Você está na página 1de 2

Aluno : Mathias dos anjos Turma: 81,82,83,84,85

Professor: Daniele Almeida de Souza Atividade nº: 01 – Documento histórico - Um


olhar sobre a infância.

Atividade Preparada para o Ensino Remoto


“Aula Planejada para o Programa de Contingência Coronavirus: de acordo com a LDB – 9394/96

Um novo Olhar sobre a infância


Jean Sandrin
No final do século XVIII, os adultos têm sobre as crianças um olhar modificado pela lenta
tomada de consciência sobre sua especificidade. A legislação revolucionária concretiza esta nova
atitude.
Até então, a contracepção limitada e pouco limitada e pouco eficiente, a ideia religiosa de
que a união é justificada pela procriação resultam em grande número de casamentos. A grande
mortalidade infantil (a metade das crianças não passa dos 2 anos) provoca a obstinação em pôr
no mundo o herdeiro que será o “amparo da velhice”. Chegada “por acaso”, a criança muitas
vezes é um incomodo para o trabalho dos artesãos e lojistas, um risco de perda do emprego para
as domésticas, uma limitação dos lazeres e um transtorno no jogo social dos pais nos maios
privilegiados. Muitas vezes, ela é também um mal suportado, mas necessário. A contrapartida
disso é indiferença dos pais. E tenta-se desembaraçar-se da criança enviando-a para a casa da
ama – ou até abandonando-a -, deixando sua educação a cargo dos criados, dos preceptores ou
do internato, encaminhando-a para a aprendizagem com um padrão (...).
Ocorre uma transformação das atitudes no século XVIII, quando a criança aparece como a
esperança de uma riqueza futura: mão-de-obra agrícola e manufatureira, soldados para o país
mais poderoso da Europa, colono para as distantes Américas.
Então convém salvá-la ao máximo. A intervenção do médico durante o parto e a melhor
formação das parteiras devem reduzir a mortalidade pós-parto. Os sobreviventes são cercados de
cuidados de cuidados adaptados à sua fragilidade. O recurso a amas-de-leite, qualificando de
aleitamento mercenário, passa a ser condenado, e a amamentação materna é louvada. A
inoculação e, depois, a vacinação preservam-na do flagelo da varíola. O Emiliano de Jan –
Jaques Rousseau ( 1762) propõe um novo modelo de educação, dito “à la Jean – Jaques”:
liberdade de movimento para os corpos, com a supressão de faixas e cueiros que prendam a
criança, banho diário matinal, em geral com água fria. Todas elas são práticas que entram em
voga nos meios “esclarecidos” da aristocracia e da alta burguesia, progressivamente imitadas
pela burguesia, mas ignoradas pela enorme massa de camponeses e camadas populares
urbanas.
Paralelamente, a reflexão dos filósofos traz um anova concepção das relações entre pais e
filhos. A autoridade dos adultos visa apenas preservar o frágil ser que é a criança. O pai deve
partilhar sua autoridade com a mãe, assim obtém uma promoção de seu papel dentro da família.
A autoridade não é mais imposta arbitrariamente, mas se torna natural; não é mais ilimitada, mas
limites criados pela natureza.
Esse novo olhar sobre a infância é inscrito pelos políticos revolucionários na legislação da
nova França. O decreto de 15 de abril de 1790 substitui a autoridade paterna única por tribunais
de família, e aos 21 anos cessa a autoridade. O decreto de 28 de agosto de 1792 confirma a
anulação da onipotência patena sobre os filhos maiores de idade. Privados de todos os direitos
na França do Antigo Regime, os filhos legítimos veem melhorias em sua situação. Em 28 de
junho de 1793, a lei sobre a assistência a mães solteiras e crianças abandonadas institui uma
maternidade por distrito e decreta que, a partir de 14 de julho, os enjeitados serão denominados
“filhos naturais da pátria”.(...)

Compreendendo o Texto:

1- Estabeleça as diferenças entre a maneira como eram vistas as crianças antes e


depois da Revolução Francesa.
Os pais não gostavam de ter filhos pois atrapalhava os trabalhos dele as crianças as veze não
passavam de, 2 anos deixavam os filhos com as empregadas os professores

Depois eles tiveram a ideia de que os filhos podiam ser importantes no futuro.

2 – Como as ideias iluministas e os ideais da Revolução Francesa podem ajudar a


explicar a mudança de atitude com relação às crianças?
_que quando elas crescerem pode se um agricultor um cara que cuida de mano fatura ser
vir a seu pais_

3. Há semelhanças na maneira como se propôs tratar as crianças a partir da Revolução


Francesa e o modo como são tratadas hoje? Explique e dê exemplos. A formular sua
resposta, não se esqueça de considerar que existem diferentes grupos sociais com
condições específicas de sobrevivência.
Tem pessoas que podem das uma condição a os seus filhos outros não pode das uma vida
boua muitos entra para o crime mas esta melhor pois tem mais o pisoes de trabalho

Você também pode gostar