Você está na página 1de 8

ATIVIDADE INDIVIDUAL

Matriz de análise

Disciplina: Gerenciamento da qualidade em projetos Módulo: 09

Aluno: Turma:

Tarefa: Consequência da redução de custo nos requisitos da qualidade.

Introdução

Impossível falar em gerenciamento de projeto sem antes pensarmos na


qualidade, pois a mesma está presente desde a elaboração do termo de abertura.
Sendo que cada fase do gerenciamento do projeto é cliente da anterior, por esse
motivo a entrega das fases devem ser fornecidas com muita qualidade.

O gerenciamento da qualidade em projetos, junto com as demais áreas do


conhecimento no gerenciamento de projetos, é responsável pelo sucesso do
retorno do projeto. Segundo PMBOK (2017), planejar o gerenciamento da
qualidade em projetos defini quais critérios e condições para que se possa
gerenciar e controlar a qualidade. Sendo assim cada mudança que ocorra dentro
de um processo, ou empresa deve sempre analisar os impactos que pode haver
na qualidade.

Conforme a ISO 9001 (2015) os princípios da gestão da qualidade são:

 Foco no cliente;

 Liderança;

 Engajamento das pessoas;

 Abordagem de processo;

 Melhoria;

 Tomada de decisão baseada em evidência;

 Gestão de relacionamento.

1
Portando gerenciar um projeto de redução de custo em uma empresa
metalúrgica, sem diminuir na qualidade do produto e das entregas, torna essa
tarefa um grande desafio para o gerente do projeto. Sabendo que não se pode sair
cortando tudo, sem análise detalhado e um histórico dos eventos e mudanças que
já ocorreram dentro da empresa, principalmente as mudanças relacionadas à
qualidade do produto final.

Desenvolvimento

Empresas metalúrgicas atuam no beneficiamento do aço, isto é,


transformando a aço em peças, que são usadas nos diversos setores da indústria
metal mecânico, nas indústrias em geral. Há uma grande competitividade nesse
setor, e para ser uma empresa competitiva e necessário, ter baixo custo nos
processos de fabricação, qualidade de seus produtos e agir muito rápido ao
mercado, e como equilibrar esses fatores, sendo que custo baixo, tende-se a baixa
qualidade, e custo alto maior qualidade. Então é preciso muita cautela para
promover a redução de custo de uma empresa, sem antes entender todos os seus
processos.

A empresa em análise para esse projeto, atua a mais de 10 anos no setor


metal mecânico no sudeste do Pará, e sentiu que, para continuar a atuar no
mercado e ser competitivo, buscou realizar um projeto de redução de custo em
todos os setores da empresa, e como gerente desse projeto foi proposto primeiro
que toda a equipe apresentasse algumas falhas, que pudesse haver gastos
desnecessários, e a partir desse ponto foi elaborado MASP (Método de Análise e
Solução de Problemas), para buscar conhecer problemas e possíveis soluções
fazendo uso da ferramenta PDCA.
Figura 1 – Ciclo PDCA

Fonte: Adaptada da internet.

As possibilidades de Masp apresentados para redução de custos foram os


seguintes:

 Materiais de insumos;

 Materiais de escritório;

 Compras de sobressalentes;

 Compras de matéria-prima;

 Redução de horas extras.

O projeto de corte de custo foi aplicado durante um contrato feito com uma
grande empresa do ramo da siderurgia do Pará, para fabricação de 350 Toneladas
de estruturas metálicas e dutos. Como o valor do contrato era um valor bem
apertado, era necessário reduzir o custo dessa fabricação para não haver percas
no orçamento. A redução de custo pode ter efeitos positivos, a curto prazo, e
negativos a longo prazo, por isso necessita assim um acompanhamento por um
longo período. Por esse motivo deve sim controlar sua despesa, e minimizar o
máximo seus custos com processos e projetos, lembrando que se essa redução
for de tal tamanho que afeta os requisitos e padrões da qualidade dos seus
produtos, ela deve revisar suas ações para não se prejudicar futuramente.

Os requisitos da qualidade para empresas do setor mecânico, são bem


definidos, e estão sempre relacionados ao produto final do seguimento e
geralmente obedecem a uma norma ou convenção de profissionais da área. O
controle dos requisitos da qualidade é feito durante todas as fases da fabricação, e
só deve ser liberado para próxima fase caso atenda os padrões determinados para
aquele produto.

Para mitigar os problemas que ocorreram após os cortes no custo, nos


requisitos da qualidade, deve ser analisado de forma individual observando pontos
positivos e negativos, e após implantação deve ser passado por análise crítica,
afim de avaliar as mudanças.

Materiais de insumos para fabricação mecânica são itens indispensáveis na


fabricação, como: eletrodos de soldagem, gases (oxigênio, acetileno e nitrogênio),
discos para esmerilhadeira, brocas, serras, bicos de cortes, etc. O consumo de
insumos é indispensável para o processo de fabricação e é impossível realizar um
processo sem os insumos, mas a troca de insumos para marcas inferiores, podem
prejudicar a qualidade do produto final. A aquisição mínima de insumos pode gerar
atrasos nas entregas das fases da fabricação, pois havendo necessidade de
retrabalho inesperado desses insumos. Importante buscar encontrar o equilíbrio e
qualificar outras marcas de insumos.

Materiais de escritório como papeis, tintas para impressoras, clipes, pastas


de arquivos, canetas esferográficas, pinceis, etc. A redução nas compras desses
materiais não apresenta impacto ou relação diretamente com a qualidade, desses
que continue com os controles e documento digitais. Um controle de consumo de
materiais de escritório e adoção de uma nova cultura no escritório, reduziu em
15% o consumo desses materiais.

Itens sobressalentes para reposição como: motores e redutores,


ferramentas, itens de içamento, maquinas de soldas, de corte e outros. Quando a
empresa decide manter um número mínimo ou zero de peças de reposição, ela
precisa possuir um alto índice de confiabilidade na sua manutenção, pois uma
falha não prevista pode gerar uma parada temporária das atividades levando um
atraso nas entregas. Entregar um produto fora do prazo ao cliente, é também uma
perca na qualidade.

Matéria-prima para fabricação, seria os itens listados dentro do projeto


mecânico para sua confecção. Esses materiais seriam: chapas de aços, perfis,
parafusos e outros acessórios diversos. Para produção de um item, orientado por
um projeto mecânico, deve tomar por referência para aquisições das matérias,
uma lista que é fornecida com o projeto. A compra deve ser adquirida com uma
folga relativamente boa, para cortes e possíveis problemas que venha ocorrer
durante a fabricação, se essa compra for justa demais ou sem sobras, a produção
desse item fica sem possibilidades de falhas. E ocorrendo falhas, a mecânico é
obrigado a improvisar meios para termino do item em fabricação, podendo gerar
não conformidade do item, que seria um desvio da qualidade. Portanto, para se
enxugar na compra de matéria-prima, é preciso trabalhar com um plano de corte e
controle de materiais, e inspeções intermediarias no processo para evitar o
acumulo de erros.

Horas extras são necessárias quando, se necessita executar alguma


atividade onde o prazo é curto, e não há possibilidade de acréscimo na equipe,
mas não deve ser feito de forma não planejada. Muitos pedidos de produtos
demandam um prazo muito curto, muitas das vezes por causa da necessidade que
a contratante, e por esse motivo é necessário inserir no cronograma o uso de
horas extras nesse projeto. Eximindo o uso de horas extras, o fornecedor tem que
declinar o pedido por não conseguir produzir no tempo, ou arriscar a fabricação, e
depois justificar o atraso da entrega. Analisando esse risco, a melhor opção e ser
honesto, e apresentar uma proposta de acordo suas condições que atenda a
necessidade de ambos.

O projeto de corte de custo foi aplicado durante um contrato de fabricação


de 350 Toneladas de estruturas e dutos, para uma grande empresa do ramo da
siderurgia do Pará. Para os insumos foram buscados outras marcas e
fornecedores de outras regiões, com melhores preços, sem perder na qualidade.
Um controle de consumo de materiais de escritório e adoção de uma nova cultura
no escritório, reduziu em 15% o consumo desses materiais.

Considerações finais

Vários caminhos que poderiam se desenrolar com o projeto de redução de


custo, como:

 Redução do custo na fábrica (a curto prazo);

 Atraso nas entregas de fabricação;

 Aumento no índice das não conformidades dos projetos;

 Perca de clientes.

Esses resultados não seriam bons, pois o custo voltaria a subir logo, com
retrabalhos, mas um acordo deve haver entre as despesas da fabricação e a
qualidade do projeto. O gerenciamento da qualidade em projetos, atua como um
guia para encontrar uma melhor solução dos problemas que poderia surgir nas
demais áreas do projeto.

Em relação ao projeto de redução de custo, foram tomadas medidas viáveis


para todos os Masp apresentado, buscando um equilíbrio com todos, tendo como
primícias que a qualidade dos produtos tem que continuar sendo referência da
empresa. Foi possível obter durante a execução do contrato uma redução no custo
com fabricação uma variação de 12%.

É inegável que uma empresa nos dias de hoje consiga sobreviver com
custos elevados, mas com um trabalho bem feito no seu planejamento e com um
bom controle em seus processos, pode-se obter formas de reduzir o custo, e
mantê-los com a colaboração dos gestores e de toda a equipe.

Corte de custos feito de qual forma não mostra ser o ideal para nenhum
projeto ou empresa, agora acompanhado com um estudo (Masp), usando
ferramentas como PDCA, para medir os resultados e ter a oportunidades de
retornar e reajustar o processo, é sim, a forma ideal para tal. O corte para obter
resultado a curto prazo, apresenta um resultado rápido nos gráficos das despesas,
mas ao longo do tempo pode-se tornar um grande problema. Portanto, é melhor
realizar pequenos cortes em pontos específicos, e dar tempo para que os efeitos
das mudanças reajam para realizar uma análise crítica. É possível reduzir o custo
e manter a qualidade, agindo diretamente nos processos, a melhoria continua,
deve estar sempre presente na empresa. Melhor forma é investindo hoje em
pessoas, e nos processos para obter ganhos no custo, amanhã.

Referências bibliográficas
NBR ISSO 9001, Sistemas de gestão da qualidade – Requisitos: ABNT, 2015.

Guia do CONHECIMENTO EM GERENCIAMENTO DE PROJETO PMBOK 6ª


edição, 2017.

ROCHA, Alexandre Varanda. Gerenciamento da qualidade em projetos. 2.ed. Rio de


Janeiro: FGV Editora, 2018.

Gestão & Resultados – Redução dos Custos – uma ação gerencial urgente e importante para
as empresas. Disponível em:
<https://www.folhavitoria.com.br/economia/blogs/gestaoeresultados/2018/10/01/reducao-
dos-custos-uma-acao-gerencial-urgente-e-importante-para-as-empresas/>. Acesso em
23/04/2020.

ONCLICK, Entenda o que é gestão de qualidade e quais os seus pilares. Disponível em:
https://onclick.com.br/artigos/entenda-o-que-e-gestao-de-qualidade-e-quais-os-seus-pilares/.
Acesso em 20/04/2020.

Você também pode gostar