Você está na página 1de 5

Complemento do Nome

1. Definição

Há nomes que não são totalmente autónomos e que necessitam de um constituinte que
complete o seu sentido / significado.
Lê as seguintes frases e repara nas palavras ou expressões sublinhadas.

A visita à minha tia foi traumática.


“Guernica” é uma obra de Picasso.
A observação de “Guernica” foi orientada pelo professor.
A força de “Guernica” é espantosa.
A oferta desse quadro ao museu foi uma bela ideia.

Nota que as palavras ou expressões sublinhadas nas frases completam o sentido


dos nomes que os antecedem. Por isso, desempenham a função sintática de complemento
do nome.

2. Regras

1. O complemento do nome é uma função sintática interna ao grupo nominal (tendo como
núcleo um nome).
. A visita à minha tia foi traumática.

2. O complemento do nome é selecionado por um nome, completando o sentido do mesmo.


Em certos casos, se não estiver presente, ficamos com uma sensação de incompletude:
. A força (de quem ou de quê?) é espantosa.
. “Guernica” é uma obra. (de quem?)

1
3. O complemento do nome pode ser desempenhado por:

. um grupo preposicional (geralmente introduzido pela preposição de, podendo também ser
introduzido por outras preposições):
. “Guernica” é uma obra de Picasso.
. A declaração de que Messi ia ser vendido foi recebida como uma bomba.
. A visita ao orfanato ocorrerá na quinta-feira.

. um grupo adjetival (sendo os adjetivos derivados de nomes e os nomes que os selecionam
derivados de verbos):
. A participação no funeral foi fraca.
. A entrega dos diplomas decorreu no sábado.
. Os filhos de Mário Soares comoveram-se na cerimónia.

4. Um nome pode selecionar mais do que um complemento.


. A oferta desse quadro ao museu foi uma bela ideia.

3. Colocação: o complemento do nome surge sempre à direita do nome.

4. Nomes que selecionam complemento do nome

. nomes que representam situações (derivados de verbos - nomes deverbais) (desejo,


procura, construção, substituição, invasão, compra, descida, entrada, descoberta, ida, visita,
viagem, oferta…):
. O desejo de sucesso aumentou nos últimos anos.
. A construção da casa prolongou-se no tempo.
. A visita ao museu correu bem.
. A observação da pintura é difícil daquele ângulo.
. A oferta do quadro ao museu foi bem recebida.

2
. A declaração de que Messi ia ser vendido foi recebida como uma bomba.

. nomes relacionais, de parentesco (pai, mãe, tio, filho…):


. O pai da Joaquina chamava-se Miguel.
. O filho do meu vizinho emigrou.

. nomes epistémicos, i.e., relativos ao conhecimento, que indicam conceitos, ideias


(hipótese, ideia, necessidade, possibilidade, beleza…):
. A ideia de fugir desagrada-me.
. A beleza do quadro é indesmentível.
. A hipótese de faltar às aulas seduz os alunos.
. O facto de comer piza não significa que goste do prato.

. nomes icónicos (que denotam representações visuais / gráficas – fotografia, imagem,


retrato…):
. A fotografia da Micaela é horrível.

. nomes que designam cargos sociais ou profissionais:


. O diretor da escola chama-se José Estaline.
. O ministro da Educação não usa cuecas.
. O porteiro da escola foi ao médico.

. nomes que denotam relações de parte-todo (indicam posse):


. O cabelo do Cristiano Ronaldo parece um piaçaba. (parte-todo)
. A perna da cadeira está cheia de caruncho.
. O norte do país está sob aviso amarelo.
. O bico do lápis partiu-se.
. O último capítulo de ‘Os Maias’ foi comovente.

. nomes que denotam relações institucionais ou sociais entre pessoas:

3
. O amigo de Sherlock Holmes é o doutor Watson.
. O professor de mandarim chama-se Ming.
. O sócio de Luís Filipe Vieira fugiu para Marte.

. nomes que descrevem estados psicológicos de alguém (sensações, emoções), que


designam impressões sensoriais:
. Aquele rebuçado tem sabor a morango.
. O som dos A-ha é celestial.
. O cheiro a cocó empesta a sala.
. A alegria dos alunos foi de curta duração.
. O medo do Pedro é incurável.
. O desejo do Custódio é irrealizável.
. A angústia dos pais era comovente.

. nomes que designam autoria ou tema/assunto:


. O retrato de Pessoa foi roubado por Sheldon Cooper.
. A estátua de Camões está cheia de verdete.
. O quadro de Munch é o mais valioso da exposição.
. A última sinfonia de Beethoven foi a nona.
. A obra de Eça de Queirós é riquíssima.
. A obra de Miguel Torga deveria merecer mais consideração.
. “O nome da Rosa” é um filme de Jean-Jacques Annaud.
. A Ilíada é uma obra de Homero sobre o amor, a pátria e a lealdade.

. nomes que denotam locais seguidos de topónimos:


. A vila do Sátão é extremamente bela.
. O arquipélago dos Açores situa-se no oceano Atlântico.

. nomes que designam propriedades de pessoas ou coisas:


. A altura da Torre Eiffel provoca-me tonturas.
. Algum de vocês sabe a idade de Ricardo Araújo Pereira?

4
. O conteúdo de Crime e Castigo é perturbante.
. O preço do petróleo voltou a aumentar.
. O peso da Joaquina rebentou a escala.

. nomes através dos quais se exprimem sentimentos, emoções ou atitudes dirigidas ou em


honra de alguém ou de algo, ou que exigem a referência a um destinatário ou a
um objetivo:
. A ideia de mudança perturba as pessoas autistas.
. O meu filho tem muito orgulho no seu pai.
. Qualquer pessoa tem ódio ao racismo.
. Todas as pessoas têm medo de falhar.

5. Representação

5.1. Complemento do nome com a forma de grupo adjetival


O complemento do nome que assume a forma de grupo adjetival surge à direita do nome e
forma com este uma unidade de sentido, isto é, se o adjetivo for retirado, o sentido do nome
altera-se:
. A previsão meteorológica (= da meteorologia) propicia os incêndios.
. A procura turística (= dos turistas) tem diminuído em Portugal.

5.2. Complemento do nome com a forma de grupo preposicional não oracional:


. Tenho pena da tua família.

5.3. Complemento do nome com a forma de grupo preposicional oracional:


. O desejo de vencer o Porto deve animar os futebolistas.