Você está na página 1de 11

Universidade Católica de Moçambique

Instituto de Educação a Distância


Rua Correia de Brito, 613, Ponta Gêa
C.P 90 - Beira - Moçambique
Tel: (+258) 23 32 64 05
Fax: (+258) 23 32 64 06
E-mail: ied@ucm.ac.mz

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO
HISTÓRICO

Guia Tutorial

Licenciatura em Ensino de História


2º ano

Tutor:
Email:
Contacto:
Índice

Introdução ............................................................................................................................... 2

Objectivos de aprendizagem ................................................................................................... 2

Conteúdos a abordar ............................................................................................................... 2

Método de ensino – aprendizagem......................................................................................... 3

Desempenho esperado............................................................................................................ 3

6. Métodos de Avaliação................................................................................................................. 3

7. Actividades a realizar .................................................................................................................. 4

7.1. Actividade 1 (matéria da Unidade I a X) .............................................................................. 4

7.2. Actividade 2 (matéria da Unidade XI a XX) .......................................................................... 6

8. Sessões de aprendizagem ........................................................................................................... 8

8.1. Primeira sessão presencial (07 a 08 de Março) ................................................................... 8

8.2. Segunda sessão presencial (16 e 17 de Maio) ..................................................................... 9

8.3. Momento interregno ........................................................................................................... 9

8.4. Recursos ............................................................................................................................... 9

9. Sessão de Exames ..................................................................................................................... 10

10. Referência bibliográfica .......................................................................................................... 10

1
Introdução

Seja bem-vindo a disciplina de Evolução do Pensamento Histórico, nesta disciplina terá a


oportunidade de perceber a evolução do pensamento histórico, desde os primeiros momentos
rumo a sua cientificidade . Note tambem que a ideia chave desta disciplina é perceber como é
que as sociedades humanas, ao longo do tempo conceberam e se relacionaram com o passado,
e mais: como é que o pensamento histórico evoluiu.
O Material de apoio base é o Módulo da Disciplina mas deve ser enriquecido pelas bibliografias
que serão recomendadas e por outras que abordam os conteúdos das unidades.

Objectivos de aprendizagem

Quando terminar o estudo de História Económica I, o cursante deverá ser capaz de:
 Identificar as correntes historiográficas;
 Caracterizar as correntes Historiográficas;
 Explicar o processo de evolução do pensamento histórico;
 Identificar os representantes de cada corrente historiográfica;
 Explicar a essência do progresso histórico.

Conteúdos a abordar

Nesta disciplina iremos abordar os seguintes conteúdos:

 As primeiras manifestações historiográficas;

 O pensamento histórico judaico; o pensamento histórico grego;

 O pensamento histórico romano; historiografia cristã;

 Idade média e a história;

 A influência do renascimento e do humanismo na história;

 O pensamento histórico seiscentista;

 O iluminismo e a história;

2
 Historiografia do século XIX;

 O pensamento histórico do século XX;

 Modelo da verdade histórica no século XX;

 O surgimento da nova história;

 Historiografia africana: tendência Eurocentrista e Afrocentrista;

 Historiografia africana: dos primórdios a presença árabe;

 As potencialidades da historiografia africana;

 Historiografia moçambicana; as tendências do pensamento histórico da actualidade.

Método de ensino – aprendizagem

O curso adopta métodos inovadores centrados na aprendizagem do estudante. Isto significa que
a responsabilidade pelo processo de aprendizagem é do estudante. Quanto ao tutor, ele passa a
ser, sobretudo, um gestor/mediador/facilitador de situações de aprendizagem.

As sessões serão ministradas segundo métodos de exposição aberta do tutor da disciplina e


trabalho independente dos estudantes, durante os intervalos das presenciais seguidas de
partilhas na sala de aula.

Desempenho esperado

No final da disciplina, espera-se que o estudante tenha a capacidade de explicar o processo da


evolução do pensamento histórico através do conhecimento das várias correntes
historiográficas.

6. Métodos de Avaliação

Ao longo da disciplina o estudante deverá realizar todas actividades propostas para auto –
avaliação, pois constitui uma avaliação de carácter formativo. Os trabalhos individuais ou de

3
campo (teóricos ou práticos) realizados pelo estudante tem sobre a média de frequência o peso
de 40% e são indicados pelos tutores. No final do ano será realizado um exame de Múltipla
escolha que terá o peso de 60% sobre a média final. A nota final será calculada através da
seguinte fórmula: NF = MF x 40% + NE x 60%; onde:
NF -Nota Final; MF - Média de frequência; NE - Nota de Exame.

7. Actividades a realizar

Os exercícios de autoavaliação abaixo descritos, são actividades que visam desenvolver o estudo
individual do estudante e garantir o desenvolvimento formativo. As actividades que serão
classificadas (Somativa) serão indicadas pelo tutor durante as sessões.

7.1. Actividade 1 (matéria da Unidade I a X)

1. A historiografia grega tem como o começo a existência de mitografias e cosmogonias


como primeiras manifestações no contexto da Evolução do pensamento histórico.
a) Estabeleça diferença entre Mitografias e Cosmogonias
2. Explique o surgimento das primeiras manifestações historiográficas no contexto da
Evolução do Pensamento Histórico.
3. Explique as principais características da Historiografia Judáica.

4. Fale da importância da bíblia para a historiografia Judáica.


5. A historiografia Grega é uma referência para a ciência Histórica actual. Os pensadores da
historiografia Grega olharam para a história como uma realidade concreta e com muitas
exigências, rumo a verdade.
a) Apresente as principais contribuições da historiografia Grega para a evolução da
Ciência histórica.
6. Heródoto é conhecido como pai de História
a) Explique os requisitos básicos que Heródoto preenchia para fazer uma História
positivista de acordo com positivista Colingwood.
7. A historiografia Romana distingue-se pelo desenvolvimento de crónicas e anais

4
a) Apresente as principais características da Historiografia Romana;
8. Explique a principal intenção dos historiadores Romanos em acompanhar o exército nas
campanhas militares.
9. Na decadência de Roma, o Cristianismo veio dar uma mudança metodológica radical,
introduzindo o providencialismo
a) Explique a concepção cristã da História.
10. Estabeleça a diferença entre a religião cristã e o Judaísmo.
11. Explique até que ponto a história bíblica adquire sentido rumo a cientificação da história.
12. O papel dos religiosos na idade média foi muito importante. Concorda com a afirmação?
a) Justifique a sua afirmação.
13. Apresente o contributo das correntes renascentistas e humanista na concepção histórica.
14. O humanismo e o antropocentrismo se destacaram como correntes que fizeram do ser
Humano o principal sujeito da História.
a) Apresente a diferença entre o antropocentrismo e providencialismo.
15. Entretanto, segundo Mendes (1993), Os historiadores do século XVII, procuraram
apresentar uma abordagem historiográfica tendo em conta a dimensão crítica dos factos;
a) Explique o que marcou a historiografia moderna para o enriquecimento dos métodos
dos historiadores.
16. Apresente o posicionamento da historiografia seiscentista relativamente aos
pressupostos cristãos da época medieval.
17. Apresente as principais características da historiografia setecentista.
18. Segundo Colingwood, durante a segunda metade do século XVII, surgiu uma nova visão
de estudo e percepção da História. É a historiografia cartesiana. Esta denominação deve-
se ao facto desta historiografia se confinar a: Cepticismo sistemático e Reconhecimento
radical de princípios críticos.
a) Apresente o principal fundamento desta escola.
19. O iluminismo foi uma corrente que teve um impacto na construção e evolução do
Pensamento Histórico. Mendes (1993) afirma que com o iluminismo a história se tornou
científica.

5
a) Apresente as principais características do iluminismo.
20. Explique como é que a história era concebida na era iluminista.
21. Fale da contribuição do Romantismo para historia.
22. Relacione a Historiografia Judaica com a história dos outros povos.
23. Fale da contribuição de Heródoto e Políbio para a evolução do pensamento histórico.
24. Estabeleça diferença entre a historiografia Romana e Grega.
25. Pronuncie-se da contribuição do Salústio e Tito Lívio para a historiografia Romana.
26. Diga que factor contribuiu para a valorização da Historia Romana?
27. O Cristianismo surgiu na Palestina no contexto da conquista daquele território pelos
romanos. a) Explique os principais factores que levaram esta religião a se propagar mais
rapidamente para outras regiões do Mundo diferentemente do Judaísmo.
28. Fale da contribuição do iluminismo para a evolução do pensamento Histórico.
29. O período que ficou tradicionalmente conhecido como Renascimento ainda gera
discussões quanto a sua determinação temporal. a) Posicione-se em torno das
concepções do renascimento por parte dos pensadores Jules Michelet e Jacob Bukhardt
e Jean Delumeau.
30. Segundo Colingwood, durante a segunda metade do século XVII, surgiu uma nova visão
de estudo e percepção da História. É a historiografia cartesiana. a) Explique a que se
deveu esta denominação.

7.2. Actividade 2 (matéria da Unidade XI a XX)

1. O século XIX foi um período rico em mudanças, tanto na maneira de conceber a história
como na de escrevê-la.
a) Explique razão se considera que o seculo XIX foi um período rico em mudanças, na
concepção da história.
2. Fale da contribuição do positivismo para a evolução do pensamento Histórico.
3. Explique as principais razões que originaram a crise do positivismo.
4. Fale da contribuição do Marxismo para a evolução do pensamento histórico.

6
5. Explique as principais mudanças ocorridas no seculo XX para a consolidação da história
como ciência.
6. Explique a contribuição da escola dos Annales para o pensamento e verdade histórico.
7. Diferencie a concepção de Historia pela Escola dos Annales e dos positivistas.
8. Ao final dos anos 1970, tornaram cada vez mais evidentes sinais de "esgotamento" dos
três grandes modelos historiográficos predominantes no período subsequente à segunda
guerra mundial.
a) Quais foram as razões de mudanças nos paradigmas Historiográficos do seculo XX?
9. Explique os principais elementos de ruptura da Historia Nova em relação a Escola dos
Annales.
10. Quais foram as teorias que foram banidas pelo pensamento histórico da pós
modernidade;
11. Fale das principais mudanças epistemológicas em história durante o seculo XX.
12. "A África não é um continente histórico; ela não demonstra nem mudança nem
desenvolvimento". Os povos negros "são incapazes de se desenvolver e de receber uma
educação. Eles sempre foram tal como os vemos hoje".
a) Identifique o autor deste trecho e face uma análise crítica tendo em conta as três
correntes da historiografia Africana.
13. O estudo da história da África tornou-se mais difícil após aparecimento, nessa época e
em particular na Alemanha, de uma nova concepção sobre o trabalho do historiador
14. Explique como passou a ser encarado o trabalho do historiador nessa época.
15. Refira-se às características das primeiras manifestações de escrita da história de África.
16. Pronuncie-se sobre o impacto da visão hegeliana sobre os africanos e sua História.
17. Faça uma análise crítica da concepção europeia relativamente a historiografia africana,
mencionando os principais defensores.
18. Explique o posicionamento dos historiadores Africanos face a concepção Euro centrista.
19. Descreve o papel da UNESCO para a história Africana.
20. A historiografia africana apesar do valor acrescentado proveniente dos intelectuais
africanos enfrentou o problema.

7
a) Identifique-o e justifique porque constituía problema para a historiografia africana.
21. Faz menção dos principais historiadores e explique o contributo de cada um para o
enriquecimento para a historiografia Africana.
22. Fale da contribuição de Ibn Khaldun para a historiografia Africana.
23. Que regiões de África foram tidas como pioneiras em termos de abordagem
historiográfica?
24. Explique a contribuição árabe para a historiografia africana.
25. Caracterize a tradição oral como fonte de história.
26. Explique a importância da tradição oral para a história.
27. Apresente a periodização da historiografia Moçambicana.
28. Apresente as características da Historiografia Moçambicana.
29. Caracterize a abordagem da história de Moçambique entre 1975-1990.
30. Explique as tendências actuais relativamente a história.

8. Sessões de aprendizagem

8.1. Primeira sessão presencial (07 a 08 de Março)

Nesta sessão inaugural, o tutor faz a apresentação do Guia de Estudo, os objectivos gerais da
disciplina, a metodologia a ser usada, as formas de avaliação, os resultados de aprendizagem
esperados e, orienta o debate dos conteúdos das primeiras unidades do módulo, as actividades
de auto-avaliação, trabalhos teóricos ou práticos a serem realizadas, e define com os estudantes
as estratégias de interacção. O seu papel centra-se na motivação, mediação, orientação e
promoção de um contexto de aprendizagem conducente a formação da comunidade de
aprendizagem.

Em relação aos estudantes, figuras autónomas na sua aprendizagem, apresentam dúvidas


pontuais referentes ao Guia de estudo e ao Conteúdo Básico de Referência (Módulo), criam laços
sociais, coordenam estratégias de interação entre eles, isto é, são responsáveis pela formação de
grupos de estudos, e sugerem estratégias de comunicação entre estes e o tutor.

8
8.2. Segunda sessão presencial (16 e 17 de Maio)

Nesta sessão, o tutor movido pela orientação de fazer com que o estudante assuma o seu
processo de aprendizagem de forma activa, concentra-se em esclarecer dúvidas, dar feedback
das actividades até então realizadas, monitorar actividades práticas e fornecer as directrizes na
preparação para o exame.

Os estudantes expõem as dúvidas encontradas durante o estudo individual ou em grupo e


interagem com os colegas e tutor, recebem o feedback do tutor, realizam actividades práticas,
debatem em torno das restantes unidades do módulo e partilham recursos.

8.3. Momento interregno

Neste período, o tutor faz o acompanhamento, que consiste em atender pelo telefone, internet
ou fisicamente os estudantes, dar feedback, reforçar o processo de auto aprendizagem. Nesta
fase, o tutor esclarece dúvidas, direciona conteúdos, promove o diálogo problematizador,
modera, acompanha as discussões nos grupos de estudo e actualiza o conteúdo pedagógico.

O estudante realiza actividades de auto-avaliação individualmente ou em grupo, de forma


rigorosa conforme os objectivos preconizados em cada unidade. Interage com o conteúdo, seus
pares, tutor, realiza as actvidades orientadas pelo tutor para a avaliação Somativa. A colaboração
entre os estudantes é estimulada de modo que juntos construam o conhecimento, pelo debate
de ideias e partilha de informações e recursos.

8.4. Recursos

As disciplinas são ministradas com o emprego de recursos que propiciem ao estudante a devida
autonomia e o desenvolvimento de sua capacidade de iniciativa. Assim sendo, dispõem-se os
seguintes recursos de aprendizagem: Guias de estudo, Conteúdo Básico de Referência (Módulo),
Bibliografias básicas e complementares e objectos de aprendizagem (Textos de apoio,
PowerPoint, Prezi, entre outros).

9
Também são usados suportes tecnológicos como recursos audiovisuais (projector multimídia,
tela interativa, Tablet, data-show e CD).

9. Sessão de Exames

 Exame Normal de Cadeiras Gerais do 1º ao 3º ano e todas do 4º ano: 01 e 02 de Agosto.


 Exame de Recorrência de Cadeiras Gerais do 1º ao 3º ano e específica do 4º ano: 05 e 06
de Setembro.
 Exame de Cadeiras Especificas do 1º ao 3º ano e Estatística: 31 de Outubro e 01 de
Novembro.
 Exame de Recorrência de Cadeiras Especificas do 1º ao 3º ano incluindo Estatística: 05 e
06 de Dezembro.

10. Referência bibliográfica

 Bourdé, G., Martin., H. (1990). As escolas históricas. Mem Martins (Portugal): Europa-
América,

 Colingwood, R. (2001). A ideia de História. Lisboa: Presença.

 Cullman, O. (2010). O Conceito cristão de História.


In.www.monergismo.com/textos/história/conceito_cristao.htm. Acessado em 27 de
Novembro.

 Gardiner, P. (1995). Teorias da História. 4ª Edição. Lisboa: Calouste Gulbenkian.

 Gomes, R. (1988). Introdução ao Pensamento Histórico. Lisboa: Horizonte.

 Giordani, M. (1997). História de África: Antes dos Descobrimentos. Petrópolis: Vozes.

 Silva, P. As Grandes Correntes Historiográficas - Da Antiguidade ao Século XX.

 Ki-Zerbo, J. (1973). História da África Negra., Vol. II, 3ed.Sl: Publicações Europa-América.

 Martins E., R. História Cultura, Ciência, Teoria E Filosofia. Universidade de Brasília, Se,Sd.

 Mendes, J., A. (1993). História como Ciência: Fontes, Metodologia e teorização. Coimbra
editora.

10