Você está na página 1de 16

PUB Quarta-feira • 03 de junho de 2020 • •1

1065
03 junho 2020
Ano 20
quarta-feira
 0.75 iva incluído
Diretor: Luís Baptista-Martins
semanário

Comissão Covid-19 demite-se


no Hospital da Guarda
Médico Luís Ferreira bateu com a porta em divergência com a Administração da ULS por a Comissão não ter sido
consultada acerca da retoma das consultas e cirurgias programadas. Isabel Coelho poderá ser substituída ainda esta
semana, por Carlos Filipe Camelo ou Luís Ferreira Pág.7

Caso da Guarda pode mudar lei


dos exames nacionais
Miguel foi penalizado na sua avaliação escolar devido a uma
cirurgia realizada de urgência. Mesmo com justificação, o júri
nacional de exames não permitiu que este aluno exemplar
tentasse subir a nota durante a época especial, reservada a
desportistas, grávidas e militares. Ana Cariano não se confor-
mou com a «injustiça» e insistiu para mudar a lei. Será ouvida
na Assembleia da República esta quinta-feira Pág.5

Agricultura Economia Lazer Covilhã


Granizo e trovoada dizimam União de Sindicatos diz “Qualidade de Ouro” Dívida da Câmara
produção agrícola na Cova da que há «milhares de da Quercus para seis baixou 7 milhões
Beira trabalhadores» sem salário no praias fluviais de euros
Associação Distrital de Agricultores pede declaração distrito da Guarda No distrito da Guarda, são Valhe- Autarquia anunciou ter reduzido
de estado de calamidade e apoios a fundo perdido para Crise provocada pela Covid-19 poderá duplicar taxa de lhas (Guarda), Relva da Reboleira sete milhões de euros à dívida mu-
os produtores. No Fundão, a primeira estimativa aponta desemprego na região porque as medidas de estímulo (Manteigas), Vale do Rossim (Gou- nicipal em 2019, passando de mais
para mais de 20 milhões de euros de prejuízos, enquanto económico chegam «a conta-gotas e não abrangem veia), Loriga e Lapa dos Dinheiros de 76 milhões em 2018 para 69,3
a Comissão Vitivinícola fala em «muitos prejuízos» nas muitas das micro e PME’s» _______________________ 6 (ambas em Seia). Unhais da Serra milhões de euros. Oposição queixa-
vinhas _______________________________________ 4 (Covilhã) é a distinguida na zona se da falta de investimento _ ___ 8
da Cova da Beira ______________ 9
2• • Quarta-feira • 03 de junho de 2020

Cara
Entrevista
no  fio  da  navalha

a P e r f i l
cara

«Queremos que
Pedro Prata
Ana Cariano Líder de equipa da Rewilding Portugal no
Grande Vale do Côa

o Grande Vale do
A intervenção cívica é determinante para
a construção de uma sociedade justa e mais Idade: 38 anos
equilibrada. Uma sociedade é tão mais moderna
e desenvolvida quanto mais forte for a sua so- Profissão: Diretor da Rewilding Portugal

Côa seja um lugar


ciedade civil e a capacidade do cidadão intervir
e contribuir para a mudança em prol do coletivo. Currículo (resumido): Formado em Biologia
Ana Cariano, sozinha, e depois esbarrar num com mestrado em Conservação e Ecologia
sistema educativo penalizador e arcaico, que e Evolução; Trabalhou em vários projetos

com ecossistemas
prejudicou o seu filho por este estar doente e de conservação no Brasil, Estados Unidos
não poder fazer exames na primeira fase, foi à e Caraíbas; Está envolvido em organizações
luta e vai agora ser recebida na Assembleia da de ambiente e natureza. Foi diretor da ATN
República para defender uma moção que pre- até 2018 e é fundador e atual diretor da

coerentes
tende mudar as regras injustas e inócuas que Rewilding Portugal.
prejudicam os alunos que adoeçam em época
de exames. Um exemplo de como a democracia Livro preferido: Leitor compulsivo, não sen-
funciona e de como um cidadão pode mudar do o preferido recentemente ficou impres-

em pleno
uma sociedade. sionado com “The Empathic Civilazation” de
Jeremy Frikin, sobre uma visão do mundo
agora baralhada com o impacto da Covid-19

funcionamento e
Filme preferido: a comédia italiana de Ric-
cardo Milanni, “Come un gatto tangenciale”,
Jacinto Dias disponível na plataforma Filmin.pt

abundante vida
O veterano dirigente do PSD foi a carta que Hobbies: Desportos de natureza e agricultura
Chaves Monteiro tirou da cartola para arrumar de pequena escala.
politicamente a Câmara da Guarda. O advogado
dos quadros do IPG e que nos últimos anos tróficas completas desempenham papéis

selvagem»
dirigiu o centro distrital de Segurança Social fundamentais na regeneração da paisa-
conhece todos os militantes do PSD e vai para gem. Esta marca define um território
a autarquia com a responsabilidade dos recur- abrangente e a marca fundamental
sos humanos, mas na prática terá a função de é que, na perceção do público geral,
apaziguar um partido localmente em guerrilha. seja relevante o peso de uma paisa-
Será a partir da Câmara que Jacinto Dias vai ter P – Qual é o objetivo da Rewilding gem natural deste território. A vida
de mostrar o que vale politicamente e até que Portugal no Grande Vale do Côa? selvagem já retornou partes da área,
ponto pode acalmar as águas revoltas de um R – A Rewilding Portugal quer tornar o com espécies como o lobo ibérico,
partido que tem poder, mas não tem liderança Grande Vale do Côa um lugar mais selvagem, veado-vermelho e corço que con-
e onde todos querem ditar ordens. tornando este território um corredor natu- tinuam a expandir a sua área de
ral funcional, onde as pessoas e a natureza distribuição. Queremos também
coexistem de forma sustentável a longo construir uma economia baseada
prazo. A Rewilding Portugal acredita que na natureza e na cultura para criar
a natureza, quando valorizada, pode trazer apoio comunitário que suporte um
novas oportunidades para o desenvolvi- ambiente mais selvagem, no qual os
Vítor Pereira mento económico de comunidades rurais
(desde turismo da natureza até à produção
processos naturais e a vida selva-
gem modelam a paisagem.
A Câmara da Covilhã anunciou ter reduzido de produtos regionais de alta qualidade)
sete milhões de euros à dívida municipal em que podem dinamizar esta região e ajudar
2019, passando de mais de 76 milhões em a reverter a tendência socioeconómica do
2018 para 69,3 milhões de euros. A trajetória interior de forma sustentável.
de recuperação das contas não tem sido fácil
e, desde 2013, Vítor Pereira tem procurado P – O que está previsto fazer?
melhorar a imagem de “mau pagador”, nome- R – Queremos criar novas peque-
adamente junto dos fornecedores e credores. nas reservas ao longo do Vale do Côa,
Por outro lado, com a melhoria das contas, a semelhantes à Reserva da Faia
autarquia, que se queixa dos atrasos no Portugal Brava em Figueira de Castelo
2020, tem assim margem para candidatar novos Rodrigo, que valorizam o pa-
projetos e procurar novas soluções de futuro, o trimónio natural e protegem
que sem uma trajectória de redução de dívida a sua biodiversidade. O pas-
não seria possível. toreio natural com cavalos
garranos ou sorraias é outra
das ações que a organização
quer desenvolver para pro-
mover a limpeza de biomassa
e restaurar cadeias tróficas
mais completas na paisagem.
Para promover estas cadeias
tróficas completas o projeto
ULS Guarda também está a monitorizar
o comportamento e hábitos P – Com que apoios conta? E que di-
P – Até agora, já foram sur-
preendidos, no bom ou no mau
A demissão da Comissão Covid-19 res- alimentares de aves necrófagas, e quer ficuldades estão a encontrar? sentido, com alguma situação com que
ponsável pelo combate à pandemia na área criar uma rede de explorações agrícolas R – A Rewilding Europe está a liderar não estivessem a contar no Grande Vale
da ULS Guarda (o distrito da Guarda, menos em que os agricultores possam deixar os o projeto “Promover a Renaturalização do do Côa?
Aguiar da Beira) fez regressar o clima de cadáveres dos seus animais domésticos Grande Vale do Côa”, financiado pelo Endan- R – A presença de corço ao longo do
conflito habitual no Hospital Sousa Martins. num local específico da exploração (não gered Landscapes Programme. A Rewilding Grande Vale do Côa foi uma surpresa positiva.
As divergências, nomeadamente entre o pre- tendo de enterrar os animais ou chamar Portugal, Universidade de Aveiro, ATNatu- A equipa do projeto pensava que o corço ainda
sidente da Comissão, Luís Ferreira, e a presi- o SIRCA). Outro dos objetivos é promover reza e Zoo Logical são os outros parceiros era uma espécie relativamente rara, mas o tra-
dende do CA, Isabel Coelho, comprometeram a coexistência com o lobo ibérico, traba- deste projeto, que ao longo dos próximos balho de campo que tem sido feito revelou que
a continuação do trabalho da Comissão, com lhando de perto com os criadores de gado anos vai reforçar o corredor de vida selva- é mais comum do que pensávamos. Isso é um
os restantes elementos a solidarizarem-se e a para melhorar a proteção do gado domés- gem que é o Vale do Côa através das medidas bom sinal para a área, e pode também ajudar
pedirem a demissão em bloco. Num momento tico, e assegurar que há presas silvestres já mencionadas. a promover a coexistência com o lobo ibérico,
em que o novo coronavírus “continua por aí”, suficientes na área para o lobo ibérico se uma espécie de presença irregular no Grande
a diferença na gestão do desconfinamento de alimentar. A Rewilding Portugal está neste P – Qual é a marca/ ação que preten- Vale do Côa, e que precisa de presas silvestres
serviços vem trazer dúvidas sobre o combate momento a implementar um programa de dem deixar no território? em abundância para a sua alimentação. Se
à pandemia nos próximos tempos. cães de gado em que criadores de gado in- R - A longo prazo, queremos que o existirem estas presas silvestres (que também
teressados podem entrar em contacto com Grande Vale do Côa seja um lugar mais selva- incluem o veado e o javali) e o gado doméstico
a organização caso estejam interessados gem, com ecossistemas coerentes em pleno estiver bem protegido, é possível diminuir o
em adquirir um cão de gado, e receber funcionamento e abundante vida selvagem. número de prejuízos causados por lobo ibérico
apoio na alimentação e educação do cão. Um lugar onde processos naturais e cadeias a criadores de gado na região.
Quarta-feira • 03 de junho de 2020 • •3

editorial Luís Baptista-Martins


baptista-martins@ointerior.pt

Mobilidade urbana
Uma das muitas consequências da pandemia do novo coronavírus será
a da mobilidade. E em especial da mobilidade urbana. O medo vai levar a que
cada vez mais pessoas recorram ao transporte próprio e a evitar o transporte
coletivo, pois, por muitos cuidados de limpeza que sejam implementados,
haverá sempre receios e será impossível haver distanciamento físico que
assegure viagens tranquilas. Assim, entre as muitas urgências e medidas
que o Covid-19 irá imprimir no “novo-normal” encontraremos as mudanças
na mobilidade.
Sendo certo que o teletrabalho veio para ficar e otimisticamente muitos
acreditam que haverá um pequeno êxodo de pessoas das grandes cidades
para o campo… Com o regresso da “normalidade” vai haver novas difi-
culdades nos transportes coletivos e a vida nas maiores urbes será ainda
mais complicada. A dependência do carro vai ser maior e a capacidade e
imaginação dos decisores públicos será determinante para melhorar a vida
do cidadão.
As cidades têm de ter mais vias com espaço qualificado para meios
alternativos, da bicicleta à trotinete elétricas, e novos transportes coletivos
que permitam rapidez, menor lotação e sustentabilidade ambiental. É obri-


gatório também melhorar a mobilidade urbana pedonal, com passeios mais
largos e zonas de estacionamento bem aproveitadas. Ao longo dos 20 anos
deste jornal muitas foram as vezes que aqui defendemos a requalificação,
nomeadamente no centro urbano
da Guarda (com a colaboração de
desenhos e argumentos descri-
tivos de vários arquitetos, como
Cláudia Quelhas, João Cláudio
Madalena ou Salette Marque,
entre outros) seguindo preci-
Uma das muitas samente o conceito de cidade
para as pessoas. Mas a mobili-
consequências da dade depende do automóvel. E,
pandemia do novo como dizem os americanos, “no
parking, no business”, ou seja,
coronavírus será matámos os centros das cidades
a da mobilidade. e empurrámos os consumidores
para os centros comerciais e hi-
E em especial da permercados nos arrabaldes por

Das memórias da raiz mobilidade urbana. eliminarmos o estacionamento


no centro da cidade sem criarmos
alternativas. Defendemos para a Guarda o estacionamento subterrâneo no
opinião
Fidélia Pissarra de um Quercus Jardim José de Lemos e não temos dúvidas de que muito mais importante
do que “requalificar” o largo frente à Igreja da Misericórdia (praça de táxis),
De raízes mais fortes que a acidez da terra a que histórias, a que o tempo ameniza a dor e as teias de como pretendia o anterior presidente da Câmara, será a promoção que de-
se agarra, a árvore que, em conjunto com mais umas aranha a fealdade. Deu-lhe até vários exemplos de factos verá ser implementada em breve de vias de sentido único (ascendente do
centenas ali existentes, resistiu a décadas de sucessivas impossíveis de terem acontecido num tempo que não Jardim José de Lemos à Misericórdia e descendente pela Torre dos Ferreiros
machadadas testemunhadas apenas pelos toscos blocos condizia, falou-lhe da gente que assistia a programas de e Largo S. João (onde ficaria muito bem um siloauto), com passeios largos
do muro, cuja principal função parece ser a de indicar televisão quando ainda não existia televisão nenhuma, de e espaço para as pessoas.
a quem passa os limites dos caminho que, a partir do quem lia sem sequer ter aprendido a ler e de outros que, Por outro lado, e considerando o relevo íngreme, escrevi aqui há 20
portão sul, à esquerda seguem até à Quintazinha do de tanto viajar, até fotos tiradas em Marte diziam ter. Não anos que os guardenses não podiam continuar a ir ao mercado a pé ou de
Mouratão e à direita até ao Cerdeiral, gosta de meter que o fizessem de propósito, ou por mal. Provavelmente, carro, a autarquia deveria ter construído um elevador ou “escadas rolantes”
conversa com quem se lhe aproxima. A mulher, sentada era só para compensar a acidez das terras de origem. Dis- entre o mercado e o Jardim José de Lemos, que permitissem a mobilidade
na rudeza do musgo seco do pedregulho, bem tenta traído com a quantidade de insetos acabados de chegar, fácil aos cidadãos, mas também aos que chegam à central de camionagem
ignorar o palavreado da árvore que não se cala atrás de o Quercus pareceu não ter ouvido nada do que a mulher (nomeadamente os estudantes que vêm de fora e carregam a mala encosta
si. A certa altura, diz qualquer coisa sobre pés descalços lhe acabara de dizer e retorna ao assunto das memórias acima). Mas os sistemas mecânicos que melhorem a mobilidade dos
de crianças a ir para a escola e repara que não é propria- que, mesmo não tendo vivido, parece não querer deixar peões podem ser implementados em outras partes da cidade (as pessoas
mente a árvore a querer conversar com ela, mas antes morrer. Mais para não deixar passar a oportunidade de que diariamente têm de subir do “bairro da caixa” para o centro da cidade
as memórias das suas raízes a querer interagir com as continuar a conversa, do que por ser avesso a altercações, mereciam mais atenção e consideração).
suas. Não com as suas vividas que essas, para o caso, evidencie-se, o carvalho acaba a concordar com tudo o Há 20 anos, quando foram lançados os projetos de requalificação urbana da
não interessavam nada. O que as memórias das raízes do que não ouvira. Tinha razão. Guarda, no âmbito do programa Polis (e já antes refletidos no Plano Estratégico
jovem carvalho queriam era conversar com as memórias O expediente exaspera-a mais do que o burlesco da Cidade da Guarda), que prometeu «uma cidade nova», e que gastou milhões
em segunda mão que, justamente, acreditava terem-lhe da situação, desata dali para fora e só a lembrança das mas para a posteridade deixou “apenas” o parque urbano do Rio Diz, foram
sido passadas pelas raízes que também haveria de ter. rãzitas das águas da charca grande que a árvore ajuda- sugeridas várias possibilidades, e chegou mesmo a apresentar-se o projeto do
Parece que isto, de existir, mesmo sendo-se nómada va a manter, a impediu de ir buscar logo a moto serra. “monorail” para ligar a parte alta da cidade à Estação. Infelizmente, o projeto
ou, não o querendo aceitar, não é possível sem raízes. Pensando melhor, aproveitava e cortava já a lenha para mereceu muita conversa, mas pouco apoio – é verdade que seria muito caro,
Neste particular, o Quercusito não deixava de ter razão, o próximo inverno. Contudo, depois de umas quantas mas o dinheiro gastou-se sem nada ser feito por essa «nova cidade». O tempo
porém não era conversa que lhe estivesse a apetecer e giestas gigantes e umas silvas em flor, deu de caras com passou, mas agora, de novo, para construirmos essa nova cidade, é preciso
preferiu desconversar. Começou por lhe perguntar se aquela urze branca como que a pedir-lhe para se sentar promover uma nova mobilidade, com a construção de sistemas mecânicos
não desconfiava das memórias de uma velha como a raiz ali um bocadinho e foi o que fez. Aproveitou e, para que permitam as pessoas ascenderem das zonas baixas ao centro, reduzindo
que o prendia à terra. As velhas tiveram sempre a mania não se esquecer da desconversa tida com as memórias a dependência do automóvel, mas também promovendo uma cidade mais
de inventar histórias só para terem tema de conversa. enviesadas de um carvalho, algures entre as freguesias sustentável, com mais via cicláveis, mais transporte público e mais espaços de
A seguir, confessou que não se fiava lá muito nessas das Panóias e a da Guarda, pôs-se a escrever. lazer (a encosta do Rio Diz).

PUB
4• • Quarta-feira • 03 de junho de 2020

Granizo e trovoada Economia

«Há muitos
dizimam produção prejuízos nas
vinhas», alerta
agrícola na Cova Comissão
da Beira Vitivinícola da
Associação Distrital de Agricultores pede declaração de estado de
calamidade e apoios a fundo perdido para os produtores
DR
Beira Interior AR

A trovoada o granizo que ca- que nenhum feche portas, terão é


íram no fim de semana na região prejuízos avultados», sublinhou.
causou «muitos prejuízos» no «A Adega do Fundão tem
setor da vinha, admitiu a Comis- um seguro coletivo de colheitas
são Vitivinícola Regional da Beira que muitos dos seus associados
Interior (CVRBI). «É ainda cedo subscreveram e desta forma
para se ter uma avaliação mais poderão mitigar os prejuízos.
real dos prejuízos, no entanto o Outros associados privados tam-
granizo, sobretudo no Fundão bém têm seguro de colheitas
e na Covilhã, e o vento extrema- que poderão ajudar a minimizar
No concelho do Fundão a primeira estimativa aponta para mais de 20 milhões de euros de prejuízos mente forte em Belmonte foram estes problemas», refere Rodolfo
A região da Cova da Beira foi a fundo perdido» aos produtores gente» aprovação de apoios para os mais prejudiciais», disse a O Queiroz. «Acredito na resiliência
afetada na tarde de domingo por afetados. E reitera que o atual sis- os agricultores por considerar que INTERIOR Rodolfo Queiroz. das gentes e dos produtores da
chuva, ventos fortes e granizo. A tema de seguros agrícolas não está a trovoada de domingo «arruinou O presidente da CVRBI acres- Beira Interior. A CVRBI tudo fará,
tempestade repentina derrubou ár- adequado à realidade, «porque tem completamente» o ano agrícola. centou que mais a Norte, em Pi- dentro das suas competências e
vores e estruturas, fez cair linhas elé- prémios caros e uma cobertura de Pelas suas contas, os prejuízos no nhel, Figueira de Castelo Rodrigo, possibilidades, para os ajudar,
tricas, causou inundações e pode ter risco desadequada, pelo que são concelho podem ascender aos 20 Almeida e Vila Franca das Naves mas para também é preciso que
comprometido as colheitas agrícolas poucos os agricultores que aderiram milhões de euros. «Se não houver (Trancoso), já no distrito da Guar- os consumidores, a restauração e
deste ano, nomeadamente na vinha a este sistema». Quem também já se rapidamente uma resposta con- da, também «alguns estragos de a hotelaria da região consumam
e fruta, como cerejas e pêssegos. fez ouvir foi o presidente da Câmara certada de todos e de diferentes granizo, mas mais localizados». mais vinhos da nossa região»,
A intempérie durou pouco mais da Covilhã, que disse esperar que o linhas de apoio, estaremos a pôr Para já, o responsável não quer apela o dirigente. Inicialmente, as
de duas horas, mas não fez feridos, e Governo aprove apoios diretos para em causa, para muitos anos, aquilo ainda falar em campanha compro- previsões da Comissão Vitiviníco-
fustigou sobretudo os concelhos do os agricultores do concelho. que é uma das maiores fontes de metida: «Ainda é muito cedo para la para este ano apontavam para
Fundão, Belmonte, Covilhã, Pena- Vítor Pereira fala num «cenário rendimento e de sustentabilidade ter uma opinião com grande grau uma produção «particamente se-
macor e a parte norte do município de calamidade» e numa situação económica, social e ambiental, de certeza. A produção da Beira melhante à do ano anterior, seria
de Castelo Branco. As primeiras «muito preocupante», pois num mo- como é a agricultura na região», Interior como um todo não está um ano absolutamente normal».
estimativas apontam para prejuízos mento recessão económica provoca- declarou o presidente da Câmara comprometida, no entanto alguns Sedeada na Guarda, a CVRBI
de vários milhões de euros, tendo a da pela pandemia da Covid-19 «esta aos jornalistas. Na sua opinião, produtores privados poderão ter abrange as zonas vitivinícolas de
Associação Distrital de Agricultores intempérie extrema veio arruinar os todas as fileiras produtivas foram uma maior quebra de produção», Castelo Rodrigo, Pinhel e Cova
de Castelo Branco (ADACB) pedido campos e dar a machada final àquela afetadas, com destaque para a ce- estima Rodolfo Queiroz. O presi- da Beira, nos distritos de Guarda
à tutela que declare o estado de ca- que é uma fonte de rendimento reja, o pêssego, a vinha e o olival, dente da CVRBI acredita também e de Castelo Branco. Conta com
lamidade pública para possibilitar muito significativa no concelho». O sendo quem um primeiro balanço que esta tempestade não vá pre- mais de 60 associados, dos quais
a adoção de «medidas urgentes» autarca fala mesmo em «prejuízos efetuado por equipas do município cipitar a falência de produtores quatro adegas cooperativas, e
de apoiar os produtores afetados. sem precedentes», indicando que aponta para prejuízos diretos aci- na região. «Este ano está a ser cerca de 16 mil hectares de vi-
Para a ADACB, tratou-se de «uma a trovoada, granizo e chuva fortes ma dos 20 milhões de euros, «valor particularmente difícil. Primeiro nhas, onde predominam as castas
tempestade, como não há memória tiveram «maior intensidade» nas que irá crescer quase de certeza, foi a pandemia da Covid-19, agora brancas Síria, Arinto e Fonte Cal e
nesta época do ano», que dizimou os freguesias de Peraboa e Ferro, onde porque sobrou muito pouco e o re- o granizo, a trovoada e os ventos as tintas Tinta Roriz, Rufete, Tou-
pomares (cereja, pêssego, pereira, se registaram prejuízos «de 80 a lato de danos continua a crescer», fortes, mas espero francamente riga Nacional, Trincadeira e Jaen.
maceira, ameixeira, damasqueiro, 90 por cento em todos os setores adianta o edil, lembrando que o
figueiras…), bem como o olival, a de produção agrícola e culturas da setor agroindustrial representa no Minas da Panasqueira
vinha e as hortas. «As culturas de época, com especial destaque para Fundão «cerca de 100 milhões de
Outono/ Inverno, como a aveia,
azevém, trigo e feno, e os cereais de
o pêssego», que é muito represen-
tativo no concelho. «São prejuízos
euros por ano».
«Precisamos que as linhas de
Greve de três horas por dia
Primavera/ Verão (milho e sorgo) fo- graves, até porque a área mais apoio se ativem o mais depressa por aumentos salariais
ram também seriamente afetados», afetada ficou com quase toda a pro- possível, como também as ajudas a
Os mineiros da Panasqueira grupo canadiano Almonty – de ter
adianta a associação. dução frutícola destruída», alertou o fundo perdido, nomeadamente do
(Covilhã) vão fazer greve três horas reduzido a proposta apresentada
Numa carta já enviada ao dire- autarca, que fala também em perdas Programa de Desenvolvimento
por dia, entre os dias 15 e 20 de em março para um aumento de 1
tor regional de Agricultura e Pescas da ordem dos «80 a 90 por cento» na Rural (PDR), que apoiam a re-
junho, para reivindicarem aumen- por cento, valor que o sindicato já
do Centro, entidade sediada em horticultura. posição do potencial produtivo,
tos salariais, embora a empresa considerava «ridículo» por repre-
Castelo Branco, a direção da ADACB porque há perdas estruturais e
garanta que não pode ir mais longe sentar 0,25 euros por dia. Segundo
garante que «violência do temporal Ano agrícola infraestruturas destruídas de
do que 1 por cento. a estrutura sindical afeta à CGTP,
foi tão grande que, com a destruição «arruinado» no Fundão forma definitiva», exemplificou
Em comunicado, o Sindicato em reunião realizada na semana
dos ramos do ano, os pomares, olival Paulo Fernandes, que anunciou a
dos Trabalhadores da Indústria passada, a empresa comunicou
e vinha serão afetados na produção Quem também já solicitou intenção de «conjugar esforços»
Mineira (STIM) acusa a Beralt Tin que a proposta só seria aplicada a
do próximo ano». Para fazer face às uma reunião urgente à ministra com os autarcas de Belmonte,
and Wolfram Portugal – empre- partir de julho, pelo que o sindicato
necessidades, a associação defende da Agricultura, Maria do Céu Albu- Covilhã, Penamacor e Castelo
sa que detém a exploração das considera que existe uma redução
a criação de uma linha de crédito querque, foi o autarca do Fundão. Branco, cujos concelhos também
minas e que é propriedade do efetiva da proposta de aumento.
«a longo prazo, sem juros, e apoios Paulo Fernandes reclama a «ur- foram afetados.
Quarta-feira • 03 de junho de 2020 • •5

Figueira de Castelo
Rodrigo
Alunos lançam A mãe «refilona» que
chega à Assembleia
campanha
para equipar
laboratórios
e salas de
informática do
Agrupamento
da República DR

Alunos do 6ª do Agrupa-
Miguel foi penalizado
mento de Escolas de Figueira
na sua avaliação
de Castelo Rodrigo lançaram
escolar devido a uma
uma campanha para conseguir
cirurgia realizada de
equipar os seus laboratórios e
urgência. Mesmo com
salas de informática.
justificação, o júri
Ariana Matias, David Cor-
nacional de exames não
reia, Iara Julião e Samira Anjo,
permitiu que este aluno
os responsáveis por esta ação
exemplar tentasse subir
solidária, pretendem angariar
a nota durante a época
e doar material informático
especial, reservada a
a alunos carenciados do seu
desportistas, grávidas e
agrupamento. «Na nossa escola
militares. Ana Cariano
há muitos colegas que não têm
não se conformou com
possibilidades de ter materiais
a «injustiça» e insistiu
necessários para o estudo,
para mudar a lei. Será
tais como livros, cadernos ou
ouvida na Assembleia da
material de escritório (54 por
República esta quinta-
cento dos alunos são carencia-
feira.
dos, possuem escalão de ação
Sofia Craveiro
social A ou B), muito menos os
materiais necessários ao ensino
à distância (sendo que, num
O problema surgiu há um ano.
universo de aproximadamente
A 2 junho de 2019, após queixas
460 alunos, 142 não possuem
de dor abdominal e vómitos cons-
nenhum computador e Internet
tantes, Miguel, aluno do 11º ano
e a maioria dos restantes está
da Escola Secundária Afonso de
a trabalhar com um compu-
Albuquerque, na Guarda, deslocou-
tador ou telemóvel dos pais,
se ao Hospital Sousa Martins. O
partilhando-o com estes e com
diagnóstico inicial era gastroen-
os irmãos)», revelam os alunos.
terite ou apendicite aguda, mas,
Num email enviado a O As hipóteses de Miguel ingressar na licenciatura pretendida ficaram reduzidas devido a uma doença aguda grave que obrigou
depois de vários exames negativos,
INTERIOR, os promotores da a intervenção cirúrgica
dejeções constantes e regressos às
campanha manifestam o desejo
urgências, foi detetada uma perito- Apesar das contrariedades, meteu novamente para o JNE. De 2020, a mãe do Miguel justificava
de terem melhores condições
nite generalizada. A doença – uma Miguel deslocou-se à escola ainda nada serviu. Algum tempo depois, que aqueles diplomas não contem-
de trabalho, «com recursos
infeção bacteriana ou fúngica do em fase de tratamento de ambula- a psicóloga lisboeta residente na plam «os princípios da igualdade
informáticos e laboratórios
peritoneu, uma membrana que tório, levando consigo uma sutura Guarda deslocou-se a uma confe- de oportunidades no acesso ao
de Química e Biologia apetre-
reveste o interior da parede ab- aberta no abdómen. Fez os exames rência da sua área onde estava a ensino superior», previstos na
chados», sublinhando que o
dominal – foi causada pelo atraso da segunda fase de Biologia e Geo- secretária de Estado da Educação, Constituição, prejudicando os
Agrupamento não consegue
no diagnóstico, que originou múl- logia e Física e Química A e obteve Susana Amador. «Assim que a vi estudantes por motivos que lhes
equipar os laboratórios e as
tiplos abcessos e obrigou a uma nota positiva. Os resultados eram fui à volta e fiz-lhe uma espera. são inimputáveis.
salas de informática por falta
intervenção cirúrgica de urgência. bons, mas insuficientes para o seu Lá mesmo ao pé do palco!», relata «Qual não é o meu espanto
de orçamento. «Assim não
Entre operações e ambulatório, Mi- objetivo. As alternativas seriam a Ana Cariano, que, apesar de ter quando recebo um email da Co-
conseguimos ter aulas práticas,
guel esteve dois meses internado, repetição dos dois exames no ano conseguido conversar diretamente missão Parlamentar [de Educação,
de forma a treinar competên-
tendo saído do hospital apenas a seguinte – na mesma altura em com a governante – que, segundo Ciência, Juventude e Desporto] a
cias essenciais, constantes no
2 de julho. que seria avaliado a Português e relata, se mostrou disponível para dizer que a minha exposição tinha
perfil do aluno, e fulcrais para
A data foi tudo menos conve- Matemática A – ou tentar a época ajudar – não obteve resultados. sido acolhida e que achavam que
o nosso futuro profissional»,
niente. Por esta altura a primeira especial para subir a nota. era um assunto para ser ouvido
sustentam. A campanha está
em curso e o objetivo é anga-
fase dos exames nacionais já «Chateei-me com esta e tratado», conta agora, dizendo-
riar materiais informáticos,
tinha passado e a segunda etapa Legislação atual impede porcaria!» se incrédula com a resposta que
hotspots, uma licença de uma
das provas estava a umas escas- acesso à época especial chegou no mês seguinte. O assunto
plataforma digital, material de
sas duas semanas de distância. As de exames por motivos «Escrevi ao Sr. Presidente da ficou pendente por força do Estado
escritório, equipamentos ou
notas finais de um aluno exem- de saúde República, escrevi ao Sr.primeiro- de Emergência decretado em Por-
plar estavam em risco de descer, ministro – mas não escrevi para tugal, mas foi retomado em maio.
reagentes laboratoriais e/ ou
o que iria prejudicar a média Após apresentar as devidas os gabinetes, escrevi diretamente Ana Cariano foi contactada e vai
apoio financeiro. «Os equipa-
final dos três anos de secundário. justificações médicas, Ana Caria- para eles! –, para a Provedoria da esta quinta-feira, dia 4 de junho, a
mentos poderão ser usados,
Além disso, por só poder reali- no, mãe de Miguel, viu negado o Justiça, [para] todos os grupos São Bento, onde será ouvida pela
pois o importante é termos a
zar os exames na segunda fase, pedido para o filho aceder à época parlamentares… Tudo o que eu me referida comissão parlamentar.
possibilidade de treinar as com-
o guardense de 17 anos ficou especial das provas. O Júri Nacional lembrei que pudesse ser possível, «Eu sou sincera: eu sei que isto
petências, fazendo e não lendo
impedido de se candidatar à pri- de Exames (JNE) disse-se «sensível enviei [cartas]», afirma a encarre- já não vai ajudar o meu filho em
como se faz», acrescentam. Os
meira fase do concurso nacional à situação ocorrida», mas remeteu gada de educação. nada», assume, adiantando que o
interessados em ajudar devem
de acesso ao ensino superior no para a legislação, que define os Apesar da sua perseverança filho acabou por sair beneficiado
contactar o Agrupamento de
ano seguinte, de acordo com a lei alunos que podem aceder à época nenhum dos contactos deu frutos. com as alterações normativas das
Escolas de Figueira de Castelo
(despacho normativo nº3A/2019 especial: «Praticantes desportivos «Chateei-me com esta porcaria!», avaliações aplicadas durante a
Rodrigo.
de 26 de fevereiro). Miguel pre- de alto rendimento e seleções assume Ana Cariano, que, após pandemia. Mas sublinha que «acho
tende ingressar em Engenharia nacionais»,« grávidas», «mães e esgotar as hipóteses, decide avan- isto de tal maneira injusto para
Biomédica, no Instituto Superior pais estudantes» e «militares, em çar com uma Moção de Alteração todos os jovens que decidi não
Técnico de Lisboa, um curso cuja regime de contrato, contrato es- Legislativa e respetivo pedido de desistir». «Há tanta barreira, tanto
nota mínima de seriação (do pecial ou voluntariado». Motivos audiência. «Armei-me em gran- “não”, que é difícil conseguirmos
último colocado) no ano letivo de saúde não estão contemplados. de e escrevi um texto», no qual manter dentro de nós a força e o
2019/2020 foi de 18,1 valores Inconformada, Ana Cariano, pretendia que fossem alterados espírito para continuar a lutar»,
e do qual restaram nesse ano psicóloga do Agrupamento de Es- a Deliberação nº 1233/2014 de refere a encarregada de educação,
apenas quatro vagas para a se- colas de Pinhel, decidiu «escalar» a 9 de junho, da Comissão Nacional que confessa ter ganho o gosto
gunda fase. As chances de entrar hierarquia e telefonar diretamente de Acesso ao Ensino Superior, e o pelas lutas cívicas e comunitárias
Contacte-nos! ficaram, assim, substancialmente para o Ministério da Educação, Despacho Normativo nº3-A/2019, que agora fazem parte da sua vida.
Tel: 271212153
reduzidas devido a um problema exigindo «exercer os seus direitos do Ministério da Educação. Na sua «Tornei-me uma refilona» e assim
Tlm: 964246491
grave de saúde. de cidadania», mas a resposta re- exposição, enviada em fevereiro de promete continuar.
6• • Quarta-feira • 03 de junho de 2020

União de Sindicatos
S fala em «milhares de
Sociedade trabalhadores» sem salário
no distrito da Guarda
Crise provocada pela Covid-19 poderá duplicar taxa de desemprego na região porque as medidas
de estímulo económico chegam «a conta-gotas e não abrangem muitas das micro e PME’s»
DR
Entre 4.000 a 6.000 trabalha-
dores do distrito da Guarda estão
em situação de «perda de salário»
Vilar Formoso após os seus empregadores terem
recorrido ao “lay-off” simplificado,
242 doses alerta a União dos Sindicatos da
Guarda (USG).
de heroína Na segunda-feira, em conferên-
cia de imprensa, José Pedro Branqui-
apreendidas nho denunciou que «muitos deles»
não estarão a auferir «qualquer
na fronteira retribuição» porque trabalham em
DR
micro, pequenas e médias empresas
onde o “lay-off” «ainda não chegou e
não sabemos se chegará». Segundo
o coordenador da estrutura sindical
afeta à CGTP, mais de mil empresas,
maioritariamente micro e PME’s,
pediram este regime de apoio no
distrito desde o início da pandemia
da Covid-19. Em “lay-off” continuam
cerca de 120 operários da Dura Au-
tomotive e 180 na têxtil Lusolã, em
Seia. «Na Coficab os trabalhadores
Dois homens, de 51 e 53 fazem apenas dois a três dias por
anos, foram detidos pela GNR semana», acrescentou o dirigente,
no passado 27 de maio, em Vi- segundo o qual a taxa de desempre-
go no distrito poderá «duplicar de 6 “Lay-off” «serve apenas para responder às exigências dos patrões», além de «penalizar» a Segurança Social,
lar Formoso, quando tentavam avisa José Pedro Branquinho
passar a zona de fronteira com para 12 ou 13 por cento» nos pró-
242 doses de heroína e quatro ximos tempos porque as medidas da USG aproveitou a oportunidade das progressões nesta carreira. De- de exercerem outras categorias e
doses de cocaína. de estímulo económico chegam «a para elogiar o Serviço Nacional de fendeu igualmente o cumprimento responsabilidades profissionais,
De acordo com o Comando conta-gotas e não abrangem muitas Saúde (SNS), que disse ter evitado «escrupuloso» de horários de traba- além da alteração «unilateral»
Territorial da Guarda, «foi dete- das micro e PME’s». efeitos «ainda mais catastróficos» lho «de 8 horas e não de 12». dos horários de trabalho. «Nos
tada uma viatura, com dois pas- Para José Pedro Branquinho, da pandemia da Covid-19. O sin- José Pedro Branquinho denun- lares, os trabalhadores passaram a
sageiros, a entrar em Portugal, os trabalhadores foram «os mais dicalista lembrou também que os ciou ainda que «muitas» direções fazer horários de 10, 12,14 e mais
por um ponto de passagem não afetados» pelo recurso ao “lay-off”, enfermeiros estiveram «sempre de IPSS e Misericórdias aproveita- horas seguidas, chegando mesmo
autorizado, pelo que foi aborda- uma medida que «serve apenas na frente mesmo sem as condições ram a Covid-19 para «um ataque assegurar 14 dias seguidos sem
da» no âmbito de uma operação para responder às exigências dos necessárias», pelo que exigiu a vin- sem precedentes» aos direitos saírem do local de trabalho, o que
de vigilância de fronteiras. Ao patrões», além de «penalizar» a Se- culação das «dezenas» de precários dos seus trabalhadores, nome- para a USG é inaceitável desde
aperceber-se da aproximação gurança Social e ter efeitos econó- existentes na Unidade Local de adamente através da imposição logo», criticou o sindicalista, entre
das autoridades, «um dos ocu- micos recessivos. O coordenador Saúde (ULS) e o descongelamento do gozo de férias ou da obrigação outros problemas.
pantes atirou um embrulho
pela janela que, depois veio a Guarda
confirmar-se ser produto estu-
Fornos de Algodres
pefaciente», adianta a GNR em
comunicado. Os detidos foram
constituídos arguidos e os fac-
Centro comercial La Vie reabriu “Lay-off” suspenso
nos bombeiros
O centro comercial La Vie A Associação Humanitária dos Bom-
tos remetidos para o Tribunal Guarda reabriu ao público na beiros Voluntários de Fornos de Algodres
Judicial de Almeida. segunda-feira. As lojas e os (AHBVFA) anunciou que suspendeu o
espaços de restauração estão recurso ao “lay-off” que estava em vigor
a funcionar cumprindo as desde março por causa da redução do
regras de segurança e de hi- serviço devido à pandemia da Covid-19.
gienização determinadas pela A medida terminou a 1 de junho,
Direção-Geral de Saúde (DGS). adiantou o presidente da instituição, que
Já as salas de cinema Cineplace justifica a decisão com o «aparecimento de
continuam encerradas, não alguns serviços não urgentes». Fernando
havendo ainda data para a sua Rodrigues acrescenta que «ainda estamos
reabertura. longe da normalidade dos serviços, mas
«No La Vie o uso obriga- decidimos acabar com o “lay-off” porque
tório de máscara, o distan- estes serviços não urgentes têm vindo
ciamento social e a lavagem a aumentar gradualmente». Em março,
frequente das mãos são hábitos a associação humanitária invocou uma
que devemos manter até que redução de «mais de 40 por cento dos
oficialmente tal seja alterado. serviços» para entrar em “lay-off”. Desde
Estão também assegurados então estavam diariamente no quartel oito
os procedimentos de gestão funcionários para assegurar «toda a emer-
adequados a estes novos tem- gência» e havia equipas de prevenção para
pos, como limpeza mais recorrentes dos espaços administração do centro comercial em comunicado. acorrer a «alguma situação mais gravosa»,
mais expostos aos corredores diferenciados para O “shopping” está a funcionar no horário normal, das referiu na altura o responsável. Também a
entradas e saídas, o controlo de temperatura, o 10 às 22 horas, e vai retomar a segunda edição do equipa de intervenção permanente esteve
controlo da lotação das lojas e de todos os demais “Mostra o Que Vales”, o concurso de novos talentos «a trabalhar a cem por cento» e os outros
pressupostos que a legislação obrigar», garantiu a interrompido em março que prossegue agora online. funcionários da instituição «a 50 por cento».
Quarta-feira • 03 de junho de 2020 • •7

Comissão Belmonte
Mulher contagiada em Lisboa é o
primeiro caso de Covid-19 no concelho

Covid-19 do
Uma mulher com cerca de comunidade». Nesse sentido, a
60 anos é a primeira infetada situação está a ser acompanha-
com Covid-19 no concelho de da pelas autoridades de saúde e
Belmonte. policiais «desde a primeira hora»

Hospital da
O caso foi confirmado no para que as regras de confina-
sábado pela autarquia que, em mento e isolamento profilático
comunicado enviado a O INTE- sejam «devidamente cumpridas».
RIOR, adiantou que o contágio A Câmara de Belmonte acrescen-
terá ocorrido numa deslocação ta que também está em contacto

Guarda bate
recente a Lisboa. O marido tam- com a família afetada, tendo-se
bém já foi testado e o resultado disponibilizado, nomeadamente,
deu negativo. a fornecer «alimentação e quais-
O município esclarece que, quer outros cuidados». De resto,
sendo «um caso importado e «os elementos desta família en-

com a porta
não de contaminação local, não contram-se confinados nas suas
deixa de merecer a nossa atenção habitações», garante a autarquia,
e acompanhamento, por forma que apelou à população que se
a evitar a sua propagação pela mantenha «serena e calma».

Vilar Formoso
Coordenador demitiu-se em divergência com a administração da 60 mil pessoas na fronteira
ULS por a Comissão não ter sido consultada acerca da retoma das
desde 16 de março
consultas e cirurgias programadas. Luís Ferreira é um dos nomes O Serviço de Estrangeiros e trar em território nacional cerca
apontados para suceder a Isabel Coelho no CA Fronteiras (SEF) controlou 60 mil de três mil pessoas, «por não se
DR pessoas em Vilar Formoso desde encontrar justificada a necessi-
16 de março, data em que foram dade de atravessar a fronteira», e
encerradas as fronteiras com detidas 15 pessoas, lê-se no rela-
Espanha e criados nove pontos tório do Serviço de Estrangeiros e
de passagem autorizados com o Fronteiras. Valença foi o ponto de
país vizinho. passagem autorizado com mais
Desde então agentes do SEF registos, ultrapassando as 200
e militares da GNR estão a con- mil pessoas. Caia foi o segundo
trolar as entradas em Portugal, com mais registos, cerca de 70
tendo fiscalizado mais de meio mil, seguido de Vilar Formoso,
milhão de pessoas, anunciou o com 60 mil. As fronteiras com
SEF esta sexta-feira. Durante este Espanha vão continuar fechadas
período foram impedidas de en- até 15 de junho.

Seia
Homem detido por suspeita de abuso sexual
de crianças AR

«Foi clara uma desconsideração para comigo, na qualidade de presidente da comissão, e não podia ser conivente
com essa situação», disse Luís Ferreira

Duas semanas depois da Sec- adequada, que foi pedir a demissão», rou a sua confiança a esta comissão
ção Regional do Centro da Ordem acrescentou o pneumologista. ou a qualquer um dos seus membros
dos Médicos ter vindo à Guarda A decisão foi comunicada aos em particular, antes pelo contrário,
elogiar o «excelente trabalho» dos restantes elementos da Comis- não se cansa de enaltecer e agrade-
profissionais da Unidade Local de são, em funções desde março, que cer o seu trabalho exemplar ao longo
Saúde (ULS) à pandemia, a Comis- também bateram com a porta em destes difíceis meses». A Comissão
são Covid demitiu-se em bloco na solidariedade com Luís Ferreira. Covid-19 foi criada numa altura
segunda-feira em «divergência» São eles Adelaide Campos, diretora em que o Hospital Sousa Martins
com o Conselho de Administração do Serviço de Urgência; Alcina Tava- (HSM) foi indicado como hospital
presidido por Isabel Coelho. res, coordenadora do Programa de de “segunda linha” no combate à
Na origem da demissão está o Prevenção e Controlo de Infeção e de pandemia atendendo às condições
facto de administração hospitalar Resistências aos Antimicrobianos; adequadas de instalações, equipa- A Polícia Judiciária (PJ), com qualquer relação familiar com
ter decidido retomar a atividade Ana Isabel Viseu, coordenadora da mentos existentes no denominado a colaboração da GNR de Seia, a vítima e os factos imputados
das consultas e cirurgias progra- Unidade de Saúde Pública; Catarina Pavilhão Novo, à capacitação do seu deteve um homem de 50 anos terão acontecido num contexto
madas, que tinham sido adiadas Quinaz, infeciologista; João Correia, Laboratório de Patologia Clínica e «fortemente indiciado» pela prá- «de certa proximidade social,
para dar prioridade ao tratamento diretor do Serviço de Medicina ao reconhecimento da competência tica de um crime de abuso sexual decorrente de natural relação
dos doentes com Covid-19, sem Interna; José Valbom, da Unidade técnica e profissionalismo dos seus de crianças agravado naquela de vizinhança», adianta a PJ em
consultar a referida comissão sobre, de Saúde Ocupacional; Luísa Lopes, recursos humanos, justificou na cidade. comunicado. O suspeito, que
nomeadamente, a existência ou não diretora da Unidade de Cuidados altura a ULS. Segundo o Departamento de tem antecedentes pela prática
das condições de segurança necessá- Intensivos; e os enfermeiros Júlio O caso pode ter precipitado a Investigação Criminal da Guarda, de crimes da mesma natureza,
rias para esse regresso da atividade Salvador e Vítor Salomé. Cabe agora substituição do atual CA da ULS, cuja os abusos terão ocorrido «de for- foi presente a tribunal para pri-
normal no Hospital Sousa Martins. ao CA nomear uma nova Comissão comissão de serviço terminou no ma reiterada, pelo menos desde o meiro interrogatório judicial,
Sentindo-se desautorizado Luís Fer- Covid-19. Confrontada por O IN- passado 31 de dezembro de 2019 verão passado, sobre uma menor tendo o juiz determinado a sua
reira, diretor da Pneumologia e coor- TERIOR, Isabel Coelho respondeu e aguarda desde então a decisão da atualmente com apenas 13 anos prisão preventiva como medida
denador da equipa multidisciplinar numa nota para referir que a de- tutela. Esta terça-feira a ministra da de idade». O detido não tem de coação.
para a Covid-19, demitiu-se do cargo missão desta Comissão «partiu ini- Saúde, Marta Temido, confirmou
alegando ter ocorrido «uma situação cialmente do senhor coordenador, que a administração está de saída.
de divergência» com um elemento tendo os restantes membros sido Carlos Filipe Camelo, atual presi-
da administração da ULS da Guar- solidários com este pedido». dente da Câmara de Seia, ou mesmo
da, que não quis especificar. «Achei «Quanto ao ou aos motivos o médico Luís Ferreira são os nomes
que foi clara uma desconsideração deste pedido ao próprio dizem res- em cima da mesa para substituir
para comigo, na qualidade de presi- peito, pelo que qualquer explicação Isabel Coelho na presidência do CA. Visite-nos no Facebook
dente da comissão, e não podia ser lhe deve ser solicitada», acrescenta A decisão poderá ser tomada na www.facebook.com/ointerior
conivente com essa situação, pelo a presidente do CA, segundo a qual reunião do Conselho de Ministros
que tomei a decisão que achei mais a administração da ULS «nunca reti- desta quinta-feira.
8• • Quarta-feira • 03 de junho de 2020

Covilhã

Câmara reduz dívida,


oposição queixa-se da falta
de investimento
A Câmara da Covilhã anun-
AR
aos atrasos que tem havido no
ciou ter reduzido sete milhões Portugal 2020».
de euros à dívida municipal em Adolfo Mesquita Nunes, ve-
2019, passando de mais de 76 reador do CDS-PP, não ficou im-
milhões em 2018 para 69,3 mi- pressionado com estes números.
lhões de euros. Pelo contrário, o único vereador
«Continuamos a ter boas da oposição presente aquando da
contas, contas certas e arruma- votação da prestação de contas
dinhas, e na boa trajetória da estima que a taxa de execução do
recuperação que encetamos em município não passou os 75 por
2013, tendo em vista devolver à cento do valor proposto e que o
Câmara a credibilidade que ela nível de investimento está com
deve ter junto dos munícipes, dos taxas de execução que rodam os
seus credores e dos seus forne- 35 por cento. «Apenas na despesa
cedores», disse Vítor Pereira aos de pessoal se consegue uma exe-
jornalistas na sexta-feira, no final cução de 100 por cento», disse,
da reunião privada do executivo com ironia, constatando que nas
que aprovou a prestação de con- restantes rubricas as taxas são
tas relativa ao ano transato foi «muito baixas», caso da área da
aprovada por maioria, com o voto Educação que «não passou de 28
contra do CDS-PP. De acordo com por cento». Para Adolfo Mesquita
o autarca, a maior redução foi Nunes, «estamos em mínimos his-
realizada na dívida bancária, que tóricos de investimento e, mais do
no final de 2018 ultrapassava os que gerir a decadência notória da
37 milhões de euros e era de 31,2 Covilhã nos últimos anos, este exe-
milhões a 31 de dezembro de cutivo revela que apenas é capaz de
2019. Vítor Pereira também des- gerir a sua própria decadência. Só
tacou que a execução orçamental se consegue gastar três quartos e
da receita foi de 35,6 milhões de só se consegue arrecadar 80 por
euros, o equivalente a uma taxa cento e não consegue concretizar,
de execução de 80,5 por cento do ponto de vista do investimento,
que «só não foi superior devido nada que seja relevante», criticou.

Justiça Manteigas

Ex-tesoureira da Junta de Requalificação da antiga escola de Vale


Valhelhas condenada a pena de Amoreira já começou DR
As obras de renovação do edifí-
suspensa por se apropriar de cio da antiga escola de Vale de Amo-
reira (Manteigas) já arrancaram. A
receitas do parque de campismo empreitada tinha sido consignada a
28 de fevereiro, mas só teve início na
A ex-tesoureira da Junta de «parcialmente procedente», ten-
semana passada devido à pandemia
Freguesia de Valhelhas (Guarda), do sido declarada perdida a favor
da Covid-19.
que desempenhou funções no do Estado a quantia de 9.033,58
Segundo a autarquia, a inter-
mandato anterior, foi condenada euros, que a arguida vai ter que
venção irá permitir criar duas salas
à pena suspensa de três anos e pagar. Já o pedido de indemni-
multiusos, uma sala de exposições
seis meses de prisão, pela prática zação cível deduzido pela Junta
temporárias e uma área para
de um crime de peculato. de Freguesia de Valhelhas foi
funcionamento administrativo da
O Tribunal da Guarda decidiu julgado improcedente.
Junta de Freguesia local, além de
absolver a antiga eleita na lista A ex-tesoureira, de 46 anos,
instalações sanitárias. O edifício
do PS da prática de dois crimes que esteve em funções de 2013
encontrava-se em avançado estado
de peculato por titular de cargo a 2017, estava acusada de ter
de degradação e com esta requalifi-
político agravado, na forma con- obtido benefícios patrimoniais
cação serão substituídas a cobertu-
tinuada. A mulher, de 46 anos, foi «traduzidos nas quantias mone-
ra, caixilharias e pavimentos, sen- arquitetónicas do imóvel serão mais de 120 mil euros, no âmbito
ainda condenada pelo coletivo de tárias de que se apropriou, desig-
do também realizados trabalhos de preservadas», refere o município de um concurso que envolveu a
juízes ao pagamento de 60 dias nadamente no período de maio
pintura, de acabamentos diversos em comunicado. A empreitada foi «consulta prévia a quatro empre-
de multa, à taxa diária de sete a agosto de 2015 (13.803,09
e de construção de novas instala- adjudicada à Vectorplano - Projeto, sas locais e regionais», adianta a
euros, no total de 420 euros, e euros) e, no período de agosto
ções sanitárias. As características Construção e Engenharia, Lda., por Câmara de Manteigas.
na pena acessória de proibição a dezembro de 2016 (13.661,66
do exercício das funções que euros), cujo montante, relativa-
exercia e do cargo para que foi mente a este último, acabou por Gouveia
eleita, também pelo período de
três anos e seis meses. Segundo
devolver à freguesia». As verbas
em causa eram relativas a recei- Centro de recolha de animais oficializado
o acórdão, o pedido de perda de tas obtidas pela Junta no parque A Câmara de Gouveia já aprovou ções dos municípios em matéria de sendo por isso necessário criar uma
vantagens deduzido pelo Minis- de campismo que gere junto do o protocolo a celebrar com o muni- captura, alojamento, esterilização estrutura que assegure ao município
tério Publico foi considerado rio Zêzere. cípio vizinho de Celorico da Beira e promoção da adoção de animais a possibilidade de continuar a pres-
para a construção de um centro in- de companhia. Desde a entrada em tar esse serviço público». A solução
termunicipal de recolha de animais vigor da Lei nº 27/2016, de 23 de vai resultar da «partilha de recursos
errantes (cães e gatos) para servir agosto, que estabelece a proibição físicos, financeiros e humanos»
os dois concelhos. do abate como forma de controlo entre as autarquias de Gouveia e
Com este projeto, as duas autar- da população de animais errantes, o Celorico da Beira, que «não possuem
quias esperam controlar os proble- número de cães e gatos de Gouveia respostas municipais próprias para
mas de saúde e segurança públicas transferidos para o Centro de Reco- estas necessidades». Para tal, será
Contacte-nos!
associados à proliferação de animais lha de Seia e para o Canil Municipal apresentada uma candidatura in-
Tel: 271212153 • Tlm: 964246491
errantes, além de cumprir as obriga- da Guarda «tem vindo a crescer, termunicipal para financiar a obra.
Quarta-feira • 03 de junho de 2020 • •9

Lazer

“Qualidade Ouro” para seis O INTERIOR celebrou


praias fluviais DR
20 anos no Aquariu’s PC

Seis praias fluviais da região foram clas- cas, não ter registados ocorrências/avisos
sificadas com o galardão “Qualidade de Ouro” de desaconselhamento da prática balnear, O INTERIOR assinalou 20 anos com repasto, que juntou apenas os elemen-
pela associação ambientalista Quercus. proibição da prática balnear e/ou interdição um jantar na passada quinta-feira no tos da redação e colaboradores mais
A lista foi divulgada na quinta-feira temporária da praia. restaurante Aquariu’s, na Guarda, que próximos, contou com vinhos da Adega
e, no distrito da Guarda, inclui Valhelhas Além disso, todas as análises realizadas reabriu há três semanas. Cooperativa de Pinhel e da Cooperativa
(Guarda), Relva da Reboleira (Manteigas), na última época balnear deverão ter apre- A pandemia adiou a festa, mas a Beira Serra, de Vila Franca das Naves.
Vale do Rossim (Gouveia), Loriga e Lapa sentado resultados melhores que os valores efeméride foi celebrada em modo Co- A ementa foi escolhida a preceito por
dos Dinheiros (ambas em Seia). Unhais da definidos para o percentil 95 do anexo I da vid-19, cumprindo, dentro do possível, Jorge Silva e o bolo final, um delicioso
Serra (Covilhã) é a única distinguida na Diretiva relativa às águas balneares, isto as indispensáveis regras do distancia- e refrescante número 20, foi confecio-
zona da Cova da Beira. Este ano a Quercus é, para águas interiores, todas as análises mento social e do uso de máscaras. O nado pela pastelaria Cristal 98.
atribuiu “Qualidade de Ouro” a 381 praias deverão apresentar valores inferiores a
portuguesas, mais seis que em 2019, e con- 200ufc/100ml para os Enterococos intes-
siderou «imprescindível» o cumprimento tinais e inferiores a 500ufc/100ml para a PUB
das regras sanitárias da Direção-Geral da Escherichia coli. A informação utilizada para
Saúde nas praias. Para receberem a classifi- a avaliação é pública e oficial, disponibiliza-
cação de “Praia com Qualidade de Ouro” as da pela Agência Portuguesa do Ambiente,
zonas balneares têm de preencher critérios tendo apenas em consideração as análises
como a qualidade da água avaliada como efetuadas nos laboratórios das diferentes
“excelente” durante as últimas cinco épo- Administrações Regionais Hidrográficas.

Almeida

Fecho da fronteira com Espanha


ameaça comércio local
O impacto da Covid-19 na fronteiras que foi executado como
economia tem sido devastador, medida de prevenção face à conta-
em particular para os pequenos minação por Covid-19. «Por esta
empresários da restauração e altura os restaurantes estavam “à
comerciantes de Vilar Formoso pinha” e agora... nada», lamenta
e de Almeida que viram a sus- o edil, que diz serem necessários
tentabilidade dos seus negócios mais apoios estatais para auxiliar
ameaçada. os negócios locais, em especial
Dependendo diretamente do os «familiares sem contabili-
fluxo transfronteiriço, a situação dade organizada» que
da economia local conti- não tiveram acesso
nua a agravar-se. Antó- ao “lay-off ” simpli-
nio Machado, presi- ficado. «Tomámos
dente da Câmara de algumas medidas,
Almeida, relata que como a redução das
há «pouca gente» taxas de esplanadas,
a fazer a travessia a isenção da fatura
diária da fronteira, apesar de se notar já da água, etc., mas estamos nesta expetativa
um ligeiro aumento. «Foi-nos colocada uma que sejam definidas novas medidas para que
barreira que precisamos que desapareça», possamos intervir um pouco mais», assume
alerta o autarca, referindo-se ao fecho de António Machado.

Guarda

Autarquia lança campanha


para atrair turistas
«Após um longo período pandémico de economia local, promovendo todo o territó-
distanciamento social e isolamento, devido rio: da cidade às aldeias, dos monumentos
ao perigo de contágio por Covid-19, é che- à gastronomia, do património cultural ao
gada a hora de apelar a que todos voltem, paisagístico, do artesanato ao legado histó-
aos poucos, a desfrutar do nosso concelho». rico». Segundo fonte da Câmara, a campanha
Este é o mote da nova campanha pro- incluirá imagens de todo concelho e será di-
mocional do município da Guarda, que quer vulgada nas «redes sociais e jornais locais». media
captar turistas com a natureza e a tranquili- O INTERIOR questionou o município sobre veritas
dade do concelho. Com esta ação, a autarquia o orçamento desta iniciativa, mas não obteve
pretende ainda fomentar a «recuperação da resposta até ao fecho desta edição.
10 • • Quarta-feira • 03 de junho de 2020 Publicidade

Prof. Doutor Dra Assunção Vaz Patto


L. Taborda Barata
Neurologista
Imunoalergologista Consultas de Neurologia
Asma e Doenças Alérgicas Exames: Electromiografia
e Potenciais Evocados
Rua Comendador Campos Melo, nº 29 – 1º Esq, Covilhã;
Tel: 275334876 CLIFIG - Rua Pedro Álvares Cabral -
Cliniform, Rua Mouzinho da Silveira nº 15 R/C, Guarda; Edifício Gulbenkian, s/n
Tel: 271211905 6300-745 Guarda

Prof. Celso Pereira Empresa de transportes admite:


COMERCIAL

Imuno-Alergologia Procuramos profissional com o seguinte perfil:


• Fluente na língua francesa (imprescindível);
(Doenças Alérgicas) • Conhecimentos de língua inglesa;
Ass Graduado HU Coimbra / • Informática na ótica do utilizador;
Fac Medicina UC • Valorizam-se conhecimentos e relações comerciais
no setor de transportes;
Covilhã: Clínica Médica Serra da Estrela Oferecemos:
Galerias de S. Silvestre - Piso 3 Telf: 960023455 • Formação;
Guarda: Clínica de Fisioterapia da Guarda • Disponibilização de computador portátil;
Av. Rainha D. Amélia, nº 6 - 271238581/96 • Trabalho a partir de casa;
Coimbra: 239802700; 968574777 e 918731560 Enviar Curriculum Vitae para Apartado 196, 6300-909 GUARDA

ADVOGADOS ADVOGADOS Médico

Vitor Nascimento António Ferreira, Paula Camilo Diogo Cabrita


& Associados
Bárbara Brigas Sociedade de Advogados, RL
Cirurgião geral

Telefone: 271 213 346 • Fax: 271 082 765 tratamento de varizes e suas
Telefone: 271 086 518 complicações, pequenas cirurgias,
e_mails:
e_mails: antonio.ferreira.adv@gmail.com • paula.m.camilo@gmail.com hérnias, hidrocelos, vesícula Litiásica.
vitor.nascimento-5874c@adv.oa.pt Marcações : (Clínica Cembi)
Rua Alves Roçadas, nº 27 A, 1º CM2
barbarabrigas-4041c@adv.oa.pt Telef.: 271213445
(ao lado da loja MANGO)
Rua do Encontro, nº 9 - 3º • 6300-704 Guarda 6300-663 Guarda Protocolo com a Médis

PUB

Filipe Pinto
Fotojornalista

Escadas do Quebra Costas, Nº 2 • 6200-170 COVILHÃ


Telef. 275 336 805 • Telem. 919 487 978 • Telem. 964 196 950
E-mail: filipepintofoto@sapo.pt • fotoacademica@hotmail.com

António Gil Advogado


Tel. / Fax 271 238 344
R. Dr. Lopo de Carvalho, 30-2º • 6300-700 Guarda

antonio.gil-5388C@adv.oa.pt
Quarta-feira • 03 de junho de 2020 • • 11

Distinção Covilhã

Edifício da Adega Cooperativa


Ex-aluno da UBI vence
Prémio de Literatura
Infantil Pingo Doce

continua sem interessados


DR

DR
O imóvel onde esteve sediada
a extinta Adega Cooperativa da
Covilhã, que se encontra a leilão
com um valor base de 850 mil
António Pedro Martins, mestre euros, ainda não teve qualquer
pela Universidade da Beira Interior licitação. A venda dos três edifícios
(UBI), venceu a 7ª edição do Prémio localizados no Sítio das Poldras, na
de Literatura Infantil Pingo Doce com Estrada da Várzea/ Eixo TCT, ter-
a obra “Leituras e Papas de Aveia”. mina no próximo dia 24 de junho
Natural de Coimbra, o autor às 18 horas.
obteve o grau de Mestre em Ensi- Ao que O INTERIOR apurou,
no das Artes Visuais pela UBI em perante a ausência de interessados
2011 e conta no currículo com uma o conjunto destes bens imóveis
passagem pelo ensino, na área de será reavaliado pelo que o mon-
Educação Visual, tendo iniciado, há tante base da licitação deverá
alguns anos, um percurso artístico baixar. Na licitação (a decorrer em
como escultor. O livro vencedor https://www.lcpremium.pt/pt/
daquele que é considerado um dos electronic-auctions/adega-coope-
maiores galardões de literatura rativa-da-covilha-c-r-l-2) estão in-
infantil do país inspira-se na sua cluídos três prédios urbanos «em
recente experiência da paternidade. propriedade total sem andares ou
A história centra-se na «importância divisões suscetíveis de utilização
de ler e aprender com o que os livros independente» com valores pa-
têm para ensinar», explicou António trimoniais entre os 10.850,07 e
Pedro Martins ao site do concurso. os 432.581,15 euros. A área total
Entre os elementos do júri estavam dos terrenos é de 12.870 metros
reconhecidos profissionais que se quadrados, dos quais 5.825 são
dedicam à escrita, pediatria, jorna- de área coberta e 7.044 de área
lismo e ilustração. Além do prémio descoberta. Recorde-se que, em
monetário, o Prémio de Literatura setembro de 2016, a direção da
Infantil Pingo Doce contempla a edi- Adega, a pedido da CGD, um dos
ção em livro da história vencedora, principais credores, pretendia
estando prevista para novembro avançar para um Plano de Es- outubro de 2017 foi vendido, por não apareceram interessados. móveis, decidiu-se a licitação de
a publicação de “Leituras e Papas pecial de Revitalização (PER), 280 mil euros, todo o património Partiu-se então para uma segunda todo o património imóvel (edifício
de Aveia”. que acabou por não ser aceite. móvel da Adega a um empresário alternativa, reduzir o montante e terrenos onde está implantada a
Face ao elevado valor da dívida da Arruda dos Vinhos. Inicialmen- para pouco mais de 1,4 milhões adega). Fundada em 1954, a Adega
registada na altura, 3,1 milhões te, o objetivo era vender juntamen- de euros. Também não houve da Covilhã efetuou a sua primeira
Cultura
de euros, a solução encontrada foi te os bens móveis e imóveis, cuja interessados, pelo que a solução vindima três anos depois, tendo
Teatro Cine de Gouveia a insolvência. base de licitação estava fixada em encontrada foi vender o patrimó- rececionado uvas pela última vez
abre na sexta, TMG Na sequência do processo, em mais de 1,6 milhões de euros, mas nio em separado. Vendidos os bens em 2014.

só em julho
O Teatro Cine de Gouveia rea- Figueira de Castelo Rodrigo
bre esta sexta-feira e é o primeiro
equipamento cultural a retomar a Espólio fotográfico de José Gil vai ser revelado ao público
sua atividade na região. O município de Figueira de dos num imóvel adquirido pela tiga moradia do fotógrafo. «Após do o Corpo Expedicionário
O espaço estava encerrado Castelo Rodrigo iniciou a inven- autarquia, outrora residência e cuidadosa análise, conclui-se Português (CEP) na Iª Guerra
desde 13 de março, na sequência do tariação e tratamento do «con- espaço comercial de José Gil», re- que os negativos encontrados Mundial», acrescenta a Câmara,
plano de confinamento municipal siderável espólio fotográfico» fere a Câmara numa nota enviada retratam vivências concelhias adiantando tratar-se de uma
devido à pandemia da Covid-19, que pertenceu a José Gil, tio do a O INTERIOR. A descoberta foi de épocas passadas, nomea- descoberta de «incomensurável
e vai funcionar de acordo com as falecido fotojornalista Carlos Gil. feita por Henrique Silva, pro- damente no que diz respeito a valor, considerando a dimensão
regras definidas pelo Ministério São negativos (chapas foto- fessor e vereador da Cultura na romarias, famílias e soldados histórica e patrimonial do con-
da Cultura e pela Direção-Geral de gráficas em vidro e brometo de autarquia, que recuperou «mais oriundos do território que, celho» e que este espólio será
Saúde. Entre elas está o uso obriga- prata) «recentemente encontra- de 500 “chapas” do sótão da an- eventualmente, terão integra- exposto ao público em breve.
tório de máscara, a definição de uma
lotação máxima que assegure, pelo PUB
menos, um lugar de espaçamento
entre espetadores, a marcação de
lugares e a higienização dos espaços
entre espetáculos ou sessões. Para já
reabre a bilheteira do Teatro Cine,
cuja programação irá começar a ser
divulgada brevemente e de forma
gradual. Na Guarda, o TMG só volta a
funcionar em julho com o Festival de
Jazz e Blues, que terá lugar na espla-
nada do café-concerto entre os dias
1 e 11 desse mês e cujo cartaz tam-
bém será anunciado brevemente.
Os concertos terão lugar ao fim
de tarde e no local serão asseguradas
todas as normas sanitárias indicadas
pela Direção-Geral de Saúde (DGS)
para que público, artistas e equipas
técnicas estejam em segurança. A
atividade do TMG foi cancelada a
16 de março devido à pandemia da
Covid-19 e o município decidiu man-
ter encerrado ao público o grande e
pequeno auditórios durante o Verão.
A sua reabertura está agendada para
setembro, com «uma programação
especial a anunciar oportunamen-
te», refere a autarquia em comuni-
cado enviado a O INTERIOR.
12 • • Quarta-feira • 03 de junho de 2020 Publicidade
PUB Arbitragem

CARTÓRIO NOTARIAL - MARIA LUISA C. L. PAIS


Paulo Brás é árbitro auxiliar
RUA MIGUEL BOMBARDA, 64 A
3510-088 VISEU
no Portimonense-Gil Vicente DR
O guardense
EXTRACTO PARA PUBLICAÇÃO Paulo Brás é um dos
Certifico, para efeitos de publicação, que, a folhas trinta e seis e seguintes, do Livro de Notas auxiliares do árbitro
número 271-A, da Notária Maria Luísa Custódio Lopes Pais, com Cartório Notarial em Viseu,
Hugo Miguel que vai
na Rua Miguel Bombarda, número 64 A, se encontra lavrada em vinte de Maio de dois mil e
vinte, uma escritura de justificação, na qual outorgaram: apitar esta quarta-
António Tavares Matias e mulher Maria Rosa Gouveia Henriques Matias, naturais da freguesia feira o jogo entre o
de Carragosela, concelho de Seia, casados sob o regime da comunhão geral, residentes
na Travessa do Ribeiro, número 9, em Carragozela, Seia, NIF 149 421 630 e 157 723 879,
Portimonense e o Gil
os quais declararam: Vicente no regresso da
Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, dos seguintes prédios, Liga NOS.
todos omissos na Conservatória do Registo Predial de Seia: Um) Prédio rústico, composto
de terreno de pinhal e mato, sito ao Marrano, freguesia de Santiago, concelho de Seia, com
A lista dos juízes

VIDENTE
a área de quinhentos e setenta e oito metros quadrados, a confrontar do Norte com Carlos designados para a
Augusto Cardoso Abrantes, do Sul e Nascente com caminho e do Poente com Regina Mota 25ª jornada, o pri-
Veiga Casal, inscrito na matriz, em nome do justificante marido, sob o artigo 1735; Dois) Prédio
rústico, composto de terra de cultura com oliveiras e pastagem, sito às Lameiras, extinta meiro dia da retoma
freguesia de Santa Eulália, concelho de Seia, com a área de mil quatrocentos e sessenta e do principal escalão do futebol nacional, foi divulgada na
Com longos anos de experiência nove metros quadrados, a confrontar do Norte e Poente com herdeiros de Maria Maximina segunda-feira pelo Conselho de Arbitragem da Federação
Correia, do Sul com Hermínio da Silva Ferreira e do Nascente com Paulo Augusto Bailão,
Portuguesa de Futebol (FPF). Na cidade algarvia Hugo Mi-
Trata inveja, mau olhado, espiritual, estudos, negócios, inscrito na matriz, em nome do justificante marido, na actual freguesia de Sameice e Santa
Eulália sob o número 1234, e anteriormente inscrito sob o artigo 617, da extinta freguesia; guel será também auxiliado por António Godinho, enquanto
empresas, amor, problemas familiares, saúde, etc. Três) Prédio rústico, composto de terra de pastagem, sito às Lameiras, extinta freguesia de
Miguel Nogueira será o quarto árbitro. Paulo Brás, um dos
Santa Eulália, concelho de Seia, com a área de seiscentos e setenta e seis metros quadrados,
Sempre pronto a dar resposta aos seus problemas. a confrontar do Norte com Joaquim Monteiro, do Sul e Nascente com José Cândido e do dois assistentes do quadro C1 da arbitragem nacional (o
Saiba tudo sobre o seu futuro e o porquê que tudo Poente com Hermínio Ferreira, inscrito na matriz, em nome do justificante marido na actual
freguesia de Sameice e Santa Eulália sob o número 1266, e anteriormente inscrito na matriz
outro é Marco Vieira), tornou-se em janeiro deste ano o
primeiro representante da Associação de Futebol da Guarda
corre mal em sua vida? em nome do justificante marido sob o artigo 633, da extinta freguesia; Quatro) Prédio rústico,
composto no seu todo de terra de cultura com oliveiras, sito à Cerca, extinta freguesia de a alcançar a categoria de assistente internacional da FIFA. Já
Não hesite, fale com quem sabe. Tenha FÉ: Carragozela, concelho de Seia, com a área total de quatro mil oitocentos e noventa metros na quinta-feira será o veterano Carlos Xistra, da AF Castelo
271238451 ou 969012923 quadrados, no seu todo a confrontar do Norte com José Mendes, do Sul com António Alves
Vilela, do Nascente com Mário da Fonseca e do Poente com António Tavares Matias, inscrito
Branco, a apitar o V. Guimarães-Sporting.
na matriz, em nome do justificante marido e na actual freguesia de Carragozela e Várzea de
Meruge sob o número 1282, e anteriormente inscrito sob o artigo 713, da extinta freguesia;
Cinco) Prédio rústico, composto de terra de cultura com oliveiras, sito à Carreira Velha, extinta
freguesia de Carragozela, concelho de Seia, com a área de mil cento e setenta e oito metros Gouveia
quadrados, a confrontar do Norte com herdeiros de Belarmino Costa, do Sul com Alfeu Dias
Almeida, do Nascente com José dos Santos e do Poente com João Martins, inscrito na Trial das Nações cancelado
matriz, em nome do justificante marido, e na actual freguesia de Carragozela e Várzea de A 37ª edição do Trial das Nações, que iria decorrer
Meruge sob o número 1328, e anteriormente inscrito sob o artigo 736, da extinta freguesia;
Seis) Prédio rústico, composto de terra de cultura com oliveiras, sito à Carreira Velha, extinta
em Gouveia a 12 e 13 de setembro, foi cancelada devido à
freguesia de Carragozela, concelho de Seia, com a área de quatrocentos e oitenta e nove pandemia da Covid-19.
metros quadrados, a confrontar do Norte com herdeiros de Belarmino Costa, do Sul com João A organização, a cargo do clube Talentos Objetivos, da
Martins, do Nascente com António Lopes dos Santos e do Poente com José Cândido Monteiro,
inscrito na matriz, em nome do justificante marido e na actual freguesia de Carragozela e Federação Internacional de Motociclismo, Federação de
Várzea de Meruge sob o número 1326, e anteriormente inscrito sob o artigo 735, da extinta Motociclismo de Portugal e da autarquia serrana, diz não
freguesia; Sete) Prédio rústico, composto de terra de pastagem, sito à Carreira Velha, extinta estarem reunidas «as condições sociais, económicas e cultu-
freguesia de Carragozela, concelho de Seia, com a área de noventa e dois metros quadrados,
a confrontar do Norte com herdeiros Belarmino Costa, do Sul com João Martins, do Nascente rais» para a realização da prova. A sua concretização consti-
com José Cândido Monteiro e do Poente com António Lopes dos Santos, inscrito na matriz tuiria «um risco inadequado, uma vez que é um evento que
em nome do justificante marido e na actual freguesia de Carragozela e Várzea de Meruge implica que se reúnam um número elevado de elementos,
sob o número 1322, e anteriormente inscrito sob o artigo 733, da extinta freguesia; Oito)
Prédio rústico, composto de terra de pastagem, sito à Carreira Velha, extinta freguesia de nomeadamente equipas e pilotos, provenientes de diversos
Carragozela, concelho de Seia, com a área de noventa e dois metros quadrados, a confrontar países», justificam os promotores. Esta seria a segunda vez

PRECISA-SE
do Norte e Nascente com herdeiros de Belarmino Costa, do Sul com João Martins e do Poente
com José Matias, inscrito na matriz, em nome do justificante marido e na actual freguesia de
que Portugal iria acolher o Trial das Nações, competição
Carragozela e Várzea de Meruge sob o número 1320, e anteriormente inscrito sob o artigo disputada por seleções e que conta habitualmente com os
melhores pilotos do mundo de trial.

EMPREGADA
732, da extinta freguesia; Nove) Prédio rústico, composto de terra de cultura, com pereiras
e vinha em cordão, sito ao Chão da Vinha, extinta freguesia de Carragozela, concelho de
Seia, com a área de novecentos e vinte e quatro metros quadrados, a confrontar do Norte
com Maria da Natividade, do Sul com caminho, do Nascente com Casimiro Monteiro e do
Poente com Joaquim Costa, inscrito na matriz, em nome do justificante marido e na actual Xadrez
Para tratar de Senhora doente e da casa,
freguesia de Carragozela e Várzea de Meruge sob o número 1168, e anteriormente inscrito
sob o artigo 656, da extinta freguesia; Dez) Prédio rústico, composto de terra de cultura
com oliveiras, sito à Carreira Velha, extinta freguesia de Carragozela, concelho de Seia,
Guardenses com boas
com experiência e carta de condução com a área de cinco mil e quinhentos metros quadrados, a confrontar do Norte com João
Gonçalves, do Sul com António Alves Vilela, do Nascente com herdeiros de António Rosa e
prestações no Nacional
919 595 520 / 966 464 136
do Poente com José Gomes, inscrito na matriz, em nome do justificante marido e na actual
freguesia de Carragozela e Várzea de Meruge sob o número 1284, e anteriormente inscrito
sob o artigo 714, da extinta freguesia;
Escolar online
(ligar depois das 19:00H) Que os indicados prédios vieram à sua posse, por doação meramente verbal, dos pais do
A Federação surpreendeu tudo e todos ao organizar o
justificante marido António Matias e mulher Maria Benvinda Tavares, em dia e mês que não primeiro Campeonato Nacional de Xadrez Escolar Online
podem precisar mas que ocorreu por volta do ano de mil novecentos e setenta e nove, e nunca apesar da Covid-19 ter suspenso as provas presenciais.
reduzida a escritura pública, motivo pelo qual não são detentores de qualquer documento
formal que legitime o seu domínio sobre os indicados prédios.
O Agrupamento de Escolas da Sé, na Guarda, competiu
Diretor e Editor: Luís Baptista-Martins • Rua da Corredoura, 80 - R/C Dto - C • Que, dado o modo de aquisição, não têm eles justificantes possibilidade de comprovar em infantis A com nove alunos do 4º ano, oito dos quais
6300-825 Guarda • pelos meios normais o seu direito de propriedade perfeita, mas a verdade é que são eles da EB Carolina Beatriz Ângelo e um da EB1 da Estação.
Redação: Luis Martins (Chefe de Redacção) e Sofia Craveiro. • Conselho Editorial: António Ferreira, os titulares desse direito, pois têm possuído os aludidos prédios há mais de vinte anos,
Nuno Amaral Jerónimo, Cláudia Quelhas, João Canavilhas, José Carlos Alexandre, Diogo Cabrita e ininterruptamente, com o conhecimento de toda a gente, sem a menor oposição de quem Neste escalão participaram 125 alunos de todo o país, mas
Maurício Vieira.
Colunistas e Colaboradores: Acácio Pereira, Albino Bárbara, Ângela Guerra, António Costa, António
quer que seja, considerando-se e sendo considerados como seus únicos donos, na convicção a participação de alguns guardenses foi interrompida pela
Ferreira, António Godinho, Cláudia Quelhas, David Santiago, Diogo Cabrita, Eduardo Lourenço,
que não lesavam quaisquer direitos de outrem, tendo a sua actuação e posse sido de boa- trovoada que caiu na região. Apesar desse contratempo,
Fernando Pereira, Fidélia Pissarra, Frederico Lucas, Hélder Sequeira, Honorato Robalo, João Canavilhas, fé, posse essa que se tem materializado no seu cultivo, vindimando, podando e tratando
Joana C. Pereira, Joana Dente, João Mendes Rosa, João Morgado, João Santiago Correia, Joaquim das videiras e as oliveiras, colhendo as uvas, apanhando a azeitona, cortando e limpando João Dinis foi 30º, com 4,5 pontos, Afonso Costa terminou
Igreja, Jorge Noutel, José Carlos Alexandre, José Carlos Breia Lopes, José Pires Manso, Júlio Sarmento, o mato, avivando as estremas, pagando as contribuições e impostos, sendo por isso uma na 38ª posição e Dinis Calado na 50ª. A Secundária da
Melanie Alves, Miguel Castelo Branco, Miguel Moreira, Miguel Sousa Tavares, Norberto Gonçalves, posse em nome próprio, contínua, pública e pacífica, o que conduziu à aquisição daqueles
Nuno Jerónimo, Telma Madaleno e Víctor Afonso. Desporto: António Silva, Arlindo Marques, Cristina prédios por usucapião que expressamente invocam, justificando o seu direito de propriedade
Sé também participou com oito alunos (um em infantis
Sofia, Daniel Soares, José Luís Costa, Miguel Machado e Rui Geraldes. • Cartoon: Maurício Vieira. •
para efeitos de registo, dado que esta forma de aquisição não pode ser provada por qualquer B, dois nos iniciados e cinco nos juvenis), tendo David
Paginação: Jorge Coragem • Projeto Gráfico: Maurício Vieira. • Departamento Comercial: Natalina
Martins • Impressão: FIG-Indústrias Gráficas, S.A. • Rua Adriano Lucas – 3020-430 Coimbra • outro título formal extrajudicial. Carriço obtido o melhor resultado com o 19º lugar, com
Telefone 239 499 922 • Fax 239 499 981 • e-mail: fig@fig.pt • Sede, Redação e Publicidade: Rua da
Corredoura, 80 - R/C Dto - C • 6300-825 Guarda N.I.P.C. – P-504847422. • Nº de registo na ERC: Está conforme o original.
5 pontos. Já Mariana Nunes foi 39ª em 115 participan-
123436 • Depósito Legal:146398/00 • Tiragem desta edição: 5.200 exemplares • Periodicidade: tes. Nos torneios distritais tinham participado a Escola
Semanário • Edição Internet: O Interior • Propriedade: JORINTERIOR - Jornal • O Interior, Ldª.
Detentores com 5% ou mais do capital da empresa: José Luís Carrilho Agostinho de Almeida e Luís
Cartório Notarial de Viseu, vinte de Maio de dois mil e vinte. da Cerdeira, a Secundária Afonso de Albuquerque e os
Baptista-Martins.
A Notária,
Agrupamentos de Celorico da Beira, Figueira de Castelo
Estatuto Editorial: https://www.ointerior.pt/ficha-tecnica/ •
Guarda - Redacção/Publicidade: 271212153 • www.ointerior.pt (Maria Luísa Custódio Lopes Pais) Rodrigo e da Sé, que pela primeira vez participou com
• publicidade@ointerior.pt O Interior, nº 1065 de 03/06/2020 alunos do primeiro ciclo do ensino básico.

Cupão de Anúncios Classificados


Envie o seu anúncio classificado para Jornal O Interior, Rua da Corredoura, 80 R/C Dto C • 6300-825 Guarda
Condições gerais dos classificados
Localização Identificação
do anúncio
1. Preencha o cupão com texto em maiúsculas,
deixando um espaço entre cada palavra. Nome: __________________________________________________________________
Grátis

2. O preço é acrescido de IVA à taxa legal em vigor. Imobiliário


*

3. É obrigatório o envio do número de contribuinte (NIF).


4. A identificação é um campo de preenchimento
Vende-se Aluga-se Morada: ________________________________________________________________
obrigatório. A falta de elementos pode implicar a não Trespassa-se Diversos
publicação do anúncio.
5. A “O Interior” reserva-se o direito de rejeitar a
Emprego Código Postal: ________ - _____ Localidade: ___________________________
Euros
2,50

publicidade que não esteja de acordo com a sua Oferece-se Precisa-se


orientação editorial.
6. A recepção de anúncios para cada edição Veículos Contribuinte nº: _________________ Contacto: ______________________
termina 72 horas antes da data da publicação. Vende-se Procura-se
7. Não se aceitam cópias, faxes ou emails deste cupão. Assinatura ________________________________ Data ___/___/______
Euros
4,00

Diversos
* Grátis até à 2ª publicação, a partir
da qual acresce um custo de 2 euros. Para esclarecimentos pode contactar-nos através do telefone 271212153 ou para ointerior@ointerior.pt

Modo de Pagamento: O recibo ser-lhe-á enviado posteriormente


Transferência Bancária (forma mais rápida e vantajosa) Transferência Avulsa Transfira o valor em questão para o NIB indicado e junte
Autorização de pagamento: Exmos Senhores, por crédito na conta abaixo indicada, queiram proceder,
até nova comunicação aos pagamentos das subscrições que vos forem apresentadas pelo Jornal O Interior. IBAN: PT50 001000002256785000177 a este cupão o talão comprovativo da transferência.

Banco _____________ Balcão _____________ NIB _________________________ Data ___/___/______ Assinatura ________________________________________
Nome do Titular _______________________________________________________ Cheque / Vale Postal nº _____________________ Banco _________________
Data ___/___/______ Assinatura ________________________________________ Numerário
Quarta-feira • 03 de junho de 2020 • • 13

opinião
Fernando Carvalho Rodrigues Caveant Consules*
Por um tempo, não se sabe quanto, o Só lhe está vedado percorrer as estradas das eficaz. Há cem anos, com exceção das pro- Nos E.U.A. durante três meses cada ame-
Homo Sapiens foi apeado. Não está no topo telecomunicações que são estradas do Tem- fissões (ferreiro, carpinteiro, alfaiate, etc.), ricano recebe na sua conta, sem preencher um
da cadeia biológica. Agora, está lá um vírus. po. Aliás, tem sido lá, nessas estradas, que todos podíamos desempenhar as funções de documento que seja, 1.200 dólares. Um casal
Por isso deixámos de ter teoria económica. temos tido refúgio. É no telemóvel, na web, qualquer um. Hoje, há funções críticas que com dois filhos três mil. Nos E.U.A. o vírus, a
Estamos como os meus cachorros, sem teoria no skype, zoom, etc.... Só nessas estradas levam muitos anos de formação profissional, economia própria do vírus, consumiu 60 por
económica própria. A dos meus, Farrusco e do tempo, i.e., das telecomunicações, é que de estudo e prática. cento das vidas sacrificadas ao mesmíssimo
Valentim, é a minha, produto convolucionado há economia tal como a idealizámos porque Os meus, os nossos, antepassados vive- vírus na Europa. É uma diferença enorme. Na
com a deles. nessas estradas não vamos nós, só andam ram mal, mas sem quase um único consumo Europa morreram mais 60 por cento do que
A nossa teoria económica, hoje e enquan- por lá os nossos pensamentos suportados obrigatório. Casa não se pagava, água e nos E.U.A..
to perdurar o vírus, é a economia do vírus em imagem e linguagem. alimentos também não, lixo era reciclado em Na Europa não há engenharia para que as
convolucionada com a Teoria que tínhamos. Nas outras, nas estradas da Terra, do estrume, eletricidade nem havia, licenças, soluções funcionem na vida de todos os dias.
E a economia do vírus exige, consome dos Mar, do Ar e do Espaço exterior, vamos nós. taxas, etc. e etc. Hoje, na Sociedade Eficaz, Na Europa há a conversa oca e sonante para
Humanos, a saúde e a nossa Vida. Na Teoria Aí reina a tal nossa teoria económica convo- vivemos sitiados, emparedados por eles, pe- fazer que tudo se embrulhe em formulários
Económica dos Humanos, por um tempo, luída com a economia do vírus, que nos deixa los pagamentos dos consumos obrigatórios. e acabe por ficar só pelo papel, no caixote
nada funciona e nada resulta, nem as compa- perplexos. Precisamos de um novo guia para A Sociedade é eficaz, mas o dinheiro de lixo do papel, na realidade da vida muito,
rações com o passado. Assistir aos debates os perplexos. Não vai haver o Sefardi Moshe para fazer face aos consumos obrigatórios só muito poucas vezes. Na Europa logo que algo
sobre teoria económica é apercebermo-nos ben Maimon, Maimonides, já ninguém o vê nos chega por vias exíguas e em condições exista no papel, num papel, fazem uma festa,
que o que se sabia não é aplicável enquanto faz oito séculos. muito limitadas. As fronteiras desse limite são gesticulam de tão avançados que estamos,
durar esta subjugação biológica. Estamos O vírus está por aí: matou 174 mil na desenhadas pelo consumo. e... na realidade nada há, nada acontece,
numa singularidade em que se tem que Europa, 106 mil nos E.U.A.. A economia do Mandam-nos, para salvar a Teoria Econó- nada muda.
clarificar a realidade sem Teoria. Temos que vírus traga dos Humanos, a Vida, a nossa mica, que em tempo de vírus não é válida; mas Na Velha Europa – e “isto de ser velho é
o fazer com a vida, a visão prática do futuro Vida. O consumo para o vírus, na economia mesmo assim afirmam com toda a certeza de um perigo”, é tudo muito para além de com-
imperfeito de todos os dias e com ensina- dele, vírus, é o consumo da nossa saúde e das que são capazes: consumam até ao sumiço. plexo; é sempre tudo muito complicado e,
mentos da História. nossa vidas. A economia dele vírus ordenou- Sim, é verdade que alguns de nós vão morrer como tal, muito vagaroso, assustadoramente
Sabemos apenas que a economia deste lhe e impôs-nos a nós, sacrifícios terríveis a bem da Teoria Económica porque só há lento. A Europa desenhou nos anos 90 do
vírus se alimenta de nós. Este novo coronaví- que a 1 de Junho 2020 e por um milhão de dinheiro para muitos de nós se aderirmos ao século XX a trajetória, e caminha desde então
rus e os outros seres de evolução molecular habitantes eram: São Marino, 1.238; Bélgica, consumo até ao sumiço. Dizem pela propa- na ladeira do seu definhamento e irrelevância.
atacam-nos a esse nível profundo. Hoje talvez 819; Andorra, 660; Espanha, 580; U.K., 575; ganda, ampliam os media e dão exemplos e a Para que haja e tenhamos, por aqui, outros
já saibamos o suficiente da linguagem química Itália, 554; França, 442; razão de assim ser: no consumo está a alegria, caminhos que não num monte de papel, mas
da evolução molecular e da evolução da vida Suécia, 436; Sint Maarten, 350; Holanda, a libertação e, até, a felicidade. na realidade, Caveant Consules.
para um dia lhe fazer, decidida e decisiva- 348. Nos E.U.A. 322, em Portugal 140 e na Tudo é feito para que geremos dinheiro A Europa, as Nações da Europa, são
mente, frente. Alemanha 103. para fazer face aos consumos obrigatórios lideradas apenas por quem só tem ou teve
Hoje sabemos que qualquer inflamação é É um sinal, que na Europa, os Estados, com que entretanto nos cercámos. Mas talvez ambição para o fazer. Estaria tudo bem, o da
a âncora nas células humanas para que as mo- com várias nações em desagregação, liderem hoje não fosse necessário que tudo, incluindo ambição, se exigíssemos, ao mesmo tempo,
léculas que constituem o vírus se reproduzam a economia do novo coronavírus com mais a vida, seja sacrificado por esta quase ordem, que tivessem ou tenham visão. Porque não o
no seu interior e as destruam. Ora inflamações de 550 mortes por milhão de habitantes. este grande plano: consumo até ao sumiço. fazemos, não há réstia de visão. Há tática; a
temos por todo o corpo, sobretudo quando se Constituem a nossa vizinhança mais próxima. Caveant Consules. ambição tem sempre, se não uma tática, um
começa a aplicar a sabedoria da minha Avó E, pelas estradas anda, flui, o vírus, gar- Talvez e hoje, em que na Sociedade Eficaz esquema; não tem tido, nem se lhes vislum-
Joaquina (Ti Jaquina Vasca, 1870-1972). Um rote na nossa economia de vida convoluída. levamos água, alimentos, energia, tratamos bra, em algum momento, estratégia.
dia em que não foi tão ágil como julgava que Por isso, com um milhão de infetados ativos do ambiente (recolha de lixo, jardins, etc.) a Nos Estados da Europa está-se sempre
ainda era, com olhos em baixo, disse: «Olhai na Europa, outro milhão nos E.U.A., as jun- cada porta, pudéssemos, enquanto o vírus em estudo e plano, muito pouco em ação. Em
filhos, isto de ser velho é um perigo». É, vêm ções de autoestradas, de caminhos de ferro, impuser sobre nós a ditadura da sua pró- ação testada e treinada, raramente. Em ação
inflamações por todo o lado. Em particular as os portos e os aeroportos são os centros de pria economia, levar, fazer chegar, também, antecipada, nunca. Na Europa fazem-se cimei-
inflamações nos vasos por onde correm os confluência, comunicação e difusão do vírus. dinheiro. ras, muitas. Os resultados são, em todas, os
fluídos necessários à nossa vida. Talvez venha Em especial, para que aqui o nó, de rodo- Talvez hoje em que nos cinco concelhos que se obteriam numa assembleia de cegos
daí que o novo coronavírus pode estragar, em vias e ferrovias, da Guarda, do seu concelho que, em Portugal, esgotam a maioria dos que debatesse e decidisse sobre as cores do
todas as idades, tantos e tão variados dos e do seu distrito, não se transforme e venha recursos e geram quantidades enormes de arco-íris, por tudo, pela, nossa e vossa rica
nossos órgãos, incluindo necrosar os pés. a funcionar como o canhão da Nazaré para entropia e onde já se paga para eliminar o saúde: Caveant Consules ne quid respublica
Por causa da evolução molecular e para a segunda vaga do vírus: Caveant Consules. custo dos transportes porque os consumos detrimenti capiat
que cada um possa seguir, especialmente Mas, economia do vírus convolucionada obrigatórios são tantos e tamanhos que o
agora, o conselho muito recente de quem com a do Homo Sapiens Sapiens apanha- que se ganha já não dá para ir de casa para
sabe (Dr. Manuel Pedro Magalhães, diretor nos num momento único. Em pouco mais de o trabalho. # http://www.acad-ciencias.pt/document-
clínico do Hospital da Cruz Vermelha Portu- cem anos construímos uma sociedade eficaz Talvez agora, que o dinheiro não tem su- uploads/4080505_[2020]-rueff,-j.-(coord)---
guesa) porque todos os dias faz Medicina: ainda que à custa de cada vez mais consumos porte físico, agora que o dinheiro de cada um sars-cov-2.pdf
«Comportem-se como se estivessem infeta- obrigatórios. é a carga elétrica num condensador, agora…
dos», Caveant Consules. Os sistemas de suporte à vida: água, E pelo tempo que demorar esta subordinação * Escrito a 1 de junho de 2020, para
O vírus flui nas estradas do nosso corpo. alimentos, energia são entregues a cada um molecular do Homo Sapiens Sapiens ao novo as comemorações dos 20 anos de O
E vai também connosco, dentro de nós ao onde nos encontremos a viver. Na sociedade coronavirus será assim tão difícil que entre- INTERIOR, com a ortografia da Dª. Laura.
nível celular e molecular, nas estradas terres- eficaz levam o lixo da casa de cada um. Eli- guem dinheiro para fazer face aos consumos Cada erro no ditado eram três reguadas.
tres, marítimas, aéreas e do espaço exterior. minámos também a redundância no modelo obrigatórios que nos esmagam? Não estou para me meter em sarilhos.

Ler Jornais é saber Mais


PUB

Renove a sua Assinatura


Identificação: Nacional_ ____ Semestral.....(16€) Anual.. (30e)
Nome: _________________________________________________________________________________________________________
Estrangeiro_ Semestral.....(18€) Anual.. (35e)

Morada: ________________________________________________________________________________ Código Postal: _________ - ______ Localidade: _____________________________________________

NIF: ________________________ Telefone/Telemóvel: __________________________________________________ Email: ________________________________________________________________

Modo de Pagamento:
Enviar para: Rua da Corredoura 80, R/C Dto C • 6300-825 Guarda
Transferência Avulsa
IBAN: PT50 001000002256785000177
Data ___/___/______ Assinatura ________________________________________ Assinatura __________________________________________________ Data _____/_____/________
Transfira o valor da Assinatura para o NIB indicado e junte a este cupão o talão comprovativo da transferência.
O Jornal O Interior compromete-se a adoptar as medidas de segurança necessárias para garantir a salvaguarda dos dados
Cheque / Vale Postal nº _____________________ Banco _________________ pessoais / empresas dos assinantes contra a sua eventual utilização abusiva ou contra o acesso não autorizado.
O contrato de assinatura renovar-se-á por iguais e sucessivos períodos de tempo (seis/12 meses), até que qualquer das partes
Numerário denuncie a desistência por meio de comunicação escrita com antecedência mínima de 30 (trinta) dias.
14 • • Quarta-feira • 03 de junho de 2020

opinião

Turismo e Saúde
António Godinho Gil opinião
www.bocadeincendio.blogspot.com
Santinho Pacheco *

Prairial Estes 60 dias que abalaram o mundo tiveram no


turismo efeitos catastróficos. Da euforia ao desânimo,
fazia férias não pensava em interior. Aos poucos, esta
visão restritiva na seleção do destino de férias foi-se
1. O instituto público TURISMO de Portugal fez um vídeo promo- da confiança ao derrotismo, vai um pequeno passo. alterando quer no mercado interno, quer na perspeti-
cional sobre as nossas virtudes... turísticas. A saber: praias imaculadas, Quase nada será como dantes é uma certeza que se va do estrangeiro que valorizava no nosso país uma
Lisboa em vista aérea, ou a sua perspectiva do Castelo e Senhora do sente no setor. cultura secular intacta e única no contexto europeu.
Monte, a zona ribeirinha do Porto, mais praias, a ponte 25 de Abril, Os impactos económicos e sociais provocados O interior vivia assim nos últimos anos tempos de
uma vista efémera da charneca alentejana, as ondas gigantes da Nazaré, pelo coronavírus são já bem visíveis em todo o euforia na restauração, na hotelaria e no turismo de
Alfama, os balões de S. João, falésias marítimas da Madeira, o Pico, mundo. Portugal tem vindo a ocupar uma posição Natureza.
mais praias, a Ribeira no Porto, o terreiro do Paço, uma vista fugaz do cada vez mais relevante no turismo internacional; em O Douro é um destino de vanguarda. Mas o Porto/
Douro e, já se sabe, mais praias. Eis a que se resume o país, segundo 2019, na União a 28, o nosso país estava colocado Norte, o Centro e o Alentejo também o são. A Serra
o aludido Instituto de Portugal. Liderado por um idiota, com aspecto nos primeiros dez lugares em dormidas e receitas da Estrela caminhava com segurança e há sinais de
de boy, a julgar pela entrevista que ontem deu na TVI24. Segundo estas turísticas, sendo o 12º destino mais competitivo do grande dinamismo em muitos concelhos serranos.
luminárias, Portugal pode ser encolhido numa colecção de posters do mundo. Portugal tem no turismo a principal atividade Manteigas tem já um parque hoteleiro de grande nível
paraíso, em versão photoshop. Não um país, mas um produto. Não exportadora, quase 20% das exportações em bens e e um novo hotel será inaugurado dentro de dias.
um mosaico polícromo, mas um catálogo. Em que não há montanhas serviços, que emprega centenas de milhares de tra- Não é um vírus que nos vai vencer! Somos uma
e áreas protegidas de cortar a respiração. Não há locais que já são ou balhadores. Regiões há, como o Algarve e a Madeira, região mítica, Estrela, Douro, a Raia e o Côa, as Al-
deviam ser Património da Humanidade: Braga, Guimarães, Coimbra, em que a atividade turística tem uma especificidade deias Históricas, dois patrimónios da UNESCO, uma
Piodão, Sortelha, Tomar, Mosteiro de Alcobaça, Sintra, Évora, Castelo especial, o que vai implicar medidas integradas de gastronomia que sabe a tradição, vinhos e queijos do
de Vide, Mértola, Horta, eu sei lá. Do resto, ou seja, 80%, nem vale a resposta aos impactos da Covid-19. melhor que há.
pena falar, pois não existe. Vive no limbo do esquecimento. A Guarda, Ao longo de décadas, turismo significava praia O mercado interno dá-nos uma oportunidade
por exemplo. Uma idade pacata, com um ar puríssimo, rodeada de ce- e praia quer dizer mar, litoral. O turismo no interior, única para divulgarmos vastos horizontes, paisagens
nários naturais que acomodam um turismo de montanha que faria do no espaço rural, as ofertas culturais e monumentais, únicas, praias fluviais com imagem de marca, terma-
Lake District britânico uma banalidade, simplesmente não existe! Que o turismo da natureza, eram meramente residuais e lismo, ar puro e áreas protegidas. Sem confusão e
raio de país/produto é este, que queremos mostrar a quem? Será que quanto muito só tinham algum significado sazonal. A sem horas de ponta.
ninguém percebe que nem os imbecis ainda acreditam em ninfas a sair partir dos anos 60, a geração das férias era fundamen- O Turismo de Saúde é agora ou nunca; a Guarda
da água em praias douradas? talmente a nova classe urbana, originária do Centro tem nisso história e tradição.
2. Não vou ao ponto de afirmar que, na escrita, o ESTILO é tudo. Norte, ou do Alentejo que se fixou nas grandes áreas É preciso acreditar e reforçar a atratividade e a
Longe disso. Porque o estilo vai muito além da escrita. Está antes, metropolitanas. O interior ainda soava a carência, promoção dos territórios do interior. A questão das
durante e depois. Não é a combinação repetida de certas palavras de atraso e falta de qualidade de vida. Ninguém tinha portagens é decisiva. O resto é connosco!
belo efeito, de modo a que nada signifiquem, como ironizou Herberto esquecido as suas terras de origem.
Helder, no conto homónimo de “Os Passos em Volta”. Olho para o Férias eram mar e praia, à moda dos milhões * Deputado do PS na Assembleia da República
estilo enquanto alquimia. Que reúne a disciplina e a necessidade. Que de estrangeiros que procuravam o sol português no eleito pelo círculo da Guarda e antigo Governador
confere singularidade e leveza àquilo que toca. Que não deixa nada ao Estoril, em Vilamoura ou no litoral alentejano. Quem Civil da Guarda
acaso. Sim, é tudo isso. Mas a sua concretização é pessoal, única. Alia
o apuramento vigilante da forma, com o vigor cristalino das ideias que
transporta. Emagrecendo o verbo, retira o que está a mais, deixando que a
luz passe e possa ser admirada pelo leitor. Colocando espessura, filtra essa
luz, criando uma penumbra onde o leitor se perde e, quiçá, se encontra.
3. Com o tempo, percebe-se que a pandemia se tornou uma questão
política. Nem tem o grau de letalidade de outros surtos. Mas serve per-
feitamente os propósitos de quem ocupa o poder. Suspender algumas
liberdades e a actividade económica é o sonho de qualquer Governo www.ointerior.pt
formado por uma força política que se sente confortável tomando o
estado de assalto e distribuindo benesses. O PS encaixa neste perfil
como uma luva. O alarme social, instigado pela comunicação social,
como que entorpece a massa crítica, fazendo-nos entrar numa espécie
de letargia suplicante. Costa adora este assistencialismo generalizado.
Pela minha parte, tem-me assustado mais não poder tratar de uma dor Guarda, os fatores de
de dentes, ou contrair uma doença “normal”, do que propriamente a
eventualidade de contrair a Covid-19.
4. A propósito da morte de escritora Maria Velho da Costa, passou
opinião
Henrique Monteiro * (di)visão de 20 anos
há dias, na RTP M, uma entrevista feita por Fernando Assis Pacheco Falar do Interior n’O INTERIOR ou de O INTERIOR e pleonásticos, que insistiram e insistem em “lo-
em 1975. Tenho um fascínio especial por estas peças documentais no Interior pode parecer uma redundância, reforçada calização estratégica” e em “novas centralidades”
de outras épocas. Assis Pacheco, o intelectual cabeludo, vagamente com o recurso ao pleonasmo, mas é um facto em que conseguiram ou conseguem reforçar essas noções e
suicidário, proudoniano. Sabendo alternar uma simpatia melíflua pelo os factos contam. dar-lhes expressividade ou melhor dizendo, consis-
feminismo com a virilidade revolucionária. Barba desleixada. Camisa O primeiro facto é o de O INTERIOR ser uma voz tência, curando esta nossa pandemia.
com golas generosas. Calças à boca de sino. Um desmazelo na imagem e ativa no Interior; outro facto é o de neste nosso Inte- Não garantindo a cura, o pleonasmo torna-se
uma displicência no discurso que compõem uma época. A escritora, sem rior ninguém ser indiferente a O INTERIOR. É assim assim coisa fútil e superficial, assumindo-se como
maquilhagem, olhar profundo, sofredor. Uma monja laica, que em vez de desde há vinte anos com O INTERIOR. Em boa hora de natureza viciosa, que acaba numa redundância
votos a Deus, os fez aos amanhãs que cantam… Vagueando à procura da ele nasceu no Interior. desnecessária e que não agrega valor ao que está
sua consciência de classe. Uma auto flagelação íntima para quem vem de Duas décadas é muito tempo e são um marco sendo dito ou escrito.
uma burguesia literata e com anseios progressistas. O drama das miúdas de longevidade num órgão de comunicação social. Podendo ser redundante, digo que a Guarda é
que iam espreitar os jardineiros ao fundo do quintal, quando vinham do No Interior a sobrevivência é algo difícil para os que hoje uma redundância. É aquilo que fizeram dela
colégio particular. Eram os anos da brasa. Ou de chumbo. Escolham. O aqui resistem e persistem e isso também é verdade os pleonasmos viciosos repetidos durante vinte
mundo era bastante mais vertiginoso. Inocente. A preto e branco. para O INTERIOR que luta e é, ele próprio, uma luta ou mais anos.
5. Um idealista é uma criança descuidada, mas firme na sua ambição. do Interior. É uma luta desigual porque são diferentes Neste tempo a Guarda podia ter somado, mas
Um sonhador é como uma vela que se vai consumindo lentamente e no os meios e os contextos, as pressões e as equações. apenas sumiu. Em vinte anos deixou sumir mais de
final da festa se apaga. Embora cintilando a glória de uma generosidade Numa equação terá que existir sempre uma igualda- seis mil pessoas. Com as pessoas sumiu economia.
sem audácia. O diletante, por sua vez, é um imitador. Prefere quase de entre dois membros e um ou mais números (as Ao sumir a economia, sumiu a importância estratégica
sempre o glamour do idealista, em vez do funambulismo do sonhador. incógnitas), cujo valor se desconhece. No Interior, as e percebemos que para a Guarda nunca houve, nem
Lembremo-nos do tremendo Ega, de “Os Maias”. Um homem do mundo, incógnitas são muitas, as certezas poucas e apenas há, estratégia, nem se salvou a localização estratégica.
mas sem mundo para se equilibrar. Uma promessa de talento eterna- registamos inexistência de igualdade. Para a Guarda faltou visão e sobrou (di)visão.
mente adiada. Portanto, o diletante é escravo do destino que criou para Nestes vinte anos de O INTERIOR no Interior tem Na (di)visão poderíamos ter sido dividendo e não
si. Persegue a forma, crendo que é o conteúdo. Fica sempre a meio do sido uma redundância falar daquilo que mais afasta e fomos; poderíamos ter sido divisor, mas nem isso e
caminho que ele pensa ter chegado ao fim, para logo começar outro. castiga o Interior. Essa também tem sido uma missão a quociente também não chegámos. Fomos apenas
Por isso, usar as vestes do idealista pode ser-lhe fatal. O idealista é o de O INTERIOR. resto e o que sobrou é muito pouco. São menos
escravo forro que se libertou do seu destino. Mais ninguém, senão ele, Neste período de tempo, também a Guarda sedea- cerca de seis mil que éramos e deixamos de ser. É
provará os frutos mais doces, descobrirá música no crepitar do fogo, da e ela mesma sede de O INTERIOR se tem assumido um resto negativo.
ou tingirá de oiro a crueldade com que o mundo o põe à prova. como uma redundância. E o mais redundante tem sido Salve-se O INTERIOR que não sumiu e somou.
6. Por fim, mas não menos importante, não podia esquecer os 20 o declínio populacional e económico. Uma redundân- Somou anos, somou prestígio e consolidou o seu
anos deste jornal. Que se tornou, com toda a justiça, uma referência da cia traduzida por uma espécie de confinamento a que espaço no Interior.
imprensa local, não só na região mas, atrevo-me a dizer, a nível nacional. fomos condenados, numa epidemia que nos assola há Parabéns ao seu diretor e a toda a equipa de
E de que sou colaborador permanente desde há 18 anos. Parabéns a mais de vinte anos, causada pelos vírus do centralismo colaboradores.
toda a equipa, na pessoa do seu director e fundador. da capital e o do litoral e para os quais ainda não há
vacina que anule a sua agressividade. * Presidente da Comissão Política Distrital do
* O autor escreve de acordo com a antiga ortografia Nem os discursos eloquentes, mas redundantes CDS-PP da Guarda
Quarta-feira • 03 de junho de 2020 • • 15

opinião
opinião
Pedro Fonseca *
Nuno Amaral Jerónimo
extremo.acidental@gmail.com
Observatório de Ornitorrincos
A imprensa local na era Soneto do senador
digital
Não sei de que te queixas, meu menino, Agora, estou em casa protegido,
Só porque te fecharam o futuro. Morrer nesta altura, só descuidado.
Põe máscara, e trabalha no duro, E tu, meu rapaz, tens de trabalhar?
Durante as duas primeiras décadas da sua existência, as páginas do jornal Que eu já garanti o meu destino.
O INTERIOR prestaram um inestimável serviço à comunidade e constituíram- Cá estou eu disponível para ajudar.
se como testemunhas de acontecimentos e mudanças marcantes a várias Abri-me à troika, fechei-me ao vírus, Por dois euros, vai ao hipermercado,
escalas e amplitudes. E bem mofava eu dos teus colegas: Leva a máscara, e traz-me um batido.
Os seus leitores beneficiaram de uma informação regular sobre a reali- “Como é que conseguem ser tão piegas?
dade local e as implicações locais de acontecimentos de dimensão nacional e A mim, cá não me apanham com três tiros”. * O autor escreve de acordo com a antiga ortografia
internacional, além de uma diversidade de opiniões críticas que convidavam
à reflexão e ao debate.
Estes últimos 20 anos ficarão marcados pelo triunfo da Revolução Digital,
que veio transformar de forma profunda várias dimensões das nossas vidas. mitocôndrias e quasares
Para a imprensa local, o mundo das novas tecnologias da informação e da
opinião
comunicação traz, simultaneamente, novas oportunidades e novas ameaças,
lançando-a num esforço de adaptação e de reinvenção sem precedentes.
É certo que a imprensa local tem sabido aproveitar os novos canais
António Costa
antoniomanuelcosta@gmail.com
Fenómenos quotidianos
digitais para difundir os seus conteúdos e para alcançar novos e velhos Todos os dias realizamos atividades mais ou menos roti- Cozinhar à pressão
públicos, mas esses mesmos canais são também o palco de uma nova neiras que assentam em ideias, conceitos e teorias científicas. A água ferve a 100ºC sob pressão atmosférica. Por esse
forma de concorrência protagonizada por vários agentes (mais ou menos) Hoje vamos olhar para dois desses fenómenos. motivo, se cozinharmos com água numa panela normal, a tem-
independentes, como são os bloggers, os influencers e os opionmakers peratura máxima a que submetemos os alimentos é de 100ºC.
com presença nas redes sociais. Por outro lado, a emergência do digital Como saber se um ovo está cozido sem o partir? Uma forma de conseguir uma maior temperatura consiste em
contribuiu para uma diminuição da venda de jornais impressos e a im- O Princípio de Inércia manifesta-se numa simples expe- aumentar a pressão dentro do recipiente, com o que a ebulição
prensa local ainda não conseguiu capitalizar em pleno nas novas fontes riência de cozinha. Arranje dois ovos, um cru e outro cozido. ocorrerá a uma temperatura elevada, acelerando o processo
de receitas disponíveis no mundo online. De seguida, faça rodar cada um, à vez, em cima de uma mesa de cocção. É o que faz uma panela de pressão. Para conseguir
A Era Digital trouxe consigo uma maior facilidade de acesso à informação, lisa. Quando o ovo estiver a rodar, toque-lhe, pressionando-o manter a pressão da panela fecha-se quase hermeticamente.
mas também permitiu uma maior facilidade de propagação de desinformação. suavemente com um dedo, por um breve instante, e levante o Quando a água aquece, a pressão do vapor vai aumentando.
Esta realidade, associada à crescente (e louvável) exigência dos cidadãos por dedo imediatamente. O que observa? Numa panela de pressão doméstica, a pressão interior pode
um exercício da atividade política em proximidade e com mais transparência, O ovo cozido fica parado, enquanto o ovo cru continua a alcançar um pouco mais de duas atmosferas, o que leva a
reforça a necessidade de uma imprensa local ativa, independente e crítica. dar mais algumas voltas. A que se deve este facto? O primeiro uma temperatura de ebulição um pouco superior a 120ºC. Se a
Acredito que a liberdade de imprensa só se realiza através da diversidade é todo ele sólido e, ao tocarmos na superfície, transmitimos a panela fosse hermética na totalidade, a pressão não pararia de
de imprensa e que essa diversidade tem de englobar necessariamente uma força do dedo a todo o seu interior, travando-o por completo. aumentar e poderia fazê-la explodir, pelo que todas as panelas
atenção às diferentes sensibilidades populacionais, territoriais e comunitárias No entanto, o interior do ovo cru é líquido. Quando o fazemos têm incorporadas uma válvula que deixa escapar um pouco de
que apenas a imprensa local nos consegue proporcionar. rodar, o líquido no interior fica também a rodar. Porém, quando vapor, quando se atinge a pressão e funcionamento.
tocamos a casca com o dedo, a nossa força não se transmite Outro instrumento doméstico que recorre à pressão
* Ex-presidente da Federação Distrital da Guarda do PS e antigo imediatamente ao líquido, que continua a girar devido à sua do vapor de água é a cafeteira de tipo italiano, que tem
vereador socialista na Câmara da Guarda própria inércia. Como o líquido do interior continua em mo- dois volumes separados: um em baixo e outro em cima. O
vimento, o exterior volta a girar quando levantamos o dedo. volume inferior está fechado de modo hermético e enche-se
Além do Princípio de Inércia, estão aqui em jogo outros parcialmente de água. Por cima dele situa-se a peça que
fatores, como acontece quase sempre numa experiência. Na contém um filtro metálico, sobre o qual se deposita o café,
ausência de atrito, o ovo mover-se-ia indefinidamente, mas e um tubo comprido que se mergulha na água. A parte de
o atrito com a mesa vai travando o seu movimento de forma cima acopla-se enroscando na de baixo e uma junta de
continua. Também o líquido, ao girar, experimenta atrito. Ao borracha fecha o conjunto. Quando a água aquece, a pres-
opinião impulsionarmos o ovo no início da experiência, o movimento são do vapor começa a aumentar no recipiente de baixo.
transmite-se da casca até ao líquido no interior. As diferentes Quando a pressão interior ultrapassa a pressão atmosférica,
Rui Quinaz *
camadas de líquido vão transmitindo o movimento umas às a água sobe pelo tubo e passa através do filtro e do café

Percurso de afetos
outras, graças a uma propriedade conhecida como viscosidade, moído. Parte do café dissolve-se na água que sobe para o
que reflete a resistência (o atrito) do líquido ao movimento. É compartimento superior. Estas cafeteiras também têm uma
esta mesma viscosidade que transmite o movimento do líquido válvula de segurança, que impede que a pressão na cavidade
Nesta já longa história de O INTERIOR, em tempo medido e em
à casca, quando paramos o ovo no exterior. inferior atinja valores que possam fazê-las explodir.
memórias, entrecruzam-se factos, histórias e pessoas. E sobrepõem-se
percursos, de vida pública, de trajecto político e de afectos, que são a
base das relações pessoais.
Prefiro agora valorizar as pessoas. Um projecto como este só pode
ser o resultado de um corpo coeso e dedicado. Em primeiro lugar depende
obviamente de quem o dirige. E estes anos de afirmação e superação só
podem reflectir uma direção firme e perseverante. Nem sempre tenho estado
de acordo com as opiniões expressas pelo director nos seus editoriais, o
opinião
Luís Ferreira dos Santos *
Viver com pacemaker
que é, aliás, irrelevante. O seu crédito, todavia, não são apenas os pontos de
O sistema elétrico que sustenta o funcionamento mecânico dores. O uso de telemóvel é seguro, mas é aconselhado fazer
vista; muito antes disso, pode reclamar, em exclusividade, haver cogitado e
do coração é sensível, complexo e quando adoece origina doen- as chamadas no lado contrário ao do pacemaker e não usar o
ter conseguido traduzir em letra de forma o projecto do jornal. Foi e é uma
ças que se chamam as “arritmias cardíacas”. Uma das formas bolso da camisa ou casaco próximo para o arrumar.
história de sucesso, de permanente renovação e superação.
de tratar as arritmias cardíacas é com dispositivos de auxílio Todos estes doentes têm um cartão internacional de
Depois O INTERIOR conta com a excelência e o profissionalismo do chefe
ou suporte elétrico ao coração, e um deles é o pacemaker. O identificação de portador de pacemaker, no qual se encon-
de redacção, Luís Martins. Dele, ocorre-me de imediato a história antiga de
pacemaker é cirurgicamente colocado abaixo da clavícula e vai tram especificados o fabricante e modelo do dispositivo, a
uma tarde gelada de dezembro ou janeiro, em que o encontrei, acompanhado
comunicar com o coração por cabos elétricos (eletrocateteres) data do implante, o médico responsável, o hospital onde foi
do actual vereador Victor Amaral, então também ligado às lides jornalísticas,
que percorrem as veias do ombro e do tórax. intervencionado e o motivo. Este cartão de identificação deve
atolados e desanimados, num caminho de terra, bem no coração da Serra da
O pacemaker trata, entre outras doenças, bradicardias (fre- permanecer sempre com o doente, e serve para identificar
Estrela. E não fora o grupo de motards, de que eu fazia parte, casualmente
quências cardíacas muito baixas). Regra geral, quem precisa de universalmente em qualquer unidade de saúde o dispositivo
passar por ali, e os ilustres profissionais podiam contar com uma pernoita
pacemaker tem sintomas como tonturas, cansaço extremo ou e também em revistas de segurança com detetores de metais
de graus negativos no esplendor nocturno da Serra!
perda de consciência (desmaio). Muitas vezes, mas sobretudo (aeroportos, tribunais, etc).
Desfilando as relações pessoais, lembro a irradiante e simpática Joana
na população mais idosa, as perdas de conhecimento não são A maioria dos exames médicos não interfere com o pace-
Santos, do departamento comercial; e a âncora que foi e é o Jorge Coragem,
testemunhadas por terceiros e com amnésia para o sucedido maker, sendo segura a realização de ecografias, radiografias,
que, na sua discrição, é essencial à construção quotidiana do jornal.
pelo próprio, pelo que são interpretadas apenas como quedas, tomografias e mamografias. Os mais recentes também já
Depois, alguns que, girando em torno do projecto, dão substância, com
mas podem ser um equivalente de desmaio por bradicardia. permitem a realização de ressonância magnética, desde que
a sua visão e a opinião fundamentada: da perspectiva inteligente do amigo
A implantação do pacemaker é uma cirurgia que dura sujeitos a programação especifica previa à sua realização e
António Ferreira ao humor hábil de Nuno Amaral Jerónimo. De todos, há ainda
em média uma hora e a alta é normalmente no dia seguinte. com supervisão do cardiologista.
uma outra pedra angular. Suponho que o jornal, tal como o conhecemos, não
Após a integral cicatrização da ferida cirúrgica, o doente O funcionamento do pacemaker é verificado em consul-
seria o mesmo sem o brilho e o bom gosto do Maurício Vieira, que criou e
pode retomar a atividade normal com muito poucas limita- tas médicas presenciais regulares, muito embora existam já
acompanhou o projecto gráfico. Para ele, porém, O INTERIOR reserva um
ções: a prática de atividade física é incentivada embora sejam sistemas de monitorização que permitem que esse controlo
espaço já icónico: o das caricaturas. Creio que o traço roça a genialidade e
desaconselhadas atividades que obriguem a usar alças sobre o seja remoto, a partir da casa de cada doente. É importante
o acervo de desenhos consubstancia uma obra que perdurará para além do
dispositivo, como por exemplo máquinas de sulfato. Ações que que o acompanhamento médico seja mantido e, sempre que
tempo!
obriguem à rotação ampla e repetida dos membros superiores necessário, consulte o seu médico.
Quanto à qualidade jornalística e opinativa do jornal, poupo nas palavras:
(ex: natação em estilo crawl) podem ser prejudiciais, sobretudo
em 20 anos não seria necessário recorrer a qualquer outro meio de comuni-
se realizadas de forma recorrente, assim como desportos de * Coordenador da Cardiologia do Hospital CUF Viseu
cação, local ou regional, para estarmos bem informados! Comigo foi assim
contacto como boxe ou artes marciais.
em 20 anos. Será assim, para a Guarda, por mais 20! Parabéns!
Não há qualquer restrição para a utilização de equipamen- N.R.: Esta secção é uma colaboração mensal do Hospital
tos domésticos como rádios, televisões, comandos à distância, CUF Viseu, na qual os seus profissionais partilham conselhos
* Antigo vereador do PSD na Câmara da Guarda
frigoríficos, micro-ondas, aquecedores elétricos ou computa- e dão dicas sobre saúde.
16 • • Quarta-feira • 03 de junho de 2020

opinião
rua da corredoura, 80 - R/C Dto - C 6300-825 Guarda
Redacção/Publicidade: 271212153 • www.ointerior.pt

bilhete postal
publicidade@ointerior.pt • ointerior@ointerior.pt

Guarda

Chaves Monteiro leva Jacinto Dias para a Câmara DR


dcabrita@iol.pt
Diogo Cabrita

Hospital da Guarda
Justiça, Educação, Saúde, Segurança e uma Gover-
nação com estabilidade e coerência legislativa são pilares
de uma sociedade atrativa para o investimento.
Ninguém quer estar dez anos a dirimir com o prevari-
cador, com o mau pagador, com o preguiçoso. A imagem
dos caloteiros, dos corruptos impunes, é uma fonte de
afastamento de empresas credíveis. O roubo, a falta de
escrúpulos, a ausência de regras, o desrespeito das polí-
cias é outro fator de desequilíbrio para empreendedores.
Muitas vezes a lei é feita de modo a ajudar o faltoso, o
absentista, o prepotente, o provocador. São os direitos
de liberdade contra os direitos do coletivo. Estamos no
domínio da ideologia e das questões de base: o que é
mais importante?
Tenho como fundamental a primazia do direito
Jacinto Dias é, desde segunda-feira, passado dia 13 de março após dirigiu tendo presidido à concelhia da Guarda da sociedade sem deixar cair que os indivíduos são
o novo chefe da Divisão de Recursos os serviços distritais desde 2012 do PSD e sido vereador na Câmara de importantes. Acreditando nisto acho que a solução de
Humanos da Câmara da Guarda. cumprindo duas comissões de servi- 1993 a 97. Foi ainda presidente da Jun- instituições como o Hospital da Guarda, onde a pre-
O antigo diretor do Centro Distrital ço. Licenciado em Direito, tinha sido ta de Freguesia de Panóias, no concelho varicação e a falta de lisura e de regras de educação
da Guarda da Segurança Social iniciou presidente do Conselho Diretivo do guardense, de 2013 a 2017. Trata-se de levaram ao caos institucional, só pode ser resolvido
funções tendo sido requisitado ao Centro Regional de Segurança Social uma escolha direta de Carlos Chaves reduzindo as liberdades individuais e colocando o Es-
Instituto Politécnico da Guarda (IPG), da Guarda de 1991 a 1993 e diretor Monteiro, que, com esta nomeação, tado a cumprir a sua funcionalidade com vista ao bem
a cujo quadro pertence como técnico do serviço Sub-Regional de Segurança pretende conseguir melhorar a sua maior que são as populações. É minha convicção plena
superior. Jacinto Dias Social da Guarda entre 1993 e 1996. ligação ao partido e às freguesias, duas que o Hospital Sousa Martins devia estar sob gestão
Jacinto Dias tinha regressado ao Em termos políticos, Jacinto Dias é um áreas dominadas pelo seu ex-vice- militar e alguns dos seus trabalhadores em regime
IPG após deixar a Segurança Social no histórico militante social-democrata presidente Sérgio Costa. marcial para que a Instituição pudesse corrigir 30 anos
de loucura, devaneio, cartelização e em alguns casos
Covilhã gestão danosa. Falta coragem para resolver os arru-
aceiros, os provocadores, os desordeiros? Chamem
Estacionamento gratuito até janeiro de 2021 o regime militar, auditem à exaustão com auditores
O presidente da Câmara da Covilhã empresários e comerciantes do conce- alargamento da gratuitidade do estacio- sérios e não os fantoches que por lá andaram do IGAS
anunciou a isenção de pagamento do lho para divulgar as medidas do projeto namento tem como objetivo primordial e do Ministério Público. Conheço por lá quem devia
estacionamento à superfície e no silo “Viver Covilhã”, destinado a revitalizar e ajudar e dinamizar o comércio tradicio- ter sido preso e continua a exercer, conheço por lá
até ao 6 de janeiro de 2021. dinamizar o comércio local. «O município nal nesta fase de progressivo regresso quem devia ter sido expulso das funções públicas e
A medida foi divulgada por Vítor está empenhado no apoio aos comer- à normalidade», justificou o autarca. A ninguém lhes toca. Serei um bárbaro, mas há quem
Pereira na segunda-feira no pavilhão ciantes da Covilhã, que passaram e ainda medida será submetida à reunião desta não tenha remédio!
da ANIL, palco de um encontro com passam por grandes dificuldades. Este sexta-feira do executivo municipal.

PUB

PORTUGAL CHAMA:
PEÇA AUTORIZAÇÃO PARA FAZER
QUEIMAS E QUEIMADAS.
É OBRIGATÓRIO.
As queimas e queimadas são uma das principais causas de incêndios em Portugal.
Conheça e respeite as regras e as boas práticas.
Evite coimas que podem ir até aos €60.000.

• Informe-se e peça autorização na sua Câmara Municipal, através da aplicação Queimas e Queimadas
ou ligando para o 808 200 520.
• Tenha sempre consigo o comprovativo de autorização/comunicação para o caso de ser abordado pela GNR.
• Assegure-se que existe uma faixa limpa de vegetação à volta da zona a queimar.
• Tenha por perto um balde com água, uma mangueira ou um extintor.
• Vá sempre acompanhado e leve consigo um telemóvel.
• A inalação de fumo pode ser fatal, proteja-se com um pano húmido ou com uma máscara de fumo.
• Nunca abandone a queima ou queimada antes de estar totalmente extinta.
• Mantenha-se informado e cumpra as regras e as boas práticas.

Saiba mais na sua Junta de Freguesia, Câmara Municipal ou pelo 808 200 520 (custo de chamada local).
Aplicação - fogos.icnf.pt/queimasqueimadas