Você está na página 1de 2

Resumo: Teoria Burocrática (Weber)

Aluno: Felipe dos Santos Azevedo


CPD: 76097
Max Weber (1864 - 1920) foi o criador do estudo sistemático sobre a burocracia.
Suas observações sobre o desenvolvimento da burocracia e da formação das condições que
contribuíram para o mesmo, como a economia monetária, o aparecimento do sistema capitalista,
a revolução industrial e a ética protestante, são referências do tema.

A Teoria da burocracia de Weber fala sobre os 3 princípios de legitimação que nos


permitem distinguir os diferentes tipos de dominação:

1. Dominação carismática: justificada pelas características do líder e aceita pelos


súditos em função da sua fé, o que, em caso do surgimento de uma organização administrativa,
a deixa instável e indeterminada.

2. Dominação tradicional: legitima o poder do chefe no passado e o seu status


herdado e desperta organizações administrativas do tipo patrimonial e feudal nas quais os
"funcionários" dependem do chefe e estão fortemente ligados a ele.

3. Dominação legal: se baseia na lei como princípio legitimador em função de sua


racionalidade e é independente do líder ou chefe que as faz cumprir.

Segundo a Teoria da burocracia de Weber, a burocracia deve apresentar as seguintes


características ou traços:

Caráter Legal de Normas e Regulamentos: A burocracia é uma organização


composta por uma série de normas e regulamentos, os quais se estabelecem por escrito. Ela se
baseia em uma legislação própria na qual se define e pauta qual será o funcionamento e como
será sistematizada a administração e organização burocráticas.

Hierarquia da Autoridade: As normas legais se estabelecem por sua


racionalidade e o corpo legal está composto por um sistema consistente de regras abstratas
estabelecidas intencionalmente.
A pessoa que desempenha a autoridade ocupa um cargo cujas funções, prerrogativas,
obrigações e direitos estão delimitados e, devido a ele, detém o poder. Já a pessoa que obedece a
autoridade o faz apenas como membro desse grupo e unicamente obedece a "lei" e os preceitos
legais e não as vontades individuais dos chefes.
Máxima Divisão do Trabalho: A organização burocrática se caracteriza por estar
composta por cargos oficiais delimitados por regras que determinam a esfera de competência de
cada um deles de acordo com alguns princípios. Estes são a delimitação das obrigações que
devem ser cumpridas por cada cargo em função da divisão do trabalho, a provisão da autoridade
necessária para o desempenho e o cumprimento dessas organizações e a delimitação das
condições e dos meios coercitivos para o exercício dessa autoridade.
Determinação de Regras: A conduta dos funcionários está regida por um sistema
coerente de regras técnicas e normas de tipo geral e consiste na aplicação dessas regras a cada
passo e situação concreta.
Impessoalidade: Os atos administrativos, as decisões e as regras se formularão e se
registrarão por escrito e o funcionário ideal cumpre sua tarefa com um espírito de formalidade
impessoal. Segundo Weber, desde um ponto de vista técnico, a experiência demonstraria em
uma forma universal que a organização administrativa de tipo burocrático puro é capaz de
proporcionar o mais alto grau de eficácia.
Max Weber formulou um tipo ideal de administração burocrática. Não é um modelo
empírico do funcionamento burocrático nem é resultado de uma média das características de
todas as burocracias existentes.
Trata-se de um tipo puro obtido por abstração dos aspectos burocráticos mais
característicos de todas as organizações conhecidas e cuja nota essencial é a racionalidade e a
eficiência.
Um exemplo dessa teoria são os documentos assinados e emitidos pelo engenheiro
para realizar uma determinada compra ou determinada ação em relação a uma máquina.