Você está na página 1de 13

DETERMINANTES: DEFINIÇÃO E CÁLCULO DE DETERMINANTES –

ficha 2

1. DEFINIÇÃO DO DETERMINANTE

O determinante é função que transforma os valores de uma matriz quadrada em um número real,
associando uma matriz de ordem qualquer com um escalar, dependente do valor dos termos
dessa matriz. Os determinantes são utilizados em diferentes áreas, por exemplo, para obter
equações de uma recta ou para calcular áreas de triângulos, verificar se uma matriz possui ou não
inversa, dentre outras aplicações.

2. CÁLCULO DE DETERMINANTES

 Pode-se calcular determinante de qualquer matriz desde que essa seja quadrada, ou seja,
que a matriz tenha o mesmo número de linhas e de colunas
 Pode-se dizer que determinante de uma matriz quadrada é o seu valor numérico.
 Os elementos dos determinantes são colocados entre duas barras.

a) Determinante na Matriz de Ordem 1

Matriz de ordem 1 é uma matriz que tem única linha e uma única coluna, apresentando então
sómente um termo. Desta forma, o determinante de uma matriz desta ordem será igual ao valor
do termo da matriz, ou seja:

Exemplos

1
b) Determinante de uma matriz quadrada de 2ª Ordem

c) Regra de Sarrus: regra prática para calcular determinantes de ordem 3


Matriz de ordem 3 é uma matriz que tem 3 linhas e 3 colunas, para o cálculo do determinante de
3 ordem usa-se a regra de Sarrus.

2
Acompanhe como se aplica a regra de Sarrus: .

1º Passo: repetir as duas primeiras colunas ao lado da terceira à direita

2º passo: Encontrar a soma do produto dos elementos da diagonal principal,  com os produtos
obtidos pela multiplicação dos elementos das paralelas a essa diagonal (a soma deve ser
precedida do sinal positivo):

3º passo: Encontrar a soma do produto dos elementos da diagonal secundária com os produtos


obtidos pela multiplicação dos elementos das paralelas a essa diagonal (a soma deve ser
precedida do sinal negativo):

3
Assim:

Exemplos

Passos:
1- Repetir 2 colunas da sua matriz a direita

2. Depois calcula-se os produtos das diagonais principais e os produtos das diagonais


secundárias

3. Deve-se pegar o oposto dos produtos das diagonais secundárias e somar com os produtos
das diagonais principais, como abaixo:

4
3.DETERMINANTE DE ORDEM N > 3

Vimos que a regra de Sarrus é válida para o cálculo do determinante de uma matriz de ordem 3.
Quando a matriz é de ordem superior a 3, devemos usar o Teorema de Laplace para chegar a
determinantes de ordem 3 e depois aplicar a regra de Sarrus

 CÁLCULO DO COFACTOR

Cofator é um número associado a um elemento qualquer de uma matriz quadrada. Para definir
cofactor é necessário primeiro definir o menor principal ou menor complementar, associado a
um elemento qualquer de uma matriz quadrada.

o Menor Principal ou Menor Complementar

Seja a matriz quadrada  , 

O menor principal (ou complementar) ao determinante da  matriz que é a matriz que se obtém


eliminando a linha i e a coluna j da matriz A, representamos o menor principal por D.

Exemplos:

Dada a matriz  , vamos:

a) Determinar o menor principal D11, associado ao elemento a11.

O menor principal associado ao elemento a11 é determinante da matriz que se obtém eliminando a
linha e a coluna a que está o elemento a11.

O elemento a11 é o número 1. Eliminando a sua linha e a sua coluna obtemos a matriz A’,
associado ao elemento a11, que é a matriz quadrada formada pelos elementos restantes, isto é:

5
O menor principal será portanto o determinante de A’. Assim, temos que D11 = det(A’)

 Det = (3.2)-(4.0)
 Det = 6 – 0
 Det  = 6

E, portanto:

D11 = 6

b) Determinar o menor principal associado ao elemento a22.

O elemento a22 é o número 3. Eliminando a sua linha e a sua coluna obtemos o a matriz A’,
elemento a22, que é a matriz quadrada formada pelos elementos restantes, isto é:

Calculando o menor principal, isto é , o determinante de A’ (det (A’)), temos:

 Det = (1.2) – (6.0)


 Det = 2 – 0
 Det = 2

 Definição do cofactor
Uma vez definido o menor principal, podemos então definir cofactor como segue: O cofator ã ij,
associado a um elemento aij é definido por 

6
Exemplos:

Considerando a matriz  , vamos determinar o cofactor associado ao elemento a12.

Pela definição temos:

Calculando o menor principal (menor complementar) D12, temos:

O elemento a12 é o número 5 da matriz A, vamos eliminar a sua linha e a sua coluna, obtendo o
menor principal a seguir:

Substituído o menor principal D12 na definição temos:

 Matriz dos cafactores

Chama-se matriz dos cofactores, e representamos por C a matriz formada por todos os cofactores
de uma matriz original A.

Exemplo:Seja A a matriz original dada a seguir:

7
 

Vamos determinar a matriz dos “C” de cofactores associada a matriz original A.

A matriz C, dos cofactores pode ser escrita como segue:

Calcular os cofatores ã11, ã12, ã21, ã22, associados aos elementos a11, a12, a21, a22, respectivamente. 

Portanto a matriz C, dos cofatores associados a matriz original A será:

 Utilidade dos cofactores

 Os cofactores são utilizados para o cálculo do determinante de uma matriz quadrada,


enquanto que a matriz de cofactores é utilizada no processo de inversão de matrizes
 Compreender o cofactor é um pré-requisito para o estudo do Teorema de Laplace, que é
utilizado para o cálculo de determinantes de matrizes quadradas de qualquer ordem (ordem 1, 2,
3, …, n).
Exemplo: Determine os cofactores dos elementos a11, a22, a33 da matriz A.

O cofactor do elemento a11 será determinado pela seguinte expressão:

8
Portanto, devemos determinar o determinante da matriz D11, matriz obtida retirando a 1ª linha e
1ª coluna da matriz A.

Com isso, podemos calcular o cofator A11.

De maneira semelhante procederemos com os outros cofatores, veja:

Mesmo procedimento para o cofator A33:

Os procedimentos são todos iguais, mudando apenas o expoente do termo (-1) e os determinantes
de cada matriz Dij. Compreendendo esses cálculos, o cálculo de determinantes pelo teorema de
Laplace se torna extremamente fácil.

4, TEOREMA DE LAPLACE

O teorema de Laplace, que, utilizando o conceito do cofacor, conduz o cálculo dos determinantes
para regras que se aplicam a quaisquer matrizes quadradas.

O teorema de Laplace consiste em escolher uma das filas (linha ou coluna) da matriz e
somar os produtos dos elementos dessa fila pelos seus respectivos cofactores.
Ilustração algébrica:

Vejamos um exemplo:
Calcule o determinante da matriz C, utilizando o teorema de Laplace:

9
De acordo com o teorema de Laplace, devemos escolher uma fila (linha ou coluna) para calcular
o determinante. Vamos utilizar a primeira coluna:

Precisamos encontrar os valores dos cofatores:

 
Sendo assim, pelo teorema de Laplace, o determinante da matriz C é dado pela seguinte
expressão:

 
Note que não foi preciso calcular o cofactor do elemento da matriz que era igual a zero, afinal, ao
multiplicarmos o cofactor, o resultado seria zero de qualquer forma. Diante disso, quando nos
depararmos com matrizes que possuem muitos zeros em alguma de suas filas, a utilização do
teorema de Laplace se torna interessante, pois não será necessário calcular diversos cofatores.
Vejamos um exemplo deste fato:
Calcule o determinante da matriz B, utilizando o teorema de Laplace:

Veja que a segunda coluna é a fila que possui maior quantidade de zeros, portanto utilizaremos
esta fila para calcular o determinante da matriz através do teorema de Laplace.

10
Portanto, para determinar o determinante da matriz B, basta encontrar o cofator A22.

Sendo assim, podemos finalizar os cálculos do determinante:


det B = (- 1) . (- 65) = 65.

5. PROPRIEDADES DOS DETERMINANTES


As propriedades dos determinantes ajudam a simplificar os cálculos e até mesmo dispensam o
processo algébrico utilizado para encontrar o determinante.

1. Se uma matriz possuir uma linha ou uma coluna nula, seu determinante será zero.

Matriz de ordem 3 com a segunda coluna composta por zeros.


Calculando o determinante dessa matriz pela Regra de Sarrus,:
Det = A11·0·A33 + 0·A23·A31 + A13·A21·0 – A31·0·A13 – 0·A23·A11 – A33·A21·0 = 0

2.O determinante de uma matriz será sempre igual ao determinante de sua transposta.

Matriz de ordem 2 e sua transposta.


:
Det A = A11·A22 – A21·A12
Det At = A11·A22 – A12·A21
Det A = Det At

3.Se trocarmos as duas linhas ou as duas colunas da matriz, trocaremos o sinal do


determinante.
Essa propriedade recebe também o nome de Teorema de Bézout e pode ser facilmente
comprovada através de exemplos. Veja:

11
Matrizes A e A', ambas de ordem 2.
Observe que a Matriz A' é uma cópia da A, mas as linhas 1 e 2 foram trocadas. Vejamos o
cálculo de seus determinantes:
Det A = A11·A22 – A21·A12
Det A' = A21·A12 – A11·A22
Det A = – Det A'
4.Se multiplicando os elementos de uma linha ou de uma coluna da matriz por um valor n
qualquer, o determinante também será multiplicado por n.

Matrizes A e A', ambas de ordem 3

Calculando o determinante dessa matriz pela Regra de Sarrus:

5. Se uma matriz possui duas linhas ou colunas iguais ou múltiplas uma da outra, o
determinante é nulo.
:

Matrizes de ordem 2: A e B.
Veja que a matriz A apresenta duas linhas iguais. Vamos calcular seu determinante:
Det A = A11·A12 – A11·A12
Det A = 0
Podemos ver ainda que a segunda coluna da matriz B é múltipla da primeira coluna.
Calcularemos seu determinante:
Det B = B11·nB21 – B21·nB11
Det B = n(B11·B21 – B21·B11)
Det B = n·0
Det B = 0
6. Se somarmos uma linha ou coluna à outra que foi multiplicada por um número, o
determinante não será alterado.
:

12
Matrizes de ordem 2: A e B.
Calculando o determinante de A e de A':
Det A = 1·3·2 + 2·1·4 + 0·2·0 – 4·3·0 – 0·1·1 – 2·2·2 = 6
Det A' = 1·3·2 + 2·10·4 + 6·2·0 – 4·3·6 – 0·10·1 – 2·2·2 = 6
Det A = Det A'
7. O determinante do produto de duas matrizes é igual ao produto de seus determinantes.
:

Matrizes A e B e matriz A.B.


Calculando o determinante de A e de B:
Det A = A11·A22 – A21·A12
Det B = B11·B22 – B21·B12
Det A·Det B= A11·A22·B11·B22 – A21·A12·B11·B22 – A11·A22·B21·B12 + A21·A12·B21·B12

Calculando o determinante da matriz A·B, temos:

Det (A·B) = A11·A22·B11·B22 – A21·A12·B11·B22 – A11·A22·B21·B12 + A21·A12·B21·B12


Portanto, Det A · Det B = Det (A·B).

13

Você também pode gostar