Você está na página 1de 4

História da língua 9.

º ano
O latim era inicialmente falado numa pequena região, o Lácio, cuja capital é Roma;

Depois, com o aumentar do Império Romano, o latim passou a ser falado também pelos povos
conquistados.

Língua do Lácio, região de Roma.

Níveis de Língua:

 Latim literário, usado pelos escritores;


 Latim falado pelas pessoas cultas, da aristocracia;
 Latim vulgar, falado pelos soldados, comerciantes, funcionários, …

Embora a Península Ibérica fosse habitada desde muito antes da ocupação romana,
pouquíssimos traços das línguas faladas por estes povos persistem no português moderno

A língua portuguesa, que tem como origem a modalidade falada do latim, desenvolveu-se na
costa oeste da Península Ibérica (actuais Portugal e região da Galiza).

A partir de 218 a.C., com a invasão romana da península, e até ao século IX, a língua falada na
região é o romance, uma variante do latim que constitui um estágio intermediário entre o
latim vulgar e as línguas latinas modernas (português, castelhano, francês, …)

ROMANIZAÇÃO

Os povos da Península Ibérica, com excepção dos Bascos, adoptam o Latim como língua.

Os cidadãos romanos que se espalhavam pelos territórios conquistados eram sobretudo os


soldados, comerciantes e empregados do Estado, que falavam uma linguagem popular, própria
das classes menos instruídas - o chamado latim vulgar.

É este latim de cunho popular que está na origem de várias línguas, entre elas o português.

Latim vulgaré diferente do Latim literário, usado na literatura, na oratória, dando origem, mais
tarde, ao médio-latim; baixo-latim

latim-bárbaro evoluiu em meios populares e impunha-se na conversação. Está na origem do


PORTUGUÊS

LATIM VULGAR – LATIM LITERÁRIO

Via Popular - Usado pela plebe inculta.

A maioria das palavras entram por esta via. Espontaneamente faladas por toda a gente,
sofreram alterações fonéticas.

Via Erudita - Usado pelos escritores e oradores nos actos solenes.


Por entrarem tardiamente, séc. XV e XVI, com o Renascimento, as palavras não têm uma
transformação tão grande.

O Latim vai sofrendo alterações em contacto com as diferentes línguas já existentes nas várias
províncias de Roma, dando origem às LÍNGUAS ROMÂNICAS ou NOVILATINAS: LÍNGUAS
ROMÂNICAS

Os germanos constituíam a classe guerreira, por isso, a classe subjugada habituou-se a chamar
aos objectos e a tudo que se referia à guerra, coisas às vezes novas para ela, como ouvia
diariamente denominar.

INFLUÊNCIAS GERMÂNICAS - Daí o grande número de termos militares de origem germânica:


guerra, baluarte, brecha, escaramuça, brasão, brandir, dardo, flecha, espora, bridar, galopar…

Árabes iniciam a conquista da Península Ibérica

O árabe é adoptado como língua oficial nas regiões conquistadas, mas a população continua a
falar o romano.

INFLUÊNCIAS ÁRABES

açorda; açúcar; álcool; alecrim; alfaiate; algarismo; alqueire;

Aljezur; almofada; atalaia; arroba;

armazém; azeitona; azenha;

azul; fatia; garrafa; mesquinho;

oxalá; xadrez; xarope; etc.

Estrato, Substrato e Superstrato


SUBSTRATO

Línguas anteriores ao Latim e que o influenciaram

Ex.: Celta

ESTRATO

fusão do Latim Vulgar com os falares dos povos autóctones)

SUPERSTRATO

Línguas posteriores à consolidação do ROMANo e que o influenciam Ex.: Árabe

O galego-português

No século XI, com o início da reconquista cristã da Península Ibérica, o galego-português


consolida-se como língua falada e escrita da Lusitânia. Os árabes são expulsos para o sul da
península, onde surgem os dialectos moçárabes, a partir do contacto do árabe com o latim. Em
galego-português são escritos os primeiros documentos oficiais e textos literários não latinos
da região, como os cancioneiros (colectâneas de poemas medievais):

No século XVI, Portugal conheceu um grande desenvolvimento a vários níveis. Os escritores, os


filósofos, os cientistas necessitavam de novas palavras que designassem aspetos novos da sua
arte, filosofia, ciência e técnica. É então o momento de recorrer ao latim literário. Assim se
explica que algumas palavras embora provindo do mesmo étimo latino, sejam diferentes:
palavras divergentes (palavras diferentes que provêm do mesmo étimo latino). Chão; areia;
cheio; planum; arenam; plenum; plano; pleno; arena; A palavra “chão” levou séculos a
constituir-se. Foi sofrendo sucessivas transformações, na sua utilização pelo povo, até adquirir
esta forma, formou-se por via popular. A palavra “plano” foi forjada num momento: um
escritor decalcou-a do latim e introduziu-a na língua, através da sua escrita – formou-se por via
erudita.

ARCAÍSMOS

Arcaísmo é uma palavra ou uma expressão antiga que já caiu em desuso.

O texto de Gil Vicente, o Auto da Barca do Inferno, é um exemplo de texto com vários
arcaísmos pois já é de uma época muito anterior (século XVI).

Exemplo:

Tua simpreza t’abaste

pera gozar dos prazeres.

simpreza » simplicidade de espírito/inocência

PROCESSOS FONOLÓGICOS

A língua está em constante evolução. As palavras que são utilizadas hoje resultam de
transformações sofridas ao longo dos séculos. Existem três tipos de processos fonológicos que
contribuem para a evolução fonética:

 processos fonológicos de inserção: adição de um fonema (som)


 processos fonológicos de supressão: desaparecimento de um fonema (som)
 processos fonológicos de alteração de segmentos: mudança de posição dos fonemas
(sons) ou sua alteração

Processos fonológicos de inserção

 Prótese: inserção no início da palavra

i » aí

 Epêntese: inserção no meio da palavra

querês » quereis

 Paragoge: inserção no fim da palavra


Jesu » Jesus

Processos fonológicos de supressão

 Aférese: supressão no início da palavra

avantagem » vantagem

 Sincope: supressão no meio da palavra

vinrá » virá

 Apócope: supressão no fim da palavra

mundanal » mundano

Processos fonológicos de alteração de segmentos

 Redução vocálica: enfraquecimento de uma vogal em posição átona

a primeira sílaba da palavra mata enfraquece em matagal

 Assimilação: fonemas contíguos diferentes tornam-se iguais ou semelhantes

pera » para

 Dissimilação: fonemas contíguos iguais tornam-se diferentes

ventezinho » ventozinho

 Metátese: mudança de posição de fonemas dentro de uma palavra

breviairos » breviários