Você está na página 1de 68

EBOOK FCC

Proibida qualquer tipo de reprodução, cópia, distribuição, comercialização, rateio ou compartilhamento, oneroso
ou gratuito, deste material, ficando a pessoa sujeita às sanções cíveis e penais correspondentes .

PENSAMENTO VINCULAR
INTRODUÇÃO

Percebe-se cada vez mais a importância que a prova discursiva desempenha para a classificação final e aprovação do candidato.
Dessa forma, é imprescindível dedicar uma parte do seu tempo de estudo para praticar, ler e sobretudo conhecer como a
organizadora do seu certame costuma trabalhar.

Antes de qualquer coisa, uma informação se faz importante: VOCÊ É CAPAZ! Sim, você é capaz de fazer um excelente texto e lograr
êxito com uma nota máxima ou pelo menos perto disso. Muitos candidatos possuem uma barreira na hora de escrever. Julgam-se
incapazes, com dificuldade ou simplesmente afirmam que não sabem colocar no papel aquilo que está na mente.

Todavia, o primeiro passo para escrever bem consiste, exatamente, em superar essa forma de pensamento. Pense que talvez tudo
o que você precisa seja dedicar um pouco mais de tempo e esforço para isso. Não se limite. Quando a gente acha que não é tão
bom é algo, não significa que não somos capazes. Apenas precisamos correr atrás de meios e instrumentos que nos ajudem a
desenvolver uma melhor performance naquilo que pretendemos. Ou seja, ir percorrendo um caminho que nos ajude nesse
processo de evolução.

A proposta deste ebook não é ser um curso teórico de Redação. Mas tenha certeza que será um grande aliado na sua preparação
para um bom texto dissertativo argumentativo da banca FCC – Fundação Carlos Chagas.

Equipe Pensamento Vincular


CONHECENDO A BANCA

A FCC já é bastante conhecida dos estudantes e possui tradição na organização de diversas provas e áreas. Todavia, quando o assunto é
redação, é possível notar um “descontentamento” por parte dos candidatos. A forma de abordagem é, sim, um pouco mais complexa,
quando comparada com outras bancas. Não adianta falar que é fácil, porque não é. Mas como já falamos na nossa introdução, a maneira
como a gente pensa e se comporta diante das dificuldades é essencial para determinar se vamos lograr êxito naquilo ou não. Se você está
lendo este ebook é porque, com certeza, deseja fazer uma boa prova. E está buscando meios para te ajudar nesse processo. Isso significa
que você vai conseguir. Fim de papo!

A organizadora costuma adotar os seguintes critérios de avaliação:

Conteúdo
Estrutura
Expressão

O primeiro, no qual geralmente é oferecida a maior quantidade de pontos (até 40), o candidato deve mostrar sua capacidade de
argumentação, ou seja, capacidade de análise e senso crítico em relação ao tema proposto, com consistência dos argumentos, clareza e
coerência na perspectiva adotada.

No tocante à estrutura, deve-se ficar atento para respeitar o gênero textual solicitado: TEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO. Assim, o
candidato deve expor um ponto de vista e sustentá-lo com argumentos. Há, portanto, que demonstrar uma certa capacidade crítica em
relação ao assunto que está escrevendo. Nesse critério, a quantidade de pontos será até 30.

Já quanto à expressão, observar-se-á, principalmente, aspectos relacionados ao domínio da norma culta formal. Aqui, faz-se pertinente o
candidato ficar atento a assuntos chaves da língua portuguesa, como concordância, crase, pontuação, análise sintática e emprego correto
das conjunções. A quantidade de pontos atribuída também será de até 30.
DIRECIONANDO SEUS ESTUDOS

Tenha certeza que, ao ter o cuidado em analisar temas anteriores, você já estará dando um grande passo na sua preparação. Isso pode
guiar seus estudos e nortear seu pensamento para fazer suas próprias apostas do que pode vir a ser cobrado. Tudo bem que na FCC é
um pouco difícil fazer esse exercício de previsão. Mas, analisando temas anteriores, você vai aumentando sua capacidade de
interpretação. E acredite, interpretar vai ser essencial para que você consiga extrair o que a banca quer que você escreva.

Analisando as provas anteriores, principalmente as mais recentes, percebe-se que a banca costuma seguir a tendência em cobrar
assuntos que exijam reflexão do mundo contemporâneo, envolvidos por numa pegada mais filosófica e abstrata. Você vai perceber,
inclusive, que na maioria das propostas apresentadas neste ebook (que são as mais recentes cobradas pela FCC), a organizadora sequer
apresenta um tema específico.

Portanto, uma boa dica é interpretar bem o texto motivador. Ele será seu principal instrumento para traçar sua linha argumentativa.
Não tenha receio de ler e reler quantas vezes forem necessárias. Às vezes, numa primeira leitura, temos a sensação de não ter
entendido nada. E isso vai mudando conforme repetimos. Como não são textos longos, vale à pena você reler, sim.

Outra dica interessante é você selecionar, dentro do texto motivador, algumas palavras-chaves. À medida que for lendo, rabisque ou
circule algumas palavras. Elas podem te ajudar no processo cognitivo da proposta. Ficando atento a algumas palavras do próprio texto
motivador da prova, é mais fácil que você consiga seguir a linha interpretativa que o seu examinador gostaria que você seguisse.
Lembre que o papel do texto motivador é mais ou menos nortear a linha de raciocínio que você deve seguir.

Por fim, na tentativa de fazer um material diferenciado e que, de fato, dê a você um bom suporte na preparação, além do compilado de
temas recentes, traçamos uma abordagem temática, que pode ajudar a prática desse processo interpretativo.

UMA RECOMENDAÇÃO: Leia a proposta e tente fazer um rascunho (nem que seja mentalmente) sobre o que você abordaria, caso
fosse redigir o texto. Não olhe a abordagem temática ainda. Primeiro faça esse exercício. Rabisque, circule as palavras-chaves, delimite
seu raciocínio, trace uma rota. Isso vai ajudar você a desenvolver cada vez mais a habilidade de interpretação.
Faça um bom uso do material e muito sucesso com a banca FCC! Não esqueça: se um tema é difícil, ele não é difícil só para você. É
difícil para todos que estão fazendo a prova. Então, tente seguir as dicas e fazer o melhor que pode! Nas próximas páginas, inicia-se o
compilado de temas, sempre adotando o seguinte percurso:

- Proposta já cobrada pela FCC em provas anteriores;

- Abordagem temática elaborada pela nossa equipe relacionada à proposta.


PROPOSTA 1

A chave da teoria do filósofo norte-americano John Rawls repousa sobre o princípio da diferença. De acordo com este
princípio, todos os valores sociais  liberdades, oportunidades, renda e as bases sociais da autoestima  devem ser
distribuídos igualitariamente. Em outros termos: as distribuições desiguais só são aceitas se trazem vantagens para todos,
caso contrário constituem injustiças. As desigualdades de remuneração, por exemplo, seriam justas caso refletissem o
rendimento efetivo do trabalhador e/ou maior responsabilidade, desde que essas desigualdades contribuíssem para estimular
o progresso e as esperanças de todos.

(Adaptado de: THIRY-CHERQUES, Hermano Roberto. Disponível em: http://www.scielo.br)

Considerando o que se afirma acima, desenvolva um texto dissertativo-argumentativo. Justifique seu ponto de vista.
ABORDAGEM TEMÁTICA

Nota-se que o texto motivador desta proposta de redação escolha desses princípios, eles deveriam ser lançados à
refere-se aos estudos do filósofo e político americano JOHN instância constitucional visando o bem de todos da
RAWLS. Na obra “Uma Teoria da Justiça”, Rawls sugere a Sociedade. A obra “A Teoria da Justiça” se pauta em 2
formulação de um modelo de sociedade constitucional, princípios de justiça:
respaldada na ideia de um novo contrato social. Essa
PRINCÍPIO DA LIBERDADE: É a liberdade um direito
sociedade se baseia num sistema igualitário de cooperação,
fundamental do homem. Portanto, garanti-la enquanto
tendo por pressuposto inicial que os indivíduos que a
princípio ordenador de uma sociedade é assegurar que as
compõem, por condição natural, são livres e iguais, capazes
suas instituições permitam uma convivência digna e igual
de perseguir as suas aspirações e projetos pessoais,
entre as pessoas. Por isso mesmo, possui, como
detendo a condição de sujeitos razoáveis e portadores de
característica básica, o fato de ser um direito irrenunciável
racionalidade, sendo aptos, portanto, a elaborar
e – ainda segundo Rawls – inegociável. O princípio da
concepções próprias de BEM e JUSTIÇA. Todavia, para se
liberdade refere-se à liberdade de agir, ou seja, à liberdade
alcançar tal modelo de sociedade bem ordenada, faz-se
tratada, sobretudo, em seu aspecto político e não à mera
necessário buscar um acordo racional e imparcialmente
liberdade metafísica.
produzido, conforme ressalta o autor. Desse acordo é que
sairão os princípios de justiça que deverão reger a referida PRINCÍPIO DA DIFERENÇA: Segundo o autor, devem-se
sociedade. Os responsáveis por elaborar esse acordo, ainda aceitar as desigualdades sociais e econômicas, bem como
segundo Rawls, devem ser imparciais. Para assegurar-se da as mesmas diferenças entre os indivíduos, enquanto
efetiva IMPARCIALIDADE nas escolhas dos participantes da membros da sociedade. No entanto, tais diferenças só
posição original, Rawls os coloca como que encobertos por devem existir na medida em que aos menos favorecidos
aquilo que chamou de “véu da ignorância”. Sob a condição seja garantida uma posição mais satisfatória quanto à
do VÉU DA IGNORÂNCIA, os parceiros do pacto social distribuição de benefícios e renda, em igualdade de
desconheceriam suas situações sociais particulares, seus condições para com os demais membros mais abastados da
talentos, suas inclinações políticas, bem como seus coletividade. O conceito de justiça de Rawls implica no
julgamentos morais, tendências religiosas etc. Só assim estabelecimento da igualdade de condições no acesso às
seria possível dotá-los de imparcialidade no ato de oportunidades que deverá ser estendido a todos os
deliberação e nas escolhas dos princípios. A partir da indivíduos, sabendo-se, todavia, que seu resultado será
LOFELIS sempre
sempre desigual. Ou seja, deve-se esperar que, mesmo ANOTAÇÕES
numa sociedade bem ordenada, nem todas as pessoas
contempladas com as iguais condições de acesso às
oportunidades necessariamente tenham êxito em
desenvolver de modo integral as suas capacidades. Isto
ocorre em função de uma série de circunstâncias
impeditivas (falta de certas habilidades, ausência de
talento, classe social a que pertençam, limitações físicas,
intelectuais, orgânicas etc.), o que termina justificando a
própria noção de desigualdade. Nesse sentido, em Rawls, a
desigualdade é não só esperada, como também admissível.
PROPOSTA 2

O humor, hoje e sempre, em qualquer situação, deve gozar de liberdade absoluta. Nada lhe deve ser proibido ou
controlado: sem a livre expressão, o humor não existe. Sem humor, não será plena a livre expressão.

Escreva um texto dissertativo-argumentativo, posicionando-se a respeito da questão tratada no texto acima. Justifique seu ponto
de vista.
ABORDAGEM TEMÁTICA

A LIBERDADE DE EXPRESSÃO sempre foi algo que custou “É inútil querer confundir a independência e a liberdade.
caro em sociedades que lutaram pela democracia plena. Ela Essas duas coisas são tão diferentes que até mesmo se
se manifesta por meio de linguagem oral, artística, escrita excluem. Quando cada um faz o que bem quer, faz-se
ou de qualquer outra forma de comunicação. É algo da frequentemente o que desagrada aos outros e isso não se
essência do Ser Humano poder se COMUNICAR E chama um Estado livre. A liberdade consiste menos em
EXPRESSAR seus anseios e opiniões de forma livre, sem fazer sua vontade do que em não ser submetido à vontade
restrições. Os países que passaram por governos ditatoriais, de outro; ela consiste ainda em não submeter a vontade de
como o Brasil, entendem bem a importância desse direito, outro à nossa. [...] Não conheço vontade verdadeiramente
uma vez que através dele podemos nos expressar livre que não seja aquela à qual ninguém tem o direito de
livremente e lutar por aquilo que acreditamos. A liberdade opor resistência; na liberdade comum, ninguém tem o
de expressão permite aos cidadãos exercerem o seu papel direito de fazer aquilo que a liberdade de um outro o proíbe
na democracia ou até mesmo a liberdade de falar sobre o de fazer, e a verdadeira liberdade nunca é destrutiva em
que quiserem, os temores, as paixões e os medos, sem relação a si mesma. Assim, a liberdade sem a justiça é uma
sofrerem censuras. Todavia, esse direito vai de encontro ao verdadeira contradição, pois, não importa o que se pense,
direito do outro quando fere a dignidade da pessoa tudo constrange na execução de uma vontade
humana e seus atributos. Atualmente, muito se tem desordenada”.
discutido acerca da LIVRE MANIFESTAÇÃO HUMORÍSTICA
e suas implicações. Isso porque muitos discursos Nos últimos anos, alguns episódios colocaram a questão do
humorísticos acabam se tornando agressivos para muitas humor e da liberdade de expressão novamente em
pessoas. No âmbito jurídico, caracteriza-se honra como o evidência. Em 7 de janeiro de 2015, a redação do
valor moral íntimo do Homem, o que se refere à própria jornal satírico francês Charlie Hebdo sofreu um ATENTADO
consciência de dignidade pessoal (honra subjetiva) e como TERRORISTA que resultou na morte de 12 pessoas, além de
isso se reflete no coletivo social de forma positiva. O feridos. O atentado seria uma resposta às caricaturas e
DIREITO À HONRA protege o indivíduo diante de afrontas sátiras ao profeta Maomé e líderes islâmicos feitas pelo
que podem denegrir a sua boa fama social e diz respeito à jornal. A frase “Je suis Charlie” foi repetida por milhares de
defesa da reputação da pessoa (honra objetiva). pessoas, em diversos países, como forma de solidariedade
às vítimas e para lembrar a importância de se preservar a
Rousseau escreve em “Cartas Escritas da Montanha” um liberdade de expressão. Seriam as mortes um atentado à
trecho interessante dizendo que a liberdade, para ser de liberdade de expressão? O humor produzido pelos
todos, deve antes ser justa: cartunistas teria ido longe demais, ao retratar figuras e
aspectos de religiões conservadoras, como o Islamismo?
É importante considerar, ainda, que o humor é usado em ANOTAÇÕES
alguns casos para reforçar, mesmo que de uma forma não
intencional, VISÕES PRECONCEITUOSAS E
DISCRIMINATÓRIAS que estão inseridas culturalmente
numa sociedade. Quando um comediante faz uma piada
relativizando a mulher como um mero objeto sexual,
diminuindo-a como indivíduo e, outras pessoas ao ouvir,
riem disso, é porque aquilo é visto como banal e engraçado
por essa sociedade. Da mesma forma ocorre com uma
piada que diminui o negro ou o homossexual, ao invés de
trazer uma crítica às discriminações que sofrem até hoje na
sociedade. Por exemplo, rir das minorias é rir de uma
realidade que, para alguns, é sofrida e frustrante a cada dia.
É preciso limitar o humor quando, por exemplo, ele
incentivar preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e
quaisquer outras formas de discriminação; for ofensivo a
uma determinada religião ou crença; violar de forma
injustificada e desproporcional a intimidade, a vida privada,
a honra ou a imagem de uma pessoa; e incentivar
discriminações ou discursos racistas.
PROPOSTA 3

Diversas cidades europeias estão em alerta diante das agressões contra turistas e do mal-estar dos habitantes locais, que
consideram que o crescimento do turismo representa exploração sem controle e elevação de preços, especialmente os de moradia.
No entanto, a polêmica se torna um dilema para a indústria do setor que, em países como Itália, por exemplo, representa mais de
10% do Produto Interno Bruto. Por outro lado, cidades como Amsterdã pretendem elevar os preços justamente como medida
regulatória para evitar o turismo predatório.

(Disponível em: oglobo.globo.com, com adaptações)

Considerando o que se afirma acima, desenvolva um texto dissertativo-argumentativo. Justifique seu ponto de vista.
ABORDAGEM TEMÁTICA

Embora seja uma prática milenar, somente agora o ou destruí-lo. Essa é uma ação essencial, porque além de
TURISMO ganhou relevância entre os estudiosos e foi servir para lazer, as áreas visitadas servem para estudos e
reconhecida a sua importância como atividade. Sua prática pesquisas sobre a biodiversidade e a natureza da região. O
País oferece uma grande quantidade de destinos de
e existência são finalmente consideradas, apesar de o ramo
ecoturismo. E essa contribuição é uma via de mão dupla,
turístico contar ainda com um número pequeno de sendo benéfica tanto para quem visita os locais, quanto
especialistas no assunto. O Turismo está hoje no auge de para quem mora nos arredores desses patrimônios. Não há
seu reconhecimento, visto que agora se formulam dúvidas de que a principal vantagem do ecoturismo é
conceitos a seu respeito e os estudam, além de serem a conscientização ambiental. Porém, o ecoturismo é restrito
propagadas informações relevantes à garantia de sua em suas visitas: ele não é um tipo de turismo em massa e
importância para todo e qualquer indivíduo. Além de se somente públicos menores são aceitos para afetar
minimamente os espaços naturais. Ao contrário do que
mostrar importante para a harmonização da sociedade,
parece, o ecoturismo costuma ser um tipo muito caro, em
considerando-se o convívio de indivíduos de CULTURAS função da infraestrutura.
DIFERENTES, a atividade turística é grande contribuinte da
GLOBALIZAÇÃO. Além disso, é uma prática que movimenta TURISMO PREDATÓRIO: A diferença de turismo predatório
bastante a ECONOMIA dos países envolvidos. Pode-se e ecoturismo é notória. O turismo predatório destrói o
entender que o turismo consiste no ato de partir e espaço ambiental, uma vez que não se preocupa em
manter uma infraestrutura mais preparada para receber
posteriormente regressar ao ponto inicial, onde o
pessoas de modo a preservar áreas verdes e outros
realizador desse giro é denominado turista. Várias práticas patrimônios naturais. O Governo da Tailândia, por exemplo,
de turismo são executadas em todo o Mundo. Entre as mais de acordo com relatos do jornal Bangkok Post, planeja
conhecidas estão turismo de compra, turismo de fechar uma das principais áreas turísticas do país, a ilha Koh
intercâmbio, turismo de negócios, entre outros. Mas vamos Tachai. O motivo é o turismo predatório, que está
destacar 2 classificações que estão relacionadas à Natureza: destruindo o meio ambiente da ilha.

ECOTURISMO: Trata-se de um tipo de turismo concentrado Ainda no tocante ao turismo, é importante destacar um
na preservação do meio ambiente e na conscientização fenômeno que tem crescido em muitos lugares do Mundo.
ambiental. Isso porque o ecoturismo se baseia na utilização Trata-se da TURISMOFOBIA, uma aversão aos viajantes,
eleitos como os culpados por muitos dos problemas da
sustentável de patrimônios ambientais, sem prejudicá-lo ou
cidade.
A ONDA TURISMOFÓBICA avança sobre alguns destinos ANOTAÇÕES
europeus, como Veneza, na Itália, e Barcelona, na Espanha.
No segundo semestre de 2017, muros barceloneses
apareceram pichados com inscrições, como “Todos os
turistas são desgraçados” e “Turistas, voltem para casa” –
escritas sempre em inglês para que não restem dúvidas
sobre quem são os alvos dos protestos. Neste ano, (2017)
sete hotéis em Barcelona foram atacados por grupos
antituristas que quebraram vidraças e assustaram os
visitantes. Ainda em julho do mesmo ano, mais de 2 mil
pessoas marcharam em Veneza contra os turistas. Os
manifestantes reclamavam da inflação do aluguel e do
impacto ambiental causado pelos navios de cruzeiros que
aportam na cidade. Veneza recebe mais de 20 milhões de
habitantes por ano, mas apenas 55 mil pessoas moram lá –
número que vem diminuindo nas últimas décadas. Estima-
se que 1.000 venezianos deixem a cidade a cada ano,
expulsos pelos aluguéis cada vez mais caros. Se a população
continuar a cair, é provável que Veneza não consiga mais
suportar o volume de turistas a que está acostumada. A
Organização Mundial de Turismo (OMT), órgão das Nações
Unidas (ONU), demonstrou preocupação com a crescente
intolerância com turistas e pediu que os governos
trabalhem para que o setor se desenvolva de modo
sustentável.
PROPOSTA 4

O crescimento populacional nas grandes cidades do mundo é tendência bastante clara. Segundo previsões, nos Estados
Unidos, na China e na Índia, por exemplo, a população das maiores cidades deve aumentar, até 2050, em 33%, 38% e 96%,
respectivamente.

Considerando o que se informa acima, escreva um texto dissertativo-argumentativo, discutindo a associação entre ações
de planejamento urbano e a utilização efetiva dos diversos modos de transporte nas grandes cidades.

(Adaptado de: Claudio Bernardes. Disponível em: www.folha.uol.com.br/colunas/claudiobernardes)


ABORDAGEM TEMÁTICA

O CRESCIMENTO POPULACIONAL no mundo inteiro é um Pensar no futuro nos permite estar mais preparados hoje.
fato inquestionável. De acordo com o relatório Dessa maneira, os líderes do Estado devem estar dispostos
"Perspectivas da População Mundial: A Revisão de 2015" a buscar soluções para os desafios, a fim de gerenciar os
publicado pela Organização das Nações Unidas (ONU), a riscos futuros. As cidades que não se planejarem hoje,
atual população mundial de mais de 7 bilhões de pessoas possivelmente entrarão em COLAPSO mais tarde.
vai alcançar a marca de 8,5 bilhões até 2030, e de 9,7
Moradia, emprego, acessibilidade e segurança são as
bilhões em 2050. Com esse ritmo, o planeta deve chegar a
principais preocupações dos habitantes urbanos. Esses
2100 com 11,2 bilhões de seres humanos, um crescimento temas estão fortemente relacionados à forma urbana. As
de 53% em relação ao presente. Grande parte desse políticas adequadas de densidade, uso do solo, espaço
contingente populacional vive nas cidades, o que público e projeto de infraestrutura e serviços podem fazer a
demonstra o crescimento da urbanização. O que se diferença na qualidade de vida a um preço justo. O projeto
percebe, no entanto, é que para suportar e garantir de um modelo espacial que responda às preocupações dos
cidadãos é um meio para proporcionar uma cidade melhor.
qualidade de vida para essas pessoas, cidades do Mundo
Entre os inúmeros desafios, estão o fornecimento de
inteiro, inclusive do Brasil, precisam de um sério
serviços, o aumento de favelas e assentamentos
planejamento urbano. E logo! irregulares, a insegurança, a extensão física da malha
urbana, a mobilidade, a falta de governança, o aumento das
O PLANEJAMENTO URBANO e REGIONAL estuda,
desigualdades, entre outros.
desenvolve e aplica projetos para ordenar o crescimento
das cidades, subúrbios e até mesmo regiões rurais. Seu Não obstante, a nova agenda urbana proposta e aprovada
principal objetivo é planejar e construir espaços que no Habitat III, encontro promovido pela ONU (Organização
minimizem problemas decorrentes dos processos de das Nações Unidas), prevê a promoção de assentamentos
urbanização, como poluição e engarrafamentos. Para isso, humanos ambientalmente sustentáveis e resilientes,
profissionais especializados na área contam com o apoio de socialmente inclusivos, livres de violência, economicamente
produtivos, melhor conectados e que possam, ainda,
diversos outros especialistas para criar espaços mais
contribuir com a transformação rural sustentável.
organizados. Entre eles, destacam-se engenheiros,
arquitetos, sociólogos, geógrafos, antropólogos,
historiadores, administradores e advogados.
PROPOSTA 5

Não é de hoje que se pergunta se a existência do museu ainda faz sentido, por mais que os antigos e tradicionais

museus continuem atraindo um bom público, ao passo que novos espaços não deixam de ser construídos. Contudo, à

medida que a própria arte se modifica, com os quadros tradicionais cada vez mais dando lugar a instalações, a

performances e aos grafites, parece crescer o número daqueles para quem, segundo Hal Foster, no artigo “Museus sem

fim” (revista Piauí, edição 105, Junho/2015), “a contemplação estética é tediosa, a compreensão histórica é elitista e, mais

do que isso, o museu é um lugar morto, um mausoléu”. Foster discorda: “Quando bem projetados e dotados de

programação inteligente, os museus admitem tanto entretenimento quanto contemplação, e nesse processo promovem

também alguma compreensão.” Assim, em lugar de propor que os museus permaneçam intocados, o que o historiador e

crítico norte-americano propõe é torná- s

-los em relação a nossas próprias época e

cultura, e vice-versa, e, nesse processo, quem sabe transformarmo-nos um pouco.”

Escreva um texto dissertativo-argumentativo posicionando-se em relação às diferentes ideias expostas no texto


acima.
ABORDAGEM TEMÁTICA

É notória a necessidade do homem em PRESERVAR sua faz presente. E talvez seja a hora certa para os museus, de
história. Analisar o passado significa também entender todo o Mundo, mostrarem o contrário. Vivemos em uma
muita coisa do presente e repensar o futuro. Para isso, ele sociedade cada vez mais tecnológica e conectada. Pensar
utiliza relatos, depoimentos, imagens, artefatos, entre em ambientes que conciliem o novo e o antigo pode ser
outros. O MUSEU se destaca como instrumento de análise uma grande ideia para conquistar o público que resiste à
do passado, uma vez que guarda consigo uma grande importância dos museus. Além disso, é fundamental
quantidade de informação e história, através dos seus DIALOGAR com a sociedade, a fim de mostrar a real
objetos. Telas de milhares de anos revelam o contexto da necessidade de analisar o passado, uma vez que olhar o
sua época, assim como estátuas e outros monumentos. passado é “estabelecer uma continuidade entre o que
aparentemente deixou de ser e o que ainda vai ser”
Hoje, vive-se em uma sociedade em que o DINAMISMO é
(Frederico Morais). Adaptar-se ao presente é
uma das principais características. Estamos em constante
indubitavelmente necessário quando se fala em uma
mudança, vivendo em um ritmo acelerado com
sociedade “líquida”, ou seja, em constante mudança.
transformações diárias em diversas esferas sociais. Todavia,
nem sempre foi assim. Há pouco tempo, a cultura foi É preciso considerar, ainda, que sociedade e cultura são
marcada por estabilidade, rigidez e particularismos hoje mais próximas que nunca. E os museus desempenham
acentuados. Os museus, enquanto instituições culturais, um papel importante na MEDIAÇÃO DESSAS RELAÇÕES.
partilharam dessas características durante grande parte da Eles criam novos sentidos para as coisas e (re)definem a
sua existência, procurando agora acompanhar as mudanças realidade, razão pela qual são considerados práticas de
que lhe são impostas pela sociedade onde estão inseridos. significação. São instituições sociais muito complexas que,
Tais mudanças implicam em uma reconfiguração do museu num curto espaço de tempo, passaram de um papel social
na sociedade, das suas práticas, dos seus discursos, dos relacionado com a produção de saber para um papel
seus públicos, da sua capacidade econômica. Não é difícil essencialmente autorreflexivo, autocrítico e auto
encontrar pessoas que ainda consideram os museus questionador, não só de si, mas também da sociedade em
desnecessários e um lugar de “velharias”. Embora a volta.
importância dos museus seja clara, tal mentalidade ainda se
PROPOSTA 6

Segundo uma revista internacional, vários cientistas dedicam-se, atualmente, à missão de prolongar ao máximo a vida
humana (até 120 anos no mínimo). Investigam se a imortalidade não estaria de fato ao alcance do homem.

A revista concede o benefício da dúvida a todas as utopias da ciência, mas alerta para diversos problemas, como os
demográficos, econômicos e de ordem social.

(Adaptado de: joaopereiracoutinho. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/colunas)

Desenvolva um texto dissertativo-argumentativo a respeito das questões levantadas no texto acima.


ABORDAGEM TEMÁTICA

A famosa Fonte de JUVENTUDE, até onde se sabe, é uma Além disso, o avanço de pesquisas científicas dedicadas a
lenda greco-romana que foi apropriada pelo Renascimento esse assunto é enorme. Acredita-se que, no futuro, os
Europeu no Século 16. Na mitologia, a fonte da juventude é médicos serão capazes de superar o envelhecimento e
um rio que saía do Monte Olimpo e passava pela Terra. descobrir a tão esperada FÓRMULA DA IMORTALIDADE.
Como vinha de deuses, seria capaz de dar a imortalidade a Prova disso é a previsão de um grupo muito especial de
quem bebesse de sua água. Outras civilizações também cientistas, conhecidos por ocupar a vanguarda de pesquisas
mencionaram águas milagrosas. Registros iondus de 700 que permeiam temas, como a ciência da computação, a
a.C. citavam um “poço da juventude”. Até mesmo biologia e a biotecnologia. Entre eles, estão George
Alexandre, o Grande, teria buscado o rio da imortalidade, Church, Professor da Universidade Harvard, nos Estados
impulsionado por um conto hebraico. Unidos, o Gerontologista e Biomédico especializado em
antienvelhecimento Aubrey de Grey e o Engenheiro
A questão da IMORTALIDADE não é uma temática recente
Raymond Kurzweil, do Massachusetts Institute of
na História da Humanidade. Lendas, como essa, provam
Technology (MIT), que profetizou o surgimento da Internet.
que o ser humano sempre buscou evitar o
Eles são os líderes de uma espécie de nova filosofia,
ENVELHECIMENTO, um fenômeno natural do corpo
batizada de Singularidade. Na Astronomia, Singularidade
humano. Embora muitos acreditassem que isso seria
nomeia um lugar no espaço onde um corpo não
impossível, o tempo e a evolução tecnológica parecem
envelhece. Segundo esse grupo, o ano de 2045 dará início a
mostrar o contrário. Diversos estudos no Mundo inteiro
uma nova era em que a Medicina oferecerá à humanidade
têm procurado oferecer soluções para retardar o
a possibilidade de viver por um tempo jamais visto. Órgãos
envelhecimento. O desenvolvimento de áreas, como a
que não estejam funcionando poderão ser trocados por
biotecnologia, tem contribuído com essa questão.
outros, melhores, criados especialmente para cada
A Organização das Nações Unidas (ONU) classifica
indivíduo. Partes do coração, do pulmão e até o cérebro
biotecnologia como “qualquer aplicação tecnológica que
poderão ser substituídos. Minúsculos circuitos de
utiliza sistemas biológicos, organismos vivos, ou seres
computador serão implantados no corpo para controlar
derivados, para fabricar ou modificar produtos ou processos
reações químicas que ocorrem no interior das células.
para utilização específica”.
Estaremos a poucos passos da imortalidade.
PROPOSTA 7

A forma de vida em que a geração jovem de hoje nasceu, de modo que não conhece nenhuma outra, é uma sociedade de
consumidores e uma cultura “agorista”  inquieta e em perpétua mudança  que promove o culto da novidade e da
contingência aleatória. Numa sociedade e numa cultura assim, nós sofremos com o suprimento excessivo de todas as coisas,
tanto os objetos de desejo, quanto os de conhecimento, e com a assombrosa velocidade dos novos objetos que chegam e dos
antigos que se vão.
(BAUMAN, Zygmunt. Sobre a educação e a juventude. Trad. Carlos Alberto Meideiros. Rio de Janeiro: Zahar,
2013)

A informação se tornou objeto de consumo; nem sempre, porém, é problematizada de modo a tornar-se um conhecimento
produtivo.

Com base nos excertos acima, redija um texto dissertativo-argumentativo, justificando seu ponto de vista.
ABORDAGEM TEMÁTICA

Durante muito tempo, o ACESSO À INFORMAÇÃO se dava De acordo com o sociólogo francês Jean Baudrillard, a nossa
de maneira bastante restrita nas sociedades. Na Idade realidade é ditada por uma incrível quantidade de
Média, por exemplo, a Igreja Católica detinha grande poder informação que flui em nossa vida a partir de tantas formas
e censurava a maioria dos objetos de conhecimento. No de mídia. Um EXCESSO DE INFORMAÇÃO desabando em
entanto, o cenário mudou. Com o passar dos séculos, em nossa consciência, segundo ele, põe fim à informação,
um processo gradual, o acesso à informação começou, de porque nos afogamos em complexidade e buscamos a
fato, a acontecer. O surgimento de tecnologias, como a solução simples que nos é dada. Isso implica dizer que o
Internet, foi marcante nesse processo. Hoje, apesar de mundo está se tornando cada vez mais superficial. Ainda
muitas pessoas ainda viverem à margem da informação, segundo o sociólogo, existe tanta informação no mundo
nota-se que uma grande parcela da população mundial moderno que não podemos absorvê-la por completo para
consegue ter acesso a ela. descobrir o que de fato está acontecendo. A MÍDIA tem
importante papel nessa dinâmica, uma vez que simplifica as
A questão agora é a seguinte: Ter acesso à informação
coisas, decidindo o que “tornar real”. A replicação de certas
significa ser bem informado e ter conhecimento? Parece
imagens e histórias nos leva a aceitá-las como “realidade”.
que não! Um dos fatores preponderantes da ‘nova’
sociedade é a tecnologia da informação. Essa crescente Não é difícil lembrar um exemplo que comprove essa
evolução dos elementos tecnológicos na sociedade questão. No WhatsApp, famoso aplicativo virtual que
capitalista tem revolucionado significativamente o modo de ganhou bastante força nos últimos anos, é comum o
viver, pensar, agir e comunicar, alterando radicalmente a compartilhamento de imagens e mensagens com
estrutura da sociedade baseada nos moldes tradicionais de informações que, muitas vezes, são irreais. As famosas
produção. A acelerada MUTAÇÃO DA SOCIEDADE exige, do “fake News” (notícias falsas) também evidenciam essa
indivíduo, uma reciclagem constante e continuada de seu questão, uma vez que manipula o leitor a seguir uma linha
estoque de conhecimento, na tentativa de corresponder ao de raciocínio que pode estar equivocada. De fato, vive-se
ritmo da mudança. Embora a tecnologia permita o acesso à em um mundo onde há cada vez mais informações que
informação, ela por si só não operacionaliza o processo de nem sempre geram conhecimento.
conhecimento.
PROPOSTA 8

Epicuro havia percebido que as leis não educam: que não eram feitas para serem propriamente obedecidas, mas para
garantir, sobretudo, a possibilidade de punição. Ele se deu conta, por um lado, de que a educação e as necessidades básicas do
ser humano deveriam ser gerenciadas pela pólis (Estado); por outro lado, viu que era preciso, de algum modo, isolar para
educar, porém, sem reclusão, porque a virtude do caráter político não se reduz, afinal, a um modelo ou teoria, tampouco ao
recinto de uma instituição ou de uma pólis.

(Adaptado de: SPINELLI, Miguel. Epicuro e as bases do epicurismo, São Paulo, Paulus, 2013, p. 8)

Com base no excerto acima, escreva uma dissertação justificando amplamente seu ponto de vista.
ABORDAGEM TEMÁTICA

EPICURO foi um filósofo grego que nasceu em 341 a.C, em Em sua “Escola Jardim”, empenhou-se em oferecer os
Samos. Ele afirmava que o homem deveria encontrar a remédios para os males do Mundo, recomendando, aos
FELICIDADE NO PRAZER - proposta inovadora em sua seus seguidores, uma vida simples, dedicada à meditação
época. De extrema importância, a filosofia de Epicuro é a filosófica e à busca do prazer proporcionado pela
visão de paz de espírito e tranquilidade como objetivo de convivência com os amigos. Ao fazê-lo, consciente de seu
vida. Sua opção por conceder autonomia à vontade papel, Epicuro forneceu as bases de um perfil de sociedade
individual se associava às condições políticas de Atenas. A que passava pela educação do homem.
cidade, centro político da Grécia Clássica, sempre foi o
Os gregos acreditavam que a felicidade dependia da
referencial pelo qual o grego se orientava, mas a sua
participação do cidadão na vida pública, mas a conquista de
sujeição ao império macedônico pôs fim aos ideais da vida
Atenas, por Alexandre Magno, tirou da cidade política a
pública grega. A derrocada da Grécia contribuiu para o fim
capacidade de assegurar, nos planos social e político, a
do modelo democrático e de cidadão, ampliando as crises
liberdade do homem. A felicidade, nesse caso, só poderia
de ordem econômica, política e filosófica.
acontecer na individualidade e na convivência com os
Com a ruptura da identificação entre homem e cidadão, o amigos. Diante disso, as leis políticas passaram a ser
grego perdeu o gosto pela administração pública e pelas substituídas, no Jardim, pela busca do prazer enquanto
referências morais que a ela estavam associados. Tal ideal.
condição obrigou os homens, por força dos
acontecimentos, a fecharem-se em si mesmos e buscarem,
no seu íntimo, os conteúdos éticos e as metas que lhes
orientariam a vida. Foi nesse contexto que Epicuro pensou
sua doutrina filosófica: opôs-se à Cidade-Estado, não
desejando sua restauração, mas, ao contrário, o
afastamento do homem da vida pública. Aconselhou seus
discípulos a absterem-se da política, por considerá-la a
causa da infelicidade e a doença de seu tempo.
PROPOSTA 9

Mapa-Múndi

A facilidade de comunicações acabou com esses tanques em que floresciam as diferentes culturas. Quando antes se olhava o
mapa-múndi e via-se cada país de um colorido diferente, podia-se tomar isso ao pé da letra. É verdade que o mundo continuou
a ser uma colcha de retalhos; mas são todos da mesma cor.
(QUINTANA, Mário. Prosa & Verso. Porto Alegre: Globo, 1978, p. 60)

A partir das reflexões de Mário Quintana, redija um texto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema:

A revitalização das culturas tradicionais e a promoção do respeito à diversidade cultural


ABORDAGEM TEMÁTICA

O termo “cultura” refere-se a tudo aquilo que os indivíduos Para tanto, são estabelecidas normas de orientação na área
possuem, pensam e realizam dentro de uma determinada cultural, por meio de instrumentos jurídicos, com o intuito
sociedade. É um conjunto de EXPERIÊNCIAS HUMANAS que de proteger a cultura em suas várias manifestações. A
tem, como alicerce, o contato social entre os povos, ao diversidade cultural é compreendida pela Unesco como a
longo do tempo. Com o passar dos séculos, o processo de “multiplicidade de formas, pelas quais as culturas dos
globalização entre as nações foi de fundamental grupos e sociedades encontram sua expressão” (UNESCO,
importância para o múltiplo contato entre diversas formas 2005, p. 5), tendo os direitos culturais como marco. Os
culturais. A fim de evitar conflitos e promover o respeito, direitos culturais são reconhecidos como “parte integrante
notou-se a necessidade de entender o conceito de dos direitos humanos, que são universais, indissociáveis e
diversidade cultural e propagá-lo, diante de um cenário interdependentes” (UNESCO, 2002, p. 3), abarcando o
cada dia mais misto. direito 1) à criação e difusão cultural, 2) à participação na
vida cultural, 3) ao respeito às identidades e 4) ao livre
Numa democracia participativa, a cultura deve ser encarada
exercício das práticas culturais.
como expressão de cidadania. Um dos objetivos de governo
deve ser, então, o da promoção das formas culturais de Entender que dentro de uma mesma sociedade é possível
TODOS OS GRUPOS SOCIAIS, segundo as necessidades e haver divergências culturais é fundamental para que o
desejos de cada um, procurando incentivar a participação indivíduo possa RESPEITAR as demais formas de cultura.
popular no processo de criação cultural, promovendo Alguns grupos ou pessoas podem ter fortes valores
modos de autogestão das iniciativas culturais (CALABRE, baseados em crenças, por exemplo. Já outros, talvez
2007, p. 102). O reconhecimento e a VALORIZAÇÃO das prefiram seguir a lógica da ciência, a fim de compreender o
múltiplas práticas culturais são uma das disposições mundo. De fato, a diversidade cultural é inegável em uma
presentes em muitos organismos internacionais, entre eles, realidade cada vez mais globalizada. Respeitar e conviver de
a Unesco, um dos organismos mais importantes do sistema forma harmônica é vital, uma vez que, como defendido
das Nações Unidas. Criada em 1945, a Unesco procura pelo Filósofo Utilitarista John Stuart Mill, todas as opiniões
funcionar como espaço de cooperação entre os países, no são necessárias para o desenvolvimento da Humanidade.
âmbito da Educação, Ciência e Cultura.
PROPOSTA 10

Quando se trata da obrigatoriedade do voto, a discussão que se impõe, para alguns, é aquela sobre a qualidade do voto, mais
do que sobre a sua obrigatoriedade. A questão primordial seria a de garantir a efetiva participação do cidadão no processo
democrático. Outros afirmam que se deve facultar às pessoas o direito de participar ou não desse processo.

Considerando o que se afirma acima, redija um texto dissertativo-argumentativo justificando amplamente seu ponto de vista.
ABORDAGEM TEMÁTICA

A DEMOCRACIA pode ser entendida como uma forma de Aqueles que são contra acreditam que “a maior ou menor
Governo na qual o povo é quem possui o PODER. A participação depende sobretudo do interesse ou
democracia direta é aquela que os cidadãos participam desinteresse que os cidadãos demonstrem em cada eleição.
diretamente das decisões políticas. As primeiras Inclusive o voto chamado “antipolítica” (como, por
democracias da antiguidade foram desse tipo. Já na exemplo, o nulo ou o branco), não significa um voto contra
democracia indireta, os cidadãos escolhem representantes a democracia ou contra a legítima Constituição do país.
que passarão a governar em nome de todos. É o mais Pode indicar, simplesmente, uma forma de
comum na atualidade. É preciso considerar que, no germe descontentamento com o modo de governar dos políticos
da democracia, nem todos tinham o direito de votar e eleitos democraticamente, ou simplesmente a vontade de
participar da vida política da sua cidade. Hoje, o direito do abrir espaço a novas formas de democracia mais modernas
voto a todos os cidadãos, homens ou mulheres, analfabetos e mais adaptadas aos novos instrumentos de comunicação
ou alfabetizados, é, sem dúvida, uma grande conquista. No global que a tecnologia oferece hoje”. (Juan Arias)
entanto, no caso brasileiro, embora seja um direito do
Vale destacar que 85% dos países adotam o voto facultativo
cidadão, o voto ainda é obrigatório. Aquele indivíduo que
atualmente, de acordo com dados do ACE Project.
não comparecer no dia da votação e não justificar sua
ausência para a Justiça Eleitoral, fica sujeito a punições, Por outro lado, os defensores do voto obrigatório expõem
como o impedimento de diversas atividades no país (se que grande parte da população brasileira ainda vive em
inscrever em concurso para cargo ou função pública, estado de pobreza e possui um baixo nível de escolaridade.
receber remuneração de função ou emprego público, obter Essas pessoas, muitas vezes, desconhecem seus direitos,
passaporte ou documento de identidade, renovar matrícula inclusive o de votar. Desse modo, a tendência é que o voto
em estabelecimento de ensino público). facultativo retire das urnas justamente essa população
excluída. Outro argumento seria que o voto obrigatório
De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Datafolha, o
força a população a pensar sobre a política nacional, o que
número de pessoas que não concordam com o voto
resultaria, a longo prazo, em uma cultura política forte no
obrigatório tem crescido no país. Cerca de 61% dos
país.
brasileiros são contra essa obrigatoriedade.
PROPOSTA 11

O utilitarismo, iniciado por Jeremy Bentham, concentra-se na felicidade individual como a melhor forma de avaliar o
grau de desenvolvimento humano. Outra abordagem avalia tal desenvolvimento de acordo com a renda, a riqueza e os
recursos dos indivíduos.
Essas alternativas ilustram o contraste entre as abordagens baseadas na utilidade e nos recursos, em contraste com
a abordagem das capacidades baseada na liberdade.
(SEN, Amartya. A ideia de justiça. São Paulo, Companhia das Letras, 2009, p. 265)

A partir do que se afirma acima, desenvolva um texto dissertativo-argumentativo sobre a relação entre
Felicidade e Recursos Materiais.
ABORDAGEM TEMÁTICA

“Felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se o nível de bem-estar e satisfação pessoal, de autoestima e
passando inutilmente.” A frase de Érico Veríssimo se refere de felicidade são maiores e que o nível de ansiedade é
a um desejo que sempre esteve presente na humanidade: A menor, à medida que aumenta a riqueza da família, da qual
vontade de ser feliz. A busca pela FELICIDADE é o que move faz parte uma pessoa. O que mais importa, para que a
milhares de pessoas a lutarem pelos seus objetivos e felicidade cresça, é o nível de riqueza acumulada e não o de
persistir naquilo que acredita. Mas, o que é necessário de renda, segundo o ONS.
fato para ser feliz? A pergunta, aparentemente simples,
Já para defensores da FILOSOFIA UTILITARISTA, o bem-
tem um grande leque de respostas. Isso porque cada ser
estar (ou felicidade) é a única coisa que se revela
humano tem sua PERSPECTIVA de felicidade. Talvez, para
intrinsecamente boa, na medida em que representa a
você, ser feliz é ter um grande amor, ou ser realizado(a) no
“causa final” das ações. Na cadeia causal das ações, o ponto
seu trabalho. Mas isso é apenas uma maneira de pensar
de chegada é o bem-estar geral. O termo “utilitarismo” foi
sobre o assunto. Sócrates (469-399 a.C.), por exemplo,
utilizado pela primeira vez na carta de JEREMY BENTHAM
acreditava que a felicidade não se relacionava apenas à
para George Wilson em 1781 e posto em uso corrente na
satisfação dos desejos e necessidades do corpo, pois, para
filosofia por John StuartMill na obra Utilitarismo, de 1861.
ele, o homem não era só o corpo, mas, principalmente, a
Bentham é considerado pai dessa filosofia, acreditando que
alma. Assim, a felicidade era o bem da alma que só podia
a utilidade está assentada apenas na felicidade e no prazer
ser atingido por meio de uma conduta virtuosa e justa.
humano. Sua teoria pode ser resumida como a promoção
Hoje, em um contexto totalmente diferente, nota-se que
da “maior felicidade para o maior número de pessoas”.
muitas pessoas acreditam que a sensação de felicidade está
diretamente relacionada com a capacidade de possuir BENS Desse modo, percebe-se que o conceito de felicidade se
MATERIAIS. A sociedade, influenciada pelo espírito expande por diferentes épocas, trazendo os mais variados
capitalista, sente a necessidade de ter cada vez mais PONTOS DE VISTA. Delimitar esse conceito talvez seja um
riquezas. Tal fato é o que motiva muitos indivíduos a equívoco, assim como acreditar que só existe um caminho
buscarem a felicidade através daquilo que é possível para ser feliz.
possuir. Até mesmo alguns estudiosos se dedicaram a
analisar essa questão. De acordo com um estudo publicado
pelo Escritório Nacional de Estatísticas Britânico (ONS),
lambar
PROPOSTA 12

Conforme adverte Alexis de Tocqueville, um Estado democrático deve ser caracterizado por um modelo político cujo
objetivo maior consista na instituição da igualdade e da liberdade entre seus cidadãos. No entanto, a força da maioria age de
forma absolutamente inversa, impondo certos desejos particulares em detrimento de qualquer oposição. Assim, o império da
maioria parece fragilizar o ideal de igualdade fundamental aos governos democráticos. Produzida e, constantemente,
reformulada pela maioria, a ação da lei, “ao mesmo tempo em que aumentava a força dos poderes que eram naturalmente
fortes, debilitava cada vez mais os que eram naturalmente fracos”.
(www2.ufrb.edu.br. Com adaptações)
A partir das ideias expostas acima, escreva um texto dissertativo-argumentativo. Justifique.
ABORDAGEM TEMÁTICA

A proposta baseia-se nas ideias do pensador político e pela igualdade de condições e por uma forma política que
historiador francês Alexis de Tocqueville, considerado um dá expressão para a vontade de todos os membros do
dos grandes teóricos sobre a democracia americana. corpo político. Para o pensador francês, é da própria
Especulou sobre a natureza essencial da própria essência dos governos democráticos o fato de o império da
democracia, suas vantagens e perigos. Em sua principal maioria ser absoluto, visto que a força da maioria é que vai
obra, “A Democracia na América”, um dos pontos impor desejos, dogmas e condições. Tocqueville adverte
analisados por Tocqueville foi o fato de que a democracia que fora da maioria não há nada que resista nas
poderia se tornar uma tirania de massas (regime no qual as democracias.
minorias não têm direitos assegurados).
Ocorre que, privilegiando a maioria, sempre haverá aqueles
O texto motivador apresentado pela FCC segue exatamente que estarão alheios ao benefício do Estado, ou seja, sempre
esse panorama, fazendo um jogo de oposição entre o existirá uma minoria em evidência. É nessa vertente que
IMPÉRIO DA MAIORIA e o IDEAL DE IGUALDADE, sendo, pode haver uma quebra do ideal de igualdade e,
este último, uma característica fundamental dos governos consequentemente, uma fragilização nos governos
democráticos. Assim, a maioria possui um império tão democráticos. Afinal, democracia, igualdade e compromisso
absoluto e tão irresistível, que quem quiser se afastar do político se alimentam mutuamente. De qualquer modo, o
caminho que ela traçou precisará, de certa forma, renunciar cerne para entender essa proposta está em compreender
a seus direitos de cidadão e, por assim dizer, à sua que Democracia não necessariamente significa vontade da
qualidade de homem. maioria, como um império absoluto. E isso fica claro no
texto motivador através do seguinte fragmento: “o império
Note, portanto, que o caminho a ser percorrido no texto
da maioria parece fragilizar o ideal de igualdade
dissertativo elaborado pelo candidato poderia ser
fundamental aos governos democráticos.” Em outras
exatamente o de que a força da maioria pode, por vezes, ir
palavras, o conjunto de deveres e direitos jurídicos
de encontro ao ESTADO DEMOCRÁTICO, no qual deve
previstos em um Estado Democrático precisa levar em
sempre prevalecer a garantia de uma sociedade pluralista,
conta as diferenças para que estas não se transformem em
livre, justa e solidária.
desigualdades, fazendo ruir a estrutura da democracia.
Consigne-se que um Estado Democrático é aquele marcado
PROPOSTA 13

Há, por trás do protocolo não escrito para o uso do espaço público, a acepção geral de que todos são iguais numa cidade e, logo,
perante a lei. A divisão igualitária do espaço público é uma consequência prática da tal "Religião Civil" que Rousseau afirmou ser
necessária para que o pacto social vingasse: a crença na ideia de que sairemos ganhando se cada um abrir mão de um pouco da
sua liberdade em nome de um bem maior.

(Adaptado de: PRATA, Antonio. Disponível em: www1.folha.uol.com.br/colunas/antonioprata/2017/07)

Desenvolva um texto dissertativo-argumentativo a partir das ideias expostas acima.


ABORDAGEM TEMÁTICA

A proposta apresentada tende a fazer uma reflexão acerca Nesse sentido, ao falar em “protocolo não escrito para o
do uso do ESPAÇO PÚBLICO, conceituado como aquele que uso do espaço público”, expressão trazida pelo texto
é de uso comum e posse coletiva. Existem os Espaços motivador da prova, quer-se pensar a respeito do seguinte:
Públicos que são totalmente livres e os que, mesmo mesmo não existindo oficialmente um conjunto de regras
públicos, possuem uma certa restrição ao acesso. Para para dispor e usar o espaço público, é preciso que cada um,
exemplificar e facilitar o entendimento, tome como utilizando-se do bom senso, saiba se portar nesses espaços,
referência praças, ruas, avenidas, pistas de skate, reservas para que, no final das contas, todos possam utilizá-los da
ecológicas e ciclovias. Ao fazer uso desses espaços, que não melhor forma. O texto diz que “todos são iguais numa
pertencem exclusivamente a mim, nem a você, é preciso cidade”, o que confirma ainda mais essa linha de raciocínio.
que cada um adote certos PARÂMETROS DE
COMPORTAMENTO, de modo que as minhas ações não
interfiram e nem limitem o modo como o outro vai dispor Mas, como isso se relaciona com as ideias do filósofo JEAN
desses lugares. JACQUES ROUSSEAU? E o que significa a “Religião Civil”
abordada por ele? Bom, de início é preciso que você
Nos espaços públicos livres, o direito de ir e vir é total e
compreenda que não há como esgotar esses
garantido a todos, sem qualquer tipo de diferenciação,
questionamentos, nem a finalidade da nossa abordagem.
exceto quando uma autoridade pública ou seu
Tentaremos traçar uma abordagem geral, relacionando à
representante restringe esse acesso, visando a segurança e
temática proposta. A Religião Civil é apresentada pelo autor
a convivência de todos em harmonia. Note que, mesmo
em uma de suas principais obras, O Contrato Social. A
quando há essa restrição, o fim principal a que se deve
defesa da necessidade de uma religião civil no Estado
observar é a COLETIVIDADE como um todo e não o
idealizado por Rousseau é apresentada como desfecho para
interesse particular de um determinado indivíduo. Não é
esse contrato. A relevância do assunto está no fato de que
porque uma avenida é ocupada em sua maioria por ônibus,
a religião faz o cidadão amar os seus deveres e,
caminhões e carros, que motos e bicicletas não tenham
consequentemente, isso aumenta a possibilidade de
direito de compartilhar esse espaço. Muitos veem a
cumpri-los.
presença desses meios como inadequada e impraticável,
mas ela é legítima, garantida por lei, demandando
aceitação e respeito.
Para Rousseau, “"importa ao Estado que cada cidadão ANOTAÇÕES
tenha uma religião que o faça amar seus deveres; os
dogmas dessa religião, porém, não interessam nem ao
Estado nem a seus membros, a não ser enquanto se ligam à
moral e aos deveres que aquele que a professa é obrigado a
obedecer em relação a outrem".

Tudo isso acaba se entrelaçando com a noção de


LIBERDADE, no sentido de que às vezes precisamos
renunciar um pouco da nossa para conviver melhor e não
ferir a dos demais. Num espaço público, por exemplo,
somos livres para nos expressar, expor opiniões e ser quem
somos. Todavia, isso não pode ferir ou ir de encontro ao
direito do outro. Então, vez ou outra, é preciso “abrir mão
de um pouco da nossa liberdade, em nome de um bem
maior”. Esse bem maior pode ser representado pela
coletividade.

Nesse aspecto, nota-se a necessidade de centrar-se na


questão do espaço público como algo que pertence à
coletividade. Viver em sociedade significa também estar
atento a algumas regras que, mesmo não estando escritas
num papel ou codificada em legislações, devem ser
cumpridas pelo seio social a fim de que se alcance uma
melhor convivência.
PROPOSTA 14

O equilíbrio entre os corpos sociais é bastante difícil e exige que não se simplifiquem ou meramente se oponham campos como
religiosidade, direitos humanos e diferentes culturas. Frente a tamanha complexidade, se as leis não abarcam todos os casos sem
incorrer em injustiça, resta-nos talvez o princípio da equidade.

Com base no texto acima, redija um texto dissertativo-argumentativo defendendo seu ponto de vista.
ABORDAGEM TEMÁTICA

São frequentes os debates envolvendo questões, como Olhando por um viés contemporâneo, percebe-se
religiosidade, direitos humanos e diferenças culturais. A claramente a impossibilidade de a lei trazer, em seu texto,
proposta cita esses três campos, relacionando-os com o todos os casos e situações possíveis de acontecer no dia a
fato de que é difícil alcançar o equilíbrio entre eles. Dito de dia. A lei seria, nesse aspecto, insuficiente e a equidade se
outra forma, é difícil harmonizá-los, visto que existe grande apresentaria como uma alternativa para tal. A equidade
diversidade de opiniões, situações e casos que podem ser seria uma forma de se alcançar a justiça! Perceba que é
evidenciados. Então, frente a essa complexidade, tem-se o mais ou menos esse o raciocínio apresentado pelo texto
PRINCÍPIO DA EQUIDADE. Para a construção do texto, seria motivador, o que fica claro com a última frase: “resta-nos
essencial ter em mente a ideia básica apresentada por esse talvez o princípio da equidade”.
princípio. Note, também, que a proposta fala em injustiça,
Assim, na busca pelo equilíbrio entre os corpos sociais, ou
no sentido de que a lei não seria suficiente para fazer frente
seja, na tentativa de harmonização entre as diferentes
sozinha e abarcar toda essa discussão e, por não ser
concepções e pontos de vistas existentes na sociedade, a
suficiente, poderia não ser justa.
equidade seria uma possível solução, uma vez que a lei não
Em linhas bem gerais, a equidade representa um recurso é capaz de abordar tudo. Ao confrontarmos religiosidade,
auxiliar e acessório na aplicação da lei. É tradicionalmente direitos humanos e diferenças culturais, por exemplo, tal
conhecida como aplicação do bom senso ou da justiça no ideia fica ainda mais evidente.
caso concreto. Seria, pois, um instrumento a ser utilizado,
ATENÇÃO!
na tentativa de se alcançar um melhor ideal de justiça.
Segue-se que uma das formas plausíveis de corrigir as É certo que sempre houve a necessidade de se criar um
falhas e omissões da justiça legal, ou seja, das leis número de regras mínimas que pudessem garantir o
elaboradas pelo legislativo, é recorrendo ao dispositivo da convívio entre os homens, até mesmo nas sociedades mais
equidade. Para Aristóteles, pensador no qual esse termo primitivas. No Ordenamento Jurídico Brasileiro, temos a
tem origem, a essência do homem é a capacidade de figura do Juiz como o principal sujeito responsável por
raciocinar – em especial usar a razão prática para aplicar a lei e fazer justiça.
determinar a melhor forma de viver.
A lei, portanto, deve ser o principal instrumento a ser ANOTAÇÕES
utilizado pelo julgador na hora de fazer o direito. Então,
quer dizer que o princípio da equidade não é válido no
nosso Ordenamento? Apenas a Lei pode ser utilizada? Não
foi isso que disse! Mas, se a gente fosse colocar numa
escala, a lei assumiria o topo, entende? O juiz precisa, antes
de tudo, considerar o caso particular que está sob sua
avaliação, dentro da universalidade estabelecida pela lei, ou
seja, ele reconhece primeiro as disposições legais que
podem incluir, em suas previsões, o caso presente. Seu
instrumento primordial de realização da justiça é a Lei.
Apenas ao constatar a inaplicabilidade da lei diante do caso,
poderá o juiz recorrer à equidade, devido ao seu potencial
corretivo relacionado à realização da justiça.
PROPOSTA 15

Um condomínio é estruturalmente semelhante a outros redutos cercados, como a prisão, o shopping center e a fa- vela. Seus muros
não têm apenas a função defensiva de nos proteger: eles criam um senso de exclusividade. Vemos sur- gir síndicos e muros, mas
também uma hipertrofia de regras, regulamentos e estatutos que exigem um contínuo processo de autoadequação.

A expansão da vida em forma de condomínio tornou o medo, que justifica os muros, e a inveja, que é a satisfação dos que estão
dentro e fantasiam que os de fora querem entrar, nossos afetos políticos dominantes.

(Adaptado de: DUNKER, Christian Ingo Lenz. Disponível em: http://www.diplomatique.org.br/artigo.php?id=1915)

Considerando o que se afirma acima, redija um texto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema:

O medo e a inveja em uma sociedade segmentada.


ABORDAGEM TEMÁTICA

Vive-se numa era marcada pelo constante MEDO DO Tudo isso contribui para a formação de uma SOCIEDADE
OUTRO. Se você está caminhando em um local pouco SEGMENTADA, entendida como aquela na qual grupos
movimentado e, de repente, avista um outro indivíduo, sociais vivem isolados, divididos, fracionados. Na tentativa
provavelmente esse sentimento tomará conta de você. O de reagir ao medo, aumenta-se a busca por segurança e
medo significa emoção e vem atravessando o cotidiano de isso acaba gerando tal divisão. Os muros, nesse sentido, são
forma cada vez mais presente na vida coletiva e individual. utilizados no texto motivador como instrumentos na busca
Isso leva à modificação de hábitos e também a pela segurança perdida, que é cada vez mais acentuada
comportamentos sociais. Nos grandes centros urbanos, por pelo aumento do medo.
exemplo, nota-se que a população vem deixando de
Todo esse cenário de divisão acaba, de certa forma,
frequentar determinados espaços por medo da violência e
fortalecendo a INVEJA, sentimento que, a depender do
da criminalidade que permanecem em constante aumento.
ponto de vista, pode ser visualizado de diversas formas.
Isso faz com que a população, que detém um maior poder Considerada uma disposição de espírito, geralmente ela diz
aquisitivo, busque proteção e, assim, novos contornos vão respeito ao desejo de possuir ou gozar o que é possuído ou
surgindo. Ao analisar condomínios em sua essência, além gozado por outrem. O invejoso sofre por aquilo que lhe
de todo o luxo e conforto que as instalações buscam falta ou simplesmente se alegra com o sofrimento alheio.
oferecer aos moradores, é possível observar uma
Portanto, para elaborar sua redação e entender a intenção
infraestrutura de proteção que envolve, na maioria das
da proposta, uma boa sugestão seria abordar o teor do
vezes, câmeras, portaria blindada, controle de acesso
texto motivador a partir do seguinte percurso:
automatizado na garagem, botão de pânico, senha no
portão de pedestres, alarmes, entre outros meios de se - Aumento generalizado do medo e constante busca por
garantir a segurança daqueles que estão do lado de dentro segurança;
do muro. Com o aumento do medo e dos índices de
violência, a “indústria da segurança” também cresceu, visto - Formação de uma sociedade segmentada;
que a demanda e a procura por ela aumentaram - Inveja como uma característica ou como consequência
significativamente. desse processo.
PROPOSTA 16

O direito à cidade não pode ser concebido como um simples direito de visita ou de retorno; só pode ser formulado como
direito à vida urbana. (Adaptado de: LEVEBVRE, Henri. O direito à cidade. São Paulo, Centauro, 2011)

Entende-se por gentrificação (do inglês gentrification, “tornar nobre”) o fenômeno que afeta uma região ou bairro pela
alteração das dinâmicas da composição do local, tais como novos pontos comerciais ou construção de novos edifícios,
valorizando a região e afetando a população de baixa renda local. Tal valorização é seguida de um aumento de custos de bens
e serviços, dificultando a permanência de antigos moradores de renda insuficiente para sua manutenção no local cuja
realidade foi alterada.
(http://www.pbs.org/pov/flagwars/what-is-gentrification/)

A partir dos excertos acima, elabore um texto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema:

Direito à cidade
ABORDAGEM TEMÁTICA

O tema do direito à cidade é bastante amplo, podendo Ressalte-se que o conceito de direito à cidade foi
desaguar em vários aspectos e abordagens. O próprio texto desenvolvido pelo sociólogo francês Henri Lefebvre, em seu
motivador da proposta deixa isso claro, em sua primeira livro de 1968 Le droit à laville. Ele define o direito à cidade
parte, quando o relaciona ao direito à vida urbana. Dessa como um direito de não exclusão das qualidades e
forma, o leque de caminhos para falar desse assunto é benefícios da vida urbana na sociedade urbana. No texto,
imenso. A cidade significa muito mais do que morar. É um Lefebvre escreve sobre a segregação sócioeconômica e seu
ESPAÇO DE RELAÇÕES SOCIAIS que dialoga com vários fenômeno de afastamento. Ele se refere à “tragédia
fatores, como emocionais, culturais, meio ambiente, dos banlieusards”, pessoas forçadas a viver em guetos
trabalho, transporte, mobilidade, moradia. Note, portanto, residenciais longe do centro da cidade. Perante esse
que não estamos falando apenas de um conjunto de casas e cenário, exige o direito à cidade como uma recuperação
prédios isoladamente, mas uma espécie de portal que abre coletiva do espaço urbano por grupos marginalizados que
margem para vários outros debates e questionamentos. vivem nos distritos periféricos.
Essa noção de cidade, como um espaço aberto e não
Perceba que essa ideia está bem relacionada com o
isolado, poderia ser abordada pelo candidato.
conceito de GENTRIFICAÇÃO, apresentado na segunda
Pense, por exemplo, na questão do saneamento básico, que parte do texto motivador. Vem de gentry, uma expressão
ainda se configura como um enorme desafio a ser superado inglesa que designa pessoas ricas, ligadas à nobreza. O
nas cidades brasileiras. Segundo Raquel Rolnik, professora termo surgiu nos anos 60, em Londres, quando vários
da USP e ex relatora da ONU para os assuntos de Direito à gentries migraram para um bairro que, até então, abrigava
Moradia Adequada, quando pensamos em saneamento a classe trabalhadora. Esse movimento disparou o preço
ambiental, não estamos pensando só em água e esgoto, imobiliário do lugar, acabando por “expulsar” os antigos
mas em água, esgoto, lixo e drenagem. São as quatro, moradores para acomodar confortavelmente os que
indissociáveis. Percebeu como o assunto é gigante e pode chegaram. Semelhante ao que acontece num processo de
caminhar para várias abordagens? Nas palavras do revitalização urbana, a gentrificação se apoia no discurso de
sociólogo e urbanista Robert Park, a cidade é a tentativa “obras que beneficiam a todos”, mas é não motivada pelo
mais bem-sucedida do homem refazer o mundo em que interesse público e, sim, pelo interesse privado, relacionado
vive. com especulação imobiliária.
Alguns especialistas apontam o processo como sendo ANOTAÇÕES
decorrente da chamada “Sociedade Pós-Industrial”, na qual as
relações de consumo (demanda) ditam as relações de produção
(oferta), que representam uma condição natural e irreversível do
nosso tempo. Todavia, o fenômeno é enxergado, na grande
maioria das vezes, como uma nova forma de segregação e
exclusão. Isso porque o espaço urbano é transformado por meio
da mudança dos grupos sociais ali existentes, onde sai a
comunidade de baixa renda e entram moradores de classes mais
ricas. Há, desse modo, uma ausência de participação, na
formação da cidade, daqueles que foram excluídos do
desenvolvimento econômico, em virtude da gentrificação.

No Brasil, o Estatuto da Cidade de 2001 inscreveu o Direito à


Cidade na Lei Federal. No entanto, no contexto das rápidas
transformações em curso no Rio, com vistas à preparação para a
Copa do Mundo de 2014 e para as Olimpíadas de 2016 e em
decorrência da falta de participação pública nestas
transformações, o direito coletivo à cidade está seriamente
comprometido. Os moradores de favelas são especialmente
afetados, com milhares de pessoas enfrentando a ameaça de
remoção, passando por remoção ou que já foram removidos de
suas casas. Em protestos e debates por toda a cidade,
os moradores do Rio estão questionando até que ponto a sua
cidade está sendo modelada sem eles e para os outros.
PROPOSTA 17

Apesar da presunção de veracidade que confere autoridade, interesse e sedução a todas as fotos, a obra que os fotógrafos produzem não
constitui uma exceção genérica ao comércio usualmente nebuloso entre arte e verdade. Mesmo quando os fotógrafos estão muito mais
preocupados em espelhar a realidade, ainda são assediados por imperativos de gosto e de consciência.

[...]

O problema não é que as pessoas se lembrem através das fotografias, mas que se lembrem apenas das fotografias.

(SONTAG, Susan. "Na caverna de Platão", em Sobre a Fotografia, São Paulo, Companhia das Letras, 2008)

A partir do trecho acima, escreva um texto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema:

A imagem como produtora de sentidos na modernidade


ABORDAGEM TEMÁTICA

Em termos bem gerais, a imagem pode ser conceituada Note, nesse caso, que a imagem está sendo usada para
como figura, representação, semelhança ou aparência de influenciar a economia e favorecer, mantendo vivo, um
algo. Hoje, mais do que isso, ela parece ditar as “regras do determinado mercado. Grandes empresas e marcas já
jogo” do convívio social, tornando-se uma espécie de vício sacaram essa jogada e utilizam, cada vez mais, o recurso da
da modernidade. Nas redes sociais, por exemplo, o cenário imagem para atrair novos consumidores. A cultura pós-
é de competição. Cada um que tente fazer a melhor foto e, moderna interfere profundamente na cognição e na
por meio disso, passar a sensação de que está bem e feliz. constituição da subjetividade: produzem-se, assim, "tipos
A imagem, nesse aspecto, é mero instrumento para uma de pessoas" que incorporam, em seu cotidiano, cada vez
falsa noção de felicidade. Desse raciocínio, é possível mais a realidade apresentada pela imagem.
concluir que nem tudo o que vemos por aí está
Há, dessa forma, em grande parte das coisas que nos são
necessariamente representando a verdade de um fato.
transmitidas, toda uma intenção voltada a atingir
É possível falar, também, na sociedade da imagem como determinada finalidade. Ao falar da imagem como
um ambiente no qual se processa, com a ajuda da mídia, produtora de sentidos na modernidade, o candidato
uma nova expansão do capitalismo. Assim como a poderia perfeitamente adotar esse percurso argumentativo
industrialização e a urbanização mudaram o ritmo e as e construir o texto buscando abordar essas novas
feições da vida no Século XIX, as linguagens midiáticas tendências no uso da imagem.
alteraram decisivamente os modos de vida atuais. A cultura
baseada na imagem, dispondo de meios, como a televisão,
os computadores e a publicidade, fez nascer também novos
sentidos e formas de percepção. O que se vê é a
ESTETIZAÇÃO DA REALIDADE na qual a arte se mistura
indissoluvelmente à compra e à venda de produtos por
meio da criação de certas necessidades que favorecem
investimentos e criam, nos consumidores, a falsa sensação
de que dependem daquele produto e que, sem ele, não vão
conseguir viver.
GLOSSÁRIO
COM CONCEITOS IMPORTANTES
Absolutismo Abundância

a) Poder absoluto, ilimitado, do soberano. b) Sistema de Presença de bens materiais, conforto, ou provimentos
governo onde o poder está acima de qualquer direção adequados a subministrar as bases físicas para uma boa
ou fiscalização. c) Teoria do absolutismo. d) Termo vida. Este termo começou a ser usado, e entrou em voga
usado para designar a metafísica do absoluto. e) Diz-se, atualmente, ao ser empregado na chamada Filosofia da
familiarmente, do emprego de um espírito de abundância, em contraste com a escassez, condicionada
intransigência nas opiniões. f) "Absolutismo estético": por outras maneiras de conceber a organização
expressão usada para evidenciar a beleza objetiva e econômica da vida social.
absoluta, não relativa ao observador, tornando-se daí
padrão absoluto para a crítica. Foi esta acepção
primeiramente exposta por Platão. Mantiveram-na, na
filosofia, os intuicionistas, embora combatida pelos que
julgam a beleza meramente uma espécie de prazer e,
consequentemente, dependente do indivíduo. Kant
assume uma posição intermediária ao afirmar: a beleza
é subjetiva, mas o julgamento: "isto é belo" é sempre
realizado como se existisse um padrão objetivo. g) Na
moral é a doutrina que afirma que os mandamentos não
são ordens arbitrárias da divindade, nem meras
convenções humanas, variáveis portanto, mas válidas
intrinsecamente, as mesmas em todos os tempos.
Aculturação Arte

É o processo pelo qual a cultura é transmitida Em seu significado mais geral é todo conjunto de
através de contínuos e diretos contatos entre regras capazes de dirigir uma atividade humana
grupos de culturas diferentes, em que um deles é qualquer. Era nesse sentido que Platão falava da
quase sempre mais desenvolvido culturalmente. A Arte e, por isso, não estabeleceu distinção entre
aculturação compreende os fenômenos resultantes Arte e ciência.
do contato direto e contínuo dos grupos de
indivíduos de culturas diferentes, com as mudanças
consequentes nos padrões originais culturais de um
ou ambos grupos.
Burguesia Ciência

Classe social das pessoas que detêm os meios de Representa todo o conhecimento adquirido através
produção industrial. do estudo ou da prática, baseando em princípios
certos. Esta palavra deriva do latim scientia, sujo
significado é "conhecimento" ou "saber". Em geral,
a ciência comporta vários conjuntos de saberes nos
quais são elaboradas as suas teorias baseadas nos
seus próprios métodos científicos.
Conflito Conhecimento

Contradição, oposição ou luta de princípios, O conhecimento humano é a verdade acessível ao


propostas ou atitudes. Kant chamou as antinomias homem, e esta verdade é relativa, finita e limitada.
de Conflitos de teses. Hume falara de um Conflito Existe uma realidade absoluta, mas acesso direto a
entre a razão e o instinto: o instinto que leva a crer, esta realidade ou percepção direta dela é
a razão que põe em dúvida aquilo em que se crê. impossível. O conhecimento da realidade é relativo
e limitado ao conhecimento dos vários efeitos
produzidos por esta realidade absoluta. É um termo
que designa, em filosofia, o processo pelo qual o
sujeito apreende um objeto.
Consciência Capitalismo

A possibilidade de dar atenção aos próprios modos Um sistema econômico baseado na posse privada
de ser e às próprias ações, bem como de exprimi- de propriedade e de meios de produção, no qual as
los com a linguagem. firmas concorrem para vender bens com lucro e os
trabalhadores vendem seu trabalho por um salário.
Classe Social Consumismo

Uma hierarquia de status dentro de um sistema O estado de uma sociedade capitalista no qual a
social, refletindo poder, riqueza, educação e compra e venda de vários bens e serviços define a
prestígio. Apesar dessas classes variarem por época. O termo também se refere à percepção de
sociedade, os modelos ocidentais reconhecem três que os indivíduos desejam bens para construir sua
grandes grupos. A classe alta é um pequeno grupo identidade.
social que tem o maior status e é dono de uma
quantidade desproporcional da riqueza da
sociedade. O termo “classe média” se refere às
pessoas com boa escolaridade que fazem um
trabalho não manual, geralmente em escritórios. A
classe trabalhadora se refere às pessoas que fazem
trabalhos manuais, como nas fábricas ou na
agricultura.
Cultura Direito

Língua, costumes, conhecimentos, crenças, valores Em sentido geral e fundamental, Direito é uma
e normas que se combinam para gerar uma forma técnica da coexistência humana, isto é, a técnica
de vida em qualquer sociedade. Pode também se que visa possibilitar a coexistência dos homens.
referir às artes (como música, teatro, literatura etc.) Como técnica, o Direito se concretiza em conjunto
de regras - leis ou normas, que têm por objeto o
comportamento inter-subjetivo, ou seja, o
comportamento dos homens entre si.
Diversidade Ecologia

Toda alteridade, diferença ou dessemelhança. A Estudo das relações entre o organismo vivo e seu
Diversidade é mais genérica que os três termos ambiente, que constitui parte fundamental da
acima e pode indicar qualquer um deles ou todos biologia; ou estudo das relações entre o homem
juntos. Pode também indicar a simples distinção como pessoa e seu ambiente social, que constitui
numérica quando duas coisas não diferem em nada, parte da sociologia. Essa palavra é moderna e foi
exceto por serem numericamente distintas. Nesse introduzida pelos anglo-saxões.
sentido, a Diversidade é a negação pura e simples
da identidade; Wolff a definia dizendo que são
diversas as coisas que não podem ser substituídas
uma pela outra, permanecendo constantes os
predicados que se atribuem a uma delas, seja
absolutamente, seja em dada condição.
Estado Ética

O uso da palavra Estado deve-se a Maquiavel. Ramo da filosofia que trata de questões sobre como
Estado é a organização jurídica coercitiva de devemos viver e, portanto, sobre a natureza de
determinada comunidade. Podem ser distinguidas certo e errado, bem e mal, dever, obrigação e
três concepções fundamentais: 1 - A concepção outros conceitos.
organicista, segundo a qual o Estado é
independente dos indivíduos e anterior a eles; 2 - A
concepção atomista ou contratualista, segundo a
qual o Estado é criação dos indivíduos; 3 - A
concepção formalista, segundo a qual o Estado é
uma formação jurídica.
Eudemonismo Filantropia

Qualquer doutrina que assuma a felicidade como Amizade do homem para com outro homem. Essa
princípio e fundamento da vida moral. palavra foi assim entendida por Aristóteles e pelos
estoicos, que atribuíram essa amizade ao vínculo
natural, graças ao qual toda a humanidade constitui
um único organismo.
Gênero Globalização

As diferenças construídas socialmente, em vez de A modificação de formas globais – desde tendências


biologicamente, entre homens e mulheres. de moda a gêneros musicais – através do contato
com comunidades locais e individuais.
Gentrificação Ideologia

Uma mudança no caráter de uma comunidade Um arcabouço de ideias que oferecem um ponto de
urbana decadente, que é observável através do vista ou conjunto de crenças para um grupo social.
aumento no preço das propriedades e no influxo de
indivíduos mais ricos.
Linguagem Modernidade

A linguagem é um conjunto de sistemas, ligados um aos A condição da sociedade a partir do século XVII,
outros, cujos elementos não têm nenhum valor especialmente a mudança social criada pela Revolução
independente das relações de equivalência e de Industrial e pela urbanização.
oposição que os unem; é, no sentido mais corrente, um
instrumento de comunicação, um sistema de signos
vocais específicos aos membros de uma mesma
comunidade; é a capacidade específica, da espécie
humana, de se comunicar por meio de um sistema de
signos vocais, ou língua, que coloca em jogo uma técnica
corporal complexa e supõe a existência de uma função
simbólica, e de centros nervosos, geneticamente
especializados. No convívio social o homem se apropria
desse instrumento que se lhe oferece já elaborado para
utilização coletiva do que chama de língua. Consiste em
desenhar sinais correspondentes a ideias ou a que se
figura por certo signo, independente do vocábulo que se
possa ouvir para cada ideia, porém a linguagem não é
um sistema só de símbolos, mas também de estímulos,
que acordam imagens adormecidas e associadas.
Moral Niilismo

Conjunto de regras adquiridas através da cultura, É uma doutrina filosófica que indica
um pessimismo e ceticismo extremos perante qualquer
da educação, da tradição e do cotidiano, e
situação ou realidade possível. Consiste na negação de
que orientam o comportamento humano dentro de
todos os princípios religiosos, políticos e sociais. Tal
uma sociedade. Etimologicamente, o termo moral
conceito teve origem na palavra em latim nihil, que
tem origem no latim morales, cujo significado é significa "nada". O seu sentido original foi alcançado
“relativo aos costumes”. As regras definidas pela graças a Friedrich Heinrich Jacobi e Jean Paul. Este
moral regulam o modo de agir das pessoas, sendo conceito foi abordado mais tarde por Nietzsche, que o
uma palavra relacionada com a moralidade e com descreveu como falta de convicção em que se encontra
os bons costumes. Está associada aos valores e o ser humano após a desvalorização de qualquer crença.
convenções estabelecidos coletivamente por cada Essa desvalorização acaba por culminar na consciência
cultura ou por cada sociedade a partir da do absurdo e do nada.
consciência individual, que distingue o bem do mal,
ou a violência dos atos de paz e harmonia.
Refutação Religião

Método adotado por Sócrates, que consiste em Instituição que administra uma crença de que existe
evidenciar a contradição da afirmação do um mundo sobrenatural e que gerencia técnicas
interlocutor, permitindo isentar o próprio para se obter a salvação nesse mundo sobrenatural.
interlocutor da pretensão de saber. Para Aristóteles
a Refutação é a demonstração do contraditório.
Romantismo Socialismo

Movimento filosófico, literário e artístico que Doutrina que defenda ou preconize a reorganização
começou nos últimos anos do século XVIII, floresceu da sociedade em bases coletivistas.
nos primeiros anos do século XIX e constituiu a
marca característica desse século. O significado
comum do termo romântico, que significa
sentimental, deriva de um dos aspectos mais
evidentes desse movimento, que é a valorização do
sentimento, categoria espiritual que a Antiguidade
clássica ignorara ou desprezara, cuja força o século
XVIII iluminista reconhecera, e que no Romantismo
adquiriu valor preponderante.
Tecnocracia Teocracia

Uso da técnica como instrumento de poder por Qualquer doutrina segundo a qual toda autoridade
parte de dirigentes econômicos, militares e provém de Deus.
políticos, em defesa de seus interesses,
considerados concordantes ou unificados, com
vistas ao controle da sociedade.
Utilitarismo Xenofobia

É uma teoria filosófica que busca entender os É o ódio ao estrangeiro, oposto ao estrangeirismo,
fundamentos da ética e da moral a partir das que é a tendência a apoiar, indiscriminadamente, o
consequências das ações. que é alienígena.
Neste caso, o utilitarismo consiste na ideia de
que uma ação só pode ser considerada
moralmente correta se as suas consequências
promoverem o bem-estar coletivo. Caso o
resultado da ação seja negativo para a maioria, esta
é classificada como condenável moralmente. A
partir deste raciocínio, o utilitarismo se apresenta
oposto ao egoísmo, pois as consequências das
ações devem estar focadas na felicidade de um
conjunto e não de interesses particulares e
individuais. A teoria utilitarista foi defendida, como
uma doutrina ética, principalmente pelos filósofos e
economistas ingleses John Stuart Mill e Jeremy
Bentham, durante os séculos XVIII e XIX. No
entanto, o pensamento utilitarista já era explorado
desde a Grécia antiga, principalmente através
filosofo grego Epicuro.
BIBLIOGRAFIA

EBIOGRAFIA. Alexis de Tocqueville. Disponível em: <https://www.ebiografia.com/alexis_de_tocqueville/>. Acesso em: 25/11/2017.

FILHO, José Reinaldo Felipe Martins. Da legitimidade à tirania: tocqueville e a onipotência da maioria na democracia norte-americana. Disponível em:
<http://www2.ufrb.edu.br/griot/images/vol7-n1/5.pdf>. Acesso em: 25/11/2017.

RÁDIO CBN. Democracia não é a vontade da maioria, mas o integral respeito ao direito das minorias. Disponível em:
<http://cbn.globoradio.globo.com/colunas/mais-rio/2014/09/02/DEMOCRACIA-NAO-E-A-VONTADE-DA-MAIORIA-MAS-O-INTEGRAL-RESPEITO-AO-DIREITO-DAS-
MINORIAS.htm>. Acesso em: 25/11/2017.

MOVIMENTO CONVIVA. Disponível em: <http://movimentoconviva.com.br/o-espaco-publico-e-de-todos/>. Acesso em: 25/11/2017.

CAMPOS, Joyce Neves De. Os dogmas da religião civil de Jean Jacques Rousseau. Disponível em: <http://www.abhr.org.br/wp-
content/uploads/2013/01/art_CAMPOS_relig_civil.pdf>. Acesso em: 25/11/2017.

PASSOS, Jorge R. C. Justiça e equidade em Aristóteles. Disponível em: <http://apl.unisuam.edu.br/augustus/pdf/rev_augustus_ed%2028_art05.pdf>. Acesso em:
25/11/2017.

TRINCA, Walter. O sistema mental determinante da inveja. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0486-


641X2009000300006>. Acesso em: 27/11/2017.

COSTA, Emmanuel. O que é Gentrificação e por que você deveria se preocupar com isso. Disponível em: <https://jornalggn.com.br/noticia/o-que-e-gentrificacao-e-
por-que-voce-deveria-se-preocupar-com-isso-por-emmanuel-costa>. Acesso em: 29/11/2017.

HARVEY, David. O direito à cidade. Disponível em: <http://piaui.folha.uol.com.br/materia/o-direito-a-cidade/>. Acesso em: 29/11/2017.

RIOONWATCH. O que é o Direito à Cidade? Disponível em: <http://rioonwatch.org.br/?p=7921>. Acesso em: 29/11/2017.

CONCEITO DE IMAGEM. Disponível em: <https://conceito.de/imagem>. Acesso em: 02/12/2017.

FRIDMAN, Luis Carlos. Pós-modernidade: sociedade da imagem e sociedade do conhecimento. Disponível em: <
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-59701999000300007&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em: 20/11/2017.
ZAPATER, Maíra. Democracia não é vontade da maioria. Disponível em: <http://justificando.cartacapital.com.br/2015/06/26/democracia-nao-e-vontade-da-
maioria/>. Acesso em: 19/11/2017.

ROCHA, Rogério. Uma apreciação crítica a respeito dos princípios da Liberdade e da Diferença na obra “Uma Teoria da Justiça” de John Rawls. Disponível em:
<https://jus.com.br/artigos/31069/uma-apreciacao-critica-a-respeito-dos-principios-da-liberdade-e-da-diferenca-na-obra-uma-teoria-da-justica-de-john-rawls>.
Acesso em: 25/10/2017.

DOS SANTOS, Natália Siqueira Netto; PAZÓ, Cristina Grobério; ANDRADE, Valdeciliana Da Silva Ramos. Limites do humor no ambiente democrático e os direitos da
personalidade. Disponível em: <http://site.fdv.br/wp-content/uploads/2017/03/21-Limites-do-humor-no-ambiente-Nata%CC%81lia-Santos-Cristina-Pazo%CC%81-e-
Valcediliana-Andrade.pdf>. Acesso em: 23/10/2017.

DE TEFFÉ, Chiara. Humor e liberdade de expressão: vale tudo? Disponível em: <https://feed.itsrio.org/humor-e-liberdade-de-express%C3%A3o-vale-tudo-
3f3e2177b0cc>. Acesso em: 25/10/2017.

PORTAL EDUCAÇÃO. Turismo: Significados e conceitos. Disponível em: <https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/recursos-humanos/turismo-


significados-e-conceitos/64146>. Acesso em: 21/10/2017.

O GLOBO. Tailândia fecha ilha em luta contra o turismo predatório. Disponível em: <https://oglobo.globo.com/sociedade/sustentabilidade/tailandia-fecha-ilha-em-
luta-contra-turismo-predatorio-19319431>. Acesso em: 21/10/2017.

GABRIEL, Ruan de Souza. "Turismofobia" avança em cidades europeias. Disponível em: <http://epoca.globo.com/mundo/noticia/2017/08/turismofobia-avanca-em-
cidades-europeias.html>. Acesso em: 20/10/2017

PENSANDO VERDE. Entenda a diferença entre turismo predatório e ecoturismo. Disponível em: <http://www.pensamentoverde.com.br/meio-ambiente/entenda-
diferenca-entre-turismo-predatorio-e-ecoturismo/>. Acesso em: 20/10/2017.

ÉPOCA NEGÓCIOS. Tailândia fecha ilha turística devido a excesso de turistas. Disponível em: <http://epocanegocios.globo.com/Mundo/noticia/2016/05/tailandia-
fecha-ilha-turistica-devido-excesso-de-turistas.html>. Acesso em: 24/10/2017.

BERNARDES, Cláudio. Desigualdade e exclusão são desafios do crescimento da população urbana. Disponível em:
<http://www1.folha.uol.com.br/colunas/claudiobernardes/2017/10/1929092-desigualdade-e-exclusao-sao-desafios-do-crescimento-da-populacao-urbana.shtml>.
Acesso em: 23/10/2017.

O GLOBO. População mundial vai crescer 53% e chegar a 11,2 bilhões em 2100, diz relatório da ONU. Disponível em:
<https://oglobo.globo.com/sociedade/sustentabilidade/populacao-mundial-vai-crescer-53-chegar-112-bilhoes-em-2100-diz-relatorio-da-onu-17003177>. Acesso em:
21/10/2017.
OBSERVATÓRIO JUVENTUDE. Planejamento Urbano e Regional. Disponível em: <http://www.juventudect.fiocruz.br/planejamento-urbano-e-regional>. Acesso em:
21/10/2017.

BARATTO, Romullo. 10 razões pelas quais uma cidade precisa de planejamento urbano. Disponível em: <https://www.archdaily.com.br/br/01-174761/10-razoes-
pelas-quais-uma-cidade-precisa-de-planejamento-urbano>. Acesso em: 18/10/2017.

MARQUES, Joana Ganilho. Museus contemporâneos: locais de contágios e hibridismos. Disponível em: <https://midas.revues.org/89>. Acesso em: 19/10/2017.

CULTURA E MERCADO. O museu e sua função cultural. Disponível em: <http://www.culturaemercado.com.br/site/pontos-de-vista/o-museu-e-sua-funcao-cultural/>.


Acesso em: 20/10/2017.

HIRATA, Giselle. A fonte da juventude existiu mesmo? Disponível em: <https://mundoestranho.abril.com.br/cultura/a-fonte-da-juventude-existiu-mesmo/>. Acesso
em: 20/10/2017.

ISTO É. A era dos homens imortais. Disponível em: <https://istoe.com.br/192193_A+ERA+DOS+HOMENS+IMORTAIS/>. Acesso em: 20/10/2017.

BRASIL ECONÔMICO. Conheça a tecnologia que pode trazer a imortalidade aos humanos até 2045. Disponível em: <http://economia.ig.com.br/2017-08-
18/tecnologia-da-imortalidade.html>. Acesso em: 21/10/2017.

SOUZA, Yara Laiz. Biotecnologia. Disponível em: <https://www.infoescola.com/biologia/biotecnologia/>. Acesso em: 21/10/2017.

DA SILVA, Alzira Karla Araújo; CORREIA, Anna Elizabeth Galvão Coutinho; DE LIMA, Izabel França. O conhecimento e as tecnologias na sociedade da informação.
Disponível em: <http://www.scielo.org.co/pdf/rib/v33n1/v33n1a09.pdf>. Acesso em: 21/10/2017.

MUSACCHIO, Cláudio. Sociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento. Disponível em: <https://www.baguete.com.br/colunas/claudio-de-


musacchio/26/07/2014/sociedade-da-informacao-x-sociedade-do-conhecimento>. Acesso em: 20/10/2017.

VALIM, Diogo Assunção; BORDIN, Reginaldo Aliçandro. Epicuro: A ética e o prazer, os caminhos da felicidade. Disponível em:
<http://www.ppe.uem.br/jeam/anais/2008/pdf/c029.pdf>. Acesso em: 25/10/2017.

GOMES, Weslaine Wellida. A DIVERSIDADE CULTURAL E O DIREITO À IGUALDADE E À DIFERENÇA. Disponível em:
<http://www.observatoriodadiversidade.org.br/revista/edicao_001/Revista-ODC-001-11.pdf>. Acesso em: 28/10/2017.

Cultura, Diversidade Cultural e Desigualdades Sociais. Disponível em: <http://cejarj.cecierj.edu.br/pdf/Ciencias%20Humanas_Unidade_1_Sociologia_Seja.pdf>.


Acesso em: 28/10/2017.
ALVES, Elder Patrick Maia. Diversidade Cultural, Patrimônio Cultural Material e Cultura Popular: a Unesco e a Construção de um Universalismo Global. Disponível
em: <http://www.scielo.br/pdf/se/v25n3/07.pdf>. Acesso em: 30/10/2017.

GUIA DO ESTUDANTE. Por que o voto no Brasil não é facultativo? Disponível em: <https://guiadoestudante.abril.com.br/blog/atualidades-vestibular/por-que-o-
voto-no-brasil-nao-e-facultativo/>. Acesso em: 28/10/2017.

PARAISO, Rafael. O voto obrigatório no Brasil e no mundo. Disponível em: <http://projetopolitique.com.br/o-voto-obrigatorio-no-brasil-e-no-mundo/>. Acesso em:
28/10/2017.

ARIAS, Juan. Por que no Brasil é obrigatório votar? Disponível em: <https://brasil.elpais.com/brasil/2014/08/04/politica/1407162732_889288.html>. Acesso em:
28/08/2017.

JIMENÉZ, Miguel. O dinheiro traz felicidade sim, segundo uma pesquisa oficial britânica. Disponível em:
<https://brasil.elpais.com/brasil/2015/09/05/economia/1441461835_564364.html>. Acesso em: 02/11/2017.

OLIVIERI, Antônio Carlos. Filosofia e felicidade: O que é ser feliz segundo os grandes filósofos do passado e do presente. Disponível em:
<https://educacao.uol.com.br/disciplinas/filosofia/filosofia-e-felicidade-o-que-e-ser-feliz-segundo-os-grandes-filosofos-do-passado-e-do-presente.htm>. Acesso em:
03/11/2017.

PICOLI, Rogério Antônio. UTILITARISMOS, BENTHAM E A HISTÓRIA DA TRADIÇÃO. Disponível em:


<https://ufsj.edu.br/portal2repositorio/File/existenciaearte/Edicoes/5_Edicao/utilitarismos__bentham_e_a_historia_da_tradicao_rogerio_picoli.pdf>. Acesso em:
29/10/2017.

MINI GLOSSÁRIO COM CONCEITOS IMPORTANTES

Os conceitos apresentados foram retirados dos Sites Só Filosofia (http://www.filosofia.com.br/), Significados (https://www.significados.com.br/) e dos livros O livro
da Sociologia, O livro da Filosofia e O livro da Política, publicados pela Globo Livros, 2016.