Você está na página 1de 44

Direito Administrativo

Prof. Vandré Amorim


@vandreamorimprof
1-(CESPE/CEBRASPE – 2019 - Procuradoria Geral do Estado – PE - Assistente de
Procuradoria) A respeito da administração pública brasileira, julgue os itens a
seguir.
A descentralização por colaboração ocorre, por exemplo, quando a administração
pública, por meio de ato administrativo, transfere a execução de um serviço a uma
pessoa jurídica, mas mantém a titularidade do serviço.

Certo
Prof. Vandré Amorim
Prof. Vandré Amorim
2-(FGV - 2019 - Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro - Técnico Superior Jurídico)
Antônio, empregado de uma sociedade empresária privada, que atua como concessionária do
serviço público de conservação de rodovias, no exercício de suas funções, atropelou João,
motociclista que trafegava pela rodovia. Em razão do ocorrido, João sofreu sérios danos.
Considerando a sistemática vigente na ordem jurídica, é correto afirmar que:
A) somente Antônio pode ser responsabilizado, sendo necessário provar a sua culpa;
B) a concessionária será civilmente responsabilizada em caráter objetivo;
C) somente a concessionária será responsabilizada, mas será preciso provar a culpa de Antônio;
D) somente o ente federado concedente será responsabilizado, o que ocorrerá em caráter
objetivo;
E) Antônio e a concessionária serão solidariamente responsabilizados em caráter objetivo.

Letra B
➢ Pessoas Responsáveis na ação de reparação de danos:
Art. 37, § 6º, CF: As pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado prestadoras de serviços
públicos responderão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros,
assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.

• P.J.D. Público • Agente Causador do dano:


o Direito de Regresso

• P.J.D. Privado prestadora o Responsabilidade Subjetiva


de serviços públicos
o Usuário e não usuário do o Denunciação da lide
serviço público
o Morte do Agente

o Prescrição
3-(FGV – 2019 - Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro - Técnico Superior Jurídico)
A Administração Pública contratou a sociedade empresária Alfa para a construção de um
edifício em determinado terreno. Apesar disso, por desorganização interna, atrasou em 1
(um) ano a liberação do respectivo local, o que impediu o início das obras durante todo
esse período. Considerando a sistemática vigente, o referido atraso configura:
A) fato do príncipe;
B) alteração unilateral;
C) fato da Administração;
D) álea econômica;
E) álea ordinária.

Letra C
4-(FGV – 2019 - Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro - Técnico Superior Jurídico)
João, servidor público estadual, foi acusado, em um processo penal, da prática do crime de
corrupção. Paralelamente, passou a responder, pela mesma conduta, a um processo
administrativo, sob a alegação de que praticara uma infração disciplinar, e a um processo civil
por ato de improbidade administrativa. Considerando a sistemática vigente, a simultânea
instauração das três relações processuais a respeito do mesmo fato está:
A) correta, pois as instâncias de responsabilização são independentes entre si, influenciando-se
nos termos da lei;
B) incorreta, pois a responsabilização administrativa somente pode ser perquirida após o
exaurimento da penal e da cível;
C) incorreta, pois a responsabilização administrativa somente pode ser perquirida após o
exaurimento da penal;
D) correta, pois as instâncias de responsabilização não têm correlação entre si;
E) incorreta, pois não é possível que João seja responsabilizado em três instâncias distintas pela
prática da mesma conduta.
Letra “A”
5-(FGV – 2019 - Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro - Técnico Superior) Com o objetivo
de investir na formação e na qualificação continuada de seus servidores, a Defensoria Pública do
Estado do Rio de Janeiro pretende realizar contratação de serviços técnicos de treinamento e
aperfeiçoamento de pessoal, de natureza singular, com determinada sociedade empresária de
notória especialização. Estudos preliminares realizados revelaram que o valor proposto pela futura
eventual contratada de cento e cinquenta mil reais atende à economicidade, eis que compatível
com o valor de mercado. No caso em tela, o Defensor Público-Geral do Estado:
A) deve realizar licitação para a contratação dos serviços pretendidos, que deverá ser feita na
modalidade tomada de preços, diante do valor do contrato;
B) deve realizar licitação para a contratação dos serviços pretendidos, que deverá ser feita na
modalidade concorrência, diante do valor do contrato;
C) deve realizar licitação para a contratação dos serviços pretendidos, que deverá ser feita na
modalidade convite, diante do valor do contrato;
D) pode contratar diretamente a mencionada sociedade empresária, mediante dispensa de licitação,
por expressa previsão legal;
E) pode contratar diretamente a mencionada sociedade empresária, mediante inexigibilidade de
licitação, por expressa previsão legal.

Letra “D”
6-(Ano: 2019 - Banca: VUNESP - Órgão: Secretaria de Gestão e da Fazenda de São
Paulo - UF: SP) O valor máximo da contratação para que uma obra pública de
engenharia seja licitada na modalidade convite é de
A) R$ 330.000,00.
B) R$ 176.000,00.
C) R$ 1.430.000,00.
D) R$ 80.000,00.
E) R$ 150.000,00.

Letra “A”
Novos valores
(Decreto 9.412/2018)

I – Obras e serviços de engenharia II – Compras e outros serviços

acima de R$ 3.3 milhões acima de R$ 1.43 milhões

até R$ 3.3 milhões até R$ 1.43 milhões

até R$ 330.000,00 até R$ 176.000,00

Obs.1: Nos casos que couber convite, a Administração poderá utilizar a tomada de preços e, em qualquer
caso, a concorrência.
Obs.2: No caso de consórcios públicos, esses limites dobram ou triplicam (§ 8º)
7-(Ano: 2019 - Banca: VUNESP - Órgão: Tribunal de Justiça de São Paulo UF: SP) Nas licitações
realizadas na modalidade de pregão, nos termos da Lei no 10.520/02,
A) declarado o vencedor, qualquer licitante poderá manifestar imediata e motivadamente a
intenção de recorrer, quando lhe será concedido o prazo de 3 (três) dias para apresentação das
razões do recurso.
B) os licitantes terão o prazo de 5 (cinco) dias contados da declaração do vencedor para
apresentarem recurso, que deverá ser endereçado ao pregoeiro.
C) a falta de manifestação imediata e motivada do licitante não implica na decadência do direito
de recurso.
D) o acolhimento de recurso importará na invalidação da fase externa do certame, devendo ser
marcada nova data para a realização do leilão.
E) apresentadas as razões do recurso por qualquer dos licitantes, os demais serão intimados no
prazo de 5 (cinco) dias para apresentar contrarrazões.
Letra “A”
8 - (Ano: 2019Banca: VUNESPÓrgão: Tribunal de Justiça de São Paulo UF: SP) José, médico
judiciário do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, deixou de emitir um laudo médico
com o devido parecer, que deveria fazê-lo para instruir um processo judicial. Nos termos do
que determina a Lei no 8.429/1992, a conduta de José que deixou de praticar, indevidamente,
ato de ofício configurou um ato de improbidade administrativa que
A) contribuiu para enriquecimento ilícito de terceiros interessados no processo judicial.
B) atentou contra os princípios da Administração Pública.
C) causou prejuízo ao erário.
D) importou no seu próprio enriquecimento ilícito, pois recebeu uma gratificação para omissão
de sua atribuição.
E) favoreceu terceiro interessado para frustrar a licitude do processo judicial.

Letra B
➢ Enriquecimento Ilícito
Art. 9° Constitui ato de improbidade administrativa importando enriquecimento ilícito auferir
qualquer tipo de vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo, mandato,
função, emprego ou atividade nas entidades mencionadas no art. 1° desta lei, e notadamente:
➢ Prejuízo ao Erário
Art. 10. Constitui ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário qualquer ação ou
omissão, dolosa ou culposa, que enseje perda patrimonial, desvio, apropriação, malbaratamento
ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades referidas no art. 1º desta lei, e notadamente:
➢ Princípios da Administração Pública
Art. 11. Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da
administração pública qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade,
imparcialidade, legalidade, e lealdade às instituições, e notadamente:
➢ Concessão ou Aplicação Indevida de Benefício Financeiro ou Tributário (ISS)
Art. 10-A. Constitui ato de improbidade administrativa qualquer ação ou omissão para conceder, aplicar ou
manter benefício financeiro ou tributário contrário ao que dispõem o caput e o § 1º do art. 8º-A da Lei
Complementar nº 116, de 31 de julho de 2003.
Art. 9º - Enriquecimento Ilícito Art. 10 – Prejuízo ao Erário Art. 11 – Violação dos Princípios

Forma da conduta SOMENTE CONDUTA DOLOSA CONDUTA: DOLOSA OU CULPOSA SOMENTE CONDUTA: DOLOSA

Perda dos bens ou valores


Perda dos bens ou valores acrescidos
PERDA DOS BENS acrescidos ilicitamente ao -------
ilicitamente ao patrimônio
patrimônio, se houver.
RESSARCIMENTO AO
QUANDO HOUVER Ressarcimento integral do dano SE HOUVER
ERÁRIO
PERDA DA FUNÇÃO
PÚBLICA
SIM SIM SIM

SUSPENSÃO DOS
DIREITOS POLÍTICOS
08 a 10 anos 05 a 08 anos 03 a 05 anos

MULTA CIVIL
ATÉ 3X O VALOR DO ACRÉSCIMO ATÉ 2X O VALOR DO DANO ATÉ 100X A REMUNERAÇÃO
(PENA PECUNIÁRIA)
PROIBIÇÃO DE
CONTRATAR COM O 10 anos 05 anos 03 anos
PODER PÚBLICO
Art. 10-A - Concessão ou Aplicação Indevida de Benefício Financeiro ou Tributário (ISS)
Suspensão dos Direitos Políticos – Multa Civil – Até 3 vezes o valor
PENALIDADES PERDA DA FUNÇÃO PÚBLICA
5 a 8 anos do benefício
➢ Casos especiais:

❑ Prejuízo ao erário: Art. 10, XII


o XII - permitir, facilitar ou concorrer para que terceiro se enriqueça ilicitamente;
➢ Casos especiais:

❑ Violação de princípio: Art. 11, VI


o VI - deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo;
➢ Casos especiais:

❑ Prejuízo ao erário: Art. 10, VIII


o frustrar a licitude de processo licitatório ou de processo seletivo para celebração de
parcerias com entidades sem fins lucrativos, ou dispensá-los indevidamente;

❑ Violação de princípio: Art. 11, V


o frustrar a licitude de concurso público;
➢ Casos especiais:
❑ Prejuízo ao erário: Art. 10
o XVIII - celebrar parcerias da administração pública com entidades privadas sem a
observância das formalidades legais ou regulamentares aplicáveis à espécie;
o XIX - agir negligentemente na celebração, fiscalização e análise das prestações de
contas de parcerias firmadas pela administração pública com entidades privadas;
o XX - liberar recursos de parcerias firmadas pela administração pública com entidades
privadas sem a estrita observância das normas pertinentes ou influir de qualquer
forma para a sua aplicação irregular.

❑ Violação de princípio: Art. 11, X (Incluído pela Lei nº 13.650, de 2018)


o transferir recurso a entidade privada, em razão da prestação de serviços na área de
saúde sem a prévia celebração de contrato, convênio ou instrumento congênere, nos
termos do parágrafo único do art. 24 da Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990.
9 – (Ano: 2019 - Banca: FCC - Órgão: Agência de Fomento do Amapá UF: AP) A celebração de
contrato administrativo entre empresa particular e a Administração pública permite a
incidência do poder
A) de polícia em relação aos atos praticados pela contratada para a execução do objeto
contratual, incluindo a aplicação de penalidades.
B) normativo, diante da necessidade de aditamento do contrato para estabelecimento de
alterações de ordem qualitativa.
C) disciplinar em relação à contratada, tendo em vista que essa atuação abrange relações
jurídicas que excedem o vínculo funcional, tal como vínculo contratual.
D) hierárquico, tendo em vista que esta prerrogativa confere posição de supremacia do poder
público contratante em relação à contratada, admitindo inclusive alterações unilaterais do
contrato.
E) regulatório, tendo em vista que o vínculo contratual entre a Administração pública e o
particular admite alterações unilaterais por parte do contratante sempre que o interesse público
assim recomendar, independentemente de concordância do contratado.
Letra “C”
❑ I - Poderes Administrativos

1. Poder Regulamentar 4. Poder Hierárquico

2. Poder Vinculado 5. Poder Disciplinar

3. Poder Discricionário 6. Poder de Polícia


10 – (Ano: 2019 - Banca: FCC - Órgão: Agência de Fomento do Amapá - UF: AP - Cargo: Analista
de Fomento - Área Advogado) Dentre os elementos ou requisitos do ato administrativo,
existem aqueles cuja inobservância NÃO é passível de ser sanada, a exemplo
A) dos atos administrativos praticados por autoridade desprovida de competência privativa para
sua edição.
B) das decisões proferidas em situações cujo substrato fático não corresponda à previsão legal
expressa.
C) dos atos vinculados editados sem explicitação de motivação.
D) dos atos administrativos que não sejam objeto de publicação na imprensa oficial, em ofensa
ao princípio da publicidade.
E) dos atos proferidos por autoridade pública para a qual tenha sido delegada competência
privativa de autoridade superior.
Letra B
11 – (Ano: 2019 - Banca: VUNESP - Órgão: Câmara de Serrana - UF: SP -
Cargo: Analista Legislativo) Personalidade de direito público: capacidade de
autoadministração, porém sob o controle finalístico; atribuições tipicamente
públicas, como a prestação de serviço público ou a atividade de polícia
administrativa; e patrimônio próprio, sujeito à fiscalização do Estado. Estas são
características das
A) fundações públicas.
B) sociedades de economia mista.
C) empresas públicas.
D) autarquias.
E) permissionárias.

Letra D
Prof. Vandré Amorim
Prof. Vandré Amorim
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA ADMINISTRAÇÃO INDIRETA
Autarquia Fundação Pública Empresa Pública S.E.M
Personalidade Jurídica Direito Público Dir. Público Dir. Privado Direito Privado Direito Privado
Econômicas Econômicas
Atividades Típicas de Estado Sociais Sociais
(Serviço Público*) (Serviço Público*)
Criação (outorga legal) Por Lei Por Lei Lei autoriza Lei autoriza Lei autoriza
Autonomia Patrimonial Sim Sim Sim Sim Sim
Titularidade Sim Sim Sim Sim Sim
Vinculação Sim Sim Sim Sim Sim
Dever de Licitar Sim Sim Sim Sim* Sim*
Proibição de acumular
cargo/emprego/função Sim Sim Sim Sim Sim

Teto Remuneratório Sim Sim Sim Sim* Sim*


Concurso Público Sim Sim Sim Sim Sim
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA ADMINISTRAÇÃO INDIRETA
Fund. Pública
Autarquia D. Público D. Privado
Empresa Pública S.E.M
Regime de pessoal Estatutário* Estatutário* CLT CLT CLT
Regime de Previdência RPPS RPPS RGPS RGPS RGPS
Estabilidade (3 anos) Sim Sim Não Não Não
Natureza dos Bens Públicos Públicos Privados Privados Privados
Impenhorabilidade dos bens Sim Sim Não Não Não
Precatório Sim Sim Não Não Não
Imunidade Tributária Sim Sim Sim* Não* Não*
Usucapião Não Não Sim Sim Sim
Ações Judiciais JF* JF* JE JF* JE
Privilégios Processuais Sim Sim Não Não Não
Responsabilidade Civil Objetiva Objetiva Subjetiva Subjetiva Subjetiva
12 – (Ano: 2019 - Banca: CESPE/CEBRASPE - Órgão: Secretaria da Fazenda do Estado do Rio
Grande do SulUF: RS - Cargo: Auditor Fiscal da Receita Estadual) De acordo com a Lei n.º
8.429/1992, constitui ato de improbidade administrativa que atenta especificamente contra os
princípios da administração pública qualquer ação ou omissão que violar os deveres de
honestidade, imparcialidade, legalidade e lealdade às instituições, e notadamente
A) negar publicidade aos atos oficiais.
B) facilitar para que terceiro se enriqueça ilicitamente.
C) conceder indevidamente benefício administrativo ou fiscal.
D) representar negligência na arrecadação de tributo e na conservação do patrimônio público.
E) consistir em uso, em proveito próprio, de bens ou valores integrantes do acervo patrimonial
da administração pública.
Letra A
13 – (Ano: 2019Banca: CESPE/CEBRASPEÓrgão: Departamento de Polícia Rodoviária Federal -
UF: BR - Cargo: Policial Rodoviário Federal) No tocante aos poderes administrativos e à
responsabilidade civil do Estado, julgue os próximos itens.
A responsabilidade civil do Estado por ato comissivo é subjetiva e baseada na teoria do risco
administrativo, devendo o particular, que foi a vítima, comprovar a culpa ou o dolo do agente
público.

Errado
Danos nucleares,
Responsabilidade Civil do Estado - Resumo Omissão especial ambientais e
(dever de custódia) terrorismo
Deve-se Não se admite
comprovar excludente ou
Dolo ou Culpa atenuante
RESPONS.
Teoria do
SUBJETIVA
Risco Integral
(OMISSÃO)
Atos Culpa da vítima,
caso fortuito,
comissivos
força maior e
(ação) danos de terceiros

Independe Admite-se
de dolo ou excludente ou
culpa atenuante

RESPONS. Teoria do Risco


OBJETIVA Administrativo
Agente Vítima

▪ Responsabilidade Subjetiva ▪ Responsabilidade Objetiva (regra)


ESTADO o Respons. Subjetiva (exceção)
(Art. 37, § 6º, CF)
▪ Prescrição: quinquenal (regra) - P.J.D. Público ▪ Prescrição: quinquenal (regra)
o Imprescritível (exceção) - P.J.D. Privado “prestadora o Imprescritível (exceção)
de Serviço Público”

Obs.: “A teor do disposto no artigo 37, parágrafo 6º, da Constituição Federal, a ação por danos
causados por agente público deve ser ajuizada contra o Estado ou a pessoa jurídica de direito
privado, prestadora de serviço público, sendo parte ilegítima o autor do ato, assegurado o direito
de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa” (STF - RE 1027633 - tema 940)
14 – (Ano: 2019Banca: CESPE/CEBRASPEÓrgão: Tribunal de Justiça da BahiaUF: BACargo: Juiz
de Direito Substituto) De acordo com a legislação pertinente e a jurisprudência dos tribunais
superiores, na hipótese de o prefeito de determinado município desviar dolosamente recursos
públicos obtidos pelo ente municipal mediante convênio com a União,
A) a ação de ressarcimento ao erário será submetida ao prazo prescricional quinquenal.
B) a ação de improbidade administrativa prescreverá em cinco anos, contados a partir da data do
fato.
C) ainda que o tribunal de contas local condene o prefeito ao ressarcimento ao erário, o Poder
Judiciário também poderá condená-lo em ressarcimento ao erário em ação civil pública por
improbidade administrativa.
D) não será possível a configuração do ato de improbidade administrativa se o prefeito tiver
agido culposamente.
E) o magistrado, em ação de improbidade administrativa, será obrigado a aplicar todas as
penalidades legalmente previstas para a conduta, submetendo-se à discricionariedade regrada
somente a dosimetria da pena.

Letra C
15 – (Ano: 2019 - Banca: CESPE/CEBRASPE - Órgão: Tribunal de Justiça da
BahiaUF: BACargo: Juiz de Direito Substituto) Um município deseja realizar obra
de construção de uma ponte. Embora pequena, a obra é complexa, sem
especificação usual, dada a peculiaridade do terreno, e está orçada em cerca de
R$ 1,6 milhão. Nessa situação hipotética, o gestor poderá escolher, para a
contratação, a licitação na modalidade
A) convite.
B) concorrência.
C) pregão.
D) leilão.
E) concurso.

Letra B
Novos valores
(Decreto 9.412/2018)

I – Obras e serviços de engenharia II – Compras e outros serviços

acima de R$ 3.3 milhões acima de R$ 1.43 milhões

até R$ 3.3 milhões até R$ 1.43 milhões

até R$ 330.000,00 até R$ 176.000,00

Obs.1: Nos casos que couber convite, a Administração poderá utilizar a tomada de preços e, em qualquer
caso, a concorrência.
Obs.2: No caso de consórcios públicos, esses limites dobram ou triplicam (§ 8º)