Você está na página 1de 16

CRIPTOSPORIDIOSE

CRYPTOSPORIDIUM
• Descrito Tyzzer,1907 (C. muris)
• 1976 – reconhecido como causador de doença no
homem
• Associado a doença em individuos
imunocomprometidos, em particular pacientes
com AIDS com baixo CD4 mas também ocorre em
humanos imunocompetentes.
PROTOZOÁRIOS- Classificação
Filo Caracteristicas Generos importantes
Sarcomastigophora Mastigophora (subfilo) Movem se por Trypanososma
flagelos
Leishmania
Trichomonas
Giardia
Sarcodina(subfilo) Movem se por Entomoeba
pseudopos
Apicomplexa Sporozoa (Classe) Produzem esporos Cryptosporidium

Sarcocystis
Toxoplasma
Plasmodium
Babesia
Ciliophora Locomoção: cílios Balantidium
Enquadramento sistematico
• Filo: Apicomplexa
• Classe: Sporozoa
• Ordem: Eucoccidiida
• Familia: Cryptosporididae
• Genero: Cryptosporodium
Cryptosporidium spp.
Especies Hospedeiros Isolados de casos humanos
C. hominis Humanos Frequentemente
C. parvum Mamiferos Frequentemente
C. meleagridis Peru e humanos Ocasionalmente
C. muris Roedores e Muito
humanos ocasionalmente
C. felis Gatos Muito
ocasionalmente
C. canis Caes Muito
ocasionalmente
C. baileyi Aves Um caso
Ciclo evolutivo
Monoxenico
Vias de transmissão

• Pessoa a pessoa: observada em ambientes com


alta densidade populacional, como em creches e
hospitais e através do contato directo e indirecto;
• Animal a pessoa: ocorre como consequência do
contato directo de pessoas com animais que se
encontram eliminando ooquistos;
• Água de bebida ou de recreação contaminada
com ooquistos; e,
• Alimentos contaminados com ooquistos
Epidemiologia
• Rastreios em pacientes com gastroenterites
reportaram prevalências de Cryptosporidium:
– 1-4% na Europa e Norte América
– 3 -20% em África, Asia, Austrália e América do Sul e
Central
• Picos da prevalência na primavera e verão
• Países desenvolvidos infeção comum em crianças
com menos de 5 anos e adultos jovens
• Países em desenvolvimento comum em crianças
com menos de um ano
Patogenia e sintomas Clinicos
• Imunocompetentes:
– Diarreia aquosa (três a dez evacuações diárias,
representando um a três litros por dia) com
duração de um a 30 dias (média de 12 a 14 dias)
– Anorexia, dor abdominal náusea, flatulência, febre
e dor de cabeça.
– O quadro clínico é, geralmente, benigno, com
duração média de dez dias.
– Crianças, os sintomas são mais graves e podem
ser acompanhados de vômitos e desidratação.
Patogenia e sintomas Clínicos
• Imunodeficientes:
– Sintomas são crónicos: vários meses de diarreia
aquosa (3 a 6 litros por dia em média) refratária a
qualquer medicação antimicrobiana e acentuada
perda de peso, desequilíbrio eletrolítico, má
absorção, emagrecimento acentuado e mortalidade
elevada, principalmente em indivíduos com síndrome
da imunodeficiência adquirida
– Colite, apendicite aguda, dilatação do ducto hepático
e pneumopatias, têm sido atribuídas ou associadas à
criptosporidiose.
Diagnóstico
• Demonstração de ooquistos nas fezes, em material de
biópsia intestinal ou em material obtido de raspado de
mucosa.
• Exame de fezes: métodos de concentração (flutuação
centrífuga em solução saturada de sacarose ou solução
de Sheather ou sedimentação pelo formol-éter) ou
emprego de métodos especiais de coloração, como,
por exemplo, Ziehl-Neelsen modificado, Kinyoun
modificado, safranina-azul-de-metileno, carbol-fucsina
com dimetilsulfóxido, Giemsa ou auramina e suas
associações.
Diagnóstico
• Pesquisa de anticorpos :
– testes de anticorpos
policlonais fluorescentes
– reação de
imunofluorescência indireta
– ELISA
– imunofluorescência com
anticorpos monoclonais
– hemaglutinação passiva
reversa
– imunocromatografia
qualitativa em fase sólida.
• Técnicas moleculares
– reação em cadeia de
polimerase (PCR) (amostras
de material clínico e do meio
ambiente)
Medidas profiláticas
• Adopção de medidas que previnam ou evitem a
contaminação do meio ambiente, água e alimentos com
ooquistos do parasita e o contato de pessoas suscetíveis
com fontes de infecção.
• Fossas ou casas de banho, com proteção dos
reservatórios de água para evitar a contaminação com
fezes
• Higiene pessoal e com o vestuário, utensílios e
instrumentos devem ser adotados pelos indivíduos dos
grupos de risco cujas actividades os colocam em contato
com material contaminado, pessoas doentes ou animais
infectados
• Pessoas dos grupos de alto risco (portadores de diferentes
tipos de imunodeficiências) devem evitar contato com
animais e adpotar rigorosa higiene pessoal.
Tratamento

• Sintomático e visa aliviar os efeitos da diarréia


e desidratação
• NITAZOXANIDA (?)

Você também pode gostar