Você está na página 1de 3

Antônio Nunes

Antônio Nunes
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Saltar para a navegaçãoSaltar para a pesquisa

 Nota: Se procura pela celebridade instantânea, veja Pânico na TV.

Lico

Informações pessoais

Nome completo Antônio Nunes

Data de nasc. 9 de agosto de 1951 (68 anos)

Local de nasc. Imbituba (SC), Brasil

Nacionalidade brasileiro

Altura 1,74 m

Pé Destro

Apelido Lico

Informações profissionais

Período em atividade Como jogador 1970–1984 (14 anos)

Como treinador 1989 (1 ano)

Equipa atual Aposentado

Número 11

Posição Meia

Função Treinador

Clubes profissionais

Anos Clubes Jogos (golos)


1970–1973  América de Joinville

1973 →   Grêmio (emp.)

1974–1975  Figueirense

1976  Marcílio Dias

1976–1979  Avaí

1979–1980  Joinville 159 (26)

1980–1984  Flamengo 128 (17)

1981 →   Joinville (emp.)

1990  Flamengo

Total 287 (43)

Times/Equipas que treinou

1989  Avaí 24

Última atualização: 6 de fevereiro de 1990

Antônio Nunes mais conhecido como Lico (Imbituba, 9 de agosto de 1951), é um ex-


futebolista e ex-treinador brasileiro que atuava como meia ou atacante. Atualmente, vive em
sua terra natal e é treinador de um time amador local.

Índice

 1Carreira
o 1.1Como jogador
o 1.2Como treinador
 2Estatísticas
o 2.1Como jogador
 2.1.1Clubes
o 2.2Como treinador
 2.2.1Clubes
 3Títulos
 4Curiosidades
 5Referências
 6Ligações externas

Carreira[editar | editar código-fonte]
Como jogador[editar | editar código-fonte]
Nascido em Santa Catarina, Lico começou sua carreira profissional no América de Joinville, em
1970. Dois anos mais tarde, foi emprestado ao Grêmio (reserva por seis meses em 1973) e, em
seguida, retornou ao futebol catarinense, atuando por Figueirense, Marcílio Dias, Avaí e Joinville.
Pelo Tricolor, o ex-ponta-esquerda foi bicampeão estadual, desempenhando um grande futebol.
Virou ídolo da torcida.
Em 1980, Lico se mudou para o Rio de Janeiro, onde foi jogar pelo Flamengo. Ele chegaria ao
Rubro-Negro através de Cláudio Coutinho para ser um substituto de Zico; quando este não
pudesse jogar, Lico entraria.[1] Lico não vingou de imediato. Fez esporádicas aparições
no Campeonato Carioca daquele ano, em sua maioria vindo do banco. E voltou ao Joinville,
emprestado no começo de 1981. Retornou à Gávea em maio, e teve a felicidade de atuar ao lado
de craques como Zico, Leandro, Andrade, Júnior e Adílio, fazendo parte equipe rubro-negra
campeã da Copa Libertadores da América e da Copa Intercontinental de 1981. Em vários
momentos daquela geração Lico foi um titular com papel importante quer seja fazendo gols ou
gerando oportunidades de gol com cruzamentos, tabelas e deslocamentos em velocidade pelas
laterais ou pelo meio.
Após duas cirurgias no joelho, Lico se viu obrigado a encerrar a carreira em 1984 aos 33 anos.

Na época, eu tinha propostas de alguns clubes, entre eles o São Paulo. Mas não pude continuar.
“ ”
Como treinador[editar | editar código-fonte]
Depois da aposentadoria nos gramados, Lico alternou projetos no futebol, ora como treinador, ora
como diretor ou supervisor técnico, sempre em clubes do Sul, como o Londrina e o Avaí. Também
foi gerente de futebol no Joinville.