HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO
DE ARTES PLÁSTICAS

ARTE

NA

PLANÍCIE

ARTE NA PLANÍCIE
Associação Cultural Arte na Planície é uma associação cultural sem fins lucrativos, que se propõe, para ajudar a promover as nossas tradições, costumes, formas de estar e de pensar a nossa língua, a nossa terra, aquilo que sabemos nosso, o paladar do pão, com que nos alimentamos, o vinho da nossa poesia, o aroma dos campos, pintados pelos tempos ao som da grande orquestra que é a vida. Sabemos que a arte universaliza sem globalizar os indivíduos, eterniza momentos, reúne o disperso; é por isso religião, conjuga a natureza toda, homens de todas os sexos e raças, no perfeito verbo amar. Não é o talento que faz o artista, é o amor à arte. A escola pode aperfeiçoá-lo, criá-lo nunca; Só se melhora o que já existe. Para começar, estamos a organizar uma festa de artistas, que vai de 8 de Abril a 30 de Maio de 2006, estamos aqui de corpo e alma à vossa espera. Façam favor de entrar! Paco Bandeira
Presidente Associação Cultural Arte na Planície

D

o sonho - um sonho antigo de Paco Bandeira, induzido por Artur Bual, Francisco Relógio e Mário Cesarinny (que teria por catalizadores a expertise e o know-how, o talento e o empenho de António Inverno e Eduardo Nascimento) - partiu-se para a aventura criativa de um projecto cultural interdisciplinar, aglutinador e promocional das Artes Plásticas e Visuais, das Artes Poética, Musicais e Performativas (como soe dizer-se). …e esta aventura criativa tomou forma, aqui (nos Foros do Cortiço), um pólo de convivialidade, um centro cultural em gestação (que congrega já a cooperação autárquica dos Municípios de Montemor-o-Novo, Vendas Novas, Évora e Portalegre), afirmando a sua realidade em progresso - sob a forma responsável, alegre e viva de manifesto - nesta II Colectiva de ARTE NA PLANÍCIE. Por isso e também porque integra uma homenagem imperativa, ao grande pintor Manuel d'Assumpção, ela é ainda e, sobretudo! - a demonstração radical de quem acredita que todos os 1.000'agres são possíveis, quando e se as expectativas são genuinamente inspiradas pela Poesis, autenticadas pela força da convicção, animadas pela acção, em nome da Vida, com o sentido colectivo, gregário e unívoco da Amizade! Esta é uma colectiva de facto consumado, uma iniciativa da Liberdade-sem-fronteiras, da criatividade assumida na plenitude do visível e do táctil, na diversidade actual aqui assumida, latu sensu, sob a "forma da fala humana".

A

O significado e a expressividade representativa desta mostra monumental, evidencia-se e torna-se absolutamente eloquente, na pluralidade de expressões, sensibilidades e linguagens, das centenas de obras aqui expostas, de 118 autores portugueses e (na versão deste ano) 6 galaicos: 92 Pintores (de entre as quais algumas masterpieces de mais de duas dezenas de pintores históricos, seniores e jubilados da Arte Portuguesa Contemporânea, na charneira dos sécs. XX/XXI), 22 Escultores (iniciados, profissionais e de carreira), 10 Fotógrafos (inovadores da imagem do simbólico e da arte-ensaio). Estas não se pretendem referências strictu sensu estatísticas, apesar de outro qualquer propósito, de recensão nominal, ser, no âmbito deste texto, obviamente prematuro, desajustado e, porventura, elementarmente absurdo. Para além de iniciativas de grande dimensão - conceptual e estruturalmente (de algum modo) congéneres - não podendo deixar de citar-se as Bienais de Cerveira, do Avante e outras, apenas ocorrem, actualmente, no âmbito territorial português, as Exposições Colectivas anuais da ANAP-Associação Nacional dos Artistas Plásticos ou de outras instituições associativas e organizações não governamentais não sendo, de modo algum rigoroso, ignorar que, no domínio oficioso, em muitos municípios do país se têm promovido seminários, simpósios, workshops, encontros de artistas (de pintura e escultura ao ar-livre, ao-vivo), ou exposições colectivas e individuais (de outra natureza), em bibliotecas, centros e casas de cultura, mobilizando logísticas e recursos próprios, com objectivos (de, soit disant, mecenato) para enriquecimento da sua animação cultural e legítima valorização patrimonial, superando a complexidade burocrática regulamentar inadequada e estranguladora, de concursos obscenos que oneram, proibitivamente a valorização urbana, pela implantação de arte pública monumental. Por estas razões e outras palavras: a política do mecenato, em Portugal, tem residido, abstractamente, na teoria do Ministério da Cultura, com sede puramente fiscal.

8 DE ABRIL A 30 DE MAIO 2006
II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

003

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

Desde os já pré-históricos anos setenta (e após o advento democrático), a grande Lisboa e os centros culturais urbanos de Coimbra e do Porto, perderam, gradual e aceleradamente, a atractividade centrípeta do domínio cultural, assistindo-se à destituição do papel preponderante que as colectivas institucionais de Artes Plásticas tinham desempenhado, ao longo de mais de meio século, na divulgação e promoção dos artistas, no âmbito nacional. Após a extinção do SNI e da reconversão da antiga Junta de Turismo da Costa do Sol, também a Sociedade Nacional de Belas Artes e a Fundação Gulbenkian deixariam - ao invés da Câmara Municipal da Amadora e do Casino do Estoril - de promover iniciativas dessa natureza, incluindo os certames regulamentados - as colectivas de referência temática, anuais/sazonais …e os salões de independentes. A sociedade dita de mercado - associada ao consumismo da trivialidade e dos bens irrisórios - (in)aparentemente controlada por novas corporações comerciais, concentraria os interesses de uma deriva dos (sub)mercados culturais e, a breve trecho, evoluiria no sentido (im)previsível do estabelecimento de lobbies correlacionáveis ao privilégio de opinion leaders e opinion makers recém-nascidos para a crítica e a história da Arte, conspicuamente envolvidos no marketing específico de marchands freelancers e novas Galerias regulares, que terão conquistado supremacia em tempo nobre, ou, mesmo, exclusividade nas audiências programáticas da TV e da Imprensa. Sem as iniciativas privadas, singular e associativa (como no caso vertente a ARTE NA PLANÍCIE), ou a empresarial, conjugadas e, pontualmente, aliadas ao incremento audacioso de algumas (ainda escassas) medidas autárquicas, contra as (in)definições da resistência passiva e outros obstáculos psicossociais que se opõem ao progresso cultural da sociedade de mercado, nenhuma iniciativa local, singular e (des)enquadrada, reuniria condições para uma devolução da oferta qualificada do produto artístico (popular ou erudito), às populações de onde - indiscriminada e espontaneamente - toda a criatividade dimana. Alguns dados adquiridos, como o facto de a organização em apreço (que está a adquirir empenhadamente mas não dispõe, ainda, de experiência quantum satis, ou recursos técnicos especializados indispensáveis a esta tão exigente área multidisciplinar das actividades socioculturais) poderiam desencorajar a concretização deste projecto, só realizável com um denodado investimento pessoal, gerindo as mais expeditas sinergias, aliás apenas estimuladas pelo interesse e pela adesão, verificados no decurso dos porfiados contactos estabelecidos por uma figura pública - hoje notável e construída a pulso - ao longo de uma dura mas invulgar carreira de décadas de trabalho coroado de um êxito legítimo: Paco Bandeira. Não se ignorando que, só por si, a iniciativa de um ciclo anual de Exposições requereria, teoricamente - dadas as suas naturezas (implícita e explícita) - uma preparação morosa, em termos conceptuais, de definição e caracterização, formais e regulamentares, de espectro, estruturação, âmbito e critérios selectivo e outros, impondo-se honrar, sem recuo, as expectativas da adesão entusiástica dos autores solicitados, devemos congratular-nos e saudar a iniciativa e a capacidade decisória que possibilitaram realizar a exibição desta (entre nós) tão singular, espécie de amostragem, cuja heterogeneidade (em condições de espontaneidade e livre concurso) não poderia deixar de suscitar curiosidade previsível e consequente, perante o nível alcançado pela I EXPOSIÇÃO ARTE NA PLANÍCIE | ARTE NA LEIRA. A equipa que Paco Bandeira reuniu não poderia, para assegurar a organização, trair a confiança dos aderentes directos e daqueles que, por eles, vieram a ser mobilizados, em resultado da dinâmica incontível de um rumor de "passa-plavra" absolutamente típico em questões desta índole. Os recursos próprios e as condições logísticas e expositivas, equipamentos e alojamentos, preconcebidos pela arquitectura estética e funcional do plano em evolução, à escala e dimensão do Monte do Cortiço, dotam a ARTE

NA PLANÍCIE de características espaciais privilegiadas, permitindo adequação imediata a quaisquer necessidades expositivas, em escultura e em pintura (quer de cavalete, quer de grandes dimensões) desinibindo as restrições frequentes em outros espaços, que implicam um numerus clausus, para admissão de obras …e autores! Opostamente à maioria das iniciativas deste tipo, levadas a cabo com pesadas estruturas comissariais e apoiadas em logísticas e burocracias condicionantes, acresce, ao esforço desenvolvido nesta grande exposição, uma dinâmica de criatividade aberta, livre e ecléctica, que saudamos, embora, conjunturalmente e, em toda a linha, ela só a posteriori seja passível de uma leitura crítico-analítica, técnicoprofissional e qualificada (como será expectável, nos tempos que correm), perante a acessibilidade fácil e o acolhimento afável e emblemático das gentes alentejanas, que a organização perfilha e prodigaliza, numa perspectiva referencial, qualitativa e quantitativa, que adjuvará, aproximativamente, o espectro da realidade, ponderada sobre aquilo que, de factual e consequente, emergirá deste evento! Do ponto de vista de uma estratégia expositiva, qualquer predefinição seria, teoricamente, aceitável, ainda que não resistisse à prova de não ter sido artificialmente inventada, numa óptica meramente fictícia: trata-se, com clareza, aqui e apenas, do desenvolvimento de uma complexa operação táctica de conquista e formação de públicos, num espaço providenciado para a continuidade de actividades socioculturais, úteis e salutares, susceptível a todo o tempo - de valorização e enriquecimento, consubstanciáveis pela introdução gradual de melhorias e alargamento dos horizontes, no domínio da promoção, divulgação e animação cultural, a partir da convivialidade, da discussão crítica e audaciosa, do grande abraço por que se postulam os valores mais profundos da generosidade e da solidariedade humanas. Nada poderá opor-se, nesta perseguição da Utopia (em quase geração espontânea), à evidência de tratar-se de uma intenção de promoção cultural (não pré-orientada), prosseguida numa segunda edição experimental consumada, sem normas regulamentares irredutíveis, nem segregação, isto é: destituída da imposição de qualquer critério selectivo, ou pré-orientação metodológica. A competência da organização (não sendo estritamente promocional) cingiu-se à prossecução de tarefas de mise en place, executando, catalogando e editando (na acepção de receptora e motor execucional duma exibição generalista adequada e condigna), a produção auto-seleccionada, identificada e referenciada, em cooperação directa com a dedicação voluntária dos artistas colaboradores e expositores participantes. A memória da Humanidade emerge do investimento intangível dos Artistas. A Arte exige, a Amizade não se contabiliza.
Presidente do Conselho de Parecer Profissional da ANAP-Associação Nacional dos Artistas Plásticos (Membro do Comité Nacional para a AIAP|UNESCO)

José-Luis Ferreira

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

004

005

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

ARTE

NA

PLANÍCIE,

TERRITÓRIO

DO

SENTIMENTO ABSOLUTO

EIS A ARTE

NA

PLANÍCIE

S

ão inumeráveis os artistas plásticos com os quais tenho privado e colaborado ao longo do meu próprio percurso pelos caminhos da arte. Caminhos amplos, abundantes de um imaginário comum, embrulhado em telas, papel, pincéis, palavras, sentimentos e memórias, panorama encantador, que avança, recua e se dissolve na expressão universal da observação intensiva do amor e da vida.

Edifica-se a arte, na parte interior do sonho descoberto. Contemplação de planície. Aqui, se confronta a paisagem, entre o real absoluto da poesia, projectada em matéria envolvendo, no alargar do olhar, comunicada em forma de solidão serena. Aqui, onde se encontram as gotas do orvalho da manhã liberta, até ao alongamento do grande espaço visionário do sol, beijando incessante as uvas com segredos enluarados de mouras encantadas. Alentejo fazendo a união entre o sul e o norte. Portugal parando a ouvir corações Aqui, eram espaços de searas, pão do futuro. Cativa-se o tempo na tela, na forma esculpida, na fixidez fotografada, no grande fluir da palavra, dada aos fazedores realizando como coisa liberta, numa só verdade sentida. Raiz solitária para o espraiar dedicado, no impossível de explicar. Aqui, onde nos revemos, vivificamos os universos possíveis, os sentimentos em forma de arte onde bebemos, sem saber, onde a magia nos conhece sem a conhecermos. Poros de tempo, onde jorram ainda cantares de todos os tempos, acalmando as tristezas de um outro mundo, mais próximo do coração da terra, sempre pulsando, sempre pulsando… Que se elevem todos os artistas Na transformação do mundo. numa verdade, que foi, é, e será ( na Arte na Planície…) Eduardo Nascimento
Director Artístico da II Exposição de Artes Plásticas “Arte na Planície” - Março 2006

"Arte na Planície". Planície alentejana! Quantas eras de humanidade nela se desenharam, se esculpiram? Quantos traçados de vidas, com as suas alegrias, os seus desesperos, as suas cruas realidades, as suas singulares fantasias? Planície alentejana! Arte com alma, território de gentes de alma infindável, que acolhem e abraçam o tempo e a vida, como a morte, mestres na arte de rir das suas próprias tristezas. Gentes com riso e com lágrimas, que comungam eternamente com a terra amada, a sua dolência, o seu júbilo, os seus cantares encantatórios; vão criando eternamente a poesia, discorrendo a metafísica que não cabe em discursos pomposos, gozando o vinho e a esperança ao ritmo da imprevisibilidade do pensamento humano e das estações, cumprindo a sua existência na liberdade imarcescível do seu enorme coração. Povo sublime, com o seu desassossego, a sua calma, os seus medos, a sua coragem, a sua paz alinhada no horizonte interminável, os seus sonhos. Planície Alentejana! Quantos passos cansados, quantas mãos calejadas, quantos braços essenciais no desbravar da terra lisa, que parece agradecer a cada instante a devoção e a entrega do seu povo, entregando-lhe plenamente a beleza pura da sua suprema poesia? Arte suprema, sim, no verde comovente das searas, no castanho profundo da terra arada, no vermelho vibrante das papoilas, nos lírios roxos, no amarelo duradouro dos girassóis. Arte tangível, sim, no cheiro vigoroso da esteva, na frescura de um regato entre canaviais, na intensidade da cal à luz do sol ardente. Desde sempre, a arte tem sido território de expansão e desenvolvimento, encontro primevo do espírito humano, e "Arte na Planície" é o território palpável da luz, que dá forma e cor aos objectos e à festa da vida, território do sentimento de absoluto, que resulta da receptividade e da inspiração do ser, que não conhece limites na comunhão do milagre da terra infinita ao olhar. Direi, assim, que não poderá haver melhor lugar do que a planície alentejana, para devolver ao homem universal a plenitude no reconhecimento da sua mais genuína união com a arte. Estamos todos aqui, todos nós, retirados do nosso passado, recriando a forma na circunstância nascente do nosso novo olhar. Porque nós somos esses todos que já passaram por aqui, vivendo as mesmas bizarrias, sentindo o mesmo que todos os outros, fazendo as mesmas perguntas, talvez com uma outra linguagem, e a nossa opressão prova que andamos em círculo, atados a um fio umbilical distraído da química da eternidade; alteráramos a própria forma de fazer perguntas, talvez trocando os dados, mentindo ou quiçá dizendo a verdade através da mentira. Respondemos da mesma forma vaga, através do nosso imaginário, onde tudo é factível, até o esmiuçar das paixões e das manias dos mortos, bem como do seu amor e da língua que aprenderam a falar.
Vice-Presidente Associação Cultural Arte na Planície

António Inverno

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

006

007

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

índice
Escultura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .pág. 011 a 036 Pintores Portugueses . . . . . . . . . . . . . . . . .pág. 037 a 119 Fotografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .pág. 121 a 133 Pintores da Galiza . . . . . . . . . . . . . . . . . . .pág. 135 a 142 Comissão de Honra . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .pág. 143 Ficha Técnica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .pág. 144 Patrocínios e Apoios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .pág. 145 Agradecimentos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .pág. 146

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

009

ESCULTURA
Abílio Febra . . . . . . . . . . . . .013 Alberto Trindade . . . . . . . . . .014 António Magina . . . . . . . . . . .015 Arlindo Arez . . . . . . . . . . . . .016 Beatriz Cunha . . . . . . . . . . . .017 Carlos Dutra . . . . . . . . . . . . .018 Carlos Madeira . . . . . . . . . . .019 Fernando Sarmento . . . . . . .020 Filiep Manger . . . . . . . . . . . .021 Francisco Vilaça . . . . . . . . . .022 João Limpinho . . . . . . . . . . .023 João Renato . . . . . . . . . . . . .024 José Coelho . . . . . . . . . . . . .025 Laranjeira Santos . . . . . . . . .026 Manuel Pinto . . . . . . . . . . . . .027 Margarida de Araújo . . . . . . .028 Margarida Santos . . . . . . . . .029 Maria Morais . . . . . . . . . . . . .030 Mário Miranda . . . . . . . . . . . .031 Mathias Contzen . . . . . . . . . .032 Paulo Neves . . . . . . . . . . . . .033 Pedro Fazenda . . . . . . . . . . .034 Moisés . . . . . . . . . . . . . . . . .035 Teresa Frazão . . . . . . . . . . . .036

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

ABÍLIO FEBRA

A

bílio Febra é natural de Maceira, Leiria, 1956. Frequentou o curso de escultura do Ar.Co. 83/86. Professor do Ensino Secundário.

Exposições Individuais: 1989 Reconstituições, Casa de Bocage, Setúbal; 1990 Infracções, Galeria Santa Justa, Lisboa; 1992 Traços em Pedra, Galeria Municipal de Alverca; 1993 A Mulher e a Luz, Galeria Quattro/Ass. Atlântida, Bruxelas, Bélgica; 1995 Máscaras do Silêncio, Casa Jardim do Marquês, Lisboa; 1997 Bogaard Art, Helmond, Holanda; Poemas de Pedra e Paz, Ateneu de Leiria; 1998 Bogaard Art, Helmond, Holanda; Poemas Lusitanos, Cercle Municipal, Luxemburgo; 2000 Sinais do Homem e do Tempo, Galeria Municipal, Sacavém; 2001 Sinais do Tempo, Galeria de Arte, Vila Verde de Ficalho; 2002 Pêndulos Aprisionados, Galeria do Teatro-Cine, Pombal; Mãos Ávidas, Livraria Arquivo, Leiria; 2003 Pêndulos (Re)aprisionados, Galeria Artur Bual, Amadora; Formas do Tempo, Galeria Municipal, Entroncamento. Exposições Colectivas: 1986 V Exposição de Artes Plásticas da Amadora, Grupo Artever; Novos Escultores, Centro Cultural de Évora; Portugal em Abril, Oficina de Cultura de Almada; Artever, Quinta de S. Miguel, Amadora; 1987 VI Exposição de Artes Plásticas da Amadora; Colectiva de Pintura, Galeria 2062, Lisboa; Portugal em Abril, Galeria Municipal, Amadora; Colectiva Artever, Vox Mania, Lisboa; 1988 I Mostra de Escultura de Ar Livre, Parque Central, Amadora; I Prémio de Debujo Artístico, Genaro Perez Villaamil, Ferrol, Espanha; Portugal em Abril, Espaço TEC, Cascais; I Bienal de Gravura da Amadora, Galeria Municipal, Amadora; Salão da Primavera - Arte Jovem, Galeria de Arte do Casino do Estoril; I Bienal de Artistas de Leiria, Castelo de Leiria; 1989 II Mostra de Escultura de Ar Livre, Parque Central, Amadora; 1991 III Mostra de Escultura de Ar Livre, Parque Central, Amadora; VI Salão de Primavera, Galeria de Arte do Casino Estoril; 1992 I Feira de Artes da Batalha - 500 anos das Descobertas, Mosteiro da Batalha; 1993 IV Mostra de Escultura de Ar Livre, Parque Central, Amadora; Bienal de Artes Plásticas da Festa do Avante, Amora, Seixal; 1995 I Prémio Edinfor de Escultura, Galeria de Arte do Casino do Estoril; Bienal de Artes Plásticas da Festa do Avante, Amora, Seixal; 1996 II Prémios Edinfor de Escultura, Galeria de Arte do Casino do Estoril; Artever 15 anos, Galeria Municipal, Amadora; Colectiva de Artistas Plásticos, Associação Nacional de Jovens Empresários, Quinta de Santa Maria, Algés; Artever em Évora - Exposição de Desenho, Galeria Teoartis, Évora; Blue Feelings, Kulturforum, Rhein, Alemanha; Polónia; Lituânia; Holanda; 1997 III Prémio Edinfor de Escultura, Galeria de Arte do Casino do Estoril; 250 Obras de Arte Contemporânea, Museu Municipal de Vila Franca de Xira; 1998 IV Prémio Edinfor de Escultura, Galeria de Arte do Casino do Estoril; 75 anos Secil - Colectânea de Escultura, Maceira-Lis; 1999 Percursos de Arte, Exposição de Arte Contemporânea, Lisboa; Abril 25, Governo Civil de Leiria / Galeria 57; Ars Multiplicata, Kulturforum, Rhein, Alemanha; Koszalim, Polónia; I Simpósio Internacional de Escultura de Cantanhede; 2000 Contemporâneo I, Museu do Vidro Stephens, Marinha Grande; AmbientArte, Bienal de Escultura, Leiria; Balanço do Século, Artes Plásticas, Igreja de S. Francisco, Leiria; Seis Escultores em Abril, Quinta do Conventinho, Loures; Ars Multiplicata, Teatro José Lúcio da Silva, Leiria; 2001 Arte e Itinerância, Os Descobrimentos Portugueses, Fortaleza Ponta da Bandeira, Lagos; 2002 Dar Vida à História, Pazo de Vilamarin, Ourense, Espanha; International Small Engraving, Florean Museum, Roménia; Abílio Febra e Clotilde Fava, X Jornadas de Pediatria de Leiria e Caldas da Rainha, Hospital de Santo André, Leiria; Bienal de Artes Plásticas - O Vidro na Arte, a Arte do Vidro, Marinha Grande; 2003 Contemporâneo II, Museu do vidro Stephens, Marinha

“Pêndulo aprisionado entre paredes”

Grande; AmbientArte, Bienal de Escultura, Leiria; Bienal de Artes Plásticas da Festa do Avante, Amora, Seixal; Das Trevas para a Luz, Galeria Torre da Cadeia, Ponte de Lima; 2004 Bienal de Artes Plásticas, O Vidro na Arte, a Arte do Vidro, Marinha Grande; Memórias Presentes - Colectiva de Pintura e Escultura, Museu Militar de Macau, China; Abílio Febra e Moisés, Galeria Municipal de Exposições, Palácio Quinta da Piedade, Póvoa de Santa Iria; Arte Pública III - Exposição de Escultura ao Ar Livre, Volta do Duche, Sintra; 2005 Entre Paredes, Biblioteca de Instrução Popular, Vieira de Leiria; Made in Portugal, Galerie & Skulpturenpark, Groeneveld Almelo, Holanda; O Figura, Homenagem Informal a José Rui, Galeria Municipal Artur Bual, Amadora. Prémios e Distinções: 1988 Prémio, I Mostra de Escultura de Ar Livre, Parque Central, Amadora; 1989 Menção Honrosa, Homenagem a Cristóvão Colombo, Funchal; 1997 Menção Honrosa, III Prémio Edinfor de Escultura, Galeria do Casino do Estoril; 2000 1º Prémio, AmbientArte - Bienal de Escultura, Leiria; 2002 3º Prémio, International Small Engraving, Florean Museum, Roménia. Representações: Museu de Setúbal; Museu Municipal de Vila Franca de Xira; Câmara Municipal da Amadora; Hospital do Montijo; Estabelecimento Prisional de Leiria; Área de serviço de Leiria, A1, Shell; Espaços Secil/CMP; Espaços públicos de Cantanhede e Leiria. Referências Bibliográficas: As Esperanças Plásticas Portuguesas, Manuela Synek e Brás Queirós, Lisboa, 1992; Annuaire de Art International, Patrick Sermadiras, Paris, 14ª edição; Arte nas Autosestradas, Brisa, 2001.

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

013

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

ALBERTO TRINDADE

ANTÓNIO MAGINA
ntónio Magina é natural do N`zetu, Província do Zaire, Angola, onde nasceu em 1963. Reside em Portugal, Lisboa desde 1991. Desde muito cedo manifestou interesse pelas artes plásticas, começando por frequentar ateliers. Inicia então o trabalho em pedra e madeira no Atelier Congo Pequeno, em Luanda. Em 1977 inicia o trabalho de talha no Museu de Arte Pinda no Ambrizete. Mais tarde trabalha no no Atelier Sambizanga, montando depois o Atelier Kongola. Na Huíla - Lubango, participou na primeira exposição colectiva e funda com mais três artistas a Casa de Artesanato "Kinkanka". Nos anos 90 veio para Portugal e faz um Curso de Tecnologia de Escultura em Pedra no Centro Internacional de Escultura, em Pero Pinheiro. Cursou Empresariado Cultural e Monitores para Escolas, no âmbito do Projecto Sócrates, "Um Novo Olhar Sobre África" da A.R.C. Lisboa. Participou em escavações arqueológicas na Câmara Municipal de Lisboa com um grupo de arqueólogos do Museu da Cidade, orientado pela Dra. Manuela Leitão. Actualmente desenvolve a sua actividade no espaço cedido pelo escultor Rui Matos, no atelier deste, em Terrugem. Colabora com a Associação Cultural Africana "Regresso das Caravelas", em actividades, exposições e em ateliers com escolas portuguesas. Colabora e participa na organização de eventos com várias entidades e instituições oficiais portuguesas e africanas , tais como Associações, Juntas de Freguesia, Câmaras Municipais, Embaixadas e outras. O canto e a música são outras formas de linguagem artistica que o acompanham, tendo editado um C.D. O seu trabalho insere-se nas novas correntes contemporâneas africanas e tem uma pluralidade formal que advém da sua convivência com outros artistas, preparando-se para um regresso possível à ancestralidade. Participou em numerosas exposições colectivas e realizou exposições individuais. Exposições mais relevantes: Colectivas: 1996 Reencontre d`Artistes, Galeria ICONE, Setúbal; Café com História, Galeria Setúbal; Faculdade de Medicina de Lisboa; 1997 Galerie Afro-Asiática em Bremen, Alemanha; 2000 - Encontro de artistas Arte à Sombra da Terra, Quinta do Murraçal, Sintra Galeria Municipal de Fitares; 2001 Encontro do Dia de África - Galeria do IPJ, Lisboa; 2002 Encontro do Dia de África - Galeria do IPJ, Lisboa; VII Encontro Internacional de Artes Plásticas, Vendas Novas; 2003 Galeria Municipal de Estremoz - Estremoz; Arte Contemporânea Angolana , Montemor-o- Novo; Arte Contemporânea de Angola , Forum Picoas , Lisboa; Alusiva ao Dia de África, Fundação Aga Kham, Lisboa; Pintura e Escultura, Galeria Galateia, Lisboa; Comemorações do Dia dos Mártires e da Cultura Nacional, Braga; VIII Encontro Internacional de

A

A

lberto Trindade nasceu em Lisboa. Em 1958/60 Frequenta a Escola de Arte decorativas António Arroio. Reside na Holanda entre 1961 e 1989. Trabalhos de escultura em bronze, são adquiridos por coleccionadores particulares e oficiais. 1989/2005 - Executa esculturas em bronze na área surrealista, com desenhos; de Cruzeiro Seixas e Raul Perez. Exposições nas Galerias: António Prates, S.Bento, C.P.S, S. Mamede, Galeria Enes, Convento do Beato, espaço “Arte Cultura e Design”, (Lisboa), Arte Manifesto (Porto), Casino Estoril, Espaço Livre Arte, Cultura e Design (Paris), Instituições Bancárias, Fundações nacionais e estrangeiras. 2001/2004 - Arte na leira, esculturas em bronze de sua autoria. 2004/2005 - Arte Na Planície Bustos: Últimas décadas, execução de bustos p/ Cruzeiro Seixas, Mário Cesariny, Paco Bandeira, Raul Perez e inúmeros particulares.

"Entrelaçados" - Escultura Mármore Estremoz

Artes Plásticas, Vendas Novas; 2004 - Arte Estoril, Centro de Congressos, Estoril. Pedras e Cores - Galeria da Junta de Freguesia de S.João de Brito, Lisboa; Semana Gastronómica e Cultural de Angola, Porto; IX Exposição Internacional de Artes Plásticas, Vendas Novas; Casa de Angola, Lisboa; 2005 Exposição colectiva de Pintura e Escultura, Espaço Óptica, Lisboa; Bienal de Sta Catarina da Serra, Fátima; Bienal da Festa do Avante, Seixal; Exposição da Associação de Artistas Angolanos, Leiria; 2006 - As Formas e As Cores, Galeria de Arte do Casino do Estoril. Individuais: 2001 Galeria CILA - Centro Internacional de Literatura e Artes, Lisboa; 2002 Comemoração do Dia de Independência Nacional, Centro Cultural de Cascais; "Soba Grande", Comemorações da Semana do Herói Nacional, Forum Romeu Correia, Almada; 2003 "Reencontro",Forum Romeu Correia integrada no Festival de Almada; Deputácion Municipal, Badajoz, Espanha; "Formas Livres", Galeria Municipal Artur Bual, Amadora. Prémios e Distinções: 2005 Menção Honrosa na Bienal de Sta Catarina da Serra. Está representado em diversas colecções particulares em Angola, Portugal, Alemanha, Bélgica, Suíça e E.U.A. As suas obras fazem parte do Espólio de várias Entidades Oficiais Portuguesas e Embaixadas.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

014

015

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

ARLINDO AREZ

BEATRIZ CUNHA

A

rlindo Arez nasceu em Portimão em 1957. O seu atelier situa-se na Qta. dos Pôrtos Alcalar Portimão. Tem obras em diversas galerias do País, Alemanha, Áustria ,Suíça. Bélgica, Jugoslávia, Holanda. Desenvolve o seu trabalho em áreas artísticas como escultura, gravura, medalhística, utilizando na sua escultura materiais diversos como a madeira ,a pedra o ferro o bronze etc. Autor de vários projectos de Obra Publica, tem vindo ao longo dos anos investigando e criando obra alusiva a profissões com tendência de extinção tais como: o agricultor, o pescador, o salineiro, o Homen da ria, o oleiro, o carpinteiro de machado entre outros em permanente investigação. Paralelamente pesquisa sistemas fragil-ecologicos e o seu habitat, com interesse dirigido ás Aves e outros animais como recolha para as artes. Obra publica de Homenagem a diversas figuras relevantes na Sociedade, destacando-se: Dr. Francisco Fernandes Lopes, Poeta: João Brás. Cidadão benemérito: José Gloria . Criação de vários Bustos de cidadãos ilustres. Entre as Exposições Individuais e colectivas realizadas podem salientar-se: Galeria do Centro de Juventude (Faro), Universidade Lusíada (Lisboa), Gallery Gerhard Bad Berleburg (Alemanha), Expo Cig. Expo'98 (Lisboa), Galeria 57 (Leiria), A Galeria Sintra, Galeria Neutra (Porto), Galeria Adriano Baptista (Olhão), C.Cultural (Lagos), Casino Vilamoura (Algarve), Galeria Art/contact (Lagos e Viena de Áustria), Le Meridien Penina (Portimão), C.C. Edmundo Bettencourt (Funchal), Galeria Municipal da Amadora, Convento de S. José sala de exposições pintor Manuel Gamboa (Lagoa),Galeria Maré d"arte, Carvoeiro. Tourinnes-la-Grosse Bélgica .Casa Manuel Teixeira Gomes, Portimão. Galeria municipal de Guimarães. Tagus Parque Oeiras. CC. Olivais. Galeria Municipal de Albufeira, Feira Internacional de Artes da Batalha 2000 e 2002. Galeria L.C.R. Sintra. Galeria Fabrica das Artes, Torres Vedras, Galeria Vincent .Indeg, Galeria municipal Quinta de S. José. Loures, Galeria .Casa da Cultura de S.Vicente. Casa da Cultura de Stª. Cruz .Capela da Misericórdia Sines. Ligna 2001, Hannover.Centro cultural da Nazaré, Fortaleza ponta da bandeira. Lagos .Galeria S. Miguel, Fátima. Galeria Samora Barros Albufeira; Ligna 2003, Hanôver. Galeria Granada capital Espanha, galeria Aquários Guarda, Centro Cultural António Aleixo V. Real S.to António. 1st interbalkan fórum of. contemporary miniature art. 2002. zero figura em homenagem ao Prof. José Ruy G.M.A B . Galeria Silva Guerreiro. Museu do vidro Marinha Grande. Obra Religiosa: Cristo ,Igreja de Ferreiras. Albufeira. Senhora do Amparo, Portimão. S .José com Menino, Aldeia de S. José, Alcalar. Sr.ª da Paz , Alemanha Várias esculturas Cristo.col.particulares .Ascensão de Nossa Senhora, Cristo e Senhora Capela colégio S. Miguel Presépio de exterior Paroquia Nª Sr.ª do Amparo, Portimão .diversos Cristos Senhoras e Anjos ,S. Vicente, Stº Agostinho, entre outras.

Juxtã - Mármore - 76x33x23 - 2005

“Sem título”

Associações: Sociedade Nacional de Belas Artes; Cooperativa Arvore; Sociedade Portuguesa de Autores; Circulo Artístico Artur Bual; Membro Director da: A.I.E.S.M. para Portugal Bienais: Bienal de escultura rincón de Ademuz Espanha; Bienal de Artes de Sabugal; Bienal de Artes Marinha Grande; X Bienal Internacional de Artes V. N. Cerveira; X bienal festa do avante; XI bienal festa do avante; II bienal de Artes plásticas da Nazaré; II Bienal Ambiente AR-TE Leiria Simpósios: Simpósio de Escultura em Madeira Sur Ene (Suíça); Simpósio de Escultura em Madeira Thussis (Suíça); Simpósio de

Escultura Monumental art. Colony Apatin Yugoslavia; Simpósio Internacional de Escultura Alvor 2000 (comissário) Portugal; Simpósio Internacional de Escultura Alvor 2001 (organização e comissariado) Portugal; Simpósio Internacional de escultura Hamminkelner Symposium ALPHA OMEGA; Simpósio Inter-nacional de escultura Alvor 2003 (organização e comissariado); Simpósio Internacional de escultura Alvor 2004 (organização e comissariado) Prémios: 1º prémio de escultura TRANSIÇÕES 25 de Abril; 1º prémio escultura Thomaz de Mello 2001; 3º prémio escultura AmbientAr-te Leiria 2002.

B

eatriz Cunha nasceu em Lisboa em 1959. Estudou História na Universidade Nova de Lisboa. Estudou Ourivesaria Contemporânea no Ar.Co. Membro da Sociedade Portuguesa de Autores e da Sociedade Nacional de Belas Artes.

Exposições Individuais: 2005 "Sonhos e Mitos", Museu Municipal de Alcochete; 2004 "Biomorfismos", Galeria Municipal de Arruda dos Vinhos; 2003 Individual de Escultura, Galeria Municipal do Museu Regional de Sintra; 2001 "Bestiário Fantástico e outros Sonhos", Galeria CTT, Lisboa; 2000 "Paleo Mater", Galeria Casa da Cultura de Mêda; 1999 "O Futuro dos Mitos", Galeria CTT, Lisboa; 1998 "Fertilidades", Ofícios do Tempo, Lisboa; 1997 "Formas e Metais", Cor Pura.

Exposições Colectivas (Destaques): 2005 5ª Edição do Prémio Amadeu de Souza-Cardoso, Amarante; II Bienal de Artes, Mafra; "Colectiva de Escultura", Fundação Oriente, Macau; 2004 "Terreiro das Artes/Art Ground" Átrio do Ministério das Finanças, Lisboa; Galeria57, Leiria; 2003 colectiva Lusófona "Coincidências", Galeria Municipal Gymnásio. Prémios: 2003 Menção Honrosa Salão Convívio da Sociedade Nacional de Belas Artes; 1997 Menção Honrosa no Concurso Nacional de Artesanato, na categoria Metal Moderno.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

016

017

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

CARLOS DUTRA

CARLOS MADEIRA

Sem Título Escultura em Mármore 98x28x21cm - 2006

Uma história aos quadradinhos -Técnica: Lioz - Dimensões: 150 x 110 x 30 cm

arlos Dutra, nasceu na Horta, Açores em 1959. Reside e trabalha em Évora. Em 1978 inicia o Plano de Estudos do Ar.Co (Cento de Arte e Comunicação Visual, Lisboa): Audiovisuais, Design Gráfico e Fotografia, que terminou em 1988. Realiza projectos de fotografia de teatro, de arquitectura e de objecto de arte; Desenvolve actividades em ateliês de serigrafia e gravura; É membro da Companhia de Marionetas de S. Lourenço; 1989 Estágio no Departamento de Escultura em Pedra do Centro Cultural de Évora entre 1992 e 1994; Investigação, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, na área da escultura; Apresenta desde 1985, esculturas, desenhos e fotografias em exposições individuais e colectivas; Participa nos Simpósios de Escultura de Chaves (1993), Cantanhede (2004). Prémios: Novos Valores da Cultura (1988) Galeria Nasoni, Ministério da Juventude; Novos Escultores (1986) Centro Cultural de Évora. Representado em colecções particulares, espaço público e Instituições. arlos Madeira nascido em Lisboa a 13 de Abril de 1951 e licenciado em Engenharia Electrotécnica, sente em 2002 a necessidade de se dedicar por inteiro às Artes Plásticas, tendo então frequentado o curso técnico de escultura em pedra no Centro Internacional de Escultura (Pêro Pinheiro) e o curso de

C

C

desenho artístico da Sociedade Nacional de Belas Artes (4 anos). Tem vindo a participar em diversos eventos artísticos no âmbito das Artes, em particular expondo os seus trabalhos de escultura em vários locais.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

018

019

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

FERNANDO SARMENTO

FILIEP MANGER

“Copépode” - Dimensões: 24 x 44 cm - Material: Grés - Técnica: Modelação a partir de um bloco

One of a kind (Sesimbra) - Ruivina - 200x40x22 | 17h20 (Amarante) - Ruivina 200x180x92 | Time goes by (Sala Exp.) - Trigaches - 85x40x11 e 100x50x10

F

ernando Sarmento, concluíu o 12º ano do Curso TécnicoProfissional de Cerâmica da Escola António Arroio em 1989. Em 1997 fez o Bacharelato em Artes Decorativas, na Área de Design de Mobiliário da Escola Superior de Artes Decorativas da Fundação Ricardo Espírito Santo e Silva. Em 2001 Licenciou-se em Expressões Artísticas Integradas em Educação, da Escola Superior de Educação Jean Piaget, em Almada.

Internacional de Artes Plásticas, Sesimbra; Colectiva "Centamen de Escultura J. Higueras" em Jaén, Espanha; 2005 Individual "Após erosão" na galeria Abraço, Lisboa; Colectiva Cerâmica Contemporânea na Casa Roque Gameiro, Amadora; Colectiva Mina Arte -1º Mostra de Azulejaria, Cerâmica e Escultura, Amadora; Individual "Branco mais branco não há" no Castelo de Pirescouxe, Loures; Colectiva "Semanas Eróticas Gondomar 2005" Mostra de Artes Plásticas, Gondomar. Prémios: 1992 Menção Honrosa no Concurso de Design Cerâmico, Caldas da Rainha; 1997 Menção Honrosa na Bienal de Cerâmica da Mina, Amadora; 1999 Menção Honrosa em Cerâmica no Concurso Cena d´Arte, Lisboa; Menção Honrosa em Escultura no Prémio D Fernando II, Sintra; 2º Prémio no Prémio Nacional de Cerâmica, Talha e Metais, CER.TA.ME, Gondomar; Menção Honrosa na II Bienal de Cerâmica da Mina, Amadora; 2001 1º Prémio na área de cerâmica " Cena d´Arte", Lisboa; 2001 Menção Honrosa no Prémio Nacional de Cerâmica, Talha e Metais, CER.TA.ME, Gondomar; 1º Prémio na III Bienal de Cerâmica da Mina, Amadora; Prémio Casino da Póvoa no I Prémio de Arte Erótica, Gondomar; 2003 Menção Honrosa na IV Bienal de Cerâmica da Mina, Amadora; 2005 Menção honrosa em escultura no Prémio D. Fernando II, Sintra; 1º Prémio em Instalação no Concurso de Artes da INATEL. Actualmente, lecciona na Escola António Arroio, técnicas especiais na área de Olaria.

iliep Manger nasceu em 1964, vive em Nijmegen, nos Países Baixos. Percurso: 1994 Iniciou escultura em pedra e madeira; 1997/1999 Zimbabwe, trabalhando pedra serpentina; 2001 Ougadoudou, Burkina Fasso, escultura em madeira; 2003/2005 Centro Internacional de Escultura em Pêro Pinheiro. Exposições: 2002 Beeldentuin Vera Verkooijen, Ooij em Holanda; 2004 Átrio do Ministério das Finanças, Lisboa; Galeria e Jardim de Escultura Groeneveld Almelo, Holanda; Sintra Arte Pública II; 2005 Centro Internacional de Escultura em Pêro Pinheiro; Galeria e Jardim de escultura Groeneveld Almelo, Holanda; Sesimbra Arte Pública III; Galeria Magia Imagem Lisboa; Beeldentuin Rosenhaege, Winterswijk Holanda; V Prémio Amadeo Souza-Cardoso em Amarante; "Sculpting Legion LXG" Câmara Minicipal Nijmegen, Holanda.

F

Exposições: 1987 1º Encontro Nacional de Jovens Artesãos, Bragança; 1989 Colectiva na Câmara Municipal de Sintra; 1991 Colectiva no Instituto da Juventude de Setúbal; 1992 Colectiva na Galeria "Ogiva", Óbidos; 1993 67º Foire des Associations en Besaçon, França; 1994 Colectiva no Centro Internacional de Artistas de Poznan, Polónia; 1995 Colectiva em Leiston Abbey, Inglaterra; 1997 Individual na Galeria de Arte do Forum Telecom, Lisboa; 1998 Individual na Galeria S. Bento 34, Lisboa; 1999 Individual no Solar dos Zagallos, Sobreda da Caparica; Colectiva na Bienal Internacional de Arte de Cerveira, Vila Nova da Cerveira; 2000 Colectiva "Sentidos Grátis 3.1" na Faculdad de Bellas Artes de Madrid, Espanha; "5º Bienal de Cerâmica de Zarautz", Espanha; 2001 VII Exposição Internacional de Artes Plásticas de Vendas Novas; 2002 Colectiva de Cerâmica e Escultura no Mercado da Ribeira, Lisboa; Colectiva "Sentidos Grátis 5.0", Porto; 2003 Colectiva na Galeria Artur Bual, Amadora; Colectiva de Cerâmica na Galeria Braço de Prata, Lisboa; 2004 Iª Exposição

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

020

021

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

FRANCISCO VILAÇA
Atletismo, Hotel Alfa, Lisboa; 2001 Galeria de Arte da Cervejaria Trindade, Lisboa Trilogia, Fantástico Reflexos e Contrastes; 2003 Galeria de Arte da Cervejaria Trindade, Lisboa. Turismo da Moita "Câmara Municipal da Moita"; 2004 Galeria de Arte da Direcção Geral da Administração de Justiça, Lisboa; Galeria de Arte da CeIVejaria Trindade, Lisboa; 2005 Galeria da Ordem dos Médicos, Lisboa; 2006 Galeria Palpura, Lisboa. Exposições Colectivas: 1989 Exposição de Fim de Curso. Artesanato de Porto Salvo. 1993 Casa da Juventude de Sacavém, com o apoio da Câmara Municipal de Loures; 4ª Bienal de Escultura ao Ar Livre da Amadora. Galeria Solução Arte, Lisboa; 1994 Galeria de Arte da Cervejaria Trindade, Lisboa 94; 2ª Exposição Colectiva de Artes Plásticas, Associação dos Bombeiros Voluntários de Agualva Cacém; 122°Aniversário da Companhia Carris de Ferro de Lisboa; 1995 Arteempresa 11, Galeria Alto dos Moinhos (Metro); Salão Primavera 1995 Salão Nobre C.D. Paço de Arcos. Aparthotel Varandas da Falésia, Sesimbra; Comemoração do 109° Aniversário do Concelho de Loures, (Câmara Municipal de Loures); 3ª Exposição Colectiva de Artes Plásticas, Associação dos Bombeiros Voluntários de Cacém; Novo espaço Dárte Lartela, Lisboa; 1996 VI Salão da Primavera, Salão Nobre C.D. de Paço de Arcos. Exposição de Artes Plásticas, Penta Hotel. Galeria Parlatório, Lisboa; 1997 V Mostras de Escultura de Ar Livre da Amadora (C.M.A.); Exposição Anual (Artes) Forum Cultural do Seixal (C.M.S.). Palácio Gorjão, Museu Municipal do Bombarral. Colectiva ARTES Castro Verde; 1998 Galeria Parlatorio .Lisboa Galeria Maria Pia. Lisboa; Exposição Anual ARTE59 Galeria de Exposição Augusto Cabrita, Forum; Direcção Geral dos Serviços Juduciais, Tribunal do Seixal; 1999 (Artes) Galeria Municipal de Corroios (Seixal); (Artes) Museu de Electricidade (Lisboa) (O Espirito de Abril) oficina da Cultura C. M. Almada; Galeria de Exposição Augusto Cabrita, Forum, 25 Anos do 25 de Abril. (Artes) Castro VerdeE; Exposição Anual (Artes), Galeria de Exposição Augusto Cabrita Forum; Instituto Militar dos Pupilos do Exército, Lisboa; 2000 GalerIa Obra D'arte, Lisboa; Galeria de Arte Catpitel, Leiria; Colectiva Internacional de Pinturas e Esculturas "Sensibilidade" Tagus Park, Parque de Ciências e Tecnologia, Oeiras; Igreja de Santiago, Monsarraz exposição "Afinidades"; 6ª Exposição Internacional de Artes Plásticas de Vendas Novas; 2001 Espaço Cultural "CARRIS"; Ermida de Nossa Senhora da Conceição (Belém); Museu de Electricidade, (Belém); Galeria Municipal de Corroios, Seixal; Galeria da Cervejaria da Trindade, Lisboa "Recordar os Modelos"; Centro de Arte Contemporânea da Amadora; Junta da Freguesia de Forte da Casa. 2002 Artes, MUNDET, Camara Municipal Seixal; 2003 Artes 2003, Seixal; Um olhar sobre a Justiça. "Galeria d'artes Direcção Geral da Administração da Justiça, Lisboa; XIII Salão da Primavera, Paço D'Arcos; Galeria do Ministério das Finanças, Lisboa; Artes, Artes Postal, Fórum Cultural do Seixal; 2004 XIV Salão da Primavera, Paço D'Arcos; Exposição Anual Artes, Seixal;1ª Exposição Internacional de Artes Plásticas, Sesimbra; 2005 Encontro com as Artes Galeria do Centro C.D.T.A.T.D., Lisboa; Exposição Internacional de Sesimbra. Exposições Internacionais: 2003 Vuagens sem Tempo, LA CAS ELIZALDE, Barcelona, Espanha. Concursos: 2005 Concurso Nacional de Artes Plásticas do Inatel Menção honrosa (instalação).

JOÃO LIMPINHO

“Dragão” - Escultura em ferro

rancisco Vilaça nasceu a 11 de Maio de 1957. Tirou o curso de Escultura em 1989 financiado pelo Inatel, posteriormente estuda Desenho e Pintura. Director Artístico da Galeria da Cervejaria Trindade Monitor de Escultura do Inatel. Exposições Individuais: 1993 Junta de Freguesia da Pontinha, com o apoio da Câmara Municipal de Loures; 1995 Galeria de Arte da Cervejaria Trindade, Lisboa; 1996 Exposição de Escultura IX Sessão Anual da Academia Olimpica de Portugal, Castelo de Vide; Centenário dos Jogos Olimpicos Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Lisboa; 3ª Festa da Federação Portuguesa de Atletismo, Hotel Alfa (Lisboa); 1997 Galeria de Arte da Cervejaria Trindade, Lisboa; 1998 Galeria Municipal de Corroios, Seixal Galeria Obra Darte, Lisboa; Galeria de Arte da Cervejaria Trindade, Lisboa 1999; Galeria Obra Darte, Lisboa; Espaço Cultural CARRIS; Galeria de Arte, Direcção Geral dos Serviços Judiciários, Lisboa; 2000 Galeria Municipal Artur Bual, Amadora; 6ª Gala da Federação Portuguesa de

F

J

oão Limpinho é Licenciado em Escultura, pela E.S.B.A. L. Autor de esculturas para diversos espaços públicos.

Tem realizado regularmente exposições individuais e participado em numerosas exposições colectivas. Organizou tecnicamente e participou em Simpósios de Escultura em Ferro. Realizou trabalhos para diversas empresas e instituições.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

022

023

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

JOÃO RENATO

JOSÉ COELHO
1997 Encontro de escultura em ferro de Paio Pires Seixal; Execução do Monumento Nacional ao Operário siderúrgico, Museu Agrícola de Riachos. Pintura e escultura 4 artistas locais no âmbito da geminação de Riachos, Notre Dame de Bondevile, DA TERRA, III Prémio Edinfor de escultura Menção Honrosa Casino do Estoril; 1998, Individual, Escultura Pavilhão Nacional das Repúblicas da Nicarágua e Costa Rica Expo 98; Riachos, Monumento de Homenagem ao Povo de Riachos 75 Anos de Freguesia, Coautoria José Coelho e João Duarte; 1999, Individual Galeria Municipal do Entroncamento; Individual Galeria Art Present Paris (Novos Guerreiros); 1999, Implantação de escultura em ferro de espaço público em Arripiado com o título "A Barca"; 2000, Instalação e execução de escultura da série Guerreiros em Constância junto ao rio com o título "Camões ou o Descanso do Guerreiro". E implantação de escultura " Caravela "; Galeria Art Present (Paris) Exposição "O Sonho do Guerreiro"; Individual escultura, Galeria de Corroios, Seixal; Monu-mento Alfaia, Homenagem ao povo de Pintainhos (Torres Novas); 2001 Individual, Regresso a casa, Igreja de Santiago, Castelo de Palmela; Galeria Yvart (Paris), Exposição Engrenage Extreme; Galeria dos Lions Club de Paris; Galeria Visages de L' Art (Versalles-Paris) Sensations Interieures; Instalação de monumento ao 25 de Abril, no bairro 25 de Abril em São Domingos de Rana, Cascais; 2001 100 Anos Cem Artistas, Escultura, Aniversário da Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa; 2002 Instalação, Intervenção: Oficina de Escultura ao ar livre; Pátio da reprografia com colóquio "A estética da escultura contemporânea", FestLamas 2002, Escola ES/3 Maria Lamas, Torres Novas; Arte Show, Escola E.B. 2.3 Dr. António Chora Barroso, Exposição de escultura e aula de desenho, com o título "Desenhar é levar uma linha a um passeio ..." Interacção escola professores alunos; 2002, Galeria de Exposições Augusto Cabrita, Forúm Cultural do Seixal "Cinco Olhares Cinco Expressões"; 2002 Exposição e Instalação de Escultura, Casa do Brasil; "Canto e Memória", Santarém; 2002 Execução de escultura para espaço público "Peixes", Arripiado; Execução de escultura para espaço público de Homenagem ao poder local, na rotunda do Município à entrada de Torres Novas; Exposição e Instalação de Escultura, Convento de Cristo; "Lusitanidades", Tomar; Participação no workshop de Arte Izbica e Leba, Polónia; 2003 Exposição Escultura Casa Memória Camões em Constância; Exposição Individual Galeria Municipal do Montijo, Esc. Tanto Mar; Bienal de Coruche, 1º Salão de Artes Plásticas; 2004 Execução de escultura para espaço público "A grande máquina do Mundo", Parque de Astronomia de Constância; Exposição Escultura Banco de Portugal, Lisboa; Exposição Escultura Pavilhão Paz e Amizade, Loures; Galeria Art Present (Paris) Exposição Hermetalgias "Sublimação do Real"; Escultura Instalação na zona Ribeirinha de Constância, "Constância de Confluências" com cerca de cem obras durante nove meses; 2005 Escultura em Torres Novas "Os espelhos de Dionísio"; 2005 Escultura Arcos & Cavaleiros, à entrada da cidade de Macedo de Cavaleiros. Mais informações no site: www.artenaplanicie.com.

Sem Título - Mármore - 33 X 36 X 34

de Desenho no AR.CO, Lisboa, em 1998/2000, o Curso de Escultura, Centro Internacional de Escultura, Pêro Pinheiro. Finalista Lic. Educação Visual e Tecnológicas, Instituto Superior de Ciências Educativas.

cholet, frança, em 1970. Fez o João Renato, nasceu emLisboa. EmGráficas, da escola de Curso complementar de Artes Gráficas Artes Decorativas António Arroio, 1992/93, Frequentou o Curso

"Athanor" - açocorten - 300x170x170

Exposições Colectivas: 1989 Escola de Artes Gráficas António Arroio, Lisboa; 1993 Artempresa I, mostra colectiva de artes plásticas, estação Alto dos Moínhos, Metropolitano de Lisboa; 1995 III Concurso do C.C.D, Metropolitano de Lisboa, onde obteve o 1º Prémio em Pintura e Desenho; 1997 IV Concurso do C.C.D, Metropolitano de Lisboa, onde obteve o 2º Prémio em Pintura; 1998 II Bienal de Pintura, prémio Cardoso Lopes, Amadora; 1998 Biblioteca Museu, Républica e Resistência, Lisboa; 1999 Galeria Café Hollage, Osnabruck, Alemanha; 1999 I Bienal de Artes Plásticas da Nazaré; 1999 11ª Bienal da Festa do Avante, Atalaia; 2000 Sala de esposições Osnabruck, Alemanha; 2000 Galeria Municipal de Fitares, Sintra; 2001 II Bienal de Artes Plásticas, Nazaré; 2001 II Simpósio Internacional de Escultura, Alvor; 2003 Sintra Arte Pública II, Exposição de Escultura ao ar livre, Sintra; 2003 III Simpósio Internacional de Escultura, Alvor; 2004 IV Simpósio Internacional de Escultura, Hamminkeln, Alemanha. Exposições Individuais: 1999 Galeria Quadrante, Odivelas. Representações Públicas:Escultura alusiva ao Mar, Vila de Alvôr; Estátua ao Pescador, Cidade de Portimão; Escultura alusiva ao Berço da Nacionalidade, vila de Hamminkeln, Alemanha.

nasceu Argéa, Olaia, Novas Reside em José Coelho,Santarémemna Sociedade VITorresLaranjeiro,e noArtes em Riachos. Estudou no Externato Paulo no Instituto Politécnico de e Nacional de Belas

Lisboa. Têm participado em inúmeros simpósios e encontros de escultura. É autor entre outras obras de espaço público, do monumento em homenagem ao operário siderúrgico. Paio Pires. Seixal. Monumento de homenagem ao povo de Pintainhos Torres Novas. Monumento de evocação ao povo de Arripiado Chamusca. Exposições significativasdes 1995: 1995 Colectiva, III Bienal de Arte do Sabugal e Cidade Rodrigo, com instalação na Praça 5 de Outubro, Torres Novas, Museu Municipal "Objectos de Culto"; Convite e início de ilustração em edição miniatura da obra "Os Lusíadas" de Luís de Camões, com exposição "A ver os berços onde nasce o dia, Canto I, Estância 27 Os Lusíadas" e lançamento na Casa do Ribatejo em Lisboa; Bienal Festa do Avante; 1996 Individual, Museu Agrícola de Riachos "Mitolurgias" Escultura; 1996, Simpósio de Escultura em ferro, Abrantes; Encontro de escultura em ferro Vialonga, Vila Franca de Xira;

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

024

025

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

LARANJEIRA SANTOS
anuel Pinto nasceu em Castro Daire em 1956. Nas suas esculturas priveligia a pedra, a madeira e o metal, reutilizando ainda diversos materiais. Manuel Pinto é um escultor com uma estreita ligação à natureza, à terra e um observador atento de tudo o que o rodeia: das pessoas, das formas, dos ciclos, das sombras e do movimento. A música e os objectos que a produzem são uma confessa perdição e mantém com eles uma relação próxima, corporal. Estas são influências visíveis através dos seus trabalhos, nos quais procura explorar continuamente novas formas e expressões, fusões e conceitos, dando-lhes forma essencialmente a partir da pedra, da madeira e do metal.

MANUEL PINTO

M

L

aranjeira Santos é lincenciado em Escultura pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa. Licenciatura em Escultura na Academia di Belle Arti di Roma, Itália. Em 1960 foi seleccionado com mais dois escultores num concurso público da Câmara Municipal de Lisboa para a realização do Monumento a Fernando Pessoa, posteriormente interrompido. Entre 1960 e 1962 foi-lhe atribuída uma Bolsa de Estudo pela Fundação Calouste Gulbenkian em Roma, Itália. Em 2002 foi eleito por unanimidade, académico correspondente pela Academia Nacional de Belas Artes.

Prémios: 1955 Prémio Nacional de Escultura, ANBA, XVIIII, Missão Estética, Figueira da Foz; Prémio da Câmara Municipal da Figueira da Foz; 1963 Prémio Mestre Manuel Pereira, Salão dos Novíssimos, SNI; Prémio Concurso Público, Bairro da Encarnação, Câmara Municipal de Lisboa I; Prémio Concurso Público, Bairro da Encarnação, Câmara Municipal de Lisboa II; 1966 Medalha de Prata, Salão de Arte Moderna, Estoril; 1970 1º Prémio Concurso Público, Monumento Comemorativo da Primeira Travessia Aérea do Atlântico Sul, Câmara Municipal de Lisboa; 1984 1º Prémio Concurso Público, Monumento da Reconquista Cristã da Cidade de Silves, Câmara Municipal de Silves; 1996 1º Prémio do Simposium Internacional de Escultura em Ferro para o Ar Livre, Câmara Municipal de Abrantes; Menção Honrosa, Prémio de Escultura Edinfor; 1998 Menção Honrosa, Prémio de Escultura Edinfor; 2002 Prémio de Aquisição, Academia Nacional de Belas Artes. Exposições: O texto da Figueira: Dezenas de participações em colectivas no país e no estrangeiro. Dez individuais, entre as quais Lisboa, Paris e Roma. Catálogos: II Exposição de Artes Plásticas, Lisboa, Ed. Fundação Calouste Gulbenkian, Centro de Arte Moderna, 30º Aniversário, 1961; Laranjeira Santos, Escultura e Desenho. Lisboa; Galeria de S. Francisco, 1984; III Exposição de Artes Plásticas, Lisboa, Ed. Fundação Calouste Gulbenkian, Centro de Arte Moderna, 30º Aniversário, 1986; Laranjeira Santos, Escultura. Lisboa, Galeria de S. Francisco, 1998; Laranjeira Santos, Escultura. Lisboa, Museu da Água, 2000; Laranjeira Santos, Olhos nos Olhos; Escultura e

"Auto-Retrato" - Técnica Mista, Resina e Polyester - 260x120x80cm

Desenho. Lisboa; Galeria Municipal Artur Bual, Amadora, 2002; Laranjeira Santos, O Ritmo da Criação. Figueira da Foz, Museu Municipal Dr. Santos Rocha, 2003; Os Anos Quarenta na Arte Portuguesa, A Cultura nos Anos Quarenta, Lisboa, Ed. Fundação Calouste Gulbenkian, 1982, vol II; Sintra, Arte Pública 1, Exposição de Escultura ao Ar Livre. Sintra, CMS e Gráfica Europan, Lda, 2002; . Representado em colecções particulares em Portugal, Itália, França, Espanha, Estados Unidos, Japão, Holanda, Brasil e Polónia. Mais informações acerca de Laranjeira Santos, tais como: Bibliografia e Obras, encontra-se disponível no nosso site, em: www.artenaplanicie.com

Exposições: 1999 Hotel Montemuro, Equus Artes I; Termas do Carvalhal; Centro Hípico de Viseu; Hospital Distrital de Viseu; Escola Secundária do Mundão; I. P. J. Viseu; 2000 Hotel Montemuro, Equus Artes II; Termas do Carvalhal; Hotel Lamego; Hotel Régua Douro; Centro Hípico de Viseu; Auditório Mirita Casimiro, Viseu; 2001 Galeria Municipal de Fitares, Sintra; Museu Municipal de Vouzela; Hospital de S. Teotónio, Viseu; Museu Municipal de Castro Daire; Loja do Cidadão em Viseu; C. M. de Cultura em Castro Daire; Equus Artes III, Castro Daire; Hotel Régua Douro, Régua; P. de Campismo da Fraguinha, Serra da Freita, S. P. Sul; ExpoSalão da Batalha; 2002 Exp. no Solar da Rede, Mesão Frio; Galeria AM, Viseu; Clube Nacional de Artes Plásticas, Lisboa; Caixa Geral de Depósitos; Galeria Municipal de Sintra; C. Munic. de Nelas; C. Munic. de Mortágua; VII Encontro D'artes E.P.S.T. Fig. Da Foz; ExpoSalão Batalha; Centro Municipal de Cultura de Castro Daire; 2003 Museu Municipal de Vouzela; I.P.J. Viseu; Galeria Aquarius, Guarda; C. M. Cultura de Castro Daire; Salão Municipal, Carregal do Sal; Centro Cult. da C.M. Penamacor; Exponor Porto Arte; VIII Encontro D'artes E.P.S.T. Fig. da Foz; Universidade de Aveiro; Centro Cultural de Tondela; Galeria “Sublimação de Colcheias” - Escultura em Mármore - 70x22x22 Municipal de Fitares, Sintra; Câmara Municipal de Aguiar da Beira; Região de Turismo Leiria /Fátima; Cordoaria Nacional Lisboa; IX Encontro Internacional de Artes Plásticas de Vendas Novas; 2004 Salon International du Monde de Ia Culture et des "Postais de Sintra" 2001/2002/2003; Workshops na E.P.S.D. F. da Foz Artes CANNES, AZUR; Convento do Beato; I.P.J., Viseu; Contrabaixo 2002/2003; Exp. C. M. Gondomar 2002. Bar, Mira; X Salão de Pintura, Nelas; Centro de Arte Contemporânea de Alfragide; Galeria Municipal de Fitares, Rio de Mouro, Sintra; Museu Prémios: Medalha de Bronze; Exposição Internacional do M.C.A., Municipal de Castro Daire; Salão Municipal de Sernancelhe; Livraria Cannes Azur, França 2004; Prémio Produção Artística, Escultura, Pretexto, Viseu; Magenta, Figueira da Foz; Galeria Quatro Montras, 2003; Revista Anim'Arte, G.I.C.A.V., Viseu. Viseu; 2005 Natural Fashion, Viseu; Sports Bar, Viseu; Encontro Anual Artistas Plásticos, C. M. Sintra "Temática Auto-Retrato"; Posto Turismo Representações: Está representado em diversas colecções particuAlvito; Gallerie Thuillier, Paris; IX Encontro D' Artes E.P.S.F. Figueira da lares e oficiais, quer no país quer no estrangeiro, com algumas obras Foz; XI Exposição Internacional de Arte, Vendas Novas; Pavilhão de em espaços públicos. Congressos do Estoril, Antiguidades e Coleccionismo. Bibliografia: Guia Europeu Belas Artes, Catálogo Encontro Anual de Concursos e Workshops: Concurso de Medalhística "Prémio Dorita Artistas Plásticos, Sintra; Guia turístico Régua Douro, Magazine Artes, Castello-Branco", C.M. Sintra 2001; Encontro Nacional de Artistas Cult Arte CNAP, Univers Des Artes, Cannes, Etc.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

026

027

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

MARGARIDA DE ARAÚJO
argarida de Araújo, vive em Serpa onde se dedica à cerâmica e à escultura. No seu trabalho de arte executa temas inspirados em motivos regionais alentejanos mas inspira-se também em temas universais. O que a move e uma eterna procura de novas formas de novas linguagens. Prémios: Mais Artista Plástico 2005 - Revista Mais Alentejo; - Menção Honrosa, Galeria Aberta, Beja. -1999; - Menção Honrosa, Galeria Aberta, Galeria dos Escudeiros, Beja.- 2002. Exposições Individuais: Galeria da EDIA, "Arte é feminino. -2005; Biblioteca Municipal de Serpa. -2004; 1ªFeira do Queijo e do Alentejo, em Serpa. - 2002; Museu Etnográfico de Serpa. -1996. Exposições colectivas: Galeria dos Escudeiros, "Reencontros", Beja. -2005; Exposição de escultura, pintura e desenho com Raul Perez, na 1ª Feira Cultural de Serpa. -2004; Exposição na Livraria Lemos, Vemos e Ouvimos. Para ilustrar o livro Moinho de Vento", em Serpa. -2003; Módulo de 2,5 x 2,5, Parque de Feiras e Exposições de Beja; Exposição na Galeria do Alcântara Café com Eugénio Violante. -2002; Arte na Leira, na casa do pintor Mário Rocha, em Arga de Baixo; Exposição na Real Associação de Lisboa, no Museu da Água; Exposição Celebrativa do 50º Aniversário da Academia de Belas Artes Rainha D. Isabel da Hungria, no Museu Arqueológico de Sevilha. -2001; Exposição com António Inverno, Mário Rocha e Rico Sequeira, na Pousada de S. Francisco, em Beja; Arte na Leira, na casa do pintor Mário Rocha, em Arga de Baixo: No Castelo de Beja com António Acabado, António Inverno, Licínio Saraiva, Mário Rocha e Silvestre Raposo. -2000; "Decieme Salon de Printemps de Tarnos" França; Exposição com António Inverno, Raul Perez, e Mário Rocha, na Pousada de São Gens, em Serpa; Na Galeria Bento Teresa, Vila Verde de Ficalho; V Feira Ibérica de olaria e do barro - Exposição - Artes de Cerâmica. Em Reguengos de Monsaraz.- 1999; Cine-Teatro Municipal de Serpa; "New York ART95", EUA. -1995; Galeria "Spazio Visivo", Roma, Itália. -1992; Posto de Turismo de Sesimbra. 1991; Museu Etnográfico de Serpa. 1990. Frequentou as seguintes instituições: Luigi Diotalevi, Roma, Itália (modelação e figura humana). -1992; Cencal, Óbidos; Curso de Formação Profissional de Modelação Decorativa). -1991; Cencal, Caldas da Rainha - (Curso de formação profissional de Olaria) -1989; Volkshochschule de Viena, Áustria (pintura sobre seda e técnica de modelação e olaria). -1987. Experiência Profissional: Estágios: Nas Caldas da Rainha, Cencal, escultura cerâmica com Rui Ribas, Herculano Elias, Joan Vigueira, Emílio Galasy. -1997; Em Roma, raku, com Ersillieta Gabrielli. -1993; No Cencal como tradutora alemão/português de Erich Haberling. -1991; Em Lisboa, na fábrica Viúva Lamêgo. - 1990; Em Lagos, com Jorge Mealha. -1989. Promotora e Orientadora de um Estágio Profissional em olaria. Modelação cerâmica e técnica de engobes, no seu atelier em Serpa.-1998.

MARGARIDA SANTOS
argarida Santos nasceu em 1946 em Canelas, Concelho de Vila Nova de Gaia, onde tem o Atelier de Escultura. Frequentou a Escola de Artes Decorativas Soares dos Reis onde se preparou para o ingresso na Escola Superior de Belas Artes do Porto. Aí, ao cabo de cinco anos e com o apoio dos Prémios Ventura Terra e da Fundação Gulbenkian, concluíu o Curso Superior de Escultura em 1968. O gosto por leccionar e despertar vocações impôs-se-lhe desde então, mas o espírito criativo e a apetência para enfrentar desafios e experimentar outras áreas de expressão levou-a à autoria, apresentação e colaboração em projectos culturais ligados aos jornais, revistas, rádio e televisão. Também no fascínio pela poesia se revelou, através da escrita e da ilustração, e no interesse pelo que se passava à sua volta no domínio das Artes produziu textos de abordagem crítica da obra de vários autores, tendo chegado a ser directora artística da Galeria da Praça, no Porto, e a participar em publicações diversas. Foi porém enquanto escultora que se afirmou, ao longo do percurso, tendo estado presente nas mais representativas exposições colectivas - mais de duzentas - e realizado individualmente trinta e sete exposições em galerias comerciais e municipais dentro e fora do país. A sua obra pessoal sempre privilegiou a figura humana, primeiro a Mulher e depois o par amoroso Homem-Mulher, marcados por um jogo cénico e balético aliado à Mísica e à Poesia, que pronunciam a existência humana para além da realidade física conhecida. As obras escultóricas, sendo concebidas para escalas maiores, sofrem dos imperativos da carestia do material, apresentando-se em bronze, quase sempre em dimensões reduzidas. Paralelamente à obra de autor que vai mostrando nas exposições tem correspondido a solicitações para encomendas de particulares e de autarquias, adoptando uma linha de cariz realista na obra pública, sendo responsável pela criação e execução de dezassete monumentos, doze bustos, quinze medalhas e três troféus. Da sua actividade intensa resulta a existência de inúmeras referências bibliográficas e na imprensa, e o facto de estar representada em numerosas colecções particulares e oficiais dentro e fora do país. Dedicou o ano da 2005 ao projecto de nome, "Do Barro ao Bronze, como nasce uma escultura" que espera ver a sua publicação em breve.

M

M

“Ovelha”

Inicia a actividade no seu atelier, (Alcatruz - Oficina de Cerâmica), em Serpa.- 1996. Deu formação no cursos de: Pintura de Azulejo, promovido pela Rota do Guadiana em Serpa; Olaria, promovido pela Junta de Freguesia de Barrancos; Mestre de Cerâmica Artística, promovido pela Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Serpa; Estampagem e pintura de tecidos promovido pela associação Terras Dentro na Comporta. - 2004/2005; Escola Oficina de Azulejaria e Pintura de louça cerâmica, em Serpa; Curso de Reprodução Artesanal do Património Histórico e Cultural do Concelho de Alcácer do Sal. - 2003; Curso de Mestre de Cerâmica Artística, na Escola de Desenvolvimento Rural em Serpa. - 2000/2001; Curso de Mestre de Cerâmica Artística, na Escola de Artes e Ofícios Tradicionais de Serpa. - 1997/1999. Promotora e Orientadora de um Estágio Profissional em olaria. Modelação cerâmica e técnica de engobes, no seu atelier em Serpa.- 1998. Inicia a actividade no seu atelier, (Alcatruz - Oficina de Cerâmica), em Serpa.- 1996.

Androgenia - Bronze (Peça única) - 35x35x96 - 2001.bmp

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

028

029

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

MARIA MORAIS

MÁRIO MIRANDA

Teimosia - Amarelo Negrais - Mil cores - 50x25x35 Sem Título

aria Morais nasceu em Lourenço Marques, Moçambique a 6 de Junho de 1952. Fez a Licenciatura em Artes-Plásticas, Escultura, pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa em 1976. Professora do Quadro de Nomeação Definitiva da Escola Secundária Padre Alberto Neto, em Queluz. Representações Públicas: "Busto de Mulher", (gesso com pátine) Museu "Diogo Gonçalves", em Portimão; "Esfinge de Alves Redol" (bronze), Escola Secundária Alves Redol, Vila Franca de Xira; "Tríade", (pedra), Escola Secundária Padre Alberto Neto, Queluz; "Escultura de Mulher" (pedra), Jardim Municipal de Oeiras; "Vagas e Fragatas do Tejo", Baixo Relevo em Pedra Policromada, Praça 5 de Outubro, Paço de Arcos; Monumento "Presença do Soldado Português em África", (pedra), Praça do Ultramar em Oeiras; Monumento Comemorativo dos "25 Anos do 25 de Abril" (aço policromado), Moita; "Árvore" (pedra), Biblioteca do Palácio Ribamar, Algés; "Águia de S João" (pedra), Livraria-Galeria Municipal Verney, Oeiras. Exposições (selecção): 1985/1991 "1ª, 2ª, 3ª e 4ª Bienal de Escultura e Desenho", Caldas da Rainha; 1988 "Pôr Debaixo do Céu", Exposição de Escultura Ar Livre, Galeria Arcada, Estoril; 1991 "Nenúfares", Exposição individual na Casa da Memória ", Lisboa; 1994 "XIII Salão de Outubro", Galeria do Casino Estoril; 1997 "Escultura d'Oeiras", Fundação Marquês de Pombal, Palácio dos Aciprestes, Linda-a-Velha;

M

1980 a 2005 Participações nos Salões da Primavera em Paço de Arcos; 2000 Foi homenageada no X Salão da Primavera, em Paço de Arcos, pelo Paço de Artes e a Voz de Paço de Arcos; 2000 "Encontros de Escultura" na Livraria-Galeria Verney. Participou como prelectora no 16º e 19º encontros, respectivamente em 13 de Junho e 31 de Outubro; 2001 Exposição individual de Escultura na Galeria Verney, em Oeiras juntamente com a apresentação da obra literária do escritor Mia Couto; 2001 "Encontros em Agosto", colectiva de pintura e escultura, na Fundação Marquês de Pombal, Palácio dos Aciprestes, Linda-a-Velha; 2002 "Sintra Arte Pública I", Exposição de escultura ao ar livre, Sintra; 2003 1ª Feira de Arte Contemporânea do Estoril; 2003 "Sintra Arte Pública II", Exposição de escultura ao ar livre, Sintra; 2004 "30 Anos do 25 de Abril e Guerra de África", Livraria-Galeria Municipal Verney, Oeiras; 2004 Exposição de escultura de Maria Morais e pintura de Teresa Caria na Galeria de Arte da Fundação Marquês de Pombal, Palácio dos Aciprestes, Linda-a-Velha; 2004 Exposição "Natal" na Livraria-Galeria Municipal Verney, Oeiras; 2005 Leitura de poemas de Albano Neves e Sousa no colóquio-debate dedicado ao pintor, na Livraria-Galeria Municipal Verney; 2005 Foi agraciada pela Câmara Municipal de Oeiras com a Medalha de Mérito Municipal, Grau Ouro, por actos e serviços praticados de particular relevo, no âmbito do Município e do País; 2005 Exposição "Colecção Municipal de Arte", LivrariaGaleria Municipal Verney, Oeiras; 2005/2006 Exposição "Arte e Espiritualidade", Cordoaria Nacional, Lisboa.

ário Miranda, nasceu em 1952 em Ponte de Lima, Minho, Portugal. Percurso: 1968/72 Mostra individual de pintura, Saláo Nóbre da cultura, Viana do Castelo e galeria O Primeiro de Janeiro, Porto. Participa no projecto "Arte na Rua ", Viana do Castelo. Parte para Paris, frequentando diverssos ateliers e cursos de pintura e convivendo com artistas das mais diversas culturas e tendéncias; 1972/75 Em Amsterdão, Holanda, continua a sua actividade como pintor frequentando ateliers e workshops. Participa com A. Pintomeira na elaboracão do movimento "Surreal neo Maneirista", movimento baseado numa certa iconografia maneirista no espaço surreal; 1976/79 Reside em Itália, Roma, Florença, Verona frequentando a Galeria Del Ufizzi, onde se dedica ao estudo do Renascimento e do Maneirismo, expõe em Veneza, Pádova e Verona; Efectua viagens a Atenas, Grécia, onde estuda os Clássicos da Escultura; 1978/89 Cria o atelier de artes plásticas da Casa da Cultura de Viana do Castelo, onde desenvolve também cenografia para teatro; Trabalha como animador cultural em artes plásticas na casa da Cultura de Grenoble, França; Desenvolve trabalho como cenógrafo de televisão e cinema em Utrecht e Amsterdam, Holanda; 1989 Fixa residência no barlavento algarvio, crando uma série de painéis murais que mais tarde evoluíriam para a escultura, entre outros Saga das Descobertas, patente no interior do edifício da Câmara Municipal de Vila do Bispo; 1997 Mentor do projecto "Das Mãos a Natureza", mais tarde apelidado "Jardim das Pedras", com esculturas

M

de índole Ambiental "Land Art" no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. Tambem mentor do Laboratório de Artes e Ideias onde promove cursos de iniciação à escultura em pedra. É o autor de varias esculturas publicas realizadas em rotundas como"O Homem do Mar" em Vila do Bispo idem "Celeiro do Algarve". Obras públicas representadas: Daphneé, Jordam, Amsterdão; Saga das Descobertas, Câmara Municipal de Vila do Bispo; Homenagem Infante Dom Henrique, Raposeira; Jardim das Pedras, Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina; Monumento, "O Homem do Mar", Vila do Bispo; Adamastor, Fortaleza Sagres; Celeiro do Algarve, Vila do Bispo. Esposições de Escultura: 1990 Almancil, Quinta do Lago; 1995 Maupoleum, Univers. Amsterdão; 1996 Casino do Estoril, Lisboa; Forum Galeria, Amsterdão; 1997 Centro Cultural de Lagos; 1999 Mar Contemporâneo, Parque das Nações, Lisboa; 2003 Arquetipos, Mitos e Lendas, Fortaleza Sagres.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

030

031

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

MATTHIAS CONTZEN
Exposições Colectivas: 2005 ARTELISBOA, ArteEstoril, Palácio Seteais Sintra, "Made in Portugal" Netherlands, Groenefeld Sculpture Park; 2004 "Objectos de Memória", Galeria São Mamede, Lisboa; Echo Research Institute, Toronto,Canada; Galeria Domus Varius, Lisboa; ArteEstoril; Casa da Cultura, Ilha da Madeira, Valley Art Gallery,Toronto; 2003 Toyamura Internacional Sculpture Bienal 2003, Japan; IV Prémio Amadeo de Sousa Cardoso; III Prémio de Escultura City Desk; ArteEstoril; ISCAC, Coimbra; Galeria Valbon; Galeria São Mamede; PortoArte; Sintra ArtePública II; 2002 "O Voo das Pedras", Galeria Domus Varius, Lisboa; II Prémio de Escultura City Desk, Cascais; Galeria Espaço Ilimitado, Porto; Sintra Arte Pública I; Centro International de Escultura, Pero Pinheiro; 2001 Maus-Hábitos, Porto; "Di-Visões", Espaço T, Porto 2001, Capital da Cultura; Arte Santander, Espanha; Fábrica das Artes, Torres Vedras; 2000 Galeria ArtHouse, Cascais; Câmara Municipal de S. João da Madeira; 1.º Encontro de Escultura, Casa da Guia, Cascais; Hospital Fernando Cardoso, Amadora-Sintra; 1999 Galeria Raquel Prates, Cascais; Câmara Municipal de Cantanhede; Exposição Itinerante de Escultura "Arte 21", São Pedro do Sul; 1997 Colectiva de Escultura, Galeria Büchel, Bona; 1996 Feira Intemacional de Arte, Nancy, França; 1995 Palácio da Cidade, Saarbrücken; "Abitare ilTempo", Verona, Itália; "Maison & Object", Paris; Feira de Arte Luxemburgo; 1994 Associação de Artistas Plásticos de Bona. Prémios: Vencedor do II Prémio de Escultura City Desk, Portugal (2002); 3.º Prémio no Concurso Internacional de Design "Cultures & Matiéres" Alemanha /França (1993). Obras Públicas: Bonn, Alemanha; Cantanhede; Viseu; Oliveira dos Frades; S. João da Madeira; Mafra; Sernançelhe; Sintra; Ilha da Madeira; Toronto, Canada. Colecções: Banco de Portugal; Hospital Amadora Sintra; Universidade Autónoma de Lisboa; Fundação D.Luis I, Centro Cultural de Cascais; Colecções privadas em Portugal, Brasil,Canada, Alemanha, França, Luxemburgo, Bélgica e Inglaterra. Simpósios: 2005 I International Stone Sculpture Symposium Ontario, Toronto, Canada; 2004 IV Simpósio Internacional de Escultura de Cantanhede; SINEP 2004, Ilha da Madeira; 2003 II Simpósio Internacional de Escultura de Sernançelhe; 2002 II Encontro de Escultura em Pedra, Mafra; 2001 I Simpósio de Escultura de S. João da Madeira; 1999 I Simpósio Internacional de Escultura de Cantanhede; I Simpósio Internacional de Escultura de Viseu; "Arte 21", São Pedro do Sul.

PAULO NEVES
R.A.M., Funchal, Átrio da Câmara Municipal do Funchal; "Maus Hábitos", Casa das Artes de Tavira, Tavira; Galeria Minimal, Porto; III Bienal de Arte AIP 98; 1999 Centro Cultural de S. Lourenço, Almancil; Junta de Freguesia de Ossela, Oliveira de Azeméis; I Simpósio de Escultura de Cantanhede; Festival da Pedra e do Ambiente, Sernancelhe; I Simpósio de Escultura de S. Pedro do Sul; X Bienal Internacional de Vila Nova de Cerveira; Prémio Amadeo Sousa Cardoso, Museu Amadeo Sousa Cardoso, Amarante; FAC 99, Galeria Minimal, Lisboa; 2000 XXXIV Prix International d'Art Contemporain de Monte-Carlo, Fondation Prince Pierre de Monaco, Monaco; Câmara Municipal do Montijo, Montijo; Galeria Ao Quadrado, Santa Maria da Feira; Câmara Municipal de S. João da Madeira; Euro Point Euro Mundo - A Europa pinta para as crianças com cancro, Alemanha; Lugar(es) do Corpo, Galeria Municipal de Montijo; Atelier de Escultura - A Forma e o Granito, Belmonte; I Simpósio Internacional de Escultura de S. João da Madeira; Prémio Nacional de Escultura, Homenagem a Aureliano Lima, Mosteiro da Serra do Pilar, Gaia; FAC 2000, Galeria Minimal, Lisboa; 2001 Mote e Purificação, S.N.B.A., Lisboa; Galeria Grade, Aveiro; Eixo Atlântico, Baiona, Espanha; Exposição de rua na Rua da Restauração, no âmbito do Porto 2001, Capital Europeu da Cultura; ARCO 2001, Galeria Minimal, Madrid, Espanha; Citações, Situações, Biblioteca Municipal do Porto, no âmbito do Porto 2001, Capital Europeia da Cultura; III Festival de Gravura, Évora; Criação de brinquedos, Fundação para o Desenvolvimento do Vale de Campanhã, Porto; XI Bienal Internacional de Vila Nova de Cerveira; Prémio Amadeo Sousa Cardoso, Museu Amadeo Sousa Cardoso, Amarante; FAC 2001, Galeria Minimal, Lisboa; Galeria Sacramento, Aveiro; 2002 New York Independent Art Fair, Nova Iorque, E.U.A.; Prémio Vespeira, VII Bienal de Artes Plásticas "Cidade de Montijo"; 100 anos 100 artistas, S.N.B.A., Lisboa; 2003 FAC 2003, Galeria Art Hobler; Galeria Ao Quadrado, Porto; II Simpósio de Alfândega da Fé; XII Bienal Internacional de Vila Nova de Cerveira, Artista Convidado; Prémio Amadeo Sousa Cardoso, Museu Amadeo Sousa Cardoso,Amarante; 2004 Maus Hábitos, Porto; Colectiva de Galerias, Galeria Art Hobler, Vila Nova de Cerveira; Prémio Baviera, Vila Nova de Cerveira; XXIe Salon de Printemps, Ozoir-la-Ferrière. Com Moebius. Convidado pela Câmara Municipal de Esposende; "Música inspira artistas plásticos", Departamento de Comunicação e Arte, Universidade de Aveiro; I Simpósio Internacional de Escultura em Pedra, de Câmara de Lobos, Madeira; I Simpósio Internacional de Escultura em Madeira, Oliveira de Azeméis; I Simpósio Internacional de Escultura de Penafiel; Simpósio Internacional de Escultura, Pitesti, Roménia; Museu Aberto, Monsaraz; Galeria Arthobler, Porto; Arte de Mãos Dadas, Paço da Cultura da Guarda; No Arte, San Sperate, Sardenha, Itália; Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira, subordinada ao tema "500 anos das Fogaceiras"; Simpósio Internacional de Vila Verde; Simpósio comemorativo do 5º aniversário da passagem das muralhas de Lugo a Património Mundial; Simpósio de Sernancelhe; Simpósio de Silves, Armação de Pera; XIII Bienal de Cerveira; Prémio Amadeo de Sousa Cardoso, Museu Amadeo de Sousa Cardoso, Amarante; Galeria José Lourenzo, Santiago de Compostela, Espanha; FAC 2005, Galeria Art Hobler; Galeria Valbom; Galeria Quatro, Lisboa. Mais informações em: www.artenaplanicie.com

s/Título

aulo Neves nasceu em Cucujães, Oliveira de Azeméis, em 1959. Frequentou o Curso de Pintura da E.S.B.A.P. De 1978 a 1981 conviveu e trabalhou com diversos artistas em vários países da Europa. Exposições Individuais desde 1998: 1998 Galeria Gomes Alves, Guimarães; Centro Cultural de Belém, Pequeno Auditório; 21 Escultura, Sátira, Porto; Shopping Cidade do Porto, Porto; Galeria Degrau Arte, Porto; Galeria da Universidade, Museu Nogueira da Silva, Braga; 1999 Galeria Grade, Coimbra; Universidade de Aveiro, Aveiro; Sociedade Portuguesa da Autores, Lisboa; Editora O Liberal, em paralelo com lançamento do livro retrospectivo dos 20 anos de escultura do artista, Funchal, Madeira; Biblioteca Municipal de Esposende; Biblioteca Municipal de Ponte de Sor; 2000 Galeria Ara, Lisboa; Museu de Vouzela; Biblioteca Municipal de Ovar; Galeria Minimal, Porto; Museu da Electricidade e Casa da Luz, Funchal, Madeira; 2001 Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira; Gala da Revista "Saber Madeira/Açores, Magazine de Informação", S. Miguel, Açores; 2002 Galeria Valbom, Lisboa; Casa da Cultura de Cabeceiras de Basto; 2003 Galeria Art Hobler, Porto; Galeria Menardie, Berlim, Alemanha; Galeria Ao Quadrado, Santa Maria da Feira, no âmbito do Imaginarius; Galeria Gomes Alves, Guimarães; Pousada de Santa Marinha da Costa, Guimarães; 2004 Galeria Valbom, Lisboa; Galeria Degrau Arte, Porto; Esculturas 2004, Galeria Rui Alberto, Teatro de Vila Real; 2005 Museu de Macieira de Cambra, Vale de Cambra, no âmbito do Dia Internacional dos Museus; Galeria Art Hobler, Porto. Exposições Colectivas desde 1998: 1998 Galeria André Soares, Braga; Encontro de artistas subordinado ao tema "A Criança e o Ambiente", promovido pela Secretaria Regional da Educação da

P

"Fluxo" - Bronze - 12 x 14 x 60 cm - 2003

M

atthias Contzen nasceu em Aschaffen-burg, Alemanha, em 1964. Em 1987/1988, frequentou o curso de Escultura na Academia Europeia de Belas Artes de Trier. Em 1991, termina o curso de Escultura, em Munique. Em 1995, termina o curso de Design da Câmara de Artes e Ofícios e Escola de Belas Artes de Sarrebruck. Em 1998, termina um curso de pós-graduação em Escultura em Koblenz. Vive e trabalha em Portugal desde 1998.

Exposições Individuais: 2005 Gal. Municipal Vila Franca de Xira; 2002 (desde) www.matthiascontzen.com ,exposição virtual permanente; 2001 "Evoluções"; Galeria Art Konstant,Lisboa; "Contzentração", Centro Cultural de Cascais; 2000 Banco de Portugal, Lisboa; 1999: "Pedra Viva", Fábrica das Artes, Torres Vedras.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

032

033

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

PEDRO FAZENDA

MOISES

Sem título - Escultura em mármore - Dimensões: 0,85 x 1,00 x 0,80 m - 1989 s/Título - Mármores Diversos - 130 x 220

P

edro Fazenda nasceu em Coimbra, em 1957. Frequentou o AR.CO, Centro de Arte e Comunicação Visual, em Lisboa. Desde 1985 é co-responsável pelo Departamento de Escultura em Pedra do Centro Cultural de Évora. Participa em exposições colectivas e em simpósios de escultura desde 1981. Tem diversas esculturas públicas executadas e realizou várias exposições. Exposições Individuais: 2005 "Iminentes", Galeria 21, Évora; 2003 Conjunto de Esculturas em Pedra na Casa Nobre da Rua de Burgos, Delegação do Ministério da Cultura em Évora, no âmbito do projecto Escultura na Cidade, Évora 2003, Évora; "Peças Contraditórias", Pousada N.ª Sra. da Assunção, Arraiolos; Esculturas em Pedra, integrado no projecto "Danças com Livros", Convento da Saudação, Montemor-o-Novo; 2001 "432 esferóides" instalação na Cuba, Capela de São João Baptista, no âmbito do "Monsaraz Museu Aberto",

Monsaraz; 1998 "Interiores", Galeria Évora Arte, Évora; 1997 Biblioteca Municipal Calouste Gulbenkian, Ponte de Sôr; 1996 Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal; 1995 Galeria de Arte Tamar, Évora; 1994 Jardim do Departamento de Psiquiatria do Hospital São Francisco de Xavier, Lisboa; Galeria Municipal de Montemor-o-Novo; 1989 Galeria ARA, Lisboa; 1988 Galeria Leo, Lisboa; 1987 Galeria Roma e Pavia, Porto.

M

oisés nasceu em 1963 em Almada. Em 1983/89 Finalista do Curso de Escultura, Escola Belas Artes de Lisboa; 1992 Sócio fundador do Centro Internacional de Escultura, Pêro Pinheiro; Desde 1993 Coordenador dos Cursos de Iniciação à Escultura em Pedra do CIE. Algumas Exposições Individuais: Galeria Greca, Barcelona, Espanha; Galeria Detursa, Madrid, Espanha; Banque CIC, CNVB, Paris, França; Centro Cultural Solar do Unhão, S. Salvador/Bahia, Brasil; "Imargens", Escola António Arroio, Lisboa, Portugal; Instituto Nacional da Habitação, Lisboa, Portugal; Quinta da Piedade, C.M. Vila Franca de Xira, Portugal; Museu de Arte Contemporânea Sto.Domingo, Madrid,Espanha; 2005 Galeria Amador de Los Rios, Madrid, Eapanha. Prémios: 1986 Menção Honrosa, Exposição ESBAL, 50 Anos de Arte em Portugal; 1988 Menção Honrosa no Arte Jovem, Galeria Casino

Estoril, Portugal; 2º Prémio Concurso "Monumento ao Hospital Termal" Caldas da Rainha, Portugal; Menção Honrosa "Salão Primavera" Casino Estoril, Portugal; 1996 Menção Honrosa, II Prémio Edinfor de Escultura, Portugal; 2002 Menção Honrosa, Prémio City Desk de Escultura, Portugal. Obras Representadas: Caixa Geral de Depósitos; Hotel Estoril Sol; Hotel Aldeia da Oura, Algarve; Museu de Ílhavo; Banco Totta, Peniche; Câmara Municipal de Câmara de Lobos, Madeira; Câmara Municipal de Braga; Edifício Brisa, Carcavelos; Câmara Municipal de Cantanhede; Santuário de Fátima; Junta de Freguesia de Rio de Mouro; Câmara Municipal de Alfandega da Fé. Colecções Particulares: Portugal, Luxemburgo, Espanha, Alemanha, Holanda, Bélgica, França, Brasil, Estados Unidos da América.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

034

035

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

TERESA FRAZÃO

PINTURA
Abreu Pessegueiro . . . . . . . .039 Albertino Eduardo . . . . . . . . .040 Albino Moura . . . . . . . . . . . .041 Alfredo Martins . . . . . . . . . . .042 António Alonso . . . . . . . . . . .043 António Carmo . . . . . . . . . . .044 António Galvão . . . . . . . . . . .045 António Inverno . . . . . . . . . .046 António Moreira . . . . . . . . . .047 António Neca . . . . . . . . . . . .048 Artur Bual . . . . . . . . . . . . . . .049 Artur Nogueira . . . . . . . . . . .050 Bárbara Rebelo . . . . . . . . . .051 Barbara Walraven . . . . . . . . .052 Branco Cardoso . . . . . . . . . .053 Carlos Alexandre . . . . . . . . .054 Carlos Eirão . . . . . . . . . . . . .055 Clara Martins . . . . . . . . . . . .056 Custódia Bota . . . . . . . . . . . .057 Dina Lopes . . . . . . . . . . . . . .058 Emília Morais . . . . . . . . . . . .059 Fernanda Páscoa . . . . . . . . .060 Fernanda Pissarro . . . . . . . .061 Fernando Aguiar . . . . . . . . . .062 Fernando D. F' Pereira . . . . .063 Fernando Ventura Pereira . . .064 Filomena Coquenão . . . . . . .065 Gabriela Simões . . . . . . . . . .066 Gonçalo Delaunay . . . . . . . .067 Graciela Teixeira da Mota . . .068 Guilherme Parente . . . . . . . .069 Hélder Mendes . . . . . . . . . . .070 Helena Justino . . . . . . . . . . .071 Hélio Cunha . . . . . . . . . . . . .072 Hugo Claro . . . . . . . . . . . . . .073 Ivone Ralha . . . . . . . . . . . . .074 Jacinta Poupinha . . . . . . . . .075 Jacinto Luís . . . . . . . . . . . . .076 Jaime Isidoro . . . . . . . . . . . .077 Jayr Peny . . . . . . . . . . . . . . .078 Joao L.Marrocos Fernandes .079 Jorge Bandeira . . . . . . . . . . .080 José Grazina . . . . . . . . . . . .081 José Luis Pais . . . . . . . . . . .082 José Pádua . . . . . . . . . . . . .083 José Raimundo . . . . . . . . . . .084 Karino . . . . . . . . . . . . . . . . . .085 Lena Gal . . . . . . . . . . . . . . . .086 Lívio Morais . . . . . . . . . . . . .087 Luis Athouguia . . . . . . . . . . .088 Luis Fernando F. Ralha . . . . .089 Luis Vieira Baptista . . . . . . . .090 Manuel Gambôa . . . . . . . . . .091 Manuela Jardim . . . . . . . . . .092 Manuela Pinheiro . . . . . . . . .093 Margarida Areias . . . . . . . . . .094 Maria Condeço . . . . . . . . . . .095 Maria Galamba . . . . . . . . . . .096 Maria João Franco . . . . . . . .097 Maria José Ferreira . . . . . . . .098 Marília Viegas . . . . . . . . . . . .099 Mário Cesariny . . . . . . . . . . .100 Mário Silva . . . . . . . . . . . . . .101 Mário Vinte e Um . . . . . . . . .102 Miguel Petchkovsky . . . . . . .103 Natália Basto . . . . . . . . . . . .104 Nuno Pinheiro de Sousa . . . .105 Patrícia Marques . . . . . . . . . .106 Raul Perez . . . . . . . . . . . . . .107 Ricardo Paula . . . . . . . . . . . .108 Rita Cameira . . . . . . . . . . . . .109 Rodrigo Dias . . . . . . . . . . . . .110 Rui Amaral . . . . . . . . . . . . . .111 Rui Pacheco . . . . . . . . . . . . .112 Sandra Nunes (Cristina R) . .113 Sara Franco . . . . . . . . . . . . .114 Saulo Silveira . . . . . . . . . . . .115 Silvestre Raposo . . . . . . . . . .116 Teresa Lobo . . . . . . . . . . . . .117 Victor Lages . . . . . . . . . . . . .118 Xavier . . . . . . . . . . . . . . . . . .119

“Nevoeiro” - Escultura (relevo) - Mármore - 0.83 x 101.0 5 x 0.11

eresa Frazão, nasceu em Lisboa em 1950. Em 1974 Licenciou-se em escultura pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa. Entre 1976 e 1984 residiu na Suiça e posteriormente no Brasil, regressando a Portugal onde reside e trabalha actualmente. Desenvolveu a sua actividade artística trabalhando vários materiais como a terracota e o bronze. Nos últimos anos dedica-se a trabalhar quase exclusivamente a pedra em corte directo e em especial os mármores e granitos portugueses. Desde a sua primeira Exposição em 1987, vem realizando intensa actividade, participando em várias exposições individuais e colectivas. Executou as esculturas em pedra e os vitrais para a nova igreja da Cova da Piedade, assim como, o monumento ao primeiro Bispo de Setúbal. Está representada em várias colecções particulares e elaborou um conjunto escultório para o Hóspital Garcia da Orta em Almada. Obteve os prémios de aquisição das 4ª e 5ª mostras de Escultura de Ar Livre da Amadora, em 1993 e 1997. Exposições: 1987, Galeria Arte da Viragem, Cascais; 1998, Galeria Arte da Viragem, Cascais; 1998, Galeria de Arte do Casino do Estoril, "A Mulher na Arte Contemporânea Portuguesa"; 1989, Sociedade de Lingua Portuguesa; 1989, Ten-chi Associação Cultural G. Stobbaerts; 1991, 3ª Mostra de Escultura de Ar Livre, Amadora; 1991, 1ª Bienal de Artes do Concelho do Sabugal; 1992, Galeria de Arte e Mar, Sesimbra;

T

1992. Exposição de Persépios em Pedra, Shopping Amoreiras, Lisboa; 1992, Exposição de Persépios, Hotel Albatroz, Cascais; 1993, Galeria da "Pedra à Justa", Lisboa; 1993, "Criação, Morte, Ressureição", Hospital Garcia da Orta, Almada; 1993, 2ª Bienal de Artes do Concelho do Sabugal; 1993, Colectiva de Escultura e Desenho, Convento do Beato, Lisboa; 1993, 4ª Mostra de Escultura de Ar Livre da Amadora; 1994, Les Portes Ouvertes de la Bastille, Paris, França; 1994, CascaisShopping, "Bichos", Cascais; 1995, Expo Arte FACECO'95; 1995, 3ª Bienal de Artes do Concelho do Sabugal; 1995, 1ª Exposição Internacional de Artes Plásticas de Vendas Novas; 1995, Les Portes Ouvertes de la Bastille, Paris, França; 1995, Individuais, Hotel Tivoli, Lisboa; 1996, Expo Arte FACECO'96; 1996, 2ª Exposição Internacional de Artes Plásticas de Vendas Novas; 1996, Esculturas e Persépios em Pedra, Shopping Amoreiras, Lisboa; 1997, Galeria de Arte Óptica do Conde Redondo, Lisboa; 1998, Galeria de Arte da Cervejaria Trindade, Lisboa; 1998, Espaço Cultural, Recreios da Amadora; 1999, V Mostra Unión Fenosa a Coruña, Espanha; 1999, Percursos de Arte, Exposição de Arte Contemporânea, Lisboa; 2000, Casa da Guia, Cascais; 2000, Sociedade Portuguesa de Autores, "Gatos, Gatinhos, Gatonas e Gatões"; 2001, Casa da Galícia, Madrid "Te Lo Cuento en Piedra"; 2001, Forum Siemens, Alfragide; 2001, II Simpósio Escultura Monumental Pedra Alvor 2001. 2001, Os Descobrimentos Portugueses, Lagos; International Artexpo Califórnia, S. Francisco; 2003, Esculturas para tocar, Sintra; 2004, Ateneu Comercial do Porto; 2005, Galeria Municipal de Sintra, Museu Regional.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

036

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

ABREU PESSEGUEIRO

F

rancisco Alexandre Abreu Pessegueiro de Miranda nasceu no Porto em 1949. Estudou Pintura e licenciou-se em Arquitectura na Escola Superior de Belas Artes do Porto.

A partir de 1967 realizou 30 Exposições Individuais em Portugal e no Estrangeiro, sendo as últimas: Barcelona; Galeria Francisco Torralba: "Tranquilidad Atlantica"; Luxemburgo; Castelo de Bourglinster: "Solidité de l'eau"; Porto; Espaço d'Arte Portugal Telecom: "Exaltação da Água"; Lisboa; Galeria S. Francisco: "Narração da Luz"; Matosinhos; Galeria dos Paços do Concelho: "Sonhar a Matéria"; Lisboa; Galeria S. Francisco: "Silêncios do Infinito"; Vila do Conde; Forte S. João: "Quando a terra se junta ao mar…"; Braga; Quinta Ínfias: "Paisagens Primordiais"; Porto; Galeria Símbolo: "Os Elementos";Porto: Galeria do Palácio: "Porto de Luz". Participou em mais de 200 Exposições Colectivas salientando-se: 1980/82/84, II, III e IV Bienal de V. N. de Cerveira; Estoril, "Salão Nacional dos Arquitectos-Artistas"; Bordéus e Pau. "Arts Plastiques Contemporains Portugais"; 1989/90/91/94/99/00/01/03/04, Estoril, Galeria do Casino, "X, XI, XII, XIII, XV, XVI, XVII, XVIII Salões de Outono"; Stuttgard, Alemanha: "Portwein"; Bologna, Itália: "Artefiera"; Porto, "Arte no Porto há 25 anos"; Hall Smalle, Tampere, Finlândia: "Arte portuguesa contemporânea"; Valência, Espanha: "Artistas Portugueses Contemporâneos"; Porto, "Arte Portuguesa no Limiar do Séc XXI"; Porto, "Exposição Luso-Galaica de Artes Plásticas"; Lisboa, EXPO/98 (Pavilhão da Cruz Vermelha Internacional); Porto, "Incursões no Silêncio", Neutra; Bruxelas, "Peinture Portugaise Contemporaine à la veille du Siécle"; Estoril, Galeria do Casino, "Arte Contemporânea"; Porto, Quartel do Bom Pastor, "Di-Visões: uma “Porto II” exposição para invisuais e para os outros", Espaço T / Porto 2001. Está representado em várias colecções nacionais e estrangeiras, públicas e privadas. Tem realizado projectos de Arte Pública como por exemplo: 1994, Painéis cerâmicos no túnel da "Via Rápida"; 2000, Murais em mármore gravado com imagens digitalizadas, Universidade Portucalense; 2003, Intervenção Plástica na Urbanização da Ponte da Pedra em colaboração com o Pintor Alfredo Barros. É autor de uma extensa obra gráfica (serigrafias e litografias). É autor de textos de teoria e critica de arte, tendo sido correspondente do Institut Supérieur pour l'Etude du Langage Plastique (Bruxelas) para a "Arte Pública" em Portugal. Exerce também a actividade de arquitectura e é professor. É Presidente da Direcção da Associação de Professores de Desenho e Geometria Descritiva, APROGED. Obteve o "Grande Prémio de Arte Filatélica em Portugal/93" e a Medalha de Bronze do "Salon 94" (Societé des Artistes Français).

Bibliografia: "Portuguese 20th Century Artist's" - Michel Tanock, 1978, Ed. Phillimore, Chichester; "Dicionários dos Pintores e Escultores Portugueses" - F. Pamplona, 1987, Civilização Editora, Porto; "Artes Plásticas" - Fev/Março, 1993, Lisboa; "Casa e Jardim" - Abril, 1993, Lisboa; "Criarte" - Instituto de Apoio à Criança, 1993, Universitária Editora, Lisboa; "Environnemental 6/9 - L'Art Urbain dans l'Europe des Douze" - ISELP, 1993, Bruxelas; "Câmara Municipal de Matosinhos Obras de Arte" - 1995, Porto; "Um Presente Solidário" - Cruz Vermelha Portuguesa - 1997, Porto; "Environnemental 18 - Quoi de neuf?" ISELP,97, Bruxelas; "Arquitectos 176/177" - Associação dos Arquitectos Portugueses, 1998, Lisboa; "O Revestimento Cerâmico na Arquitectura em Portugal" - Estar Editora, 1998, Lisboa; "Porto de Encontro com a Arte" - Câmara Municipal do Porto, 2001, Porto; "Abreu Pessegueiro - Porto de Luz" - Porto, 2005.

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

039

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

ALBERTINO EDUARDO

ALBINO MOURA

A Boa Nova - Óleo s/ tela - 80X100

“Grito do Ipiranga I” - Acrílico s/Tela - 50x50

A

lbertino Eduardo, nasceu no Porto em 1950. Seu pai, Femando Ventura Pereira, pintor surrealista foi o seu primeiro Grande Mestre.

Frequentou de 1963 a 1968 a Escola de Artes Decorativas Soares dos Reis. Foram seus professores Antônio Fernandes e António Cruz, dois grandes Mestres da pintura portuguesa. Aos 18 anos iniciou a carreira de jogador profissional de futebol onde jogou no Leixões S.C., F.C.Porto e na Selecção Nacional. Em 1989, aposta na sua primeira paixão, a pintura, dedicando-se por completo a esta arte. Entre 1997 e 1999 viveu em França, instalando o seu atelier na Vila de Douai. Muitas das suas obras foram inspiradas nas suas muitas viagens de onde se destacam o Peru, Brasil, Moçambique, India, Bósnia, Mêxico e Cabo Verde. Exposições Individuais: Hotel do Parque -Braga; Galeria Vedovi - Bruxelas - Bélgica Galeria Nazoni - Porto; Galeria Le Art - Lille - França; Salão Expoart - Sion -

Suiça; Galeria Lerission - Paris - França; Galeria Le Margand - Liége Bélgica; Hall do Hotel Ville de Dudelange - Luxemburgo Casa Cultura da Trofa; Posto de Turismo Praça de S. Tiago - Guimarães Galeria Volvo; Galeria Caminha. Exposições Colectivas: Expo-Salão-Batalha; Câmara Municipal de Santo Tirso Vila Nova de Cerveira; Casa da Estrada - Espanha; Câmara Municipal de Montemor-O-Novo Junta de Freguesia de Matosinhos Casa da Anta Caminha; Arte na Planicie - Montemor-O-Novo; Arte na Leira - 2005. Colecções Particulares: Presidente da República Dr. Jorge Sampaio; Eurodeputado Dr. Silva Peneda; Presidente da República de Moçambique Joaquim Chissano; Embaixador Dr. António Tânger Corrêa; Cantor Paco Bandeira; Empresário José Veiga; Empresário Manuel Ferreira; entre outros. Foi fundador do Grupo de Pintores" Luso -Galaicos

lbino Moura nasceu em Lisboa. Autodidacta, recebeu orientação de Fred Kradolfer e colaborou em trabalhos de decoração. Expõe regularmente desde 1959, com participações no V e VI Salão de Arte Moderna da SNBA (1962/1963) e no I Centenário da SNBA (2002). Autor com obra galardoada, recebeu prémios de pintura das Câmaras Municipais de Abrantes e Vila Franca de Xira; a Medalha de Prata da Costa do Sol; Cartaz Comemorações do Dia de Camões; Cartaz Câmara Municipal de Palmela, 1985; Cartaz Câmara Municipal de Vila Franca de Xira; Pintura Manuel Filipe; Menção Honrosa Expo. Peq. Formato, Cascais; I Salão de Artes Plásticas, Sintra, 1992; Cartaz Câmara Municipal de Seixal, 1992; Cartaz - Sindicato dos Bancários, 1993; Câmara Municipal da Amadora, 1993. Exposições Individuais: 1967 Galeria Amigos de Lisboa; 1974 Galeria "Diário de Notícias", Lisboa; 1979 Galeria A. M. Pereira; 1982 Galeria "O País", Lisboa; 1983 Galeria Aliance Française, Almada; 1984 Hotel Tivoli, Sintra; Galeria Cetária, Setúbal; 1985 Galeria Almadarte, Costa da Caparica; 1990 Nova Galeria do Barreiro; 1991 Galeria de Arte Escorial, Lisboa; Ditec, Espaço Arte, Lisboa; Galeria

A

Roca, Marinha Grande; 1994 Galeria de Arte do Casino do Estoril; Grade, Galeria de Arte, Aveiro; Galeria Artela, Lisboa; 1995 Galeria Loios, Porto; Galeria Edmundo Cruz, Colares; 1996 Galeria Augusto Cabrita, C. M. Seixal; Galeria Artela, Lisboa; Galeria Atelier, Laranjeiro; 1997 Galeria Interatrium, Porto; Galeria Inquisição, Setúbal; 1998 Galeria Municipal da Amadora; 1999 Galeria Artela, Lisboa; Galeria Edmundo Cruz, Colares; Galeria Municipal de Almada; 2000 Galeria Municipal do Barreiro; Refeitório Mundet, C. M. Seixal; Galeria Arte & Mar, Sesimbra; Galeria Municipal de Alcácer do Sal; Galeria Edmundo Cruz, Colares; Galeria Artela, Lisboa; 2001 Galeria de Arte do Casino do Estoril; 2002 Galeria Municipal Gymnásio, Lisboa; 2002 Galeria Bonheur Du Jour, Lisboa; 2003 Galeria Bonheur Du Jour, Lisboa; Perve Galeria, Lisboa; Artedoze, Algés. Prémios: Pintura C.M. Abrantes; Pintura C.M. Vila Franca de Xira; Medalha de Prata da Costa do Sol; Cartaz, Comemorações do Dia de Camões; Cartaz, C. M. Palmela,1985; Cartaz, C. M. Vila Franca de Xira; Pintura Manuel Filipe - Viragem, Cascais; Menção Honrosa, Exp. Peq. Formato, Cascais; I Salão de Artes Plásticas, Sintra, 1992; Cartaz C. M. Seixal, 1992; Cartaz, Sindicato dos Bancários, 1993; C. M. Amadora, 1993.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

040

041

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

ALFREDO MARTINS
1996 Galeria Sépia, Braga; "0 Figura", Homenagem a Artur Bual nos 70 anos do Pintor, Galeria Municipal da Amadora; 1997 X Bienal da Festa do Avante, Quinta da Atalaia, Seixal; Galeria Milénio, Figueira da Foz; "100 Anos de Cinema", Museu Municipal Dr. Santos Rocha, Figueira da Foz; 1998 Fórum da Siemens, Amadora; II Exposição de Artes Plásticas do Espólio Municipal, Galeria Municipal da Amadora; Exposição comemorativa do XIV Aniversário da Galeria Inter-Atrium, Porto; Exposição Prémio Nacional de Pintura "António Joaquim / Artistas de Gaia", V. Nova de Gaia; 1999 "Entre Pincesas, Fadas e Mouras Encantadas…", Espaço Cultural Casal S. Domingos, Sintra; XI Bienal da Festa do Avante, Quinta da Atalaia, Seixal; Exposição de Arte Contemporânea "Percursos de Arte", Lisboa; Exposição de Pequeno Formato, na Galeria InterAtrium, no Porto; Exposição Comemorativa do XV Aniversário da Galeria Inter-Atrium, Porto; 2000 Exposição "Com amor envio um postal de Sintra", Galeria Municipal de Fitares, Sintra; Encontros do Livro Infantil, Mostra de Ilustradores, Teatro Académico Gil Vicente, Coimbra; Exposição de Pequeno Formato, Galeria Inter-Atrium, Porto; Exposição comemorativa do XVI Aniversário das Novas Instalações da Galeria Inter-Atrium, Porto; 2001 Exposição comemorativa "130 Anos da Comuna de Paris", Porto; Exposição "Dos Anjos, a beleza ea formosura", Sintra; Exposição de Pequeno Formato, Galeria Inter-Atrium, Porto; Porto-Arte, Feira de Arte Moderna, Porto; XII Bienal da Festa do Avante, Quinta da Atalaia, Seixal; Exposição "Prémio Nacional de Pintura António Joaquim, Artistas de Gaia", Vila Nova de Gaia; Colectiva com Escultura de Eduardo Nascimento, Hotel Carlton, Portimão; 2002 Colectiva de Pintura e Escultura, Beja; Exposição de Pequeno Formato, Galeria Inter-Atrium, Porto; Exposição comemorativa do XVIII Aniversário da Galeria Inter-Atrium, Porto; 2003 XIII Bienal da Festa do Avante, Quinta da Atalaia, Seixal; Exposição de Pequeno Formato, Galeria Inter-Atrium, Porto; Exposição comemorativa do XIX Aniversário da Galeria Inter-Atrium, Porto; 2004 Exposição de Pequeno Formato, Galeria Inter-Atrium, Porto; Exposição comemorativa do XX Aniversário da Galeria Inter-Atrium, Porto; Exposição Pintores Portugueses, Inter-Atrium Galeria d'Art, Barcelona; 2005 XIV Bienal da Festa do Avante, Quinta da Atalaia, Seixal; Exposição "Musica", InterAtrium, Porto; Exposição comemorativa do XXI Aniversário da Galeria Inter-Atrium, Porto. Prémios: Prémio Nacional de Ilustração/1997, I.B.B.Y (International Board on Books for Young People) e I.P.L.B. (Instituto Português do Livro e das Bibliotecas). Mais Informações em: www.artenaplanicie.com

ANTÓNIO ALONSO

“2Paisagem Marítima” - 81x100

lfredo Martins nasceu em Lordelo do Ouro, PORTO,em 1939. Está representado em museus e colecções particulares. Menção no dicionário Portuguese 20th Century Artists, Michael Tannock, Londres. Exposições Individuais: 1990 Museu Municipal Dr. Santos Rocha, Figueira da Foz; 1993 Museu Municipal Dr. Santos Rocha, Figueira da Foz; 1996 Galeria Municipal, Amadora; Casa Municipal da Cultura, Coimbra; Esteta Galeria, Porto; 1998 Galeria Municipal de Fitares, Sintra; Auditório Municipal, Gondomar; 1999 Galeria Inter-Atrium, Porto; 2001 Galeria Inter-Atrium, Porto; 2002 Galeria Minicipal Artur Bual, Amadora; 2003 Galeria Inter-Atrium, Porto; Galeria Municipal de Arte da Câmara Municipal de Moura; 2004 Galeria "O Rastro", Coimbra; Convento de S. José, Lagoa; 2005 Galeria de Arte Vale do Lobo, Vale do Lobo; 2006 Galeria Inter-Atrium, Porto. Exposições Colectivas: 1957 I Exposição de Pintura, Clube Fenianos Portuenses, Porto; 1958 II Exposição de Pintura, Clube Fenianos Portuenses, Porto; 1959 Exposição "A Arte e a Mina", Minas do Pejão, Pejão; 1961 III Salão dos Novíssimos, SNI, Palácio Foz, Lisboa; 1962 IV Salão dos Novíssimos, SNI, Palácio Foz, Lisboa; 1973 I Bienal Nacional de Artistas Novos, Fundação Cupertino de Miranda, V. Nova de Famalicão; 1985 Exposição Nacional de Artes Plásticas, Casa Museu Teixeira Lopes, V. Nova de Gaia; 1991 "ARTELORDE" (Desenho e Pintura), Junta de Freguesia de Lordelo do Ouro, Porto; 1993 VIII Bienal da Festa do Avante, Quinta da Atalaia, Seixal; 1994 Casino da Figueira da Foz, Figueira da Foz; Galeria Torre de Anto, Coimbra; Espaço Cultural / Centro Hotel Vitória, Lisboa; 1995 "ARTELORDE" (Desenho e Pintura), Junta de Freguesia de Lordelo do Ouro, Porto; IX Bienal da Festa do Avante, Quinta da Atalaia, Seixal;

A

S/Título - 120X80

ntónio Alonso, nasceu em Angola no ano de 1960. Participou nas seguintes Exposições Colectivas: 1978, Edificio Chiado Coimbra; 1990, Galeria Jornal de Noticias Lisboa; 2005, Golfinhos e arte, Galeria de Arte Marina de Albufeira; 2005, MALA "Mostra dos artistas de Lagos" Centro Cultural de Lagos. Exposições Individuais: 1996, Slochburg Wuppertall, Colónia; Gholiarts Ateliers, Bremmen; 1998, Emmy studio, Miami; 2002, Galeria Cerca 13, Lagos; 2003, Galeria Porca Preta, Monchique; 2005, Centro Cultural De Lagos; Teatro del Gato, Ascona; Teatro Nuovostudiofoce, Lugano; Galeria Praça do Mar, Quarteira.

A

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

042

043

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

ANTÓNIO CARMO

ANTÓNIO GALVÃO

A

ntónio Carmo, nasceu em 1949 na Madragoa, Lisboa e Estudou na Escola António Arroio. Exposiçóes em Portugal: Desde 1968 vem apresentando os seus trabalhos, nomeadamente em exposições individuais e colectivas, nas Galerias Diário de Notícias, S. Francisco, S. Mamede, Tempo, S.N.B.A, Triângulo 48 e MAC em Lisboa, Galeria 2 e Morada no Porto, Galeria Municipal da Amadora, Galeria Escuderos em Beja, Galeria Arte Vária em Coimbra, Galeria Arco 8 nos Açores, Galeria Neupergama em Torres Novas, Igreja Santiago em Palmela, Teatro Baltazar Dias na Madeira, Museu Grão Vasco em Viseu, Museu de Castelo Branco, Museu de Setubal, Museu de Santiago do Cacém, Museu da Figueira da Foz, Bienal da Maia 97, Palácio D. Manuel em Évora, Casa do Corpo Santo em Setubal e Galeria Municipal de Abrantes. Galeria Mónica Pereira no Porto, Galeria Artur Bual na Amadora, Galeria do Castelo S. Jorge em Lisboa, Galeria Municipal de Seia, Convento S. José em Lagoa.

“Leva-me” - Óleo s/Tela - 150x100

Exposiçóes no Estrangeiro: ALEMANHA - Galeria Am Weinendamm / Berlim (col.) 1984 - Galeria Louise / Hannover (col.) 1988 - Galeria Dresdner Bank / Munique (col.) 1990 - Galeria Portugal in Drei Räumen / Berlim (col.) 2002 - Berliner Fernsehturm (indiv) e Galerie Artvento (indiv) / Berlim 2004. AUSTRÁLIA -Portuguese Etnographic Museum / Sidney (col.) 1995 - Gabriel Gallery/ Melbourne (col.) 1995 Steps Art Gallery / Melbourne ( col.) 1995. BÉLGICA - Galeria Racines / Bruxelas (indiv.) 1987 - Galeria L´Oeil / Bruxelas (indiv.) 1989 Galeria Racine/L´Oeil / Bruxelas (indiv.) 1996 - Galeria Albert I / Bruxelas (col.) 1997/98 e 2000, Parlamento Europeu / Bruxelas (indiv.) 1998. BRASIL - Museu do Homem do Nordeste / Recife, Mario 2004 Teatro de Alencar / Fortaleza, Abril 2004 - Palacio das Artes / Belo Horizonte, Maio/Junho 2004 - Casa de Portugal / S. Paulo (indiv.), Junho/Julho 2004. BULGÁRIA - Jovens Pintores Portugueses (col.) 1985 - Exposição sobre a obra de Dimitrov (col.) 1985. CABO VERDE Exposição no Instituto Camões nas cidades da PRAIA e MINDELO (indiv.) 2002. CANADÁ - Centro Cultural Jacques Auger / Ottawa (indiv.) 1999 - Galeria Almada Negreiros / Toronto (indiv.) 1999 - Sala Multiusos / Montreal (indiv.) 1999. CHECOSLOVÁQUIA - Exposições colectivas em Praga e Bratislava 1988. ESPANHA - Alcalá de Henares (col.) 1977 - Bienal Joan Miró (col.) 1978/1980/1982 - Bienal do Desporto/Barcelona (col.) 1993 - Galeria Espai Blanc / Barcelona (indiv.) 2000 - Artexpo Feira de Artes no Palácio dos Congressos / Barcelona 2001. GUINÉ-BISSAU - 2ª Feira das Amostras / Bissau (indiv.) 1971 - Liceu Honório Barreto / Bissau (indiv.) 1971. HOLANDA - Galerias 109 e Solidair / Roterdão (indiv.) 1980 - Galerie Ibérica / Haia (indiv.) 1983 - R.A.I. - Centro Internacional de Congressos / Amesterdão (col.) 1994 - Galeria Brinkman / Amesterdão (indiv.) 1994. INGLATERRA - Casa de Portugal / Londres (indiv.) 1975. JAPÃO - Arts Bank Tokyo / Tokyo (indiv.) 1991 - TIAS 92 (Tokyo International Art Show) / Tokyo (indiv.) 1992. LUXEMBURGO - Galeria Royal (indiv.) 1996 - Instituto Camões (indiv.) 2001. MACAU - Instituto Cultural de Macau (indiv.) 1987. MARROCOS - Museu Ondayas / Rabat (indiv.) 1993 - El Jadida / Casablanca (indiv.) 1993. SUÉCIA - Stadsmuseum Göteborg - Gutemburgo (indiv.) 2001, Etnografiska Museet -

Estocolmo (indiv.) 2005. SUÍÇA - Union Postale Universelle (indiv.) 2000. U.R.S.S. - Palácio da Cultura na Bielorussia / Minsk (indiv.) 1990 - Casa da Amizade dos Povos / Moscovo (indiv.) 1990. U.S.A - Museu Cabrilho / S. Diego-Califórnia (indiv.) 1988. VENEZUELA - FIV - Feira Industrial de Valencia / Valencia (col.) 1983. Representações Nacionais: Museu Tavares Proença Junior em Castelo Branco, Museu Armindo Teixeira Lopes em Mirandela, Museu Martins Correia na Golega, Museu Grão Vasco em Viseu, Museu Diogo Gonçalves em Portimão, Museu Municipal de Estremoz, Museu Convento de Jesus em Setubal, Museu Caixa Geral de Depsitos em Lisboa, Museu do Desporto em Lisboa, Museu Dr. Santos Rocha na Figueira da Foz, Colecção da Câmara Municipal da Amadora, Colecção de Banco de Portugal, Colecção de Instituto Cultural de Macau, Colecção de Montepio Geral, Colecção de Câmara de Lisboa, Colecção de Câmara de Beja, Colecção de Câmara de Palmela, Colecção de Câmara de Seixal, Colecção de Câmara de Castro Verde. Representações internacionais: Museus Montecatini em Itália, S. Antonio de Los Bãnos em Cuba, Palácio da Cultura na Bulgária, Angola, Pantwowe na Polónia, Colecção privada de Bodo HüsingHoge na Suiça e Instituto Camões no Luxemburgo. Paineis de grandes dimensões na APEB em Bruxelas. Menções: Portuguese 20th Century Artists de Michael Tannok, Dicionário dos Pintores e Escultores Portugueses de Fernando Pamplona, The World's Art Directory, Livro de Artistas em Portugal de Margarida Botelho, Artist Yearbook International, Aspectos das Artes Plásticas em Portugal de Fernando Infante do Carmo e Enciclopedia Luso-Brasileira Verbo/Edição 98. Prémios de Ilustração: Especial MAC 1997 Pintura MAC 2000; Ilustrações: Em jornais e livros de várious autores portugueses. Artista Exclusivo: Japan Arts Bank / Tokyo para o Japão e Galerie Albert I / Bruxelas para a Bélgica. Quadros em permanência nas Galerias Albert I em Bruxelas e MAC (Movimento e Arte Contemporânea) em Lisboa

Flamenco I - Acrílico s/tela - 70 x 40 - 2005

ntónio Galvão, nasceu em Moura (Baixo Alentejo) em 1945 e encontra-se radicado na Amadora há 43 anos. Frequentou o curso de pintura da Escola de Artes Decorativas António Arroio em Lisboa e profissionalmente, além da pintura, exerce a actividade de designer, particularmente e no Gabinete de Design de Comunicação na Câmara Municipal da Amadora. Desde 1960 que se dedica à pintura, tendo já realizado mais de uma centena de exposições, tanto individuais como colectivas no País e no Estrangeiro. É membro efectivo da Associação de Artistas plásticos da Amadora , sócio da SPA e inscrito no Centro Português de Design. Tem colaboração dispersa em vários jornais e revistas , com ilustrações, conto e poesia, e na área do Design já foi diversas vezes premiado ao longo de mais de 40 anos de actividade artística. Mencionado também em publicações sobre Arte, e representado em colecções particulares, Museus e locais públicos. É autor de vários troféus nomeadamente o da B.D. da Amadora do Festival de MPP (Prémio José Afonso), do Salão de Inventores da Amadora , do Festival de Magia do Casino do Estoril etc, e também em várias medalhas comemorativas.

A

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

044

045

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

ANTÓNIO INVERNO
Calouste Gulbenkian. Esta acção prolongou-se até 1990. 1993 Criou o Centro de Serigrafia António Inverno; 1994 Colabora em vários Centros Culturais no Alentejo, promovendo exposições de artes plásticas de âmbito nacional. 2001 Criou o cenário para os estúdios da RTP Internacional. Convidado para criar e executar um painel da estação do metro do Arteiro. Principais Exposições Individuais: 1985 Galeria Atelier 2; 1987 Pintura, Galeria Barata, Lisboa; 1990 Clube Taurino Vila franquense, Pintura, Galeria Artela, Lisboa; 1991 Centro Cultural de Santarém; 1992 Monsaraz Museu Aberto; 1993 Galeria, Bar Sintra; 1995 Galeria Municipal da Amadora; 1996 Exposição comemorativa 25 Anos de Serigrafia, Palácio Galveias Lisboa; Exposição comemorativa 25 Anos de Serigrafia, Club Setubalense e Academia de Música e Belas-Artes de Setúbal; 1997 Galeria São Francisco; 1998 Cultur art (Foyer Européen); Galeria Municipal da Amadora; Galeria Municipal de Setúbal; Galeria C.M. Funchal; Galeria Bento Teresa Sargento, V. V. Ficalho. 1999 Centro Cultural de Santarém; Escola Secundária Alves Redol, V. Franca de Xira. Cine Teatro de Serpa; Galeria Artela, Lisboa; 2001 Centro Cultural de Santarém; ArtEmpório Galeria, Lisboa; 2002 SeteComArte Galeria; Galeria c@fé, Serpa; 2003 Pintura Galeria ArtEmpório; 2003 Pintura - Instituto de Saúde Mental, Setúbal; 2003 Pintura - Galeria C.M. Salvaterra de Magos. Principais Exposições Colectivas: 1985 Pintura - Galeria Novo Século, Lisboa; 1986 Pintura - Galeria São Bento, Lisboa; 1987 Pintura - Salão de Pintura Contemporânea, Sesimbra; Galeria Atelier 2, Lisboa; 1988 Galeria Mirón, Lisboa; 1992 Galeria de Setúbal; Pintura - Câmara Municipal de Torres Novas; 1994 Pintura - Centro Cultural de Barrancos; Núcleo de Artes de Setúbal; Pintura Soc. Coop. de Grav. Portuguesa; Pintura - Museu Alberto, Monsaraz; Homenagem a Estrela Faria; Pintura Junta Freg. de Casais (Apoio a Bombeiros); 1995 Pintura - Galeria de Vila Franca de Xira - Homenagem a Victor Mendes; 1997 Galeria Movimento de Arte Contemporânea; 1998 Galeria Leo. Porto; Palácio D. Manuel, Évora; 1999 Galeria Movimento de Arte Contemporânea; 2000 PriceWaterHouseCoopers / ArtEmpório Galeria, Museu da Patriarcal, Lisboa; Castelo de Beja; Galeria Samora Correia; 2001 Galeria EDIA. ArtEmpório Galeria, Lisboa; Galeria da Direcção Geral da Administração da Justiça; Galeria Municipal de Moura; 2002 C.M. de Morforte; 2002 Galeria de Morsaraz; 2003 XVIII Jornadas dei Património de Ia Comarca de Ia Sierra, Huelva Espanha; 2003 Galeria Vila Franca de Xira - Semana de Cultura Taurina; 2003 Centro de Arte Contemporânea da Amadora.

ANTÓNIO MOREIRA

s/Título

ntónio Inverno, nasceu em Monsaraz, a 27 de Outubrode 1944. Em 1956 chega a Lisboa; 1958 - Matricula-se na Escola António Arroio; 1964 Conclui o curso de Gravador Litografo. Teve como principais mestres, Roberto de Araújo, Manuel Lima, Estrela Faria e Abreu Lima. Trabalha, entretanto, no atelier de Jorge Barradas na Fábrica da Viúva Lamego; 1966 Segue para a Guiné em serviço militar começando, entretanto, o seu contacto com Africa; 1968 Regressa a Lisboa. Trabalha com Rogério Ribeiro e Mário Rafael. Colabora na decoração de interiores do edifício da actual sede da Gulbenkian; 1969 Ingressa na equipa de Thomas de Mello, no sector gráfico na Feira Internacional de Lisboa; 1970 Colabora na "Seara Nova" onde promove edições de serigrafias de artistas portugueses contemporâneos; 1971 Instala um atelier na Avenida 5 de Outubro. Realiza maquetas, destinadas a publicações de vários organismos e empresas; 1972 Inicia a actividade de serígrafo. Cria um atelier exclusivamente consagrado à serigrafia na Avenida Conde Valbom. Colabora com Júlio Pomar, Vespeira, Charrua, Espiga Pinto. Eduardo Nery. Maria Keil, Francisco Relógio, Jorge Vieira, Costa Pinheiro, Eurico Gonçalves entre outros. 1973 Sócio fundador do Centro Comunicação Visual A.R.C.O.. Aluga um espaço na Rua da Emenda onde (ainda permanece) no qual prossegue a sua carreira como serígrafo; 1974 Participa através do País nas Campanhas de Dinamização Cultural. Tem parte activa na elaboração de cartazes e organização de espectáculos teatrais e musicais. Esta acção prolongou-se até 1975. 1976 Membro fundador do Centro Cultural de Almada; 1977 Organiza e lecciona cursos de serigrafia através de quase todo o país, destinados a professores de Educação Visual, bem como a animadores ligados às autarquias. Esta acção prolongou-se até 1979. 1982 No âmbito do intercâmbio com África efectua sucessivas viagens, sendo entretanto solicitado, e entre outras tarefas, para seleccionar jovens artistas aos quais são atribuídos bolsas de estudo nos principais centros culturais da Europa. Esta acção prolongou-se até 1985. 1986 Forma novos colaboradores no atelier na Rua da Emenda. Dá assistência a bolseiros da Fundação

A

“Papagaio I” - Técnica Mista

ntónio Moreira, Escritor, Pintor,Poeta e Ensaísta Nasceu em 23 de Fevereiro de 1953, em São Marcos da Serra, concelho de Silves. Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. À multiplicidade dos seus interesses corres-ponde a dispersão das suas actividades, que se desdobram em múltiplas facetas. Tem colaborações na imprensa, de que se destacam: O Jornal; Diário de Notícias, Boletim de Estudos sobre o Comunismo, GranAmadora. Tem também traduções e diversos trabalhos publicados, nomeadamente na área da História.À multiplicidade dos seus interesses corresponde a dispersão das suas actividades, que se desdobram em múltiplas facetas. Tem também traduções e diversos trabalhos publicados, nomeadamente na área de História.

A

Exposições: 1989 Exposição Galeria Aberta, Galeria Municipal de Almada, Agosto a Setembro; 2000 Individual, Espaço Alcáçova, Montemor-o-Novo, Espaço Alcoçovas; 2000 Colectivas, Bienal Cardoso Lopes; Funcion`arte, Exp. Dos Trabalhadores da CMA; C.M. Amadora; Exp. de Pintura e Escultura dos artistas plásticos da Damaia no Centro Cultural António Aleixo em Vila Real de Stº António; 2001 Exp. Colectiva de artes plásticas Grupo da Mina no espaço Recreios da Amadora de 20 de Fevereiro a 4 de Março de 2001; Diana, Denise e Antómio Moreira no Centro Cultural da Damaia; 2002 Exposição Colectiva de Pintura, Escultura e Cerâmica, " A Poesia da Forma e da Cor" no Convento de S. José, Galeria Manuel Gamboa, Lagoa.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

046

047

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

ANTÓNIO NECA

ARTUR BUAL

A

rtur Bual, nasceu em Lisboa em 1926 e faleceu na Amadora em 1999. Pintor, Escultor e Ceramista. Realizou diversas exposições em Portugal e no estrangeiro. Está representado em diversas colecções: Palácio da Justiça de Lisboa, Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, Museus Nacionais, Câmaras Munici-pais, Centro de Formação Profissional de Pegões, Governo Regional dos Açores, etc. Executou diversos frescos em 12 Capelas, no Alentejo e Ribatejo.

Prémios: 3° Prémio da Exposição "Um Americano em Paris" M.G.M. em 1952; Prémio Nacional Amadeo de Souza Cardoso em 1959; 3º Prémio do Sindicato dos Críticos de Arte na I Bienal de Paris em 1959; 1º Prémio do II Salão de Arte Moderna da Junta de Turismo da Costa do Sol em 1964; 2º Prémio do Concurso de Pintura da BP em 1966; Prémio Artes Plásticas das Revistas "Eles e Elas" e "Nova Gente" em 1983 e 1984; Prémio MAC´Carreira em 1997, Movimento Arte Contemporânea. Colaboração de Ilustração: Tomou parte nos Encontros Internacionais de Arte Caldas da Rainha e Vila Nova de Cerveira, organizados pelo Grupo Alvarez. Com Carlos Avilez e Francisco Relógio, colaborou, como director plástico em várias cenografias levadas à cena no Teatro Experimental de Cascais e do Porto. Foi director gráfico da revista de arte e letras "Contravento". Executou painéis-mosaico para a estação da CP da Amadora e para o Metropolitano de Lisboa. Ilustrou os livros "Instinto Supremo" de Ferreira de Castro, "As Alegres Noites de Um Boticário" de Miguel Barbosa e "Rencontre avec culture Portugaise" (Nov./91 - Paris). Exposições Individuais e Colectivas desde 1967: 1967 Fundação Calouste Gulbenkian, 60 Anos de Arte Portuguesa em Bruxelas, Bélgica; 1968 5 Pintores Portugueses na Sala de Santa Catalina del Ateneo de “Sem título” - Acrílico sobre papel colado em tela - 100 x 70 Madrid, Madrid, Espanha; 1969 Museu de Arte Moderna, 11 Artistas Portugueses, Rio de Janeiro, Brasil; 1969 Palácio Foz, 5 Artistas Portugueses, Lisboa; 1969 II Bienal Internacional del Deporte en las Bellas Artes, Madrid, Espanha; do Casino Estoril, Fernando Namora 50 anos de vida literária, Estoril; 1969 Museu de Arte Moderna de Belo Horizonte, I Exposição 1988 Biblioteca Nacional de Praga, Exposição de Pintura Portuguesa, Circulante, Brasil; 1971 Galeria de Arte da Secretaria de Turismo e Praga, Checoslováquia; 1990 Exposição no Ayuntamento de Cordoba, Fomento do Município de S. Paulo, São Paulo, Brasil; 1974 Galeria S. Espanha; 1991 Exposição na Galeria Magellan, Paris, França; 1991 Francisco, Diálogo 74, Exposição colectiva de pintura, Lisboa; 1975 Galeria de Arte do Casino Estoril, XII Salão de Outono, Estoril; 1992 Palácio Foz, Exposição de 100 obras do Património do M.C.S., Lisboa; Exposição no Leal Senado em Macau integrado nas comemorações do 1977 IV Encontros Internacionais de Arte em Portugal, Caldas da dia de Portugal e das Comunidades, Macau; 1992 VII - Bienal de Arte Rainha; 1978 I Bienal de Arte de Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de de Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de Cerveira; 1993 Galeria S. Cerveira; 1980 II Bienal de Arte de Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de Francisco, Lisboa; 1993 II Simpósio Internacional de Escultura em Cerveira; 1981 Galeria Tempo, Diálogo Corporal, Grupo Alvarez, Ferro na Amadora, Amadora; 1994 Fábrica da Cultura, Retrospectiva Lisboa; 1981 Galeria Neupergana, 15 Pintores Portugueses, Grupo antológica da obra de Artur Bual, Amadora; 1995 Museu Municipal Dr. Alvarez, Torres Novas; 1982 Museu Nacional de Arte Moderna, Santos Rocha, Figueira da Foz; 1996 Cordoaria Nacional, I Salão de S.N.B.A., I Exposição Nacional de Arte Moderna, Porto; 1983 Galeria Prestígio, THE BEST, Lisboa; 1996 Exposisition " Le rêve et S. Francisco, Exposição de Originais Portugueses, Lisboa; 1983 L'exotisme, Culture Brésiliens et Portugais, Avignon, França; 1997 Museu de Setúbal, Da Arte à Escola/Da Escola à Arte, Setúbal; 1983 Galeria MAC, Arte Gráfica de Bual, Lisboa; 1999 Galeria Municipal Museu Municipal Armindo Teixeira Lopes, Mirandela; 1984 Galerie de Artur Bual, "Sopros de Ser", Amadora... la Maison Portugaise, Artur Bual e Miguel Barbosa, Marseille, França; 1985 Galeria Almada Negreiros, M. da Cultura, Homenagem dos Artistas Portugueses a Almada Negreiros, Lisboa; 1988 Galeria de Arte Mais informações em : www.artenaplanicie.com

s/Título

A

ntónio Neca nasceu em Serpa, Baixo Alentejo, em 1957.

Exposições Colectivas: Vários salões organizados pela Galeria de Arte do Casino Estoril desde 1985; Edifício Chiado, Coimbra; Lousã; Galeria Almadarte, Costa da Caparica; Associação do Património Cultural de Beja; Palácio dos Duques de Bragança, Guimarães; XIII e XV Quinzena Cultural do Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas; Galeria Ditec, Lisboa; Palácio Foz, Lisboa; Casino da Figueira da Foz; Casino de Espinho; Lisboa-94 "Capital Europeia da Cultura"; Hotel

Meridien; Consumment Arte, Nuremberga; Embaixada de Portugal em Praga; Instituto Cultural de Macau "Centro de Actividades Turísticas"; Câmara Municipal de Celorico da Beira; Galeria Recreio das Artes, Amadora e várias exposições em Serpa, Vila Verde de Ficalho e Vila Nova de São Bento. Menções Honrosas: IX; XIII; XIV; XVIII Salões Pintura NAIF Casino Estoril, IX Quinzena Cultural de Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas e ARTE nas Terras Raianas "Prémio Salúquia das Artes 2002".

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

048

049

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

ARTUR NOGUEIRA

BÁRBARA REBELO

Danças de Guerras "Sem título" - Acrílico s/Tela - 80 x 60

A

rtur Nogueira, nasceu em Vila Nova de Milfontes no ano 1959. Iniciou o seu percurso artístico em 1979 na área da modelagem em cerâmica, produzindo peças de artesanato, tendo como motivo peixes. Em 1989 conheceu o mestre Fernando Cabral que tem desenvolvido actividades ligadas á ciência musicológica e historia natural. O percurso deste mestre não é alheio à sua formação na Smitsonian Institution, e no museu de Nova York. Nas aulas com este mestre adquiriu conhecimentos na área de produção de materiais científicos com recursos a técnicas de dermoplástica escultura de alto rigor e em que os produtos são as resinas sintéticas. Ao longo do seu percurso artístico realizou trabalhos plásticos de temática científica para o Museu Augusto Nobre da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Ao abrigo do programa ciência onde foi aberto concurso Internacional.

Na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa onde executou cenários para o Museu de História Natural. Colaborou com o Jardim Zoológico de Lisboa no Habitat da Otárias. Tem realizado, por encomenda, peças decorativas para interiores e exteriores, de empresas e particulares, trabalhos com cariz lúdico e plásticos nomeadamente: Rocha Artificial em fibra de no Shopping do Funchal; Quinta Nossa Sª Auxiliadora na Aboboda Cascais, "Arvore artificial em cimento" (6.40m altura), Rio, Cascatas e Lagos em rocha artificial em cimento (40m X 20m) . Tem participado em várias exposições colectivas com destaque para a última, em 2005, na Casa do Artista em Lisboa. Nos últimos anos tem desenvolvido estudos em atelier na escola de pintura ArteIlimitada, em Lisboa com a orientação do professor, Manuel Vilarinho.

árbara Rebelo, nasceu em Luanda em 1973. Estudou na Escola de Arte António Arroio, seguindo depois para a ESAD onde se formou em Artes Decorativas Portuguesas. Exposições Colectivas: 1991 Águeda, Aveiro; 1996 Sala de Exposições da APTCA, Lisboa; 2000 Junta de Freguesia de Alfragide, Amadora; 2000 "60 minutos para os próximos 100 anos", Reservatório da Patriarcal no Príncipe Real, Lisboa; 2004 Clube Nacional de Artes Plásticas, Lisboa; 2004 VIII Edição do Prémio D. Fernando II, Sintra; 2004 Auto Clube Médico, Lisboa; 2004 Galeria da Ordem dos Médicos, Lisboa; 2005 0 Figura, Homenagem informal a José Ruy, Galeria Municipal Artur Bual, Amadora; 2005/2006 Exposição "Arte e

B

Espiritualidade", concurso comemorativo do V Centenário do Nascimento de São Francisco Xavier, Cordoaria Nacional, Lisboa. Exposições Individuais: 1998 Galeria Vieira Portuense, Lisboa; 2000 Junta de Freguesia de Alfragide, Lisboa; 2001 Real Fábrica, Lisboa; 2004 Monte Alentejano, Montemor-o-Novo; 2004 Centro de Arte Contemporânea da Amadora; 2005 Posto de Turismo da Praça de S. Tiago, Guimarães. Representações: Representada no espólio da Junta de Freguesia de Alfragide, no Centro de Arte Contemporânea da Amadora, e na Câmara Municipal de Guimarães.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

050

051

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

BARBARA WALRAVEN

BRANCO CARDOSO

Alentejo I - Óleo s/ tela - 100X100 “Menina” - 50x150

arbara Walraven nasceu em 1956, em Buenos Aires. Estudou nas escolas de Belas Artes de Tilburg e Breda, na Holanda. Está representada nos livros "Aspectos das Artes Plásticas em Portugal", de Fernando Infante Carmo, Lisboa, 1992, e "Artes Plásticas Portugal, o artista, seu mercado", de Narciso Martins, 1995. Exposições (selecção): 2005 Museu Municipal do Crato, Crato; Centro Cultural Robinson, Portalegre; CDSSS Galeria Portalegre; Mosteiro de São Martinho, Mire de Tibães, Braga; Lanconicum e Praefurnium, Câmara Municipal, Évora; Igreja do São Viçente, Évora; F.A.C., Lisboa; Museu Municipal do Crato, Crato; Sala dos Arcos, Fábrica Robinson, Portalegre; 2004 Museu das Tapeçarias de Portalegre; Centro Cultural Robinson, Portalegre; CDSSS Galeria

B

Portalegre; Igreja de Convento de Santa Clara, Portalegre; 2003 Galeria Quattro, Leiria; Galerie de Hamermolen, Apeldoorn, Holanda; Galeria Arthobler.com, Porto; Galeria Santa Clara, Coimbra; 2002 Museu Patriarcal, Lisboa; Museo de Arte Contemporânea, Cáceres, Espanha; Galeria Belo Belo, Braga; Meiac (Col) Badajoz, Espanha; 2001 Galeria Arthobler.com, Porto; Siemens Forum, Amadora; Museu Martins Correia, Golegã; Centro Cultural Robinson, Condutas, Portalegre; 2000 Alcântara Stúdio, Lisboa; Galeria Santiago, Palmela; Galeria Fitares, Sintra; F.A.C., Lisboa; 1999 Casa Municipal da Cultura, Coimbra; Centro Municipal da Cultura, Castelo de Vide; Galeria Quattro, Leiria; Casa da Cultura, Póvoa de Lanhoso; Percursos de Arte (Col), Lisboa; Convento S. Paulo, Redondo; 1996 Termas da Fadagosa, Beirã.

ranco Cardoso nasceu em Lisboa e presentemente vive no concelho de Sintra. Fez o curso de Pintura e artes do fogo na Escola António Arroio, em Lisboa. Fez diversas vezes publicidade em cartazes para Centros Comerciais, tais como: GaiaShopping, NorteShopping, Guia (Algarve), Campinas (Brasil), Centro Colombo (Lisboa), Centro Vasco da Gama (Lisboa), MadeiraShopping. Das suas pintura editou: 300 colecções álbuns temáticos "Coretos de Portugal"; 2 colecções de 16 + 16 postais com a mesma temática; 1 colecção de postais de paisagens sobre a

B

Índia (Goa, Damão, Diu); Para a junta de Freguesia de Belas, uma Exposição de Pintura e uma colecção de postais sobre casario e paisagens desta freguesia. Exposições Individuais e colectivas nos últimos anos: Viseu; Nelas; Leiria; Porto; Guarda; Moura; Lisboa; Setúbal; Beja; Lagos; Monte Gordo; Barrancos; Lourinhã; Bombarral; Ericeira; Cascais; Sesimbra; Vila Franca de Xira.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

052

053

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

CARLOS ALEXANDRE

CARLOS EIRÃO

arlos Eirão é natural de Penalonga, Vila Real, 1961. Estudou na Faculdade de Belas Artes, em Lisboa onde fez a Licenciatura em Pintura e Mestrado em Teorias da Arte, tendo como actividade Artística: Pintor/Gravador. Exposições Individuais (selecção): 1983 Centro Cultural António Sérgio, Albufeira; 1984 Galeria "A Trave", Évora; 1984 Palácio dos Coruchéus, Lisboa; 1984 Museu da Região Flaviense, Chaves; 1986 Galeria Codilivro, Lisboa; 1988 Galeria Restauração, Lisboa; 1994 Casa do Corpo Santo, Museu do Barroco, Setúbal; 1995 Galeria Gravura, Cooperativa de Gravadores Portugueses, Lisboa; 1999 "A Luz Táctil", Galeria Iosephus, Lisboa; 2003 Pintura/Gravura, "Sob o Signo do Feminino" Centro de Arte Contemporânea da Amadora; 2004 "Sob o Signo do Feminino II" Galeria Iosephus, Lisboa; 2005 "Sob o Signo do Feminino III" Galeria UmNome, Caldas da Rainha. Exposições Colectivas (selecção): 1984 "Ballet", Sociedade Portuguesa de Autores, Lisboa; 1985 5.ª Bienal de Artes Plásticas, Festa do Avante, Lisboa; 1986 I Festival do Mar de Sesimbra; 1989 Fourth International Exihibition and Sale of Miniature Art, Del Bello Gallery, Toronto, Canadá; 1991 IX Prémio de Gravado "Maximo Ramos", Ferrol, La Coruña, Espanha; 1993 "Revelações 93", Prémio BCM, Cooperativa Arvore, Porto; 1994 Finalistas da Faculdade de Belas Artes de Lisboa 93/94, Sociedade Nacional de Belas Artes; 1995 8.º Salão da Primavera, Galeria do Casino Estoril, Estoril; 3.ª Bienal Internacional do Sabugal e Ciudad Rodrigo; 1996 "Arte Jovem" Galeria de Arte do Casino Estoril, Estoril; V Bienal de Gravura da Amadora; "Pintores de Lisboa", Galeria Belo, Belo, Braga; 1997 "Amores de Pedro e Inês", Palácio da Independência, Lisboa; 1998 VI Bienal de Gravura da Amadora; 1999 25ème Anniversaire de la Revolution des Oeillets, Hall du Salon d'Honneur de l'Hôtel de Ville, Bobigny, France; 10 Pintores Contemporâneos, Galeria de Arte do Casino Estoril, Estoril; 2000 VII Bienal de Gravura da Amadora; Imagens para Poesia de Virgínia Victorino, Galeria Conventual, Alcobaça; Colectiva de Gravura, Casal do Sal, Angra do Heroísmo, Açores; 2002 Colectiva Artur Bual, Amadora; 2005 Galeria UmNome, Caldas da Rainha. Prémios: Menção Honrosa, 8.º Salão da Primavera, Galeria do Casino Estoril, Estoril. 1995; Prémio de Edição, V Bienal de Gravura da Amadora, 1998. Colecções: Câmara Municipal de Lisboa; Museu Distrital de Setúbal; Gravura, Cooperativa de Gravadores Portugueses; CPS, Centro Português de Serigrafia; Câmara Municipal da Amadora; Colecções Particulares. Edições: 1995 Gravura "Dialogues I", Gravura, Cooperativa de Gravadores Portugueses, Lisboa; 1997 Gravura "Dialogues IV", CPS, Centro Português de Serigrafia, Lisboa; 1999 Gravura "S/Título", CPS, Centro Português de Serigrafia, Lisboa; 2003 Gravura "S/Título", CPS, Centro Português de Serigrafia, Lisboa; 2004 Gravura " S/Título", Gravura, Cooperativa de Gravadores Portugueses, Lisboa; 2004 Gravura "S/Título", CPS, Centro Português de Serigrafia, Lisboa.
“Sonhos na Planície I” - Óleo s.tela - 153cm x 66cm - 2005

C

“Beja por um Canudo” - Técnica Mista - 50x60

arlos Alexandre é natural de Lisboa, tem um percurso de 25 anos na área da pintura e conta com 90 exposições Realizadas em Portugal e no estrangeiro. Resumo: 2005 S.B.M. Mónaco; 2004 Gal. Linhares, Lisboa; Centro Nacional Cultura, Lisboa; II Premio Banif,Lisboa; Gal. D' art House, Guia Cascais; Gal. Linhares, Lisboa (col.); Gal XXI, Lisboa; Gal. D' art House, Guia Cascais (col.); Gal. Fitares, Sintra (col.); Fondation Calouste Gulbenkian, Paris; Lusophonne St Germain, Paris; Atellier Gal. Jean Charles, Paris; Convento do Beato, Lisboa (col.); 2003 Gal.XXI, Lisboa; Convento do Beato, Lisboa (col); Gal.Dàrt House, Guia Cascais; Atellier Gal. Jean Charles,Paris; 2002 Gal XXI, Lisboa; Conv.Beato,Lisboa(col.); Gal.do Sacramento, Lisboa; Atellier Gal. Jean Charles, Paris; Gal. D`art House, Guia Cascais; Gal. Cascais Village; 2001 Red White and Blue U.S.Foreign Affairs for N.Y.C.; Gal. XXI, Lisboa; Conv.Beato, Lisboa (col); D`art House, Guia Cascais; Gal. Iosephus, Lisboa; Gal.Salão Nobre dos Recreios da Amadora; Atellier

C

Gal.Jean Charles,Paris; 2000 Convento S.José Lagoa (col); Marina de Cascais; Gal. Museu de Sintra; 1999 Convento de S.José, Lagoa; Whiteroof Broadway New York City; J.T.Gallery, Soho N.Y.C.; Atellier Jean Charles, Paris; Gal. Le Soir, Paris; 1998 Centro Cultural de Lagos; Gal.Armaz.Regimental, Lagos; Gal.12, Lagos; Le Meridien Penina, Portimão; Casino Solverde, Portimão; 1997 Gal. Mercado de Escravos, Lagos; 1996 Gitanos Andaluces-Huelva; Viva el Sol Matalascanãs; 1990 Centro Nacional de Cultura, Lisboa; Arte Viva-Santos-o-velho, Lisboa; 1989 Arte Viva, Lisboa; 1987 Juventude Portuguesa e o S.M.O., Lisboa. Representações: Nabil Haffidi Ind., Cairo; Fondation Calouste Gulbenkian, Paris; Whitekroof Broadway, New York City; U.S.Foreign Affairs, Washington, D.C.; Comissão Europeia Jean Monet; Museu da Vila de Sintra C.M.S.; Museu da Vila de Lagoa; Museu Militar deleg., Lagos; C.M.Amadora; Diversas colecções particulares em Portugal e no estrangeiro.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

054

055

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

CLARA MARTINS

CUSTÓDIA BOTA

Sem título - Pastel de Óleo + Tinta da China s/papel s/Tela - 183x150cm - 2005

lara Martins, nasceu em Lourenço Marques (Maputo), Moçambique em 1973. Imigrou com os pais para Sydney, Australia em 1976. Vive e trabalha em Portugal e Australia desde 1997. Em 1993 tirou o Bacheralato em Belas Artes pelo College of Fine Arts da University of New South Wales, Sydney, Australia; Em 1996, o Mestrado em Arte pelo College of Fine Arts da University of New South Wales, Sydney, Australia; 1999 Graphic Art Certificate pelo Sydney Graphics College, Australia. Exposições Individuais: 1996 Constructs, Arthaus Gallery , Sydney; 1998 Square/Colour, Crawford Gallery, Sydney; 1999 Millions and Zillions, Crawford Gallery, Sydney; 2001 Home Beautiful, Galeria António Prates, Lisboa 2003 Garden Stories, Galeria de São Bento, Lisboa 2006 Project Room, The foxgloves, Art Madrid. Exposições Colectivas: 1994 Arts Extaordinaire, ABC Cantre, Sydney; Fragments of , Arthaus Gallery, Sydney; Past/ Presence, College of Fine Arts, Sydney; Graduating Students Exhibition, College of Fine Arts, Syney; 1995 Constructions and Compositions, Museu Etnográfico Português da Austrália, Sydney; 1996 The Jenny Birt Art

C

Prize, College of Fine Arts , Sydney Young Dissonants, College of Fine Arts, Sydney; Graduating Students Exhibition, College of Fine Arts, Sydney; 1997 Six Recent Graduates from the College of Fine Arts, Crawford Gallery I Sydney; 1999 Decorating the Red, Green and Tangerine, Galley 19, Sydney; 2000 FACFeira de Arte Contemporânea, instalação The Rug, Galeria Antõnio Prates, Lisboa; Exposição Colectiva, CASB- Centro de Arte de São Bento, Lisboa 2001 PortoArte, Feira Internacional de Arte Moderna, Galeria António Prates, Exponor em Matosinhos; PortoArte, Feira Internacional de Arte Moderna, Exposição Cinco Jovens Artistas, Comissário Alexandre Pomar, Exponor, Matosinhos; ARTE LISBOA - Feira de Arte Contemporânea, instalação Spiral Betty , Galeria António Prates, Lisboa; 2002 Sob o Signo da Diferença, Exposição Colectiva de Pintura, Desenho, Escultura e Objectos, Galeria António Prates, Lisboa; ARTE LISBOA, Feira de Arte Contemporãnea, instalação The Bed, Galeria António Prates, Lisboa. Prémios: 1993 Altshular Painting Prize, Graduating Exhibition, College of Fine Arts, University of New South Wales, Sydney - Australia; 2000 Menção Honrosa, Concurso Ambientart Leiria, Leiria; 2002 Prémio Communidades Portuguesas (Belas Artes), Consulado Português, Sydney. Colecções Públicas e Privadas: Artbank, Sydney Valorlis, Leiria; Fundação António Prates. Bibliografia: Semanario Expresso in "Expresso-Cartaz",p.28, 21-072001, texto de Alexandre Pomar; Semanario Expresso in "Expresso Cartaz", pp.12-13, 29-12-2001, texto de Alexandre Pomar; Jornal Lusitano, 07-09-2002, entrevista de Catarina Oliveira; Revista Arquitectura e Vida, p.100, Nov 2003, texto de Alexandra Carita. Jornal de Letras, p.43, 26-11-2003, texto de Maria João Fernandes. Semanario Expresso in revista "Actual",p.42, 06-12-2003, texto de Jose Luis Porfirio.

Bailarina - Acrílico s/tela - 130 x 162

C

ustódia Bota nasceu em Marco de Canavezes. Fez o Curso de pintura e desenho na Ar.Co .

Exposições Individuais: 2004 Galeria Municipal de Fitares (CMS), Sintra; 2002 Museu de Arqueologia e Etnografia, Dia Internacional dos Museus, Setúbal, (texto: Joaquina Soares), Galeria Pedro Serrenho, Lisboa; 2001 Galeria Municipal de Arte de Almada (textos: Ana Isabel Ribeiro, José Mouga e Eduardo Nascimento); Galeria ArtHouse, Casa da Guia, HouseCenter, Cascais; 2000 Galeria Municipal Artur Bual, C M. Amadora (texto: Joaquim Saial); 1999 Espaço Cultural Casal de S.Domingos, C. M. Sintra; Galeria de Arte do Convento do Espirito Santo, Loulé; 1998 Auditório Municipal, C. M.Vendas Novas; 1997 LCR Galeria de Arte, Sintra; 1995 Exposição no Fórum Cultural do Seixal, Seixal; 1994 Galeria Municipal Gymnásio, Lisboa, (texto: Rogério Ribeiro); Galeria Escoural, Lisboa; 1992 Clube do Sargento da Armada, Lisboa; Galeria Atrium, Lisboa (texto: Rodrigues Vaz); 1991 Moinho de Maré de Corroios, Seixal; Galeria 190, Lisboa; 1990 Centro Comercial da Amora, Seixal. Exposições Internacionais: 2002 Europa, art languages, Milão, Itália. Exposições Colectivas (selecção): 2006 Centro de Arte Contemporânea da Amadora, Amadora; 2005 Galeria S. Francisco, Lisboa; 2004 Encontro Anual de Artistas Plásticos, "Diversidades", C. M. Sintra; 2003 XIII Bienal de Artes Plásticas da Festa do Avante; 2002 Galeria de Exposições Augusto Cabrita, Dia Mundial da Mulher, Seixal; 2001 Galeria de Arte Contemporânea Pedro Serrenho, Lisboa; 2000 ArtHouse, Casa da Guia, Housecenter, Cascais; 1999 Galeria Municipal de Almada, Almada; 1998 Mulher Plural, Museu de

Arqueologia e Etnografia, Setúbal; 1997 Galeria de Fitares, Sintra; 1996 Galeria Vandelli, Coimbra; 1995 Museu Municipal de Torres Novas; 1994 Convento dos Capuchos / Pluralidades, Imargem, Almada; 1993 II Bienal de Artes do Sabugal; 1992 Museu Municipal Dr. Santos Rocha, Figueira da Foz; 1991 Os Pintores e Fernando Pessoa, Martinho da Arcada, Lisboa; 1990 Exposição de pintura, Galeria Arte Vídeo, Almada; 1989 Galeria Almada Negreiro, "Jovem Pintura Portuguesa", SEC, Lisboa; 1988 Exposição de pintura Ar.Co, Lisboa; 1987 Exposição de pintura Ar.Co, Lisboa. Intervenções: Ilustração de 2 capas das revistas "check-up" dos laboratórios Helsinn; Capa do catálogo da exposição de Artes Plásticas da Artes (Moinho Maré-Corroios); Ilustração do livro de Poemas, Olhar de Pássaros de Isidoro Augusto; Participação em exposições doando trabalhos para obras de cariz social; Intervenção ao vivo na Escola Preparatória do Feijó; I Leilão Internacional de Arte de Beneficência da Região Oeste; Fábrica das Artes, Torres Vedras; Intervenção ao vivo na Escola do 2º e 3º ciclos Dr. António Augusto Louro. Prémios: 2001 Edição de postais sobre Sintra (Dos Anjos a Beleza e Formosura), Sintra; 1989 Seleccionada no concurso "A Vinha e o Vinho" (Caves Aliança), SNBA; 1988 Seleccionada no concurso "Jovem Pintura Portuguesa" Galeria Almada Negreiros, SEC. Representações: Casa da Cerca, Câmara Municipal de Almada; Museu de Arqueologia e Etnografia de Setúbal; Câmara Municipal de Lisboa; Museu de Arte do Sabugal; Câmara Municipal da Amadora; Paços do Concelho do Seixal; Colecções particulares no país e no estrangeiro. (+ Info em: www.artenaplanicie.com)

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

056

057

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

DINA LOPES

EMÍLIA MORAIS

E

mília Morais, nasceu em Angola, em 1957. É Licenciada em pintura pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa

Exposições individuais: 1990 Galeria de Arte do Casino do Estoril; 1995 "Luz, Cor e Magia", Galeria Gymnásio, da C.M.Lisboa; 1996 "Perto da Terra", Galeria Cogito, Setúbal; "Pintura", Galerias Augusto Cabrita, da C.M.Seixal; 1997 "Resistência", Museu de Arqueologia e Etnografia, Setúbal; "Pintura", Galeria Arte e Mar, Sesimbra; 1998 "Pintura", Galeria Municipal da C.M.Amadora; Galeria Municipal de Fitares,da C.M.Sintra; 2004 Galeria Municipal de Corroios, da C.M.Seixal; 2006 "No tempo e na tela", Galeria Municipal de Fitares, da C.M.Sintra. Exposições colectivas: Participou em diversas exposições colectivas em Portugal e no estrangeiro (Espanha, Bélgica, Japão, Coreia, Macau). Prémios: 1988, 2º.prémio "Novos Valores da Cultura" - Secretaria de Estado da Cultura, Mosteiro dos Jerónimos; 1989 Menção Honrosa, "Salão Primavera"- Galeria de Arte do Casino Estoril. Mencionada em: 1992 "Aspectos das Artes Plásticas em Portugal", de Fernando Infante do Carmo; 1992 "As Esperanças Plásticas Portuguesas", de Manuela O.Synec, Edições Vega; 1993 "Artes Plásticas em Portugal", de Narciso Martins; 1994 "Arte Jovem”, Pintura", de Nuno Lima de Carvalho; 1995 "Guide de Arte Africaine Contemporain" - Association Afrique et Création, 2 ême Edition, Paris. Está representada nas seguintes entidades: Câmara Municipais de Lisboa; Câmara Municipal de Almada; Câmara Municipal do Seixal; Câmara Municipal da Amadora; Companhia de Seguros "Fidelidade"; Casino do Estoril (Sociedade "Estoril-Sol"); Museu de Arqueologia e Etnografia de Setúbal, e, em diversas colecções particulares em Portugal e no estrangeiro, nomeadamente nos Estados Unidos da América, Alemanha e Espanha.

“Inês de Castro”

ina Lopes, nasceu em Anadia a 18 de Setembro de 1972. Licenciada em Pintura pela ARCA ETAC (Escola Superior de Tecnologias Artísticas de Coimbra). Exposições Colectivas: Comemorações do dia de Portugal nos EUA, nas cidades de Newark e Woodbridge, 1996; Exposição conjunta de Pintura da Faculdade de Belas Artes de Salamanca e da ARCA-ETAC, Coimbra, 2002; Galeria Paletro, Coimbra, "Contemporâneo no Feminino", 2004; Casa Municipal da Cultura de Cantanhede, 2004 e 2005; I Exposição de Artes Plásticas "Arte na Planície" em Montemor-o-Novo, 2005. Exposições Individuais: Casa da Cultura de Cantanhede, 2003 e 2004. Representação em colecções públicas e privadas: Assembleia da

D

República; Portugal e Estados Unidos da América. Ilustrações: Capa do "Proceeding of International Symposium on Intelligent Robotic Systems", 1999, Universidade de Coimbra; Criação de trabalho que ilustrou a obra discográfica "Outono da Voz" do Dr. António de Almeida Santos, 2002; Ilustração dos livros: "O Amigo Secreto", "A Estrelinha Aprendiz", "A Teia", de Graça Gonçalves. Cenografias: Participação na criação do cenário da RTP Internacional em 2001; Criação do Cenário para o programa da RTP Internacional "O Terreiro do Paco". Este trabalho é capa da obra discográfica de Paco Bandeira, "Dedicatórias" de 2002. Mosaico: Mosaico "Romano" com 47m2, 2000.

“No resto do lagarto" - Acrílico sobre tela - 180x180

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

058

059

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

FERNANDA PÁSCOA

FERNANDA PISSARRO

ernanda Pissaro, nasceu em Macedo de Cavaleiros em 1943. É diplomada em Pintura pela ESBAL. Foi bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian (68/71). Investiga e lecciona gravura nos ateliers da Cooperativa Diferença da qual é sócia fundadora. Foram-lhe atribuidos: Prémio de Aquisição na Primeira Exposição de Jovens Artistas e 2ª prémio de Salão e Medalha de Prata em Gravura no XVII Salão da Primavera da Junta de Turismo da Costa do Sol, 1972; PrémioTema Livre no VI Salão de Outuno do Casino do Estoril, 1985; Prémio "Amadora 20 anos" na VII Bienal, 1ª Internacional de Gravura da Amadora, 2000; Está representada no Centro de Arte Moderna da Fundação Gulbenkian, na Embaixada de Portugal em Brasília, no Museu Municipal de Maputo, no Museu Diogo Alves de Portimão, na Câmara Municipal de Torres Vedras, na Câmara Municipal da Amadora, na Igreja do Sagrado Coração de Jesus em Lisboa, Via Sacra, no Supremo Tribunal de Justiça e em colecções particulares em Portugal e no estrangeiro. Realizou Exposições Individuais em: Galeria Grafil, 1977; Camilo Eça, 1983; Casinodo Estoril, 1985; Albatroz, 1986 e 1991; Tempo, 1988; Municipal de Torres Vedras, "Abandono" - Texturas e Óleo s/Tela - 116x89 - 2002 1993; Optica Conde Redondo, 1994; Teoartis Galeria, Évora, 1994 e 1995; Museu de Aveiro, 1995; Livraria Ferin, 1997; Potthoff Galeria de Arte, 1999; Embaixada de Portugal em Bruxelas, 2000; Galeria Artur ravura organizada para itinerância mundial pelo Instituto Camões, Buel na Câmara Municipal da Amadora, 2001; Grupo Desportivo do 1994; V Bienal de Gravura, 1996, Amadora; Arte Portuguesa no Banco de Portugal, 2002; Galeria Diferença, 2004; Galeria Moura Limiar do Séc. XXI, ANJE, Porto; VI Bienal de Gravura da Amadora; Internacional Print Triennial in Kanagawa, Japão, 1998; "Peinture Cosme, 2005. Portugaise Contemporaine à la Veille du XXI Siècle", Ambassade du Exposições colectivas (das muitas em que participou), destacam-se Portugal, Bruxelles, 1999; Exposição "Pequeno Formato", Rivoli, Porto, com organização Fantasporto; VII Bienal, 1ª Internacional de as seguintes: Gravurada Amadora, 2000; Os Poderes da Arte, Exposição integraX a XIV Premi Internacional de Dibuix Joan Miró, Barcelona, 1971 a da nas comemorações dos 170 anos de separação de poderes em 1975; Figuração Hoje; Pena de Morte e Prisão Política e Artistas Portugal, Supremo Tribunal de Justiça, 2003; "Seis Autores, Seis Portuguesas, na SNBA, Lisboa, 1975 a 1977; Centre Culturel Propostas", Biblioteca Municipal de Ovar; "4ª Festival de Gravura de Portugais, Paris, 1977; I, II e III Exposição Nacional de Gravura na Évora, Bienal Internacional"; "I Exposição Internacional de Pintura, Fundação Gulbenkian, 1977, 1980 e 1981; Cultura Portuguesa em Pequeno Formato, Rotary International"; Box 30, Galeria Diferença, Madrid e Portuguese Comtenporary Art, Belgrado, 1978; III Bienal de 2004; "Arte no Feminino", Fundação Eng.º António de Almeida, Vila Nova de Cerveira, 1982; Gravura da Diferença, Exposição Porto, 2005. Gravuras editadas: Centro Português de Serigrafia e, Itinerante organizada para a SEC, "Ilha dos Amores"; Exposição de 1998 e 2003.

F

Memórias I - Mista - 92X73

F

ernanda Páscoa fez o Curso de Cerâmica da Escola de Artes Decorativas António Arroio. Exerceu funções docentes no ensino oficial como professora.

Tem feito Exposições Individuais e participado em várias Exposições Colectivas. Representada nas Câmaras Municipais da Amadora, Grândola e Sintra, Ayuntamiento de Cordova (Espanha), Município do Tarrafal (Cabo Verde) e Centro Histórico de Arenas de Nimes (França). Realizou trabalhos para Instituições públicas e privadas. Entre outras destacam-se a C.M.A., C.M.G., Associação Académica da Amadora, Siemens, S.M.A.S. Oeiras - Amadora, J. F. Venteira. Medalha de Ouro, Mérito e Dedicação da Câmara Municipal da Amadora em Setembro de 1997. Sócia fundadora do Círculo Artístico Artur Bual.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

060

061

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

FERNANDO AGUIAR

FERNANDO D. F. PEREIRA

“sem título” - 110x81 cm - acrílico s/ tela - 2000

F

ernando Aguiar nasceu em Lisboa, em 1956. Licenciado em Design de Comunicação pela Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa.

Exposições Individuais (Realizou 34 exposições individuais, entre as quais): 1992 Casa de Bocage / Galeria Municipal de Artes Visuais, Setúbal; Galeria Grodzka, Lublin, Polónia; 1993 Parque D. Carlos I, Caldas da Rainha; 1994 Banca Mercantile Italiana, Milão, Itália; 1995 Convento di San Domenico, Spoleto, Itália; 1996 Museo Vostell Malpartida, Malpartida de Cáceres, Espanha; 1999 Expo Centre, Sharjah, Emiratos Àrabes Unidos; 2001 Serpente, Galeria de Arte Contemporânea, Porto; 2002 Galeria Municipal Artur Bual, Amadora; 2003 Galeria Pedro Serrenho, Arte Contemporânea, Lisboa; 2004 Museu Nacional do Traje, Lisboa; 2005 Galeria Pedro Serrenho, Arte Contemporânea, Porto; Santiago, Galeria de Arte, Palmela. Exposições Colectivas (Desde 1980 participou em diversas

exposições colectivas, destacando-se nos últimos anos): 1990 Centro Cultural Português da Fundação Calouste Gulbenkian, Paris, França; Museo D'Arte Contemporanea di Villa Croce, Genova, Itália; 1991 Centre of Art de Melfaabriek, Sittard, Holanda; Palazzo Municipale, San Vito dei Normanni, Itália; 1992 Galeria Justino Corbacho, Madrid, Espanha; Palácio das Galveias, Lisboa; 1993 Centre Cultural D'Alcoi, Alcoi, Espanha; Museu Municipal Dr. Santos Rocha, Figueira da Foz; 1994 Szent István Király Múzeum, Székesfehérvár, Hungria; 1995 Hermetic Gallery, Milwaukee, U.S.A.; 1996 Villa delle Rose / Galleria D'Arte Moderna, Bolonha, Itália; 1997 Ventabren Art Contemporain, Ventabren, França; 1998 Pallazzo Della Ragione, Mantova, Itália; Galerias Trem e Arco, Faro; National Centre for Contemporary Art, Kaliningrad, Rússia; 1999 Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto; Ernst Múzeum, Budapeste, Hungria; 2000 Museum Für Modern Kunst Weddel, Weddel, Alemanha; FAC'2000 Feira de Arte Contemporânea, Lisboa; 2001 Museo Ideale Leonardo Da Vinci, Vinci, Itália; Palazzina Delle Arti, La Spezia, Itália; Arte Lisboa, Feira de Arte Contemporânea, Lisboa; 2002 Parque Arqueológico do Vale do Côa, Vila Nova de Foz Côa; Galeria Pedro Serrenho, Arte Contemporânea, Lisboa; 2003 Museo Ebraico de Venezia, Veneza, Itália; Círculo de Bellas Artes e Centro Cultural Conde Duque, Madrid, Espanha; 2004 Centro de Artes e Espectáculos, Figueira da Foz; Galeria Factoria Perro Verde, Madrid, Espanha; Arte Lisboa, Feira de Arte Contemporânea, Lisboa; 2005 Beijing Tokyo Art Projects, Pequim, China; Galeria Pedro Serrenho, Arte Contemporânea, Lisboa; Museo Vostell Malpartida, Malpartida de Cáceres, Espanha. Representado nas seguintes colecções: Museu Municipal Dr. Santos Rocha, Figueira da Foz; Museo Provinciale Campano, Capua, Itália; Szent István Király Múzeum, Székesfehérvar, Hungria; Câmara Municipal da Amadora, Amadora; Museu D'Arte Moderna e dell' Informazione, Senigallia, Itália; The Ruth and Marvin Sackner Archive of Concrete and Visual Poetry, Miami Beach, U.S.A.; Museu Comunale D'Arte Contemporanea, San Vito dei Normanni, Itália; Câmara Municipal de V. F. de Xira, Vila Franca de Xira; Archivio di Nuova Scrittura, Milão, Itália; Museu Vostell Malpartida, Malpartida de Cáceres, Espanha; Collezione Adriano Parisi, Verona, Itália; Museum Für Modern Kunst, Weddel, Alemanha.

Óleo s/plexiglass

périplo desde sul de Espanha, expondo sucessivamente Marbella, em Paris (onde Fernando D. F. Pereira, Inicia em 1962eum emLyon.pela Europa,depois ao estuda e trabalha no Atelier Du Buffet) em Frequenta

Freikunstakademie, em Salz- burgo, Áustria, e na Kunstschule Rodei, em Mannheim, Alemanha, onde exporia nas Galerias Reichardt e Quadrat, aí vindo a fixar residência, durante quase três dé- cadas. Realizou trabalhos de arte integrada e decoração para diversas instituições, e sob encomenda particular, em simultâneo com intensa actividade expositiva. A sua obra, influenciada pelo expressionismo alemão e geralmente considerada de inspiração surreal e simbolista, foi objecto de estudo e análise por críticos e historiadores de Arte como: Anna-Luise Marz, Clemens Jockle, Gabriele Schulte Plaga, Hans L. Schulte, Hans W. Borgmann, Harald Kramer, Hierholzer e Santiago Campill, Dr. José Luís Ferreira, Beate Kukatzki, Rodrigues Vaz, Dr.8 Luisa Ribeiro, Eduardo Nascimento, Dr. FrithjofSchwartz, Paulo Alarcão, Dr. Álvaro Lobato e Dr. António Frazão. Exposições (selecção): 1962 Galeria Europa, Marbella, Espanha; 1962 Galeria Trois, Lyon, França; 1964 Galeria Komode, Mannheim, Alemanha; 1969 Galeria Wasserturm, Mannheim, Alemanha; 1972 Galeria Quadrat, Mannheim, Alemanha; 1973 Galeria Felizitas, Ludwigshafen, Alemanha; Centro Cultural Langental, Suíça; 1974 Galeria Lind, Soloturm, Suíça; 1976 Galeria Chramerhurm, Suíça; 1978 Mercado de Arte, Rosengarten, Mannheim, Alemanha; 1979 Forum Rosengarten, Mannheim, Alemanha; Museu Rade, Hamburgo, Alemanha; Modern Grafic de Portugal, Academia Mannheim, Alemanha, Galeria Collini Centro Lisboa I, Mannheim, Alemanha, Galeria das Termas de Windelfeld, Darmstadt, Alemanha, Galeria Hotel Bellevue, Seidenduch, Alemanha, Exposição Internacional Langental, Suíça; 1980 Galeria Quarta Dimensione, Areso, Itália; Galeria Bernhard Weber, Mannheim, Alemanha; 1981 Galeria da Sala Mozart, Mannheim, Alemanha; Academia Itália dei Arti e dei Lavoro com Medaglia d'oro; 1982 Galeria Rudi Baerwind, Mannheim, Alemanha; BeIas Artes, Freiburg, Alemanha; Retrato de Pessoas do Nosso Tempo, Academia Mannheim, Alemanha; 1983 Galeria Monde Arts, Paris, França; Quadros de grandes dimensões para a cidade de Mannheim, Alemanha; 1984 Atelier Midi-Colmar, França; Quadros de grandes dimensões para a cidade de Mannheim, Alemanha; 1985 Galeria T3, Lisboa, Mannheim, Alemanha; Quadros de grandes dimensões para a cidade de Mannheim, Z.W.M., Alemanha; Salão Internacional de Arte Ludwigshafen, Alemanha Tailler; Galeria Riviera Santa Miguel, Barcelona, Espanha; Bienal em Hargen, Suiça; Galeria Markt, Mannheim, Alemanha; 1986 Centro de Estudos de Arte, Barcelona, Espanha; Arte em Alzey, Worms, Alemanha; Galeria Buttermarkt, Colónia, Alemanha; 1987 Centro Uni, Mundenheim,

Alemanha; Oficina de Arte Kaleidoskop, Trier, Alemanha Arte Internacional; 1988 Arte no Sindicato de Artistas Alemães, B. B. K., Alemanha, Reportagem no 3.0 Programa da Televisão Alemã (Aktion in Kôln), Um Artista Português, Galeria T3, Mannheim, Alemanha; Encontro de Amizade Portugal/ Alemanha, Galeria Vindobona, Bad Kissingen, Alemanha; Galeria Kaleidoskop, Trier, Alemanha; Belas Artes, Mannheim, Alemanha; Schlossgalerie Amorbach, Alemanha; 1989 Retrato 89, Galeria do Estado de Landau, Alemanha; 1990 Galeria d'Orey, Heidelberg, Alemanha; Por dentro e Por Fora, Exposição do Sindicato de Artistas Alemães; Cartoons para os jornais I.B.P. e Computer World Zeitung, Suíça; Galeria da Câmara Municipal de Schifferstadt, Alemanha; 1991 Bienal de ábidos; Reportagem no 2.0 Programa da Televisão Alemã; O Mundo de Fernando d' F. Pereira, S. Julian, Alemanha; Galeria Arcada, Estoril; 1992 Comunidades Portuguesas, Picoas, Lisboa; Galeria Scholok Iserlohn, Oortmund, Alemanha; Quadro para a Câmara Municipal de Iserlohn; 1993 Belas Artes, Exposição de Sócios, Lisboa; 1994 Estúdio Galeria Alcântara, Lisboa; 1995 Galeria Naffauj, Landstuhl, Alemanha; 1996 Galeria Ray, Paris, França; Galeria Steiner Hof, Butgenbach, Bélgica; Casa de Cultura O. Pedro V, Câmara Municipal de Mafra; 1996 Zimmergalerie, Iserlohn, Alemanha; Galeria Paço Romano, Sintra; International Mail Exhibition, Teatro Contadino, Napoli, Itália; Galeria Igreja de Santiago, Monsaraz; Galeria im Amtshaus, Kraichtal, Alemanha; 1997 Galeria Belo Belo, Braga; 1998 Galeria Bual, Câmara Municipal da Amadora; Percursos da Arte, Pedralves, Lisboa; 1999 Galeria Wiltz, Luxemburgo; Casino Roche, Mannheim, Alemanha; Tacto do Olhar, Fábrica das Artes, Torres Vedras; Galeria Municipal Gynásio, Lisboa 750 Anos, Torres Vedras, Galeria Belo Belo, Braga; Galeria Ruben Cunha, Telheiras; 2000 Bandeiras para Torres Vedras; Galeria Hexalfa Lisboa; Instituto Franco Português, Lisboa; Die Galerie, Ericeira; Galeria do Hotel Alvor, Aigarve; Convento S. José, Lagoa, Aigarve; Galeria Pirâmide, Lisboa; Galeria Heliantia, Valadares, Vila Nova de Gaia; Galeria Maré d'Arte, Carvoeiro, Algarve; Real Associaçâo de Lisboa; Casa de Cultura, São Vicente, Madeira; 2001 Galeria Adega, Alcobaça; Feira Arte Santander, Espanha; Galeria Municipal de Abrantes; 2002 Holland Art Fair, Den Haag 2002; Projecto Núcleo de Desenvolvimento Cultural, Vila Nova de Cerveira; Galeria Pedra Guilhim, Nazaré; Galeria Aquarius, Guarda; Galeria Riedel, Frankenthal, Alemanha; 2003 Centro de Arte Contemporânea, Amadora, Movimento Arte Contemporânea (MAC), Reportagem no 2,0 Programa TV "Entre Nós" (28 min.), Galeria Titara, Mafra; 2004 Galeria Palpura, Lisboa; Galeria Schulok, Iserlohn, Alemanha; Asta - Paço Cultural, Guarda; Galeria Municipal de Abrantes; 2004 Museu Soares Branco - Mafra; 2005 Museu Miejski Dom Kultury - Zgorzelec - Polonia; 2005 Ordem dos Médicos - Porto; 2005 Galeria MM, Caldas das Raínha; 2005 Galeria Riedel - Frankenthal - Alemanha; 2006 Galeria Vera Lúcia Porto. 2006 - Galeria Pedra Guilhim - Nazaré.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

062

063

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

FERNANDO VENTURA PEREIRA

FILOMENA COQUENÃO

ilomena de Fátima C. Samina Ferreira, nasceu em Luanda, Angola, em Outubro de 1957; Desde 1987 vive no Alentejo, Portugal. É licenciada em Educação Visual e Tecnológica da ESE de Portalegre. Concluiu o curso de Artes Visuais e de Artes Plásticas em Luanda e o de Artes da Escola António Arroio em Lisboa. Como professora em Portugal desafia os seus alunos, motivando-os à prática de actividades plásticas, recorrendo também às experiências tidas em Angola: IASA, U. Escritores, Televisão e Companhias Petrolíferas TOTAL e ESPA (BP, Braspetro, Sonangol e FINA). Exposições desde 1995: 1995 Exposições Colectivas: Galeria S. Miguel, Évora, e Casa do Alentejo em Lisboa, organizada pela Liga Portuguesa contra o Cancro; Convento de S. Domingos; Criativiarte, em Reguengos de Monsaraz, organização da Câmara local; Biblioteca do Museu da República e Resistência; "Sete Sóis, Sete Luas", Festival Luso-Grego-Italiano, galeria de arte, Pontedera, Itália, num intercâmbio entre as câmaras envolvidas; "Quinzena Africana", Museu Municipal, Bombarral; Em 1996 Exposições Colectivas: Palácio D. Manuel, Évora, organizada pela Câmara local e pela Associação de Professores do Alentejo; Sócios da Cooperativa de Actividades Artísticas, Árvore, Porto; Hotel Costa da Colina, Castelo Branco, pela Associação Lions Club; "Artistas Africanos" Galeria/Biblioteca de Mourão; "Arte e Artesanato na Anunciada", Setúbal. 1997 Exposições Colectivas: Federação da Cultura Portuguesa, Porto; Museu Bissaya Barreto, Coimbra; Museu de Alhandra, organizada pela Câmara Municipal de Vila Franca. 1998 Exposições Colectivas: Museu Mãe de Água, Dia Nacional da Cultura Angolana, Lisboa; Museu Municipal de Setúbal; EXPO/98, Lisboa. Exposições Individuais: Montemor-o-Novo, Galeria Municipal (Maio/Junho); Alcácer do Sal, Biblioteca Galeria Municipal (Novembro). 1999 Exposições Colectivas: Exposição de Sócios da Árvore, Mercado Ferreira Borges, Porto; Exposição Luso/Africana Galeria Capitel, Leiria (Junho); Exposição de Profª. de EVT, Cripta da Igreja Matriz de Monchique; Exposição de Artistas Africanos, Parque das Nações Lisboa RDP-África. Exposições Individuais: 4 de Fevereiro, Biblioteca Museu da República e da Resistência Lisboa; Galeria de Arte do Évora Hotel. 2000, Exposições Colectivas: 4 de Fevereiro, Biblioteca Museu da República e da Resistência, Lisboa; Sócios da Cooperativa Árvore, Porto; Arte Contemporânea de Angola, Centro Cultural de Lagos, iniciativa e organização de F. Coquenão e da autarquia local, (Maio); "Junho da Lusofonia" Câmara Municipal de Alenquer; Artistas Angolanos, Casa Museu M. Teixeira Gomes, Câmara M. Portimão. Exposições Individuais: Galeria de Arte do Évora Hotel (Janeiro) Évora; Galeria de Arte do Clube EDP (Fev./ Março) Lisboa;

F

s/Título - Pintura s/azulejo

“Berados” - Gouache - 45 x 37

ernando Ventura Pereira (1910-1976). Nasceu no Porto, pintor surrealista. Artista de grande versatilidade, onde na sua carreira se pode apreciar uma vasta obra (óleos, aguarelas, desenhos a tinta da china, carvão e pastel). Neste momento encontra-se uma equipa a fazer uma peritagem para serem selecionados todos os seus trabalhos para posteriormente serem compilados em livro, assim como toda a obra do artista.

F

Casa da Cultura da Câmara Municipal de Mora (Junho), orientou os alunos da Escola 2,3/S de Mora à pintura dos painéis de azulejos comemorativos dos 25 Anos do 25 de Abril. Exposições Colectivas: Sócios da Coop. Árvore, Mercado Ferreira Borges, Porto; Ministério da Cultura de Marrocos Rabat Angola 25 Anos. 2001 Exposições Individuais: Galeria Gan, Av. de Berna Lisboa; Pintura ao vivo no Miami Beach na Ilha de Luanda /Angola. Exposições Colectivas: Artistas Africanos, (Abril) Setúbal; Inauguração da Casa de Angola, (Junho)Lisboa; Liga Portuguesa contra a Sida, Outubro) Lisboa. 2002 Exposições Colectivas: Itinerante no Alentejo - Prof. De EVT; Sócios da Coop. Árvore; Angola Vista por dentro, Viana do Castelo; Port' África itinerante, Porto, Macedo de Cavaleiros, Marco de Canaveses e Murça. 2003 Exposições Individuais: Muxima, Paleta de Angola, Museu Nacional História Natural de Angola; Agosto de 2003 em Luanda; Arte no Feminino, Vendas Novas; Fórum Picoas, 11 de Novembro; Arte Contemporânea Angolana em Montemor-o-Novo e Estremoz (iniciativa de F.Coquenão e apoio das autarquias locais). 2004 Exposições Individuais: Fórum Lisboa, integrada no simpósio das Assoc. Angolanas. 2004 Exposições Colectivas: IX Exposição Internacional de Vendas Novas. 2005 Exposições Colectivas: X Exposição Internacional de Vendas Novas; Arte na Planície Alentejana, Montemor-o-Novo. Mais informações em: www.artenaplanicie.com

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

064

065

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

GABRIELA SIMÕES

GONÇALO DELAUNAY

s/Título

“Composição 2” - Técnica Mista (Stencil e Spray) - 80x120

G

abriela Simões. Formação na área de Arte Plástica: História de Arte,CAI, Fundação Calouste Gulbenkian.

Educação pela Arte, Ministério da Educação, P.I.P.S.E.; Pintura a óleo s/tela, Oficina de Arte Rovieri, Itu, S.P., Brasil; Pintura Acrílica e óleo s/tela, ART, com o pintor Alberto; Pezzan, Itu, SP, Brasil; Desenho Artístico, Escola PROARTE, Regina Rovieri, Itu, Brasil; Desenho, Estúdio HP com Lecticia Barreto, Sorocaba, Brasil; Work-shop "Arte" com a artista plástica Junko I. Matsuoka, Itu, S.P., Brasil e outros; Workshop "À mão livre, a linguagem do desenho" com o pintor Philip Hallawel, Itu, S.Paulo, Brasil e outros Membros da Associação dos Artistas Plásticos Ituanos. Exposições: VI Salão de Artes da Primavera, Itu, S.P., Brasil, "500 Anos de Brasil", Associação das Famílias de Rotarianos São Paulo, Brasil-Galeria Arte e Espaço, Itu, S.P., Brasil; Colectiva, Categoria

Contemporâneo, VII Salão de Artes da Primavera, Itu, S.P., Brasil; Exposição Colectiva "Cores da Beira" Galeria Sala da Nora, Castelo Branco; Exposição e venda permanente Praça Bom Jesus, Itu, Brasil.Galeria Arte-Itu, Brasil; Espaço Cultural Almeida Júnior, Itu, Brasil, Exposição conjunta (três artistas plásticos); Exposição Individual "Terra", Galeria Sala de Castelo Branco; Espaço Museológico de Temática Rural Soito, Góis, Museu Municipal e Posto de Turismo, Marvão, Posto de Turismo de Góis, Posio, Pontevedra, Espanha; Galeria Artemar Sesimbra, Lisboa; Galeria Lucília Cruz, Lisboa; Galeria Municipal de Albufeira; Sala de Arte Monte Seis Reis, Estremoz. Prémios: 1º lugar, Medalha de Ouro, "Troféu Almeida Júnior", VI Salão de Artes da Primavera, Brasil; 3º lugar, Medalha de Cobre, Prémio Contemporâneo, VII SAPRI, Brasil; 3º lugar, Salão "Cores e Formas dos nossos Artistas", Albufeira, Algarve.

G

onçalo Delaunay Pereira está a concluir 12º ano, na escola Secundária Anselmo de Andrade - Almada. Expõe regularmente desde 2003.

Exposições: Através da Escola Secundária Anselmo de Andrade, em 2003 na Oficina da Cultura, Praça São João Batista - Almada; Novamente, através da Escola Secundária Anselmo de Andrade, em 2004 na Oficina da Cultura, Praça São João Batista - Almada. Trabalhos Expostos: IDEA, Loja de Design - Bairro Alto; Nascente, Galeria de Arte - Expo; Dias de Espaço, Loja de Design - Almada; Rosa Verde Café - Costa da Caparica.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

066

067

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

GRACIELA TEIXEIRA DA MOTA

GUILHERME PARENTE

“s/Título” - Pintura s/Tela - 80x100

G

uilherme Parente nasceu em Belém, Lisboa, em Dezembro de 1940. Iniciou os estudos de pintura no começo dos anos sessenta, na Sociedade Nacional de Belas-Artes, com o Mestre Roberto de Araújo. Cursos de gravura na Sociedade Cooperativa de Gravadores Portugueses. Em 1968, 1969 e 1970, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, trabalhou na Slade School em Londres. Primeiros trabalhos para fundição em 1983 "As Sete Viagens de Sindbad, O Marinheiro". Começo da pintura em azulejo na Oficina 59 em 1984. Curso de Holografia em Londres, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian (1986). Realizou diversas exposições colectivas e individuais. Exposições Individuais: 1970 Galeria de Arte Moderna S.N.B.A; 1973 Galeria Bucholz; 1974 Galeria Diedro, Leiria; Mini-Galeria, Porto; Galeria Quadrum; 1975 Exposição em Guimarães; Museu-Biblioteca, Vila Viçosa; 1976 Galeria Módulo, Porto; Museu Carlos Machado, Ponta Delgada; 1977 Galeria de Arte Moderna S.N.B.A.; 1978 Galeria de Arte Moderna S.N.B.A.; Galeria Módulo, Porto; 1980 Galeria Tempo, Lisboa; 1981 Galeria Alvarez, Porto; Circulo de Artes Plásticas de Coimbra; 1982 "Marfins", Galeria Tempo, Lisboa; Galeria Roma e Pavia, Porto; Museu Tavares Proença Junior, Castelo Branco; Barca de Artes, Viana; Natura, Lisboa; 1983 Galeria Diário de Notícias, Lisboa; Galeria Diagonal, Cascais; Clube 50, Lisboa; 1985 Galeria Zen, Porto; Galeria Quetzal, Funchal; 1987 Galeria Barata, Lisboa; 1988 Galeria Ara, Lisboa; 1989 Galeria Santiago, mada; Associação Portugesa de Economistas; 1990 Galeria Triângulo 48, Algés; Galeria Holy, Lisboa; Galeria Funchália, Funchal; Salão S.N.B.A.; 1992 B.P., Bruxelas; Museu da Água, Lisboa; Galeria Triângulo 48, Algés; 1993 Câmara Municipal de Lisboa, Palácio Galveias; Museu Soares dos Reis, Porto; 1994 DIAG, Frankfurt; Espaço Capela da Gandarinha, Cascais; 1995

Galeria Fernando Santos, Porto; Casa Garden, Fundação Oriente, Macau; 1996 Itinerante nos Açores. Exposições Colectivas: 1968 Expo G.M., S.N.B.A.; 1971 Bienal de Barcelona: XX Salón de Grabados, Madrid; Bienal de Florença; 1972 Bienal de Seul-Coreia; 1973 Bienal de Ljubljiana; 1974 Painel de Belém; Exposição Prémio Biella; Galeria Nika, Tóquio; Jerónimo Bosh e as Tentações de Santo Antão, Museu de Arte Antiga; 1975 Gravura Portuguesa em Roma, Santo António dos Portugueses; Exposições de gravura em Paris e Varsóvia: Exposição 20 Anos de Gravura, Fundação Calouste Gulbenkian; 1976 Gravura, Bucareste, Belgrado, Atenas, Bolonha e Veneza; 1977 Grupo 5+1, Viena de Áustria; 4 Portuguese Artists, Structure, Rabat; 6ª Bienal de Florença; Gravura Portuguesa, Viterbo e Rio de Janeiro; Prémio Internacional de Biella; II Moussem de Arzila; 1980 Bienal de Heildelberg, Baden-Baden; 1981 Bienal de Bradford, Inglaterra; Schlo et Charlottenbourg, Berlin; Bienal Iberoamerican, México; 1982, Fidem, Estocolmo; 1985 Azulejaria Portuguesa, Barbican, Londres; 1986 III Exposição Gulbenkian de Artes Plásticas; Azulejaria Portuguesa, Brasil; 1987 Homenagem a Amadeu de Sousa Cardoso, Casa de Serralves; Fidem, U.S.A. (87); 1991 Bienal dos Açores; 1994 Bienal AIP, Porto; 1995 Exposicion I de Acuarela, Bilbao. Prémios: 1975 Prémio Malhoa; 1989 Prémio de Pintura da Sociedade Nacional de Belas-Artes. Colecções: Representado na Fundação Calouste Gulbenkian, no Museu da Cidade. Museu de Arte Contemporânea, Museu Machado de Castro e em diversas colecções particulares em Portugal e no estrangeiro.

“Porto, Torre dos Clérigos” - Óleo s/Tela - 80x57

raciela Teixeira da Mota nasceu a 7 de Maio de 1954 no Concello de Valpazos en Tras-os-Montes. Finaliza o curso de F. F. na Escola Industrial e Comercial de Chaves. Frequentou o curso Arte nos Tecidos na Escola Soares dos Reis no Porto. Frequentou o curso de Cerámica na UTIP também no Porto. Recibeu conhecimentos de grandes mestres da pintura en Portugal e Itália. Expõe desde 1982 os seus trabalhos em óleo sobre tela. Está representada em diversas coleccões particulares. Últimas Exposições: 2000 Banco BCI Gondomar; 2000 Galerias de Hospitais Privados en Portugal; 2000 Exposição nos Clérigos, Porto;

G

2000 Exposição na Boavista, Porto; 2000 Cámara Municipal de Ponta Delgada, Açores; 2000 Galeria do Hotel Ipanema Park, Porto; 2001 Galeria da Calzada, Porto; 2001 Auditorio Municipal Vila do Conde; 2001 Cámara Municipal do Porto, 4ª Feira Gastronómica; 2001 Cámara Municipal de Penafiel; 2001 Junta da Fregresia de Cedofeita, Porto; 2001 Junta de Freguesia de Matosinhos; 2001 Concello de Baiona, Galicia; 2001 Galeria Saramy, Porto; 2002 Colectiva de Artistas Luso Galaicos na Junta de Matosinhos; 2002 Colectiva de Artistas Luso Galaicos Parador de Baiona, Galicia.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

068

069

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

HÉLDER MENDES

HELENA JUSTINO

“Ninho Azul”

elena Justino nasceu no Porto em 1944. Tem o Curso Geral de Pintura pela Escola Superior de Belas Artes do Porto e licenciatura em Arquitectura pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa. Fez a primeira exposição individual no Museu de Luanda, em 1963, e expõe regularmente desde 1985. Além de ter participado em mais de meia centena de exposições colectivas. fez as seguintes Exposições individuais: 1985 Galeria Fonte Nova, Lisboa (Outubro); Restaurante O Encoberto - Setúbal (Dezembro); 1986 Galeria de Arte de Tavira - Tavira (Outubro); Botequim do Rei - Lisboa (Dezembro); Pousada de S. Filipe - Setúbal (Dezembro); 1987 Galeria Fonte Nova - Lisboa (Junho); 1988 Codilivro, Lisboa (Fevereiro); Galeria Artex,Lisboa (Maio); 1989 Galeria Almadarte, Costa da Caparica (Fevereiro); 1991 Galeria Almadarte, Costa da Caparica (Outubro); 1992 "África e a Guerra Colonial" Associação de Deficientes das Forças Armadas, Lisboa (Abril); "Para um Conto de Miguel Torga" - Galeria Roca, Marinha Grande (Junho); "O Meu Menino é de ouro" - Galeria Ditec, Lisboa (Novembro); 1993 "Paisagens Interiores" - Galeria Belo-Belo, Braga (Maio); 1995 Galeria Inter-Atrium, Porto; Galeria Irene Benzinho, Pombal (Novembro); 1996 Galeria Época, Guarda (Maio); Galma Inter-Atrium, Porto (Setembro);

H

1997 Galeria Inquisição, Setúbal (Junho ); Galeria Manuela Cruz, Castelo Branco (Novembro); 1998 Galeria Enes, Lisboa (Março); Atelier Edmundo Cuz, Várzea de Colares (Outubro); 1999 Galeria Inter Atrium, Porto (Abril); 2000 Galeria Artes & Artes, Lisboa (Outubro); Galeria Municipal Artur Bua l, Amadora (Fevereiro); Galerie Riedel, Frakenthal, Alemanha (Maio); Galeria Iosephus, Lisboa (Novembro). OBRA GRÁFICA: 1988 Serigrafia "O Fruto Proibido", executada pela Aresta, Torres Vedras; 1992 Serigrafia "África e a Guerra Colonial", edição de Fernando Rebelo, Lisboa; 1996 Serigrafia "Passarada", edição do Centro Português de Serigrafia, Lisboa; 1997 Serigrafia"Natureza Morta", executada por Aladino Jasse, Lisboa; 1999 Serigrafia "Peixeiras", edição da Galeria Enes, executada por Aladino Jasse, Lisboa. BIBLIOGRAFIA: "Dicionário de Pintores e Escultores Portugueses" de Fernando Pamplona; "Aspectos das Artes Plásticas em Portugal "de Fernando Infante do Carmo; Textos e artigos dos pintores Cruzeiro Seixas e Francisco Relógio, dos críticos Bettina Belitz, Porfírio Alves Pires, Edgardo Xavier e Margarida Botelho, dos poetas Mário António e Virgílio Alberto Vieira e dos jornalistas Rodrigues Vaz, Teresa Oliveira, Isabel Oliveira, António Sem, Lurdes Féria e Sandra Fernandes.

“Cristo” - Mista s/Madeira - 110x180

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

070

071

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

HÉLIO CUNHA

HUGO CLARO

"Universo a Gerar" - Técnica mista s/Tela - Duas telas de 120 por 90 cms “O Sol Negro” - Óleo s/Tela - 93x73 -

élio Cunha, nasceu na Penha de França em Lisboa. Em 1978 esteve em Inglaterra onde iniciou estudos e experiências no domínio das Artes Plásticas. Na década de oitenta frequentou o atelier de Mestre Soares Branco. Exposições Individuais: Sociedade Nacional de Belas Artes; Junta de Turismo da Costa do Estoril; Museu Regional de Sintra; Galeria Diário de Notícias, Galeria LCR, Sintra; Banco de Portugal; Auditório Municipal de Vendas Novas; Associação 25 de Abril; Galeria Capitel, Leiria; Galeria Municipal Artur Bual; Sede da Alfa Laval, Lund, Suécia; Centro Cultural da Amadora; Convento de S. José, Lagoa; Espaço d'Arte Portugal Telecom, Porto; Centro UNESCO, Porto. Participações em Colectivas: Centro de Arte da revista Artes Plásticas; Galeria do Casino Estoril; Galeria Iosephus; Galeria Rodrigues Lobo, Leiria; Sede da Caixa Geral de Depósitos; Salão Nobre da Alfândega do Porto; Museu da Água; II Feira de Arte Contemporânea, Estoril; Paço da Cultura, Guarda; Walsall Art Gallery, Inglaterra; STPT; Clube Portugal Telecom; Galeria de Exposições Temporárias do Centro Cultural de Belém. Prémios e Distinções: 1º Prémio e Menção Honrosa em Pintura nas Comemorações do Centenário das Telecomunicações, 1982; 1º Prémio de Pintura TLP, 1986; 2º Prémio de Pintura TLP, 1987; Menção Honrosa no concurso Mergulhe na Expo 98. Notas Diversas: Participou com regularidade em Exposições Colectivas na Sociedade Nacional de Belas Artes, na Galeria Municipal Artur Bual, na Galeria Viragem em Cascais, no Centro de Actividades Artísticas Árvore no Porto, no Vitória Espaço Cultural e em Bienais e Internacionais de Artes Plásticas da Festa do Avante, de Sabugal, Prémio de Pintura

H

Cardoso Lopes, de Vendas Novas, do Alentejo e de Ciudad Rodrigo em Espanha. Mencionado em Artes Plásticas em Portugal, Adrian Publishers; Criarte, Universitária Editora; 50 Anos de Pintura e Escultura em Portugal, Universitária Editora. Um filme sobre a sua obra, realizado por Álvaro Queirós, figura nos arquivos do ANIM, Cinemateca Portuguesa. Foi membro do júri de selecção no Prémio de Pintura e Escultura Artur Bual, 2005. Dedicaram textos ao pintor e à sua obra: Aida Sousa Dias, António Valdemar, António Victorino de Almeida, Edgardo Xavier, Eduardo Nascimento, Manuel Bontempo, José Man, Margarida Botelho, Maria João Bual, Mestre Soares Branco e Rui Mário Gonçalves. Colecções Públicas e Privadas: Museu do Chiado, Lisboa; Museu Municipal de Vila Real; Museu de Arte Contemporânea do Sabugal; Museu Condes de Castro Guimarães, Cascais; Museu Regional de Sintra; Museu Soares Branco, Mafra; Walsall Metropolitan Museum, Inglaterra; Museu Nacional da Cultura, Luanda, Angola; Museu Estadual do Recife, Brasil; de Arte de Macau, Museu Republica Popular da China. Câmaras Municipais: Da Amadora; de Vendas Novas; de Lagoa. Fundações: Fundação do Oriente, Lisboa; Fundação Engenheiro António de Almeida, Porto; Fundação Portuguesa de Cardiologia, Lisboa. Associações: 25 de Abril, Lisboa; de Pilotos Portugueses de Linha Aérea, Lisboa; de Apoio Social Portugal Telecom; Alfa Laval Art Association, Lund, Suécia. Outras Entidades: Sociedade Martins Sarmento, Guimarães; Casa do Alentejo, Lisboa; Sindicato dos Trabalhadores da Portugal Telecom, Lisboa; Clube Portugal Telecom, Lisboa; Bloxwich Golf Club, Inglaterra.

H

ugo Claro tem o12º ano. No Chapitô, no âmbito do curso de Ofícios do Espectáculo, 2001. Frequência do agrupamento 2 (Artes) na Escola Secundária Padre Alberto Neto em Queluz, 1993-96. Conhecimento das línguas Inglesa e Italiana. Conhecimentos de Informática na óptica do utilizador. Formação Profissional: 1991-93 Frequência do 2º ano do curso de Desenhador de Construção Civil na Escola Profissional Gustave Eiffel, na Amadora; 1994-95 Frequência do 1º ano do curso de Desenho da Sociedade Nacional de Belas Artes de Lisboa; 2002-03 Curso de Pintura Decorativa na Escola Inter-cultural das Profissões e do Desporto da Amadora; 2003-04 Frequência do curso de ajudante de cabeleireiro na ESCA, em Queluz; 2005 Escola de Bombeiro, na Associação dos Bombeiros Voluntários de Queluz, em conjunto com a Zona Operacional (2) de Sintra.

Caracterizador, Escritor de canções, Animador e Músico em festas para crianças na Empresa Era uma vez um sonho, em S. Pedro de Sintra, várias zonas do País; 2005 Músico e Artista Plástico; 2006 Estafeta; Bombeiro Voluntário. Outras actividades: Escritor de Contos e Poemas. Exposições de Pintura: 1995 Galeria Arte e Roda em Queluz; Exposição conjunta com jovens Pintores, a associação Artver e o Pintor Cubano Arnaldo Larrinhaga, na Amadora; 1996 Homenagem a Artur Bual "Zero Figura", na Galeria da Câmara Municipal da Amadora; 1997 Artisti Per Strada em Schio, na Itália; 1998 Escola Superior de Educação de Portalegre; 2ª Bienal de Pintura, prémio Cardoso Lopes, na Amadora; concurso regional de Pintura António Zavagnim em Zugliano, Vicenza, Itália; concurso "il sogno", de Pintura Escultura e Poesia na Basílica Palladiana em Vicenza; Café Concerto sobre racismo e Direitos Humanos, em Queluz; 1998 a 2001 Audições no Chapitô; 2001 Arte Café, em Mem Martins; 2002 Pavilhão 21C, Hospital Júlio de Matos em Lisboa; 2003 B´Arte, Fábrica da Pólvora de Barcarena; 2004: Galeria de Albarraque; 2005 Sede do Círculo Artístico e Cultural Artur Bual, Amadora; concurso "Prémio de Pintura e Escultura Artur Bual", na Amadora; Homenagem a José Rui "Zero Figura", na Galeria Municipal Artur Bual, Amadora; Galeria Rodrigues Lobo, Circularte - Exposição colectiva de Artistas do Círculo Artur Bual, em Leiria e Amadora; "Retrospectiva Futura" nos Recreios da Amadora.

Experiência Profissional: 1993 e 97 Serigrafia, na Serigrafia Carlos Claro, Serra das Minas; 1994-95 Limpeza de terrenos, restauro de telhados em cana e pintura de interiores e exteriores de habitações em Évora e Queluz; 1995 a 2005 Artista Plástico e Músico; 1997-98 Restauro de Arte Sacra na firma Nelson e Tavares Lda. Na Graça, em várias Igrejas de Lisboa e Sernancelhe; 2001 Artista Plástico e sonoplasta na firma Theias realizações plásticas; 2002 Artesão nas áreas do Barro e Pintura; Produção de adereços para Teatro; 2003-04

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

072

073

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

IVONE RALHA

JACINTA POUPINHA

Eu Pinto o Sol de Preto - Mista

- 41X28 s/Título

I

vone Luís Horta Ralha nasceu a 29 Outubro de 1958 em Lisboa. Tem o Curso de História da Universidade Eduardo Mondlane, Maputo (1978-1980). De 1978 a 1981 Monitora no Arquivo Histórico de Moçambique; De 1982 a 1984 Professora de História e Desenho Técnico no Centro de Estudos Culturais de Moçambique, em Maputo; De 1984 a 1988 Sector gráfico da Editorial Caminho; De 1988 a 1989 Sector gráfico da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira; De 1989 a 2005 Sector gráfico do jornal Público; 2006 Direcção de Arte do Diário de Notícias. Exposições individuais: 1997 Galeria Pintura, Helsínquia; 2002 Sala Damião de Goes, Instituto Camões, Bruxelas; 2005 Galeria de Exposições Augusto Cabrita, Seixal. Participação em várias exposições colectivas.

J

acinta Poupinha é natural de Serpa, nasceu a 23 de Abril de 1954. Autodidacta, tendo participado já em algumas exposições de pintura.

Exposições Individuais: 2005 Club Serpense, Serpa; 2006, Galeria de Arte "Vemos, Ouvimos e Lemos", Serpa. Exposições Colectivas: 2005 Estalagem de S. Gens, Serpa; II Encontro de Culturas (Mercado Municipal), Serpa; Arte na Leira 2005, Casa do Marco, Arga de Baixo

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

74

075

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

JACINTO LUIS
acinto Luís, nasceu na Maxieira a 6 de Janeiro de 1945. Em 1964 foi viver para Paris, França. Fez os seus primeiros trabalhos em desenho e pintura em 1969. Entre 1971 e 1975 foi Bolseiro Do Governo Italiano. Frequentou a Academia das Artes, em Roma, Itália. De 1982 a 1983 foi Bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, em Paris, França. Entre 1992 e 1997, reside em Madrid. A partir de 1997 passa a viver em Lisboa. Exposições Individuais (Selecção); 1980 Galeria 111, Lisboa; 1983 Galeria 111, Lisboa; 1984 Galeria Zen, Porto; 1985 Caixa Geral de Depósitos, Paris; 1987 Espace Bateau Lavoir, Paris; Galeria Quintero, Coral Gables, Miami; 1988 Galeria 111, Paris; Quintero Gallery, Barranquilha, Colômbia; 1989 Vingts Ans de Peinture, Galeria Arte-Concórdia, Paris; 1991 Galeria Contemporânea, Genebra, Suiça; Galeria da Casa Garden,Fundação Oriente, Macau; Galeria Teatro Romano, ANJE, Casa da Companhia, Porto; Galeria Teatro Romano, Lisboa; Galeria R. Treger, Paris; 1992 Galeria Degrau Arte, Porto; Galeria R. Treger, Paris; 1993 Casa de Portugal, Paris; 1994 Galeria de Arte do Casino Estoril, Estoril; Museu Nogueira da Silva, Galeria da Universidade do Minho, Braga; Palácio Nacional da Ajuda, Lisboa; 1995 Embaixada de Portugal, Bruxelas; Galeria Arte Vária, Coimbra; Galeria São Francisco, Lisboa; Galeria Trem e Arco, Faro; 1996 Cordeiros Galeria, porto; 1998 Galeria S. Francisco, Lisboa; Galeria de Exposições Temporárias Do Leal Senado, Macau; 1999 Galeria Degrau Arte, Porto; 1999-2000 Fundação Cupertino de Miranda, V.N.Famalicão; 2000-01 Galeria Valbom, Lisboa; 200203 Galeria Valbom, Lisboa; 2001 Galeria Galveias, Lisboa; 2002-03 Galeria Valbom, Lisboa; 2003 Galeria de Arte do Casino do Estoril, Estoril.

JAIME ISIDORO
Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, Amarante; Instituto Cultural de Macau, Macau; Galeria Pallon, Recife, Brasil; X Bienal Internacional de Arte de Cerveira (Homenagem), V.N. de Cerveira; Galeria Por Amor à Arte, Porto; 1995 Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, Porto; Fundação Engº. António de Almeida, Porto; 1994 Galeria Alvarez, Porto; 1992 Galeria Artela, Lisboa; 1989 "Cerveira - de 78 a 89", Pousada D. Dinis, Vila Nova de Cerveira; Galeria Símbolo, Porto; Galeria Alvarez, Porto; 1987 "Aguarelas", Galeria de Arte do Casino Estoril, Lisboa; 1986 "Porto/Margens do Douro", Galeria de Arte do Hotel Méridien, Porto; 1979 "Aguarelas", Galeria O País, Lisboa; 1953 Salão Silva Porto, Porto; 1951 Salão Silva Porto, Porto; 1949 Salão Portugália, Porto; 1947 Salão Portugália, Porto; 1946 Comissão de Turismo de Guimarães; 1945 Salão Fantasia, Porto. Exposições Colectivas (selecção) desde 2000: 2005 ARTE ESTORIL, Feira de Arte Contemporânea, Estoril; Arte na Planície/Arte na Leira, Foros do Cortiço, Montemor-o-Novo; 2004 ARTE LISBOA'04, (Galeria Alvarez), FIL, Parque das Nações, Lisboa; ART COLOGNE'04 (Galeria Alvarez), Köln, Germany; Arte na Leira, Arga de Baixo, Caminha; Museu Serpa Pinto, Cinfães; "A minha revolução é melhor que a tua!", Galeria Marina-Miranda, Porto; ARTE ESTORIL, Feira de Arte Contemporânea, Estoril; 2003 ART COLOGNE'03 (Galeria Alvarez), Köln, Germany; 4º Prémio Amadeo de SouzaCardoso, Museu Amadeo de Souza-Cardoso Amarante; XII Bienal Internacional de Arte de Cerveira, V.N. de Cerveira; 2002 Galeria Alvarez, Porto; ART COLOGNE'02 (Galeria Alvarez), Köln, Germany; 2001 ARTE LISBOA'01, (Galeria Alvarez), FIL, Parque das Nações, Lisboa; ART COLOGNE'01 (Galeria Alvarez), Köln, Germany; XI Bienal Internacional de Arte de Cerveira, V.N. de Cerveira; 2000 ARTE LISBOA'00, (Galeria Alvarez), FIL, Parque das Nações, Lisboa; ART COLOGNE'00 (Galeria Alvarez), Köln, Germany; "Navegações", Galeria Gamela, João Pessoa, Brasil; Marca Madeira, (Galeria Alvarez) Feira de Arte Contemporânea, Funchal, Madeira; Cerveira 2000 Arte Contemporânea, Galeria Projecto, V. N. de Cerveira; Prémios (selecção): 1986 Prémio José Teodoro dos Santos e Prémio da C.M. da Póvoa de Varzim no Salão de Outono do Estoril; 1957 2º Prémio "Roque Gameiro", Portugal; 1956 Prémio "Henrique Pousão", XII Exposição de Arte Contemporânea do Artistas do Norte do SNI, Portugal; 1955 Prémio "António Carneiro", Portugal; 1954 Prémio "Armando Basto", X Exposição de Arte Contemporânea do Artistas do Norte do SNI, Portugal; 1952 2ª Medalha no XVIII Salão do Estoril, Portugal; 1951 Prémio do SNI no 1º Salão de Pintura de Matosinhos, Portugal; 1950 Bolsa de Viagem José Malhoa, da SNBA, Lisboa, Portugal; 1º Prémio dos Jogos Florais das Férias de 1950, da Propaganda Turística Portuguesa, Portugal; 1949 2º Prémio "Silva Porto" do SNI, Salão da Primavera, SNBA, Portugal; 3ª Medalha, Aguarela, XV Salão do Estoril, Portugal; 2º Prémio do III Salão Provincial da Beira Alta, Portugal; 1948 Menção Honrosa, Aguarela, Salão de Inverno da SNBA, Portugal; Prémio "Rocha Cabral" da ANBA, na XII Missão Estética de Férias, Vila Viçosa, Portugal; 1947 2ª Medalha no XIII Salão do Estoril; 3ª Medalha no Salão da Primavera da SNBA. Mais informação em: www.artenaplanicie.com

J

“Praça do Comércio” “Transparência” - Aguarela s/Papel - 100x70

Exposições Colectivas: 1976 Jeune Peinture Portugaise, Centro Cultural Português, Paris; Pintura Moderna Portuguesa, Sociedade Nacional de Belas-Artes, Lisboa; Portuguese Modern Art, Lund, Suécia; 1977 Encontros Internacionais de Arte, Caldas da Rainha; Petits Formats, Galeria Liliane François, Paris; 1978 Pintura Moderna Portuguesa, Sociedade Nacional de Belas-Artes, Lisboa; Centro Cultural André Malraux, Verrieres-Le-Boisson, França; Gravura Portuguesa, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa; 1979 Gravure POrtugaise, Biblioteca Nacional de Paris; 1982 Artistas Portugueses Residentes no Estrangeiro, Figueira da Foz, Lisboa e Porto; Salon de Montrouge, Feira de Arte de Montrouge, Montrouge; 1982-83 Primeira Exposição Nacional da Arte Moderna, Museu Nacional Soares dos Reis, Porto, Sociedade Nacional de Belas-Artes, Lisboa; 1983 Peinture POrtugaise de Paris, Alliance Française, Lisboa. 1984 Dez Anos do 25 de Abril, Sociedade Nacional de Belas-Artes, Lisboa; Primeira Exposição Ibérica de Arte Moderna, Campo Maior, Portugal-Cáceres, Espanha; Vinte Anos da Galeria 111, Lisboa; Museu de Antibes, Antibes; 1986 Centro Cultural Leonardo da Vinci, Lion; Galeria Prévost, Lyon's Club, Paris; Museu de Antibes, Antibes; 1987 Exposição Inaugural da Sede do Parlamento Europeu, Lisboa; ARCO, Feira Internacional de Arte, Pela Galeria 111, Madrid; Parlamento Europeu, Estrasburgo; Exposição Itinerante, Washington D.C., Nova Iorque e

Providence; 1988 Doze Pintores Portugueses de Paris, Galeria Gilde, Guimarães; Exposição Internacional de Gravura Contemporânea, Sesimbra; Primeira Bienal de Gravura, Amadora; Fórum das Artes, Fórum Picoas, Lisboa; 1989 As Cores da Revolução, Palácio Nacional da Ajuda, Lisboa; Gravura, Galeria 111, Lisboa; Gravure, Biblioteca Nacional de Paris, Paris; Exponor, Porto; Feira de Arte, Fórum Picoas, Lisboa; 1990 Jornadas das Beiras, Fundão; Exponor, Porto; Galeria Neupergama, Torres Novas; Galeria R. treger, Paris; Madison Fine Art Gallery, Nova Iorque; Medecine Gallery, Nova Iorque; 1991 O Século XX nas Artes Plásticas, Palácio Galveias, Lisboa; Exposição de Arte Europeia, Moret-Sur-Loing, França; Galeria R. Treger, Paris; Galeria Magelan, Paris; 1992 Galeria da Casa Garden,Fundação Oriente, Macau; Galeria Degrau Arte, Porto; Inauguração do Museu do Porto de Lisboa, Lisboa; 1993 Galeria Arte Vária, Coimbra; 1995 Embaixada de Portugal em Madrid; Galeria S. Francisco, Lisboa; 1996 Museu do Traje, Lisboa; Galeria S. Francisco, Lisboa. Representações: Banco de Portugal, Lisboa; Banco Português de Investimento, Lisboa; Bolsa de Valores, Lisboa; Caixa Geral de Depósitos, Lisboa; Empresa de Tráfego e Estiva, Lisboa; Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa; Fundação Cupertino de Miranda, V.N. Famalicão; Fundação Oriente, Lisboa- Macau; Museu de Arte Moderna, Açores; Parlamento Europeu, Bruxelas; World Trade Center, Porto.

J

aime Isidoro nasceu no Porto (Portugal) em 1924. Estudou pintura na Escola de Soares dos Reis. Realizou a primeira exposição em 1945. Em 1954 fundou a Galeria Alvarez (a mais antiga galeria) que teve grande influência na divulgação da Arte Moderna em Portugal, realizou em 1956 a Primeira Exposição Póstuma de Amadeo de Souza-Cardoso. Editou a "Revista de Artes Plásticas". Promoveu os Encontros Internacionais de Arte e criou as Bienais Internacionais de Arte em Cerveira. Foi distinguido com a Medalha de Mérito Cultural da Câmara Municipal de V.N. de Cerveira (1982), com a Medalha (Grau Ouro) da Câmara Municipal do Porto (1988) e com a Medalha (Grau Ouro) da Câmara Municipal de Gaia (2002).

Exposições Individuais: 2005 Galeria Municipal Artur Bual, Amadora, Portugal; Galeria Corrente D'Arte, Lisboa; 2004 Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, Porto; Galeria Solar do Ferrão, IPAC, Salvador da Bahia, Brasil; 2003 Galeria Alvarez, Porto; Galeria Por Amor à Arte, Porto; 2002 Galeria Alvarez, Porto; 2001 Galeria Sala Maior, Porto; Galeria Maria Santos, Porto; Galeria Por Amor à Arte, Porto; Galeria Espaço Branco, Viana do Castelo; 2000 Galeria Gamela, João Pessoa, Brasil; Galeria Alvarez, Porto; Galeria Ignez Fiuza, Fortaleza, Brasil; Galeria Rúben Cunha, Lisboa; 1999 "Jaime Isidoro 1945-1999", Museu

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

076

077

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

JAYR PENNY

JOÃO LUIS MARROCOS FERNANDES

Briga - Acrilico sobre Tela - 140x119

ayr Peny nasceu em 12 de Maio de 1965 em Natal, Estado do Rio Grande do Norte, Brasil. Iniciou a sua carreira como Artista Plástico profissional em 1981. Sua formação inclui; Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Pintura) e Escola de Artes Plásticas Atelier Central (Desenho Artístico). Reside em Portugal (concelho de Sintra) desde 1996, onde vem consolidando seu nome e sua Arte. Já realizou 43 exposições individuais. Representações: A sua Obra está representada em Museus, colecções particulares e públicas nos seguintes países: Brasil, Portugal, Alemanha, Austrália, Inglaterra, França, Itália, Córsega e nos Estados Unidos da América. Jayr Peny é considerado hoje um dos artistas mais promissores da sua geração. Principais Prémios e Distinções (selecção): 1º Prémio no concurso "Em Busca de Talentos Regionais" promovido pelas telecomunicações do Rio Grande do Norte (LISTEL-RN) em Natal, Brasil, 1987; 1º Prémio no Salão do Serviço Social do Comércio (SESC) em Natal, Brasil, 1987; 1º Prémio no concurso "Painel Artístico do Serviço Social da Indústria" (SESI) em Natal, Brasil, 1987; 1º Prémio no concurso "Em Busca de Talentos Regionais" promovido pelas Telecomunicações do Rio Grande do Norte (LISTEL-RN) em Natal Brasil, 1988; 1º Prémio no "Grande Salão dos Artistas da Terra" promovido pela Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte em Natal, Brasil, 1997; Melhor Artista Internacional no "Salon Le Meilleur'99" em SaintEtienne, França, 1999; Prémio Especial de Pintura (Ar Livre) em

J

Maisons-Lafitte / Paris, França, 2001; Prémio "Venezia Serenissima" concedido pela "Associazione Galeria Centro Storico" de Florença, Itália, 2003. Principais Exposições Individuais e colectivas (selecção): 1983 Galeria do Atelier Central em Natal, Brasil; 1999 Galerie Nicola's em Saint Paul de Vence, "Jayr Peny, Peinture" França; 1999 Galerie Everarts em Paris, "Peny à Paris" França; 2000 Museu Albert Marzelles,"Le Noveau Munde de Jayr Peny" em Marmande-França; 2000 Museu Regional de Sintra, "Celebração" Portugal. Comemoração 20 anos de carreira; 2000 World Fine Art Gallery, "At last Dreams Came True" em Nova Iorque, U.S.A.; 2003 Museu Gilardi "Essencial" Em Lucca, Itália; 2004 Galeria de Arte Palpura "Vertentes" em Lisboa, Portugal; 2004 Galeria LM "Acto Refexo" em Sintra, Portugal; 2005 Atelier JP "Exposição Permanente" em Massamá, Sintra; 2006 Museu Sebastião da Gama "Representações do Imaginário" em Azeitão, Portugal; 2006 Galeria MM "Oníicos Momentos", Caldas da Rainha, Portugal. Exposições Colectivas: Jayr Peny tem participado em várias Exposições colectivas, nomeadamente em Portugal: GalleryCenter, Lisboa, 1999; Museu Regional de Sintra, 2000; GalleryCenter, Lisboa 2001; Atelier Edmundo Cruz "Variações sobre um mesmo Tema", Colares 2004; GalleryCenter, Lisboa 2004. Em França: Museu Albert Marzelles, Mardand 1999. Nos Estados Unidos da América: Javists Covention Center, Nova Iorque 2002. Na Austrália: Gadfly Gallery, Perth 2003.

“Festa Sra. da Saúde” - Óleo s/Tela - 100x80

J

oão Luis Marrocos Fernandes nasceu em em 1976. É um pintor autodidata. Estudou em Caminha.

Últimas Exposições: 1998 Bienal Internacional de Cerveira, Portugal; 1999 Instituto da Juventude, Portugal; 2002 Galeria de Arte Caminhence, Caminha, Portugal; 2002 Casa da Anta,Caminha, Portugal; 2002 Freguesia de Montesinos, Portugal; 2002 Cruz da Freguesia de Matosinhos, Portugal; 2002 Exposición Colectiva de pintores Lusos e Galaicos, Baiona, Galicia.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

078

079

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

JORGE BANDEIRA

JOSÉ GRAZINA

"Sem Titulo" - 1,40x1,40m - Técnica Mista

A Meta - Acrílico s/ tela - 120x80

orge Bandeira nasceu em Lisboa, a 1 de Agosto de 1953. Licenciado em Arquitectura, pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa e Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, 1989. Frequentou a licenciatura em História de Arte na Universidade Aberta de Lisboa. Frequentou o curso de Pintura da Sociedade Nacional de Belas Artes. Professor de Educação Visual, Educação Tecnológica, Oficinas de Artes e Geometria Descritiva desde 1993. Participou em inúmeras exposições colectivas e individuais das quais se destacam: ARTEXPO, Feira Internacional de Arte Contemporânea, Barcelona; Exposição de Arte Mundo Seguro, Associação Portuguesa

J

de Seguradores, Parque das Nações, Lisboa; Na Galeria CJ2, em Lisboa; Na Galeria HEXALFA, "O olhar do Maltês", Lisboa; 11ª Exposição Internacional de Torres Novas; Na Galeria HEXALFA, "Autumn Projects", Lisboa; Galeria ARTUR BUAL "Problemas do Planeta" ,Amadora; Galeria GALVEIAS, Lisboa; Galeria Ayala, Óbidos; Fórum Telecom., "Situ+acções", Lisboa; Galeria Orlando Morais, Ericeira. Esta representado em diversas colecções no País e no Estrangeiro.

J

osé Grazina, nasceu no Redondo, em 1964. Frequentou os Cursos de Artes Visuais na Escola António, em Lisboa; Pintura no A.R.C.O; Desenho e Pintura na Sociedade Nacional de Belas Artes e o curso de monitores de Expressão Dramática na Fundação Calouste Gulbenkian. 1º Prémio de Pintura, com a obra "Transfiguração II", I Bienal da Nazaré- Prémio Thomas de Mello, 1999. Mensão Honrosa Desenho, Centro Cultural da Nazaré, 2000; Orientou um Whorkshop na Fundação Oriente com colaboração da Galeria 57, em Macau; Membro do Júri da I e III Exposição Colectiva, Artistas Plástico da Nazaré; Criou a cenografia do bailado "Who Cares?" de George Balanchine em 2002 para a Companhia Nacional de Bailado; Autor do Postal Comemorativo dos Direitos Humanos, com a colaboração da Amnesty Internacional, Opus Gay e Korpus. Está representado no museu Francisco Tavares Proença Júnior, Câmara Municipal do Cartaxo, Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos, Câmara Municipal de Sobral do Monte Agraço, Instituto Português da Juventude, Centro Cultural da Nazaré e Colecções Particulares. Expõe com regularidade desde 1989.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

080

081

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

JOSÉ LUIS PAIS
NHAC; Restaurante HEROÍSMO; Restaurante TOSCANO; Restaurante BAR O BECO; Bar OH!; Sapataria Miguel Costa; Sapataria Gentil 2; Papelaria Riscos e Rabiscos; Lojas Trafic (Porto, Lisboa e Algarve); Ourivesaria Elyse; Ourivesaria J Costa; Escritórios da Administração da ARSOPI (Vale de Cambra); Escritórios da SOCIFA (Porto e Vila Real); Instalações da Fundação Cupertino de Miranda; Sede da Companhia de Seguros Real; Lojas Chapeau (1,2,3); Lojas Caldas e Companhia; Remodelação Oporto Clube de Golfe; Remodelação do Clube da Gandra; Remodelação do Clube de Golfe de Miramar; Intervenção em várias zonas da Bolsa de Valores do Porto; bem como em muitas casas particulares. Separa-se do Studio 3 em 1993, ano em que recomeça a pintar. Faz a primeira exposição nesse ano na Galeria Vértice em Lisboa, segue-se em 1994 uma exposição nos Paços do Concelho de Matosinhos. Em 1995 Espaço REAL (Braga). Em 1996 Galeria Vértice, 1998 Hotel Ipanema, 2000 e 2002 castelo da Foz e A.C.P. Lisboa. Depois da separação do Studio 3 faz sozinho: Remodelação do Restaurante Portofino; Remodelação do Restaurante Montebelo; Remodelação do Restaurante Cozinha da Maria; Remodelação do Clube Ténis da Foz; Remodelação do Batatas Bar; Remodelação da loja Portugal Radical; Restaurante Peixes e Companhia; Bar Cerveja Viva; Várias intervenções na Santa Casa da Misericórdia do Porto; Show Room Vestimpor; Show Room VALSAM Valdemar dos Santos, Lda; Lojas DCOR BRASS 1 e 2; Lojas Yellow Kids 1 e 2; Lojas Axess; Lojas Classic Shirt; Loja Pregos e Crepes; Ourivesaria Cinzel; Restaurante Adega; Restaurante QB da Fundação; Bar Café do Mar; Participação na Casa Decor, 2 anos; Participação na Sol Verde Decor, 2 anos. Durante esta época e até hoje, realizou um vasto número de trabalhos de decoração em casas particulares. Como pintor está representado em várias colecções particulares em Portugal e no estrangeiro, nomeadamente no Japão, Inglaterra. Holanda e Brasil, bem como em Bancos, Companhias de Seguros, Empresas e outras instituições da Companhia de Seguros Real. Exposições realizadas: 1992 Galeria Vértice, Lisboa; 1993 Espaço Real, Braga; 1994 Câmara Municipal de Matosinhos, Matosinhos; 1996 Galeria Vértice, Lisboa; 1998 Hotel Hipanema, Porto; 2001 Castelo da Foz, Porto; 2004 Castelo da Foz, Porto; 2004 Sede da A.C.P, Lisboa; 2005 Galeria Maria Braga, V. Mouros.

JOSÉ PÁDUA

A Encruzilhada - Mista - 82x68

A Encruzilhada - Mista - 82x68

osé Luís Pais nasceu no Porto em 1940. Fez o Curso de Decoração em St. John School of Arts, Londres. Estudou pintura na Academia Domingues Alvarez com o mestre Jaime Isidoro. Exerce a actividade de Decorador desde a idade dos 20 anos. Trabalhou sozinho até formar com mais dois decoradores o Studio 3. Até essa data constam (entre outros), os seguintes trabalhos: Sala de jantar do B.E.S. no Porto; Sala de jantar e sala de estar do B.P.A. no Porto; Sala de estar e sala de reuniões da Companhia União Fabril de Cervejas Porto; Agência de Viagens STAR no Porto; Sapataria Gentil 1 no Porto; Sapataria Valentino no Porto; Boutique DELFIEU no Porto; Lojas Benetton (Porto, Coimbra e Cascais); Restaurante O Tripeiro no Porto, Tintas LACOSE no Porto; e um vasto número de intervenções em casas particulares. Já com o Studio 3 participa nos seguintes trabalhos entre outros: Restaurante PORTOFINO; Restaurante FINOCCIO; Restaurante COZINHA da MARIA; Restaurante O PEPINO; Restaurante NHAC

J

J

osé Pádua nasceu na cidade da Beira, Moçambique, em 1934, residindo em Lisboa desde 1977. Foi eleito Artista Plástico de 1966 pelo jornal A Tribuna de Moçambique, premiando o seu trabalho, que viria a desenvolver enquanto pintor, decorador, ilustrador e gravador. Entre 1974 e 1978 trabalhou exclusivamente para a galeria de Arte R. Rennie, Harare, Zimbabwe. De 1979 a 1981 foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, frequentando cursos de gravura em metal e de litografia. Em 1980 e 1981 foi distinguido com os 2.º e 1.º prémios respectivamente, em exposições sobre temas de Lisboa. Em 2002 foi editado um seu de temática africana: O Fascínio de Moçambique. Tem também trabalhos na área da escultura a azulejaria, bem como

murais em cimento em Joanesburgo no Bank of Lisbon & South Africa e em Moçambique nos aeroportos de Mavalane e Beira; Banco Pinto & Sotto Mayor, Montepio de Moçambique, Banco de Credito Comercial e Industrial, piscinas do Complexo Desportivo dos Caminhos-de-ferro da Beira, Banco de Moçambique e Cinema Novocine. Está representado em inúmeras colecções particulares em Portugal e no estrangeiro, nomeadamente na África do Sul, Zimbabwe Moçambique, Angola, Espanha, Suécia, Áustria, Brasil, Venezuela, E.U.A, Canadá, Israel, Japão e Austrália. Além de ter participado em várias exposições colectivas, faz parte do grupo A Tertúlia de Artistas de Moçambique que se expõe todos os anos, desde 1984, em vários países do mundo.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

082

083

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

JOSÉ RAIMUNDO

KARINO

arino Amade nasceu a 26 de Setembro de 1976 na cidade de Maputo, em Moçambique. É o último discípulo do Mestre Artur Bual. Licenciado em Eng. Geológica na UNL/FCT. Representado na Galeria Alvarez e outras galerias de arte, em algumas colecções estatais e particulares (C.M. Amadora, C.M. Quarteira, C.M. Arruda dos Vinhos, C.M. Campo Maior, Museu da Electricidade, C.M. Sintra, etc.) em Portugal, na França, na Alemanha e Moçambique. Pertenceu à ArcoArtis (Associação de Artistas Plásticos da Damaia) e é sócio fundador do Circulo Cultural e Artístico Artur Bual. Realizou diversas exposições colectivas, das quais se destacam; Universidade Nova de Lisboa da Faculdade de Ciências e Tecnologia (1998), na Passe Partout (Centro Colombo, Lisboa, 1998/1999), na Galeria Municipal de Fitares (Sintra, 1999), na Galeria Municipal Palácio Anjos (Algés, 1999), na "Percursos de Arte", C.C. Pedralvas (Benfica, 10 de 1999), no Salão de Congressos em Seia (11 de 1999), no Museu da Electricidade (Lisboa, 5 de 2000), "Natal 2001", na Galeria MAC (Movimento de Arte Contempo-rânea), (Lisboa, 11 de 2001, 12 de 2005), na Galeria 57 (Leiria, 11 de 2001). Na colectiva da Galeria Rodrigues Lobo (Leiria, 2005), na colectiva da Galeria Alvarez (Porto, 09 de 2005), na colectiva da colectiva da Galeria Minimalista (Lisboa, 01 de 2006). Exposições Individuais: No Castelo de Campo Maior (2 de 2000), na Galeria Municipal de Arruda dos Vinhos (4 de 2000), nos Recreios da Amadora (6 de 2000). Outros eventos: Participação em diversos prémios de pintura, prémio de Pintura e Escultura Artur Bual, C.M. Amadora (02 de 2005), II Bienal de Mafra (2005). Participação em diversas "performances" de pintura, destacam-se; no liceu da Amadora (2000), com crianças do ATL do

K

"Baile na Sociedade" - Acrílico s/Tela - 73x92 - 2005

“A seca e o fogo” - Acrílico s/Tela - 50x50cm - 2005

osé Raimundo nasceu em Lisboa no ano de 1947, radicando-se na Amadora no início da década de 60. Durante a sua juventude fez aprendizagem de Pintura em Lisboa, nas Oficinas de São José com Mestres Pintores. Seguiu-se o Curso Industrial e a carreira de desenhador técnico que exerceu até 1997, dedicando-se desde então excusivamente às artes. Expõe regularmente desde 1986, estando representado em várias colecções públicas e particulares. Exposições a partir de 1999: 1999 Exposição Individual no bar "Nina", Lisboa; 2001 Colectiva do "Grupo da Mina", Recreios Desportivos da Amadora; 2003 Colectiva no Museu da Óptica, de Fernando Oculista, Amadora; 2003 Exposição

J

Individual no Espaço Galeria-Bar "My Café", Amadora; 2004 Exposição Individual do Espaço Galeria-Bar "Década", Amadora; Colectiva "Amigos da Mina", Junta de Freguesia da Mina, Amadora; Colectiva "Doação para a Associação de Deficientes Valentiama"; Exposição Individual "Coisas da Música", Escola Profissional Gustave Eiffel, Amadora; Exposição "1º Encontro de Pintura de Pequeno Formato", Junta de Freguesia da Mina, Amadora; 2005 Exposição "2º Encontro de Pintura de Pequeno Formato", Junta de Freguesia da Mina, Amadora; Exposição "O Figura, Homenagem Informal a José Ruy", Galeria Municipal Artur Bual, Amadora; Exposição Colectiva "Circularte", Galeria Rodrigues Lobo, Leiria; 10ª Exposição Internacional de Artes Plásticas, Vendas Novas; Exposição Internacional de Artes Plásticas, Sesimbra; Exposição Individual na Biblioteca-Museu República e Resistência, Lisboa; Exposição Colectiva para o Rotary Club da Amadora.

Algueirão (2002), nas comemorações do dia Mundial da Criança, Quarteira (Praça do Mar), Câmara Municipal de Loulé, 17/06/2003, em Castro D'Aire nas comemorações da cidade (08 de 2004). Participação em leilões (Cruz Vermelha, Associação dos Deficientes das Forças Armadas (2002), na ASTA em Cabreira (07/2004). Participação na organização de diversas exposições colectivas do Circulo Cultural e Artístico Artur Bual. Observações: Eleito um dos quatro melhores trabalhos pela ADFA e pelo Secretariado Nacional para a Reabilitação e Integração das Pessoas com Deficiência, da qual resultou a ilustração da agenda de 2003, no mês de Fevereiro.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

084

085

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

LENA GAL

LÍVIO

DE

MORAIS

L

ívio de Morais, em 1965 iniciou-se em Artes Plásticas no Núcleo de Arte em Lourenço Marques (Maputo) Moçambique. Veio para Portugal em 1971 para a Faculdade de Belas Artes de Lisboa. Foi membro e professor dos colégios dos Irmãos Maristas em Moçambique e Portugal. Pintor, escultor, ensaísta e investigador de Arte Africana. Natural da Zambézia, Moçambique, nasceu a 10 de Maio de 1945. É licenciado em Artes Plásticas (1978), em escultura, pela ESBAL (Universidade de Lisboa). É professor de História da Arte no Ensino Secundário. Fez fotografia de cariótipo para investigação médica (Genética). Fez estudos de Sociologia e Antropologia. Proferiu conferências sobre a Arte e Máscaras na Universidade de Barcelona (1992 e 1993), Universidade Anthropos de Barcelona (1992), Universidade de Filologia de Vigo (1994), Universidade de Funchal (2000) e Bolonha (2000). Em Junho de 1997 participou no Congresso Mundial na UNESCO, em Paris, na reformulação dos Estatutos da Condição do Artista.

“Magia em corpo de mulher” - Técnica s/ tela - 146x114

ena Gal nasceu em S. Miguel, Açores. Participou em inúmeras actividades pedagógicas das quais refere, animação em expressão plástica, em escolas do ciclo preparatório básico e atelieres de tempo livre. Foi monitora no programa "Artes e Ofícios" no Projecto SocioEducativo do Departamento de Educação da Camara Municipal de Lisboa. Foi convidada para apoiar acções pedagógicas sobre a Arte, no Liceu"Durfee" na Bishop Conrelly High School, na University of South Carolina, Spartanburg, e na Tauton High School, EUA. Exposição individual 2004-2005: Da terra perfumada, Centro Cultural Casapiano Lisboa; Galveias Galeria de Arte- Lisboa; PROJECTO Art for All; Grimshaw Gudewicz Art Gallery BCC, Mass - EUA. Colectivas-2004-2005: La Maison des Alles, Taulouse, França; Centre Cultural Christiane Peuget, Paris, França; Santiago Galeria de Arte, Palmela. Algumas Exposições (selecção), Individuais: University de UMASS, Dortmouth, EUA; Ar-ts Center Gallery University Spartanburg, South Carolina, EUA; Arcade Gallery, Providence,Artworks Gallery, Mass; Galeria Mouraria, Funchal; Maison Europe Avignom, França.

L

Colectivas: Treffpunkt Museum, Austria; Pallazzo della bela Vigo del Gargano. Itália; Fundacion Canaria Mapfre Guanarteme, Las Palmas; 2000 International Show - Sharjah Arts Museum, United Arab Emirates; Centro Cultural de Belém, Museu da Cidade, Lisboa; Galeria Pepper`s, Caldas da Rainha; Artexpo NewYork 2002 - USA; Casa da Cultura, Lagos de Moreno, Jalisco, Mexico; Sala de Arte Los Lavaderos, Tenerife, Espanha; Feira Internacional del Libro de Buenos Aires, Argentina; Artcard, Sharjah Art Museum, United Arab Emirates; Casa Amatler, Barcelona; Alexandra Irigoyen Galeria, Portugal, agua y tierra- Madrid.

Algumas Exposições Individuais desde 1997: 1997 Pintura e Escultura, Galeria Convosco, Lisboa; Pintura/ EscUltura, Antropologias de Africa, Galeria de Arte do Clube do Coleccionador dos Correios, Fórum Picoas, Lisboa; 1998 Pintura, Homenagem a Fernando Pessoa, Galeria de Arte do Clube do Coleccionador dos Correios, Fórum Picoas, Lisboa; Pintura, Homenagem a Fernando Pessoa, Galeria Nova Imagem, C. Colombo, Lisboa; Pintura/Escultura, Galeria Municipal do Museu Regional de Sintra, Sintra; 1999 Pintura/Escultura, Arthouse Galeria, Casa da Guia, Cascais; Pintura/Escultura, Mãe-Africa (Homenagem), Galeria de Arte da J. F. de Agualva-Cacém, Cacém; Pintura/Escultura, 17ª Edição do Bazar Diplomático, Pavilhão de Portugal, “Curandeiro” - Técnica: Acrílico s/ tela - 100x81 cm - 1993 Parque das Nações, Lisboa; 2000 Pintura, Homenagem às Crianças do Mundo, Galeria dos CTT, dos Correios de Portugal, Lisboa; Pintura, Homenagem às Crianças do Mundo, Galeria Sintra; "Arte Têxtil e Pintura", Galeria dos CTT de Lisboa; "Encontros de Nova Imagem, C. C. Colombo, Lisboa; 2001 África, Grito de Paz e Verão", Parque de Exposições Quinta das Cruzadas, Sintra; "Semana Esperança, 30 Anos de Artes Plásticas, Galeria Artur Bual, Amadora. Cultural de Moçambique", Biblioteca C. M. de Alenquer; "Arte Homenagem à Mulher, Galeria Municipal do Museu Regional de Sintra, Moçambicana", Sociedade Nacional de Belas Artes, Visita Presidencial; C.M.Sintra; 2002 "Homenagem à Paz" na Galeria Municipal do Barreiro Exposição da CPLP, Galeria de Arte da Casa do Pessoal da RTP; e na Galeria Municipal de Vila Franca de Xira; "Momentos", exposição "Semana de Moçambique", Steta Galeria, Porto; Academia Militar, de Pintura no Centro de Fotografia de Maputo (Moçambique); 2004 Lisboa; "Por Timor", Doação de Obra, CCB (Centro Cultural de Belém); "Homenagem à Mulher", na Galeria Fitares; 2005 "Homenagem à 25° Aniversário do 25 de Abril, Museu Municipal de Santiago do Cacém; Mulher", na Galeria Fitares; "Exposição comemorativa dos 38 anos de "Um Retrato para Fernando Pessoa", Espaço "MAR PORTUGUEZ"; 2000 40° Aniversário da Escola Secundária de Ferreira Dias, Galeria pintura e 60 anos de idade", nos Recreios da Amadora. Nova Foco,Sintra; "Semana Africana", Universidade da Madeira, C. M. Algumas Exposições Colectivas desde 1998: 1998 "Colectiva de Arte Funchal; "Afinidades", 26° Aniversário do 25° de Abril, Forum Cultural Contemporânea", Galeria do Casino do Estoril; "Dia da Cultura do Seixal; Academia Militar; "Comemorações do Dia de Africa", J. F. Mricana", Pavilhão de Africa, Parque das Nações, Lisboa; "Artistas Carcavelos, Cascais; V Mostra dos Professores do Cencelho deSintra, Plásticos Moçambicanos", Galeria Nova Imagem, Colombo, Lisboa; V Galeria Fitares; EXPOSINTRA, Sintra; "Natal Mricano", Galeria Nova Festival das Comunidades Estrangeiras, Espaço Oikos, Lisboa; Imagem, C. C. Colombo, Lisboa; 2005 Exposição Colectiva com Exposição na Escola do Serviço de Saúde Militar de Lisboa; III Mostra Branislav Mihajlovic na galeria de arte do Centro Comercial Parque de Artes dos Professores do Concelho de Sintra; "Olhares sobre o Côa", Atlântico na Ilha de São Miguel nos Açores. Casa da Cultura de Figueira de Castelo Rodrigo, Foz Côa; XI Bienal de Prémios: 1991 Obra de mérito "Ouro Líquido", pintura, 1º Port Art, em Artes Plásticas da Festa do Avante; "Pequeno Formato", Galeria do Portimão; 1992 3° Prémio de artigo de crítica de Política Internacional Casino do Estoril; 1999 "Semana Mricana", Universidade dos Açores, sobre Timor Leste(Prémio Jornal Público); 1993 Prémio Internacional Academia das Artes, Ponta Delgada; IV Mostra de Arte dos Professores (Prémio Prestígio Ai Ué), no 30° Aniversário da Organização da do Concelho de Sintra, Casal de S. Domingos; "Mriculturas", IFADAP, Unidade Africana (OUA). Edifício Sede da CGD, Lisboa; 50 Anos de Pintura e Escultura em Portugal, Palácio Foz -Lisboa; "Arte Postal", Galeria Fitares, C. M. Mais Informações em: www.artenaplanicie.com

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

086

087

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

LUIS ATHOUGUIA

LUIS FERNANDO F. RALHA

Colisão Visionária - 70x100 - 2004

uís Athouguia nasceu em 1953, em Cascais, Portugal. É diplomado pelo IADE. Ilustrou capas de livros de grandes autores nacionais e internacionais. Colaborou em equipes de projectos de Interiores e Arquitectura. Expõe desde 1983 e realizou mais de duas centenas de exposições. Distinguido com o Prémio Vespeira (1997) - Bienal do Montijo e o Prémio Internacional de Artes Plásticas "Valentín Ruiz Aznar" (2004), Granada, Espanha. Exposições Individuais (selecção): Galeria São Mamede, Lisboa; Paços do Concelho, Ponta Delgada; Galeria Velasquez, Valladolid; Galeria Maria Lebre, Tomar; Galeria Escudeiros, Beja; Casa Vieira Guimarães, Tomar; Galeria de Fitares, Sintra; Galeria Pepper's, Caldas da Rainha; Galeria de Arte do Barreiro; Galeria 4 Montras, Viseu; Galeria de Arte de Abrantes; Galeria Titara, Mafra; Galeria Fábrica das Artes, Torres Vedras; Galeria de Arte de Albufeira; Capela da Misericórdia em Sines; Centro Cultural de Lagos; Museu de Electricidade, Lisboa; Museu de Estremoz; Museu da Água, Lisboa; Convento de S. José, Lagoa; Palácio Pombal, IADE, Lisboa; Museu Martins Correia, Golegã; Galeria Artur Bual, Paços do Concelho da

L

Amadora; Galeria da Ordem dos Médicos, Lisboa; Galeria Municipal de Leiria; Galeria C T T, Lisboa; Galeria BCN Art Direct, Barcelona; Galeria MAC, Movimento de Arte Contemporânea, Lisboa. Exposições Colectivas (selecção): Galeria Arte Contempo, Lisboa; Galeria S. Mamede, Lisboa; Galeria Potthoff, Lisboa; Galeria 65 A, Lisboa; Galeria Conventual, Alcobaça; Galeria Arthouse, Cascais; Quinta das Cruzadas, Sintra; Galeria Fitares; Galeria LCR, Sintra; Galeria Iosephus, Lisboa; Galeria Cólicas, Ponte do Rol; Galeria Pedra do Guilhim, Nazaré; Galeria Ler Devagar, Lisboa; Galeria Linhares, Lisboa; Espaço Pedralvas, Lisboa; Marea Negra "Prestige", Recinto Ferial de Pontevedra, Espanha; Centro Cultural de Belém, Lisboa; Centro Cultural da Nazaré; Galeria Pedro Sem, Lisboa; Galeria Maré d'Arte, Carvoeiro; Unesco Palace, Beirut, Líbano; Museu Regional de Sintra; Palácio Foz, Lisboa; Palácio da Independência, Lisboa; Museu de Arte Sacra, Alcochete; Convento de Cristo, Tomar; Convento da Graça, T. Vedras; Convento de S. Francisco, Monsaraz. Bienais: V. Nova de Cerveira, Cascais, Sabugal, Góis, Avante, Nazaré, Mafra, Alentejo, Amadora e Montijo.

Paisagem - Óleo s/ tela - 65x91

uís Fernando Ferreira Ralha nasceu em Alhandra, 1935. Curso de Artes Decorativas da António Arroio, 1957. Curso de Pintura da Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa. Arte pública: Escultura pública Fachada norte da Estação de Entrecampos, Lisboa; 'Um Sinal Urbano da Revolução de Abril', Alverca; 'Um Cravo em Construção', Santa Iria da Azoia; 'A Seara Interrompida', em projecto. Pintura, Exposições individuais: 1987 Galeria Espiral, Oeiras; 1988 Galeria 5, Coimbra; Espaço Cultural S. Tiago, Sesimbra; Casa das Artes, Tavira; Galeria Municipal de Vila Franca de Xira; Galeria da Voz do Operário, Lisboa; Museu Santos Rocha, Figueira da Foz; Galeria Artela, Lisboa; 1989 Sociedade Euterpe Alhandrense; Galeria Ariarte, Lisboa; 1991 Galeria S. Francisco, Lisboa; Galeria Voz do Operário; 1992 Galeria Artela, Lisboa; Galeria do Casino Estoril; 1993 Galeria

L

Artela, Lisboa; Galeria Municipal de Alverca; 1994 Forum Cultural do Seixal; Museu Sousa Martins, Alhandra; 1995 Galeria S. Francisco, Lisboa; Galeria Municipal de Loures; 1997 Galeria Municipal de Alverca; Galeria Artela, Lisboa; Galeria Milénio, Figueira da Foz; Galeria Inter-Atrium, Porto; Galeria Convosco, Lisboa; 1998 Galeria Municipal de Sobral de Monte Agraço; Galeria D'Arte, CTT, Lisboa; 1999 Festa do Vinho e das Vindimas, Bucelas; Centro Cultural da Malaposta, Olival de Basto; Galeria Artela; Galeria da Junta de Freguesia de Alhandra; 2002 Galeria Municipal de Albufeira; Galeria S. Francisco, Lisboa; 2003 Galeria Valbom, Lisboa; Galeria ARC 16, Faro; 2004 Galeria Pedra do Guilhim, Nazaré; Galeria Torre de Anto, Figueira da Foz; Galeria Ceutarte, Lisboa; Galeria Mónica, Porto; 2005 Centro Cultural de Cascais; Galeria Municipal de Amadora; Galeria S. Francisco, Lisboa; Galeria Cidiart, Lisboa. Participação em mais de cinquenta exposições colectivas.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

088

089

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

LUIS VIEIRA BAPTISTA
Principais Exposições de Grupo: 1991 Convento do Beato, 1ª Exposição Visionista, Lisboa; Jadite Gallery, 2ª Exposição Visionista, Nova Iorque, EUA; 1993 Galeria dos Arcos, 1ª Exp. Grupo Artitude, Oeiras; 1994 Galeria do Triângulo 48, Lisboa, Grupo Artitude, Lisboa; Castelo de Leiria, Planeta Azul, Leiria; Galeria L 94, Planeta Azul, Lisboa; FACIM 94, Expo. Grupo Artitude, Maputo, Moçambique; Gal. Barata, Modos de Ver Lisboa, Lisboa; Escola Náutica, Clube de Oficiais da Mar.Merc., Oeiras; Gal. Estar-Editora, Livros, Lisboa; Centro Cult. de Belém, Artitude na Arte Periférica, Lisboa; 1994/95 Museu de História Natural, Insectões, Lisboa; 1995 Ministério de Marinha, Fund. Oficiais da Res. Naval, Lisboa; Penha Longa, Nas brumas da Memória, Sintra; 1996 Mãe d'Água, Ninfas do Tejo e Outras Deusas, Lisboa; Galeria do Lagar de Azeite, Artitude, Oeiras; Almadarte Galeria, Artitude, Costa de Caparica; 1999 Quinta das Cruzadas, Encontros de Verão, Linhó, Sintra; 2002 Museu da Água, Água, Lisboa; 2003 Galeria LCR, Reencontros, Chão de Meninos, Sintra; 2005 Galeria Alexandra Irigoyen, Portugal, agua y tierra, Madrid, Espanha. Principais Exposições Colectivas: 1986 Galerie du Prévôt, Art Portugais, Paris, França; 1987 Palais de l'Europe, Art Portugais, Estrasburgo, França; 1ª Bienal de Arte Contemporânea, Funchal, Madeira; 1988 Galeria Bernini, La Pittura Portoghese, Roma, Itália; Feira Int. de Arte Contemp., Galerie Albatroz, Paris, França; 1989 Feira de Arte do Fórum Picoas, Lisboa; Jagendorf Bacchi Art Gallery, Nova Iorque, EUA; 1990 Galeria SocTip, Palimpsextos, Lisboa; Museu da Água, Raízes, Lisboa; 1991 Galeria SocTip, Trovas à Morte de Inês de Castro, Lisboa; Galeria Barata, Homenagem a João Barata, Lisboa; 1992 Galeria Espiral, 1º Aniversário, Oeiras; Gal. da Revista Artes Plásticas, Centro de Arte, Lisboa; 1993 Galeria do Triângulo 48, Lisboa; Gal. da Revista Artes Plásticas, Centro de Arte, Lisboa; Galeria A Grade, 20º Aniversário, Aveiro; Galeria A Grade, Cavalos, Aveiro; 1994 Museu de Santa Maria da Vitória, Batalha; Galeria A Grade, Ressurreição da Natureza Morta, Aveiro; Convento dos Cardais, Lx 94, Paródia & Pastiche, Lisboa; G. Solar S.ª Maria, Figuration Critique Portugaise, Óbidos Feira Antiquários e Arte, Convento do Beato, Lisboa; 1995 C. Geral de Depósitos, 6º Cent.º Bombeiros Port.,Lisboa; Museu Regional de Sintra, Sintra; 1996 Galeria Verney, Art'Oeiras, Oeiras; Galeria A Grade, A Última Ceia, Aveiro; Galeria EuroArte, 1ª Mostra Pint. Realista. Lisboa; 1997 Exponor, FIAC, Porto; F.I.L., FIAC, Lisboa; Galeria Verney, 70 Anos de David Mourão-Ferreira, Oeiras; 1998 Gal. Lagarto Pintado, Hom. a Luísa Guterres, Lisboa; Museu de Aveiro, A Terra e as Gentes, Aveiro; 1ª Bienal Expressão Figurativa, Alenquer; 1999 Galeria Arte & Oficina, Natal 99, Setúbal; Palácio do Correio-Velho, Jardins do Roseiral, Lisboa; Galeria Magia Imagem, Novo Espaço, Lisboa; 2000 MARCA Madeira, Galeria Arte & Oficina, Funchal, Madeira; Gª.Arte & Oficina,Bocage no virar do Século, Setúbal; 2001 Mosteiro da Arrábida, Sob o Céu da Arrábida, Setúbal; Fundação Marquês de Pombal, Linda-a-Velha, Oeiras; 2002 Galeria Galveias, Colectiva, Lisboa; 2004 Galeria do Casino Estoril, Colectiva de Verão, Estoril; 2005 Grundfos, Pavilhão Atlântico, Lisboa. anuel Gamboa nasceu a 24 de Maio de 1925 em Lagoa, Algarve. Em 1932 vai viver para Lisboa, regressando de novo ao Algarve em 1944, permanecendo de seguida em Marrocos durante um ano. Nos anos 50 convive com os artistas Artur Bual, Francisco Relógio e Rui Filipe, entre outros. Em 1960 tem uma breve passagem por Paris onde habita com o pintor D' Assumpção. Em 1964 instala-se definitivamente em Hamburgo, Alemanha, até 1987, data em que regressa a Portugal, para viver em Lagoa, a sua terra natal. Exposições Individuais desde 1981: 1981 Salão Nobre na Câmara de Ahrensburg, Alemanha, falando sobre a obra do artista, o Prof. Dr. Konrad Dilger do Max Blank Institut Homenagem individual no Sporthotel Quickborn, Alemanha Retrospectiva de homenagem organizada pela Câmara Municipal de Lagoa; 1984 Galeria Stüdio, Rastede, Alemanha; 1986 Pinturas e objectos, Galeria Atelier 1, Hamburgo; 1987 Desenhos a tinta da china, aguarelas e objectos, Galeria Ingo Faerber Ahrensburg, Alemanha Pinturas e objectos, "Lãngste Galerie Hamburgs", Hamburgo Kunstmeile Eppendorfer, Land Strasse, Hamburgo; 1988 No âmbito da FATACIL; 1990 Almadarte Galeria, Costa da Caparica; 1994 Almadarte Galeria, Costa da Caparica; 1995 Museu de Arqueologia de Silves, a convite do Arqº Varela Gomes; 1995 Retrospectiva de homenagem comemorativa do 70ª aniversário do artista, Organizada pela Câmara Municipal de Lagoa, na Sala Pintor Manuel Gamboa do Convento de São José; 1998 Galeria São Tiago, Pai meia; 1999 Galeria de São Bento, Lisboa.

MANUEL GAMBOA

M

Olhar de Frente o Sol - Óleo s/ tela - 100x81

L

uis Vieira Batista nasceu em Lisboa no ano de 1954, no dia 15 de Fevereiro. A perspectiva de ir para a guerra em África, condicionou as suas escolhas académicas. Trocou a hipótese de ser arquitecto, por um compromisso de 7 anos com a Marinha Mercante. Principais Exposições Individuais: 1975 Galeria Casino Estoril, Estoril; 1976 Galeria Question Mark, Port Grimaud, França; 1986 Galeria Au Studio, Zurique, Suiça; Galeria Art Fórum, Genebra, Suiça; Galeria Sala Gaudí, Barcelona, Espanha; 1987 Festival do Filme Fantástico, Avoriaz, França; 1988 Galeria da Livraria Barata, Lisboa; 1989 Galeria Almada Negreiros, Toronto, Canadá; 1990 Galeria SocTip, Lisboa; HandelsBank NATWEST, Zurique, Suiça; 1991 Galeria Espiral, Oeiras; 1992 Galeria Solar da Praça, Óbidos; Almadarte Galeria, Caparica; 1993 Galeria Espiral, Oeiras; 1996 Galeria Lagar do Azeite, Oeiras; Galeria do Triângulo 48, Lisboa; 1997 Galeria Magia Imagem, Lisboa; Galeria da Livraria Barata, Lisboa; Galeria Escada 4, Cascais; 1998 Almadarte Galeria, Caparica; Galeria Arte & Oficina, Setúbal; Galeria de Fitares, Rinchoa; 1999 Galeria do Triângulo 48, Lisboa; 2000 Feira de Arte Contemporânea, Galeria Barata, Lisboa; 2001 Galeria Arte & Oficina, Setúbal; Galeria Arte Vária, Coimbra; Almadarte Galeria, Caparica; Instituto Camões, Lisboa; 2002 Galeria Artes e Artes, Lisboa; Galeria Galveias, Lisboa; Galeria Arte na Vila, Cascais; 2003 Galeria Verney, Oeiras; Fundação Marquês de Pombal, Linda-a-Velha; 2004 Galeria João Redondo, Setúbal; Galeria da Ordem dos Médicos, Lisboa; Forte de S.Julião da Barra, Hom. a Salvador Dalí, Oeiras; 2005 Galeria Artur Bual, Amadora.

Pescadores do Rio Arade - Óleo s/ tela - 94x78 - 2004

Exposições Colectivas desde 1981: 1981 - 1ª Exposição itinerante Mundial de Artistas contra a Energia Atómica. Galeria Stange, Hamburgo; 1984 Galeria Kunstverein, Hamburgo; 1988 2º Aniversário da Almadarte Galeria, Costa da Caparica; 1989 Organiza e participa na I Anual de Arte Moderna, promovida pela Câmara Municipal de Lagoa, no Palacete Cor de Rosa, Lagoa. Almadarte Galeria, Costa da Caparica I Forum, Lisboa; 1991 Exposição Internacional no Convento de São José, Lagoa; 1992 Homenagem ao pintor D'Assumpção, Galeria Municipal de Portalegre; 1993 Inauguração no Convento de São José como organismo cultural da Câmara Municipal de Lagoa; 1994 Organizada pela Almadarte Galeria, na Galeria Municipal de Pombal; 1995 Organizada pela Almadarte Galeria no Casino Park Hotel, Ilha da Madeira Segunda a ser organizada pela Almadarte Galeria na Galeria Municipal de Pombal. Exposição de Artistas Algarvios organizada pela Casa do Algarve de Almada; 1997 Galeria São Pedro, Faro. Santiago Galeria, Palmela. A Câmara Municipal de Lagoa homenageia-o mais uma vez, publicando o livro "Manuel Gamboa a arte por vida" de Joaquim Saial; 2001 Prémio da AIRA (Associação da Imprensa Regional do Algarve); 2002 Prémio INTERPARES (Magazine do

Algarve); 2004 Galeria de Exposições Direcção Geral da Administração da Justiça. Representações: Está representado no Museu de Boston (EUA) e em diversas colecções nacionais e estrangeiras; Referenciado no "Dicionário de Artistas Portugueses" de Fernando Pamplona, no livro da Pintura Portuguesa de José Augusto França, no livro "Oitenta Pintores Portugueses" de Margarida Botelho, em dezenas de jornais e r~vistas portuguesas e estrangeiras. Deu diversas entrevistas na Televisão Portuguesa e Alemã. E membro da Federação Internacional de Artistas com sede em Bruxelas. Estudou história de arte em seminários da Universidade de Hamburgo, entre 1960 e 1964. Foi homenageado em 1982 pela Câmara Municipal de Lagoa, tendo sido atribuida em 1993 a Medalha de Mérito Municipal de Lagoa e dado o seu nome à sala de Exposição do Convento de São José. Foi novamente homenageado pela Câmara Municipal de Lagoa, tendo-lhe sido atribuida a Medalha de Prata e sido considerado Filho Ilustre de Lagoa. Ganhou o prémio de Artes e Letras de personalidades do Algarve. Para mais informações, ver: www.artenaplanicie.com.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

090

091

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

MANUELA JARDIM

MANUELA PINHEIRO

“Mercado” - Óleo s/Tela - 100x65

anuela Jardim, natural da Guiné-Bissau, teve o previlégio singular na qualidade de pintora, de ser a primeira a interpretar, o significado profundo da ancestralidade guineense: os panos, os mares, os búzios, a sua história e a sua linguagem/mensagem. Estudou em Lisboa onde obteve a Licenciatura em Escultura pela Escola Superior de Belas-Artes em 1975, além da frequência dos cursos de Gravura, Têxteis e Decoração na Fundação Ricardo Espírito Santo, e de Serigrafia, no Institut National d´Education Populaire de Paris. Encontram-se associadas à sua actividade criativa de pintora as funções de docente numa junção que, em determinada perspectiva sobre o lugar cultural da arte, se torna singularmente produtiva, por convergência activa entre fruição estética (dimensão lúdica da existência) e educação pela arte (função pragmática da vida), modelo pedagógico--lúdico este que não será alheio à sua naturalidade africana cuja cultura não concebe sequer a ideia da arte desligada da concretude da vida. Como que exprimindo a referida inclinação pela pedagogia do lúdico, entre 1984 e 1989 exerceu funções de técnica de artes plásticas no Fundo de Apoio a Organismos Juvenis (FAOJ) do Ministério da Educação, sendo também autora de vários cartazes de divulgação cultural daquele organismo. Deve-se-lhe a autoria (1990) de selos e um bloco filatélico comemorativo da visita de sua Santidade o Papa João Paulo II à Guiné. Em 1998 é autora da serigrafia comemorativa do

M

Centenário do Aquário Vasco da Gama. Em grupo, a sua pintura regista participações na representação de Portugal na Bienal dos Artistas dos Países Mediterrâneos, Grécia, 1986, e Marselha, 1990. Em exposições colectivas, e regularmente desde 1980, participou em eventos realizados em Portugal e no Estrangeiro e, indiviualmente, sobretudo desde 1989, realizou várias exposições, havendo já grangeado Menções Honrosas e Prémios sobre Cartazes e Pinturas. Singular na actividade de Manuela Jardim é, por outro lado, o projecto individual de pintura que vem desenvolvendo desde 1978 enformado pela dinâmica das Comemorações sobre os Descobrimentos Portugueses, empreendimento histórico que consigna intrinsecamente a razão cultural da autora, em virtude do lugar de referência quase inaugural que nele pertence à Guiné. A dimensão dos intercâmbios culturais que os Descobrimentos tornaram possíveis pode permitir, como postula o seu programa criativo a circulação da mensagem lírica que a História, numa atitude de observador participante, a "pintura lírica" recupera como representação de instantes de recordação/vivência (E. Staiger) contemporânea. A lógica do onírico tornar-se-à então presente com os seus elementos simbólicos de "água" e de "itinerância errante" com "cruzamento" "encontros, recontros, desencontros", numa organização labiríntica de signos visuais, onde tons, cores e transparências participam no engendramento de formas e de ritmos que exprimem a própria emergência da vida como arte.

anuela Pinheiro. Curso superior de pintura pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa. Em 1966 inicia a sua integração na técnica de gravura artística "Percurso de investigação na técnica de gravura em metal", "Água Forte", "Técnicas mistas" e "Gravura em relevo". Bolseira do Governo Espanhol, estudou e trabalhou nos principais centros de gravura e pintura de Espanha, nomeadamente Madrid e Barcelona. Bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian. Bolseira do Instituto de Alta Cultura para investigação e especialização na técnica de gravura, em Madrid e Barcelona, sob a orientação de Juana Mordo e em Paris, sob a orientação de William Stanley Hayter, Krisma Reddy e Baik Hwang. Expõe desde 1959, participando em várias Exposições colectivas e individuais, tanto no país como no estrangeiro. Realizou cerca de 35 exposições individuais e integrou mais de 110 exposições colectivas e bienais “Intimidade no Alentejo” - Óleo s/Tela - 100x65 internacionais no país e no estrangeiro. Obteve prémios de pintura, desenho e gravura ao longo da sua carreira como artista plástica. Exerceu actividades pedagógicas desde Prémios: 1967 Primeiro prémio de pintura a óleo, "XI Salão de 1964, no Ensino Superior e Secundário e funções no projecto Outono",J.T.C.S., no Estoril; Medalha de bronze, "V Salão de Arte "Humanização e Valorização Estética dos Espaços Educativos", Moderna", J.T.C.S., no Estoril; Medalha de prata de gravura, "XII Salão de Outono", J.T.C.S., no Estoril; 1968 Primeiro prémio de gravura Gabinete do Secretário de Estado da Administração Educativa. (placa de prata), "Salão de Artes Plásticas" da Figueira da Foz; Prémio Encontra-se representada na colecção do Ministério da Cultura; na "Exposição Itinerante", Espanha; 1969 Prémio de aquisição, "II Bienalle Biblioteca Nacional de Paris Cabinet des Etampes; em vários museus, Internazionalle dei Ia Gráfica", Florença, Itália; Placa de Mensão galerias e colecções particulares no país e no estrangeiro (Argentina, Honrosa "Salão de Artes Plásticas", de Santarém. Brasil, Canadá, Colômbia, Espanha, Estados Unidos da América, França, Grécia, Inglaterra, Itália, México, Rússia e Suiça).

M

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

092

093

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

MARGARIDA AREIAS

MARIA CONDEÇO

M

aria Margarida Moreno Areias de Almeida Santos nasceu a 25 de Abril de 1953 em Moçambique. Licenciada em História, na variante História de Arte, pela Faculdade de Letras do Porto. Cursou Desenho e Pintura no Núcleo de Arte, Moçambique; Círculo de Artes Plásticas, Coimbra; A.R.C.O, Lisboa.

Exposições Individuais (selecção): Primeira exposição em 1971 na Sociedade de Estudos de Moçambique, Lourenço Marques. Em 1973 concebeu e realizou seis painéis a óleo sobre tela para um projecto de arquitectura em Joanesburgo, África do Sul. Desde então tem exposto individualmente e participado, com maior regularidade, em diversas exposições colectivas desde os finais dos anos oitenta. 1988 Oeiras; 1991 Galeria Margem, Águeda; 1993 Landesinstitut für Schule e Weiterbildung, Soest, Alemanha; 1995 Galeria do Comissariado para Estrangeiros da Cidade de Hamburgo, Alemanha; 1996 "Via Lívia, galeria de Arte", Porto Alegre, Brasil; 2002 Espaço do futuro, Museu do Piódão, Piódão; 2003 Centro de Congressos, Estoril; Galeria de Arte da Cervejaria Trindade, Lisboa. Exposições Colectivas (selecção): 1971 FACIM, (1 tapeçaria feita a partir de uma criação sua), Moçambique; 1990 Torreão do Castelo, Torres Vedras; 1991 Exposição/Leilão MASP, Lisboa; 1992 "FIAP", Galeria de Arte 245, Porto; Arte de Pequeno Formato, Casino de Espinho; Arte de Pequeno Formato, Lousã; 1993 Grande Prémio Banif de Pintura, Lisboa; Exposição/ Leilão na Culturgest, Lisboa; Semana Africana, Chapitô, Lisboa; 1994 Exposição / Leilão, Cidade da Praia, Cabo Verde; 1995, Espaço Chiado, Lisboa; Co-autora com Margarida Dias Coelho de dez painéis sobre o tema "Lisbo, Sto. António e as Festas Populares", Museu de Etnologia, Hamburgo, Alemanha; 1997 Exposição/Leilão Cedema, Lisboa; 1999 Exposição Quinta Paco Bandeira; 2003 "Bazar de Arte", MadreArte Associação Cultural, Lisboa; 2004 "Pintura de Margarida Areias e Escultura de Francisco Vilaça", Galeria de Exposições, Direcção Geral da Administração da Justiça, Lisboa; X Exposição Internacional de Artes Plásticas, Auditório Municipal, Vendas Novas; 2005 XI Exposição Internacional de Artes Plásticas, Auditório Municipal, Vendas Novas; scrapp; projectos em artes plásticas; Atelier Boqueirão do Duro, Lisboa.

s/Título

aria Vitória Condeço Farias é natural de Évora. Em 1987, tirou a licenciatura em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Exposições: 2004 Participação na 4ª Bienal Internacional de Gravura em Évora; 2003 Exposição individual na Galeria Teoartis, Casa dos Sapos" em Monsaraz; 2002 Exposição individual na Pousada de S. Francisco, em Beja; Exposição individual na Galeria de Arte da Câmara Municipal de Moura; Participação na exposição colectiva Arte Postal, na Câmara Municipal de Sintra; 2001 Exposição Individual na Galeria Municipal de Mourão; 1999 Exposição individual na Pousada D. Afonso II, em Alcácer do Sal; Exposição individual na Galeria de Arte Fitares, em Sintra; Exposição individual na Pousada Nossa Senhora de Assunção, em Arraiolos; Exposição colectiva no Hotel Melius, em Beja; Participação na 2ª Bienal de Gravura de Évora; 1997 Exposição colectiva sobre a temática "Educação Visual", no Palácio Anjos, em Oeiras; 1996 Participação na 1ª Bienal de Gravura de Évora; Exposição individual na Galeria de Arte Exclusivé, em Carnaxide; 1995 Exposição colectiva no Museu de Évora; 1994 Exposição individual na Galeria de Arte Teoartis, em Évora.

M

s/Título

Colecções: Camâra Municipal de Arganil; Colecções Particulares. Outras Actividades: Autora de capas de livros, sendo os mais recentes as dos livros de A. Almeida Santos e a colectânea "As Ciências da Comunicação na viragem do Século". Concebeu e pintou o cenário para "Noite Tropical", dança, poesia e passagem de modelos, Teatro Comuna, Lisboa. Edição de uma serigrafia.

Cursos e Workshops: 2005 Workshop Fotogravura em filme Fotopolímero orientado por Graciela Buratti, na Associação de Gravura Água Forte; 2004 Frequência do curso de Vídeo/Som e Novos Media de Autor na Arco; 2003 Workshop de Xilogravura-Ukiyo-e orientado pelo professor Hiroshi Maruyama, realizado na Associação de Gravura Água-Forte; Workshop de Gravura Japonesa orientado pelo artista e professor Jun Shirasu na galeria Diferença Comunicação Visual; 2002 Workshop de Criação Artística: Gravura, Técnicas Mistas Contem-porâneas na Galeria Teoartis (Évora) sob coordenação do Gravador Dacos; Workshop de Criação Artística: Monotipia, na Galeria Teoartis em Évora sob a orientação de Graciela Machado; Curso de Gravura no Centro Cultural de Belém, sob a coordenação do Gravador Humberto Marçal; 2001 Workshop de gravura na Universidade de Évora / Museu de Évora orientado por David Almeida; 1999 Curso de Gravura no Print Workshop, em Tavira, com o professor Bartolomeu Cid dos Santos; Workshop de Gravura na Universidade de Évora, sob a coordenação de Humberto Marçal; 1997 Workshop de Gravura em Metal orientado por Maria Irene Ribeiro, na galeria Teoartis em Évora; 1996 Curso de Gravura em New York sob a direcção do Gravador Claudio Juarez; 1990 Curso de Exp. Dramática, Escuela Internacional de Expressión, Granada, Espanha.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

094

095

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

MARIA GALAMBA

MARIA JOÃO FRANCO
Perez Villaamil" - Museu Municipal Bello Pinero Ferrol (Corunha), Espanha, 1987; "lll Bienal Nacional de Desenho" - Cooperativa Árvore - Porto, 1987; Colectiva da inangZ'ração da Galeria VO - Lisboa, 1987; "Festival do Mar`'- Sesimbra, 1987; "Risco Inadiável'- ESBAL, 1988; Inauguração da Galeria Municipal de Vila Franca de Xira, 1988 - "Salão de Gravura Luso-Brasileira" - Estoril, 1988; Colectiva "Pintores de Lisboa" - Galeria 5, Coimbra; "MOM'ARTE" - Vila do Conde, 1988; I Aniversário da Galeria VO - Lisboa, 1988; "lª Bienal de Gravura da Amadora" - C. M. da Amadora, Galeria Municipal Amadora Árvore, Porto, 1988: "11 Concurso de Desenho Artístico Perez Villaamil" Ferrol (Corunila), Espanha, 1988, "3a Bienal de Escultura e Desenho das Caldas da Rainha - Atelier Museu António Duarte - Calhas da Raulha, 1989; "Mulheres Pintoras" - Galeria Municipal de Vila Franca de Xira - V. F de Xira, 1989; "Vll Concurso de Grabado MaYimo Ramos" Museu Bello Piñero - Ferrol (Corunha), Espanha, 1989; "lll Concurso de Desenho Artístico Perez Villaamil" Ferrol (Corunha), Espanha, 1989; "Colectiva de Gravura", Galeria Municipal de Almada, 1989; "Mostra de Arte Portuguesa Contemporânea, Camara Municipal de Idanha-aNova, 1990; "Colectiva de Pintura", Galerias S Francisco, Lisboa 1990; 1° Salão de aguarela e gravura", GaleriaArcada Estoril 1990; "Colectiva de Desenho", Galeria S Francisco, Lisboa 1990; "Colectiva de Pintura no aniversário da morte deJosé Régio", Galeria Municipal de Portalegre, 1990/91; "9+2+3", Galeria Neupergama, Torres Novas, 1991; "Unidade e Condito na Arte Contemporânea", Galeria Municipal de Almada; "Arte Contemporânea", Galeria Stª Justa, Lisboa, 1999 "Galeria Quattro", Leiria, 1992; "4a Bienal das Caldas da Rainha", 1993; "Galeria Quattro", Leiria, 1993, 1994, 1995; "Bienal da Festa do Avante", Lisboa, 1994; "Galeria do Casino da Figueira da Foz", 1995. INDIVIDUAIS: "A GALERIA", Cascais, 1985; "Casa de Bocage", Setúbal, 1987; "Galeria da Voz do Operáno", Lisboa, 1988; "Galeria 5", Coimbra, 1988; "Galeria Quattro", Leiria, 1988; "Galeria S Francisco", Lisboa, 1989; "Galeria Quatro", Leiria, 1989; "AltaMixta", Lisboa, 1990; "Galeria Municipal de Portalegre", 1990; "Galeria S Francisco", Lisboa, 1991; "Galeria Vandelli", Coimbra, 1991; "Galeria da Praça", Porto, 1991; "Convento do Beato", Lisboa, 1993; "Galeria Quattro", Leiria, 1994; "Galeria do Casino da Figueira da Foz", 1995; "Galeria Ó5A", Lisboa, 1996; Centro de Arte Contemporânea da Amadora - 2005. PRÉMIOS: Prémio de Edição na "lV Exposição Nacional de Gravura", GRAVURA/Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1987; 1° Prémio do concurso de gravura integrado no Ano Europeu do Ambiente, Setúbal/ Beauvais, 1987. Está representada no Museu de Setúbal, na Cooperativa de gravadores Portugueses - GRAVURA em Lisboa; na colecção da Caixa Geral de Depósitos em Lisboa; no Museu Armindo Teixeira Lopes em Mirandela e em várias colecções particulares em Portugal, Itália, Suiça e Brasil. Execução de uma edição de tapeçaria promovida pela Fábrica de Tapeçarias de Portalegre.

"Flagelaçâo" | Técnica mista | 150x150 | 2006

Acrilico S/Tela " No branco da cal" 50 x 150 assinado e datado 2005

aria João Franco nasceu em Leiria no ano de 1945. Tem o Curso de Pintura da Escola Superior de Belas Artes de Lisboa. Frequentou o curso de Arquitectura da Escola Superior de Belas Artes do Porto. COLECTIVAS: "Pequeno Formato" - SNBA - Lisboa, 1982; "Pequeno Formato" - SNBA - Lisboa, 1983; "Artistas da SNBA" - Lisboa, 1983; "Exposição comemorativa do 10° Aniversário do 25 de Abril", Lisboa 1984; "Portugal em Abril", Palácio da Cidadela, Cascais, 1984; "Homenagem dos Artistas portugueses a Almada Negreiros", Galeria Almada Negreiros, Lisboa, 1984/85; "Homenagem a Josefa de Óbidos", Caldas da Rainha, 1985; "Colectiva de Desenho dos alunos da ESBAL" - Museu Armindo Terxeira Lopes - Mirandela, 1985; "II Bienal Nacional de Desenho" Cooperativa Árvore - Porto, 1985 - SNBA Lisboa, 1985; "Jovens Pintores - Galeria Almada Negreiros - Lisboa, 1985; "III Exposição de Artes Plásticas" No 30° Aniversário da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1986; "lV Prémio de Grabado Maximo Ramos'` - Ferrol (Corunha), Espanha, 1987; 'IV Exposição Nacional de Gravura" Cooperativa de Gravadores Portugueses, GRAVURA Fundação Calouste Gulbenkian - Lisboa, 1987; "Exposição de Gravura comemorativa do Ano Europeu do Ambiente" Câmara Municipal de Setúbal Município de Beauvais, 1987; Representação Portuguesa na Exposição comemorativa do Ano Europeu do Ambiente - Portugal, Espanha, França, Inglaterra e Alemanha, 1987; " Colectiva de Pintura" organizada pelo Museu Grão Vilsco, 1987; "Colectiva na Galeria Shumato - Figueira da Foz, 1987; "V Prémio de Grabado Maximo Ramos" - Ferrol (Corunha), Espanha, 1987; "I Concurso de Desenho

M

aria Galamba nasceu em Serpa a 26 de Junho de 1968 em Lisboa. Tirou no IADE a licenciatura em Design de Interiores, área em que trabalha actualmente. Exposições Individuais: 2003 "Nu Arte" - Galeria Zens, Serpa; "Obra de Deus" - Galeria VOL , Serpa; "A Nu" - Galeria Vértice, Lisboa; 2001 "A Ordem e o Caos" Galeria Alcântara Studio Lisboa; 2000 "Anjos", Auditório Municipal, Serpa; 1992 "Cavalos" - Centro Cultural, Serpa. Exposições Colectivas: 2005 "Artistas do Baixo Alentejo" AMBAAL Associação de Municípios; do Baixo Alentejo, Ovibeja, Beja; "Homenagem a Guy Ferreira" - Participação no Concurso de Pintura; O Alentejo - Casa do Alentejo, Lisboa; "Gentes da Terra" Estalagem de São Gens, Serpa; "Galeria Via Veneto", Lisboa; "Galeria Carlos Carvalho, Lisboa; "Feira de Arte" Convento do Beato, Lisboa; "Estoril Arte" - Centro de Congressos do Estoril; "Arte Urbana" Exposição de

M

Inauguração da Galeria Arte Urbana, Leiria; "1ª Feira Cultural, Serpa"; "Governo Civil de Viana do Castelo"; "VI Edição da "Arte na Leira", Serra D Arga, Caminha; "5 em Alcântara" - Galeria Alcântara Studio, Lisboa; 2002 "Corpo a Corpo" - Galeria Alcântara Studio, Lisboa; 2001 "Três Andamentos" - Galeria Trindade, Lisboa; "Pluralidades" Galeria Alcântara Studio; 1993 "Auditório Municipal, Serpa; 1991 "6 Escrúpolos", Galeria Ogiva, Óbidos.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

096

097

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

MARIA JOSÉ FERREIRA

MARÍLIA VIEGAS

Cidade Ilhas I e II| Óleo e Texturas s/tela | 100 x 200 | 2003

Curvas e Contra Curvas - 2005

aria José Ferreira nasceu em Sintra, em 1951 e viveu em Moçambique onde foi aluna do pintor António Quadros. Licenciada em Artes Plásticas-Pintura, é professora do ensino secundário em Sintra, desde 1974. Expõe regularmente desde 1983. Tem no seu curriculum mais de 50 exposições colectivas entre as quais: Arte e pintura no âmbito dos descobrimentos Portugueses do Rotary Clube de Sintra, Feira da Primavera da Cruz Vermelha Portuguesa, Galeria Altamira, Sociedade Nacional de Belas Artes, Galeria Piramidal Sintra, "Um retrato para Fernando Pessoa" Associação Fernando Pessoa, Lagar de Azeite em Oeiras, Convento de S. José em Lagoa, Galeria Artur Bual na Amadora. Desde 1998 participa nas mostras de professores artistas do concelho de Sintra e desde 1999 nas colectivas de artistas promovidas pela C.M Sintra. Tem participações internacionais na Bélgica e França com destaque para a Mostra de Pintura Portuguesa sob o signo da Presidência Portuguesa da UEO 1995, Bruxelas. Desde 2000 que participa nas exposições de internacionais de artes plásticas de Vendas Novas. Exposições Internacionais: 2001/2002 Salões Internacionais de Angoulème França; 2002-1/2000 Laon França; 2004/2005 "Echos" Maison de la Culture-Amiens. Desde 1985 que expõe individualmente

M

tendo já realizado mais de 20 mostras em Portugal e uma em França: Galérie Art Présent, Paris. Selecção de Exposições Individuais: Galeria Altamira, Cascais; Vale do Lobo, Algarve; Palácio Valênças e Museu Regional de Sintra; Galeria de Albarraque; Galeria da RTP, Galeria Matriz, Museu Geológico, Lisboa; Centro Cultural de Lagoa; Atelier Ernesto Neves, Sintra; Galeria de Arte Contemporânea, Amadora. Tem executado trabalhos de design gráfico nomeadamente logotipos. Desenhos publicados: 1967/68 - e uma banda desenhada ("Sou professor") 1993, em jornais; Ilustrou vários livros em 1987; 1994; 2000; 2002; 2006. Teve quadros na série "Os jornalistas" da SIC de 1998 a 2000; Editou até 2002 três serigrafias e uma colecção de postais; Está representada em Museus e colecções particulares. Bibliografia: "Pintura em Portugal 2001" da Universitária Editora e nos Anuários de Artes de 2003 e 2005 de Fernando Infante do Carmo.

arília Viegas nasceu em Faro. Completou o Curso Superior de Pintura em 1972 e desde esta altura é professora da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, antiga ESBAL, até se aposentar em 2004. Encontra-se actualmente na categoria de professora Associada. Enquanto estudante foi bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian. É também membro da Academia Nacional de Belas Artes. Investigou gravura nos ateliers da Galeria Diferença de 1973 a 1999. A sua actividade artística teve início em 1964; participou em 151 exposições colectivas de pintura e gravura, em Portugal e no estrangeiro, e em 39 exposições individuais, conquistando 13 prémios de pintura e gravura nacionais e internacionais. O seu currículo conta já com uma dezena de gravuras editadas. Foi referenciada na imprensa cerca de meia centena de vezes. Está representada em museus, instituições públicas e colecções particulares. Algumas exposições individuais de pintura e gravura: 2002 "Gestos" Associação de Gravura Água, Forte, Lisboa; 2004 "As cidades de Marília Viegas" Galeria MAC (Movimento de Arte contemporânea), Lisboa; 2005 "Gravura e Pintura" Convento de S. José, Lagoa; 2005 "As Cidades Revisitadas" Galeria CIDIarte, Lisboa.

M

Prémios: 1973 Três medalhas e um prémio em três Exposições de Arte no Estoril; Prémio de Aquisição no 1º Salão de Artes Plásticas de Santarém; 1980 Prémio de Aquisição em Bienais Internacionais de Gravura; 1983 Prémio de Edição nas I e II Exposições Nacionais de Gravura; 1984 Prémio de Aquisição na 1ª Exposição de Arte no Banco de Fomento Nacional; 1988 Menção Honorífica na Exposição de Gravura "Prémio Máximo Ramos"; Prémio de Edição na IV Exposição Nacional de Gravura; Menção Honrosa na Exposição "Como os Artístas Sentem a Poluição no Ambiente", Setúbal; Manção Honrosa na Exposição "Paisagem Portuguesa", Estoril; 1989 Prémio de Edição na 1ª Bienal de Gravura da Amadora; 1990 Prémio "Câmara Municipal da Amadora" II Bienal de Gravura da Amadora; 2004 Prémio Movimento de Arte Contemporânea "MAC 2004". Representado em: Câmara Municipal da Amadora; Centro Cultural da Mala Posta; Museu da EPAL; Banco de Fomento Nacional; Museu Municipal Bello Piñero, Ferrol, Espanha; Banco de Portugal; Museu do Desporto e em colecções particulares. Gravuras Editadas: Em 1988 pela Câmara Municipal da Amadora. Em 1976, 1979, 1987 e 1990 editada pela Cooperativa Portuguesa de Gravadores. Em 1995, 2000 editada pelo "Centro Português de Serigrafia", Galeria de S. Bento.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

098

099

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

MÁRIO CESARINY
Retrato de Jean Genet, Galeria São Mamede, Lisboa; 1977-1947-1977 Galeria Tempo, Lisboa; 1979 Galeria Tempo, Lisboa; 1981 Galeria de São Francisco, Lisboa; Galeria 22, Viseu; 1982 Museu Municipal de Amarante, Lisboa; 1986 Livraria Assírio & Alvim, Lisboa; 1988 O MARIO CESARINY, O Navio dos Espelhos; Aquamotos e Pinturas Circulares, Galeria EMINalentim de Carvalho, Lisboa; 1997 Livraria Assírio & Alvim, Lisboa; 2001 Galeria Neupergama, Torres Novas; 2002 Galeria Neupergama, Torres Novas. Exposições Colectivas: 1949 I Exposição dos Surrealistas, Pathé-Baby, Lisboa; 1950 II Exposição dos Surrealistas, Galeria da Livraria Bibliôfila, Lisboa; 1967 XIII Exposição Internacional de Surrealismo, São Paulo; 1969 Exposição Internacional Surrealista, Haia, Holanda; 1973 Exposição Internacional de Homenagem a César Moro, Lima, Peru; Phases, Galerie du Passe Muraille, Lyon; 1974 Phases, Musée D' Ixelles, Bruxelas; 1975 O Cadáver Esquisito, Sua Exaltação Seguida de Pinturas Colectivas, Galeria Ottolini, Lisboa; 1976 World Surrealist Exhibition. Marvelous Freedom Vigilance of Desire, Chicago; 1977 Phases, Galeria da Junta de Turismo da Costa do Sol, Estoril; Galeria Dois, Porto; 1978 Claridade Dada pelo Tempo, Homenagem a Mário Henrique Leiria, Galeria da Junta de Turismo da Costa do Sol, Estoril; Exposição Homenagem a Antônio Maria Lisboa, Galeria da Junta de Turismo da Costa do Sol, Estoril; Surrealism Unlimited, 1968-1978, Camden Arts Centre, Londres; Exposição Comemorativa do Primeiro Centenário da Histeria, Wisconsin; 1979 Presença Viva de Wolfgang Paalen, Museu Carrilo Gil, Cidade do México; 1980 Papeles Invertidos, Santa Cruz de Tenerife, Canárias; 1983 Le Surréalisme Portugais, Galeria UQAM, Universidade de Montréal, Canadá; 1984 Surrealismo e Pintura Fantástica (exposição internacional), Teatro Ibérico, Lisboa; 1991 Galeria Almadarte, Costa da Caparica; Pavilhão AB do Jardim do Tabaco, Lisboa; 1992 Arte Portuguesa nos Anos 50, Biblioteca Municipal de Beja, Beja; Sociedade Nacional de Belas-Artes, Lisboa; 1993 47 Anos de Pintura, Galeria Neupergama, Torres Novas; 1994 Primeira Exposição do Surrealismo ou Não, Galeria São Mamede, Lisboa; Surrealismo (e Não), Fundação Cupertino Miranda, Vila Nova de Famalicão; 1999 Linhas de Sombra, Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, Lisboa; 2001 Surrealismo em Portugal de 1934 a 1952, Museu do Chiado, Lisboa; Fundação Cupertino de Miranda, Vila Nova de Famalicão. Mais informação em: www.artenaplanicie.com

MÁRIO SILVA

“Nús” - òleo s/ tela - 100 cm X 100 cm

“Dedicatória a Paco Bandeira”

ário Cesariny de Vasconcelos nasceu em Lisboa, em 1923. Estudou na Escola Antônio Arroio (onde conheceu, entre outros, Marcelino Vespeira, Júlio Pomar, Fernando Azevedo ou Cruzeiro Seixas) e, posteriormente, na Academia da Grande Chaumiere em Paris, tomando então contacto com as experiências picto-poéticas de André Breton, Victor Brauner, Max Ernst e Marcel Duchamp, e de composição musical com Fernando Lopes Graça... Exposições Individuais: 1956 Exposição de capas-poemas-objectos, Livraria Antônio Maria Pereira, Lisboa; 1958 Galeria Diário de Notícias, Lisboa; 1959 Pintura e Poesia, Galeria Divulgação, Porto; 1963 Tábuas, Pinturas e Objectos, Galeria Carlos Battaglia, Lisboa; 1967 Galeria Buchholz, Lisboa; Galeria Divulgação, Porto (com Cruzeiro Seixas); 1971 Galeria São Mamede, Lisboa; 1972 Galeria Alvarez, Porto; 1973 11 Crucificações em Detalhe /3 Afeições de Zaratustra /

M

M

ário Silva nasceu em Coimbra no ano de 1929. Entre 1956 e 1960, estudou engenharia na Universidade de Coimbra.

Em 1957 é co-fundador do Círculo de Artes Plásticas da Associação Académica da Universidade de Coimbra. Em 1963 torna-se membro do Comité Português para a Associação Internacional de Artes Plásticas (AIAP), Unesco, Paris. Membro da "Real Academy of the Beautiful Arts of Haia (Netherlands). Em 1966 torna-se membro da Associação Nacional de Artes Plásticas (AIAP). Em 1970, torna-se membro da "National Society of Fine Arts", Lisboa. Em 1980, “International Academy of Basileia” (Switzerland); Membro da “Academy of Art, 500 di Rome”, “Honorary Academic”, Academic Secretariat os Rome, Italy; 1999 "Vice-Chairman of the board of ANAP", Porto.

Prémios: 1983 "International Award for Peace", pelo "International Institute of Humanistic Studies of Rome" - "Foudation for the Poets, Writers, Painters and Journalists", Rome, Italy; 1975 "The Great Premium Galliano", Milan, Italy; Gold Medal, Giro delle Arte di Lombardia, Italy; 1974 Copa per il Miglior Artist d'Avangardia, Milan, Italy; Los Premios Art d'Avangardia, Milan, Italy; 1971 Valbruna Prize Sculpture, Gabice-Mare, Italy.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

100

101

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

MÁRIO VINTE

E

UM

MIGUEL PETCHKOVSKY

Barreira I - OST - 80X100 Cm - 2005

Sem Título - Mista - 93x97

ário Vinte e Um tirou a Licenciatura em Biologia na Universidade Federal do Paraná; Frequentou em 1984 a Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Curitiba; Cursou Pintura na SNBA, Lisboa, 1988 e 1989; Bacharelato em Pintura e Escultura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa [FBAUI]. Estudou Pintura na Fachhochschule, em Aachen, Alemanha em 1993 [integrado no projecto Erasmus]; Criou séries de selos para os correios, da República de Angola e Guiné Bissau; Está representado nos seguintes espaços culturais: Museu de Arte Primitiva Moderna, Guimarães; Museu de Jaén, Espanha; Secretaria de Educação, Curitiba, Brasil; Museu de Arte Sacra Primitiva; Universidade Católica de Lisboa; Câmara Municipal de Cascais e Câmara Municipal do Seixal. Prémios: 1981 Prêmio de Aquisição, atribuído pelo Ministério da Educação e Cultura, no Salão Paranaense de

M

Artes Plásticas, Curitiba, Brasil; 1989/91 Menção Honrosa, Casino do Estoril; 1992 Grande prémio de concepção de selos para os CTT da República de Angola e 1° prémio de concepção de selos dos PALOP' S; 1995 1° prémio de pintura "Concurso Nacional Comemorativo dos 600 anos dos Bombeiros Voluntários Portugueses", Sintra. Efectuou exposições individuais e colectivas, em vários espaços culturais e galerias de diversos países, tais como Portugal, Brasil, França e Espanha, entre outros. Citado em Dicionário dos Pintores e Escultores Portugueses, de Fernando Pamplona. V Tomo, 28 Ed., Livraria Civllizaçao. Lisboa. O Artista e seu Mercado de Narciso.

iguel Petchkovsky nasceu em Angola a 17 de Novembro de 1956. Durante a sua formação académica passou por: 1987 a 1992 Gerrit Rietveld Art Academy, Amsterdam, The Netherlands; 1977 pre-university year, Portugal; 1971-1976 secundary school, Portugal. Curador de projectos: Amarelo Verde e Vermelho, oficina de vídeo arte, Luanda, Angola; Vídeo For Real, Bienal de Dakar, Senegal; Vídeo for Real, Itaú Cultural, São Paulo, Brasil; Às Portas do Mundo, Africa, Europa, Timor Lorosae; Progme, Festival de Vídeo Arte, Rio de Janeiro, Brasil; Vídeo Brasil, S. Paulo, Brasil; Tangencya, Arte no espaço Público Durban, Africa do Sul; Vozes de Mulheres, Culturgest, Lisboa, Portugal; Mens Momentânea, House Der Cultur Der Welt, Berlin, Alemanha; Post Border Land, Amesterdão, Holanda; How To Resist, Museu de arte contemporânea de Los Angeles, USA; Black & White Copies, Durban, Africa do Sul Exposições Selecção: De Yda y Vuelta , Casa Escendida, Madrid, Espanha; Mori Museum, Tokio, Japào; Às Portas do Mundo, Évora,

M

Portugal; Trans-Piraçòes, Galeria Durex, rio de Janeiro, Brasil; Fluxus film Festival, São Paulo, Brasil; Foto Rio 2005, Rio de Janeiro, Brasil; Africa Remix, Centro Pompidou, Paris, França; Africa Remix, Hayward Gallery, Londres, Inglaterra; Africa Remix, Museum Kunst Palast, Dusseldorf, Alemanha; Mias a Sul, Culturgest, Lisboa/Porto, Portugal; 19 World Wide Vídeo Festival, Amesterdão, Holanda; Ombegrendse Ontemoeting, Cidade Cultural da Europa Roterdão 2001; Project Translacse, Pietr Kov trybunasky, Polónia; Body & Soul, Centro Pershagen, Alemanha; Projecto Echap, Bamako, Mali; Stuti Aperti, Roma, Itália; SD art Gallery , Varsóvai, Polónia; Tributo a Artur Bual, Galeria Municipal Artur Bual, Amadora, Portugal; Cultura, Centro De Werf, Aalst, Bélgica; Dare to Exist, Museu de Arte Contemporânea MOCA Los Angeles, USA; Mean Momentânea, Espace Bertrange Luxemburgo; Afrique À Jour, Lille, França; Under Diffrent Skies, Cidade Cultural da Europa Copenhaga, Dinamarca. Para mais informações acerca deste artista, por favor consulte o nosso site: www.artenaplanicie.com.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

102

103

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

NATÁLIA BASTOS

NUNO PINHEIRO

DE

SOUSA

s/Título

“Planície Alentejana I” - Óleo s/Tela - 100x100

N

atália Bastos nasceu em Lisboa em 1969. Expõe regularmente os seus trabalhos desde 1987. Entende a sua pintura como expressão do que lhe vai na alma. Como autodidacta exprime através da pintura o seu lado sonhador na imensidão do Mundo, cruzando o absoluto das emoções e pensares. Exposições: 1987 Exposição de pintura: "Um Olhar sobre o Alentejo e o Mundo" Centro Cultural de Vila Nova de S. Bento; 1990/91 Exposição de pintura em Vila Nova de S. Bento; 1995 1° Encontro de Artistas Plásticos do Concelho de Serpa; Fórum Estudante em Serpa; 1997 Fórum Estudante; Exposição de pintura em homenagem ao poeta Eugénio de Andrade no Cine Teatro Maria Lamas; Exposição de

pintura na Associação Vil'Artes; 1998 Exposição de pintura integrada na 18 Animação de Rua com a Associação Vil'Artes; 1999 Exposição Colectiva no Centro Cultural de Serpa; 2000/01 Exposição Colectiva em Beja; Exposição Colectiva de pintura na Galeria Municipal de Moura; Exposição Colectiva de pintura em Viana do Castelo; Exposição Colectiva de pintura no Escritório do ora Varela de Matos em Lisboa; Exposição de pintura Colectiva na Real Associação de Lisboa; 2004 Exposição Colectiva de pintura na Feira Anual de Serpa pela Câmara Municipal de Serpa; 2005 Exposição Individual de pintura na Galeria do C@fé; Estalagem de S. Bento, Colectiva, Serpa; Pousada de S. Francisco, Colectiva, Beja.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

104

105

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

PATRÍCIA MARQUES

RAUL PEREZ

“Diversidades” - 60 x 80 cm - Óleo s/tela - 2000

Sem titulo - Oleo s/tela - 53,5 x 67 cm - 2006

aul Perez, nasceu em Lovelhe (Minho) a 26 de Abril de 1944. Em 1972, fez a primeira exposição individual onde Expõe trinta imagens do seu Diário Onírico, na Galeria de São Mamede (Lisboa). Em 1973 Adere ao grupo Phases, de Paris. atrícia Marques nasceu em Lisboa em 1969. Licenciada em Relações Internacionais. Pós-graduação em "Consumo Mercado e Consumidores" do ISCTE. Com a empresa que criou de eventos promocionais em 1995, e com uma intuição plástica e orientação estética para a decoração e o design gráfico, promoveu e participou em inúmeras actividades pedagógicas das quais refere, animação em expressão plástica, ateliers infantis, cenários para animações, decorações e cenografias para os mais variados eventos a nível nacional. Pintora autodidacta, inicia a actividade de pintura no ano de 1998, nas técnicas de Óleo e Acrílico, numa descoberta de lazer que considera fascinante. Estuda Desenho e Técnicas Mistas, Óleo e Acrílico.

R

P

Em 2002 integra os quadros do Grupo Sonae onde exerce a função de Relações Públicas da Sonae Sierra até hoje. Exposições Colectivas: Galeria Tea for Two, "Instantâneos", Costa de Caparica - 2001; "Arte na Planície", Montemor-O-Novo, 2006. Exposições Individuais: Galeria Novotel, Lisboa, 2000. Outros Locais onde já expôs trabalhos: Café Rosa Verde, Costa de Caparica - 2005.

Exposições: 1974 Participa, integrado no grupo Phases, numa exposição realizada no Museu Van Elsene (Bruxelas); 1975 Participa na exposição O Cadáver Esquisito, sua exaltação, seguido de pinturas colectivas, comemorativa do 50º aniversário do movimento surrealista de Paris, realizada na Galeria Ottolini (Lisboa); 1976 Participa, integrado no grupo Phases, na exposição surrealista internacional Marvelous Freedom, Vigilance of Desire, organizada pela revista surrealista norteamericana Arsenal, na Galeria Black Swan (Chicago); Ilustração para a capa do romance de Julien Gracq "Le Chateaux d'Argol". Editora Meulenhoff (Amesterdão); 1977 Participa, em Amesterdão, numa exposição organizada pela revista surrealista Brumes Blondes, a convite do seu editor, o poeta Laurens Van Kreval; Participa na primeira exposição do grupo Phases realizada em Portugal: na Galeria da Junta deTurismo da Costa do Sol (Estoril), na

Galeria Dois (Porto), no Museu Machado de Castro (Coimbra) e na SNBA (Lisboa); Expõe pinturas e desenhos na Galeria da Junta de Turismo da Costa do Sol (Estoril); 1978 Participa na exposição Imagination - Internacionale Ausstelung Bildnerischer Poesia, realizada no Museu de Bochum (RFA); Participa na exposição de homenagem ao poeta Antônio Maria Lisboa, organizada por Cruzeiro Seixas na Galeria da Junta de Turismo da Costa do Sol (Estoril); 1979 Expõe 15 pinturas na Galeria Dois (Porto) e na Galeria Tempo (Lisboa); 1980 Ilustração para a capa da primeira edição holandesa de "O banqueiro anarquista", de Fernando Pessoa. Editora Meulenhoff (Amesterdão); Participa na exposição Papeles Invertidos, realizada na Sala de Arte e Cultura (Santa Cruz de Tenerife Ilhas Canárias); 2000, 2001, 2002 e 2003 "Arte na Leira", em casa do pintor Mário Rocha; 2004-2005 Expõe com Cruzeiro Seixas, Desenhos e Pinturas, na Galeria S. Mamede; 2005 Expõe com Carlos Calvet e Cruzeiro Seixas na Livraria LerDevagar; Exposição individual de Pintura e Desenho na Galeria losephus (Azambuja); Participa na I Exposição "Arte na Planície" em Montemor-o-Novo; Participa na exposição colectiva "Arte na Leira", em Caminha.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

106

107

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

RICARDO PAULA

RITA CAMEIRA

no conflito do seu eu, numa poética que transborda emoções. A pertinência dos seus trabalhos contitui uma oportunidade de reflexão sobre nós. È da autoria do escritor António Alçada Baptista o texto "A intimidade e a pintura de Ricardo Paula" apresentado no catálogo da exposição retrospectiva da sua obra"O céu por quase nada" no torreão nascente da antiga Cordoaria Nacinal em 2001. Exposições Individuais desde 1982 com destaque para as exposições: Galeria Arte Períferica, 1992; "Os anjos"mac-Movimento de Arte Contemporânea, 1995; "Palco" na Galeria Galveias, 2001; Galeria Artur Bual, 2002; "Marés" Galeria Paulpura, 2002; "Carvões da vida" mac-Movimento de Arte Contemporânea, 2003; "Para sempre, "Galeria de S.Francico, 2003; "Asas de papel" Galeria Galveias, 2004; "Fim de Tarde" Qta.Encosta Arte Contemporânea, 2005; "Sonhos Bons,com estrelas douradas e tudo de bom!", Galeria Galveias, Lisboa, 2006. Exposições Colectivas desde 1983: Em várias bienais nacionais e internacionais,em espaços institucionais e privados. Art 95 em New York,Hicetnunc/Art Fax em Itália, 1995; "Artists for Humanitarian aid", Echo-Royal Tropical Institute, Amestredão, 1997; "Timbres D´Artistes" em Lausanne na Suiça, 1998. Integrando o Grupo Paralelo na Igreja de S.Francisco no Castelo de Palmela, Centro Cultural da embaixada de Portugal em Cabo Verde, 2000, Universidade Estadual de Londrina, Paraná no Brasil, 2001, entre outras. Representações: Está representado no Museu da Cidade de Lisboa, Museu municipal de Loures, Museu Armindo Teixeira Lopes em Mirandela, Biblioteca municipal António Botto em Abrantes, Câmara municipal da Amadora e mais recentemente no Museu da Assembleia da Republica. Este interesse Abrange Várias Colecções particulares internacionais como Loyd-bank na Holanda, E.U.A, França, Angola, Suécia, Espanha, Brasil e Suiça.

Atmosferas II - Técnica mista s/papel - 120x140

R

s/Título

ita Cameira, nasceu no Porto em 1969. Frequentou atelier de João Martins (Porto); Iniciação ao desenho com o Prof. Calvet de Magalhães (VN de Cerveira); Frequentou o curso de desenho (Prof. Mário Bismark) e pintura (Prof. Sobral Centeno) da Cooperativa Árvore (Porto). Exposições Individuais: 2005 Galeria Maria Braga "In and Out",Vilar de Mouros; 2003 Galeria Maria Santos "Paragens no Porto", Porto; 1995 Galeria Espaço Etnia "Simples e[feito]", Caminha. Exposições Colectivas: 2005 Galeria Maria Braga, Vilar de Mouros; XIII - Bienal Internacional de Arte de Vila Nova de Cerveira; 7ª Edição "Arte na Leira", Serra de Arga; 1ªEdição "Arte na Planície", Alentejo; 2004 "III Premio Baviera" - Museu Bienal de Vila Nova de Cerveira; Galeria Mário Sequeira / Projectos, Braga; Escola Superior de Ciências Empresariais de Valença; Governo Civil de Viana do Castelo; 6ª Edição " Arte na Leira", Serra de Arga; 2003, 23 Éme Salon D´Automne - "Art Dans La Ville" -Pontault - Combault (Paris); Arquivo

Cinemateca Portuguesa por Álvaro Queiroz; 5ª Edição " Arte na Leira", Serra de Arga; XII - Bienal Internacional de Arte de Vila Nova de Cerveira; 2002, 4ª Edição " Arte na Leira", Serra de Arga; Galeria Domus Municipalis, "Simbiose", Valença; Galeria Maria Santos, Porto; 1995 Galeria da Câmara Municipal de Caminha. A pintura de Rita Cameira activa a pintura como pintura que pesquisa a realidade em função da sua identidade, alcançando o carácter ensaísta de formas de expressão mais íntimas. O observador de arte encontra, assim, uma pintura cultural que não é menos realidade pelo facto de ser abordada e reformulada de um modo sectorial, reforçando o sentido de um cromatismo de assunção pessoal e moderno. Rita Cameira é um nome a fixar na jovem pintura contemporânea em que o facto pictórico está destinado a viajar por novas procuras antes de aportar ao cerne do absoluto desejado. Sérgio Mourão - (Crítico de Arte)

R

icardo Paula nasceu em 1964. Designer de formação. Planificador gráfico de cinema e televisão, Art-Director em várias agências de publicidade multinacionais, desde cedo se dedicou á pintura. O nome de Ricardo Paula, surge-nos como um dos mais destacados pintores potugueses da sua geração. A sua obra iniciada no principio da década de oitenta,tem traçado um compromisso entre o desenho e a pintura, num jogo articulado,onde o gesto pictórico de densas camadas de tinta se funde e rasga pela plasticidade do carvão. A sua pintura, os seus desenhos, abordam aspectos recorrentes da paisagem humana

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

108

109

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

RODRIGO DIAS
homem não morre quando quer" na VINCENT, C. C. Colombo, Lisboa (2001); "O lado frio do sol " Espaço GAN, Av. Berna, Lisboa (2000); "Casas vazias, vazio habitado" na VINCENT, C. C. Colombo, Lisboa (2000); "Cordas II" no TARGUS, Bar (Bairro Alto) Lisboa (1999); "Um Sonho à espera de outro Sonho" Galeria, Bar Património, Castelo Branco (1999); "Rios Secos de tanto Ver-o-mar" na Galeria Municipal de Arruda dos Vinhos (1999); "Sem Temer a Madrugada" na Galeria Municipal do Cartaxo (1998); "Cordas" no Salão Nobre dos Recreios da Amadora (1998); "Momentos e Movimentos" no Salão de Exposições do Ateneu de Leiria (1996); "Ausência" no Padrão dos descobrimentos; C. M. Lisboa (1996); "Do Lume e da Noite" na Galeria Municipal de Arruda dos Vinhos (1996). Pintura e Gravura: "Sonhos da Água que passa" no INDEG Business Schol ISCTE, Lisboa, (2002); Formas em Movimento, Livraria Almedina, Atrium Saldanha, Lisboa (2002). Pintura e Instalação: Exposição / Instalação "Água" na Galeria VINCENT no C. C. Colombo, Lisboa (2001). Exposições Colectivas: Exposição colectiva de Pintura do ARTEVER no INDEG Business School ISCTE, Lisboa (2006); Exposição colectiva de Pintura e Escultura, CIRCULARTE, na galeria de Artes Rodrigues Lobo, Leiria (2005); Exposição colectiva de Pintura do ARTEVER no Dançarte, Algueirão, Sintra (2005); Exposição colectiva de Pintura no INDEG Business School ISCTE, Lisboa (2005); Homenagem a Júlio pita, Colectiva de pintura, Sistemas Rafael, Alfragide (2005); Exposição colectiva de Pintura e Escultura, CIRCULARTE, na galeria de Artes Rodrigues Lobo, Leiria (2005); Xª Exposição Internacional de Artes Plásticas de Vendas Novas (2005); "Auto-Retrato" Exposição colectiva, Galeria Municipal de Fitares, Sintra (2005); Exposição de Homenagem Informal a José Ruy, Zero figura, na Galeria Municipal da Amadora (2005); "Homenagem ao 25 de Abril" Colectiva de Pintura, Palácio do Infantado, Samora Correia (2004); I Exposição Internacional de Artes Plásticas, Sesimbra (2004); "Colectiva de Pintura Surrealista de Pintura e Escultura", na Galeria da C. Trindade, Lisboa (2004); Colectiva de Pintura, no INDEG Business School ISCTE, Lisboa (2004); XIII Bienal, Festa do Avante (2003); Colectiva de Pintura Surrealista na Direcção Geral da Adm. De Justiça, Lisboa (2003); Colecção INDEG 2001\2003, no INDEG Business School ISCTE, Lisboa (2003); "Colectiva de Pintura" na Galeria Diferença, Lisboa (2003); "Exposição Colectiva" Espaço de Arte Sebastião Pires, Mem Martins (2002); Exposição e Leilão de Artes Plásticas da Cruz Vermelha, Amadora, (2002); "Colectiva de Pintura", Lagoa, Algarve (2002); "Colectiva de Pintura" na galeria da LCR, Sintra (2002); Prémio Vespeira, VII Bienal de Artes Plásticas, Cidade Montijo (2002); "Colectiva de Pintura" no INDEG Business School ISCTE, Lisboa (2001)... (*) (*) Poderá encontrar mais informação sobre este artista no nosso site: www.artenaplanicie.com

RUI AMARAL

“Chá e Livros” - Acrílico s/ tela - 70x100

Cadeiras

odrigo Dias nasceu a 31/05/1965 na cidade de Chaves. Frequentou o Curso de Pintura (1990/91 - 1991/92) e Historia da Arte na A.R.C.O. (1991/92). Sócio fundador do Circulo Artístico e Cultural Artur Bual. Coordenador da Revista Trimestral " O GESTO " do C. A C. Artur Bual. Frequenta no atelier da Galeria Diferença em Lisboa o Curso de Gravura. (2003-2004). Sócio do grupo de Artes Plásticas da Amadora, ARTEVER. Exposições Individuais de Pintura: Café cultural "Sem medos", Bairro Alto, Lisboa (2006); "Movimento do nada " Zoo de Benfica, Lisboa (2005); "Portas e Janelas ", Dançarte, Algueirão, Sintra (2005); "Dentro e fora do olhar", Galeria Municipal de Fitares, Sintra (2004); "Os olhos dentro dos Olhos", Livraria Almedina, Atrium Saldanha, Lisboa (2004); "O Bosque" no INDEG Business School ISCTE, Lisboa (2004); "Tempo de nuvem", Livraria Almedina, Atrium Saldanha, Lisboa (2003); "Vértice da água", na Clínica Clinemetria, Algés (2003); "Paredes de Água" na Galeria Municipal Artur Bual, Amadora, (2001); "The lost City" no INDEG Business School ISCTE, Lisboa, (2001); "Um

R

ui Amaral, nasceu em Vila Nova de Fozcoa a 9 de Dezembro de 1943, foi criado em Macau e viveu em Moçambique, Lourenço Marques. Vive e trabalha em Lisboa. É finalista do Curso de Pintura da Sociedade Nacional de Belas Artes, orientado pelo Pintor Jaime Silva, e onde tem como professor o Pintor Mário Rita. Nos anos anteriores teve como professor o Pintor Gonçalo Ruivo. Participou em vários eventos culturais (artes plásticas).

R

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

110

111

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

RUY PACHECO

SANDRA NUNES (CRISTINA R.)

The Mountain I - Técnica mista s/Tela - 160x100

s/Título

uy Pacheco, foi jomalista (Repórter Fotográfico) com mais de trinta anos de exercício, dos quais, mais de vinte no Diário de Lisboa e em colaboração com diversos Jornais. Participou em cerca de duas dezenas de livros (alguns escolares), capas de discos, poster's e exposições de fotografia. Foi Júri em vários concursos de fotografia. Dedicou-se à pintura desde os seus 18 anos de idade. Exposições Individuais: Sociedade Portuguesa de Autores, 1996, Lisboa; Casa da Imprensa, 1999, Lisboa; Câmara Municial da Amadora, Espaço Recreios, 1999, Amadora; R.T.P., Exposição de quatro quadros no programa "Praça da Alegria", 1999, Porto; Câmara Municipal de Cascais, Posto de Turismo de Cascais, 2000, Cascais; Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos, Galeria Municipal de Arruda

R

dos Vinhos, 2000, Arruda dos Vinhos; Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, Galeria Municipal de Exposições do Palácio, Quinta da Piedade, 2000, Póvoa de Santa Iria; Galeria de Arte da Cervejaria Trindade, 2000, Lisboa; Museu da Água da EPAL, Reservatório Mãe D'Água, Amoreiras, 2003, Lisboa. Prémios: Premiado pela Academia Européenne des Arts na Exposition Internationale com a medalha de Bronze atribuída pelo Conseil Supérieur des Récompenses, 1998, Paris, França. Exposições Internacionais colectivas: Espanha; Llerena, Brasil; São Paulo, Brasil; Paris, França. Exposições Colectivas: Participou em mais de cem.

andra Cristina Nunes, nasceu em Lisboa no ano de 1972. Licenciada em Artes Plásticas na Escola Superior de Tecnologia, Gestão, Arte e Design (ESTGAD) em 2001. Tendo realizado outros cursos extra curriculares, como fotografia, no atelier Arte e Expressão, nas Caldas da Rainha entre 1996 e 1998 e ainda de Design Gráfico e comunicação, de 1993 a 1994, no INEPI, em Lisboa, tendo ainda participado em workshop's de cerâmica, na ESTGAD, Caldas da Rainha e no workshop de Desenho, no Museu Joaquim Correia, Marinha Grande. Exposições Colectivas: 1995 VII Salão de Primavera, Escultura, Pintura, Desenho, na Galeria de Arte do Casino Estoril; 1996 Prémio da Festa da Pintura na Adega do Borlão, Rádio Caldas, Caldas da Rainha; 1 a Mostra de Artes de Artes Plásticas nos antigos Paços do Concelho, Caldas da Rainha; 1997 Intervenção artística, PICAR, (performance e instalação), nos Antigos Paços de Concelho, C. R.; 1998 1ª Colectiva do grupo 7 AP , "Silhuetas", na Galeria Século VXII, Leiria; Concurso

S

de pintura, da C. M. Alverca e Assoc. Fil. de Alverca; Participação na III edição do Prémio D. Femando 11, Pintura e Escultura C. M. Sintra; 2000 Participação na IV edição do Prémio D. Fernando II, C. M. Sintra; 2ª Colectiva do grupo 7 AP, "Pecados", Espaço Delfim de Guimarães, Amadora; 2001 Participação na 2a Bienallnternacional de Arte Jovem de Vila Verde; Exposição de finalistas de Artes Plásticas, ESTGAD, Caldas da Rainha; 2003 Exposição colectiva, "Orgânica e Urbano", no Centro de Arte Contemporânea da Amadora; VII edição do Prémio D. Femando II, Pintura e Escultura, Sintra; Participação no Leilão/Exposição de Jovens Artistas, no Palácio do Correio Velho, Lisboa; Participação na Exposição e Edição do livro Anuário Luso-Brasileiro, Pintura em Portugal -Brasil, 2003, em Lisboa; 2004 Participação na colectiva "o Ciclismo", no Museu do Ciclismo, Caldas da Rainha; 2005 Participação X Iª Exposição Internacional de Artes Plásticas,em Vendas Novas; Participação na II Bienal de Pintura de Pequeno formato, Prémio Joaquim Afonso Madeira, de Alhos Vedros, Moita;

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

112

113

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

SARA FRANCO
"In the Airport" - Técnica: Mista s/ tela 100 x 1.20(x2) - 2005 Promessas - Acrílico - 100x100

SAULO SILVEIRA

S
exposição com o tema "Não quero ir a essa exposição!" Ilustração, Restart, Escola de Criatividade e Novas Tecnologias, Lisboa. Agosto a Setembro 2005: Plasma!, Projecto de Artes Plásticas desenvolvido no Lugar Comum, Fábrica da Pólvora - Barcarena Exposições Individuais: 2004 Cidade Crua (Pintura e Desenho), Perve ArteCafé, Lisboa; 2003 Galeria 65 A (Pintura), Lisboa. Exposições Colectivas: 2005 Movimento de Arte 2005" M.A.C, Movimento Arte Contemporânea; 2004 Razões de Existir III, Perve Galeria, Lisboa; 2004 Rock (Pintura, Ilustração e Azulejos), ILGA Portugal, Lisboa; 2004 Riot Grrls (Pintura, Ilustração e Azulejos), Galeria do IPJ, Lisboa; 2003 Galeria/Livraria Edições Campos (Pintura e Azulejos) Lisboa; Outros locais onde já expôs trabalhos: Artimanha, Lisboa; Ceutarte, Lisboa; Espaço Objecto Design, Leiria; Galeria/Livraria Rua 52, Leiria; Galeria Século XVII, Leiria; Galeria Lídia Cruz, Leiria. Concursos: 4º Prémio Banif; Concurso para a criação de logotipo para a F.B.A.U.L.; 1º Salão de Artes Plásticas de Coruche. Participação nas performances: "O Fenómeno da Banana Salvadora" de Eugénia Mota, nas Chocadinhas da ESBAL (actual FBAUL), e "Manifestação a Favor do Governo", pelos Felizes da Fé, de Rui Zink.

aulo Silveira, Nasce em 1950 em João Pinheiro, pequena cidade do interior do Estado de Minas Gerais, Brasil. Passa a maior parte da sua infância em contacto com a natureza, em fazendas onde rios e florestas virgens marcam para sempre a sua memória.

S

ara Franco nasceu em Leiria em 1971. Residente na Amadora. Frequência do 4º ano do curso de Artes Plásticas e Design Pintura, na F.B.A.UL. Formação Profissional na área do web/graphic design. Fevereiro de 2006: 12 Ilustradores na FNAC Who, Agência de Talentos Criativos. Janeiro 2006: Ilustrações patentes no site respectivo do projecto AMOSTRA (www.amostra.mgoffline.com), na secção VocêsWork. Dezembro 2005: Christmas Private Party, Ilustração, Who Agência de Talentos Criativos. Outubro 2005: Participação na AMOSTRA - galeria de projectos de jovens criadores portugueses,

Em 1961 Transfere-se para Belo Horizonte, capital do Estado de Minas Gerais. Começa a pintar as suas primeiras telas; 1972 Trabalhos voltados para as artes gráficas, sob contracto. Cria capas de livros e programações visuais; 1976 Muda-se para o Rio de Janeiro e trabalha para as principais agências de publicidade cariocas, com profissionais consagrados. Realiza ilustrações para as principais empresas brasileiras e internacionais; 1988 Estuda pintura na Escola de Arte Visuais do Parque Large, um dos centros mais respeitados do Brasil; 1988 Seleccionado para vários salões de artes do Brasil. Conquista prémio no 5º Salão Brasileiro de Artes Plásticas em São Paulo; 1989 Ganha o prémio aquisição no 5º Salão de Arte Contemporânea de Americana-SP, bem como Referência Especial do Júri no XVII Salão Primavera, na cidade de Resende, Estado do Rio de Janeiro. é indicado para realizar exposição individual no Museu de Arte Contemporânea de Americana, do Estado de São Paulo; 1990 Transfere-se para Lisboa, Portugal. Trabalha em ilustrações para as principais empresas de publicidade portuguesas; 1994 Começa a expor em Lisboa, dando prosseguimento a sua pintura, que realizava paralelamente a ilustração publicitária; 1996 Começa a dedicar somente a pintura, sendo que no ano seguinte, desliga-se totalmente da ilustração publicitária. Exposições individuais: 1994 Galeria Hotel Penta (Lisboa); 1995 Galeria Hotel Penta (Lisboa); 1996 Galeria Hotel Meridien-Foyer (Lisboa); 1997 Siemens Forum (Lisboa); 1998 Galeria Magia Imagem (Lisboa); Galeria Pomar dos Artistas (Lisboa); 1999 Palácio da Independência (Lisboa); Galeria Caja China (Sevilha); Galeria Pomar dos Artistas (Lisboa); 2000 Galeria Magia Imagem (Lisboa); Casa do Romeiro (Ponta Delgada); Exposi-ção 500 anos Portugal/Brasil;

Galeria Quinta Palmeira (Funchal); 2001 Galeria municipal Artur Bual (Amadora); Galeria RTP (Madeira); Galeria Palpura (Lisboa); 2002 Galeria Magia Imagem (Lisboa); Galeria Municipal de Fitares (Rio de Mouro); 2003 Galeria Porca Preta (Monchique); Galeria Panorâmica da Vigia (Areia Branca); 2004 Galeria municipal de Abrantes; Galeria Porca Preta (Monchique); 2005 Galeria Magia Imagem (Lisboa); Galeria Alberto Sarmento (Lisboa). Exposições colectivas: 1979 Museu de Arte Niteroi (Rio de Janeiro); 5º Salão Brasileiro de Artes Plásticas (São Paulo); 1988 Salão de Inverno da UFRJ (Rio de Janeiro); 1989 Decor Galeria de Arte (Rio de Janeiro); Salão Limeirense de Arte Contemporâmea (Limeira); Salão Carioca de Arte (Rio de Janeiro); 17º Salão da Primavera (Resende RJ); 5º Salão de Arte Contemporânea (Americana); 1990 Salão Nacional de Arte de Belo Horizonte (MG); 1994 6 Caminhos, Hotel Penta (Lisboa); 1999 Galeria Pomar dos Artistas (Lisboa); Galeria Municipal Gymnásio (Lisboa); 2000 Galeria Caja China (Sevilha); Galeria de Exposições Augusto Cabrita (Seixal); Galeria Municipal de Aveiro (Aveiro); 2001 Centro de Arte Contemporânea de Amadora; Ars Galeria (Lisboa); Galeria Lapa (Lisboa); Galeria Palpura (Lisboa); Galeria Caja China (Sevilha); 2002 Galeria Magia Imagem (Lisboa); 2003 Galeria Porca Preta (Monchique); Galeria Artmarma (Santarém); Galeria Santiago (Palmela); Galeria Escudero (Lisboa); 2004 Galeria Verarte (Aveiro) - Semana da Tauromaquia; Galeria Alberto Sarmento (Lisboa); 2005 Galeria Verarte (Aveiro).

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

114

115

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

SILVESTRE RAPOSO

TERESA LOBO

“Cavalgada de Colombo em Sanlucar” Sem título 2005 (1 ) - Série: ”Escrita” - Tinta da China e aguarela sobre papel - 76,5 x 57 cm

S

ilvestre Raposo, nasceu em Vila Nova de S. Bento, concelho de Serpa, Distrito de Beja, Alentejo, Portugal. Licenciado em Artes Plásticas e Pintura, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Professor de Design Gráfico nas Pós Graduação do INUAF, Instituto Universitário Dom Afonso III em Loulé. Foi membro do Conselho Pedagógico da Faculdade, e da Assembleia Geral da Universidade de Lisboa. Comissário de inúmeras Exposições, foi Director das Galerias Municipais de Arte em Moura e Mourão, onde organizou e dirigiu mais de 80 Exposições. Professor em vários Cursos Livres de Arte, nas áreas de Pintura, Desenho e Áudio Visuais e Formador pelo IEFP, tem participado em várias formações, nas áreas de História da Arte, Sociologia da Arte e Desenho e ainda na Formação Pedagógica de Formadores. Autor de poemas editados no Vol. XI e Vol. XIII da Antologia "Poiesis"da Editorial Minerva de Lisboa. Autor de dois Contos nas Colectâneas "Laços de Palavras" e "Inquietações" da Editorial Minerva de Lisboa. Autor do livro de poemas sob o título "Nas margens do sonho" com prefácio de Urbano Tavares Rodrigues e introdução de Sérgio Sá. Autor do livro de Fotografia"

Moura - Contrastes de luz" Autor do Livro de Poemas "Caminhos de terra" em fase de lançamento. Autor de Ensaio, em fase de acabamento, nas áreas de Estudos de Arte e Sociologia da Arte, onde aborda problemáticas da comunicação e linguagens, na Arte Contemporânea. Autor, como Crítico, de textos sobre Obras de Arte e Obras Literárias, em várias páginas Web, e Jornais. Sócio da Associação Portuguesa de Poetas; da Associação Cultural Cuid'Arte e membro do Grupo G90. É Autor inúmeros trabalhos, de Pintura, Fotografia, Design e algumas Esculturas, de onde se destacam: o Painel de Pintura do Serviço de Finanças de Mourão, as telas da Caixa Agrícola de Aljustrel, as Peças Escultóricas dos "Prémios Salúquia às Artes" da Câmara Municipal de Moura e do "Prémio ao melhor aluno" do Instituto Universitário Dom Afonso III de Loulé, bem como, vários Logótipos e algumas Capas e ilustrações em livros. Galardoado com alguns prémios, em Fotografia, Artes Plásticas e Design, participou em mais de 90 exposições individuais e colectivas.

eresa Maria G. Gonçalves - "Teresa Gonçalves Lobo", fez de Outubro 2002 a Junho 2005, o Curso de Desenho e Curso de Pintura no "Arco" em Lisboa. Fez também em 2005, o Curso de Técnicas Fotográficas no "Cenjor" em Lisboa. Em 24 Abril 2004, na Praça do Comércio, em Lisboa, participa, como um dos jovens artistas convidados, no Painel alusivo ao 25 Abril patrocinado pela Câmara Municipal de Lisboa; Agosto 2004, Exposição individual "PRESENÇAS", (Desenho, Pintura e Fotografia) na Sala de Exposições do Centro de Congressos de Porto Santo, na ilha de Porto Santo; Março 2005, Participa, com gravura e fotografia, na I Exposição "Arte na Planicie", em Montemor-o-Novo; Julho 2005, Participa com gravuras na Exposição de Verão do "Arco", em Almada; Agosto 2005, Participa, com trabalhos de pintura, na exposição colectiva "Arte na Leira", em Caminha; Março 2006, Participa, com trabalhos de pintura, na exposição colectiva organizada pela Mairie de Pontault-Combault (Paris).

T

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

116

117

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

VICTOR LAGES
ictor Lages, nasceu em Lisboa em 1952. Desde sempre desenhou e pintou. Cursou na Escola António Arroio. Durante 12 anos trabalhou em artes gráficas, sem no entanto deixar as artes plásticas. Trabalha no seu atelier (Artezen) desde 1980. Até 1992 teve uma grande actividade na área da publicidade e na criação gráfica (concepção de logotipos e embalagens) e na ilustração onde conta com duas dezenas de livros já publicados. Desde então tem-se dedicado exclusivamente á pintura e escultura e expõe desde 1981. Em 1993, é um dos fundadores do Grupo Artitude o qual se extinguiu em 1996. Fez parte do júri do IX Salão Nacional de Caricatura/VI Festival de Humor Oeiras/95 e do 1º Concurso Damaia Encontro com os seus Pintores, este em conjunto com Artur Bual em 1995. Foi membro da ANAP associação nacional de artistas plásticos durante seis anos. Em 1997 é co-fundador da Arcoartis, associação de artistas plásticos da Damaia, sendo presidente da mesma. Começa em 1996 e termina em 1999 as pinturas Sacras na igreja de Nª. Sra. do Cabo de Linda-a-Velha, sendo estas, a sua maior obra e, considerada o maior conjunto de Arte Sacra em pintura mural e em tela e óleo, do século XX em Portugal. Foram inauguradas pelo Sr. Ministro da Administração Interna Dr. Jorge Coelho, pelo o Sr. Presidente da C. Municipal de Oeiras Dr. Isaltino Morais e o Sr. D. Tomás Bispo Auxiliar de Lisboa, estiveram presentes muitas outras individualidades. Entre 1999 e 2000 executa as pinturas murais na igreja de S. Miguel em Queijas, também pinturas de grandes dimensões, inauguradas pelo Sr. Presidente da C. Municipal de Oeiras Dr. Isaltino Morais. É inaugurado em 2000 a estação da CP Sta. Cruz/Damaia pelo Sr. 1º Ministro António Guterres, onde foi executado “Os Amores da Sereia” um mural em azulejo e ferro com 170 m de comprimento da sua autoria. Ainda em 2000 executa outra pintura mural e sacra na capela do Mosteiro, Carmelo de Nª. Sra. Rainha do Mundo em Faro. Em 2000 a Associação Paço de Artes e o jornal A Voz de Paço de Arcos atribui-lhe uma homenagem pela actividade artística desenvolvida no concelho de Oeiras. Em 2001 executa o mural em mosaicos (Um grande passo para o Homem) com cem metros de cumprimento, situado junto ao cruzamento no Borel na Amadora. Foi-lhe atribuído pela Câmara Municipal de Oeiras, o Mérito Municipal Grau Prata por actos e serviços praticados de relevo, no âmbito do Município e do País em 2002. Entre 2002 e 2003 cria e executa mais de 500 telas, um mural e três esculturas para o Solplay Hotel que foi inaugurado pela Sra. Presidente da C. Municipal de Oeiras Dra. Teresa Zambujo com a presença do Sr. Ministro da Educação David Justino. Em 2004 foi gravada uma entreSem título - Acrílico sobre tela - 100x125

XAVIER

V

130x89 - Óleo s/Tela - 2002

vista para o programa "Entre Nós" da Universidade Aberta que foi transmitida no Canal 2 da RTP, no Canal África e Canal Internacional da RTP. Executa na Damaia em 2005 uma pintura mural com 88 metros quadrados no "Parque Goa" e na Rua Duarte Pacheco Pereira cria "Os Mirones" que são 50 bolas pintadas com expressões diferentes, estando colocados nas zonas relvadas dos jardins numa extensão de 300 m. Participou em 2006 no programa televisivo "Divercidades" transmitido em directo pela RTP Internacional e retransmitido na RTP África. Tem sido citado nos mais diversos meios de comunicação social, entre revistas, jornais, rádios e televisões. Tem obras espalhadas em Portugal, França, Itália e EUA em colecções particulares. Está representado no Museu Municipal Armindo Teixeira Lopes (Mirandela) e no Museu do Mar (Cascais). Já efectuou 15 exposições individuais e participou em 120 colectivas.

avier nasceu em S. Tomé e Príncipe, em 1947. Curso de Pintura da E.S.B.A.P. em 1976. Bolseiro de S. Tomé e Príncipe entre 1971 e 1976. Ilustrou livros didácticos para Angola em 1973. É Professor do Q. N. D. do 5º. Grupo na Escola E. B. 2. 3 de Vilar Andorinho em Vila Nova de Gaia, Porto. Está representado em várias colecções particulares em Portugal e no estrangeiro, nas Câmaras Municipais de V. N. de Famalicão e de Aveiro, Fundação Eng. António de Almeida, Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física do Porto, Grupo BCP, Grupo Totta e no Mercado Municipal de Tavira, (Painel em ferro e cerâmica com 3x95 m). Expõe individual e colectivamente desde 1980. Realizou oito exposições individuais sendo as mais recentes a Exp. Individual na

X

Galeria "Domvs Varivs", Lisboa, 2000; Exp. individual na Galeria Municipal Artur Bual, Amadora, 2001; Exp. Individual na Biblioteca Pública Municipal de V. N. Gaia, 2004. Exp. Individual na Cooperativa Árvore, Porto, 2005; Participou em Bienais: de Artes Plásticas de V. N. de Cerveira, de Gravura da Amadora, de Artes Plásticas da Maia, nos Festivais de Gravura de Évora e de Artes Plásticas, Festa do Avante. Participou em dezenas de Exposições Colectivas em Portugal e três em Espanha (duas em Barcelona e uma em Valência). É citado nos livros "Artes Plásticas Portugal, O Artista, seu Mercado"; no "Anuário das Artes Plásticas", nº 2, Estar Editora; "50 Anos de Pintura, Escultura em Portugal, Universitária Editora, Ldª.; Participou com uma obra na ilustração de "Os Lusíadas", projecto concebido e desenvolvido pela GSPIE, Global Systems Publicity, Lisboa.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

118

119

FOTOGRAFIA
António Mil Homens . . . . . . . 123 Arlindo Pinto . . . . . . . . . . . . . 124 Carlos Oliveira . . . . . . . . . . . 125 Ema Leite . . . . . . . . . . . . . . . 126 Fabrício Borges . . . . . . . . . . 127 João Cleto . . . . . . . . . . . . . . 128 João Vasco . . . . . . . . . . . . . . 129 Maria Cascais. . . . . . . . . . . . 130 Mário Pires . . . . . . . . . . . . . . 131 Rodrigo Correia . . . . . . . . . . 132 Sílvia Arrais . . . . . . . . . . . . . 133

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

ANTÓNIO MIL HOMENS

ntónio Duarte Mil-Homens nasceu em Lisboa, em 9 de Outubro de 1949. Com formação essencialmente autodidáctica, frequentou na Associação Portuguesa de Arte Fotográfica , em 1981, um curso de iniciação à Fotografia e, mais tarde, o primeiro Curso Profissional de Fotografia ministrado na APAF. Foi redactor/repórter fotográfico do Jornal Regional "O Podium" (Concelhos de Oeiras e Cascais) - 1980/82; Foi fotógrafo do CDIAG (Teatro da Malaposta), em 1987, 1988 e 1989. Desde 1984, fotógrafo de publicidade, com trabalhos realizados para Agências e empresas dos mais variados ramos: alimentação, texteis, telecomunicações, editorial, automóvel, espectáculo, etc., bem como organismos oficiais, câmaras municipais (Câmara Municipal de Lisboa, Leal Senado de Macau...), com absoluta polivalência - fotografia de estúdio, reportagem (interiores e exteriores), fotografia aérea, científica (de campo ou em estúdio, geral, macro ou ao microscópio).

A

Macau - Fortaleza

Foi, de Junho de l987 a Janeiro de 2005, fotógrafo do Instituto Superior de Agronomia, com milhares de imagens publicadas em folhetos ou brochuras, trabalhos finais de Licenciatura, teses de Mestrado ou Doutoramento, Agregações, comunicações, papers, etc., em Portugal e no estrangeiro. Apresentou 8 Exposições individuais de Fotografia. Participou em 14 Exposições colectivas de Fotografia (nomeadamente as da 1ª e 3ª Expovisão, em 1985 e 1987. Galardoado em vários certames, integrou o Júri de alguns concursos fotográficos: Membro do Júri dos 1ºs., 2ºs. e 3ºs. Jogos Florais da

Cidade de Lisboa (2000, 2001 e 2002); Entre 1988 e 2003 organizou e leccionou doze Cursos de Fotografia; É autor das fotografias das capas e booklets de vários cds - Moscow Piano Quartet, Alexei Eremine e Pedro Burmester, Fausto Neves e Gisela Neves, Coro da Sé Catedral do Porto, Artur Pizarro e António Rosado. Tem fotografias publicadas em grande número de jornais, revistas e livros, sendo o mais recente "Cozinhar com Vegetais", de Maria de Lourdes Modesto - Eitorial Verbo.

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

123

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

ARLINDO PINTO

CARLOS OLIVEIRA

80cm x 55cm | Técnica: filme a preto e branco digitalizado e manipulado em Photoshop CS nas margens

S/Título - Fotografia a Preto e Branco - 30x40 com moldura

A

rlindo Pinto nasceu em 1962. É jurista de profissão e fotografa regularmente desde 1999.

Tem trabalhos publicados nas revistas "Super Foto Prática" (nº 76 e 82 de Abril e Outubro de 2004) e "O Mundo da Fotografia Digital" (nº 1 de Maio de 2005); Durante o seu percurso como amador da fotografia, tem frequentado workshops e realizado actividades destinadas ao aperfeiçoamento da técnica e estética fotográficas; Continua a fotografar sempre em busca de novos espaços e novas formas de encarar esta arte.

No ano de 2004 concluiu o Curso Profissional de Fotografia na escola Oficina da Imagem; Em 2005 participou numa exposição colectiva promovida pela Oficina da Imagem, com o patrocínio da Câmara Municipal da Amadora nos Recreios Desportivos da Amadora; Em 2005 concluiu o Curso de Estética Fotográfica na Oficina da Imagem;

arlos Oliveira é natural de A-da-Beja, Amadora e nasceu em 1952. Tem participado em diversos eventos culturais na área da Fotografia, nomeadamente com Exposições na Amadora, Lisboa, Moura, Barrancos, Tondela, Cascais, tendo sido premiado por diversas vezes.

C

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

124

125

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

EMA LEITE

FABRÍCIO BORGES

A técnica é digital e o equipamento uma câmara Canon 300D c/uma objectiva Canon 100 mm macro. Dimensões: 80 cm x 53 cm.

F

abrício Borges, iníciou profissionalmente na area de fotojornalismo e reportagem social - Clube Curitibano - PR - Brasil, em 1997.

Bairro Alto - Lisboa. Começou a desenvolver o projecto documental "Presença Indígena" - Dourados - MS - Brasil; 2003 - Aluno do ano do curso de fotografia profissional - Oficina da Imagem - Lisboa. Fotógrafo Free-lancer. - Jornal 24 Horas, Lisboa; 2004 - Começou a fotografar moda - Agência Divas e Divinos - Lisboa; 2005 - Continuou a trabalhar na área de fotojornalismo e moda e a desenvolver projectos na área documental.

1998 - Exposição colectiva - "Olhares da Cidade" - Senac - Dourados, MS - Brasil; 1999/2000 - Fotógrafo e produtor de TV Silva Melo Comunicações, Dourados - MS - Brasil; 2000 - Movido pela paixão fotográfica imigrou para Portugal na busca de novos horizontes; 2002 - Exposição Individual "Outono, um certo olhar..." - Visit us -

ma Leite, apesar de um certo fascínio pela fotografia desde a infância,foi aos 32 anos que resolveu levá-la mais a sério. Inscrevendo-se na Escola de Fotografia de Carlos Marques-Oficina da Imagem, frequentou o Curso Avançado e o Curso de Estética. No mesmo ano participou num workshop de moda dirigido por Paulo Roberto no estudio 8A. Em 2004 fez parte da exposição colectiva dos alunos da Oficina da Imagem nos Recreios da Amadora. Em 2005 expôs individualmente no Restaurante "A Passarola" em Lisboa. A profissão de Assistente de Bordo na Tap Portugal permite-lhe o contacto com diferentes culturas, influenciando o seu modo de vêr e sentir o mundo . O presente trabalho resulta da união de duas paixões - a fotografia e a natureza - na busca da beleza ideal escondida no pormenor.

E

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

126

127

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

JOÃO CLETO

JOÃO VASCO

J

oão Cleto é fotografo amador desde 2001. Vive e trabalha em Lisboa e profissionalmente trabalha como Engenheiro de Telecomunicações.

J

oão Vasco Ribeiro, nasceu a 17 de Janeiro de 1954, Lisboa. A sua formação é:

Exposição colectiva: (2005) - Festival Internacional de Artes de Rua - Palmela. (2004) - I Bienal de Sintra. Wenceslau Cifka, Arte Café (T. Vedras). Trabalhos premiados: (2005) - Foto cor - Festival Internacional de Artes de Rua. (2004) - C. Municipal da Nazaré (Carnaval da Nazaré). (2003) - IDICT (Inst. Des. Inspecção das Condições do Trabalho). (2002) - Associação de Professores de Geografia.

Frequentou o Curso Profissional de Fotografia da Oficina da Imagem em 2004 e o curso de Estetica Fotografica da Oficina da Imagem em 2005. Em 2004, teve fotografias publicadas na revista "Super Foto Pratica" e venceu um concurso promovido pela mesma revista. Em 2005 participou na exposição colectiva do Curso Profissional de Fotografia da Oficina da Imagem. Tem fotografias publicadas na Internet em vários sites e blogs.

(2003) - Curso Profissional na Escola Oficina da Imagem. Como foto-jornalista: (2006) - Foto-repórter no Mafra Regional (2004 - 2006). (2005) - Foto-repórter no Sintra Digital (2004 - 2005). Exposição individual: (2004) - Bar Foot (Rio de Mouro); Festas do concelho. Oeiras.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

128

129

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

MARIA CASCAIS

MÁRIO PIRES

M

ário Filipe Pires, nasceu em 1960, tem formação académica em Engenharia Química e fotografa desde 1984.

individual no Laboratório Digital Carlos Vilas, intitulada "Olhares". Em 2001 viu também quatro das suas fotografias serem publicadas no livro foto@pt. Em 2003 funda o BZK Group com o qual expõe "Covers" no Padrão dos Descobrimentos em Lisboa. Em 2004 expõe 4 fotografias na IX Mostra Colectiva de Fotografia organizada pelo Espeleo Clube de Torres Vedras. Em 2005 expõe na Capela da Misericórdia em Sines, juntamente com Koh Okabe. Tem 4 fotografias publicadas no livro 28 mm do site do mesmo nome, um experiência bem sucedida de edição independente. Profissionalmente é responsável pela produção áudio/visual e multimédia de um centro de formação profissional e lecciona aulas teóricas e práticas na escola de fotografia Oficina da Imagem.

Em 1988 viu serem publicadas duas fotografias suas no Anuário português de Fotografia. Em 1989, participou na 1ª Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira, tendo tido duas fotografias publicadas no catálogo da exposição.

M

aria Cascais, nasceu em Cascais no dia 25 de Abril de 1955. Editora de Fotografia da revista "Mais Alentejo", desde a fundação (2000), sendo autora da quase totalidade das fotografias publicadas nas 61 edições daquela revista publicadas até ao momento.

Em 1991, realizou uma exposição individual na Fotogaleria 12A, intitulada "Cacilheiros". Em 1994, realizou com a pintora Cristina Carvalhão a instalação "Trans/Casa de Passagem", na Covilhã, para a qual realizou uma série de fotografias a preto e branco e um video de 20 minutos. Em 2001 participou em duas exposições colectivas do website Foto.pt, uma em Almada e outra em Beja. Ainda nesse ano realizou uma exposição

Anteriormente, exceptuando o período em que fez fotojornalismo para o jornal "Mais Alentejo" (1997/1999), dedicava-se à fotografia como amadora e autodidacta. Vencedora do Prémio Mais Fotografia (Prémios Mais Alentejo 2004); Vencedora do Prémio Mais Capa (Prémios Mais Alentejo 2005).

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

130

131

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

RODRIGO CORREIA

SÍLVIA ARRAIS

Rodrigo Correia
[ Estudos / Studies ] Oficina da Imagem, 2004, Queluz [ Exposições Colectivas / Group Exhibitions ] Cine Teatro Recreios da Amadora, 2004, Amadora Oficina da Imagem, 2004, Queluz [ Publicações / Publications ] Sombras Difusas - Super foto prática, nº 83 - novembro 2004

ílvia Arrais. Enfermeira profissionalmente desde 1999 descobriu a fotografia em 2004, ano em que frequentou o Curso Profissional de Fotografia da Oficina da Imagem. Em 2004, teve fotografias publicadas na revista "Super Foto Pratica". Em 2005 participou na exposição colectiva do curso Profissional de Fotografia da Oficina da Imagem em que expôs o seu trabalho Manus.

S

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

132

133

PINTORES
Galegos

Basilio Calzado Dominguez. . . . 137 Concepcíon Cuadrado Amorin. . 138 Francisco Vieitez. . . . . . . . . . . . 139 Manuel Cabaleiro Lopez . . . . . . 140 Xose Luis Otero Becerra. . . . . . 141 Zacarias . . . . . . . . . . . . . . . . . . 142

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

BASILIO CALZADO DOMINGUEZ

“A Pulpeira” - Óleo s/Lienzo - 61x46

asilio Calzado Dominguez, nado en San Salvador, Tebra, Tomiño. Comenza aos vintesete anos no curso de pintura dado por Rebeca Cabaleiro, un ano despois comenza na Academia Cabaleiro en Vigo. Últimas Exposições: 2000 Casa Social de Santa Maria de Tebra; 2001 Casino de Tomiño; 2001 Café Central Tui; 2002 Casa Social Santa Maria Tebra; 2002 Café Central Tui; 2003 Cámara Municipal Santa Tirso; 2003 Exposición Centro Arte de Gaia. Portugal.

B

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

137

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

CONCEPCÍON CUADRADO AMORIN

FRANCISCO VIEITEZ

“Mujer com Medias Negras” - Acrílico - 2 x (70x70)

“La Sonrisa” - Óleo s/Lienzo - 60x80

oncepcíon Cuadrado Amorin, nada en Vigo no 1971. Comenzou os seus estudios dende moi cativa co mestre Cabaleiro. Anos mais tarde pasou a traballar co mesmo, impartindo clases na sua Academia. Na actualidade imparte clases no taller “Obradoiro” Centro Cultural de Bouzas e en Centro Cultural de Camos. Últimas Exposições: 1997 Sala de Exposicións de RENFE; 1998 Club Náutico de Bouzas; 1999 Casa de Cultura de Evade; 2000 Club Náutico de Panzón; 2001 Caves Taylors Exposición Colectiva Luso Galaícos; 2002 Junta da Freguesia de Matosinhos. Portugal; 2002 Maratón “Pintar Matosinhos”, Portugal; 2002 Parador de Baiona, Galicia; 2002 Maratón “Pintar Baiona”, Galicia.

C

rancisco Vieitez, comenza os seus estudios na Academia do pintor vigues San Luis, dende o ano 1994 a 1996. Despois perfecciona os seus estudios na Academia Cabaleiro tamen en Vigo. Dende o 1997 ata o 2001. Últimas Exposições: 1998 Club Náutico de Panzón; 2002 Programa Cultural Luso-Galaico na Casa da Anta Camiña; 2002 Junta de Freguesia de Matosinhos, Portugal; 2002 Maratón “Pintar Matosinhos”, Portugal; 2002 Parador de Baiona, Galicia; 2002 Maratón “Pintar Baiona”, Galicia.

F

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

138

139

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

MANUEL CABALEIRO LOPEZ

XOSE LUIS OTERO BECERRA

“Nacemento do Lima - Couso” - Óleo s/Lienzo - 46x35

“Puesta de Sol” - Óleo s/Lienzo - 100x65

M

anuel Cabaleiro Lopez, estradense de nacemento e veciño de Vigo dende o ano 1963.

X

Comenza o seu traballo artístico dende neno, tendo a súa primeira exposición no ano 1968, no Casino da Estada. Continuando a mostra da súa obra por case tódalas cidades e pobos de Galicia. Últimas Exposições: 1992 Caixa de Aforros de Pontevedra; 1993 Hotel Balneario de Cuntis; 1993 Sala de Arte Caixavigo; 1994 El Rincón de los Artistas-Vigo; 1994 Expo-Arte de Baiona; 1995 Asociación de Artistas, A Coruña; 1996 Caixa de Aforros de Pontevedra; 1996 Sala de Exposicións de RENFE, Vigo; 1996 Sala de Exposicións Municipal de Valenca; 1996 Antigos Pazos do Concello, Viana do Castelo; 1996 Centro Cultural de Baiona; 1998 Sala de Arte Caixavigo; 1998 Sala de Arte Caixa Pontevedra, Ponferrada; 2000 Sala de Arte Caixa Pontevedra; 2002 Deputación de Pontevedra, Castelo de Soutomaior; 2003 Grupo Luso-Galaico, Oporto; 2004 Grupo Luso-Galaico, Gaia; 2004 A Estrada; 2005 Oporto; 2005 Biblioteca de Vila Nova de Cerveira; 2005 Caixanova a Estrada.

ose Luis Otero Becerra, xinzo de limia, 1964. Pintor e mais Escultor. A sua pintura é figurariva de estilo impressionista destacando o domínio de cores contidos de sobrio cromatismo em perfeita harmonia. Últimas Exposições: 2004 Círculo Mercantil de Vigo; 2004 Ardora; 2004 Salon de Renfe en Vigo; 2005 Complexo Hosp. Universitário de Vigo.

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

140

141

II EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS “ARTE NA PLANÍCIE”

ZACARIAS

Comissão de Honra

RUI NABEIRO
COMENDADOR

SÉRGIO GULBENKIAN BERNARDO VASCONCELOS E SOUSA MANUEL VINHAS PACO BANDEIRA JOAQUIM OLIVEIRA LUIS BORDALO SILVA MIGUEL BEJA JONAS PROENÇA DE CARVALHO JOÃO CASTRO AMADEU DOS ANJOS JOAQUIM DE ALMEIDA
“Vidas em Outono” - Óleo s/Tela - 100x80

DIAMANTINO MARQUES CARLOS PINTO SÁ
PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL MONTEMOR-O-NOVO

Z

acarias é um Pintor galego, autodidacta: le interesa fundamentalmente el estudio de la luz en la tela, por medio de pureza del color, partiendo de los colores básicos trabajándolos hasta constituirlos en sustento de la obra. Su fuente de inspiración es la obra misma. Es por encima de todo un artista sincero que pinta Galicia

JOSÉ ERNESTO OLIVEIRA
PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE ÉVORA

Últimas Exposições: 1996 Caixa Pontevedra; 1998 Casino de Afife; 1998 Caixa Pontevedra; 1999 Melgaço, Solar do Alvarinho; 1999 Área Panorâmica de Tui; 2000 Barcelona 2000; 2001 Sevilla, Feria del Arte Contemporaneo; 2001 Francfort, Feria de Arte Internacional; 2002 Marbella Arte Contemporaneo; 2002 Festival de Poesia Salvaterra; 2003 Casino Mercantil e Industrial de Pontevedra; 2003 Cultura de Concello de Porriño; 2004 Pintar Serpa, Portugal, Encontro LusoGalaico. Obras en colecciones particulares en: Venezuela, Suiza, New York y Francia

JOSÉ MATA CACERES
PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL PORTALEGRE

JOSÉ FIGUEIRA
PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL VENDAS NOVAS

JOAQUIM RAPOSO
PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL AMADORA

HOMENAGEM A MANUEL D’ASSUMPÇÃO

142

143

Ficha Técnica

Patrocínios e Apoios

ORGANIZAÇÃO E PRODUÇÃO:

APOIOS, PATROCINIOS E PARCERIAS:

ARTE NA PLANÍCIE - ASSOCIAÇÃO CULTURAL
DIRECÇÃO E COMISSÃO EXECUTIVA:

ATLANTIS CÂMARA MUNICIPAL DE AMADORA CÂMARA MUNICIPAL DE ÉVORA CÂMARA MUNICIPAL DE MONTEMOR-O-NOVO CÂMARA MUNICIPAL DE PORTALEGRE CÂMARA MUNICIPAL DE VENDAS NOVAS CERVEJAS CINTRA CIPADE GRUPO HOTELEIRO FERNANDO BARATA

ALBERTO TRINDADE ANTÓNIO INVERNO EDUARDO NASCIMENTO
SECRETARIADO / COLABORAÇÃO:

HELENAVARELA ANA FALARDO PAULA BANDEIRA OLINDA ROCHA BRUNO TRINDADE VITOR PEREIRA
CONCEPÇÃO E DESIGN DO SITE, CATÁLOGO, CONVITE, CARTAZ E EXPOSIÇÃO DOCUMENTAL SOBRE A VIDA E OBRA D' ASSUMPÇÃO:

SONAE VISTA ALEGRE CAIXA CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO DELTA CAFÉS HALCON VIAGENS

PEDRO AZEVEDO
TEXTOS:

JOSÉ LUIS FERREIRA ANTÓNIO INVERNO EDUARDO NASCIMENTO PACO BANDEIRA
RESTAURAÇÃO:

LEONOR TRINDADE LÚCIA PAITIO
SERRALHARIA / CARPINTARIA:

ISOLINO ROCHA MONTALTO NIKOLAU MUNIN

144

145

Agradecimentos

Artistas Convidados

Índice Geral
FAMILIA DE MANUEL D'ASSUMPÇÃO JOSÉ LUIS FERREIRA
ESCULTORES Carlos Eirão.................................055 Clara Martins ...............................056 Custódia Bota..............................057 Dina Lopes ..................................058 Emília Morais...............................059 Fernanda Páscoa ........................060 Fernanda Pissarro.......................061 Fernando Aguiar..........................062 Fernando D. F' Pereira................063 Fernando Ventura Pereira...........064 Filomena Coquenão ....................065 Gabriela Simões..........................066 Gonçalo Delaunay.......................067 Graciela Teixeira da Mota ...........068 Guilherme Parente ......................069 Hélder Mendes ............................070 Helena Justino.............................071 Hélio Cunha.................................072 Hugo Claro ..................................073 Ivone Ralha .................................074 Jacinta Poupinha.........................075 Jacinto Luís .................................076 Jaime Isidoro ...............................077 Jayr Peny ....................................078 Joao L.Marrocos Fernandes .......079 Jorge Bandeira ............................080 José Grazina ...............................081 José Luis Pais .............................082 José Pádua .................................083 José Raimundo ...........................084 Karino ..........................................085 Lena Gal......................................086 Lívio Morais .................................087 Luis Athouguia.............................088 Luis Fernando F. Ralha ...............089 Luis Vieira Baptista......................090 Manuel Gambôa..........................091 Manuela Jardim...........................092 Manuela Pinheiro ........................093 Margarida Areias .........................094 Maria Condeço ............................095 Maria Galamba............................096 Maria João Franco ......................097 Maria José Ferreira .....................098 Marília Viegas..............................099 Mário Cesariny ............................100 Mário Silva...................................101 Mário Vinte e Um ........................102 Miguel Petchkovsky.....................103 Natália Basto ...............................104 Nuno Pinheiro de Sousa .............105 Patrícia Marques .........................106 Raul Perez...................................107 Ricardo Paula..............................108 Rita Cameira ...............................109 Rodrigo Dias................................110 Rui Amaral ...................................111 Rui Pacheco ................................112 Sandra Nunes (Cristina R) ..........113 Sara Franco.................................114 Saulo Silveira...............................115 Silvestre Raposo .........................116 Teresa Lobo.................................117 Victor Lages.................................118 Xavier...........................................119 FOTÓGRAFOS António Mil Homens ....................123 Arlindo Pinto ................................124 Carlos Oliveira.............................125 Ema Leite ....................................126 Fabrício Borges ...........................127 João Cleto ...................................128 João Vasco..................................129 Maria Cascais..............................130 Mário Pires ..................................131 Rodrigo Correia ...........................132 Sílvia Arrais .................................133 PINTORES DA GALIZA Basilio Calzado Dominguez ........137 Concepcíon Cuadrado Amorin ....138 Francisco Vieitez .........................139 Manuel Cabaleiro Lopez .............140 Xose Luis Otero Becerra.............141 Zacarias.......................................142

MANUEL RODRIGUEZ VAZ HELENA JUSTINO MÁRIO SILVA CÉSAR SALVADO TÓ MORAIS FERNANDA PÁSCOA CARLOS ALEXANDRE MÁRIO CESARINY HUGO CLARO CÂMARA MUNICIPAL DE MONTEMOR - O -NOVO CÂMARA MUNICIPAL DE ÉVORA CÂMARA MUNICIPAL DE PORTALEGRE CÂMARA MUNICIPAL DE VENDAS NOVAS CÂMARA MUNICIPAL DA AMADORA CÍRCULO ARTISTICO E CULTURAL ARTUR BUAL SOREL

Abílio Febra .................................013 Alberto Trindade ..........................014 António Magina ...........................015 Arlindo Arez .................................016 Beatriz Cunha..............................017 Carlos Dutra ................................018 Carlos Madeira ............................019 Fernando Sarmento ....................020 Filiep Manger...............................021 Francisco Vilaça ..........................022 João Limpinho .............................023 João Renato ................................024 José Coelho ................................025 Laranjeira Santos ........................026 Manuel Pinto ...............................027 Margarida de Araújo....................028 Margarida Santos ........................029 Maria Morais................................030 Mário Miranda .............................031 Mathias Contzen .........................032 Paulo Neves ................................033 Pedro Fazenda............................034 Moisés .........................................035 Teresa Frazão .............................036 PINTORES PORTUGUÊSES ........... Abreu Pessegueiro......................039 Albertino Eduardo........................040 Albino Moura ...............................041 Alfredo Martins ............................042 António Alonso ............................043 António Carmo ............................044 António Galvão............................045 António Inverno ...........................046 António Moreira ...........................047 António Neca...............................048 Artur Bual ....................................049 Artur Nogueira .............................050 Bárbara Rebelo ...........................051 Barbara Walraven .......................052 Branco Cardoso ..........................053 Carlos Alexandre .........................054

Agradecemos ainda, a todos os que participaram na concretização da II Exposição Arte na Planície, e cujo nome não consta nesta lista, entidades particulares e oficiais, especialmente a todos os Artistas, magnificamente representados através das suas criações originais.

www.artenaplanicie.com

146

147

II EXPOSIÇÃO
DE ARTES PLÁSTICAS

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful