Você está na página 1de 6

3) Preencha as lacunas utilizando corretamente os pronomes demonstrativos:

a - _________ é a pessoa da qual lhe falei.

b – Não conseguiremos encontrar ________________estimados professores,


pois eles já não trabalham mais aqui.

c – Empreste-me _____________livro? Há muito tento encontrá-lo.

d- Olha! Quem são _____________________convidados que acabaram de


chegar?

e - ___________ foi o aluno destaque deste ano, desejas entrevistá-lo?

3) Preencha as lacunas com o pronome demonstrativo adequado, de acordo


com a situação em cada frase:

a) Você está estudando com outro colega e precisa usar a borracha que está
com ele. Você dirá: empreste-me ________ borracha (esta, essa, aquela)

b) Você está trabalhando com uma tesoura. Ao referir-se a ela, você


dirá:_______ tesoura está enferrujada. (esta, essa, aquela)

c) Você e Lúcia estão precisando consultar alguns livros que estão guardados
em outra sala. Você pede: Lúcia, por favor, vá pegar ________ livros de Língua
Portuguesa. (estes, esses, aqueles)

d) Lúcia volta com os livros, dizendo: _______ vão nos ajudar bastante. (estes,
esses, aqueles)
O DIÁRIO
Leia atentamente a definição de diário abaixo:

Diário é uma agenda pessoal na qual se escreve um resumo do cotidiano. O diário


é um dos gêneros de texto mais comuns cultivado pelas pessoas e seu objetivo é
confidenciar a alguém seu cotidiano. Ele acaba por se tornar um ‘amigo’ da pessoa
que o escreve. No diário, o escritor e o leitor são a mesma pessoa.
Um diário pessoal pode conter experiências pessoais, sentimentos e
pensamentos, além de comentários pessoais sobre eventos ocorridos na vida do
escritor.
Geralmente, os diários não são escritos com a intenção de serem publicados ou
lidos. São textos de uso pessoal, embora atualmente algumas pessoas os escrevam
com propósitos financeiros e de publicação.
Há ainda os diários virtuais, conhecidos como blog. O primeiro diário eletrônico
que se tem notícia foi o escrito por Cláudio Pinhanez entre 1994 e 1996. Há nos dias
atuais programas virtuais que são próprios para a escrita de blogs com a intenção de
se tornarem diários, como o ‘Open Diary’ ( Diário Aberto ).
O diário pode servir para outros usos além da narrativa de experiências diárias e
pessoais para confidências, adquirindo assim outros fins. Pessoas que viajam muito
costumam manter um diário de viagem, diários de dieta são comuns para pessoas que
devem controlar sua alimentação, anotando tudo o que consumiram no dia, diários de
sono são usados no tratamento de distúrbios do sono e há ainda os diários fictícios,
criados para relatar situações inventadas, em formato de histórias de entretenimento;
entre outros.
Figuram entre os diários mais famosos:
- Diário de Anne Frank : escrito por uma menina chamada Anne Frank durante a
guerra.
- Minha Vida de Menina: escrito pela brasileira Helena Morley durante sua
adolescência em período de abolição da escravatura e proclamação da República.
- Diário de um Banana: escrito por Jeff Kinney, este diário fictício conta a história
diária de um menino que se torna um ‘herói improvável’ em seus anos de Ensino
Fundamental.
- Diário de Bridget Jones: escrito por Helen Fielding conta a história hilária de uma
atrapalhada jovem inglesa em busca de um bom namorado.

( Janaína Spolidorio )

1. A princípio, para que serve um diário?


Resposta: ______________________________________________
_____________________________________________________________________
_______________________________________

2. Por qual motivo o diário acaba se tornando um amigo a quem o escritor


confidencia experiências?
Resposta: ______________________________________________
_____________________________________________________________________
______________________________________

3. O texto menciona alguns tipos de diário existentes. Anote abaixo três


tipos de diário e explique como eles são:

a.___________________________________________________________________
_____________________________________

b.___________________________________________________________________
____________________________________

c.___________________________________________________________________
____________________________________

4. Há muitos diários famosos atualmente. O texto cita quatro deles, sendo


dois reais e dois fictícios. Se você fosse ler um deles, qual você escolheria? Por
qual motivo?
Resposta: ______________________________________________
_____________________________________________________________________
_______________________________________
Páginas de um diário
Um relato sobre o diário escrito, quando eu tinha nove anos, durante seis meses em
1992.
Quando tinha nove anos, durante seis meses, mantive um diário. Escrevia todos os
dias. É uma agendinha velha, preta e com adesivos de marcas de surfwear na capa
(Hang Loose, Sea Club e Ocean Pacific). Cada entrada possuía doze linhas, que eu
preenchia inteiramente, o que pensando agora devia fazer apenas para não deixar
espaço vazio. O caderninho ficava na casa dos meus pais, num armário abarrotado de
pastas. Nunca dei muita bola para ele, até ler aquele que se tornaria o meu conto
favorito da Lydia Davis.
Em 2009, a Farrar, Straus & Giroux publicou uma edição com os contos reunidos da
autora norte-americana,[...]. O conto chama-se “We Miss You: A Study of Get-Well
Letters from a Class of Fourth-Graders” (“Saudades: um estudo de cartas escritas por
alunos de uma classe do quarto ano primário desejando melhoras a um colega”[...].
O relato é exatamente o que diz o título: [...] vinte e sete cartas que alunos de uma
classe do quarto ano escreveram para um coleguinha, Stephen, enquanto este se
recuperava no hospital. Em dezembro de 1950, Stephen teve uma grave osteomielite
(espécie de inflamação óssea, causada por uma bactéria) e foi internado. Após as
férias de fim de ano, as aulas recomeçaram e a professora pediu, como tarefa de
classe, que cada um dos alunos lhe escrevesse uma carta.
[...] À medida que as cartas vão sendo esmiuçadas, detalhes do cotidiano das
crianças, de sua personalidade, seu estado de espírito e a relação delas com Stephen
são revelados.
Algumas crianças falam do clima e de seus animais de estimação, outras relatam
brincadeiras na neve e o que ganharam de presente no Natal. Cynthia, por exemplo,
escreve: “Fui brincar de trenó uma vez e foi divertido. Fiz bonecos de neve mas eles
caíram todos”. Joseph abre seu texto com uma expressão de empatia generosa: “Sei
como você se sente”. E completa, de maneira 100% coerente: “Vou ganhar um casaco
novo com capuz”.
Através desses fragmentos (e suas elipses), Lydia Davis apresenta essa pequena
comunidade de crianças de nove anos, confrontada com a morte, a possibilidade da
perda e o tédio.
Quando li “Saudades: um estudo de cartas escritas por alunos de uma classe do
quarto ano primário desejando melhoras a um colega”, pensei que o conto talvez
tivesse me ensinado a ler o meu diariozinho — prestando atenção nas lacunas, no que
não está lá. Por que meu amigo voltou chorando da diretoria? Por que não gostei das
pinturas? Que pinturas eram aquelas? Em que praia estávamos?
[...] Emilio Fraia nasceu em 1982, é editor, jornalista e escritor.

1. Observe o seguinte trecho: “Nunca dei muita bola para ele” [...]”. O pronome “ele”
destacado neste trecho se refere:
a) Aos pais
b) Ao armário
c) Ao caderninho
d) Abarrotado
e) As pastas
2) No trecho: “É uma agendinha velha, preta e com adesivos de marcas de surfwear
na capa (Hang Loose, Sea Club e Ocean Pacific). Cada entrada possuía doze linhas,
que eu preenchia inteiramente, o que, pensando agora, devia fazer apenas, para não
deixar espaço vazio.”, há uma descrição do:
a -conto.
b – livro.
c - diário.
d – relato.

2 – Do trecho “Nunca dei muita bola para ele, até ler aquele que se
tornaria o meu conto favorito da Lydia Davis”, podemos afirmar que:
a -o autor do relato passou a se interessar por contos, após ler seu diário.
b -o autor, após ler um conto, passou a se interessar por seu diário.
c -o autor relatou que não gosta de leitura de contos e diários.
d – o autor do relato mencionou um conto favorito escrito em seu diário.
3 – No trecho: “o conto talvez tivesse me ensinado a ler o meu
diariozinho — prestando atenção nas lacunas, no que não está lá. Por
que meu amigo voltou chorando da diretoria? Por que não gostei das
pinturas? Que pinturas eram aquelas? Em que praia estávamos?,
podemos inferir, pelo uso das frases interrogativas, que:
a -as lacunas de um texto de diário remetem a fatos principais.
b – um diário registra fatos principais do dia a dia sem pormenorizá-los.
c -as experiências registradas no passado são esquecidas.
d – as lacunas revelam seus segredos mais profundos.