Você está na página 1de 3

1

METABOLISMO ENERGÉTICO
Profª: Kamilla Dutra – Frente D - BIOLOGIA

Conjunto de reações químicas > produção de energia > funções vitais dos seres vivos

Respiração Celular

Processo de obtenção de energia a partir de compostos inorgânicos:

• Carboidratos
• Lipídeos
• Proteínas

Tipos de respiração celular:

• Aeróbica
• Anaeróbica

Equações:

• C6H12O6 + 6O2 > 6CO2 + 6H2O + ENERGIA (ATP)


• C6H12O6 + 6O2 + 6H2O > 6CO2 + 12H2O + ENERGIA (ATP)

Etapas:

• Glicólise - citoplasma
• Ciclo de Krebs - matriz mitocondrial
• Cadeia respiratória - cristas mitocondriais

Obs:

NAD – nicotinamida adenina dinucleotídeo: coenzima derivada da vitamina B3: aceptor de elétrons e hidrogêneo

• NAD+ > NADH

ATP: adenosina trifosfato; nucleotídeo especial relacionado com a transferência de energia


- ADP + P <> ATP

1. GLICÓLISE:
• Onde ocorre? R: Citosol / hialoplasma
• C6H12O6 + 2ATP + 2NAD+ > 2 PIRUVATO (C3H4O6) + 2NADH + 2H+
• A quebra da glicose libera 4 elétrons e 4 hidrogêneos
• 4 ATP > saldo 2 ATP

OBS: NÃO OCORRE PRODUÇÃO DE H2O E CO2

IMPORTANTE!

Se tiver oxigênio disponível > mitocôndria > ciclo de krebs e cadeia respiratória

Se não tiver oxigênio disponível > fermentação

2. CICLO DE KREBS / CICLO DO ÁCIDO CÍTRICO


2

• Onde ocorre? R: dentro da mitocôndria - matriz mitocondrial


• Quando o ácido pirúvico entra na mitocôndria, passando pela primeira membrana, ele perde um dos carbonos
em forma de CO2, formando o acetil (composto com 2 carbonos)
• O acetil se junta com a coenzima A (catalizadora), formando o acetil coenzima A
• Durante a quebra do ác. Pirúvico em acetil ocorre a liberação de energia, em forma de elétrons
• Esses elétrons são capturados pelo NAD+ > NADH
• Tudo isso ocorre em dobro: tem 2 ác. Pirúvico
• Acetil coenzima A > ciclo de krebs

• Acetil coenzima A sofre hidrólise, libera a coenzima A e forma, novamente, o acetil (2C) que se juntará com o
ácido oxalacético (4C) formando o ácido cítrico (6C)
• Para que a energia contida no ácido cítrico seja liberada, uma série de pequenas quebras irá ocorrer, para que
esta energia seja liberada aos poucos. Assim, primeiramente o ácido cítrico perde um carbono na forma de CO2.

• Ao perder esse carbono, a energia contida nesta ligação quebrada será capturada por uma molécula de NAD+,
formando uma molécula de NADH. O novo composto formado a partir dessa descarboxilação é chamado de
ácido cetoglutárico e possui 5 carbonos. O ácido cetoglucárico sofre uma nova quebra liberando mais carbono
na forma de gás carbônico. Essa quebra de ligação carbônica produz energia suficiente para a formação de mais
um NADH, assim como para a formação de 1 ATP.

• A molécula formada a partir da descarboxilação do ácido cetoglucárico é chamada de ácido succínico e possui 4
carbonos. Nesta etapa do ciclo de Krebs, os dois carbonos provenientes da glicose (mais precisamente do ácido
pirúvico que deu início ao ciclo), já foram perdidos.

• Assim, a continuidade do ciclo de Krebs tem com objetivo restaurar o ácido oxalacético (que se une ao acetil-
CoA). Assim, não há mais perda de carbonos, mas sim perda de hidrogênios em reações de desidrogenação.
Dessa maneira, na primeira desidrogenação, o ácido succínio será transformado em ácido málico e haverá a
formação de FADH2 (molécula carregadora de energia, semelhante ao NADH, mas que carrega menos energia).

3. CADEIA RESPIRATÓRIA / CADEIA TRANSPORTADORA DE ELÉTRONS


• Onde ocorre? R: dentro da mitocôndria nas cristas mitocondriais
• Função? R: pega todos os NADH e FADH2 produzidos durante a glicólise e ciclo de krebs, pegar a energia contida
nessas moléculas e usar essa energia para produzir ATP
• As proteínas presentes na membrana interna das cristas mitocondriais que serão responsáveis pela realização
da cadeia respiratória
1. Complexos proteicos
2. Citocromos: aceptores intermediários de elétrons
3

• Os elétrons liberados pelo NADH E FADH2 tem alta afinidade pelo oxigênio, mas para que eles possam se
encontrar com o oxigênio, deverão fazer o caminho através das proteínas
• A passagem por esse “caminho” faz com que ocorra liberação de energia, e essa enegia liberada é utilizada para
bombear hidrogêneo para a parte mais externa da membrana
• Diferença de potencial de membrana, pois a parte mais externa dessa mebrana está mais positiva por conta do
H+ > tem que retornar ao normal > H+ volta para a parte interna passando pelo comprexo V, girando este,
causando a produção de ATP, pela ação da enzima ATP sintase
• ATP sai da mitocôndria
• NAD+ E FAD, voltam para sua versão oxidada

SALDO DA PRODUÇÃO DE ATP = 38 ATPs

Fermentação

• O que é? Transferir a energia que está na molécula de glicose e transfere para o ATP, este último que será
utilizado
• PROCESSO ANAERÓBICO
• SEMPRE PRODUZ 2 ATP

FERMENTAÇÃO ALCÓOLICA

• C6H12O6 > PIRUVATO: GLICÓLISE


• Ausência de O2: piruvato > fermentação > 2 etanol + CO2 + 2 ATP
• Quem faz fermentação alcóolica? Bactérias (procarionte) e fungos (eucarionte - CERVEJAS)
• Etanol: biocombustível
• CO2: cresce os pães

FERMENTAÇÃO LÁTICA

• C6H12O6 > PIRUVATO: GLICÓLISE


• AUSÊNCIA DE O2: piruvato > fermentação > 2 ácido lático + 2 ATP
• Ocorre em músculos em anaerobiose
• Quem faz a fermentação lática? Bactérias que atuam na produção da derivados do leite

FERMENTAÇÃO ACÉTICA

• C6H12O2 > PIRUVATO


• Ausencia de O2: piruvato > fermentação > 2 ácido acético + 2ATP
• Quem faz a fermentação acética? Bactérias acetobacter