Você está na página 1de 7

Sonata em Dó Maior de Mozart

Análise Musical I

Ano letivo 2018/2019

André Roxo nº 42222

WOLFGANG AMADEUS MOZART


Johann Chrysostom Wolfgang Amadeus Mozart nasceu a 27 de janeiro de 1756 e faleceu a 5
de dezembro de 1791. Mozart foi um compositor muito influente do período clássico. Ele
escreveu mais de 600 obras

Mozart, desde de muito cedo que começou a compor e logo aos seus 5 anos de idade apresentou
se para a realeza da Europa. As primeiras obras que Mozart escreveu enquanto criança foram

1
duetos e pequenas composições para dois pianos, destinadas a serem tocadas em conjunto com
a sua irmã, Maria Anna Mozart. Em 1763, Mozart juntamente com o seu pai, viajaram até
Londres, onde conheceram o Johann Christian Bach, o ultimo filho de johann Sebastian Bach,
que exerceu uma grande influência nas suas primeiras obras.

Entre 1770 e 1773, Mozart fez uma visita até Itália e lá compôs a ópera Mitridate, re di Ponto
que obteve um grande êxito. Com alteração do arcebispo de Salzburgo mudaria a vida de
Mozart. Assim, a sociedade da corte vienense implicava com origem burguesa e os modos de
Mozart dizendo que não admitia que um mero empregado, que era o estatutos dos músicos na
época, passasse tanto tempo a viajar. O resto dessa década foi passado em Salzburgo, compondo
missas, sonatas, serenatas, divertimentos e outras obras.

Em 1781, Mozart pediu a demissão da comitiva de Viena. Ao demitir-se, Mozart passa a viver
da renda de concertos, da publicação das suas obras e de aulas particulares de piano.

Entre 1782 e 1786, é dos períodos mais importantes da sua carreira, compondo óperas, as
sonatas para piano, peças de música de câmara (especialmente os seis quartetos de cordas
dedicados a Haydn).

A partir de 1786 a sua popularidade começou a diminuir aos olhos do público vienense, o que
agravaria a sua condição financeira, mas até 1788 não deixou de compor, compondo quintento
de cordas como k.515 em Dó maior entre outras.

Em 1791 compõe as suas duas últimas óperas: A Flauta Mágica, Clemência de Tito e o Concerto
para clarinete em lá maior.

Figure 1-Wolfgang Amadeus Mozart

2
ANÁLISE DA SONATA

A forma sonata está partida em três partes:

1. Exposição do tema principal


2. Desenvolvimento
3. Recapitulação do tema

Esta sonata está partida em três andamentos:

a) Allegro
b) Andante
c) Rondó

1.Exposição

A exposição é onde é apresentada a ideia principal da peça. Esta sonata inclui dois temas que
estão divididos por uma transição, acabando depois por uma codetta.

A forma da exposição:

1.1 Tema 1
1.2 Transição
1.3 Tema 2
1.4 Codetta

Normalmente, ao passar por todas estas secções, existe uma repetição para se voltar a ouvir
novamente a exposição, para que fique bem claro o tema para quem está a ouvir.

3
TEMA 1

Figure 2- Tema 1

A sonata começa logo com a apresentação do primeiro tema de quatro compassos, que está na
tonalidade de Dó maior, visto que no primeiro compasso começa na tónica (1º grau) e no
terceiro compasso começa no IV grau na inversão c. Neste tema a melodia está na mão direita,
tendo algum floreado com os trilos. E o acompanhamento em colcheias na mão esquerda.

TRANSIÇÃO

4
A transição serve para interligar o primeiro tema ao segundo tema. Normalmente, a
transição é um tipo de ponte para alternar de tonalidade. Nesta sonata a tonalidade
começa em Dó Maior mas a transição irá modular para Sol Maior, que surge no tema
2.
Mozart consegue fazer essa modulação através das várias escalas da mão direita e dos
apoios da mão esquerda no quarto e primeiro tempo até ao compasso 8, acabando esta
transição no V grau, no compasso 12.

TEMA 2

5
Agora neste tema 2, a tonalidade é em Sol maior. Este tema tem algumas semelhanças
do primeiro tema, tendo uma variação da melodia na mão direita e na mão esquerda
continua a ter um ritmo mais rápido.

Na segunda parte existe um tipo de “transição”, visto que o compositor utiliza os


arpejos, iniciando-os com a mão esquerda e completando-os com a mão direita. O
compositor utiliza estes padrões para conseguir dar movimento à sua frase.

Nesta terceira parte, Mozart inclui umas notas de passagem levando nos para uma
tonalidade menor mas só para fazer a preparação da Codetta e acabando em sol Maior.

CODETTA

Esta parte final chama-se codetta, que apenas tem três compasso e tem o propósito de
solidificar a tonalidade para qual se mudou, Sol Maior. Esta exposição termina com
uma cadência perfeita. Com esta cadência parece que o andamento acabou, mas não
visto que depois tem uma repetição que faz com toda a exposição se repita.

6
BIBLIOGRAFIA

https://pt.wikipedia.org/wiki/Wolfgang_Amadeus_Mozart

https://tonic-chord.com/mozart-piano-sonata-no-16-in-c-major-k-545-analysis/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Sonata_para_piano_n.%C2%BA_16_(Mozart)

Atlas da música

Você também pode gostar