Você está na página 1de 30

Energia, Desenvolvimento e

Meio Ambiente
Por: Eng. Sergio Pinheiro
spinheiro89@gmail.com

1
Energia. (Conceito)
• O conceito que a sociedade tem sobre energia é, em regra geral,
extremamente superficial, pois ele restringe-se à aqueles tipos de
energia relacionados ao dia-a-dia de cada um, como a energia
eléctrica para a iluminação.

• Energia – É acapacidade de um corpo, um sistema físico ou uma


substância de produzir trabalho mecânico ou equivalente.
São várias as formas de energia utilizadas nomeadamente: energia
cinética, potencial, solar, térmica, eólica, luminosa, Hidroelectrica,
oceânica, geotérmica entre outras.

2
RECURSOS RENOVÁVEIS E NÃO RENOVÁVEIS

3
FONTES DE ENERGIA RENOVÁVEIS E NÃO RENOVÁVEIS (Cont.)
• Fontes de Energia Renováveis - são todas aquelas a que se pode
recorrer de forma permanente, porque são inesgotáveis e podem se
regenerar, como por exemplo a energia Solar, Hídrica, Eólica,
Biomassa, Marés, Geotérmica, Biogás, entre outras.
• As energias renováveis caracterizam-se igualmente por terem um
impacto ambiental quase nulo na emissão de gases que provocam o
efeito de estufa.

4
FONTES DE ENERGIA RENOVÁVEIS E NÃO RENOVÁVEIS (Cont.)
• Energias não renováveis – São de fontes naturais, diminuem à
medida que são consumidas, nao são capazes de se regenerar e têm
reservas limitadas. São exemplos o Carvão mineral, Gás Natural,
Petróleo, Urânio e outras.
• Podem ser de origem fóssil, formadas pela transformação de restos
orgânicos acumulados na natureza há milhões de anos, ou de origem
mineral. São de origem fóssil o carvão mineral, o petróleo e o gás
natural.
• De origem mineral, temos o urânio, utilizado para produzir energia
elétrica.

5
Formas de Energias, Vantagens e Desvantagens
-Renovaveis
• A Energia da Biomassa
A biomassa pode ser aproveitada para produzir eenergia reduzindo a necessidade
de recorrer a outras fontes de energia. Cerca de 80% da população moçambicana
usa a biomassa(carvão e lenha) para as suas actividades diárias.

• Vantagens da Biomassa
Baixo custo, e é renovável;
Pode ser reutilizada e transformada noutros produtos como o papel e
fertilizantes;

• Desvantagens da Biomassa
Destruiçãção da fauna e da flora extinguindo certas espécies;
A biomassa é menos eficiente por metro quadrado do que os painéis solares;

6
Formas de Energias, Vantagens e Desvantagens. (Cont.)
-Renovaveis
• A Energia Hidroélectrica
• Esta forma de energia usa a pressão da água para movimentar turbinas que estejam
ligadas a geradores de corrente eléctrica.

• Vantagens
• É um recurso renovável e limpo;
• Aplicável para a produção de electricidade a custo relativamente mais baixo por cada
MW em relação a outras fontes de energia.

• Desvantagens
• Forte impacto ambiental através da inundação de áreas habitadas pelas populações
• Destruição da flora e da fauna;
• Distância considerável entre o ponto de geração e o ponto de consumo;
• As secas diminuem o volume da água na barragem perdendo-se a capacidade de
produção de energia.

7
Formas de Energias, Vantagens e Desvantagens. (Cont.)
-Renovaveis
• A Energia Solar
É a energia obtida através da conversão directa da luz solar em
electricidade,

• Vantagens
 Não poluí e existe em abundância;
 Baixa manutenção e fácil instalação;
 Excelente aplicabilidade em lugares remotos ou de difícil acesso;
 Em pequena escala não requer linhas de transmissão;
 Alta vida útil dos painéis solares (25 anos em media);

• Desvantagem
 Custo inicial elevado;
 Variação nas quantidades produzidas de acordo com a situação
climática;
 Durante a noite não existe produção alguma;
 inexistência de meios de armazenamento da energia produzida
durante o dia. 8
Experiência do País em Matéria de Energias Renováveis
• Energia Solar Hospital Rural de Mueda electrificado
• Fotovoltaica - electrificação rural em através de sistemas solares fotovoltáico
com capacidade d 32.6kWp
que os hospitais e as escolas são o foco
principal; Bombas de combustiveis do FUNAE
• Ligação de sistemas de Telecomunicações;
• Sistemas de bombeamento de agua.

9
Formas de Energias, Vantagens e Desvantagens. (Cont.)
-Renovaveis
• Energia Eólica - é a energia obtida pelo movimento do vento.

• Vantagens
 É um recurso limpo e renovável;
 É abundante na natureza;
 O tempo de vida das turbinas é de aproximadamente 20 anos;
 O terreno ocupado pelos parques eólicos pode ser utilizado para
outros fins, como a agricultura.

• Desvantagens
 A produção de energia depende da disponibilidade do recuso eólico;
 Emissão de ruídos;
 Impacto visual, efeito de sombras em movimento;
 Impacto ambiental (Migração das aves);
 Interferências electromagnéticas.

10
Experiências do pais
Energia Eólica
• Estudos de avaliação do potencial eólico em curso para posterior
produção de electricidade a ser injectada na Rede Eléctrica Nacional;
• Recolha de dados em dois locais (Ponta de Ouro e Tofinho) onde a
velocidade media vária entre 6 - 7 m/s.

11
Formas de Energias, Vantagens e Desvantagens. (Cont.)
-Renovaveis
• Energia de biogás – é um tipo de mistura gasosa composta na sua maioria de metano e dióxido
de carbono produzida naturalmente em meio anaeróbico pela acção de bactérias em matérias
orgânicas(excrementos de animais, humanos, agro-pecuarios, restos vegetais), que são
fermentadas dentro de determinados limites de temperatura, teor de humidade e acidez.
• Os factores que afetam a geração de biogás são: a composição do resíduo, humidade, pH,
tamanho das partículas, idade do resíduo, temperatura, nutrientes, bactérias, compactação de
resíduos, dimensões do aterro (área e profundidade), operação do aterro e processamento de
resíduos variáveis.

12
Formas de Energias, Vantagens e Desvantagens. (Cont.)
-Renovaveis
Portanto, as principais vantagens da produção e utilização do biogás são:
• É renovável (visto que está presente no lixo e no esgoto, é praticamente inesgotável);
• Fontes de matéria-prima são de fácil obtenção;
• Ajudam a evitar os chamados lixões, que trazem doenças e contaminam o solo;
• A reutilização de resíduos orgânicos;
• A redução das emissões de gases do efeito estufa;
• A produção de biofertilizante como um subproduto;
• A obtenção de energia térmica e elcétrica a baixo custo.

Desvantagens
• A quantidade de energia gerada pelo biogás não é constante, variando ao longo do período de
produção;
• Emissão de odores desagradaveis;
• Em função da Directiva Comunitário relativa a aterros, no futuro será minimizada a deposição de
resíduos biodegradáveis em aterro, pelo que as instalações de recuperação de biogás de aterro
terão um tempo limitado de existência;
• Alto período de recuperação do investimento 13
Formas de Energias, Vantagens e Desvantagens. (Cont.)
• Energias Não Renovaveis
• O consumo de energias convencionais ou seja, petróleo, gás natural e carvão Mineral
emite anualmente toneladas de CO2 para a atmosfera. O CO2 é o maior responsável pelo
aumento do efeito estufa, fazendo com que a Temperatura média do globo aumente;

• A elevada procura e consumo das energias convencionais levará que estes se esgotem
pelo facto de os esgotarmos mais rapido do que o tempo necessário para que a natureza
os produza novamente;

• Assim é necessário a utilização de E.R. pois não se esgotam, são mais limpas e não
emitem gases de efeito estufa, sendo excepção a biomassa que origina quantidades nao
significativas de CO2, SO2 e NOx para a atmosfera;

• A exploração local das E.R. Contribui para reduzir a dependência energética


relativamente a importação do petróleo, carvão ou gás natural.

14
Energias Não Renovaveis
• O Petróleo - resulta da decomposição, ao longo do tempo, de matéria orgânica - resíduos vegetais
e animais marinhos, entre outros. Esta matéria orgânica vai-se transformando à medida que é
exposta a diferentes pressões e temperaturas, dependendo da profundidade a que se encontra.

• Com o passar do tempo as deposições de matéria orgânica vão sendo sujeitas a um aumento de
temperatura e pressão, originado pelo peso das camadas de sedimentos depositadas por cima. A
transformação da matéria orgânica está assim dividida em quatro fases distintas.

• A composição química do petróleo é composto por uma complexa mistura de hidrocarbonetos


do tipo: 14% de parafinas normais; 30% de parafinas cíclicas; 10% de resinas e asfaltenos; 16% de
parafinas ramificadas e 30% de aromáticos.

15
Energias Não Renovaveis - Petróleo (Cont.)
• O petróleo está sujeito a um conjunto de movimentações, desde a sua origem até à formação de
reservatórios, a que se dá o nome de migrações.
Migração primária
• A rocha-mãe é uma rocha sedimentar na qual se dá a transformação da matéria orgânica. Com o aumento
da pressão e fratura da rocha-mãe, o petróleo flui para as formações geológicas superiores. Chama-se a isto
migração primária. Após a saída do petróleo e consequente diminuição da pressão da rocha-mãe, as fraturas
são novamente fechadas.
Migração secundária
• Após a migração primária, o petróleo movimenta-se através de formações permeáveis até encontrar uma
formação impermeável ou armadilha. A esta movimentação dá-se o nome de migração secundária. A
armadilha consiste na presença de uma camada rochosa selante de baixa permeabilidade que impede
migração de petróleo até à superfície, sobreposta a uma rocha reservatório que pode ou não conter
acumulação de petróleo.

16
Energias Não Renovaveis - Petróleo (Cont.)
Sua Coloração varia entre pardo - escuro e negro e é encontrado em jazidas no subsolo da
crosta terrestre. As maiores jazidas petrolíferas conhecidos e exploradas localizam-se
principalmente nos Estados Unidos, México, Venezuela, Rússia (Cálcaso) , Malásia (Bornéu)
e particularmente no Oriente Médio (Arábia Saudita, Irã, Iraque, Kuwait).

Aplicação dos Subprodutos de Petróleo


• Seus subprodutos são também utilizados para a fabricação de tecidos sintéticos,
borracha sintética, sabões, detergentes, tinta, plásticos, medicamentos, inseticidas,
fertilizantes, etc.

17
Energias Não Renovaveis - Gás natural
• O gás natural é uma mistura de hidrocarbonetos leves, resultante da degradação da matéria
orgânica de forma anaeróbica no subsolo oriunda de quantidades extraordinárias de micro-
organismos.

• O gás natural apresenta geralmente um teor de metano superior a 70% da sua composição,
densidade menor que 1 (mais leve do que o ar) e poder calorífico superior entre 8.000 e 10.000
kcal/m³, dependendo dos teores de pesados, sobretudo etano e propano, e de inertes,
nomeadamente o nitrogénio e o gás carbónico.

18
Energias Não Renovaveis - Gás natural (Cont.)

19
Energias Não Renovaveis
• Carvão mineral é um material rochoso, fóssil, de origem orgânica resultante da
transformação de restos vegetais soterrados há milhões de anos. Encontrado em
jazidas localizadas no subsolo e que pode ser extraído por meio do processo de
mineração.
• Composição : carbono, oxigênio, hidrogênio, enxofre e cinzas.

No processo de formação do carvão, isto é, na transformação dos vegetais em carvão, são


observados quatro fases, de acordo com o teor calorífico:

Turfa (cerca de 50% de carbono) – é a primeira fase, refere-se à deposição e putrefação dos restos
vegetais em ambientes de pântanos. Apresenta baixo teor calorífico.

Linhito (cerca de 70% de carbono) – é a segunda fase. Trata-se de um material escuro e que ainda
apresenta elevado percentual de água e baixo percentual de carbono.

Hulha (cerca de 85% de carbono) – é a terceira fase, o carvão propriamente dito. É solido, tem cor
negra e pode ser transformado em “coque” (carvão metalúrgico).

Antracito (cerca de 90% de carbono) – é a última etapa. Apresenta elevado teor de carbono (90% a
96%), cor negra, brilhoso e elevada dureza.
Matriz energética
• Moçambique tem um enorme potencial para o desenvolvimento de ER que
possam responder às necessidades energéticas das populações, resolvendo por
um lado o fornecimento de energia nas zonas rurais e por outro lado, trazendo
outras opções de combustível;

• O potencial hidroelétrico identificado permite desenvolver mais de 14000 MW de


capacidade e fornecer mais de 80.000 GWh por ano ao mercado da electricidade
no Pais e na região;

• A combinação do potencial hidroelectrico com as grandes reservas existentes de


carvão e gás natural, coloca o País numa posição de um Centro Regional de
Produção de Energia.

21
22
23
Matriz energética mundial

24
Eficiência energética
• A eficiência energética pode ser definida como a optimização que se
pode fazer no consumo de energia, mantendo os mesmos serviços
energéticos sem diminuir a produção.

• As vantagens e os benefícios da eficiência energética estão


relacionados com o desperdício de energia, redução da pressão dos
recursos naturais, e diminuição dos impactos ambientais.

• A Etiqueta Energética tem por objetivo fornecer ao consumidor


informações precisas, reconhecíveis e comparáveis no que respeita ao
consumo de energia, ao desempenho e a outras características
essenciais dos produtos.

25
Eficiência energética (Cont)
• A etiqueta começa por classificar os produtos de A a G, sendo A a classe energética mais eficiente
e G a menos eficiente.

• Actualmente, a nova Legislação Europeia introduziu novas classes, até A+++, para adaptar
ainformação à evolução tecnológica e para permitir uma maior diferenciação do produto em
termos de eficiência energética. Ex:Frigoríficos, congeladores, Máquinas de lavar roupa,
Máquinas de lavar loiça, Televisores e outros.

26
Eficiência energética (Cont.)
ELEMENTOS COMUNS A TODAS AS ETIQUETAS:

• Uniformidade: para cada produto a etiqueta é igual em todos os Estados-Membros da UE27. Não há
diferenças idiomáticas ou de outro tipo.

• Setas coloridas: as setas coloridas distinguem os produtos mais eficientes dos menos eficientes
energeticamente (o verde escuro indica um produto com alto nível de eficiência e o vermelho um produto
com baixo nível de eficiência).

• Classes adicionais para a eficiência energética: A+, A++, A+++.

• Nome do fornecedor ou marca e identificação do modelo.

• Pictogramas: há características e desempenhos cuja informação é evidenciada na etiqueta por meio de


pictogramas, conforme previsto na legislação relativa a cada categoria de produtos;
• Consumo anual de energia em kWh.
• A faixa para a classe de eficiência energética e / ou os pictogramas podem mudar consoante a categoria de
produtos. 27
Eficiência energética (Cont.)
Um exemplo de mudança: a etiqueta nos frigoríficos. (Modelo Antigo)

28
Eficiência energética (Cont.)
• Etiqueta energética para frigoríficos 7 classes. (Novo Modelo)

1. Nome do fornecedor ou marca comercial e modelo;

2. Classe de eficiência energética;

• 3. Consumo de energia anual, em kWh/ano;

• 4. Soma dos volumes úteis em todos os compartimentos sem


estrelas (temperatura de funcionamento >-6º);

• 5. Soma dos volumes úteis em todos os compartimentos de


armazenagem de alimentos congelados (temperatura de
funcionamento < -6ºC). O número de estrelas pertence ao maior
compartimento de congelação. Caso este não exista estará
indicado “-L” e o campo destinado às estrelas estará vazio;

• 6. Emissão de ruído, em dB
29
Eficiência energética (Cont.)
• Etiqueta energética para frigorÍficos 10 classes

1. Nome do fornecedor ou marca comercial e modelo

2. Classe de eficiência energética

3. Consumo de energia anual, em kWh/ano

4. Soma dos volumes úteis em todos os compartimentos


sem estrelas (temperatura de funcionamento >-6º)

5. Soma dos volumes úteis em todos os compartimentos


de armazenagem de alimentos congelados (temperatura
de funcionamento < -6ºC). O número de estrelas
pertence ao maior compartimento de congelação. Caso
este não exista estará indicado “-L” e o campo destinado
às estrelas estará vazio;

• 6. Emissão de ruído, em dB 30

Você também pode gostar