Você está na página 1de 11

CONTRATO DE ARRENDAMENTO

Entre:

CARLA SIMÕES, maior, solteiro, titular do Bilhete de Identidade n.°110102255254I,


residente na Cidade de Tete, Bairro Chingodzi, Quarteirão n.º ….., adiante designada por
“LOCADOR”;

TRANS WORLD sociedade comercial de Direito moçambicano, titular do NUET 400305889,


com Sede na Av. ………………….., n.º ……………, Cidade de Tete , neste acto
representada pelo Sr. Camilo António Abdula Gomes, na qualidade de representante , com
poderes bastantes parao acto, adiante designado por“LOCATÁRIA”;

É celebrado o presente contrato que se regerá pelas cláusulas seguintes:

CLÁUSULA PRIMEIRA
(OBJECTO)
1. Pelo presente Contrato o LOCADOR dá de arrendamento o parque implantado numa
área de ..............00m², no Bairro Chingodzi, Unidade ................., Cidade de Tete, na
parcela de terra descrita na Conservatória do Registo Predial de Tete sob o
número .........................., a folhas ................, do livro ................
2. A totalidade da área da parcela de terra em que o parque está implantado,
correspondente a ............m², fica na posse exclusiva da LOCATÁRIA enquanto o
presente contrato estiver em vigor.
3. O imóvel destina-se exclusivamente ao uso como parque de estacionamento de
viaturas para o exercício das actividades desenvolvidas pela LOCATÁRIA.
4. O parque objecto do presente contrato está disponível para uso que se visa com o
arrendamento, não possui qualquer restrição legal ou administrativa, bem como não
existem quaisquer ónus ou direito de terceiros que possam limitar ou constranger os
direitos de gozo e fruição da LOCATÁRIA ou afectar a validade do Contrato.

1
5. A LOCATÁRIA pode subarrendar, no todo ou em parte,mas só o pode usar para fins
distintos do previsto neste contrato mediante prévio consentimento do LOCADOR.
6. Fazem parte integrante do imóvel a parcela de terra, parque e o muro de vedação.

CLÁUSULA SEGUNDA
(REPRESENTAÇÕES DO LOCADOR)
1. O LOCADOR garante que:
a) É único e legítimo proprietário do imóvel objecto do presente contrato, estando
por isso autorizada por lei a celebrar este Contrato;
b) O imóvel não é objecto de qualquer reclamação ou de alguma acção judicial ou
afim intentada por terceira pessoa;
c) Os documentos de registo do imóvel, que o Locador deverá apresentar, no prazo
de 72 horas a contar da data da celebração deste contrato, são verdadeiros e
autênticos;
d) O imóvel objecto deste contrato está livre de quaisquer ónus, encargos e até à data
da ocupação pela LOCATÁRIA todos os impostos, taxas e outros relacionados
que estão relacionados ao imóvel estão integralmente pagos.
2. A LOCATÁRIA reserva-se ao direito de verificar a autenticidade de todos os
documentos submetidos pelo LOCADOR e outros, e sempre que necessário o
LOCADOR prestará toda a colaboração relativamente à documentação inerente ao
imóvel.
3. A inexactidão de qualquer menção referida nos números anteriores, dá à
LOCATÁRIA o direito de cessar o Contrato, devendo o LOCADOR reembolsar à
LOCATÁRIA os valores das benfeitorias que esta tiver feito no local, bem como
qualquer adiantamento, inclusive da renda, feito pela LOCATÁRIA.

CLÁUSULA TERCEIRA
(DURAÇÃO)
1. O presente Contrato é válido por um período de .................... anos, a partir de .......
de ............... de 2020, sendo automaticamente renovável por períodos iguais e
sucessivos, salvo se a LOCATÁRIA manifestar o interesse de não renovar, devendo
para o efeito notificar por escrito ao LOCADOR dessa oposição á renovação.

2
2. Sem prejuízo do número anterior, a LOCATÁRIA pode terminar o Contrato a
qualquer momento, devendo para o efeito notificar por escrito ao LOCADOR, com
uma antecedência mínima de 120 (cento e vinte) dias.
3. Após o término do Contrato, a Propriedade deve ser devolvida ao LOCADOR nas
mesmas condições em que se encontrava na data da sua entrega à LOCATÁRIA,
exceptuando os desgastes decorrentes do normal uso.

CLÁUSULA QUARTA
(OBRIGAÇÕES DO LOCADOR)
São obrigações do LOCADOR:
a) Entregar o imóvel à LOCATÁRIA em perfeitas condições para a finalidade prevista
no número 2 da Cláusula 1.ª do presente Contrato, desocupado, livre de terceiros e de
quaisquer outras dívidas; e recebe-la da LOCATÁRIA assim que terminar o
Contrato;
b) Garantir o pleno uso e fruição do imóvel e toda a parcela de terra pela LOCATÁRIA
durante o período de vigência do Contrato;
c) Providenciar toda a informação necessária solicitada pela LOCATÁRIA garantindo
que esta passe a ocupar e usufruir do imóvel;
d) Na data da entrega do imóvel a LOCATÀRIA e no término do presente Contrato,
proceder ao inventário integral do estado e funcionamento da canalização, do sistema
eléctrico, dos equipamentos fixos, dos utensílios e bens consumíveis, devendo tal
inventário ser assinado por ambas as Partes;
e) Reparar,às suas expensas, qualquer defeito estrutural que possa existir ou ocorrer no
imóvel, após notificação da LOCATÁRIA, ou quando o LOCADOR tomar
conhecimento dos mesmos; sendo que, para todos efeitos,as estruturas que poderão
ser objecto de intervenção inclui, mas não se limita a paredes, tecto, chão, canalização
e instalação eléctrica;
f) Não perturbar o uso e gozo do imóvel pela LOCATÁRIA durante a vigência do
Contrato;
g) Garantir que os serviços básicos de fornecimento de água e luz estejam em pleno
funcionamento, bem como estejam integralmente pagas todas as contas e taxas
relativas ao imóvel antes da celebração do presente Contrato, devendo entregar à
LOCATÀRIA uma cópia autenticada e selada do contrato dentro de 7 (sete) dias
após a assinatura do Contrato;

3
h) Emitir recibos de quitação em relação a todos os pagamentos feitos pela
LOCATÁRIA e aderir observar todos os termos do presente Contrato.

CLÁUSULA QUINTA
(OBRIGAÇÕES DALOCATÁRIA)
São obrigações da LOCATÁRIA:
a) Efectuar o pagamento de todas inerentes ao imóvel e que, legalmente, caibam a um
arrendatário na vigência do contrato de arrendamento.
b) Manter o imóvel em bom estado de conservação e manutenção, exceptuando os casos
de desgaste decorrentes do normal uso.
c) Efectuar o pagamento regular e pontual da renda;
d) Informar imediatamente o LOCADOR sobre qualquer dano que ocorra no imóvel e
pagar toda e qualquer reparação necessária cujo pagamento seja da sua
responsabilidade;
e) Efectuar a manutenção geral do imóvel e qualquer reparação geral necessária de
tempo em tempo e que não sejam consideradas como reparações estruturais, bem
como a manutenção dos equipamentos incluídos no objecto do presente Contrato;
f) Permitir o LOCADOR a realização de inspecções periódicas ao imóvel mediante
arranjos e comunicações prévias;
g) Obter permissão por escrito do LOCADOR antes de realizar quaisquer renovações ou
alterações no imóvel;
h) Após o término do Contrato, devolver o imóvel ao LOCADOR em bom estado de
conservação, reparação, limpeza, e com o sistema de água, pintura e electricidade em
boas condições de funcionamento, excepto no que respeita aos desgastes resultantes
do usonormal;
i) Cumprir integralmente o presente Contrato.

CLÁUSULA SEXTA
(BENFEITORIAS)
1. A LOCATÁRIA poderá realizar benfeitorias no imóvel e em toda a parcela de terra
desde que apresente, por escrito, o projecto e cotações ao LOCADOR.
2. A LOCATÁRIA poderá, sob suas expensas e mediante autorização prévia do
LOCADOR, dentro de 7 (sete) dias após apresentação do respectivo projecto,
efectuar benfeitorias no imóvel, tais como a abertura de um novo portão de acesso

4
para as oficinas, aumentar o muro de vedação e fazer a pintura, contanto que os custos
das benfeitorias não sejam deduzidos da renda mensal e as benfeitorias permanentes
passem a fazer parte integrante do imóvel.
3. Para a realização de benfeitorias no imóvel que pressuponham a obtenção de licenças
municipais e pagamento de taxas, fica o dever de obter tais licenças e pagar as taxa
onerando a parte que as dever realizar.
4. Todas as benfeitorias não removíveis reverterão sem custos a favor do LOCADOR
no término do Contrato.
5. As benfeitorias removíveis e as que instalar a título não-definitivo, incluindo os
equipamentos e quaisquer outros bens móveis, poderão ser removidas pela Locatária
findo o arrendamento, não podendo o LOCADOR alegar direito á indemnização, à
compensação, à retenção ou qualquer outro tipo de direitos sobre tais bens.

CLÁUSULA SÉTIMA
(RENDA E CONDIÇÕES DE PAGAMENTO)
1. A renda mensal é de ........................MT (........... mil Meticais), incluindo todos os
impostos previstos na Lei a serem deduzidos do valor da renda à taxa aplicável e
encaminhados pelo LOCADOR às autoridades fiscais.
2. Na renovação do contrato por períodos de ............. anos iguais e sucessivos, a renda
mensal poderá ser aumentada até ao limite de 5%, mediante negociações prévias entre
as partes, atendendo-se desde logo o grau de estabilidade do Metical.
3. Após assinatura do presente Contrato, a LOCATÁRIA pagará via cheque ou
transferência bancária o montante ilíquido de .................000,00 MT (..............
Meticais), referentes ao pagamento em adiantamento dos primeiros 3 (três) meses de
renda.
4. As rendas mensais subsequentes, serão pagas com periodicidade mensal, até o último
dia do mês a que disser respeito, por meio de transferência ou depósito bancário para
a conta n.º ..................-MZM, titulado pelo LOCADOR.

CLÁUSULA OITAVA
(CONDIÇÕES DE USO)
1. Durante a vigência do presente contrato a LOCATÁRIA pode ceder a sua posição
contratual ou sublocar o imóvel ou parte, ceder o uso de parte da parcela de terra a

5
qualquer pessoa interessada, desde que informe previamente, por escrito, ao
LOCADOR, o que não implicará qualquer alteração aos termos do presente contrato.
2. A LOCATÁRIA poderá guardar ou armazenar na Propriedade materiais inflamáveis,
tais como combustível, diesel, óleos ou outras substâncias químicas necessárias ao
decurso normal das actividades da LOCATÁRIA, devendo todavia garantir que disso
não decorram acidentes ou quaisquer outro tipo de prejuízos.
3. A LOCATÁRIA será responsável pelos danos e perdas causados ao imóvel, derivado
de negligência ou uso inapropriado do mesmo e dos bens que aí colocar; ou danos
causados ao imóvelou outros bens conexos causados por seus clientes;
4. Sem prejuízo do disposto no n.º 5 abaixo, em caso de ocorrência de qualquer defeito
estrutural que interfira com o pleno gozo do imóvel, imputável o LOCADOR, nos
termos deste contrato, a LOCATÀRIA poderá tomar a iniciativa de o mandar
reparar, sendo os respectivos custos deduzidos nas subsequentes rendas a pagar,
desde que, as despesas incorridas sejam devidamente documentadas e comprovadas
e, se passados 8 (oito) dias sobre a data da notificação a LOCADOR sobre a
ocorrência de tal defeito ou avaria, este não o tiver reparado.
5. Exceptuam-se do número anterior aqueles defeitos ou avarias que, pela sua natureza e
urgência, devam ser imediatamente reparados. Nestes casos, a LOCATÁRIA poderá
tomar a iniciativa de os mandar reparar, informando o LOCADOR o mais rápido
possível, podendo a LOCATÁRIA reaver o valor despendido, nos termos do número
4 da presente cláusula.

CLÁUSULA NONA
(INSPECÇÕES)
A LOCADOR poderá, com antecedência mínima de 5 (cinco) dias úteis, notificar à
LOCATÁRIA para inspeccionar a Propriedade, devendo, entretanto, evitar a perturbação do
uso normal do imóvel, conforme previsto no presente Contrato.

CLÁUSULA DÉCIMA
(INCUMPRIMENTO CONTRATUAL)
Constitui incumprimento Contratual pela LOCATÁRIA:
a) O não pagamento da renda, das multas incorridas e das despesas decorrentes dos
consumos mensais de água e electricidade referentes ao período em que usar o

6
imóvel, caso tal incumprimento não seja remediado, num prazo de 8 (oito) dias,
contados da notificação escrita pelo LOCADOR;
b) a utilização indevida do imóvel, quer pelo desrespeito dos fins de utilização a que se
destina e das condições de uso, quer pelo seu uso defeituoso.

CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA


(DIREITO DE PREFERÊNCIA)
1. Caso o LOCADOR pretenda vender o imóvel objecto do presente contrato, deverá
notificar à LOCATÁRIA sobre tal intenção entregando uma cópia contendo os
termos e condições da compra e venda a terceiros, solicitando a LOCATÁRIA para
exercer o seu direito de preferência na aquisição do imóvel no prazo de 60 dias.
2. Caso a LOCATÁRIA manifeste, dentro do prazo, a sua vontade de exercer o direito
de preferência em termos tais que correspondam ao projecto de venda ao terceiro, o
imóvel será vendido à LOCATÁRIA.
3. Caso o imóvel seja vendida a terceiros, estes devem respeitar os termos e as condições
do presente Contrato.

CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA


(RESCISÃO)
1. Em caso de gravosa violação ou incumprimento das obrigações decorrentes do
presente Contrato por uma das Partes, a outra Parte poderá rescindir o Contrato,
devendo para o efeito notificar à Parte faltosa a intenção de rescisão, por carta com
aviso de recepção ou outro meio de comunicação que deixe prova escrita,com
antecedência mínima de 8 (oito) dias úteis.
2. Durante o período referido no número anterior, a Parte faltosa poderá remediar o
incumprimento, e sendo o incumprimento remediado, à Parte que manifestou o
interesse de rescisão não mais assistirá o direito de rescisão do Contrato.
3. As Partes poderão revogar o Contrato a qualquer momento por mútuo acordo.

CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA


(NOTIFICAÇÕES)
1. Toda e qualquer notificação deverá ser feita por escrito e será considerada válida
quando enviada para os endereços abaixo:

7
Para o LOCADOR:
___________________________________
Att. ............................
Avenida ……., n.º ………
Bairro …….
Cidade de …………….
Telefone: + 258 ……
Email: ………

Para aLOCATÁRIA
_______________________________________
Att. .....................
Bairro ..................... Quarteirão n.º ………
BairroCidade de Tete
Telefone: + 258 ……
Email: ………

2. Caso uma das Partes altere o endereço do seu domicílio durante a vigência do
Contrato, deverá notificar por escrito a outra Parte, sobre o novo endereço.

CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA


(RESPONSABILIDADES)
1. O LOCADOR não será responsável por quaisquer dívidas da LOCATÁRIA ou por
qualquer acção legal contra a LOCATÁRIA ou por quaisquer custos atribuíveis a
LOCATÁRIA durante a vigência do presente Contrato.
2. O LOCADOR não será responsável por quaisquer danos causados culposamente pela
LOCATÁRIA.
3. A LOCATÁRIA não será responsável por quaisquer dívidas ou encargos do
LOCADOR ou por qualquer dano que seja reputado da responsabilidade do
LOCADOR.

CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA


(FORÇA MAIOR)

8
1. Sem prejuízo do disposto em qualquer cláusula do Contrato, caso qualquer das Partes
não cumpra com as obrigações estipuladas no presente Contrato, por motivos de força
maior, tais obrigações ficarão suspensas enquanto durar o caso de força maior.
2. Para efeitos do presente Contrato, considera-se caso de força maior todo o evento ou
circunstância fora do controle da Parte que a invoca, sendo que tal evento ou
circunstância afecta material e adversamente a capacidade da Parte que a invoca em
cumprir com as suas obrigações, incluindo qualquer acto de guerra (seja declarada ou
não), agitação civil, sabotagem, explosão, invasão, conflito armado, acto de
terrorismo, revolução, insurreição, greve, qualquer acto ou incapacidade de agir de
alguma instituição governamental ou agente, terremoto, relâmpagos, incêndio, cheias,
tempestades, ciclones, contaminação química ou radioactiva, epidemias ou pragas.
3. Os casos de força maior não incluem os actos que possam ser atribuíveis a qualquer
acção das Partes ou que poderiam ser evitadas pela Parte que o invoca.
4. Caso uma das Partes, pretenda invocar um caso de força maior, como causa de
impossibilidade de cumprimento das obrigações contratuais, deverá:
a) Notificar a outra Parte no prazo de 7 (sete) dias, contados a partir do
conhecimento do caso de força maior, da sua natureza, da provável causa e o
tempo de duração, caso seja possível determinar, e quando apropriado ou
solicitado providenciar informação atualizada;
b) Tomar todas as medidas necessárias e apropriadas com vista a resolver o caso e
mitigar o impacto do evento de força maior;
c) Notificar imediatamente a outra Parte, da cessação do caso de força maior e da sua
capacidade de recomeçar o cumprimento das suas obrigações.
5. As Partes não serão responsáveis por qualquer incumprimento do presente Contrato
resultante de casos de força maior.

CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA


(ALTERAÇÕES E DERROGAÇÃO)
1. Nenhuma cláusula do presente Contrato, poderá ser alterada, renunciada ou por
qualquer forma modificada excepto por consentimento por escrito pelas Partes.
2. Nenhuma cláusula deste contrato poderá ser renunciada a não ser por documento
escrito assinado pela parte contra a qual a renúncia terá efeito.
3. Se alguma cláusula deste contrato for considerada inválida ou não exequível no seu
todo ou em parte, essa não validade ou não exequibilidade dirá respeito apenas a tal

9
provisão ou parte dela, permanecendo a parte restante da referida cláusula e todas as
outras cláusulas em plena vigência e efeito.
4. Todas as comunicações relativas ao presente Contrato, serão consideradas válidas,
quando feitas por escrito e enviada para as Partes.
5. Para efeitos de comunicações, nostermos do presente Contrato, será considerado que
o domicílio das Partes não foi alterado, até ao momento em que a outra Parte seja
notificada de tal alteração.
6. Nenhuma cláusula no presente Contrato poderá ser renunciada, sem que tal seja feito
por escrito e assinado pela Parte contra a qual a renúncia terá efeito.

CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA


(LEI APLICÁVEL)
O presente Contrato será regido e interpretado de acordo com as leis da República de
Moçambique.

CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA


(RESOLUÇÃO DE CONFLITOS)
1. Qualquer conflito que resulte deste contrato ou da relação das partes, ou que esteja de
qualquer modo relacionado com a interpretação deste contrato, será remetido, em
primeira instância, a conversações de boa-fé entre as partes.
2. Caso as partes não cheguem a um acordo respeitante ao conflito no prazo de trinta
(30) dias a contar da data da notificação da questão à outra parte, recorrer-se-á à
arbitragem ao abrigo da Lei 11/99 de 8 de Julho (Lei da Arbitragem, Conciliação e
Mediação), por um árbitro único.
3. Caso as parte não cheguem a um acordo quanto à identidade do árbitro único, o
mesmo será nomeado pelo Director Geral do Centro de Arbitragem, Mediação e
Conciliação (CACM), em Tete.
4. A arbitragem será administrada pelo Centro de Arbitragem, Conciliação e Mediação
(CACM), de acordo com os seus procedimentos e regulamentos.
5. A arbitragem tomará lugar em Tete. A língua da arbitragem será a língua deste
contrato.
6. O árbitro deverá decidir a questão que lhe é submetida no prazo de 30 (trinta) dias
após ter sido nomeado. A sentença do árbitro será final e vinculativa às partes.

10
CLÁUSULA DÉCIMA NONA
(ACORDO INTEGRAL)
O presente contrato constitui o acordo integral entre as partes com respeito ao seu conteúdo,
suplantando nessa matéria quaisquer entendimentos e acordos anteriores entre as partes
relativa aos assuntos aqui estabelecidos.

Feito em Tete, no dia ............ de ............. de 2020, e assinado em dois exemplares originais,
ficando cada um, de igual valor e conteúdo legal, em poder de cada uma das partes.

PELO LOCADOR –

___________________________
Nome:
Cargo:

PELA LOCATÁRIA –

___________________________
Nome:
Cargo:

11