Você está na página 1de 66

ESTRATÉGIA E

PLANO DE ACÇÃO (2011 – 2015)


PARA A FORMAÇÃO DE FORMADORES
DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
EM MOÇAMBIQUE

ANEXO 5

CERTIFICADO “B” EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL


-
FORMADOR DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

PROPOSTA ENDOSSADA PELO


COMITÉ TÉCNICO SECTORIAL
E APROVADA PELA COREP

24 de Fevereiro, 2011
Índice

1. Introdução ao Registo da Qualificação ........................................................... 1

2. Informação para Registo da Qualificação ....................................................... 5

3. Unidades de Competência Obrigatórias .......................................................... 9


UC EDU056001 Trabalhar efectivamente num sistema de ensino baseado em competências ...... 9
UC EDU056002 Promover e assegurar um ambiente de ensino-aprendizagem ético, inclusivo,
seguro e saudável ............................................................................................... 13
UC EDU056003 Desenvolver instrumentos de avaliação ............................................................... 16
UC EDU056004 Avaliar competências ........................................................................................... 19
UC EDU056005 Planificar e organizar a avaliação ........................................................................ 23
UC EDU056006 Realizar a verificação interna ............................................................................... 27
UC EDU056007 Treinar e facilitar a aprendizagem através da instrução e demonstração ........... 31
UC EDU056008 Treinar e facilitar a aprendizagem em grupo e baseada em projectos ................ 34
UC EDU056009 Treinar e facilitar a aprendizagem num local de trabalho .................................... 38
UC EDU056010 Desenvolver material didáctico ............................................................................ 41
UC EDU056011 Gerir o processo de ensino-aprendizagem de um módulo .................................. 44

4. Unidades de Competência Opcionais ............................................................ 47


UC EDU056012 Treinar e facilitar aprendizagem baseada em e-learning ..................................... 47
UC EDU056013 Desenvolver material didáctico para e-learning ................................................... 52
UC EDU056014 Investigar e desenvolver Unidades de Competência Padrão .............................. 54

5. Experiência de Trabalho ................................................................................ 58


UC EDU056015 Realizar uma experiência de trabalho como formador numa Instituição de
Educação Profissional .......................................................................................... 58
UC EDU056016 Actualizar-se numa área técnica específica através de uma experiência de
trabalho ................................................................................................................. 61

6. Referências .................................................................................................... 63

7. Equipe técnica ............................................................................................... 64

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional i


1. Introdução ao Registo da Qualificação

Titulo da
Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional
Qualificação:
Código Nacional: Q EDU056001
Campo: Educação Sub campo: Educação Profissional
Nível do
Certificado Ensino Superior Créditos totais: 150
QNQP:
Data do registo: Data da revisão do registo:

O Governo de Moçambique (GoM) está a implementar uma Reforma da


Introdução
Educação Profissional (REP), em parceria com o sector privado e a sociedade civil, e que
Geral conta com o apoio dos parceiros de cooperação. A reforma em curso inclui, numa
primeira fase, a implementação do Programa Integrado de Reforma da Educação
Profissional (PIREP) no período 2006-2011. O objectivo geral do PIREP é facilitar a
transição do actual sistema de Educação Profissional para um sistema de formação
orientado pela procura e prover os beneficiários da formação de maiores capacidades
relevantes ao mercado de trabalho, melhorando a sua empregabilidade.
A prossecução deste objectivo inclui: i) o estabelecimento de um quadro
institucional adequado para a governação e regulamentação integrada da Educação
Profissional (EP) em Moçambique com representatividade do governo, sector produtivo e
sociedade civil; ii) o estabelecimento de um sistema de qualificações baseado em
padrões de competências, integrado, coerente, flexível e financeiramente sustentável; iii)
o estabelecimento de um sistema de avaliação e certificação de competências
profissionais independente do sistema de formação; iv) o estabelecimento de um novo
modelo de gestão descentralizada das instituições de formação e v) o estabelecimento de
novos mecanismos de financiamento que inclui a participação do Governo e a
comparticipação do sector privado e dos formandos.
O Programa Integrado da Reforma da Educação Profissional (PIREP) está
estruturado em quatro componentes: A - Reforma do sistema e desenvolvimento
institucional; B - Desenvolvimento de um sistema de formação baseado em padrões de
competência; C - Melhoria da Qualidade nas instituições da Educação Profissional e D -
Fundo para o Desenvolvimento de Competências Profissionais (FUNDEC).
A componente C tem como objectivo a melhoria da qualidade da Educação
Profissional através da formação de formadores, de melhorias nas infra-estruturas e
provisão de equipamento e materiais de aprendizagem para as instituições piloto
seleccionadas, de fornecimento de livros e elaboração de manuais de formação e
orientação profissional.
Estima-se existirem actualmente em todo o País, cerca de 3000 formadores e
instrutores nas várias Instituições de Educação Profissional (IEPs) incluindo centros de
formação profissional, escolas profissionais e básicas e institutos médios quer públicos
quer privados (DINET, 2009; INEFP, 2010). Nas 97 IEPs registadas na Direcção Nacional
da Educação Técnico Profissional e Vocacional (DINET) em 2009 existiam 2300
formadores a maioria dos quais não possui qualquer formação pedagógica e em gestão
escolar específica à Educação Profissional baseada em competências, para além da sua
formação técnica (DINET, 2009). Nos centros de formação profissional, existiam um total
de 333 instrutores, sendo 50 dos 12 centros do INEFP e os restantes 283 dos 135
centros privados (INEFP, 2010).
O PIREP, na sua proposta de estratégia para a formação dos formadores
estabelece como prioridade a profissionalização dos formadores actuais, através da
formação continua, de forma a facilitar o desenvolvimento nos formadores das
competências necessárias às exigências da reforma da educação profissional.
Estabelece ainda que esta formação contínua deve reger-se pelos princípios do ensino
baseado em competências, modelo escolhido na reforma da EP em Moçambique. Ela
deve ser mais do que ser um simples portador de conhecimentos e de métodos ou de
novas tecnologias, mas permitir o desenvolvimento das competências dos formadores
necessárias numa IEP em Moçambique.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 1


Assim, este Certificado “B” em Educação Profissional – Formador da Educação
Profissional foi desenvolvido no contexto da elaboração da estratégia da formação de
formadores por forma a permitir uma harmonização dos programas de formação de
formadores para a educação profissional oferecida pelos diferentes provedores de
formação. A sua implementação será o veiculo principal e central da profissionalização e
do desenvolvimento das competências educacionais e pedagógicas dos formadores da
EP em Moçambique.
Esta qualificação foi desenvolvida pelo Núcleo de Formadores de Formadores da
Metodologia
Educação (NUFFEP), um grupo constituído por especialistas de educação provenientes
Utilizada de várias instituições de educação e provedores da formação de formadores e
professores. O NUFFEP foi criado com o objectivo de elaborar as propostas de
ocupações, unidades de competência padrão, módulos e qualificações, para os
formadores e gestores das Instituições de Educação Profissional (IEPs) em Moçambique,
de acordo os princípios e metodologias do Quadro Nacional de Qualificações
Profissionais (QNQP) já aprovadas pela Comissão Executiva da Reforma de Educação
Profissional (COREP) e ainda para ser um “think-tank” que serve de recurso institucional
para a promoção e operacionalização de iniciativas de reforma da educação profissional
em outras áreas no nível das instituições membros.
O desenvolvimento desta qualificação teve por base:
a) Estudos e avaliações feitas sobre os formadores da EP em Moçambique
suas características e lacunas;
b) Resultados de um seminário sobre metodologias para elaboração de
qualificações para formação de formadores que discutiu ocupações e
competências chave de um formador da EP em Moçambique;
c) Resultados das consultas efectuadas durante a elaboração da proposta
de estratégia de formação de formadores.
Moçambique tem registado um rápido crescimento económico em particular nos
Justificação da
sectores de construção, turismo, alguns subsectores da indústria (em particular alimentar
Qualificação e metalomecânica), transportes, serviços e alguns subsectores de agricultura. Os
elementos-chave da estratégia do Governo para a Redução da Pobreza – PARPA – são
o crescimento económico através do investimento público no capital humano e infra-
estrutura produtiva e a reforma institucional para melhorar o ambiente para o
investimento privado.
Em todos os planos e estratégias de desenvolvimento do país, a Educação
Profissional é considerada como um elemento essencial no Sistema Nacional de
Educação, cujo objectivo chave é o de contribuir para a criação de uma força de trabalho
qualificada, essencial para reforçar o crescimento económico e tirar os cidadãos e as
comunidades da situação de pobreza.
A Educação Profissional é ainda um sector muito pequeno, fraco e pouco
desenvolvido, fragmentado pelos diferentes sectores do país e ainda pouco valorizado.
Contudo, a economia apresenta necessidades crescentes de profissionais qualificados e
daí a necessidade de fazer crescer a Educação Profissional (EP) e a justificação da
Reforma da Educação Profissional (REP) e dos recentes investimentos no sector, que
estão a ser implementados pelo PIREP.
Para que a educação profissional cresça e contribua para a valorização da força
de trabalho e o crescimento económico, ela tem que ser facilitada e gerida por
formadores e gestores competentes, capazes de implementar as qualificações, de
estabelecer as necessárias ligações com o sector produtivo e de gerir os recursos
eficientemente e com transparência e responsabilidade. Assim, a Formação de
Formadores da Educação Profissional é o factor-chave para o sucesso da reforma e para
o desenvolvimento de uma educação profissional relevante e responsiva às
necessidades do país.
Esta qualificação tem como objectivo principal o desenvolvimento de
Objectivo da
competências educacionais e pedagógico-metodológicas necessárias à ocupação de
Qualificação formador da educação profissional. Este formador deve, de uma forma geral, ser capaz
de: (a) demonstrar um nível de conhecimentos e compreensão que incorpora os
conceitos básicos teóricos da educação profissional baseada em competências; (b)
aplicar soluções para resolver um leque determinado de problemas educacionais técnicos
em situações de rotina e imprevistas num ambiente de ensino baseado em
competências; e (c) assumir responsabilidade pelos seus próprios resultados em relação
a padrões de qualidade específicos e responsabilidade limitada pela quantidade e
qualidade dos resultados atingidos por outros numa instituição de educação profissional.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 2


Esta qualificação capacita os formandos a realizar as seguintes tarefas principais
de um formador da educação profissional baseada em competências:
a) Realizar a avaliação dos formandos (planificar e organizar a avaliação de
competências; avaliar competências; desenvolver instrumentos de
avaliação de competências; realizar a verificação interna das avaliações)
b) Treinar e facilitar a aprendizagem (através da instrução e demonstração;
em grupos baseada em projectos; no local de trabalho).
c) Gerir o processo de ensino-aprendizagem de um módulo
d) Desenvolver material didáctico
e) Trabalhar efectivamente num sistema de ensino baseado em
competências
f) Promover ambiente inclusivo, seguro e saudável na IEP

Graduados com esta qualificação estarão habilitados a trabalhar como formadores


(desde que possuam também as competências técnicas do campo profissional
requeridas) em qualquer instituição de educação profissional tais como em institutos
médios, escolas profissionais e básicas e centros de formação públicos ou privados.
Estrutura da A qualificação estrutura-se nos seguintes módulos:
Qualificação a) Módulos de obrigatórios: O formando deve completar um mínimo de 64
créditos.
b) Módulos opcionais: O formando deve completar um mínimo de 12
créditos.
c) Módulos de experiência de trabalho: O formando deve completar um
mínimo de 74 créditos

O foco de todas as unidades de competência desta qualificação é o formando e o


processo de ensino-aprendizagem baseado em competências. Assim, as unidades de
competência do formador agrupam-se em 3 famílias de competências que mais
directamente suportam este processo: (1) treino & facilitação da aprendizagem (2)
avaliação dos formandos e (3) concepção e desenvolvimento da aprendizagem e (4)
coordenação e gestão do processo e da qualidade do ensino-aprendizagem. Duas outras
famílias de competências, as relacionadas com o ambiente de trabalho e de ensino-
aprendizagem e com a actualização e ligação com área técnica específica, sobrepõem-se
ao conjunto destas 3 famílias, conforme ilustra a seguinte figura.

Formando

Estratégias de Esta qualificação pode ser oferecida a tempo inteiro ou a tempo parcial para
ensino- permitir que formadores em exercício, que tenham já a formação técnica requerida da
área ou campo profissional de ensino específico mas não as competências educacionais
aprendizagem
e pedagógicas necessárias a um formador da EP, se possam inscrever em módulos
e de avaliação individuais se assim o desejarem e completarem a qualificação como parte da sua
dos formandos formação contínua e processo de profissionalização. O reconhecimento de aprendizagem
anterior deve ser considerado para os que já trabalharam como formadores. O ensino à
distância pode também ser considerado como uma forma importante de instrução da
qualificação.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 3


Esta qualificação pode ainda ser oferecida como parte de um programa de
graduação (licenciatura) combinada (técnica e educacional) em educação profissional de
um campo profissional ou área técnica específica
O processo de ensino-aprendizagem deve ser activo, participativo e centrado no
formando. A indução às actividades lectivas deverá assegurar que os formandos tenham
uma compreensão clara da natureza e propósito das tarefas de aprendizagem. A
avaliação deve assegurar que todos os resultados específicos de aprendizagem
resultados críticos resultantes de cruzamento de diferentes módulos, matérias e
conhecimentos essenciais sejam avaliados.
Os formandos deverão ainda ter a oportunidade de mostrar iniciativa e
independência e trabalhar cooperativamente em grupos, na base de uma visão da
pedagogia moderna. Os grupos de trabalho devem ser pequenos para facilitar as
actividades práticas e a participação individual. Esta deverá ser encorajada durante as
aulas práticas para dar ao formando a oportunidade de usar e se familiarizar com os
instrumentos, materiais e aparelhos, ajudando-o assim a desenvolver uma atitude
positiva e proactiva em relação ao trabalho.
.
Progressão Licenciatura combinada (técnica e pedagógica em EP)

entre
Instituto Superior
qualificações
Politécnico ou

Instituições/sectores de Educação Profissional


do sub campo Universidade
Certificado
A em EP
Formador líder da Educação
Profissional
+ formação
ou
experiência
Certificado B em EP – profissional
Formador da Educação Profissional técnica

Certificado C em EP 12ª classe/Certificado


– Instrutor da Educação Vocacional 5
Profissional

10ª classe

1. DINET, 2009. Estatística geral das escolas. Ano lectivo de 2009. Direcção Nacional da
Educação Técnico Profissional e Vocacional. Ministério da Educação. República de
Moçambique.
2. IBSA. 2007. TAA04 Training and Assessment Training Package. Introduction,
Qualifications Framework, Assessment Guidelines, Units of Competency. Australian
Government. Department of Education, Employment and Workplace. Relations.
Referências
Innovation & Business Skills Australia (IBSA).
3. INEFP, 2010. Estatísticas do Departamento de Formação Profissional. Instituo
Nacional de Emprego e Formação Profissional. Ministério do Trabalho. República de
Moçambique.
4. PIREP, 2010. Estratégia e Plano de Acção da Formação de Formadores. Draft 2.
Programa Integrado da Reforma da Educação Profissional. Republica de Moçambique

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 4


2. Informação para Registo da Qualificação

Titulo da Qualificação: Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional


Código Nacional: Q EDU056001
Sub
Campo: Educação Educação Profissional
campo:
Créditos
Nível do QNQP: Certificado Ensino Superior 150
totais:
Data da revisão do
Data do registo:
registo:
Progressão: Graduados com esta qualificação poderão trabalhar como formadores em escolas de educação
profissional (institutos médios, escolas profissionais e básicas), centros de formação profissional
ou unidades de treinamento profissional de empresas.
Regras de combinação de módulos
Módulos obrigatórios: O formando deve completar um mínimo de 64 créditos
Módulos opcionais: O formando deve completar um mínimo de 12 créditos
Módulos de experiência de trabalho: O formando deve completar um mínimo de 74 créditos
Conteúdo da Qualificação
Módulos constantes nesta Qualificação
Código da Unidade Número Número de
Código do
de Competência Título do Módulo de Horas
Módulo
relacionada Créditos Normativas
Módulos Obrigatórios

Trabalhar efectivamente num sistema de ensino


UC EDU056001 MO EDU056001 5 50
baseado em competências

Promover e assegurar um ambiente de ensino-


UC EDU056002 MO EDU056002 aprendizagem ético, inclusivo, seguro e 5 50
saudável

UC EDU056003 MO EDU056003 Desenvolver instrumentos de avaliação 7 70

UC EDU056004 MO EDU056004 Avaliar competências 6 60

UC EDU056005 MO EDU056005 Planificar e organizar a avaliação dos formandos 5 50

UC EDU056006 MO EDU056006 Realizar a verificação interna 4 40

Treinar e facilitar aprendizagem através da


UC EDU056007 MO EDU056007 7 70
instrução e demonstração

Treinar e facilitar aprendizagem em grupo e


UC EDU056008 MO EDU056008 7 70
baseada em projectos

Treinar e facilitar a aprendizagem num local de


UC EDU056009 MO EDU056009 6 60
trabalho

UC EDU056010 MO EDU056010 Desenvolver material didáctico 7 70

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 5


Gerir o processo de ensino-aprendizagem de um
UC EDU056011 MO EDU056011 5 50
módulo

Total 64 640

Módulos Opcionais

Treinar e facilitar aprendizagem baseada em e-


UC EDU056012 MO EDU056012 6 60
learning

UC EDU056013 MO EDU056013 Desenvolver material didáctico para e-learning 6 60

Investigar e desenvolver Unidades de


UC EDU056014 MO EDU056014 6 60
Competência Padrão

Total 12 120

Módulos de Experiência de Trabalho

Realizar uma experiência de trabalho como


MO EDU056015 UC EDU056015 formador numa Instituição de Educação 30 300
Profissional

Actualizar-se numa área técnica específica


MO EDU056016 UC EDU056016 34 340
através de uma experiência de trabalho

Total 64 640

TOTAL 150 1500

Grupo (s) alvo Pontos de saída

Graduados (licenciatura ou técnicos Formador da Educação Profissional capaz de: (a) demonstrar um nível de
médios) em áreas técnicas (não conhecimentos e compreensão que incorpora os conceitos básicos teóricos
educacionais) que não tenham da educação profissional baseada em competências; (b) aplicar soluções
qualificações como formadores da para resolver um leque determinado de problemas educacionais técnicos
educação profissional em situações de rotina e imprevistas num ambiente de ensino baseado em
competências; e (c) assumir responsabilidade pelos seus próprios
Formadores em exercício nas resultados em relação a padrões de qualidade específicos e
instituições de educação profissional responsabilidade limitada pela quantidade e qualidade dos resultados
graduados (licenciatura ou técnicos atingidos por outros numa instituição de educação profissional.
médios) em áreas técnicas

Formas de instrução

Esta qualificação pode ser oferecida a tempo inteiro ou a tempo parcial para permitir que formadores em exercício,
que tenham já a formação técnica requerida da área ou campo profissional de ensino específico mas não as
competências educacionais e pedagógicas necessárias a um formador da EP, se possam inscrever em módulos
individuais se assim o desejarem e completarem a qualificação como parte da sua formação contínua e processo de
profissionalização. O ensino à distância pode também ser considerado como uma forma importante de instrução da
qualificação. Esta qualificação pode ainda ser oferecida como parte de um programa de licenciatura combinada
(técnica e educacional) em educação profissional de um campo profissional ou área técnica específica.
Experiência de trabalho tanto numa instituição de educação profissional, como numa empresa/unidade de produção
ou local de trabalha relacionado com a área técnica específica de cada formador.
O reconhecimento de aprendizagem anterior deve ser considerado para os que já trabalharam ou trabalham como

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 6


formadores de educação profissional.

Requisitos de instrução

Salas de aula para trabalho em turma, em grupo e individual.


Instalações e
Equipamento Centro de recursos equipado com material didáctico relevante, acesso à internet,
equipamento e software de ensino à distância,
Instituto de educação profissional parceiro ou anexo.

Recursos Conjunto de equipamento para processo ensino-aprendizagem (data show,


computadores, impressora, quadro)
Consumíveis para processo ensino-aprendizagem (papel, flipcharts, canetas, etc.)
Um ano de instrução, 47 semanas divididas em dois semestres, e em média 32 horas
Duração por semana
Outras durações possíveis de instrução negociáveis com os empregadores ou
formandos individualmente

Estratégias de avaliação dos formandos


Lista de Lista de
Ficha de verificação / verificação / Estudos de
avaliação / Ficha de Diário / Diário / Livro caso / Lista
Instrumentos Entrevista entrevista Livro de de registos de
estruturada estruturada / registos/ verificação
Apresentação Portfólio
Correcção e
Avaliação / Escrito /
Métodos classificação Observação Verificação
Verificação Oral
/Entrevista
Trabalho em
Desempenho grupo
Actividade Escrita/Oral Demonstração Produto no local de (Estudos de
trabalho caso,
Dramatização)
Tipo Titulo do Módulo Créditos
Trabalhar efectivamente num ambiente
VO
de ensino baseado em competências
5     
Promover e assegurar um ambiente de
VO ensino-aprendizagem ético, inclusivo, 5     
seguro e saudável
VO Desenvolver instrumentos de avaliação 7   
VO Avaliar competências 6   
Planificar e organizar a avaliação dos
VO
formandos
5  
VO Realizar a verificação interna 4   
Treinar e facilitar aprendizagem
VO
através da instrução e demonstração
7   
Treinar e facilitar aprendizagem em
VO
grupo e baseada em projectos
7    
Treinar e facilitar a aprendizagem num
VO
local de trabalho
6   
VO Desenvolver material didáctico 7  
Gerir o processo de ensino-
VO
aprendizagem de um módulo
5  
VOp Treinar e facilitar aprendizagem 6   

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 7


baseada em e-learning
Desenvolver material didáctico para e-
VOp
learning
6  
Investigar e desenvolver unidades de
VOp
competência padrão
6   
Realizar uma experiência de trabalho
ET como formador numa Instituição de 30    
Educação Profissional
Actualizar-se numa área técnica
ET específica através de uma experiência 34    
de trabalho

Semestre Título do Módulo


Módulos Obrigatórios
½ Trabalhar efectivamente num sistema de ensino baseado em competências

½ Promover e assegurar um ambiente de ensino-aprendizagem ético, inclusivo, seguro e saudável

Desenvolver instrumentos de avaliação

1 Avaliar competências

1 Planificar e organizar a avaliação dos formandos

1 Realizar a verificação interna

1 Treinar e facilitar aprendizagem através da instrução e demonstração

1 Treinar e facilitar aprendizagem em grupo e baseada em projectos

1 Treinar e facilitar a aprendizagem num local de trabalho

1 Desenvolver material didáctico

1 Gerir o processo de ensino-aprendizagem de um módulo

Módulos Opcionais

1 Treinar e facilitar aprendizagem baseada em e-learning

1 Desenvolver material didáctico para e-learning

2 Investigar e desenvolver Unidades de Competência Padrão

Módulos de Experiência de Trabalho


2 Realizar uma experiência de trabalho como formador numa Instituição de Educação Profissional

2 Actualizar-se numa área técnica específica através de uma experiência de trabalho

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 8


3. Unidades de Competência Obrigatórias

UC EDU056001 Trabalhar efectivamente num sistema de ensino baseado em


competências

Registo de Unidade de Competência

Titulo da Unidade de
Trabalhar efectivamente num sistema de ensino baseado em competências
Competência
Descrição da Unidade de Competência
Após terminar esta unidade o formando é capaz de trabalhar como professor num sistema de educação profissional
baseado em competências dentro do quadro de políticas e regulamentos existentes. Esta unidade envolve os conceitos
teóricos de um sistema de ensino baseado em competências e o seu impacto no ambiente organizacional no desempenho
do professor. O formando será capaz de situar o seu próprio trabalho dentro do contexto do sistema de educação
profissional baseado em competências que guiam o sector de EP a nível nacional e regional. Ainda deve ser capaz de
gerir o seu próprio trabalho e a auto-formação, reflectir sobre a sua prática profissional, trabalhar em equipa e de se
comunicar num contexto de educação profissional.
Código: UC EDU056001 Nível do QNQP: 6

Campo: Educação Sub Campo: Educação Profissional

Data de Registo: Data de Revisão do Registo:

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Caracterizar as a) Explica o conceito de competência.
Competência refere-se a um grupo
diferentes b) Discute a importância de competências
(cluster) de conhecimentos, habilidades, e
manifestações de na economia e no mundo do trabalho.
atitudes relacionadas entre si,
um currículo c) Diferencia competências de qualificações.
necessárias para o desempenho no
baseado em d) Alista as características e princípios
trabalho, que pode ser medido e
competências fundamentais de um CBC.
comparado com padrões aceites, e que
(CBC) e) Discute as responsabilidades do
pode ser melhorado por via da formação e
Governo, Indústria e Educação nas
desenvolvimento.
formações baseadas em competências.
f) Explica o papel do formador num CBC. Qualificação refere-se à comprovação de
g) Explica o papel do gestor de uma IEP que competências para desempenhar uma
implementa o CBC. ocupação a um determinado nível.
h) Menciona exemplos concretos de Currículo baseado em competências refere-
formações baseados em competência em se a um programa de ensino que se centra no
Moçambique desenvolvimento de habilidades,
Evidências Requeridas conhecimento e atitudes necessárias para
alcançar determinadas competências.
Evidência escrita
Evidência escrita que o formando executa
correctamente os critérios de desempenho a)
a h).
2. Compreender e a) Identifica e documenta os objectivos, Banco de dados documental pode incluir:
actuar de acordo com missão e normas do sistema da EP no regulamentos, normas, leis do sector
os objectivos, missão país. relevantes para a educação profissional.
e regulamentos e b) Cria um banco de dados documental
normas do sistema sobre as normas da EP. Instituição de Educação Profissional pode
da Educação c) Sistematiza toda a informação. incluir: escolas profissionais, escolas básicas,
Profissional no país d) Relaciona a informação referente ao institutos médios, centros de formação
Sistema da EP no país com o da IEP. profissional públicas ou privadas.
Evidências Requeridas

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 9


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
Evidência escrita
Evidência escrita que o formando:
 Descreve os objectivos e a missão da
EP no país
 Identifica (ou lista) os documentos
normativos do sub-sistema da EP no
país
 Relaciona os regulamentos nacionais
com os existentes na IEP
3. Comunicar e a) Identifica consensualmente as actividades Actividades pedagógicas podem incluir:
trabalhar em grupo pedagógicas individuais e colectivas e Planificação; verificação das avaliações;
com colegas de planifica-as colectivamente. instrução, demonstração e facilitação no
trabalho b) Trabalha em equipa para assegurar a contexto de cada módulo; assistência mútua;
realização das actividades pedagógicas. avaliação integrada; experiência de
c) Avalia a realização das actividades trabalho/Estágio; actividades extra-escolares
pedagógicas, e faz sugestões para o seu
melhoramento. O desenvolvimento de ideias inovadoras pode
d) Desenvolve ideias inovadoras no contexto incluir: identificação de necessidade e
do trabalho em equipa oportunidades para inovação, geração de um
Evidências Requeridas leque de ideias usando técnicas de
pensamento criativo (tais como chuva de
Evidência escrita/produto ideias, visualização, construir associações,
Evidência escrita/produto (portfólio) que o mind mapping, representações gráficas, etc.),
formando elabora: consulta e reflexão colectiva sobre as ideias,
 Plano de actividades pedagógicas uso de métodos de representação e
identificadas em grupo. comunicação de ideias (tais como
 Relatório que mostra o cumprimento apresentação oral, relatório, projecto, etc),
das actividades e as referidas avaliação.
sugestões
 Sínteses (pelo menos duas) das
sessões de trabalho em equipa.
 d) Relatório sobre pelos menos duas
ideias inovadoras desenvolvidas em
grupo
4. Gerir o seu trabalho a) Identifica as suas tarefas com base nos
Termos de Referência (TdRs) de um
Termos de Referência de um Formador
formador incluem: titulo da posição,
(TdRs) e no plano da instituição. departamento de trabalho, pessoa a quem
b) Elabora o seu plano de trabalho anual
deve reportar directamente,
tendo em conta o plano da instituição as
responsabilidades e tarefas que deve
limitações operacionais. executar, pessoa(s) com quem deve trabalhar
c) Implementa o seu plano.
regularmente, pessoas a quem deve
d) Monitora o seu plano.
consultar em caso de enfrentar problemas de
e) Avalia a implementação do plano de trabalho, período e horário de trabalho,
trabalho e toma decisões correctivas para
qualificações e experiência necessárias.
melhorar a implementação do plano.
Plano de trabalho deve incluir: objectivos da
Evidências Requeridas IEP, objectivos e metas pessoais, plano de
Evidência Escrita/Produto actividades a realizar (quais, quando, onde,
Evidência escrita/produto que o formando como, com que recursos), plano de
elabora um plano de trabalho anual de acordo actividades de desenvolvimento pessoal
com os TdR’s de um formador e o plano anual (formação contínua, profissionalização,
da IEP disponibilizados, e as limitações outras).
operacionais identificadas.
Limitações operacionais podem incluir: nível
Desempenho no local de trabalho de responsabilidade e autonomia, recursos
O formando durante a experiência de trabalho humanos disponíveis, infra-estururas e
(estágio), elabora o seu plano de trabalho, espaço físico existente, custo, tempo,
implementa-o, faz a monitoria, elabora o sobreposição horários, segurança e saúde no
relatório de avaliação e introduz as trabalho.
correcções ao plano adequadas sempre que
necessário. Monitorar significa aferir se o trabalho vai ao

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 10


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
encontro dos objectivos preconizados e o
planificado (ver até que medida as tarefas
foram cumpridas no tempo planificado e com
a qualidade requerida e fez ajustes ao plano

Avaliar inclui: aferir o grau de realização das


actividades, analisar a razão dos desvios e
propor melhorias e elaborar o relatório da
avaliação.
5. Comunicar com a) Identifica os objectivos da comunicação Estratégias de comunicação podem incluir:
técnicos das com empresas ou empregadores. estabelecer com clareza os objectivos da
empresas ou b) Identifica as necessidades e/ou comunicação, ligação contínua, mecanismos
unidades de expectativas dos formadores, dos de apresentação de relatórios efectivo,
produção (UP) ou formandos e das encontros para debate/discussão formal com
empregadores empresas/empregadores. o pessoal técnico das empresa ou
c) Usa estratégias de comunicação empregadores,
apropriadas à empresa, unidade de mecanismos de feedback efectivos
produção ou instituição empregadora
d) Cria ambiente favorável à comunicação Os principais regulamentos e normas podem
efectiva com os membros das unidades incluir: regulamento da IEP, regulamentos da
de produção avaliação, regulamentos sobre práticas e
e) Anota e usa os principais regulamentos e experiência de trabalho (estágios), princípios
normas com os técnicos das empresas éticos, normas sobre higiene e segurança no
ou empregadores trabalho.
Evidências Requeridas
Evidencia escrita/oral
Evidência escrita que o formando identifica
para, pelo menos 2 casos de empresas ou
empregadores, os objectivos da comunicação,
as necessidades e/ou expectativas de todos
os intervenientes, as estratégias de
comunicação apropriadas e os regulamentos
e normas a usar.

Demonstração
Evidência que o formando demonstra, numa
situação real ou simulada, o uso de pelos
menos três estratégias de comunicação com
técnicos de empresas ou empregadores, e
cria um ambiente favorável a uma boa
comunicação, usando os regulamentos e as
normas existentes.
6. Gerir a auto- a) Identifica os objectivos para a sua auto- O plano de acção de médio prazo da auto-
formação formação com base nos TdR’s, nos formação pode incluir: necessidades pessoais
objectivos e planos individuais e da IEP. de formação; objectivos e actividades de
b) Identifica mudanças no ambiente e formação e desenvolvimento profissional;
politicas da educacional profissional e o local de formação; duração de formação;
impacto dessas mudanças na sua prática campo/área de formação; áreas críticas para
profissional. a auto-formação; acreditação/validação da
c) Identifica necessidades de formação.
desenvolvimento profissional, como base
nas dificuldades e lacunas encontradas e Feedback pode incluir: avaliações de
no feedback individual, de colegas e desempenho formais e informais, comentários
formandos. de supervisores e colegas, comentários de
d) Pesquisa as fontes bibliográficas e os formandos, instrumentos de rotina de
networks relacionados com as suas monitoria dos resultados do trabalho,
necessidades de aprendizagem e resultados de práticas reflexivas pessoais.
desenvolvimento profissional.
e) Identifica possibilidade de formação e Actividades de formação e desenvolvimento
formas de elevar as suas qualificações. profissional podem incluir: concluir níveis

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 11


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
f) Elabora um plano de acção de médio superiores de educação ou qualificações do
prazo para a sua auto-formação e QNQP; realizar estágios ou práticas
desenvolvimento profissional. profissionais em áreas técnicas específicas;
g) Participa em actividades de formação e frequentar programas de treino internos;
desenvolvimento profissional. participar em conferências, seminários e
h) Reflecte e avalia a sua prática workshops relevantes, consulta e leitura de
profissional. revistas e literatura relevantes; networking
i) Propõe medidas para melhorar o seu com colegas internos e externos à IEP;
desempenho profissional. trabalho com treinadores e mentores.
Evidências Requeridas
Reflectir e avaliar a prática profissional inclui:
Evidência escrita/produto investigar e identificar desenvolvimentos e
Evidência escrita/produto que o formando tendências que têm impacto na prática
elabora um plano de acção de médio prazo profissional; receber feedback de colegas e
para a sua auto-formação, que inclui o formandos, identificar estratégias e
estipulado nos critérios de desempenho a) a i) abordagens para melhoria contínua.
e nos contextos de aplicação.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 12


UC EDU056002 Promover e assegurar um ambiente de ensino-aprendizagem ético,
inclusivo, seguro e saudável

Registo de Unidade de Competência


Título da Unidade de Promover e assegurar um ambiente de ensino-aprendizagem ético, inclusivo, seguro e
Competência saudável
Descrição da Unidade de Competência:
Após completar esta unidade de competência o formando cumpre com os princípios e valores éticos e é capaz de
promover e facilitar um ambiente de ensino-aprendizagem ético e que inclui práticas de trabalho inclusivas, e uma cultura
de aprendizagem que reconhece os processos e contextos do desenvolvimento dos adolescentes, respeita as diferenças
individuais e assegura um ambiente de aprendizagem saudável e seguro.
Código: UC EDU056002 Nível do QNQP: 6

Campo: Educação Sub Campo: Educação Profissional

Data de Registo: Data de Revisão do Registo:

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Cumprir com e a) Reconhece e interpreta os princípios e Princípios e valores éticos estabelecidos
promover princípios e valores éticos estabelecidos. podem incluir: respeito pela lei, respeito
valores éticos. b) Aplica os princípios e valores éticos pelos regulamentos da IEP, integridade,
estabelecidos. honestidade, responsabilidade,
c) Lida com problemas éticos. pontualidade, imparcialidade,
d) Contribui para um ambiente de trabalho confidencialidade, respeito pelos outros,
ético. justiça e procedimentos justos, economia e
e) Participa na tomada de decisões sobre eficiência
questões éticas
Evidências Requeridas Problemas éticos podem incluir: corrupção,
uso impróprio de recursos da IEP, uso
Evidência escrita/oral impróprio de informação oficial, favores para
Evidência escrita que o formando reconhece e amigos ou familiares, conflitos de interesse
interpreta os princípios e valores éticos entre valores do sector público e individuais
estabelecidos.

Demonstração
O formando demonstra, numa situação real ou
simulada que, é capaz de desempenhar
correctamente os critérios de desempenho b) a
e).
2. Compreender os a) Compreende os processos psicológicos Os processos psicológicos incluem os
processos implicados no desenvolvimento dos implicados no desenvolvimento físico,
psicológicos e os adolescentes. cognitivo, da personalidade, e social :
contextos de b) Compreende o contexto social, histórico,
desenvolvimento dos económico, legal e politico dos Problemas no desenvolvimento psicossocial
adolescentes adolescentes. dos adolescentes podem incluir: transtornos
c) Reconhece problemas no desenvolvimento alimentares; depressão e suicídio; stress;
psicossocial dos adolescentes. comportamentos de risco: violência e
d) Identifica estratégias e actividades de delinquência; consumo e abuso de
suporte ao adolescente no contexto da IEP. substâncias; doenças de transmissão
Evidências Requeridas sexual.

Evidência escrita/oral Actividades de suporte ao adolescente


Evidência escrita que o formando reconhece e podem incluir: programas de intervenção,
compreende os processos psicológicos protecção, sistemas de monitoria, sistemas
implicados no desenvolvimento dos de organização nos internatos.
adolescentes, os contextos sociais, históricos,

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 13


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
económicos, legais e políticos, reconhece
problemas no desenvolvimento psicossocial
dos adolescentes e identifica estratégias e
actividades de suporte aos adolescente no
contexto da IEP.
3. Promover a cultura a) Reconhece, respeita e valoriza as Diferenças individuais podem incluir:
de aprendizagem e a diferenças individuais dos colegas e dos dificuldades de aprendizagem; necessidades
inclusividade formandos. de literacia e numeracia; expressão em
b) Integra princípios de inclusividade em todas outra língua que não a portuguesa;
as práticas de trabalho. background, imagens e percepções
c) Respeita os direitos individuais e de culturais; background económico; idade;
confidencialidade. género; sexualidade; religião; deficiências
d) Estabelece regras básicas de participação e físicas ou intelectuais; condições de saúde
comportamento com colegas e formandos tais como epilepsia, asma, HIV/SIDA.
através de um processo cooperativo e
acordado. Princípios de inclusividade podem incluir:
e) Encoraja os formandos a expressar-se e a dar a mesma oportunidade de participação a
contribuir para o trabalho e ambiente de todos; promover e advogar o espírito
aprendizagem. independente; assegurar abordagens
f) Providencia suporte e conselho a colegas e cooperativas na aprendizagem; usar
formandos para os encorajar a participar abordagens de aprendizagem centradas no
em oportunidades de novas ou continua formando; apoiar, encorajar e valorizar
aprendizagem contribuições individuais, motivar os
g) Reconhece e premeia o sucesso na formandos, criar oportunidades de
aprendizagem participação e sucesso; fazer ajustamentos
h) Dá oportunidades aos formandos para razoáveis aos procedimentos, actividades e
indicar necessidades específicas para avaliação para garantir equidade;
apoiar a sua participação na aprendizagem reconhecer habilidades e pontos positivos
e no trabalho. como base para aprendizagem seguinte
i) Usa uma linguagem verbal e corporal
sensível a diferentes culturas e
backgrounds e a diferenças em habilidades
físicas e intelectuais.
j) Identifica e usa os regulamentos e outros
recursos existentes respeitantes a equidade
e inclusividade nas práticas de trabalho
k) Monitora e introduz melhorias nas práticas
de trabalho que suportam a inclusividade.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/oral
Evidência escrita que o formando reconhece as
diferenças individuais dos formandos e colegas
de trabalho, os princípios em que se baseia a
inclusividade e os direitos individuais e de
confidencialidade.

Demonstração
O formando demonstra, numa situação real ou
simulada que, é capaz de desempenhar
correctamente o estabelecido nos critérios de
desempenho a) a i).

Produto
O formando apresenta um relatório escrito das
actividades que desempenhou para garantir a
inclusividade durante a experiência de
trabalho, os resultados dessas actividades e
recomendações para melhorias.
4. Assegurar ambiente a) Identifica os objectivos e abordagens da Perigos incluem fontes e/ou situações que

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 14


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
saudável e seguro saúde e segurança ocupacional (SSO) na podem prejudicar a saúde humana ou
instituição de educação profissional. provocar ferimentos.
b) Reconhece e interpreta os regulamentos
existentes na IEP sobre SSO. Avaliação do risco pode incluir:
c) Demonstra compreensão sobre os consideração subjectiva ou qualitativa
perigos, as vias de transmissão e os simples sobre a probabilidade e severidade
métodos de prevenção do HIV/SIDA. da ocorrência de ferimento ou prejuízo na
d) Identifica os perigos para a segurança e saúde humana dos formandos no ambiente
saúde dos formandos no ambiente de de ensino-aprendizagem.
ensino-aprendizagem.
e) Avalia os riscos no ambiente de ensino
aprendizagem.
f) Desenvolve e implementa acções que
asseguram a saúde e segurança dos
formandos.
g) Providencia informação adequada aos
formandos sobre os requisitos de SSO.
h) Monitora os arranjos de SSO no ambiente
de ensino-aprendizagem implementados
na IEP.
Evidências Requeridas
Evidencia escrita/oral
Evidência escrita que o formando identifica os
objectivos e abordagens da saúde e segurança
ocupacional (SSO), reconhece e interpreta os
regulamentos de SSO, demonstra
compreensão sobre os perigos, as vias de
transmissão e os métodos de prevenção do
HIV/SIDA, Identifica os perigos para a
segurança e saúde dos formandos no ambiente
de ensino-aprendizagem e avalia os riscos no
ambiente de ensino aprendizagem.

Demonstração
O formando apresenta, num ambiente de
grupo, uma sessão de informação sobre as
atitudes, prevenção, e transmissão do HIV /
SIDA e os requisitos de SSO na IEP.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 15


UC EDU056003 Desenvolver instrumentos de avaliação

Registo de Unidade de Competência

Titulo da Unidade de
Desenvolver instrumentos de avaliação
Competência
Descrição da Unidade de Competência:
Após terminar esta unidade o formando é capaz de distinguir os vários instrumentos de avaliação, elaborá-los e aplicá-los
em situações concretas de ensino-aprendizagem baseado em competências.
Código: UC EDU056003 Nível do QNQP: 6
Campo: Educação Sub Campo: Educação profissional

Data de Registo: Data de Revisão do Registo:

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Determinar a a) Indica a importância dos instrumentos de Instrumentos de avaliação incluem os
importância dos avaliação, no contexto da avaliação de procedimentos, instruções e outras
diferentes competências. informações, dirigidas ao avaliador ou ao
instrumentos de b) Identifica e compreende os princípios de formando, relativas aos métodos e condições
avaliação avaliação pelos quais se devem reger os de avaliação, tais como: formulários-padrão;
instrumentos de avaliação. testes escritos, orais, práticos que incluem
c) Diferencia as características dos questões e actividades específicas; listas de
diferentes instrumentos de avaliação. verificação de evidências/ observações a
d) Explica as vantagens e desvantagens de verificar; listas de verificação dos aspectos a
cada tipo de instrumento. verificar na avaliação das amostras, do
Evidências Requeridas trabalho, produtos e portfólios; material de
auto-avaliação para o formando.
Evidências escritas e orais
Evidência escrita que o formando reconhece a Avaliação de competências refere-se ao
importância dos instrumentos de avaliação e julgamento de evidências por forma a decidir
os princípios da avaliação de competências e se o formando pessoa atingiu os padrões de
diferencia os vários instrumentos de desempenho definidos nas Unidades de
avaliação, indicando as características de Competência Padrão (UCPs). Unidade de
cada um, bem como as suas vantagens e Competência Padrão refere-se a um conjunto
desvantagens. de competências determinada e validade pelo
sector produtivo/empregadores/posto de
trabalho e que estabelece as habilidades,
conhecimentos e atitudes requeridas para
operar efectivamente no local de trabalho.

Princípios de avaliação incluem: validade,


praticabilidade, alcançabilidade e fiabilidade.
Validade refere-se à garantia de adequação
dos instrumentos de avaliação aos objectivos
e competências estabelecidas nas UCPs.
Praticabilidade refere-se à garantia que os
instrumentos de avaliação são possíveis de
ser aplicados pelos formandos no tempo e
com os recursos disponíveis na IEP.
Alcançabilidade refere-se à garantia que os
formandos podem completar com sucesso o
requerido no processo de avaliação.
Fiabilidade refere-se à garantia de que as
decisões da avaliação são fiáveis isto é, são
baseadas em evidências que são geradas por
instrumentos de avaliação válidos, sob
condições de avaliação aplicadas

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 16


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
consistentemente, autênticas (quando é o
resultado do trabalho do próprio formando) e
consistentes (quando a mesma decisão é
feita por diferentes avaliadores em diferentes
IEPs ou em diferentes tempo).

Os regulamentos e procedimentos de
sistemas de avaliação podem incluir:
selecção do formando à avaliação; gestão
dos registos, dados e informações de
avaliação; qualificações dos avaliadores;
estrutura dos relatórios de avaliação;
recorrências na avaliação; reclamações dos
formandos; verificação interna e externa e
validação das avaliações; sistema de
requisição dos recursos necessários; sistema
de gestão de qualidade em geral.
2. Elaborar a) Identifica os subtipos de cada Subtipos de instrumentos podem incluir:
instrumentos de instrumento de avaliação, de acordo com  Testes objectivos (de resposta breve, de
avaliação, de acordo as evidências que se pretende recolher. lacunas, do tipo verdadeiro-falso, de
as evidências que se b) Identifica o material necessário para a associação, de escolha múltipla, de
pretende recolher e elaboração dos instrumentos de ordenação e de identificação de partes;
os princípios da avaliação.  Testes dissertativos
avaliação c) Elabora os instrumentos de avaliação,  Relatórios de actividades teóricas ou
por forma a que eles sejam válidos, experimentais, do estudo do meio; de
praticáveis, alcançáveis e fiáveis. pesquisa e/ou de projectos
 Portfólio de apresentação e portfólio de
Evidências Requeridas
aprendizagem
Evidência escrita/produto  Demonstrações práticas (em situações
Evidência escrita que o formando identifica os simuladas, em situações reais
diferentes subtipos de cada instrumento de
avaliação, elabora pelo menos um Material necessário para elaborar
instrumento de cada subtipo válido, praticável instrumentos de avaliação pode incluir: papel,
e alcançável, e apresenta um portfólio de lápis, caneta, régua, cartolina, pasta de
aprendizagem onde deverá constar todo o arquivo, separadores.
material usado na elaboração dos
instrumentos de avaliação bem como a Instrumento de avaliação válido é aquele que
descrição do processo de construção de cada é apropriado em relação ao seu objectivo,
instrumento. permite a produção de evidência do
desempenho dos formandos que pode ser
medida tendo por base padrões nacionais
definidos nas Unidades de Competência
Padrão (UCPs), permite aos formandos
produzirem evidência suficiente de todas as
habilidades, conhecimentos e compreensão
requeridos para satisfazer os padrões
nacionais estabelecidos nas Unidades de
Competência Padrão, facilita o processo de
tomada decisões fiáveis pelos avaliadores e é
acessível a todos os formandos, os quais
estão potencialmente capazes de as
completar com sucesso

Instrumento de avaliação praticável é aquele


que é possível de ser posto em prática e
concluído pelo formando no tempo e com os
recursos postos à disposição dos formandos
e das IEPs.

Instrumento de avaliação alcançável é aquele

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 17


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
que faz apenas exigências aos formandos
realísticas e atingíveis pelos mesmos.

Instrumento de avaliação fiável é aquele que


pode ser julgado consistentemente e com
justeza e por essa razão ele deve incluir guias
de correcção e instruções para os avaliadores
e formandos que asseguram que as mesmas
condições de avaliação são replicadas no
tempo e padronizam o juízo sobre a
suficiência das avaliações (isto é o nível
aceite como suficiente) ..
3. Aplicar os a) Identifica situações concretas de ensino- Situações de ensino-aprendizagem podem
instrumentos de aprendizagem, adequadas para a incluir: realização de uma actividade
avaliação em aplicação de cada instrumento, tendo em experimental ou prática; desenvolvimento de
situações concretas consideração as competências um projecto; um debate, onde se pretende
de ensino- estabelecidas nas unidades de avaliar a capacidade de argumentação e
aprendizagem competência padrão e módulos. riqueza de vocabulário; resposta a
b) Dá instruções claras aos alunos para a questionários; elaboração de resumos para
utilização de instrumentos de avaliação. verificar o raciocínio lógico, a organização das
ideias, a originalidade e a capacidade de
Evidências Requeridas
relacionar factos; leitura e interpretação de
Simulação/dramatização mapas; identificação de peças de uma
O formando demonstra a aplicação e máquina e respectivas funções.
instrução de pelo menos 1 instrumento de
avaliação de cada subtipo, em situações
simulada com um grupo de colegas, em que:
 Identifica a situação de ensino-
aprendizagem adequada a cada
subtipo de instrumento de
avaliação.
 Dá instruções aos “alunos” para
usarem um instrumento de
avaliação previamente
seleccionado.
4. Rever e testar a)
os a) Avalia o resultado obtido quanto à Critérios de adequabilidade incluem: ajuste do
instrumentos de adequabilidade dos instrumentos, para a instrumento à situação de avaliação; tempo
avaliação sua validação em termos de conteúdo e necessário para a sua aplicação; facilidade de
utilidade. obtenção dos resultados.
b) b) Revê os instrumentos de avaliação.
c) c) Os instrumentos validados são arquivados
adequadamente para utilização futura, de
acordo com os regulamentos em vigor.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/Produto/Portfólio
Evidência escrita que o formando avalia, revê
e arquiva diferentes instrumentos, pelo menos
um de cada subtipo, e apresenta um portfólio
de aprendizagem onde deverá constar todo o
material usado na avaliação e revisào dos
instrumentos de avaliação.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 18


UC EDU056004 Avaliar competências

Registo de Unidade de Competência

Título da Unidade de
Avaliar competências
Competência
Descrição da Unidade de Competência:
No final desta unidade os formandos são capazes de conduzir a avaliação de competências de acordo com um plano de
avaliação. Inclui tanto a avaliação levada a cabo num contexto de ensino e avaliação (caso de um formador), como num
contexto somente de avaliação (caso de um avaliador). O foco principal desta unidade está na interpretação, tendo por
base as unidades de competência padrão, de evidências recolhidas, mediante a aplicação de princípios de avaliação e
regras de evidência. Esta unidade considera, também, a relação profissional entre avaliador e os formandos e as
habilidades necessárias para apoiar esta relação.
Código UC EDU056004 Nível QNQP 6

Campo Educação Sub-Campo Educação Profissional

Data do Registo Data de Revisão do Registo

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Estabelecer e a) Confirma, junto das autoridades Plano de avaliação inclui: o contexto de avaliação,
manter o competentes, o plano de avaliação os os padrões de competência a serem usados como
ambiente de regulamentos e procedimentos de marcos a atingir, outras informações e
avaliação avaliação, bem como os requisitos documentação relevante à avaliação; pessoal
organizacionais/legais/éticos necessários envolvido no processo de avaliação, métodos e
para conduzir a avaliação. ferramentas de avaliação identificados,
b) Consulta e interpreta os modelos de oportunidades para conjugar as unidades de
avaliação, os métodos e os instrumentos competência padrão para efeitos de avaliação,
de avaliação definidos, para confirmar recursos materiais e/ou físicos necessários, riscos
qual a evidência a ser recolhida e como para saúde e segurança, procedimentos
proceder para esse efeito. organizacionais, requisitos de relatórios, calendários
c) Explica, discute, esclarece aos e datas limites, processos de autoavaliação dos
formandos os detalhes do plano e do formandos.
processo de avaliação, incluindo
oportunidades de avaliação, ajustes Requisitos organizacionais/legais/éticos incluem:
razoáveis na avaliação, reavaliação e anti-descriminação, igual oportunidade no processo
recorrência. de avaliação; sistemas de busca, elaboração de
Evidências Requeridas relatórios e de registo ligados ao processo de
avaliação; procedimentos de trabalho
Demonstração colaborativo/em parceria.
Evidência prática que o formando demonstra
ser capaz de: a) interpretar todos os Modelos de avaliação podem incluir: modelo de
documentos e instrumentos relacionados Reconhecimento de Aprendizagem anterior (RAA),
com a avaliação; b) explicar, discutir e modelo aprendizagem-avaliação ou modelo
esclarecer adequadamente ao formando os integrado; avaliação formativa; avaliação sumativa.
detalhes do plano e do processo de
avaliação Métodos de avaliação servem para recolher,
organizar e documentar as evidências num formato
adequado à determinação de competências, e
podem incluir: observação directa (por exemplo:
durante as actividades laborais reais/simuladas no
local de trabalho real/em meio de simulação);
actividades estruturadas (por exemplo: exercícios
de simulação/desempenho de papéis invertidos,
projectos, apresentações, fichas de actividades);
colocação de questões (por exemplo: questões
escritas em meios informáticos, entrevistas, auto-

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 19


avaliação, perguntas orais, questionários, exames
orais/escritos); pastas de documentação/dossiers
(por exemplo: colheita de amostra do trabalho do
formando, produto do tal trabalho com a respectiva
documentação, historial com evidências);
examinação dos produtos de trabalho (por exemplo:
resultantes de um projecto, resultantes de trabalho
diário/amostras); feedback de entidades exteriores
(por exemplo: recomendações/certidões obtidas dos
empregadores/supervisores, provas de treinamento,
provas autenticadas de realizações prévias);
entrevistas com empregadores, supervisores
colegas

Instrumentos de avaliação incluem os


procedimentos, instruções e outras informações,
dirigidas ao avaliador ou ao formando, relativas aos
métodos e condições de avaliação, tais como:
formulários-padrão; testes escritos, orais, práticos
que incluem questões e actividades específicas;
listas de verificação de evidências/observações a
verificar; listas de verificação dos aspectos a
verificar na avaliação das amostras, do trabalho,
produtos e portfólios; material de auto-avaliação
para o formando.

Ajustes razoáveis na avaliação, incluem: ajustes ao


local de avaliação; sessões de avaliação flexíveis;
tipos de materiais de avaliação (por exemplo:
Braille, língua materna do avaliado, vídeo, áudio);
revisão e adaptação dos métodos/ferramentas de
avaliação anteriormente definidos.
2. Recolher a) Cumpre o plano de avaliação fazendo Princípios de avaliação incluem: validade,
evidências uso dos métodos de avaliação e os praticabilidade, alcançabilidade e fiabilidade.
instrumentos de avaliação apropriados. Validade refere-se à garantia de adequação dos
b) Aplica os princípios de avaliação no instrumentos de avaliação aos objectivos e
momento da recolha de evidência. competências estabelecidas nas UCPs.
c) Define, juntamente com o formando e Praticabilidade refere-se à garantia que os
as autoridades relevantes, as instrumentos de avaliação são possíveis de ser
situações/oportunidades apropriadas aplicados pelos formandos no tempo e com os
para a recolha de evidência. recursos disponíveis na IEP. Alcançabilidade refere-
d) Apoia os formandos durante a recolha se à garantia que os formandos podem completar
da evidência, usando habilidades de com sucesso o requerido no processo de avaliação.
comunicação apropriadas e criando Fiabilidade refere-se à garantia de que as decisões
uma relação profissional com o da avaliação são fiáveis isto é, são baseadas em
formando. evidências que são geradas por instrumentos de
e) Menciona e explica, sempre que avaliação válidos, sob condições de avaliação
necessário, os regulamentos e autênticas (quando é o resultado do trabalho do
procedimentos de avaliação, bem como próprio formando) e consistentes (quando a mesma
os requisitos decisão é feita por diferentes avaliadores em
organizacionais/legais/éticos, diferentes IEPs ou em diferentes tempo).
anteriormente identificados.
Habilidades de comunicação podem incluir: fornecer
Evidências Requeridas
feedback construtivo e incentivador; saber ouvir
Demonstração activamente; saber questionai com objectivo de
Evidência que o formando demonstra esclarecer e confirmar instruções para a recolha de
correctamente, para pelo menos 3 métodos evidências.
de avaliação, a recolha de evidências de
acordo com os critérios de desempenho a) a
d).
3. Analisar os a) Identifica as limitações na obtenção e Limitações podem incluir: função e
resultados classificação de evidência e consulta as responsabilidades laborais; necessidades do
(ajuizar a autoridades relevantes sobre essas formando; painéis de avaliação; dos processos de

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 20


evidência) mesmas limitações. garantia de qualidade da organização; nível de
b) Examina e classifica a evidência competência pessoal; responsabilidades legais.
recolhida para se assegurar que ela
reflecte o requerido para demonstrar a Autoridades relevantes podem incluir: outros
competência, estabelecido nas avaliadores; líderes de equipas; gestores e técnicos
unidades de competência padrão e das empresas/empregadores; supervisores de
módulos. estágio; director pedagógico; especialistas
c) Ajuíza criteriosamente se a técnicos/académicos; membros de associações
competência foi demonstrada, profissionais.
baseando-se nas evidências obtidas.
d) Considera, na tomada da decisão A decisão definitiva é um processo de dois passos
definitiva, os princípios da avaliação, os que significa: 1) O avaliador toma uma decisão
regulamentos e procedimentos de sobre se a evidência foi recolhida respeitando os
sistema de avaliação, bem como os princípios de avaliação; 2) O avaliador toma uma
requisitos organizacionais/legais/éticos. decisão sobre se o formando é competente ou ainda
e) Providencia ao formando um feedback não, baseando-se nas evidências obtidas e
claro e construtivo sobre a decisão avaliadas.
tomada na avaliação e cria, caso seja
necessário, um plano de acção de Feedbak pode ser fornecido ou solicitado para:
seguimento do formando. assegurar a compreensão do processo de
avaliação; assegurar que as preocupações do
Evidências Requeridas
formando sejam atendidas; obter respostas ou
Evidência escrita/ produto/portfólio questões do formando; fornecer os resultados
Evidência escrita que o formando analisa e definitivos da avaliação; informar sobre as
julga adequadamente evidências recolhidas, evidências a serem fornecidas; discutir o plano de
para pelo menos 3 métodos de avaliação acção de seguimento; informar sobre possível
diferentes, e apresenta o trabalho feito num treinamento adicional para eliminar lacunas no
portfólio de acordo com o definido nos aprendizado; informar sobre possíveis pedidos de
critérios de desempenho a) a e) e nos recorrência; sugerir aspectos a melhorar na recolha
contextos de aplicação. de evidências e sua apresentação.

Um plano de acção de seguimento do formando é


necessário quando se toma a decisão que o
formando ainda não é competente, e pode incluir:
mais treino e instrução para eliminação de lacunas
no seu aprendizado; oportunidades adicionais na
vertente prática; oportunidades adicionais de
avaliação/ recolha de evidências; facilitação
individual, quando necessária; referência a
especialistas para assistência.
4. Elaborar a) Regista os resultados da avaliação. O relatório da avaliação inclui: detalhes pessoais
relatórios sobre b) Elabora um relatório da avaliação, de dos formandos; detalhes sobre avaliação, sua data,
os resultados acordo com os regulamentos e hora, local; detalhes sobre o sumário de evidências
da avaliação procedimentos de sistema de avaliação e consideradas pelo avaliador e cópias dos
as exigências requeridas. documentos usados durante a avaliação; Feedback
organizacionais/legais/éticos. ao e do formando; justificações da decisão tomada;
c) Submete às autoridades competentes o sumário do plano de acção de seguimento dos
relatório da avaliação e as formandos; outras informações importantes, como
recomendações a seguir, quando pedidos de recorrência e seus efeitos.
necessárias.
d) Informa as entidades relevantes sobre a As recomendações podem incluir: recomendações
decisão da avaliação, de acordo com as relativas ao processo de avaliação; recomendações
normas de confidencialidade para apoio no treinamento e/ou avaliação em novas
estabelecidas. áreas de competência; reavaliação; implicações de
pedidos de recorrência.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/oral /produto Entidades relevantes podem incluir: entidades da
Evidência escrita que o formando elabora instituição responsáveis pelo registo académico;
um relatório de um dado processo de entidades indicadas pelo formando; entidades a
avaliação, de acordo com o estabelecido nos serem referenciadas por obrigação contratual;
critérios de desempenho a) a d) e nos
contextos de aplicação.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 21


5. Rever o a) Revê o processo de avaliação, com base Os critérios para revisão do processo de avaliação
processo de em critérios e em consultas com podem incluir: cumprimento do plano de avaliação;
avaliação autoridades relevantes, de modo a cumprimento dos requisitos
modificar e melhorar a futura prática de organizacionais/legais/éticos, assim como os de
avaliação. segurança e saúde, quando for relevante;
b) Faz uma auto-reflexão cuidadosa a fim adequação da informação dada ao formando sobre
de rever e classificar a sua própria o processo de avaliação; avaliador foi comunicativo,
prática de avaliação sociável e eficaz; aplicação dos princípios de
c) Regista e documenta a revisão do avaliação na recolha de evidências e juízo; apoio a
processo de avaliação. o formando ao longo do processo de avaliação;
Evidências Requeridas utilização dos métodos e ferramentas de avaliação,
correctamente, para recolher, organizar e
Evidência escrita/oral e/produto/portfólio documentar as evidências; aplicação de ajustes
Evidência escrita que o formando fez a razoáveis, quando necessário/adequado, depois de
revisão do processo de avaliação, para pelo ter consultado as entidades relevantes; feedback
menos 3 métodos de avaliação diferentes, e preciso e construtivo sobre a decisão definitiva da
apresenta num portfólio evidências da avaliação ao formando; análise sobre a variação
revisão feita de acordo com o definido nos das próprias decisões a fim de medir a sua
critérios de desempenho a) a c) e nos consistência.
contextos de aplicação.
Consultas podem consistir em: discussão com
outros avaliadores e coordenadores de
treinamento/avaliação; discussão com chefes de
equipa, gestores, supervisores, instrutores, tutores;
discussão com especialistas técnicos/académicos;
especialistas em linguística, literacia, numeracia.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 22


UC EDU056005 Planificar e organizar a avaliação

Registo de Unidade de Competência

Título da Unidade de
Planificar e organizar a avaliação
Competência
Descrição da Unidade de Competência:
No final desta unidade os formandos são capazes de planificar o processo de avaliação e fazer os arranjos
organizacionais que possibilitem que a avaliação dos formandos aconteça. Isto é aplicável, tanto para contextos de
ensino e avaliação (caso de um formador), como de apenas avaliação (caso de um avaliador). O foco principal desta
unidade centra-se no desenvolvimento de um plano de avaliação que será usado para guiar os avaliadores, para
conduzirem a avaliação baseada em competências. A unidade cobre, também, a contextualização da avaliação das
unidades de competência padrão (qualificações) e as ferramentas de avaliação. Esta competência aplica-se para a
planificação e organização de processos de avaliação, os quais podem envolver um ou mais formandos, sendo avaliados
a uma ou várias unidades de competência em processos que incluem um número de actividades (ou eventos) de
avaliação, ao longo do tempo.
Código UC EDU056005 Nível QNQP 6

Campo Educação Sub-Campo Educação Profissional

Data do Registo Data de Revisão do Registo

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Determinar o foco a) Identifica e confirma os formandos. Objectivos de avaliação podem incluir:
da avaliação b) Estabelece os objectivos e o contexto reconhecer competências anteriores e actuais dos
de avaliação, de acordo com os formandos; verificar se as competências foram
requisitos legais pré-concebidos. alcançadas após o período de aprendizagem;
c) Escolhe o modelo de avaliação a monitorar o progresso dos formandos; determinar
realizar. as lacunas dos formandos, durante a
d) Consulta e utiliza a estratégia de aprendizagem; avaliar o desempenho no local de
avaliação para conduzir o trabalho.
desenvolvimento do plano avaliativo.
e) Identifica e faz confirmar pelas Contexto de avaliação pode incluir: instituição onde
autoridades competentes os critérios avaliação terá lugar, local de local de trabalho,
para avaliar as competências dos simulação; intervenientes na avaliação (formandos,
formandos. avaliadores, supervisores, coordenadores de
Evidências Requeridas treinamento e avaliação).
Evidência escrita e/ou oral/ Requisitos legais podem incluir: regulamentos e
produto/portfólio procedimentos de sistemas de avaliação;
Evidência escrita que os formandos, requisitos de estratégias de avaliação; sistemas de
perante dois casos específicos elaboram e registos, relatórios e busca de informação no
apresentam num portfólio processo de avaliação/RAA ; sistema de garantia
 A documentação do perfil dos
de qualidade; regulamentos e procedimentos sobre
formandos aprovada pela autoridade o acesso e igualdade dos formandos.
competente.
 A listagem dos objectivos de
Modelos de avaliação podem incluir: modelo de
avaliação de acordo com o contexto. Reconhecimento de Aprendizagem anterior (RAA),
 Os regulamentos e procedimentos do
modelo aprendizagem-avaliação ou modelo
sistema de avaliação utilizados. integrado; avaliação formativa; avaliação sumativa.
 O registo de informação dos
formandos, através de relatórios. A estratégia de avaliação pode incluir: a
 O plano de contingência para identificação dos padrões de competência que
colmatar as lacunas dos formandos. formam a qualificação; identificação das regras
 Os métodos de avaliação, escolhidos
estabelecidas pelo pacote de treinamento;
apropriados para cada situação e interpretação dos padrões de competência como
tendo em conta os padrões de

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 23


avaliação pré-identificados. padrões de avaliação; aplicação das normas de
 As estratégias de avaliação avaliação estabelecidas pelo pacote de
escolhidas para conduzir o treinamento; procedimentos do processo de RAA,
desenvolvimento do plano avaliativo. incluindo o apoio aos formandos, aquando da
 A lista de critérios aprovada pelas recolha e classificação de evidências;
autoridades competentes, para determinação dos métodos de avaliação para
avaliar as competências dos padrões pré- identificados;
formandos. selecção de ferramentas de avaliação para
padrões pré-identificados; procedimentos
organizacionais de avaliação, incluindo recursos
humanos e físicos, funções e responsabilidades
individuais e colectivas, bem como o
estabelecimento de parcerias.
2. Preparar o plano a) Interpreta os requisitos de evidências Evidência é o material recolhido que, quando
de avaliação estipulados no módulo. equivalente ao especificado nas unidades de
b) Consulta e interpreta qualquer competência padrão e módulos, constitui uma
documentação relacionada com o prova de domínio de uma determinada
processo de planificação de avaliação. competência.
c) Selecciona os métodos e instrumentos
de avaliação, de acordo com o tipo de Os tipos de evidências requeridas podem incluir:
evidência requerida estipulada no escritas/orais (testes escritos ou provas orais,
módulo. evidência de conhecimento e compreensão);
d) Identifica e documenta materiais e demonstração (observação directa de actividades
recursos requeridos. para recolher realizadas pelos formandos sob condições reais ou
evidências. simuladas); produto (amostras de produtos do
e) Identifica o papel das pessoas trabalho do formando, projectos, portfólios com
envolvidas na avaliação. historial do trabalho); desempenho no local de
f) Determina o tempo/ horário de trabalho; e estudos de caso e dramatização em
avaliação. trabalho de grupo.
g) Faz confirmar/validar o plano de
avaliação pelas autoridades Métodos de avaliação servem para recolher,
competentes (líder da qualificação, organizar e documentar as evidências num formato
director pedagógico). adequado à determinação de competências, e
podem incluir: observação directa (por exemplo:
Evidências Requeridas
durante as actividades laborais reais/simuladas no
Prova escrita e/ou oral, produto, portfólio local de trabalho real/em meio de simulação);
Evidência escrita que o formando para um actividades estruturadas (por exemplo: exercícios
dado caso, elabora um plano da avaliação de simulação/desempenho de papéis invertidos,
e apresenta num portfólio todas as projectos, apresentações, fichas de actividades);
evidências do trabalho realizado de colocação de questões (por exemplo: questões
acordo com os critérios de desempenho a) escritas em meios informáticos, entrevistas, auto-
a h). avaliação, perguntas orais, questionários, exames
orais/escritos); pastas de documentação/dossiers
(por exemplo: colheita de amostra do trabalho do
formando, produto do tal trabalho com a respectiva
documentação, historial com evidências);
examinação dos produtos de trabalho (por
exemplo: resultantes de um projecto, resultantes
de trabalho diário/amostras); feedback de
entidades exteriores (por exemplo:
recomendações/certidões obtidas dos
empregadores/supervisores, provas de
treinamento, provas autenticadas de realizações
prévias); entrevistas com empregadores,
supervisores colegas

Instrumentos de avaliação incluem os


procedimentos, instruções e outras informações,
dirigidas ao avaliador ou ao formando, relativas
aos métodos e condições de avaliação, tais como:
formulários-padrão; testes escritos, orais, práticos
que incluem questões e actividades específicas;
listas de verificação de evidências/observações a

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 24


verificar; listas de verificação dos aspectos a
verificar na avaliação das amostras, do trabalho,
produtos e portfólios; material de auto-avaliação
para o formando.

Plano de avaliação inclui: o contexto de avaliação,


os padrões de competência a serem usados como
marcos a atingir, outras informações e
documentação relevante à avaliação; pessoal
envolvido no processo de avaliação, métodos e
ferramentas de avaliação identificados,
oportunidades para conjugar as unidades de
competência padrão para efeitos de avaliação,
recursos materiais e/ou físicos necessários, riscos
para saúde e segurança, procedimentos
organizacionais, requisitos de relatórios,
calendários e datas limites, processos de
autoavaliação dos formandos.
3. Contextualizar e a) Identifica e documenta os formandos Contextualização significa modificar a redacção de
rever o plano de que necessitem de tratamento certas partes dos documentos das unidades de
avaliação especial, de acordo com as competência padrão para que elas estejam em
características aprovadas pelas conformidade com a realidade do campo
autoridades competentes. profissional ou da localização da instituição de
b) Contextualiza as unidades de educação profissional, desde que não
competência padrão, sempre que comprometam a integridade das unidades de
necessário e de acordo com as competência padrão.
normas de contextualização, de modo
a reflectir a realidade. As características aprovadas pelas autoridades
c) Examina e adapta, sempre que competentes incluem: formandos portadores de
necessário, os métodos e instrumentos deficiência física, disfunção sensorial, dificuldade
de avaliação, de modo a assegurar de aprendizagem, ou invalidez temporária, na
uma aplicabilidade contínua, tendo em altura da avaliação;
conta: qualquer contextualização das
unidades de competência padrão; Tratamento especial pode incluir: assistência numa
ajustes relevantes, quando missão prática, permissão do tempo extra, período
identificados; integração das de descanso ou intervalos supervisionados, apoio
actividades avaliativas, quando prático logístico, assistência na avaliação auditiva,
e adequado; e capacidade para se enunciados adaptados para os deficientes visuais;
adaptar ao RAA.
d) Revê os instrumentos adaptados, Ajustes relevantes na avaliação, incluem: ajustes
para assegurar que as especificações ao local de avaliação; sessões de avaliação
contidas nas unidades de flexíveis; tipos de materiais de avaliação (por
competência padrão tenham sido exemplo: Braille, língua materna do avaliado,
tidas em conta. vídeo, áudio); revisão e adaptação dos
e) Actualiza o plano de avaliação, para métodos/ferramentas de avaliação anteriormente
reflectir as contínuas necessidades definidos.
de contextualização; quaisquer
mudanças nos requisitos de recursos
organizacionais ou nos resultados
obtidos ao longo da avaliação.
f) Salvaguarda e consulta os planos de
avaliação, de acordo com os
regulamentos e procedimentos do
sistema de avaliação e outros
requisitos (legais, organizacionais,
éticos).
Evidências Requeridas
Evidência escrita, oral ou produto, portfólio
Evidência escrita que o formando, para
um dado caso, contextualiza e revê um
plano de avaliações já elaborado e
apresenta num portfólio todas as

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 25


evidências do trabalho realizado, de
acordo com os critérios de desempenho a)
a f).
4. Organizar os a) Organiza os recursos físicos e Os regulamentos e procedimentos de sistemas de
procedimentos de materiais necessários, já avaliação podem incluir: selecção do formando à
avaliação identificados, de acordo com os avaliação; gestão dos registos, dados e
regulamentos, procedimentos de informações de avaliação; qualificações dos
sistema de avaliação, requisitos avaliadores; estrutura dos relatórios de avaliação;
legais, organizacionais e éticos. recorrências na avaliação; reclamações dos
b) Organiza e negoceia qualquer formandos; verificação interna e externa e
assistência especializada e validação das avaliações; sistema de requisição
necessária, para a avaliação, de dos recursos necessários; sistema de gestão de
acordo com os regulamentos e qualidade em geral.
procedimentos de sistema de
avaliação, requisitos legais, Pessoal envolvido no processo de avaliação pode
organizacionais e éticos. incluir: o formando formando à avaliação, o
c) Esquematiza, em organigrama, as avaliador principal, o coordenador/supervisor do
funções e responsabilidades de todo módulo, treino e/ou avaliação; gestor da
o pessoal envolvido no processo de qualificação.
avaliação.
d) Monta uma estratégia de Estratégia de comunicação pode incluir: conversas
comunicação para a troca de cara a cara ou telefónicas, reuniões, emails,
informação entre o pessoal envolvido memos, cartas, video-conferências.
no processo de avaliação.
e) Confirma actividades, procedimentos
de registo e elaboração de relatórios
no processo de avaliação.
Evidências Requeridas
Evidência escrita, oral ou produto, portfólio
Evidência escrita que o formando para um
dado caso, organiza os procedimentos de
um processo de avaliação de um módulo
e apresenta, num portfólio, todas as
evidências do trabalho realizado, de
acordo com os critérios de desempenho a)
a e).

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 26


UC EDU056006 Realizar a verificação interna

Registo de Unidade de Competência

Titulo da Unidade de
Realizar a verificação interna
Competência
Descrição da Unidade de Competência:
Após terminar esta unidade o formando deve ser capaz de integrar uma equipa de avaliadores que vai comparar e avaliar
o processo de avaliação e os resultados desta em relação a um dado módulo. No processo de verificação das avaliações
deverão ser considerados os métodos e instrumentos utilizados, as evidências colhidas, os registos das avaliações e a
interpretação de tais evidências com vista a uma decisão final sobre as competências do formando.
Código: UC EDU056006 Nível do QNQP: 6
Campo: Educação Sub Campo: Educação profissional

Data de Registo: Data de Revisão do Registo:

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Preparar a a) Compreende os objectivos da verificação Verificação interna refere-se ao processo
verificação interna interna e externa e as etapas do processo pelo qual as Instituições de Educação
de um módulo de verificação. Profissional (IEPs) asseguram que toda a
b) Identifica os documentos reguladores da avaliação dos formandos é válida, fiável e
verificação interna aprovados pela IEP e praticável e alcançável; esta verificação é
do sistema nacional de educação feita por avaliadores que são parte da IEP.
profissional.
c) Elabora/revê o plano de verificação Verificação externa é o processo pelo qual o
interna. orgão responsável pela garantia de
d) Participa no encontro pré-leccionacão da qualidade, assegura que as IEP estão a
equipa de verificação interna, onde se cumprir com os padrões nacionais quando
fazem os acertos necessários ao plano de fazem a avaliação dos formandos; esta
verificação interna. verificação é feita por verificadores externos
e) Confirma que as acções recomendadas na à IEP e segue-se à verificação interna.
revisão anterior foram concluídas.
f) Confirma que as especificações do Objectivos da verificação interna e externa
módulo estão na pasta do professor. incluem: assegurar que toda a avaliação
g) Confirma a disponibilidade dos dos formandos é válida, fiável, alcançável e
instrumentos de avaliação e dos recursos praticável; assegurar a consistência e
necessários para a mesma. justeza no julgamento da evidência do
h) Verifica o sistema de registo dos formando; dar conselho e apoio aos
formandos. avaliadores e formadores.
i) Preenche a ficha de verificação pré-
leccionação. As etapas do processo de verificação interna
Evidências Requeridas incluem: pré-leccionação, leccionação e
revisão do fim do programa.
Evidência escrita/produto/portfólio
Evidência escrita que o formando compreende Documentos incluem: Guia e Regulamentos
os objectivos do processo de verificação da Avaliação (PIREP), Manual de Formação
interna e externa, as etapas do processo de do Verificador Interno (PIREP).
verificação interna e identifica os documentos
reguladores deste processo. Plano de verificação interna inclui:
calendarização das actividades de
Evidência escrita, apresentada num portfólio, verificação interna, verificação externa e
que o formando revê um dado plano de reuniões da equipa do programa de cada
verificação interna, faz a verificação pré- módulo.
leccionação, e preenche a ficha de verificação
pré-leccionação, para um dado módulo, de O plano de verificação interna pode ser
acordo com os critérios de desempenho c) a i) apresentado usando: .Formulário VI-10 das
e os contextos de aplicação.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 27


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
instruções de verificação definidas pelo
PIREP

Ficha de verificação pré-leccionação é usada


para registar o grau de cumprimento de cada
aspecto a verificar e pode incluir: Ficha VI-1
parte das instruções de verificação definidas
pelo PIREP.
2. Confirmar a validade, a) Verifica os resultados de aprendizagem Instrumentos de avaliação incluem os
praticabilidade, definidos para uma dada competência, procedimentos, instruções e outras
alcançabilidade e estabelecidos nos módulos. informações, dirigidas ao avaliador ou ao
fiabilidade dos b) Verifica se os instrumentos de avaliação formando, relativas aos métodos e
instrumentos de usados são válidos, praticáveis, condições de avaliação, tais como:
avaliação alcançáveis e fiáveis. formulários-padrão; testes escritos, orais,
práticos que incluem questões e actividades
Evidências Requeridas
específicas; listas de verificação de
Evidência escrita/produto/portfólio evidências/ observações a verificar; listas de
Evidência escrita, apresentada num portfólio, verificação dos aspectos a verificar na
que o formando verifica os instrumentos de avaliação das amostras, do trabalho,
avaliação usados pelo formador, para um dado produtos e portfólios; material de auto-
módulo, de acordo com os critérios de avaliação para o formando.
desempenho a) e b) e os contextos de
aplicação. Instrumento de avaliação válido é aquele
que é apropriado em relação ao seu
objectivo, permite a produção de evidência
do desempenho dos formandos que pode
ser medida tendo por base padrões
nacionais definidos nas Unidades de
Competência Padrão (UCPs), permite aos
formandos produzirem evidência suficiente
de todas as habilidades, conhecimentos e
compreensão requeridos para satisfazer os
padrões nacionais estabelecidos nas
Unidades de Competência Padrão, facilita o
processo de tomada decisões fiáveis pelos
avaliadores e é acessível a todos os
formandos, os quais estão potencialmente
capazes de as completar com sucesso

Instrumento de avaliação praticável é aquele


que é possível de ser posto em prática e
concluído pelo formando no tempo e com os
recursos postos à disposição dos formandos
e das IEPs.

Instrumento de avaliação alcançável é


aquele que faz apenas exigências aos
formandos realísticas e atingíveis pelos
mesmos.

Instrumento de avaliação fiável é aquele que


pode ser julgado consistentemente e com
justeza e por essa razão ele deve incluir
guias de correcção e instruções para os
avaliadores e formandos que asseguram que
as mesmas condições de avaliação são
repetidas no tempo e padronizam o juízo
sobre a suficiência das avaliações (isto é o
nível aceite como suficiente).

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 28


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
3. Verificar a a) Selecciona uma amostra de trabalhos dos O tamanho da amostra depende do número
consistência, formandos numa unidade particular dentro de formandos por turma, e pode seguir as
autenticidade e de um programa, tendo em conta as seguintes regras:
justeza das regras sobre tamanho da amostra.  0 – 4 formandos: amostra de todos
avaliações b) Verifica se todas as evidências produzidas  5 – 20 formandos: amostra de um
pelos formandos (instrumentos de mínimo de 4 formandos
avaliação preenchidos) são as correctas,  Mais de 20 formandos: amostra de
estão completas e disponíveis. um mínimo de 20% dos formandos
c) Verifica a consistência e autenticidade das
evidências produzidas pelos formandos Evidência autêntica é aquela que é
d) Verifica a consistência e justeza da produzida como resultado do trabalho do
tomada de decisões feita pelo avaliador próprio formando.
em relação à suficiência das evidências
produzidas pelo formando. Evidência consistente é aquela que é colhida
e) Verifica que os registos das classificações sob condições de avaliação aplicadas
dos formandos foram feitos consistentemente (iguais para todos os
correctamente. formandos e no tempo).
f) Fornece feedback aos avaliadores e
regista detalhes de acções que devam ser Consistência e justeza na tomada de
tomadas antes da verificação externa. decisões pelo avaliador/formador é aquela
g) Preenche a ficha de registro da amostra e que é feita usando os critérios estabelecidos
feedback. nos guiões de correcção e instruções,
incluídos nos instrumentos de avaliação, de
Evidências Requeridas uma forma consistente (igual para todos os
Evidência escrita/produto/portfólio formandos e no tempo).
Evidência escrita, apresentada num portfólio,
que o formando selecciona uma amostra das Ficha de registro da amostra e feeddback é
evidências produzidas pelos formandos num usada para registar o verificado nas
dado módulo, verifica a consistência, avaliações dos formandos seleccionados na
autenticidade das avaliações na amostra, amostra e as recomendações e pode incluir:
verifica o registo das classificações, fornece Ficha VI-2 das instruções para a verificação
feedback e preenche a ficha de registro da definidas interna pelo PIREP.
amostra e feeback, de acordo com os critérios
de desempenho a) a g) e os contextos de
aplicação.
4. Assegurar que os a) Solicita e verifica a disponibilidade dos Os registos de avaliações do módulo
registos da registos de avaliação do módulo. incluem: evidências produzidas pelos
verificação interna b) Verifica se as fichas de pré-leccionação e formandos, plano das avaliações do módulo,
estão correctos e registro da amostra e feedback estão instrumentos de avaliação usados, lista de
completos correctamente preenchidas e assinadas. formandos, registos das classificações dos
c) Efectua registos de todas as actividades de formandos.
verificação interna.
d) Mantém os arquivos dos registos Registos de todas as actividades realizadas
efectuados. no processo de verificação interna podem
incluir: plano de verificação revisto, sínteses
Evidências Requeridas
dos encontros da equipa de verificação,
Evidência escrita/produto/portfólio fichas preenchidas, processos de selecção
Evidência escrita, apresentada num portfólio, das amostras e listas dos formandos
que o formando completou e arquivou todos os seleccionados, calendário das actividades
registos da verificação, para um dado módulo, realizadas, relatórios.
de acordo com os critérios de desempenho a) a
d) e os contextos de aplicação.
5. Definir acções de a) Revê assuntos relacionados com a pré- Os relatórios de verificação interna e externa
seguimento e leccionação, leccionação e avaliação do devem contribuir para a melhoria da
elaborar relatórios módulo. formação e para a identificação de requisitos
sobre o processo de b) Como parte da equipa de avaliação, define futuros de formação recomendados às IEPs.
verificação interna, consensualmente acções de melhoria a
formação e avaliação serem tomadas, com indicação de prazos. Ficha de registro das reuniões da equipa de
do módulo c) Prepara relatórios da verificação interna verificação interna é usada para registar as
do módulo. tomadas de decisões da equipa sobre as

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 29


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
d) Analisa relatórios de verificação interna e acções a realizar como seguimento da
externa e avalia o nível de implementação verificação interna, e respectivos
das acções recomendadas. responsáveis e prazo, e pode incluir: Ficha
e) Preenche as fichas de registo das VI-4 das instruções para a verificação interna
reuniões da equipa de verificação com definidas pelo PIREP.
propostas de acções de seguimento à
verificação.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/produto/porfolio
Evidência escrita, apresentada num portfólio,
que o formando elaborou o relatório da
verificação interna de um módulo, reviu
implementação de e propôs recomendações, e
preencheu fichas de registo de reuniões da
equipa e de acções a realizar, de acordo com
os critérios de desempenho a) a e) e os
contextos de aplicação.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 30


UC EDU056007 Treinar e facilitar a aprendizagem através da instrução e demonstração

Registo de Unidade de Competência

Título da Unidade de
Treinar e facilitar aprendizagem através da instrução e demonstração
Competência
Descrição da Unidade de Competência:
No final desta unidade os formandos são capazes de planificar, organizar, conduzir, monitorar e avaliar um processo de
ensino-aprendizagem baseado em métodos de instrução e demonstração de competências, usando habilidades de
facilitação efectivas. O formando é ainda capaz de verificar e registar o desempenho dos formandos ao longo do processo
de ensino aprendizagem.
Código: UC EDU056007 Nível do QNQP 6
Campo: Educação Sub Campo: Educação Profissional

Data de Registo: Data de Revisão do Registo:

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Planificar e a) Determina o perfil do grupo-alvo, recolhendo Características do grupo alvo incluem: a
organizar um informação relevante sobre suas língua, nível de instrução, estilos de
processo de características e necessidades de aprendizagem, experiências de aprendizagem
instrução e aprendizagem. e trabalho precedentes, necessidades
demonstração b) Decide sobre os objectivos da instrução e específicas (por exemplo habilidades visuais,
demonstração, garantindo um ambiente de auditivas ou outras).
aprendizagem adequado e seguro.
c) Identifica e avalia os recursos e materiais de Os objectivos de instrução e demonstração
aprendizagem relevantes e apropriados para referem-se a competências a alcançar,
alcançar os objectivos. habilidades técnicas, objectivos individuais e
d) Garante a disponibilidade de meios e colectivos, resultados esperados.
equipamento necessários para a instrução e
demonstração. Recursos de aprendizagem podem incluir:
CDs, cassetes, vídeos, computador, acesso
Evidências Requeridas
internet, equipamento especializado, etc.
Evidência escrita e/ou oral/produto
Evidência escrita, apresentada através de um Material de aprendizagem pode incluir: notas
relatório, que o formando faz, para pelo menos 2 de apontamentos para formandos,
casos, a análise do perfil do grupo alvo, e as especificações do equipamento,
respectivas implicações para o processo de procedimentos para operar o equipamento,
instrução e demonstração, define os objectivos, jogos, slides ou transparências, etc.
identifica os recursos relevantes, apropriados e
acessíveis.
2. Preparar planos a) Reajusta planos de sessões tendo em conta Ambiente de aprendizagem seguro refere-se a:
de sessões para os objectivos de aprendizagem e as equipamento de protecção individual (quando
um processo de características do grupo alvo. necessário), rotas para evacuação rápida (por
instrução e b) Elabora os guiões necessários para orientar o exemplo em caso de acidente).
demonstração formando, de acordo com os objectivos
estabelecidos. O programa de aprendizagem consiste num
c) Envolve os alunos na selecção das técnicas documento guia para auxiliar um processo
de instrução e demonstração a usar. coerente e integrado de aprendizagem e inclui:
d) Elabora e fornece ao formando o programa de objectivos específicos, visão geral do
aprendizagem/roteiro para implementação da conteúdo, número e duração das sessões,
instrução e/ou demonstração. métodos de instrução.
e) Clarifica, discute e chega a um acordo com os
formandos sobre os objectivos, expectativas
da aprendizagem incluindo os requisitos de
higiene e segurança de trabalho para a
implementação das sessões.
Evidências Requeridas

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 31


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
Evidência escrita/produto/portfólio
Evidência escrita, apresentada através de um
produto/ portfólio, que o formando faz a
planificação e organização de, pelo menos 4
sessões de instrução e demonstração, incluindo
os guiões e programa e de acordo com o indicado
nos critérios de desempenho a) a e) e nos
contextos de aplicação.
3. Conduzir a) Aplica habilidades pessoais para estabelecer Técnicas de instrução podem ser, mas não se
efectivamente um ambiente de aprendizagem seguro e limitam a: estudos de casos práticos,
um processo de confortável. demonstrações, actividades de investigação,
instrução e b) Implementa o plano cabalmente explicações, exercícios, actividades colectivas
demonstração assegurando a cobertura de todos os e individuais, resolução de problemas,
ª objectivos estabelecidos. oportunidades para praticar habilidades,
c) Explica aos formandos sobre os princípios e perguntas e respostas, etc.
procedimentos de Higiene e Segurança no
Trabalho antes e durante o processo. Técnicas de apoio à instrução incluem, mas
d) Usa técnicas de instrução e de apoio à não se restringem a: habilidades para uso de
instrução para estruturar e melhorar a retroprojectores, data show, equipamento
aprendizagem. audiovisuais, computadores, Internet, etc.
e) Aplica técnicas de orientação (coaching)
para apoiar o processo de aprendizagem. Orientação (coaching) é um processo, definido
f) Dá oportunidade aos formandos de praticar em comum acordo entre o formador (coach)
durante a instrução e actividades (profissional) e o formando (coachee) de
demonstrativas. acordo com a meta desejada pelo formando,
g) Discute o desempenho com os formandos onde o formador apoia o formando na busca
por forma a melhorar a sua aprendizagem. de realizar metas de curto, médio e longo
prazo, através da identificação e uso das
Evidências Requeridas
próprias competências desenvolvidas, como
Demonstração. também do reconhecimento e superação de
Evidência prática que o formando conduz um suas fragilidades.
processo de instrução e demonstração, num
máximo de 3 horas, e cumprindo com o descrito Técnicas de orientação (coaching) podem
nos critérios de desempenho a) a h) e usando incluir: aquisição de habilidades e
pelo menos 10 diferentes técnicas de instrução e conhecimento específicos, aprendizagem pela
orientação indicadas nos contextos de aplicação. acção, situações de aprendizagem menos
formal que requerem interacção e feedback
imediato, instrução prática no local de trabalho,
trabalho a dois ou cara-a-cara.
4. Aplica a) Usa habilidades de apresentação oral que Comunicação oral pode incluir:
habilidades de demonstrem relevância do tópico e garantam questionamento claro e relevante, provimento
facilitação e o engajamento dos formandos. de feedback construtivo, provimento de
comunicação b) Usa as habilidades de comunicação para informação explicativa.
efectivas instruir, informar ou demonstrar as habilidades
com relevância na prática profissional. Habilidades pessoais incluem: técnicas de
c) Usa habilidades de facilitação de grupos que audição e percepção (arte de saber ouvir),
garantam participação efectiva e gestão do técnicas de questionamento, linguagem
grupo. adequada a audiência incluindo linguagem
d) Usa linguagem e técnicas de comunicação corporal, capacidade de manter boa relação
que motivem o engajamento do formando. com os formandos e inspirar confiança.
e) Usa habilidades de comunicação interpessoal
para manter uma relação de inclusão Habilidades de facilitação de grupos refere-se
apropriada. à capacidade de orientar a dinâmica do grupo
f) Usa habilidades de observação para monitorar e assegurar igual participação no grupo,
o progresso individual e em grupo. mantendo a imparcialidade, podendo incluir
também resolver conflitos no grupo, manter a
objectividade na discussão, estabelecer limites,
respeitar o espaço pessoal, manter o
entusiasmo e atitude energética.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 32


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
Evidências Requeridas
Demonstração
Evidência prática que o formando aplica as
habilidades de facilitação e comunicação, num
processo de instrução e demonstração, e
cumprindo com o descrito nos critérios de
desempenho a) a h) e usando pelo menos 10
diferentes habilidades indicadas nos contextos de
aplicação.
5. Monitorar e a) Monitora o progresso da aprendizagem por O desempenho pessoal de instrução e
avaliar o forma a garantir que os objectivos de demonstração é revisto por meio de
desempenho aprendizagem estão sendo alcançados quer questionamento crítico, discussão com outros
dos formandos, para o formando como para o formador. instrutores/facilitadores, avaliação dos próprios
do formador e b) Ajusta o plano de forma que o plano de formandos, auto-reflexão, gravação em vídeo
do processo de aprendizagem reflicta as necessidades ou das sessões, questionamento crítico sobre a
instrução e circunstâncias específicas. própria avaliação, respostas claras e honestas;
demonstração c) Orienta /encoraja os formandos a reflectir análise dos aspectos que não resultaram e as
sobre o progresso de aprendizagem pessoal. razões por detrás das falhas; planeamento
d) Gere o feedback dos formandos, visando auto-melhoramento futuro.
pedagógicos, revisores e identificar espaço
para melhorias.
e) Inova e identifica áreas para melhorar a
qualidade de facilitação e aprendizagem.
f) Revê e reflecte sobre o desempenho pessoal
de instrução e demonstração e traçar
estratégias para melhorar.
g) Faz o registo de evidências, guarda em
segurança de acordo com o quadro legal da
Instituição.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/produto/portfólio
Evidência escrita através de um produto/ portfólio,
que o formando faz a monitoria e avaliação de,
pelo menos 4 sessões de instrução e
demonstração, cumprindo com o indicado nos
critérios de desempenho a) a g) e nos contextos
de aplicação.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 33


UC EDU056008 Treinar e facilitar a aprendizagem em grupo e baseada em projectos

Registo de Unidade de Competência

Título da Unidade de
Treinar e facilitar aprendizagem em grupo e baseada em projectos
Competência
Descrição da Unidade de Competência:
No final desta unidade os formandos são capazes de planificar, organizar, conduzir monitorar e avaliar um processo de
ensino-aprendizagem em grupo e baseado em projectos, usando habilidades de facilitação efectivas para, de uma forma
contínua, desenvolver, monitorar e avaliar a interacção do grupo, estrutura e ritmo, resultados de aprendizagem ou
trabalho.
Código: UC EDU056008 Nível do QNQP 6
Campo: Educação Sub Campo: Educação Profissional

Data de Registo: Data de Revisão do Registo:

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Interpretar o a) Explica e discute os princípios da Aprendizagem activa envolve um modelo de
ambiente de aprendizagem activa. aprendizagem baseada em grupo na qual os
aprendizagem b) Pesquisa as expectativas e necessidades membros do grupo contribuem com o seu
activa e determinar do grupo alvo. conhecimento específico para a condução da
as respectivas c) Determina o perfil do grupo alvo, experiência de aprendizagem. Os membros
necessidades recolhendo informação relevante sobre do grupo aprendem uns com os outros
suas características e necessidades através da sua participação no processo de
organizativas para uma aprendizagem aprendizagem activa guiada pelo formador.
activa.
d) Discute e cria consensos sobre o programa As expectativas e necessidades do grupo
e objectivos de aprendizagem, bem como alvo são determinadas através de pesquisas
as expectativas e requisitos. usando várias fontes tais como: relatórios de
e) Estabelece uma relação de facilitação de desempenho, consultas aos supervisores de
aprendizagem entre o facilitador e o grupo trabalho, relatórios e planos organizacionais,
através de comunicação oral apropriada e precedentes educacionais do formando,
habilidades linguísticas e interpessoais. consultas aos colegas ou outro pessoal de
Evidências Requeridas trabalho.

Evidência escrita e/ou oral: Perfil do grupo alvo inclui: língua, nível de
Evidência escrita que o formando explica e instrução, estilos de aprendizagem,
discute os princípios da aprendizagem activa. experiências de aprendizagem e trabalho
precedentes, necessidades específicas (por
Evidência escrita/produto/portfólio exemplo habilidades visuais, auditivas ou
Evidência escrita através de um produto/ outras).
portfólio, que o formando, para um dado caso,
interpreta o ambiente de aprendizagem activa e
determina as respectivas necessidades,
cumprindo com o indicado nos critérios de
desempenho b) a g) e nos contextos de
aplicação.
2. Definir os planos de a) Apresenta e discute o plano de sessões Planificar de acordo com as necessidades de
sessões de acordo com os formandos. aprendizagem refere-se essencialmente à
com as b) Orienta o grupo para em conjunto forma de gestão e maximização do
necessidades e desenvolver um plano de acção, fazendo rendimento de cada uma das formas de
objectivos de as devidas rectificações de modo a aprendizagem, por exemplo, teórica, prática,
aprendizagem responder às necessidades de pragmática, activa, introspectiva, cinestética,
aprendizagem do grupo. auditiva, visual, global e analítica.
c) Planifica o horário das sessões e monitora
O plano de acção inclui mas não se restringe
as várias actividades de modo a se
a: contexto e objectivos organizacionais;
adequarem às necessidades e

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 34


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
preferências de aprendizagem dos metodologia de aprendizagem activa a ser
participantes, assim como promover a utilizada; resultados esperados;
participação e empenho dos integrantes aprendizagem formal e actividades de
do grupo. trabalho; datas limites e número de sessões;
d) Articula as habilidades gerais relevantes recursos, métodos de auto-avaliação
aos objectivos de aprendizagem durante previamente acordados.
todo o processo de instrução.
e) Utiliza diferentes métodos de Métodos de facilitação/instrução podem
facilitação/instrução, tecnologia e incluir: demonstração/uso de modelos;
equipamentos auxiliares apropriados para apresentações/palestras; facilitação-guia das
melhorar a experiência de aprendizagem actividades individuais, colectivas e casos de
dos formandos. estudo; incentivo e facilitação de discussões
f) Maximiza as oportunidades para práticas e em grupo; actividades que estimulem
inclui as avaliações formativas durante o pensamento criativo; actividades práticas e
processo de instrução. sua supervisão; tutoriais; técnicas baseadas
Evidências Requeridas em projectos.
Evidência escrita/produto/portfólio
Evidência escrita através de um produto/ Habilidades gerais podem incluir:
portfólio, que o formando, para um dado caso, comunicação, colaboração, resolução de
faz a análise e interpretação do ambiente de problemas, iniciativa própria e
aprendizagem tendo em conta o grupo alvo, empreendorismo, planeamento e
discute e faz rectificações/adaptações aos organização, auto-gestão, pensamento
planos de sessão por forma a inovador, habilidades linguísticas, literacia e
responder/acomodar os objectivos de numeracia;
aprendizagem, as expectativas e diversidade
do grupo alvo, cumprindo com o indicado nos
critérios de desempenho a) a f) e nos contextos
de aplicação.
3. Preparar os a) Identifica, organiza e avalia recursos que
Tecnologia e equipamento necessário inclui:
recursos permitem uma abordagem activa de projectores, equipamento audio-visual,
necessários de aprendizagem em grupo.
computadores para produzir documentos e
acordo com os b) Identifica e avalia os recursos e materiais apresentações, assim como para se
objectivos e estilos de aprendizagem relevantes e apropriados
comunicar através da internet.
de aprendizagem para alcançar os objectivos, tendo em conta
individual o estilo de aprendizagem em grupo, os O contexto no qual a aprendizagem activa
princípios de aprendizagem, e está inserida pode incluir: uma
características dos formandos. organização/indústria; local de ensino-
c) Usa a diversidade do grupo como recurso aprendizagem; documentos organizacionais;
para apoiar o processo de aprendizagem. relatórios/regulamentos/estratégias intra/extra
d) Usa a tecnologia e equipamento necessário organizacionais.
para a aplicação dos diferentes métodos de
ensino e aprendizagem.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/oral
Evidência escrita e oral através de uma
apresentação que o formando pesquisou e
preparou os recursos a usar de acordo com o
plano de sessões rectificado e adaptado de
acordo com os objectivos e estilos de
aprendizagem do grupo, explicando como vai
usar a diversidade do grupo em benefício da
aprendizagem do mesmo.
4. Estabelecer um a) Orienta e facilita a aprendizagem, aplicando
Habilidades de facilitação de trabalho de
ambiente habilidades de facilitação de trabalho de
grupo podem incluir: assegurar igual
conducente a uma grupo.
participação no grupo; mostrar
aprendizagem b) Demonstra habilidades em resolução de
imparcialidade; resolver conflitos no grupo ;
activa problemas, gestão de contingências e de manter a objectividade na discussão;
tempo para abordar dificuldades e questões
estabelecer limites; respeitar o espaço
individuais e colectivas relativas ao
pessoal; manter o entusiasmo e atitude
processo de aprendizagem activa.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 35


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
c) Aplica habilidades de comunicação oral e energética; manter a coesão do grupo; gerir o
interpessoal para: incentivar a participação, tempo do grupo; assegurar a centralização no
incentivar os formandos a procurar formando; resolver problemas de
sucessos em suas tarefas, fornecer uma comportamento inapropriado.
retro alimentação positiva e negativa.
Ambiente de aprendizagem activa refere-se a
d) Observa e promove os pontos fortes e as um ciclo de aprendizagem que integra
relações no grupo de modo a guiar o
planeamento, acção, reflexão e avaliação,
processo de aprendizagem mantendo a
centrado no formando e no trabalho. Pode
dinâmica do grupo.
envolver: aprendizagem através do trabalho;
e) Incentiva uma relação de inclusividade,
pesquisa activa; práticas colectivas; redes de
diversidade, e um ambiente de
trabalho; aprendizagem focalizada; grupos de
aprendizagem positivo entre os formandos
auto-gestão.
e formando-formando.
Evidências Requeridas Habilidades de comunicação oral e
Demonstração interpessoais consideradas relevantes para
Evidência prática, através de uma facilitar aprendizagem activa e em grupo
demonstração, que o formando estabelece um incluem: demonstrar-se aberto, respeitador e
ambiente conducente a uma aprendizagem acolhedor; explorar e seguir ideias de outros
activa e em grupo, de acordo com os critérios em discussão, assim como pedir
de desempenho a) a e) e o definido nos esclarecimentos sobre as mesmas;
contextos de aplicação. reconhecer a contribuição de cada membro
do grupo; antecipar a direcção da discussão e
manter o seu conteúdo relevante; ouvir
atentamente de modo a identificar ideias e
temas que surjam em discussão.
5. Usar efectivamente a) Usa habilidades de apresentação para que A capacidade de observação para monitorar a
as diferentes a instrução seja interessante e relevante. interacção no grupo e entre indivíduos pode
habilidades para b) Põe em prática as habilidades em incluir: monitorar problemas de
facilitar uma sessão facilitação de grupos para assegurar que comportamento; monitorar os formandos de
de trabalho de haja participação efectiva e para que haja modo a perceber sinais de dúvidas ou
grupo uma boa gestão de grupo. dificuldades; monitorar os formandos de
c) Utiliza a comunicação oral e habilidades modo a perceber a sua preparação para
linguísticas para motivar o formando e entrar em novas matérias de aprendizagem.
transmitir conhecimentos e habilidades.
d) Faz uso de habilidades interpessoais para Habilidades de comunicação podem incluir:
manter relações apropriadas com os forma de comunicação extrovertida que
formandos e assegurar a inclusividade de consista em linguagem corporal e verbal
todos. eficazes; a capacidade de comunicação
e) Faz uso de habilidades de observação para necessária para facilitar tanto o colectivo
monitorar o progresso individual e colectivo. como o indivíduo; técnicas de audição e
questionamento críticos; fornecer feedback
Evidências Requeridas
construtivo.
Demonstração
Evidência prática, através de uma
demonstração, que o formando usa
efectivamente habilidades de facilitação do
trabalho de grupo, de acordo com os critérios
de desempenho a) a e) e o definido nos
contextos de aplicação
6. Monitorar a a) Monitora e documenta o progresso dos
Comportamentos adversos podem incluir:
aprendizagem do formandos para assegurar que os linguagem violenta ou não própria; abuso
grupo e apoiar os resultados estão sendo alcançados e as
verbal ou físico; intimidações ou ameaças,
membros do grupo necessidades destes estão sendo
insensibilidade em relação a género, cultura,
na gestão da atendidas.
deficiências; comportamento dominador; não
aprendizagem b) Faz ajustes ao plano de instrução de modo
cumprimento de instruções de segurança.
a reflectir necessidades e circunstâncias
específicas, assim como situações não Habilidades de resolução de conflitos e
antecipadas. negociação podem incluir: identificação de
c) Incentiva aos formandos a reflectir sobre o questões/preocupações/problemas; conversar
seu próprio progresso de aprendizagem.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 36


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
d) Assegura a participação de todos e mantém sobre as questões/preocupações/problemas;
uma relação efectiva entre os membros do identificar opções para mudança de
grupo. comportamentos; juntar diferentes partidos;
e) Gere os comportamentos adversos dentro gerir discussões; apresentar soluções; obter
do grupo usando habilidades de resolução acordos.
de conflitos e de negociação, de modo a
assegurar que a aprendizagem possa .
decorrer normalmente.
Evidências Requeridas
Demonstração
Evidência prática, através de uma
demonstração, que o formando faz a monitoria
do trabalho de grupo e apoia os membros do
grupo, de acordo com os critérios de
desempenho a) a e) e o definido nos contextos
de aplicação
7. Rever e avaliar a a) Classifica o plano de instrução de modo a
Técnicas de auto-classificação podem incluir:
efectividade do determinar a sua eficácia como instrumento
questionários e formulários para feedback e
plano de sessão guia do processo de aprendizagem.
gestão destes; perguntas feitas directamente
b) Facilita a avaliação geral do grupo sobre o aos membros do grupo, com o intuito de auto-
processo de aprendizagem activa por meio
classificação.
de uma comparação com o processo
avaliativo delineado no plano de acção, e Auto-reflexão pode incluir: questionamento
apoiando os membros do grupo na auto- crítico sobre a própria avaliação, respostas
classificação e auto-reflexão sobre o seu claras e honestas; análise dos aspectos que
trabalho. não resultaram e as razões por detrás das
c) Recolhe e analisa o feedback dos falhas; planeamento visando auto-
formandos/gerência/colegas sobre a melhoramento futuro.
qualidade da instrução, identificando e
documentando os aspectos a melhorar.
d) Considera e implementa todos os aspectos
de melhoria e as novas ideias sobre como
melhorar a qualidade da
instrução/facilitação, assim como a
experiência de aprendizagem.
e) Sintetiza o feedback de modo a definir o
melhoramento da facilitação futura.
f) Guarda de forma segura todos os registos
da revisão e avaliação de acordo com as
normas e requisitos legais da instituição.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/Produto/Portfólio
Evidência escrita que o formando avalia e revê
a efectividade do plano de sessão planificado e
implementado, e apresenta um portfólio de
aprendizagem que deve estar de acordo com
os critérios de desempenho a) a f) e o definido
nos contextos de aplicação.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 37


UC EDU056009 Treinar e facilitar a aprendizagem num local de trabalho

Registo de Unidade de Competência

Título Unidade de
Treinar e facilitar a aprendizagem num local de trabalho
Competência
Descrição da Unidade de Competência:
No final desta unidade o formando será capaz de estabelecer um ambiente efectivo de aprendizagem num local de
trabalho, definir e implementar o percurso da aprendizagem, monitorar e rever o processo de aprendizagem dos formandos,
como parte de um estágio ou aquisição de uma competência específica.
Código: UC EDU056009 Nível do QNQP 6
Campo Educação Sub campo Educação Profissional

Data de Registo Data de Revisão do Registo

Elementos de
Critérios de desempenho Contextos de aplicação
competência
1. Estabelecer um a) Explica e discute os princípios da Os objectivos de aprendizagem num local de
efectivo ambiente aprendizagem num local de trabalho podem incluir: aquisição de competências;
de aprendizagem trabalho. ser introduzido a uma nova tecnologia, produto ou
baseado num local b) Estabelece os objectivos de serviço; ser exposto à organização num posto de
de trabalho aprendizagem num local de trabalho trabalho; parte de um estágio.
traçados em conjunto com as
entidades competentes. Áreas de trabalho podem incluir: tarefas e
c) Define e documenta as áreas de actividades que são realizadas no local de trabalho;
trabalho. processos para realizar trabalho; uso ou operar
d) Analisa as práticas de trabalho e equipamento para concluir um trabalho; projectos;
rotinas do loca do estágio e trabalho individual ou em equipa.
determina a sua possibilidade de
elas irem ao encontro dos objectivos
da aprendizagem no local de
trabalho.
e) Propõe mudanças nas práticas de
trabalho e rotinas para garantir o
sucesso no processo de ensino e
aprendizagem.
Evidências Requeridas
Evidência escrita e/ou oral:
Evidência escrita que o formando explica
e discute os princípios da aprendizagem
num local de trabalho.

Evidência escrita/produto/portfólio
Evidência escrita através de um produto/
portfólio, que o formando, para um dado
caso, estabelece um efectivo ambiente de
aprendizagem, de acordo com o indicado
nos critérios de desempenho b) a e) e nos
contextos de aplicação.
2. Definir o percurso a) Analisa as áreas de trabalho Um percurso efectivo de aprendizagem num local
de aprendizagem documentadas e determina um de trabalho pode incluir: identificação de objectivos
num local de percurso de aprendizagem efectivo específicos de aprendizagem, identificação das
trabalho num local de trabalho. tarefas e actividades a ser incluídas no processo de
b) Propõe estratégias organizacionais aprendizagem, sequenciamento apropriado das
para apoiar o processo de ensino- actividades e tarefas para reflectir o
aprendizagem.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 38


c) Considera responsabilidades e desenvolvimento progressivo do formando; garantia
requisitos contratuais. de supervisão de trabalhadores experientes;
d) Avalia o percurso de aprendizagem oportunidades para praticar.
proposto tendo por base em critérios
apropriados. Estratégias organizacionais podem incluir:
e) Obtém aprovação das entidades supervisão apropriada durante a aprendizagem;
relevantes para implementar o tempo apropriado para observar e falar com os
percurso de aprendizagem no local outros no local de trabalho; uso de colegas de
de trabalho. trabalho para demonstrar as tarefas e actividades e
para ensinar terminologia técnica e linguagem do
Evidências Requeridas local de trabalho; uso de especialistas, mentores,
Evidência escrita/produto/portfólio treinadores; tempo suficiente para praticar.
Evidência escrita através de um produto/
portfólio, que o formando, para um dado
caso, define o percurso de aprendizagem
num local de trabalho, de acordo com os
critérios de desempenho a) a e) e o
indicado nos contextos de aplicação.
3. Implementar o a) Avalia e determina o perfil dos Habilidades de comunicação podem incluir: usar
percurso de formandos. linguagem verbal e corporal efectiva; usar técnicas
aprendizagem no b) Explica os objectivos e processos de ouvir e perguntar criticamente; dar feedback e
local de trabalho envolvidos na aprendizagem no local suporte construtivo; interpreta mensagens verbais;
de trabalho aos formandos. usar terminologia apropriada à profissão/local de
c) Sequencia as actividades de modo a trabalho; providenciar opções e conselhos claros e
reflectir o estipulado no percurso de concretos.
aprendizagem acordado.
d) Põe em pratica as estratégias Habilidades interpessoais podem incluir: mostrar
organizacionais acordadas. respeito pela experiência e antecedentes do
e) Gere as relações com o pessoal formando; demonstrar sensibilidade para
envolvido no processo de diversidade cultural, género e outras; encorajar a
aprendizagem para assegurar a sua expressão de opiniões diversas.
implementação efectiva.
f) Usa habilidades de comunicação e
interpessoais para estabelecimento
de uma relação de colaboração com
os formandos.
Evidências Requeridas
Demonstração
Evidência prática, através de uma
demonstração, que o formando põe em
prática a implementação do percurso de
aprendizagem no local de trabalho, de
acordo com os critérios de desempenho a)
a e) e o definido nos contextos de
aplicação.
4. Monitorar e a) Monitora a prontidão do formando Técnicas para demonstrar transferibilidade podem
identificar em participar nas tarefas e incluir: resolução de problemas, questionamento
dificuldades no responsabilidades. hipotético, oportunidades para os formandos
processo de b) Observa o desempenho do demonstrarem autonomia na aprendizagem;
aprendizagem formando e sugere abordagens oportunidades para os formandos para aplicar
alternativas quando necessário. conhecimento e habilidades em diferentes
c) Encoraja os formandos a assumirem contextos.
a responsabilidade da
aprendizagem e a reflectir sobre o
seu próprio trabalho.
d) Desenvolve técnicas para
demonstrar transferibilidade de
habilidades e conhecimentos.
e) Monitora a aplicação dos requisitos
de segurança e saúde pelos
formandos no trabalho.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 39


f) Dá feedback aos formandos sobre o
seu desempenho e reconhece o
sucesso.
Evidências Requeridas
Demonstração
Evidência prática, através de uma
demonstração, que o formando faz a
monitoria do desempenho do formando no
local de trabalho, de acordo com os
critérios de desempenho a) a f) e o
definido nos contextos de aplicação
5. Rever a eficácia da a) Documenta e regista o desempenho Feedback pode incluir: avaliação do desempenho;
aprendizagem no no local de trabalho e os resultados discussões individuais ou em grupo, formais ou
local de trabalho da aprendizagem de acordo com as informais.
regras da instituição.
b) Encoraja os formandos a fazerem A eficácia refere-se à medida em que os objectivos
uma crítica retrospectiva das suas ou metas de aprendizagem estabelecidos
experiências de aprendizagem. previamente são atingidos
c) Avalia a eficácia do percurso de
aprendizagem no que respeita aos
objectivos e processos usados.
d) Recomenda mudanças e melhorias
na prática da aprendizagem no local
de trabalho, com base na revisão e
avaliação feita.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/Produto/Portfólio
Evidência escrita que o formando avalia e
revê a efectividade do percurso de
aprendizagem planificado e
implementado, e apresenta um portfólio
de acordo com os critérios de
desempenho a) a d) e o definido nos
contextos de aplicação.
.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 40


UC EDU056010 Desenvolver material didáctico

Registo de Unidade de Competência

Titulo da Unidade de
Desenvolver material didáctico
Competência
Descrição do Modulo de Competência:
No final desta unidade de competência o formando é capaz de desenvolver material didáctico básico. Esta unidade trata
do processo sistemático de concepção de materiais instrucionais, dentro de uma abordagem sistémica de resolução de
problemas educacionais. Os formadores devem muitas vezes aplicar teorias, técnicas, modelos, estratégias e linhas gerais
de orientação para a concepção, produção, adaptação ou avaliação de material didáctico específico a um determinado
módulo ou elemento de competência e dentro dum certo contexto de formação.
Código: UC EDU056010 Nível do QNQP: 6
Campo: Educação Sub Campo: Educação profissional
Data de Registo: Data de Revisão do Registo:

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Caracterizar os a) Identifica a diversidade de material Material didáctico inclui: material com base
diferentes tipos de didáctico, utilizadores e suas formas de textual (livros didácticos, livro-texto, manuais,
material didáctico e aprendizagem. apostila, caderno de actividades, guia de
esboçar um plano de b) Colecciona e analisa informação bolso e guia de referência rápida, impressão
acção adicional relevante. de telas) e não textual (vídeos, CDs e
c) Explica princípios éticos de elaboração e cassetes áudio).
utilização dos materiais de
aprendizagem. Princípios éticos incluem: não pirataria ou
d) Esboça um plano de desenvolvimento de plágio, não discriminação quanto ao género,
materiais consentâneos com o contexto, raça, etnias, ou deficiência.
recursos e grupo alvo.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/Produto
Evidência escrita que o formando caracteriza
os diferentes tipos de material didáctico e
elabora um plano de acção para a
elaboração de materiais para um certo
curriculum ou programa de formação
esboçado, de acordo com o critério alínea d)
2. Planificar protótipos a) Coloca opções para elaboração dos Protótipo apresenta-se como um esboço,
de meios didácticos, materiais, com base em princípios e maqueta, modelo, ou especificações das
consoante o grupo técnicas de concepção. características essenciais do material a
alvo b) Explica as implicações de cada opção. elaborar.
c) Com base nos conteúdos do curriculum
ou programa de formação, procede à
sua análise e produz uma lista dos
aspectos a serem abordados nos
materiais.
d) Produz um esboço ou protótipo e
discute-o com o cliente e actores
relevantes.
e) Produz um protótipo, que inclui pessoal a
envolver, logística e custos.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/Produto
Evidência escrita que o formando desenvolve
um protótipo de material didáctico produzido,
de acordo com os critérios de desempenho c)

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 41


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
e e).
3. Seleccionar a) Desenvolve as especificações do As especificações de conteúdo incluem:
conteúdos de material conteúdo esboçadas no protótipo requisitos exigidos por manuais de
didáctico acordado. treinamentos, padrões de competência/
b) Introduz modificações ao protótipo e/ou benchmark; requisitos de segurança e saúde
ao conteúdo, quando necessárias, de laboral; práticas e procedimentos no local de
modo a reflectir quaisquer mudanças nos trabalho; valores culturais, éticos e o meio de
parâmetros do projecto. aprendizagem dos destinatários; requisitos
c) Desenvolve ou detalha os conteúdos do organizacionais; e direitos do autor/ acordos
protótipo já produzido. de propriedade intelectual/agradecimentos.
d) Revê os mecanismos do trabalho a
decorrer e põe-os em prática.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/Produto
Evidência escrita que o formando avalia e
revê a efectividade do percurso de
aprendizagem planificado e implementado, e
apresenta um portfólio de acordo com os
critérios de desempenho a) a d) e o definido
nos contextos de aplicação.

Lista detalhada de conteúdos para os


materiais didácticos a produzir, seguindo os
critérios de a) a d).
4. Produzir material a) Determina a profundidade de Os refinamentos são feitos com base no
didáctico alinhado abordagem dos conteúdos; grupo alvo, contexto e metodologias de
com os resultados de b) Faz refinamentos com base na análise ensino a aplicar.
aprendizagem da equipa de produção;
c) Analisa a relevância, correcção e
coerência de textos, esquemas,
ilustrações e outros elementos gráficos.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/Produto
Evidência escrita que o formando produz
material didáctico de acordo com critérios de
qualidade predeterminados.
5. Avaliar o material a) Faz uso de pessoal externo à equipa A versão final do material didáctico implica
didáctico produzido ou de elaboração para uma revisão semi- uma confrontação entre este e critérios de
adaptado final. referência inicialmente escolhidos.
b) Provê a equipa com critérios de
qualidade usados pela equipa de
elaboração, que podem ser reajustados
pela equipa externa.
c) Elabora o produto final, com qualidade
para ser entregue ao cliente.
d) Avalia a pertinência de envolver um
guia estilístico.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/Produto
Evidência escrita que o formando elabora um
mini-ensaio sobre a avaliação do material
didáctico (máximo de duas páginas).
6. Avaliar o processo de a) Aplica mecanismos de revisão do Mecanismos de revisão do trabalho incluem
desenvolvimento dos trabalho desde a produção do protótipo comunicação oral ou escrita com entidades
materiais didácticos (projecção) do material didáctico até a relevantes; comunica-ção oral ou escrita com
do projecto. fase final, com base em critérios de especialistas no conteúdo pretendido;
avaliação próprios para o efeito. processos de actualização do projecto; e
b) Identifica aspectos a melhorar nos dois revisões intra e extra-equipa de trabalho dos

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 42


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
processos. dos protótipos.
c) Regista os melhoramentos
implementados e aprendizagens Avaliar o processo significa reflectir sobre os
ocorridas, para consulta em futuros critérios de qualidade do processo de
projectos. elaboração de materiais didácticos, da
pesquisa até à versão final.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/Produto/Portfólio
Evidência escrita que o formando avalia e
revê o processo de elaboração do material
didáctico, e apresenta um portfólio de
material didáctico produzido e sua avaliação
de acordo com os critérios de desempenho
a) a c) e o definido nos contextos de
aplicação.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 43


UC EDU056011 Gerir o processo de ensino-aprendizagem de um módulo

Registo de Unidade de Competência

Título da Unidade de
Gerir o processo de ensino-aprendizagem de um módulo
Competência
Descrição da Unidade de Competência:
Após terminar esta unidade o formando é capaz de planificar e implementar o processo de ensino-aprendizagem de um
módulo completo, de transformar o módulo num plano de sessões para guiar e organizar o processo de ensino e
aprendizagem ao longo do tempo, gerir os recursos materiais do ambiente de ensino-aprendizagem necessários para
implementar com o sucesso os resultados de aprendizagem e de monitorar e rever o plano implementado para avaliar a
efectividade do processo e recomendar melhorias.
Código: UC EDU056011 Nível do QNQP: 6

Campo: Educação Sub Campo: Educação Profissional

Data de Registo: Data de Revisão do Registo:

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Traduzir os a) Identifica no módulo os seus objectivos, os Bibliografia pode incluir: livros, manuais, sites
resultados de resultados de aprendizagem, os critérios de da internet, guiões, cadernos de exercícios.
aprendizagem de desempenho e as evidências requeridas.
um módulo num b) Estima o tempo necessário para que os Recursos materiais podem incluir: sala de aula;
plano analítico estudantes atinjam cada competência e oficina, laboratório, unidade de produção;
(plano de completem as evidências requeridas, tendo biblioteca, equipamento e materiais para
sessões) por base as recomendações na componente demonstrações e práticas.
“informação adicional” do módulo.
c) Selecciona as abordagens de ensino- Plano das sessões (plano analítico) é um
aprendizagem a usar e decide sobre os instrumento de gestão e ordenamento do
aspectos organizacionais a estabelecer para processo de ensino-aprendizagem, assim
que cada resultado de aprendizagem seja como um guia de implementação do módulo e
atingido no tempo planificado. deve incluir a sequência das sessões e das
d) Decide sobre os momentos e tempos de avaliações ao longo do tempo. Para cada
avaliação dos formandos e os aspectos sessão deve incluir: semana; número da
organizacionais a estabelecer para que os sessão; duração da sessão (hr); objectivos,
formandos possam produzir as evidências a resultado de aprendizagem e critérios de
serem avaliadas. desempenho associados; breve descrição do
e) Identifica a bibliografia, textos de apoio e os tópico; abordagens de ensino aprendizagem a
instrumentos de avaliação formativa e usar; instrumentos de avaliação associados;
sumativa necessária para concretizar os condições necessárias para implementação do
objectivos do módulo. processo de ensino aprendizagem; material
f) Identifica os recursos materiais necessários didáctico; sessões de avaliação; bibliografia.
para a sua implementação do módulo.
g) Elabora o plano das sessões (plano analítico)
considerando o total de número de horas
normativas estabelecidas para o módulo, os
arranjos de horários da instituição, e a
sequência das actividades do processo de
ensino-aprendizagem de modo a assegurar a
progressão lógica da aprendizagem.
Evidências Requeridas

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 44


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
Evidência escrita/produto/portfólio
Evidência escrita, através de um produto/
portfólio, que o formando, para um dado módulo
elabora um plano de sessões (plano analítico), de
acordo com os critérios de desempenho a) a g) e
o definido nos contextos de aplicação.
2. Gerir os recursos, a) Identifica, quantifica e classifica os recursos, Ambiente de ensino-aprendizagem pode incluir:
materiais no materiais existentes. nas salas de aula; laboratório; unidades de
ambiente de b) Identifica, quantifica e lista os recursos produção; oficinas.
ensino- materiais necessários para atingir os
aprendizagem resultados de aprendizagem de cada sessão. Recursos materiais podem incluir: instalações,
c) Inventaria e regista stocks dos recursos equipamentos; materiais; consumíveis; textos
materiais do ambiente de ensino- de apoio e livros; instrumentos de avaliação
aprendizagem. formativa e sumativa.
d) Aprovisiona e/ou requisita os recursos
materiais e/ou financeiros em falta. Supervisionar o funcionamento da
e) Verifica as condições de higiene e segurança oficina/laboratório/unidade de produção inclui:
no Trabalho (HST). garantir que os recursos materiais/equipamento
f) Testa/Verifica a funcionalidade do são bem utilizados e guardados pelos
equipamento existente. formandos e estão sempre funcionais, limpos e
g) Avalia a adequação dos materiais/ organizados.
equipamentos ao contexto do ensino e dos
formandos.
h) Prepara e usa os recursos materiais
necessários para atingir os resultados de
aprendizagem da sessão.
i) Supervisiona o funcionamento da
oficina/laboratório/unidade de produção.
j) Zela pelos recursos materiais existentes na
oficina/laboratório/unidade de produção e
supervisa a sua utilização e manutenção.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/produto/portfólio
Evidência escrita, através de um produto/
portfólio, que o formando, para um dado módulo,
identifica e assegura a disponibilidade dos
recursos materiais adequados de acordo com os
critérios de desempenho a) a d) e o definido nos
contextos de aplicação.

Demonstração
Evidência prática, através de uma demonstração,
que o formando garante a funcionalidade do
ambiente de aprendizagem, prepara, usa e
supervisa o uso dos recursos materiais
adequados de uma forma segura e eficiente, de
acordo com os critérios de desempenho e) a j) e
o definido nos contextos de aplicação.
3. Monitorar, a) Documenta e regista as actividades realizadas Actividades realizadas podem incluir: sessões
registar e rever a durante o processo de implementação do estabelecidas no plano de sessões;
efectividade do módulo, de acordo com as normas da aprovisionamento de materiais; avaliações;
processo de instituição.
implementação b) Encoraja os formandos a fazerem uma critica
do módulo retrospectiva das suas experiências de
aprendizagem.
c) Avalia a efectividade do módulo no que
respeita aos objectivos, processos e recursos
usados.
d) Recomenda mudanças e melhorias nas

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 45


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
práticas de gestão do módulo, com base na
revisão e avaliação feita.
Evidências Requeridas
Evidência escrita/Produto/Portfólio
Evidência escrita que o formando avalia e revê a
efectividade do processo de implementação de
um módulo, e apresenta um portfólio de acordo
com os critérios de desempenho a) a d) e o
definido nos contextos de aplicação.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 46


4. Unidades de Competência Opcionais

UC EDU056012 Treinar e facilitar aprendizagem baseada em e-learning

Registo de Unidade de Competência

Título da Unidade de
Treinar e facilitar aprendizagem baseada em e-learning
Competência
Descrição da Unidade de Competência:
Após terminar esta unidade o formando é capaz de facilitar a aprendizagem através de meios electrónicos, incluindo toda
a aprendizagem que é assistida por tecnologias de informação e comunicação (TICs), tais como aprendizagem online, CD-
ROMs interactivos, vídeos, computadores, telefones celulares, tele e vídeo conferências.
Código: UC EDU056012 Nível do QNQP: 6o

Campo: Educação Sub Campo: Educação Profissional

Data de Registo: Data de Revisão do Registo:

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Criar um ambiente a) Consulta, lê e interpreta o módulo para As preferências de aprendizagem poderão
para o e-learning determinar os objectivos do ensino e incluir: teórica; prática; activa; introspectiva;
quaisquer outros requisitos. cinestética; auditiva; visual; global/analítica.
b) Identifica as preferências de
As características dos formandos poderão
aprendizagem e características dos
incluir: nível e amplitude de experiência de
formandos com base na informação trabalho; nível de educação formal;
disponível, de modo a promover o
habilidades/ perfil de competências; nível
planeamento e facilitação eficaz do e-
sócio-económico; valores culturais/contexto
learning.
cultural; idade; necessidades físicas ou
c) Considera a adequação do e-learning
psicológicas específicas; motivação para
como método de ensino e faz as aprender; necessidades em numeracia e
recomendações apropriadas, quando
literacia; preferências de aprendizagem.
necessário.
d) Elabora um plano de instrução de e- Um plano de instrução de e-learning é um
learning para gerir e sequenciar as instrumento de gestão e ordenamento do e-
actividades e eventos de e-learning, de learning, assim como um guia de
modo a assegurar a progressão lógica do implementação do programa de ensino.
conteúdo. Poderá incluir: objectivos de aprendizagem do
e) Confirma os requisitos técnicos programa de ensino ou segmento do programa
necessários para a criação dum ambiente de ensino ; número de formandos e as
de e-learning necessidades de assistência; calendário das
f) Testa e verifica os materiais e outros sessões de e-learning; tipos de sessão:
recursos de e-learning para detecção de sincrónicas (em tempo real) ou assincrónicas
erros informáticos. (não em tempo real); tópicos das sessões;
g) Elabora e documenta protocolos para o actividades e eventos das sessões; recursos e
ambiente de e-learning. instrumentos de e-learning a serem utilizados
h) Identifica e lista as necessidades e nas sessões; determinação de instrumentos de
mecanismos de assistência técnica. gestão de e-learning, tais como sistemas de
feedback e mecanismos de assistência.
Evidências Requeridas

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 47


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
Evidência escrita/produto/portfólio
As actividades de e-learning poderão ser
Evidência escrita através de um produto/ sincrónicas ou assincrónicas e poderão incluir:
portfólio, que o formando, para um dado caso,
discussões/debates; questões, problemas;
cria o ambiente de e-learning adequado ao
jogos, quizzes; pesquisa online; estudo de
grupo alvo e aos objectivos do ensino, casos; entrevistas, simulações; actividades
cumprindo com os passos indicados nos
práticas; materiais em CD-ROM; módulos
critérios de desempenho a) a h) e o definido
online; recursos em download de sites
nos contextos de aplicação. dedicados ao programa de ensino.
Requisitos técnicos poderão incluir: meios
tecnológicos auxiliares de instrução; tipo de
sistema de gestão de ensino; tempo
necessário para instalação e testagem de
equipamento e outras tecnologias; site na
internet dedicado ao programa específico de e-
learning; criação de hiperligações; acordos
com especialistas em tecnologias de
informação.

O ambiente de e-learning poderá incluir as


seguintes características: é independente de
um local fixo/específico; os seus elementos
estão conectados por tecnologias de
informação e comunicação; a internet é o meio
de operação do processo ensino-
aprendizagem; os formandos decidem como,
quando e onde aprendem.

Os protocolos para o ambiente de e-learning


poderão incluir: limites de comunicação/ regras
de conduta em espaços públicos online;
orientações para instructores/facilitadores e
formandos para email (horários, tipos de
questões individuais e em grupo), acesso ao e-
mail e a listas, fóruns/chat (quando submeter e
responder); procedimentos para assistência
técnica; procedimentos e requisitos das
actividades de aprendizagem e de avaliação;
sistemas de segurança; expectativas/requisitos
para formandos.

As necessidades e mecanismos de assistência


técnica poderão incluir: sistema de estudo
dois-a-dois; assistência técnica de
especialistas em Tecnologia de Informação;
resolução de questões de acessibilidade;
identificação de necessidades de carácter
tecnológico na introdução ao programa;
instrumentos de resolução de problemas;
assistência com terminologia de Tecnologia de
Informação; assistência aos formandos
visando a auto-orientação; normas de saúde e
segurança laboral.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 48


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
2. Introduzir o e- a) Faz uma introdução ao ambiente do e- A introdução poderá ser online ou presencial e
learning learning, com discussão e esclarecimento poderá incluir: generalidades sobre o programa
dos objectivos e protocolos. de ensino; ice breakers apropriados; conteúdo
b) Estabelece relações de ensino entre de protocolos de e-learning; informação e
formando e formador fazendo-se uso de discussão sobre habilidades de organização e
habilidades de comunicação e gestão de tempo em ambiente de e-learning;
instrumentos electrónicos. recomendações de sites úteis; informação
c) Incentivar as relações entre os formandos noutros meios online,ex.: fóruns, salas de chat;
para promover a inclusão, diversidade e tipo de facilitação/nível de independência do
um ambiente de ensino positivo. formando; contactos dos
Evidências Requeridas instrutores/facilitadores; sessão prática com
ênfase no trabalho e navegação pelos
Demonstração materiais e outros recursos de e-learning;
Evidência prática, através de uma sessão prática de e-mail (correio electrónico) e
demonstração, que o formando introduz o e- chat; identificação de oportunidades
learning a um grupo de formandos, usando as disponíveis para juntar colaboração e
habilidades de comunicação e instrumentos interacção social; aprendizagem relevantes ao
electrónicos, de acordo com os critérios de programa; lista de aspectos-chave a dominar
desempenho a) a c) e o definido nos contextos após a introdução.
de aplicação.
Instrumentos e habilidades de comunicação
que poderão incluir: contacto regular com cada
formando por e-mail; acessibilidade; comunicar
com os formandos como uma comunidade;
fornecer alternativas, como por exemplo
acesso ao telefone.

Os instrumentos electrónicos poderão incluir:


os que possibilitam a monitoria dos
movimentos do formando online; os que
possibilitam a monitoria de algumas
actividades do formando online; sistemas de
gestão de formandos/conteúdo, por exemplo
WebCT; outros métodos electrónicos, por
exemplo MS Excel, MS Word, busca na
internet; hiperligações.

3. Orientar e facilitar a) Facilita o e-learning de acordo com o As habilidades de facilitação poderão incluir:
o e-learning plano de instrução e utilizando-se orientar as actividades de aprendizagem por
instrumentos electrónicas e habilidades de meio de questões, problemas, casos de
facilitação. estudo, em fórum, chat ou email; observar a
b) Demonstra boas práticas de e-learning actividade em fóruns/chat e intervir quando
para assegurar uma aprendizagem eficaz. necessário para manter a relevância e ímpeto
c) Discute os problemas de carácter técnico da discussão; Saber quando intervir e quando
quando necessário utilizando-se os deixar os formandos se orientar por si;
mecanismos de assistência técnica moderar casos de comunicação abusiva e/ou
apropriados. perturbadora; facilitar trabalho em grupo dentro
d) Incorpora na experiência do e-learning e fora da internet; ajudar os formandos a
oportunidades de aprendizagem, prática e localizar, utilizar e avaliar a informação
avaliação formativa. disponível na internet; manter os níveis de
empenho e motivação dos formandos por meio
Evidências Requeridas

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 49


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
Demonstração de contacto directo individual e feedback.
Evidência prática, através de uma
demonstração, que o formando orienta e facilita
As boas práticas de e-learning são adaptáveis
pelo menos uma sessão de e-learning a um
e poderão incluir: instrução e assistência
grupo de formandos, de acordo com os
centrada no formando (por exemplo:
critérios de desempenho a) a d) e o definido
assistência técnica e educacional;
nos contextos de aplicação.
apresentação de soluções flexíveis;
apresentação de oportunidades para
colaboração; incentivo à participação activa);
flexibilidade que permita uma variedade de
habilidades, preferências de aprendizagem e
características dos formandos; a variedade de
opções que permitirão a aprendizagem
integrada; opções flexíveis de avaliação
formativa; uso apropriado de tecnologia de
forma a se adequar ao programa de
aprendizagem e ao formando (por exemplo:
instrução mista; mistura de materiais em papel
e online); uso de recursos educacional e
qualitativamente correctos (incluindo: conteúdo
actual, relevante e correcto; planificação
pedagógica correcta; nível de dificuldade
apropriado aos formandos; utilidade real dos
recursos); meios online interactivos e
interessantes que incentivam a comunicação e
colaboração.
4. Monitorar o e- a) Providencia assistência e orientação Assistência e orientação poderão incluir: ajuda
learning dentro e fora do ambiente de e-learning com questões de tecnologia de informação,
como apropriado. dificuldades de aprendizagem e problemas
b) Monitora a interacção e a participação de pessoais com influência na aprendizagem; uso
cada formando sucessivamente e faz de técnicas de facilitação individual para lidar
intervenções quando necessárias, para com necessidades especiais; referência do
manter os níveis de motivação e formando a outros formandos ou redes sociais
empenho. de assistência; ajustamento dos processos de
c) Dá oportunidades aos formandos para aprendizagem e avaliação
reflectir e registar o seu próprio progresso.
d) Incentiva a colaboração dos formandos
dentro e fora do ambiente de e-learning
como uma nova forma de aprendizagem.
e) Faz e arquiva os registos relevantes aos
formandos, de acordo com requisitos
legais e organizacionais.
Evidências Requeridas
Demonstração
Evidência prática, através de uma
demonstração, que o formando faz a monitoria
do e-learning e apoia os formandos, de acordo
com os critérios de desempenho a) a e) e o
definido nos contextos de aplicação

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 50


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
5. Rever os a) Faz uma revisão no meio do processo
A revisão pode incluir: o feedback de
procedimentos de para classificar a eficácia da instrução e formandos, colegas, e designers do e-learning
e-learning facilitação.
através de inquéritos ou discussão;
b) Faz uma revisão adicional após o término
identificação e resolução de questões na
do programa de ensino. monitoria dos formandos; identificação e
c) Faz uma reflexão cuidadosa sobre o
resolução de questões no plano de instrução; a
próprio desempenho como
eficácia dos protocolos de e-learning e
instrutor/facilitador visando encontrar vias propostas de mudanças; a eficácia dos meios
de melhoramento.
tecnológicos.
d) Identifica, documenta e discute com as
autoridades relevantes as recomendações
quanto à facilitação e recursos do e- Reflectir sobre o próprio desempenho pode
learning. incluir: levantar questões essenciais sobre o
desempenho, problemas existentes,
Evidências Requeridas
metodologia utilizada e o sucesso dos
Evidência escrita/produto/portfólio formandos; ouvir e reagir ao feedback dos
Evidência escrita através de um produto/ formandos e de outras entidades relevantes.
portfólio, que o formando revê os
procedimentos de e-learning que implementou,
cumprindo com o indicado nos critérios de
desempenho a) a d) e nos contextos de
aplicação.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 51


UC EDU056013 Desenvolver material didáctico para e-learning

Registo de Unidade de Competência

Título da Unidade de
Desenvolver material didáctico para e-learning
Competência
Descrição da Unidade de Competência:
Após terminar esta unidade o formando é capaz de desenvolver, testar e avaliar material didáctico, como parte de uma
equipa, tendo por base uma configuração acordada.
Código: UC EDU056013 Nível do QNQP: 6

Campo: Educação Sub Campo: Educação Profissional

Data de Registo: Data de Revisão do Registo:

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Participar no a) Identifica os indivíduos capazes de contribuir Os papéis de cada membro da equipa podem
processo de criação para a criação e desenvolvimento do material incluir: gestão do projecto; comunicação;
e desenvolvimento didáctico para e-learning e propõe dentre configuração gráfica; multimédia;
de material estes o gestor do projecto. desenvolvimento de software; programação
didáctico para e- b) Determinada o papel de cada indivíduo na de computadores; gestão de meios aúdio-
learning criação e desenvolvimento do material visuais; pesquisa; configuração da instrução;
didáctico e esclarece com o gestor do redacção do conteúdo; edição; verificação de
projecto, incluindo a responsabilidade de erros.
negociações com os clientes, quando
aplicável. Material didáctico é desenvolvido para
c) Esclarece o papel de cada membro da equipa melhorar e apoiar a eficácia do processo de
e a sua contribuição do processo criativo ensino-aprendizagem e podem incluir:
através de discussões de equipa. orientações, materiais, actividades de
d) Demonstra uma ética de colaboração durante aprendizagem e avaliação, informação
todo processo de desenvolvimento. relevante para as competências e os
e) Escreve a documentação apropriada ao longo resultados de aprendizagem que devem ser
de todo processo de desenvolvimento. atingidos pelos formandos.
Evidências Requeridas
A documentação pode incluir: conteúdo da
Evidência escrita/produto/portfólio versão inicial; as actividades de e-learning na
Evidência escrita, através de um produto/ portfólio, versão inicial; especificações de carácter
que o formando, participa no processo de criação e técnico; feedback/resultados da
desenvolvimento de material didático para e- testagem/processo de avaliação;
learning, cumprindo com o estabelecido nos comentários/feedback dos utilizadores e/ou
critérios de desempenho a) a e) e o definido nos clientes.
contextos de aplicação.
2. Desenvolver, em a) Lê, interpreta e clarifica as normas de As normas poderão referir-se a: Normas de
equipa, o protótipo elaboração de material didáctico relevante. pacotes de instrução; padrões de
do material b) Identifica e confirma os utilizadores-alvo, as competência; normas de acessibilidade de
didáctico para e- suas necessidades de aprendizagem e conteúdo na Web; requisitos de
learning características, com base na informação da acessibilidade e igualdade do Quadro
fase de planificação. Nacional de Qualificações; requisitos
c) Discute os parâmetros e requisitos técnicos legislativos relacionados com igualdade de
com os membros da equipa ao longo da fase oportunidades, discriminação racial,
de desenvolvimento. discriminação sexual, discriminação contra
d) Faz uso de conhecimentos aprofundados portadores de deficiência.
sobre o processo de ensino-aprendizagem
para escrever e apresentar o conteúdo do Os parâmetros técnicos e requisitos
protótipo de acordo com os requisitos de tecnológicos podem incluir: tipos de meios
qualidade e de configuração.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 52


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
e) Apresenta imediatamente os problemas electrónicos; software e hardware
técnicos ou de conteúdo às entidades necessários; interfaces para gestão de
relevantes e resolve-os colectivamente. formandos; instrumentos de navegação entre
f) Assume responsabilidades apontadas os meios electrónicos; integração dos meios
previamente e cumpre com todas as metas e electrónicos.
limites (de tempo, financeiro) traçados.
g) Assiste os restantes membros da equipa de Um protótipo poderá incluir: CD-ROM; sites
modo a completar os respectivos na internet; Storyboards; recursos aúdio-
componentes do material didáctico. visuais; sala de aulas visual; simulação via
h) Avalia conjuntamente com os restantes inter/intra/extranet; emissão por satélite;
membros da equipa o material didáctico de recursos informáticos; esboços estruturais e
acordo com critérios e normas relevantes. estéticos do recurso; informação escrita ainda
Evidências Requeridas por incorporar no recurso final.
Evidência escrita/produto Os requisitos de qualidade podem incluir uma
Evidência escrita que o formando, em grupo, configuração e conteúdo: relevante aos
produz pelo menos 3 protótipos de material formandos; de fácil navegação; atractiva e
didáctico de acordo com critérios de desempenho prestável a discussões; educacionalmente
a) a h) e o indicado nos contextos de aplicação. eficaz, prestável a colaboração e reflexão do
formando; de acordo com as necessidades do
cliente.
3. Testar e avaliar o a) Desenvolve, em colaboração com outros, Os instrumentos podem incluir: inquéritos,
material didáctico instrumentos que refiram critérios relevantes entrevistas, aplicações para testagem.
para testagem e avaliação do material
didáctico. Critérios relevantes podem incluir: fácil
b) Identifica e confirma os locais e utilizadores navegação; qualidade da configuração de
de testagem. instrução; a aplicação das normas relevantes.
c) Realiza o processo de testagem e avaliação
em colaboração com outros.
d) Documenta e analisa os resultados e
feedback da avaliação para determinar
possíveis modificações em cada área de
responsabilidade.
e) Faz as modificações identificadas.
f) Finaliza o protótipo em colaboração com os
outros membros da equipa.
Evidências Requeridas
Evidência escrita que o formando, num trabalho de
grupo, avalia e revê o processo de elaboração do
material didáctico, e apresenta um portfólio com
pelo menos 3 protótipos diferentes de material
didáctico testado, avaliado, revisto e finalizado de
acordo com os critérios de desempenho a) a f) e o
definido nos contextos de aplicação.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 53


UC EDU056014 Investigar e desenvolver Unidades de Competência Padrão

Registo de Unidade de Competência

Título da Unidade de Investigar e desenvolver Unidades de Competência Padrão


Competência
Descrição da Unidade de Competência:
Após terminar esta unidade o formando é capaz de investigar áreas de competências, identificar requisitos de competência
num determinado campo profissional e definir unidades de competências padrão válidos e reconhecidos para uma
determinada profissão.
Código: UC EDU056014 Nível do QNQP: 6

Campo: Educação Sub Campo: Educação Profissional

Data de Registo: Data de Revisão do Registo:

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Investigar as a) Formula os objectivos da criação de padrões Os objectivos das UCPs podem ser: definir os
áreas de de competência em concertação com os requisitos de desempenho laboral exigidos
competência interessados/ clientes/empregadores/parceiros. pelo mercado de trabalho, organizações
b) Define o âmbito das Unidades de Competência profissionais ou reguladoras; traçar requisitos
Padrão (UCPs). para a admissão numa ocupação ou
c) Estabelece os dispositivos de gestão do profissão; proporcionar as bases para a
processo de criação das UCPs. adaptação de habilidades/competências as
d) Aprimora os dispositivos de gestão do exigências duma ocupação/profissão.
processo de criação das UCPs, juntamente
com as autoridades do sector. O âmbito das UCPs pode incluir: UCPs para
uma indústria no seu todo ou um sector;
Evidências Requeridas
UCPs para organismos profissionais ou
Evidência escrita/oral/portfólio reguladoras, UCPs para necessidades
características de um grupo da sociedade.
Evidência escrita/oral, que pode ser na forma de
portfólio, como resultado de um trabalho individual e
Os interessados/empregadores/parceiros
de grupo, que o formando:
podem ser: Empresas estatais ou privadas,
 Descreve o âmbito das UCPs.
organizações governamentais e/ou não
 Elabora e apresenta a lista de objectivos da
governamentais, Instituições de formação
criação de competências.
técnico-profissional, associações
 Relata o processo de negociação e
profissionais, entre outros.
legitimação da abrangência e objectivos das
UCPs, e dos mecanismos de gestão da
Os sistemas e mecanismos de gestão do
criação das UCPs.
processo da criação das UCPs podem incluir:
 Elabora e apresenta os instrumentos
definição de um grupo de referência/comité
utilizados na consulta das entidades
guia; indicação de parceiros mais importantes;
relevantes no processo, como guiões de
a utilização de determinado software e
entrevista e questionários.
equipamento informático.
2. Identificar os a) Faz um levantamento de informação relevante O levantamento da informação relevante
requisitos de dentro da abrangência definida. dentro da área pode incluir: consultas prévias
competência b) Faz uma análise para apurar as áreas/campos com parceiros-chave, como peritos da
de trabalho relevantes. industrial e/ou outras organizações,
c) Faz o levantamento de necessidades (tarefas e especialistas (técnicos e/ou académicos),
funções) dentro de cada área e as representantes da sociedade civil; inquéritos/
competências (conhecimentos, habilidade e entrevistas; revisão bibliográfica e/ou
atitudes) e valores necessários para o pesquisa na internet.
desempenho dessas tarefas e funções
identificadas. O levantamento de necessidades pode
d) Organiza os resultados do levantamento de incluir: a reflexão sobre resultados das
necessidades de modo a visualizar os aspectos análises já feitas acerca das necessidades

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 54


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
ligados a cada área/campo profissional. de treinamento num sector; novas tendências
e) Aprova os resultados obtidos em conjunto com na indústria e na investigação, novos
os parceiros-chave ligados ao sector. desenvolvimentos (globais e locais ),
mudanças tecnológicas ou organizacionais;
Evidências Requeridas
informação específica compreendida e
Evidência escrita/oral/ portfólio extraída das discussões já desenvolvidas.
Evidência por escrito/oral, na forma de portfólio, que
o formando, para um caso dado: Em termos de tarefas e funções o
 Completa a revisão da literatura. levantamento de necessidades pode incluir:
 Descreve as tarefas e funções identificadas tarefas emergentes em áreas de trabalho
no levantamento. críticas, variedade de tarefas/actividades
 Elabora relatórios de consultas. dentro duma determinada área de trabalho
 Elabora a lista das UCPs. (ex: tarefas específicas e tarefas integradas);
 Apresenta os instrumentos de consulta a processos ligados ao desempenho no
parceiros sobre as UCPs. trabalho; as habilidades técnicas,
 Descreve o processo através do qual as conhecimentos e atitudes necessárias para o
exigência do sector produtivo e dos desempenho competente das tarefas
empregadores foram incorporados nas identificadas.
UCPs.
3. Formular as a) Recorre às normas estabelecidas para As normas a considerar na formulação e
Unidades de estruturar e apresentar as UCPs. estrutura das UCPs incluem: normas
Competência b) Cria UCPs-piloto com base nos resultados do estabelecidas por organismos profissionais ou
Padrão levantamento de necessidades e normas outras autoridades nacionais e internacionais
previamente estabelecidas. com responsabilidades na especificação de
c) Redige as UCPs numa linguagem concisa e competências; regras estabelecidas nos
clara, aplicando termos técnicos necessários e documentos nacionais de regulação da
conhecidos pelo público. Educação Profissional como o Quadro
d) Apresenta as UCPs-piloto num modelo e Nacional de Qualificações Profissionais.
estrutura coerente e prático.
e) Acorda as UCPs-piloto com os principais O modelo e a estrutura incluem: a informação
parceiros ligados ao sector profissional. geral da UCP prevista nos documentos
orientadores (título da UCP; descrição da
Evidências Requeridas
UCP; código e nível do QNQP; campo e sub-
Evidência escrita/oral, portfólio campo; data de registo e data de revisão do
Evidência escrita/oral, apresentada em forma de registo); os elementos de competência cuja
portfólio, que o formando, para um caso dado: descrição inclui critérios de desempenho,
 Descreve as normas consultadas e contextos de aplicação e evidências
aplicadas na elaboração das UCP. requeridas.
 Elabora e apresenta por escrito pelo menos
uma das UCPs-piloto criadas e confirmadas Elemento de competência é um dos blocos
pelos parceiros-chave, no formato e básicos de uma unidade de competência
estrutura aprovado nas normas padrão, que descreve as actividades chave
estabelecidas. ou elementos da função referida na unidade
 Elabora e apresenta por escrito o de competência.
desenvolvimento completo de pelo menos
uma UCP no formato e estrutura acordadas, Critérios de desempenho descrevem a
indicando para cada elemento de forma como o candidato deve realizar a
competência: os critérios de desempenho, actividade expressa no elemento de
contextos de aplicação e evidências competência (processo) ou o que deve
requeridas. ser produzido como resultado da
actividade (produto).

Contexto de aplicação relaciona-se com um


único elemento de competência e os seus
critérios de desempenho e pode incluir: os
parâmetros nos quais os formandos devem
ser capazes de desempenhar as suas
actividades; o focus e a gama de resultados
para aquele elemento de competência;
informação sobre as diferentes situações e
circunstâncias nas quais o desempenho dos

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 55


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
formados e a avaliação devem ser feitos.

As evidências requeridas podem incluir:


conhecimentos e habilidades necessárias,
aspectos – chave da avaliação, a metodologia
de avaliação, procedimentos e produtos que
podem servir de evidência e avaliação
integrada e/ou prática.
4. Validar as a) Planifica um processo de consulta para rever e O processo de consulta deve considerar: o
Unidades de validar as UCPs-piloto. público envolvido (como parceiros-chave) e
Competência b) Estabelece mecanismos para gerir e capitalizar validação dos materiais em construção; os
Padrão as informações decorrentes da consulta na meios utilizados para a consulta e a validação
reorientação do processo. indicados (workshops, apresentações,
c) Conduz o processo de consulta de acordo com internet, email, correios); os períodos
o plano previamente traçado e as questões (horários e calendários); a extensão da
levantados pelos parceiros são debatidas. consulta (âmbito nacional, organizacional
d) Compila e analisa o feedback com base em etc.).
critérios específicos para permitir decisões
fundamentadas sobre possíveis alterações ou Os mecanismos de gestão de feedback
emendas no conteúdo das UCPs. podem incluir: uso de um site na internet; uso
e) Documenta os resultados da consulta. de meios que favorecem interacções rápidas
f) Conduz a legitimação, pelas principais com os parceiros (p. exemplo: uso de email
autoridades, dos resultados e UCPs para envio rápido de correcções); perguntas
decorrentes do processo. concretas que garantam a recepção de um
Evidências Requeridas feedback; formulários e /ou questionários de
aprovação;
Evidência escrita/oral/produto/portfólio
Evidência escrita/ oral, apresentado em forma de As questões a discutir levantadas pelos
portfólio, que o formando, para um caso dado, e parceiros podem incluir: aspectos mal
como resultado de um trabalho em grupo: entendidos, problemas identificados nos
 Conduz um processo de consulta e elabora documentos ou no processo, necessidade de
e apresenta um relatório do mesmo, que informação
mostre a validação das UCPs e aplicação
dos critérios estabelecidos envolvendo os Os parceiros poderão incluir: indivíduos que
parceiros chaves. exercem actividade, directa ou indirecta, nas
 Introduz melhorias nas UCPs e apresenta áreas que figuram nas UCP (por exemplo
por escrito as UCPs melhoradas aprovados técnicos, supervisores); outras entidades em
pelo grupo de referência, incorporando o desenvolver UCP; autoridades reguladoras do
feedback resultante do processo de sector; formadores; representantes de
consulta realizado. instituições de formação técnico-profissionais;
grupo de referência, instituições e entidades
responsáveis pela elaboração de manuais de
treinamento.

Os critérios poderão incluir: a relevância do


feedback e o valor adicional do feedback para
a proposta de UCP em construção.
5. Finalizar as a) Confere e edita as UCPs de modo a As exigências a observar no documento piloto
Unidades de assegurar que todas modificações final incluem: as normas do Formação
Competência importantes sejam introduzidas e que o técnico-profissional; as necessidades do
Padrão produto final esteja de acordo com todas as mercado laboral e as condições colocadas
exigências. pelo cliente.
b) Debate e toma decisões sobre resolução de
eventuais problemas ainda candentes. A documentação importante a constar do
c) Legaliza o documento-piloto final com as dossier pode incluir: documentos de trabalho
UCPs e entrega-o aos interessados/ cliente. e relatórios importantes nas etapas que
d) Avalia o processo de desenvolvimento das conduziram ao produto apresentado.
UCPs enfatizando a reflexão sobre os
aspectos a melhorar.
Evidências Requeridas

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 56


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
Evidência escrita/produto:
Evidência escrita que o formando finaliza uma UCP
e apresenta o produto final do processo (uma UCP
legalizada e entregue ao cliente).

Evidência escrita/produto/portfólio
O formando apresenta um portfólio-reflexivo que
inclui:
 Relatório de avaliação do processo de
desenvolvimento das UCPs.
 Dossier com toda a documentação
importante do processo, já referida nos
resultados de aprendizagem anteriores.
 A auto-avaliação e reflexão individual sobre
o trabalho realizado

Dramatização
Os formandos, em grupo, dramatizam/simulam uma
sessão de legalização de uma UCP.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 57


5. Experiência de Trabalho

UC EDU056015 Realizar uma experiência de trabalho como formador numa Instituição de


Educação Profissional

Registo de Unidade de Competência

Título da Unidade de Realizar uma experiência de trabalho como formador numa Instituição de Educação
Competência Profissional
Descrição da Unidade de Competência:
Após conclusão desta unidade de competência o formando será capaz de demonstrar o desenvolvimento da capacidade
de arranjar e preparar uma experiência de trabalho (estágio) como formador numa instituição de educação profissional. Ele
será de levar a cabo as tarefas definidas de uma forma profissional, trabalhando num ambiente real de educação baseada
em competência, em cooperação com os outros e seguindo as normas de funcionamento e organização da instituição. Ele
será capaz de reflectir e avaliar sobre o seu próprio desempenho e de rever o valor da aprendizagem ganha em relação a
futuras metas pessoais, sociais e profissionais.
Código: UC EDU056015 Nível do QNQP 6

Campo: Educação Sub Campo: Educação profissional

Data de Registo: Data de Revisão do Registo:

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Preparar uma a) Identifica claramente as qualidades e Qualidades e habilidades incluem: pessoais
experiência de habilidades pessoais através de uma auto- e interpessoais.
trabalho (estágio) avaliação inicial e estabelece metas pessoais
como formador realísticas. Instituição de educação profissional pode
numa instituição de b) Estabelece e concorda com objectivos e incluir: escolas profissionais, escolas
educação metas do estágio como formador numa básicas, institutos médios, centros de
profissional instituição de educação profissional que formação profissional públicas ou privadas.
combinam com as suas qualificações,
habilidades e metas, usando uma variedade Informação essencial inclui:
de fontes de informação. datas, horas de trabalho, contacto inicial,
c) Prepara-se cuidadosamente e de forma localização, requisitos particulares do local
abrangente para a experiência de trabalho de trabalho.
(estágio) em termos de recolha de
informação essencial.
d) Confirma claramente e com exactidão todos
os arranjos necessários para a experiência
de trabalho (estágio) com as entidades
relevantes.
Evidências Requeridas

Evidência escrita e/ou oral:


Evidência escrita que o formando identifica
claramente as qualidades e habilidades
pessoais através de uma auto-avaliação inicial e
que estabelece objectivos e metas pessoais
realísticas para a experiência de trabalho como
formador numa dada instituição de educação
profissional.

Desempenho no local de trabalho


Evidência de desempenho que o formando
confirma os arranjos relativos ao estágio feitos
com o responsável da instituição de educação

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 58


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
profissional onde o mesmo se vai realizar.
2. Executar tarefas a) Discute com o supervisor imediato os Padrões esperados podem incluir: horário de
alocadas durante padrões a atingir que são esperados para trabalho, vestuário apropriado, regras de uso
a experiência de as várias tarefas atribuídas. do equipamento, procedimentos de trabalho.
trabalho (estágio) b) Executa as tarefas atribuídas de uma forma
como formador profissional. Tarefas atribuídas podem incluir: treinar e
c) Cumpre com os requisitos de afectação de facilitar processos de ensino-aprendizagem
acordo com as directrizes da instituição de baseados em instrução e demonstração, em
educação profissional. grupo baseada em projectos, baseada em e-
d) Observa a todo o momento os requisitos de learning, participar em actividades de
higiene e segurança no trabalho. planificação, coordenação e avaliação das
e) Assegura em todos os momentos um actividades da IEP, realizar avaliação dos
ambiente de ensino-aprendizagem formandos, elaborar instrumentos de
inclusivo, seguro e saudável. avaliação, desenvolver material didáctico
f) Demonstra a capacidade de lidar com como parte de uma equipa de trabalho.
situações inesperadas de forma eficaz.
Evidências Requeridas
Desempenho no local de trabalho
Evidência de desempenho que o formando leva
a cabo as tarefas de formador que lhe foram
atribuídas numa instituição de educação
profissional, de acordo com o indicado nos
critérios de desempenho a) a f) e nos contextos
de aplicação.
3. Trabalhar em a) Observa as práticas de trabalho de forma
cooperação com atenta fazendo perguntas onde for
os outros durante relevante.
a experiência de b) Escuta atentamente as instruções
trabalho. aceitando-as de forma positiva.
c) Procura o conselho, assistência e opiniões
dos outros, caso necessário.
d) Forma relações de trabalho que sejam de
natureza cooperativa.
e) Modifica o comportamento de forma
apropriada para satisfazer as necessidades
de diferentes situações.
Evidências Requeridas
Desempenho no local de trabalho
Evidência que o formando trabalha com os
outros, de forma cooperativa, durante a
experiência de trabalho como formador numa
instituição de educação profissional, de acordo
com critérios de desempenho de a) a e).
4. Rever a a) Reexamina a auto-avaliação inicial em Reflectir e avaliar a prática profissional
contribuição do termos de pontos fortes e fracos e revê inclui: investigar e identificar
conhecimento e efectivamente o progresso rumo às metas desenvolvimentos e tendências que têm
habilidades definidas. impacto na prática profissional; receber
ganhas para o b) Reflecte e avalia a sua prática profissional feedback de colegas e formandos, identificar
seu próprio durante a experiência de trabalho. estratégias e abordagens para melhoria
desenvolvimento c) Recebe e comenta, de forma crítica, o contínua.
pessoal e social. relatório de avaliação do supervisor.
d) Expressa claramente os sentimentos e
reacções em relação à experiência de
trabalho.
e) Revê o valor da aprendizagem ganha em
relação a futuras metas pessoais, sociais e
profissionais.
Evidências Requeridas

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 59


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
Evidência por escrito/oral
Evidência escrita que o formando reexamina as
suas qualidades e habilidades pessoais através
de uma auto-avaliação.

Desempenho no local de trabalho


O formando identifica a contribuição do
conhecimento e habilidades ganhas para o seu
próprio desenvolvimento pessoal e social,
obtidas durante a experiência de trabalho como
formador numa instituição de educação
profissional, de acordo com os critérios de
desempenho b) a e) e o definido nos contextos
de aplicação.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 60


UC EDU056016 Actualizar-se numa área técnica específica através de uma experiência de
trabalho

Registo de Unidade de Competência

Título da Unidade de
Actualizar-se numa área técnica específica através de uma experiência de trabalho
Competência
Descrição da Unidade de Competência:
Após conclusão desta unidade de competência o formando será capaz de gerir o seu processo contínuo de actualização
profissional técnico (não educacional) e de networking com a indústria/empregador para melhorar e manter relevante a sua
prática como formador de uma dada área técnica. O formando será capaz de identificar os objectivos e metas da sua
actualização técnica, procurar e seleccionar oportunidades/locais para a actualização através de uma experiência de
trabalho, levar a cabo as tarefas técnicas definidas de uma forma profissional, trabalhando numa situação real da indústria,
em cooperação com os outros e seguindo as normas de funcionamento e organização da instituição. Ele será capaz de
reflectir e avaliar sobre o seu próprio desempenho e de rever o valor da aprendizagem ganha em relação a futuras metas
de actualização técnica.
Código: UC EDU056016 Nível do QNQP 6

Campo: Educação Sub Campo: Educação profissional

Data de Registo: Data de Revisão do Registo:

Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
1. Identificar as a) Identifica claramente as suas qualidades e Actualização técnica pode incluir:
necessidade lacunas técnicas através de uma auto-avaliação aprendizagem de conhecimento e/ou novas
se inicial e estabelece metas pessoais realísticas. técnicas e métodos de
oportunidade b) Identifica as oportunidades de actualização produção/operação/gestão; operação e
s de técnica. manutenção de novo equipamento; prática e
actualização c) Estabelece e concorda com objectivos e metas da experiência profissional específica.
técnica e experiência de trabalho na indústria que
preparar combinam com as suas qualificações, lacunas e Informação essencial inclui:
uma metas, usando uma variedade de fontes de datas, horas de trabalho, contacto inicial,
experiência informação. localização, requisitos particulares do local de
de trabalho d) Prepara-se cuidadosamente e de forma trabalho
(estágio) na abrangente para a experiência de trabalho em
indústria. termos de recolha de informação essencial.
e) Confirma claramente e com exactidão todos os
arranjos necessários para a experiência de
trabalho com as entidades relevantes.
Evidências Requeridas
Evidência escrita e/ou oral:
Evidência escrita que o formando identifica
claramente as qualidades e lacunas técnicas através
de uma auto-avaliação inicial, identifica as
oportunidades e estabelece objectivos e metas
pessoais realísticas para a experiência de trabalho na
indústria.

Desempenho no local de trabalho


Evidência de desempenho que o formando confirma
os arranjos relativos ao estágio feitos com o
responsável da empresa/unidade onde mesmo se vai
realizar.
2. Executar as a) Discute com o supervisor técnico imediato os Padrões esperados podem incluir: horário de
tarefas padrões a atingir que são esperados para as trabalho, vestuário apropriado, regras de uso
definidas várias tarefas atribuídas. do equipamento, procedimentos de trabalho.
para a b) Executar as tarefas de actualização técnica

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 61


Elementos de
Critérios de Desempenho Contextos de Aplicação
Competência
actualização atribuídas de uma forma profissional.
técnica c) Cumpre com os requisitos de afectação de acordo Tarefas de actualização técnica atribuídas
com as directrizes da empresa/unidade podem incluir: estudo/leitura de informação
d) Observa a todo o momento os requisitos de técnica; operação de equipamento específico;
higiene e segurança no trabalho. demonstrações técnicas; participação da
e) Demonstra a capacidade de lidar com situações planificação e coordenação conjunto das
inesperadas de forma eficaz. actividades da empresa/unidade; práticas de
higiene e segurança no trabalho. .
Evidências Requeridas
Desempenho no local de trabalho
Evidência de desempenho que o formando leva a
cabo as tarefas de actualização técnica que lhe foram
atribuídas numa instituição de educação profissional,
de acordo com o indicado nos critérios de
desempenho a) a f) e nos contextos de aplicação.
3. Trabalhar a) Observa as práticas de trabalho de forma atenta
em fazendo perguntas onde for relevante.
cooperação b) Escuta atentamente as instruções aceitando-as
com os de forma positiva.
outros c) Procura o conselho, assistência e opiniões dos
durante a outros, caso necessário.
actualização d) Forma relações de trabalho que sejam de
técnica. natureza cooperativa.
e) Modifica o comportamento de forma apropriada
para satisfazer as necessidades de diferentes
situações.
Evidências Requeridas
Desempenho no local de trabalho
Evidência que o formando trabalha com os outros, de
forma cooperativa, durante a experiência de trabalho
para actualização técnica, de acordo com critérios de
desempenho de a) a e).
4. Rever a a) Reexamina a auto-avaliação inicial em termos Reflectir e avaliar a prática profissional inclui:
contribuição de pontos fortes e fracos e lacunas técnicas e investigar e identificar desenvolvimentos e
do revê efectivamente o progresso rumo às metas tendências que têm impacto na prática
conheciment definidas. profissional; receber feedback de colegas e
oe b) Reflecte e avalia a sua prática profissional formandos, identificar estratégias e
habilidades durante a experiência de trabalho. abordagens para melhoria contínua.
adquiridas c) Recebe e comenta, de forma crítica, o relatório
para o seu de avaliação do supervisor.
próprio d) Expressa claramente os sentimentos e reacções
desenvolvim em relação à experiência de trabalho.
ento pessoal e) Revê o valor da aprendizagem ganha em
e técnico. relação a futuras metas pessoais, sociais e
profissionais.
Evidências Requeridas
Evidência por escrito/oral
Evidência escrita que o formando reexamina as suas
qualidades e habilidades pessoais através de uma
auto-avaliação.

Desempenho no local de trabalho


O formando identifica a contribuição do conhecimento
e habilidades ganhas para o seu próprio
desenvolvimento como formador de uma área técnica
específica, de acordo com os critérios de
desempenho b) a e) e o definido nos contextos de
aplicação.

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 62


6. Referências

1. PIREP. 2010. Estratégia e Plano de Acção da Formação de Formadores. Draft 3.

2. IBSA. 2007. TAA04 Training and Assessment Training Package. Introduction, Qualifications
Framework, Assessment Guidelines, Units of Competency. Australian Government. Department
of Education, Employment and Workplace. Relations. Innovation & Business Skills Australia
(IBSA).

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 63


7. Equipe técnica

PIREP
Samuel Mangeia
Luisa Santos

Membros do Núcleo de Formação de Formadores da Educação Profissional (NUFFEP)


Armindo Mussengue - INFATEC
Daniel Dinis da Costa - ESTEC
Ernesto Mandlate - UEM
Hilária Matavele - UEM
Joana Marques - DINET
Lurdes Guambe - ISDB
Manuel Guro - INDE
Nícia Givá - UEM

Tradutor
Luís Santos

Certificado B em Educação Profissional – Formador da Educação Profissional 64

Você também pode gostar