Você está na página 1de 6

Escola Municipal Mocambinho

Nome: Nº:

Disciplina: Língua Portuguesa Prof.: Francisco Galeno


Turma: 7º ano ________ Data:_____/06/2020

Atividade sobre substantivo

1. Observe a imagem abaixo e marque a ÚNICA alternativa FALSA.

a) A charge ao lado critica o descaso com a saúde pública do


Brasil.
b) A palavra MEDICAMENTO é um substantivo abstrato.
c) A palavra HOSPITAL é um substantivo concreto.
d) A palavra AR é um substantivo concreto.
e) A palavra MÉDICO é um substantivo concreto.

2. Observe os substantivos em destaque e escreva C para os substantivos concretos e A para os substantivos


abstratos.

( ) Guardar DINHEIRO quando se é jovem é uma


segurança para a velhice. A sequência CORRETA é:
( ) O SEGURANÇA era muito forte e alto.
( ) Sempre que estou em casa, tenho a) CCAAC
SAUDADES da minha escola. b) AACCA
( ) A FELICIDADE é um sentimento que c) ACACA
completa o ser humano. d) AAACC
( ) Dona Felicidade fez o melhor BOLO de e) CCCAA
chocolate que já comi.

3. Marque a alternativa que tenha substantivos, respectivamente, ABSTRATO, CONCRETO e


CONCRETO.

a) fada – fé – menino c) alegria – faca – menino e) menino – frio – pulo


b) fé – fofoca – cruz d) amor – calor – menino

4. CÁFILA, MATILHA, ALCATEIA, MANADA são coletivos, respectivamente de:

a) camelos, cães, lobos e c) moscas, carneiros, lobos e e) Nenhuma das alternativas


cavalos. bois. anteriores.
b) insetos, cabras, lobos e d) gafanhotos, cães, ladrões e
cavalos. bois.

5. Qual palavra abaixo tanto pode se referir a homem quanto à mulher?

1
a) Fã c) Aluna e) Patrão
b) Doutor d) Rainha
6. Qual palavra o plural está errado?

a) Pão = pães c) Mal = males e) Cidadão = cidadões


b) Caracol = caracóis d) Pastel = pastéis

7. Qual o aumentativo da palavra está errado?

a) Copo = copázio c) Voz =vozeirão e) Rapaz = rapagão


b) Nariz = narigão d) Casa = casona

8. Qual palavra abaixo é feminina?

a) Tomate c) Gênio e) Cal


b) Champanhe d) Tipo

9. Qual palavra abaixo indica algo concreto?

a) Mulher c) Dor e) Saudade


b) Fé d) Raiva

10. Qual o coletivo de mosquitos?

a) Manada c) Elenco e) Cardume


b) Nuvem d) Penca

11. Leia a fábula abaixo.

A assembleia dos ratos

Um gato de nome Faro-Fino deu de fazer tal destroço na rataria duma casa velha que os
sobreviventes, sem ânimo de sair das tocas, estavam a ponto de morrer de fome. Tornando-se muito sério o
caso, resolveram reunir-se em assembleia para o estudo da questão. Aguardaram para isso certa noite em que
Faro-Fino andava aos miados pelo telhado, fazendo sonetos à lua.
— Acho – disse um deles - que o meio de nos defendermos de Faro-Fino é lhe atarmos um guizo ao
pescoço. Assim que ele se aproxime, o guizo o denuncia e pomo-nos ao fresco a tempo.
Palmas e bravos saudaram a luminosa ideia. O projeto foi aprovado com delírio. Só votou contra
um rato casmurro, que pediu a palavra e disse:
— Está tudo muito direito. Mas quem vai amarrar o guizo no pescoço de Faro-Fino?
Silêncio geral. Um desculpou-se por não saber dar nó. Outro, porque não era tolo. Todos, porque
não tinham coragem. E a assembleia dissolveu-se no meio de geral consternação. Dizer é fácil - fazer é que
são elas!

LOBATO, Monteiro. In: Livro das Virtudes – William J. Bennett – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1995. p. 308.

 Na assembleia dos ratos, o projeto para atar um guizo ao pescoço do gato foi:

2
a) aprovado com um voto contrário.
b) aprovado pela metade dos participantes.
c) negado por toda a assembleia.
d) negado pela maioria dos presentes.
12. Analise o texto abaixo e marque a alternativa correta.

O Pavão

E considerei a glória de um pavão ostentando o esplendor de suas cores; é um luxo imperial. Mas
andei lendo livros, e descobri que aquelas cores todas não existem na pena do pavão. Não há pigmentos. O
que há são minúsculas bolhas d´água em que a luz se fragmenta, como em um prisma. O pavão é um arco-
íris de plumas.
Eu considerei que este é o luxo do grande artista, atingir o máximo de matizes com o mínimo de
elementos. De água e luz ele faz seu esplendor; seu grande mistério é a simplicidade.
Considerei, por fim, que assim é o amor, oh! minha amada; de tudo que ele suscita e esplende e
estremece e delira em mim existem apenas meus olhos recebendo a luz de teu olhar. Ele me cobre de glórias
e me faz magnífico.

BRAGA, Rubem. Ai de ti, Copacabana. Rio de Janeiro: Record, 1996, p. 120

 No 2º parágrafo do texto, a expressão ATINGIR O MÁXIMO DE MATIZES significa o artista

a) refletir, nas penas do pavão, as cores do arco- c) fazer com que o pavão ostente suas cores.
íris. d) fragmentar a luz nas bolhas d’água.
b) conseguir o maior número de tonalidades.

13. Classifique a palavra livro em seguida marque a alternativa correta abaixo.

a) próprio, concreto, primitivo e simples. c) comum, abstrato, primitivo e simples.


b) comum, abstrato, derivado e composto. d) comum, concreto, primitivo e simples.

14. Assinale a alternativa em que o substantivo em destaque está flexionado no grau aumentativo ou
diminutivo.

a) O médico disse-me que o problema era o d) O ferrão do marimbondo é sua defesa.


coração. e) Muitas cartilhas escolares foram encontradas
b) Atendi o vendedor no portão. no lixo.
c) O riacho é límpido.

15. Assinale a alternativa em que os artigos o/a não indicam gênero.

a) o homem – a mulher c) o médico – a médica e) o monge – a monja


b) o estudante – a estudante d) o moral – a moral

16. Marque a alternativa que apresenta o feminino incorreto.

a) A foliona dançou toda a b) A cristã obedece às leis de c) A heroína recebe os


noite. Deus. aplausos.
d) A condessa visitou o Brasil.
3
e) A cavaleira alimentou seu
animal.

17. Assinale a alternativa em que a palavra tem o gênero indicado incorretamente.

a) a grama (unidade de peso) c) a moral (bons costumes) e) o estepe (pneu


b) o moral (ânimo) d) a rádio (estação emissora) sobressalente)

18. O plural diminutivo de “mulher” e “cão” é:

a) mulherzinhas e cãozinhos. c) mulherezinhas e cãosinhos. e) mulhersinhas e cãesinhos.


b) mulherezinhas e cãezinhos. d) mulheresinhas e cãezinhos.
19. Assinale a alternativa incorreta.

a) “Jacaré” é substantivo epiceno. d) “Criança” é substantivo sobrecomum.


b) “Estudante” é comum de dois gêneros. e) “O cabeça” significa líder.
c) “Cal” é substantivo masculino.

20. Indique a alternativa em que só aparecem substantivos abstratos.

a) saudade, angústia, medo, ausência, fada, c) bondade, amor, vento, esperança, fada,
imagem vingança
b) angústia, estudo, alegria, dia, amor, inimizade d) vingança, saudade, ausência, amor, beleza
e) Deus, amor, flor, lábios, ausência, tristeza, vida

21. Leia o texto abaixo e indique a alternativa que possui apenas substantivos.

Penteado esquisito a) penteado, mamãe


formando um bolo redondo, b) penteado, esquisito
furado no meio, c) furado, redondo
gordo e alto d) bolo, gordo
- Mamãe diz que é coque. e) coque, alto
(Trecho do poema O retrato da bisavó, Elias
José)

22. Dadas palavras abaixo, marque a alternativa que possui um substantivo primitivo seguido de um
derivado incorreto.

a) jardim – jardineiro c) mar – marmota e) jornal – jornaleiro


b) flor – floricultura d) livro – livraria

23. Marque a alternativa em que o diminutivo foi empregado em sentido pejorativo.

a) O livrinho tem histórias infantis. d) O riacho tem peixes coloridos.


b) Aquela gentinha merece ser expulsa. e) A maleta está cheia de notas falsas.
c) Aquele burrico carrega as crianças.

4
24. Apenas em uma das opções abaixo o substantivo se flexiona no plural da mesma forma que a palavra
destacada em: “Haverá telas e BOTÕES do último computador [...]”. Aponte-a.

a) bênção. b) órfão. c) cristão. d) cidadão. e) melão.

25. Leia o texto abaixo:

O dia seguinte

“Se há alguma coisa importante neste mundo, dizia o marido, é uma empregada de confiança. A
mulher concordava, satisfeita: realmente, a empregada deles era de confiança absoluta. Até as compras fazia,
tudo direitinho. Tão de confiança que eles não hesitavam em deixar-lhe a casa, quando viajavam. Uma vez
resolveram passar o fim de semana na praia. Como de costume a empregada ficaria. Nunca saía nos fins de
semana, a moça. Empregada perfeita. Foram. Quando já estavam quase chegando à orla marítima, ele se deu
conta: tinham esquecido a chave da casa da praia. Não havia outro remédio. Tinham de voltar. Voltaram.
Quando abriram a porta do apartamento, quase desmaiaram: o living estava cheio de gente, todo
mundo dançando, no meio de uma algazarra infernal. Quando ele conseguiu se recuperar da estupefação,
procurou a empregada:
- Mas o que é isto, Elcina? Enlouqueceu?
Aí um simpático mulato interveio: que é isto, meu patrão, a moça não enlouqueceu, coisa alguma,
estamos apenas nos divertindo, o senhor não quer dançar também? Isto mesmo, gritava o pessoal, dancem
com a gente.
O marido e a mulher hesitaram um pouco; depois - por que não, afinal a gente tem de experimentar
de tudo na vida, aderiram à festa. Dançaram, beberam, riram. Ao final da noite concordavam com o mulato:
nunca tinham se divertido tanto. No dia seguinte, despediram a empregada.”

SCLIAR, Moacyr. Histórias para (quase) todos os gostos. Porto alegre: L&PM, 1998.

 O fato no texto que dá início ao conflito é:

a) Todos se divertiram muito na festa. d) O casal resolve passar o fim de semana na


b) A empregada era de confiança do casal. praia.
c) O casal esqueceu a chave da casa de praia.

26. Leia a fábula abaixo.

O socorro

Ele foi cavando, cavando, cavando, pois, sua profissão - coveiro - era cavar. Mas, de repente, na
distração do ofício que amava, percebeu que cavara demais. Tentou sair da cova e não conseguiu sair.
Gritou. Ninguém atendeu. Gritou mais forte. Ninguém veio. Enlouqueceu de gritar, cansou de esbravejar,
desistiu com a noite. Sentou-se no fundo da cova, desesperado.
A noite chegou, subiu, fez-se o silêncio das horas tardias. Bateu o frio da madrugada e, na noite
escura, não se ouvia um som humano, embora o cemitério estivesse cheio de pipilos e coaxares naturais dos
matos. Só um pouco depois da meia-noite é que lá vieram uns passos. Deitado no fundo da cova o coveiro
gritou. Os passos se aproximaram.
Uma cabeça ébria lá em cima, perguntou o que havia: O que é que há? O coveiro então gritou
desesperado: “Tire-me daqui, por favor. Estou com um frio terrível!” “Mas coitado!” - condoeu-se o bêbado.

5
“Tem toda razão de estar com frio. Alguém tirou a terra de você, meu pobre mortinho!” E, pegando a pá,
encheu-a de terra e pôs-se a cobri-lo cuidadosamente.

Moral: Nos momentos graves é preciso verificar muito bem para quem se apela.

FERNANDES, Millôr. Fábulas fabulosas. Rio de Janeiro: Nórdica, 1991.

 Qual foi o motivo de o coveiro não conseguiu sair do buraco?

a) Distraiu-se tanto com seu trabalho que cavou demais.


b) Anoiteceu rapidamente e ele sentiu medo de sair dali.
c) Estava com muito frio e precisava de um lugar para dormir.
d) Por mais que gritasse, ninguém atendeu seu pedido.

GABARITO

1B
2A
3C
4A
5A
6E
7D
8E
9A
10 B
11. A
12. D
13. D
14 C
15 D
16 E
17 A
18 B
19 C
20 D
21 A
22 C
23 B
24 E
25 C
26 D