Você está na página 1de 2

TRATAMENTO DA DEPRESSÃO - AULA 4 DO 

DESAFIO TERAPEUTA CONFIANTE 


Material criado pela Equipe Eurekka (@eurekka.me)

❖ Importante: esta aula inteira é baseada no livro ​Behavioral Activation for


Depression​, dos autores Martell, Dimidjian e Hermann-Dunn.
Atualmente, a Ativação Comportamental é um dos métodos de
tratamento para depressão com maior evidência de eficácia.

❖ Começamos com uma pergunta instigadora: ​Por que você não está
com depressão hoje?
➢ A resposta é que existe algo na sua vida que protegem você de
estar em depressão neste exato momento.
➢ A hipótese da Ativação Comportamental é que esse ​algo​ são
experiências repetidas de prazer e maestria - em outras palavras,
uma rotina antidepressiva.
➢ Pessoas que conseguem preencher sua rotina com atividades
que promovem prazer e maestria, então, criam uma “vacina
comportamental” que protege elas da Depressão.

❖ Prazer = experiências prazerosas dos cinco sentidos.​ Comer uma


comida boa, receber ou dar um abraço, ler um bom livro, escutar o
barulho da chuva, relaxar depois do trabalho.

❖ Maestria = a sensação de fazer algo importante, por menor ou


maior que seja.​ Em outras palavras, a sensação de ser útil ou de
cumprir uma missão.

❖ Quando uma pessoa entra em depressão - geralmente após uma


grande mudança de vida ou um acúmulo de pequenos estresses - o
desânimo e a tristeza se instalam e modificam as vontades da pessoa.
Muitas vezes, isso faz com que ela pare/evite/fuja de fazer atividades
que, antigamente, eram fontes de prazer e maestria.
❖ Essas atitudes de evitação, então, reduzem as experiências de
prazer/maestria ainda mais e, por consequência, os sintomas de
depressão pioram. Esse fenômeno forma um ciclo que chamamos de
Ciclo da Depressão.

❖ O objetivo do tratamento comportamental é reverter o ciclo da


depressão ativando a rotina da pessoa - em outras palavras, tornando
ela mais ativa com mais atividades que tragam prazer e maestria.

❖ O primeiro passo do tratamento é descobrir como a pessoa está hoje.


Como estão os níveis atuais de prazer e maestria? Para isso, usamos o
cartão de monitoramento.

❖ O segundo passo é gerar ideias de atividades que poderiam aumentar


prazer e maestria. Analise o passado do paciente para ver o que
funcionou, envolva ele nesse processo e continue medindo com o
cartão.

❖ O terceiro passo é transformar isso numa “tarefa de ativação” para o


período entre sessões.

❖ O quarto passo é revisar a tarefa de casa, mesmo que ela não tenha
sido feita. Todo resultado é útil e toda tarefa (feita ou não feita) pode se
transformar em conhecimento útil pra vocês dois.

❖ O tratamento continua assim até que o paciente consegue construir


(aos pouquinhos) uma nova rotina, com mais prazer e maestria, e os
sintomas de depressão reduzem até o ponto desejado​.

Você também pode gostar