agenda incrivelmente ocupada,
ele sempre tentava chegar em casa para jantar com sua família e brincar com seus filhos.

Neste livro, você aprendeu que

Elon Musk é um homem excepcional. Ambicioso, apaixonado e motivado, ele nunca aceita um
não como resposta. Sua profunda preocupação com a sobrevivência da humanidade está
associada a um grande ego e personalidade difícil. Não importa o que os outros pensem dele,
Elon Musk impulsionou a tecnologia sustentável a novos patamares surpreendentes, e
continuará a fazê-lo como um dos líderes, se não o líder, das indústrias aeroespacial,
automotiva e solar.

Você também pode gostar