Você está na página 1de 9

Lektion 1

1. Text

 1

Sprachtheorie
„Sprache ist das unbeschränkte Schaffen interpersonal verfügbarer Bedeutungen.“
(Christian Lehmann)
Durch die Sprache schafft der Mensch Bedeutungen. Das Schaffen dieser
Bedeutungen kennt keine Schranken. Außerdem tauscht der Mensch diese
Bedeutungen mit anderen Menschen aus. Dieser Austausch ist durch zwei Medien
wahrnehmbar: durch den Laut und durch die Schrift. Wir hören Laute oder lesen die
Schrift. Deshalb ist die Sprachwissenschaft u.a. auch eine empirische Wissenschaft.

> Übersetzung (Tradução)

2. Vokabular

 2

e Sprachtheorie,n teoria da linguagem außerdem além disso


- e Sprache,n - linguagem, língua e Schranke,n barreira, limite
- sprechen - falar austauschen intercambiar, trocar
- e Theorie,n - teoria - r Austausch - intercâmbio
ist é, está - tauschen - trocar
unbeschränkt ilimitado anderer/anderes/andere outro/a
- beschränkt - limitado wahrnehmbar perceptível
- beschränken - limitar
s Medium, Medien meio
- e Schranke,n - barreira, limite
r Laut,e som
s Schaffen o criar
e Schrift,en escrita
- schaffen - criar
hören ouvir
interpersonal interpessoal
lesen ler
verfügbar disponível
- verfügen - dispor deshalb por isso
e Bedeutung,en significado e Sprachwissenschaft,en lingüística
- bedeuten - significar - e Wissenschaft,en - ciência
- wissen - saber
durch através de, por meio de,
mediante u. a. = unter anderem entre outras coisas
r Mensch,en o ser humano auch também
dieser/dieses/diese [pronome demonstrativo] empirisch empírico
kennen conhecer
kein/e [elemento de negação]
9

Georg Otte – Alemão Instrumental – Cenex FALE/UFMG


10

3. Grammatik

3.1. Das Verb

A conjugação do verbo alemão não apresenta maiores dificuldades, uma


vez que temos, como em português, sempre um radical e uma desinência de
acordo com a pessoa:

 3

pessoa pronome schaffen (criar) bedeuten (significar)


singular

1ª ich schaff – e bedeut – e


2ª du schaff – st bedeut – est
3ª er, sie, es schaff – t bedeut – et
plural

1ª wir schaff – en bedeut – en


2ª ihr schaff – t bedeut – et
3ª sie schaff – en bedeut – en

Por motivos fonéticos, os verbos cujo radical termina em –d ou em –t


apresentam um – e – adicional, pois, sem ele, a pronúncia da desinência se tornaria
difícil ou até impossível.

> Übung (Exercício) I-01

Em alemão, o verbo de uma oração afirmativa fica sempre em segunda posição


na oração. Diferentemente do português, o verbo mantém essa posição mesmo
quando ocorrem mudanças com os outros elementos. Numa oração com quatro
posições, temos portanto as seguintes opções:

 4

I II III IV
Durch die Sprache schafft der Mensch Bedeutungen.
Der Mensch schafft Bedeutungen durch die Sprache.
Bedeutungen schafft der Mensch durch die Sprache.

Uma frase como *Durch die Sprache[,] der Mensch schafft Bedeutungen, que
imitaria a ordem das palavras em português, não é correta, e nem se torna “mais
aceitável” mediante o acréscimo de uma vírgula.
O fato de o sujeito poder aparecer após o verbo é um tanto inusitado para o
falante do português, acostumado com a seqüência sujeito – verbo – objeto. A

Georg Otte – Alemão Instrumental – Cenex FALE/UFMG


11

posição do sujeito, no entanto, não é totalmente livre, pois ele costuma ficar na
terceira posição, isto é, logo após o verbo.
Como em português, a mudança das posições numa mesma oração não é algo
gratuito, mas é motivada pela estrutura do texto restante ou por questões
pragmáticas, como, por exemplo, a intenção do falante de focalizar um determinado
elemento dentro da oração.

> Übung I-02

3.2. Das Substantiv

Em português, o gênero do substantivo muitas vezes pode ser identificado


através da desinência: o meio, o método, a teoria, a barreira. Em alemão, apenas
parte dos substantivos oferece elementos que permitem a identificação do gênero,
motivo pelo qual é aconselhável decorar o artigo juntamente com o substantivo, que,
aliás, sempre é escrito com maiúscula. Diferentemente das línguas românicas
(português, espanhol etc.), o alemão possui três gêneros:

der Mensch
das Medium
die Sprache

O artigo, entretanto, é apenas uma das classes de palavras que identifica o


gênero. Na verdade, qualquer outra categoria gramatical (pronomes e adjetivos)
pode carregar a marca do gênero (em negrito na tabela abaixo). Mesmo se, no
feminino, a pronúncia do artigo é [di:], consideramos o –e como sua “marca”, uma
vez que ela aparece em todos os exemplos:

 5

NOMINATIVO SINGULAR
-r Wein (vinho) -s Bier (cerveja) -e Musik (música)
der Wein das Bier die Musik
dieser Wein dieses Bier diese Musik
jeder Wein jedes Bier jede Musik
guter Wein gutes Bier gute Musik
ein Wein ein Bier eine Musik

Observe que o artigo indefinido no masculino e no neutro não apresenta a


respectiva desinência, ao contrário do feminino.
Diferentemente do português, o plural do substantivo alemão não diferencia
entre os gêneros, ou seja, o artigo definido die, coincidentemente idêntico ao artigo
feminino, marca o plural de qualquer substantivo. Devido às variações do plural nos
próprios substantivos é recomendável memorizar as respectivas formas do plural

Georg Otte – Alemão Instrumental – Cenex FALE/UFMG


12

também, além do artigo. No nosso “Vokabular”, a marca o plural sempre é


acrescentada ao substantivo depois de uma vírgula. Quando o substantivo, no
singular, possui as vogais a, o ou u, estas costumam receber um trema (ä, ö ou ü)
no plural.

> Übung I-03

Uma das características da língua alemã é a declinação do substantivo, que


ela divide com as línguas clássicas e eslavas. “Declinação” quer dizer que a função
gramatical do substantivo dentro da oração (sujeito, objeto direto, objeto indireto,
atributo) pode ser identificada por meio de uma desinência (terminação). Em
português, essa função é definida pela posição do substantivo na oração ou
mediante o uso de determinadas preposições. Ao contrário das línguas clássicas e
eslavas, a desinência em alemão geralmente não é acrescentada ao próprio
substantivo, mas ao elemento anterior, que pode ser o artigo, um pronome ou um
adjetivo.
Quando há mais que um elemento anterior ao substantivo, como na
combinação de um artigo com um adjetivo ou de um pronome com um adjetivo, é
sempre o primeiro elemento que apresenta a respectiva desinência. Muitas vezes,
as desinências entre esses dois elementos não se repetem.
Assim, o caso chamado de “genetivo” é usado na função gramatical de
atributo, ou seja, quando um substantivo especifica outro substantivo, função esta
que, em português, é desempenhada pela preposição de.
No plural, a desinência do genetivo é –er:

das Schaffen verfügbarer Bedeutungen =


a criação de significados disponíveis
das Schaffen dieser Bedeutungen =
a criação desses significados

A desinência do genetivo varia conforme o gênero e o número


(singular/plural), conforme a seguinte tabela:

 6

singular plural
masculino neutro feminino
NOM der Laut das Medium die Sprache die Menschen
ein Laut ein Medium eine Sprache Menschen
GEN des Lautes des Mediums der Sprache der Menschen
eines Lautes eines Mediuns einer Sprache von Menschen

A rigor, agora já conhecemos outro caso além do genetivo: o nominativo, de


certa maneira, é o caso de partida, em que são dados os substantivos do Vokabular
e de qualquer dicionário. Na oração, seu uso se limita à função do sujeito e à do

Georg Otte – Alemão Instrumental – Cenex FALE/UFMG


13

complemento nominal, como na definição inicial do nosso texto: “Sprache [= sujeito]


ist das unbeschränkte Schaffen [= complemento nominal] ...”
O genetivo tem a particularidade de não apenas apresentar uma desinência
própria no elemento anterior ao substantivo, mas também um –s no próprio
substantivo – pelo menos no masculino (Lautes) e no neutro (Mediums). Não há
regras fixas quando se acrescenta um –es e quando apenas um –s. Há uma
tendência de acrescentar –es em substantivos monossilábicos – que, assim, passa
a ter duas sílabas.
No genetivo, o artigo indefinido não apresenta mais nenhuma
particularidade, pois adota as mesmas desinências como o artigo definido. Como
em português, a forma indefinida no nominativo plural se caracteriza simplesmente
pela falta de artigo. No lugar do genetivo plural entra a preposição von.
A versão abstrata da nossa tabela, que se limita às desinências, é a
seguinte:

singular plural
masculino neutro feminino
NOM -r -s -e -e
GEN -s -s -s -s -r -r

O conhecimento dessa tabela permite acrescentar sempre a desinência


correta a qualquer elemento que anteceda o substantivo. Cabe diferenciar entre o –
e– de ligação e o –e enquanto desinência do feminino singular e do plural. Vejamos
o exemplo do pronome jede/r/s (cada, qualquer), que adota rigorosamente as
desinências da tabela acima:

 7

singular plural
masculino neutro feminino
NOM jeder Laut jedes Medium jede Sprache alle Menschen
GEN jedes Lautes jedes Mediums jeder Sprache aller Menschen

A tabela evidencia que há repetição de desinências nos diversos campos


dela, isto é, a mesma desinência pode servir para marcar casos e números
diferentes. Na tabela acima, o –r é tanto a marca do masculino nominativo quanto do
feminino genetivo (ambos no singular). No exemplo de der Sprache ou jeder
Sprache, só sabemos que não se trata de um nominativo sabendo que Sprache é
feminino. Por isso é fundamental decorar o gênero sempre junto com o substantivo.

> Übung I-04 > Übung I-05 > Übung I-06

> Übung I-07 > Übung I-08

Georg Otte – Alemão Instrumental – Cenex FALE/UFMG


14

3.3. Das Adjektiv

Podemos diferenciar entre o uso do adjetivo

a) como predicado,
b) como atributo e
c) como advérbio.

a) Na função predicativa, o adjetivo fica inalterado:

Das Schaffen der Sprache ist unbeschränkt. –


A criação da linguagem é ilimitada.

b) Na função atributiva, o adjetivo sempre precede o substantivo, apresentando


uma desinência de acordo com as necessidades sintáticas:

Sprache ist das unbeschränkte Schaffen von Bedeutungen. –


A linguagem é a criação ilimitada de significados.
> Übung I-09

c) Quando o adjetivo é usado como advérbio, ele também não apresenta


desinência:

Sprache ist das unbeschränkte Schaffen interpersonal verfügbarer Bedeutungen. –


A linguagem é a criação ilimitada de significados interpessoalmente
disponíveis.

Como já vimos acima, o substantivo alemão muitas vezes não traz sinais que
identificassem seu gênero, sendo que, em português, a própria desinência do substantivo,
na grande maioria dos casos, não deixa dúvidas quanto ao uso do artigo (a menina – o
menino). Cabe ressalvar, no entanto, que, nas duas línguas, muitos substantivos
permitem essa identificação através de seu sufixo. Assim, à desinência –ção em
português (cf. criação) corresponde muitas vezes a desinência –ung em alemão (existe o
substantivo Schaffung, ao lado de Schaffen), que sinaliza que o respectivo substantivo é
feminino.
A diferença gramatical entre as duas línguas, entretanto, se torna mais evidente na
combinação do artigo (ou de um pronome) e do adjetivo. Se, em português, temos muitas
vezes a repetição tripla do mesmo sinal (a menina bonita), em alemão, nenhum sinal se
repete (das schöne Mädchen – o sufixo inalterável marca o diminutivo, que torna qualquer
substantivo neutro, inclusive pessoas de ambos os sexos). Quando a desinência se
repete, trata-se de uma coincidência, e não de uma concordância. Resumindo: em

Georg Otte – Alemão Instrumental – Cenex FALE/UFMG


15

alemão, não existe o princípio da concordância – basta um elemento para sinalizar


gênero, número e caso do substantivo.
A partir daí, é fundamental saber se há apenas um elemento antes do substantivo
(artigo, pronome ou adjetivo) ou dois (artigo + adjetivo ou pronome + adjetivo). A
comparação com qualquer outra categoria gramatical mostra que, no caso de um
elemento, a desinência, em todos os casos, é constantemente a mesma:

 8

NOMINATIVO PLURAL
die Menschen os seres humanos
diese Menschen estes/esses seres humanos
alle Menschen todos os seres humanos
nette Menschen seres humanos simpáticos
(Ø Menschen Ø seres humanos)

Assim que combinarmos a categoria dos artigos e pronomes com a dos adjetivos,
a desinência entre o primeiro e o segundo elemento já não é mais a mesma:

 9

NOMINATIVO PLURAL
die netten Menschen os seres humanos
diese netten Menschen estes/esses seres humanos
alle netten Menschen todos os seres humanos

No singular, o uso de apenas um adjetivo se limita aos substantivos incontáveis,


isto é, àqueles que não costumam ser usados no plural. Para ter um exemplo, podemos
retomar a nossa lista acima:

 10

NOMINATIVO SINGULAR
masculino neutro feminino
-r Wein (vinho) -s Bier (cerveja) -e Musik (música)
der Wein das Bier die Musik
dieser Wein dieses Bier diese Musik
jeder Wein jedes Bier jede Musik
guter Wein gutes Bier gute Musik
einØ Wein einØ Bier eine Musik

Georg Otte – Alemão Instrumental – Cenex FALE/UFMG


16

Como nas formas do plural, no singular também as desinências do primeiro


elemento são rigorosamente iguais de acordo com o gênero do substantivo, não
importa a categoria gramatical (artigo, pronome ou adjetivo). A exceção é o artigo
indefinido no masculino e no neutro, que, no nominativo, não apresenta desinência
nenhuma, sinalizado aqui com um “Ø”. Já no feminino, o artigo indefinido segue
normalmente o esquema da tabela.
Quando combinamos artigos e pronomes com adjetivos, podemos constatar
novamente que não há concordância.

 11

NOMINATIVO SINGULAR
masculino neutro feminino
-r Wein (vinho) -s Bier (cerveja) -e Musik (música)
der gute Wein das gute Bier die gute Musik
dieser gute Wein dieses gute Bier diese gute Musik
jeder gute Wein jedes gute Bier jede gute Musik
einØ guter Wein einØ gutes Bier eine gute Musik

> Übung I-10

> Übung I-11

4. Text

 12
Grau, teurer Freund, ist alle Theorie,
Und grün des Lebens goldner Baum.

(Cinzenta, caro amigo, é toda teoria,


E verde a árvore dourada da vida.)

Goethe/Faust, v. 2038-2039

Georg Otte – Alemão Instrumental – Cenex FALE/UFMG