Você está na página 1de 112

Curso de Mercado e Opções

Maurício Hissa (Bastter)

Ricardo C. Hissa (Predador)


Ola,

Muito obrigado por fazer o nosso curso.

O nosso maior objetivo com este curso é conseguir que todos passem
a gerenciar suas finanças adequadamente para poderem ter uma vida
tranqüila.

Deixe de lado, as noites mal dormidas, a angústia do day-trade, os


olhos esbugalhados dos traders, as gastrites, dores no peito o mal-
estar permanente. A partir de agora vamos usar o mercado para
acumular capital a longo prazo e nos permitir uma vida equilibrada
nos aspectos financeiro, social de saúde e familiar.

E o que é melhor:

Quem opera com tranqüilidade, visando o longo prazo, acaba tendo


mais dinheiro, pois não vive sob pressão.

Começamos montando uma carteira de ações de boas empresas e


vamos alimentar esta carteira com as taxas das opções.

O nosso curso não é uma ferramenta pronta; é o início de um


caminho. Você vai ter de desenvolver estratégias pessoais, pois nós
todos somos diferentes, mas na busca do seu caminho estamos aqui
para te ajudar.

A parte técnica está presente no curso. O mercado, as operações com


opções são uma parte importante do curso. Mas sem equilibrar sua
vida, sem operar dentro das suas possibilidades, a técnica é inútil e
no fim de tudo o mais importante é ter uma reserva financeira
consistente que te permita viver melhor e é nisso que queremos te
ajudar acima de tudo.

Que o mercado deixe de ser o seu inimigo e passe a ser um aliado


para que você tenha uma vida melhor. Vamos parar de trabalhar para
o mercado e vamos colocá-lo para trabalhar para nós...

Abraços e sejam bem vindos,

Bastter e Predador

2
Fundamentos do Curso:

1. Não consiste de um método, um modelo ou um trading system


sensacional com rendimentos maravilhosos.

2. É baseado na literatura sobre mercado e opções e na experiência


dos professores.

3. O objetivo principal é levar o aluno através do estudo e da prática


a desenvolver seus próprios métodos e estratégias.

4. Para quem desejar educação continuada após o curso, oferecemos


a área exclusiva Bastter Blue.

5. Os fundamentos principais ensinados são:


5.1. Comportamento de mercado e Gerenciamento Financeiro.
5.2. Álgebra de operações com opções.
5.3. Planilha Aspreads para operações com opções.
5.4. Estudo de operações de tendência, faixa, taxa e volatilidade.
5.5. Remuneração de Carteira de ações com opções.

Vantagens Extras para os alunos:


1. Acesso a PARTE EXTENSÃO da Bastter Blue do site Bastter.Com
que consiste das seções PLANILHA ASPREADS e APOSTILA.

2. Dois meses de acesso ao FORMULÁRIO DE PERGUNTAS da


Bastter Blue.

Como aluno você só terá direito a estas seções, se desejar ter acesso
total a Área Exclusiva Bastter Blue, acesse:
http://www.bastter.com.br/BR/MERCADO/Especial/BB/Inscricao.aspx
(ou entre no site Bastter.Com e acesse a seção Bastter Blue)

A PLANILHA ASPREADS é um oferecimento do curso, para que os


alunos possam estudar suas operações nela.

Para a PLANILHA funcionar online é necessário um sinal de bolsa.

Qualquer link DDE com excell que não seja de parceiros da Bastter
Blue, deve ser feito pelo aluno e ele deve solicitar suporte a empresa
com a qual ele tem vínculo. Só recomendamos usar a planilha com
sinal de empresas ligadas a Bastter Blue. Qualquer outro sinal é de
responsabilidade do usuário e não damos qualquer espécie de
suporte.

3
Conteúdo Programático:

Parte I – As Bases e os Fundamentos de Mercado e Opções

1. Introdução ao Mercado
2. Gerenciamento Financeiro e Análise de Risco
3. Opções – Black and Scholes – Volatilidade
4. O Operador de Opções
5. Planilha Aspreads para operar opções

Parte II – Operações com Opções

6. Financiamento
7. Reversão
8. Compra e Compra de Volatilidade
9. Venda e Venda de Volatilidade
10. Operações Alvo

Parte III – Remuneração da Carteira de Ações

11. Marcadores e Indicadores para Carteira e Opções


12. Nível 1 – Carteira de Ações
13. Nível 2 - Venda Coberta
14. Nível 3 - Reversão Coberta
15. Nível 4 – Vaca Coberta
16. Planejamento e Prática

4
Parte I – As Bases e os Fundamentos do
Mercado e das Opções

5
Aula 1 – Introdução ao Mercado

1. O Mercado

O lobo usualmente não ataca o ser humano, mas ataca e caça tudo
que o ser humano traz com ele: Seus cachorros, suas provisões, etc.

Assim o lobo vai destruindo o ser humano aos poucos enquanto se


aproveita dele. se o ser humano caça, o lobo rouba a caça, se o ser
humano produz algo, o lobo pega para ele.

Há casos de lobos que perseguem seres humanos durante semanas


na neve, sem atacar o ser humano, mas atacando tudo que o ser
humano traz com ele.

Na bolsa os lobos vão levar o seu dinheiro. Não gostou, não entre na
bolsa ou se for entrar, prepare-se adequadamente.

Depois não reclame que lá dentro só tinham lobos...

6
2. Você no Mercado

Nós no mercado somos como este patinho. Só sobrevivemos se


ficarmos quietos comendo pelas beiradas.

Se você não tem tamanho para mexer o mercado, não adianta querer
operar como quem tem esta capacidade.

O máximo que podemos conseguir é uma taxa razoável a longo


prazo, que nos possibilite acumular um bom capital em ações de boas
empresas.

Cresça, quieto, escondido, pois se te descobrirem, você certamente


será expulso.

Não fale muito, não faça propaganda, não ache que sabe demais.
Fique quieto no seu canto e tente passar o mais despercebido quanto
possível.

7
3. O Seu Time é só Você

Não há como ganhar de forma consistente no mercado, seguindo


dicas, trading systems, analistas, jornais, etc. Tudo que vale alguma
coisa tem um preço. No mercado não existe cortesia e nem nada de
graça. No lunch free...

Para sobreviver no mercado e se tornar um vencedor, é necessário


que você desenvolva suas próprias estratégias e acima de tudo se
desenvolva como pessoa e operador, porque no frigir dos ovos o que
vai decidir, são suas emoções.

Na bolsa só existe um inimigo que você tem de vencer: você mesmo.


Esqueça os outros, nunca foi entre você e os outros, sempre foi entre
você e você mesmo.

A bolsa não perdoa a empáfia e a soberba assim como ela não perdoa
quem se preocupa mais com os outros do que consigo mesmo.

Lembre-se é você e mais ninguém quem acerta, quando você


acerta, mas é você e mais ninguém quem erra, quando você erra.

4. Seja Diferente

Para ganhar na bolsa, você tem de ser diferente. Quem seguir a


massa não terá chance.

Trilhar o seu caminho próprio e especial. Criar seus métodos, sua


forma de interpretar o mercado, seus indicadores, seus planos.

Quem acredita NUNCA ganha na bolsa. A bolsa não é um lugar de


fé, de crenças. A bolsa é um lugar de planejamentos e estratégias.

Não acredite em ninguém e acima de tudo não acredite nas suas


crenças.

Padrões funcionam até você descobri-los. A pior coisa para fazer na


bolsa é procurar padrões. Se fosse possível operar padrões, um
computador nos EUA já tinha acabado com a bolsa.

“Quando você descobre a resposta, eles mudam a pergunta...”


(Burrão)

8
5. O Inimigo

O único inimigo que você tem na bolsa é você mesmo.


Só se preocupe com os seus erros, com as suas operações.

Esqueça todas estas entidades fantasiosas do tipo Telegang e


Manipulação e atente para você mesmo, o seu único inimigo.

É você e somente você que vai impedir sua vitória na bolsa e


especialmente a sua humanidade.

“Seres Humanos não tem chance na bolsa.”


Marcio

6. Termos Patetas

• Alta Especulativa; Alta sem volume; Alta que ainda não rompeu X;
Alta sem consistência; Alta mas meu gráfico ainda indica queda; Alta
só por causa de notícia; Alta porque é fim de mês ou fim de ano; Alta
só porque é um pequeno repique...
Alta é quando os preços fecham mais altos que o dia anterior

• Queda sem volume; Queda que segurou em Y; Queda sem


consistência; Queda para aliviar indicadores; Queda só porque a
tesouraria Z está desovando; Manipulação dos Tubas; Queda para
poder subir...
Queda é quando os preços fecham mais baixos que o dia
anterior

• Preço justo; Preço alvo; Preço teórico; Preço segundo a minha


análise; Preço que vai estar dia tal; Preço que deveria estar; Preço
que o analista disse que vai estar...
Preço só existe um: O que está na pedra

Se você puder esquecer todos estes termos e se ater tão e somente a


realidade, já será um grande passo para se tornar um vencedor na
bolsa.

9
7. Única forma de ganhar dinheiro na bolsa:

• Comprando por X e vendendo por mais que X

OU

• Vendendo por X e comprando por menos que X

Qualquer plano, estratégia, método, seja lá o que for só vai ganhar


na bolsa se fizer uma das duas coisas acima.

Não compliquem mais o que já é complicado.

8. Previsões

Existem diversas formas de tentar prever os movimentos da bolsa.


Todas válidas, mas nenhuma garantida e a maioria inútil.

Iniciantes devem estudar estratégias, defesas, formas de diminuir o


risco, formas de preservar seu capital e não formas de prever o
futuro, o que a maioria faz e normalmente é inútil.

Ainda que você consiga prever o futuro, o que é relativamente fácil


na bolsa, já que a bolsa só sobe, cai ou acumula, se você não souber
o que está fazendo, vai perder.

Se qualquer sistema de previsão ou trading system acertar mais do


que 50% de forma garantida e consistente, a bolsa acaba e este
sistema irá ganhar todo o dinheiro da bolsa após algum prazo.

Ao invés de se iludir com o que é impossível, utilize a matemática


simples para verificar que só existe um caminho para sobreviver na
bolsa: Trabalho muito duro.

O que define se você vai vencer na bolsa é gerenciamento financeiro


e controle de risco. Acertar o mercado só dá dinheiro para quem vive
de fazer análises.

10
9. Sobreviver no Mercado Financeiro

1. Proteja seu capital


2. Proteja seu capital
3. Leia as duas anteriores
Warren Buffet

• O que importa na bolsa é SOBREVIVER.

Se o seu dinheiro acabar, game over, portanto proteja o seu dinheiro.


A melhor forma de fazer isso é arriscando bem pouco, especialmente
no início.

Nas opções, pela possibilidade de alavancagem, pode-se ganhar


muito com operações relativamente pequenas e de risco baixo.

10. Mantenha sua profissão e seu trabalho

Se você largar seu trabalho para pagar suas contas com a bolsa, o
mais provável é que você termine sem trabalho e com uma dívida
imensa.

É difícil ganhar dinheiro na bolsa, mas é quase impossível ganhar


quando você PRECISA ganhar.
A bolsa não paga salário e muito menos contas!

Remunerar capital através de taxas no longuíssimo prazo, é quase


que a única forma de um pequeno investidor acumular capital com
auxílio do mercado financeiro.

Ganhar na bolsa é igual a emagrecer, só que ao contrário. Evite o


efeito iôiô quando for emagrecer ou quando for ganhar dinheiro na
bolsa. Os ganhos devem ser pequenos e consistentes ao longo de
muito tempo e não grandes e rápidos, pois estes últimos não se
solidificam e você logo os perde.

A bolsa pode ser uma atividade adicional para pessoas que possuem
renda (aposentados) ou que não precisam produzir renda (jovens que
moram com os pais), mas não pode ser o único fator gerador de
dinheiro para sustentar uma família.

Se você deseja viver de bolsa, transforme a bolsa em um trabalho:


Agente Autônomo, trabalhar em corretora, etc. Isso é bem diferente
da ilusão de ganhar a vida fazendo trades.

11
11. Emoções – No fim das contas é só isso.

• Medo – O medo de fazer o que tem de ser feito.


Ex1: Comprar no fundo ou vender no topo.
Ex2: Executar o STOP.

• Ambição – A vontade de ganhar mais, quando o lucro já é o


esperado, o planejado.

• Anestesia – Não tomar atitudes que deveriam ser tomadas para


limitar o prejuízo.
Ex: Não dar stop e ficar olhando o mercado desabar ou subir.

• Soberba ou Empáfia – Achar que sabe mais que o mercado, achar


que dominou o mercado, que os outros são otários, etc.
Esta é a mais grave de todas e a que leva a mais prejuízos.

Ou você se desenvolve como operador e aprende a controlar suas


emoções ou é melhor fazer uma parceria e ter outro para operar para
você enquanto você monta as estratégias.

Qualquer um pode virar um grande estrategista e conhecer muito


sobre opções, mas nem todos serão grandes operadores.

O aprendizado de mercado passa por muito estudo e muito treino.


Você tem de aprender e desenvolver as estratégias, mas necessita
também se desenvolver como operador.

O que caracteriza o bom operador é a ausência de raciocínio e


pensamento. Ele apenas cumpre o plano como uma máquina. Na
hora de operar, quanto menos você pensar melhor.

Tenha sempre um plano com todas as possibilidades, escrito no papel


ou digitado no computador, pois para operar bem você tem de
cumprir o plano, logo só se pode cumprir o que existe.

Se você não tem um plano completo anotado, você não está se


desenvolvendo como estrategista e nem como operador. Perda de
tempo e de dinheiro.

Diferença entre o operador de mercado e o operador de emoções:

- O operador de emoções não tem um plano, decide na hora e não


sabe o que vai fazer se der tudo errado, pois só planeja lucros.

- O operador de mercado e opções tem um plano e executa o plano.

“Para entrar eles tem certeza, para sair rezam...”


Predador

12
Aula 2 – Gerenciamento Financeiro e Análise de
Risco

1. Gerenciamento Financeiro

Uma pessoa desorganizada financeiramente não tem chance no


mercado, especialmente em se tratando de opções.

Você faz no mercado exatamente o que você faz na sua vida pessoal.

O primeiro passo para vencer na bolsa é se organizar


financeiramente. Passar a ter uma vida financeira equilibrada. Só
viver com o que ganha, saber quanto ganha, saber o quanto gasta,
investir todo mês, etc.

Se você é desorganizado financeiramente e não sobra dinheiro para


nada, e está cheio de dívidas, não ache que o mercado vai resolver o
seu problema. Você vai apenas arrumar mais um problema e muito
maior do que todos que já encarou.

2. Primeira Medida

Desconfiar

Quem acredita em tudo que lhe é oferecido não tem chance na bolsa,
porque a bolsa oferece sonhos e ilusões de enriquecimento fácil todos
os dias.

O máximo que podemos conseguir é remunerar nosso capital um


pouco acima do CDI e isso já É MUITA COISA!

13
3. Medidas Adicionais

• Abandonar o Comportamento de Jogador.

A bolsa não é cassino, você sim, pode ser um jogador. O


comportamento de jogador envolve sempre a busca de
rendimentos maravilhosos.

Como isso está sempre ligado a riscos enormes, após algumas


vitórias iniciais para viciar no caminho errado, mais cedo ou
mais tarde o jogador quebra.

Busque um rendimento um pouco maior que o CDI e já estará


ganhando MUITO.

• Assumir seus erros e responsabilidades.

Só você erra e só você lhe causa prejuízos. Entenda isso ou


nunca vai mudar e nunca vai parar de perder.

Enquanto a culpa for dos outros ou de entidades fantasiosas


como tubarões, você não vai mudar de atitude e vai continuar
perdendo até acabar o seu dinheiro.

• Produzir mais e ser eficiente.

Não basta ganhar na bolsa, há de ser eficiente.

Eficiência = Rendimento / Tempo e Energia dispensados

O rendimento tem de ser suficiente para justificar o tempo e


energia gastos. Ficar o dia inteiro olhando o monitor raramente
é eficiente.

Por exemplo, se eu olho o monitor 30 minutos por dia, e você


olha 7 horas por dia, terá de ganhar 14 vezes mais do que eu,
para ser eficiente.

A maior eficiência da bolsa, é ganhar dinheiro, aumentando seu


capital, sem ter de tomar conta toda hora.

Quando você passa a operar com tranqüilidade, do tamanho


que pode, e sem riscos desnecessários, o tempo perdido na
frente do monitor, pode ser utilizado para ganhar dinheiro com
outros trabalhos, fazer esportes, passear com a família, etc.

14
• Ter vida fora da bolsa (esportes, lazer, etc).

A bolsa te consome como um Monstro Bolha. Vai tomando


conta da sua vida e em pouco tempo a sua vida só se resume a
bolsa. Você só fala nisso, só vive isso, só quer saber de bolsa e
mais nada.

Além de destruir a sua vida, quem fica assim, não tem chance,
pois não é mais um investidor remunerando capital, mas um
zumbi dominado pela bolsa.

Pratique esportes, saia com a família, vá ao cinema, tenha


hobbies. Acima de tudo, quando a bolsa fechar, esqueça a bolsa
até ela abrir de novo.

• Não perder sua vida no trânsito.

Quem fica três horas por dia no trânsito, está perdendo a sua
vida e seu dinheiro, porque poderia estar produzindo naquelas
três horas ou praticando esportes, saindo com a família, etc.

Organize sua vida. Não há mais razão com o mundo conectado


para pegar um engarrafamento todo dia.

• Se Equilibrar em todas as áreas.

Equilíbrio Financeiro
Equilíbrio Social
Equilíbrio Familiar
Equilíbrio no trabalho
Saúde equilibrada

Sem isso, não se ganha na bolsa.

4. Gastos X Receitas

Poupar 10 a 20% do que ganha.


Não compre o que não precisa com o dinheiro que não tem.
Só compre a vista e com dinheiro que tem.
Passe a ser um recebedor de juros.
Não tenha dívidas NUNCA!

15
5. Investimentos

Juros sobre juros – todo mês um pouco.


A única forma de acumular capital e enriquecer através dos
tempos, com raras exceções é se valendo do juros sobre juros.

Compre – não venda e não troque (IR, corretagem, spread, erro).


Acumule capital. Se ficar trocando toda hora, o custo acaba com
suas economias.

Não é um investimento maravilhoso que vai te fazer rico, mas a


disciplina de não gastar mais do que pode e poupar todo mês.

Só você pode cuidar do seu dinheiro.


Aprenda a investir. Ninguém fará melhor do que você.

6. Tipos de Investimentos

• Renda Fixa
• Renda Variável
• Moeda Estrangeira
• Imóveis

Acumule mais, não fique vendendo e trocando toda hora. O que


importa no longo prazo é ter mais de cada um. Divida segundo
suas condições financeiras, tolerância ao risco, idade, etc.

7. Só Existe o Longo Prazo

Praticamente a única forma de o pequeno investidor pessoa física


ganhar de forma consistente na bolsa, é através da construção
lenta e através do tempo de uma boa carteira de ações.

As opções são o melhor instrumento para aumentar o rendimento


da carteira de ações, através do uso de taxa, alem de funcionar
como um hedge e seguro para a carteira.

Crie um método, defina se este método é vencedor no longo


prazo. Não opere cada operação de forma individual. O que
importa não é a operação atual, mas o método no longo prazo.

O especulador de opções, com raras exceções ou desiste, ou fica


louco, ou fica pobre e doente.

16
8. IBOV Dolarizado

Fonte: Enfoque

Observem a rentabilidade do IBOV através dos tempos e vejam


quanto você pode aumentar seu capital se compra ações de boas
empresas e guardar.

Só use para isso dinheiro que não vai precisar e uma parte do seu
capital para não ter de sair nas épocas de queda.

Se você juntar a esta rentabilidade, remuneração com taxas de


opções, pode em 10 a 15 acumular um grande capital que dê
tranqüilidade a sua vida.

Dificilmente um trader que opera pensando no curto prazo irá superar


esta rentabilidade e para a maioria das pessoas isso é impossível.
Não podemos esquecer que os custos do trader em termos de spread,
corretagem e impostos e erros será imenso.

17
9. Juros Compostos

Fonte: Mauro Halfeld – Jornal O Globo

Observem no gráfico acima como depois de um tempo, o rendimento


do juros sobre juros se torna extraordinário.

Fazendo isso com ações de boas empresas e remunerando com


opções enquanto reaplica os dividendos, juros, etc., o acumulo de
capital poderá ser muito maior do que com qualquer outra atividade
na sua vida, desde que seja feito pensando sempre em longo prazo e
não em trades curtos.

18
10. Investimentos Maravilhosos

Não existem.
Qualquer coisa que dê mais que o CDI, desconfie.

O que faz a tua reserva e capital não é um investimento espetacular,


mas poupar todo mês e a capitalização da taxa no longo prazo.

11. O Custo de Operar Demais

- Gross Return (Retorno Bruto)


- Net Return (Retorno Líquido)
- Turnover (Quantidade de Operações)

Indo da esquerda para a direita, vemos que com um turnover maior


(mais operações) apesar do retorno bruto se manter o mesmo, o
retorno líquido vai diminuindo porque o custo aumenta (corretagem,
imposto, spread).

Qualquer método vencedor no longo prazo deve consistir de poucas


operações que só são feitas, ou quando ocorrem oportunidades, ou
quando é necessário algum tipo de defesa.

Operar demais, faz com que o custo aumente muito e fica difícil
vencer no longo prazo.

19
12. Análise de Risco

Risco: Possibilidade de perda ou de responsabilidade pelo dano.

Toda operação no mercado deve ter RISCO LIMITADO e o RISCO


MÁXIMO da operação não pode te abalar nem financeiramente e
nem emocionalmente.

Você pode perder o que está arriscando? Você está preparado para
perder o que está arriscando? Se não está, diminua o tamanho da
operação, arrisque menos.

Você sempre pode perder tudo que está arriscando. Depois que
você monta a operação, você vai tentar não perder tudo que está
arriscando, mas está decisão não está totalmente em suas mãos.
O mercado pode decidir por você.

Não arrisque o que você não pode perder. Este é o começo do


fim.

Retorno: Quanto lucro pode dar uma operação.

Também tem de estar definido, apesar de algumas vezes poder


ser ilimitado.

Não busque o retorno ilimitado. Defina, antes de iniciar a


operação, o retorno pretendido. A busca de retornos exagerados
leva a ambição e muitas vezes o lucro não realizado irá virar
prejuízo.

13. O Risco é o que Importa

Objetivo do operador de ações ou opções é Sobreviver


logo o que mais importa é o risco.

O seu primeiro objetivo tem de ser sempre PERDER POUCO e


nunca GANHAR MUITO.

Quem perde pouco quando perde, quem aprende a assumir


prejuízos enquanto pequenos será um vencedor, pois no longo
prazo os ganhos irão superar os prejuízos.

Quem não aceita o primeiro prejuízo, irá ter sempre prejuízos


grandes que tomam todos seus lucros e não terá chance no longo
prazo.

20
14. Risco = Prejuízo Máximo

• Compra a seco de 1000 opções a 1,00


Risco Máximo = 1000 reais

• Uma Reversão recebendo 1000 reais para montar:


Risco Máximo = 1000 reais.

Não é acertar o mercado e nem stop que limita ou


determina o risco, mas saber seu risco máximo e só operar
dentro das suas possibilidades.

Se você no primeiro exemplo acima determina que vai stopar nos


0,90 se cair, e acredita que por isso seu risco máximo não é todo
o valor da compra (1000 reais) mas apenas o que perderia se
desse o STOP (100 reais), você se sente no direito de comprar 10
lotes ao invés de apenas um.

Comprando 10 lotes você estará arriscando 10 mil reais e não


apenas 1000 reais.

Mais cedo ou mais tarde vai acontecer uma situação em que tudo
dê errado e você vai perder os 10 mil reais.

Como você não pode perder 10 mil reais, isso irá te abalar
financeiramente e emocionalmente e este é o início do fim.

Se você só pode perder 1000 reais, compre somente um lote,


arrisque somente 1000 reais. Se você perder somente 100 reais
(executando o STOP), ótimo, mas nunca se esqueça que está
arriscando 1000 reais e não apenas 100 reais.

15. Risco X Retorno

Igual a Custo X Benefício.

Você deve pesar se o benefício que você pode ter em determinada


operação vale o custo que você pode ter. Sabendo os dois, você
pode decidir segundo as suas possibilidades.

Não existe operação melhor, existe a melhor para você naquele


momento e isso é pessoal de cada um.

21
16. Acertar o Mercado

Só é importante para quem vive de fazer análises.


Para quem opera o que importa é gerenciar risco: O quanto você
ganha quando acerta e o quanto você perde quando erra.

O que o mercado vai fazer, não há como dominar; mas você pode
dominar suas operações, o quanto você arrisca, o que você vai fazer
se o mercado subir ou cair, o seu dinheiro, etc.

O mercado não está sob seus domínios. Acertar o mercado pode até
ser bom, mas não é isso que vai decidir se você ainda estará
operando daqui a dez anos. Não se iluda.

17. STOP

STOP é Estratégia de defesa. Não é um controle de risco garantido.

Excelente ferramenta para tentar manter os prejuízos pequenos, mas


deve-se sempre ter em conta que o risco máximo é definido pela
operação, o máximo que se pode perder se der tudo errado.

Se eu compro 1M a 1,00 e coloco o stop em 0,90 a minha estratégia


de defesa é perder somente cem reais, mas eu tenho que saber que
posso perder 1000 reais, que é o risco máximo.

Ninguém nunca pode garantir que vai executar o Stop.

Use STOP, mas sempre saiba qual é o seu risco máximo se tudo der
errado e o STOP não for executado.

Este risco máximo é o que você está arriscando sempre. Veja se o


suporta. Se não suporta, diminua o tamanho da operação.

18. Enriquecer com ajuda da bolsa

1. Mudar de Atitude
2. Poupar todo mês
3. Cuidar da sua saúde e família
4. Não pagar juros e não fazer dívidas
5. Investir
6. Comprar mais e aumentar o capital
7. Não Operar demais
8. Juros sobre Juros
9. Aprender a analisar risco
10. Não colocar seu capital sob risco

22
Aula 3 – Opções, Black and Scholes e Volatilidade

1. Definição de Opções

Ativo subjacente, derivativo (deriva de outro).

Um direito ou uma obrigação.

Quem compra adquire um direito, mas não uma obrigação.


Ex: Quem comprou um lote de opção de compra da Telemar de 40
reais para dezembro, tem o direito de comprar um lote de Telemar
por 40 reais até a terceira segunda feira de Dezembro.

O comprador não tem qualquer obrigação, ele exerce o seu direito se


quiser até a data pré-determinada.

O Vendedor tem uma obrigação


Ex: Quem vendeu um lote de opção de compra da Telemar de 40
reais, tem a obrigação de vender um lote de Telemar a 40 reais até a
data pré-determinada se o possuidor da opção exercer o seu direito.

Tempo para acabar – Toda opção tem uma data de exercício, após a
qual, perde valor (no jargão do mercado vira pó). Se o comprador da
opção não exercer o seu direito até esta data, ele não poderá mais
fazê-lo. No Brasil as opções vencem todo mês na terceira segunda-
feira do mês.

23
2. Características

a) Preço de Exercício:

Preço pré-determinado em que a ação será negociada se a opção for


exercida.

obs: Quando dividendos são distribuídos, os mesmos são


descontados do preço do ativo e também dos preços de exercício das
opções, logo neste caso, os preços de exercício se modificam no meio
do vencimento e a opção será exercida por um preço de exercício
diferente do que ela foi lançada. Este é um ajuste do mercado, que
teoricamente não faz diferença, mas que na prática pode beneficiar
os comprados, se a ação recuperar o preço anterior a distribuição dos
dividendos.

b) Data de Exercício:

Dia pré-determinado para o exercício. Toda vez que uma opção é


lançada, a data de exercício já está previamente determinada.

Neste dia ou o dono da opção exerce seu direito ou perderá o mesmo


e as opções com Preço de Exercício acima do preço do ativo morrem
sem valor (micam).

Opções Americanas - podem ser exercidas em qualquer dia até a data


do vencimento (maioria no Brasil).

Opções Européias – só podem ser exercidas na data do vencimento.

c) Preço de Exercício em relação ao Preço da Ação:

Opção Dentro do Dinheiro (ITM - in the money): Preço de Exercício


abaixo do preço do ativo no momento.

Opção No Dinheiro (ATM - at the money): Preço de Exercício no ou


próximo do preço do ativo no momento.

Opção Fora do Dinheiro (OTM - out of the money): Preço de Exercício


acima do preço do ativo no momento.

24
d) Valores dos quais consiste o prêmio das opções (preço):

Ações PE Prêmio Valor Valor do


Opção Intrínseco Tempo
1 a R$40,00 38 3,00 2,00 1,00
2 a R$40,00 42 0,50 0,00 0,50
3 a R$40,00 32 8,00 8,00 0,00
Obs: PE = Preço de Exercício

Preço (Prêmio) de uma opção = Valor Intrínseco + Valor do Tempo


(Theta ou Expectativa).

O Valor Intrínseco é o valor mínimo que a opção pode custar em


condições normais de liquidez do mercado, ou seja, o Preço do Ativo
subjacente menos o Preço de Exercício da Opção. Se uma opção
valesse menos do que o Valor Intrínseco, o mercado a compraria,
pois basta comprar, exercer e embolsar o lucro e com isso ela voltaria
a valer no mínimo o valor intrínseco.

Valor Intrínseco = Preço Ação – Preço Exercício da Opção

Obs: As opções muito dentro do dinheiro às vezes tem prêmio um


pouco menor do que o valor intrínseco, especialmente próximo ao
vencimento. Isto ocorre pela baixa liquidez destas opções e pelo alto
custo de corretagens e taxas para negociá-las.

O Valor do Tempo, ou Theta é a expectativa do mercado de que o


ativo subjacente possa fazer um movimento volátil intenso antes do
fim do vencimento. Esta expectativa diminui com o passar do tempo
assim como o valor do tempo das opções.

O Valor do tempo = Prêmio da Opção - Valor Intrínseco

25
3. Elementos que determinam o prêmio (preço) de
uma opção

a) Preço do Ativo Adjacente (Ação):

Teoricamente, quanto maior o preço da ação, maior será o prêmio


das opções e quanto menor o preço da ação, menor será o preço
(prêmio) das opções.

Isso é sempre verdade para as opções dentro do dinheiro, pois elas


ganham valor intrínseco, conforme a ação aumenta de preço e
perdem valor intrínseco, conforme a ação diminui de preço.

As opções fora do dinheiro, especialmente as muito fora do dinheiro,


e próximo do vencimento, podem não variar de preço, quando a ação
aumenta de preço, pois a expectativa quanto a possibilidade delas
serem exercidas é muito pequena neste momento.

No gráfico abaixo para uma opção de Preço de Exercício de 50 reais,


vemos que quanto mais alto o preço da ação, maior é a variação no
prêmio da opção.

12
10
8
6
4
2
0
40 42 44 46 48 50 52 54 56 58 60

Prêmio da Opção PE R$50,00

Vemos no gráfico no eixo das abscissas, os preços do ativo subindo e por


conseqüência, no eixo das ordenadas, o prêmio da opção aumenta de valor.

Observem que quando a opção está muito fora do dinheiro (ativo em torno de 40),
as variações de preço do ativo pouco refletem no prêmio da opção.

26
b) Preço de Exercício da Opção:

Para um mesmo preço do ativo subjacente, quanto maior o preço de


exercício da opção, menor será seu prêmio.

Opções muito fora do dinheiro, especialmente próximo ao


vencimento, algumas vezes ficam com o mesmo prêmio de 0,01
mesmo com preços de exercício diferentes.

12
10
8
6
4
2
0
40 42 44 46 48 50 52 54 56 58 60

Prêmio das Opções com Ativo a R$50,00

Observem que quanto mais alto o preço de exercício da opção, menor o valor do
prêmio da opção. No eixo das abscissas temos os preços de exercício das opções e
nas ordenadas o valor do prêmio delas.

27
c) Tempo para o Exercício (Theta):

Todas as opções perdem prêmio (Valor Extrínseco) pela passagem do


tempo. As fora do dinheiro perdem mais proporcionalmente. Como
vocês podem ver no gráfico, se todos os outros fatores se
mantiverem estáveis e constantes a opção irá perder valor
constantemente e dia a dia com a passagem do tempo.

Opção de 50 - Ativo a R$50,00

3,00

2,50

2,00

1,50

1,00

0,50

0,00
40 35 30 25 20 15 10 5 0

Prêmio em relação ao Tempo para o Exercício

No eixo das abscissas temos o tempo que falta para o vencimento e nas ordenadas
o prêmio da opção de PE de R$50,00.

Observem como progressivamente a opção vai valendo menos com a passagem do


tempo. Consideramos apenas para caráter de estudo que a opção tem como preço
de exercício 50 reais e o ativo subjacente ficou com o preço de 50 reais estável.

d) Fatores do Mundo Real:

Dividendos - Teoricamente não muda nada, pois o ativo e o Preço de


exercício da opção perdem valores semelhantes, mas na prática
muitas vezes tende a aumentar os prêmios.
Custo do Dinheiro - Tende a aumentar os prêmios das opções em
termos absolutos.
Taxa de Juros (Rho) - Juros um pouco maiores tendem a aumentar
um pouco os prêmios das opções, mas aumentos seguidos dos juros
podem diminuir os prêmios das opções pois juros altos são
usualmente prejudiciais para os mercados de renda variável,
diminuindo a expectativa nas opções.

Em um ambiente como estamos vivendo de baixa inflação, estes


fatores influenciam muito pouco diretamente o prêmio opções

28
e) Volatilidade Histórica do Ativo Adjacente:

Teoricamente, quanto maior a volatilidade do ativo adjacente, maior


será o prêmio das opções. Esta influência é proporcionalmente maior
nas opções do dinheiro, as de maior liquidez, as do jogo.

Ativo a R$50,00 - Opção PE 50

3,00

2,80

2,60

2,40

2,20

2,00
25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35

Prêmio em Relação a Volatilidade


No eixo das abscissas temos a Volatilidade Histórica do ativo e nas ordenadas o
prêmio das opções.

Observem no gráfico que para uma opção de preço de exercício de 50 reais com o
ativo em 50 reais, quanto maior a volatilidade histórica do ativo subjacente, maior
será o prêmio da opção.

4. Modelos de Precificação de Opções

Não foram criados para prever o mercado, mas sim para criar uma
forma de verificar se as opções estão teoricamente sobre-avaliadas,
no preço ou sub-avaliadas em relação ao ativo subjacente.

Precificar uma opção tem como objetivo criar um parâmetro para que
possamos entender a opção. Comparando com um padrão, podemos
saber como ela está se comportando. Esta é a grande vantagem dos
modelos de precificação de opções.

A partir do preço teórico, pode-se captar distorções do mercado que


possam favorecer o operador que utiliza o modelo. Se o preço teórico
fosse sempre igual ao preço real, o modelo de precificação seria
inútil.

29
5. Um Operador de opções deve considerar no mínimo:

• O preço do ativo adjacente.

• O preço de exercício da opção.

• A quantidade de tempo que falta para o exercício.

• O efeito sobre sua operação causado pela direção que o mercado


(ativo subjacente) se move (Tendência).

• O efeito sobre sua operação da velocidade com que este


movimento ocorra (Volatilidade).

6. Preço Teórico de uma Opção

Serve para determinar se a opção está sobre-avaliada, no preço ou


sub-avaliada.

A partir disso, você deve buscar distorções que lhe beneficiem


como, por exemplo, arbitragem comprando opções sub-avaliadas e
vendendo as sobre-valorizadas.

Para calcular o preço teórico, é necessário saber:

• O preço de exercício da opção – Teoricamente, quanto maior,


menor o prêmio da opção.
• O tempo que falta para o exercício – Teoricamente quanto menor,
menor o prêmio da opção.
• O preço do ativo subjacente – Teoricamente quanto maior, maior o
prêmio da opção.
• As taxas de juros e a inflação – Teoricamente quanto maiores,
maior o prêmio da opção.
• A Volatilidade do ativo subjacente – Teoricamente quanto maior,
maior o prêmio da opção.

Os quatro primeiros, todos nós sabemos sempre. O quinto item


sabemos a Volatilidade Passada, mas não sabemos a Volatilidade
Futura. Ele é o elemento desconhecido da fórmula, e por não saber a
Volatilidade Futura, só nos resta inserir no modelo a VH, ou
Volatilidade Histórica (passada).

Por isso o preço teórico não é igual ao preço real na maior parte dos
casos, e por isso B&S brilhantemente criaram um ajuste para o
modelo, que é a Volatilidade Implícita que veremos mais a frente.

30
5. Black and Scholes

O mais popular modelo de precificação. O mais simples , o que


necessita de menos dados e cálculos, para chegar ao preço teórico.

O objetivo maior é o Aprendizado

Conhecendo B & S você pode:


Compreender os movimentos das opções
Compreender o que acontece com suas operações

O brilhantismo do Modelo B & S e a forma de você se beneficiar dele


diz respeito ao aprendizado das opções e a compreensão das
alterações nas suas operações e não tem nada a ver com previsões
ou exatidão de cálculos.

6. As Gregas – Delta – Variação

Efeito da mudança de preço do ativo sobre a opção.

Expresso em percentuais. Teoricamente o quanto da variação do


ativo subjacente, será preenchido pela opção. Uma opção de Delta de
0,50, teoricamente irá variar 50 cents quando a ação variar 1 real. O
quanto a opção ganha ou perde prêmio em relação a uma alteração
no preço do ativo de 1 real.

Também é a chance percentual de uma opção ser exercida.

O delta é maior quanto mais (ITM) for a opção chegando a quase


100% nas opções muito ITM e a quase 0% nas opções muito OTM.
Nas opções ATM, do jogo, o Delta costuma ficar em torno de 50%.

Delta da Operação: Some os Deltas das opções (multiplicando pela


quantidade de cada opção):
-1000 TNLPK38 X 0,50 (Delta) = -500
+2000 TNLPK40 X 0,30 (Delta) = +600
Delta da Operação = +100
Obs: A planilha Apreads do curso faz isso automaticamente

Uma operação (Delta +) teoricamente melhora se subir, pois toda


operação, enquanto Delta positiva é uma compra. Existem operações
que na alta podem passar de delta positiva para delta negativa, mas
enquanto ela for delta positiva, ela funcionará como uma compra.

Uma operação (Delta -) teoricamente melhora se cair, pois toda


operação, enquanto Delta negativa é uma venda. Existem operações
que na queda podem passar de delta negativa para delta positiva,
mas enquanto ela for delta negativa, ela funcionará como uma venda.

31
7. Exemplo de Delta com a Ação a 40 reais

Opção Delta Delta

32 99 0,99
34 97 0,97
36 89 0,89
38 75 0,75
40 50 0,50
42 30 0,30
44 18 0,18
46 7 0,07
48 3 0,03

Observem como a opção de preço de exercício de 40 reais tem delta


de 0,50. Teoricamente a opção no dinheiro tem delta de 50.

Observem também como o delta é maior quanto mais dentro do


dinheiro for a opção.

Nesta tabela se vê também porque a opção muito fora do dinheiro


pouco varia quando o ativo subjacente varia um real. Isso acontece
porque o delta dela é muito pequeno. Mesmo que o ativo varie um
real, ela irá variar apenas alguns centavos se tanto.

32
8. As Gregas – Gamma – Movimento

Taxa de variação do Delta.

O quanto o delta irá variar para cada variação de 1 real no preço do


ativo (ação).

Expresso em [valor de delta / 1 real de variação da ação]

Gamma de 0,05 significa que o Delta irá variar 5 pontos se o ativo


variar 1 real.

É o que realmente determina o quanto a opção vai variar em termos


proporcionais – percentuais em relação a variação do ativo adjacente.

Maior nas Do Dinheiro (ATM) que são as que exibem maiores


variações por 1 real de variação da ação. Pequeno nas Fora do
Dinheiro e nas Dentro do Dinheiro.

Uma operação Gamma positiva melhora se o mercado se movimentar


com velocidade e força e piora na acumulação, pois as operações
gamma positivas são normalmente compras de volatilidade ou
compras de movimento. Logo elas precisam de movimento da ação
para serem vitoriosas.

Uma operação Gamma negativa piora se o mercado se movimentar


com força e melhora na acumulação pois as operações gamma
negativas são normalmente vendas de volatilidade ou vendas de
movimento. Logo elas perdem no mercado com alta volatilidade
(variações) e ganham na acumulação.

Da mesma forma que com os deltas, pode se calcular o gamma das


operações com cálculos simples como os demonstrados para o Delta.
Basta multiplicar as posições em cada opção pelos respectivos
gammas.

Obs: A planilha Apreads do curso faz isso automaticamente sem a


necessidade de cálculos.

33
9. Delta e Gama com Ação a 41

Opção Preço Delta Gamma Var Perc

34 6,77 100 0,01 14%

36 4,80 90 0,02 19%

38 3,24 75 0,05 24%

40 1,93 60 0,12 37%

42 1,02 40 0,13 52%

44 0,50 17 0,07 48%

46 0,19 05 0,03 42%

48 0,07 01 0,01 28%

Observe, como diferente do Delta, o Gama é maior nas mais


próximas do preço do ativo adjacente (41 reais). Quando dissemos
que a 38, por exemplo, deve subir 75 cents., se o ativo subir 1 real,
temos que considerar que o Delta dela tenderá a subir para 80 logo
passamos a considerar que a opção irá subir 80 cents. e não 75.

O maior gama nas do dinheiro fará com que elas tenham as maiores
variações percentuais, para cada variação de 1 real da ação.

Apesar das opções com baixíssimo valor (muito OTM) apresentarem


variações percentuais altas, o que pode realmente acontecer,
desconsideramos, pois todo estudo de precificação de opções, deve
ser desconsiderados nas opções muito OTM ou ITM que distorcem os
cálculos.

34
10. As Gregas: Theta - Tempo

O que caracteriza as opções: têm um dia para acabar, um prazo.


Isso faz com que elas sejam diferentes dos outros ativos e acima
de tudo diferente das ações que não tem prazo para acabar.

Não pense em operar opções sem antes compreender bem o que é


o Theta, pois estará operando um ativo sem ter a mínima idéia do
que ele é, e a chance mais provável é que você perca o seu
dinheiro.

A taxa em que o prêmio da opção decai (perde valor ou VE) por


unidade de tempo (dia). Expresso em centavos. Todas as opções
perdem valor (VE) todo dia, devido ao Theta, ainda que seu preço
aumente. Mesmo que uma opção aumente de preço de um dia
para o outro, ela perde valor pela passagem de tempo, ou seja,
ela aumentaria mais de preço se não houvesse a passagem de um
dia.

Apesar de o Theta ser maior nas Dentro do Dinheiro, pois ele é


expresso em centavos, ele é proporcionalmente maior nas Fora do
Dinheiro. As Dentro do Dinheiro perdem mais centavos com a
passagem do tempo, mas as Fora do Dinheiro perdem um
percentual maior do seu valor com a passagem do tempo.

O Theta também pode ser entendido como a expectativa no


prêmio das opções. Esta expectativa diminui a cada dia que passa,
bem como o prêmio das opções (VE).

Uma operação Theta positiva ganha com a passagem do tempo


(Venda e VV).

Uma operação Theta negativa perde com a passagem do tempo


(Compra e CV).

O Theta de uma operação também pode ser calculado facilmente


como demonstramos para o Delta bastando multiplicar as posições
em cada opção pelos respectivos thetas.

Obs: A planilha Apreads do curso faz isso automaticamente sem a


necessidade de cálculos.

35
11. Tempo para o Exercício (Theta)

Tempo para o Exercício - Theta

40 2,5
39
38 2
37
36 1,5
35
34 1
33
32 0,5
31
30 0
br

br

br

br

br

br

br

br

br

ai

ai

ai

ai
m

m
-a

-a

-a

-a

-a

-a

-a

-a

-a

2-

4-

6-

8-
14

16

18

20

22

24

26

28

30

TNLP4 TNLPE40
O gráfico acima (tirado de um exemplo real) é a expressão prática do Theta.
Percebam que enquanto a Telemar praticamente não variou de preço, a opção
perdeu valor dia a dia, o que se intensificou próximo ao vencimento.

12. Theta
Opção Preço Delta Gamma Theta e Perc.

34 6,77 100 0,01 0,0186 – 0,26%

36 4,80 95 0,02 0,0197 – 0,41%

38 3,24 89 0,05 0,0208 – 0,64%

40 1,93 65 0,12 0,0263 – 1,36%

42 1,02 47 0,13 0,0300 – 2,94%

44 0,50 22 0,07 0,0270 – 5,40%

46 0,19 08 0,03 0,0188 – 9,89%

48 0,07 03 0,01 0,0111 – 15,80%

50 0,02 01 0,01 0,0058 – 29,00%

Observem na tabela acima que quanto mais OTM a opção, maior o percentual do
seu valor consumido pelo Theta.

36
13. Estudo Teórico do Theta

Dias que Faltam Percentual do Valor perdido


20 05,50%
15 06,60%
10 10,00%
08 12,50%
06 16,60%
04 25,00%
02 50,00%
Apesar da tabela acima ser uma aproximação teórica, ela mostra que a perda de
valor (VE) pela opção com a passagem do tempo é proporcionalmente maior
quanto mais o tempo passa.

14. Tempo e Gregas

• Opções Dentro do Dinheiro (ITM) - Se todos os outros fatores se


mantiverem constantes, o Delta tende a aumentar até 1.00 com a
passagem do tempo e o Gamma tende a zero.
Isso significa dizer que uma opção dentro do dinheiro, com a
passagem do tempo, tende a perder toda a gordura e acompanhar
totalmente o papel, tendo somente valor intrínseco, conforme o
vencimento se aproxima. O comportamento dela passa a ser
semelhante a de uma ação.

• Opções No Dinheiro (ATM) - Se todos os outros fatores se


mantiverem constantes, o Delta tende a se manter praticamente
constante com a passagem do tempo mas o gamma tende ao
infinito em relação ao preço da opção
Isso significa dizer que a chance de uma opção no dinheiro ser
exercida se mantém constante se o preço do ativo subjacente se
mantiver constante.
O gamma enorme com o delta se mantendo constante em torno
de 50, produz opções explosivas (para qualquer um dos lados)
nesta faixa com a proximidade do vencimento.

• Opções Fora do Dinheiro (OTM) - Se todos os outros fatores se


mantiverem constantes, o Delta e o gamma tende a diminuir até
próximo de Zero com a passagem do tempo.
Isso significa dizer que se a opção se mantiver fora do dinheiro,
com a passagem do tempo, ela tende a perder o seu valor, seu
delta, e seu gamma, ou seja, com a proximidade do vencimento
ela vai cada vez acompanhar menos o ativo adjacente, pois só tem
valor do tempo, e quanto menos tempo resta para o vencimento,
menor será seu valor. Tendo delta e gamma muito baixos ela vai
perdendo também chance de reagir, ainda que a ação reaja. Isso
só é revertido com variações extraordinárias da ação.

37
15. As Gregas - Vega - Volatilidade

Variação no prêmio de uma opção que resulta de uma mudança na


Volatilidade do Ativo.

Expresso em centavos, maior nas Do Dinheiro (ATM).

Para cada 1% de variação na VH, a opção teoricamente irá variar


X centavos. O quanto a opção varia em centavos para uma
determinada variação da VH do ativo adjacente.

Quanto maior a VH, maior os prêmios das opções.

Uma operação Vega positiva tende a ganhar em ambientes de alta


VH (CV) e uma operação Vega negativa tende a ganhar em
acumulações (VV).

16. Volatilidade – Variação de Peços

Definição intuitiva: Volatilidade = Movimento, o que no mercado


significa variação de preços.

Ação 1 está a 50 mas variou no ano entre 20 e 80.


Ação 2 está a 50 mas variou no ano entre 45 e 55.

A Opção de Preço de Exercício 60 da ação 1 vale mais do que da


ação 2 mantendo todos os outros fatores iguais. Isso é uma
realidade matemática e não uma teoria. No mercado, as opções de
ações mais voláteis tem prêmios maiores devido ao risco de
exercício que é maiôs tanto mais volátil for a ação.

No exemplo acima isso é mais ou menos óbvio já que o prêmio


das opções, como já foi dito aqui tem uma parte que é o Valor
Intrínseco (Preço do Ativo menos o Preço de Exercício) que é fixo e
uma parte que é o Valor do Tempo, ou a expectativa. Qual a
expectativa do mercado da ação 2 ir a 60? Pequena, já que em um
ano ela nunca foi neste preço. Já na ação 1 a expectativa é maior
já que ela chegou a valer 80 esta ano e portanto o prêmio da
opção tende a ser maior.

As duas ações tem a mesma chance de ir a 60, apenas a


expectativa é maior na ação 1 e portanto os prêmio das opções
também.

38
17. Volatilidade Histórica (VH)

Dado estatístico. Medida da taxa de variação de uma ativo em um


determinado período de tempo.

Tem a ver com o ativo adjacente e não com a opção, apesar de


influenciar diretamente os preços das opções.

É o que se compra e se vende quando vamos operar volatilidade.

Quanto maior forem as variações de preços de um ativo, maior será


sua volatilidade e por conseqüência maior os prêmios das opções
deste ativo.

É calculado através de uma fórmula matemática complexa para


qualquer período de tempo escolhido, sendo assim pessoas podem
operar usando VHs diferentes em seus modelos de precificação.

Com VHs diferentes o Preço Teórico será diferente, logo não adianta
comparar os seus dados com os dados de outros. Atenha-se a
compreender a VH, as gregas e o PT e se beneficiar deles ao invés de
se preocupar com centavos e filigramas

18. VH e o Prêmio das Opções.

Açoes Variação Possibilidades Valor Teórico do


de Preços no Vencimento Prêmio da Opção
de R$100,00
Ação 1 a R$100,00 99 a 101 0,00 ou 1,00 0,50
Ação 2 a R$100,00 98 a 102 0,00 ou 2,00 1,00

Observem na tabela, como é mais ou menos óbvio que uma opção de


um ativo mais volátil tenha prêmios maiores.

Considerando a possibilidade teórica para a ação 1 dos vencimento a


99 ou 101 pois esta ação só varia entre estes dois preços, só temos
duas possibilidades de prêmio para uma opção de preço de exercício
de 100 reais, no dia do vencimento: 0,00 ou 1,00. Logo o prêmio da
opção tende a ser a média entre estas duas possibilidades ou 0,50.

Já a ação 2, que varia entre dois preços apenas: 98 e 102; as


possibilidades no vencimento são de prêmio de 0,00 ou 2,00. Neste
caso a média estaria em 1,00 e o prêmio da opção deste ativo vale o
dobro do que do outro ativo.

Esta é uma abordagem teórica e simples que tem como objetivo


demonstrar a influência da volatilidade nos prêmios das opções:
O aumento da volatilidade irá levar a um aumento teórico dos preços
das opções sem alterar a expectativa em relação ao preço das ações.

39
19. Volatilidade Implícita (VI)

Em um modelo de precificação, chega-se a um preço teórico para as


opções. Como geralmente este preço diverge do preço real,
precisamos de um ajuste no modelo para compensar esta diferença.

No Modelo de B&S, este ajuste é a Volatilidade Implícita.

A VI = expectativa do mercado. Mercados com VIs altas sugerem alta


volatilidade e preços. Mercados com VIs baixas sugerem baixa
volatilidade e preços.

• [Preço Real < Preço Teórico = VI baixa (menor que a VH)]

• [Preço Real > Preço Teórico = VI á alta (maior que a VH)]

Ajuste do modelo - Expresso em percentual. Quanto o prêmio da


opção está maior ou menor do que o Preço Teórico da opção.

Refere-se as opções e ao presente, o que está acontecendo neste


momento, por isso muitos usam para inferir a VH futura através do
VIX. (Média ponderada da VI das opções)

20. Relações Naturais

Teoricamente uma opção vale o dobro da opção seguinte e o triplo da


dois strikes abaixo como mostra o quadro abaixo:

PetrK 40 X
PetrK 42 X/2
PetrK 44 X/3
PetrK 46 X/4

Servem para ver distorções e captar oportunidades.

O mesmo vale para as variações em centavos das opções que


também possuem RN entre si.

Relações Naturais
Expandem Estreitam
Tempo Tempo Curto Tempo Longo
Posição OTM ITM
Mercado Fraco Forte
Volatilidade Baixa Alta

40
21. Equilíbrio

Opções são arranjadas matematicamente. Se você monta uma


operação com maior retorno, terá de aceitar um risco ou custo maior.

A sua faixa de ganho aumenta; o custo e o risco também aumentam.


Não há como fugir deste equilíbrio. Não existe a operação melhor.

22. Rolar

Zerar a operação na série atual (que tem financeiro negativo) e


retirar o mesmo dinheiro fazendo uma venda na série seguinte.

Sempre aumenta o risco com exceção da venda coberta ou se rolar


somente a posição, assumindo parte do prejuízo.

Se for feito muitas vezes o risco e a posição vão aumentando até que
consome seu dinheiro e sua vida como um verdadeiro leviatã.

Leviatãs usualmente começaram pequenos, com risco baixo. O


operador não aceita o primeiro prejuízo e rola a operação para a série
seguinte, retirando o mesmo financeiro. Para isso, tem de aumentar
o risco e a posição.

Após algumas rolagens, a posição se torna imensa, bem como o


risco, vai tomando conta da vida do operador, e normalmente acaba
com toda a margem, momento em que ou o operador ou a corretora
acabam por finalizar a operação, sempre com prejuízos ENORMES.

Para não criar leviatâs, não role ou role somente a posição (nunca o
financeiro).

41
23. Recomendações Gerais Para Operar Opções

OPERE PEQUENO NÃO IMPORTA O SEU TAMANHO


Esta é a recomendação mais importante para quem quer vencer
operando opções. Só tem chance no mercado de opções quem opera
pequeno, especialmente na venda. Não se ganha operando sob
pressão que é o que acontece com quem opera maior do que pode.

Não venda descoberto - Trave nem que seja no pó. Vender


descoberto é a operação matematicamente mais absurda no
mercado, pois chama margens enormes, o que a torna pouco
eficiente e alem do mais tem RISCO ILIMITADO. Que eu saiba,
ninguém pode lidar com risco ilimitado, já que ninguém tem todo o
dinheiro do mundo.

Não opere opções sem saber bem o que é Theta. O que caracteriza
as opções é ter um dia para acabar, logo elas são permanentemente
influenciadas pelo Tempo. Se você não sabe ou ainda não entendeu
como o tempo influencia as opções, ainda não está preparado para
operar. Estude mais um pouco.

Tome muito cuidado após a primeira compra de opções em que você


ganhar 400%. Coloque o lucro em algo mais seguro e só arrisque
mais quando souber mais e tiver mais experiência. Qualquer um pode
ganhar muito dinheiro operando opções, sem saber bem o que está
fazendo. Mas isso iria viciar no errado e nos ganhos absurdos.
Fatalmente o operador devolverá tudo ao mercado e ainda sairá no
prejuízo, pois passará o tempo todo atrás do que acontece raramente
(ganhos enormes). Além do mais a busca de ganhos enormes, traz
consigo riscos enormes. Porque sem um não existe o outro.

Realize lucros rápido e se defenda rápido também, especialmente no


Brasil, onde as opções só duram um mês. Operações com opções
devem ter começo, meio e fim e tudo tem de estar determinado
antes e não depois.

Keep it Simple. Não faça operações enormes, em diferentes


vencimentos, opções de diferentes ações, difíceis de controlar. Faça
operações pequenas e simples, com princípio, meio e fim no mesmo
vencimento com opções de uma ação apenas..

42
Se não souber o que fazer, não faça nada. Só opere se tiver certeza e
se seus marcadores para iniciar uma operação foram acionados. Você
não tem e não deve operar todo dia.

Só opere com risco limitado e dentro das suas possibilidades de risco


- POUCO DINHEIRO, ESPECIALMENTE NO INÍCIO.

Só entre em uma operação se você tiver a seguinte equação


completa: Vou comprar (vender) X. Se subir vou fazer Y. Se cair vou
fazer Z. Se acumular vou fazer W. Se este equação não estiver
completa, não faça nada. O que importa é ter certeza do que VOCÊ
vai fazer e não o que o mercado vai fazer. Tente dominar apenas
aquilo que você pode dominar: Seus atos. O mercado você nunca vai
dominar.

Nunca opere sem ter a seguinte pergunta respondida:


“E se der errado...”
O mais importante é saber o que fazer se tudo der errado, se a pior
situação acontecer e estar preparado para ela. Ganhar é fácil. Você
sabe perder tudo que arriscou? Se não sabe vai aprender da pior
forma possível. Você pode perder tudo que arriscou? Se não pode,
não deveria estar arriscando.

Fique calmo sempre. Se você não está calmo, vá dar uma volta.
Ninguém ganha na bolsa, especialmente operando opções, nervoso,
descontrolado. Você deve operar em um bom ambiente e se está
nervoso, provavelmente está arriscando mais do que pode.

43
Aula 4 – O Operador de Opções

1. Não se pode Ensinar, Só é Possível Aprender...

“Não se pode ensinar


alguma coisa a alguém.
Pode-se apenas auxiliá-lo
a descobrir por si mesmo”

Galileu Galilei
No mercado, e especialmente no mercado de opções, o máximo que
podemos fazer é abrir portas, mostrar o roteiro, transmitir
conhecimentos, etc.

As milhares e milhares de operações que já fizemos através dos anos,


os resultados delas, o conhecimento intuitivo de cada operação, nada
disso pode ser transmitido. A estrada é longa. Treinem. Treinem o
máximo que puderem com o mínimo dinheiro que for possível. E
estudem muito também.

Podemos demonstrar as estratégias, podemos aconselhar. Tentar


mostrar onde perdemos e onde ganhamos, mas as sinapses que
foram feitas em nossos cérebros, através dos anos de experiência e
de milhares e milhares de operações com opções, terão de ser feitas
nos seus para que vocês compreendam o que está acontecendo.

Mãos a obra. Treinem, treinem muito e com muito pouco


dinheiro. Mas treinem e treinem e estudem e treinem de novo e
estudem de novo.

Se vocês só estudam e não treinam valendo dinheiro, é como um


navegador com bússola, mas sem velas. Se vocês só treinam e não
estudam é como um navegador com velas, mas sem bússola.

Nenhum dos dois vai chegar a lugar nenhum. Portanto muito treino e
muito estudo e mais treino e mais estudo, com o mínimo de dinheiro
que vocês puderem e da forma mais simples que conseguirem.

44
2. O Operador de Opções

Possuiu características especiais e uma abordagem totalmente


individualizada do mercado.

Operar opções é uma ciência especializada, matemática,


totalmente diferente das outras modalidades do mercado
financeiro.

Se você vai operar opções, você tem de estudar opções, aprender


o que são opções, como elas se comportam e acima de tudo, se
transformar em um bom operador de opções.

Ser bom operando ações vai lhe ajudar, mas você vai ter de
aprender uma nova linguagem, uma nova ciência e novos
comportamentos.

Operar opções como se fossem ações de 1 real é um dos maiores


erros que você pode cometer.

Vamos ver agora as características do Operador de Opções.

I. Tem um plano, não opera emoções

Planeje tudo antes e não depois.

Só entre em uma operação com opções se tiver um plano


completo abordando todas as possibilidades, especialmente o que
você vai fazer se o mercado vier contra.

O que importa é o que você vai fazer para cada possibilidade do


mercado e não o que o mercado vai fazer.

Controle seu dinheiro e não o mercado.

Quem não tem um plano não opera opções, opera emoções e


acaba sempre comprando no topo e vendendo no fundo.

45
II. Não usa ferramentas criadas para operar ações
Ferramentas para analisar ações não servem para opções.

Opções não são ações de 1 real: elas tem dia para acabar.

Primeira coisa que o operador de opções tem de fazer é


esquecer tudo que aprendeu quando operava ações (no
momento em que for operar opções).

Operar opções é uma outra ciência que usa outras ferramentas:


Limpe sua cabeça para novas idéias

As ferramentas são: Vantagens de Volatilidade e Taxa.

III.Opera vantagens de volatilidade e taxas


O operador de opções não vende porque ele acha que vai cair, ele
vende porque há uma vantagem naquela venda (o mesmo vale
para a compra).

Esta vantagem consiste de um ganho maior no caso de o mercado


ir a seu favor e uma saída fácil e pouco dolorosa se o mercado for
contra ele.

As operações de opções embutem taxas (remuneração) que são


em última instância o objetivo da operação (se prevalecer dos
juros embutidos nas opções).

Aprenda a ver vantagens de volatilidade e taxas e esqueça o vai


subir, vai cair que não tem nada a ver com operar opções e é
extremamente limitado.

Operar opções em busca de ganhos na tendência, tentando acertar


se vai cair ou subir, é uma forma extremamente limitada e pouco
ambiciosa de usar as opções.

Quem faz isso normalmente quando não perde (a grande maioria)


ganha pouco e trabalha muito.

Quem aprende a usar as opções como um instrumento de


remuneração e taxa, pode ganhar muito no longo prazo, passando
muito menos horas em frente do monitor.

Para isso que as opções foram criadas. Se você usa apenas uma
pequena parte do potencial delas, provavelmente não será
vencedor no longo prazo.

46
IV.Compra rápido e vende com paciência
Compra de opções e compra de volatilidade:
O tempo está contra você.

C e CV não devem ser carregadas. Realizar lucros e assumir


prejuízos rapidamente.

Venda de opções e venda de volatilidade:


O tempo está a seu favor – mas o risco é maior.

V e VV tem de ter paciência e agüentar tranco. Não pode ficar


stopando ao menor prejuízo e não pode ser stopado em VE ou
não vai ganhar nunca – Fundamental operar pequeno.

Tipo de Operação Compra e Compra de Venda e Venda de


Volatilidade Volatilidade
Tempo Contra A Favor
Operações Rápidas Lentas
Prejuízos Mais fáceis de Mais difíceis de
administrar administrar

• V.Pensa no Longo Prazo

Não importa o que você faça, tem de ter uma visão de longo prazo.

A forma que você opera e as operações que usa não é para ganhar
aquela operação, mas para que você seja vencedor no longo prazo.

As suas atitudes não focam uma operação, mas sim, o método no


longo prazo.

Construa alguma coisa, uma reserva, uma carteira de ações,


aumente seu capital ou não vai chegar a lugar algum.

Se você só dobra a aposta, quando perder, vai perder tudo.

Só cresça após ter lucro. Não é operar grande que te faz grande, mas
ser grande que te permite operar grande. AINDA ASSIM, OPERE
PEQUENO.

47
VI.Usa as opções como um derivativo
Opções devem ser operadas como instrumento de hedge, para
remunerar um ativo, ganhando TAXA ou para se proteger de
variações grandes e inusitadas do mercado.

Elas são um instrumento de remuneração e controle de risco.

O uso de opções para especulação, além de raramente levar a lucros,


acaba com a vida e a saúde do indivíduo.

O uso de opções como instrumento de especulação é uma forma


extremamente limitada de utilizar as opções. Elas têm qualidades e
possibilidades muito mais abrangentes.

Quem especula com opções, está sendo limitado e pouco ambicioso,


pois eles tem muito mais possibilidades e o ganho a longo prazo pode
ser muito maior se usar as opções como um derivativo.

VII.Sabe Perder

O que faz o vencedor em opções não são ganhos astronômicos, mas


sim cortar as perdas.

Você tem também que aprender emocionalmente a perder e saber


que faz parte da vida de quem opera opções.

Perdas não podem te abalar nem emocionalmente, nem socialmente


e nem financeiramente e tem de fazer parte do planejamento.

A coisa mais importante quando você monta uma operação com


opções é saber o quanto você pode perder naquela operação se
tudo der errado e poder perder aquele valor.

Todos vão ganhar algumas vezes operando opções, mas o que vai
diferenciar o vencedor do perdedor no longo prazo é que o vencedor
aceita as primeiras perdas (enquanto são pequenas).

Não se salva um prejuízo, não se transforma prejuízo em lucro.


Normalmente, a única coisa que acontece com um prejuízo é crescer.

É necessário que haja bom senso, temos de ter algum lastro para
operar, especialmente na venda, ou nunca ganharemos e vamos
apenas dar stop atrás de stop. Mas o prejuízo não pode ser nem um
centavo maior do que o planejado e ele tem de estar sempre
presente no planejamento.

48
VIII.Opera Spreads e Não cada opção

Spreads = diferença entre os preços das opções.


Ex: PETRK40 -1000 a 2,20
PETRK42 +1000 a 1,20
SPREAD: 2,20 – 1,20 = 1,00 (1000 reais por lote)

Quando montar uma operação, esqueça o preço da cada opção, e


anote apenas o SPREAD.

Acompanhe o SPREAD e não o preço de cada opção isoladamente.


Monte e desmonte tudo de uma vez, porque o que você opera é o
SPREAD.

IX.Opera Pequeno
Não há uma só coisa mais importante para quem opera opções e não
há nada mais importante a ser ensinado neste curso:

OPEREM PEQUENO SEMPRE

Quem opera pequeno não quebra, não tem sua vida abalada pelas
opções e acima de tudo GANHA MAIS.

Ninguém ganha operando opções no limite, acima de suas


possibilidades, sob pressão.

Quem opera opções vai passar por situações de risco, de pressão. Se


operar grande, mais cedo ou mais tarde vai quebrar.

“A diferença entre o remédio e o veneno é a dose."

49
• X.Não vira um Gollum

As opções, especialmente operações grandes, têm o poder de entrar


na sua vida, te consumir e após um tempo você se resume a opções.

Você perdeu a essência da vida e se transformou em um Gollum. Só


pensa nas opções e em dinheiro o dia inteiro, todo o tempo.

Não deixe de praticar esportes, sair com a família, ter horas de lazer,
etc. Esqueça a bolsa e as opções quando a bolsa está fechada. Monte
operações que não precisa ficar olhando para o monitor o tempo
todo. Opere taxa ao invés de day trades. Opere pequeno.

Tenha a sua vida fora do mercado e das opções.

Se você se deixar dominar pelas opções, alem de virar um Gollum e


perder sua vida, não vai ganhar dinheiro, porque ninguém ganha
dinheiro dominado pelas opções.

3. O Bom Operador de Opções

1. Tem um plano, não opera emoções


2. Não usa ferramentas criadas para operar ações
3. Opera vantagens de volatilidade e taxas
4. Compra rápido e vende com paciência
5. Pensa no Longo Prazo
6. Compreende que opções são um derivativo
7. Sabe perder
8. Opera SPREADS e não cada opção
9. OPERA PEQUENO
10. Não vira um gollum

50
Aula 5 – Planilha Aspreads

O curso não é sobre a planilha – vamos apenas apresentar os


comandos básicos.

Leiam as instruções que vem com a planilha e usem o nosso


suporte para se informar. Acessem a página da planilha da Bastter
Blue.

Junto com a planilha que é disponibilizada no site, há um manual


com muitas instruções de uso.

Usem a planilha para simular situações reais. Só há como


aprender a usar a planilha experimentando operações nela.

Leiam os comentários explicativos que tem em muitas células da


planilha.

51
Parte II – Operações com Opções

Aula 6 – Financiamento ou Trava de Alta

1. Financiamento ou Trava de Alta

Petrk 36 +1000
PetrK 38 -1000

Compra de uma opção e venda na mesma quantidade de uma opção


de strike superior.

Uma trava só pode valer no máximo a diferença entre os strikes das


opções que compõem a trava.

O que significa o financiamento:


Você comprou o direito de comprar 1000 PETR4 por 36 e vendeu o
direito de comprar 1000 PETR4 por 38 reais. Se o mercado sobe e
passa 38 você vai exercer o seu direito e comprar PETR4 a 36, mas
será exercido no direito de comprar PETR4 a 38 ou seja, terá de
vender 1000 PETR4 a 38.

Sendo assim 38 X 1000 – 36 X 1000 = 2000. Seu lucro será 2000


reais menos o que você pagou para montar o financiamento.

Se você compra uma trava (Financiamento), o lucro máximo é o valor


máximo do spread menos o que foi pago para montar. O risco
máximo é o que foi pago para montar.

Risco máximo = Custo


Retorno máximo = [2000 – Custo]

obs: Se você pular uma opção para montar o financiamento


(PETRA36 +1000; PETRA40 -1000 por exemplo), o Risco máximo
continuará sendo o valor pago pelo financiamento (que será mais
caro do que sem pular uma opção) e o retorno máximo passará ser
4000 menos o custo para montar já que a diferença entre as duas
opções agora é de 4 reais e não apenas 2 reais.

Se você pula duas opções, vale o mesmo raciocínio só que agora a


diferença é de 6 reais. (6000).

52
2. Gráfico do Financiamento

Financiamento
2000

1000

1000

2000
34 35 36
37 38 39
40 41 42
R e su tla d o d a O p e ra ç ã o

43 44 45

Resultado da Operação

A linha só passa para o lucro 1,20 acima dos 36 pois o financiamento custou 1200.
O lucro máximo é de 800 (2000 -1200). Já que o financiamento custou 1200, este
é o limite do prejuízo como podem ver também no gráfico.

3. Porque Financiar

Diminui o risco e o custo da compra em troca de uma limitação no


lucro no caso do mercado subir.

Diminuiu o custo de uma operação com um alvo definido.


Dentro de uma situação que você acredita em um alvo no
vencimento, você pode vender opções com preço de exercício acima
do alvo (na mesma quantidade que comprou) no intuito de diminuir o
custo da compra. Se você estiver certo o lucro será maior, já que
você terá gasto menos na compra. Se você estiver errado e o
mercado subir e passar o ponto da sua venda, ainda assim você terá
o lucro esperado. Apenas abrirá mão do lucro acima daquele ponto.
Se o mercado cair abaixo do preço da sua compra, terá prejuízo, mas
menor do que se tivesse comprado a opção sem vender a outra, já
que seu custo será menor.

Financiamento ITM permite ficar comprado com o tempo a favor.

Operação de Taxa (Financiamento ITM próximo ao vencimento).

53
4. Tipos de Financiamento

Financiamento ITM, especialmente próximo ao vencimento. Operação


de taxa. Ganha na alta, na acumulação e até na queda pequena. É
uma operação de compra que pode ter o tempo a favor dela, já que
ganha se não acontecer nada pois a opção vendida perderá mais
valor com a passagem do tempo do que a opção comprada. Próximo
ao vencimento surgem muitas vezes boas oportunidades com taxas
excelentes.

Neste sentido vê-se logo que as travas não são operações de


tendência em si, mas de faixa e taxa.

Financiamento ATM – custo menor, mas necessita de alta para


ganhar.

Financiamento OTM – custo muito baixo, mas só ganha se subir


muito. Não há muito sentido em fazer Financiamento OTM, pois o que
vai se abater do custo com a venda da opção acima é muito pouco.
Compensa mais ficar comprado a seco apenas.

5. Financiamento ITM – Taxa (Exemplo)

Opção Posição Preço

PetrK44 +1000 2,60

PetrK46 -1000 1,00

No exemplo acima a Ação está 46,00

O Custo do financiamento: [2600 – 1000] = 1600

Retorno [2000-1600] = 400

Taxa [400/1600] = 25%

Tempo para o vencimento: dez dias

Limite = 45,60 – 46,00


Estando o papel a 46, o ganho máximo é de 46 para cima e acima
de 45,60 já começa a ter lucro. Estas oportunidades não são raras
próximo ao vencimento.

54
6. Financiamento - Na Prática

Pouco usado pelo pequeno investidor pessoa física, pois o custo é


muito alto.

Financiamento ITM custando menos de 1,50 é sempre uma boa


oportunidade.

Necessita boa taxa de corretagem, pois muitas vezes tem de ir


para o vencimento. E perde-se em torno de 15 centavos com
corretagem e spreads neste caso.

Não deve ser usado como defesa para operações vendidas devido
ao ganho limitado na alta forte.

Para quem tem boas condições de corretagem, buscar boas taxas


próximo ao vencimento.

55
Aula 7 – Reversão ou Trava de Baixa

1. Reversão ou Trava de Baixa

Petrk36 - 1000
PetrK38 +1000

Venda de uma opção e compra na mesma quantidade de uma opção


de strike superior.

Uma trava só pode valer no máximo a diferença entre os strikes das


opções que compõem a trava.

O que significa a reversão:


Você vendeu o direito de comprar 1000 PETR4 por 36 e comprou o
direito de comprar 1000 PETR4 por 38 reais. Se o mercado sobe e
passa 38, você vai ser exercido no direito e comprar PETR4 a 36, ou
seja, vai ter de vender 1000 PETR4 a 36 reais, mas poderá exercer o
direito de comprar 1000 PETR4 a 38 reais.

Sendo assim 38 X 1000 – 36 X 1000 = 2000. Seu prejuízo será 2000


reais menos o que você recebeu para montar a reversão.

Se você vende uma trava (Reversão), o risco máximo é o valor


máximo do spread menos o que foi recebido para montar. O lucro
máximo é o que foi recebido para montar.

Retorno máximo = Crédito recebido para montar


Risco máximo = [2000 – Crédito]

obs: Se você pular uma opção para montar a reversão (PETRA36 -


1000; PETRA40 +1000 por exemplo), o retorno máximo continuará
sendo o valor recebido pela reversão (que será maior do que sem
pular uma opção) e o risco máximo passará ser 4000 menos o spread
recebido para montar já que a diferença entre as duas opções agora
é de 4 reais e não apenas 2 reais.

Se você pula duas opções, vale o mesmo raciocínio só que agora a


diferença é de 6 reais. (6000).

56
2. Gráfico da Reversão

Reversão
2000

1000

1000

2000
34 35 36
37 38 39
40 41 42
R e su tla d o d a O p e ra ç ã o

43 44 45

Resultado da Operação

A linha passa para prejuízo 1,20 acima dos 36 (37,20) pois a reversão recebeu
1200 na montagem. O risco máximo é de 800 (2000 -1200). Já que o risco máximo
é de 800, este é o limite do prejuízo como podem ver também no gráfico.

3. Porque Reverter

Diminui e LIMITA o risco da venda.

Forma mais simples e acessível ao pequeno investidor de vender no


mercado e ganhar na queda, com risco limitado e definido por ele. É
extremamente simples operar reversões e o risco máximo pode ser
mantido em limites baixos, o que possibilita que mesmo o pequeno
investidor possa ganhar nas quedas do mercado.

Forma extremamente eficiente de remunerar uma carteira de ações.


Com reversões, pode-se retirar um bom dinheiro do mercado durante
os períodos de queda e repor parcialmente a sua carteira de ações.
Obviamente fazendo isso, estaremos aceitando um risco na alta.
obs: Esta operação será exemplificada no capítulo de Remuneração de Carteira –
Nível 3.

Possibilidade de ganhar o decaimento das opções no mercado de


lado. No mercado de lado, estando vendido em VE, as opções
perderão valor dia a dia, diminuindo o spread das reversões, o que
irá representar seu lucro na operação.

57
4. Tipos de Reversões

Reversão ITM – Recebe muito dinheiro com excelente relação risco


X retorno, mas o risco de ser exercido é grande. Necessita de queda
para ganhar. Às vezes interessante no fim do vencimento.

Reversão ATM – A mais utilizada. Ganha na queda e na acumulação.


Boas taxas.

Reversão OTM – Recebe pouco dinheiro, mas em compensação ganha


na queda, na acumulação e até na alta pequena. Pode ser eficiente
para remunerar uma carteira de ações desde que o VE vendido seja
alto. Cuidado para não vender opções de valor muito baixo, o que
não vale a pena.

5. Reversão - Exemplo ATM

Opção Posição Preço

ValeL48 -1000 2,10


ValeL50 +1000 1,20

Operação montada com a ação a 48,00

Spread recebido para montar: [2,10 – 1,20] = 900

Risco na operação: [2000- 900] = 1100

Taxa [900/2000] = 45%


Retorno máximo dividido pela margem máxima

Limite = 48,00 – 48,90


Ganha abaixo de 48,90. Ganho máximo (900) abaixo de 48.

Nesta operação pode-se ter lucro na acumulação, na queda e até na


alta pequena o que a torna muito interessante. O risco é determinado
pelo operador na hora que monta a operação (1100). Se ele
considera o risco muito alto, pode fazer apenas metade da posição ou
procurar uma reversão com spread maior.

58
6. Reversão – Exemplo OTM

Opção Posição Preço


ValeL50 -1000 1,20
ValeL52 +1000 0,64

Operação montada com ação a 48,00

Spread recebido para montar [1200 – 640] = 560

Risco [2000- 560] = 1440

Taxa [560/2000] = 28%

Limite = 50,00 - 50,56


Agüenta até 50,56, mas ganho máximo abaixo de 50.

Nesta operação o retorno é menor e o risco maior, mas em


compensação agüenta mais que 2 reais de alta da ação. Aqui o risco
de ser exercido é muito menor, mas se subir forte, o risco é maior e o
operador irá perder mais do que na Reversão ATM.

O outro lado é que se cair ou acumular a ATM também ganha mais,


pois recebeu mais para ser montada.

Para ganhar uma vantagem de agüentar 2 reais de alta da ação, você


aceita ganhar menos se cair e perder mais se subir forte. Nunca se
foge ao equilíbrio nas opções.

7. Reversão – Realizar Lucro

Quando o mercado não sobe e a reversão dá lucro pode-se:

Zerar a reversão e realizar lucros.


(Compra onde está vendido e vende onde está comprado)
Usualmente esta é a melhor medida para os iniciantes.

Rolar a posição para baixo, retirando mais dinheiro do mercado e


defendendo parte do lucro.

Rolar o financeiro para baixo, retirando mais dinheiro e defendendo


parte do lucro. Neste caso se continuar caindo, não vai se ganhar
tanto, mas se voltar a subir perde-se menos.
obs: Vamos ver estas duas modalidades de defender lucro agora.

59
8. Rolar a Reversão Para Baixo – Posição

Opção Pos Preço Retorno


VALEL48 -1000 2,40 1200
VALEL50 1000 1,20

VALEL48 -1000 1,00 600


VALEL50 1000 0,40

VALEL46 -1000 2,20 1200 - 600 = 600


VALEL48 1000 1,00 600 +1200 = 1800

Na tabela acima o operador fez uma reversão recebendo 1200


reais (spread de 1,20).

O mercado caiu e o spread passou para 600 (0,60) com 600 reais
de lucro. Aqui ele poderia desmontar a operação e realizar os 600
reais de lucro.

O operador deseja continuar ganhando se o mercado continuar


caindo.

Zera a reversão 48/50 e passa a posição para 46/48. Como o


spread da 48/50 está em 0,60 e o da 46/48 está 1,20 e ele está
operando um lote (1000 opções), irá custar 600 reais para
desmontar 48/50 e ele irá receber 1200 reais para montar 46/48.

Considerando que ele recebeu 1200 reais na operação inicial e 600


reais na troca (1200 – 600) ele agora está revertido em 46/48 e
recebeu 1800 reais, ou seja, só pode perder no máximo 200 reais
na operação.

Troca mínima = 500 reais/1000 opções ou 0,50.


Razoável = 600 (0,60)
Ideal = 700 (0,70)

Rolando a posição, você continuará ganhando bem na queda, mas


se o mercado voltar a subir, ainda pode ter um pequeno prejuízo,
mas de qualquer forma você diminuiu seu risco máximo de 800
reais para 200 reais, o que já é uma grande defesa de lucro.

60
9. Rolar a Reversão Para Baixo – Financeiro

Opção Pos Preço Retorno


VALEL48 -1000 2,40 1200
VALEL50 1000 1,20

VALEL48 -1000 1,00 600


VALEL50 1000 0,40

VALEL46 -500 2,20 1200 - 600 = 600


VALEL48 500 1,00 600 +600 = 1200

Na tabela acima o operador fez uma reversão recebendo 1200


reais (spread de 1,20).

O mercado caiu e o spread passou para 600 (0,60) com 600 reais
de lucro. Aqui ele poderia desmontar a operação e realizar os 600
reais de lucro.

O operador deseja continuar ganhando se o mercado continuar


caindo mas não quer mais assumir risco adicionais no caso de alta.

Sendo assim, ele zera a reversão 48/50 e passa o financeiro para


48/50. Como o valor da reversão 48/50 é de 600 reais e o spread
da 46/48 é de 1,20 ele só precisa reverter 500 opções para
receber os 600 reais.

Ele não recebe e nem paga nada pela troca, mas passa de uma
posição de 1000 opções para uma de 500 opções diminuindo o
risco máximo de 2000 reais para 1000 reais. Como ele recebeu
1200 reais na operação original, ele não tem mais como perder
esta operação, pois a pior situação será um lucro de 200 reais.

Troca mínima = 1000 para 700.


Razoável = 1000 / 600
Ideal = 1000 / 500

Rolando o financeiro, você continuará ganhando na queda, menos


do que quem rola a posição, mas se o mercado voltar a subir, terá
defendido bem o lucro e provavelmente não poderá mais ter
prejuízo na operação.

Se você quer ganhar mais na queda, role a posição, se está mais


preocupado em defender lucros, role o financeiro. Mas o melhor
mesmo é zerar a posição e colocar o lucro no bolso.

61
10. Reversão na Prática

Forma eficiente do pequeno investidor pessoa física atuar na


venda.

Reversão OTM recebendo mais de 0,80 é sempre uma boa


oportunidade, especialmente para quem tem a ação na carteira.
Mas este é uma oportunidade rara.

Reversão ATM recebendo mais de 1,20 pode ser uma boa


oportunidade.

Eficiente para remunerar carteira de ações (Taxa).

O risco da venda, DESDE QUE SE OPERE PEQUENO, é


perfeitamente suportável.

Uma característica interessante da reversão, é que quanto mais se


perde, menos se pode perder já que a perda é limitada.

62
Aula 8 – Compra e Compra de Volatilidade

1. Compra
No mercado de opções a compra tende a ser alavancada, com retorno
ilimitado, mas normalmente o tempo está contra você.

Compras normalmente não devem ser carregadas, pois além de


acertar o mercado, você terá de vencer a corrosão pelo tempo.

Compra PRECISA que suba seja em tendência ou em volatilidade.

2. Compra de Tendência X Volatilidade

Em nosso mercado, compra de tendência se mistura com compra de


volatilidade pois só temos liquidez nas opções de compra.

O que decide é a relação de delta com gamma.

Quanto mais delta em relação ao gamma, mais comprado em


tendência.

Quanto mais gamma em relação ao delta, mais comprado em


volatilidade.

Gamma pode ser de graça, mas delta usualmente tem custo.

Delta Quality acima de 1,5 tende para tendência, abaixo de 1,5


tende para volatilidade.

Obs: Delta Quality não faz parte do B&S, é apenas uma forma fácil de avaliar se a
compra tende mais para tendência ou volatilidade.

Só deve ser usado para operações de Compra a seco ou de compra de volatilidade.

Um delta quality acima de 1,5 é aquele que realmente produz melhora no


financeiro da operação se o ativo adjacente subir de preço. Quanto mais alto, mais
comprado em tendência.

Um delta quality abaixo de 1,5 é aquele que só consegue produzir melhoras no


financeiro da operação se alta do ativo adjacente for muito intensa (volátil).

O DQ é facilmente compreendido para quem domina as gregas, pois quanto menor


o Gamma e menos negativo o Theta, maior será o Delta Quality. Quanto maior o
gamma de uma operação e maior o theta negativo, maior a intensidade de
movimento, maior a volatilidade que ela vai necessitar para que o financeiro
melhore.
Obs: O Delta Quality é determinado automaticamente pela planilha do curso

63
3. Tendência X Volatilidade

Petrobras a 46
Opção Posição Preço Delta Gamma V Delta V Gamma D/G T ou V
42,00 1000 3,93 0,94 0,0412 942 41 22,85 TTT
44,00 1000 2,50 0,79 0,1013 794 101 7,83 TT
46,00 1000 1,37 0,54 0,1246 539 125 4,33 T
48,00 1000 0,66 0,32 0,1060 316 106 2,98 TV
50,00 1000 0,25 0,15 0,0699 150 70 2,14 V
52,00 1000 0,09 0,06 0,0361 63 36 1,73 VV
54,00 1000 0,04 0,03 0,0182 29 18 1,60 VVV

Quanto mais OTM a compra, mais gamma tem em relação ao delta.


As compras ITM dependem menos do tamanho de da velocidade da
alta. As compras OTM não precisam apenas de alta, mas a alta tem
de ser intensa e veloz.

Este é um exemplo simples para mostrar a relação de tendência e


volatilidade nas opções de compra.

Quanto maior a proporção de gamma em relação ao delta, menor


será o Delta Quality. Quanto menor o DQ, mais dependente de
movimento será a operação.

4. Tendência X Volatilidade

Tendência Volatilidade

Compra C VOL
Delta Gamma
Alta Velocidade
Custo Maior Custo Menor
Risco Menor Risco Maior
Pior na Queda Pior na Acumulação
Melhor na Alta Melhor nos Mov Fortes

Quadro comparativo das características da compra de tendência com


a compra de volatilidade.

64
5. Compra de Opções de Compra

Modalidade mais comum do mercado de opções.

Risco Limitado ao dinheiro pago pela compra.

Retorno ilimitado – mas não busque o retorno ilimitado – defina o


retorno esperado antes da operação.

Forma alavancada de ganhar na alta, mas que pode trazer grandes


prejuízos se a alta não ocorrer.

Seguro ou para proteger uma venda de ações. Você precisa


vender suas ações, compra a posição em opções, pagando um
pequeno valor, para manter posse sobre sua posição em ações.

Compra a seco de opções de baixo valor pode ser utilizada como


defesa de uma posição vendida pois compra gamma e margem.

Cuidado com a compra compulsiva. Não há como vencer na


compra de opções se mantendo comprado o tempo todo e
comprando seguidas vezes sem nenhum planejamento. Você não
irá superar o tempo desta forma e não vai ter chance.

6. Gráfico da Compra a Seco

Compra a Seco
5000

4000

3000
2000

1000
0
1000
2000
34 35 36
37 38 39
40 41 42
R e s
u tla d o d a O p e ra ç ã o

43 44 45

Resultado da Operação

Após o break (strike da opção + prêmio pago) o retorno aumenta de forma


ilimitada conforme a ação sobe de preço. Para o lado do prejuízo, ele é fixo e
limitado ao prêmio pago.

65
7. Tempo – Decaimento

Opções OTM perdem mais valor pela passagem do tempo, mas


custam menos. O prejuízo será maior se não subir, pois a VE
usualmente é maior.

Opções ITM perdem menos valor pela passagem do tempo, mas


custam mais caro. O prejuízo pode ser maior se cair.

Com a mesma quantidade de dinheiro, quanto mais OTM for a


compra, maior a alavancagem e mais especulativa é a compra.

8. Backspread Ratio ou Boi

Petrk 36 -1000

PetrK 40 +3000

Venda de uma opção e compra em maior quantidade de uma


opção de strike maior.

Pode ser feito em qualquer proporção, sendo as mais utilizadas ½


, 1/3 e 2/3.

Retorno máximo Ilimitado. Mas não busque o retorno ilimitado.


Defina o retorno esperado antes de operar.

O risco máximo = [2000 – spread]. O risco do BOI é o risco da


Reversão, pois o Boi é a soma de uma reversão com compra(s) a
seco. Se você fizer sem pular, este risco, como já vimos no
capítulo de reversão, é de 2000 reais. Some-se a ele o que você
pagar para montar o Boi ou diminua dele o que você receber para
montar o Boi.

Se pular uma opção entre a venda e a compra, o risco aumenta de


2000 para 4000 menos o spread recebido para montar. Não faça a
operação pulando uma antes de ter muita experiência, pois estará
dobrando o risco.

Se pular duas – 6000

66
9. Gráfico do Boi

Boi
7000

5000

3000

1000

1000

3000
34 35 36
37 38 39
40 41 42
R e s
u tla d o d a O p e ra ç ã o

43 44 45

Resultado da Operação

No gráfico, o Boi 36 -1000 / 40 + 3000. Este Boi foi feito no


crédito, pois abaixo de 36 a operação está no lucro. O pior
ponto são os 40 (no vencimento) onde a 36 valerá 4 reais (sua
venda) e suas comprar não valerão nada, ou valerão muito
pouco. Acima de 40 a posição começa a melhorar e melhora
quanto mais sobe a partir dos 40 porque as relações naturais
irão se estreitando conforme as opções forem se tornando ITM.

Se o mercado fica entre 36 e 40, o prejuízo aumenta dia a dia


pela perda de valor da 40 em relação a 36 (na proporção 3 para
1). Se o mercado desaba abaixo de 36, tudo vai virando pó e
será a vez da 36 perder valor, já que a 40 não terá mais o que
valor. Se o mercado sobe com força acima dos 40 as 3 opções
40 ganharão mais valor do que você estará perdendo na 36
vendida.

O Boi quer as extremidades – abaixo de 36 e acima de 40. No


meio ele leva prejuízo.

67
10. O Boi

Para o investidor que pretende ganhar se o mercado fizer um


movimento intenso, mas não deseja ter custo alto para entrar no
mercado.

A grande vantagem desta estratégia é a possibilidade de


alavancagem e retorno ilimitado, com risco definido. A grande
desvantagem é a perda na acumulação e no decaimento das
opções (Boi sangrando).

Deve-se matar o Boi no máximo há 10 dias do vencimento e não


se deve carregá-lo em condições normais mais de 72 horas (Boi
tem stop no tempo).

O ganho será grande na alta e pequeno na queda, mas o prejuízo


poderá ser grande se o mercado ficar parado.

Pode ser usado como defesa de uma posição vendida de


alto risco, pois compra bastante gamma. Na verdade está é
a principal função do Boi em nosso mercado, pois
vencimentos de um mês não dão muitas chances ao Boi.

Como o Boi só ganha se o mercado ganhar volatilidade, o ideal é


que se faça no crédito ou ao menos no zero a zero.

11. Tipos de Boi

Boi ITM – Mais caro para montar, mas maior chance de ganho se
subir, mesmo que suba pouco. Se cair pode ter prejuízo, a não ser
que caia muito.
DQ alto - Tende mais para compra de tendência
Relação Delta/Gamma alta

Boi ATM – Mais barato que o ITM, demora mais a ganhar na alta,
mas se cair pode não ter prejuízo. Prejuízo grande se o mercado
ficar onde está.
DQ médio – Entre tendência e volatilidade
Relação Delta/Gamma média

Boi OTM – Fácil de montar no crédito. Difícil ganhar na alta, a não


ser em altas muito voláteis. Se acumular ou cair o que recebeu
para montar é lucro. Boa estratégia para quem espera um
movimento muito forte do mercado ou para defesa de uma
posição vendida.
DQ baixo – Volatilidade pura
Relação Delta/Gamma baixa

68
12. Proporções e Pulos do Boi

Cada vez que você pula uma série para montar o Boi, você
aumenta seu risco em 2000 reais. Em contrapartida o custo
diminui ou você pode aumentar a proporção compra/venda.
Quando pula uma série, aumenta o gamma e diminui o
delta, tende mais para VOL e menos para tendência, o DQ
diminui.

Quanto maior a proporção compra/venda, mais o Boi vai ganhar


no caso de alta, e mais ele vai perder no caso de acumulação. No
caso de queda, perde mais apenas porque o custo é maior.
Quando aumenta a proporção, o custo aumenta e também o
delta, tendendo mais para tendência, o DQ aumenta.

13. O Bode

Petrk 36 -1000
PetrK 38 +1000
PetrK 40 +1000

Forma especial de compra de volatilidade.

Mais fácil de receber para montar.

DQ muito baixo, tende totalmente para volatilidade.

Útil para defender uma posição vendida ao mesmo tempo que se


tira dinheiro do mercado, ou para rolar uma posição vendida.
Sendo uma operação de compra de volatilidade fácil de montar no
crédito, pode-se retirar dinheiro do mercado para defender uma
venda em risco ao mesmo tempo em que se compra gamma,
defendendo mais ainda a alta.

Mas isso não é uma mágica pois a operação abre uma área de
risco de 2000 reais para cada lote vendido.

A proporção que você monta ou mantem de compras e vendas irá


alterando conforme os resultados e os ajustes em um processo
que chamamos de Calibrar o Bode.

69
14. Venda Coberta pelo Boi

Petrk 36 -1000
PetrK 38 +2000
PetrK 42 -1000

A venda de uma opção com um strike superior ao boi, desde que


se pule um strike, diminuiu o custo do Boi e não aumenta o risco,
apenas limita o lucro.

Diminui a perda na acumulação, pois ganhará o VE da opção


vendida acima.

A venda da opção permite muitas vezes que se monte um Boi ITM


de graça, com DQ maior, se este for o objetivo do operador.

15. Gráfico da Venda Coberta pelo Boi

L
3.000
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2 .5 0 0
2.500
2 .0 0 0

2.000
1 .5 0 0

1.500
1 .0 0 0

1.000
500
500
500
500
500
500
500
500
500
500
500
500
500

500

500
0

0
5 050

5 050
3 5 ,1 5
3 5 ,6 5
3 6 ,1 5
3 6 ,6 5
3 7 ,1 5
3 7 ,6 5
3 8 ,1 5
3 8 ,6 5
3 9 ,1 5
3 9 ,6 5
4 0 ,1 5
4 0 ,6 5
4 1 ,1 5
4 1 ,6 5

1 .0 0402 ,6 5
4 3 ,1 5
1 .0 0403 ,6 5

4 4 ,6 5
4 5 ,1 5
4 5 ,6 5
4 6 ,1 5
4 6 ,6 5
4 7 ,1 5
4 7 ,6 5
4 8 ,1 5
4 8 ,6 5
4 9 ,1 5
4 9 ,6 5
5 0 ,1 5
5 0 ,6 5
5 1 ,1 5
5 1 ,6 5
5 2 ,1 5
5 2 ,6 5
5 3 ,1 5
5 3 ,6 5
5 4 ,1 5
5 4 ,6 5
4 2 ,1

4 4 ,1

500

1.000
1 .5 0 0

1.500

2.000

O gráfico é semelhante ao do Boi, mas ao invés de um ganho


progressivamente maior na alta, tem um platô limitando os lucros,
onde se vendeu a opção de strike superior. Isso permite que o custo
do Boi diminua e muitas vezes seja feito no crédito.

70
16. Compra e CV na prática

Compra de opções com alta relação gamma / preço pode ser


interessante (Bilhetão).

Compra de opções é uma operação para quem busca


oportunidades e entra pouco no mercado. Ficar permanentemente
comprado em opções não tem qualquer chance pois você não
vencerá o tempo.

Compra de gamma seja comprando a seco ou montando Boi é a


segunda melhor defesa para posições vendidas com risco alto (a
melhor é zerar a posição).

Boi totalmente ITM de graça é sempre interessante – pode-se usar a


venda coberta pelo Boi para jogar para mais ITM.

Boi OTM pode ser feito no crédito e ganhar se o mercado não subir
muito. É uma compra de VOL que o tempo pode estar a seu favor.

Muito cuidado para não carregar compras por longos períodos pois a
sua operação irá sangrar (perder VE) e a cada dia que passar ficará
mais difícil suplantar a passagem do tempo pois as compras com a
passagem do tempo não perdem somente valor, mas perdem
também chance (delta e gamma). Após algum tempo ficam
dependentes de acontecer algo extraordinário para serem
vencedoras.

Operar o extraordinário, o inusitado, não é bom negócio pois eles


acontecem poucas vezes.

71
Aula 9 – Venda e Venda de Volatilidade

1. Venda

Venda usualmente não precisa que algo aconteça. Basta que NÃO
SUBA com força.

Pode ganhar na queda, no mercado de lado e até no mercado que


sobe pouco, dependendo de onde for a venda e do VE vendido.

Risco ilimitado (Quando não for travada).


- Não há necessidade de se colocar no risco de vender descoberto,
pois se pode travar com custo muito pequeno.

Retorno limitado ao dinheiro recebido na venda.


- O dinheiro que você recebe em uma venda, seja de tendência ou
volatilidade NÃO É SEU.
É UMA DÍVIDA e terá que ser paga se o mercado subir.

Objetivo da venda = comprar mais barato que vendeu se o mercado


não subir.

Enquanto você estiver vendido em VE, o tempo estará a seu favor.


- Operações de venda podem ser carregadas e necessitam de lastro
para serem vencedoras. Se o limite for muito próximo do preço atual
do papel, ou a posição for muito grande, suas chances serão
pequenas pois você não agüentará pequenas altas e o vendido tem
de agüentar algum prejuízo antes de sair stopando ou não vai ganhar
nunca..

Vendido não pode ser stopado toda hora e especialmente não pode
ser stopado em VE. Stopado em VE é o vendido que stopa uma
operação que naquele preço do papel estaria dando lucro se o
vencimento fosse naquele dia. O prejuízo financeiro dele se resume a
valor de expectativa ou VE. Este tipo de prejuízo tem de ser
suportado pelo vendido para que ele seja vencedor. Ele só deve
stopar vendas em que o prejuízo seja em valor verdadeiro, ou valor
intrínseco. Por isso ele tem de se manter sempre pequeno e com
lastro no caso de alta do mercado.

72
2. Venda de Tendência X Volatilidade

No Brasil, só temos liquidez nas Opções de Compra.

Em nosso mercado, como só usamos opções de compra, venda de


tendência se mistura com venda de volatilidade.

O que decide é a relação delta/gamma.

Quanto mais delta negativo em relação ao gamma negativo, mais


vendido em tendência.

Quanto mais gamma negativo em relação ao delta negativo, mais


vendido em volatilidade.

A venda de tendência ganha mais na queda, a de volatilidade


ganha mais na acumulação.

3. Venda = Margem

Toda venda implica em depósito de margem. A margem é um


capital solicitado pela Bovespa que ficará depositado até a venda
ser encerrada.

Venda descoberta implica em margens enormes, tornando-a pouco


interessante, alem do grande risco. Se com a mesma quantia
depositada em margem, o vendedor descoberto, utilizasse travas,
o ganho no caso de queda seria maior e o prejuízo no caso de alta
será limitado e bem menor.

Saiba sempre a sua margem e não venda mais do que 10 a 20%


da sua margem. O vendido normalmente quebra por falta de
margem pois em períodos de forte alta as margens solicitadas vão
se tornando cada vez maiores.

4. Venda de Opções de Compra

Risco ILIMITADO quando não travada.

Retorno limitado = o crédito recebido para montar.

Usualmente ganha na queda e na acumulação. Mas pode ter


prejuízos enormes se subir forte.

Nunca deve-se vender opções de baixo valor (pouco VE)


pois o que se pode ganhar (pouco) não compensa o risco
enorme e o tamanho da margem.

73
10.000
8.000
6.000
4.000
2.000
0
2.000
4.000
3 5 ,1 5 2 .0 0 0

L
3 5 ,6 5 2 .0 0 0
3 6 ,1 5 2 .0 0 0
2000
1000
0
1000
3 6 ,6 5 2 .0 0 0

2000
3000
4000
5000
6000
3 7 ,1 5 2 .0 0 0
3 7 ,6 5 2 .0 0 0
3 8 ,1 5 2 .0 0 0
3 8 ,6 5 2 .0 0 0
3 9 ,1 5 2 .0 0 0
3 9 ,6 5 1 .5 0 0

34 35 36
4 0 ,1 5 1 .0 0 0
4 0 ,6 5 500
4 1 ,1 5 0
4 1 ,6 5 5 0 0
4 2 ,1 51 .0 0 0
4 2 1,6.55 0 0
3 ,1
24 .0 0 05

37 38 39
2 .54030,6 5
3 .0 0 04 4 ,1 5
3 .5 0 0 4 4 ,6 5

que seja comprando uma opção de baixo valor.


4 .0 0 0 4 5 ,1 5

forma ilimitada conforme a ação sobe de preço.


4 .5 0 0 4 5 ,6 5
5. Gráfico da Venda Descoberta

5 .0 0 0 4 6 ,1 5
5 .5 0 0 4 6 ,6 5
Venda a Seco

40 41 42

6. Gráfico da Venda Travada no Pó


6 .0 0 0 4 7 ,1 5
6 .5 0 0 4 7 ,6 5 Resultado da Operação
7 .0 0 0 4 8 ,1 5
7 .5 0 0 4 8 ,6 5
8 .0 0 0 4 9 ,1 5
8 .0 0 0 4 9 ,6 5
8 .0 0 0 5 0 ,1 5
43 44 45

8 .0 0 0 5 0 ,6 5
8 .0 0 0 5 1 ,1 5
R
e
su
tla
d
o
d
a

8 .0 0 0 5 1 ,6 5
O
p
e
ra
ç
ã
o

8 .0 0 0 5 2 ,1 5
8 .0 0 0 5 2 ,6 5
8 .0 0 0 5 3 ,1 5
8 .0 0 0 5 3 ,6 5
8 .0 0 0 5 4 ,1 5

74
Após o break (strike da opção de venda + spread recebido) o prejuízo aumenta de

pequena diminuição no retorno máximo em troca de um limite no risco máximo.


Compra-se um seguro (opção de baixo valor) o que representa apenas uma

Toda venda deve ser sempre travada e não há justificativa para não se travar ainda
8 .0 0 0 5 4 ,6 5
7. Venda de Opções de Compra
Perdas enormes no caso de alta forte

Ganha a passagem do tempo e o valor de expectativa da opção (VE)


se o ativo não subir além do preço de exercício da opção.

ATM – Maior ganho se o mercado ficar onde está.


OTM – Menos ganho pois os prêmios são menores, mas pode ganhar
mesmo na alta se esta não for grande. É muito confortável e viciante
vender opções OTM e ficar vendo elas micarem, mas nem sempre
elas micam e quando não micam, os prejuízos são enormes.
ITM – Prêmios maiores, ganha mais se cair, mas necessita de queda
para ganhar.

Para o mesmo valor financeiro, quanto mais OTM, mais alavancada e


especulativa é a venda.

Quanto mais OTM, maior a TAXA.

8. Call RatioSpread ou Vaca (VV)

PetrK 34 +1000
PetrK 38 -3000
PetrK 42 +2000

Compra de uma opção e venda em maior quantidade de uma opção


de strike maior (travando em outra de strike mais alto).

Retorno máximo limitado de acordo com a operação.

O risco máximo varia de acordo com a distância da compra para


venda e da venda para a trava e de acordo com a proporção de
compra para a venda, mas estará sempre definido e limitado desde
que a operação esteja corretamente travada.

O objetivo é ganhar a perda de valor pela passagem do tempo da


opção vendida enquanto o mercado fica entre a opção comprada e a
vendida. Como só operamos opções de compra, pode-se beneficiar da
queda também desde que não seja muito volátil.

Pode ser feito em qualquer proporção, sendo as mais utilizadas ½ ,


1/3 e 2/3 e 1/4.

75
9. Gráfico da Vaca

Vaca
3000

1000

1000

3000

5000
34 35 36
37 38 39
40 41 42
R e s
u tla d o d a O p e ra ç ã o

43 44 45

Resultado da Operação

O lucro aumenta conforme o mercado se aproxima da opção vendida, mas com os


preços acima dela, a operação entra na faixa de perda, que é sempre limitada
quando a operação é travada.

10. Vaca

Para o investidor que pretende ganhar se o mercado não fizer um


movimento intenso.

A grande vantagem desta estratégia é ganhar o decaimento das


opções vendidas no caso do mercado perder volatilidade.

O ganho será grande no mercado de lado e mesmo na queda. Na alta


forte o prejuízo poderá ser grande.

Excelente estratégia para mercados pouco voláteis. Mais lucro do que


as operações alvo no caso de acerto, mas prejuízo maior no caso de
erro.

Como a Vaca ganha com o decaimento das opções e a passagem do


tempo, pode-se levar a operação até a sexta anterior ao vencimento.

Necessita de lastro para ser vencedora. OPERE PEQUENO.

76
11. Posição da Vaca

Vaca ITM – Mais barato para montar, podendo até ser uma operação
de crédito, mas maior risco de ser exercido.
Se o mercado cair, pode ter lucro.

Vaca ATM – A mais utilizada. Mais cara que o ITM, mas ganha se o
mercado ficar onde está e agüenta até um pouco de alta.

Vaca OTM – Pouco eficiente porque tem de pagar para montar e


necessita de alta para ter lucro. Há outras operações com custo
menor que ganham mais na alta.

12. Cabra

Petrk 36 +1000
PetrK 38 -1000
PetrK 40 -1000
PetrK48 +1000

Forma especial de venda de volatilidade

Custo maior mas suporta melhor a alta.

Oportunidades com boa posição e custo, após alta forte do mercado.

Para quem deseja ganhar se o mercado não subir mas não deseja
assumir um risco tão grande como da vaca se o mercado subir.

77
13. Operação Vovó Tivi

Petrk 34 +1000
PetrK 38 -5000
PetrK 40 +5000

Outra forma especial de vaca. Combinação de compra a seco com


reversão. Compra de uma opção + reversão de strikes superiores,
em maior número para pagar a compra.

Pode-se fazer em qualquer proporção mas o mais comum é 1/5,


pulando um strike.

Retorno máximo 4000 menos ou mais o custo. Mesmo cálculo para


o risco máximo. (Nesta proporção).

Agüenta menos alta e custa mais caro que a vaca normal, mas se
o mercado explodir volta a ganhar lá na frente.

14. Gráfico da Operação Vovó Tivi

Vovó Tivi

8000
6000
4000
2000
0
2000
4000
6000
32
34
36
38
40
42
44

Resultado
46
48
50
52

Se o mercado cai abaixo da opção comprada, o resultado é o spread pago ou


recebido. Entre a opção comprada e as reversões, tem a primeira área de lucro.
Quanto mais próximo das reversões maior o lucro. Quando o mercado entra na
área das reversões, a operação vai para a faixa de perda. Se o mercado continuar a
subir, o prejuízo das reversões é limitado e da compra a seco não, logo a operação
volta a dar lucro se o mercado subir MUITO.

78
15. Proporções e Pulos da Vaca

Cada vez que você pula uma série para montar uma vaca, você
aumenta seu retorno máximo em 2000 reais. Em contrapartida o
custo aumenta ou você tem de aumentar a proporção venda/compra.

Quanto maior a proporção venda/compra, mais a Vaca vai perder no


caso de alta, mas menor o custo.

16. Marcadores para Venda

[BOSI = Gamma X % num de negócios]


VE (Valor Extrínseco)
VEX = Venda ou Vaca Expectative

Coloque um limite no BOSI ou no cruzamento de BOSIs – isto é bem


mais real em se tratando de opções, quando for vender, do que
limitar pelo preço da ação ou o financeiro da operações, situações em
que muitas vezes você vai stopar VE.

17. Gráfico de BOSI

O gráfico plota dia a dia o BOSI de cada opção e podemos acompanhar a evolução
do BOSI. O STOP é dado quando o BOSI de uma determinada opção supera o de
outra. Gráfico disponível e atualizado diariamente para PETR4/VALE5 e TNLP4 na
seção Estudos de Volatilidade da Bastter Blue

79
18. VEX (Venda ou Vaca Expectative

O VEX verifica a chance matemática da sua vaca ou venda ser


vencedora. Ele não garante que será, apenas é um padrão para que
você acompanhe suas vendas e possa saber o que está acontecendo.

[VEX = Limite superior da sua venda – Preço da Ação / Dias para o


vencimento]

O VEX diminui conforme a ação se aproxima das suas vendas ou do


limite das suas vendas no vencimento.

O VEX aumenta conforma o vencimento se aproxima, o tempo passa.

Um VEX muito baixo significa que o mercado está chegando nas suas
vendas mais rápido do que a passagem do tempo e a sua venda está
em risco. Provavelmente você terá de rolar as vendas para cima ou
para frente ou zerar vendas total ou parcialmente.

Um VEX muito alto mostra que a operação tem grande chance de ser
vencedora mas cuidado, pois pode estar havendo desperdício de VEX
e vendas onde não vale mais a pena, ou risco grande na venda.
Realize lucros ou role as vendas para baixo ou para frente.

Padrões de VEX

• Abaixo de 5 = Risco do mercado chegar nas vendas


• Entre 5 e 10 = Venda equilibrada em relação ao mercado
• Acima de 10 = Pode estar havendo desperdício de VEX

Estes padrões são apenas para o operador se localizar inicialmente. É


necessário compreender o conceito de VEX para se beneficiar dele e
utilizá-lo como marcador de vendas.

Obs: O VEX está na Planilha Aspreads do curso, não há necessidade de calculá-lo.

80
19. Venda e Venda de Volatilidade na Prática

Venda de opções com valor próximo de 1 real, estando mais de 4


reais OTM é interessante. Normalmente acontece na série seguinte.
Trave na série atual.

Para ganhar na venda de opções, é necessário buscar oportunidades


de venda. Situações em que o mercado lhe oferece vantagens em
termos de venda de VE.

Venda de VE defende posições que estão sendo corroídas pelo tempo.

Vacas em que a venda é ATM/OTM, com bom VE, montando no zero a


zero ou no crédito são sempre interessantes desde que a proporção
venda/compra se mantenha em níveis razoáveis.

Melhores marcadores para monitorização de vendas: BOSI e VE

Sempre tenha um lastro em termos de tamanho e distância da venda


em relação ao preço do papel. Sem este lastro você será sempre
stopado. O vendido tem de agüentar tranco ou não vai ganhar no
longo prazo.

81
Aula 10 – Operações Alvo

1. Operações Alvo

Custo definido, risco baixo e de fácil acompanhamento, pois variam


pouco.

Operações Alvo são operações de TAXA.

Determinam uma faixa de preços em que a operação é vencedora.


Fora desta faixa, perde valor.

As gregas (gamma, delta, etc) pouco importam, o que define a


operação é se acerta o alvo ou não.

Ganham com mercado pouco volátil, mas ainda que o mercado seja
volátil, se retornar a faixa de ganho próximo ao fim do vencimento, a
operação será vencedora.

Quanto maior o alvo, maior o custo.

2. Borboleta

PetrK 36 +1000
PetrK 38 -2000
PetrK 40 +1000

A soma de um financiamento com uma reversão com intersecção da


opção vendida.

Venda de duas opções ATM. Compra de uma opção ITM e uma opção
OTM.

Risco Máximo = Custo (spread)

Retorno máximo = [2000 – custo]


Se pular uma [4000 – custo]
Se pular duas [6000 – custo]

82
3. Gráfico da Borboleta

Borboleta
2000

1000

1000

2000
34 35 36
37 38 39
40 41 42
R e s
u tla d o d a O p e ra ç ã o

43 44 45

Resultado da Operação

Observe no gráfico a característica da operação alvo, que só obtém lucro quando


acerta o alvo. Por outro lado, o prejuízo quando erra é pequeno e limitado.

4. A Borboleta

Para o investidor que deseja ter lucros se o ativo ficar em uma


determinada área de preços, mas não deseja assumir riscos grandes
se estiver errado.

O risco é limitado ao que se paga pela borboleta.

Excelente estratégia para mercado de baixa volatilidade.

Forma simples, de risco baixo e limitado do pequeno investidor ter a


oportunidade de operar alavancado.

Não precisa de muito monitoramento.

5. Borboleta Direcional

Borboleta ITM – Mais barata. Só ganha na queda.

Borboleta ATM – A mais cara. Ganha se o mercado ficar


próximo de onde ele está. A mais usada.

Borboleta OTM – Mais barata. Só ganha se o mercado subir. Mas


ganha mais se isso acontecer

83
6. Borboleta Assimétrica (Vaquinha)

PetrK 36 +1000
PetrK 40 -3000
PetrK 42 +2000

Compra de uma opção, pula um strike, venda de três opções


normalmente ATM e compra de duas opções no strike seguinte.

Segue sempre as Relações Naturais na compra e venda e a trava é


sempre na opção seguinte a venda. Se sair deste padrão vira vaca ou
venda de volatilidade pois cria risco adicional ao custo. Tem
características parecidas a vaca, mas com menos risco. Poderia ser
chamada de Vaquinha.

Amplia a faixa de ganho, mas amplia o custo também. Boa


alavancagem.

Risco máximo = Custo (spread).

Retorno máximo = [4000 – custo]

Se pular duas = [6000 – custo]

7. Gráfico da Borboleta Assimétrica

Borboleta Assimétrica
3000

2000

1000

1000

2000
34 35 36
37 38 39
40 41 42
R e s
u tla d o d a O p e ra ç ã o

43 44 45

Resultado da Operação
Percebam que a faixa de ganho é maior, mas se compararmos com a borboleta,
verão que o risco máximo também aumenta, pois para ganhar uma faixa mais
ampla, pagou-se mais caro.

84
8. Condor ou Mesa

PetrK 36 +1000
PetrK 38 -1000
Petrk 40 -1000
PetrK 42 +1000

A soma de um financiamento com uma reversão, mas sem interseção


nas opções vendidas. Venda de duas opções ATM de strike diferentes.
Compra de uma opção ITM e uma opção OTM.

O risco máximo = Custo (spread)

Retorno máximo = [2000 – custo]

Na Mesa, quando você pula strikes, você aumenta o custo e a faixa


de ganho, mas não o retorno máximo, que se mantem fixo em 2000
pois a base não é uma compra como a borboleta, mas um
financiamento que tem retorno máximo fixo em 2000.

Faixa de ganho maior que a borboleta, portanto custo maior também.

9. Gráfico da Mesa

Mesa
2000

1000

1000

2000
34 35 36
37 38 39
40 41 42
R e s
u tla d o d a O p e ra ç ã o

43 44 45

Resultado da Operação
A faixa de ganho é maior do que da borboleta, mas em contra-partida o custo é
praticamente o dobro (risco máximo).

85
10. Condor ou Mesa

Para o investidor que deseja ter lucros se o ativo ficar em uma


determinada área de preços e que não deseja assumir riscos grandes
se estiver errado, mas que aceita um risco maior que o da borboleta
em troca de uma faixa de ganho também maior.

Risco limitado ao que se paga pela mesa. Retorno também é limitado.

Excelente estratégia para mercado de baixa volatilidade.

11. Operações Alvo

Operações Alvo Compradas são venda de volatilidade, ou seja,


esperam que o mercado fique onde está para ter lucro.

Operações Alvo Vendidas são compra de volatilidade, pois esperam


que o mercado faça um forte movimento em qualquer direção para
ter lucro. (São pouco eficientes neste sentido, devido ao retorno
limitado).

A vantagem deste tipo de operação para o pequeno investidor é o


baixo custo, o risco limitado, a boa alavancagem e a possibilidade de
operar sem ter de acompanhar o mercado de perto.

12. Operações Alvo – Na Prática

Custo adequado para Operações Alvo

Inic. Venc 10 dias p venc.

Borboleta 400-500 700-800

Mesa 700-800 1000-1200

B. Assimétrica 900-1000 1500-1700

Não se deve usar o stop como parte da estretágia das operações


alvo. Considere perdido o que investiu e leve até o fim do
vencimento ou se atingir o lucro esperado.

Não monte operações alvo grandes – perde o sentido.

Serve como defesa de buracos negros. (Áreas de risco em outras


operações).

86
Parte III – Remuneração da Carteira de
Ações

Aula 11 – Marcadores e Indicadores para Carteira

1. Remuneração de Carteira – Níveis

Nível 1 – Carteira de Ações + Reaplicação de dividendos, juros,


subscrições, etc.

Nível 2 – Carteira de Ações + Venda Coberta

Nível 3 – Carteira de Ações + Reversões

Nível 4 – Carteira de Ações + Vacas

2. Marcadores

Para quem só faz o Nível 1 ou o Nível 2, os marcadores não são


necessários.

A função principal dos marcadores é controlar o risco de quem usa


opções para remunerar a carteira de ações. Eles não garantem
lucro.

Os marcadores limitam tanto a quantidade percentual de dinheiro


que você pode remunerar a sua carteira quanto o risco.

Em última instância quem se mantiver dentro dos limites do


marcadores poderá remunerar sua carteira nas quedas e
acumulações sem colocá-la em risco maior que o necessário
durante os períodos de alta.

IMPORTANTE – Não importa quanto estes marcadores ajudem,


duas coisas tem de estar sempre em mente:

1.OPEREM SEMPRE PEQUENO (OPÇÕES)

2.VAO HAVER SITUAÇÕES A PARTIR DO NÍVEL 3 EM QUE


VOCÊ VAI TER DE TIRAR DINHEIRO DO SEU BOLSO E
COMPRAR. QUEM NÃO ESTIVER DISPOSTO Q ISSO, NÃO
PASSE DO NÍVEL 2.

Obs: Todos os marcadores estão na Planilha Aspreads do curso.

87
3. Regra dos 10%

Marcador mais importante. Só fique vendido em valor financeiro até


X% da sua carteira de ações EM QUALQUER MOMENTO.

Comece usando valores bem pequenos: 2 a 3%.

Deixe sempre um lastro, para que o mercado possa subir sem você
ter de se defender. Não opere no limite.

Apesar da regra se chamar 10%, só deve usar os 10% quem tem


muita experiência e alta propensão ao risco. Para a maioria 5 a 6%
basta, ou até valores menores do que estes.

Não importa nada, não importa o que você pensa, não importa o que
o mercado está fazendo, se a dívida passar dos X% determinados,
COMPRE até trazer de volta para baixo do limite.

Esta é a atitude mais importante para determinar se você vai


sobreviver operando opções.

Compre opção ITM ou a primeira que você está vendido ou ações.

Se a primeira que você esta vendido não é ITM, a dívida não deveria
estar acima dos X% (Você está operando grande demais).

Não importa o percentual, o limite de dívida para poder operar de


forma razoável sem virar um Golum é de R$20.000,00. Acima disso
as operações começam a tomar conta da sua vida.

4. SVE

SVE = Soma dos Valores Extrínsecos da sua operação. Soma o


quanto você está comprado e vendido em VE, multiplica pelas
posições em cada opção, chegando a um valor positivo ou negativo
de VE da operação.

Determina o quanto da sua operação é comprada ou vendida em VE.


SVE negativo = Vendido em VE (tempo a favor)
SVE positivo = Comprado em VE (tempo contra)

Quem remunera a carteira de ações com opções deve sempre manter


SVE negativo pois é o valor financeiro que você pode ganhar se o
mercado não subir.

88
5. SVEX

0 5 10

Remun. Baixa Remun. Média Rem Exagerada

SVEX = [SVE / Capital alocado na corretora]

O SVEX cria um SVE padrão independente do tamanho que cada


um opera, da quantidade de dinheiro que cada um tem.

Ele é útil para verificar se quem remunera a carteira está


realmente com uma operação que trará uma boa taxa se for
vencedora.

Em útima instância o SVEX é o verdadeiro Theta do


remunerador de carteira. Você pode até estar com Theta negativo
na sua operação, se o SVEX for negativo na proporção que você
determinou, a carteira ainda será remunerada.

Em torno de 2 a 3 nas quedas comece a procurar formas de


defender o lucro das vendas e aumentar a posição vendida.

Em torno de 2 a 3 nas altas, é hora de rolar as vendas para cima


e/ou comprar opção vendida.

6. Theta da Operação

Toda venda de VE é por definição theta positiva.

Você pode acompanhar suas vendas pelo Theta e ajustar o Theta


com as altas ou quedas do mercado.

A operação perde Theta na queda ou na alta.

O problema com o Theta é que não existe um padrão, ele terá


tamanhos diferentes de acordo com o número de lotes operados.

89
7. THEX

0 5 10

Gama maior Venda Média Risco Alto

THEX = [Theta da Operação / Capital alocado na corretora]

O THEX cria um padrão independente do tamanho e número de lotes


de cada operação.

O objetivo do THEX para quem remunera a carteira de ações é ser o


controlador de risco. Há situações em que você respeita a Regra dos
10% e até se mantem com uma dívida pequena, mas o risco é alto e
a posição irá piorar de forma exagerada a menor alta do mercado.

Mantendo o THEX abaixo de 5 isso não irá acontecer.

Acima de 7 a 8 as vendas de opções estão colocando um risco


desnecessário na carteira. Diminua o tamanho das vendas ou compre
gama. Você pode operar com THEX alto, mas tem de saber que
apesar de uma boa remuneração da carteira nas quedas, você terá de
aceitar perdas grandes nas altas.

O THEX pode aumentar no início da alta mas após alta forte


começará a diminuir. Neste momento o mercado está passando as
suas vendas e você já deveria ter zerado ou rolado.

Enquanto que o SVEX lida com a quantidade de dinheiro que você


pode retirar se o papel não subir, o THEX lida com seu risco em
termos de theta que é normalmente diretamente proporcional ao
risco em gama. Quanto mais vendido em gama, maior o theta e
maior o risco no caso de alta forte, por isso pode-se ajustar o THEX
comprando gama (compra de opção com alto gama ou compra de
volatilidade).

O THEX pode ser calibrado pelos operadores mais experientes usando


marcadores objetivos, tentando usar THEX maiores nos períodos de
queda e menores nos períodos de alta. Um marcador para calibrar o
THEX, por exemplo, é o [número de defesas necessárias a operação X
realização de lucro nas vendas]. Se estiver se defendendo muito,
diminua o limite do THEX. Se estiver se defendendo pouco e
realizando lucro de vendas, aceite limites maiores de THEX.

90
8. Marcadores

Regra dos 10% - Nunca deixe passar do limite estabelecido


Use 5 a 6% inicialmente de limite, mas venda somente 2 a 3% para
ter lastro no caso de alta do mercado.

Limite absoluto = R$20.000,00

SVEX baixo = Realize lucro das vendas e/ou role para baixo ou para
frente

THEX alto = Compre gama, role vendas para cima ou para frente ou
zere vendas.

Obs: Se você lidar com THEX maiores, poderá remunerar mais a


carteira quando o mercado não subir, mas terá que aceitar riscos
maiores quando ele subir.

Atenção – NÃO AJUSTAR DEMAIS

91
Aula 12 – Nível 1 de Remuneração: A Carteira de
Ações

1. A Carteira de Ações

Uma boa carteira de ações deve fazer parte do planejamento


financeiro de todo indivíduo.

Uma parte do seu capital deve estar investido em ações.

Não importa quanto do seu capital estará em ações, mas deve ser
sempre dinheiro que você não vai precisar, alocado para longo prazo.
Se você usar uma parte grande do seu capital para comprar ações,
ou dinheiro que você vai precisar, poderá ter de sair com o mercado
em baixa realizando prejuízos.

Uma boa regra: [% capital em ações = (80-Idade)]

A maior parte da sua carteira deve estar sempre em ações de


empresas líderes, as chamadas blue-chips (no mínimo 90%).

2. Montando sua Carteira de Ações

1. Compre ações em intervalos programados com parte do dinheiro


que sobra no fim do mês.

2. Compre no mínimo 90% em Blue Chips (Empresas líderes)

3. Não importa se você acha que vai subir ou cair, o que importa é
cumprir uma programação alocando parte da sua renda para
ações.

4. Comprando desta forma, o preço médio irá cair através dos anos e
será diluído por momentos de compra na alta ou na queda.

92
3. Gráfico de Rendimento da PETR4
Ganho Percentual Acima do Dollar - PETR4

2000 1650

1500

1000 650

500 50 100

1 Ano 5 Anos 10 Anos 15 Anos

Fonte; Mauro Halfeld – O Globo


O rendimento de ações de boas empresas a longo prazo é extraordinário desde que
se use dinheiro que não precise para não ter de sair nos períodos de queda.

4. Reinvestindo na Carteira

Toda vez que receber dividendos, juros, etc, reinvista nas ações. Isso
irá aumentar de forma extraordinária o rendimento da sua carteira
através dos tempos. Aproveite as subscrições e bonificações.

A diferença do rendimento de uma carteira de ações a longo prazo


quando se reaplica os dividendos aumenta expressivamente.

5. Gráfico Comparativo
100 Mil Dólares Aplicados na Bolsa dos EUA em 1871

250.000,00

8.000.000,00

Reaplicando Dividendos Sem Reaplicar dividendos

Pesquisa de Jeremy Siezel – Wharton Business Scholl 1871-2003


Fonte Mauro Halfeld – O Globo
O rendimento aumenta expressivamente quando se reaplica dividendos, juros, etc.

93
6. Vender Ações da Carteira

Se você tem uma carteira de ações de boas empresas só existem


duas razões para vender suas ações:
1.Você reavaliou a empresa ou a situação econômica mundial mudou
e não é mais interessante ficar posicionado naquela empresa.
2.Você está com problemas pessoais graves e precisa do dinheiro.

Vender porque vai cair, ou porque caiu, é do departamento do trader.


Quem monta uma carteira de ações, não tem nada a ver com isso.

Para quem monta uma carteira de ações de longo prazo só duas


coisas importam:
1.Quantas ações você tem.
2.A solidez das empresas que você possuiu ações.

Os preços das ações hoje não tem nenhuma importância e quando


caem são uma grande oportunidade de aumentar a quantidade de
ações da sua carteira sem colocar dinheiro novo seu.

7. Nivel 1- Remunerar a Carteira de Ações com ações

Risco Baixo

Pouco tempo dispensado

Qualquer um pode fazer independente do nível de conhecimento, do


tempo, do trabalho, etc.

O resultado a longuíssimo prazo é muito bom e melhor do que a


grande maioria dos que tentam vencer com trades curtos.

Obs: Pode-se aumentar a remuneração com o aluguel das ações.

94
Aula 13 – Nível 2 de Remuneração: Venda Coberta

1. Princípios

Faça o Nível 1 (Reaplicação da Carteira de Ações) por um tempo (Um


ano no mínimo) para adquirir experiência de mercado e compreender
as bases e fundamentos.

Neste período estude opções.

Acumule um capital de no mínimo R$20.000,00 em ações.

Mesmo que passe para o Nível 2, mantenha o Nível 1 (Reaplicação da


Carteira de Ações) permanentemente. Continue acumulando uma boa
carteira de ações. Quanto mais ações tiver, mais poderá vender
coberto e mais ações comprará ativando um poderoso juros sobre
juros que irá fazer com que sua carteira aumente expressivamente
no longo prazo.

O Nível 2 (Venda Coberta) é uma forma de tentar uma remuneração


maior para a carteira de ações.

Em troca de uma melhor remuneração de sua carteira nas quedas e


acumulações e a possibilidade de ter mais ações a longo prazo, você
entrega parte do lucro das altas muito fortes.

Se não gostou da troca, não faça venda coberta.

2. Operacional

PETR4 +1000

PetrK 42 -1000

Compra uma certa quantidade da ação e venda da mesma


quantidade de opções com bom VE (Valor Extrínseco).

Risco e Retorno Limitado.

Em troca de receber o prêmio da opção, o investidor limitou o lucro


que pode ter na ação.

Excelente estratégia para quem tem uma carteira de ações e deseja


receber uma rendimento em cima dela.

95
3. Gráfico da Venda Coberta

Venda de Opção Coberta

4000
2000
0
-2000
-4000
-6000
-8000
32
34
36
38
40
42
44

Resultado
46
48
50
52
Compra de ação a 40,00 e venda de uma opção de strike 42 a 1,50. Em troca de
uma proteção de 1,50 contra a queda, limitou-se o lucro a 3500.

4. Características

Apesar da melhor remuneração, não cria risco adicional.

Se você se mantiver vendido em VE, não terá de colocar dinheiro


para fechar posições e ainda que possa ser exercido, será sempre no
lucro. Sendo exercido, poderá recomprar as ações com o dinheiro da
venda e reiniciar a operação.

Não precisa de monitoração constante. Pessoas que não tem muito


tempo para acompanhar o mercado, podem fazer.

É necessário um pouco mais de predisposição ao risco que o Nível 1,


ainda que este seja baixo.

96
5. Exercício

O vendido coberto tem sempre o risco de ser exercido.


Não quer correr este risco, não venda coberto.
Formas de minimizar este risco:
Vender sempre VE
Rolar as vendas quando o mercado subir
Recomprar as opções vendidas quando o mercado subir

Se você só vender VE alto, se for exercido, será sempre no lucro.

Pegue o dinheiro recebido, compre as ações de volta e venda coberto.


Terá menos ações mas o mesmo capital.

Apesar de ser exercido algumas vezes, no longo prazo quem faz


venda coberta provavelmente terá mais ações do que quem apenas
faz o Nível 1 (Carteira de Ações).

O objetivo é ter mais ações no longo prazo. Ser exercido algumas


vezes não importa se no longo prazo você tiver mais ações e mais
capital. Lembre-se que o importante é o método no longo prazo e não
operações individuais.

6. Posição da Venda

ITM = Remunera mais a ação se cair, mas se subir perde uma


quantidade maior do lucro na ação. Menos taxa na alta. Verifique o
VE. A venda coberta não é uma operação de alta proteção na queda e
sim uma operação de remuneração de carteira de ações a longo
prazo.

Se deseja maior proteção contra quedas, se desenvolva e adquira


experiência operando opções, alem de um capital maior em ações,
para ir ao Nível 3 e 4. Fazer venda coberta utilizando opções muito
ITM tentando defender quedas fortes, acaba levando a ser exercido
nos fundos e no prejuízo.

ATM = Boa remuneração da ação na queda, menos que a ITM. Bom


rendimento no mercado de lado.
Normalmente a com maior VE.

OTM = Excelente taxa mas pouca remuneração no caso de queda.


Verifique se possuiu uma quantidade razoável de VE. Não venda
opções de baixo valor pois não vale a pena.

97
7. Rolar

Rolar = Zerar a opção vendida (comprar) e vender a mesma


quantidade (ou valor financeiro) em outra opção ou na série seguinte.

Na venda coberta, rolar a mesma quantidade de opções, não cria


riscos adicionais e pode ser feito enquanto for possível.

Há diversas estratégias para rolar, mas o mais importante é ter uma


definida ANTES e não DEPOIS.

Defina pela quantidade de VE, posição da ação em relação a venda ou


valores financeiros semelhantes em relação a opção acima do
vencimento seguinte.

8. Venda Coberta – Na Prática

Deve-se começar a operar opções pela Venda Coberta. Só passar


para as outras modalidades quando tiver mais experiência e capital.

Venda a de maior VE ou a segunda de maior VE.

Evite ao máximo o exercício, mas tenha consciência que será


exercido algumas vezes e isso não impede o método de ser vitorioso
no longo prazo.

Formas de evitar o exercício:


Rolar para o vencimento seguinte, uma acima, no zero a zero
ou pagando 300 a 500 reais (estabeleça o critério antes e não
depois).
Comprar a opção vendida – coloque STOP.

Se for exercido e estiver vendendo VE, será no lucro. Compre as


ações novamente e reinicie as operações de venda coberta.

O dinheiro retirado da venda de opções deve ser reinvestido nas


ações.

Comprar as ações com o dinheiro da venda de opções:


Imediatamente ou
Quando zerar a posição

98
Aula 14 – Nível 3 de Remuneração: Reversão
Coberta

1. Princípios

Mantenha o Nível 1 (Reaplicação da Carteira de Ações)

Só deve passar para o Nível 3 (Reversão Coberta) quem:


Operou o Nível 2 durante um longo período (um a dois anos)
Tem um capital em ações que permita perdas (>50K)
Tem tempo para acompanhar o mercado
Tem alta propensão ao risco

Em troca de uma excelente remuneração de sua carteira nas quedas


e acumulações e a possibilidade de ter mais ações a longo prazo,
você entrega parte do lucro das altas muito fortes e aceita uma faixa
de risco onde terá de colocar dinheiro para fechar a operação.

Se não gostou da troca, não faça reversão coberta. Você tem de estar
ciente que terá de assumir prejuízos e colocar dinheiro adicional para
fechar operações algumas vezes além de ser exercido outras vezes.

No longo prazo, se você souber operar e partir de um bom capital em


ações, provavelmente terá mais ações e um capital maior do que
quem só faz o Nível 1 ou 2, mas terá que aceitar perdas no caminho.
Mais uma vez tenha ciência que o que importa é o método e não
operações individuais.

Como no Nível 3, já temos áreas de risco com prejuízos reais, quem


fizer o Nível 3 sem o preparo adequado e sem um capital inicial
razoável, poderá perder sua carteira de ações, portanto prepare-se,
adquira experiência e capital antes de começar a fazer reversões
sobre a sua carteira e acima de tudo, quando for começar: OPERE
PEQUENO. Faça poucas reversões, bem poucas, especialmente no
início. POUCOS LOTES.

99
2. Operacional

PETR4 +1000
PetrK 42 -3000
PetrK 44 +3000

Compra da ação + Reversão na quantidade determinada pelo


operador. (de 2000 a 5000/1000 ações).

Risco e Retorno Limitado.

Em troca de receber o spread da reversão, o investidor limitou o lucro


que pode ter na ação e aceitou uma faixa de risco.

Boa estratégia para quem tem uma carteira de ações e deseja


receber uma rendimento em cima dela.

Pode ser feito ao mesmo tempo como operação de taxa.

3. Gráfico da Reversão Coberta

Reversão Coberta

6000

4000

2000

-2000

-4000
32
34
36
38
40
42
44

Resultado
46
48
50
52

Considerando no gráfico que a compra da ação foi por R$ 40,00, conseguimos uma
proteção até R$ 36,00 recebendo 4000 reaisnas reversões, que serão utilizados
para comprar ações e aumentar a carteira. No caso de alta, há uma área de
prejuízo onde a reversão está no prejuízo máximo e a ação não subiu o suficiente
para compensar. A partir daí, a alta da ação, com o limite de prejuízo da opção, nos
leva a um lucro progressivo conforme sobe.

100
4. características

Remuneração maior da carteira de ações, mas cria risco adicional.

Na alta forte, a ação sobe mais do que se perde na reversão. Na


queda, ganha-se mais na reversão do que se perde na ação.

Na acumulação em torno do pior ponto da reversão (entre a opção


vendida e comprada) a alta da ação não compensa o que se perde na
reversão e a operação terá prejuízo.

Precisa de uma monitorização maior que o Nível 2 (Venda Coberta)


devido a área de risco.

Necessita do operador, de uma maior predisposição ao risco.

5. Exercício

Também há o risco de ser exercido, mas diferente da venda coberta,


você estará vendido em uma posição maior do que tem ações, e terá
de pagar a diferença se for exercido (exercendo também onde está
comprado).

Formas de minimizar este risco:


Vender sempre VE
Rolar as vendas quando o mercado subir
Recomprar as reversões quando o mercado subir

Mesmo que você se mantenha sempre vendido em VE, pode ser


exercido no prejuízo se o mercado estiver próximo ao pior ponto da
reversão. Se o mercado subir muito, apesar de você ser exercido, o
ganho na ação irá suplantar a perda nas opções.

6. Posição da Reversão

ITM = Remunera mais a ação se cair, se o mercado ficar no pior


ponto da reversão, é a que perde menos. O spread recebido é maior.
Verifique se está vendendo VE.

ATM = Boa remuneração da ação na queda, mas menos que a ITM.


Bom ganho no mercado de lado.
Normalmente a com maior VE.

OTM = Agüenta mais alta mas remunera menos. Verifique se possuiu


uma quantidade razoável de VE. Não venda opções de baixo valor
pois não vale a pena.

101
7. Rolar

Nas quedas, deve-se sempre rolar para baixo, quando possível,


realizando lucro das reversões seja posição ou financeiro.

Nas altas, rolar a mesma quantidade de lotes, para cima ou para


frente, não cria riscos adicionais, mas neste caso, normalmente terá
de pagar parte da rolagem.

Rolar o financeiro, sempre aumenta o risco e pode criar


leviatãs. Se for rolar o financeiro, respeite os marcadores (Regra dos
10%, THEX e SVEX, nunca deixando ultrapassar os limites pré-
estabelecidos).

Há diversas estratégias para rolar, mas o mais importante é ter uma


definida ANTES e não DEPOIS.

Defina pela quantidade de VE, posição da ação em relação a venda ou


valores financeiros semelhantes em relação a opção acima do
vencimento seguinte.

8. Reversão Coberta – Na Prática

A partir de uma carteira de ações comprada, faz-se a quantidade de


reversões necessária, para chegar ao valor de queda que se deseja
remunerar. Quanto maior o número de reversões em relação a
carteira, maior remuneração mas maiores perdas quando o mercado
fica em torno do pior ponto da reversão.

Comece a operar opções com a Venda Coberta e só passe para as


outras modalidades quando tiver mais experiência e uma carteira de
ações maior. (No mínimo um ano operando venda coberta e uma
carteira de no mínino 50 mil reais).

Venda somente níveis adequados de VE.

Reversão Coberta deve buscar spreads em torno de 1,00

Faça em torno de 3000 por 1000 ações (2000 a 5000)

Dinheiro retirado da venda de opções - Reinvista nas ações.

Comprar as ações com o dinheiro da venda de opções:


Somente quando zerar a posição

Defesa – Borboleta no buraco negro (pior ponto da reversão) há 10


dias do vencimento

102
Aula 15 – Nível 4 de Remuneração: Vaca Coberta

1. Princípios

Mantenha o Nível 1 (Reaplicação da Carteira de Ações)

Só deve passar para o Nível 4 (Vaca Coberta) quem:


Operou o Nível 2 durante um longo período (um a dois anos)
Operou o Nível 3 durante um longo período (um a dois anos)
Tem um capital em ações que permita perdas grandes (>100K)
Tem bastante tempo para acompanhar o mercado
Tem alta propensão ao risco

Em troca de uma excelente remuneração de sua carteira nas quedas


e acumulações e a possibilidade de ter mais ações a longo prazo,
você entrega o seu lucro nas altas fortes e aceita uma faixa de risco
onde terá de colocar dinheiro para fechar a operação.

Se não gostou da troca, não faça vaca coberta.

2. Operacional

PETR4 +1000
PetrK 38 +1000
Petrk 42 -3000
PetrK 46 +2000

Compra da ação + Vaca na proporção adequada a carteira.

Risco e Retorno Limitado.

Em troca de receber o spread da vaca ou ter a possibilidade de


ganhar com o mercado de lado ou em queda, o investidor limitou o
lucro que pode ter na alta e aceitou uma faixa de risco.

Boa estratégia para quem tem uma carteira de ações e deseja


receber um rendimento em cima dela, tem tempo para acompanhar o
mercado e alta propensão ao risco, além de boa experiência com
opções.

O risco nas altas é maior do que na Reversão Coberta (Nível 3).

103
3. Gráfico da Vaca Coberta

Vaca Coberta

8000,00

6000,00

4000,00

2000,00

0,00
5

5
-2000,00
,1

,1

,1

,1

,1

,1

,1

,1

,1

,1
35

37

39

41

43

45

47

49

51

53
-4000,00

-6000,00

-8000,00

-10000,00

Semelhante a reversão coberta, há uma área de risco central, no pior ponto da


vaca (próximo a opção vendida). Acima deste ponto, o lucro na ação pode
suplantar a perda na vaca.

4. Características

Remuneração maior da carteira de ações, mas cria risco adicional.

Na alta forte, a operação piora muito e rapidamente, levando o


operador iniciante, sem planejamento, ou aquele que opera muito
grande a stopar VE (Stopar vendas com a ação abaixo do valor da
venda).

Em mercado com baixa volatilidade o retorno pode ser muito bom.


Precisa de uma monitorização maior que o Nível 3 (Reversão
Coberta) pois o risco na alta é maior.

Necessita do operador, de uma maior predisposição ao risco.

Não necessita receber dinheiro na montagem, pois receberá para


desmontar, se acontecer acumulação ou queda (desde que a queda
não seja muito rápida). A vantagem desta característica é que
possibilita operar com um financeiro negativo baixo ou até sem
dívida.

104
5. Posição da Vaca

Na Vaca você compra uma opção e vende uma de strike superior em


maior quantidade (travando as vendas em alguma outra opção mais
acima)

Tendo uma carteira de ações, esta venda deve ser feita ATM ou OTM,
sempre verificando o VE.

Se você deseja uma proteção maior contra quedas, venda ATM. Se


deseja um lastro maior nas altas, venda OTM, mas somente se tiver
um VE alto. Não venda opções de baixo valor.

6. Rolar a Vaca Coberta

Nas quedas, pode-se rolar a vaca para baixo, realizando lucro das
vacas. Nesta rolagem deve-se tentar diminuir o risco (alterando a
posição ou retirando dinheiro na troca).

Nas altas, rolar a mesma posição, para cima ou para frente, não cria
riscos adicionais e pode ser feito enquanto for possível, mas neste
caso, na maior parte das vezes, terá de pagar parte da rolagem.

Rolar o financeiro, sempre aumenta o risco e pode criar leviatãs se


não respeitar os marcadores e especialmente a Regra dos 10%.

Há diversas estratégias para rolar, mas o mais importante é ter uma


definida ANTES e não DEPOIS.

Defina pela quantidade de VE, posição da ação em relação a venda ou


valores financeiros semelhantes em relação a opção acima do
vencimento seguinte.

Na Vaca deve-se sempre tentar fugir do mercado, mantendo sempre


vendas de VE.

105
7. Vaca Coberta – Na Prática

Carteira de ações: Quantidade de vacas para chegar ao que se deseja


remunerar (levando em consideração o retorno da vaca e não o que
recebe para montar).

Começar a operar com a Venda Coberta e só passar para as outras


modalidades quando tiver mais experiência e uma carteira de ações
maior. Vaca - última modalidade e somente após experiência com
Reversão Coberta.

Não passe para o Nível 4 com uma carteira menor do que 100 mil
reais.

Venda sempre VE.

Não venda uma proporção muito grande em relação a compra (Max


3 a 4 / 1).

Compra de 500 a 1000 opções / 1000 ações


Todo dinheiro retirado das opções deve ser reinvestido nas compra de
ações.

Comprar as ações com o dinheiro da venda de opções:


Somente quando zerar a posição

O operador de vacas deve estar disposto a operar o mercado mais


vezes e fugir quando necessário (rolar). Deve suportar bem risco,
pois o prejuízo é grande nas altas fortes.

OPERE BEM PEQUENO – VACAS SÃO EXPLOSIVAS NA ALTA

106
Aula 16 – Planejamento – Como começar

1. Conceitos para operar Opções

1. Divida: Posição financeira negativa em opções:


ESTE DINHEIRO NÃO É SEU
Considere sempre a posição financeira negativa em opções em
qualquer contabilidade e saiba o tempo todo que ela existe e
que você está DEVENDO aquele dinheiro.
Considerar o dinheiro da dívida como seu, leva a aceitar riscos
maiores e sempre termina em prejuízos enormes.

2. Monetário e não monetário: Realizar lucros e não prejuízos.


Quando o mercado sobe e você está vendido e a sua posição
piora, se você não zerar a posição, este é um prejuízo não
monetário. Se você zera a posição, ele se torna monetário. O
mesmo acontece em uma alta.

Para que seu método seja vencedor no longo prazo, você tem
de tentar não assumir prejuízos não monetários (operando
pequeno e com lastro) e sempre que possível deve transformar
lucros não monetários em monetários.

A remuneração da carteira de ações tenta não realizar prejuízos


não monetários (queda das ações ou piora da posição em
opções) ao mesmo tempo que realiza lucros em opções nas
quedas. Outra vantagem é a menor incindência a longo prazo
de IR, corretagem e taxas pois não se opera o principal, mas
apenas opções com valor financeiro menor.

3. Hedge: Posição pequena contrária a sua posição principal. O


objetivo é uma remuneração maior do principal a longo prazo.
Quem opera hedge não opera tendência.

4. Eficiência = [Remuneração de capital / tempo e energia gasta


acompanhando a bolsa]
Se você olha o monitor o dia inteiro, terá de ganhar MUITO
dinheiro para valer a pena. Se você olha o monitor 30 minutos
por dia, uma pequena remuneração já é eficiente e o resto do
dia você pode ganhar dinheiro em outras atividades.

5. Estabilidade Emocional – Avaliar permanentemente se sua vida


social, familiar e emocional estão sendo abaladas pelo mercado.
O tamanho da sua posição em bolsa é inversamente
proporcional a sua estabilidade emocional. Ninguém vence na
bolsa sem estabilidade emocional. OPERE PEQUENO.

107
2. Antes de Operar

1. Organize-se financeiramente e saiba o seu capital total, o seu


capital alocado para bolsa de valores e o capital alocado a risco
(opções). Saiba também quanto vai continuar entrando por
mês e quanto vai ser colocado na bolsa.

2. Qual a sua pré-disposição a risco?

3. Quanto tempo você tem para acompanhar o mercado: Seja


extremamente rígido nesta resposta.

4. Qual a sua experiência em mercado e opções?

Tendo respondido a estas questões, você pode saber em que


nível você poderá operar ao menos no início.

3. Primeiros Passos

1. Monte uma carteira de ações de empresas líderes (blue-chips)


comprando em intervalos programados e quantias
programadas.

2. Re-aplique dividendos, juros, etc

3. Quando tiver mais de 20K em ações e mais de um ano de


experiência em bolsa comprando ações pense em começar a
operar opções.

4. Neste ínterim estude muito: Veja a área de aprendizado do site


e estude um livro ao menos com as bases e os fundamentos
das opções.

4. Planejando seu Método

Não planeje operações, planeje seu método no longo prazo.


O seu foco não pode ser aquela operação em especial. Ela pode
ser vencedora ou perdedora. O seu foco tem de ser o seu método
no longo prazo.

No longo prazo a sua forma de operar tem apenas que render um


pouco acima do CDI.

É natural que operações dêem prejuízo ao longo do caminho. Isso


tem de ser aceito em qualquer método.

108
5. Planejando Operações

Tenha um plano antes e não depois

O que você vai fazer se subir, se cair, se acumular e prazo

Defina o que você tem domínio (o que você vai fazer) e não o que
você não domina (o que o mercado vai fazer).

Após iniciar a operação, siga o plano, não opere emoções.

Nunca modifique um plano no meio de uma operação.

6. Revendo seu Planejamento

Mantenha anotações de tudo que faz.

De tempos em tempos reveja seus métodos e estratégias, seus


erros e acertos.

O maior erro que você pode cometer é não seguir o plano. Maior
erro que esse, somente não ter um plano.

Vá ajustando seu método mas nunca no meio de uma


operação. Faça revisões semestrais mas sempre estando zerado
em opções.

7. Planejamento de Níveis

1. Montar uma Carteira de Ações (Nível 1) de Blue Chips. Comprar


a intervalos programados e reaplicar.

2. Venda Coberta (Nível 2)


[Carteira > 20K + Experiência > 1 ano]

3. Reversão Coberta (Nível 3)


[Carteira > 50K + Exp. Venda Coberta > 1 ano]

4. Vaca Coberta (Nível 4)


[Carteira > 100K + Exp. Reversão Coberta > 1 ano]

Respeite os limites para mudar de nível. Não se afobe. Você tem o


resto da vida para operar, mas sem capital não vai operar.

Para assumir riscos maiores é necessário mais experiência e mais


capital. Sem os dois, vai apenas perder mais rápido.

109
8. Usando os Marcadores de Risco

1. Dívida = Regra dos 10%


Iniciar no máximo com limite em 6%
Limite absoluto = 20K
Vender 2 a 3%
NUNCA EM HIPÓTESE ALGUMA DEIXAR DE RESPEITAR ESTE
MARCADOR. Esta é a medida mais importante para quem for
operar opções.

2. THEX = Manter em torno de 5 (No início use 2 a 3)


Quanto mais alto, mais remunera a carteira na queda e
acumulação, em troca de perder mais lucro na alta.

3. SVEX = Manter em torno de 5% (No início use 2 a 3%)


SVEX só que lida com o financeiro e não com o risco de Theta.
SVEX muito baixo significa vendas que não valem mais a pena
ou posição muito pequena (o segundo caso não tem problema,
é sempre bom operar pequeno).

Os marcadores só são necessários para os Níveis 3 e 4.

Operadores com muita experiência podem usar Calibradores de


THEX tentando aceitar THEX maiores nas quedas e diminuir os
limites nas altas. Isto levaria a maiores remunerações nas quedas
e prejuízos menores nas altas.

O melhor calibrador de THEX é a realidade da sua operação:


Calibre o THEX conforme realizar lucros nas quedas ou defender
suas operações da alta.

9. Acompanhamento

- Quanto tempo você tem


Seja rígido – a bolsa não pode atrapalhar seu trabalho e nem seu
trabalho pode atrapalhar a bolsa senão vai perder nos dois.

• Nível 1 e 2 – Semanalmente
• Nível 3 – Diariamente
• Nível 4 – Monitorar a operação duas vezes por dia.

Obs: OPERE PEQUENO e com risco controlado

- Muita monitorização, alem de transformar o operador em golum,


faz com que os ganhos de capital sejam ineficientes devido ao tempo
dispensado.

110
10. Contabilidade

Contabilidade permanente do seu capital, e operações em bolsa


(Aspreads)

A dívida de operações em opções EXISTE e deve ser considerada:


Capital Total = [Capital + Dívida]

Acompanhe sua rentabilidade através dos tempos:


Muito alta, você está se colocando em risco excessivo.
Muito baixa, reveja seus métodos e planejamentos.

Não tire conclusões em menos de um ano

Roteiro de Contabilidade (Nível 1 e 2 semanal; 3 e 4 diário):

1.Bater a posição e o caixa antes de abrir a bolsa


2.Bater a fatura, rever a posição uma hora antes de fechar a bolsa ou
após movimentações.
3.Todo fim de semana rever tudo – caixa, capital, ações, operações
com opções – verificar e atualizar todas as posições e financeiro.
4.Conferir sua posição junto a CBLC no mínimo semanalmente

11. Check List

1 – Quanto Capital tem

2 – Quanto Tempo tem disponível para a bolsa

3 – Monitorização das Operações – quantas vezes

4 – Rendimento e Contabilidade

5 – Feedback no mínimo mensal e ajustes ao método

6 – Nível que opera (1 a 4)

7 – Marcadores e Limites – Definir

8 – Operação - Plano específico da Operação atual

9 – Quanto pode perder na operação atual

10 - Pior Cenário – Se tudo der errado, quanto irá perder

Tenha tudo isso definido antes de começar a operar e de tempos em


tempos reveja tudo.

111
112