Você está na página 1de 85

Curso Preparatório

Certificação FEBRABAN Correspondente

Material elaborado pelo Professor LEON


Curso Preparatório
FEBRABAN

A respeito do Autor

Leon Beduschi Santana é formado


em Administração pela Universidade
Federal do Paraná (UFPR). Possui
MBA com licenciatura em Gestão
Estratégica de Negócios pela
Universidade Anhanguera. Foi
Gerente Comercial dos Bancos
Santander e Itaú por 8 anos .
Atualmente é responsável docente
do CEBESA – Centro Educacional
Beduschi Santana, ministrando
cursos preparatórios presenciais e à
distância para as certificações do
Sistema Financeiro Nacional.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
2
Curso Preparatório
FEBRABAN

ÍNDICE
PREFÁCIO ........................................................................................................................................................................................5
MÓDULO I - CONHECIMENTOS GERAIS SOBRE O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL – SFN .........................................................6
1.1. ATIVIDADES DOS CORRESPONDENTES (RESOLUÇÕES 3954 E 3959/11) ............................................................................................7
1.1.1 CMN – Conselho Monetário Nacional ...........................................................................................................................7
1.1.2 COMOC - Comissão Técnica da Moeda e do Crédito .....................................................................................................9
1.1.3 BACEN Banco Central do Brasil .....................................................................................................................................9
1.1.4 COPOM – Comitê de Política Monetária .....................................................................................................................10
1.1.5 Instituições Financeiras Públicas ................................................................................................................................12
1.1.6 Instituições Financeiras Privadas ...............................................................................................................................12
1.2. ATIVIDADES DOS CORRESPONDENTES (RESOLUÇÕES 3954 E 3959/11) ......................................................................................13
1.3. LIQUIDAÇÃO ANTECIPADA DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO E ARRENDAMENTO (RESOLUÇÃO 3.516/07) .............................................18
1.4. CUSTO EFETIVO TOTAL – CET (RESOLUÇÃO CMN Nº 3.517/2007) .....................................................................................18
1.5. COBRANÇA DE TARIFAS (RESOLUÇÃO 3518/07 E 3919/10) ......................................................................................................19
1.5.1 Serviços Essenciais......................................................................................................................................................20
1.5.2 Serviços Prioritários ...................................................................................................................................................20
1.5.3 Pacote Padronizado de Tarifas ...................................................................................................................................21
1.5.4 Serviços Especiais .......................................................................................................................................................21
1.5.5 Serviços Diferenciados ...............................................................................................................................................21
1.5.6 Cartões Crédito – Tarifas (Resolução 3.919/10) ..........................................................................................................22
1.6. SISTEMA DE AUTORREGULAÇÃO BANCÁRIA (CÓDIGO E NORMATIVO 001/08) .............................................................................22
1.7. SIGILO DAS INFORMAÇÕES BANCÁRIAS (LEI COMPLEMENTAR Nº 105/01) .......................................................................25
1.8. ISS - IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA (LEI 116/03) ...................................................................26
1.9. IOF - IMPOSTO SOBRE OPERAÇÕES FINANCEIRAS ......................................................................................................27
1.10. CLASSIFICAÇÃO DAS OPERAÇÕES DE CRÉDITO (RES. 2682/99) ...................................................................................28
1.11. CRIMES DE LAVAGEM DE DINHEIRO (LEIS 9613/98 E 12683/12 E CIRCULAR BACEN 3461/09) ...........................................29
1.12. CONTROLE DE LAVAGEM (BACEN CIRCULAR 3461/09) ..........................................................................................................31
1.13. MATEMÁTICA FINANCEIRA ...........................................................................................................................................33
1.13.1 Itens necessários para o cálculo financeiro ................................................................................................................34
1.13.2 Capitalização ..............................................................................................................................................................34
1.13.3 Juros Simples ..............................................................................................................................................................34
1.13.4 Juros Compostos ........................................................................................................................................................35
1.13.5 Juros Pós, Pré-Fixados e de Mora ...............................................................................................................................36
1.13.6 Taxas ..........................................................................................................................................................................36
1.13.7 Custo Efetivo Total .....................................................................................................................................................37
1.13.8 Liquidação Antecipada de Contratos .........................................................................................................................37
1.13.9 Sistemas de Amortização ...........................................................................................................................................38
1.14. CRÉDITO .........................................................................................................................................................................41
1.14.1 Mercado de crédito ....................................................................................................................................................41
1.14.2 Crédito: os 5 c’s ...........................................................................................................................................................41
1.14.3 Análise de Crédito ......................................................................................................................................................42
1.14.4 Modalidades de Crédito .............................................................................................................................................43
1.15. CCB E FORMALIZAÇÃO DO CRÉDITO ......................................................................................................................................47
MÓDULO II – RELACIONAMENTO COM O CONSUMIDOR: PROTEÇÃO E DEFESA ........................................................................49
2.1. LEI 8.078/90 – CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR ............................................................................................................50
2.2. DECRETO 2.181/97 – SISTEMA NACIONAL DE DEFESA DO CONSUMIDOR ....................................................................................56
2.3. RESOLUÇÃO 3.883/10 – PENALIDADES RELATIVAS ÀS PRESTAÇÕES DE INFORMAÇÕES. ................................................................57
2.4. DECRETO 6.523/08 – SAC (SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR ................................................................................58
2.4.1 Sistemas Informatizados de Clientes .........................................................................................................................59
2.5. RESOLUÇÃO 3.849/10 – OUVIDORIA .................................................................................................................................60
2.6. PROCON - PORTARIA NORMATIVA NO 21/05 .........................................................................................................................62

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
3
Curso Preparatório
FEBRABAN

2.6.1 Procedimento de atendimento dos Órgãos de Proteção ...........................................................................................62


2.7. PROCON – PORTARIA NORMATIVA NO 33/09 .......................................................................................................................64
2.8. ÉTICA NO ATENDIMENTO ..............................................................................................................................................66
MÓDULO IIIA – CRÉDITO VEÍCULOS .................................................................................................................................................68
3.1. LEI 6.099/74 – LEASING E ASPECTO TRIBUTÁRIO ...................................................................................................................69
3.2. LEI 11.649/08 – LEASING DE VEÍCULOS .................................................................................................................................70
3.3. RESOLUÇÃO 2.309/96 – NORMAS DE ARRENDAMENTO MERCANTIL ........................................................................................70
3.3.1 Características de Leasing ..........................................................................................................................................70
3.3.2 Contratos de Arrendamento Mercantil ......................................................................................................................71
3.4. CIRCULAR BACEN 3248/06 .................................................................................................................................................73
3.5. NORMATIVO 005/2009 ......................................................................................................................................................74
3.5.1 Documentos para oferta de operações no mercado de veículos ...............................................................................74
3.6. PROCEDIMENTOS DA OPERAÇÃO DE FINANCIAMENTO DE VEÍCULOS. .........................................................................................75
MÓDULO IIIB – CRÉDITO CONSIGNADO ..........................................................................................................................................76
4.1. LEI 10.820/03 – AUTORIZAÇÃO PARA DESCONTO EM FOLHA....................................................................................................77
4.2. INSS E LEI 10.953/04 ........................................................................................................................................................78
4.3. LEI 8112/90 – SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS .....................................................................................................................78
4.4. LEI 8213/91 – PLANO DE BENEFÍCIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL .................................................................................................79
4.5. CONSIGNADO PARA SERVIDORES PÚBLICOS (ATIVOS, INATIVOS E PENSIONISTAS): DECRETOS 4.840/03 E 6.386/08 ......................80
4.6. CIRCULAR BACEN 2.905/99 E 2.936/99 – PRAZOS MÍNIMOS EM OPERAÇÕES DE RENDA FIXA E INFORMAÇÕES DE ENCARGOS. .......82
4.7. INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS/DC Nº 121/05 – PROCEDIMENTO GERAL PARA CONSIGNAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS .............................82

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
4
Curso Preparatório
FEBRABAN

Constam no contrato no mínimo, as seguintes


cláusulas:
• Garantia total de responsabilidade da
PREFÁCIO instituição autorizada pelo BACEN pelos serviços
prestados pelos Correspondentes;
As Instituições Financeiras são autorizadas por
determinação do BACEN para credenciar • Acesso ilimitado do BACEN a todas as
CORRESPONDENTES BANCÁRIOS com o intuito informações, dados e documentos relativos à
de atuarem na conquista de operações empresa contratada e à suas operações;
financeiras ou não financeiras em seu nome junto
ao público em geral. • Substabelecimento do contrato a terceiros, ou
seja, a empresa não poderá repassar o contrato à
Normatiza tal atividade a Resolução: BACEN 3.110 outra prestadora de serviços que precise da
e 3.156 e BACEN 3.954 e Resolução BACEN 3.959, autorização expressa do banco ou da instituição
de 2.011. A criação dessa atribuição tem finalidade financeira contratada.
de dar acesso às Pessoas Físicas, trabalhadores e
aposentados uma linha crédito com taxas de Não é permitido aos Correspondentes:
juros mais atrativas em relação às taxas de juros • Adiantar recursos aos clientes antes de
de empréstimos pessoais praticadas pelo liberados pela instituição financeira;
mercado.
• Efetuar a cobrança ou exigência de qualquer
Além dos Correspondentes do Consignado se taxa, tarifa ou comissão, por sua conta, pelos
observou um desenvolvimento importante da serviços de intermediação prestados aos clientes;
atividade dos Correspondentes que foram os
financiamentos de veículos e CDC( Crédito Direto • Dar aprovação ou consentimento no lugar do
ao Consumidor). Banco ofertante da operação de crédito ou
serviços, substituindo a alçada deste.
Os Correspondentes podem realizar as seguintes
funções: Sendo procurador do Banco, mesmo que a
• Encaminhar propostas de abertura de contas de responsabilidade da prestação de serviços seja da
depósitos à vista, a prazo ou poupança; instituição financeira, os Correspondentes têm a
• Receber e pagar contas, aplicação e resgates em responsabilidade moral de honrar com a
fundos de investimentos (desde que certificados representação que lhe é confiada, devendo agir
também pela Anbima); sob os preceitos da Instituição Financeira, ciente
• Efetuar ordens de pagamentos; de que seus atos deverão se pautar pela
• Fazer pedidos de empréstimos e financiamentos; qualidade no relacionamento com o mercado
• Fazer análise de crédito e cadastro; como se um Departamento, Agência ou
• Terceirizar serviços de cobranças; Dependência direta da Instituição fosse.
• Enviar pedidos de cartões de créditos; e
• Atuar no processamento de dados. É por esta razão que a atividade de
correspondente bancário foi regulamentada
Os contratos para prestação de serviços de através da exigência de certificação própria na
Correspondente são firmados entre a Instituição área.
Financeira representada e Empresa
Representante, regularmente constituída (com
CNPJ) e objeto social com foco nesta atividade.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
5
MÓDULO I - Conhecimentos gerais sobre o
Sistema Financeiro Nacional – SFN
Curso Preparatório
FEBRABAN

1.1. Atividades dos Correspondentes participa do SPB por meio do Sistema de


(Resoluções 3954 e 3959/11) Transferência de Reservas - STR.
O Sistema Financeiro Nacional está constituído
A estrutura do Sistema Financeiro conforme abaixo (Constituição atualizada pela
Nacional possui como principais objetivos Resolução BACEN no. 849 de 20 de julho de 1983
viabilizar, intermediar, regular e coordenar a e Decreto no. 1.307 de 09 de Novembro de 1.994).
relação geral nos mercados financeiros entre os
Agentes Poupadores (Superavitários em
1.1.1 CMN – Conselho Monetário Nacional
Recursos) e os Agentes Tomadores (Deficitários
O Conselho Monetário Nacional é o órgão
em Recursos). Composto por um conjunto de
superior do Sistema Financeiro Nacional. Criado
instituições públicas e privadas, o SFN se divide
em 1964 sob a Lei nº 4.595, tem como principais
em dois grupos: Normativo e Operativo.
funções NORMATIZAR e REGULAR o
funcionamento dos intermediadores no sistema
A Lei 4.595/64 instituiu o Sistema Financeiro
econômico do Brasil.
Nacional. Este fora administrado pelo SUMOC -
São integrantes:
Superintendência Monetária de Moeda e Crédito
 Ministro da Fazenda (Presidente do
até o ano de 1965, quando o BACEN iniciou suas
CMN)
atividades. Os Bancos eram denominados de
 Ministro do Planejamento
Casas Bancárias.
 Presidente do BACEN
Castelo Branco assinou a lei em 31 de Dezembro
de 1.964 em conjunto com demais generais. As principais funções do CMN são:
Desde então ela se mantém como estrutura  Normatizar a constituição e regulamento
principal ao SFN. das instituições financeiras;
 Determinar a política cambial em geral
Já a partir de 2002, houve criação do SPB -  Aprovar as emissões de papel moeda (R$ -
Sistema de Pagamentos Brasileiro. É o conjunto reais);
dos procedimentos e regras estabelecidas com  Estabelecer as medidas e políticas
finalidade de transferir recursos e liquidar necessárias para o equilíbrio econômico
operações financeiras realizadas na forma (Redesconto e Compulsório);
eletrônica diariamente entre os agentes  Definir a meta anual da inflação.
econômicos. Abrange empresas, governos,  Formular a política da moeda e do crédito,
pessoas físicas, Bacen e as instituições objetivando o progresso econômico e social
financeiras. do País.
 Adaptar o volume dos meios de
Trouxe mais segurança e mais agilidade nas pagamento às reais necessidades da
transações bancárias. Reduziu de forma economia nacional e seu processo de
significativa o Risco Sistêmico, pois criou a desenvolvimento;
liquidação as operações de transferência em  Regular o valor interno da moeda, para
tempo real (TED) somente podendo ser realizada prevenir ou corrigir os momentos
com recursos disponíveis em conta, não sendo inflacionários ou deflacionários de origem
possível realizar o estorno desta operação. interna ou externa;
Eliminou a necessidade de intervenção do BACEN  Regular o equilíbrio no balanço de
em fatos extraordinários. O BACEN monitora e pagamentos do País, tendo em vista a melhor

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
7
Curso Preparatório
FEBRABAN

utilização dos recursos em moeda Somente aos conselheiros é dado o direito de


estrangeira; voto.
 Orientar a aplicação dos recursos das A votação ocorrerá após o encerramento dos
instituições financeiras, tendo em vista debates de cada assunto. As decisões do CMN
propiciar, condições favoráveis ao serão tomadas por maioria simples de votos.
desenvolvimento harmônico da economia As decisões de natureza normativa serão
nacional; divulgadas mediante resoluções assinadas pelo
 Propiciar o aperfeiçoamento das Presidente do BACEN, veiculadas pelo Sistema de
instituições e dos instrumentos financeiros, Informações BACEN (Sisbacen) e publicadas no
com vistas à maior eficiência do sistema de Diário Oficial da União.
pagamentos e de mobilização de recursos; As decisões que não envolvam natureza
 Zelar pela liquidez e solvência das normativa serão comunicadas pela Secretaria-
instituições financeiras; Executiva do CMN, por meio de correspondência.
 Estabelecer as políticas monetária, As decisões de caráter confidencial serão
creditícia, orçamentária, fiscal e da dívida comunicadas somente aos interessados.
pública, interna e externa.
PRESIDENTE DO CMN - Funções
Principal função CMN: I. Convoca as reuniões ordinárias e
Estabelecer a meta anual de extraordinárias, abrir as reuniões e
Inflação (IPCA) dirigir os trabalhos, observadas as
disposições deste regimento;

II. Define a pauta dos assuntos a serem


discutidos em cada reunião;

Reuniões CMN III. Convida para participar das reuniões


O CMN reunir-se uma vez por mês e do conselho sem direito a voto, outros
extraordinariamente por convocação do seu Ministros de Estado, assim como
presidente. São discutidos assuntos da pauta, da representantes de entidades públicas
extra-pauta e assuntos gerais. ou privadas;
Participam das reuniões do CMN:
I - os Conselheiros; IV. Convoca reuniões extraordinárias da
II - os membros da COMOC; Comissão Técnica da Moeda e do
III - os Diretores de Administração e Fiscalização Crédito e das Comissões Consultivas
do BACEN; por Iniciativa própria ou por solicitação
IV - representantes das Comissões Consultivas, dos demais membros do CMN.
quando convocados pelo Presidente do CMN.
Poderão assistir às reuniões do CMN: CONSELHEIROS - Funções
a) assessores credenciados individualmente pelos I. Apresentam proposta ao CMN, na
conselheiros; forma de voto, observadas as
b) convidados do presidente do conselho, disposições deste regimento;
c) funcionários da secretaria-executiva do II. Submetem ao colegiado o exame da
conselho, credenciados pelo Presidente do conveniência de não divulgação de
BACEN. matéria tratada nas reuniões;

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
8
Curso Preparatório
FEBRABAN

III. Solicitam manifestação da COMOC ou VI. Colher a assinatura dos conselheiros nas atas
assessoramento das Comissões das reuniões, após sua aprovação pelo colegiado;
Consultivas; VII. Prover os serviços de secretaria e de apoio
IV. Solicitam visto de assuntos constantes administrativo à COMOC e às Comissões
da pauta ou apresentado extra pauta; Consultivas do conselho;
V. Fazer declaração de voto; VIII. Encaminhar à COMOC as propostas dos
conselheiros para sua manifestação prévia;
COMISSÕES CONSULTIVAS - Funções IX. Encaminhar ao Presidente do CMN os
O funcionamento das Comissões Consultivas é expedientes recebidos, devidamente instruídos;
determinado pelo Conselho Monetário Nacional. X. Encaminhar aos conselheiros, cópia das atas e
As Comissões Consultivas são as seguintes: das resoluções baixadas pelo CMN;
I - de Normas e Organização do Sistema XI. Encaminhar às Comissões Consultivas os
Financeiro; assuntos que lhe forem destinados.
II - de Mercado de Valores Mobiliários e de
Futuros;
III - de Crédito Rural; 1.1.2 COMOC - Comissão Técnica da Moeda
IV - de Crédito Industrial; e do Crédito
V - de Endividamento Público; I - Propõe a regulamentação das matérias
VI - de Política Monetária e Cambial; e tratadas na Medida Provisória n° 681, de 27 de
VII - de Processos Administrativos. outubro de 1994, de competência do Conselho
Monetário Nacional;
É função das Comissões Consultivas apreciar II - manifesta-se, previamente, na forma prevista
matérias atinentes às suas finalidades, propor em seu regimento, sobre as matérias de
alteração em seu regimento interno, e convidar competência do CMN, especialmente aquelas
pessoas ou representantes de entidades públicas constantes da Lei n° 4.595/64;
ou privadas para participar de suas reuniões. III - examina requerimentos de vantagens fiscais e
correlatas cuja concessão dependa de aprovação
SECRETARIA EXECUTIVA do conselho;
Função exercida pelo BACEN, a que deverá: IV - convida pessoas ou representantes de
I. Organizar a pauta das reuniões do colegiado; entidades públicas ou privadas para participar de
II. Comunicar aos conselheiros a data, a hora e o suas reuniões;
local das reuniões ordinárias ou a convocação V - propõe ao CMN alterações em seu regimento
para as reuniões extraordinárias; interno;
III. Enviar aos conselheiros e demais participantes VI - outras atribuições que lhe forem cometidas
das reuniões, imediatamente após a sua pelo CMN.
definição, a pauta de cada reunião e cópia dos
assuntos nela incluídos, conferindo-lhe 1.1.3 BACEN Banco Central do Brasil
tratamento confidencial; O Banco Central do Brasil – BCB
IV. Prover os serviços de secretaria nas reuniões ou BACEN, criado pela Lei 4.595/64. O
do conselho, elaborando inclusive as respectivas BACEN é autarquia federal comandada
atas; pelo Ministério da Fazenda.
V. Manter arquivo e ementário de assuntos de Sua principal função é de executar as
interesse do CMN, bem como das decisões disposições da legislação em curso e do CMN.
adotadas em suas reuniões; Executa as seguintes atividades:

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
9
Curso Preparatório
FEBRABAN

 Controlar o Crédito. Além disso, o BACEN fiscaliza e aplica as regras


 Executar as normas definidas pelo nas atividades do Sistema Financeiro Nacional
Conselho Monetário Nacional; expedindo para tal as resoluções e circulares
 Executar as políticas econômicas (cambial necessárias para as Instituições Financeiras.
e monetária); Todas as transações cambiais deverão ser
 Efetuar as emissões de papel moeda (R$ - intermediadas pelo BACEN, que recepciona os
reais); fechamentos realizando estas operações.
 Efetuar as operações de compra e venda
de Títulos Públicos Federais; Quando esse Banco tiver que pagar esse
 Autorizar o funcionamento das empréstimo, entregará ao BACEN, reais
Instituições Financeiras; equivalentes, que convertidos à taxa de câmbio
 Fiscalizar as Instituições Financeiras; montarão os recursos para o pagamento do
 Executar operações de Redesconto e credor no exterior. O BACEN faz a conversão de
empréstimo às Instituições Financeiras; tal maneira que mesmo transacionando,
 Regular a movimentação de capital nominalmente, em moeda estrangeira, a
estrangeiro Instituição Financeira, estará transacionando no
mercado local à moeda local.
 Exercer o recolhimento do Compulsório
O mesmo ocorre com o exportador. Ele vende
nas Instituições Financeiras;
seus produtos em moeda estrangeira. O
Dica + > guarde os seguintes termos: regular,
comprador do exterior remete o valor da
administrar, emitir, receber, autorizar, fiscalizar,
transação na moeda correspondente, só que não
controlar e exercer. BACEN é órgão responsável
diretamente ao exportador, e sim ao BACEN que
por buscar o cumprimento todas as
se encarrega de converter à moeda local e
determinações do CMN.
entregar ao exportador. Sentido contrário ocorre
com o Importador que paga em reais ao BACEN e
Outras Funções do BACEN
este paga em moeda estrangeira ao Exportador
•Regulamentar, autorizar e fiscalizar as
lá fora.
atividades dos consórcios, fundos mútuos ou
outras formas associativas;
•Normatizar, autorizar e fiscalizar as sociedades 1.1.4 COPOM – Comitê de Política
de arrendamento mercantil, as sociedades de Monetária
crédito imobiliário e as associações de poupança
• Executa as diretrizes da Política
e empréstimos;
Monetária.
•Acompanhar as operações de endividamento de
• Define a taxa de juros básica (TAXA SELIC
estados e municípios;
META) da economia.
• A cada 45 dias têm reunião.
O BACEN acumula dólares comprando no
• Cumpre a meta da inflação do CMN.
mercado, fazendo emissões de títulos da dívida
(Quanto maiores os JUROS, mais caras as
pública (Global Bonds) e aplicando nas treasuries parcelas, menos consumo, reduzindo a
- títulos do tesouro dos Estados Unidos. Os INFLAÇÃO.)
dólares das reservas internacionais oferecem • A taxa de juros SELIC Meta fixada na
garantias e autonomia contra eventuais reunião do Copom regula todas as outras
oscilações ou crises econômicas de escala taxas do Brasil. Expressas de forma anual
mundial. Tudo isso deverá ser muito equilibrado a (252 dias úteis).
fim de não ser elevada a dívida interna brasileira.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
10
Curso Preparatório
FEBRABAN

• Regime de Metas da Economia: 1º CMN – (DVCOM - Depósitos à vista Bancos Comerciais)


no sistema Bancário;
IPCA (anual) / 2º COPOM - Taxa Selic Meta
c) O denominado M2 é M1 + recolhimento de
(45 dias) compulsórios ou recolhimentos ao BACEN +
depósitos de poupança + títulos emitidos pelas
instituições financeiras como: CDB’s –
ORÇAMENTO MONETÁRIO
Certificados de Depósitos Bancários e outros;
O CMN aprova os orçamentos monetários
d) O denominado M3 é M2 + quotas de fundos de
elaborados pelo BACEN. Este orçamento analisa
renda fixa + operações compromissadas
exatamente a necessidade de liquidez em moeda
registradas no Selic – Sistema Especial de
no mercado. Tais medidas são essenciais para se
Liquidação e Custódia;
determinar os percentuais de compulsório junto
e) O denominado M4 que é M3 + títulos públicos
aos Bancos, assim como os empréstimos
de alta liquidez.
liberados pelo BACEN (Redesconto).
Moeda manual – Composta pelo valor da moeda
metálica e papel moeda em poder do público;
MEIOS DE PAGAMENTOS
Moeda escritural – A soma do total dos saldos
No Brasil existem 5 agregados
dos depósitos bancários de livre movimentação,
monetários: M0, M1, M2, M3,
isto é, os depósitos à vista, mantidos pelo público
M4.
nas instituições financeiras, nas contas correntes.

LIQUIDEZ DO MERCADO
Meios de Pagamento Restritos:
De uma maneira geral, o CMN tem o poder
M0 = papel moeda em circulação no mercado
da Política Monetária e deve zelar pela liquidez
M1 = papel moeda em poder do público +
do mercado. A liquidez do mercado é dada por
depósitos à vista
uma série de medidas que iremos comentar ao
Meios de Pagamento Ampliados:
longo deste Capítulo, mas em linhas gerais
M2 =M1 + depósitos especiais remunerados +
sempre que o CMN autorizar a emissão de
depósitos de poupança + títulos emitidos por
moeda, o objetivo é aumentar a liquidez do
instituições depositárias;
mercado e colocar mais moeda em circulação
M3 = M2 + quotas de fundos de renda fixa +
(aumentar o M1). Quando o objetivo é de
operações compromissadas registradas no Selic
enxugar a liquidez ocorre o contrario, tendo a
Poupança financeira:
decisão de vender Títulos emitidos pelo Governo
M4 = M3 + títulos públicos de alta liquidez
para obter a troca de moeda, ou seja, diminui o
M1 e aumenta o M2.
Um dos fatores que fazem aumentar a
a) O denominado M0 é representado pelo papel
liquidez do mercado é a emissão de papel moeda.
moeda em circulação (PMPP – Papel Moeda em
O que faz enxugar a liquidez do mercado é a
Poder do Público). O PMPP é o resultado da
emissão de Títulos Públicos que são vendidos aos
diferença entre o Papel-moeda emitido pelo
Investidores, recebendo, em contra partida,
Banco Central do Brasil e as disponibilidades de
moeda corrente ou pagamento via transferência
"caixa" do sistema bancário (PME – CaixaBC -
bancária e, assim, “retirar moeda de circulação”
CBCom);
enxugando a liquidez.
b) O denominado no mercado como M1 é
representado pelo M0, mais os depósitos à vista

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
11
Curso Preparatório
FEBRABAN

Enxugar a liquidez ou expandir a liquidez está A seleção dos Diretores das instituições
diretamente ligado a atividade dos financeiras públicas federais e a determinação
Correspondentes, se o Conselho Monetário dos seus Presidentes e substitutos observarão o
Nacional, em função da Política Monetária mesmo critério aplicado ao Banco Brasil.
traçada pelo Governo, tomar a decisão de
enxugar a liquidez, o volume de recursos BNDES - Banco Nacional do Desenvolvimento
disponíveis ao mercado será menor e menor será Econômico e Social executa a política de
o valor disponível para crédito, ou seja, restringe investimentos do Governo Federal, promovendo
as operações de crédito e, restringe a atividade o financiamento de setores econômicos.
do CORRESPONDENTE.
As instituições financeiras públicas privadas são
importantes instrumentos intermediadores da
Expansionista Liquidez economia, porém seu objetivo é o lucro na
Diminuição atividade financeira.
Compulsório de % recolhido
nos Bancos
Aumento de 1.1.6 Instituições Financeiras Privadas
Aumenta São Sociedades Anônimas Abertas com
Prazo das
Redesconto operações ações nominativas.
e/ou redução O BACEN
da taxa determinará o mínimo
de capital social para a
Contracionista Liquidez sua constituição,
Aumento de % integralizado com
Compulsório recolhido nos moeda em espécie.
Bancos Poderão ter participação em demais
Redução de empresas de capital aberto em bolsa, porém
Reduz
prazo das somente mediante autorização do BACEN.
Redesconto operações As instituições financeiras levantarão balanços
e/ou aumento gerais a 30 de junho e 31 de dezembro de cada
da taxa ano, obrigatoriamente, com observância das
regras contábeis COSIF estabelecidas pelo
Conselho Monetário Nacional.
1.1.5 Instituições Financeiras Públicas É vedado às instituições financeiras
A Caixa Econômica Federal, BASA - Banco privadas conceder empréstimos ou
da Amazônia, Banco do Nordeste, Caixas adiantamentos:
Estaduais, Bancos de Desenvolvimento Estaduais I - Aos seus diretores e membros dos
ou Regionais e Bancos Estaduais (Banrisul) são conselhos consultivos ou administrativo, fiscais e
Bancos Públicos. semelhantes, bem como aos respectivos
Dão suporte aos cônjuges;
Governos Federais, II - Aos parentes, até o 2º grau, das
Estaduais, Municipais. pessoas a que se refere o inciso anterior;
Implementam medidas da Política III - Às pessoas físicas ou jurídicas que
Monetária da União. O CMN instruirá as participem de seu capital, com mais de 10% (dez
modalidades operacionais para estas IF’s. por cento), salvo autorização BACEN, em cada

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
12
Curso Preparatório
FEBRABAN

caso, quando se tratar de operações lastreadas concessão de empréstimos acima ficará sujeito,
por efeitos comerciais resultantes de transações sem prejuízo das sanções administrativas ou civis
de compra e venda ou penhor de mercadorias, cabíveis, à multa igual ao dobro do valor do
em limites que forem fixados pelo Conselho empréstimo ou adiantamento concedido, cujo
Monetário Nacional, em caráter geral; processamento obedecerá no que couber ao
IV - Às pessoas jurídicas de cujo capital disposto nesta lei.
participem, com mais de 10% (dez por cento) do As infrações aos dispositivos desta lei
total do PL; sujeitam as instituições financeiras, seus
V - Às pessoas jurídicas de cujo capital diretores, membros de conselhos
participem com mais de 10% (dez por cento), administrativos, fiscais e semelhantes, e
quaisquer dos diretores ou administradores da gerentes, às seguintes penalidades, sem prejuízo
própria instituição financeira, bem como seus de outras estabelecidas na legislação vigente:
cônjuges e respectivos parentes, até o 2º grau. I – Advertência;
VI - Emitir debêntures e partes II - Multa pecuniária variável;
beneficiárias (títulos que dão direito a seus III - Suspensão do exercício de cargos;
titulares de participarem dos lucros anuais da IV - Inabilitação temporária ou
empresa); permanente para o exercício de cargos de
VII - Adquirir bens imóveis não destinados direção na administração ou gerência em
ao próprio uso, salvo os recebidos em liquidação instituições financeiras;
de empréstimos de difícil ou duvidosa solução, V - Cassação da autorização de
caso em que deverão vendê- los dentro do prazo funcionamento das instituições financeiras
de um (1) ano, a contar do recebimento, públicas, exceto as federais, ou privadas;
prorrogável até duas vezes, a critério do BACEN; VI – Detenção;
VIII - As instituições financeiras que não VII – Reclusão.
recebem depósitos do público poderão emitir As instituições financeiras públicas não federais e
debêntures, desde que previamente autorizadas as privadas devem seguir os termos da legislação
pelo BACEN, em cada caso; vigente.
IX - Aplicam-se às instituições financeiras
estrangeiras em funcionamento ou que venham a
se instalar no País, as disposições da presente lei, 1.2. Atividades dos Correspondentes
sem prejuízo das que se contém na legislação (Resoluções 3954 e 3959/11)
vigente. Estas normas dispõem sobre a
contratação, de empresas, integrantes ou não do
PENALIDADES AOS BANCOS Sistema Financeiro Nacional, para o desempenho
Os diretores e gerentes das funções de correspondente no País, com
das instituições vistas à prestação dos serviços.
financeiras respondem
solidariamente pelas
obrigações assumidas
pelas mesmas durante
sua gestão, até que
elas se cumpram.
Havendo prejuízos, a responsabilidade
solidária se circunscreverá ao respectivo Liberam a escolha de contratação de
montante. O responsável que autorizar a Correspondentes no País, às outras instituições

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
13
Curso Preparatório
FEBRABAN

financeiras e demais instituições autorizadas a convênios de prestação de serviços


funcionar pelo BACEN como as cooperativas de mantidos pela instituição contratante com
crédito, as companhias hipotecárias, as terceiros;
sociedades de crédito ao microempreendedor e d. emissão e recebimento de ordens de
as sociedades corretoras e distribuidoras de pagamento cursadas por intermédio da
títulos e valores mobiliários. instituição contratante por solicitação de
A RESOLUÇÃO 3.954 modernizou e clientes e usuários;
estendeu os conceitos da atividade do e. recebimento e envio de propostas para
Correspondente Bancário, principalmente no que operações de crédito e arrendamento
tange a atividade de câmbio dos mercantil de concessão da instituição
Correspondentes Bancários vinculados à Caixa contratante;
Econômica Federal com atividades de prestação f. recebimentos e pagamentos relacionados
de serviços lotéricos, as chamadas Casas a letras de câmbio de aceite da instituição
Lotéricas e Agências da ECT Empresa Brasileira de contratante;
Correios e Telégrafos. g. efetuar cobrança extrajudicial, relativa a
Houve a implantação da obrigatoriedade créditos de titularidade da instituição
da Certificação por Entidades Credenciadas dos contratante ou de seus clientes;
Correspondentes Bancários. h. receber e encaminhar de propostas de
O objetivo da atividade do fornecimento de cartões de crédito de
Correspondente Bancário é oferecer o acesso da responsabilidade da instituição
população ao Sistema Financeiro Nacional. A contratante; e,
atividade busca a melhoria das condições na i. realizar de operações de câmbio de
obtenção de crédito, de realização de poupança responsabilidade da instituição
e de aquisição de produtos financeiros. A contratante, observado o disposto
resolução antevê estruturas competentes de adiante.
oferecer segurança e confiabilidade aos serviços
prestados por meio de correspondentes. Operações de Câmbio
A certificação do Correspondente Apenas as funções abaixo serão permitidas:
Bancário traz ao mercado a padronização e  Compra e venda de moeda estrangeira em
normas do BACEN quanto aos quesitos exigidos espécie, cheque ou cheque de viagem;
para a prática da atividade, garantindo a  Receber e emitir (ativa ou passiva) ordens de
qualidade dos serviços das instituições pagamento relativas às transferências
credenciadoras. unilaterais do ou para o exterior; e,
 Recepção e
Atividades Admitidas encaminhamento de
a. receber e enviar de propostas de abertura propostas de operações
de contas à vista, a prazo ou poupança; de câmbio.
b. efetuar recebimentos, pagamentos ou  Observar as disposições
transferências eletrônicas para do Regulamento do
movimentação de contas de depósitos de Mercado de Câmbio e
titularidade de clientes mantidas pela Capitais Estrangeiros
instituição contratante; (RMCCI).
c. efetuar recebimentos e pagamentos de
qualquer natureza, e outras atividades
decorrentes da execução de contratos e

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
14
Curso Preparatório
FEBRABAN

e telefones dos serviços de atendimento e de


Se Ligue Nessa! ouvidoria da instituição contratante, por
meio de painel visível mantido nos locais
onde seja prestado atendimento aos clientes
 Limitação de cada operação num e usuários;
valor máximo de US$ 3.000,00 ou  Fechamento de caixa entre a instituição
seu equivalente, caso transações contratante e o correspondente, no máximo,
em demais moedas estrangeiras. a cada dois dias úteis;
 Para empréstimos e financiamentos, a
Serão representadas nestas atividades: liberação de recursos deverá ser efetuada
a) Instituição financeira ou instituição mediante cheque nominativo, cruzado e
autorizada a funcionar pelo BACEN; intransferível, de emissão da instituição
b) Pessoas jurídicas cadastradas no financeira contratante a favor do
Ministério do Turismo como prestadores beneficiário ou da empresa comercial
de serviços turísticos remunerados, na vendedora, ou crédito em conta de
forma da regulamentação em vigor; depósitos à vista do beneficiário ou da
c) Empresa Brasileira de Correios e empresa comercial vendedora (TED ou DOC,
Telégrafos (ECT); e, sendo vedados entrega de valores em
d) Permissionários de serviços lotéricos. espécie;
Caso os Correspondentes possam prestar  Proibida a contratação de entidade cujo
tal atividade de câmbio, haverá obrigatoriedade controle societário seja exercido por
de entrega ao cliente de comprovante para cada administrador de quaisquer instituições
operação de câmbio realizada, contendo a pertencentes ao conglomerado integrado
identificação das partes, a indicação da moeda pela instituição contratante.
estrangeira, da taxa de câmbio e dos valores em  Não é admitida a celebração de contrato de
moeda estrangeira e em moeda nacional; e, correspondente que configure contrato de
Contrato com a Instituição franquia.
O contrato de correspondente deve  Em caso de substabelecimento deste
estabelecer algumas medidas essenciais para a contrato:
boa representação bancária. O correspondente a) Admite-se o substabelecimento do
deverá manter obrigatoriamente vínculo Correspondente, em um único nível, desde que o
empregatício conforme CLT ou contratual com as contrato inicial preveja essa possibilidade e as
pessoas prestadoras de serviços envolvidas nas condições para sua efetivação.
atividades contratadas. É proibida a utilização de b) responsabilidade da IF (Banco) perante
instalações cujo layout, fachadas, logomarca e toda e qualquer prestação de serviços do
publicidade seja igual às adotadas pela instituição Correspondente, caso exista substabelecimento
credenciadora em suas agências e postos de do contrato a terceiros (somente mediante
atendimento próprios. Seguem algumas medidas anuência da Instituição Financeira).
adicionais: b) acesso total aos dados do
Correspondente no BACEN.
 Divulgação pelo Correspondente ao público
de sua condição de prestador de serviços à Atividades vedadas aos correspondentes:
instituição contratante, identificada pelo  Antecipação de recursos a serem
nome com que é conhecida no mercado, com liberados pela instituição financeira
descrição dos produtos e serviços oferecidos contratante;

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
15
Curso Preparatório
FEBRABAN

 Emitir a seu favor títulos ou carnês de


cobrança das parcelas das operações Se Ligue Nessa!
intermediadas;
 Cobrar, por iniciativa própria, qualquer
O contrato deverá incluir, ainda, que os
tarifa relacionada com a prestação dos
integrantes da equipe do
serviços a que se refere o contrato;
Correspondente, sejam considerados
 Prestar garantias aos clientes nas
aptos em exame de certificação
operações a que se refere o contrato;
organizado por entidade de reconhecida
 Fazer uso de nome “Banco” utilizar sem a
capacidade técnica. No caso de
prévia autorização do BACEN.
correspondentes fornecedores de bens e
 Substabelecer contratos nas atividades
serviços objeto de financiamento ou
relacionadas às operações de câmbio.
arrendamento, se aceita a certificação de
uma pessoa por ponto de atendimento,
Os Correspondentes contratados para a prestação
que se responsabilizará, perante a
de serviços estão sujeitos às penalidades previstas
instituição contratante, pelo
na Lei 4.595, de 1964, que criou o SFN, não
atendimento ali prestado aos clientes.
podendo efetuar operações de crédito que não
envolvam a Instituição Financeira Credenciadora. O cadastro dos funcionários do
Processos nas operações de crédito e Correspondente deverá ser atualizado, incluindo
arrendamento mercantil. os dados sobre as certificações emitidas e ou em
prazo de vencimento pela instituição contratante
 Correspondente não poderá omitir as a qualquer tempo.
modalidades oferecidas pelas Instituições
Financeiras as quais presta serviços. Controle das Atividades
 Divulgação pública através de crachá pessoal A IF deve pôr à disponibilidade do
na equipe de funcionários (com CPF). Correspondente toda documentação técnica
 As propostas deverão ser encaminhadas à IF adequada e estabelecer canal de acesso direto.
com identificação do integrante da equipe do A adequação de sistema de controles
correspondente (nome e CPF) que prestou o internos e a auditoria também serão conduzidos
atendimento para as operações: pela IF. A quantidade de pontos de atendimento
a) relacionadas a produtos e serviços finais deverá ser compatível com o volume e
fornecidos pelo correspondente. complexidade das operações realizadas.
b) a quaisquer produtos e serviços finais do O planejamento do controle de qualidade
mercado. no atendimento também será função definida
 Caso a IF que autorize o Correspondente para pela IF. Inclui medidas administrativas a serem
liberação de recursos o valor total dos aplicadas pela IF caso sejam levantadas
pagamentos realizados deverá ser idêntico irregularidades.
aos recursos recebidos da instituição Neste caso, não será afastada a
contratante para tal fim. possibilidade de suspensão do atendimento
 Deverá haver o processo de capacitação que prestado ao público e o encerramento
aborda aspectos técnicos das operações, a antecipado do contrato nos casos considerados
regulamentação aplicável, o Código de Defesa graves pela IF contratante.
do Consumidor (CDC), ética e ouvidoria.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
16
Curso Preparatório
FEBRABAN

O BACEN poderá: Contrato entre Instituições Financeiras


 Determinar controles e procedimentos Aplicam-se aos contratos de
adicionais, definindo cronograma para sua correspondente em que as partes sejam
implantação, caso seja detectada a instituições financeiras ou instituições
inobservância do controle que a autorizadas a funcionar pelo BACEN as seguintes
Instituição exerce sobre as atividades do condições:
Correspondente;  É obrigatória a certificação dos
 Paralisar o atendimento oferecido ao atendentes destas IF’s, caso estes
público ou o encerramento do contrato, funcionários atuarem como
conforme sanções acima especificadas; Correspondentes de outras instituições.
e/ou,  Não é proibida a prestação de garantias,
 Condicionar a contratação de novos peculiar aos Correspondentes; e,
correspondentes à sua prévia autorização.  Na relação de correspondentes a ser
mantida em página da internet, devem
Divulgação de Informações constar, no mínimo, os seguintes dados:
A IF deve manter, publicamente, a relação
atualizada de seus contratados, contendo as a) razão social, nome fantasia, endereço da sede
seguintes informações: e o número de inscrição no CNPJ da IF; e,
I - razão social, nome fantasia, endereço da sede
e o número de inscrição no Cadastro Nacional da b) atividades regulares de atendimento,
Pessoa Jurídica (CNPJ); anteriormente referidas, incluídas no contrato.
II - endereços dos pontos de atendimento ao
público e respectivos nomes e números de Admite-se a contratação de IF cujo controle
inscrição no CNPJ; e, societário seja exercido pela instituição
III - atividades de atendimento de cada ponto contratante ou por controlador comum.
correspondente. A IF deve disponibilizar
informação sobre determinada entidade ser, ou A instituição contratante deve realizar os
não, correspondente e sobre os produtos e seguintes procedimentos de informação ao
serviços para os quais está habilitada a prestar BACEN, na forma definida pela referida
atendimento. Autarquia:
A IF segregará as informações sobre
demandas e reclamações recebidas nos serviços I - designar diretor responsável pela contratação
de atendimento e de ouvidoria, apresentadas de correspondentes e seu atendimento;
por clientes e usuários atendidos por
correspondentes. II - informar a celebração de contrato de
correspondente, bem como posteriores
atualizações e encerramento.
Se Ligue Nessa!
III - proceder à atualização das informações sobre
É proibida a cobrança de tarifa, comissão, e os contratos de correspondente enviados até a
demais valores a título de repasse de custos data de entrada em vigor desta resolução; e,
da atividade do Correspondente, pela
IV - elaborar relatórios sobre o atendimento
Instituição contratante, aos clientes
prestado por meio de correspondentes.
atendidos nestes pontos de atendimento.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
17
Curso Preparatório
FEBRABAN

1.3. Liquidação Antecipada de 1.4. CUSTO EFETIVO TOTAL – CET


Operações de Crédito e (Resolução CMN nº 3.517/2007)
Arrendamento (Resolução
3.516/07) O CET deve ser
expresso na forma de taxa
Veda a cobrança de tarifa em decorrência percentual anual, incluindo
de liquidação antecipada de contratos de crédito todos os encargos e
e de arrendamento mercantil financeiro e despesas das operações,
estabelece critérios para cálculo do valor CET deve englobar não apenas a taxa de
presente para sua amortização ou liquidação. juros, mas também tarifas, tributos, seguros e
outras despesas cobradas do cliente.
“Art. 2º O valor presente dos pagamentos previstos para fins de A planilha de cálculo mostrará, além do
amortização ou de liquidação antecipada das operações de que trata
o art. 1º contratadas a taxas prefixadas deve ser calculado:
valor em reais de cada componente do fluxo da
I - no caso de contratos com prazo a decorrer de até 12 meses, com a operação, os respectivos percentuais em relação
utilização da taxa de juros pactuada no contrato;
II - no caso de contratos com prazo a decorrer superior a 12 meses: ao valor total devido.
a) com a utilização de taxa equivalente à soma do spread na data da Por exemplo, suponha um financiamento nas
contratação original com a taxa SELIC apurada na data do pedido de
amortização ou de liquidação antecipada; seguintes condições:
b) com a utilização da taxa de juros pactuada no contrato se a
solicitação de amortização ou de liquidação antecipada ocorrer no
 Valor Financiado - R$ 5.000,00
prazo de até sete dias da celebração do contrato.  Taxa de juros - 24% ao ano (nominal) ou 2%
§ 1º A taxa de desconto aplicável para fins de amortização ou
liquidação antecipada, observado o disposto nos incisos I e II deste ao mês.
artigo, deve constar de cláusula contratual específica.
§ 2º O spread mencionado neste artigo deve corresponder à diferença
 Prazo da operação - 12 meses
entre a taxa de juros pactuada no contrato e a taxa SELIC apurada na  Prestação mensal - R$ 472,80
data da contratação.”
 Tarifa de cadastro - R$ 50,00
 IOF - R$ 85,10
Se Ligue Nessa!  Valor Líquido Liberado - R$ 4.864,90

CMN proíbe a cobrança de tarifas ao


De acordo com a fórmula da Resolução
Cliente no caso de liquidação 3.517/07, o FCo (valor do crédito concedido) e o
antecipada em operações de crédito e FCj (valores cobrados pela instituição), seriam os
seguintes:
arrendamento mercantil para PF,  FC0 = R$ 4864,90
 FCj = R$ 472,80
microempresas e empresas de
pequeno porte. Utilizando as fórmulas de matemática
financeira (por meio de uma planilha de cálculo
Contratos celebrados antes de 2007 eletrônica ou calculadora científica), o cálculo do
(norma) poderão manter a cobrança. CET ficaria:

É permitida a cobrança em contratos 472,80+ 472,80 + 472,80 472,80


4.864,90 = ...+
(1 + i)1 (1 + i)2 (1 + i)3 (1 + i)12
diversos de operações financeiras
desde conste em cláusula especifica no
contrato de financiamento. CET (i) = 2,45% ao mês ou 33,70% ano.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
18
Curso Preparatório
FEBRABAN

Se Ligue Nessa! Se Ligue Nessa!


Calculando CET na Calculadora Financeira HP
A tabela das tarifas nas
12C:
Pressione Tela HP Processo HP agências deve estar em local visível ao

0,00 Limpa o registro


público, bem como nos respectivos
( / )
sítios eletrônicos das instituições
Registra o valor
(472,80 / /
-472,80
da parcela (sinal financeiras. Inclusive, a majoração de
negativo =
desembolso tarifas deverá ser divulgada com 30
)

12,00 Registra o prazo


dias de antecedência.
(12 / )
Registra o valor
4.864,90 Objetivos da regulamentação:
liberado
(4.864,90 / )
• reduzir a assimetria de informações (mais de
2,45 Calcula o CET 300 tarifas)
• aumentar a transparência (divulgação
inadequada)
• permitir a comparabilidade por parte do
1.5. Cobrança de Tarifas (Resolução público
3518/07 e 3919/10) • criar condições para que o cidadão possa optar
pela instituição que melhor atenda a sua
Orientar e regulamenta a cobrança das expectativa - serviço e preço
tarifas bancárias para Clientes Pessoas Físicas e • fomentar a concorrência
Pessoas Jurídicas. • mais um passo para a educação financeira
Aliado ao aumento da bancarização da
população, número de reclamações da Principais medidas adotadas:
população, se fez necessária a determinação de • Eleva a quantidade de serviços com tarifas
nova resolução quanto à cobrança de tarifas aos vedadas – pessoas físicas
clientes dos Bancos. Tudo isso surgiu num • Diferenciar os serviços em 4 conjuntos (PARA
ambiente onde as instituições financeiras PF’s): essenciais, prioritários, diferenciados e
realizavam cobrança de tarifas: especiais
 sem a fixação de critérios adequados • Unificar a terminologia – serviços prioritários
 em duplicidade • Criar a abreviatura comum – serviços
 sem a contrapartida efetiva em serviços prioritários
 em valores elevados • Descrever descrição do fato gerador do serviço
– serviços prioritários
Esta resolução alterou a filosofia da • Instituir a tabela de serviços e o pacote
Resolução 2.303, de 25.07.1996, que definia um padronizado de serviços prioritários
conjunto de serviços isentos de tarifas para
pessoas físicas e pessoas jurídicas.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
19
Curso Preparatório
FEBRABAN

1.5.1 Serviços Essenciais 1.5.2 Serviços Prioritários


Trata-se dos imprescindíveis a livre Estão descritos os fatos geradores para a
movimentação da conta de depósitos à vista e de cobrança de cada tarifa, a nomenclatura e a sigla.
poupança – vedações e gratuidades: Os serviços são subdivididos nos seguintes
grupos:
Serviços essenciais - exemplos de tarifas vedadas: • cadastro
• fornecimento de cartão de débito e de 10 • contas de depósitos (depósitos à vista e
folhas de cheque (compensação incluída de poupança)
quaisquer valores) • transferência de recursos
• devolução de cheques (em qualquer situação) • operações de crédito
• inclusão no CCF
• depósitos em conta-corrente e conta de
poupança
• manutenção de conta (ativa/inativa) e cartão
• renovação de cheque especial
• abertura de crédito (TAC) (permitida a
cobrança nos serviços especiais)
• abertura de conta (cobrança limitada ao
cadastro)
• consultas na internet

Se Ligue Nessa!

Eventos Essenciais Gratuitos:


Conta de depósito a vista:
• até 2 extratos contendo a
movimentação do mês
• até 4 saques, por mês, em guichê de
caixa ou terminal de autoatendimento.
• até 2 transferências de recursos entre
contas na própria instituição

Conta de poupança:
• até 2 saques, por mês, em guichê de
caixa ou em terminal de
autoatendimento
• até 2 transferências para conta de
depósitos de mesma titularidade
• até 2 extratos contendo a
movimentação do mês

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
20
Curso Preparatório
FEBRABAN

1.5.4 Serviços Especiais


 CRÉDITO RURAL
 MERCADO DE CÂMBIO
 REPASSE DE RECURSOS
 SISTEMA FINANCEIRO DA HABITAÇÃO (SFH)
 FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE
SERVIÇO (FGTS)
 PIS/PASEP
 CONTA-SALÁRIO (RESOLUÇÃO 3.402, DE
06.09.2006)
 CONTA-SIMPLIFICADA (RESOLUÇÃO 3.211, DE
30.06.2004)
 OPERAÇÕES DE MICROCRÉDITO
(RESOLUÇÃO 3.422, DE 30.11.2006)

1.5.5 Serviços Diferenciados


É aceita a cobrança de serviços diferenciados, nas
seguintes atividades:
 ADMINISTRAÇÃO DE FUNDOS DE
INVESTIMENTO
1.5.3 Pacote Padronizado de Tarifas  ALUGUEL DE COFRE
 AVALIAÇÃO, REAVALIAÇÃO E
O valor não pode extrapolar o total das SUBSTITUIÇÃO DE BENS RECEBIDOS EM
tarifas individuais que o integram. Destinado ao GARANTIA
público que ultrapasse as isenções e gratuidades.  CARTÃO DE CRÉDITO
 o preço do pacote não pode superior ao  COLETA E ENTREGA EM DOMICÍLIO OU EM
somatório das tarifas individuais que o OUTRO LOCAL
compõe  CÓPIA OU SEGUNDA VIA DE
 é livre a oferta de outros pacotes, visando COMPROVANTES E DOCUMENTOS
atender clientela específica, respeitada a  CORRETAGEM
regra anterior  CUSTÓDIA
 objetiva permitir a comparação entre as
tarifas praticadas pelas IF Se Ligue Nessa!
O valor da cobrança de tarifa em
conta corrente de depósitos à vista ou
em conta de depósitos de poupança
não pode ser superior ao saldo
existente. (O banco não poderá fazer
o usuário utilizar o limite por causa de
quaisquer tarifas pendentes).
www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
21
Curso Preparatório
FEBRABAN

1.5.6 Cartões Crédito – Tarifas (Resolução  Informar os gastos realizados, por evento,
3.919/10) inclusive quando parcelados;
A finalidade é a de promover a  Identificar as operações de crédito contratadas
comparação das tarifas cobradas pelos clientes e, e respectivos valores;
também, a escolha do tipo de cartão mais  Segregar os valores relativos aos encargos
adequado. cobrados, de acordo com os tipos de
Clientes terão que pagar pelo menos 20% operações realizadas;
de sua fatura mensalmente, podendo financiar o  Informar o valor dos encargos a ser cobrado
saldo devedor com juros. no mês seguinte, no caso do cliente optar pelo
pagamento mínimo da fatura;
 Informar o Custo Efetivo Total (CET), que inclui
Se Ligue Nessa! juros e outras taxas.

Com novas regras, poderá Há 2 tipos de cartão de crédito:


Básico: o cliente poderá optar pelos
haver cobrança de 5 tipos
parcelamentos no ato da compra. É obrigatória a
de tarifa: “SANPA PEDI
oferta para as pessoas físicas, e não somente do
EMISSÃO” cartão diferenciado. Anuidade deverá ser inferior
que a do diferenciado. Poderá ser nacional ou
I. saques em dinheiro Cash; internacional. Os cartões internacionais têm uma
II. anuidade; anuidade maior.
III. pagamento de contas; Diferenciado: possui outros serviços acoplados,
IV. pedido de urgência na análise como programas de recompensas ou benefícios -
necessária para aumentar o viagens, passeios e outros tipos de prêmios.
limite de crédito do cliente. Poderá ser nacional ou internacional.
V. emissão de segunda via do Os cartões internacionais têm uma anuidade
cartão; maior.

1.6. Sistema de Autorregulação


Essas tarifas, por sua vez, deverão estar Bancária (código e normativo
nas páginas das instituições financeiras e, 001/08)
também, em suas agências, de forma que possam Finalidade de, em
ser comparadas pelos clientes. conjunto com a
sociedade, adaptar o
Cartões não solicitados, cancelamento e extratos sistema bancário.
Obrigações às Instituições Financeiras Emissoras: Complementa as normas e os mecanismos de
 Proibido o envio de cartões que não sejam controle já existentes. Dessa maneira, a
solicitados pelos clientes. FEBRABAN implantou a autorregulação como
 Bancos serão obrigados a cancelar o cartão de um sistema participativo, objetivando a
crédito de forma imediata quando solicitados concorrência leal das entidades (Signatários ou
(podendo cobrar o saldo em aberto) Bancos Participantes), melhorando a governança
e transparência de suas atividades frente aos
 Informar o limite de crédito total e limites clientes. Todos os Bancos Participantes deverão
individuais para cada tipo de operação de assinar o devido Termo de Adesão ao Sistema de
crédito passível de contratação; Auto-Regulação Bancária.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
22
Curso Preparatório
FEBRABAN

princípios se aplicam aos produtos e serviços


Se Ligue Nessa! prestados pela Signatária ao consumidor, incluindo
contas correntes, produtos de crédito e de
As Regras serão formadas e investimento.
constantemente revisadas conforme os TEMAS PRINCIPAIS (Normativo 001/08)
códigos legais das regras de atuação no  “A questão do direito do consumidor ‡
informação. Esse assunto foi abordado em
mercado financeiro ditado pelas Resoluções todos os capítulos do documento. ï O
do CMN, nunca se opondo ou substituindo a roteiro acordado pelos bancos e pelos
Órgãos de defesa do consumidor para
regulamentação em vigor. encerramento de contas e tratamento de
contas inativas. Este assunto é tratado no
capítulo encerramento de conta.
 O Star - Sistema de divulgação de Tarifas de
Textos a seguir extraídos de Produtos e Serviços Financeiros da
www.conteaqui.org.br FEBRABAN, que facilita a comparação das
tarifas praticadas pelos bancos para
CONCEITOS GERAIS (Normativo 001/08) diversos produtos e serviços, além de
Ética e Legalidade - adotar condutas benéficas à estabelecer uma padronização de
sociedade, ao funcionamento do mercado e ao nomenclaturas. Esse assunto é tratado no
meio-ambiente. Respeitar a livre concorrência e a capítulo Oferta e Publicidade.
liberdade de iniciativa. Atuar em conformidade
com a legislação e regulamentação vigentes e com ATENDIMENTO (Normativo 001/08)
as normas da auto-regulação.  Os números de telefone das centrais de
Respeito ao Consumidor - tratar o consumidor de atendimento da Signatária estarão afixados
forma justa e transparente, com atendimento em local de alta visibilidade nas agências e
cortês e digno. Assistir o consumidor na avaliação na internet;
dos produtos e serviços adequados às suas  A Signatária será receptiva a quaisquer
necessidades e garantir a segurança e a reclamações, considerando-as para a
confidencialidade de seus dados pessoais. melhoria contínua dos seus serviços e
Conceder crédito de forma responsável e incentivar provendo resposta às demandas que o
o uso consciente de crédito. exigirem;
Comunicação Eficiente – disponibilizar  Caso o consumidor não obtenha a solução
informações de forma eficaz, congruente, aberta e de que necessita nos canais de atendimento
adequada, fornecendo condições para o cliente da Signatária (incluindo o SAC), este poderá
assumir decisões conscientes. A comunicação com contatar o serviço gratuito de Ouvidoria da
o consumidor, por qualquer veículo, pessoalmente Signatária, que tem o papel de assegurar a
ou mediante ofertas ou anúncios publicitários, observância das normas e regulamentos
deve ser feita de modo a informá-lo sobre os relativos aos direitos do consumidor...
aspectos relevantes do relacionamento com a
 O consumidor receberá uma resposta da
Signatária.
Ouvidoria em até 30 dias.
Melhoria Contínua – aperfeiçoar padrões de
conduta, elevar a qualidade dos produtos, níveis de
segurança e a eficiência dos serviços. Esses

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
23
Curso Preparatório
FEBRABAN

OFERTAS (Normativo 001/08) Signatária disponibilizará ao menos o


 Os anúncios não conterão informação de sumário da operação contendo as
qualquer natureza que, direta ou especificações do produto ou do serviço
indiretamente, por implicação, omissão, contratado, tais como prazos, valores,
exagero ou ambigüidade, leve o juros, tarifas, comissões, tributos, multas e
consumidor a erro; forma de pagamento, além do CET - Custo
 Antes de contratar uma operação, a Efetivo Total da operação.
Signatária oferecerá explicações adequadas  Se o consumidor decidir mudar a sua dívida
às necessidades do consumidor, incluindo para outra instituição financeira, a
informações sobre tarifas, juros e impostos, Signatária informará como ocorrerá a
bem como sobre canais de atendimento. A transferência de dívida e o responsável por
Signatária informará sobre eventuais esse processo, fornecendo as informações
produtos ou serviços alternativos para o necessárias para que tal mudança se
consumidor fazer uma escolha consciente e concretize dentro de 15 dias úteis após
informada; receber a solicitação;
 As taxas de juros e o número de parcelas
serão informados em termos anuais e CONTA SIMPLIFICADA (Normativo 001/08)
mensais, e serão apresentadas de forma  Conta simplificada conta corrente ou de
clara; poupança individual, isenta de tarifas até
 O consumidor poderá consultar ou um número pré-determinado de operações
esclarecer dúvidas sobre as taxas de juros e serviços. Pode ser aberta por pessoa física
através da internet, do atendimento que não tenha em seu nome nenhuma outra
telefônico ou dos empregados e prepostos modalidade de conta de depósitos à vista
da Signatária. em qualquer banco.
 A Signatária informará as tarifas aplicáveis
a seus produtos e serviços, bem como a CONTA (encerramento) (Normativo 001/08)
periodicidade e a progressividade,  A Signatária deve comunicar previamente
conforme o caso, bem como a forma pela ao consumidor, por carta ou outro meio
qual serão cobradas. A Signatária eficaz de comunicação, a intenção de
disponibilizará em local visível nas agências encerrar a conta, dando-lhe prazo de até 30
e na internet uma tabela com as tarifas de dias corridos para as providências
cada tipo de serviço, bem como a relação relacionadas ao encerramento da conta.
dos produtos e serviços que têm tarifação Caso o consumidor não responda à
proibida pelo BACEN; comunicação nem atenda às solicitações da
 Caso a Signatária ofereça um conjunto pré- Signatária, a conta poderá ser encerrada
determinado de produtos e serviços (uma
cesta de serviços), deverá informar a sua CRÉDITO (Normativo 001/08)
composição e tarifa. A tarifa de uma cesta  No ato da contratação, a Signatária
de serviços será inferior à somatória das informará não apenas o custo efetivo total
tarifas individuas de seus produtos e da operação (CET), incluindo tarifas,
serviços. despesas taxas de juros, valor do IOF e
demais tributos eventualmente incidentes,
CONTRATAÇÃO (Normativo 001/08) mas também prazos, número de
 No ato da contratação efetivada na agência, prestações, comissões, encargos
na internet ou no caixa eletrônico, a moratórios, multas e forma de liquidação;

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
24
Curso Preparatório
FEBRABAN

 Caso o cliente contrate empréstimo da 1.7. SIGILO DAS INFORMAÇÕES


modalidade cheque especial, a Signatária BANCÁRIAS (Lei Complementar nº
informará que essa modalidade é destinada
105/01)
para uso eventual. A Signatária estimulará a
escolha de outros produtos aplicáveis, que
A Lei
porventura tenham taxa de juros menores;
Complementar 105/01
 O limite de crédito do cheque especial
rege a respeito do sigilo
poderá variar de acordo com vários fatores, que as instituições do
dentre os quais o histórico de crédito, e será SFN devem manter
pautado no princípio da concessão perante seus clientes.
responsável de crédito. Alterações de Qualquer informação interna de instituições
limites serão informadas ao consumidor.
Financeiras só poderá ser utilizada no âmbito das
Em caso de impontualidade no pagamento
operações que realizar com seus Clientes.
das dívidas do consumidor para com a
Signatária, ou em caso de impontualidade
do consumidor constatada pelos serviços de Se Ligue Nessa!
proteção ao crédito, a Signatária poderá
reduzir, cancelar ou bloquear o limite de A quebra de sigilo, fora das
crédito rotativo, mediante imediata
comunicação ao consumidor. hipóteses autorizadas nesta Lei
 As solicitações de crédito serão analisadas
Complementar, constitui crime e
de acordo com a política da Signatária,
podendo ser considerados para essa análise sujeita os responsáveis à pena de
o histórico e o perfil de crédito do
consumidor, as condições da operação e as reclusão, de um a quatro anos, e
garantias apresentadas. No caso de multa, aplicando-se, no que couber, o
negativa de crédito, o consumidor será
informado se esta se fundamenta em Código Penal, sem prejuízo de outras
critérios de crédito da Signatária, em
restrições cadastrais junto aos serviços de sanções cabíveis.
proteção ao crédito ou em inscrição no
Cadastro de Emitentes de Cheques sem Exceções para “quebra” de sigilo:
Fundos do BACEN (CCF);  por determinação judicial;
 No caso do consumidor atrasar pagamentos  para troca de informações entre
devidos à Signatária, esta manterá um instituições financeiras, para fins cadastrais,
tratamento ágil, digno e respeitoso. A inclusive por intermédio de centrais de
Signatária contatará o consumidor para risco,
discutir o assunto e oferecer as informações  no fornecimento de informações
necessárias para a retomada dos constantes de cadastro de emitentes de
pagamentos ou renegociação da dívida. cheques (CCF) sem provisão de fundos e de
devedores inadimplentes,
 para comunicação, às autoridades
competentes, da prática de ilícitos penais
ou administrativos, abrangendo
o fornecimento de informações sobre

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
25
Curso Preparatório
FEBRABAN

operações que envolvam recursos a administração central; licenciamento eletrônico


provenientes de qualquer prática criminosa de veículos; transferência de veículos;
(ex. Suspeita de Sonegação e/ou Lavagem • Acesso, movimentação, atendimento e
de Dinheiro); consulta a contas em geral, por qualquer meio
 com o consentimento expresso dos ou processo, inclusive por telefone, fac-símile,
interessados proprietários das contas. internet e telex, acesso a terminais de
atendimento, inclusive vinte e quatro horas;
acesso a outro banco e a rede compartilhada;
1.8. ISS - IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS • Fornecimento de saldo, extrato e demais
DE QUALQUER NATUREZA (Lei informações relativas a contas em geral, por
116/03) qualquer meio ou processo.
• Emissão e alteração, cessão, substituição,
Disciplina a aplicação do ISS (nível cancelamento e registro de contrato de crédito;
municipal) sobre serviços prestados nas estudo, análise e avaliação de operações de
atividades das Instituições Financeiras. Por outro crédito; emissão, concessão, alteração ou
lado deixou claro que não incide ISS sobre o valor contratação de aval, fiança, anuência e
intermediado no mercado de títulos e valores congêneres; serviços relativos a abertura de
mobiliários, o valor dos depósitos bancários, o crédito, para quaisquer fins.
principal, juros e acréscimos moratórios relativos • Arrendamento mercantil (leasing) de
a operações de crédito realizadas por instituições quaisquer bens, inclusive cessão de direitos e
financeiras. obrigações, substituição de garantia, alteração,
Ocorre ISS em seguintes operações das cancelamento e registro de contrato, e demais
IF’s: serviços relacionados ao arrendamento
mercantil (leasing).
• Administração de fundos quaisquer, de • Serviços relacionados a cobranças,
consórcio, de cartão de crédito ou débito e recebimentos ou pagamentos em geral, de títulos
congêneres, de carteira de clientes, de cheques quaisquer, de contas ou carnês, de câmbio, de
pré-datados e congêneres. tributos e por conta de terceiros, inclusive os
• Abertura de contas em geral, inclusive conta efetuados por meio eletrônico, automático ou
corrente, conta de investimentos e aplicação e por máquinas de atendimento; fornecimento de
caderneta de poupança, no País e no exterior, posição de cobrança, recebimento ou
bem como a manutenção das referidas contas pagamento; emissão de carnês, fichas de
ativas e inativas. compensação, impressos e documentos em
• Fornecimento ou emissão de atestados em geral.
geral, inclusive atestado de idoneidade, atestado • Devolução de títulos, protesto de títulos,
de capacidade financeira e congêneres. sustação de protesto, manutenção de títulos,
• Cadastro, elaboração de ficha cadastral, reapresentação de títulos, e demais serviços a
renovação cadastral e congêneres, inclusão ou eles relacionados.
exclusão no Cadastro de Emitentes de Cheques • Custódia em geral, inclusive de títulos e valores
sem Fundos – CCF ou em quaisquer outros mobiliários.
bancos cadastrais. • Serviços relacionados a operações de câmbio
• Emissão e fornecimento de avisos, em geral, edição, alteração, prorrogação,
comprovantes e documentos em geral; abono de cancelamento e baixa de contrato de câmbio;
firmas; coleta e entrega de documentos, bens e emissão de registro de exportação ou de crédito;
valores; comunicação com outra agência ou com cobrança ou depósito no exterior; emissão,

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
26
Curso Preparatório
FEBRABAN

fornecimento e cancelamento de cheques de Texto extraído: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5172.htm


viagem; fornecimento, transferência, Art. 63. O imposto, de competência da União,
sobre operações de crédito, câmbio e seguro, e sobre
cancelamento e demais serviços relativos a carta operações relativas a títulos e valores mobiliários tem
de crédito de importação, exportação e como fato gerador:
garantias recebidas; envio e recebimento de
I - quanto às operações de crédito, a sua
mensagens em geral relacionadas a operações efetivação pela entrega total ou parcial do montante ou
de câmbio. do valor que constitua o objeto da obrigação, ou sua
• Fornecimento, emissão, renovação e colocação à disposição do interessado;
manutenção de cartão magnético, cartão de II - quanto às operações de câmbio, a sua
efetivação pela entrega de moeda nacional ou
crédito, cartão de débito, cartão salário e estrangeira, ou de documento que a represente, ou sua
congêneres. colocação à disposição do interessado em montante
• Compensação de cheques e títulos quaisquer; equivalente à moeda estrangeira ou nacional entregue
serviços relacionados a depósito, inclusive ou posta à disposição por este;
III - quanto às operações de seguro, a sua
depósito identificado, a saque de contas efetivação pela emissão da apólice ou do documento
quaisquer, por qualquer meio ou processo, equivalente, ou recebimento do prêmio, na forma da lei
inclusive em terminais eletrônicos e de aplicável;
IV - quanto às operações relativas a títulos e
atendimento. valores mobiliários, a emissão, transmissão, pagamento
• Emissão, liquidação, alteração, cancelamento e ou resgate destes, na forma da lei aplicável.
baixa de ordens de pagamento, ordens de Parágrafo único. A incidência definida no inciso I
crédito e similares, por qualquer meio ou exclui a definida no inciso IV, e reciprocamente, quanto
à emissão, ao pagamento ou resgate do título
processo; serviços relacionados à transferência eepresentativo de uma mesma operação de crédito.
de valores, dados, fundos, pagamentos e
similares, inclusive entre contas em geral. Art. 64. A base de cálculo do imposto é:
• Emissão, fornecimento, devolução, sustação, I - quanto às operações de crédito, o montante
cancelamento e oposição de cheques quaisquer, da obrigação, compreendendo o principal e os juros;
avulso ou por talão. II - quanto às operações de câmbio, o respectivo
montante em moeda nacional, recebido, entregue ou
• Serviços relacionados a crédito imobiliário, posto à disposição;
avaliação e vistoria de imóvel ou obra, análise III - quanto às operações de seguro, o montante
técnica e jurídica, emissão, alteração, do prêmio;
IV - quanto às operações relativas a títulos e
transferência e renegociação de contrato, valores mobiliários:
emissão do termo de quitação e demais serviços a) na emissão, o valor nominal mais o ágio, se
relacionados a crédito imobiliário. houver;
b) na transmissão, o preço ou o valor nominal,
ou o valor da cotação em Bolsa, como determinar a lei;
c) no pagamento ou resgate, o preço.
1.9. IOF - IMPOSTO SOBRE OPERAÇÕES
FINANCEIRAS Art. 65. O Poder Executivo pode, nas condições
e nos limites estabelecidos em lei, alterar as alíquotas
Imposto sobre Operações de Crédito,
ou as bases de cálculo do imposto, a fim de ajustá-lo
Câmbio e Seguros ou relativas a Títulos ou aos objetivos da política monetária.
Valores Mobiliários (art. 153, V e § 5º da CF e
Decreto 6339/08) Art. 66. Contribuinte do imposto é qualquer das
partes na operação tributada, como dispuser a lei.
O IOF é um tributo com função
predominantemente extrafiscal, Controla a Art. 67. A receita líquida do imposto destina-se a
política de crédito monetária. O IOF incide, formação de reservas monetárias, na forma da lei.
dentre outros, sobre operações de crédito
realizadas pelas Instituições Financeiras.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
27
Curso Preparatório
FEBRABAN

Texto extraído:
Se Ligue Nessa! https://www3.bcb.gov.br/normativo/detalharNor
mativo.do?N=099294427&method=detalharNorm
ALIQUOTAS IOF www.receita.fazenda.gov.br ativo
Art. 2º A classificação da operação no nível de
 Operações de crédito: máx. 1,5% sobre o risco correspondente é de responsabilidade da
instituição detentora do crédito e deve ser efetuada
valor do principal e juros. Por exemplo, um com base em critérios consistentes e verificáveis,
amparada por informações internas e externas,
financiamento de 12 x R$ 500,00, onde o contemplando, pelo menos, os seguintes aspectos:
I - em relação ao devedor e seus garantidores:
valor liberado será de R$ 5.000,00 ao a) situação econômico-financeira;
b) grau de endividamento;
correntista, terá um valor de 1,5% sobre c) capacidade de geração de resultados;
d) fluxo de caixa;
(500 x 12 ou R$ 6.000,00) no total de R$ e) administração e qualidade de controles;
f) pontualidade e atrasos nos pagamentos;
90,00. Reduzida vigente: 0,0041%. g) contingências;
h) setor de atividade econômica;
Adicional 0,38% i) limite de crédito
II - em relação à operação:
 Câmbio: máx. 25%. Compras em cartão de a) natureza e finalidade da transação;
crédito, débito, traveller cheques e cartões b) características das garantias, particularmente
quanto à suficiência e liquidez;
pré-pagos as alíquotas atuais estão em c) valor.

6,38%. Câmbio demais operações: 0,38% Se Ligue Nessa!


Art. 7º A operação classificada como de
1.10. CLASSIFICAÇÃO DAS
OPERAÇÕES DE CRÉDITO (Res. risco nível H deve ser transferida para conta
2682/99) de compensação, com o correspondente
As Instituições Financeiras deverão
apresentar seu balanço com a devida qualificação débito em provisão, após decorridos seis
da carteira de crédito segundo alguns princípios.
meses da sua classificação nesse nível de
Nisto, haverá conseqüentemente provisão
de fundos para cobrir riscos com o não risco, não sendo admitido o registro em
pagamento destas operações.
período inferior.

Se Ligue Nessa! Parágrafo único. A operação


classificada na forma do disposto no caput
deste artigo deve permanecer registrada em
conta de compensação pelo prazo mínimo
de cinco anos e enquanto não esgotados
todos os procedimentos para cobrança.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
28
Curso Preparatório
FEBRABAN

1.11. CRIMES DE LAVAGEM DE “§ 5o A pena poderá ser reduzida de um a


DINHEIRO (Leis 9613/98 e 12683/12 e dois terços e ser cumprida em regime aberto ou
semiaberto, facultando-se ao juiz deixar de aplicá-
Circular Bacen 3461/09)
la ou substituí-la, a qualquer tempo, por pena
Dos crimes precedentes
restritiva de direitos, se o AUTOR, COAUTOR OU
(Lei 9613/98) - antiga
PARTÍCIPE (funcionários das instituições
 Tráfico de drogas
financeiras e agentes certificados pela Anbima)
 Terrorismo e seu colaborar espontaneamente com as autoridades,
financiamento prestando esclarecimentos que conduzam à
 Contrabando e tráfico de apuração das infrações penais, à identificação
armas dos autores, coautores e partícipes, ou à
 Corrupção localização dos bens, direitos ou valores objeto
 Seqüestro do crime.”
 Crime contra o sistema
financeiro Sonegação Fiscal
 Praticado por organização Conforme a lei 9613/98, NÃO
criminosa (quadrilha) se caracteriza como crime
precedente. Cuidado!
(Lei 12683/12) - nova
“Art. 1º Ocultar ou dissimular a natureza, origem, Responsabilidade pelo processo de Lavagem
localização, disposição, movimentação ou Todos os envolvidos. Os agentes
propriedade de bens, direitos ou valores certificados e as instituições financeiras também.
provenientes, direta ou indiretamente, de Cuidado com algumas questões “sem ônus para
INFRAÇÃO PENAL.” as IFs”. Isto é falso.
***Prestem atenção. Dentre os crimes acima (lei
9613), furto ou assalto (apenas 1 delinqüente) não Fases (Ciclo da Lavagem)
estava qualificado como crime precedente. Se a 1º. Colocação – inserir dinheiro do crime /
prova estiver atualizada, a nova lei que rege a infração penal no sistema financeiro,
lavagem é a 12.683/12 deste ano, onde qualquer compra de bens negociáveis
crime que gere infração penal poderá ser (apartamentos, jóias, ouro, VALORES
considerado como precedente de lavagem de MOBILIÁRIOS, abertura de conta com
dinheiro. depósito de valores oriundos “dinheiro
sujo”)
Pena (leis 9613/98 e 12683/12) 2º. Ocultação ou Estratificação – efetuar
Pena de 3 a 10 anos E multa. (***cuidado, movimentações para numerosas contas
na prova colocam OU, e se marcar como correta que em sua soma total gerem
você poderá perder a questão). significativas quantias. A ocultação serve
Obs: Nova lei (A pena será aumentada de um a para distorcer o rastreamento. Diversos
dois terços, se os crimes definidos nesta Lei valores transacionados abaixo do limite
forem cometidos de forma reiterada ou por estabelecido (atualmente R$ 10.000,00)
intermédio de ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA.) que em sua habitualidade e soma total
configurem uma burla deste mesmo
Princípio da Boa Fé e Transparência no inquérito limite.
de Lavagem

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
29
Curso Preparatório
FEBRABAN

3º. Integração – a última fase onde se IF’S que não observarem as regras:
consegue “esquentar o dinheiro”, pois “...II - multa pecuniária variável não superior:
após a ocultação estes valores que a) ao dobro do valor da operação;
retornam podem ser utilizados para b) ao dobro do lucro real obtido ou que
declaração de IR parecendo dinheiro presumivelmente seria obtido pela realização da
“limpo”. operação; ou
c) ao valor de R$ 200.000,00 (duzentos mil – lei
Indícios 9683) ou R$ 20.000.000,00 (vinte milhões de
• Movimentação de recursos incompatível reais – lei 12683);
com o patrimônio/atividade do cliente; IV - cassação ou suspensão da autorização para o
• Resistência em facilitar informações; exercício de atividade, operação ou
• Numerosos depósitos em pequeno valor a funcionamento.
um mesmo cliente; § 2º A multa será aplicada sempre que as pessoas
• Câmbio sem causa plausível; referidas no art. 9o, por culpa ou dolo:
• Praças de fronteiras. II - não cumprirem o disposto nos incisos I a IV do
• Abertura de contas e movimentação por art. 10;
procurador não parente, de pessoas com III - deixarem de atender, no prazo estabelecido,
plena capacidade legal. a requisição formulada nos termos do inciso V do
art. 1;...
Prevenção pelo Princípio KYC – Conheça seu
Cliente (Distribuidores de Investimentos e Valores da Comunicação Anti–Lavagem
Agentes Certificados): a) Transações acima de R$ 10.000,00 (inclusive) e
Cada instituição é não suspeitas deverão ficar registradas
responsável dentro de um internamente na instituição financeira.
sistema próprio de controle b) Transações acima de R$ 10.000,00 (inclusive) e
antilavagem. Operações suspeitas deverão ficar registradas
suspeitas acima do limite internamente, assim como enviadas ao
estabelecido deverão ser conhecimento do SISCOAF / SISBACEN
reportadas ao SISCOAF. c) Transações acima de R$ 100.000,00 (inclusive)
O Cadastro dos clientes sempre deverá independentemente de aparente idoneidade ou
estar atualizado. Este mesmo cadastro e as suspeita, deverão ser comunicadas ao
transações dos clientes deverão estar SISCOAF/SISBACEN
armazenadas até 5 ANOS após o encerramento
da conta e/ou última movimentação ocorrida. Case de Lavagem
 Deverão comunicar ao COAF (Conselho de “Um caso típico ocorreu em Santa Catarina, envolvendo
um traficante de drogas de Caxias do Sul, preso pela Polícia
Controle de Atividades Financeiras – órgão
Federal. Ele disfarçava o lucro com uma boate, contratando
subordinado também ao Ministério da duplas sertanejas famosas a preços altíssimos. Perdia
Fazenda) as suspeitas, ABSTENDO-SE DE dinheiro, já que a cidade é pequena e com pouco público,
DAR CIÊNCIA DE TAL ATO A QUALQUER mas a prestação de contas da bilheteria era alterada, de
PESSOA, inclusive àquela à qual se refira a forma a parecer espetáculo com casa cheia a qualquer
pessoa que quisesse investigar. O show com público
informação, no prazo de 24 (vinte e
restrito era apenas uma maneira de justificar seus ganhos
quatro) horas, a proposta ou realização.
ilegais.” Fonte:
Ou seja, CUIDADO! NUNCA DEVEREMOS
http://blogdainseguranca.blogspot.com/2010/06/
INFORMAR O CLIENTE QUE ELE ESTÁ
mafia-casos-de-lavagem-de-dinheiro.html
SENDO ALVO DE INVESTIGAÇÃO!

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
30
Curso Preparatório
FEBRABAN

1.12. Controle de Lavagem (BACEN II - das operações que, por sua habitualidade, valor
ou forma, configurem artifício que objetive burlar os
Circular 3461/09) mecanismos de identificação, controle e registro.

Texto extraído:
https://www3.bcb.gov.br/normativo/detalharNor
Se Ligue Nessa!
mativo.do?N=109061238&method=detalharNorm
ativo  Todo e qualquer valor transacionado a partir

Manutenção Cadastro de R$1.000,00 emitido por cheques


quaisquer, ordens de pagamentos, DOC e
Art. 2º As instituições mencionadas no art. 1º devem
coletar e manter atualizadas as informações cadastrais TED deverão ser registrados internamente na
de seus clientes permanentes, incluindo, no mínimo:
IF.
I - as mesmas informações cadastrais solicitadas
de depositantes previstas no art. 1º da Resolução nº  Dados tais como: Nome, CPF ou CNPJ, Banco,
2.025, de 24 de novembro de 1993, com a redação
dada pela Resolução nº 2.747, de 28 de junho de 2000;
Agência, nº da conta, data e tipo de operação
II - os valores de renda mensal e patrimônio, no
e código de compensação (praças), deverão
caso de pessoas naturais, e de faturamento médio
mensal dos doze meses anteriores, no caso de pessoas ser mantidos tanto da IF sacada quanto da IF
jurídicas;
III - declaração firmada sobre os propósitos e a depositária dos recursos.
natureza da relação de negócio com a instituição.
 Para cheques sacados e simultaneamente
Movimentação de Recursos
§ 2º As informações cadastrais relativas a
depositados na própria instituição, deverá
cliente pessoa jurídica devem abranger as pessoas
ser mantido em registro dados da agência
naturais autorizadas a representá-la, bem como a
cadeia de participação societária, até alcançar a pessoa sacadora, da agência depositária e da conta
natural caracterizada como beneficiário final.
§ 5º As instituições mencionadas no art. 1º devem favorecida.
realizar testes de verificação, com periodicidade máxima
de um ano, que assegurem a adequação dos dados  Para ordem de pagamento:
cadastrais de seus clientes.
Art. 6º As instituições de que trata o art. 1º devem
manter registros de todos os serviços financeiros a) destinada a crédito em conta: os números da
prestados e de todas as operações financeiras agência destinatária e da conta de depósitos
realizadas com os clientes ou em seu nome. depositária; b) destinada a pagamento em espécie: os
§ 1º No caso de movimentação de recursos por números da agência destinatária e de inscrição do
clientes permanentes, os registros devem conter beneficiário no CPF ou no CNPJ.
informações consolidadas que permitam verificar:
I - a compatibilidade entre a movimentação de
recursos e a atividade econômica e capacidade
 Para operações que envolvam ordens
financeira do cliente;
emitidas por estrangeiros pessoa física não
II - a origem dos recursos movimentados;
III - os beneficiários finais das movimentações. residentes (que não possuem CPF) poderá ser
§ 2º O sistema de registro deve permitir a
identificação: utilizado o número do passaporte destes
I - das operações que, realizadas com uma
mesma pessoa, conglomerado financeiro ou grupo, em sacados.
um mesmo mês calendário, superem, por instituição ou
entidade, em seu conjunto, o valor de R$10.000,00 (dez
mil reais)

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
31
Curso Preparatório
FEBRABAN

Registros de Cartões Pré-Pagos Registros de Movimentação Superior a R$ 100


Define-se cartão pré-pago como o cartão Mil em Espécie
apto a receber carga ou recarga de valores em
moeda nacional ou estrangeira, oriundos de
pagamento em espécie, de operação cambial ou Se Ligue Nessa!
de transferência a débito de contas de depósito.
§ 1º O sistema de registro deve permitir a
identificação da:  Devem ser identificados: Depósitos,
I - emissão ou recarga de valores em um ou mais
Provisionamentos, Saques ou Saques de
cartões pré-pagos, em montante acumulado igual ou
superior a R$100.000,00 (cem mil reais) ou o Cartões Pré-Pagos em espécie, Cheques
equivalente em moeda estrangeira, no mês calendário;
II - emissão ou recarga de valores em cartão pré- Administrativos e TEDs de valor igual ou
pago que apresente indícios de ocultação ou
dissimulação da natureza, da origem, da localização, da superior a 100.000,00, apresentando ou não
disposição, da movimentação ou da propriedade de
bens, direitos e valores. indícios de lavagem.
§ 3º Os registros das ocorrências de que tratam os
incisos I e II acima devem conter as seguintes  Todos os dados da operação: (CPF / CNPJ /
informações:
I - o nome ou razão social e o respectivo número Proprietário / Beneficiário / Nº da Agência / Nº
de inscrição no CPF ou no CNPJ da pessoa natural ou
jurídica responsável pela emissão ou recarga de valores do Banco / Nº da Conta Corrente / Data / Valor
em cartão pré-pago, no caso de emissão ou recarga
efetuada por residente ou domiciliado no País; da Transação) deverão ser registrados
II - o nome, o número do passaporte e o
respectivo país emissor, no caso de emissão ou recarga  Especial atenção aos Fundamentos
de valores em cartão pré-pago efetuada por pessoa
natural não residente no País ou domiciliada no exterior; Econômicos que Justifiquem tais
III - o nome e o respectivo número de inscrição no
CPF da pessoa natural a quem se destina o cartão pré-
transferências
pago;  Monitoramento reforçado, mediante a
IV - a identificação das instituições, das agências e
das contas de depósito ou de poupança debitadas, os adoção de procedimentos mais rigorosos
nomes dos titulares das contas e respectivos números
de inscrição no CPF, no caso de emissão ou recarga de para a apuração de situações suspeitas;
valores em cartão pré-pago oriundos de transferências a
débito de contas de depósito ou de poupança tituladas  Envio de todas as transferências para a
por pessoas naturais;
V - a identificação das instituições, das agências e ciência do COAF
das contas de depósito ou de poupança debitadas, os
nomes dos titulares das contas e respectivos números  Avaliação da alta gerência quanto ao
de inscrição no CNPJ, bem como os nomes das
pessoas naturais autorizadas a movimentá-las e interesse no início ou manutenção do
respectivos números de inscrição no CPF, no caso de
emissão ou recarga de valores em cartão pré-pago relacionamento com o cliente. Considera-se
oriundos de transferências a débito de contas de
depósito ou de poupança tituladas por pessoas alta gerência qualquer detentor de cargo ou
jurídicas;
VI - a data e o valor de cada emissão ou recarga de função de nível hierárquico superior ao
valores em cartão pré-pago;
VII - o propósito da emissão do cartão pré-pago; VIII - o
daquele ordinariamente responsável pela
nome e o respectivo número de inscrição no CPF das
autorização do relacionamento com o
pessoas naturais que representem as pessoas jurídicas
responsáveis pela emissão ou recarga de valores em cliente.
cartão pré-pago.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
a) destinada a crédito em conta: os números 32
da
agência destinatária e da conta de depósitos
Curso Preparatório
FEBRABAN

Prazo de Manutenção Interna das Informações GAFI - Grupo de Ação Financeira no


 10 (dez) anos, para todas as informações e Branqueamento de Capitais
registros de transferências de recursos. Formada em 1989 pelo G-7, o Financial
 5 (cinco) anos, para as informações e Action Task Force on Money Branqueamento de
registros de transações com seus próprios Capitais (GAFI) é um organismo
clientes intergovernamental cujo objetivo é desenvolver e
promover uma resposta internacional para
As informações devem ser mantidas com combater lavagem de dinheiro. Em outubro de
o nome da pessoa responsável pela atualização 2001, o GAFI expandiu sua missão para incluir o
cadastral, o nome do gerente responsável pela combate ao financiamento do terrorismo. O GAFI
conferência e confirmação das informações é um organismo de decisão política, que reúne
prestadas e a data de início do relacionamento peritos jurídicos, financeiras e policiais para
com o cliente permanente. conseguir a legislação nacional e AML
regulamentares e reformas CFT. É formada por 31
Procedimentos Internos de Controle países e territórios e duas organizações regionais.
As instituições financeiras devem indicar Além disso, o GAFI trabalha em colaboração com
ao BACEN DIRETOR RESPONSÁVEL pela vários organismos e organizações internacionais.
implementação e cumprimento das medidas Estas entidades têm estatuto de observador
estabelecidas nesta circular, bem como pelas junto do GAFI, que não dão direito a voto, no
devidas comunicações. entanto permite a plena participação em sessões
Admite-se que o diretor indicado plenárias e grupos de trabalho.
desempenhe outras funções na instituição,
exceto a relativa à administração de recursos de
terceiros (Chinese Wall). 1.13. MATEMÁTICA FINANCEIRA
O BACEN divulgará:
I - os procedimentos para efetuar as Você conhece alguém que empresta
comunicações de transações com valores acima dinheiro de graça? Ou alguém que não exija nada
de R$ 100 mil; em troca em um investimento?
II - operações e situações que podem configurar Na verdade, a gente sabe que isto não
indício de ocorrência dos crimes previstos na Lei existe. Desta maneira, a melhor conceituação de
nº 9.613, de 1998; juros seria: O preço do dinheiro!
III - situações exemplificativas de relacionamento Exatamente isso, o dinheiro tem um
suspeito. preço. Já ouvimos as expressões tais como
(Dinheiro não aceita desaforos; Avô rico, Pai
Se Ligue Nessa! Nobre, Neto Pobre; etc). Estas são algumas
frases que denotam algumas informações a
respeito de investimentos e empréstimos, tais
 Todos os CORRESPONDENTES estão sujeitos
como:
às mesmas regras ao prestar serviços para as  Investimentos devem ser seguros e
rentáveis
Instituições Financeiras, na qualidade de
 Empréstimos devem sem baratos,
responsáveis pelos procedimentos internos, suas parcelas caberem em nosso
bolso e quanto antes os quitarmos,
nunca informando possíveis suspeitas aos
melhor.
clientes nas operações indicadas.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
33
Curso Preparatório
FEBRABAN

1.13.1 Itens necessários para o cálculo juros. A forma de cálculo deste item é
financeiro capitalizando os juros sobre o principal.
Existem algumas definições muito
importantes para que seja possível a realização
dos cálculos financeiros. Sem estes itens não
1.13.2 Capitalização
conseguiríamos medir o efeito da variação do A sucessiva incorporação dos juros ao
dinheiro em um determinado período de tempo. principal ao longo dos períodos financeiros
denomina-se capitalização. Existem 2 principais
Capital ou Principal (PV): valor expresso formas ou regimes de capitalização:
na forma de moeda. Trata-se da quantia Regime de Capitalização Simples (Juros
monetária a ser investida; ou correspondente ao sobre Capital): quando os rendimentos são
valor presente de determinada quantia devidos única e exclusivamente sobre o principal,
estabelecida dentro de um prazo estabelecido. A ao longo dos períodos financeiros a que se refere
forma de cálculo deste item é descapitalizar os à taxa de juros.
juros do valor do montante.
Veja o exemplo abaixo:
Prazo (n): número definido de períodos Suponhamos que um indivíduo tenha
em que o dinheiro estará sofrendo a ação e os feito, hoje, uma aplicação no valor de R$ 100,00,
efeitos dos juros. em um banco que remunera suas aplicações a
juros simples, à razão de 20% ao ano. Qual será
Juro (i): preço pago pelo dinheiro. seu saldo credor no final de cada um dos
Lembre-se: sempre devemos calcular os juros e o próximos cinco anos?
prazo na mesma unidade de tempo a fim de
Prazo (anos) Saldo Inicial Juros Saldo Final
evitar quaisquer distorções nos cálculos. É 1 R$ 100,00 (20% ou 0,2) x R$ 100,00 = 20,00 R$ 120,00
representado através de uma taxa (%) sobre o 2 R$ 120,00 (20% ou 0,2) x R$ 100,00 = 20,00 R$ 140,00
valor base. Por exemplo, se comprarmos à prazo 3 R$ 140,00 (20% ou 0,2) x R$ 100,00 = 20,00 R$ 160,00
4 R$ 160,00 (20% ou 0,2) x R$ 100,00 = 20,00 R$ 180,00
uma Geladeira por 3 x R$ 500,00 (R$ 1.500,00) ou 5 R$ 180,00 (20% ou 0,2) x R$ 100,00 = 20,00 R$ 200,00
à vista R$ 1.200,00. Estaremos pagando de juros:
R$ 1500 – R$ 1200 = 300 (valor dos juros)
300/1200 = 0,25 ou 25% (taxa de juros Regime de Capitalização Composta (Juros
sobre o valor inicial) sobre Juros): quando ao fim de cada período de
tempo, a que se refere a taxa de juros, os
PMT (Séries Uniformes ou Rendas rendimentos são incorporados ao capital anterior
Certas): Trata-se de uma série de pagamentos ou e passam, por sua vez, a render juros no período
recebimentos que podem caracterizar parcelas seguinte.
de um empréstimo realizado ou investimento
programado sob a forma de desembolso, ou
parcelas de recebimento de um valor
anteriormente desembolsado, como por
exemplo aluguéis.

Montante (FV): valor expresso na forma


de moeda. Trata-se do resultado final (valor 1.13.3 Juros Simples
futuro, valor nominal ou valor de face) da quantia Capitalização Simples: forma pela qual se
monetária principal que sofreu os efeitos dos calcula um resultado financeiro, onde os juros

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
34
Curso Preparatório
FEBRABAN

resultantes no final de cada período têm sempre Inicial e passam a render juros no período
como base de cálculo o capital inicial (valor seguinte. Esta soma integra a nova base de
presente) de maneira linear. cálculo para o período subseqüente n+1 e assim
sucessivamente, de forma exponencial.

 Juros (Pêvin): J = PV x i x n
 Montante (Capital “PV” mais
Juros): FV = PV + J ou FV = PV (1 + i x n) FV: Montante Futuro
PV: Capital Inicial
i: taxa de juros
(Ex. HP 12C): Qual é o juro gerado pelo capital de n: período de capitalização
R$ 1.000,00 aplicados a 2% ao mês durante 1 ano?
A expressão acima mostra que, no regime
Resposta: J = PV x i x n de capitalização composta, o Montante cresce de
forma exponencial ao longo do tempo. Para
J=? simplificar a avaliação numérica, o termo (1 + i)n
PV (capital) = 1.000 será denominado FATOR DE ATUALIZAÇÃO DE
i = 2% ao mês, porém queremos a forma decimal. CAPITAL.

Fórmulas da Capitalização Composta


 Juros: J = FV - PV
 Montante (Capitalização): FV = PV (1 + i)n
Pressione (2 / / 100 / ) visor: 0,02
n = 1 ano. Para fins de cálculos sempre deveremos
(Ex. HP 12C): Um correntista recebeu R$ 5.000,00
transformar o prazo conforme a taxa. Neste caso,
por 3 meses, à taxa de 2% ao mês, no regime de
1 ano possui 12 meses.
juros compostos. Calcular o montante a pagar ao
fim desse prazo.
J = 1.000,00 x 0,02 x 12 Resposta: FV = PV (1 + i)n
FV (montante) = ?
PV (capital) = R$ 5.000,00
Limpe a calculadora ( / )

i = 2% ao mês. Pressione (2 / / 100 / )


VISOR: 0,02
Pressione (1000 / /0/ / 02 / / 12 / n = 3 meses

FV = 5000 (1 + 0,02)3
) VISOR: 240,00 (R$ 240,00)

Limpe a calculadora ( / )

1.13.4 Juros Compostos


Capitalização Composta: forma de cálculo Pressione (5000 / /1/ /0/ / 02 / /3/
na qual os juros obtidos ao final de cada período
“n” de capitalização se adicionam ao Capital / )
VISOR: 5.306,04 (R$)

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
35
Curso Preparatório
FEBRABAN

Utilizando módulo financeiro: Taxa Nominal


Fornecida no dia-dia nos bancos e no
Botões Tela HP Processo comércio em geral. Também pode ser
denominada de “aparente”. É descapitalizada em
Utilizados Interno HP
empréstimos sob o regime de juros simples, e
0,00 Limpar o recapitalizada conforme o prazo de contratação.
( / ) registro
5.000,00 Registrar o
(5000 / )
5,00
valor do Capital
Registrar a taxa
Se Ligue Nessa!
(2 / ) de juros
PROPORCIONAL x EQUIVALENTE:
3,00 Registrar o
(3 / ) prazo
Descapitalizando a Taxa Anual de 100%
-5.306,04 Calcula o a) Taxa mensal proporcional: 100% /
montante a 12 = 8,33%
pagar

1.13.5 Juros Pós, Pré-Fixados e de Mora b) Taxa mensal equivalente: im = [(1 +


100/100)1/12 – 1] x 100 = 5,94%
 Juros pré-fixados são juros determinados
e negociados no fechamento da operação. As
Capitalizando a Taxa Mensal de 10%
duas partes sabem exatamente qual será o Valor
a) Taxa anual proporcional: 10% x 12 =
Futuro, ou Montante, desta operação.
120%
 Juros pós-fixados não apresentam
definição de Valor Futuro. Dependem de um
b) Taxa anual equivalente: ia = [(1 +
determinado indicador econômico, que poderá
10/100)12 – 1] x 100 = 213,84%
ser uma variação da taxa básica de juros (Selic)
ou de Inflação. Haverá em contrato a definição
Por exemplo, um empréstimo de 12%
deste determinado Benchmark (referência) que
será contabilizado sob o valor inicial (capital) ao ano (Taxa Nominal) é calculado a uma
desta operação.
taxa mensal de 1% ao mês (descapitalização
 Juro de mora é estipulado no contrato e
demonstra o valor que será aplicado ao saldo proporcional) e capitalizada no valor do
devedor caso o devedor se tornar inadimplente,
empréstimo a juros compostos (taxa
ou seja, deixar de pagar na data do vencimento.
equivalente) gerando uma Taxa de Juro

1.13.6 Taxas Efetiva de 12,68% ano.


Taxas proporcionais
São calculadas com Taxa Efetiva
base no método de juros Trata-se da taxa realmente paga ou
simples. recebida no mercado financeiro. Em empréstimos
Taxas Equivalentes a taxa aparente (Menor) não é igual à efetiva
São calculadas com (Maior).
base no método de juros
compostos.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
36
Curso Preparatório
FEBRABAN

1.13.7 Custo Efetivo Total Registrar o valor


CET demonstra a taxa efetiva em função (-916,80 / da parcela (sinal
do valor líquido liberado ao devedor. Este cálculo -916,80
negativo =
utiliza a taxa nominal do empréstimo, incluídos as desembolso
/ )
tarifas e os impostos. Supondo um empréstimo
Registrar o
de R$ 10.000,00 em 12 X e que a soma de todas as 12,00
(12 / ) prazo
tarifas e tributos seja R$ 200,00. O valor líquido a
ser liberado é de R$ 9.800,00. Supondo a taxa Registra o valor
nominal de 1,5% ao mês, a taxa efetiva será 9.800,00 líquido do
(9800 / ) financiamento
calculada:
Calcula a TAXA
1,83
1º) Calcular o valor da Parcela: EFETIVA - CET
Botões Processo
Tela HP
Utilizados Interno HP 1.13.8 Liquidação Antecipada de Contratos
Em caso de quitação antecipada em
Limpar o contratos com parcelas pré-fixadas, o valor que o
0,000
( / ) registro Cliente terá que pagar para liquidar o contrato
Registrar o será com base do cálculo do valor presente.
10.000,00 valor bruto do A HP 12C calcula diretamente o saldo
(10000 / )
financiamento devedor de um financiamento no meio do
Registrar a contrato.
(1,50 / ) 1,50
TAXA NOMINAL Por exemplo, determinado correntista
Registrar o pagou ao banco 20/48 parcelas de um contrato
20,00
(12 / ) prazo de financiamento de veículo. Pode-se achar valor
Calcula o valor de quitação deste contrato naquele momento.
de cada parcela Ex. Valor Financiado: 30.000,00 / n: 48
-916,80 (sinal negativo meses / i: 1,4% (mês) / Valor do Saldo devedor
representa após 20 parcelas.
desembolso)
Botões Processo Interno
Tela HP
2º - Calcular o custo efetivo total com base no Utilizados HP
valor liberado. Teremos agora que utilizar a
parcela (PMT) de R$ 916,80. Para encontramos o 0,00 Limpar o registro
( / )
CET teremos que utilizar o valor recebido de R$
R$ 9.800,00. O CET na HP 12C será calculado da
seguinte forma: (30000 / / Registrar o valor
-30.000,00
do capital

Botões Processo )
Tela HP Registrar a taxa
Utilizados Interno HP 1,40
(1.4 / ) de juros
Limpar o 48,00 Registrar o prazo
0,00 (48 / )
( / ) registro
Calcula o valor da
862,55
parcela

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
37
Curso Preparatório
FEBRABAN

Amortização do Saldo
Apresenta o total n Juros - 4%
Saldo devedor
Pagamento
Devedor
(20 / / pago de juros no 0 0 0 0 10.000,00
7,117,77
período (20 1 400,00 1.000,00 1.400,00 9.000,00
) pagamentos) 2 360,00 2.000,00 2.360,00 7.000,00
3 280,00 3.000,00 3.280,00 4.000,00
Apresenta o total 4 160,00 4.000,00 4.160,00 0,00
do valor Totais 1.200,00 10.000,00 11.200,00
10.133,22 amortizado do
( ) contrato (20 Sistema Americano
pagamentos) Muito parecido com um leasing, no
Apresenta o sistema americano o devedor obriga-se a pagar
saldo devedor
-19.866,77 periodicamente apenas os juros do capital
( / ) líquido restante
(28 pagamentos) emprestado e a restituí-lo, integralmente, no final
do prazo estabelecido. Com a finalidade de evitar
o desembolso total e de forma abrupta no final
1.13.9 Sistemas de Amortização do prazo combinado, o devedor procura formar
mediante depósitos programados de parcelas
Sistema de Pagamento Único constantes, um fundo de amortização (sinking
Este é o sistema mais simples e é muito fund) com o qual, no fim do prazo, possa pagar a
utilizado para financiamentos industriais de dívida sem maiores problemas.
capital de giro. O tomador simplesmente paga os Exemplo: Uma pessoa toma emprestada a
juros e amortiza o principal no final do quantia de R$ 30.000,00 com a condição de pagar
empréstimo. mensalmente os juros à taxa simples de 2,5% a.m.,
Veja o Exemplo (Juros Compostos): e a restituí-la integralmente no final de 10 meses.
n Juros - 4%
Amortização do
Pagamento
Saldo O devedor pretende constituir um fundo de
Saldo devedor Devedor amortização com quotas mensais. Calcular o seu
0 0 0 0 10.000,00
1 400,00 0 0 10.400,00
dispêndio mensal e formar a planilha de
2 416,00 0 0 10.816,00 reembolso.
3 432,64 0 0 11.248,64
4 449,95 10.000,00 11.698,59 0,00 a) Cálculo dos juros mensais
Totais 1.698,59 10.000,00 11.698,59
j = 30.000,00 0,025 = 750,00

b) Planilha de cálculo do Sistema Americano


Sistema de Pagamentos Variáveis
O devedor paga periodicamente valores Juros - Amortização do Saldo Fundo
n Pagamento
2,5% Saldo devedor Devedor Amortizador
variáveis de acordo com a sua condição e de 0 0 0 0 30.000,00 3.000,00
acordo com a combinação realizada inicialmente, 1 75,00 0,00 750,00 30.000,00 3.000,00
2 75,00 0,00 750,00 30.000,00 3.000,00
sendo que os juros do Saldo devedor são pagos 3 75,00 0,00 750,00 30.000,00 3.000,00
sempre ao final de cada período. Utilizado em 4 75,00 0,00 750,00 30.000,00 3.000,00
5 75,00 0,00 750,00 30.000,00 3.000,00
Cartões de Crédito. 6 75,00 0,00 750,00 30.000,00 3.000,00
7 75,00 0,00 750,00 30.000,00 3.000,00
8 75,00 0,00 750,00 30.000,00 3.000,00
9 75,00 0,00 750,00 30.000,00 3.000,00
10 75,00 30.000,00 30.750,00 0,00 30.000,00
Totais 750,00 30.000,00 37.500,00

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
38
Curso Preparatório
FEBRABAN

Sistema Hamburguês (SAC) cada período vai se tornando cada vez menor e as
O sistema de amortizações constantes amortizações vão crescendo de modo que a
(SAC) o pagamento do capital ocorre em soma dessas parcelas permaneça constante ao
prestações linearmente decrescentes, sendo longo do tempo. Por exemplo, uma pessoa toma
cada uma delas igual à soma da amortização do emprestada a quantia de R$ 30.000,00 com a
principal com os juros do período. Os juros são condição de pagar mensalmente em 10 parcelas,
calculados sobre o saldo devedor total do com os juros à taxa de 2,5% a.m., através do
período anterior. A amortização é o quociente sistema Price. Calcular o seu dispêndio mensal e
entre a dívida inicial e o número de prestações. formar a planilha de reembolso.
No sistema SAC tanto o valor dos juros quanto o
das parcelas são uniformemente decrescentes ao a) Cálculo da parcela mensal (HP 12c):
longo do tempo. Usado especialmente em
financiamentos do Sistema Financeiro da Processo Interno
Botões Utilizados Tela HP
Habitação HP
Exemplo: Uma pessoa toma emprestada a
( / ) 0,00 Limpar o registro
quantia de R$ 30.000,00 com a condição de pagar
Registrar o valor do
mensalmente em 10 parcelas, com os juros à taxa (30000 / / )
-30.000,00
capital
de 2,5% a.m., através do sistema SAC. Calcular o Registrar a taxa de
seu dispêndio mensal e formar a planilha de (2,5 / ) 2,50
juros
reembolso. (10 / ) 10,00 Registrar o prazo
Calcula o valor da
3.427,76
a) Cálculo da amortização mensal: parcela
30.000,00 / 10 parcelas = 3.000,00
b) Cálculo da amortização e preparação da
b) Planilha de cálculo do Sistema SAC tabela (HP 12c):
“Hamburguês” Sem limpar os dados anteriores, siga a
Juros (2,5% sob saldo
n anterior) Amortização Pagamento Saldo Devedor
sequência:
0 0 0 0 30000
1 R$ 750,00 R$ 3.000,00 R$ 3.750,00 R$ 27.000,00
2 R$ 675,00 R$ 3.000,00 R$ 3.675,00 R$ 24.000,00
3 R$ 600,00 R$ 3.000,00 R$ 3.600,00 R$ 21.000,00
4 R$ 525,00 R$ 3.000,00 R$ 3.525,00 R$ 18.000,00
5 R$ 450,00 R$ 3.000,00 R$ 3.450,00 R$ 15.000,00
6 R$ 375,00 R$ 3.000,00 R$ 3.375,00 R$ 12.000,00
7 R$ 300,00 R$ 3.000,00 R$ 3.300,00 R$ 9.000,00
8 R$ 225,00 R$ 3.000,00 R$ 3.225,00 R$ 6.000,00
9 R$ 150,00 R$ 3.000,00 R$ 3.150,00 R$ 3.000,00
10 R$ 75,00 R$ 3.000,00 R$ 3.075,00 R$ 0,00
Totais R$ 4.125,00 R$ 30.000,00 R$ 34.125,00 R$ 0,00

Sistema Francês (Price)


O empréstimo é pago em prestações
periódicas iguais e postecipadas. Cada prestação
é constituída pela soma da amortização do
principal com os juros do período. A amortização
é obtida por diferença entre os valores da
prestação e os juros do período. Os juros
decrescem com o tempo. O principal no início de Sistema de Amortização Misto (SAM)

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
39
Curso Preparatório
FEBRABAN

Sistema Amortização Misto mensalmente em 10 parcelas, com os juros à taxa


A parcela mensal corresponde à média de 2,5% a.m., através do Sistema Alemão. Calcular
aritmética das parcelas do Sistema Price + o seu dispêndio mensal e formar a planilha de
Sistema SAC. Recentemente aplicadas para reembolso.
créditos imobiliários. Por exemplo, uma pessoa
toma emprestada a quantia de R$ 30.000,00 com c) Cálculo da parcela mensal:
a condição de pagar mensalmente em 10
parcelas, com os juros à taxa de 2,5% a.m., através
do Sistema Misto. Calcular o seu dispêndio  VP = 30.000,00
mensal e formar a planilha de reembolso.  i = 2,5% ou (0.025)
 n = 10
a) Cálculo da parcela mensal:  PMT = 3.353,15
Pmt SAM = (Pmt Price + Pmt SAC) ÷ 2
n SAC PRICE SAM d) Cálculo da amortização e confecção da
1 3750 3427,76 3588,88 tabela:
2 3675 3427,76 3551,38
3 3600 3427,76 3513,88
Amort 1 = {VP x i x (1 – i)n-1} / 1 – (1 – i)n
4 3525 3427,76 3476,38 Amort 1 = 2.669,90
5 3450 3427,76 3438,88
6 3375 3427,76 3401,38  Amort 2 = Amort 1 / (1 – i)
7 3300 3427,76 3363,88
 Amort 3 = Amort 2 / (1 – i)
8 3225 3427,76 3326,38
9 3150 3427,76 3288,88  Amort 4 = Amort 3 …..
10 3075 3427,76 3251,38
Totais 34125 34277,6 34201,3 n Juros (2,5%) Amortização Pagamento Saldo Devedor
0 R$ 750,00 R$ 0,00 R$ 750,00 R$ 30.000,00
b) Cálculo da amortização e confecção da 1 R$ 683,25 R$ 2.669,90 R$ 3.353,15 R$ 27.330,10

tabela: 2 R$ 614,79 R$ 2.738,36 R$ 3.353,15 R$ 24.591,74


3 R$ 555,00 R$ 2.808,57 R$ 3.353,15 R$ 21.783,17
4 R$ 490,00 R$ 2.880,59 R$ 3.353,15 R$ 18.902,58

n Juros (2,5%) Amortização Pagamento Saldo Devedor 5 R$ 425,00 R$ 2.954,45 R$ 3.353,15 R$ 15.948,13

0 R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 30.000,00 6 R$ 360,00 R$ 3.030,20 R$ 3.353,15 R$ 12.917,93

1 R$ 750,00 R$ 2.838,88 R$ 3.588,88 R$ 27.161,12 7 R$ 295,00 R$ 3.107,90 R$ 3.353,15 R$ 9.810,02

2 R$ 679,03 R$ 2.872,35 R$ 3.551,38 R$ 24.288,77 8 R$ 230,00 R$ 3.187,59 R$ 3.353,15 R$ 6.622,43

3 R$ 607,22 R$ 2.906,66 R$ 3.513,88 R$ 21.382,11 9 R$ 165,00 R$ 3.269,32 R$ 3.353,15 R$ 3.353,15

4 R$ 534,55 R$ 2.941,83 R$ 3.476,38 R$ 18.440,28 10 R$ 0,00 R$ 3.353,15 R$ 3.353,15 R$ 0,00

5 R$ 461,01 R$ 2.977,87 R$ 3.438,88 R$ 15.462,41 Totais R$ 4.568,05 R$ 30.000,05 R$ 34.281,50 R$ 0,00

6 R$ 386,56 R$ 3.014,82 R$ 3.401,38 R$ 12.447,59


7 R$ 311,19 R$ 3.052,69 R$ 3.363,88 R$ 9.394,90
8 R$ 234,87 R$ 3.091,51 R$ 3.326,38 R$ 6.303,39
Evite trabalho braçal! Use
9 R$ 157,58 R$ 3.131,30 R$ 3.288,88 R$ 3.172,08
10 R$ 79,30 R$ 3.172,08 R$ 3.251,38 R$ 0,00
a HP 12C...
Totais R$ 4.201,32 R$ 30.000,00 R$ 34.201,32 R$ 0,00
Todo profissional do
mercado financeiro
Sistema Alemão
deveria saber usá-la!
Neste sistema o tomador irá pagar
parcelas iguais e periódicas que incluem juros
antecipados + amortizações. Na data da liberação
do empréstimo, ele paga os juros do primeiro
período, calculados sobre o valor do empréstimo.
Por exemplo, uma pessoa toma emprestada a
quantia de R$ 30.000,00 com a condição de pagar

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
40
Curso Preparatório
FEBRABAN

1.14. CRÉDITO assumidos. Neste caso serão considerados os


itens endividamento e fluxo de caixa. O
1.14.1 Mercado de crédito endividamento demonstrará o
O Mercado de comprometimento da renda, e o fluxo de caixa
Crédito é a parte do (entradas e saídas em dinheiro do caixa) o valor
sistema financeiro disponível para compromissos imediatos. A
onde ocorre o seguir teremos uma lista de itens importantes a
processo de serem considerados na análise:
concessão e tomada • Idade da empresa;
de recursos. • Escolaridade do tomador;
O mercado de crédito envolve duas partes, uma • Experiência no seu ramo de atuação;
credora e outra devedora, que normalmente • Setor de atividade econômica da tomador;
estabelecem uma relação contratual entre si. Esta • Finalidade do recurso solicitado (produção ou
situação sugere que a credora forneça liquidez à bens desnecessários);
outra, mediante um prêmio de risco, ou custo • Potencial de pagamento
deste dinheiro, comumente intitulado de juros.
Segundo o novo dicionário do Aurélio, Capital: segundo Tsuru e Centa (2007)
crédito é definido como cessão de mercadoria, “Capital é o patrimônio econômico financeiro que
serviço ou importância em dinheiro, para dá suporte ao crédito solicitado por pessoas
pagamento futuro. Assim sendo, quando físicas e jurídicas”. Através do balaço patrimonial
dispomos a terceiro uma importância em dinheiro é possível analisar a rentabilidade e
mediante o compromisso, formal ou informal, de endividamento do patrimônio, foco desse item da
pagamento no futuro, estamos emprestando a análise.
crédito. Colateral: as garantias solicitadas a uma
O mercado de crédito serve de pessoa física estão no item ativo dentro do
alavancagem para a maioria das economias balanço patrimonial, podem ser imóveis,
desenvolvidas no Brasil e no Mundo. equipamentos, terrenos, prédios. Podem ser
Os principais agentes de concessão de representadas pelos avalistas também, que como
crédito são as instituições financeiras, embora já informamos antes podem ser os sócios da
existam vários outros agentes. empresa, ou outras empresas.
Condições: avaliar que momento o
tomador está vivendo: queda ou ascensão.
1.14.2 Crédito: os 5 c’s Melhor explicando, se uma empresa estiver com
queda nas vendas significa dificuldades de
Caráter: avaliar o passado financeiro do recebimentos em dinheiro para seu caixa
tomador, seu histórico anterior com o credor que futuramente, isto é, em curto prazo de tempo
vai fornecer crédito ou com outros credores. estará passando por dificuldades. Talvez este
Essas informações serão obtidas através do momento não seja adequado para conceder-lhe
cadastro e antecedentes que devem ser crédito. Em contrapartida, durante a ascensão,
apurados. Ao se tratar de iniciante em crédito, verifica-se o aumento nas vendas e é possível
devem ser considerados outros fatores, tais quais antever boa situação futura no caixa, desde que
idoneidade dos sócios como pessoas físicas. esses recebimentos não estejam
demasiadamente comprometidos com dívidas.
Capacidade: diz respeito aos meios
financeiros de honrar os compromissos

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
41
Curso Preparatório
FEBRABAN

1.14.3 Análise de Crédito conservadoras irão exigir maior pontuação que


outras instituições mais flexíveis na concessão.
O método do credit São analisados objetivamente:
score ou scoring é uma  Renda mensal/ anual de atividade regular.
forma de mensurar e Outras rendas eventuais e regulares.
ponderar cada  Aplicações
informação do cadastro - Por tipo e valor
e do patrimônio dos  Bens imóveis com e sem ônus
clientes. - Localização
Mostra o perfil calculado do bom e do mau - Avaliação de mercado
pagador, partindo do princípio que se trabalha  Tempo no emprego ou na atividade
com amostras de créditos concedidos e  Imóvel próprio ou alugado - Localização
recebidos e créditos concedidos e não recebidos.  Outros bens declarados no Imposto de
Primeiramente, o melhor seria possuirmos Renda
informações econômicas e financeiras de uma São analisados subjetivamente:
amostra como perfil de bons pagadores e de uma  Ramo de atividade que atua como
amostra como perfil de maus pagadores. Pode-se empregado e/ou profissional liberal
levantar os Clientes que liquidaram  Se profissional liberal: Principais Clientes e
anteriormente seus empréstimos e os Clientes tipo de relação - Valor dos contratos e
que se tornaram inadimplentes. Quanto maior o Tempo de relação com os Clientes
número de informações desta amostra, mais  Estado Civil e numero de Dependentes
confiável será o efeito.  Referências Bancárias
O score define uma escala, onde nos níveis  Referências Comerciais
mais elevados será apresentado pelos tomadores Para Análise de Empresas:
um menor risco de crédito - default – para a
 Informações do Balanço Patrimonial
instituição. Cada instituição possui seu próprio
 Ramo de Atividade
modelo de mensuração de crédito. Leva e conta
 Fatia de Mercado
variáveis como fluxo de movimentação em conta,
 Demonstração Resultados (3 exercícios)
cumprimento dos títulos em aberto no mercado,
nível de utilização de valores em outras  Fluxo de caixa e informações cadastrais.
instituições, pagamentos ou liquidações fora da O objetivo é definir o risco de crédito da empresa
data de vencimento, manutenção de saldo em analisada. Não existe nenhuma obrigação legal
conta. que exija a concessão de crédito a qualquer
cliente pessoa física, onde a aprovação, que
Política de Crédito utilizará os dados de análise previamente
A análise de crédito de uma Instituição fornecidos, dependerá única e exclusivamente
terá como parâmetro a pontuação própria do dos critérios comerciais adotados pela instituição
cliente. Vale ressaltar que a concessão de crédito financeira. Entende-se que na medida que se
não depende apenas desta pontuação, onde exigem maiores pontuações deste score para
existirá também a análise da dotação ou destino conceder o crédito, menos liberações de crédito
do dinheiro emprestado. ocorrerão na instituição. Outro aspecto relevante
Não existe um modelo pré-definido de é o histórico do cliente. Este histórico demonstra
classificação, sendo utilizados diversos sistemas o comportamento do cliente perante a instituição
próprios de análise. Porém, instituições mais desde o inicio de seu relacionamento comercial.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
42
Curso Preparatório
FEBRABAN

Behaviour Score Os impactos do risco operacional de um


Mostra o comportamento do cliente Banco podem ser gerados por problemas
durante determinado período. Definido através decorrentes de tecnologia de informação. O
de: sistema de segurança do Banco deve estar apto a
 Cadastro Positivo: as Instituições receber e evitar ataques à sua estrutura.
comunicam os créditos fornecidos e a
performance de pagamentos. RISCO DE REPUTAÇÃO (Imagem)
 Serasa: reúne as informações dos Pode-se conceituar risco de imagem como
cadastros de anotações restritivas do risco de reputação. É gerado quando a opinião
Serviço de Proteção ao Crédito pública responde de forma negativa a algum fato
envolvendo a organização. Trata-se da
RISCOS DAS OPERAÇÕES possibilidade de resposta negativa do mercado
Relacionado com a incerteza e a frente alguma noticia ou fato que desabone o
possibilidade de se contabilizar perdas na bom conceito da organização. Alguns dos
concessão de créditos. exemplos de ocorrências que arriscam a
reputação das companhias são:

 Situação financeira questionável;


RISCO DE CRÉDITO  Falta de compromisso com a governança
Risco de crédito está relacionado à corporativa ou responsabilidade social;
possível perda de uma Instituição Financeira caso  Suspeitas de fraudes ou participação em
haja default (atraso ou falta de pagamento pelo má gestão do dinheiro público.
Correntista dos compromissos assumidos no
empréstimo). Relacionado à falta de capacidade
que o cliente pode vir a apresentar durante o 1.14.4 Modalidades de Crédito
contrato do empréstimo.
PARA PESSOAS FÍSICAS:
RISCO DE MERCADO  Crédito Direto ao Consumidor,
As variáveis que influenciam o risco de Arrendamento Mercantil: para financiar
mercado é um dos mais importantes a serem bens de consumo duráveis ou bens de
medidos e considerados, pois em muitos casos capital
ocorrem situações imprevistas. Risco de mercado
pode influenciar o crédito dos tomadores e  Crédito Pessoal, Cheque Especial, Crédito
desencadear um risco sistêmico, ou bolha. Deve Consigado, Cartão de Crédito: não
ser analisado antes de qualquer concessão de possuem finalidade especifica, e
crédito. geralmente são operações destinadas a
bens de consumo não-duráveis.
RISCO OPERACIONAL
Erros operacionais podem gerar prejuízos CRÉDITO PESSOAL
financeiros para os agentes de mercado. Empréstimo para o correntista onde a
Qualquer erro operacional, além do prejuízo destinação do valor é de livre escolha pelo
financeiro, acarreta em prejuízo da imagem. tomador. Possui como liberação o processo de
Decorrem de falhas técnicas associadas às crédito em conta ou cheque nominal.
atividades financeiras das instituições.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
43
Curso Preparatório
FEBRABAN

Pode ser adquirido diretamente em frente às demais modalidades, devido a


Bancos, Financeiras, Cooperativas ou em estabilidade do funcionalismo publico.
Correspondentes Bancários. Margem: É permitida a liberação de um
Para ser liberado, deverá haver prévia total cujas parcelas representem até em 30%
aprovação de proposta caso este não esteja com (trinta por cento) dos vencimentos líquidos do
limite pré-aprovado pela IF que irá liberar os tomador, que pode ser utilizado na concessão
recursos, bem como poderá se fazer necessário direta do empréstimo pessoal ou CDC ou parte
apresentar algumas garantias como por exemplo em limites do Cartão de Crédito.
o aval de terceiros. O crédito pessoal possui
diversos prazos para pagamento, geralmente CRÉDITO VEÍCULOS
entre 1 e 24 parcelas, após a sua liberação. IOF, De longo prazo
TAC e Tarifa de Cadastro são custos deste tipo de (mais de 1 ano). Nos últimos
empréstimo. Crédito Pessoal pode também ser anos, o governo tem
utilizado na renegociação de dívidas, utilizando-o incentivado o crédito e o
de uma instituição para outra caso o cliente financiamento de veículos.
possua uma proposta mais vantajosa com menor Existem planos de até 80 parcelas para
custo de juros pagamento. Isto deu incentivo à entrada das
Poderá ser liberado o recurso e realizado o classes C e D, nesse segmento para ter acesso à
contrato via meios eletrônicos - internet, aquisição desse bem. Atualmente é possível
telefone, caixa automático - ou outros meios adquirir um veículo popular, totalmente
colocados à disposição pelo respectivo banco. financiado sem entrada, com parcelas acessíveis
Os pagamentos podem ser debitados às classes sociais de menor poder aquisitivo.
automaticamente na conta do tomador ou pagos
através de boleto bancário. Os atrasos nos PARA PESSOAS JURÍDICAS
pagamentos estão sujeitos a juros de mora, 1% ao  Financiamento: destinado a bens de
mês e multa de 2% sobre o valor em atraso. capital para a empresa utilizar como
As prestações são iguais e mensais com investimento em seus negócios: máquinas
possibilidade de fazer amortização antecipada. e equipamentos, veículos etc.
 Capital de Giro: conta garantida, desconto
CREDITO CONSIGNADO de recebíveis, Hotmoney, Rotativos com
Destinado ao funcionário ou sem garantia, para cobrir deficiências
público ou privado no fluxo de caixa de determinada
(regime CLT), empresa.
aposentados,
pensionistas. CRÉDITO PARA CAPITAL DE GIRO
O valor concedido é pago em prestações Linha de crédito destinada às empresas
através da dedução direta dos vencimentos do que necessitam de capital de giro. Entre as
tomador (desconto em folha). modalidades disponíveis nesta linha de crédito, O
a empresa escolhe a mais adequada às
Estas parcelas já são descontadas diretamente necessidades próprias, com prestações mensais
dos vencimentos do tomador, na folha, e calculadas pela tabela PRICE debitadas em conta.
destinados para a instituição que liberou os Trata-se de um empréstimo de curto prazo. Onde
recursos. a empresa pode suprir seu fluxo de caixa
Nesta operação, quando liberada para momentaneamente.
servidores, o risco de crédito é muito inferior

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
44
Curso Preparatório
FEBRABAN

FINANCIAMENTOS Interveniência: eventos em que o próprio


Linhas de crédito destinadas a projetos e estabelecimento responde pelo financiamento
investimentos para as empresas. Geralmente direto ao consumidor e, em seguida, celebra
estão atrelados à expansão das atividades da estes créditos com uma IF. Caso o consumidor
empresa. Prazo é superior a 1 ano, dando fique inadimplente perante o contrato de CDC,
possibilidade e folga para pagamento com devido quem paga é o fornecedor do produto, que
enquadramento das parcelas. Possui como assume o risco deste.
garantia os bens próprios do objeto deste No caso de veículos, algumas instituições
empréstimo, quando possível a sua alienação. solicitam um seguro como pré-requisito para a
São fornecidos por bancos em geral, envolvendo liberação do crédito, porém o cliente de forma
também os recursos dos bancos de nenhuma poderá ser obrigado a adquirir a apólice
investimentos e os bancos de desenvolvimento. apenas na instituição fornecedora, pois neste
CDC - Crédito Direto ao Consumidor caso isto se caracteriza a prática abusiva de
Este conceito de empréstimo é cedido por VENDA CASADA.
instituições financeiras, bancos, ou através das Na maior parte dos casos não há a
lojas de departamentos. As compras a prazo no necessidade de haver um cadastro prévio para a
cartão de crédito também podem ser liberação destes recursos.
consideradas Crédito Direto ao Consumidor
(CDC). Financiamento destinado a aquisição de
A vantagem deste tipo de empréstimo é bens e serviços, com finalidade específica.
que o consumidor passa a possuir o bem no ato Podem operar no mercado financeiro na
da compra, sem precisar ter pago seu valor total. modalidade de financiamento de CDC todas as
As parcelas são acrescidas de juros cujas taxas Instituições Financeiras autorizadas pelo BACEN.
são menores do que os do cheque especial ou CDC é similar à modalidade de
dos cartões de crédito: por outro lado, são bem arrendamento mercantil financeiro com a
maiores do que o rendimento da caderneta de diferença que no arrendamento mercantil o bem
poupança. As taxas variam segundo a instituição pertence à arrendadora durante o contrato, e no
financeira e podem ser consultadas no site do CDC o bem é do próprio financiado, com
Banco Central. alienação fiduciária à instituição financeira. O
O Crédito Direto ao Consumidor (CDC) documento de propriedade já consta em nome
também é oferecido dentro de um pacote de do financiado, com a ressalva que o bem fica
serviços de bancos, como opção de empréstimo “alienado” ao credor até a liquidação total do
pré-aprovado, imediato e sem burocracia para os contrato.
correntistas com renda estável. O pagamento
pode ser feito em até 60 meses e as parcelas são Atuação de Correspondentes
debitadas automaticamente da conta corrente. Diretamente nas Concessionárias e
Geralmente a forma de pagamento é em Revendedoras de Veículos, nas Lojas, em locais
parcelas fixas (juros pré-fixados). Nos casos de específicos do próprio correspondente para
prazo superior a 12 meses, também são obtenção de dados e informações do potencial
encontradas escolhas com correção monetária tomador do crédito para que seja analisado pela
(juros pós-fixados) Instituição que representa.
Garantias: no caso de veículos é exigida a O próprio Revendedor poderá atuar como
alienação fiduciária. O bem adquirido é dado em Correspondente. Caso represente várias
garantia no empréstimo. Instituições na intermediação de um
financiamento deve apresentar ao potencial

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
45
Curso Preparatório
FEBRABAN

financiado todas as opções que dispõe para a levar em consideração os encargos


livre escolha do financiado. O Correspondente anteriores, mais eventuais custos de
BANCÁRIO deve estar atento ao preenchimento prevenção, tratamentos médicos e
adequado de todos os dados documentos remédios que podem ser relevantes.
exigidos pela Instituição que encaminhará para A renda do cônjuge pode mudar o
análise da solicitação do financiamento. O balizamento do analista na compatibilização do
analista de crédito nas dependências da total da renda do casal em relação a todos os
Instituição avaliará os dados e informações que encargos citados e a análise do espaço, se
possui em mãos, sendo necessário o correto houver, para o pagamento da parcela do
preenchimento da ficha cadastral. financiamento do automóvel e seus encargos. As
referências pessoais e comerciais tem o
*Não é obrigatório ser Cliente da Financeira ou significado do histórico comportamental. A
Banco para obter o financiamento.* referência bancária serve como um indicativo
positivo do mesmo já ter passado por esse filtro.
As Instituições, regra geral, se utilizam dos
dados da Ficha Cadastral e dos documentos
comprobatórios a ela vinculados para analisar a Itens reprovadores de propostas:
liberação do crédito.  Baixo score após análise.
 Restritivos nos órgãos de proteção ao
Itens importantes para análise: crédito.
O valor do veículo e o valor financiado servirão  Elevado endividamento de mercado em
para o calculo do valor da parcela. consulta SCR (Sistema de Informação de
Dados da operação Crédito fornecido pelo BACEN e
 Valor da TAC alimentado pelas instituições.
 Valor das Parcelas Quantidade de Parcelas
 Tabela Coeficiente Caso esteja aprovado o crédito, de acordo
 Carência com o normativo Febraban, a Instituição terá que
 Vencimento 1ª da Parcela apresentar ao tomador um “orçamento” onde
 Valor da Parcela deve constar todas as bases do financiamento:
Com o valor da parcela, solicita-se o crédito taxas de juros, prazos, tarifas, tributos, seguros e
colhendo os seguintes dados: CUSTO EFETIVO TOTAL CET.
Assalariado:
 Profissão, cargo, ocupação. Declaração Obrigatória PPE
 Formação escolar. PPE (Pessoas Politicamente Expostas) são
 Renda declarada. pessoas que desempenham ou tenham
 Tempo de Empresa. desempenhado, nos últimos cinco anos, no Brasil
 Despesas gerais do proponente e ou no exterior, cargos, empregos e/ou funções
capacidade de comprometimento. públicas relevantes, assim como seus
Profissional Liberal (PF) representantes, familiares, e outras pessoas de
 Comprovação da Movimentação seu relacionamento próximo. Conforme definido
financeira, (soma dos créditos menos os pela Circular nº 3.339 de 22/12/2006 do BACEN, as
débitos em extrato bancário). instituições financeiras devem observar
Aposentados procedimentos a respeito das movimentações
financeiras das chamadas PPE, e incluir a
 A análise da renda e sua compatibilização,
bem como o orçamento familiar deve

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
46
Curso Preparatório
FEBRABAN

informação na ficha cadastral deste cliente, caso (transferência do título com o nome do
exista enquadramento nesta situação. favorecido do endosso), ao qual se aplicarão, no
que couberem, as normas do direito cambiário,
Documentos para envio caso em que o endossatário, mesmo não sendo
Cópias dos seguintes documentos deverão instituição financeira ou entidade a ela
ser enviadas pelo correspondente para a equiparada, poderá exercer todos os direitos por
instituição em casos de liberação do ela conferidos, inclusive cobrar os juros e demais
financiamento: encargos na forma pactuada na Cédula.
• identidade
• holerite Requisitos Essenciais da CCB
• Nota Fiscal (veículo novo) ou DUT preenchido A Cédula de Crédito Bancário deve conter
(veículo usado). os seguintes requisitos essenciais:
I - a denominação "Cédula de Crédito Bancário";
II - a promessa do emitente de pagar a dívida em
1.15. CCB e Formalização do dinheiro, certa, líquida e exigível no seu
Crédito vencimento,
III - a data e o lugar do pagamento da dívida e, no
A CÉDULA DE caso de pagamento parcelado, as datas e os
CRÉDITO BANCÁRIO – valores de cada prestação, ou os critérios para
CCB foi instituída pela Lei essa determinação;
10.931 de 02 de Agosto de IV - o nome da instituição credora, podendo
2.004 em seus artigos 26 a conter cláusula à ordem;
45. A Cédula de Crédito V - a data e o lugar de sua emissão; e
Bancário é um título de VI - a assinatura do emitente e, se for o caso, do
crédito emitido, por terceiro garantidor da obrigação.
pessoa física ou jurídica a
favor de instituição Na Cédula de Crédito Bancário deverão ser
financeira decorrente de pactuados:
operação de crédito, de  juros sobre a dívida, capitalizados ou não,
qualquer modalidade. os critérios de sua incidência e, se for o
É um título executivo extrajudicial e representa caso, a periodicidade de sua capitalização,
dívida em dinheiro, certa, líquida e exigível. bem como as despesas e os demais
A Cédula de Crédito Bancário pode ser encargos decorrentes da obrigação;
aditada, retificada e ratificada mediante  critérios de atualização monetária ou de
documento escrito, datado, com os requisitos variação cambial como permitido em lei;
previstos, passando esse documento a integrar a  casos de ocorrência de mora e de
Cédula para todos os fins. incidência das multas e penalidades
A garantia da Cédula de Crédito Bancário contratuais, bem como as hipóteses de
poderá ser fidejussória ou real (um bem vencimento antecipado da dívida;
patrimonial de qualquer espécie, disponível e  critérios de apuração e de ressarcimento,
alienável, móvel ou imóvel, material ou imaterial) pelo emitente ou por terceiro garantidor,
cuja titularidade pertença ao próprio emitente ou das despesas de cobrança da dívida e dos
a terceiro garantidor da obrigação principal. honorários advocatícios, judiciais ou
A Cédula de Crédito Bancário será extrajudiciais, sendo que os honorários
transferível mediante endosso em preto advocatícios extrajudiciais não poderão

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
47
Curso Preparatório
FEBRABAN

superar o limite de dez por cento do valor falta de localização do bem o fiel depositário. Há
total devido; processo criminal e pena pela não entrega do
 modalidade de garantia da dívida, sua bem, para o depositário infiel.
extensão e as hipóteses de substituição de Até a efetiva liquidação da obrigação
tal garantia; garantida, os bens abrangidos pela garantia não
 outras condições de concessão do crédito, poderão, sem prévia autorização escrita do
suas garantias ou liquidação, obrigações credor, ser alterados, retirados, deslocados ou
adicionais do emitente ou do terceiro destruídos. Quando a garantia for prestada por
garantidor da obrigação. pessoa jurídica, esta indicará representantes
legais responsáveis pela garantia.
Constituição de Garantia O credor poderá exigir que o bem
O próprio bem é constitutivo da garantia seja coberto por seguro
a garantia do até a efetiva liquidação da obrigação garantida
empréstimo. Haverá (não confundir com a venda casada, que é forçar
nesse caso a Alienação o bem a ser segurado na própria instituição). O
Fiduciária ou Penhor credor será indicado como exclusivo beneficiário
Mercantil, que se da apólice securitária e estará autorizado a
traduz numa garantia receber a indenização para liquidar ou amortizar
real. A garantia é a obrigação garantida. O credor poderá exigir a
executável sem substituição ou o reforço da garantia, em caso de
impedimentos e o bem perda, deterioração ou diminuição de seu valor.
é recuperado passando
à posse da instituição. Sistema de Informação de Crédito
A constituição da garantia poderá ser feita O Sistema de Informações de Crédito do
na própria Cédula de Crédito Bancário ou em Banco Central – SCR é um instrumento de
documento separado, neste caso fazendo-se, na registro e consulta de informações sobre as
Cédula, menção a tal circunstância. operações de crédito, avais e fianças prestados e
limites de crédito concedidos por instituições
Alienação Fiduciária: Direito real de garantia pelo financeiras a pessoas físicas e jurídicas no país.
qual o devedor aliena ao credor, para fins de Foi criado pelo Conselho Monetário Nacional e é
garantia, a propriedade de um bem em caráter administrado pelo Banco Central do Brasil, a
resolúvel e a posse indireta, permanecendo o quem cumpre armazenar as informações
devedor com a posse direta, tornando-se o encaminhadas e também disciplinar o processo
proprietário pleno com a quitação integral da de correção e atualização da base de dados pelas
obrigação à qual adere. É suficiente a anotação instituições financeiras participantes. Para o
no Certificado de Registro e Licenciamento de acesso a essa posição de riscos há de se obter um
Veículos (CRLV). O Detran do estado poderá documento padrão do Banco Central pelo
exigir o registro do contrato no Cartório de consultado autorizando o acesso a suas
Registro de Títulos e Documentos, a fim de informações de riscos no sistema. Esse
registrar o gravame em seu sistema. procedimento deve ter sido tomado pelo Agente
no momento da montagem do dossiê a ser
Penhor Mercantil: tem como característica a enviado para a análise da Instituição. Sem essa
figura do fiel depositário. A execução não é autorização a Instituição não pode acessar os
imediata, tendo em vista que para que o bem seja seus dados e estes devem ser utilizados
apreendido, o devedor deverá ser inquirido e na estritamente ao fim que se destina.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
48
Curso Preparatório
FEBRABAN

MÓDULO II – Relacionamento com o


Consumidor: Proteção e Defesa

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
49
Curso Preparatório
FEBRABAN

2.1. Lei 8.078/90 – Código de Defesa do II - a educação e divulgação sobre o consumo


adequado dos produtos e serviços, asseguradas a
Consumidor liberdade de escolha e a igualdade nas contratações;
III - a informação adequada e clara sobre os
TÍTULO I diferentes produtos e serviços, com
Dos Direitos do Consumidor
especificação correta de quantidade,
CAPÍTULO I características, composição, qualidade, tributos
Disposições Gerais incidentes e preço, bem como sobre os riscos
que apresentem;
Art. 2° Consumidor é toda pessoa física ou IV - a proteção contra a publicidade enganosa
jurídica que adquire ou utiliza produto ou serviço e abusiva, métodos comerciais coercitivos ou
como destinatário final. desleais, bem como contra práticas e cláusulas
Parágrafo único. Equipara-se a consumidor a abusivas ou impostas no fornecimento de
coletividade de pessoas, ainda que indetermináveis, que produtos e serviços;
haja intervindo nas relações de consumo.
V - a modificação das cláusulas contratuais
Art. 3° Fornecedor é toda pessoa física ou
que estabeleçam prestações desproporcionais
jurídica, pública ou privada, nacional ou
ou sua revisão em razão de fatos supervenientes
estrangeira, bem como os entes
que as tornem excessivamente onerosas;
despersonalizados, que desenvolvem atividade VI - a efetiva prevenção e reparação de danos
de produção, montagem, criação, construção, patrimoniais e morais, individuais, coletivos e difusos;
transformação, importação, exportação, VII - o acesso aos órgãos judiciários e administrativos
distribuição ou comercialização de produtos ou com vistas à prevenção ou reparação de danos
prestação de serviços. patrimoniais e morais, individuais, coletivos ou difusos,
assegurada a proteção Jurídica, administrativa e técnica
§ 1° Produto é qualquer bem, móvel ou imóvel,
aos necessitados;
material ou imaterial.
§ 2° Serviço é qualquer atividade fornecida no mercado VIII - a facilitação da defesa de seus direitos,
de consumo, mediante remuneração, inclusive as de inclusive com a inversão do ônus da prova, a seu
natureza bancária, financeira, de crédito e securitária, favor, no processo civil, quando, a critério do
salvo as decorrentes das relações de caráter trabalhista. juiz, for verossímil a alegação ou quando for ele
hipossuficiente, segundo as regras ordinárias de
CAPÍTULO II
Da Política Nacional de Relações de Consumo – Princípios:
experiências;

CAPÍTULO IV
I - reconhecimento da vulnerabilidade do Da Qualidade de Produtos e Serviços, da Prevenção e da
consumidor no mercado de consumo; Reparação dos Danos

IV - educação e informação de fornecedores e SEÇÃO II


consumidores, quanto aos seus direitos e Da Responsabilidade pelo Fato do Produto e do Serviço
deveres, com vistas à melhoria do mercado de
consumo; Art. 14. O fornecedor de serviços responde,
independentemente da existência de culpa, pela
reparação dos danos causados aos consumidores
CAPÍTULO III por defeitos relativos à prestação dos serviços,
Dos Direitos Básicos do Consumidor
bem como por informações insuficientes ou
Art. 6º São direitos básicos do consumidor: inadequadas sobre sua fruição e riscos.
I - a proteção da vida, saúde e segurança contra os § 1° O serviço é defeituoso quando não fornece a
riscos provocados por práticas no fornecimento de segurança que o consumidor dele pode esperar, levando-
produtos e serviços considerados perigosos ou nocivos;

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
50
Curso Preparatório
FEBRABAN

se em consideração as circunstâncias relevantes, entre as § 1° Havendo mais de um responsável pela


quais: causação do dano, todos responderão
I - o modo de seu fornecimento;
II - o resultado e os riscos que razoavelmente dele se
solidariamente pela reparação prevista nesta e
esperam; nas seções anteriores.
III - a época em que foi fornecido.
§ 2º O serviço não é considerado defeituoso pela
adoção de novas técnicas.
§ 3° O fornecedor de serviços só não será
responsabilizado quando provar:
I - que, tendo prestado o serviço, o defeito
inexiste;
II - a culpa exclusiva do consumidor ou de
terceiro.
§ 4° A responsabilidade pessoal dos profissionais
liberais será apurada mediante a verificação de culpa.

SEÇÃO III
Responsabilidade por Vício do Produto e do Serviço

Art. 20. O fornecedor de serviços responde


pelos vícios de qualidade que os tornem
SEÇÃO IV
impróprios ao consumo ou lhes diminuam o Da Decadência e da Prescrição
valor, assim como por aqueles decorrentes da
disparidade com as indicações constantes da Art. 26. O direito de reclamar pelos vícios aparentes ou
oferta ou mensagem publicitária, podendo o de fácil constatação caduca em:
consumidor exigir, alternativamente e à sua
escolha: I - trinta dias, tratando-se de fornecimento de
I - a reexecução dos serviços, sem custo serviço e de produtos não duráveis;
adicional e quando cabível;
II - a restituição imediata da quantia paga, II - noventa dias, tratando-se de fornecimento
monetariamente atualizada, sem prejuízo de de serviço e de produtos duráveis.
eventuais perdas e danos;
III - o abatimento proporcional do preço. § 1° Inicia-se a contagem do prazo decadencial a partir
§ 1° A reexecução dos serviços poderá ser daentrega efetiva do produto ou do término da
confiada a terceiros devidamente capacitados, execução dos serviços.
por conta e risco do fornecedor.
§ 3° Tratando-se de vício oculto, o prazo
Art. 23. A ignorância do fornecedor sobre os decadencial inicia-se no momento em que ficar
vícios de qualidade por inadequação dos evidenciado o defeito.
produtos e serviços não o exime de
responsabilidade. Art. 27. Prescreve em cinco anos a pretensão
à reparação pelos danos causados por fato do
Art. 25. É vedada a estipulação contratual de produto ou do serviço prevista na Seção II deste
cláusula que impossibilite, exonere ou atenue a Capítulo, iniciando-se a contagem do prazo a
obrigação de indenizar prevista nesta e nas partir do conhecimento do dano e de sua autoria.
seções anteriores.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
51
Curso Preparatório
FEBRABAN

CAPÍTULO V I - exigir o cumprimento forçado da


Das Práticas Comerciais obrigação, nos termos da oferta, apresentação
ou publicidade;
SEÇÃO II
Da Oferta
II - aceitar outro produto ou prestação de
Art. 30. Toda informação ou publicidade, serviço equivalente;
suficientemente precisa, veiculada por qualquer
forma ou meio de comunicação com relação a III - rescindir o contrato, com direito à
produtos e serviços oferecidos ou apresentados, restituição de quantia eventualmente antecipada,
obriga o fornecedor que a fizer veicular ou dela monetariamente atualizada, e a perdas e danos.
se utilizar e integra o contrato que vier a ser
SEÇÃO III
celebrado. – EX. 1.: TAXAS A PARTIR DE XX% AO Da Publicidade
MÊS. / EX. 2: SUJEITO À APROVAÇÃO DE
CRÉDITO. Art. 37. É proibida toda publicidade enganosa
ou abusiva.
Art. 31. A oferta e apresentação de produtos
ou serviços devem assegurar informações
corretas, claras, precisas, ostensivas e em língua
portuguesa sobre suas características,
qualidades, quantidade, composição, preço, § 1° É enganosa
garantia, prazos de validade e origem, entre qualquer modalidade de informação ou
outros dados, bem como sobre os riscos que comunicação de caráter publicitário, inteira ou
apresentam à saúde e segurança dos consumidores.
parcialmente falsa, ou, por qualquer outro modo,
Art. 33. Em caso de oferta ou venda por mesmo por omissão, capaz de induzir em erro o
telefone ou reembolso postal, deve constar o consumidor a respeito da natureza,
nome do fabricante e endereço na embalagem, características, qualidade, quantidade,
publicidade e em todos os impressos utilizados propriedades, origem, preço e quaisquer outros
na transação comercial. dados sobre produtos e serviços.

Parágrafo único. É proibida apublicidade de bens e


serviços por telefone, quando a chamada for onerosa ao
consumidor que a origina.(Incluído pela Lei nº 11.800, de § 3° Para os efeitos deste código, a
2008). publicidade é enganosa por omissão quando
deixar de informar sobre dado essencial do
Art. 34. O fornecedor do produto ou serviço é produto ou serviço.
solidariamente responsável pelos atos de seus
prepostos ou representantes autônomos. Art. 38. O ônus da prova da veracidade e
correção da informação ou comunicação
Art. 35. Se o fornecedor de produtos ou publicitária cabe a quem as patrocina.
serviços recusar cumprimento à oferta,
apresentação ou publicidade, o consumidor
poderá, alternativamente e à sua livre escolha:

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
52
Curso Preparatório
FEBRABAN

SEÇÃO IV estabelecido. (Incluído pela Lei nº 9.870, de 23.11.1999)


Das Práticas Abusivas
EX. Exibição do CET
Art. 39. É vedado ao fornecedor de produtos ou
serviços, dentre outras práticas abusivas: (Redação dada Art. 43. O consumidor, sem prejuízo do
pela Lei nº 8.884, de 11.6.1994) disposto no art. 86, terá acesso às informações
existentes em cadastros, fichas, registros e dados
I - condicionar o fornecimento de produto ou pessoais e de consumo arquivados sobre ele,
de serviço ao fornecimento de outro produto ou bem como sobre as suas respectivas fontes.
serviço, bem como, sem justa causa, a limites
quantitativos; EX. VENDA CASADA SEGURO § 1° Os cadastros e dados de consumidores
PRESTAMISTA devem ser objetivos, claros, verdadeiros e em
linguagem de fácil compreensão, não podendo
III - enviar ou entregar ao consumidor, sem conter informações negativas referentes a
solicitação prévia, qualquer produto, ou fornecer período superior a cinco anos.
qualquer serviço; EX. Envio de cartão de crédito.
§ 2° A abertura de cadastro, ficha, registro e
IV - prevalecer-se da fraqueza ou ignorância dados pessoais e de consumo deverá ser
do consumidor, tendo em vista sua idade, saúde, comunicada por escrito ao consumidor, quando
conhecimento ou condição social, para impingir- não solicitada por ele.
lhe seus produtos ou serviços;
§ 3° O consumidor, sempre que encontrar
V - exigir do consumidor vantagem inexatidão nos seus dados e cadastros, poderá
manifestamente excessiva; exigir sua imediata correção, devendo o
arquivista, no prazo de cinco dias úteis,
VI - executar serviços sem a prévia elaboração comunicar a alteração aos eventuais destinatários
de orçamento e autorização expressa do das informações incorretas.
consumidor, ressalvadas as decorrentes de
práticas anteriores entre as partes; § 4° Os bancos de dados e cadastros relativos
a consumidores, os serviços de proteção ao
VII - repassar informação depreciativa, referente a ato crédito e congêneres são considerados entidades
praticado pelo consumidor no exercício de seus direitos; de caráter público.
VIII - colocar, no mercado de consumo, § 5° Consumada a prescrição relativa à
qualquer produto ou serviço em desacordo com cobrança de débitos do consumidor, não serão
as normas expedidas pelos órgãos oficiais fornecidas, pelos respectivos Sistemas de
competentes ou, se normas específicas não existirem, pela
Associação Brasileira de Normas Técnicas ou outra Proteção ao Crédito, quaisquer informações que
entidade credenciada pelo Conselho Nacional de possam impedir ou dificultar novo acesso ao
Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial crédito junto aos fornecedores.
(Conmetro);

X - elevar sem justa causa o preço de produtos


ou serviços. (Incluído pela Lei nº 8.884, de 11.6.1994)

XIII - aplicar fórmula ou índice de reajuste


diverso do legal ou contratualmente

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
53
Curso Preparatório
FEBRABAN

CAPÍTULO VI pessoa jurídica, a indenização poderá ser limitada, em


Da Proteção Contratual situações justificáveis;

SEÇÃO I II - subtraiam ao consumidor a opção de


Disposições Gerais reembolso da quantia já paga, nos casos
previstos neste código;
Art. 46. Os contratos que regulam as relações
de consumo não obrigarão os consumidores, se III - transfiram responsabilidades a terceiros;
não lhes for dada a oportunidade de tomar
conhecimento prévio de seu conteúdo, ou se os IV - estabeleçam obrigações consideradas
respectivos instrumentos forem redigidos de iníquas, abusivas, que coloquem o consumidor
modo a dificultar a compreensão de seu sentido e em desvantagem exagerada, ou sejam
alcance. incompatíveis com a boa-fé ou a eqüidade; (EX.
parcelas mensais dentro da capacidade dos
Art. 47. As cláusulas contratuais serão clientes)
interpretadas de maneira mais favorável ao
consumidor. VIII - imponham representante para concluir
ou realizar outro negócio jurídico pelo
Art. 49. O consumidor;
consumidor pode
desistir do contrato, no III - se mostra excessivamente onerosa para o
prazo de 7 dias a contar consumidor, considerando-se a natureza e
de sua assinatura ou do conteúdo do contrato, o interesse das partes e
ato de recebimento do outras circunstâncias peculiares ao caso.
produto ou serviço, sempre que a contratação
de fornecimento de produtos e serviços ocorrer Art. 52. No fornecimento de produtos ou
fora do estabelecimento comercial, serviços que envolva outorga de crédito ou
especialmente por telefone ou a domicílio. concessão de financiamento ao consumidor, o
(Arrependimento) fornecedor deverá, entre outros requisitos,
informá-lo prévia e adequadamente sobre:
Parágrafo único. Se o consumidor exercitar o direito de
arrependimento previsto neste artigo, os valores
I - preço do produto ou serviço em moeda
eventualmente pagos, a qualquer título, durante o prazo de
reflexão, serão devolvidos, de imediato, monetariamente corrente nacional;
atualizados.
II - montante dos juros de mora e da taxa
SEÇÃO II efetiva anual de juros;
Das Cláusulas Abusivas
III - acréscimos legalmente previstos;
Art. 51. São nulas de pleno direito, entre outras, as
cláusulas contratuais relativas ao fornecimento de
produtos e serviços que:
IV - número e periodicidade das prestações;

I - impossibilitem, exonerem ou atenuem a V - soma total a pagar, com e sem


responsabilidade do fornecedor por vícios de financiamento.
qualquer natureza dos produtos e serviços ou
impliquem renúncia ou disposição de direitos. Nas § 1° As multas de mora decorrentes do
relações de consumo entre o fornecedor e o consumidor inadimplemento de obrigações no seu termo não

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
54
Curso Preparatório
FEBRABAN

poderão ser superiores a dois por cento do valor CAPÍTULO VII


da prestação. (Ex. multa por atraso máxima de Das Sanções Administrativas
(Vide Lei nº 8.656, de 1993)
2%)
Art. 56. As infrações das normas de defesa do
§ 2º É assegurado ao consumidor a liquidação consumidor ficam sujeitas, conforme o caso, às seguintes
antecipada do débito, total ou parcialmente, sanções administrativas, sem prejuízo das de natureza civil,
mediante redução proporcional dos juros e penal e das definidas em normas específicas:
demais acréscimos.
I - multa;
Art. 53. Nos contratos de compra e venda de
VI - suspensão de fornecimento de produtos ou serviço;
móveis ou imóveis mediante pagamento em
prestações, bem como nas alienações fiduciárias VII - suspensão temporária de atividade;
em garantia, consideram-se nulas de pleno direito
as cláusulas que estabeleçam a perda total das VIII - revogação de concessão ou permissão de uso;
prestações pagas em benefício do credor que, em
razão do inadimplemento, pleitear a resolução do IX - cassação de licença do estabelecimento ou de
contrato e a retomada do produto alienado. atividade;

X - interdição, total ou parcial, de estabelecimento, de


SEÇÃO III
obra ou de atividade;
Dos Contratos de Adesão

XI - intervenção administrativa;
Art. 54. Contrato de
adesão é aquele cujas
cláusulas tenham sido XII - imposição de contrapropaganda.
aprovadas pela autoridade
competente ou Art. 58. As penas de apreensão, de
estabelecidas inutilização de produtos, de proibição de
unilateralmente pelo
fabricação de produtos, de suspensão do
fornecedor de produtos ou
serviços, sem que o fornecimento de produto ou serviço, de cassação
consumidor possa discutir do registro do produto e revogação da concessão
ou modificar substancialmente seu conteúdo. ou permissão de uso serão aplicadas pela
administração, mediante procedimento
§ 3o Os contratos de adesão escritos serão administrativo, assegurada ampla defesa, quando
redigidos em termos claros e com caracteres forem constatados vícios de quantidade ou de
ostensivos e legíveis, cujo tamanho da fonte não qualidade por inadequação ou insegurança do
será inferior ao corpo doze, de modo a facilitar sua produto ou serviço. (EX. BACEN)
compreensão pelo consumidor. (Redação dada pela nº
11.785, de 2008)
Art. 59. As penas de cassação de alvará de
licença, de interdição e de suspensão temporária
§ 4° As cláusulas que implicarem limitação de
da atividade, bem como a de intervenção
direito do consumidor deverão ser redigidas com
administrativa, serão aplicadas mediante
destaque, permitindo sua imediata e fácil
procedimento administrativo, assegurada ampla
compreensão.
defesa, quando o fornecedor reincidir na prática
§ 5° (Vetado)
das infrações de maior gravidade previstas neste
código e na legislação de consumo.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
55
Curso Preparatório
FEBRABAN

2.2. Decreto 2.181/97 – Sistema Nacional preços, abastecimento, quantidade e segurança


de Defesa do Consumidor de bens e serviços;
IX - incentivar, inclusive com recursos
financeiros e outros programas especiais, a
Art. 2o Integram o SNDC a Secretaria Nacional do formação de entidades de defesa do consumidor
Consumidor do Ministério da Justiça e os demais pela população e pelos órgãos públicos estaduais
órgãos federais, estaduais, do Distrito Federal, e municipais;
municipais e as entidades civis de defesa do X - fiscalizar e aplicar as sanções
consumidor. administrativas previstas na Lei nº 8.078, de 1990,
e em outras normas pertinentes à defesa do
DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO consumidor;
CONSUMIDOR: XI - solicitar o concurso de órgãos e
entidades de notória especialização técnico-
O Departamento Nacional de Defesa do científica para a consecução de seus objetivos;
Consumidor, da Secretaria Nacional de Direito XII - provocar a Secretaria de Direito
Econômico (MJ), ou órgão federal que venha Econômico para celebrar convênios e termos de
substituí-lo, é organismo de coordenação da ajustamento de conduta, na forma do § 6º do art.
política do Sistema Nacional de Defesa do 5º da Lei nº 7.347, de 24 de julho de 1985;
Consumidor, cabendo-lhe: XII - celebrar convênios e termos de ajustamento
I - planejar, elaborar, propor, coordenar e de conduta, na forma do § 6o do art. 5o da Lei
executar a política nacional de proteção ao no 7.347, de 24 de julho de 1985
consumidor; XIII - elaborar e divulgar o cadastro
II - receber, analisar, avaliar e encaminhar nacional de reclamações fundamentadas contra
consultas, denúncias ou sugestões apresentadas fornecedores de produtos e serviços, a que se
por entidades representativas ou pessoas refere o art. 44 da Lei nº 8.078, de 1990;
jurídicas de direito público ou privado;
III - prestar aos consumidores orientação SENACON:
permanente sobre seus direitos e garantias;
IV - informar, conscientizar e motivar o A Secretaria Nacional do Consumidor –
consumidor através dos diferentes meios de Senacon, criada pelo Decreto 7.738, de 28 de
comunicação; maio de 2012, tem suas atribuições estabelecidas
V - solicitar à polícia judiciária a instauração no art. 106 do Código de Defesa do Consumidor e
de inquérito policial para a apreciação de delito no art. 3º do Decreto n° 2.181/97. A atuação da
contra os consumidores, nos termos da legislação Senacon concentra-se no planejamento,
vigente; elaboração, coordenação e execução da Política
VI - representar ao Ministério Público Nacional das Relações de Consumo, com
competente para fins de adoção de medidas seguintes objetivos: (i) garantir a proteção e
processuais no âmbito de suas atribuições; exercício dos direitos consumidores; (ii)
VII - levar ao conhecimento dos órgãos promover a harmonização nas relações de
competentes as infrações de ordem consumo; e (iii) incentivar a integração e a
administrativa que violarem os interesses difusos, atuação conjunta dos membros do SNDC.
coletivos, ou individuais dos consumidores;
VIII - solicitar o concurso de órgãos e
entidades da União, Estados, do Distrito Federal
e Municípios, bem como auxiliar a fiscalização de

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
56
Curso Preparatório
FEBRABAN

PROCON II - dar atendimento aos consumidores,


O Programa de Proteção e processando, regularmente, as reclamações
Defesa do Consumidor (ou fundamentadas;
Procon) é uma fundação III - fiscalizar as relações de consumo;
presente em diversos IV - funcionar, no processo administrativo,
estados e municípios como instância de instrução e julgamento, no
brasileiros com âmbito de sua competência, dentro das regras
personalidade jurídica de fixadas pela Lei nº 8.078, de 1990, pela legislação
direito público, cujo objetivo é elaborar e complementar e por este Decreto;
executar a política estadual de proteção e defesa V - elaborar e divulgar anualmente, no
do consumidor. Funciona como um órgão auxiliar âmbito de sua competência, o cadastro de
do Poder Judiciário, tentando solucionar reclamações fundamentadas contra
previamente os conflitos entre o consumidor e a fornecedores de produtos e serviços, de que
empresa que vende um produto ou presta um trata o art. 44 da Lei nº 8.078, de 1990, e remeter
serviço, e quando não há acordo, encaminha o cópia ao DPDC;
caso para o Juizado Especial Cível com jurisdição V - elaborar e divulgar anualmente, no
sobre o local. O PROCON pode ser estadual ou âmbito de sua competência, o cadastro de
municipal. Cumpre ao PROCON dar atendimento reclamações fundamentadas contra
aos consumidores, o que deve acontecer fornecedores de produtos e serviços, de que
preferencialmente de modo pessoal. Mantém um trata o art. 44 da Lei no 8.078, de 1990 e remeter
contato mais direto com os cidadãos e seus cópia à Secretaria Nacional do Consumidor do
pleitos. O atendimento de consumidores no Ministério da Justiça;
PROCON dispensa a presença de advogados. VI - desenvolver outras atividades compatíveis
Os PROCONs podem ser municipais, estaduais e com suas finalidades.
distritais. Tem como função precípua o
acompanhamento e a fiscalização das relações de
consumo ocorridas entre consumidores e 2.3. Resolução 3.883/10 – Penalidades
fornecedores. Entre outras atividades, o PROCON relativas às prestações de
funciona como instância de instrução e informações.
julgamento, no âmbito de sua competência e da
legislação complementar, a partir de regular Conforme a Resolução 3.883 de 22 de
procedimento administrativo. As decisões dos julho de 2010, o BACEN aplicará penalidades
PROCONS não são auto executáveis, porém quanto à falta de informações precisas por
servem como títulos executivos perante os instituições financeiras e autorizadas.
Juizados Especiais Cíveis, sendo de suma O não fornecimento e o fornecimento
importância com a existência concomitante da incorreto de informações, em desacordo com os
justiça especializada. prazos e as condições estabelecidos nas normas
legais e regulamentares, sujeitam as instituições
Suas atribuições são: financeiras e demais instituições autorizadas a
I - planejar, elaborar, propor, coordenar e funcionar pelo BACEN, bem como seus
executar a política estadual, do Distrito Federal e administradores, às penalidades de que trata o
municipal de proteção e defesa do consumidor, art. 44 da Lei nº 4.595.
nas suas respectivas áreas de atuação;
Art. 44. As infrações aos dispositivos desta lei sujeitam as instituições
financeiras, seus diretores, membros de conselhos administrativos,

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
57
Curso Preparatório
FEBRABAN

fiscais e semelhantes, e gerentes, às seguintes penalidades, sem prejuízo


de outras estabelecidas na legislação vigente:
2.4.Decreto 6.523/08 – SAC (Serviço de
I - Advertência.
II - Multa pecuniária variável.
Atendimento ao Consumidor
III - Suspensão do exercício de cargos. Regulamenta
IV - Inabilitação temporária ou permanente para o exercício de cargos o SERVIÇO DE
de direção na administração ou gerência em instituições financeiras.
V - Cassação da autorização de funcionamento das instituições ATENDIMENTO AO
financeiras públicas, exceto as federais, ou privadas. CLIENTE – SAC, por
VI - Detenção, nos termos do § 7º, deste artigo.
VII - Reclusão, nos termos dos artigos 34 e 38, desta lei. telefone, no âmbito
§ 1ºA pena de advertência será aplicada pela inobservância das dos fornecedores de
disposições constantes da legislação em vigor, ressalvadas as sanções
nela previstas, sendo cabível também nos casos de fornecimento de serviços regulados
informações inexatas, de escrituração mantida em atraso ou processada pelo Poder Público
em desacordo com as normas expedidas de conformidade com o art. 4º,
inciso XII, desta lei. Federal, com vistas
§ 2º As multas serão aplicadas até 200 (duzentas) vezes o maior à observância dos
salário-mínimo vigente no País, sempre que as instituições financeiras,
por negligência ou dolo: direitos básicos do
a) advertidas por irregularidades que tenham sido praticadas, consumidor de
deixarem de saná-las no prazo que lhes for assinalado pelo Banco Central
da República do Brasil; obter informação
b) infringirem as disposições desta lei relativas ao capital, fundos de adequada e clara
reserva, encaixe, recolhimentos compulsórios, taxa de fiscalização,
serviços e operações, não atendimento ao disposto nos arts. 27 e 33, sobre os serviços
inclusive as vedadas nos arts. 34 (incisos II a V), 35 a 40 desta lei, e abusos que contratar e manter-se protegido quanto a
de concorrência (art. 18, § 2º);
c) opuserem embaraço à fiscalização do Banco Central da República práticas abusivas ou ilegais impostas no
do Brasil. fornecimento desses serviços.
§ 3º As multas cominadas neste artigo serão pagas mediante
recolhimento ao Banco Central da República do Brasil, dentro do prazo
de 15 (quinze) dias, contados do recebimento da respectiva notificação, Os Bancos, através da orientação da
ressalvado o disposto no § 5º deste artigo e serão cobradas judicialmente,
com o acréscimo da mora de 1% (um por cento) ao mês, contada da data FEBRABAN e do Sistema de Autorregulação
da aplicação da multa, quando não forem liquidadas naquele prazo; bancária, disponibilizam a seus Clientes, o serviço
§ 4º As penas referidas nos incisos III e IV, deste artigo, serão
aplicadas quando forem verificadas infrações graves na condução dos de atendimento de forma ininterrupta. O
interesses da instituição financeira ou quando dá reincidência específica, Conselho de Autorregulação Bancária, atendendo
devidamente caracterizada em transgressões anteriormente punidas com
multa. os preceitos da Lei criou o Normativo SRB
§ 5º As penas referidas nos incisos II, III e IV deste artigo serão 003/2008 com o intuito de orientar as Signatárias,
aplicadas pelo Banco Central da República do Brasil admitido recurso,
com efeito suspensivo, ao Conselho Monetário Nacional, interposto Instituições Financeiras autorizadas pelo
dentro de 15 dias, contados do recebimento da notificação. Conselho Monetário Nacional, a se relacionarem
§ 6º É vedada qualquer participação em multas, as quais serão
recolhidas integralmente ao Banco Central da República do Brasil. com os seus Clientes através do SAC Serviço de
§ 7º Quaisquer pessoas físicas ou jurídicas que atuem como instituição Atendimento ao Cliente. A FEBRABAN em site
financeira, sem estar devidamente autorizadas pelo Banco Central da
Republica do Brasil, ficam sujeitas à multa referida neste artigo e criou o Portal dos SAC’s com todas as
detenção de 1 a 2 anos, ficando a esta sujeitos, quando pessoa jurídica, informações acerca do SAC dos Bancos.
seus diretores e administradores.
§ 8º No exercício da fiscalização prevista no art. 10, inciso VIII, desta
lei, o Banco Central da República do Brasil poderá exigir das instituições A maioria das demandas ao SAC relativas a
financeiras ou das pessoas físicas ou jurídicas, inclusive as referidas no
parágrafo anterior, a exibição a funcionários seus, expressamente dúvidas ou reclamações diversas é resolvida pelo
credenciados, de documentos, papéis e livros de escrituração, atendente, no primeiro nível. O objetivo é que a
considerando-se a negativa de atendimento como embaraço á
fiscalização sujeito á pena de multa, prevista no § 2º deste artigo, sem dúvida ou problema não se torne em insatisfação
prejuízo de outras medidas e sanções cabíveis. não resolvida, gerando uma reclamação formal
§ 9º A pena de cassação, referida no inciso V, deste artigo, será
aplicada pelo Conselho Monetário Nacional, por proposta do Banco junto ao PROCON.
Central da República do Brasil, nos casos de reincidência específica de
infrações anteriormente punidas com as penas previstas nos incisos III e
IV deste artigo.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
58
Curso Preparatório
FEBRABAN

origem fidedigna. A consulta às anotações


Se Ligue Nessa! históricas protege o fornecedor e o consumidor
no momento de uma nova transação. Ambos são
 O SAC deve garantir ao consumidor, no beneficiados. Aquele consumidor que tiver
primeiro menu eletrônico e em todas as suas momentaneamente inadimplido com seus
subdivisões, o contato direto com o atendente. compromissos, terá em seu nome uma anotação
 Todo atendimento deverá ser protocolado no restritiva, denotando, naquele caso, uma
seu início. informação negativa de comportamento. Essa
 Limite de espera de 60 segundos informação, anotada diretamente pelo
 Canal de Reclamações e Cancelamento nas fornecedor ou consulta em bancos de dados
primeiras opções. especializados, orienta o fornecedor na sua
 Acesso aos Portadores de Necessidades
conduta no relacionamento com esse Cliente.
Especiais Auditivas ou Fala com prioridade,
onde a empresa poderá destinar um número
Imediatamente após o atraso,
especifico. compromisso ou pendência for suprida, a
 Disponível 24 horas por dia e 7 dias por semana. anotação restritiva deve ser eliminada do banco
 Ligações não poderão ser interrompidas sem o de dados que fornece informações sob consulta a
acesso do cliente ao atendente. terceiros.
 A demanda deve ser atendida imediatamente. No Cadastro Positivo por parte do BACEN,
 Dados do cliente sempre serão sigilosos e as Instituições Financeiras deverão informar o
restritos ao atendimento. histórico comportamental de pagamentos das
 O número do SAC deverá estar impresso em operações de créditos concedidos.
todos os documentos da contratação dos Os bancos de dados brasileiros nasceram
serviços e durante seu fornecimento.
com a criação do primeiro SPC (SISTEMA DE
 Número geral e único para todos os serviços da
empresa.
PROTEÇÃO AO CRÉDITO), em 1955, em Porto
 Não poderá haver a solicitação de repetição dos Alegre/RS, que seria uma associação civil,
dados do cliente. formada por empresas comerciais que
 Os acessos ao histórico e protocolos de praticavam venda a crédito, para defesa de
atendimento anteriores deverão estar interesses comuns, tendo como principal função
disponíveis ao atendente e ao cliente em prazo fichar os maus clientes, evitando assim,
mínimo de 2 anos, e fornecidos em até 72 horas negociações de risco, sendo que a proteção é
a contar da solicitação. dirigida especificamente aos fornecedores.
 Proibida a publicidade durante o tempo de Em 1968, surge a SERASA –
espera para o atendimento, salvo se houver CENTRALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE BANCOS S/A.
prévio consentimento do consumidor.
(atualmente SERASA EXPERIAN), um dos maiores
 Prazo máximo de 5 dias úteis para resolver
conflitos, com informação da resolução sempre
banco de dados do mundo.
entregue ao consumidor CADIN - Regulado pela Lei nº 10.522, de 19
 Cancelamento deve ser prontamente recebido e de Julho de 2002, o Ministério da Fazenda, é um
processado pelo SAC caso solicitado pelo banco de dados onde se encontram registrados
consumidor. os nomes de pessoas físicas e jurídicas em débito
para com órgãos e entidades federais. As
2.4.1 Sistemas Informatizados de Clientes informações contidas no CADIN permitem à
Relatam o histórico de transações Administração Pública Federal uniformizar os
comerciais realizadas pela Instituição ao cliente. procedimentos relativos à concessão de crédito,
As anotações podem ser de qualquer ordem, garantias, incentivos fiscais e financeiros, bem
positivas ou restritivas, desde que se originem da como à celebração de convênios, acordos,
própria relação, ou seja, de bancos de dados de

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
59
Curso Preparatório
FEBRABAN

ajustes ou contratos, de modo a favorecer a Instituições autorizadas a funcionar pelo BACEN.


gestão seletiva dos recursos existentes. De
acordo com o CDC, o consumidor terá acesso às As instituições Financeiras devem:
informações existentes em cadastros, fichas, I - dar ampla divulgação sobre a existência da
registros e dados pessoais e de consumo ouvidoria, bem como de informações completas
arquivados pelo fornecedor, com ou sem acerca da sua finalidade e forma de utilização;
“Habeas-Data”. II - garantir o acesso gratuito dos clientes e
A abertura de cadastro deverá ser usuários de produtos e serviços ao atendimento
comunicada por escrito ao consumidor, quando da ouvidoria, por meio de canais ágeis e eficazes;
não solicitada por ele. O consumidor, sempre que e,
encontrar inexatidão nos seus dados e cadastros, III - disponibilizar acesso telefônico gratuito, cujo
poderá exigir sua imediata correção, devendo o número deve ser;
arquivista alterar imediatamente e o registro
estar efetivo no banco de dados no prazo
máximo de 5 (cinco) dias úteis. Se Ligue Nessa!
a) divulgado e mantido atualizado em local e
Se Ligue Nessa! formato visível ao público no recinto das suas
dependências e nas dependências dos
correspondentes no País, bem como nos respectivos
 Art. 72. Impedir ou dificultar o acesso do sítios eletrônicos na internet e nos demais canais de
consumidor às informações que sobre ele comunicação utilizados para difundir os produtos e
constem em cadastros, banco de dados, serviços da instituição;
fichas e registros: Pena - Detenção de 6 (seis)
meses a 1 (um ) ano ou multa.
 Os cadastros e dados dos consumidores b) registrado nos extratos, nos comprovantes,
devem ser objetivos, claros, verdadeiros e inclusive eletrônicos, nos contratos formalizados
em linguagem de fácil compreensão, não com os clientes, nos materiais de propaganda e
podendo conter informações negativas de publicidade e nos demais documentos que se
referentes a período superior a 5 (cinco) destinem aos clientes e usuários dos produtos e
anos.
serviços da instituição; e,
 Art. 73. Deixar de corrigir imediatamente
informação sobre consumidor constante de
c) registrado e mantido permanentemente
cadastro, banco de dados, fichas ou atualizado em sistema de informações, na forma
registros que sabe ou deveria saber ser estabelecida pelo BACEN.
inexata: Pena - Detenção de 1 (um) a 6 (seis)
meses ou multa. Funções da ouvidoria

a) receber, registrar, instruir, analisar e dar


2.5. Resolução 3.849/10 – OUVIDORIA tratamento formal e adequado às
Estabelece as reclamações dos clientes e usuários de
normas para a produtos e serviços das instituições que
implementação e não forem solucionadas pelo atendimento
atuação da habitual realizado por suas agências e
Ouvidoria nas quaisquer outros pontos de atendimento;
Instituições
Financeiras e demais

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
60
Curso Preparatório
FEBRABAN

b) prestar os esclarecimentos necessários e sua atuação seja pautada pela transparência,


dar ciência aos reclamantes acerca do independência, imparcialidade e isenção; e,
andamento de suas demandas e das b) assegurar o acesso da ouvidoria às
providências adotadas; informações necessárias para a elaboração de
c) informar aos reclamantes o prazo previsto resposta adequada às reclamações recebidas,
para resposta final, o qual não pode com total apoio administrativo, podendo
ultrapassar quinze dias, contados da data requisitar informações e documentos para o
da protocolização da ocorrência; exercício de suas atividades.
d) encaminhar resposta conclusiva para a As instituições devem designar perante o BACEN
demanda dos reclamantes até o mesmo os nomes do ouvidor e do diretor responsável
prazo; pela ouvidoria.
e) propor ao conselho de administração ou, I - não há vedação a que o diretor responsável
na sua ausência, à diretoria da instituição pela ouvidoria desempenhe outras funções na
medidas corretivas ou de aprimoramento instituição, exceto a de diretor de administração
de procedimentos e rotinas, em de recursos de terceiros;
decorrência da análise das reclamações II - nos casos dos bancos comerciais, bancos
recebidas; e, múltiplos, caixas econômicas, sociedades de
f) elaborar e encaminhar à auditoria interna, crédito, financiamento e investimento e
ao comitê de auditoria, quando existente, associações de poupança e empréstimo, o
e ao conselho de administração ou, na sua ouvidor não poderá desempenhar outra
ausência, à diretoria da instituição, ao final atividade na instituição, exceto a de diretor
de cada semestre, relatório quantitativo e responsável pela ouvidoria; e,
qualitativo acerca da atuação da III - na hipótese de recair a designação do diretor
ouvidoria, contendo as proposições de responsável pela ouvidoria e do ouvidor sobre a
que trata o inciso V. mesma pessoa, esta não poderá desempenhar
O serviço prestado pela ouvidoria aos outra atividade na instituição.
clientes e usuários dos produtos e serviços das As instituições devem adotar providências
instituições financeiras deve ser identificado por para que todos os integrantes da ouvidoria sejam
meio de número de protocolo de atendimento. considerados aptos em exame de certificação
Os relatórios de que trata o inciso VI, organizado por entidade de reconhecida
acima, devem permanecer à disposição do capacidade técnica. O exame de certificação
BACEN pelo prazo mínimo de cinco anos na sede deve abranger, no mínimo, temas relacionados à
da instituição. ética, aos direitos e defesa do consumidor e à
O estatuto ou o contrato social das mediação de conflitos.
instituições referidas no caput do art. 1º deve As instituições são responsáveis pela
conter, de forma expressa, entre outros, os atualização periódica dos conhecimentos dos
seguintes dados: integrantes da ouvidoria. A ouvidoria deve
I - as atribuições da ouvidoria; manter sistema de controle atualizado das
II - os critérios de designação e de destituição do reclamações recebidas, de forma que possam ser
ouvidor e o tempo de duração de seu mandato; e, evidenciados o histórico de atendimentos e os
III - o compromisso expresso da instituição no dados de identificação dos clientes e usuários de
sentido de: produtos e serviços, com toda a documentação e
a) criar condições adequadas para o as providências adotadas.
funcionamento da ouvidoria, bem como para que As informações e documentação devem
permanecer disponíveis para exame do BACEN

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
61
Curso Preparatório
FEBRABAN

pelo prazo mínimo de 5 ( cinco ) anos a contar da


data do protocolo da ocorrência. Se Ligue Nessa!
 Consultas deverão identificar completamente o
o consumidor, o fornecedor, os fatos, resultados
2.6. PROCON - Portaria Normativa n
esperados.
21/05  O pedido do consumidor não terá alteração,
podendo haver demais pedidos alternativos.
2.6.1 Procedimento de atendimento dos
Poderá ser apresentado oralmente ou por
Órgãos de Proteção escrito. Já as reclamações deverão ser
registradas por escrito, ou de ofício.
Os órgãos públicos de defesa do  A CARTA DE INFORMAÇÕES PRELIMINARES será
consumidor devem manter cadastros atualizados enviada ao Fornecedor, contendo o resumo do
sobre reclamações contra fornecedores de relato e pedido do consumidor. O prazo de
produtos e serviços, indicando inclusive se os resposta será de no máximo 10 dias a contar do
problemas foram recebimento da carta
solucionados.  A resposta poderá ser: positiva com total
É facultado o acolhimento e solução da pendência, positiva
acesso às com solução diversa da solicitada pelo
consumidor, negativa com fundamentos de
informações lá
fato e de direito, descaracterizando a
constantes para solicitação e podendo gerar instauração de
orientação e procedimento administrativo.
consulta por  Os casos não solucionados no estágio da Carta
qualquer de Informações Preliminares – CIP, o
interessado. Apenas as reclamações Fornecedor será cientificado da abertura de
fundamentadas poderão ser registradas (fatos reclamação por meio de NOTIFICAÇÃO, quando
reais). será aberto o prazo para:
Essa Portaria organiza o processo de i. atender ao pedido nela formulado,
registro, análise e encaminhamento das consultas ii. negar o pedido formulado cas0
e reclamações de consumidores e sua divulgação contenha os fundamentos de fato e de
direito para a descaracterização da
por meio do banco de dados e do cadastro de
fundamentação do pedido do
reclamações fundamentadas previsto pelo art. consumidor e, podendo haver
44, da Lei n.º 8.078, de 11 de setembro de 1990. instauração da reclamação; ou, ainda,
As consultas de consumidores serão iii. comparecer em audiência conciliatória,
apreciadas pelo órgão e poderão ser analisadas e juntamente com o consumidor,
encaminhadas com: objetivando conciliação entre as partes.
1) Encerramento e arquivamento do
caso; OBS: A ausência de manifestação em resposta à
2) Abertura de reclamação junto à Notificação, por parte do fornecedor, implica
própria PROCON. confissão deste quanto aos fatos alegados pelo
3) Orientação aos consumidores quanto consumidor demandante, e o sujeitará às sanções
cabíveis, por desobediência, nos termos do Código
à melhor forma de procederem para o
de Defesa do Consumidor.
resguardo de seus direitos e visando à
solução da questão.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
62
Curso Preparatório
FEBRABAN

Encerrada a audiência conciliatória, tomada visando o conjunto. O prazo para o


quando houver, haverá conclusão com: trâmite da ação coletiva, também é de 120 (cento
I – Termo de Encerramento, quando as partes, e vinte) dias.
sem justificativa, não comparecerem, dando
vez ao encerramento da reclamação. Conclusão das Reclamações
II – Termo de Comparecimento, quando estiver
ausente apenas uma das partes, ou quando, Finda a instrução, as reclamações
ambos os presentes, não houver acordo. receberão manifestação técnica conclusiva:
III – Termo de Acordo, com natureza de título I – Reclamação Fundamentada Atendida.
executivo extrajudicial, passível de II – Reclamação Fundamentada Não Atendida.
homologação pelo Poder Judiciário, quando III – Reclamação Encerrada.
ocorrer composição entre as partes. IV – Reclamação Não Fundamentada.
V – Consulta Fornecida.
Havendo indícios de infração às normas Será encerrado o procedimento
de defesa do consumidor, a reclamação poderá administrativo quando se verificar:
ser apreciada não apenas pela Diretoria de I – a desistência do consumidor;
Atendimento e Orientação ao Consumidor, mas II – o não comparecimento do consumidor à
também pela Diretoria de Fiscalização do órgão, audiência conciliatória para a qual tenha sido
que poderá, inclusive, fazer-se representar na previamente notificado, desde que não haja
audiência, para que, em sendo o caso, tome notícia nos autos de que essa ausência seja
desde logo as medidas cabíveis a cada caso. decorrente de composição prévia entre as
Entre o registro da reclamação e sua partes, em contato direto, sem intermediação
conclusão, será observado o prazo de 120 (cento da Fundação;
e vinte) dias prorrogável em função da III – ausência de elementos formais que
complexidade da questão, informando-se ao autorizem sua continuidade;
consumidor quanto a essa eventual prorrogação. IV – incorreção nos dados de abertura do
procedimento;
Ação Coletiva V – abertura de casos em duplicidade;
VI – registro de caso cuja natureza não permita
Sendo constatada a repetição de acolhimento do pedido pelo órgão, segundo
demandas individuais análogas, ainda que em seu Orientações Técnicas expedidas pela Diretoria
estágio preliminar (emissão de CIP), que versem de Atendimento e Orientação ao Consumidor.
sobre um mesmo problema, relativamente a um O Diretor de Atendimento e Orientação ao
mesmo fornecedor, indicando a possibilidade de Consumidor proferirá decisão final.
existência de dano coletivo, a Diretoria de
Atendimento e Orientação ao Consumidor Recurso
poderá, a seu critério, determinar a reunião dos
feitos individuais em uma única Reclamação É de 15 (quinze) dias o prazo aberto às
Coletiva. Também poderá haver uma reclamação partes para interposição de recurso em face
coletiva quando um grupo de consumidores se dessa decisão, a partir da publicação do ato ou de
sentirem prejudicados por um mesmo seu conhecimento inequívoco de acordo com a
Fornecedor, em principio, em condições iguais. Portaria. A decisão sobre o recurso publicada, as
Mesmo na reclamação o resultado será partes terão 15 (quinze) dias para vistas do
considerado e atribuído ao consumidor de forma processo e, findo esse prazo, este será arquivado.
individual, mesmo que a decisão tenha sido

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
63
Curso Preparatório
FEBRABAN

2.7. PROCON – Portaria Normativa no A instauração de processo sancionatório


33/09 não implica, salvo aplicação de medida cautelar,
em qualquer efeito à pessoa do autuado até a
Orienta o processo sancionatório, e dá decisão final.
outras providências. Os bens resultantes da apreensão ou
Verificados os indícios de ocorrência de oriundos de requisição constantes de auto de
infração às normas de proteção e defesa do notificação serão inutilizados, quando o
consumidor será lavrado auto de infração e fiscalizado, intimado a retirá-los, não o fizer no
instaurado o processo administrativo prazo determinado, observando se em todos os
sancionatório, podendo resultar na apreensão de casos, a conveniência da instrução processual.
bens que terá, tendo dentre outras, as seguintes Os autos de infração, apreensão,
finalidades: constatação e notificação deverão conter a
I - constituir prova administrativa, que identificação do fiscalizado, o local de sua
perdurará até decisão definitiva; ou, lavratura, data e hora, a assinatura do agente, o
II - assegurar a aplicação do procedimento número da cédula de identificação fiscal – CIF, e
previsto nesta Portaria, entre outras situações, ainda (dentre outras):
quando os produtos: • Narração dos fatos que constituem a
a) estiverem com o prazo de validade conduta infratora;
vencido; • Quando for aplicável a sanção de suspensão
b) encontrarem-se deteriorados, alterados, temporária da atividade ou fornecimento de
adulterados, avariados, falsificados, produtos, deverá constar a duração da
corrompidos, fraudados, nocivos à vida ou à medida;
saúde, perigosos ou, ainda, em desacordo com • O prazo e o local para o autuado apresentar
as normas regulamentares de fabricação, a defesa;
distribuição ou apresentação; • No auto de apreensão:
c) revelarem-se, por qualquer motivo, - a descrição e a quantidade dos bens
inadequados ao fim a que se destinam; apreendidos;
d) possuírem conteúdo líquido inferior às - a indicação do depositário, quando houver
indicações constantes do recipiente, da necessidade.
embalagem, rotulagem ou de mensagem • No auto de constatação: a narração dos
publicitária, respeitada as variações fatos verificados pelo agente.
decorrentes de sua natureza; O autuado será citado podendo, no prazo
e) não oferecerem a segurança que deles de 15 (quinze) dias, oferecer defesa:
legitimamente se espera, levando-se em a) indicando os fatos e fundamentos de direito
consideração: sua apresentação, o uso e os que embasam sua impugnação;
riscos que razoavelmente deles se espera e a b) juntando toda prova documental
época em que foram colocados em circulação. necessária;
O processo sancionatório inicia-se c) requerendo e indicando precisamente as
somente com a lavratura do auto de infração, provas adicionais pretendidas, com rol de
salvo nas hipóteses de ações que demandem testemunhas, se oral, e assistente técnico e
urgência constante desta Portaria, sendo as quesitos, se pericial, justificando sua
diligências fiscalizatórias, a exemplo de autos de pertinência.
constatação, apreensão e notificação, atos de • Toda prova documental deve
mera averiguação sem constituir gravame e, por acompanhar a defesa e o pedido para a
isso, prescindem de qualquer defesa.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
64
Curso Preparatório
FEBRABAN

juntada posterior deverá conter os motivos da contra o fornecedor nos cinco anos anteriores
não disponibilidade dos documentos na época. à constatação do fato motivador da autuação,
• Instruída a defesa com todas as provas observando-se o disposto no Código de Defesa
pretendidas, as alegações finais dela deverão do Consumidor;
fazer parte. b) trazer a prática infrativa consequências
Na hipótese de o fornecedor incorrer na danosas à saúde ou à segurança do
prática de publicidade enganosa ou abusiva ficará consumidor, ainda que potencialmente;
sujeito à imposição de contrapropaganda, c) ocasionar a prática infrativa dano coletivo
sempre a expensas do infrator. ou ter caráter repetitivo;
A contrapropaganda será divulgada da d) ter a prática infrativa ocorrido em
mesma forma, freqüência e dimensão e, detrimento de menor de dezoito ou maior de
preferencialmente no mesmo veículo local, sessenta anos ou de pessoas portadoras de
espaço e horários, de forma capaz de desfazer o deficiência física, mental ou sensorial,
malefício da publicidade enganosa ou abusiva. interditadas ou não e ocorrido em detrimento
Quando forem constatados vícios de quantidade da condição cultural, social e econômica do
ou de qualidade por inadequação ou insegurança consumidor;
do produto ou serviço, ficará o infrator sujeito à e) ser a conduta infrativa praticada em
sanção de suspensão do fornecimento do período de grave crise econômica ou por
produto ou serviço. ocasião de calamidade;
Quando o fornecedor reincidir na prática f) ser a conduta infrativa discriminatória de
de infrações de maior gravidade, previstas na qualquer natureza, referente à cor, etnia,
legislação de consumo e no anexo I da presente idade, sexo, opção sexual, religião, entre
Portaria, ficará sujeito à sanção de suspensão outras, caracterizada por ser constrangedora,
temporária da atividade, por até 25 dias. Findo intimidatória, vexatória, de predição,
esse prazo o Fornecedor fica sujeito a uma nova restrição, istinção, exclusão ou preferência,
verificação, podendo ser renovada a sanção. que anule, limite ou dificulte o gozo e exercício
As infrações serão classificadas de acordo com de direitos relativos às relações de consumo.
sua natureza e potencial ofensivo em quatro
grupos (I, II,III e IV) pelo critério constante do Fica autorizado o parcelamento dos
Anexo I da Portaria (atualizado pela Portaria no. débitos decorrentes de infrações à legislação de
36 de 15 de Outubro de 2.010). proteção e defesa do consumidor, em até 24
O valor das multas será aplicado considerando o (vinte e quatro) parcelas mensais, com
porte do infrator, sua receita média mensal, as atualização monetária pelo IPCA-e, acrescidos de
vantagens advindas da infração, ponderadas em juros moratórios de 1% (um por cento) ao mês,
função do grupo infracional que se enquadrou. nos limites e condições aqui estabelecidos.
As Multas não quitadas serão incluídas na Divida
Consideram-se circunstâncias atenuantes: Ativa do Estado.
a) ser o infrator primário;
b) ter o infrator, de imediato, adotado as Classificação das Infrações ao Código de Defesa
providências pertinentes para minimizar ou do Consumidor
reparar os efeitos do ato lesivo.
a) Infrações enquadradas no grupo I:
Consideram-se circunstâncias agravantes:  ofertar produtos ou serviços sem assegurar
a) ser o infrator reincidente, considerada para informações corretas, claras, precisas,
tanto decisão administrativa irrecorrível ostensivas e em língua portuguesa sobre

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
65
Curso Preparatório
FEBRABAN

suas características, qualidade, quantidade, inserir dados não permitidos no cadastro


composição, preço, condições de dos consumidores;
pagamento, juros, encargos, garantia e  Fornecer quaisquer informações que
origem entre outros dados relevantes; restrinjam o crédito do consumidor após
 deixar de fornecer prévia e consumada a prescrição relativa ao débito;
adequadamente ao consumidor, nas vendas  Promover publicidade enganosa e abusiva,
a prazo, informações obrigatórias sobre as deixar de entregar orçamento prévio;
condições do crédito ou financiamento (art.  Deixar de restituir quantia recebida a
52); maior;
 promover a publicidade de bens ou serviços  Submeter o consumidor ao ridículo na
por telefone, quando a chamada for cobrança débitos;
onerosa ao consumidor que a origina  Inserir no contrato cláusulas abusivas;
 promover publicidade de produto ou  Exigir mora superior ao limite legal, deixar
serviço de forma que o consumidor não a de assegurar a liquidação antecipada dos
identifique como tal, de forma fácil e débitos mediante redução proporcional dos
imediata (art. 36); encargos;
 Inserir no contrato perda total dos valores
b) Infrações enquadradas no grupo II: pagos no caso de inadimplemento;
 redigir instrumento de contrato que regula  Descumprir notificação do órgão de defesa
relações de consumo de modo a dificultar a do consumidor para tender reclamação do
compreensão do seu sentido e alcance (art. cliente;
46);  Outros.
 impedir, dificultar ou negar a desistência
contratual e devolução dos valores
recebidos, no prazo legal de 2.8.ÉTICA NO ATENDIMENTO
arrependimento, quando a contratação
ocorrer fora do estabelecimento comercial Integridade
(art. 49); Demonstrar
 Negar a desistência contratual; confiança na
 Deixar de destacar cláusulas contratuais conduta diária. Os
que impliquem na limitação do direito do profissionais
consumidor; certificados pela
c) Infrações do Grupo III: FEBRABAN devem
 Deixar, as concessionárias, de fornecerem apresentar absoluta
serviços públicos adequados e eficientes; confiança, com
 Deixar de cumprir oferta publicitária ou atitudes sinceras
obrigação estipulada em contrato; que não devem
 Deixar de assegurar o fornecimento de estar dependentes a trocas em ganhos ou
peças enquanto o produto for fabricado ou vantagens pessoais.
importado; ***QUEBRA DA INTEGRIDADE: UTILIZAR DE
 Impedir o consumidor o acesso gratuito às PROPAGANDAS FALSAS E ENGANOSAS A FIM DE
informações existentes em cadastros; “BATER SUAS METAS****.
 Manter cadastros de consumidores com
dados sem serem verdadeiros e claros ou

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
66
Curso Preparatório
FEBRABAN

Objetividade Probidade
Imparcialidade. Foco na prestação de serviços Incorpora integridade. Atuar com retidão e
profissionais aos clientes e na sua necessidade. responsabilidade conforme a legislação. Veta a
Na oferta e recomendações de empréstimos é prática de atos desonestos ou a aceitação de
necessária tal característica. conflitos de interesse.
O PROFISSIONAL NÃO DEVE: OFERTAR PRODUTOS O PROFISSIONAL NÃO DEVE:
QUE NÃO ATENDAM A VONTADE DO CLIENTE.  TOLERAR CONFLITOS DE INTERESSES

Diligência
Competência Diligência significa cuidado e gerenciamento.
Conhecimento, Qualificação e Habilidades. Manter o controle. Gerenciar com zelo as contas
Conhecimento aplicado diariamente na prestação dos clientes.
de serviços. Assertividade nas recomendações O PROFISSIONAL NÃO DEVE:
dos empréstimos.  ATUAR COM DESCASO OU DISPLICÊNCIA
O PROFISSIONAL NÃO DEVE: NAS PROPOSTAS DE NEGÓCIO DOS
 OFERTAR PRODUTOS DE FINANCIAMENTO CLIENTES.
NÃO ASSIMILADOS;
 OMITIR TARIFAS, E DEMAIS ASPECTOS DOS Ética na venda
EMPRÉSTIMOS. No dia-a-dia do profissional, ofertar produtos
com ética é mais que cumprir as metas de vendas
Confidencialidade atribuidas, o profissional que atua com ética
Não se deve expor nenhuma informação do busca criar um relacionamento de longo prazo
cliente sem o seu consentimento (salvo sob sustentável com o cliente.
determinação judicial). Este principio vai ao
encontro da Lei Complementar nº105/01 que trata Venda Casada
do Sigilo Bancário. A prática da Venda Casada é impedida pelo
O PROFISSIONAL NÃO DEVE: Código de Defesa do Consumidor sendo
 FORNECER INFORMAÇÕES A TERCEIROS A considerada prática abusiva, onde especifica “é
RESPEITO DOS EMPRÉSTIMOS DE vedado ao fornecedor de produtos ou serviços
CLIENTES; condicionar o fornecimento de um produto ou
 “INDICAR” OU PASSAR TELEFONE E serviço ao fornecimento de outro produto ou
CONTATOS DE CLIENTES SEM PRÉVIO serviço.” Prática em subordinar a venda de um
CONSENTIMENTO. serviço a outro o qual o cliente não necessita. A
resolução 2878 do CMN determina às instituições
Profissionalismo – Conduta Profissional financeiras que: “É vedada a contratação de
Compromisso de colaborar com outros quaisquer operações condicionadas ou
profissionais para melhorar a classe dos serviços vinculadas à realização de outras operações ou à
e manter a representação notória da ocupação. aquisição de bens ou serviços.”
Comportamento digno e cortês com profissionais
colegas.
O PROFISSIONAL NÃO DEVE:
 JULGAR OU POR EM CHEQUE A QUALIDADE
DE PROFISSIONAIS LOTADOS EM
INSTITUIÇÕES CONCORRENTES;
 DESMORALIZAR A CLASSE PROFISSIONAL.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
67
Curso Preparatório
FEBRABAN

MÓDULO IIIa – Crédito Veículos

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
68
Curso Preparatório
FEBRABAN

3.1. Lei 6.099/74 – Leasing e Aspecto *Importante: a previsão de a arrendatária pagar


Tributário valor residual garantido em qualquer momento
durante o contrato, não caracteriza o exercício da
O Arrendamento Mercantil é o negócio opção de compra.
jurídico realizado entre
pessoa jurídica, na qualidade Captação através da LAM - Letra de
de arrendadora (fornece um Arrendamento Imobiliário
bem), e pessoa física ou Trata-se de um título de crédito emitido
jurídica, na qualidade de arrendatária (recebe o pelas empresas de arrendamento mercantil que
bem), segundo nececidades da arrendatária e representa promessa de pagamento em dinheiro.
para uso próprio desta. A LAM não constitui operação de
O leasing ou arrendamento mercantil empréstimo ou adiantamento, por sua aquisição
pode ser opção de aquisição de veículo, pois a em mercado primário ou secundário, nem se
pessoa física ou jurídica adquirente tem o direito considera valor mobiliário.
de uso do bem, mediante a contraprestação dos A LAM será emitida sob a forma escritural,
valores do contrato. mediante registro em sistema de registro e de
Possui características de aluguel em liquidação financeira de ativos autorizada pelo
conjunto com financiamento efetuado entre um BACEN.
cliente e uma IF com atividade de sociedade de A transferência de titularidade da LAM será
arrendamento mercantil (arrendadora), durante operada no sistema referido acima, que será
o prazo determinado, cujo pagamento é responsável pela manutenção do registro das
efetuado em parcelas (contraprestações). Após o negociações.
vencimento do prazo, o arrendatário poderá:
 Devolver o bem arrendado; Aspectos Tributários
As contraprestações de arrendamento
 Renovar o contrato de arrendamento, ou;
mercantil somente serão dedutíveis quando o
 Adquirir o bem pelo preço residual fixado
bem arrendado estiver relacionado
no momento da celebração do contrato.
intrinsecamente com a produção e
Esta operação se assemelha, no sentido
comercialização dos bens e serviços, onde se
financeiro, a um financiamento que utilize o bem
incluem:
como garantia e que pode ser amortizado num
a) os bens móveis e imóveis no desempenho das
determinado número de "aluguéis" (prestações)
atividades de contabilidade;
periódicos, acrescidos do valor residual garantido
b) os bens imóveis utilizados como
e do valor devido pela opção de compra.
estabelecimento da administração;
Através de um contrato de leasing, o
c) os bens móveis nas atividades operacionais,
arrendatário tem condições de possuir um
instalados em estabelecimento da empresa;
equipamento ou bem com parcelas enquadradas
d) os veículos do tipo caminhão, caminhoneta de
a sua capacidade.
cabine simples ou utilitário utilizados no
Uma ocorrência comum é os bancos
transporte de mercadorias e produtos adquiridos
oferecerem o leasing como uma linha de crédito,
para revenda, de matéria-prima, produtos
onde a realidade é que o bem é vendido a prazo.
intermediários e de embalagem aplicados na
Parte do valor da venda do bem é separada como
produção;
VRG e dividida entre a entrada e parte das
e) os veículos do tipo caminhão, caminhoneta de
parcelas mensais. Com isto, tem-se um
cabine simples ou utilitário, as bicicletas e
empréstimo com menos encargos tributários.
motocicletas utilizados pelos cobradores,

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
69
Curso Preparatório
FEBRABAN

compradores e vendedores nas atividades de de desenvolvimento, as caixas econômicas e as


cobrança, compra e venda; sociedades de crédito imobiliário também podem
f) os veículos do tipo caminhão, caminhoneta de realizar as operações de leasing financeiro.
cabine simples ou utilitário, as bicicletas e Atenção: Apenas as sociedades de
motocicletas utilizados nas entregas de arrendamento mercantil e os bancos múltiplos co
mercadorias e produtos vendidos; carteira de arrendamento mercantil poderão
g) os veículos utilizados no transporte coletivo de operar a modalidade leasing operacional.
empregados;
h) os bens móveis e imóveis utilizados em Subarrendamento
pesquisa e desenvolvimento de produtos ou Os Bancos Múltiplos com carteira de
processos; arrendamento mercantil e as sociedades de
i) os bens móveis e imóveis próprios, locados pela arrendamento mercantil podem realizar
pessoa jurídica que tenha a locação como objeto operações de arrendamento com entidades
de sua atividade; domiciliadas no exterior, com vistas unicamente
j) os bens móveis e imóveis objeto de ao posterior subarrendamento dos bens a PJ, no
arrendamento mercantil nos termos da Lei País.
6.099/74, pela pessoa jurídica arrendadora; São vedadas as operações de
k) os veículos utilizados na prestação de serviços subarrendamento quando houver coligação,
de vigilância móvel, pela pessoa jurídica que direta ou indireta, ou interdependência entre a
tenha por objeto essa espécie de atividade. arrendadora domiciliada no exterior e a
subarrendatária domiciliada no País.
Os bancos múltiplos com carteira de
3.2. Lei 11.649/08 – Leasing de Veículos arrendamento mercantil e as sociedades de
A arrendadora, no prazo máximo de 30 arrendamento mercantil devem repassar às
dias, deverá encaminhar a nota promissória subarrendatárias domiciliadas no País, em
vinculada ao contrato, com o carimbo de contratos de arrendamento mercantil financeiro,
“liquidada” ou “sem efeito” e o certificado de realizados, todos os custos, taxas, impostos,
propriedade preenchido (DUT), para que seja comissões, outras despesas relativas à obtenção
providenciada a transferência da propriedade, do bem arrendado e demais condições pactuadas
desde que quitadas as parcelas vencidas e no contrato firmado com as entidades do
vincendas, cumpridas as obrigações pecuniárias exterior, acrescidos de sua remuneração,
previstas em contrato, inclusive com os inclusive aquelas referentes à eventual aquisição
comprovantes de pagamento de IPVA, DPVAT e dos direitos e obrigações de contratos, podendo
de multas pagas nas esferas federal, estadual e tais despesas e encargos ser incorporados ao
municipal pelo arrendatário. Descumprimento : custo do bem arrendado.
2% de multa sobre o valor do veículo

3.3.1 Características de Leasing


3.3. Resolução 2.309/96 – Normas de
Arrendamento Mercantil Modalidades
Leasing Financeiro - É a operação na qual
Instituições Operadoras a arrendatária tem a intenção de ficar com o bem
Os bancos múltiplos com carteira de ao término do contrato, exercendo a opção de
investimento, de desenvolvimento e/ou de crédito compra pelo valor contratualmente estabelecido.
imobiliário, os bancos de investimento, os bancos

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
70
Curso Preparatório
FEBRABAN

O risco da obsolescência e as despesas de mercantil os bens de produção estrangeira que


manutenção, assistência técnica e serviços forem enumerados pelo Conselho Monetário
correlatos à operacionalidade do bem arrendado Nacional.
são de responsabilidade da arrendatária. Os contratos de arrendamento mercantil
celebrado com entidades domiciliadas no
Leasing Operacional - É a operação na exterior serão submetidos ao registro no BACEN.
qual a arrendatária, a princípio, não tem a São condições para registro:
intenção de adquirir o bem ao final do contrato. A  critérios para fixação do prazo de
arrendatária poderá ao final do contrato ter as vida útil do bem;
seguintes opções: devolver o bem à arrendadora,  compatibilidade do prazo de
prorrogar o prazo do contrato ou exercer a arrendamento do bem com a sua
opção de compra do bem pelo seu valor de vida útil;
mercado, à época de tal opção. A manutenção, a  relação entre o preço internacional
assistência técnica e os serviços correlatos à do bem o custo total do
operacionalidade do bem arrendado podem ser arrendamento;
de responsabilidade da arrendadora ou da  cláusula de opção de compra ou
arrendatária, e conforme previsão contratual. renovação do contrato

As operações de arrendamento mercantil Devolução ou recuperação dos bens arrendados:


contratadas com o próprio vendedor do bem ou É permitido à entidade arrendadora, nas
com pessoas a ele coligadas ou hipóteses de devolução ou recuperação dos bens
interdependentes somente podem ser arrendados:
contratadas na modalidade de arrendamento I - conservar os bens em seu ativo imobilizado,
mercantil financeiro. (Ex. A Volkswagen não pelo prazo máximo de 2 (dois) anos;
pode fazer leasing operacional (Banco II - alienar ou arrendar a terceiros os referidos
Volkswagen) de seus veículos). bens.

Prazos MÍNIMOS para arrendamento:


FINANCEIRO 3.3.2 Contratos de Arrendamento Mercantil
 2 anos: bens com vida útil de até
cinco anos. Fontes de Recursos
 3 anos: demais bens. (Ex. Imóveis) As sociedades de arrendamento mercantil podem
empregar em suas atividades, além de recursos
OPERACIONAL próprios, os provenientes de:
 90 DIAS I - empréstimos contraídos no exterior;
A operação de arrendamento mercantil II - empréstimos e financiamentos de instituições
será considerada como de compra e venda a financeiras nacionais, inclusive de repasses de
prestação se a opção de compra for exercida recursos externos;
antes de decorrido o respectivo prazo mínimo. III - instituições financeiras oficiais, destinados a
repasses de programas específicos;
Bens de Produção Estrangeira IV - colocação de debêntures de emissão pública
ou particular e de notas promissórias destinadas
à oferta pública;
Somente poderão ser
objeto de arrendamento

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
71
Curso Preparatório
FEBRABAN

V - cessão de contratos de arrendamento A aquisição de contratos de arrendamento


mercantil, bem como dos direitos creditórios mercantil cujos bens arrendados tenham sido
deles decorrentes; adquiridos com recursos de empréstimos
VI - depósitos interfinanceiros, nos termos da externos ou que contenham cláusula de variação
regulamentação em vigor; cambial, bem como dos direitos creditórios deles
VII - outras formas de captação de recursos, decorrentes, somente pode ser realizada com a
autorizadas pelo BACEN. utilização de recursos de empréstimos obtidos no
As sociedades de arrendamento mercantil e as exterior.
instituições financeiras autorizadas à prática de As sociedades de arrendamento mercantil
operações previstas neste Regulamento (2309) podem oferecer, em garantia de empréstimos
podem contratar empréstimos no exterior, com que contraírem nos mercados interno ou
as seguintes finalidades: externo, a caução de direitos creditórios de
I - obtenção de recursos para aquisição de bens contratos de arrendamento mercantil.
para fins de arrendamento; A cessão de contratos de arrendamento
II - aquisição de direitos creditórios decorrentes mercantil, bem como dos direitos creditórios
de contratos de arrendamento mercantil que deles decorrentes, a entidades domiciliadas no
contenham cláusula de variação cambial; exterior, depende de prévia autorização do
III - aquisição de contratos de arrendamento BACEN.
mercantil que contenham cláusula de variação As instituições podem utilizar recursos
cambial, desde que sejam realizadas por bancos oriundos de empréstimos externos, contraídos
múltiplos e possuam carteira de arrendamento nos termos da Resolução nº 63, de 21.08.67 (que
mercantil e as sociedades de arrendamento regula modalidade de entrada de recursos
mercantil. externos no país), em operações de
As sociedades de arrendamento mercantil arrendamento mercantil. Estas operações
podem contratar empréstimos, financiamentos, somente podem ser contratadas tendo como
repasses de recursos e prestação de garantias com arrendatárias pessoas jurídicas.
instituições financeiras A parcela dos recursos externos que for
controladoras, coligadas amortizada pelo pagamento das
ou interdependentes, contraprestações pode ser utilizada em novas
observado que os operações de arrendamento mercantil, em
respectivos encargos repasses a clientes ou em aplicações alternativas
devem ser os autorizadas para os recursos externos destinados
normalmente cobrados a repasses.
em operações de espécie, Respeitados os prazos mínimos em que se
realizados com terceiros. pode realizar as operações de arrendamento
Fonte: Isto É mercantil, financeiro e operacional, referidas
(Ex. Debêntures Itauleasing x Compromissadas acima somente podem ser realizadas por prazos
Itaú) iguais ou inferiores ao da amortização final do
As operações de cessão e aquisição de empréstimo contratado no exterior, cujos
contratos de arrendamento, no mercado interno, recursos devem permanecer no País consoante
exceto as referidas no parágrafo anterior, são as condições de prazo de pagamento no exterior
restritas aos bancos múltiplos com carteira de que forem admitidas pelo BACEN na época da
arrendamento mercantil e às sociedades de autorização de seu ingresso.
arrendamento mercantil.
Objeto e Forma

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
72
Curso Preparatório
FEBRABAN

O objeto de arrendamento mercantil deve Exemplo:


destinar-se ao uso próprio do arrendatário, sob Valor do bem : R$ 50.000,00
pena de a operação ser considerada compra e VRG : R$ 15.000,00 e Valor de Arrendamento
venda a prestação. (“aluguel”): R$ 35.000 (não pode exceder 75% do
Um contrato de leasing (instrumento valor do bem – máximo R$ 37.500,00)
público ou particular) deve possuir: Taxa: 2% ao mês
Prazo: 24 meses

Se Ligue Nessa! Dado na HP 12c:

 o prazo de ou a fórmula de cálculo das Botões Processo


contraprestações e reajustes. Tela HP
 forma de pagamento das contraprestações, não Utilizados Interno HP
superiores ao intervalo de 1 (um) semestre cada,
salvo no caso de operações que beneficiem Limpar o
0,000
atividades rurais (intervalo máximo 1 ano), ( / ) registro
 condições para arrendatária no direito de optar Registrar o
50.000,000
pela renovação do contrato, pela devolução dos (50000 / ) valor presente
bens ou pela aquisição dos bens arrendados; Registrar a taxa
 concessão à arrendatária de opção de compra (2 / ) 2,000
de juros
dos bens arrendados, devendo ser estabelecido Registrar o
o preço para seu exercício ou critério utilizável 24,000
(24 / ) prazo
na sua fixação;
 as despesas e os encargos adicionais, inclusive
Calcula o valor
despesas de assistência técnica, manutenção e de cada parcela
serviços inerentes à operacionalidade dos bens da série (sinal
-2.643,555
arrendados, admitindo-se, ainda, para o negativo
arrendamento mercantil financeiro; representa
 as condições para eventual substituição dos desembolso)
bens arrendados, devendo a substituição ser
formalizada por intermédio de aditivo Ao final do Contrato, desde que acordado,
contratual; o arrendatário poderá exercer a opção de
compra ao valor acordado no Contrato e o
veículo passará para a sua propriedade. No geral
o valor contratado e pago, incluso o VRG diluído é
CÁLCULO DO VALOR DO ARRENDAMENTO o valor final do veículo acordado em contrato.

O cálculo de arrendamento mercantil financeiro é


3.4. Circular Bacen 3248/06
similar ao financiamento na modalidade CDC. Há
neste caso também
Os contratos de leasing que verificam ao
um VRG - Valor
seu vencimento a opção por parte do
Residual Garantido,
arrendatário em adquirir o bem arrendado,
que é diluído nas
também devem prever que durante a vigência do
parcelas. Já o Leasing
contrato o arrendatário poderá desistir do
operacional não
arrendamento, que na realidade significa locação.
possui essa forma.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
73
Curso Preparatório
FEBRABAN

Para o arrendamento mercantil operacional devendo inclusive submeter- se ao processo de


existe a similaridade de uma locação e poderá ser Certificação Profissional a ser elaborado e
rescindido, com a simples devolução do bem ou realizado pela FEBRABAN. O Certificado terá que
com um acerto financeiro para o exercício da ser renovado no vencimento de seu prazo de
opção de compra a valores estipulados em validade.
contrato ou a valor de mercado, se estipulado em
contrato. O acerto financeiro poderá prever a 3.5.1 Documentos para oferta de operações
liquidação proporcional do Valor Residual no mercado de veículos
Garantido, previsto em contrato.
Para o Leasing Financeiro, o VRG - Valor
Residual Garantido é dissolvido ao longo do
Se Ligue Nessa!
contrato. A sua liquidação é permitida e tem
 Nos casos em que algum dos itens listados nas
como base de cálculo o valor presente do
planilhas não se aplique à operação ou, ainda,
contrato. A liquidação antecipada ocorrerá após com relação aos itens onde o consumidor optar
decorridos os prazos mínimos para pelo não financiamento ou arrendamento
caracterização de uma operação de daqueles valores, os campos destinados aos
arrendamento mercantil. Se a liquidação for feita valores desses itens deverão ser preenchidos
antes desses prazos mínimos, a operação perde com “R$ 0,00” (ZERO), uma vez que o propósito
as características de arrendamento mercantil e das planilhas é o de retratar, para o consumidor,
passa a ser enquadrada como operação de de forma precisa, os custos envolvidos na
compra e venda a prestação, o que pode operação de crédito ou de arrendamento
acarretar custos adicionais para o cliente. mercantil financeiro.
 Na hipótese de não aceitação da proposta, por
parte da instituição Signatária ou Conveniada, o
3.5. Normativo 005/2009 custo relativo à tarifa de avaliação do bem
(veículo) dado em garantia da operação, se já
O Conselho de Autorregulação Bancária,
efetuado esse procedimento, será assumido por
sanciona as regras abaixo dispostas, ela.
formalizando preceitos comuns a todas as  O prazo de validade da oferta não poderá ser
instituições associadas às entidades conveniadas inferior a 3 (três) dias úteis.
ao Sistema de Autorregulação Bancária (as  Compete às Signatárias e Conveniadas fornecer
“Conveniadas”), relativamente à padronização a cada um dos Agentes habilitados acesso a suas
dos documentos a serem utilizados nos cotações, simulações e propostas de operações
procedimentos de oferta e contratação de de crédito direto ao consumidor e de
operações de crédito direto ao consumidor e arrendamento mercantil financeiro.
arrendamento mercantil financeiro, no mercado  Esse fornecimento deverá se dar mediante a
de veículos. assinatura de um Termo de Recebimento, por
Dispõe sobre a obrigatoriedade de todas meio dos Agentes, no qual será fixada a
obrigatoriedade de uso dos orçamentos.
as Instituições Signatárias, em apresentar
 O fato de que a não utilização das planilhas,
orçamento padrão e definido em anexo deste
pelos Agentes, inviabilizará a concretização de
normativo, simulando os custos da operação de qualquer contratação de operações de crédito
arrendamento mercantil e suas demais direto ao consumidor e de arrendamento
condições, ao potencial arrendatário. mercantil financeiro por eles cotadas ou
Reforça a norma, da obrigatoriedade dos simuladas, no mercado de veículos.
profissionais envolvidos direta ou indiretamente
com esta operação, estarem preparados,

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
74
Curso Preparatório
FEBRABAN

3.6. Procedimentos da Operação de O Correspondente assina o documento dando fé


Financiamento de Veículos. ao bem vistoriado e envia à Instituição para a
O processo de financiamento de veículos finalização do processo de financiamento.
envolve vários procedimentos e documentos que
devem ser tomados ou preenchidos para a Alienação Fiduciária
finalização e formalização do financiamento de A Alienação Fiduciária pode ser registrada
veículos e estes seguramente fazem parte do dia- nos órgãos do Departamento de Transito e
a-dia das atividades dos correspondentes. figurar no documento do veículo, mas o mais
importante, é que esse registro cria o “domicilio”
Autorização para Pagamento a Terceiros do bem ao credor e só pode ser regularmente
Nesse documento, vinculado à CCB - comercializado se o credor registrado autorizar a
CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO emitida, o comercialização, e este, enquanto o devedor não
cliente autoriza a liberação dos recursos ao liquidar em sua totalidade o seu débito, não irá
vendedor do veículo (terceiro) devidamente autorizar. Está fechado assim o circulo da
identificado. Este documento formaliza e isenta a garantia fiduciária ao credor.
Instituição de liberar qualquer outro valor ao
financiado. Relatório de Visita ao Pleiteante
Relatório que detalha a onde são
Autorização para Pagamento de Saldo Devedor certificadas as informações fornecidas na Ficha
Em caso de liberação de recursos para a Cadastral.
Instituição Financeira que ainda é credora no Visita-se a residência comprovando-se que
outro financiamento ao mesmo veículo, para o devedor reside no local, o tempo em que está
liquidar antecipadamente outro contrato. O valor naquele local. Relata confirmações e informações
acordado como saldo devedor é liberado pela verbais sobre o potencial financiado.
Instituição atual à Instituição credora anterior e o
saldo é liberado ao vendedor. A formalização da
autorização, da mesma forma, isenta a Instituição
de liberar qualquer outro valor ao financiado.

Compromisso de Responsabilidade De Veículo


Alienado
Formaliza a responsabilidade do vendedor
em entregar à Instituição o documento do
veículo livre de ônus. O Compromisso assinado
pelo vendedor é vinculado à nova operação e CCB
emitida e tem 30 dias para a regularização sob
pena de ter a obrigação da liquidação antecipada
do contrato e CCB sem qualquer outro aviso.

Laudo de Vistoria
Documento emitido pelo Correspondente
que certifica a existência e o estado do veículo
para dar legitimidade ao financiamento.
Como prova física da vistoria há, no
formulário, um campo para o decalque do chassi.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
75
Curso Preparatório
FEBRABAN

MÓDULO IIIb – Crédito Consignado

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
76
Curso Preparatório
FEBRABAN

Atribuições do empregador
4.1. Lei 10.820/03 – Autorização para  Efetuar os descontos autorizados pelo
desconto em Folha empregado em folha de pagamento e
Os empregados regidos pela Consolidação repassar o valor à instituição consignatária
das Leis do Trabalho - CLT poderão autorizar, de até o quinto dia útil após a data de
forma irrevogável e irretratável, o desconto em pagamento da remuneração ao
folha de pagamento dos valores referentes ao empregado.
pagamento de empréstimos, financiamentos e  É facultado ao empregador descontar na
operações de arrendamento mercantil folha de pagamento do mutuário os
concedidos por instituições financeiras e custos operacionais decorrentes da
sociedades de arrendamento mercantil, quando realização da operação, as quais podem
previsto nos respectivos contratos. O desconto estar relacionadas:
também poderá incidir sobre verbas rescisórias I - tarifa bancária cobrada pela instituição financeira
devidas pelo empregador, se assim previsto no referente à transferência dos recursos da conta-
corrente do empregador para a conta-corrente da
respectivo contrato de empréstimo,
instituição consignatária;
financiamento ou arrendamento mercantil, até o II - despesa com alteração das rotinas de
limite de trinta por cento. processamento da folha de pagamento para
I - empregador, a pessoa jurídica assim definida realização da operação.
pela legislação trabalhista;  Informar no demonstrativo de
II - empregado, aquele assim definido pela rendimentos do empregado, de forma
legislação trabalhista; discriminada, o valor do desconto mensal
III - instituição consignatária, a instituição decorrente de cada operação de
autorizada a conceder empréstimo ou empréstimo, financiamento ou
financiamento ou realizar operação de arrendamento, e seus custos operacionais.
arrendamento mercantil;  a efetivação do desconto em folha de
IV - mutuário, empregado que firma com pagamento do mutuário deverá ser
instituição consignatária contrato de iniciada pelo empregador no mínimo 30
empréstimo, financiamento ou arrendamento dias e no máximo 60 dias após o
mercantil regulado por esta Lei; e recebimento da autorização
V - verbas rescisórias, as importâncias devidas em  Definir as condições gerais dos
dinheiro pelo empregador ao empregado em empréstimos aos empregados em
razão de rescisão do seu contrato de trabalho. conjunto com a Consignatária.
 prestar ao empregado e à instituição
Se Ligue Nessa! consignatária, mediante solicitação formal
do primeiro, as informações necessárias
 No momento da contratação da operação, a
soma dos descontos não poderá exceder a 30% para a contratação da operação de crédito
da remuneração disponível. ou arrendamento mercantil, inclusive:
 A lei em comento considera como sendo  a data
“Consignações Voluntárias” aquelas autorizadas habitual de pagamento
pelo empregado e não relacionadas como mensal do salário;
remuneração disponível. É o caso, por exemplo,  o total já
de descontos referentes a convênio farmácia, consignado em operações
convênio com supermercados, plano de saúde, preexistentes;
plano de previdência privada, seguros, dentre  as demais
outros. Neste caso, o limite é de 40%. informações necessárias para o cálculo da
margem disponível.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
77
Curso Preparatório
FEBRABAN

Os descontos das liberações dos recebam seus benefícios retenha, para fins de
consignados possuem preferência sobre outros amortização, valores referentes ao pagamento
descontos posteriores. mensal de empréstimos, financiamentos e
operações de arrendamento mercantil por ela
Atribuições da Instituição Consignatária concedidos, quando previstos em contrato, nas
 Definir os valores de liberação de livre condições estabelecidas em regulamento,
acordo com o empregado. observadas as normas editadas pelo INSS. Neste
 Não recusar o empréstimo, financiamento caso, o próprio Instituto Nacional de Seguridade
ou arrendamento caso o empregado Social define os prazos para o início dos
possua todos os pré-requisitos descontos autorizados e para o repasse das
necessários. prestações às instituições consignatárias. É de
responsabilidade do INSS:
Funcionamento Geral e Repasses  Retenção dos valores autorizados pelo
É assegurado ao empregado o direito de beneficiário e repasse à instituição
optar por instituição consignatária que tenha consignatária nas operações de desconto,
firmado acordo com o empregador, com sua não podendo ultrapassar 30% do
entidade sindical, ou qualquer outra instituição pagamento do benefício.
consignatária de sua livre escolha, ficando o  Manutenção dos pagamentos do titular
empregador obrigado a proceder aos descontos do benefício na mesma instituição
e repasses por ele contratados e autorizados. É financeira enquanto houver saldo devedor
vedada aos empregadores, entidades e centrais nas operações em que for autorizada a
sindicais a cobrança de qualquer taxa ou retenção.
exigência de contrapartida pela celebração ou É vedado ao titular de benefício que
pela anuência nos acordos. realizar qualquer das operações referidas nesta
O empregador não oferecerá aval nas operações Lei solicitar a alteração da instituição financeira
de consignado de seus empregados, porém pagadora, enquanto houver saldo devedor em
responderá sobre os valores devidos dos amortização.
repasses, como devedor solidário e principal. Na
hipótese de comprovação de que o pagamento
mensal do empréstimo, financiamento ou 4.3. Lei 8112/90 – Servidores Públicos
arrendamento foi descontado do mutuário e não Federais
foi repassado pelo empregador à instituição
consignatária, fica ela proibida de incluir o nome A Lei 8112/90 nasceu
do mutuário em qualquer cadastro de para integrar os preceitos
contidos no Art. 37 da CF;
inadimplentes.
Institui o Regime
Jurídico dos servidores
públicos civis da União,
4.2.INSS e Lei 10.953/04 Autarquias, inclusive as
Os titulares de benefícios de especiais, e as Fundações
aposentadoria e pensão do RGPS - Regime Geral Públicas Federais;
de Previdência Social - poderão autorizar o Cargo: é a menor parcela de poder do Estado
Instituto Nacional do Seguro Social – INSS - a previsto em numero certo e ocupado por servidor
público.
proceder aos descontos referidos no art. 1o desta Emprego: é a unidade ocupada por quem possui
Lei, bem como autorizar, de forma irrevogável e vinculo contratual regido pela CLT.
irretratável, que a instituição financeira na qual

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
78
Curso Preparatório
FEBRABAN

Função: é o rol de atribuições desempenhadas I- Crime;


II- Abandono de cargo (faltar sem justificativa por mais 30
pelos agentes públicos. dias consecutivos);
Vencimento: é a retribuição pecuniária pelo III- Inassiduidade habitual (sessenta dias interpolados)
exercício do cargo. Não pode ser menor que um IV- Improbidade administrativa;
V- Incontinência pública e conduta escandalosa;
salário mínimo e é irredutível. VI- Insubordinação;
VII- Ofensa física;
Remuneração: é o vencimento mais as VIII- Aplicação irregular de dinheiro público;
vantagens (gratificações permanentes) de caráter IX- Revelação de segredo do cargo;
X- Lesão aos cofres públicos;
pessoal. Para fins de cálculo de margem XI- Dilapidação do patrimônio;
consignável, será deduzido da remuneração total: XII- Corrupção;
I - diárias; XIII- Prática de crimes contra licitação;
II - ajuda-de-custo; XIV- Acumulação ilegal de cargos: o servidor tem 10 dias para
decidir, se não será instaurado um PAD.
III - indenização da despesa do transporte quando o
servidor, em caráter permanente, for mandado servir em
nova sede;
4.4. Lei 8213/91 – Plano de
IV - salário-família; Benefícios de Previdência Social
V - gratificação natalina;
VI - auxílio-natalidade;
VII - auxílio-funeral;
VIII - adicional de férias;
IX - adicional pela prestação de serviço extraordinário;
X - adicional noturno;
XI - adicional de insalubridade, de periculosidade ou
de atividades penosas; e
XII - qualquer outro auxílio ou adicional estabelecido
por lei e que tenha caráter indenizatório.

Se Ligue Nessa!
*Para Cálculo da Margem Consignável, respeitando-se o
limite de 30% (trinta por cento) sobre os VENCIMENTOS
do servidor:

Somente considerar como proventos os valores fixos (não


variáveis) discriminados em seu contracheque (não
aplica-se aqui valores como adicinais, gratificações, horas
extras ou quaisquer outros valores que possam sofrer
alterações de um mês para outro).

Estabilidade do Servidor Público

Estágio Probatório: Prazo 3 anos. A análise de


crédito deve levar isto em conta antes de liberar o
consignado. Caso o estágio probatório seja de
funcionário público efetivo em outro cargo, e se
este não for aprovado, retornará ao cargo de
origem. Caso não seja, será exonerado.
Demissão: É a dispensa do servidor a título de
penalidade funcional. Deve sempre ser motivada.
São casos para Demissão:

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
79
Curso Preparatório
FEBRABAN

4.5. Consignado para Servidores


Públicos (ativos, inativos e
pensionistas): Decretos 4.840/03 e
6.386/08
Poderão tanto o empregador quanto as
entidades e
centrais sindicais
firmar, com uma
ou mais
instituições
consignatárias,
acordo que
defina condições
gerais e demais critérios a serem observados nos
empréstimos, financiamentos ou arrendamentos
que venham a ser realizados com seus
representados.
Os contratos de empréstimo,
financiamento ou arrendamento celebrados ao
amparo deste Decreto preverão
obrigatoriamente prestações fixas ao longo de
todo o período de amortização (somente poderá
ser utilizada a tabela SAC caso o consignado seja
para atender um empréstimo imobiliário).

A liberação do crédito ao mutuário


somente ocorrerá após:
I - a confirmação do empregador, por escrito
ou por meio eletrônico certificado, quanto à
possibilidade da realização dos descontos
II - a assinatura, por escrito ou por meio
eletrônico certificado, do contrato entre o
mutuário e a instituição consignatária; e
III - a outorga ao empregador, por parte do
mutuário, de autorização, em caráter irrevogável
e irretratável, para a consignação das prestações
contratadas em folha de pagamento.
Cabe ao empregador informar no
demonstrativo de rendimentos do empregado,
de forma discriminada, o valor do desconto
mensal decorrente de cada operação de
empréstimo ou financiamento, bem como os
custos operacionais. Até o integral pagamento do
empréstimo ou financiamento, as autorizações
dos descontos somente poderão ser canceladas

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
80
Curso Preparatório
FEBRABAN

mediante prévia concordância da instituição • prestação referente a empréstimo


consignatária e do empregado. Em caso de concedido por cooperativas de crédito
rescisão do contrato de trabalho do empregado constituídas, na forma da lei, com a
antes do término da amortização do empréstimo finalidade de prestar serviços financeiros a
caberá ao mutuário efetuar o pagamento mensal seus cooperados;
das prestações diretamente à instituição • prestação referente a empréstimo ou
consignatária. financiamento concedidos por entidades
Considera-se, para fins do Decreto bancárias, caixas econômicas ou entidades
6386/08: integrantes do Sistema Financeiro da
I - consignatário: pessoa física ou jurídica de Habitação;
direito público ou privado destinatária dos • prestação referente a financiamento
créditos resultantes das consignações imobiliário concedido por companhia
compulsória ou facultativa, em decorrência de imobiliária integrante da administração
relação jurídica estabelecida por contrato com o pública indireta da União, Estados e
consignado; Distrito Federal e cuja criação tenha sido
II - consignante: órgão ou entidade da autorizada por lei
administração pública federal direta ou indireta, A soma mensal das consignações
que procede descontos relativos às consignações facultativas de cada consignado não excederá a
compulsória e facultativa na ficha financeira do 30% da respectiva remuneração, excluído do
servidor público ativo, do aposentado ou do cálculo o valor pago a título de contribuição para
beneficiário de pensão, em favor do serviços de saúde patrocinados por órgãos ou
consignatário; entidades públicas. As consignações
III - consignado: servidor público integrante da compulsórias prevalecem sobre as facultativas.
administração pública federal direta ou indireta, Importante: Não será permitido o desconto de
ativo, aposentado, ou beneficiário de pensão, consignações facultativas até o limite de 30%,
que por contrato tenha estabelecido com o quando a sua soma com as compulsórias exceder
consignatário relação jurídica que autorize o a 70% da remuneração do consignado. Não será
desconto da consignação; incluída ou processada no SIAPE (Sistema
IV - consignação compulsória: desconto incidente Integrado de Recursos Humanos) a consignação
sobre a remuneração, subsídio ou provento que implique excesso do limite da margem
efetuado por força de lei ou mandado judicial consignável estabelecida.
(contribuições de seguridade e previdência,
imposto de renda). Prevalece sob a Consignação
Facultativa; Se Ligue Nessa!
V - consignação facultativa: desconto incidente
sobre a remuneração, subsídio ou provento,  As consignações compulsórias prevalecem sob as
facultativas.
mediante autorização prévia e formal do  Não será permitido o desconto de consignações
interessado, na forma deste Decreto. As parcelas facultativas até o limite de 30%, quando a sua
dos consignados não se encontram no topo das soma com as compulsórias exceder a 70% da
ordens de prioridade, onde há a dedução de remuneração do consignado.
pensão alimentar voluntária, mensalidade de  A base de cálculo NÃO é a remuneração total.
 Empréstimos de crédito direto ou CDC, caso não
seguro e planos de saúde. Dentre as
vinculados a bens imóveis, deverão ter prazo
consignações facultativas para consignados se máximo de 60 MESES.
incluem:

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
81
Curso Preparatório
FEBRABAN

A consignação em folha de pagamento não Arrendamento Mercantil Financeiro


implica co-responsabilidade dos órgãos e das Tratando-se de operações de arrendamento
entidades da administração pública federal direta mercantil financeiro, deve ser observado que a
e indireta, cuja folha de pagamento seja relação entre o somatório das contraprestações
processada pelo SIAPE, por dívidas ou pagas e o valor total das contraprestações não
compromissos de natureza pecuniária, assumidos pode ser superior à razão entre o tempo
pelo consignado junto ao consignatário. decorrido e o prazo total da operação.
Parc. Pagas/Total Parc. (inf/=) Prazo decorrido/Prazo Total

4.6. Circular BACEN 2.905/99 e Os contratos de concessão de crédito devem


2.936/99 – Prazos mínimos em conter informações a respeito de todos os
encargos e despesas incidentes no curso normal
operações de renda fixa e
da operação, discriminando:
informações de encargos. I - a taxa efetiva mensal e anual equivalente
As operações ativas e passivas de crédito aos juros;
realizadas no âmbito do mercado financeiro com II - o índice de preços ou a base de
remuneração contratada com base em taxas remuneração, caso pactuado;
prefixadas não estão sujeitas a prazos mínimos. III - os tributos e contribuições e os
Não são aplicáveis a operações sujeitas a respectivos valores;
legislação ou regulamentação específica. (Ex. IV - as tarifas e demais despesas e os
Cotas de Fundos, LCI, Debêntures, Arrendamento respectivos valores.
Mercantil)
Se a operação estiver atrelada as taxas abaixo No caso de operações nas quais o valor de
respeitará os seguintes prazos mínimos (Ex. CDBs qualquer encargo ou despesa seja definido
e CCBs): apenas por ocasião da liberação ou da colocação
I - Taxa Referencial - TR ou Taxa de Juros de dos recursos à disposição do contratante, a
Longo Prazo - TJLP: 1 mês; cláusula contratual que expresse essa condição
deve informar o veículo a ser utilizado para a
II - Taxa Básica Financeira - TBF: 2 meses. comunicação desse valor (Ex. custos do
empregador no repasse da parcela do
Nas operações contratadas com base na TBF, consignado à instituição consignatária.)
a remuneração superior ou inferior a essa taxa, No caso de contratos prevendo a
quando prevista, não pode ser capitalizada, possibilidade de majoração do valor de qualquer
devendo ser somada ou subtraída da TBF. Já para encargo ou despesa, é obrigatória a inclusão de
as demais taxas pós-fixadas, fica liberado o prazo cláusula estipulando que o contratante será
mínimo da operação. previamente informado da elevação respectiva,
Para indexadores de índices de preços por meio do veículo de comunicação previsto
(inflação) o período mínimo é 1 ano, tanto nos contratualmente.
investimentos quanto nos créditos bancários.
Não poderá haver dois indicadores para
remunerar uma mesma operação. (Ex. Cliente 4.7. Instrução Normativa INSS/DC Nº
não poderá pagar em seu empréstimo inflação e 121/05 – procedimento geral para
juros ao mesmo tempo).
consignação de beneficiários
Podem ser consignados e/ou retidos
descontos na renda mensal dos benefícios de

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
82
Curso Preparatório
FEBRABAN

aposentadoria ou de pensão por morte, após a V - recebidos por meio de representante legal do
efetiva contratação com a instituição segurado: dependente, tutelado ou curatelado;
consignatária, desde que: VI - pagos por intermédio da empresa convenente;
I - o desconto, seu valor e o respectivo número de VII - pagos por intermédio de cooperativas de créditos
que não possuam contratos para pagamento e
prestações a consignar sejam expressamente
arrecadação de benefícios.
autorizados pelo próprio titular do benefício;
Serão recusados os pedidos de
II - a operação financeira tenha sido realizada
consignação, retenção e Reserva de Margem
pela própria instituição financeira ou pela
consignável - RMC, cujos valores a descontar dos
sociedade de arrendamento mercantil a ela
respectivos benefícios superem a margem
vinculada;
consignável.
III - a instituição financeira tenha celebrado
convênio com o INSS para esse fim.
Autorização por Meio Eletrônico
IV - o somatório dos descontos e/ou retenções
Obtida a partir de comandos seguros
consignados para pagamento de parcelas não
gerados pela aposição
exceda, no momento da efetiva contratação, a
de senha ou assinatura
30% do valor do benefício, excluindo-se demais
digital do titular do
vantagens percebidas e deduzidas as seguintes
benefício em sistemas
consignações obrigatórias:
I - contribuições devidas pelo segurado à
eletrônicos
Previdência Social; reconhecidos e
II - pagamento de benefícios além do devido; validados pelo Banco
III - imposto de renda; Central ou pelo
IV - pensão alimentícia judicial; Conselho Monetário
V - mensalidades de associações e demais
entidades de aposentados legalmente
Nacional, para a
reconhecidas, desde que autorizadas por seus consignação/retenção/constituição de Reserva de
filiados. Margem Consignável- RMC.
A instituição consignatária deve informar
no ato da contratação eletrônica:
Se Ligue Nessa! I - valor total financiado;
II - taxa efetiva mensal e anual de juros;
*A instituição financeira ou sociedade de arrendamento III - todos os acréscimos remuneratórios, moratórios e
mercantil concedente do empréstimo deverá conservar em tributários, que eventualmente incidam sobre o valor
seu poder, pelo prazo de 5 anos, a contar da data do financiado, principalmente a Taxa de Abertura de Crédito -
término do empréstimo, a autorização firmada pelo titular TAC;
do benefício, por escrito ou por meio eletrônico, para o IV - valor, número e periodicidade das prestações;
empréstimo, financiamento ou operação de arrendamento V - soma total a pagar com o empréstimo, financiamento ou
mercantil ou constituição de Reserva de Margem operação de arrendamento mercantil.
Consignável – RMC.
Os titulares dos benefícios poderão
constituir Reserva de Margem Consignável - RMC,
Não poderá ser concedido consignado para de até dez por cento do valor do benefício
Benefícios INSS: atualizado, observando-se o limite de trinta por
I - concedidos nas regras de acordos internacionais cento sobre o valor do benefício, já deduzidas as
para segurados residentes no exterior; consignações. A RMC será processada e
II - pagos por intermédio da Empresa Brasileira de identificada pela Empresa de Tecnologia e
Correios e Telégrafos - ECT; Informações da Previdência Social – Dataprev.
III - pagos a título de pensão alimentícia;
IV - assistenciais;

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
83
Curso Preparatório
FEBRABAN

Caso o valor das parcelas do empréstimo, Às instituições financeiras pagadoras de


financiamento ou arrendamento mercantil não benefício que optarem pela modalidade de
exceda o percentual máximo constituído da RMC, retenção, será permitida a transferência do
o percentual remanescente desta permanecerá benefício para outro município, mantendo a
disponível para a consignação de descontos e/ou mesma modalidade, desde que na microrregião
retenções operacionalizadas por meio de cartão de destino haja agência bancária da instituição
de crédito. Os encargos praticados pela financeira. Caso não haja agência bancária da
instituição financeira nas operações de instituição financeira que realizou o empréstimo,
empréstimos, financiamentos e operações de financiamento e operação de arrendamento
arrendamento mercantil, inclusive os realizados mercantil, será permitida a transferência do
por intermédio de cartão de crédito, deverão ser benefício para outro município, alterando a
idênticos para todos os beneficiários, na mesma modalidade de retenção para consignação.
Unidade da Federação, admitindo-se variação A Dataprev é responsável tanto pelos
exclusivamente em função do prazo da operação. procedimentos operacionais quanto pela
Quaisquer alterações dos encargos deverão ser segurança da rotina de envio dos créditos em
informadas ao INSS com antecedência mínima favor das instituições financeiras não pagadoras
de cinco dias úteis. de benefícios.

Repasse de Valores Fornecimento do Crédito ou Arrendamento


O repasse dos valores referentes às Consignado
consignações em favor da instituição financeira A instituição consignatária obriga-se a
ou sociedade de arrendamento mercantil será liberar o valor contratado no prazo máximo de
efetuado pelo INSS até o quinto dia útil da data 48 (quarenta e oito) horas após a confirmação da
de início da validade do crédito do benefício via margem consignável pela Dataprev e a informar
Sistema de Transferência de Reservas – STR. Os ao titular do benefício, no prazo descrito, o local
custos operacionais serão absorvidos e a data em que o valor do
integralmente pelas instituições financeiras empréstimo/financiamento será liberado,
consignatárias e pagos à Dataprev, até o 5º dia principalmente quando tal liberação for feita por
útil, mediante crédito em conta a ser indicada meio de ordem de pagamento.
pela Dataprev, por expressa autorização do INSS.
O primeiro desconto na renda do benefício dar- Divulgação do convênio
se-á no primeiro mês subseqüente ao do envio A instituição consignatária deverá divulgar
das informações pelas instituições financeiras as regras acordadas no convênio celebrado aos
para a Dataprev titulares de benefício que autorizaram as
consignações/retenções/constituição de RMC
diretamente em seus benefícios, obedecendo,
Se Ligue Nessa! nos materiais publicitários que fizer veicular, as
normas do Código de Proteção e Defesa do
*Para a instituição financeira que realize o Consumidor. Nas operações que envolvem cartão
pagamento de benefícios e opte pela de crédito, a instituição consignatária encaminhar
modalidade de retenção, o INSS repassará o mensalmente aos titulares dos benefícios extrato
valor integral do benefício sendo de sua total com descrição detalhada das operações
responsabilidade o desconto do valor referente realizadas, contendo valor, local onde estas
ao pagamento das parcelas. foram efetivadas, bem como informar o telefone
e o endereço para a solução de dúvidas.

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
84
Curso Preparatório
FEBRABAN

Você chegou ao final do conteúdo, Parabéns!


Se precisar de auxílio, encontre-nos nas redes
sociais!

www.cebesa.com.br duvidas@cebesa.com.br
85

Você também pode gostar