Você está na página 1de 10

Área de Inovação e Tecnologia - Artigo

Transformadores e Autotransformadores

Eduardo Luiz Rosalem, Marcus Vinicius Fontana

Engenharia de Computação, Engenharia Mecânica

Professor Avaliador Resumo


Clauber Andre Farasso Por meio deste artigo, iremos identificar quais são as
principais vantagens, desvantagens e diferenças na
utilização de equipamentos Transformadores de energia
Palavras-chave: elétrica e Autotransformadores de energia, já que estes são
Transformador, autotransformador, utilizados em grande escala, desde indústrias até
energia, trifásico, monofásico. residências, auxiliando na utilização da energia elétrica.

1 INTRODUÇÃO

Transformadores são aparelhos elétricos responsáveis por efetuar o controle do


valor da tensão alternada, aumentando ou diminuindo a sua intensidade . Como o nome
sugere, é um dispositivo elétrico que transfere energia elétrica de um circuito elétrico
para outro, através de um acoplamento magnético. Os transformadores trabalham
eletricamente com base na indução eletromagnética, suas características são constituídas
por três elementos básicos: Duas bobinas interligadas por meio de um material
ferromagnético condutor (núcleo permeabilidade magnética elevada).
Estes equipamentos são bem simples e fáceis de entender, onde partem do
princípio das leis do eletromagnetismo e indução magnética. Existem diversos tipos de
transformadores, monofásicos, trifásicos, autotransformadores, cada um com diferentes
aplicações que veremos no decorrer do artigo, onde o funcionamento é basicamente o
mesmo, porém com uma pequena diferença em seu interior e nos seus enrolamentos, ou
espiras no seu interior onde forma-se a bobina do mesmo. Deste modo, o objetivo desse
relatório é efetuar um estudo descritivo a respeito do princípio de funcionamento dos
transformadores, abordando desde a sua construção, até os tipos e classificações, com
foco nas aplicações práticas do mesmo. A fim de fundamentar a elaboração deste
relatório, a metodologia empregada foi à revisão bibliográfica, a qual foi realizada
utilizando livros, websites, apostilas virtuais.

2 REFERENCIAL TEÓRICO

2.1 DESCOBERTA DO ELETROMAGNETISMO

A descoberta do eletromagnetismo foi feita pelo físico e químico dinamarquês


Hans Christian Oersted (1777-1851) onde por meio de uma corrente elétrica criava um
campo magnético com auxílio de dois imãs. Na época de Oersted acreditava-se que a
eletricidade não tinha relação alguma com magnetismo. Em 1820 Oersted verificou que
quando colocava um bussola sob um fio onde passava uma corrente elétrica, verificava-
se um desvio na agulha da bussola. Após essa experiência Oersted estabeleceu a relação
entre as propriedades elétricas e magnéticas, conseguindo assim dar origem ao
eletromagnetismo.
Michael Faraday (1791-1867) deu sua grande contribuição ao eletromagnetismo
com a descoberta da indução eletromagnética, sendo fundamental para surgimento dos
motores mecânico de eletricidade e os transformadores. Outros físicos também deram
importantes contribuições ao eletromagnetismo, como físico norte-americano Joseph
Henry (1797-1878) que deu continuidade aos trabalhos de Faraday sobre indução
eletromagnética, Heinrich Lenz (1804-1805), físico russo que também se dedicou a
estudar esse fenômeno e Nicolas Tesla que estudou o campo magnético.
Podemos citar também em especial James Clerk Maxwell (1831-1879), físico
escocês onde publicou uma obra tratando sobre eletricidade e magnetismo
generalizando os princípios da eletricidade descobertos por Coulomb, Ampère e
Faraday. Maxwell descobriu através de equações matemáticas a velocidade da luz com
um percentual muito pequeno de erro para os dados que temos hoje. A descoberta das
ondas eletromagnéticas provou a verificação experimental do acerto da teoria de
Maxwell.

2.2 ELETROMAGNETISMO
Eletromagnetismo é o termo utilizado na teoria de Maxwell para relacionar a
eletricidade com o magnetismo, porém descobriu-se que uma corrente elétrica era capaz
de gerar campos magnéticos que exerciam forças nas partículas de material
ferromagnético. O campo magnético é gerado a partir dos movimentos de cargas
elétricas e o campo elétrico é resultado da variação do fluxo magnético.

2.3 CORRENTE ALTERNADA

Corrente alternada é o tipo de corrente mais utilizada no momento, onde é uma


corrente cujo sentido varia no tempo, sendo o contrário da corrente contínua cujo
sentido permanece ao longo do tempo. A forma de onda usual em um circuito CA é
senoidal por ser a forma de transmissão de energia mais eficiente. Em algumas
aplicações diferentes ondas são utilizadas, como triangular ou ondas quadradas. Em
quanto a fonte da corrente continua é feita pelos polos positivo e negativo, a de corrente
alternada é composta por fases (muitas vezes pelo fio neutro).
Sua geração é realiza utilizando um imã que é movido no interior de uma bobina
chata, que consequentemente gerará corrente, pois a movimentação desse imã não é
uniforme, pois será oscilante, para depois decrescer e crescer na direção oposta, onde N
é o número de voltas da bobina. Podemos verificar a figura 1 abaixo para uma corrente
alternada.

Figura 1 – Onda senoidal de uma Tensão Alternada

Fonte: http://engcomp.com.br/eletronica/eletricidade/corrente-alternada
2.4 TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

Transformadores são equipamentos com uma grande importância no momento


atual para os sistemas de transmissão de energia elétrica, sendo um dispositivo que
permite elevar ou rebaixar os valores de tensão ou corrente em um circuito de Corrente
Alternada. Hoje em dia a grande maioria dos equipamentos eletrônicos emprega
transformadores, seja como elevador ou rebaixadores de tensões. Quando uma bobina é
conectada a uma fonte de CA, surge um campo magnético variável ao seu redor,
aproximando-se uma outra bobina da primeira, o campo magnético variável gerado na
primeira bobina corta as espiras da segunda, como consequência da variação de campo
magnético sobre suas espirais surge na segunda bobina uma Tensão induzida. De uma
forma geral os transformadores são constituídos por um enrolamento primário, um
enrolamento secundário e um núcleo ferromagnético. O enrolamento primário é aquele
que recebe a energia elétrica, proveniente de um gerador, de um sistema de transmissão
de energia ou circuito.

Figura 2 - Representação Transformador Elétrico

Fonte: http://margaridacfq.blogspot.com/2011/05/transformadores.html

É importante observarmos que as bobinas primária e secundária são


eletricamente isoladas entre si. A transferência de energia de uma para outra se dá
exclusivamente através das linhas de forças magnéticas. A tensão induzida no primário
de um transformador é proporcional ao número de linhas magnéticas que cortam a
bobina secundária. Por essa razão o primário e o secundário de um transformador são
montados sobre um núcleo de material ferromagnético.
2.5 TIPOS E CLASSIFICAÇÃO DOS TRANSFORMADORES

Conforme citado no início deste artigo, existem alguns modelos de


transformadores, aqui serão abordados três, sendo estes os monofásicos, os trifásicos e
os autotransformadores, bem como os seus tipos sendo os transformadores elevadores,
rebaixadores e isoladores. Daremos sequência explicando a funcionalidade de cada um
deles e funcionamento dos mesmos.

2.5.1 TRANSFORMADORES MONOFÁSICOS

Transformadores monofásicos operam em duas fazes, e são montados com uma


bobina primária responsável por receber a maior tensão e uma bobina secundária
responsável por receber uma tensão de menor intensidade, sendo as mais conhecidas,
127V e 220V. Com isto temos diversas funcionalidades em redução de tensões, como
um carregador de smartphone, que recebe os 127/220V e libera de 5 a 12 Volts
dependendo do equipamento.

Figura 3 - Representação Transformadores Monofásicos

Fonte: Segundo norma ABNT NBR 5356-9:2016


https://www.ebah.com.br/content/ABAAAe5CcAG/transformadores-monofasicos

2.5.2 TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS


Os transformadores trifásicos possuem três fases e são montados com três
bobinas primárias que recebem a maior tensão, e as fases encontram-se em defasagem
uma da outra, e também possuem três bobinas secundárias, que fornecem cada uma
isoladamente 127V, ligadas entre si fornecem uma tensão de 220V, sendo que estas
fases também se encontram em defasagem uma da outra.
Os TRAFOS trifásicos possuem em seu interior três bobinas com espiras de
cobre, logo podem ser acionados de maneiras diferentes. Por exemplo, quando se faz a
ligação dos enrolamentos primários em forma de triângulo e os secundários no formato
de estrela, conseguimos um grupo em que o primeiro irá receber uma corrente trifásica e
o secundário ficará com três fases e o neutro, que neste caso será o centro da estrela.
Com isso, podemos ter diversas formas de tensões, que podem ser classificadas
em simples ou compostas. Se formos falar da distribuição da energia elétrica,
conseguimos ver 400 Volts entre fases em três situações. Em relação a 230 Volts,
temos em qualquer uma das fases, inclusive no neutro. Eles são, em geral, utilizados em
locais de altas potências, como cabines primárias e postes de distribuição. As conexões
em transformadores trifásicos podem ser ilustradas conforme figura 4 abaixo.

Figura 4 - Representação coneções Transformadores Trifásicos.

Fonte: Joaquim Eloir Rocha, [200].


http://pessoal.utfpr.edu.br/joaquimrocha/

2.5.3 AUTOTRANSFORMADORES

A verdade é que, apesar do nome parecido, os autotransformadores são o


completo oposto dos transformadores, que já conhecemos bem. A explicação vai
parecer um pouco confusa no começo, mas pode ter certeza que você vai entender
melhor. O auto trafo é um equipamento que é sim semelhante a um transformador e
possui a mesma finalidade do mesmo. Porém, diferente do irmão mais conhecido,
o autotransformador possui apenas um único enrolamento. Enquanto no transformador
existem somente uma saída e uma entrada, no auto trafo é possível ter algumas tensões
diferentes na saída.

2.5.4 ELEVADORES, REBAIXADORES E ISOLADORES

Os TRAFOS possuem três funcionalidades, cada qual para um fim de utilização


correto e necessário, os nomes de suas funções são bem objetivos como podemos
analisar. Quando um transformador é chamado de elevador, significa que o mesmo
consegue elevar a carga elétrica recebida da concessionária, por exemplo, a chegada da
energia é 127V, utilizamos um TRAFO elevador para que possamos suprir demanda em
220/230V.
Por sua ver os rebaixadores fazem o esquema inverso dos elevadores, recebendo
uma carga maior, como 220/230V e distribuindo em 127V. O modelo mais comum e
conhecido de transformador pode ser o carregador de algum aparelho eletrônico, como
celular ou notebook, que recebe uma tensão alta e distribui uma pequena parte da
mesma, no caso de celular aproximadamente 5V.
Por último temos os isoladores, que são utilizados para nos proporcionar maior
segurança na rede elétrica, para assegurarmos que caso haja algum problema elétrico
pare nele, como antigamente era utilizado estabilizadores para ligar PC’s.

2.5.5 INTERIOR DE UM TRANSFORMADOR

Partindo do modelo mais simples, utilizado em residências para transformar


energia elétrica recebida em 127V para 220V até os equipamentos de alta tensão, que
transformam a energia pura vinda da rede da concessionária até a sua residência. Abaixo
na figura 5, temos o interior de um transformador doméstico, aonde a entrada recebe
uma corrente X e libera na saída uma corrente Y, basicamente seu corpo é feito por um
núcleo de ferro e duas bobinas de cobre coberto por verniz, onde dependendo da
quantidade de espiras (voltas do cobre) na entrada ou saída, será gerado um certo valor
de tensão.
Figura 5 - Interior autotransformador doméstico

Fonte: CINC SINCE 1974.

Figura 6 - Interior de um transformador monofásico utilizado em postes

Fonte: MVA TRANSFORMADORES, 2019.

3. METODOLOGIA

O presente estudo foi conduzido durante todo primeiro semestre do ano de 2019.
Para uma melhor condução foi realizada pesquisa bibliográfica em sites especializados,
bem como o Google Acadêmico (https://scholar.google.com.br/), catalogando artigos
científicos relacionado ao tema para que através destes recursos conseguíssemos
explicar o que são Transformadores e Autotransformadores Elétricos, os modelos
existentes, como são feitas suas preparações e montagens, os componentes(peças) que
compõem estes transformadores, suas aplicações nas mais diversas áreas nos dias atuais,
bem como o funcionamento dos modelos mais utilizados e conhecidos.

4. ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS

Para que eles servem?

Com certeza você já se deparou com a seguinte situação: você comprou um


aparelho 110V para a sua casa e quando foi ligá-lo percebeu que a sua tomada era
220V, ou vice-versa. E ao contrário do que muita gente pensa, esse problema pode ser
sim resolvido de certa forma facilmente sem que você precise devolver o aparelho ou
deixar de utilizá-lo. E é aí que entra o Auto trafo como ele é um aparelho que
transforma a corrente elétrica, ele serve para suprir a necessidade de um equipamento ou
rede elétrica. Ou seja, tendo um autotransformador você pode ligar o aparelho 220V na
tomada que é 110V ou ligar o aparelho 110V na tomada que é 220V. Ou seja, ele torna
possível que você utilize algum aparelho eletrônico por não ter alguma tomada na sua
casa com a mesma voltagem do aparelho. Afinal de contas, quem nunca se deparou com
alguma ótima promoção de um aparelho cuja voltagem não era a mesma da sua casa? E
a maior vantagem de ter um autografo é que eles funcionam apenas com uma tomada,
ou seja, não requerem instalação e podem ser trocados de lugar dependendo da sua
necessidade.

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Com base no estudo realizado acima, conseguimos validar que os trafos são
necessários para que possamos utilizar aparelhos de diferentes tensões em quaisquer
redes elétricas, por tanto precisamos analisar o tipo de Trafo a ser utilizado e em qual
tensão será ligado, se será um rebaixadores, elevador ou isolador.
Para que não tenhamos estes problemas com pesquisa de modelo e tipo a ser
utilizado é sugerido usar o autógrafo, que permite ser ligado em qualquer tensão
ajustando a sua necessidade, tanto de 220V para 110V quanto de 110V para 220V.
REFERÊNCIAS

Engenha. Disponível em :
<http://engenha.blogspot.com/2011/01/historia-do-transformador.html>,
Acesso em 29 de abril de 2019.

InfoEscola. Disponível em:


<https://www.infoescola.com/eletricidade/transformadores/>
Acesso em 29 de abril de 2019.

Etna Transformadores. Disponível em:


<https://etnatransformadores.com.br/transformador-monofasico/>
Acesso em 29 de abril de 2019.

Corrente Alternada:
<http://engcomp.com.br/eletronica/eletricidade/corrente-alternada>
Acesso em 15 de Maio de 2019.

Transformador Elétrico:
<http://margaridacfq.blogspot.com/2011/05/transformadores.html>
Acesso em 10 de Junho de 2019.

Transformadores Monofásicos:
<https://www.ebah.com.br/content/ABAAAe5CcAG/transformadores-monofasicos>
Aceso em 22 de Junho de 2019.

Transformadores Trifásicos:
UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná:
<http://pessoal.utfpr.edu.br/joaquimrocha/>
Acesso em 23 de Junho de 2019.

MVA transformadores:
<http://www.mvatransformadores.com.br/transformador-trifasico-monofasico>
Acesso em 25 de Junho de 2019.

CIC SINCE 1974:


<http://www.cic-ltd.com.tw/pt/product/CIC-PT_S-N_Series.html>
Acesso em 26 de Junho de 2019.

Você também pode gostar