Você está na página 1de 5

Sérgio Richard Harrison

Resolução de Exercícios de Direito Internacional Económico

Docente:
Msc. Santos D. Janota

Universidade Licungo
Beira
2020
1. A priori importa trazer aqui a noção do que viria a ser o Dumping, nestes termos
dumping é o acto de vender determinado produto a um preço inferior ao preço
considerado normal ou abaixo do preço praticado no mercado doméstico do país
exportador, ou seja, o dumping é uma prática de comércio considerada desleal na
medida em que se desloca do mercado os demais produtos em decorrência da prática
de preços irrealistas, sendo combatida através da imposição de certos direitos
encontrados na legislação que regula o comércio internacional nomeadamente
direitos anti-dumpig.
E segundo a legislação considera-se que um produto esta a ser objecto de
dumping, quando é introduzido no mercado de outro pais a um preço inferior ao
seu valor normal, se o preço de exportação do produto exportado de um pais
para outro for inferior ao preço comparável do produto similar destinado ao
consumo no pais de exportação, no decurso de operações comerciais normais,
nos termos do artigo 2 da parte I do anexo 1A. E neste diapasão sempre que se
verifique procurar-se-á tutelar este desequilíbrio através de medidas anti-
dumping.
2. Os anexos I, II e III são considerados de anexos multilaterais porque são
vinculativos para todos os estados membros “erga omnes” que tenham aderido aos
acordos e criando obrigações e direitos aos membros que não tenham aceitado, ao
aceitar fazer parte dos acordos constantes dos anexos I, II e II eles comprometem-se
a aceitar todas decisões que assim advierem dela, diferentemente dos acordos
plurilaterais que apenas vinculam aos membros que tenham aceitado e não criam
obrigações e nem direitos para estes para os membros que não tenham aceitado.
3. A função do sistema de painel na resolução de conflitos é a de assistir o ORL no
desempenho das suas atribuições prevista no memorando e nos acordos abrangidos.
Nessa conformidade o painel deve fazer uma apreciação objectiva da questão que
lhe foi colocada, incluindo uma avaliação objectiva dos factos em disputa e da
aplicabilidade e cumprimento dos acordos abrangidos relevantes, bem como chegar
a conclusões que ajudem a ORL a adoptar as recomendações ou decisões previstas
pelos acordos abrangidos. Os painéis deverão consultar regularmente as partes em
litigio e dar-lhes oportunidades de chegarem a uma solução mutuamente satisfatória,
nos termos do artigo 11 do anexo 2, Memorando de Entendimento sobre a
Resolução de Litígios (MERL).
4. Os mecanismos de resolução de litígios ao nível do GATT são os seguintes:
 Bons ofícios;
 Conciliação;
 Arbitragem;
 Mediação; e
 Métodos diplomáticos (consulta).

Quanto aos mecanismos de bons ofícios, conciliação e mediação são processos que são
accionados voluntariamente, neste caso se as partes em litígio assim o acordarem, nos
termos do artigo 5º do Anexo II do GATT.

5. a) A posição da UE a luz do GATT em relação ao dumping praticado pela China


esta dentro dos padrões do GATT, assim sendo a UE deve demonstrar o dumping, o
dano e o nexo de causalidade, visto que estamos diante de uma pratica desleal ao
nível regional e nível global.

b) Quanto a China, uma vez que é acusada de praticar o dumping devera apelar da
decisão que o painel tomar uma vez que este painel é constituído por árbitros da própria
OMC que decidira sobre o caso, na sua apelação a China como reclamante deve mostrar
que não estava a praticar o dumping e que tudo esta de acordo com os requisitos do
comercio internacional. E neste apelação caso vier a ser descoberto que a China a UE
devera impor sanções comerciais a China.

c) Em relação ao acordo que deve ser aplicado ao caso em apreço é o relativo de bons
ofícios, conciliação e mediação, visto que neste caso uma vez que houve um dumping, o
Estado da China e a UE devem procurar resolver o litígio amigavelmente e as questões
relacionadas ao caso serão confidenciais, nos termos do artigo 5º do Anexo 2 do MERL.

6. A relação entre o comércio e o desenvolvimento é que com o comércio as nações ou


estados criam divisas que facilitam no desenvolvimento dos países com a criação de
mais postos de emprego e novas infra-estruturas. Com esta relação nota se claramente
que o desenvolvimento outrora depende do comercio porque sem ela uma vez que tem
uma grande forca no que tange ao desenvolvimento. É essencial uma acção individual e
conjunta para promover o desenvolvimento das economias dos estados menos
desenvolvidas e para efectuar um rápido aumento dos níveis de vida destes países. Nos
termos do artigo XXXVI.

7. No que concerne as regras de comercio internacional, é importante salientar que a


priori estas regras estavas dispersas ou não estavam codificadas, com as negociações de
vários países que veio resultar em GATT 47 da rodada de Havana, que procurou regular
as situações em relação as tarifas e o próprio comercio, uma vez que o comercio
internacional só crescia e alguns países poderiam praticar o dumping, assim sendo
houve a necessidade de regular as trocas e vendas comerciais no âmbito internacional. E
estas regras passaram a ser reguladas totalmente pelo GATT onde encontram ou na
actualidade é o meio mais flexível e pratico para regular situações de comércio
internacional.

Em relação aos direitos aduaneiros importa referir que são reguladas através do acordo
sobre pautas aduaneiras e comercio, que procuram de forma sintética que os privilégios
constantes no tratamento da nação mais favorecida aplicar-se-á aos restantes países,
quer dizer, qualquer vantagem, favor, privilegio, ou imunidade concedida por uma parte
contratante a um produto originário de um pais será imediatamente extensiva aos
restantes países, ao abrigo do artigo 1, do anexo 1A, dos acordos sobre mercadorias.

Os direitos aduaneiros são aplicados a certo produto e essa aplicação devera ser aplicada
a cada caso especifico de forma adequada, sem qualquer forma de discriminação em
relação ao produto, e a margem que aplicar-se-á a medidas anti dumping não deve
ultrapassar a margem de dumping estabelecida.

Quanto aos procedimentos aduaneiros, estabelecem se seis procedimentos que devem


ser aplicados de forma sequenciada, subsidiaria e rígida. Assim sendo, a regra geral é
que se aplique o primeiro procedimento, em caso de impossibilidade, se aplique o
segundo, e caso os dois se mostrem inviáveis, aplicar-se-á o terceiro procedimento e
assim em diante.

Em relação aos princípios do GATT, tem se a destacar os seguintes:

 Principio da não discriminação;


 Princípio da nação mais favorecida;
 Princípio do Tratamento Nacional;
 Princípio da Transparência.
Principio da não discriminação, é uma das bases sobre as quais assentam o sistema da
OMC, e onde se em dois subprincípios chaves a destacar: o princípio da nação mais
favorecida e o princípio do tratamento nacional.

Princípio da nação mais favorecida, quer dizer que dentro deste princípio não se permite
tratamento discriminatório entre os países membros da OMC, ou seja este principio
determina que os benefícios concedidos à nação objecto de alguma com redução
tarifaria ou de barreiras técnicas.

Princípio do tratamento nacional, bens nacionais e bens estrangeiros devem receber o


mesmo tratamento após estes entrarem no mercado nacional, e para além de bens
também se aplica a serviços, marcas, patentes e direitos autorais. Este princípio se
encontra incorporado nos três principais acordos da OMC: GATT, GATS e TRIPS.

E quanto ao princípio da transparência, é um dos princípios chaves da OMC e é uma


obrigação legal constante do artigo X do GATT e do Artigo III do GATS. Os membros
da OMC são obrigados a publicar as suas regras de comércio internacional, a
estabelecer instituições que permitam a revisão de decisões administrativas relativas a
comercio, a responder a pedidos de informação de outros membros.