Você está na página 1de 5

Países do Terceiro Mundo

 A expressão terceiro mundo surgiu na época da guerra fria;


 O Conceito mais amplo define os países em desenvolvimento e
subdesenvolvidos.

A Ajuda internacional aos países do Terceiro Mundo


 Esta ajuda destinava-se sobretudo aos países Asiáticos e ao continente africano;
 A ajuda tinha como objetivos:
1. Melhorar o nível de vida das populações;
2. Apoiar as populações afetadas por catástrofes mundiais, ou desastres
causados pela ação do homem;
3. Reduzir a pobreza;
4. Compensar as elevadas dividas externas.
Ajuda Publica ao Desenvolvimento (APD)
Em 1969, o Comité de Ajuda ao Desenvolvimento (CAD), um organismo da OCDE,
definiu a APD.
A APD é recebida pelos países em desenvolvimento através dos organismos públicos
dos países doadores visando satisfazer as carências das nações.

Esta ajuda publica ao desenvolvimento provem:


A. Comissão Europeia
B. Organizações internacionais (FMI, BM)
C. Países doadores membros do CAD (22 países)

A APD tem um papel muito importante nas ajudas sobre a população mais
empobrecida,
 Transferências de verbas;
 Ajuda em programas e projetos;
 Operação de alívio da divida;
 Fornecimento de bens e serviços.

Os Objetivos da APD:
 Bem-estar-social;
 Promoção da solidariedade;
 Consolidação da democracia;
 Respeitos pelos direitos do Homem;
 Apoiar as populações afetadas por catástrofes naturais ou desastres causados
pela ação do homem, como a desertificação.

Existem duas ajudas publicas ao desenvolvimento:


 Bilateral: Entende-se por cooperação bilateral aquela em que os governos
doadores mobilizam os seus fundos de cooperação para o desenvolvimento
diretamente para os recetores da ajuda, sejam estes os governos dos países ou
outras organizações-.

 Multilateral: A cooperação multilateral é aquela em que os doadores remetem


os fundos para organizações multilaterais para que estas os utilizem no
financiamento das suas atividades e do seu funcionamento.
A Gestão destes fundos é feita pelas organizações internacionais.

A Ajuda Privada ao desenvolvimento


 A ajuda privada é aquela que é fornecida por organismos privados, como bancos
e empresas.
Pode assumir as seguintes formas:
 Investimentos diretos (IDE);
 Empréstimos Bancários;
 Doações das organizações não governamentais (ONG).

Endividamento do Terceiro mundo.


Doc 154 Pag.95
Os sucessos e insucessos do diálogo Norte-Sul
O período que se seguiu à 2ª Guerra Mundial foi marcado pelo fim da colonização e
pelo nascimento de várias nações. Apesar de terem conquistado independência política,
as jovens nações verificaram que a independência económica era uma batalha que
teriam ainda de enfrentar.
O sistema económico internacional fora construído à sua margem, funcionando de
acordo com os interesses dos países desenvolvidos, remetendo os países do Sul para
uma situação marginal e subalterna.
Para combater a situação de subdesenvolvimento e de dependência externa era
necessário alterar a ordem económica internacional estabelecida, de forma a promover a
sua participação no comércio internacional. Este esforço de integração passava pelo
reforço da cooperação e do diálogo entre o Norte e o Sul.

Em 1964, o grupo dos 77, defendeu na CNUCED o estabelecimento de trocas


comerciais mais justas e equitativas entre o Norte e o Sul. Esta Primeira conferência
estabeleceu os seguintes objetivos:
 Favorecer a cooperação internacional de forma a criar uma relação
comercial mais equitativa entre o Norte e o Sul;
 Estimular a cooperação Sul-Sul;
 Reestruturar o comercio internacional, atendendo às necessidades dos
países do Sul;
 Aprovação do SPG (Sistema de Preferência Generalizadas;

Conscientes da importância de que se reveste o comercio internacional no seu


desenvolvimento, os países do Terceiro Mundo, orientados pelo princípio “Trade, not
Aid”, reivindicam trocas comerciais mais justas e equitativas.
Assim, em 1974, por pressão dos mesmos, são aprovados na ONU os princípios de uma
Nova Ordem Económica Internacional, com os seguintes objetivos:

 Garantir uma justa remuneração dos preços das matérias-primas


exportadas pelos países do Sul;
 Estabilizar os preços das matérias-primas;
 Facilitar o acesso dos produtos do Terceiro Mundo aos mercados do Norte;
 Reduzir o endividamento, através de mecanismos de renegociação da divida
e prolongamento dos prazos de pagamento.

A CNUCED tem constituído o veículo privilegiado do diálogo Norte-Sul. Esta contribui


amplamente para que fosse instituída, como pratica generalizada por parte dos países
desenvolvidos, a afetação de 0,7% do seu PIB à Ajuda Pública ao Desenvolvimento dos
países mais pobres. Este órgão da ONU proporcionou a criação do grupo dos Países
Menos Avançados (PMA ou PMD).
No entanto, a acção da CNUCED pouco efeito tem produzido no desenvolvimento
destes países e na modernização das suas estruturas produtivas. Os PMD continuam a
ocupar uma posição subalterna e frágil no contexto do comércio internacional.

Organizações Informais
G8
O Grupo dos Sete Países mais industrializados reúne, desde 1975, os Estados Unidos, o
Japão, a Alemanha, a França, o Reino Unido, a Itália e o Canadá.
A partir de 1994, a Rússia foi convidada a participar nas reuniões políticas da cimeira
anual. 
Em junho de 1997, o G7 acolheu oficialmente a Rússia, transformando-se em G8,
exceto para as questões económicas e financeiras.
Desde 1975 que os chefes de Estado ou de Governo das principais democracias
industriais se encontram numa cimeira que se realiza anualmente, num sistema de
rotatividade entre os oito países. 

G20
Criado em 1999, o Grupo dos 20 (G20) é um fórum que reúne os principais países
industrializados e emergentes do planeta. Nos primeiros anos, as nações eram
representadas nos encontros periódicos do G20 pelos ministros das finanças e chefes
dos bancos centrais.
Foi somente em 2008, no entanto, que surgiu a cúpula do G20, da qual participam os
Chefes de Estado dos países-membros. Com o objetivo de enfrentar a crise financeira
mundial desencadeada naquele ano, o G20 ganhou relevância e tornou-se o fórum
central para a cooperação econômica internacional.
O G20 tem a ambição de ser mais representativo que o G7 (Alemanha, Canadá, Estados
Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido), que reúne apenas os países mais ricos.
Juntas, as economias do G20 (19 países + União Europeia) equivalem a dois terços da
população mundial, 80% do comércio e 85% da riqueza produzida.
As nações que fazem parte do bloco são, por ordem de importância econômica:

Países-membros do G20

 Estados Unidos
 China
 Japão
 Alemanha
 Reino Unido
 França
 Índia
 Brasil
 Itália
 Canadá
 Coreia do Sul
 Rússia
 Austrália
 México
 Indonésia
 Turquia
 Arábia Saudita
 Argentina
 África do Sul
Os críticos do G20 questionam os critérios de formação do grupo, do qual não fazem
parte Holanda ou Suíça, que têm economias mais importantes que as de países como
Argentina, por exemplo. Também se pondera o fato de o fórum fazer sombra a
instâncias internacionais que já tratam de questões econômicas, como o Fundo
Monetário Internacional ou o Banco Mundial.

O Fórum Social Mundial (FSM) é um espaço de debate democrático de ideias,


aprofundamento da reflexão, formulação de propostas, troca de experiências e
articulação de movimentos sociais, redes, ONG e outras organizações da sociedade civil
que se opõem ao neoliberalismo e ao domínio do mundo pelo capitalismo e por
qualquer forma de imperialismo.
Após o primeiro encontro mundial, realizado em 2001, em Porto Alegre, o
FSM configurou se como um espaço global permanente de pesquisa e construção de
alternativas às políticas liberais.
O FSM caracteriza-se também pela pluralidade e pela diversidade, não tendo um
caráter governamental, partidário ou religioso. 
O FSM tem procurado facilitar a articulação, de forma descentralizada e em rede, de
entidades e movimentos envolvidos em ações concretas, do nível local ao internacional,
pela construção de outro mundo.

As Organizações informais (ONG)


As ONG são associações que trabalham e agem em domínios diversos, tentando
resolver as dificuldades das instituições internacionais e das políticas dos governos
e alterar a globalização.
Uma Organização Não Governamental é qualquer grupo considerado não lucrativo
formado por cidadãos voluntários e organizado a nível local, nacional ou internacional.
Com um conjunto de tarefas orientadas e dirigidas por indivíduos com interesses
comuns, as ONG prestam uma grande variedade de serviços e funções humanitárias,
analisam os problemas que se levantam aos cidadãos e aos governos, supervisionam as
políticas, e incentivam a participação da comunidade.
Em muitos casos, as ONG superam as organizações formais em áreas da sua
responsabilidade, substituindo-as ou complementando-as.

PAG 167 Documento sobre algumas ONG.

Você também pode gostar