Você está na página 1de 9

• PROCEDIMENTOS ESPECIAIS

o Jurisdição voluntária – arts. 719 a 770 do CPC

o São processos em que inexiste conflito de interesses entre

as partes;
o ESPÉCIES:
§ Notificação e interpelação;
§ Alienação judicial;
§ Divorcio e separação judicial;
§ Reconhecimento e dissolução de união estável;
§ Alteração do regime de bens;
§ (...)

o INTERDIÇÃO – art. 747

§ Pode ser promovida comprovodamente por:


• Cônjuge ou companheiro;
• Parentes ou tutores;
• Representante da entidade, quando se tratar
de pessoa abrigada;
• MP;
o Só promove em caso de doença mental
grave;
o Quando os anteriores não existirem, não

promoverem ou forem incapazes;


§ O autor deve fundamentar o pleito apontando os fatos
que demonstram a incapacidade e o seu termo inicial;
§ Possibilidade de curador provisório em caso de
urgência;
§ Apresentação de laudo médico pelo autor;
§ O interditando será citado para comparecer ao juízo
para entrevista minuciosa;
§ Da entrevista, o interditando pode impugnar em 15
dias;
§ Participação obrigatória do MP;
§ O juiz determinará prova pericial;
§ A sentença:
• Conterá os limites dos poderes do curador, que
será aquele que melhor atender as
necessidades do interditado;
• Será inscrita no RPN e amplamente publicizada
(§3º do art. 755);
§ A curatela poderá ser levantada quando o motivo que
a determinou cessar, sendo esse pedido apenso ao
pedido de interdição;

o CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO – art. 539

§ De quantia ou coisa;
• Em regra, possibilidade nas hipóteses do art.
335 do CC/02;
§ Se quantia, depósito pode ser realizado em banco
situado no lugar do pagamento (extrajudicial – art. 539,
§1º)
§ EFEITOS: cessa, à data do depósito, juros e riscos,
SALVO se improcedente;
§ PRESTAÇÕES SUCESSIVAS: depósito realizado nos
mesmos autos em até 5 dias do vencimento;
§ INICIAL:
• Requerimento de depósito;
• Citação para contestar ou levantar o credor
ou possíveis credores;
§ Após deferido, o depósito deve ser realizado em 5
dias;
§ CONTESTAÇÃO
• Ausência de recusa do recebimento;
• Recusa justa;
• Depósito não realizado no prazo/lugar devido;
• Depósito não integral, indicando o montante
devido;
§ Se houver, de fato, insuficiência, pode o autor
completar em 10 dias;
• O réu pode levantar a quantia incontroversa;
§ Se PROCEDENTE, extinta a consignação e o réu
pagará custas e honorários;
§ Se não nenhum réu surgir, declara-se arrecadação
de coisa vaga; se surgir, o juiz decidirá de plano; se
mais de um réu, o processo continuará entre os
possíveis credores;

o EXIGIR CONTAS – art. 550

§ Substituiu a ação de prestação de contas, a ação de


exigir contas restringindo àquele que, na perspectiva
do direito material, afirma-se titular desse direito;
• Antes, a prestação de contas poderia ser
proposta tanto por quem pretendia exigir as
contas quando por quem tinha a obrigação de
prestá-las;
§ A petição inicial deve especificar as razões pela
qual está a se pedir as contas, juntando as provas
possíveis;

§ O réu prestará as contas ou contestará no prazo de 15


dias, sob pena de julgamento antecipado do mérito
(art. 550, 4º);

§ Apresentadas as contas, o autor poderá se manifestar


no prazo de 15 dias, podendo o processo ser julgado
conforme o seu estado;

§ As contas devem detalhar receitas, despesas e


investimentos;

o USUCAPIÃO – 1.071

o Espécies: art. 1.238 do CC/02 + CF/88 + legis esparsa;

o Decisão que reconhece a usucapião é DECLARATÓRIA,


pois a prescrição aquisitiva se constitui com o
preenchimento dos requisitos;
o Não há, efetivamente, procedimento especial, pois a
usucapião foi desjudicializada;

o A usucapião pode ser reconhecida


ADMINISTRATIVAMENTE ou judicialmente;
§ A usucapião administrativa não é espécie de
usucapião, mas meio de reconhecimento, que passa
a ser, preferencialmente, pelo cartório de registro de
imóveis;
§ No cartório, o usucapiente apresentará o
requerimento, desde que representada por advogado,
com o rol de documentos necessários;
§ Intimados os confinantes, caso não se manifestem,
entender-se-á pela concordância da prescrição
aquisitiva;
• CUIDADO! O CPC/2015 (mesmo no site do
planalto) está com a redação do 1.071 (art. 216-
A, §2º) desatualizado;

o A usucapião judicial segue, em regra, o procedimento

comum;

o DIVISÃO E DEMARCAÇÃO DE TERRAS – art. 569

§ Demarcação: pode ser proposta pelo proprietário


confinante;
§ Divisão: pode ser proposta pelo condômino;
§ Pode haver uma ação de divisão e demarcação, ou
seja, proposta cumulativamente;
§ Pode ser feita diretamente no cartório por meio de
escritura pública, desde que maiores e capazes;
o AÇÕES POSSESSÓRIAS – art. 554

§ INTERDITO PROIBITÓRIO
• Quando há mera ameaça à posse;
§ MANUTENÇÃO DA POSSE
• Quando há turbação da posse, ou seja, perda
parcial ou limitação ao exercício da posse;
§ REINTEGRAÇÃO DA POSSE
• Quando há o efetivo esbulho, ou seja, perda da
posse;
§ Por ser difícil identificar e por ocorrer de modo muito
rápido, há fungibilidade das ações possessórias
(art. 554), sendo esse um exemplo de exceção ao
princípio da congruência (que estabelece os limites
objetivos e subjetivos);
§ AÇÃO DÚPLICE – art. 556
• O réu, em contestação e independentemente de
reconvenção, pode requerer a proteção da sua
posse;
• Didier entende que não há autor/réu, pois a
condição de litigante é a mesma – visão
instrumentalista;
• Na contestação, o réu pode alegar usucapião
em sua defesa;
§ Em regra, não se pode discutir propriedade em
ação possessória, no entanto, excepcionalmente,
cabe discutir o domínio em ação possessória quando
ambas as partes alegam que são proprietárias OU
quando duvidosas as posses discutidas (Agrg no
Aresp 238.530 do STJ);

• S 487 do STJ: Será deferida a posse a quem, evidentemente, tiver o


domínio, se com base neste for ela disputada.

§ COMPETÊNCIA – art. 46 e §2º do art. 47;


• Se a demanda tratar de bens imóveis, será
competente o foro de domicílio da coisa –
competência absoluta;
• Se a demanda tratar de bens móveis, será
competente o foro de domicílio do réu, em
regra;

§ LEGITIMIDADE ATIVA
• Será do possuidor direto ou indireto;
• O detentor só pode demandar SE o fizer em
nome do possuidor;

§ PEDIDOS
• Pode-se cumular pedidos de perdas e danos e
indenização por frutos juntamente com o pedido
relacionado à posse (art. 555);
• Pode haver, ainda, pedido para que não haja
nova ameaça, turbação ou esbulho;
§ PROCEDIMENTO
• Se a posse for velha, procedimento comum;
o É possível requerer tutela de urgência

(Agint no AResp 1089677)


• Se a posse for nova (menos de 1 ano e 1 dia),
procedimento especial;
o Deferimento de LIMINAR inaudita altera

pars
§ Não há necessidade de comprovar
PD ou RRUP, pois trata-se de uma
tutela de evidência;
§ Não se concede a liminar sem a
oitiva se o promovido for
PJDPúblico;
• O autor deve provar:
o Posse e sua continuação ou perda;

o Ameaça, turbação ou esbulho e sua


respectiva data;
• Se não provar, o juiz designara uma audiência
de justificação, determinando a citação do
promovido para comparecimento – art. 562;
o A contestação ocorrerá após decisão,

sendo a sua intimação o termo inicial da


contestação;
• Se não houver audiência de justificação, o réu
será citado para contestar;
• GRANDE NÚMERO DE RÉUS: deverá o MP ser
intimado e, em caso de hipossuficientes, a DP
também;
o Ocorrerá a citação dos presentes pelo OJ
e, dos demais, por edital;
o Deverá ocorrer ampla publicidade sobre a
posse no local do conflito nesse caso,
devendo haver publicação de cartazes
próximo ao local;

o EMBARGO DE TERCEIRO –

o OPOSIÇÃO –

o INVENTÁRIO E PARTILHA –

o DIVÓRCIO –

§
o RECONHECIMENTO E DISSOLUÇÃO DE UNIÃO
ESTÁVEL

Você também pode gostar