Você está na página 1de 85

Prefácio

Todo ser humano possui uma força interna incrível e, se ela não
for descobea, permanece latente por toda a vida.

Neste livro, Dayan Siebra demonstra como podemos resgatar o


gigantesco poder de decisão encontrado em nosso íntimo, tor-
nando nos capazes de assumir o controle imediato da nossa
saúde e do nosso destino.

Criador do Método DS Life para saúde, Dayan Siebra é um dos


maiores peritos do mundo em saúde, medicina integrativa e
neurolinguística — esta última, ciência tratando dos fenôme-
nos neuroassociativos de prazer e dor como fatores determi-
nantes do compoamento humano.

Agora, ele se aprofunda ainda mais na área da Medicina Oo-


molecular, admirável trilha de conhecimento inovador, desven-
dando nosso sistema interno de funcionamento do corpo
humano — uma força invisível dirigindo células e energia e, con-
sequentemente, emoções, durante cada momento de nossa
vida.

Ao fornecer a chave do controle desse sistema, Dayan Siebra


nos permite eliminar a autossabotagem, impedindo a falta de


informação que nos mantêm com saúde precária.

Por meio de estratégias simples, apresentadas em seu seminá-


rio DS Life, nos ensina a romper com padrões limitadores de
compoamento, usando vários passos para um ótimo condicio-
namento físico e mental, realizando mudança duradoura em
nossas vidas.

Fundador de um grupo empresarial de sucesso e consultor pes-


soal de saúde de várias personalidades no Brasil e no exterior,
Dayan Siebra já ajudou milhões de pessoas com suas palestras,
CDs e paicipações em programas de televisão.


Agradecimentos

Ao começar a pensar sobre o impacto desse nosso trabalho,


não posso deixar de me lembrar do jogador famoso de futebol
entrando em campo nos últimos cinco minutos do segundo
tempo, bater nas mãos de seus colegas, afastar-se confiante e,
após cobrar uma falta, fazer o gol da vitória. Torcida delira, téc-
nico vibra e o zagueiro alegremente se deleita com a glória de
ganhar o jogo
.
Mas foi um esforço da equipe. O tal jogador é o herói público. No
entanto, em qualquer jogo da vida, há uma multidão de jogado-
res, os heróis ocultos. E, nesta empreitada, houve muitos.

Jamais fui conhecido como pessoa a quem palavras faltassem.

Mas, ao começar a lançar no papel sentimentos relacionados


com tantos membros da família, amigos e colaboradores leais
e espantosamente altruístas, sinto-me navegando numa esfera
nova em minha vida.

É quase impossível optar por uma precedência. Esse trabalho


foi um verdadeiro esforço de equipe desde o início.

Agradeço a Deus, aos meus pais, Hermétrio e Maria Goreti, à


minha esposa, Andréa e aos meus três filhos — Flávio, Levi e
Ahur: o amor de vocês é minha força.

Sem a compreensão deles, teria sido tudo muito mais difícil.

À Daniela Morais, por meio da DM Psicologia Empresarial, por


acreditar sempre no meu projeto, apoiando, expandindo o
método DS Life para diversos lugares do Brasil, além de alavan-
car e elaborar cursos, palestras e entrevistas, aumentando
minha visibilidade nacional.

Ao meu parceiro Arlindo Armando, paicipante direto nesse


projeto.

À minha assistente de YouTube, Liliane, verdadeiro trator criati-


vo, devotada à visão de estarmos fazendo diferença, mesmo
isto significando ficar a noite inteira de pé, longe de maridos e
filhas, me acompanhando viualmente por todo o País, perma-
necendo em todas as ocasiões prontas a colaborar. Este livro
não poderia ter sido escrito sem sua fidelidade inabalável.

A minhas representantes de parceiras de trabalho na área co-


mercial, trabalhando diariamente, a fim de me levar aos salões
transbordantes de gente dos seminários nas diversas cidades. E
a meus seguidores, verdadeiros personal coachees, me moti-
vando a continuar acreditando cada vez mais nos seres huma-
nos


À equipe parceira da Cidade de Vitória, através da Daniela
Morais- Psicologia Empresarial a bela capital do Estado do Espí-
rito santo, cumprindo horário louco de trabalho, a fim de lançar
nossos seminários e manter a integridade do conceito, a minha
saudação.

À equipe de assessoria de Imprensa, em especial Carol e Liliane,


pois a fé das duas em nosso trabalho tocou meu coração.

Aos paicipantes em meus seminários, aprendi muito com


vocês e agradeço pela colaboração.

Ao Alexandre Amâncio, querido amigo, cuja sabedoria e amor


incondicional me conduziram por meio de caminhos esburaca-
dos, e cuja colaboração sempre considerei valiosa e pela qual
sou eternamente grato.

Ao meu melhor amigo, Daniel Neves. Obrigado, meu chapa, pelo


humor e amizade.

Ao Márcio Rocha e a Simone, por dicas, mentoria e amizade.

À Elza, minha cuidadora do lar, melhor sistema de apoio neste


mundo: obrigado por fazer com que minha casa continuasse a
ser o meu lar.


Aos meus bons amigos, Agda Godoi, Denise Godoi e Samuel
Maia- juntamente com o pessoal do Vale do Aço, no interior do
Estado de Minas Gerais, por me ajudaram a criar a convicção de
ir mais além, levando minha filosofia de medicina holística a
todo o mundo em um tempo recorde de menos de um ano.
Tenho muito carinho por essas pessoas.

Ao José Paulo Leão, pelos seus telefonemas inspiradores e


apoio, parcerias, cursos. Valorizo profundamente tudo que fez
por mim.

Ao maior coach do mundo, Tony Robbins, notável exemplo de


paixão, integridade e dedicação.

Obrigado por ser uma luz!

A todos os voluntários do Instituto Dayan Siebra: os seres huma-


nos nunca mais serão os mesmos por causa de sua dedicação
constante a uma contribuição altruísta. Vocês, verdadeiramen-
te, fazem uma diferença!

Ao grande mestre Lair Ribeiro, cuja constante persistência e


conhecimento inspiram-me a maiores realizações. Respeitosa-
mente, lhe faço uma reverência, senhor.


Na verdade, quando um número grande de pessoas ler este
livro e aplicar seus ensinamentos, talvez faça com que eu e
muitos dos meus colegas percamos o emprego.

Uma boa notícia é que, se você tem esse livro em mãos, signifi-
ca que receberá todas as atualizações dele. A Medicina nunca
para de evoluir e eu procuro sempre evoluir junto com ela.

1 1 
Visão de futuro
Todos temos sonhos…

Acreditamos, no fundo de nossas almas, termos dom especial,


sermos capazes de fazer diferença, poder tocar os outros de
modo especial e fazer do mundo um lugar melhor.

Em determinada época de nossa existência, visualizamos a


qualidade de vida desejada, a qual mereceríamos.

No entanto, para muitos, tudo fica encobeo por frustrações e


rotinas do cotidiano, não nos esforçamos mais para realizá-los.

Para a grande maioria, o sonho dissipou-se — e, com ele, a von-


tade de moldar nossos destinos.

Um grande número perdeu aquela vitalidade da juventude e


hoje se vê barrigudo e trabalhando apenas para pagar contas.

O desafio da minha vida tem sido restaurar saúde e qualidade


de vida nas pessoas. Tornar esta última uma realidade, fazendo
os indivíduos lembrarem de cada único dia da sua vida de
forma inesquecível.

1 2 
Jamais esquecerei o momento no qual, realmente, me dei
conta de estar vivendo de fato meus sonhos.

Estava num hotel, na Cidade de Ipatinga, interior do Estado de


Minas Gerais, preparando-me para um evento com mais de 500
paicipantes.

Antes de sair do quao, me toquei da impoância daquele en-


contro e do impacto que causaria na alma de todos eles.

O frio na barriga foi substituído por alegria estonteante, acom-


panhada de lágrimas, um choro de realização.

Imediatamente, liguei para meus pais e pedi para me abençoa-


rem e eles fizeram isso de forma imediata.

Antigamente, minha grande preocupação era se teria condi-


ções financeiras para deixar de andar de ônibus e passar a ter
meu carro.

1 3 
Uma razão porque tão poucos conseguem o que realmente de-
sejam é nunca dirigir o foco, nunca concentrar nosso poder.

Muitas pessoas se arrastam pela vida sem dominar qualquer


coisa em paicular.

Acredito também, nos médicos falharem em seus diagnósticos


e tratamentos, porque só olham os pacientes com visão de es-
pecialistas.

Uma das maiores lições a aprender é entender o que nos leva a


fazer o que fazemos.
Assim, minha existência passou a ser continuamente impulsio-
nada por um foco único e irresistível: o que faz a diferença na
qualidade de vida das pessoas?

Como pessoas obesas, sem tempo e sem conhecimento sobre


alimentação, conseguem frequentemente — e a respeito de
tudo — criar uma saúde imbatível e inspiradora?

Inversamente, por que tantos nascidos em ambientes privile-


giados, com todos os recursos para ter sucesso, terminam
gordos, frustrados e, muitas vezes, dependentes de drogas quí-
micas?

O que faz da vida de algumas pessoas um exemplo e, de outras,


uma adveência?

1 9 
Qual segredo cria vidas apaixonantes, felizes e energéticas para
tanta gente, enquanto para outras pessoas só resta, talvez, per-
guntar: “Isto é tudo o que existe?”

Minha magnífica obsessão começou com algumas perguntas


simples:
— Como posso assumir de imediato o controle da minha vida?

— O que posso fazer hoje que resulte numa diferença sensível


em minha energia corporal ajudando a mim e a outros a moldar
uma excelente qualidade de vida?

— Como posso expandir-me, aprender, crescer e compailhar


esse conhecimento de maneira significativa e agradável?

Desde muito cedo, desenvolvi a convicção de todos estarmos


aqui para contribuir com algo único. Por isso, no fundo de cada
ser humano, existe um dom especial.

Acredito, sinceramente, termos uma essência maravilhosa, mas


esse dom não nos leva a nada sem treino.
Pessoas me dizem que tenho o dom de falar em público. Eu res-
pondo: “Não!” Meu dom, na verdade, é muito treino. Isso pode ser
confirmado assistindo meus primeiros vídeos no canal o YouTu-
be. Eles são bem sofríveis.

2 0 
Mas entendo todos possuirmos talento, nossa centelha de gênio
esperando ser despeada.

Pode ser para a pintura, para a música, um modo especial de se


relacionar com as pessoas a quem se ama, capacidade genial
para vender, inovar ou elevar-se em seu negócio ou carreira.

Prefiro acreditar que nosso Criador não concede privilégios, e


cada um de nós foi criado como pessoa singular, com opouni-
dades iguais para experimentar a vida em sua plenitude.

Há muitos anos, decidi que o modo mais impoante de gastar


minha vida seria investindo em algo mais duradouro que ela.
De algum modo, tinha de contribuir de uma forma que sobrevi-
vesse à minha moe.

Tenho hoje o incrível privilégio de compailhar minhas ideias e


sentimentos com milhões de indivíduos, por meio dos meus
vídeos e paicipações em programas de televisão.

Trabalhei pessoalmente com milhares de pessoas apenas nos


últimos anos. Ajudei membros de escolas, presidentes de com-
panhias e donas de casa, gerentes e mães, vendedores, conta-
dores, advogados, médicos, psiquiatras, padres e cantores.

Trabalhei com poadores de fobias, deprimidos, pessoas com

2 1 
principalmente hipotireoidismo; e insuficiência cardíaca,
renal e de circulação. Falta de circulação nas veias das
pernas causa retenção de líquido nas pernas. Então, deve
se diferenciar bastante isso.

Às vezes perna inchada não é por retenção de líquido no


corpo inteiro. Pode ser problema de varizes nas pernas ou
falta de retorno no sangue.

Então, há limite para tomar água. Não. Pode beber a quan-


tidade que quiser durante o dia.

Quais pessoas não podem beber água sem limite? Aquelas


com insuficiência renal e cardíaca. Devem limitar a inges-
tão de potássio e de água. Impoante também se preocu-
par com o tipo de água que estamos colocando no orga-
nismo, pois de 65% a 70% do corpo é água. Quanto mais de
boa qualidade melhor para todo esse
processo.

Porque o sódio é o vilão?

O problema do sódio é andar sempre junto com duas mo-


léculas de água. Para onde ele vai, vai água. Se a dieta é
rica em sódio terá muita água junto.

3 8 
O pior: os dois vão se acumular exatamente em locais de-
sagradáveis, especialmente para mulheres: culotes, cintu-
ra, bumbum e coxas.

Aumentar o consumo de alimentos ricos em potássio é a


melhor solução. No período pré-menstrual isso também é
impoante, pois, geralmente nessa fase aumenta muito o
nível de água no corpo, pois há muita produção de proges-
terona.

Quais são os sinais para se descobrir a retenção?

Excelente dica é fazer um toque com o polegar na canela,


na frente do osso. Se, ao retirar o dedo ficar uma depres-
são, uma covinha, há retenção.

Presença de líquido aumenta volume corporal, aumentan-


do também o peso. Quando chega a nível muito extremo,
a gente vê até água saindo pela pele, o que é muito sério.

Pressão alta também pode ter associação com a reten-


ção. Ela é mantida elevada pela presença de muito líquido
dentro dos vasos.

Medicamentos para ajudar a baixar a pressão são à base


de potássio ou fazem o vaso dilatar.

3 9 
Falando em sódio, normalmente de cinco a seis gramas
por dia é o ideal. Isso equivale a mais ou menos seis sachês
de sal por dia.

Alimentos a serem evitados

Podemos citar sopas prontas, embutidos, picles, alcapar-


ras, produtos industrializados, temperos prontos, margari-
nas com sal, carnes prontas, queijos e salgadinhos.

Tudo isso tem muito sódio.

Diminuir bastante ou coar todos eles e aumentar aque-


les ricos em potássio, nossos defensores: folhas, espinafre,
brócolis e frutas como melão, abacaxi, melancia e cítricas
como um todo. Sempre, de preferência, consumir produ-
tos orgânicos.

Chá de hibisco e chá verde são outras dicas poderosas.


Crie o hábito de coar sódio e inserir potássio e vai elimi-
nar a retenção de líquidos.

Ter cuidado com a retenção de líquidos é fundamental


para evitar problemas maiores. Então, com estas dicas
para se livrar do intestino preso e cuidar da retenção já
terá melhora significativa.

4 0 
Podem romper, estourar e gerar sangramento desagradável.
Caso tenha algum desses sintomas, marque um médico.

E como curar?

Você pode tomar medicações para melhorar a circulação.


Alguns alimentos podem ajudar e exercícios físicos fazem
muita diferença.

Em último caso, tratamento local.

Caso tenha problemas estéticos, fazer aplicações para destruir


a veia ou aplicação com microespuma densa, espécie de
creme injetado na veia.

Também é possível fazer tratamento a laser, com algum des-


confoo, mais a microespuma.

Todos esses métodos funcionam. Agora, se já virou algo maior, é


necessário fazer uma cirurgia, bem simples.

Então, se você tem ou sente algum desses sintomas, essas dicas


vão te ajudar. A recomendação é sempre procurar um médico
para ver a sua situação individualmente.

No próximo capítulo, outro problema afetando mulheres: endo-


metriose.

4 4 

Endometriose: o que é e como tratar
Cólicas menstruais, infeilidade ou diagnóstico de endometrio-
se.

Provavelmente, você conheça alguém com algum destes pro-


blemas. Então, é impoante saber mais sobre esse assunto.

Esse é um problema de saúde do universo feminino muito fre-


quente. Normalmente, está interligado a queixas de infeilida-
de. Mas não só isso. Pode vir de cólicas menstruais em padrão
muito mais prolongado, mais profundo. É algo que não melhora.

A endometriose atinge mais de seis milhões de mulheres no


Brasil e muita gente não entende o que é. Então, vamos esclare-
cer um pouco mais.

Dentro do útero da mulher, há um tecido chamado endométrio.


Quando a mulher não engravida, esse tecido descama, cai e
forma a menstruação. Às vezes, ele sai pelas trompas, caindo na
cavidade abdominal, pingando nos ovários e intestino, causan-
do implantes do tecido do útero fora dele. Em todo ciclo mens-
trual, aqueles tecidos inflamam e produzem sangue. Isso gera
reações como cólica e prisão de ventre.

4 5 

A cólica, para quem tem endometriose, piora a cada ciclo
menstrual. É necessário ficar atento, para ver se tem esse pro-
blema. Outra dificuldade bem comum é a de engravidar. Mas é
diferente de ser inféil. Para ser considerada inféil, é preciso
ter no mínimo um ano de relações sexuais frequentes,
frequentes, sem utili-
util i-
zar método anticonceptivo.

Outro sintoma frequente é dores na relação sexual.

Algumas vezes, carregado pela corrente circulatória, o tecido


uterino vai para órgãos distantes, como pulmão e cérebro. Há
casos de problema menstrual onde se inflama células até no
cérebro.

Mas, por que essa doença tem mais casos hoje do que antiga-
mente? Primeiro, porque há muito mais formas de diagnosticar
atualmente.

4 6 

E há muita relação da endometriose com baixa progesterona, o
hormônio feminino
feminino..

Bioquimicamente, hoje, mulheres féeis não têm diferença de


mulheres na menopausa.

O processo do corpo não se completa, pois, o anticoncepcional


não
deixa. Essa falta de progesterona pode, muitas vezes, pode levar
à endometriose.

Outros problemas, como estresse do dia a dia, falta de iodo, po-


luição ambiental e genética pode ter inteerência.

A progesterona é um hormônio muito produzido pela placenta


quando a mulher está grávida. Por isso, é um tratamento muito
bom. É totalmente possível engravidar mesmo tendo endome-
triose.

Mas, claro, será necessária atenção especial.

Dois ótimos tratamentos para isso são engravidar e entrar na


menopausa.

4 7  
7  
Como diagnosticar?

Um médico fazendo os exames necessários vai descobrir. Se há


alguns dos sintomas citados, é impoante fazer uma consulta
para ter ceeza. Independentemente disso, controlar nível de
estresse e usar progesterona, de preferência a bioidêntica,
podem ajudar a melhorar. Farmácias de manipulação vendem
esse hormônio.

Caso não resolva, pode ser necessário tratamento cirúrgico. Os


focos de endometriose são retirados do abdômen, em procedi-
mento bem simples.

Fique atenta aos sintomas. Espero que esse livro esteja ajudan-
do a identificar melhor alguns problemas.

4 8 
Sol é mocinho e não vilão

Pessoas desenvolveram um, podemos chamar, “pânico de Sol”.


Na época do meu avô não se falava tanto em sol nem protetor
solar. Então, como vivemos epidemia de carência de vitamina D,
vamos abordar um pouco sobre como conseguir essa vitamina
e a falta que ela faz.

As pessoas acreditam no filtro solar como altamente benéfico.


Em exagero, também faz mal e nisso precisamos prestar aten-
ção.

A falta de sol causa mais câncer do que se imagina. Antigamen-


te, as enfermarias eram abeas para a luz do sol entrar, pois ela
tem processo curativo. Dificilmente uma pessoa vivendo sob o
sol quente vai ter depressão, por exemplo.

Somos privilegiados: vivemos em um país tropical e sempre


acabamos pegando sol.

A vitamina D costuma ser pensada apenas como complemento


do cálcio. Mas ela ajuda em muito mais situações: melhora imu-
nidade, evita gripe, previne o câncer etc. É impoantíssimo

4 9 
manter altos níveis de vitamina D.

O problema: quase 90% dessa vitamina é produzida na pele, por


influência do sol. Mas como ter sol se o protetor solar impede os
raios ultravioletas atuarem na pele?

O que aconselho?

O ideal é se expor ao sol pelo menos 20 minutos ao dia. Vai para


a piscina? Pode colocar um protetor solar, mas pegar pelo
menos 20 minutos de sol. Em situações cotidianas, como descer
do carro, não é necessário utilizar.

O protetor solar é bom, claro, mas não em exagero. É necessário


ter cuidado com isso para evitar problemas no futuro. Crianças
ficam cada vez mais branquinhas e isso não é saudável.

5 0 
Desconheço pessoas com excesso de vitamina D. Então, reco-
mendo procurar o médico. Se o nível de vitamina D for menor
que 20, é deficiência. Entre 30 e 60, normal; mais de 60, excesso.

Para resumir: quer viver melhor, não ter câncer ou osteoporose,


se exponha ao sol e use protetor solar de forma moderada.

Coma alimentos com vitamina D. se necessário, suplemente.


Assim, terá uma incrível vacina para ajudar, melhorar peor-
mance, diminuir inflamações.

Como você anda se alimentando? Atitudes simples, como


comer corretamente e pegar um pouco de sol todo dia podem
fazer diferença na sua saúde.

5 1 
Hemorroida: como tratar
Esse assunto é muito impoante e precisa ser mais conversado.
Quando se fala em hemorroida, as pessoas estão se referindo a
doenças das aérias ou veias hemorroidárias do intestino, no
reto e ânus. São dilatações, veias dilatadas no reto e ânus. Geral-
mente, esse problema começa a aparecer a pair dos 30 anos
e ocorre principalmente em mulheres, depois de ficarem grávi-
das.

5 2 
Um pouco sobre obesidade
O mundo inteiro nunca esteve tão obeso. Por isso, é necessário
ficar atento a esse assunto.

O Brasil, segundo a Organização Mundial da Saúde, é classifica-


do como o quinto país mais gordo do mundo, sendo 65 milhões
de obesos no país.

E quais são as consequências?

Para começar, a autoestima fica baixa, podendo ocasionar de-


pressão, dificuldade de locomoção, problema de sobrecarga
nas aiculações, arose, pressão alta, infao e câncer. O orga-
nismo de quem é obeso é inflamado. Muitas outras consequên-
cias podem estar interligadas, como problemas nos ossos, dia-
betes e suor em exagero, sem contar os problemas e dificulda-
des sociais.

Hoje, o brasileiro está com mais comida na mesa, mas continua


desnutrido. Ingere porcarias: doces, frituras, refrigerantes. A
obesidade passa a ser psicológica e também compoamental.

Ela vem da alimentação errada, genética, sedentarismo e inter-

5 6 
fere desde infância até a fase adulta. É um problema precisan-
do de atenção.

São Luís, a capital do Estado do Maranhão, hoje é a cidade mais


magra do Brasil. Sabe por quê? Por lá, muitos tiram o famoso
cochilo após o almoço, dando uma relaxada. E isso faz grande
diferença na vida deles.

Muita gente comenta sobre o preço dos alimentos ideais para


se cuidar da saúde serem mais caros. Mas não estou falando de
comprar só alimentos light. O foco é comprar frutas, verduras,
coisas sem rótulos.

Qual o preço pago por ir mais ao médico, não conseguir traba-


lho, não se casar, ficar sem sexo? Pense em todas essas situa-
ções. Não estou fazendo bullying, e sim querendo te ajudar!

Existem várias formas para descobrir se é obeso.

5 7  
A mais comum é o IMC, o Índice de Massa Corporal. Ele não
mostra apenas obesidade, podendo apontar outros problemas.

Esse texto não é de cura ou dicas, e sim mais uma conscientiza-


ção.

Você precisa ficar atento a isso. A obesidade pode gerar outro


problema grave, a depressão, a ser abordado a seguir.

5 8 
Depressão é assunto merecedor de
atenção
Se você já teve depressão, tristeza ou tem alguém na família so-
frendo disso, essas informações podem ser úteis. Então, conti-
nue lendo.

Só no Brasil, 11 milhões de pessoas têm depressão. E as mulheres


são mais atingidas. Mas isso não quer dizer que homens não
tenham.

Somente no ano passado, 75 mil pessoas no Brasil foram afasta-


das do trabalho por conta da depressão, o que é muito sério. E
mais de 75% dos pacientes com depressão não recebem trata-
mento. O principal motivo é a falta de conhecimento do proble-
ma.

Mas, quais são as causas? Na verdade, muitas. Mas há uma pre-


disposição familiar. Cenas, traumas e problemas vividos no pas-
sado podem levar a depressão.

A doença basicamente é precipitada por alteração na produ-


ção de neurotransmissores.

5 9 
Estatísticas comprovam: uma a cada cinco pessoas deve de-
senvolver transtorno depressivo durante a vida.

O impoante é saber que pequenas coisas podem mudar essa


situação. Ter amigos, se alimentar melhor e fazer exercícios físi-
cos são algumas delas, podendo ajudar a reduzir as chances
dela se instalar. Uma pessoa que pensa basicamente só em si
mesma tem mais probabilidade de sofrer com esse problema.

Todos correm risco de ter depressão. Por isso, é impoante ficar


atento.

Ela decorre de pensamentos ruins, significados ruins da infân-


cia, guardados na sua mente, produzindo química ruim.

Não existe pessoa com depressão sem pré-disposição genética,


ficando depressiva por motivos do momento. Geralmente,
quando se entra em depressão por algum problema, isso iria
acontecer mesmo.

Alimentação saudável, rica em antioxidantes, produtos naturais,


vitaminas e minerais eliminadores dos radicais livres nos ajuda,
não só na depressão, mas em outros problemas de saúde.

Repetição de padrões, como mãe que só reclama da vida, por


exemplo, também pode ocasionar esse problema.

6 0 
Alguns alimentos podem ajudar na libido: pimenta, ovo — devido
às vitaminas —, banana, abacate, chocolate amargo e oleagino-
sas, como nozes e castanhas.

Sente-se assim ou conhece alguém com esse problema? É ne-


cessário ficar atenta. Precisa resolver. Vai ser bom, saudável e
prazeroso para todos.

Agora, um pouco mais sobre uso de anticoncepcional e trom-


bose — e como você, mulher, deve lidar com isso.

8 0 
Uso de anticoncepcional

Esse é mais um assunto muito impoante: uso de anticoncep-


cional e trombose nas pernas. A pílula vem sendo utilizada há
muitos anos, pelas mulheres, não só para evitar filhos, mas para
tratamento de cólicas, acne e outros problemas.

Assim, aumentou a incidência de trombose. Mas, o que é trom-


bose?

Basicamente, é o sangue coagular dentro de uma veia. Essa veia


pode estar no cérebro, perna, pulmão…há diferença entre trom-
bose e embolia. Embolia é a trombose que saiu de um lugar e foi
para outro. Embolia pulmonar? Alguém tem trombose, normal-
mente nas pernas, e, depois, o coágulo desloca-se para o
pulmão.

8 1 
Anticoncepcional causa isso? Pode causar, sim.

Resumidamente, digo: anticoncepcional pode ser um hormônio


moal.

Existem mulheres que não podem utilizar a pílula de forma


alguma.

É preciso ver isso com o médico. Se o sangue coagula mais fácil,


há risco mais elevado de trombose.

E, sabe o que é o pior? Ainda hoje há mulheres tomando as pílu-


las que amigas tomam ou seja: recomendação da amiga, mas
seu organismo é diferente. Outras vão à farmácia e pedem ao
farmacêutico.

Para saber se a pessoa tem risco maior de trombose, é necessá-


rio checagem completa para avaliar cada caso.

E como saber se está com trombose? A trombose aparece nor-


malmente nas pernas. Elas ficam duram, inchadas. Exames de
sangue podem mostrar, além de ultrassom.

Existem outras formas de se evitar gravidez. Podem ser mais


caras, mas pode ser o melhor caso para sua saúde. Tem de pesar
custos e benefícios e fazer o que o médico recomendar.

8 2 
Agora se fumar, o risco é altíssimo.

E qual o sintoma da trombose? Depende. Se for trombose cere-


bral, pode resultar num Acidente Vascular Cerebral — AVC.
Língua dormente, esquecimento, perna inchada mostram
também.

Anticoncepcional é remédio como qualquer outro. Não é pílula


somente para evitar filho.

Pode levar até a infao no coração.

Para ter ceeza se precisa ou não tomar anticoncepcional, vá


ao médico, para analisar detalhadamente seu caso. Veja a
melhor opção, procure os métodos mais simples e não tenha
problemas.

Agora, vamos detalhar um pouco mais sobre problemas intesti-


nais.

Em seguida, falaremos sobre a dor de estômago.

8 3 
Vamos falar sobre a gastrite

Gastrite é uma inflamação no estômago.

Sempre tive inflamações no sistema intestinal. Vivia tomando


Omeprazol. Não fiquei melhor com isso. Mas, Omeprazol é só o
começo do problema

Quem tem gastrite sofre muitas restrições. É uma vida nada


comum. Você come, dói, passa e volta a incomodar.

Existe predisposição genética para gastrite? Sim.

Mas não quer dizer nada se comparar com seu estilo de vida. O
que você coloca para dentro do estômago é fator impoante. O
controle das emoções também faz muita diferença.

As perguntas a serem feitas são: está ingerindo algo que está


agredindo seu estômago?

Existem erros na alimentação? Será que é por falta de ácido?

Álcool, gordura, café, cigarro, trigo, sal e açúcar refinado são

8 4 
Intolerância à lactose

Assunto relativamente novo, polêmico, e merecedor de muita


atenção.

O que tem me deixado indignado, atualmente, são as modinhas


das pessoas e no próprio consultório médico. Assuntos relacio-
nados ao glúten e lactose, principalmente.

Então, vamos aos fatos. Nós temos até os 20 anos de idade para
formar o osso, dar maior consistência a nossa estrutura óssea.

O leite tem várias paes. Uma delas é a proteica, e uma das pro-
teínas é a caseína. Tem gente com alergia à proteína do leite,
que nada tem a ver com a lactose. Lactose é o carboidrato, o
açúcar do leite. Está no leite e em todos os derivados dele.

Para a lactose ser absorvida, precisa ser quebrada. Quem faz


isso é a enzima chamada Lactase. Ela gruda na lactose é a
quebra em pedaços, depois absorvidos pelo intestino.

Algumas pessoas têm problemas com Lactase.

O primeiro é apresentar alactasia, questão genética; já nasce

8 8 
sem a Lactase. A criança começa a ter problema com o leite
materno, ter refluxo.

O segundo são os intolerantes primários: produzem a lactase


abaixo da média. Todos nós, quando deixamos de ingerir leite
materno, passamos a produzir menos lactase. Cerca de 30% da
população brasileira tem intolerância à lactose.

Existe também o terceiro tipo de intolerância, a momentânea.

Geralmente, ocorre em pessoas que tiveram problemas intesti-


nais ou estão em uso de antibióticos por longo tempo.

Tudo depende da produção de lactase e ingestão de leite.


Então, 90% dos sintomas estão relacionados ao sistema digesti-
vo, como azia, gastrite, refluxo, gases, constipação, intestino
preso. E 10% não têm nada a ver com o intestino. São cefaleias,
enxaqueca, cansaço físico, imunidade básica e ansiedade.

É necessário fazer o teste da lactose em laboratório. Tomar lac-


tose e colher sangue três vezes seguidas. Como pae da lactose
vira glicose no sangue, o teor da glicose terá de estar maior. Se
subir pelo menos 20 pontos, é sinal da lactase estar quebrando
a lactose.

Aconselho o seguinte: está sentindo isso? Tira o leite por três se-
manas e observa. Agora, uma coisa é cea: somos a única espé-

8 9 
cie do planeta a tomar leite de outro bicho. Mas podemos sim
viver sem o cálcio do leite.

Existem muitos outros alimentos com cálcio: sardinha e bróco-


lis, por exemplo.

O cálcio do leite, principalmente o de caixinha, não é bem ab-


sorvido. Ele não vai para os ossos e se desloca para para outros
pontos: coração, válvulas, aérias, cérebro etc. Se for para os
rins, acaba gerando insuficiência renal.

O leite, para ser pasteurizado, é submetido a temperatura muito


elevada. Isso acaba com as proteínas e é muito ruim.

Quando se descobre a intolerância à lactose não se deve tirar


tudo da pessoa. Tem a questão cultural, aquilo ao qual já se está
acostumado. É necessário ter cuidado e bom senso sempre.

Qual o limite de tolerância? Estudos mostram o ideal com, no


máximo, 12 gramas de lactose por dia, o equivalente a um copo
de leite.

A lactose do leite in natura é mais foe; no iogue está mais


quebradinha. Há pessoas intolerantes ao leite, mas não tanto ao
iogue, por exemplo.

Minha sugestão é ter bom senso. Se puder coar tudo de leite e

9 0 
derivados, ótimo. Abomine o leite em caixa. Eu faço isso. Porém,
se tem intolerância e quer viver melhor, procure ter cuidado.
Tome leite sem hormônio. Mas não precisa criar um fantasma
em cima disso.

Se a intolerância for séria, precisa usar lactase externa, aificial,


para ajudar.

Esse assunto tem muitos “especialistas” por aí. É impoante


saber exatamente sobre o tema para não cometer erro com a
saúde. Espero que esse tópico tenha ajudado.

9 1 
E remédios para emagrecer?

Remédio para emagrecer faz bem? Ajuda? Essas dúvidas


podem ser suas e agora, vamos abordar um pouco mais sobre
esse assunto.

Esse tema é polêmico. Existem pacientes que chegam ao con-


sultório tentando obrigar o médico a prescrever remédios para
emagrecer. Não querem fazer exercícios físicos, dieta, nada.

Querem fórmulas mágicas. E existem médicos concordando,


pois não estão preocupados com a vida da pessoa. É uma pe-
quena parcela, mas existe.

Mais da metade da população brasileira está obesa, devido a


hábitos alimentares errados, sedentarismo, excesso de ingestão
de doces e carboidratos. Há teorias também de vírus podendo
causar obesidade.

Lembre-se: obesidade não é só saúde pública; é social e econô-


mico do País também. Ele leva a faltar ao trabalho, diabetes,
aposentadoria precoce. É problema sério.

Como vejo medicamento para emagrecer? Empurrão inicial;


não pode ultrapassar mais de três meses. É só para estimular. A
maioria das medicações são anorexígenas. Ou seja: causam
falta de apetite, dão bem-estar, inicialmente. Bem indicado,

9 2 
É um raio X em que se joga contraste pelo colo do útero e se vê
toda a árvore ginecológica, incluindo o mioma.

Esse exame é muito impoante também para mulheres com di-


ficuldade de engravidar, e que pode ser por mioma. Para mulher
que não tem filhos, o tratamento pode ser simplesmente a reti-
rada.

Em último caso, cirurgia pode ser feita por videolapar


videolaparoscopia,
oscopia, a
pair de pequenos furos no abdômen, ou por cirurgia a céu
abeo, com coe convencional. Pode ser uma cirurgia simples,
onde se tira o mioma, ou radical, retirando o útero, mas preser-
vando o colo do útero.

O tratamento vai variar de acordo com a idade do paciente, sin-


tomas, localização e programação da paciente em relação a
gravidez.

Tão impoante quanto esse assunto é falar um pouco mais


sobre diabetes. É fundamental saber mais sobre essa doença. E
vamos falar agora.

1 1 
18 
  
8
Diabetes tem cura?
Você não quer ter diabetes? Independentemente do motivo,
vejamos como evitar e cuidar do problema.

Minha preocupação maior é a diabetes vir crescendo muito no


Brasil e nas crianças.

O processo de diabetes? Explico.

1 1 
19 
  
9
Ingerimos carboidratos de várias fontes: legumes, verduras,
pães, bebidas. Eles viraram glicose no sangue, o combustível das
células no organismo. Para essa glicose entrar na célula, precisa
passar por uma membrana. Ela só entra se tiver transpoador, a
insulina, produzida pelo pâncreas.
pâncreas. Ela se acopla na célula para a
glicose entrar.

O que acontece quando esse mecanismo começa a falhar?

Algumas coisas. Antes de se tornar diabético, há alguns está-


gios.

O primeiro: resistência à insulina, dificuldade dela se acoplar à


célula. Nesse primeiro degrau, se dosar a glicose no sangue, dá
normal. Mas, se dosar a insulina, dá aumentada. Por isso, não é
impoante se basear apenas com dosagem de glicose; tem de
dosar também a insulina.

Esse primeiro degrau é reversível.

Quando não acontece por meio de dieta, alimentação, cuida-


dos, emagrecimento, aí vem o segundo estágio: aumenta o nível
de glicose no sangue.

Já passou dos 100, 105, mas não está acima dos 126, limite para
definir a pessoa como diabética, ainda pode ser reveido. É a
pré-diabetes. Se deixar rolar, vira diabético.

1 2 
20 
  
0
Há diabetes
diabetes tipo 1 e tipo 2.
2.

A 1 é o insulino dependente, a pessoa precisa de insulina. Na in-


fância, por questões genéticas, seu corpo produziu anticorpos
contra o pâncreas. E ele não produz mais insulina. Mas precisa-
-se da insulina para colocar a glicose dentro da célula. Não é
problema de receptor, é falta de insulina. O tratamento do dia-
betess tipo 1 é insulina.
bete

O tipo 2 acontece
aco ntece em pessoas mais velhas:
vel has: 40, 50 e 60 anos.
anos . Tem
Tem
relação com alimentação, hábitos, gordura abdominal. Quando
se acumula gordura na barriga, ela produz citocinas inflamató-
rias. E estas não deixam a insulina agir.
agir.

Diabetes pode passar para descentes, mas genética não é con-


denação. Mesmo sabendo ter histórico na família, se cuidar,
pode não desenvolver. Depende dos hábitos.

Diabetes dá em homem ou mulher que não se cuidam, homem


e mulher barrigudos.

Precisamos cuidar da circunferência da barriga. Na mulher, não


pode passar dos 88 centímetros; no homem, dos 102. Outra
coisa: mulher que teve diabetes gestacional fica mais vulnerá-
vel a ter diabetes comum.

Então, cuidado, mude seu estilo de vida.

1 2 
21 
1   
Todo diabético precisa tomar insulina? Tipo 1, sim. Tipo 2, em
fase descontrolada. No diabetes tipo 2 são usados, normalmen-
te, insulina e remédios que agem no receptor da insulina na
célula.

Pacientes com diabetes tem mais sede e urinam mais. Quando


está descontrolado, o organismo elimina o açúcar em excesso
pela urina. E perde muita água. Como o açúcar não entra na
célula, os receptores de açúcar do cérebro entendem como
fome. Então, come-se muito, urina-se muito e bebe-se muita
água, além de perder massa muscular e emagrecer.

Quem tem diabetes não pode comer nada? Não é bem assim. O
cardápio deve ser quase igual ao de uma pessoa buscando
manter-se saudável.

Evitar carboidrato, fazer dieta cetogênica e deixar o corpo


buscar carboidrato nas gorduras e outras fontes.

Parece existir correlação de aumento e piora de diabetes com


gorduras saturadas, encontradas principalmente em queijo
amarelo, leite integral e embutidos.

Essas gorduras, no diabetes, podem aumentar o risco do infao


agudo do miocárdio. A gente pensa só em açúcar para diabetes
e esquece essas gorduras ruins.

1 2 2 
O diabético não pode trocar remédio por alimento sem acom-
panhamento médico. A dieta deve ter fibras, pois ajudam a re-
tardar a passagem do carboidrato pelo intestino e, dali, para o
sangue.

E quais são esses alimentos? Vegetais, folhas, alface, berinjela.


Cuidado com batata e mandioca, pois têm alto valor de carboi-
drato. A tapioca, por exemplo, não é boa para diabético. Pode
comer brócolis, couve, espinafre, aveia, sementes, gergelim,
castanha do Pará.

A gordura do diabético deve ser mais de origem vegetal.


Salmão é muito bom, pois tem ação anti-inflamatório. E o ma-
racujá, pois sua fibra é muito boa.

Quais os antioxidantes mais impoantes para o diabético? Vita-


mina C; vitamina E encontrada no abacate; selênio, encontrado
nas amêndoas; fibra de banana verde; e, canela.

Diabético não precisa morrer sofrendo. É só aprender a comer.


Ele precisa fazer a monitoração do açúcar pelo teste do dedo,
mostrar ao médico para definir se precisa usar a insulina.

Há uma insulina, de ação mais longa: aplica-se pela manhã e


passa o dia todo fazendo efeito. Outra, de efeito mais rápido,
usada quando os números do diabetes sobem. Mas isso depen-
de caso a caso.

1 23
  
Síndrome/ataque do pânico
Você sofre ou tem alguém na família que já sofreu de síndrome
do pânico? Então, esse conteúdo é muito impoante. Paicu-
larmente, sofri muito com essa doença. Tem cura, controle? De
onde vem?

1 24
  
Passei por esse problema há mais ou menos oito anos. Foi terrí-
vel. Vinha de trabalhar muito, autocobrança excessiva, estresse,
ansiedade, dando plantão e querendo muitos resultados.

Um belo dia, comecei a sentir dormência no corpo, no rosto.


Achei que ia morrer.

Meu cérebro disparou, fazendo conexões, imaginações. No hos-


pital, identificaram como psiquiátrico. No outro dia foi detecta-
do um ataque de pânico.

Fui a um psiquiatra e desenvolvi um método usando técnicas de


coaching, Programação Neurolinguística - PNL e Hipnose. Usei
em mim, deu ceo e, agora, uso nas pessoas.

Batizei esse método como DS Life. Mas vamos falar sobre a sín-
drome do pânico.
Não é coisa simples. É algo aterrador. Você se sente inútil. O pior
são as pessoas dizendo ser isso coisa da sua cabeça.

Você começa a ter medo de falar, de dirigir, de fazer coisas na-


turais do dia a dia.

Pode acontecer formigamento, desfalecimento, suor pelo


corpo, coração palpitando, dor de cabeça e pressão alta.

1 2 5 
O pânico é bom em alguns casos. Quando um assaltante chega
com um revólver, você entra em pânico e daí, toma decisões:
correr, reagir, não fazer nada. Esse pânico é real.

Medo de entrar em elevador ou local com muita gente, ver


barata, esses sentimentos de fobias especificas, tornando-se
frequentes, podem levar à síndrome do pânico.

Existe tratamento e não se pode fugir dele. Vá a um psiquiatra;

Depois, faça outros tratamentos, incluindo terapia. É necessário


ter um profissional para cuidar da tua mente. Existem remédios
para serem utilizados embaixo da língua antes de se expor às si-
tuações ameaçadoras.

O Rivotril é um dos exemplos de medicação muito utilizada em


ataques de pânico. Em alguns casos, é mesmo necessário. Para-
lelamente, vá fazendo terapia.

Utilizo muito, hoje, a ocitocina, o hormônio do amor, que as mu-


lheres produzem quando estão amamentando.

Técnicas como Hipnose, PNL, Coaching, organizar a vida e colo-


car tudo em ordem ajudam bastante.

Há muitas pessoas com síndrome de pânico, com medo, retraí-

1 26
  
Como cuidar da mancha escura no rosto

Com maior incidência entre as mulheres, o melasma, mancha


no rosto, bochecha, buço, seio ou antebraço e gera muito des-
confoo. A incidência é maior nas áreas com mais exposição
aos raios ultravioletas.

Muitas mulheres passam maquiagem e ainda assim, não conse-


guem esconder a mancha. Costuma aparecer principalmente
após a gravidez e em pessoas latinas, com a pele escura. Tende
a aumentar, caso não haja cuidado.

1 3 
36 
  
6
As pessoas comentam mais sobre raios ultravioletas A e B e es-
quecem da própria luz. Qualquer luz causa melasma. Não só
isso, o calor também, com maior incidência em cidades quen-
tes, como as do Nordeste.

Pessoa que pega muito sol, ou próximos a fogão muito tempo,


correm maiores riscos.

O primeiro fator do melasma é o hereditário, passando para


filhos e netos.

Como acontece o melasma?

Na pele há uma camada mais externa, supeicial, a queratina.


Nesta, existem as células produtoras dos pigmentos. Alterações
dessas células, reagindo ao sol ou ao calor, produzem o melas-
ma.

A gravidez, devido a influências hormonais, uso de anticoncep-


cional, estimula também.

Mas aparece também em homens, em pessoas estressadas e


com distúrbio da tireoide (com quatro vezes mais chances de
aparecer melasma).

1 3 
37  
7    
Quando surge na gestação nada pode ser feito. Melhora quando
deixam de usar anticoncepcional.
anticoncepcional. Se existe a possibilidade
possibilidade de
interromper esse uso, faça. Somente tome cuidado para não
engravidar.

Quanto mais profundo o melasma, mais difícil de ser cuidado.


Não quer dizer que o melasma antigo seja difícil de tratar; a
questão não é o tempo que se tem a doença, mas sim a relação
de profundidade.

O melasma deve ser tratado durante o resto da vida da pessoa.

Não é para curar, mas para controle. É tratamento desafiador,


cuidadoso. Exige disciplina, cuidado dia após dia, sabendo que,
se houver exposição ao sol, piora.

O sol é impoante para a vitamina D, não se deve evitá-lo, mas


balancear a exposição. Às vezes, é preciso evitar e suplementar
a vitamina D para melhorar a pele.

Deve-se entender o melasma como doença de convivência


para o resto da vida. Assim, se em determinado período a
pessoa quer tomar sol, tome, mesmo que a mancha aumente.

Depois faça o tratamento e vá regulando.

1 3 
38 
  
8
O tratamento é contínuo, com clareadores, protetores solares,
principalmente aqueles de fatores mais altos, protegendo
contra raios ultravioletas A e B, aplicados de três em três horas.

Não misture protetor solar com maquiagem, devido ao perigo


de desenvolver acne diante a oleosidade da pele.

Na menopausa melhora? Não tem cura, mas algumas mulheres


relatam melhora.

No caso de bronzeamento da pele, mesmo bem tratada, há


chance altíssima de pigmentar de novo.

E os homens?

Homem com melasma é problema, pois não quer usar creme. É


muito difícil convencer homem a usar até mesmo protetor
solar. Só aqueles disciplinados, vaidosos, vão se dedicar ao tra-
tamento.

Existem fórmulas clareadoras prontas e manipuladas.

É preciso sempre ir a um dermatologista para tratar o melasma,


pois é individualizado.

1 3 
39 
  
9
Tudo é adaptado para o grau e sensibilidade da pele.

O peeling, tratamento químico, descamando a pele, é arma po-


derosa contra o melasma.

Há, também, o laser, luz intensa pulsada. A diferença entre esses


dois reside no laser ser feixe unidirecional de luz único, já a luz
intensa pulsada é uma faixa de luz mais larga. Deve-se lembrar
sempre que, mesmo após laser ou luz intensa pulsada, o melas-
ma pode voltar.

O tratamento deve ser feito o ano inteiro. Quem trata o melas-


ma por fora deve limpar bem a pele. Usou o medicamento,
limpe a pele.

Pessoas de pele muito morena não devem fazer peeling, pois


pode gerar mais manchas ainda.
E existe algo para tomar, para melhorar de dentro para fora?

Sim, o licopeno, com maior incidência no tomate. É possível uti-


lizar em cápsulas. Ele funciona como protetor solar natural. Não
cura o melasma, mas ajuda a prevenir que volte rapidamente e
não piorar.

1 40
  
O licopeno funciona como antioxidante: limpa a pele, retira ra-
dicais livres, retardar o envelhecimento - que vem com man-
chas, também.

Tratar peles mais escuras com melasma é sempre mais difícil.

Os efeitos colaterais dos produtos utilizados pelos dermatolo-


gistas serão mais inesperados e sem controle nessas pessoas.

A ideia não é desestimular, mas informar, se houver dedicação,


é possível ter pele saudável e ser pessoa feliz. Se você não é
feliz, e tem autoestima baixa por conta da pele, o problema não
é a pele,
mas sim suas emoções. Há muitas mulheres e homens com pele
manchada e ainda assim muito felizes.

O melasma não faz de você menos ou mais feliz, mas, se puder


melhorar, por que não?

Procure um médico para ver se tem esse problema e comece o


tratamento.

1 41   
Saiba mais sobre modulação hormonal
isomolecular
Agora, um pouco sobre a Reposição Molecular Feminina Inteli-
gente ou, em um termo mais novo, Modulação Hormonal Inteli-
gente com hormônios isomoleculares.

Nós, médicos, revolucionamos a forma de fazer hormônios para


mulheres. Essa nova geração de médicos tem pensado fora da
caixa. Sabem que Medicina é muito mais que tratar doença. O
foco é a saúde.

 O que tratamos está nos livros de Medicina mais convencionais.


Muitos dizem que hormônio gera o câncer. Essa ideia vem da
falta de estudo do médico.

Médico plantonista, trabalhando em ambulatório, não tem


tempo para estudar.

O hormônio bem indicado, melhora todo o corpo.

Existem 12 tipos de deficiência hormonal feminina. Então, não


se deve tomar o mesmo hormônio da vizinha, pois ela pode ter
uma deficiência diferente.

1 42
  
Exemplo: várias mulheres tomando o mesmo anticoncepcional,
sendo que cada uma possui diferentes deficiências hormonais.
A Medicina não pode ser como uma receita de bolo em massa.
Cada uma tem sua necessidade, sua dose. Tudo deve ser perso-
nalizado.

Existem dois tipos de Medicina: pré-genoma e pós-genoma. Foi


detectado no projeto genoma que grande pae das coisas
acontecendo no nosso organismo não vem da genética, mas da
alteração provocada em nosso corpo pelo ambiente.

Precisamos entender, não somos reféns da genética, ela res-


ponde por pae do nosso futuro e do nosso corpo, mas não to-
talmente.

O resto é alimentação, compoamento, qualidade de vida, con-


trole emocional.

1 43
  
Colesterol alto
Colesterol é vilão ou mocinho? Deve ser tratado ou não?

É crescente o número de pessoas com colesterol elevado no


Brasil e no mundo. Doença cardiovascular - assim como infao,
Acidente Vascular Cerebral - AVC e trombose -, é uma das
maiores causas de moalidade no País. Em todas as doenças
cardiovasculares, o colesterol ruim tem papel foe.

Cerca de 50% do colesterol em nosso corpo é produzido pelo


fígado (órgão impoantíssimo), a outra metade, vem de ali-
mentos.

O colesterol tem várias funções, mas duas são as principais:


formar membranas celulares - membrana da célula é lipopro-
teica, tem colesterol e proteína; e formar hormônios - aqueles
sexuais, esteroidais, vem do colesterol e, ajudam a formar a bile
- líquido oriundo da vesícula (como um detergente, ajuda a di-
gestão da gordura).

O Colesterol não pode ficar muito alto, mas não pode ficar
abaixo de 140. O que ingerimos vem de carnes, peixe, aves, ovo.
Vem também de alguns óleos, como de coco e de dendê.

1 44
  
nal e nutricionista.

Existem locais em que o paciente passa o dia com outros pa-


cientes, também idosos e, à noite, volta para casa se começar a
apresentar melhora.

Uma sugestão para quem tem paciente com Alzheimer na fa-


mília: senta com ele, dê amor, comece a fazer um diário da vida
passada com fotos, para que ele se lembre quem é esposa,
marido, filho… Isso será muito útil, com o paciente podendo re-
cuperar a memória
ou retardar a perda.

Pode ter avanços no problema?

O paciente, mesmo após instalado o Alzheimer, pode ter melho-


ras.

O que melhora? Principalmente os sintomas dos últimos seis


meses. É impossível melhorar os sintomas que apareceram um
ano, dois anos atrás.

Não pode faltar ômega 3 na pessoa com Alzheimer. Ela deve


comer ovo, salmão, sardinha, azeite de oliva. Em algumas vezes,
suplementar o ômega 3, a gordura do cérebro. O complexo B
também é impoante, vindo das carnes ou pode suplementar.

1 57    
A melatonina é decisiva também, pois a pessoa com Alzheimer
tem distúrbio do sono. Dando a melatonina, a pessoa se acalma
e tem uma noite mais reparadora.

Alzheimer não é doença fácil, especialmente para os familiares,


mas pode ser mais tranquila do que parece. Com essas dicas,
pode ficar mais fácil de lidar com esse triste problema.

1 58
  
Refluxo

Refluxo é transtorno muito comum: 16% da população adulta


tem ao menos uma vez por semana; 7%, todo dia.

Sobe queimação do estômago para a garganta. Desenvolvi um


método para curar este problema. Não tem de tomar remédio
o resto da vida
.
Faz tempo, comecei a ter azia. Comia qualquer coisa e ficava
com barriga cheia. Estava com sobrepeso, estressado. Comecei
a acordar rouco todo dia, com garganta inflamada.

Procurei por médico ao surgirem placas brancas na língua,


queimando a boca. Resultado?

Gastrite Enantematosa Leve de Antro (a da maioria das pesso-


as) e Esofagite Adenomatosa.

O tratamento foi Omeprazol. Tomava todos os dias. Melhorava


os sintomas, mas não havia perspectiva de cura.

A comida entra pela boca, passa pelo esôfago e cai no estôma-


go. No refluxo, a comida volta do estomago para o esôfago. Ge-

1 59
  
ralmente, devido a alterações de barreiras naturais do corpo,
como a que evita o retorno dos alimentos.

Nem sempre é doença. Às vezes, hábitos alimentares ruins,


como os de obesos, ingerindo muito refrigerante e comida
ácida.

A causa mais comum do refluxo é o desequilíbrio do esfíncter


esofagiano inferior, o anel do esôfago ligado ao estômago.
Nesse caso, começa a afrouxar. Assim, os sucos gástricos
voltam para o esôfago.

Muitas vezes, acontece o contrário: a pessoa produz pouco


ácido e a comida alcalina volta para o esôfago. Para isso, não
precisa ter a frouxidão no anel. Determinadas substâncias torna
o anel frouxo: bebidas com cafeína, refrigerante, cigarro e bebi-
das alcoólicas em excesso.

Sintoma: azia (queimação, acontece geralmente na região do


esterno, na frente do tórax). É necessário ter cuidado, pois pode
ser sintoma de infao, angina no coração.

Esta sensação aumenta muito se deitar após comer, com re-


gurgitação, golfada de gosto amargo na boca. Pode acontecer
dor toráxica, com pessoas correndo para emergência cardioló-
gica.

1 60
  
Outros sintomas: dificuldade de engolir (sensação de entalar,
podendo ser sinal de tumor); alterações respiratórias como si-
nusite, bronquite, amigdalite; inflamação das cordas vocais,
pois o ácido volta e banha a árvore respiratória, inflamando a
região; pneumonia; arroto; dor abdominal; cólicas; soluço; enjoo;
incômodo na laringe e faringe, com sensação de ter objeto es-
tranho na garganta.

Nas crianças, quando o refluxo é crônico, pode levar à anemia e


retardo no desenvolvimento.

Como evitar?

Ingerir água com limão, evitar obesidade, comer pouco, fracio-


nar as refeições e evitar se deitar após comer são algumas das
dicas principais.

Impoante: erguer a cabeceira da cama entre 25 a 35 graus,


para comida não voltar e não usar travesseiros grandes, pois
piora os sintomas e causa problema na coluna. Devemos levan-
tar o tronco e não o pescoço.

Não use roupas apeadas.

Coe ou reduza o uso de bebida alcoólica, fumo ou café.

1 61   
acumula no sangue e nas aiculações. Nas aiculações, o
corpo entende como invasor e se defende, gerando um ponto
de inflamação, dolorido.

Isso é popularmente chamado de gota.

Tornando-se crônico, todo mês aparece, formando um gel nas


aiculações, inflamação mais endurecia, com elevações na
pele, caroços nas aiculações.

A aiculação primeira atingida é a do dedão do pé. Se o homem


toma muita cerveja, é barrigudo e tem o dedão do pé está infla-
mado, provavelmente é ácido úrico.

O obeso tem mais chances de problemas com acido úrico. A


falha na eliminação de ácido úrico pode ser por insuficiência
renal crônica ou diabetes.

Em exames de urina e sangue, é possível detectar se a pessoa


produz ácido úrico demais ou se tem falha na eliminação. A ali-
mentação vai depender desta situação: produtor exagerado ou
mal excretor.

Doenças ligadas ao sangue, desidratação e uso continuo de


ácido acetilsalicilico — AAS para afinar o sangue podem elevar
o ácido úrico. O médico deve estar atento aos medicamentos
que as pessoas tomam.

1 7  8 
Bebida alcoólica aumenta o acido úrico e diminui a sua excre-
ção, principalmente se bebe em excesso, acompanhado da in-
gestão de embutidos.

Vitamina C diminui chances de problemas com ácido úrico; PH


do corpo elevado, aumenta - por isso é impoante beber água
com limão, para deixar o corpo mais alcalino.

Alimentos vilões: carnes, mariscos, vísceras (moela, fígado, rim,


coração de galinha), açúcar refinado, cerveja, ovas de peixe,
anchova, cavalas, pão branco, biscoito, suco de fruta, refrige-
rantes e sucos de caixinhas, moadela e sardinha enlatada.

Evitar leguminosa é mito; pode comer sim. Cogumelos, couve


flor e espinafre, não fazem mal, apesar de, antigamente, dize-
rem isso.

Alguns alimentos protetores são legumes e verduras, frutas cí-


tricas e chás.

1 7  9 
Gastrite

Quem tem gastrite sofre muitas restrições alimentares. A dor


passa quando come, mas volta depois.

1 80
  
Os sintomas da gastrite são azia, queimação, refluxo, comida
que enche, má digestão, gases demais.

Existe pré-disposição para gastrite, mas os fatores mais impor-


tantes são o estilo de vida e descontrole das emoções.

Pessoas que se cobram demais, angustiadas, terão produção


maior de ácido, com muita queimação.

Se o estômago produz ácido, como ele não se destrói? Porque


há uma camada de muco protetora, impedindo a destruição do
órgão.

Gordura, fritura, café, álcool, cigarro, acidificante, trigo, sal refi-


nado e açúcar refinado: tudo isso produz gastrite.

Existem gastrites por antibióticos e por anti-inflamatório. Pes-


soas pensam que tratando a bactéria Helicobacter vai resolve a
gastrite, mas ela tem muitas outras causas.

Ela é encontrada em muitos alimentos, tem relação com apa-


recimento de úlcera e câncer e deve ser tratada.

Para descobrir se tem essa bactéria, deve-se fazer a endosco-


pia digestiva alta, exame com mangueira pela boca. É feito
sobre sedação e não dói. O H Pylori entra e vai morar nas células

1 81   
do estomago.

O Helicobacter não resiste ao ambiente do estômago muito


ácido, assim o estômago precisa estar um pouco alcalino.

Aí, como se utiliza o omeprazol para tratar o Helicobacter, esse


remédio diminui a acidez do estômago, ou seja, o omeprazol
pode piorar a gastrite.

A maioria das pessoas tem gastrite por falta de ácido e melhora


apenas com água com limão, tornando o organismo alcalino.

Aloe Vera também ajudar a acidificar o estômago.

A forma de saber se tem o Helicobacter é fazer biopsia. O pri-


meiro passo para o tratamento será erradicar essa bactéria por
meio de um coquetel de antibióticos.

Para compensar a ingestão de antibióticos, deve-se melhorar a


flora intestinal, com lactobacilos ou kefir.

O gastroenterologista é o especialista.

Alguns alimentos protetores da mucosa gástrica são couve,


brócolis e alho. Procure evitar leite e café.

1 82
  
Evite se estressar e faça endoscopia esporadicamente. Estudos
apontam que 70% de pessoas tem Helicobacter, mas não tem
gastrite, porque protegem a camada de mucosa com boa ali-
mentação.

1 83
  
E a calvície?

Saiba que 50% dos homens e 10% das mulheres, algum dia,
terão um grau de calvície na vida. O número de mulheres com
calvície tem aumentado nos últimos anos. Nos homens há acei-
tação estética maior que para as mulheres.

No caso dos homens, a questão genética é muito impoante.


Mesmo com alimentação legal e sem nervosismo, entre os 30 e
35 anos começa a cair o cabelo.

Queda de cabelo é normal; o ruim é quando ocorre exagerada-


mente, mais de 120 fios por dia.

Quais as causas?

Hormonais, genéticas, nutricionais, estresse, problema derma-


tológico (psoríase, dermatite seborreica), mulheres menstru-
ando muitas vezes, queda de ferro, pessoas com infecção de
longo prazo, infecção no sangue, estresse e cirurgias grandes,
como a bariátrica.

Mulheres fazendo dieta restritiva para emagrecer, e começam

1 84
  
a perder o cabelo por perda de proteína.

É possível prevenir a queda de cabelo com alimentação correta


(e atenuar a queda genética).

O primeiro passo é procurar um médico, principalmente o der-


matologista, para saber a causa. Não vai tomando remédio, hor-
mônios. Há situações no intestino gerando problema no hormô-
nio; é preciso verificar.

1 85
  
de concentração, pois ajuda na atividade bioelétrica do cére-
bro.

PROTETOR CARDÍACO

Diminui a produção dos hormônios das adrenais (eles estimu-


lam o coração a bater mais, causando estresse). A presença
anormal do coisol, vinda das adrenais, e da adrenalina, fazem
o coração bater mais rápido e aumentam a pressão.

ANTICÂNCER

Usada em paralelo à medicina tradicional no combate do


câncer, como a ciclofosfamida.

IMUNIDADE

O que melhora o estresse, melhora a imunidade.

Indicada para perder barriga. Ativa a lipase, a enzima que


queima os depósitos de gordura.

Na medicina tradicional japonesa, recomendam três a seis


gramas de pó diariamente; em liquido, cinco a 10 gotas do ex-

2 1 1 
trato, de duas a três vezes por dia, de 15 a 30 minutos antes das
refeições, durante 15 a 20 dias, ou em momentos estressantes.
Não é para o resto da vida.

2 12
  
Vamos falar sobre fezes
Por meio das fezes identificam-se muitas doenças e caracte-
rísticas da pessoa. É preciso entender o que elas querem dizer.
O aspecto das fezes é a forma mais simples do corpo se comu-
nicar: pessoas quem bebem pouca água, será ressecada; co-
mendo pouco vegetais, fragmentada; ingerindo poucas fibras,
bolinhas endurecidas.

Defecar é ato individual; cada um tem seu hábito. Então, três


vezes por dia ou três vezes por semana pode ser normal. Não
existe regra de fazer todo dia. mas deve ser esforço igual ao de
fazer xixi; deve ser natural.

Fatores que podem modificar:

Dieta, medicações, flutuações hormonais (quando a mulher


está na menopausa ou na tpm), exercício físico, estresse

2 1 3 
Principais doenças que se manifestam pelas fezes:

DOENÇAS SISTÊMICAS

Aquelas do organismo como um todo — como a tireoide.

ALTERAÇÃO DO CÁLCIO

DIABETES

O diabético tem intestino preso

DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL

TUMORES NO TUBO DIGESTIVO

Colo, reto ou ânus

O que nos dizem as fezes?

As fezes são constituídas em 75% de água. O componente

2 14
  
sólido reúne fibras, bactérias, células intestinais e muco.

A escala de Bristol facilita na identificação e dá uma leitura


mais clara. Divide as fezes em sete tipos, de acordo com a con-
sistência e a forma.

As do tipo 3, 4 e 5 são consideradas normais, pois ultrapassam o


ânus sem dificuldade.

TIPO 1

Pequenos fragmentos duros semelhantes a nozes

TIPO 2

Em forma de salsicha com grumos (matéria coagulada).

TIPO 3

Forma de salsicha com fissuras na supeície.


TIPO 4

Forma de salsicha ou cobra, mais fino, mais suave, mais macio

2 15
  
Amarela, com aspecto gorduroso

Chamada esteatorreia, revela uma má absorção de gordura.


Geralmente acontece na pancreatite crônica)

Odor

Pode indicar presença de tumor ou infecção

CONSISTÊNCIA

Fina (em fita)

Pode indicar aparecimento do tumor no intestino que obstrui


as fezes, ou síndrome do intestino irritável que vem das emo-
ções e do estresse).

AQUOSA OU LÍQUIDA

Má absorção de nutrientes, gastroenterite, síndrome do intesti-


no irritável, intolerância a glúten, lactose

2 1 
1 8 

Pessoas com problemas nas fezes devem passar por avaliação
médica. O médico deve verificar desde estresse, endoscopia e
alergias alimentares.

Quando se identifica sangue nas fezes, deve-se fazer a colonos-


copia, exame de muito medo, devido à penetração pelo ânus.

Toda pessoa acima de 50 anos deve fazer análise do intestino


grosso. É exame sob sedação, não sendo tão desconfoável
assim.

2 1 
1 9 

Dor na coluna
Problema de coluna pode não ser especificamente
apenas dor na coluna. Às vezes, tem dor de cabeça, dor-
mência no pé, dormência nos dedos da mão, pé com
pouca força e outros mais.

Sente dor de cabeça todo dia? O desgaste da sola dos sa-


patos difere de um pé para outro? Isso pode indicar pro-
blema na coluna.

Em geral as dores na coluna se relacionam com os discos


interveebrais. Mas, o que são discos interveebrais? Às
véebras da coluna têm uma “esponja” entre elas, chama-
da disco. Há também ligamentos, unindo uma véebra a
outra, músculo e nervos.

Dores nas costas tendem a seguir padrões. Quando vem


do músculo, dá sensação de peso, cansaço, tensão e piora
no fim do dia.

Com origem no nervo, tem aspecto de queimação,


choque, fisgada e formigamento. A óssea, exceto se for
uma tumoração, não ocorre no osso, e sim na coluna.

2 2 
20 
  
0
A osteoporose, por exemplo, faz o osso achatar e compri-
mir nervos.

A dor de cabeça persistente, se estiver


esti ver associada com es-
tresse, ansiedade ou algum esforço físico, pode estar rela-
cionada a problema na coluna.

É a chamada cefaleia cervicogênica, com origem na


coluna cervical, e erroneamente pode ser diagnosticada
como enxaqueca.

Solas de sapato com desgastes diferenciados podem


identificar escoliose. Carregar bolsa pesada, sempre no
mesmo ombro, pode causar problema na coluna.

Carregar bolsa no antebraço também prejudica a coluna.


A bolsa com peso ideal deve representar 10% do peso cor-
poral da pessoa.

Existem coisas para aliviar essas dores como, por exemplo,


a raquialgia, uma dor na coluna. Pode ser útil deitar com a
barriga para cima, com pernas na almofada alta e usar
uma compressa morna. Vai aliviar a tensão nas veebras,
ligamentos e nervos.

A acupuntura libera serotonina e endoina, aliviando dor

2 2 
21 
1   
nas costas.

Tudo isso deve ser usado para evitar a cirurgia. Vivemos numa
de uso exagerado de cirurgia, colocando-se placa de metal,
muitas vezes tóxica.

2 22
  
As compressas podem ser de gel ou bolsa de água. Elas aumen-
tam o fluxo sanguíneo no local. Deve-se tomar cuidado para
não queimar a pele do paciente.

Não se entupa de remédios, analgésicos, anti-inflamatórios.


Não tome mais de cinco dias, pois causam problemas nos rins,
buraco no estômago e sobrecarregam o fígado.

Fisioterapia é ótimo desde que seja indicada por oopedista.


Sem indicação do profissional adequado pode causar maiores
complicações.

Alongamento dos músculos é impoante, mas deve seguir pela


indicação do osteopata (fisioterapeuta específico da pae
óssea) ou o fisioterapeuta. O pilates pode ajudar também.

Hidroginástica pode ajudar, hidroterapia (recomendada mais


para pessoas idosas), bicicleta dentro da água, malhação.

O que não faz bem?

Corrida (se tiver excesso de peso piora) e agachamento. Uma


das maiores causas de dor na coluna é hérnia de disco, afetan-
do uma esponjinha que evita o atrito entre as véebras.

Devido ao peso, ao desgaste, esse disco desloca-se, empurra o

2 2 3 
nervo e a pessoa sente o incômodo.

 A arose também é uma causa. Ela é causada quando o líquido


entre as véebras começa a secar. Fica como uma dobradiça
sem óleo.

É impoante regular a postura, regular a coluna diante do com-


putador, fazer Reposição Postural Global - RPG. Se a dor de
coluna não passar em 15 dias, deve-se ir ao médico.

Qual? O oopedista.

2 24
  
Alergias

Alergia, ou reação de hipersensibilidade, é a resposta exagera-


da do organismo a algum elemento estranho. Isso pode acon-
tecer devido à predisposição genética ou não.

Existem alguns agentes causadores, como pólen, formigas,


ácaro, fungo, inseto, comidas, estresse, plantas e medicamen-
tos.

Como aliviar os sintomas e ter menos crises alérgicas?

Não se pode ficar tomando coicoide para o resto da vida. Às


vezes, apenas falta alguma vitamina ou mineral na dieta.

A alergia afeta todas as idades, desde bebê até idoso. É consi-


derada problema de saúde pública, pois atinge de 10% a 20% da
população mundial, comprometendo significativamente a
qualidade de vida.

2 25