Você está na página 1de 8

prática artística. POR QUE TRABALHAR COM VOLPI? linha, plano, cor, textura, forma, volume, Volpi.

POR QUE TRABALHAR COM VOLPI? linha, plano, cor, textura, forma, volume, Volpi. Mesmo no quebra-cabeça, é impor-
Talvez essa sua característica tenha vindo do seu antigo trabalho como artesão. Volpi Volpi é um artista que fala com humildade e espontaneidade sobre sua obra e isso é ca- luz, ritmo, movimento, equilíbrio). tante que o aluno brinque com as formas,
tivante para todos que conhecem sua trajetória. Sua relação com a arte não é mediada por tentando combinar, arranjar e rearranjar os
◗ Você acha que Volpi pintou essa cena discurso ou teoria, mas está ligada ao ato de pintar e se relaciona com todos os aspectos da ✦ Conteúdos do projeto módulos da maneira que julgar mais inte-
◗ O que mais chama atenção?
observando-a ou ordenou as linhas, janelas ressante.
◗ Como são as linhas? Retas ou curvilíne- ◗ Obra de Volpi.

ALFREDO VOLPI
as? e cores de maneira imaginária? ◗ Composição.
◗ Como é o movimento das linhas? O que ◗ Que nome você daria para essa pintura? com certeza também herdou dessa prática ◗ Cor como elemento da composição.
a manufatura de seus materiais: ele mesmo Atividades para Durante a leitura
elas sugerem? criem uma composição a partir da forma das
✦ Contextualização (veja quadro na página 7 montava suas telas e preparava sua tinta.
◗ Quais as cores utilizadas por Volpi nessa bandeirinhas: ✦ Trabalho interdisciplinar: Português.
As obras de Volpi nos fazem refletir so- ✦ Orientações para ler o livro em sala de
De Nereide Schilaro Santa Rosa pintura? deste suplemento)
◗ Peça, por exemplo, que façam uma aula
(Formada em Pedagogia, com aperfeiçoamento na Faculdade de ◗ Quantos tons de vermelho e azul você bre as cidades e suas transformações: casas
Educação da USP, é autora premiada de livros infanto-juvenis.) amontoadas e festas juninas constituem composição com várias formas das ban-
consegue identificar? deirinhas juninas dentro de um retângulo, Atividade para antes da leitura Se estiver trabalhando com alunos da
◗ Volpi utiliza muitas texturas ou sua pin- Atividades para Depois da leitura uma cidade que quase não existe mais. primeira série, o professor pode sugerir que
Para Volpi, pintar era um trabalho árduo, diminuindo e aumentando seu tamanho e
tura parece mais lisa? ✦ Sensibilizando os alunos leiam o livro em casa para depois realizar
como de um operário. Quando não ficava alongando a sua forma.
◗ Qual a sensação que as cores e as linhas ✦ Produção uma leitura em conjunto na sala de aula.
satisfeito com o resultado de uma pintura, ◗ Apresente para os alunos a obra Ogiva O professor pode propor várias brincadei- Trabalhando assim, o aluno que já sabe ler
causam em você?
O professor pode sugerir aos alunos que lavava a tela no tanque, um ato muito sim- (página 29 do livro). ras. Como o projeto será focado nas formas terá oportunidade de fazê-lo individual-
ples e prático. ◗ Solicite aos alunos que apontem as for- e cores presentes na obra de Volpi, um bom mente, e o que não sabe poderá realizar
SUPLEMENTO DIDÁTICO O trabalho de Volpi é ao mesmo tempo mas que se “escondem” na pintura. Como início será proporcionar uma brincadeira uma leitura coletiva na sala.
muito simples e muito complexo; para en- as cores auxiliaram na organização da com- com formas. Uma opção interessante é o Após a leitura, peça aos alunos que
tender sua obra, só aceitando o desafio de posição? brinquedo conhecido como “o construtor”, produzam, em duplas ou individualmente,
Elaborado por um texto pequeno, apresentando Volpi.
ler suas imagens. ◗ Cada aluno poderá criar e desenhar a uma caixa cheia de módulos de construção:
Rosa Iavelberg — Pós-graduada em Arte-educação pela Escola de Comunicações e sua composição com bandeirinhas em uma telhados triangulares, pontes, quadrados Você ainda poderá fazer a leitura desses
Artes da USP. Trabalhou na elaboração dos PCNs de Arte e atualmente leciona no Departa-
SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓ- folha. coloridos com ou sem janelas. O professor textos para discutir o que mais marcou os
mento de Metodologia de Ensino da Faculdade de Educação da USP. GICO PARA estudantes tanto nas obras quanto na vida
◗ Depois, peça que definam as cores de pode preparar algo similar, utilizando ele-
de Volpi. É curioso reparar como os alunos
TURMAS DE 1a A 4a SÉRIE DO ENSI- maneira que elas dialoguem com as formas. mentos retirados das obras de Volpi. Se você memorizam detalhes diferentes sobre o
Luciana Arslan — Mestre em Artes Visuais, leciona no ensino fundamental e médio da
observar a reprodução da pintura da página
Escola de Aplicação da USP e em cursos de capacitação de professores. NO FUNDAMENTAL: ✦ Avaliação 21 (parte inferior), verá que os módulos já
mesmo livro.
✦ Roteiro de apreciação da obra reproduzida
estão prontos, basta ampliá-los e pintá-los
DEU BANDEIRA Antes de fazer uma roda, releia o trecho
sobre pedaços de papelão ou madeira.
no livro: Festa de São João (página 25)
✦ Objetivo do livro: Promova uma discussão entre os alunos,
Os trabalhos mais geométricos de Volpi
“A gente se desliga e então só passa a partindo de questões que estimulem a in-
Pensar a dinâmica da composição, a também podem ser transformados em diver-
Professor existir o problema da linha, forma e cor [...]. terpretação:
articulação das formas e cores, através do tidos quebra-cabeças, feitos em papelão ou
Minhas bandeirinhas não são bandeirinhas; ◗ O que você está vendo?
exercício com pinturas e da observação da em feltro (com velcro).
Neste suplemento você encontrará duas sugestões de projetos pedagógi- são só o problema das bandeirinhas”. ◗ Como é o espaço representado?
obra de Alfredo Volpi. Seja qual for a brincadeira, o fundamen-
cos para desenvolver com alunos do ensino fundamental: a primeira é destinada a Peça que cada aluno ao apresentar o seu ◗ Como são as janelas e portas? Como elas
turmas de 1a a 4a série do ensino fundamental; a segunda, a turmas a partir da 5a tal é que proporcione à criança um primeiro
trabalho comece com a frase: “Minhas ban- estão distribuídas?
série. ✦ Conteúdos gerais (com referência contato bastante divertido com a obra de
Cada um desses projetos tem como base o conteúdo do livro estudado. Para
deirinhas não são bandeirinhas, são...”.
nos PCNs de Arte)
apoiar o trabalho do professor são aprofundadas questões sobre o movimento a que O professor pode destacar o fato de que
pertence o artista, além da contextualização de uma de suas obras. ◗ Fala, escrita e outros registros (gráfico, todos os trabalhos, embora feitos a partir
Fica a critério do professor aproveitar as atividades para outros projetos, adap- audiográfico, pictórico, sonoro, dramático, de um mesmo motivo, resultaram em ima-
tando-as ao perfil de sua turma. gens diferentes. Ajude os alunos a perceber
videográfico) sobre as questões trabalhadas
na apreciação de imagens. que as cores e a direção das linhas acabam
A Editora
◗ Contato freqüente, leitura e discussão imprimindo sensações muito distintas nas
de textos simples, imagens e informações composições.
orais sobre artistas, suas biografias e suas Os alunos podem decidir por uma outra for-
produções. ma (um pião, uma bala) e repetir a proposta.
◗ Consideração dos elementos básicos da SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓ-
linguagem visual em suas articulações nas
imagens produzidas (relações entre ponto, GICO PARA TURMAS
2 3 4

Untitled-2 1 11/7/11 11:45 AM


prática artística. POR QUE TRABALHAR COM VOLPI? linha, plano, cor, textura, forma, volume, Volpi. Mesmo no quebra-cabeça, é impor-
Talvez essa sua característica tenha vindo do seu antigo trabalho como artesão. Volpi Volpi é um artista que fala com humildade e espontaneidade sobre sua obra e isso é ca- luz, ritmo, movimento, equilíbrio). tante que o aluno brinque com as formas,
tivante para todos que conhecem sua trajetória. Sua relação com a arte não é mediada por tentando combinar, arranjar e rearranjar os
◗ Você acha que Volpi pintou essa cena discurso ou teoria, mas está ligada ao ato de pintar e se relaciona com todos os aspectos da ✦ Conteúdos do projeto módulos da maneira que julgar mais inte-
◗ O que mais chama atenção?
observando-a ou ordenou as linhas, janelas ressante.
◗ Como são as linhas? Retas ou curvilíne- ◗ Obra de Volpi.

ALFREDO VOLPI
as? e cores de maneira imaginária? ◗ Composição.
◗ Como é o movimento das linhas? O que ◗ Que nome você daria para essa pintura? com certeza também herdou dessa prática ◗ Cor como elemento da composição.
a manufatura de seus materiais: ele mesmo Atividades para Durante a leitura
elas sugerem? criem uma composição a partir da forma das
✦ Contextualização (veja quadro na página 7 montava suas telas e preparava sua tinta.
◗ Quais as cores utilizadas por Volpi nessa bandeirinhas: ✦ Trabalho interdisciplinar: Português.
As obras de Volpi nos fazem refletir so- ✦ Orientações para ler o livro em sala de
De Nereide Schilaro Santa Rosa pintura? deste suplemento)
◗ Peça, por exemplo, que façam uma aula
(Formada em Pedagogia, com aperfeiçoamento na Faculdade de ◗ Quantos tons de vermelho e azul você bre as cidades e suas transformações: casas
Educação da USP, é autora premiada de livros infanto-juvenis.) amontoadas e festas juninas constituem composição com várias formas das ban-
consegue identificar? deirinhas juninas dentro de um retângulo, Atividade para antes da leitura Se estiver trabalhando com alunos da
◗ Volpi utiliza muitas texturas ou sua pin- Atividades para Depois da leitura uma cidade que quase não existe mais. primeira série, o professor pode sugerir que
Para Volpi, pintar era um trabalho árduo, diminuindo e aumentando seu tamanho e
tura parece mais lisa? ✦ Sensibilizando os alunos leiam o livro em casa para depois realizar
como de um operário. Quando não ficava alongando a sua forma.
◗ Qual a sensação que as cores e as linhas ✦ Produção uma leitura em conjunto na sala de aula.
satisfeito com o resultado de uma pintura, ◗ Apresente para os alunos a obra Ogiva O professor pode propor várias brincadei- Trabalhando assim, o aluno que já sabe ler
causam em você?
O professor pode sugerir aos alunos que lavava a tela no tanque, um ato muito sim- (página 29 do livro). ras. Como o projeto será focado nas formas terá oportunidade de fazê-lo individual-
ples e prático. ◗ Solicite aos alunos que apontem as for- e cores presentes na obra de Volpi, um bom mente, e o que não sabe poderá realizar
SUPLEMENTO DIDÁTICO O trabalho de Volpi é ao mesmo tempo mas que se “escondem” na pintura. Como início será proporcionar uma brincadeira uma leitura coletiva na sala.
muito simples e muito complexo; para en- as cores auxiliaram na organização da com- com formas. Uma opção interessante é o Após a leitura, peça aos alunos que
tender sua obra, só aceitando o desafio de posição? brinquedo conhecido como “o construtor”, produzam, em duplas ou individualmente,
Elaborado por um texto pequeno, apresentando Volpi.
ler suas imagens. ◗ Cada aluno poderá criar e desenhar a uma caixa cheia de módulos de construção:
Rosa Iavelberg — Pós-graduada em Arte-educação pela Escola de Comunicações e sua composição com bandeirinhas em uma telhados triangulares, pontes, quadrados Você ainda poderá fazer a leitura desses
Artes da USP. Trabalhou na elaboração dos PCNs de Arte e atualmente leciona no Departa-
SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓ- folha. coloridos com ou sem janelas. O professor textos para discutir o que mais marcou os
mento de Metodologia de Ensino da Faculdade de Educação da USP. GICO PARA estudantes tanto nas obras quanto na vida
◗ Depois, peça que definam as cores de pode preparar algo similar, utilizando ele-
de Volpi. É curioso reparar como os alunos
TURMAS DE 1a A 4a SÉRIE DO ENSI- maneira que elas dialoguem com as formas. mentos retirados das obras de Volpi. Se você memorizam detalhes diferentes sobre o
Luciana Arslan — Mestre em Artes Visuais, leciona no ensino fundamental e médio da
observar a reprodução da pintura da página
Escola de Aplicação da USP e em cursos de capacitação de professores. NO FUNDAMENTAL: ✦ Avaliação 21 (parte inferior), verá que os módulos já
mesmo livro.
✦ Roteiro de apreciação da obra reproduzida
estão prontos, basta ampliá-los e pintá-los
DEU BANDEIRA Antes de fazer uma roda, releia o trecho
sobre pedaços de papelão ou madeira.
no livro: Festa de São João (página 25)
✦ Objetivo do livro: Promova uma discussão entre os alunos,
Os trabalhos mais geométricos de Volpi
“A gente se desliga e então só passa a partindo de questões que estimulem a in-
Pensar a dinâmica da composição, a também podem ser transformados em diver-
Professor existir o problema da linha, forma e cor [...]. terpretação:
articulação das formas e cores, através do tidos quebra-cabeças, feitos em papelão ou
Minhas bandeirinhas não são bandeirinhas; ◗ O que você está vendo?
exercício com pinturas e da observação da em feltro (com velcro).
Neste suplemento você encontrará duas sugestões de projetos pedagógi- são só o problema das bandeirinhas”. ◗ Como é o espaço representado?
obra de Alfredo Volpi. Seja qual for a brincadeira, o fundamen-
cos para desenvolver com alunos do ensino fundamental: a primeira é destinada a Peça que cada aluno ao apresentar o seu ◗ Como são as janelas e portas? Como elas
turmas de 1a a 4a série do ensino fundamental; a segunda, a turmas a partir da 5a tal é que proporcione à criança um primeiro
trabalho comece com a frase: “Minhas ban- estão distribuídas?
série. ✦ Conteúdos gerais (com referência contato bastante divertido com a obra de
Cada um desses projetos tem como base o conteúdo do livro estudado. Para
deirinhas não são bandeirinhas, são...”.
nos PCNs de Arte)
apoiar o trabalho do professor são aprofundadas questões sobre o movimento a que O professor pode destacar o fato de que
pertence o artista, além da contextualização de uma de suas obras. ◗ Fala, escrita e outros registros (gráfico, todos os trabalhos, embora feitos a partir
Fica a critério do professor aproveitar as atividades para outros projetos, adap- audiográfico, pictórico, sonoro, dramático, de um mesmo motivo, resultaram em ima-
tando-as ao perfil de sua turma. gens diferentes. Ajude os alunos a perceber
videográfico) sobre as questões trabalhadas
na apreciação de imagens. que as cores e a direção das linhas acabam
A Editora
◗ Contato freqüente, leitura e discussão imprimindo sensações muito distintas nas
de textos simples, imagens e informações composições.
orais sobre artistas, suas biografias e suas Os alunos podem decidir por uma outra for-
produções. ma (um pião, uma bala) e repetir a proposta.
◗ Consideração dos elementos básicos da SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓ-
linguagem visual em suas articulações nas
imagens produzidas (relações entre ponto, GICO PARA TURMAS
2 3 4

Untitled-2 1 11/7/11 11:45 AM


prática artística. POR QUE TRABALHAR COM VOLPI? linha, plano, cor, textura, forma, volume, Volpi. Mesmo no quebra-cabeça, é impor-
Talvez essa sua característica tenha vindo do seu antigo trabalho como artesão. Volpi Volpi é um artista que fala com humildade e espontaneidade sobre sua obra e isso é ca- luz, ritmo, movimento, equilíbrio). tante que o aluno brinque com as formas,
tivante para todos que conhecem sua trajetória. Sua relação com a arte não é mediada por tentando combinar, arranjar e rearranjar os
◗ Você acha que Volpi pintou essa cena discurso ou teoria, mas está ligada ao ato de pintar e se relaciona com todos os aspectos da ✦ Conteúdos do projeto módulos da maneira que julgar mais inte-
◗ O que mais chama atenção?
observando-a ou ordenou as linhas, janelas ressante.
◗ Como são as linhas? Retas ou curvilíne- ◗ Obra de Volpi.

ALFREDO VOLPI
as? e cores de maneira imaginária? ◗ Composição.
◗ Como é o movimento das linhas? O que ◗ Que nome você daria para essa pintura? com certeza também herdou dessa prática ◗ Cor como elemento da composição.
a manufatura de seus materiais: ele mesmo Atividades para Durante a leitura
elas sugerem? criem uma composição a partir da forma das
✦ Contextualização (veja quadro na página 7 montava suas telas e preparava sua tinta.
◗ Quais as cores utilizadas por Volpi nessa bandeirinhas: ✦ Trabalho interdisciplinar: Português.
As obras de Volpi nos fazem refletir so- ✦ Orientações para ler o livro em sala de
De Nereide Schilaro Santa Rosa pintura? deste suplemento)
◗ Peça, por exemplo, que façam uma aula
(Formada em Pedagogia, com aperfeiçoamento na Faculdade de ◗ Quantos tons de vermelho e azul você bre as cidades e suas transformações: casas
Educação da USP, é autora premiada de livros infanto-juvenis.) amontoadas e festas juninas constituem composição com várias formas das ban-
consegue identificar? deirinhas juninas dentro de um retângulo, Atividade para antes da leitura Se estiver trabalhando com alunos da
◗ Volpi utiliza muitas texturas ou sua pin- Atividades para Depois da leitura uma cidade que quase não existe mais. primeira série, o professor pode sugerir que
Para Volpi, pintar era um trabalho árduo, diminuindo e aumentando seu tamanho e
tura parece mais lisa? ✦ Sensibilizando os alunos leiam o livro em casa para depois realizar
como de um operário. Quando não ficava alongando a sua forma.
◗ Qual a sensação que as cores e as linhas ✦ Produção uma leitura em conjunto na sala de aula.
satisfeito com o resultado de uma pintura, ◗ Apresente para os alunos a obra Ogiva O professor pode propor várias brincadei- Trabalhando assim, o aluno que já sabe ler
causam em você?
O professor pode sugerir aos alunos que lavava a tela no tanque, um ato muito sim- (página 29 do livro). ras. Como o projeto será focado nas formas terá oportunidade de fazê-lo individual-
ples e prático. ◗ Solicite aos alunos que apontem as for- e cores presentes na obra de Volpi, um bom mente, e o que não sabe poderá realizar
SUPLEMENTO DIDÁTICO O trabalho de Volpi é ao mesmo tempo mas que se “escondem” na pintura. Como início será proporcionar uma brincadeira uma leitura coletiva na sala.
muito simples e muito complexo; para en- as cores auxiliaram na organização da com- com formas. Uma opção interessante é o Após a leitura, peça aos alunos que
tender sua obra, só aceitando o desafio de posição? brinquedo conhecido como “o construtor”, produzam, em duplas ou individualmente,
Elaborado por um texto pequeno, apresentando Volpi.
ler suas imagens. ◗ Cada aluno poderá criar e desenhar a uma caixa cheia de módulos de construção:
Rosa Iavelberg — Pós-graduada em Arte-educação pela Escola de Comunicações e sua composição com bandeirinhas em uma telhados triangulares, pontes, quadrados Você ainda poderá fazer a leitura desses
Artes da USP. Trabalhou na elaboração dos PCNs de Arte e atualmente leciona no Departa-
SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓ- folha. coloridos com ou sem janelas. O professor textos para discutir o que mais marcou os
mento de Metodologia de Ensino da Faculdade de Educação da USP. GICO PARA estudantes tanto nas obras quanto na vida
◗ Depois, peça que definam as cores de pode preparar algo similar, utilizando ele-
de Volpi. É curioso reparar como os alunos
TURMAS DE 1a A 4a SÉRIE DO ENSI- maneira que elas dialoguem com as formas. mentos retirados das obras de Volpi. Se você memorizam detalhes diferentes sobre o
Luciana Arslan — Mestre em Artes Visuais, leciona no ensino fundamental e médio da
observar a reprodução da pintura da página
Escola de Aplicação da USP e em cursos de capacitação de professores. NO FUNDAMENTAL: ✦ Avaliação 21 (parte inferior), verá que os módulos já
mesmo livro.
✦ Roteiro de apreciação da obra reproduzida
estão prontos, basta ampliá-los e pintá-los
DEU BANDEIRA Antes de fazer uma roda, releia o trecho
sobre pedaços de papelão ou madeira.
no livro: Festa de São João (página 25)
✦ Objetivo do livro: Promova uma discussão entre os alunos,
Os trabalhos mais geométricos de Volpi
“A gente se desliga e então só passa a partindo de questões que estimulem a in-
Pensar a dinâmica da composição, a também podem ser transformados em diver-
Professor existir o problema da linha, forma e cor [...]. terpretação:
articulação das formas e cores, através do tidos quebra-cabeças, feitos em papelão ou
Minhas bandeirinhas não são bandeirinhas; ◗ O que você está vendo?
exercício com pinturas e da observação da em feltro (com velcro).
Neste suplemento você encontrará duas sugestões de projetos pedagógi- são só o problema das bandeirinhas”. ◗ Como é o espaço representado?
obra de Alfredo Volpi. Seja qual for a brincadeira, o fundamen-
cos para desenvolver com alunos do ensino fundamental: a primeira é destinada a Peça que cada aluno ao apresentar o seu ◗ Como são as janelas e portas? Como elas
turmas de 1a a 4a série do ensino fundamental; a segunda, a turmas a partir da 5a tal é que proporcione à criança um primeiro
trabalho comece com a frase: “Minhas ban- estão distribuídas?
série. ✦ Conteúdos gerais (com referência contato bastante divertido com a obra de
Cada um desses projetos tem como base o conteúdo do livro estudado. Para
deirinhas não são bandeirinhas, são...”.
nos PCNs de Arte)
apoiar o trabalho do professor são aprofundadas questões sobre o movimento a que O professor pode destacar o fato de que
pertence o artista, além da contextualização de uma de suas obras. ◗ Fala, escrita e outros registros (gráfico, todos os trabalhos, embora feitos a partir
Fica a critério do professor aproveitar as atividades para outros projetos, adap- audiográfico, pictórico, sonoro, dramático, de um mesmo motivo, resultaram em ima-
tando-as ao perfil de sua turma. gens diferentes. Ajude os alunos a perceber
videográfico) sobre as questões trabalhadas
na apreciação de imagens. que as cores e a direção das linhas acabam
A Editora
◗ Contato freqüente, leitura e discussão imprimindo sensações muito distintas nas
de textos simples, imagens e informações composições.
orais sobre artistas, suas biografias e suas Os alunos podem decidir por uma outra for-
produções. ma (um pião, uma bala) e repetir a proposta.
◗ Consideração dos elementos básicos da SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓ-
linguagem visual em suas articulações nas
imagens produzidas (relações entre ponto, GICO PARA TURMAS
2 3 4

Untitled-2 1 11/7/11 11:45 AM


prática artística. POR QUE TRABALHAR COM VOLPI? linha, plano, cor, textura, forma, volume, Volpi. Mesmo no quebra-cabeça, é impor-
Talvez essa sua característica tenha vindo do seu antigo trabalho como artesão. Volpi Volpi é um artista que fala com humildade e espontaneidade sobre sua obra e isso é ca- luz, ritmo, movimento, equilíbrio). tante que o aluno brinque com as formas,
tivante para todos que conhecem sua trajetória. Sua relação com a arte não é mediada por tentando combinar, arranjar e rearranjar os
◗ Você acha que Volpi pintou essa cena discurso ou teoria, mas está ligada ao ato de pintar e se relaciona com todos os aspectos da ✦ Conteúdos do projeto módulos da maneira que julgar mais inte-
◗ O que mais chama atenção?
observando-a ou ordenou as linhas, janelas ressante.
◗ Como são as linhas? Retas ou curvilíne- ◗ Obra de Volpi.

ALFREDO VOLPI
as? e cores de maneira imaginária? ◗ Composição.
◗ Como é o movimento das linhas? O que ◗ Que nome você daria para essa pintura? com certeza também herdou dessa prática ◗ Cor como elemento da composição.
a manufatura de seus materiais: ele mesmo Atividades para Durante a leitura
elas sugerem? criem uma composição a partir da forma das
✦ Contextualização (veja quadro na página 7 montava suas telas e preparava sua tinta.
◗ Quais as cores utilizadas por Volpi nessa bandeirinhas: ✦ Trabalho interdisciplinar: Português.
As obras de Volpi nos fazem refletir so- ✦ Orientações para ler o livro em sala de
De Nereide Schilaro Santa Rosa pintura? deste suplemento)
◗ Peça, por exemplo, que façam uma aula
(Formada em Pedagogia, com aperfeiçoamento na Faculdade de ◗ Quantos tons de vermelho e azul você bre as cidades e suas transformações: casas
Educação da USP, é autora premiada de livros infanto-juvenis.) amontoadas e festas juninas constituem composição com várias formas das ban-
consegue identificar? deirinhas juninas dentro de um retângulo, Atividade para antes da leitura Se estiver trabalhando com alunos da
◗ Volpi utiliza muitas texturas ou sua pin- Atividades para Depois da leitura uma cidade que quase não existe mais. primeira série, o professor pode sugerir que
Para Volpi, pintar era um trabalho árduo, diminuindo e aumentando seu tamanho e
tura parece mais lisa? ✦ Sensibilizando os alunos leiam o livro em casa para depois realizar
como de um operário. Quando não ficava alongando a sua forma.
◗ Qual a sensação que as cores e as linhas ✦ Produção uma leitura em conjunto na sala de aula.
satisfeito com o resultado de uma pintura, ◗ Apresente para os alunos a obra Ogiva O professor pode propor várias brincadei- Trabalhando assim, o aluno que já sabe ler
causam em você?
O professor pode sugerir aos alunos que lavava a tela no tanque, um ato muito sim- (página 29 do livro). ras. Como o projeto será focado nas formas terá oportunidade de fazê-lo individual-
ples e prático. ◗ Solicite aos alunos que apontem as for- e cores presentes na obra de Volpi, um bom mente, e o que não sabe poderá realizar
SUPLEMENTO DIDÁTICO O trabalho de Volpi é ao mesmo tempo mas que se “escondem” na pintura. Como início será proporcionar uma brincadeira uma leitura coletiva na sala.
muito simples e muito complexo; para en- as cores auxiliaram na organização da com- com formas. Uma opção interessante é o Após a leitura, peça aos alunos que
tender sua obra, só aceitando o desafio de posição? brinquedo conhecido como “o construtor”, produzam, em duplas ou individualmente,
Elaborado por um texto pequeno, apresentando Volpi.
ler suas imagens. ◗ Cada aluno poderá criar e desenhar a uma caixa cheia de módulos de construção:
Rosa Iavelberg — Pós-graduada em Arte-educação pela Escola de Comunicações e sua composição com bandeirinhas em uma telhados triangulares, pontes, quadrados Você ainda poderá fazer a leitura desses
Artes da USP. Trabalhou na elaboração dos PCNs de Arte e atualmente leciona no Departa-
SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓ- folha. coloridos com ou sem janelas. O professor textos para discutir o que mais marcou os
mento de Metodologia de Ensino da Faculdade de Educação da USP. GICO PARA estudantes tanto nas obras quanto na vida
◗ Depois, peça que definam as cores de pode preparar algo similar, utilizando ele-
de Volpi. É curioso reparar como os alunos
TURMAS DE 1a A 4a SÉRIE DO ENSI- maneira que elas dialoguem com as formas. mentos retirados das obras de Volpi. Se você memorizam detalhes diferentes sobre o
Luciana Arslan — Mestre em Artes Visuais, leciona no ensino fundamental e médio da
observar a reprodução da pintura da página
Escola de Aplicação da USP e em cursos de capacitação de professores. NO FUNDAMENTAL: ✦ Avaliação 21 (parte inferior), verá que os módulos já
mesmo livro.
✦ Roteiro de apreciação da obra reproduzida
estão prontos, basta ampliá-los e pintá-los
DEU BANDEIRA Antes de fazer uma roda, releia o trecho
sobre pedaços de papelão ou madeira.
no livro: Festa de São João (página 25)
✦ Objetivo do livro: Promova uma discussão entre os alunos,
Os trabalhos mais geométricos de Volpi
“A gente se desliga e então só passa a partindo de questões que estimulem a in-
Pensar a dinâmica da composição, a também podem ser transformados em diver-
Professor existir o problema da linha, forma e cor [...]. terpretação:
articulação das formas e cores, através do tidos quebra-cabeças, feitos em papelão ou
Minhas bandeirinhas não são bandeirinhas; ◗ O que você está vendo?
exercício com pinturas e da observação da em feltro (com velcro).
Neste suplemento você encontrará duas sugestões de projetos pedagógi- são só o problema das bandeirinhas”. ◗ Como é o espaço representado?
obra de Alfredo Volpi. Seja qual for a brincadeira, o fundamen-
cos para desenvolver com alunos do ensino fundamental: a primeira é destinada a Peça que cada aluno ao apresentar o seu ◗ Como são as janelas e portas? Como elas
turmas de 1a a 4a série do ensino fundamental; a segunda, a turmas a partir da 5a tal é que proporcione à criança um primeiro
trabalho comece com a frase: “Minhas ban- estão distribuídas?
série. ✦ Conteúdos gerais (com referência contato bastante divertido com a obra de
Cada um desses projetos tem como base o conteúdo do livro estudado. Para
deirinhas não são bandeirinhas, são...”.
nos PCNs de Arte)
apoiar o trabalho do professor são aprofundadas questões sobre o movimento a que O professor pode destacar o fato de que
pertence o artista, além da contextualização de uma de suas obras. ◗ Fala, escrita e outros registros (gráfico, todos os trabalhos, embora feitos a partir
Fica a critério do professor aproveitar as atividades para outros projetos, adap- audiográfico, pictórico, sonoro, dramático, de um mesmo motivo, resultaram em ima-
tando-as ao perfil de sua turma. gens diferentes. Ajude os alunos a perceber
videográfico) sobre as questões trabalhadas
na apreciação de imagens. que as cores e a direção das linhas acabam
A Editora
◗ Contato freqüente, leitura e discussão imprimindo sensações muito distintas nas
de textos simples, imagens e informações composições.
orais sobre artistas, suas biografias e suas Os alunos podem decidir por uma outra for-
produções. ma (um pião, uma bala) e repetir a proposta.
◗ Consideração dos elementos básicos da SUGESTÃO DE PROJETO PEDAGÓ-
linguagem visual em suas articulações nas
imagens produzidas (relações entre ponto, GICO PARA TURMAS
2 3 4

Untitled-2 1 11/7/11 11:45 AM


imagem. Será que a escolha da tinta é importante para um artista? A têmpera é preparada da seguinte ma- A PARTIR DA 5a SÉRIE DO ENSINO quem suas formas. A partir dessas formas, Sé, para praticar o desenho a partir de
Volpi preparava a sua própria tinta: a têmpera. Se você tiver recursos, poderá propor o neira (de acordo com Mota, 76: 23, 24): gem. Fomente um debate, propondo algumas questões: eles poderão criar uma composição. modelo vivo ou para combinar passeios:
preparo da têmpera a partir da receita utilizada por Volpi. ◗ Separar a gema da clara.
FUNDAMENTAL: ◗ Como é o espaço representado? nos finais de semana o grupo saía para
Para esta atividade, você vai precisar de: gema de ovo (uma parte); água (duas partes); fungicida ◗ Separar a película que envolve a gema: 2a etapa — composição das cores: a partir desenhar os arredores da cidade.
PINTOR DE PAREDE E FACHADAS ◗ Como são as janelas e portas? Como elas da composição criada na etapa anterior, pro- Outros artistas que participaram do
1% (Volpi utilizava uma gota de óleo de cravo) e pigmentos coloridos em pó. você pode segurar a gema pela pele e cortar
✦ Objetivo estão distribuídas? ✦ Produção
a parte de baixo com uma lâmina, para que ponha que pintem duas versões da compo- grupo foram: Mario Zanini, Humberto
o conteúdo escorregue em um pote, fican- Perceber, através da observação das obras ◗ O que mais chama atenção? sição utilizando cores diferentes. A têmpera Rosa, Francisco Rebolo, Fulvio Pennacchi,
A sugestão para trabalho de produção
ça, recebeu o apelido de pássaro (ucello em do apenas a pele na sua mão; ou peneirar a de Volpi e da elaboração de pinturas, a sim- ◗ Como são as linhas (retas, curvilíneas, preparada na atividade antes da leitura pode Aldo Bonadei, Clóvis Graciano, Manuel
está dividida em duas etapas: desenho e
italiano) por gostar muito de animais. gema, para separar a sua pele. plificação das formas e o uso da cor como estáticas, instáveis)? ser usada nesta atividade. Martins, Alfredo Rizzotti.
JANSON, H. W. Iniciação à História da construção das formas e pintura e composi-
◗ Adicionar água sempre agitando. recurso de composição que exige muita ◗ O que elas sugerem? Mesmo desinteressados das discussões
ção das cores.
Arte. São Paulo: Martins Fontes, 1996. ◗ Juntar o fungicida, que pode ser formol elaboração. ◗ Quais as cores utilizadas por Volpi nessa ✦ Avaliação teóricas e intelectualizadas, esses artis-
BibliogrAFIA Você pode, antes, ler para os alunos um
MARTINS, M. C. et alii. Didática do ensino em solução, ou óleo de cravo. pintura? tas, chamados por Mário de Andrade de
trecho da entrevista com Volpi: Na avaliação, os alunos podem apresentar
Volpi da arte: a língua do mundo — Poetizar, fruir ◗ A esse preparo você mistura os pigmen- ✦ Conteúdos gerais (com referência nos PCNs ◗ Quantos tons de vermelho e azul você “artistas proletários”, faziam, por inter-
consegue identificar? “– O senhor esboça os quadros antes de as duas pinturas, dando a sua opinião sobre
e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998. tos coloridos. de Arte) médio de suas práticas, oposição a uma
ALMANAQUE ABRIL. Quem é quem na ◗ Volpi utiliza muitas texturas ou sua pin- pintar? qual ficou mais bem solucionada e por quê.
PARSONS, M. J. Compreender a arte. 1. arte acadêmica.
história do Brasil. São Paulo: Abril Multimídia, ◗ Observação da presença e da transfor- tura parece mais lisa? – A construção é a linha e a forma. De- Peça aos alunos que comentem como as
ed. Lisboa: Presença, 1992. Embora Volpi sempre negasse ser
2000. mação dos elementos básicos da linguagem ◗ Qual a sensação que as cores e as linhas pois, toda pintura tem um problema de cor. cores influenciaram na composição. Quais
ROSSI, M. H. W. A compreensão das ima- ATIVIDADES PARA DURANTE A LEITURA concretista, é possível encontrar muitas
AJZENBERG, E. Operários na Paulista (ca- visual, em suas articulações nas imagens pro- causam em você? – O senhor muda o desenho dos quadros foram os trabalhos que mostraram uma boa
gens da arte. Arte & Educação em revista. afinidades entre as idéias e as obras do
tálogo da exposição realizada entre 17 de duzidas, nas dos colegas e nas apresentadas ◗ Você acha que Volpi pintou essa cena a enquanto está realizando? utilização das cores? Existe combinação cor-
Porto Alegre: UFRGS / Iochpe. I: 27-35, out. ✦ Orientações para ler o livro em sala de aula pintor e o concretismo.
setembro de 2002 e 19 de janeiro de 2003). em diferentes culturas e épocas. partir de observação? Ou ordenou as linhas, – Não. Quando é construído um dentro reta de cores?
1995. A obra Festa de São João mostra a ca-
MORAIS, F. Panorama das artes plásticas Logo após a leitura peça aos alunos que ◗ Observação, análise, utilização dos ele- janelas e cores de maneira imaginária? dessa construção, pinto ele. Agora, com a pacidade de Volpi de unir o seu interesse
séculos XIX e XX. São Paulo: Instituto Cultu- observem todas as pinturas de paisagens mentos da linguagem visual e suas articula- ◗ Que nome você daria para essa pintura? mesma construção pode-se fazer outro tra- pela estrutura, pela forma e pela cor com
ral Itaú, 1989. que foram reproduzidas no livro. Com ções nas imagens produzidas. balho, com outro problema da cor.” (Alma-
Dicionários as temáticas da vida simples e popular.
MOTA, E. Iniciação à pintura. Rio de Ja- base nessas imagens, você pode sugerir a ✦ Contextualização (veja quadro na página 7 naque Abril 2000: 489) Sobre essa fase Zanini comenta:
neiro: Nova Fronteira, 1976. construção de um texto a partir do tema: A ✦ Conteúdos do projeto deste suplemento) Contextualização: VOLPI E O “Na segunda metade da década de
NAVES, R. A forma difícil. São Paulo: Áti- DICIONÁRIO DA PINTURA MODERNA. transformação da pintura de paisagens no
◗ Simplificação como recurso de constru- 1 a etapa — desenho e construção das GRUPO SANTA HELENA 1950 consubstanciou-se a fase geomé-
ca, 1996. São Paulo: Hemus, 1981. percurso de Volpi.
ção no desenho. formas: proponha aos alunos que observem trica de Volpi, de orientação sui gene-
DICIONÁRIO OXFORD DE ARTE. São Pau- Como roteiro, sugira algumas palavras e Volpi fez parte do grupo Santa Helena,
ZANINI, W. História geral da arte no Bra- ◗ Composição. ATIVIDADES PARA DEPOIS DA LEITURA as fachadas da rua da escola, ou da escola, ris, onde a experiência da visualidade
lo: Martins Fontes, 1996. frases do livro que devem aparecer no texto formado por volta de 1935, composto de
sil. São Paulo: Instituto Walter Moreira Salles ◗ Relação entre forma e cor. e que dessa observação retirem e simplifi- geométrica do presente funde-se aos
MARCONDES, Luís Fernando (org.). Di- dos alunos: “apresentam uma preocupação muitos artistas imigrantes e de origem
e Fundação Djalma Guimarães, 1983. v. 1 e 2. ensinamentos formais da pintura pré-
cionário de termos artísticos. Rio de Janeiro: mais realista”; “fachadas e casarios se inten- humilde. Muitos deles trabalhavam em
sificaram”; “geométricos”; “abstratos”. ✦ Tema transversal: Meio ambiente. renascentista. Neste campo de investi-
Arte-educação Pinakotheke, 1998. ocupações artesanais: eram pintores de
O uso dessas palavras ajuda na incorpo- gação coloca-se também a longa série
READ, Herbert (org.). Dicionário da arte e frisos decorativos, de painéis em interio-
ARGAN, G. C. Arte Moderna. São Paulo: ração de um vocabulário utilizado na lei- ✦ Trabalho interdisciplinar: Geografia. de obras baseadas nas bandeirinhas de
dos artistas. Lisboa: Edições 70, 1989. Volpi possibilita que nos voltemos res de casas ou letristas.
Companhia das Letras, 1998. tura de imagens. Durante a construção do papel colorido, típicas das festas juninas
para as obras dos renascentistas com um Esses artistas reuniam-se no Palacete
BARBOSA, A. M. Arte-educação: conflitos/ texto, os alunos poderão consultar o livro [...]” (83: 679).
olhar renovado. Santa Helena, localizado na Praça da
acertos. São Paulo: Ateliê Editorial, 1997. para localizar a origem das palavras dadas ATIVIDADE PARA ANTES DA LEITURA
Enciclopédia Concretismo Movimento criado a partir
_________. A imagem do ensino da arte: e outras informações que desejarem. PARA SABER MAIS da publicação do Plano Piloto da Poesia
anos oitenta e novos tempos. São Paulo / ✦ Sensibilizando os alunos
ENCICLOPÉDIA DOS MUSEUS, Museu de Concreta em 1956. Além da poesia, o mo-
Porto Alegre: Perspectiva / Fundação Io- Arte de São Paulo, São Paulo: Melhoramentos, ✦ Roteiro de apreciação da obra reproduzida Peça aos alunos que folheiem o livro Artesão Pessoa que exerce por conta pró- vimento se estende para a pintura e para
chpe, 1981. 1978. no livro: Festa de São João (página 25) sobre Volpi procurando observar como o pria um ofício manual. o design.
_________. Arte-educação no Brasil: das artista usa as tintas: se elas parecem grossas,
Converse com os alunos sobre essa ima- Bienal de Veneza A mais famosa expo- Giotto (c.1267-1337) Pintor nascido na
origens ao modernismo. São Paulo: Perspec- aguadas, opacas, brilhantes, consistentes...
tiva, 1997. Promova uma discussão, enfatizando a sição internacional de arte, realizada na Itália, em Florença, que pintou muitos afres-
GOMBRICH, E. H. Arte e ilusão. São Paulo: influência das tintas na produção de uma cidade de Veneza a partir de 1895. cos em igrejas.
Edusp, 1992. Paul Cézane (1839-1906) Pintor francês, Optical art Tipo de arte abstrata que ex-
IAVELBERG, Rosa. Para gostar de apren- um dos maiores do pós-impressionismo, plora fenômenos óticos, dando a impressão
der arte: sala de aula e formação de profes- considerado por alguns críticos o precursor de movimento à pintura.
sores. Porto Alegre: Artmed, 2002. do cubismo.
Paolo Ucello (c.1397-1475) Pintor italiano
dos mais importantes do início da Renascen-
5 6 7

Untitled-2 2 11/7/11 11:45 AM


imagem. Será que a escolha da tinta é importante para um artista? A têmpera é preparada da seguinte ma- A PARTIR DA 5a SÉRIE DO ENSINO quem suas formas. A partir dessas formas, Sé, para praticar o desenho a partir de
Volpi preparava a sua própria tinta: a têmpera. Se você tiver recursos, poderá propor o neira (de acordo com Mota, 76: 23, 24): gem. Fomente um debate, propondo algumas questões: eles poderão criar uma composição. modelo vivo ou para combinar passeios:
preparo da têmpera a partir da receita utilizada por Volpi. ◗ Separar a gema da clara.
FUNDAMENTAL: ◗ Como é o espaço representado? nos finais de semana o grupo saía para
Para esta atividade, você vai precisar de: gema de ovo (uma parte); água (duas partes); fungicida ◗ Separar a película que envolve a gema: 2a etapa — composição das cores: a partir desenhar os arredores da cidade.
PINTOR DE PAREDE E FACHADAS ◗ Como são as janelas e portas? Como elas da composição criada na etapa anterior, pro- Outros artistas que participaram do
1% (Volpi utilizava uma gota de óleo de cravo) e pigmentos coloridos em pó. você pode segurar a gema pela pele e cortar
✦ Objetivo estão distribuídas? ✦ Produção
a parte de baixo com uma lâmina, para que ponha que pintem duas versões da compo- grupo foram: Mario Zanini, Humberto
o conteúdo escorregue em um pote, fican- Perceber, através da observação das obras ◗ O que mais chama atenção? sição utilizando cores diferentes. A têmpera Rosa, Francisco Rebolo, Fulvio Pennacchi,
A sugestão para trabalho de produção
ça, recebeu o apelido de pássaro (ucello em do apenas a pele na sua mão; ou peneirar a de Volpi e da elaboração de pinturas, a sim- ◗ Como são as linhas (retas, curvilíneas, preparada na atividade antes da leitura pode Aldo Bonadei, Clóvis Graciano, Manuel
está dividida em duas etapas: desenho e
italiano) por gostar muito de animais. gema, para separar a sua pele. plificação das formas e o uso da cor como estáticas, instáveis)? ser usada nesta atividade. Martins, Alfredo Rizzotti.
JANSON, H. W. Iniciação à História da construção das formas e pintura e composi-
◗ Adicionar água sempre agitando. recurso de composição que exige muita ◗ O que elas sugerem? Mesmo desinteressados das discussões
ção das cores.
Arte. São Paulo: Martins Fontes, 1996. ◗ Juntar o fungicida, que pode ser formol elaboração. ◗ Quais as cores utilizadas por Volpi nessa ✦ Avaliação teóricas e intelectualizadas, esses artis-
BibliogrAFIA Você pode, antes, ler para os alunos um
MARTINS, M. C. et alii. Didática do ensino em solução, ou óleo de cravo. pintura? tas, chamados por Mário de Andrade de
trecho da entrevista com Volpi: Na avaliação, os alunos podem apresentar
Volpi da arte: a língua do mundo — Poetizar, fruir ◗ A esse preparo você mistura os pigmen- ✦ Conteúdos gerais (com referência nos PCNs ◗ Quantos tons de vermelho e azul você “artistas proletários”, faziam, por inter-
consegue identificar? “– O senhor esboça os quadros antes de as duas pinturas, dando a sua opinião sobre
e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998. tos coloridos. de Arte) médio de suas práticas, oposição a uma
ALMANAQUE ABRIL. Quem é quem na ◗ Volpi utiliza muitas texturas ou sua pin- pintar? qual ficou mais bem solucionada e por quê.
PARSONS, M. J. Compreender a arte. 1. arte acadêmica.
história do Brasil. São Paulo: Abril Multimídia, ◗ Observação da presença e da transfor- tura parece mais lisa? – A construção é a linha e a forma. De- Peça aos alunos que comentem como as
ed. Lisboa: Presença, 1992. Embora Volpi sempre negasse ser
2000. mação dos elementos básicos da linguagem ◗ Qual a sensação que as cores e as linhas pois, toda pintura tem um problema de cor. cores influenciaram na composição. Quais
ROSSI, M. H. W. A compreensão das ima- ATIVIDADES PARA DURANTE A LEITURA concretista, é possível encontrar muitas
AJZENBERG, E. Operários na Paulista (ca- visual, em suas articulações nas imagens pro- causam em você? – O senhor muda o desenho dos quadros foram os trabalhos que mostraram uma boa
gens da arte. Arte & Educação em revista. afinidades entre as idéias e as obras do
tálogo da exposição realizada entre 17 de duzidas, nas dos colegas e nas apresentadas ◗ Você acha que Volpi pintou essa cena a enquanto está realizando? utilização das cores? Existe combinação cor-
Porto Alegre: UFRGS / Iochpe. I: 27-35, out. ✦ Orientações para ler o livro em sala de aula pintor e o concretismo.
setembro de 2002 e 19 de janeiro de 2003). em diferentes culturas e épocas. partir de observação? Ou ordenou as linhas, – Não. Quando é construído um dentro reta de cores?
1995. A obra Festa de São João mostra a ca-
MORAIS, F. Panorama das artes plásticas Logo após a leitura peça aos alunos que ◗ Observação, análise, utilização dos ele- janelas e cores de maneira imaginária? dessa construção, pinto ele. Agora, com a pacidade de Volpi de unir o seu interesse
séculos XIX e XX. São Paulo: Instituto Cultu- observem todas as pinturas de paisagens mentos da linguagem visual e suas articula- ◗ Que nome você daria para essa pintura? mesma construção pode-se fazer outro tra- pela estrutura, pela forma e pela cor com
ral Itaú, 1989. que foram reproduzidas no livro. Com ções nas imagens produzidas. balho, com outro problema da cor.” (Alma-
Dicionários as temáticas da vida simples e popular.
MOTA, E. Iniciação à pintura. Rio de Ja- base nessas imagens, você pode sugerir a ✦ Contextualização (veja quadro na página 7 naque Abril 2000: 489) Sobre essa fase Zanini comenta:
neiro: Nova Fronteira, 1976. construção de um texto a partir do tema: A ✦ Conteúdos do projeto deste suplemento) Contextualização: VOLPI E O “Na segunda metade da década de
NAVES, R. A forma difícil. São Paulo: Áti- DICIONÁRIO DA PINTURA MODERNA. transformação da pintura de paisagens no
◗ Simplificação como recurso de constru- 1 a etapa — desenho e construção das GRUPO SANTA HELENA 1950 consubstanciou-se a fase geomé-
ca, 1996. São Paulo: Hemus, 1981. percurso de Volpi.
ção no desenho. formas: proponha aos alunos que observem trica de Volpi, de orientação sui gene-
DICIONÁRIO OXFORD DE ARTE. São Pau- Como roteiro, sugira algumas palavras e Volpi fez parte do grupo Santa Helena,
ZANINI, W. História geral da arte no Bra- ◗ Composição. ATIVIDADES PARA DEPOIS DA LEITURA as fachadas da rua da escola, ou da escola, ris, onde a experiência da visualidade
lo: Martins Fontes, 1996. frases do livro que devem aparecer no texto formado por volta de 1935, composto de
sil. São Paulo: Instituto Walter Moreira Salles ◗ Relação entre forma e cor. e que dessa observação retirem e simplifi- geométrica do presente funde-se aos
MARCONDES, Luís Fernando (org.). Di- dos alunos: “apresentam uma preocupação muitos artistas imigrantes e de origem
e Fundação Djalma Guimarães, 1983. v. 1 e 2. ensinamentos formais da pintura pré-
cionário de termos artísticos. Rio de Janeiro: mais realista”; “fachadas e casarios se inten- humilde. Muitos deles trabalhavam em
sificaram”; “geométricos”; “abstratos”. ✦ Tema transversal: Meio ambiente. renascentista. Neste campo de investi-
Arte-educação Pinakotheke, 1998. ocupações artesanais: eram pintores de
O uso dessas palavras ajuda na incorpo- gação coloca-se também a longa série
READ, Herbert (org.). Dicionário da arte e frisos decorativos, de painéis em interio-
ARGAN, G. C. Arte Moderna. São Paulo: ração de um vocabulário utilizado na lei- ✦ Trabalho interdisciplinar: Geografia. de obras baseadas nas bandeirinhas de
dos artistas. Lisboa: Edições 70, 1989. Volpi possibilita que nos voltemos res de casas ou letristas.
Companhia das Letras, 1998. tura de imagens. Durante a construção do papel colorido, típicas das festas juninas
para as obras dos renascentistas com um Esses artistas reuniam-se no Palacete
BARBOSA, A. M. Arte-educação: conflitos/ texto, os alunos poderão consultar o livro [...]” (83: 679).
olhar renovado. Santa Helena, localizado na Praça da
acertos. São Paulo: Ateliê Editorial, 1997. para localizar a origem das palavras dadas ATIVIDADE PARA ANTES DA LEITURA
Enciclopédia Concretismo Movimento criado a partir
_________. A imagem do ensino da arte: e outras informações que desejarem. PARA SABER MAIS da publicação do Plano Piloto da Poesia
anos oitenta e novos tempos. São Paulo / ✦ Sensibilizando os alunos
ENCICLOPÉDIA DOS MUSEUS, Museu de Concreta em 1956. Além da poesia, o mo-
Porto Alegre: Perspectiva / Fundação Io- Arte de São Paulo, São Paulo: Melhoramentos, ✦ Roteiro de apreciação da obra reproduzida Peça aos alunos que folheiem o livro Artesão Pessoa que exerce por conta pró- vimento se estende para a pintura e para
chpe, 1981. 1978. no livro: Festa de São João (página 25) sobre Volpi procurando observar como o pria um ofício manual. o design.
_________. Arte-educação no Brasil: das artista usa as tintas: se elas parecem grossas,
Converse com os alunos sobre essa ima- Bienal de Veneza A mais famosa expo- Giotto (c.1267-1337) Pintor nascido na
origens ao modernismo. São Paulo: Perspec- aguadas, opacas, brilhantes, consistentes...
tiva, 1997. Promova uma discussão, enfatizando a sição internacional de arte, realizada na Itália, em Florença, que pintou muitos afres-
GOMBRICH, E. H. Arte e ilusão. São Paulo: influência das tintas na produção de uma cidade de Veneza a partir de 1895. cos em igrejas.
Edusp, 1992. Paul Cézane (1839-1906) Pintor francês, Optical art Tipo de arte abstrata que ex-
IAVELBERG, Rosa. Para gostar de apren- um dos maiores do pós-impressionismo, plora fenômenos óticos, dando a impressão
der arte: sala de aula e formação de profes- considerado por alguns críticos o precursor de movimento à pintura.
sores. Porto Alegre: Artmed, 2002. do cubismo.
Paolo Ucello (c.1397-1475) Pintor italiano
dos mais importantes do início da Renascen-
5 6 7

Untitled-2 2 11/7/11 11:45 AM


imagem. Será que a escolha da tinta é importante para um artista? A têmpera é preparada da seguinte ma- A PARTIR DA 5a SÉRIE DO ENSINO quem suas formas. A partir dessas formas, Sé, para praticar o desenho a partir de
Volpi preparava a sua própria tinta: a têmpera. Se você tiver recursos, poderá propor o neira (de acordo com Mota, 76: 23, 24): gem. Fomente um debate, propondo algumas questões: eles poderão criar uma composição. modelo vivo ou para combinar passeios:
preparo da têmpera a partir da receita utilizada por Volpi. ◗ Separar a gema da clara.
FUNDAMENTAL: ◗ Como é o espaço representado? nos finais de semana o grupo saía para
Para esta atividade, você vai precisar de: gema de ovo (uma parte); água (duas partes); fungicida ◗ Separar a película que envolve a gema: 2a etapa — composição das cores: a partir desenhar os arredores da cidade.
PINTOR DE PAREDE E FACHADAS ◗ Como são as janelas e portas? Como elas da composição criada na etapa anterior, pro- Outros artistas que participaram do
1% (Volpi utilizava uma gota de óleo de cravo) e pigmentos coloridos em pó. você pode segurar a gema pela pele e cortar
✦ Objetivo estão distribuídas? ✦ Produção
a parte de baixo com uma lâmina, para que ponha que pintem duas versões da compo- grupo foram: Mario Zanini, Humberto
o conteúdo escorregue em um pote, fican- Perceber, através da observação das obras ◗ O que mais chama atenção? sição utilizando cores diferentes. A têmpera Rosa, Francisco Rebolo, Fulvio Pennacchi,
A sugestão para trabalho de produção
ça, recebeu o apelido de pássaro (ucello em do apenas a pele na sua mão; ou peneirar a de Volpi e da elaboração de pinturas, a sim- ◗ Como são as linhas (retas, curvilíneas, preparada na atividade antes da leitura pode Aldo Bonadei, Clóvis Graciano, Manuel
está dividida em duas etapas: desenho e
italiano) por gostar muito de animais. gema, para separar a sua pele. plificação das formas e o uso da cor como estáticas, instáveis)? ser usada nesta atividade. Martins, Alfredo Rizzotti.
JANSON, H. W. Iniciação à História da construção das formas e pintura e composi-
◗ Adicionar água sempre agitando. recurso de composição que exige muita ◗ O que elas sugerem? Mesmo desinteressados das discussões
ção das cores.
Arte. São Paulo: Martins Fontes, 1996. ◗ Juntar o fungicida, que pode ser formol elaboração. ◗ Quais as cores utilizadas por Volpi nessa ✦ Avaliação teóricas e intelectualizadas, esses artis-
BibliogrAFIA Você pode, antes, ler para os alunos um
MARTINS, M. C. et alii. Didática do ensino em solução, ou óleo de cravo. pintura? tas, chamados por Mário de Andrade de
trecho da entrevista com Volpi: Na avaliação, os alunos podem apresentar
Volpi da arte: a língua do mundo — Poetizar, fruir ◗ A esse preparo você mistura os pigmen- ✦ Conteúdos gerais (com referência nos PCNs ◗ Quantos tons de vermelho e azul você “artistas proletários”, faziam, por inter-
consegue identificar? “– O senhor esboça os quadros antes de as duas pinturas, dando a sua opinião sobre
e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998. tos coloridos. de Arte) médio de suas práticas, oposição a uma
ALMANAQUE ABRIL. Quem é quem na ◗ Volpi utiliza muitas texturas ou sua pin- pintar? qual ficou mais bem solucionada e por quê.
PARSONS, M. J. Compreender a arte. 1. arte acadêmica.
história do Brasil. São Paulo: Abril Multimídia, ◗ Observação da presença e da transfor- tura parece mais lisa? – A construção é a linha e a forma. De- Peça aos alunos que comentem como as
ed. Lisboa: Presença, 1992. Embora Volpi sempre negasse ser
2000. mação dos elementos básicos da linguagem ◗ Qual a sensação que as cores e as linhas pois, toda pintura tem um problema de cor. cores influenciaram na composição. Quais
ROSSI, M. H. W. A compreensão das ima- ATIVIDADES PARA DURANTE A LEITURA concretista, é possível encontrar muitas
AJZENBERG, E. Operários na Paulista (ca- visual, em suas articulações nas imagens pro- causam em você? – O senhor muda o desenho dos quadros foram os trabalhos que mostraram uma boa
gens da arte. Arte & Educação em revista. afinidades entre as idéias e as obras do
tálogo da exposição realizada entre 17 de duzidas, nas dos colegas e nas apresentadas ◗ Você acha que Volpi pintou essa cena a enquanto está realizando? utilização das cores? Existe combinação cor-
Porto Alegre: UFRGS / Iochpe. I: 27-35, out. ✦ Orientações para ler o livro em sala de aula pintor e o concretismo.
setembro de 2002 e 19 de janeiro de 2003). em diferentes culturas e épocas. partir de observação? Ou ordenou as linhas, – Não. Quando é construído um dentro reta de cores?
1995. A obra Festa de São João mostra a ca-
MORAIS, F. Panorama das artes plásticas Logo após a leitura peça aos alunos que ◗ Observação, análise, utilização dos ele- janelas e cores de maneira imaginária? dessa construção, pinto ele. Agora, com a pacidade de Volpi de unir o seu interesse
séculos XIX e XX. São Paulo: Instituto Cultu- observem todas as pinturas de paisagens mentos da linguagem visual e suas articula- ◗ Que nome você daria para essa pintura? mesma construção pode-se fazer outro tra- pela estrutura, pela forma e pela cor com
ral Itaú, 1989. que foram reproduzidas no livro. Com ções nas imagens produzidas. balho, com outro problema da cor.” (Alma-
Dicionários as temáticas da vida simples e popular.
MOTA, E. Iniciação à pintura. Rio de Ja- base nessas imagens, você pode sugerir a ✦ Contextualização (veja quadro na página 7 naque Abril 2000: 489) Sobre essa fase Zanini comenta:
neiro: Nova Fronteira, 1976. construção de um texto a partir do tema: A ✦ Conteúdos do projeto deste suplemento) Contextualização: VOLPI E O “Na segunda metade da década de
NAVES, R. A forma difícil. São Paulo: Áti- DICIONÁRIO DA PINTURA MODERNA. transformação da pintura de paisagens no
◗ Simplificação como recurso de constru- 1 a etapa — desenho e construção das GRUPO SANTA HELENA 1950 consubstanciou-se a fase geomé-
ca, 1996. São Paulo: Hemus, 1981. percurso de Volpi.
ção no desenho. formas: proponha aos alunos que observem trica de Volpi, de orientação sui gene-
DICIONÁRIO OXFORD DE ARTE. São Pau- Como roteiro, sugira algumas palavras e Volpi fez parte do grupo Santa Helena,
ZANINI, W. História geral da arte no Bra- ◗ Composição. ATIVIDADES PARA DEPOIS DA LEITURA as fachadas da rua da escola, ou da escola, ris, onde a experiência da visualidade
lo: Martins Fontes, 1996. frases do livro que devem aparecer no texto formado por volta de 1935, composto de
sil. São Paulo: Instituto Walter Moreira Salles ◗ Relação entre forma e cor. e que dessa observação retirem e simplifi- geométrica do presente funde-se aos
MARCONDES, Luís Fernando (org.). Di- dos alunos: “apresentam uma preocupação muitos artistas imigrantes e de origem
e Fundação Djalma Guimarães, 1983. v. 1 e 2. ensinamentos formais da pintura pré-
cionário de termos artísticos. Rio de Janeiro: mais realista”; “fachadas e casarios se inten- humilde. Muitos deles trabalhavam em
sificaram”; “geométricos”; “abstratos”. ✦ Tema transversal: Meio ambiente. renascentista. Neste campo de investi-
Arte-educação Pinakotheke, 1998. ocupações artesanais: eram pintores de
O uso dessas palavras ajuda na incorpo- gação coloca-se também a longa série
READ, Herbert (org.). Dicionário da arte e frisos decorativos, de painéis em interio-
ARGAN, G. C. Arte Moderna. São Paulo: ração de um vocabulário utilizado na lei- ✦ Trabalho interdisciplinar: Geografia. de obras baseadas nas bandeirinhas de
dos artistas. Lisboa: Edições 70, 1989. Volpi possibilita que nos voltemos res de casas ou letristas.
Companhia das Letras, 1998. tura de imagens. Durante a construção do papel colorido, típicas das festas juninas
para as obras dos renascentistas com um Esses artistas reuniam-se no Palacete
BARBOSA, A. M. Arte-educação: conflitos/ texto, os alunos poderão consultar o livro [...]” (83: 679).
olhar renovado. Santa Helena, localizado na Praça da
acertos. São Paulo: Ateliê Editorial, 1997. para localizar a origem das palavras dadas ATIVIDADE PARA ANTES DA LEITURA
Enciclopédia Concretismo Movimento criado a partir
_________. A imagem do ensino da arte: e outras informações que desejarem. PARA SABER MAIS da publicação do Plano Piloto da Poesia
anos oitenta e novos tempos. São Paulo / ✦ Sensibilizando os alunos
ENCICLOPÉDIA DOS MUSEUS, Museu de Concreta em 1956. Além da poesia, o mo-
Porto Alegre: Perspectiva / Fundação Io- Arte de São Paulo, São Paulo: Melhoramentos, ✦ Roteiro de apreciação da obra reproduzida Peça aos alunos que folheiem o livro Artesão Pessoa que exerce por conta pró- vimento se estende para a pintura e para
chpe, 1981. 1978. no livro: Festa de São João (página 25) sobre Volpi procurando observar como o pria um ofício manual. o design.
_________. Arte-educação no Brasil: das artista usa as tintas: se elas parecem grossas,
Converse com os alunos sobre essa ima- Bienal de Veneza A mais famosa expo- Giotto (c.1267-1337) Pintor nascido na
origens ao modernismo. São Paulo: Perspec- aguadas, opacas, brilhantes, consistentes...
tiva, 1997. Promova uma discussão, enfatizando a sição internacional de arte, realizada na Itália, em Florença, que pintou muitos afres-
GOMBRICH, E. H. Arte e ilusão. São Paulo: influência das tintas na produção de uma cidade de Veneza a partir de 1895. cos em igrejas.
Edusp, 1992. Paul Cézane (1839-1906) Pintor francês, Optical art Tipo de arte abstrata que ex-
IAVELBERG, Rosa. Para gostar de apren- um dos maiores do pós-impressionismo, plora fenômenos óticos, dando a impressão
der arte: sala de aula e formação de profes- considerado por alguns críticos o precursor de movimento à pintura.
sores. Porto Alegre: Artmed, 2002. do cubismo.
Paolo Ucello (c.1397-1475) Pintor italiano
dos mais importantes do início da Renascen-
5 6 7

Untitled-2 2 11/7/11 11:45 AM


imagem. Será que a escolha da tinta é importante para um artista? A têmpera é preparada da seguinte ma- A PARTIR DA 5a SÉRIE DO ENSINO quem suas formas. A partir dessas formas, Sé, para praticar o desenho a partir de
Volpi preparava a sua própria tinta: a têmpera. Se você tiver recursos, poderá propor o neira (de acordo com Mota, 76: 23, 24): gem. Fomente um debate, propondo algumas questões: eles poderão criar uma composição. modelo vivo ou para combinar passeios:
preparo da têmpera a partir da receita utilizada por Volpi. ◗ Separar a gema da clara.
FUNDAMENTAL: ◗ Como é o espaço representado? nos finais de semana o grupo saía para
Para esta atividade, você vai precisar de: gema de ovo (uma parte); água (duas partes); fungicida ◗ Separar a película que envolve a gema: 2a etapa — composição das cores: a partir desenhar os arredores da cidade.
PINTOR DE PAREDE E FACHADAS ◗ Como são as janelas e portas? Como elas da composição criada na etapa anterior, pro- Outros artistas que participaram do
1% (Volpi utilizava uma gota de óleo de cravo) e pigmentos coloridos em pó. você pode segurar a gema pela pele e cortar
✦ Objetivo estão distribuídas? ✦ Produção
a parte de baixo com uma lâmina, para que ponha que pintem duas versões da compo- grupo foram: Mario Zanini, Humberto
o conteúdo escorregue em um pote, fican- Perceber, através da observação das obras ◗ O que mais chama atenção? sição utilizando cores diferentes. A têmpera Rosa, Francisco Rebolo, Fulvio Pennacchi,
A sugestão para trabalho de produção
ça, recebeu o apelido de pássaro (ucello em do apenas a pele na sua mão; ou peneirar a de Volpi e da elaboração de pinturas, a sim- ◗ Como são as linhas (retas, curvilíneas, preparada na atividade antes da leitura pode Aldo Bonadei, Clóvis Graciano, Manuel
está dividida em duas etapas: desenho e
italiano) por gostar muito de animais. gema, para separar a sua pele. plificação das formas e o uso da cor como estáticas, instáveis)? ser usada nesta atividade. Martins, Alfredo Rizzotti.
JANSON, H. W. Iniciação à História da construção das formas e pintura e composi-
◗ Adicionar água sempre agitando. recurso de composição que exige muita ◗ O que elas sugerem? Mesmo desinteressados das discussões
ção das cores.
Arte. São Paulo: Martins Fontes, 1996. ◗ Juntar o fungicida, que pode ser formol elaboração. ◗ Quais as cores utilizadas por Volpi nessa ✦ Avaliação teóricas e intelectualizadas, esses artis-
BibliogrAFIA Você pode, antes, ler para os alunos um
MARTINS, M. C. et alii. Didática do ensino em solução, ou óleo de cravo. pintura? tas, chamados por Mário de Andrade de
trecho da entrevista com Volpi: Na avaliação, os alunos podem apresentar
Volpi da arte: a língua do mundo — Poetizar, fruir ◗ A esse preparo você mistura os pigmen- ✦ Conteúdos gerais (com referência nos PCNs ◗ Quantos tons de vermelho e azul você “artistas proletários”, faziam, por inter-
consegue identificar? “– O senhor esboça os quadros antes de as duas pinturas, dando a sua opinião sobre
e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998. tos coloridos. de Arte) médio de suas práticas, oposição a uma
ALMANAQUE ABRIL. Quem é quem na ◗ Volpi utiliza muitas texturas ou sua pin- pintar? qual ficou mais bem solucionada e por quê.
PARSONS, M. J. Compreender a arte. 1. arte acadêmica.
história do Brasil. São Paulo: Abril Multimídia, ◗ Observação da presença e da transfor- tura parece mais lisa? – A construção é a linha e a forma. De- Peça aos alunos que comentem como as
ed. Lisboa: Presença, 1992. Embora Volpi sempre negasse ser
2000. mação dos elementos básicos da linguagem ◗ Qual a sensação que as cores e as linhas pois, toda pintura tem um problema de cor. cores influenciaram na composição. Quais
ROSSI, M. H. W. A compreensão das ima- ATIVIDADES PARA DURANTE A LEITURA concretista, é possível encontrar muitas
AJZENBERG, E. Operários na Paulista (ca- visual, em suas articulações nas imagens pro- causam em você? – O senhor muda o desenho dos quadros foram os trabalhos que mostraram uma boa
gens da arte. Arte & Educação em revista. afinidades entre as idéias e as obras do
tálogo da exposição realizada entre 17 de duzidas, nas dos colegas e nas apresentadas ◗ Você acha que Volpi pintou essa cena a enquanto está realizando? utilização das cores? Existe combinação cor-
Porto Alegre: UFRGS / Iochpe. I: 27-35, out. ✦ Orientações para ler o livro em sala de aula pintor e o concretismo.
setembro de 2002 e 19 de janeiro de 2003). em diferentes culturas e épocas. partir de observação? Ou ordenou as linhas, – Não. Quando é construído um dentro reta de cores?
1995. A obra Festa de São João mostra a ca-
MORAIS, F. Panorama das artes plásticas Logo após a leitura peça aos alunos que ◗ Observação, análise, utilização dos ele- janelas e cores de maneira imaginária? dessa construção, pinto ele. Agora, com a pacidade de Volpi de unir o seu interesse
séculos XIX e XX. São Paulo: Instituto Cultu- observem todas as pinturas de paisagens mentos da linguagem visual e suas articula- ◗ Que nome você daria para essa pintura? mesma construção pode-se fazer outro tra- pela estrutura, pela forma e pela cor com
ral Itaú, 1989. que foram reproduzidas no livro. Com ções nas imagens produzidas. balho, com outro problema da cor.” (Alma-
Dicionários as temáticas da vida simples e popular.
MOTA, E. Iniciação à pintura. Rio de Ja- base nessas imagens, você pode sugerir a ✦ Contextualização (veja quadro na página 7 naque Abril 2000: 489) Sobre essa fase Zanini comenta:
neiro: Nova Fronteira, 1976. construção de um texto a partir do tema: A ✦ Conteúdos do projeto deste suplemento) Contextualização: VOLPI E O “Na segunda metade da década de
NAVES, R. A forma difícil. São Paulo: Áti- DICIONÁRIO DA PINTURA MODERNA. transformação da pintura de paisagens no
◗ Simplificação como recurso de constru- 1 a etapa — desenho e construção das GRUPO SANTA HELENA 1950 consubstanciou-se a fase geomé-
ca, 1996. São Paulo: Hemus, 1981. percurso de Volpi.
ção no desenho. formas: proponha aos alunos que observem trica de Volpi, de orientação sui gene-
DICIONÁRIO OXFORD DE ARTE. São Pau- Como roteiro, sugira algumas palavras e Volpi fez parte do grupo Santa Helena,
ZANINI, W. História geral da arte no Bra- ◗ Composição. ATIVIDADES PARA DEPOIS DA LEITURA as fachadas da rua da escola, ou da escola, ris, onde a experiência da visualidade
lo: Martins Fontes, 1996. frases do livro que devem aparecer no texto formado por volta de 1935, composto de
sil. São Paulo: Instituto Walter Moreira Salles ◗ Relação entre forma e cor. e que dessa observação retirem e simplifi- geométrica do presente funde-se aos
MARCONDES, Luís Fernando (org.). Di- dos alunos: “apresentam uma preocupação muitos artistas imigrantes e de origem
e Fundação Djalma Guimarães, 1983. v. 1 e 2. ensinamentos formais da pintura pré-
cionário de termos artísticos. Rio de Janeiro: mais realista”; “fachadas e casarios se inten- humilde. Muitos deles trabalhavam em
sificaram”; “geométricos”; “abstratos”. ✦ Tema transversal: Meio ambiente. renascentista. Neste campo de investi-
Arte-educação Pinakotheke, 1998. ocupações artesanais: eram pintores de
O uso dessas palavras ajuda na incorpo- gação coloca-se também a longa série
READ, Herbert (org.). Dicionário da arte e frisos decorativos, de painéis em interio-
ARGAN, G. C. Arte Moderna. São Paulo: ração de um vocabulário utilizado na lei- ✦ Trabalho interdisciplinar: Geografia. de obras baseadas nas bandeirinhas de
dos artistas. Lisboa: Edições 70, 1989. Volpi possibilita que nos voltemos res de casas ou letristas.
Companhia das Letras, 1998. tura de imagens. Durante a construção do papel colorido, típicas das festas juninas
para as obras dos renascentistas com um Esses artistas reuniam-se no Palacete
BARBOSA, A. M. Arte-educação: conflitos/ texto, os alunos poderão consultar o livro [...]” (83: 679).
olhar renovado. Santa Helena, localizado na Praça da
acertos. São Paulo: Ateliê Editorial, 1997. para localizar a origem das palavras dadas ATIVIDADE PARA ANTES DA LEITURA
Enciclopédia Concretismo Movimento criado a partir
_________. A imagem do ensino da arte: e outras informações que desejarem. PARA SABER MAIS da publicação do Plano Piloto da Poesia
anos oitenta e novos tempos. São Paulo / ✦ Sensibilizando os alunos
ENCICLOPÉDIA DOS MUSEUS, Museu de Concreta em 1956. Além da poesia, o mo-
Porto Alegre: Perspectiva / Fundação Io- Arte de São Paulo, São Paulo: Melhoramentos, ✦ Roteiro de apreciação da obra reproduzida Peça aos alunos que folheiem o livro Artesão Pessoa que exerce por conta pró- vimento se estende para a pintura e para
chpe, 1981. 1978. no livro: Festa de São João (página 25) sobre Volpi procurando observar como o pria um ofício manual. o design.
_________. Arte-educação no Brasil: das artista usa as tintas: se elas parecem grossas,
Converse com os alunos sobre essa ima- Bienal de Veneza A mais famosa expo- Giotto (c.1267-1337) Pintor nascido na
origens ao modernismo. São Paulo: Perspec- aguadas, opacas, brilhantes, consistentes...
tiva, 1997. Promova uma discussão, enfatizando a sição internacional de arte, realizada na Itália, em Florença, que pintou muitos afres-
GOMBRICH, E. H. Arte e ilusão. São Paulo: influência das tintas na produção de uma cidade de Veneza a partir de 1895. cos em igrejas.
Edusp, 1992. Paul Cézane (1839-1906) Pintor francês, Optical art Tipo de arte abstrata que ex-
IAVELBERG, Rosa. Para gostar de apren- um dos maiores do pós-impressionismo, plora fenômenos óticos, dando a impressão
der arte: sala de aula e formação de profes- considerado por alguns críticos o precursor de movimento à pintura.
sores. Porto Alegre: Artmed, 2002. do cubismo.
Paolo Ucello (c.1397-1475) Pintor italiano
dos mais importantes do início da Renascen-
5 6 7

Untitled-2 2 11/7/11 11:45 AM