Você está na página 1de 5

Aspeto verbal

   
O aspeto verbal é a categoria gramatical que indica o modo como o locutor perspetiva o
desenrolar de uma determinada situação presente num enunciado, exprimindo a sua
estrutura temporal interna.

Atentemos nos enunciados seguintes:


 Já li o Frei Luís de Sousa.
 Ando a ler o Frei Luís de Sousa.
 Acabei de ler o  Frei Luís de Sousa.
 Estou a acabar de ler o Frei Luís de Sousa.
Todas as frases enunciam a mesma ação (ler a peça Frei Luís de Sousa), mas cada uma
delas transmite uma noção diferente do desenrolar dessa ação: nos enunciados 1 e 3, está já
terminada; no enunciado 4, está a terminar; no 2, está a decorrer.

O valor aspetual de um enunciado pode ser construído através do significado de uma


palavra ou de um conjunto de palavras - aspeto lexical
ou através da combinação do aspeto lexical com vários elementos linguísticos (valor dos
tempos verbais, verbos auxiliares, modificadores, etc.) - aspeto gramatical

I. Aspeto lexical

É expresso pelo significado de uma palavra ou conjunto de palavras, independentemente de


outros elementos que a acompanhem (modificadores, quantificadores, verbos auxiliares).
Por exemplo, os verbos conversar, correr, discursar, estudar ou jogar exprimem, pelo seu
significado intrínseco, um valor aspetual durativo (não se pode "conversar", "jogar" ou
"estudar" apenas num instante, apenas pontualmente).
Dentre o aspeto lexical, podemos distinguir os eventos e as situações estativas.
Eventos

Os eventos exprimem ações, factos ou processos dinâmicos em que ocorre a passagem de


um estado para outro estado - sendo este novo estado localizado num tempo imediatamente
posterior ao evento.

Eventos não durativos: são os que expressam situações pontuais (são expressos por verbos
como chocar, comprar, chegar, encontrar, entrar, estatelar-se, nascer, morrer, sair, ruir,
etc.). Não são compatíveis com adverbiais temporais do género «durante x tempo» ou «em
x tempo» (* O Eusébio desmaiou durante duas horas.).
               * O Eusébio desmaiou.
               * O teu filho nasceu às seis horas.

Eventos durativos: são aqueles a que se associa duração prolongada no tempo («durante x


tempo» ou «em x tempo»).
               * O Carlos Lopes correu durante duas horas e dez minutos.
               * O Presidente da República falou durante meia hora.
               * A minha mãe fez as compras da semana.

Atividades: são as situações dinâmicas não delimitadas temporalmente, isto é, de que se


não indica o princípio nem o fim.
               * O Pedro tem comido bem.
               * Os meus tios corriam todas as semanas.
Situações estativas

As situações estativas exprimem situações não dinâmicas bem delimitadas temporalmente,


não levando a uma mudança de estado.
     As situações estativas podem exprimir:
          . Propriedades: A Lua é um satélite da Terra.
          . Sentimentos: O Jorge está feliz.
          . Competências adquiridas: Já sei falar inglês.
          . Relações de localização: Ele mora em faro.
     Exemplificam situações estativas os seguintes exemplos:
          * Há gente em tua casa.
          * Eu gosto da tua namorada.
          * Aquele terreno pertence-me.
          * O árbitro viu a falta.
          * A sala de aula está cheia.

Existem dois testes para distinguir os eventos das situações estativas:


          (1) Teste do progressivo (estar a + infinitivo);
          (2) Teste do imperativo.

Os eventos são compatíveis com ambos os testes, enquanto as situações estativas


tipicamente produzem frases agramaticais com os dois.
          a) O Ricardo comeu uma laranja.
          b) O Ricardo é baixo.
          (1) Teste do progressivo: O Ricardo está a comer uma laranja.
                                                 * O Ricardo está a ser baixo.
          (2) Teste do imperativo: Ricardo, come uma laranja.
                                               Ricardo, sê baixo!
     Assim, pode concluir-se que a) representa um evento e b) uma situação estativa.
II. Aspeto gramatical

O aspeto gramatical traduz uma forma de perspetivar uma dada situação a partir de
elementos linguísticos contidos na frase, como os tempos verbais, advérbios e locuções
adverbiais temporais, ou verbos de operação aspetual, verbos auxiliares, modificadores
(começar a, deixar de, etc.).

Valor perfetivo: apresenta a situação expressa pelo enunciado com concluída, como um


todo completo (o tempo verbal habitual é o pretérito perfeito do indicativo).
          * Esta turma fez teste na semana passada.
          * O Miguel acabou de fugir da cadeia.

Valor imperfetivo: apresenta a situação expressa pelo enunciado como ainda em curso e


não concluída (o tempo verbal habitual é o pretérito imperfeito do indicativo).
          * O Ricardo pintava uma aguarela.
          * Ando a ler a última obra de José Saramago.
          * Vou comer.

Situação genérica: a situação expressa pelo enunciado remete para conteúdos aceites como
universais e atemporais (as formas verbais associadas a este valor aspetual são o presente
do indicativo e o infinitivo impessoal).
          * Penso, logo existo.
          * O cão é o melhor amigo do homem.
          * Um ano tem doze meses.
          * Quem canta seus males espanta.
          * O Guadiana faz fronteira entre Portugal e Espanha.
Situação habitual: a situação é apresentada como sendo recorrente (isto é, uma situação
que se repete) num período de tempo ilimitado (o presente do indicativo e o pretérito
imperfeito do indicativo são os tempos mais associados a este valor aspetual).
          * Almoço em casa todas as quintas-feiras.
          * A Rita e a Catarina costumam estudar juntas.
          * O Cristiano Ronaldo treina todos os sábados.

Situação iterativa: o enunciado apresenta situações que se repetem num período de tempo
delimitado ou não (o pretérito perfeito composto é o tempo verbal mais associado ao aspeto
iterativo).
          * No ano passado, ia ao Estádio da Luz todas as semanas.
          * O Jorge espirrou durante toda a manhã.
          * A minha avó tem almoçado fora.