Você está na página 1de 10

Índice

Introdução..........................................................................................................................2

Objectivos......................................................................................................................2

Objectivo Geral.........................................................................................................2

Objectivos específicos...............................................................................................2

Metodologias.................................................................................................................2

Tipos de conhecimento......................................................................................................3

Conhecimento Popular ou senso comum..........................................................................3

Características................................................................................................................3

Conhecimento Cientifico...................................................................................................4

Caracteristicas do conhecimento cientifico...................................................................5

Conhecimento filosófico...................................................................................................6

Caracteristicas................................................................................................................6

Conhecimento Religioso...................................................................................................7

Características:..............................................................................................................8

Conclusão..........................................................................................................................9

Referencias Bibliograficas...............................................................................................10

1
1. Introdução
Ao logo do presente trabalho irei distinguir os quatro tipos de conhecimento: o
conhecimento popular ou senso comum, o conhecimento religioso, o conhecimento
filosófico e o conhecimento científico. Veremos também que não existe um
conhecimento que seja melhor do que outro; eles são diferentes, com características
próprias e bem específicas. Cada um deles, dentro de seu escopo, possui o mesmo
objetivo: responder às nossas dúvidas atuais e criar novas dúvidas. Apesar do
conhecimento científico ser o mais sistematizado, podemos afirmar com certeza que a
ciência não é o único caminho que leva à verdade.

Segundo sustenta Lakatos e Marconi(2008), “A ciência não é o único caminho de


acesso ao conhecimento e à verdade”.

Objectivos

Objectivo Geral
Abordar sobre os tipos de conhecimentos;

Objectivos específicos
1. Definir conhecimento
2. Mencionar os tipos de conhecimentos
3. Descrever as características e diferenças existentes entre os tipos de
conhecimento.

Metodologias
Para a efectivação do presente trabalho, baseei-me no uso de uma metodologia de
consulta bibliográfica, em diversas obras acessíveis, a partir de uma leitura crítica e
exaustiva, em que de uma forma descritiva e interpretativa analisou o tema em
abordagem.

O trabalho, sendo de cunho académico, leva consigo uma estruturação constituída por
elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais. E sendo um trabalho científico e de
mostro-me aberto em casos de duvidas, críticas e sugestões relacionadas ao mesmo.

2
2. Tipos de conhecimento
Variados autores apresentam o que entendem por conhecimento através de conceitos
que são permanentemente ampliados, uma vez que suas idéias não são definitivas.

Independentemente das distintas ideias existentes para explicar o processo do


conhecimento, faremos referência a dois tipos especiais que são: o conhecimento
ordinário ou vulgar (senso comum) e o conhecimento científico.

Segundo o Dicionário Aurélio, podemos encontrar conceitos fundamentais, como: um


saber que se adquire pela leitura e meditação; instrução, erudição, sabedoria.

3. Conhecimento Popular ou senso comum


Segundo Galliano (1986), o conhecimento vulgar (senso comum) também denominado
“empírico” é o que todas as pessoas adquirem na vida cotidiana, ao acaso, baseado
apenas na experiência vivida ou transmitida por alguém. Em geral resulta de repetidas
experiências casuais de erro e acerto, sem observação metódica ou verificação
sistemática, e por isso, carece de caráter científico.

Podemos dizer tambem que é um modo corrente e espontâneo de conhecer que se


adquire no trato direto com os seres humanos, a natureza, as circunstâncias da vida
cotidiana.

Este conhecimento, pode também resultar de simples transmissão de geração para


geração ou fazer parte das tradições de uma coletividade.

Características
Para Lakatos e Marconi(2003: 75), este tipo de conhecimento caracteriza-se por ser
predominantemente:

 Subjetivo, pois é o próprio sujeito que organiza suas experiências e


conhecimentos, tanto os que adquirem por vivência própria quanto os "por ouvi
dizer";
 Sensitivo, ou seja, referentes a vivências, estados de ânimos e emoções da vida
diária;

3
 Superficial, isto é, conforma-se com a aparência, com aquilo que se pode
comprovar simplesmente estando junto das coisas: expressa-se por frases como
"porque o vi", "porque o senti", "porque o disseram", "porque todo mundo o
diz";
 Assistemático, pois esta "organização" das experiências não visa a uma
sistematização das idéias, nem na fonna de adquiri-las nem na tentativa de
validá-las;
 Acrítico, pois, verdadeiros ou não, a pretensão de que esses conhecimentos o
sejam não se manifesta sempre de uma forma crítica.

Contudo, pode-se dizer que o conhecimento vulgar ou popular, latu sensu, é o modo
comum, corrente e espontâneo de conhecer, que se adquire no trato direto com as coisas
e os seres humanos: "é o saber que preenche nossa vida diária e que se possui sem o
haver procurado ou estudado, sem a aplicação de um método e sem se haver refletido
sobre algo.

A grande maioria dos fatos do nosso cotidiano atual, tiveram origem no senso comum, e
muitas vezes, por mero acaso.

A época certa de se semear e colher determinados tipos de cereais é também um


exemplo de conhecimento muito antigo, que foi passado de geração em geração. Muitos
camponeses de nossos dias, mesmo iletrados e desprovidos de outros conhecimentos,
sabem o momento certo da semeadura, a época da colheita, a necessidade da utilização
de adubos e os tipos de solos adequados para diferentes culturas.

O conhecimento matemático, astronômico e médico dos antigos egípcios era notável, e


naquela época não havia ainda uma ciência formalizada.

4. Conhecimento Cientifico
Ao contrário do conhecimento do senso comum, o conhecimento científico é uma
aquisição intencional, consciente e sistemática; é um processo que chegou ao máximo
de seu desenvolvimento com a aplicação do método científico.

De acordo com Galliano (1986:9), o conhecimento científico resulta de investigação


metódica e sistemática da realidade. Ele transcende os fatos e os fenômenos em si
mesmos, analisa-os para descobrir suas causas e concluir as leis gerais que os regem.

4
Para Lakatos e Marconi(2003: 80), o conhecimento científico é real (factual) porque
lida com ocorrências ou fatos, isto é, com toda "forma de existência que se manifesta de
algum modo"

Caracteristicas do conhecimento cientifico


Marconi e Lakatos (2008) nos ensinam que o conhecimento científico é basicamente
factual (baseado em fatos), mas também pode ser racional e formalizado (caso da
Lógica e da Matemática).

Considera-se como “real” porque lida com ocorrências, fatos, fenômenos concretos e
observáveis. Necessita de uma teoria para tornar-se legítimo, de hipóteses para serem
testadas e de um método para conduzir a investigação

De acordo com Júnior (1989),

o conhecimento científico começa a partir do momento em que as explicações saem do


campo da opinião (eu acho que) e entram no mundo do método da ciência (eu sei que).
O senso comum é um conjunto de informações não sistematizadas, fragmentadas. A
partir do momento em que essas informações começam a ser justificadas por meio de
argumentos aceitáveis, o senso comum começa a evoluir em direção à ciência. Em
outras palavras, o senso comum trabalha com o juízo de valor, com o subjetivo. Assim,
não há como determinar se uma opinião é boa ou má, verdadeira ou falsa.

O mesmo autor nos ensina que o conhecimento científico tem início em problemas que
visam solucionar questões práticas ou explicar irregularidades em padrões da natureza.
Esses problemas criam teorias que devem ser validadas por um programa investigativo
de pesquisa.(ibid)

Assim, a ciência pode ser definida como um conjunto de proposições coerentes,


objetivas e desprovidas (até certo ponto) de valorações (Jùnior, 1989).

De uma maneira resumida segundo Lakatos e Marconi(2003), as caracteristicas deste


tipo de conhecimento são:

a) Objetivo, porque descreve a realidade independente dos caprichos do


pesquisador;
b) Racional, porque se vale, sobretudo, da razão e não da sensação ou impressões,
para chegar a seus resultados;
c) Sistemático, porque se preocupa em construir sistemas de idéias organizadas
racionalmente e em incluir os conhecimentos parciais em totalidades cada vez
mais amplas;
5
d) Geral, porque seu interesse se dirige fundamentalmente à elaboração de leis e
normas gerais, que explicam todos os fenômenos de certo tipo;
e) Verificável, porque sempre possibilita demonstrar a veracidade das
informações; e
f) Falível, porque ao contrário de outros sistemas de conhecimento elaborados pelo
homem, reconhece sua própria capacidade de errar.
g) Transcendente aos fatos analítico, claro e preciso, comunicável, metódico,
acumulativo, geral, explicativo, aberto, útil.

5. Conhecimento filosófico
Emerge da experiência e não da experimentação. Constitui-se de hipóteses que não
podem ser submetidas à observação experimentação.(S/A)

Para Lakatos e Marconi(2003), as hipóteses filosóficas baseiamse na experiência,


portanto, este conhecimento emerge da experiência e não da experimentação por este
motivo, o conhecimento fIlosófico é não verificável, já que os enunciados das hipóteses
fIlosóficas, ao contrário do que ocorre no campo da ciência, não podem ser confirmados
nem refutados.

Caracteristicas
Em concordancia com Lakatos e Marconi(2003), temos as seguintes caracteristicas do
conhecimento filosofico:

 É racional, em virtude de consistir num conjunto de enunciados logicamente


correlacionados.(ibid, p.78)
 Sistematíco, pois suas hipóteses e enunciados visam a uma representação
coerente da realidade estudada, numa tentativa de apreendê-Ia em sua totalidade.
(ibid, p.78)
 Infalível e exato, já que, quer na busca da realidade capaz de abranger todas as
outras, quer na defmição do instrumento capaz de apreender a realidade, seus
postulados, assim como suas hipóteses, não são submetidos ao decisivo teste da
observação (experimentação). (ibid, p.78)

6
Portanto, o conhecimento filosófico é caracterizado pelo esforço da razão pura para
questionar os problemas humanos e poder discernir entre o certo e o errado, unicamente
recorrendo às luzes da própria razão humana.

Ruiz( 1979:110), citado em Lakatos e Marconi(2003, 78), enuncia que:

(...)se o conhecimento científico abrange fatos concretos, positivos, e fenômenos


perceptíveis pelos sentidos, através do emprego de instrumentos, técnicas e recursos de
observação, o objeto de análise da filosofia são idéias, relações conceptuais, exigências
lógicas que não são redutíveis a realidades materiais e, por essa razão, não são passíveis
de observação sensorial direta ou indireta (por instrumentos), como a que é exigida pela
ciência experimental.

O método por excelência da ciência é o experimental: ela caminha apoiada nos fatos
reais e concretos, afirmando somente aquilo que é autorizado pela experimentação. Ao
contrário, a fIlosofia emprega "o método racional, no qual prevalece o processo
dedutivo, que antecede a experiência, e não exige confrrmação experimental, mas
somente coerência lógica"(...)

6. Conhecimento Religioso
É teológico, místico e espiritual. Apóia-se em doutrinas que contém proposições
sagradas, reveladas pelo sobrenatural.

O conhecimento religioso, isto é, teológico, apóia-se em doutrinas que contêm


proposições sagradas (valorativas), por terem sido reveladas pelo sobrenatural
(inspiracional) e, por esse motivo, tais verdades são consideradas infalíveis e
indiscutíveis (exatas); é um conhecimento sistemático do mundo (origem, significado,
fmalidade e destino) como obra de um criador divino; suas evidências não são
verificadas: está sempre implícita uma atitude de fé perante um conhecimento revelado.
(Lakatos e Marconi, 2003)

Assim, o conhecimento religioso ou teológico parte do princípio de que as "verdades"


tratadas são infalíveis e indiscutíveis, por consistirem em "revelações" da divindade
(sobrenatural).(ibid)

A adesão das pessoas passa a ser um ato de fé, pois a visão sistemática do mundo é
interpretada como decorrente do ato de um criador divino, cujas evidências não são
postas em dúvida nem sequer verificáveis.

7
Lakatos e Marconi(2003), argumentam que:

A postura dos teólogos e cientistas diante da teoria da evolução das espécies,


particularmente do Homem, demonstra as abordagens diversas: de um lado, as posições
dos teólogos fundamentam-se nos ensinamentos de textos sagrados; de outro, os
dentistas buscam, em suas pesquisas, fatos concretos capazes de comprovar (ou refutar)
suas hipóteses.

Na realidade, vai-se mais longe. Se o fundamento do conhecimento científico consiste


na evidência dos fatos observados e experimentalmente controlados, e o do
conhecimento fIlosófico e de seus enunciados, na evidência lógica, fazendo com que em
ambos os modos de conhecer deve a evidência resultar da pesquisa dos fatos ou da
análise dos conteúdos dos enunciados, no caso do conhecimento teológico o fiel não se
detém nelas à procura de evidência, pois a toma da causa primeira, ou seja, da revelação
divina.

O conhecimento religioso talvez seja tão antigo quanto o conhecimento popular. Faz
parte da característica humana buscar explicações para suas dúvidas. Por exemplo, ter a
noção de que a fumaça indica a presença de fogo na mata admite uma explicação
natural. Em outras palavras, se existe fumaça, com certeza há algo queimando.

Entretanto, pode ter havido muitos casos em que o homem antigo deve ter se
perguntado sobre o porquê de determinado fenômeno (por exemplo, o que é, e porque
ocorre um eclipse lunar) e não tenha conseguido uma explicação natural. Assim, surgia
então uma explicação sobrenatural, um mito, que teria a função de tranqüilizar o
homem, porque esse mito forneceria a explicação necessária para a sua dúvida.

Características:
Em suma podemos resumir nas seguintes caracteristicas:

 Valorativo
 Inspiracional
 Sistemático
 Não verificável
 Infalível
 Exato

8
7. Conclusão
Findo trabalho. Devido o dinamismo das ciências sócias, fica impossível chegar a uma
conclusão especifica, dada a natureza do mesmo. Mas depois da elaboração do presente
trabalho, cheguei a conclusão que: o conhecimento Popular é um modo corrente e
espontâneo de conhecer que se adquire no trato direto com os seres humanos, a
natureza, as circunstâncias da vida cotidiana. O conhecimento filosofico constitui-se de
hipóteses que não podem ser submetidas à observação nem a experimentação. O
conhecimento religioso é teológico, místico e espiritual. Enquanto que o conhecimento
cientifico, necessita de uma teoria para tornar-se legítimo, de hipóteses para serem
testadas e de um método para conduzir a investigação.

Restando mais nada dizer sobre o trabalho, resta apenas agradecer ao docente, sobretudo
pelo tema imcubido, visto que aprendi muito em relação ao mesmo.

9
8. Referencias Bibliograficas
Lakatos, E. M. & Marconi, M. A.(2003) Fundamentos de metodologia científica 5. ed.
São Paulo:Atlas.

Galliano, B. A. (1989)problemática do conhecimento. 2. ed. Campinas, SP: Papirus,

10

Você também pode gostar