Você está na página 1de 23

TRABALHO DO CAMPO DO MÓDULO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E

COMUNICAÇÃO, REFERENTES AS ACTIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDA


SOBRE O SEGUINTE TEMA:
______________________________________________
Fundamental __

IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NOS


NEGÓCIOS.

1. CAPA

Gervásio Rafael Tazama


Serie: 1º ano, turma A, Curso: Gestão Ambiental

Nipepe, 23 de Marco de 2019

Pág. 1
Índice
1. CAPA ..........................................................................................................................................1
RESUMO.......................................................................................................................................4
INTRODUÇÃO..............................................................................................................................5
IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NOS NEGÓCIOS........6
A INFORMAÇÃO, OS SISTEMAS E AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E A EMERGÊNCIA
AS ORGANIZAÇÕES DIGITAIS...................................................................................................6
A NATUREZA DOS IMPACTOS DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA PERFORMANCE
DAS ORGANIZAÇÕES .................................................................................................................7
OBJECTIVOS DO TIC NOS NEGOCIO .........................................................................................7
A EMPRESA DO NOVO PARADIGMA.........................................................................................8
AS FORMAS DE GESTÃO DO SÉCULO XXI ...............................................................................8
DEFINIÇÃO DO TIC .....................................................................................................................9
O IMPACTO NO GERENCIAMENTO DE TIC NOS NEGÓCIOS...................................................9
ITIL (INFORMATION TECHNOLOGY INFRASTRUCTURE LIBRARY)......................................9
CONTRIBUIÇÕES DE TIC PARA A ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS........................................... 10
CRITICIDADE DO EMPREENDIMENTO ................................................................................... 10
A PRÁTICA DE INOVAÇÃO: ..................................................................................................... 11
O IMPACTO DA TECNOLOGIA NAS EMPRESAS..................................................................... 13
AGILIDADE NO CONTATO COM CLIENTES E FORNECEDORES........................................... 13
IMPACTO DA TECNOLOGIA NA ESTRATÉGIA DE MARKETING .......................................... 14
REDES EMPRESARIAIS E OS E-MARKETPLACES................................................................... 15
IMPACTO DA TECNOLOGIA NO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE .............................. 15
IMPACTO DA TECNOLOGIA NA GESTÃO DA EMPRESA ....................................................... 16
TECNOLOGIAS INOVADORAS ................................................................................................. 17
REALIDADE VIRTUAL.............................................................................................................. 17
REALIDADE AUMENTADA ...................................................................................................... 17
TECNOLOGIA WEARABLE....................................................................................................... 18
CHATBOTS................................................................................................................................. 18
A INTEGRAÇÃO ........................................................................................................................ 18
O PAPEL DO TIC NO NOVO PARADIGMA ............................................................................... 18
RISCOS E OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS ................................................................ 19
BENEFÍCIOS DOS PROJETOS DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO .............................................. 19
CONCLUSÃO ............................................................................................................................. 21

Pág. 2
REFERENCIA BIBLIOGRÁFICA.......................................................................................................... 22
GLOSSÁRIO................................................................................................................................... 23

Pág. 3
RESUMO
O estudo dos Impactos das Tecnologias de Informação, nos últimos tempos tem crescido de
importância tanto na universidade e negócio. A Internet tem servindo como alternativa comercial,
mudando o sistema de comunicação entre pessoas, negócios, e o próprio consumidor, por eliminar
os limites territoriais entre negócios e nações. Este estudo procura analisar os impactos da
Tecnologia de Informação nos negócios, trabalho, no comportamento das pessoas e organizações.
Faz reflexão da sociedade informativa como um fenômeno global capaz de transformar atividades
sociais, políticas e econômicas

Pág. 4
INTRODUÇÃO

Desde a popularização da internet, as novas tecnologias não param mais de aparecer, assumindo
um papel cada vez mais importante em nosso dia a dia. Nos relacionamos no mundo virtual,
compramos e nos divertimos digitalmente: toda a nossa vida pessoal gira hoje em torno da rede.
Através deste trabalho, servirei como a grande oportunidade de transmitir conhecimentos sobre o
tema seguinte: O Impacto de Tecnologia de informação e comunicação no negócio. No entanto
os benefícios da tecnologia de informação, para a nossa sociedade e geral e em particular para as
empresas, nem sempre são claros desde o cedo que o Solow (1987) enunciou o que ficou conhecido
como o paradox da produtividade dos investimentos em TI. Desde então que o valor da tecnologia
de informação tem sido um tema de grande interesse para a investigação. Aos avanços tecnológicos
ocorridos nas últimas décadas facilitaram a recolha, o processamento e a transferência de
informação. As tecnologias de informação tem vindo a desempenhar um papel cada vês mais
importante e estão sobre os fatores que mais tem transformados as organizações (Dehning e
Richardrdson, 2002; Kohli e Devaraj, 2003; Melville, Kraemer e Gurbaxani, 2004).
Durante o trabalho foi realizado com base em algumas figuras de estilo de certos pensadores, não
só mas também muita leitura de alguns manuais, de procedimento de TIC e um pouco da prática
Uma vês que a Tecnologia de Informação e Comunicação é uma habilidade que se desenvolve
praticando (Fernando Matesco).
.

Pág. 5
IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NOS
NEGÓCIOS.

A INFORMAÇÃO, OS SISTEMAS E AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E A


EMERGÊNCIA AS ORGANIZAÇÕES DIGITAIS

Os conceitos de conhecimento, informação e dados são por vezes apresentados com significados
semelhantes, tornando difícil a sua distinção. O mesmo acontece com as tecnologias e os
sistemas de informação.
Os dados são representações da realidade através de símbolos Exemplo; (palavras e Números).
Embora por si só desprovida de significado. Quando os dados são processados e adquirem uns
significados, Estamos na presença de informação. A informação não tem pois um significado
universal, uma vês que depende do contexto enque é apresentada.
(Laudone Laudon, 2009) O conhecimento, por seu turno pode ser definida como sendo
estritamente pessoal e sujeito, uma ves por ser internalizado pelo indivíduo é condicionado pelas
suas experiencias passada.
(Stenmark,2002) estes três conceitos estão interrelacionadas entre si na medida enque cada uma
delas dependem dos outros. O conhecimento é um resultado da acumulação de informação e de
sua utilização na Acão. Do indivíduo e fornece, por sua vês o contexto em permanente mudança
que permite ao indivíduo a interpretação dos dados e sua transformação em informação
(Laudon e Laudon, 2009) Os sistemas e as tecnologias de informação englobam todas as
actividades organizacionais que lidam com as informações, durante todo o seu ciclo de vida,
desde aquisição, armazenamento, manipulações, disseminações e utilização da informação.
Englobam não so os equipamentos mas também as pessoas e os procedimentos para
desempenhar toda aquela actividade.
(Lucas, 1998) As tecnologias de informação são todos os artefactos utilizado para adiquirir,
processar armazenar e disseminar informações sob a forma eletrónica
(Ward e Peppard, 2002) O universo das tecnologias de informação esta normalmente associado
ao Hardware, ao Software, aos sistemas de comunicação e as redes
(Grover,Tang, e Fiedler, 1998) definem estes componentes como:

 Hardware são dispositivos e outros recursos materiais envolvidos no tratamento


automático da informação, por exemplo Os computadores, os terminais móveis e as
impressoras.
 Software são os programas que interpretam a entrada de dados dos ultilizadores e
controlam o funcionamento e operação do Hardware, como sistema operativo, os sistemas
de gestão de base de dados e as aplicações informáticas.

Pág. 6
(Porter e Militar, 1985) As tecnologias de informação tem alargado a sua presença nas
organizações e alterando o modo como intervém. Evoluíram de papel de mero suporte a actividade
rotineiras para o de uma verdadeira arma competitivo.
(Grover, Teng, e Fiedler, 1998) Inicialmente serviam essencialmente para autonomizar certas
actividades operacionais rotineiras que manipulavam dados e informação. Era composta por
volume e dispendiosos sistemas centralizados e Software para o registo de dados, denominados
sistemas de processamento de transação (TPS). Esta fase decorreu desde o aparecimento do
computador, nos anos 50 ate ao final da década 70 e ficou conhecido como a era do processamento
de dados.

A NATUREZA DOS IMPACTOS DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA


PERFORMANCE DAS ORGANIZAÇÕES

(Melville et al., 2004) O Valor da tecnologia de informação TI para organização pode ser
representado como o inpacto na organização resultante da sua utilização, tanto ao nível do
processo de negócio como ao nível da performance organizacional, compreendendo tanto o
inpacto na eficiência, como na eficácia ou na conectividade
OBJECTIVOS DO TIC NOS NEGOCIO
Os investimentos em TIC pode conter objectivos e proporcionar impactos diferenciados
Kranemer, Gurbaxani, moony, Dunkle, e Vitalari (1994) encontraram deis diferentes dimensões
para os impactos das TIC na performance das organizações (Negócios)
1. Eficácia organizacional, referente ao potencial impacto da TI nos processos de tomada de
decisão, comunicações, coordenação e planeamento,

2. Eficiência organizacional, no que diz respeito ao aumento da margem bruta e a redução


dos custos de mão-de-obra produtividade

3. Inovação na introdução de novos produtos e/ou serviço no mercado, pela introdução


de novas funcionalidades permitidas pela tecnologia, pela redução de nova funcionalidades
permitidas pela tecnologia, pela redução do tempo de desenvolvimento de novos produtos
e pelo aumento da fiabilidade em termos de qualidade e prazos de entrega

4. Automação da produção, aumento da capacidade da produção e redução do custo de


desenho e customização de produtos para pequenos segmentos de mercado.

5. Relacionamento com os Clientes, em termos de facilidade de troca de informação e


transações em tempo real.

Pág. 7
6. Melhoria dos produtos e/o serviços, em termos de qualidade em tempo de ciclo.

7. Coordenação interorganizacional com os principais parceiros de negocio, permitindo


o alargamento geográfico do mercado alvo e uma melhor coordenação com cliente e
fornecedor.

8. Relacionamento com os fornecedores, reduzidos os custos de transação e a troca mais


rápida da informação.

9. Suporte de Marketing, no que diz respeito ao estudo de mercado e a identificação de


novos seguimentos de mercado.

10. Dinâmica Competitiva, em termos de construção de barreiras á entrada e redução do


tempo de resposta ao mercado.

Os autores concluem que a perceção dos impactos das TI não varia significativamente entre
diferentes gestores da mesma organização e que os impactos são diferenciados entre as
organizações das diferentes sectores de actividades sobre tudo entre organizações industriais e
serviços.

A EMPRESA DO NOVO PARADIGMA

No século XXI os sistemas de informação vão cumprindo os objectivos a que se propunham


anteriormente, no entanto na “nova economia” incorporam-se como um novo factor produtivo. As
TIC atualmente não são só uma ferramenta de suporte para a estratégia de negócio, mas também
um elemento indispensável para algumas estratégias e inclusivamente podem ser a base para
definir e configurar novos negócios ou redefinir os antigos
AS FORMAS DE GESTÃO DO SÉCULO XXI
A gestão da empresa da “Nova Economia” tende a ser cada vez mais complexa. Existem princípios
e teorias que se mantêm (benchmarking, gestão de conhecimento, etc.), mas vão se incorporando
novas visões e formas de gerir adequadas ao novo ambiente, utilizando obviamente as
possibilidades apresentadas pelas TIC.
A planificação das empresas a nível departamental vai progressivamente caindo em descrédito,
pois a estratégia não pode circunscrever-se a planos pré-estabelecidos devendo ser uma reflexão
permanente da organização empresarial. Neste sentido, perfila-se um novo conjunto de termos e
conceitos que reflecte um estado de permanente alerta e de acção contínua na empresa do século
XXI.

Pág. 8
Por seu lado, a relação entre os agentes que intervêm na gestão empresarial são também mais
complexas, requerendo uma maior proximidade, transparência e confiança. Para tal é talvez
necessário estabelecer um vínculo que não seja meramente contratual, concebendo-se a empresa
como um projecto aberto. É claro

DEFINIÇÃO DO TIC
(Fernando Matesco) A Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) pode ser definida como
um conjunto de recursos tecnológicos, que ao serem integrados, solucionam questões de
comunicação em diferentes áreas e setores dos negócios. Na maioria das organizações, as decisões
sobre os investimentos em TIC são tratadas nas reuniões de planejamento estratégico pelo conselho
administrativo da empresa, pois tornou-se um fator crítico de sucesso.

O IMPACTO NO GERENCIAMENTO DE TIC NOS NEGÓCIOS


(Fernando Matesco) Em virtude deste cenário, o Gerenciamento de Serviços de TIC é fundamental
para a sobrevivência e a continuidade da organização.

Ter uma equipe de TIC alinhada aos objetivos da empresa e que faça diferença para o negócio
exige dedicação, infraestrutura adequada, profissionais capacitados e gera custos elevados. Em
contrapartida, a terceirização dos serviços de TIC reduz os custos operacionais, garante o
recebimento de um serviço de melhor qualidade e, principalmente, permite que a organização
mantenha o foco no negócio.
O Gerenciamento de Serviços de TIC envolve entender as necessidades e as expectativas do cliente
e buscar o meio mais apropriado de atendê-las. Esse serviço está longe de ser apenas atendimento
aos usuários finais – Service Desk – para que a organização possa ser comunicada das falhas,
dúvidas e/ou dificuldades que impactam a produtividade desses usuários, mas também envolve
aspectos técnicos, operacionais e de gestão de pessoas.
A entrega do serviço precisa deixar de ser reativa e passar a agregar valor ao cliente, fazendo
análise de tendências, prevenção de problemas, controle de disponibilidade de equipamentos e
aplicações e integrando processos. Todo o ciclo de vida do serviço precisa ser gerido, garantindo
assim a qualidade do que será entregue ao cliente. Para isso, é possível adotar e adaptar à realidade
das empresas a ITIL.
ITIL (INFORMATION TECHNOLOGY INFRASTRUCTURE LIBRARY)
Uma biblioteca de melhores práticas para a gestão de serviços em TIC.
A ITIL não pode ser vista como uma metodologia, pois as melhores práticas são flexíveis a ponto
de serem adaptadas a diferentes processos. Já uma metodologia possui implementação mais rígida,
com regras bem definidas. A vantagem da adoção das práticas da ITIL está em já terem sido
testadas, proporcionando ganho de tempo e retorno mais rápido sobre o projeto de gestão de
serviços.

Pág. 9
Para a ITIL, fazer o gerenciamento de serviços de TIC significa estruturar um conjunto
especializado de habilidades organizacionais para fornecer valor para o cliente em forma de
serviços. As práticas procuram fornecer o suporte necessário para que os serviços estejam em
sintonia com as necessidades do negócio, aumentando a eficiência operacional e a melhoria
contínua nos processos.
A gestão de TIC é, de forma resumida, o gerenciamento de: pessoas, processos e tecnologia,
particularmente, adiciono os parceiros a estes três pilares. De maneira global, esses são os
componentes do serviço, cujo objetivo é viabilizar a entrega e a garantia desse serviço com foco
nas necessidades do negócio.
Investir em uma boa rotina de gestão é fundamental. As organizações devem trabalhar os seus
processos de tal forma que seja possível criar um fluxo contínuo de melhorias, com metas, boas
ferramentas e práticas que tornem o gerenciamento de serviços mais eficaz.
Este tema pode ser abordado por diversas perspectivas, mas um dos pontos principais a ser
ressaltado é que o Gerenciamento de Serviços de TIC é uma habilidade que só se desenvolve
praticando.

CONTRIBUIÇÕES DE TIC PARA A ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS


(Eduardo Fagundes) A área de tecnologia da informação e comunicação (TIC) oferece grandes
oportunidades de crescimento sustentável e competitividade para as empresas. Entretanto, a
tecnologia por si só sem alinhamento estratégico com o negócio não faz sentido.
Isto porque se introduzir novos artefactos de hardware e software não garante aumento de
produtividade do pessoal e melhoria de processos. Para que as iniciativas de tecnologia tenham
sucesso é necessário estabelecer uma linguagem comum e definir um mapa unificado entre o
negócio e TIC. Sendo uma das formas de buscar esse alinhamento e demonstrar o valor das
iniciativas de TIC é utilizar uma matriz de valor focada em duas dimensões nomeadamente:

 Criticidade do empreendimento e
 A prática de inovação.

CRITICIDADE DO EMPREENDIMENTO
Existem três questões polêmicas sobre tecnologia da informação e comunicação:
1. A TIC muda realmente os conceitos básicos da estratégia de gestão?
2. A TIC gera efetivamente novos benefícios e vantagens competitivas para as empresas?
3. A disseminação da tecnologia não transforma a TIC numa commodity e desta forma
reduzindo sua importância relativa?
A resposta da questão número1:
É que tecnologia e negócio são de naturezas diferentes. Enquanto a tecnologia avança rapidamente,
as práticas de negócios evoluem de forma mais lenta e são mais estáveis.

Pág. 10
As empresas que valorizam demais a tecnologia e ignoram os aspectos de negócios tendem ao
insucesso. Entretanto, a combinação de estratégias de tecnologia e negócio dentro de um mapa
unificado de ações irá produzir resultados extraordinários. Um dos maiores desafios dos executivos
de negócios e de TIC é criar um ambiente de confiança e de colaboração para facilitar a interação
entre as áreas. Para isso acontecer o alto escalão da empresa deve apoiar essas iniciativas.
A resposta da questão Número 2:
Gira em torno da discussão sobre como medir o retorno de investimento das iniciativas de TIC
nas áreas de negócios. Essa métrica é de difícil mensuração devido à natureza multidimensional
do retorno de investimento e deve ser tratada em várias dimensões, considerando parâmetros
quantitativos, qualitativos e orientação na melhoria de processos. A tecnologia da informação não
pode ser encarada como um ativo, e sim como um direcionador e capacitador de iniciativas
estratégicas da empresa.
Os gerentes de TIC são constantemente, acusados de não entenderem do negócio e de não
buscarem o alinhamento estratégico. Porém, muitas vezes a alta direção da empresa não se envolve
nas principais questões de tecnologia deixando aos profissionais a responsabilidade da tomada de
decisão de temas críticos que podem afetar a competitividade e sustentabilidade da empresa.
A resposta da questão número 3:
a mais polêmica e talvez, a que mais contribuía para que a TIC tenha uma imagem de área de
suporte aos negócios, sem uma importância estratégica relativa. Se a área de tecnologia é reativa
as solicitações das áreas de negócios, sempre ficará a impressão que as soluções são commodity,
mesmo que essa solução introduza inovações tecnológicas. A única alternativa para mudar esse
conceito é a área de TIC passar a atuar como entidade transformadora dentro da empresa através
de ações que demonstrem sua real contribuição estratégica ao negócio.

A PRÁTICA DE INOVAÇÃO:
(Fernando Matesco) Uma das formas de identificar iniciativas que tragam contribuições de TIC
para a estratégia de negócios é a matriz de valor, composta de quatro quadrantes em duas
dimensões: a criticidade do empreendimento e a prática da inovação. Essa abordagem é
interessante, pois reúne simplicidade e associa duas perspectivas de interesse do alto escalão da
empresa.
Um processo de mudança requer aprendizado e deve ser evolutivo. Uma organização de TIC que
busca ser reconhecida como transformadora deve iniciar a desenvolver aplicações táticas
inovadoras que não traga impacto à organização.
Aproveite uma plataforma já existente e que seja de pleno domínio da equipe para desenvolver
uma aplicação que agregue uma pequena inovação a um novo processo de negócio em
desenvolvimento. Por exemplo, é possível utilizar a plataforma de GIS (Geographic Information
System) de uma distribuidora de energia para fazer a prospecção de demanda de clientes para um
novo negócio baseado no consumo de energia de uma determinada região. Esse estudo tem baixo

Pág. 11
impacto na organização e apresenta outros parâmetros para a tomada de decisão sobre o novo
negócio.
No quadrante de “experimentação racional” a prática de inovação deve trazer alguns resultados
tangíveis como aumento da receita e participação efetiva na criação de novos produtos ou serviços.
Ainda são aplicações de baixo impacto nos negócios, porém já a participação de TIC no processo
deve ser reconhecida. Um exemplo de projeto nesse quadrante foi às vendas de carros pela Internet
no início do século.
Foi uma iniciativa que embora tivesse uma enorme expectativa de abertura de um novo canal de
vendas não impactava os negócios das montadoras de automóveis. Sua desativação anos depois
não trouxe nenhum impacto para o negócio.
Já o quadrante de “Estratégias Marcantes” temos exemplos famosos como o Submarino,
Americanas, Mercado Livre, Amazon.com, eBay, Yahoo!, Google e outros . Nesses casos, os
processos de negócios são decisivos para a competitividade e sustentabilidade dos negócios.
A inovação se traduz em crescimento, criação de valor e geração de receita para a empresa. Essas
empresas criaram um novo padrão de mercado que transformou os hábitos dos clientes. Os
pioneiros devem aceitar elevados riscos.
No quadrante de “Excelência Operacional” estão as iniciativas apoiadas fortemente por TIC para
a transformação de processos críticos de negócios. Nesse quadrante não existe lugar para o
insucesso. Um exemplo é a implantação do novo sistema comercial da distribuidora de energia
AES Eletropaulo em São Paulo em 2008. O sistema trouxe uma profunda transformação dos
processos em toda empresa afetando, literalmente, todas as áreas de negócio da empresa. O desafio
foi fazer a implantação dvo novo sistemas não impactasse os 6 milhões de clientes da maior
distribuidora de energia da América Latina. O resultado foi o aperfeiçoamento dos processos e um
aumento significante dos controles e eficiência operacional. Esse novo sistema criou uma base de
informações estruturada que serve como alicerce para o desenvolvimento de novos projetos.
Como parte da gestão das estratégias empresariais através do BSC (Balance Scorecard) as
iniciativas de tecnologia são classificadas como capital da informação e são medidas da seguinte
forma:
o Na melhoria contínua da eficiência dos processos;
o Na gestão do relacionamento com os clientes e o valor que agrega;
o Na redução dos custos da cadeia de valor;
o Na melhoria da comunicação com os colaboradores, clientes, fornecedores e outros
parceiros de negócio;
o Na melhoria do processo de tomada de decisão dos executivos e colaboradores;
o Na geração e na disponibilização de informações para a mensuração do desempenho
empresarial nas quatro perspectivas do BSC (Finanças,
o Melhoria de Processos Internos, Clientes e Aprendizado e Crescimento).

Pág. 12
O desafio das áreas de TIC é demonstrar sua capacidade de ser um agente de transformação dentro
das organizações e participar diretamente na tomada de decisões, deixando de ter apenas o papel
de suporte nas organizações.

O IMPACTO DA TECNOLOGIA NAS EMPRESAS

(Gabriela Vitória) Desde a popularização da internet, as novas tecnologias não param mais de
aparecer, assumindo um papel cada vez mais importante em nosso dia a dia. Nos relacionamos no
mundo virtual, compramos e nos divertimos digitalmente: toda a nossa vida pessoal gira hoje em
torno da rede.
É claro que uma revolução desse porte não deixaria de alcançar também o setor empresarial. E não
é para menos: o impacto da tecnologia nas empresas que vemos hoje permite, entre outras coisas:
Alcançar maior eficiência na gestão
Seja na gestão financeira, de estoques ou de pessoas, a tecnologia agiliza a comunicação interna
da sua empresa. Isso reduz o ruído organizacional, evitando desgastes tanto na equipe quanto junto
aos seus clientes.
Além disso, as ferramentas gerenciais disponíveis atualmente permitem que você acompanhe e
controle praticamente todos os aspectos do funcionamento da sua empresa em tempo real.
Reduzir custos da empresa
Com uma gestão mais eficiente, sua empresa poderá identificar de forma mais rápida e simples os
gastos desnecessários.
Da mesma forma, com o uso de recursos tecnológicos será mais fácil acompanhar o retorno dos
investimentos da sua empresa — investimentos financeiros, em marketing, contratações, entre
outros. Esse acompanhamento possibilita orientar melhor os investimentos da sua empresa,
evitando prejuízos.
Por fim, ao optar por soluções tecnológicas que utilizem computação em nuvem, sua empresa
ainda reduz custos com impressão e manutenção de hardware in company.
AGILIDADE NO CONTATO COM CLIENTES E FORNECEDORES
(Gabriela Vitória) Se há um aspecto que a tecnologia veio revolucionar, é a comunicação. Hoje,
para além das formas convencionais de contato, como correio electrónico e telefone, já é possível
contatar clientes e fornecedores até por aplicativos como WhatsApp. Tudo isso garante maior
rapidez na comunicação e um melhor atendimento aos seus clientes.
Maior Projeção No Mercado
A internet abriu uma oportunidade para as empresas nunca antes vista: alcançar o mundo todo, de
forma simples e descomplicada. As novas soluções de marketing digital têm um impacto crescente

Pág. 13
na geração de novos leads para as companhias, tornando-se uma solução concreta para o
crescimento e projeção da sua marca no mercado.
As três áreas que mais podem se beneficiar por essas novas ferramentas São:
a) IMPACTO DA TECNOLOGIA NA ESTRATÉGIA DE MARKETING
b) IMPACTO DA TECNOLOGIA NO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE
c) IMPACTO DA TECNOLOGIA NA GESTÃO DA EMPRESA

IMPACTO DA TECNOLOGIA NA ESTRATÉGIA DE MARKETING


Quais as estratégias de marketing adotadas pelo seu negócio?
Saiba que, se o foco das suas ações ainda está no produto, você está ficando para trás! A principal
tendência em Marketing Digital da atualidade é a prática de Inbound Marketing — também
conhecido como Marketing de Atração.
A ideia por trás dessa modalidade é pensar o relacionamento com o seu cliente da mesma forma
que pensamos qualquer outro relacionamento não-comercial: como uma troca. Isso significa que
é preciso mostrar ao seu futuro cliente que você está disposto a ouvir suas necessidades e
expectativas, e que a sua marca tem mais a oferecer do que apenas um produto.
Mas como fazer isso?
A dica é: mantenha perfis da sua empresa ativos nas redes sociais como LinkedIn, Facebook,
Twitter, Instagram, e quaisquer outras que sejam compatíveis com o perfil do seu público-alvo.
Mantenha igualmente uma página internet para a sua empresa e um blog, ambos sempre
atualizados!
Alimente essas “vitrinas digitais” com conteúdos que sejam relevantes para o seu público. Se você
trabalha com varejo de roupas.
Por exemplo:
Faça publicações que falem sobre tendências de moda, conservação de tecidos, campanhas sociais
para doação de roupas, e muito mais. Seja cuidadoso na escolha das temáticas: a identidade da sua
marca deve ser refletida no que sua página divulgar.
Garanta que os conteúdos sejam de qualidade para que despertem o interesse do seu futuro cliente.
Esse é o primeiro passo para começar uma captação de leads online. Se possível, os textos e posts
devem passar por otimização de SEO. Isso ajudará os conteúdos a terem um melhor
posicionamento nas buscas orgânicas em sites como Google, Yahoo e Bing.
Para além de novas estratégias de marketing, os softwares de gestão de recursos empresariais —
os ERPs — são outra ferramenta que pode ajudar a gerenciar suas campanhas.
Um ERP conta com uma ferramenta de gestão de vendas e de controlo de estoques, que permitirá
que você identifique os produtos que necessitam daquele “empurrãozinho” para melhorar a saída,

Pág. 14
ou ainda os produtos mais procurados. Essa informação servirá, então, de base para que você
desenhe a estratégia de marketing que melhor atende à sua empresa.
E não é só isso! Graças a essas mesmas funcionalidades, um ERP é a solução perfeita para que
você acompanhe em tempo real a eficiência das ações de marketing e promoções. Isso permitirá
que você tenha muito mais agilidade na hora de decidir pela continuidade de uma ação, por sua
suspensão, renovação ou, ainda, redirecionamento de estratégia.
REDES EMPRESARIAIS E OS E-MARKETPLACES
O modo de encarar a gestão tem vindo a sofrer alterações profundas. Fenómenos como a
globalização dos mercados e os avanços na área das novas tecnologias de informação, aliadas à
necessidade de conjugar flexibilidade estratégica com custos baixos, têm implicações
significativas no modo de gerir as organizações. Assim a virtualização das organizações tem sido
uma das grandes respostas aos desafios do mundo actual.
Um número crescente de empresas apresenta estruturas organizacionais que têm muito pouco a
ver com as tradicionalmente divulgadas pelos manuais de gestão e administração. Assim,
centrando na sua actividade core competences, têm vindo a apostar em estratégias de desintegração
vertical, assentes em redes de unidades económicas interligadas por interesses comuns e por uma
forte coordenação das actividades. Tais redes consubstanciam-se no estabelecimento de parcerias
com concorrentes, na crescente individualização das relações com clientes e numa redução do
número de fornecedores.
A Nike, por exemplo, internamente desenvolve apenas o design dos seus produtos, bem como o
respectivo marketing. Toda a produção é realizada por outsourcers que operam como verdadeiros
parceiros e não como simples fornecedores de serviços. Na sua globalidade formam uma network
que funciona em larga escala como se uma só empresa se tratasse. As unidades económicas
envolvidas na rede sejam elas clientes, fornecedores ou mesmo concorrentes tendem a ser
encarados como parceiros no negócio. Com uma forte componente de cooperação, as empresas
procuram tornar-se mais ágeis num mundo caracterizado por mutações rápidas e difíceis de prever.
Sendo então verdadeiras constelações de empresas, são mais eficazes no aproveitamento de
oportunidades de mercado, bem como no modo como lidam com eventuais ameaças

IMPACTO DA TECNOLOGIA NO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE


Criar um relacionamento de longo prazo com o cliente ficou ainda mais fácil graças à tecnologia!
Ter perfil nas redes sociais que, além de ser atualizado constantemente, funcione como um canal
de comunicação com os clientes é uma das ferramentas tecnológicas que tem se difundido mais
rapidamente entre as empresas.
Agora, para fazer diferente e alcançar uma resposta ainda melhor, uma opção que tem se destacado
no mercado é a implementação de chatbots na página da sua empresa.
O grande diferencial dos chatbots é oferecer um suporte mais personalizado e direcionado às
necessidades do seu cliente.

Pág. 15
Vale lembrar que o grande diferencial no relacionamento com o cliente é justamente a capacidade
de uma empresa se reinventar na hora de atender e ultrapassar as expectativas das pessoas — é
justamente nesse ponto que um chatbot vai ajudar a sua empresa a se destacar da concorrência.
Se você quer aproveitar a versatilidade e eficiência dos chatbots no seu negócio, fale com a Take!
IMPACTO DA TECNOLOGIA NA GESTÃO DA EMPRESA
A tecnologia trouxe um grande impacto para a gestão com a disponibilização de ferramentas online
que permitem acompanhar e controlar todos os aspectos da sua empresa em tempo real. Neste
momento, estamos falando dos ERPs.
(Devenport et al 2004; Zuboff.1985). A partir dos anos 90 as Sistemas empresárias ERPs
pretenderam integrar todos sistemas anteriormente desenvolvidas e todas necessidades de
informação da organização. O desenvolvimento da base de dados relacionais permitiu uma maior
estruturação e simplificação no armazenamento dos dados e uma grande flexibilidade na sua
manipulação, acesso e descriminação da informação, não só dentro da organização mas também
desta para o exterior, através do sistema ente organizacionais (IOS).
Os sistemas de gestão de cadeia de abastecimento (SCM) são sistemas interorganizacionais que
permite a partilha de informação, por exemplo:
Inventário e programação da produção entre a organização parceiras numa cadeia de
abastecimento.
Além disso, um ERP conta com a funcionalidade de geração de relatórios. Esses relatórios
gerenciais vão permitir que você tenha uma visão global do seu negócio, tornando o seu processo
de tomada de decisões muito mais rápido e preciso. É a tecnologia descomplicando o
gerenciamento da sua empresa.
(Devenport et al 2004; Zuboff.1985). O sistema de relacionamento com o cliente (CRM) integram
todas as informações relativas aos clientes, provenientes de diferentes fontes. A disponibilidade
de acesso remoto aos dados e informação é de tal forma elevada, que qualquer um onde quer que
seja pode ter acesso apartir de um pequeno dispositivo móvel.
(Applegate, McFarlan, e McKenny,1999). Apelidaram esta nova fase como a área da coputacao
ubíqua.
O sistema empresarial são concebidas para suportar todas actividades e processos de negócios da
organização, assegurando a sua coordenação e integração. Com a incorporação da tecnologia em
torno da internet tiram partido da facilidade da partilha de informação, dentro da organização e
desta com os seus parceiros.

E como um ERP impacta na gestão da sua empresa?

Pág. 16
(Fernando Matesco). Um ERP coloca à sua disposição uma série de funcionalidades que tornam
o dia a dia da administração muito mais simples. Entre elas estão:
 Controle de contas a pagar e a receber
 Controle de estoques
 Contato de fornecedores e clientes
 Geração de boletos
 Emissão de NF-e
 Conciliação bancária
TECNOLOGIAS INOVADORAS
(Gabriela Vitória) Hoje, mais do que nunca, as empresas precisam adotar tecnologias para engajar
o público. Afinal, a inovação é um requisito fundamental para se manter competitivo no mercado.

Felizmente, os avanços recentes possibilitaram novas maneiras de interagir e oferecer uma boa
experiência de atendimento ao cliente. Mas é importante se manter atualizado com as tendências
de mercado para descobrir outras formas de vender.

Pensando nisso, selecionamos 4 dicas para você se inspirar e deixar seu público cada vez mais
engajado. Confira!

REALIDADE VIRTUAL
A realidade virtual está se popularizando aos poucos. É uma tecnologia que possui um enorme
potencial para causar experiências imersivas entre os mundos reais e virtual. Apesar de ser um
investimento alto para quem pretende implantar, existe uma demanda grande de pessoas que têm
muita curiosidade em participar desse tipo de interação.

Uma vantagem desse recurso é que ele serve para qualquer tipo de segmento. Por mexer com os
sentidos, causa um impacto significativo no usuário. Uma famosa rede de hotéis, por exemplo,
permite que os interessados decidam se preferem passar a lua-de-mel em Londres ou Havaí com
ajuda dos óculos de realidade virtual.

Assim, eles podem viver o momento, sentir o vento nos cabelos e o sol batendo no rosto, como se
estivessem no lugar mesmo.

REALIDADE AUMENTADA
A realidade aumentada é uma ampliação do ambiente real, que é projetado para melhorar a
experiência física do usuário. Isso inclui exibições interativas, componentes multimídia ou
realidade virtual. A forma mais utilizada é a de aplicativos para dispositivos móveis.

Imagine que o usuário está passando perto da sua loja e recebe uma notificação no smartphone que
oferece um cupom de desconto para comprar lá. Com apenas um toque, ele pode ver a imagem
ampliada de um produto saltando na tela.

Pág. 17
A tendência é que as soluções do futuro passem a usar realidade virtual e aumentada juntas.
Embora sejam duas coisas diferentes, há muitos motivos para uni-las, pois o autoatendimento vai
ganhar cada vez mais força e precisa ser pautado na inovação.

TECNOLOGIA WEARABLE
Dentre as tecnologias para engajar o público, o wearable é o recurso que permite que o serviço ao
consumidor seja personalizado. Com ele, as empresas podem saber quem são os clientes e
recompensá-los com incentivos de acordo com a preferência de cada um. Entender como as
pessoas querem receber o conteúdo da sua marca ajuda você a entender melhor as expectativas
delas.

Por exemplo, se um usuário não usa redes sociais no dispositivo de tecnologia wearable, é possível
compartilhar conteúdo específico para ele por meio de um canal diferente. Outro exemplo de
interação são roupas inteligentes que monitoram os sinais vitais de saúde dos trabalhadores.

A forma como uma empresa lida com a gestão de dados é o que determina a existência de um
resultado positivo sobre o relacionamento entre cliente e marca. Assim, é possível colocar o
consumidor no centro da estratégia, influenciar decisões de compra e ter insights incríveis.

CHATBOTS
Segundo a (Gartner), empresa americana de consultoria e tecnologia, mais de 85% das interações
com clientes serão gerenciadas sem a presença de um humano até 2020. Por isso, o atendimento
automatizado se tornou extremamente útil para engajar o consumidor.

Quando se trata de eficiência e agilidade no atendimento, nada se compara aos chatbots. É uma
ferramenta acessível, fácil de instalar e prática de manusear. Além disso, ela pode atender milhares
de pessoas ao mesmo tempo, reduz gastos com contratações e treinamentos e ainda oferece um
serviço padronizado — nada melhor para engajar o público!

Acredite: grande parte dos seus concorrentes já está utilizando esse sistema para construir um
exército de seguidores por meio de um autosserviço interativo. Com apenas alguns cliques, o
cliente tem acesso a inúmeras informações e serviços de maneira rápida e prática.

Devenport et al. (2004) sustenta que o inpacto do sistema ERP na performance é concretizada
através de três Vectores: A Integracao, a otimização e a informação.
A INTEGRAÇÃO
Deriva da centralização e uniformização das bases de dados e aplicativos, facilidade de acesso e
partilha de informação por toda organização e também com seu principais parceiro de negócio A
otimização esta ligado a melhoria, mudança ou renginharia

O PAPEL DO TIC NO NOVO PARADIGMA


As Tecnologias de informação e comunicação são um dos motores principais da organização
empresarial. A sua rápida evolução nos últimos anos propiciou a sua aplicação em empresas cada

Pág. 18
vez mais especializadas. Se, nos anos 70 foram utilizadas na mecanização dos processos
administrativos e nos anos 90 para obter uma organização a nível informático, actualmente
transformam-se no núcleo em que assenta a estrutura e organização das empresas virtuais. Por
outro lado, cada vez mais negócios se apoiam na informação: se na década de 90 se falava no
alinhamento dos sistemas de informação com a estratégia de negócio, hoje em dia podemos falar
numa definição da estratégia de negócio em sintonia com a utilização das TIC.
Pós-Graduação em “Tecnologias de Comunicação e Multimédia” 2006/2007
Instrumentos Básicos de Informática 8/17
RISCOS E OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS
Todo este cenário gera, obviamente, alguma incerteza e abre caminhos onde existem certos riscos.
Tendo em conta este panorama de mudança deve-se ter em conta diversos aspectos:
– Em primeiro lugar, devemos acatar a evidência: não estamos frente a uma moda nem ante
uma teoria passageira. A alteração existe e não é uma alteração conjuntural, mas sim
estrutural, que afecta e continuará a afectar fortemente as formas da produção, relação e
gestão das organizações empresariais;
– Em segundo lugar, evitar soluções rápidas e pensar estrategicamente. Apesar dos tempos
actuais estarem associados a uma velocidade vertiginosa é necessário analisar e valorar as
mudanças estratégicas. As oportunidades e ameaças que se associam às vantagens
competitivas devem ser analisadas adoptando-se medidas oportunas, que em alguns casos
devem materializar-se em experiências piloto;
– Em terceiro lugar deve-se inovar de forma contínua. Tal como na era industrial, nesta
nova era deve-se inovar mediante a incorporação de novas tecnologias e a otimização das
existentes, principalmente as de recente incorporação, (E-mail, Internet, Extranet, telefonia
móvel, etc.), cuja entrada foi muito brusca;
– Em quarto lugar é necessário preservar aquilo que é essencial, ou seja é necessário
preservar alguns aspectos essenciais da era anterior, pois a mudança é muito importante
mas as leis da natureza e das relações humanas persistem;
– Por último, temos que ter em conta que todo o período de transição gera um clima de
caos associado ao confronto entre as formas de trabalho tactual e as novas que agora se
incorporam.

BENEFÍCIOS DOS PROJETOS DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO


Mirani e Lederer (1998) Com o objectivo de desenvolver um instrumento de medida que
identificasse as diversas dimensões dos benefícios dos projectos de sistema de informação,
identificaram três subdimensiones para cada daquelas três dimensões principais:
Beneficio Estratégico:

 Vantagem competitivas proporcionadas por alterações nos processos de negócios


Pág. 19
 Alinhamento, caraterizado pelo suporte aos objectivos organizacionais e pela melhor
ligação da organização com o seu meio envolvente imediato e geral
 Relações com clientes, pela melhoria da imagem exterior
Benefícios Informacionais:

 Rapidez e facilidade de acesso, tornando-a mais útil fiável e precisa.


 Flexibilidade da informação facilitando a sua manipulação em termos de conteúdo e fora.
Benefícios Transacionais:

 Custos da comunicação.
 Desenvolvimento de Sistema em termos de custo e tempo.
 Eficiência dos processos de negócio e melhor utilização de recursos humanos e materiais.

Pág. 20
CONCLUSÃO

Depôs de tanta pesquisa e elaboração do presente trabalho, conclui-se que:


O objectivo central deste trabalho de investigação é a recolha de evidências empírica que permite
na apresentação dos conceitos chaves desta investigação. Encontrar evidências empíricas sobre a
influência de alguns fatores que potenciam o impacto das tecnologias de informação na
performance organizacional. Pretende-se explorar a influência de alguns recursos que sejam
capazes de proporcionar as organizações vantagem competitivas em relação aos seus concorrentes.
A tecnologia de informação é um recurso de difícil acesso para as pequenas empresas, seu custo
de aquisição é considerado alto, e existe uma grande dificuldade de adequação e utilização desses
recursos.
As pequenas empresas têm dificuldade em obter financiamento, por falta de linhas de crédito
adequadas ou por dificuldades em preencher as exigências necessárias. Sendo assim, é preciso
criar linhas de financiamento voltadas para aquisição da tecnologia de informação com menores
exigências para que a pequena empresa possa adquirir essa tecnologia e o conhecimento necessário
para sua eficaz e eficiente utilização.
Quando a pequena empresa consegue adquirir essa tecnologia, geralmente não efetua um
levantamento adequado de suas necessidades atuais e um planejamento das necessidades futuras.
Assim, normalmente valorizam mais o hardware do que o software, quando deveria acontecer o
inverso. Isso pode ser visto pela média de 8,8 microcomputadores por empresa, uma média boa,
levando-se em conta o tamanho das empresas e considerando-se, também, a insatisfação pelo uso
dos recursos de informática.
Outro fator importante é que grande parte das pequenas empresas utiliza serviços de terceiros para
implementar alguns sistemas de informatização de escritório e, na maioria dos casos, não fica
satisfeita com os serviços prestados. Como resultado disso, temos o desinteresse cada vez maior,
por parte da pequena empresa, em usar tecnologia de informação, solidificando assim a idéia de
que é melhor não utilizar os recursos da tecnologia de informação, já que não temos capital humano
para esse trabalho.
Todos esses fatores contribuem para formar o quadro da informatização deficiente das pequenas
empresas: falta de conhecimento da potencialidade da tecnologia de informação, pouco
conhecimento dos recursos que essa tecnologia oferece, falta de treinamento dos usuários e
escassez de consultorias preparadas para atender às condições apresentadas por esse mercado.

Pág. 21
REFERENCIA BIBLIOGRÁFICA
Copyright © 1996-2019 por Eduardo Fagundes.

Copyright © 1996-2019 por Fernando Mateco.

Copyright © 1996-2019 por Gabriela Vitoria.

Dissertação de Doutoramento - José Luís Martinho

A_Empresa_da_Nova_Economia_O_Impacto_das
Manual de Tronco comum 1º Ano modulo de TI ISCED

Pág. 22
GLOSSÁRIO
Copyright © 1996-2019 por Eduardo Fagundes.

Copyright © 1996-2019 por Fernando Mateco.

Copyright © 1996-2019 por Gabriela Vitoria.

Dissertação de Doutoramento - José Luís Martinho

A_Empresa_da_Nova_Economia_O_Impacto_das

Manual de Tronco comum 1º Ano modulo de TI ISCED

Pág. 23