Você está na página 1de 33

Prof.

Heni Mirna Cruz Santos


henimirna@hotmail.com
Conjunto de produtos e serviços
destinados a conferir estanqueidade a
partes de uma construção.

NBR 9575:2003
 Propriedade de um elemento (ou de um
conjunto de componentes) de impedir a
penetração ou passagem de fluídos através
de si.
 A sua determinação está associada a uma
pressão limite de utilização (a que se
relaciona com as condições de exposição
do elemento)
 Propriedade de um produto de ser
impermeável. A sua determinação está
associada a uma pressão limite
convencionada em ensaios específicos.

 IMPERMEÁVEL – Produto (material ou


componente) impenetrável por fluídos
 Conjunto de operações e técnicas construtivas
(serviços) que objetivam proteger as construções
contra a ação deletéria de fluídos, vapores e
umidade.
O produto (conjunto de componentes ou o
elemento) resultante destes serviços.
 Geralmente a impermeabilização é composta de um
conjunto de camadas com funções específicas.
O PRINCIPAL FLUÍDO ATUANTE É A ÁGUA, CUJA SOLICITAÇÃO
PODE SE DAR DE FORMAS DISTINTAS:
 Falta ou falha de Projeto de Impermeabilização;
 Mão-de-obra não qualificada;

 Uso de materiais não normalizados;


 Preparação inadequada do substrato;
 Caimentos insuficientes;
 Transito não previsto sobre a impermeabilização ou
revestimento inadequado
De acordo com a atuação da água sobre o elemento da
construção:
 contra água de percolação, contra água com pressão e contra
 umidade por capilaridade
De acordo com o comportamento físico do elemento da
construção:
 onde se prevê a ocorrência de trincas e fissuras, e
 elementos da construção não sujeitos a fissuramento e trincas
Exemplo 1
 Rígidos:
 Baixa capacidade de absorver deformações da
base (principalmente deformações concentradas
como fissuras e trincas)
 Flexíveis:
 Suportam deformações da base com amplitudes
variáveis (em função do sistema de
impermeabilização), inclusive fissuras e trincas.
 Sem reforços;
 Reforçados (com materiais resistentes à tração)
Concreto “impermeável”
 Com aditivos “impermeabilizantes”
 Sem aditivos

Argamassa “impermeável”
 Argamassa com hidrofugantes
 Argamassas poliméricas (aditivadas com polímeros)

Cimentos poliméricos e cristalizantes


 Cimentos impermeabilizantes e polímeros
 Cimentos impermeabilizantes e líquidos seladores
 Bloqueadores hidráulicos
Nas impermeabilizações RÍGIDAS a camada estanque
é aplicada diretamente sobre a base e geralmente
sem outras camadas complementares
 Membranas (moldadas no local)
 Asfálticas

 Poliméricas

 Elastoméricas (Neoprene, Hypalon)

 Acrílicas

 Mantas (pré-formadas)

 Asfálticas

 Poliméricas

 Elastoméricas (butílicas, EPDM)

 Plásticas (PVC, PEAD)


Pré-fabricadas Moldadas no Local

 Espessura definida e  Espessura variável


controlada
 Aplicação em camadas
 Aplicação normalmente em superpostas
única camada
 Menor velocidade de
 Maior velocidade de aplicação e maior custo de
aplicação e maior mão de obra
rendimento de mão de obra
 Maior dificuldade
 Maior facilidade de
 Maior facilidade de
controle de aplicação
aplicação em áreas com
 Maior dificuldade em áreas muitas interferências
com muitas interferências
É normalmente empregado em locais tais como:
 Reservatórios de água superior;
 Varandas, terraços e coberturas;
 Lajes maciças, mistas ou pré-moldadas;
 Piscinas suspensas e espelhos d’água;
 Calhas de grandes dimensões;
 Galerias de trens;
 Pisos frios (banheiros, cozinhas, áreas de serviço).
Exemplos de Projetos de
Impermeabilização
IMPERMEABILIZAÇÃO DE
TUBULAÇÃO EMERGENTE
IMPERMEABILIZAÇÃO DE RALO
IMPERMEABILIZAÇÃO DE CAIXA DE
PASSAGEM
IMPERMEABILIZAÇÃO DE POÇO DE
ELEVADOR
IMPERMEABILIZAÇÃO DE RESERVATÓRIO
IMPERMEABILIZAÇÃO DE CORTINA
EXISTENTE
IMPERMEABILIZAÇÃO DE RODAPÉ E
ALVENARIA
IMPERMEABILIZAÇÃO DE BACIA
SANITÁRIA

Você também pode gostar